2º TRIMESTRE de 2016 abril a junho AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS - CAMPINAS (SBKP)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "2º TRIMESTRE de 2016 abril a junho AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS - CAMPINAS (SBKP)"

Transcrição

1 º TRIMESTRE de 16 abril a junho AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS - CAMPINAS (SBKP)

2 COORDENAÇÃO DA PESQUISA EXECUÇÃO DAS COLETAS COLABORAÇÃO INTEGRANTES DO COMITÊ DE DESEMPENHO OPERACIONAL AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇÃMENTO E GESTÃO SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL VIGILÂNCIA AGROPECUÁRIA INTERNACIONAL

3 Í N D I C E Nesse anexo ao Relatório de Desempenho Operacional dos Aeroportos apresentamos os resultados do AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS - CAMPINAS (SBKP), obtidos a partir da realização de 961 entrevistas ao longo do º trimestre de 16. Os resultados gerais de todos os aeroportos pesquisados, bem como a comparação entre eles, podem ser verificados no Relatório principal, disponível no sítio eletrônico da Secretaria de Aviação Civil. EVOLUÇÃO TRIMESTRAL PERFIL DOS ENTREVISTADOS RESULTADO POR INDICADOR DE SATISFAÇÃO DO PASSAGEIRO RESULTADO POR INDICADOR DE PROCESSOS AEROPORTUÁRIOS 7 1 1

4 1 Evolução da média da satisfação geral do passageiro,6,7,6,8, Trimestre 1 Trimestre 1 Trimestre 1 1 Trimestre 16 Trimestre 16 Evolução da média dos indicadores de percepção do passageiro,8,,9,,9 Trimestre 1 Trimestre 1 Trimestre 1 1 Trimestre 16 Trimestre 16,8 Média por agrupamento de indicadores,7,,,8 infraestrutura aeroportuária N: 961 Entrevistas/ Trimestre 16 facilidades ao passageiro órgãos públicos cia. aérea transporte público

5 Distribuição amostral - Tipo de voo Tipo de transporte Privado % Doméstico % Público 67% Internacional 6% Conexão % N: 961 Entrevistas/º trimestre 16 N: 6 Entrevistas/º trimestre 16 6 Meio de transporte público utilizado 7 Motivo da viagem % 1% 6% % Ônibus Taxi Transporte alternativo % 1% 6% Lazer Negócio Lazer e Negócio Outro N: 1 Entrevistas/º trimestre 16 N: 6 Entrevistas/º trimestre 16

6 8 Forma de check-in %,% 1% 9 Frequência de viagem nos últimos 1 meses 6% % Balcão Conexão Check-in eletrônico Internet % 1% % a a Mais de Internet e balcão N: 6 Entrevistas/º trimestre 16 N: 6 Entrevistas/º trimestre 16 1 Antecedência de chegada para voo doméstico 11 Antecedência de chegada para voo internacional,%,% 1,% 1,6% min a 1h 1% % 1h a 1hmin min a 1h,7%,8% 1hmin a h h a hmin hmin a h 9% 6% h a hmin hmin a h Mais de h Mais de h N: 1 Entrevistas/º trimestre 16 N: 11 Entrevistas/º trimestre 16

7 1 Idade 1 Renda % % 1% 17% 11% 9% 18 a anos 6 a anos 6 a anos 1% % 1% % Até 1 salário mínimo De 1 a salários mínimos De a salários mínimos De a 1 salários mínimos 8% 6 a anos 6 a 6 anos 16% De 1 a salários mínimos Acima de salários mínimos Não informou N: 6 Entrevistas/º trimestre 16 N: 6 Entrevistas/º trimestre 16 1 Viajando sozinho 1 Número de acompanhantes % % Sim 17% % 1 pessoa pessoas 6% Não pessoas 7% ou mais pessoas N: 6 Entrevistas/º trimestre 16 N: 99 Entrevistas/º trimestre 16

8 16 Quantidade de viagens partindo desse aeroporto nos últimos 1 meses 17 - Escolaridade 16% 9% 8% 1% 6% Primeira vez a vezes a vezes 6 a 1 vezes Mais de 11 vezes 7% 1% 6% % Analfabeto Ensino fundamental completo Ensino médio incompleto Ensino médio completo Superior incompleto Superior completo 1% 1% % 1% Especialização de nível superior Mestrado N: 6 Entrevistas/º trimestre 16 N: 6 Entrevistas/º trimestre 16 6

9 18 Média geral dos indicadores INFRAESTRUTURA AEROPORTUÁRIA - TEMPO DE FILA NA INSPEÇÃO DE SEGURANÇA - CORDIALIDADE E PRESTATIVIDADE DOS FUNCIONÁRIOS DA INSPEÇÃO DE SEGURANÇA 11 - DISPONIBILIDADE DE ASSENTOS NA SALA DE EMBARQUE 1 - LIMPEZA DOS SANITÁRIOS 1 - LIMPEZA GERAL DO AEROPORTO 1 - FACILIDADE DE EMBARQUE / DESEMBARQUE NO MEIO-FIO - CONFIABILIDADE DA INSPEÇÃO DE SEGURANÇA 1 - CONFORTO ACÚSTICO DO AEROPORTO 1 - SENSAÇÃO DE SEGURANÇA NAS ÁREAS PÚBLICAS DO AEROPORTO 16 - QUALIDADE DA INFORMAÇÃO NOS PAINÉIS DAS ESTEIRAS DE RESTITUIÇÃO DE BAGAGEM 1 - CONFORTO TÉRMICO DO AEROPORTO 6 - DISPONIBILIDADE E QUALIDADE DOS PAINÉIS DE INFORMAÇÃO DE VOO 7 - DISPONIBILIDADE DE TOMADAS - QUALIDADE DA SINALIZAÇÃO DO AEROPORTO 9 - DISPONIBILIDADE DE SANITÁRIOS,88,79,78,7,66,6,,,,,8,,,,1 8 - QUALIDADE DA INTERNET / WI-FI, 1 7

10 17 - QUALIDADE DAS INSTALAÇÕES DE ESTACIONAMENTO DE VEÍCULOS 18 - DISPONIBILIDADE DE VAGAS NO ESTACIONAMENTO DE VEÍCULOS,,7 FACILIDADES AO PASSAGEIRO - QUANTIDADE E QUALIDADE DE LANCHONETES/RESTAURANTES - QUANTIDADE E QUALIDADE DE ESTABELECIMENTOS COMERCIAIS - DISPONIBILIDADE E LOCALIZAÇÃO DE BANCOS/CAIXAS ELETRÔNICOS/CASAS DE CÂMBIO 19 - CUSTO-BENEFÍCIO DO ESTACIONAMENTO 1 - CUSTO-BENEFÍCIO DOS PRODUTOS DE LANCHONETES/RESTAURANTES - CUSTO-BENEFÍCIO DOS PRODUTOS COMERCIAIS,61,6,1,,1,1 1 CIAs. AÉREAS - TEMPO DE FILA NO CHECK-IN (AUTOATENDIMENTO) 7 - CORDIALIDADE E PRESTATIVIDADE DOS FUNCIONÁRIOS DO CHECK-IN - INTEGRIDADE DA BAGAGEM 8 - QUALIDADE DA INFORMAÇÃO PRESTADA PELA CIA AÉREA 9 - VELOCIDADE DA RESTITUIÇÃO DE BAGAGEM 6 - TEMPO DE FILA NO CHECK-IN (GUICHÊ),,7,66,6,9,1 1 8

11 ÓRGÃOS PÚBLICOS - CORDIALIDADE DOS FUNCIONÁRIOS DA EMIGRAÇÃO 6 - CORDIALIDADE DO FUNCIONÁRIO DA ADUANA - CORDIALIDADE DOS FUNCIONÁRIOS DA IMIGRAÇÃO 1 - TEMPO DE FILA NA EMIGRAÇÃO - TEMPO DE FILA DA ADUANA - TEMPO DE FILA NA IMIGRAÇÃO,88,87,8,71,66, 1 TRANSPORTE PÚBLICO 7 - DISPONIBILIDADE DE TRANSPORTE PÚBLICO PARA O AEROPORTO 1,8 9

12 Percentual de ocorrência de filas nos momentos de medição* Percentual de ocorrência de filas nos momentos de medição* 19 Check-in Tempo médio de espera na fila de check-in balcão (em minutos) 87% 1% Inspeção de segurança Tempo médio de espera na fila do raio x (em minutos) 9% 9% 1 Embarque Tempo médio de espera na fila para embarque na aeronave (em minutos) º trimestre de 1 º trimestre de 1 º trimestre de 1 1º trimestre de 16 º trimestre de 16 Check in Doméstico Check in Internacional 1 1 º trimestre de 1 º trimestre de 1 º trimestre de 1 1º trimestre de 16 º trimestre de 16 Inspeção de Segurança Doméstica Inspeção de Segurança Internacional º trimestre de 1 º trimestre de 1 º trimestre de 1 1º trimestre de 16 º trimestre de 16 Embarque Doméstico Embarque Internacional * - Em relação ao trimestre em referência 1

13 Restituição de bagagem de voos domésticos Tempo médio para chegada das malas do voo na esteira de restituição, a partir do calço da aeronave (em minutos) º trimestre de 1 º trimestre de 1 º trimestre de 1 1º trimestre de 16 º trimestre de 16 Restituição de última Bagagem Restituição de 1ª Bagagem Restituição de bagagem de voos internacionais Tempo médio para chegada das malas do voo na esteira de restituição, a partir do calço da aeronave (em minutos) º trimestre de 1 º trimestre de 1 º trimestre de 1 1º trimestre de 16 º trimestre de 16 Restituição de última Bagagem Restituição de 1ª Bagagem 11

14 Percentual de ocorrência de filas nos momentos de medição* Emigração Tempo médio de espera na fila de emigração (em minutos) 9% 1 º trimestre de 1 º trimestre de 1 º trimestre de 1 1º trimestre de 16 º trimestre de 16 Percentual de ocorrência de filas nos momentos de medição* Imigração Tempo médio de espera na fila de imigração (em minutos) 1% 6 1 º trimestre de 1 º trimestre de 1 º trimestre de 1 1º trimestre de 16 º trimestre de 16 Percentual de ocorrência de filas nos momentos de medição* 6 Aduana Tempo médio de espera na fila de aduana(em minutos) % 77% 6 1 º trimestre de 1 º trimestre de 1 º trimestre de 1 1º trimestre de 16 º trimestre de 16 Aduana Bens a Declarar Aduana Nada a Declarar * - Em relação ao trimestre em referência 1

15 RELATÓRIO DE DESEMPENHO OPERACIONAL DOS º TRIMESTRE de 16 abril a junho AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS - CAMPINAS (SBKP) ELABORAÇÃO Secretaria de Aviação Civil Secretaria de Aeroportos Departamento de Gestão Aeroportuária Comitê Técnico de Desempenho Operacional A íntegra desse relatório pode ser obtida em

2º TRIMESTRE de 2016 abril a junho AEROPORTO INTERNACIONAL LUIZ EDUARDO MAGALHÃES - SALVADOR (SBSV)

2º TRIMESTRE de 2016 abril a junho AEROPORTO INTERNACIONAL LUIZ EDUARDO MAGALHÃES - SALVADOR (SBSV) 2º TRIMESTRE de 216 abril a junho AEROPORTO INTERNACIONAL LUIZ EDUARDO MAGALHÃES - SALVADOR (SBSV) COORDENAÇÃO DA PESQUISA EXECUÇÃO DAS COLETAS COLABORAÇÃO INTEGRANTES DO COMITÊ DE DESEMPENHO OPERACIONAL

Leia mais

2º TRIMESTRE de 2016 abril a junho AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO GONÇALO DO AMARANTE - NATAL (SBSG)

2º TRIMESTRE de 2016 abril a junho AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO GONÇALO DO AMARANTE - NATAL (SBSG) 2º TRIMESTRE de 21 abril a junho AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO GONÇALO DO AMARANTE - NATAL (SBSG) COORDENAÇÃO DA PESQUISA EXECUÇÃO DAS COLETAS COLABORAÇÃO INTEGRANTES DO COMITÊ DE DESEMPENHO OPERACIONAL

Leia mais

2º TRIMESTRE de 2016 abril a junho AEROPORTO SANTOS DUMONT - RIO DE JANEIRO (SBRJ)

2º TRIMESTRE de 2016 abril a junho AEROPORTO SANTOS DUMONT - RIO DE JANEIRO (SBRJ) 2º TRIMESTRE de 2016 abril a junho AEROPORTO SANTOS DUMONT - RIO DE JANEIRO (SBRJ) COORDENAÇÃO DA PESQUISA EXECUÇÃO DAS COLETAS COLABORAÇÃO INTEGRANTES DO COMITÊ DE DESEMPENHO OPERACIONAL AGÊNCIA NACIONAL

Leia mais

2º TRIMESTRE de 2016 abril a junho

2º TRIMESTRE de 2016 abril a junho º TRIMESTRE de 06 abril a junho COORDENAÇÃO DA PESQUISA EXECUÇÃO DAS COLETAS COLABORADORES INTEGRANTES DO COMITÊ DE DESEMPENHO OPERACIONAL AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL. REGULAMENTO Prêmio AEROPORTOS + BRASIL CAPÍTULO I DO PRÊMIO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL. REGULAMENTO Prêmio AEROPORTOS + BRASIL CAPÍTULO I DO PRÊMIO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL REGULAMENTO Prêmio AEROPORTOS + BRASIL - 2016 CAPÍTULO I DO PRÊMIO Art. 1 o O Prêmio AEROPORTOS + BRASIL - 2016 é uma iniciativa da Secretaria de Aviação

Leia mais

RELATÓRIO DE DESEMPENHO OPERACIONAL DOS AEROPORTOS. 3 TRIMESTRE 2015 Julho - Setembro

RELATÓRIO DE DESEMPENHO OPERACIONAL DOS AEROPORTOS. 3 TRIMESTRE 2015 Julho - Setembro 1. 2015 RELATÓRIO DE DESEMPENHO OPERACIONAL DOS AEROPORTOS 3 TRIMESTRE 2015 Julho - Setembro ENTIDADES ENVOLVIDAS NA EXECUÇÃO DA PESQUISA COORDENAÇÃO DA PESQUISA INTEGRANTES DO COMITÊ DE DESEMPENHO OPERACIONAL

Leia mais

Procedimento Operacional

Procedimento Operacional Procedimento Operacional Temporada W17 29/10/17 a 24/03/18 10 de abril de 2017 Aeroporto Internacional Tom Jobim Galeão Sigla ICAO: SBGL Horário de Funcionamento: H24 Responsável Técnico: Herlichy Bastos

Leia mais

RELATÓRIO DE DESEMPENHO OPERACIONAL DOS AEROPORTOS. 4 TRIMESTRE 2014 Outubro - Dezembro

RELATÓRIO DE DESEMPENHO OPERACIONAL DOS AEROPORTOS. 4 TRIMESTRE 2014 Outubro - Dezembro 1. 2014 RELATÓRIO DE DESEMPENHO OPERACIONAL DOS AEROPORTOS 4 TRIMESTRE 2014 Outubro - Dezembro ENTIDADES ENVOLVIDAS NA EXECUÇÃO DA PESQUISA COORDENAÇÃO DA PESQUISA INTEGRANTES DO COMITÊ DE DESEMPENHO OPERACIONAL

Leia mais

Procedimento Operacional

Procedimento Operacional Procedimento Operacional Temporada S18 25/03/18 à 27/10/18 04 de setembro de 2017 Aeroporto Internacional Tom Jobim Galeão Sigla ICAO: SBGL Horário de Funcionamento: H24 Responsável Técnico: Herlichy Bastos

Leia mais

RELATÓRIO GERAL DOS INDICADORES DE DESEMPENHO OPERACIONAL EM AEROPORTOS JULHO-SETEMBRO

RELATÓRIO GERAL DOS INDICADORES DE DESEMPENHO OPERACIONAL EM AEROPORTOS JULHO-SETEMBRO 2013 RELATÓRIO GERAL DOS INDICADORES DE DESEMPENHO OPERACIONAL EM AEROPORTOS JULHO-SETEMBRO ENTIDADES ENVOLVIDAS NA EXECUÇÃO DA PESQUISA COORDENAÇÃO DA PESQUISA INTEGRANTES DO COMITÊ DE DESEMPENHO OPERACIONAL

Leia mais

RELATÓRIO DE DESEMPENHO OPERACIONAL DOS AEROPORTOS. 2 TRIMESTRE 2014 Abril - Junho

RELATÓRIO DE DESEMPENHO OPERACIONAL DOS AEROPORTOS. 2 TRIMESTRE 2014 Abril - Junho 2014 RELATÓRIO DE DESEMPENHO OPERACIONAL DOS AEROPORTOS 2 TRIMESTRE 2014 Abril - Junho ENTIDADES ENVOLVIDAS NA EXECUÇÃO DA PESQUISA COORDENAÇÃO DA PESQUISA INTEGRANTES DO COMITÊ DE DESEMPENHO OPERACIONAL

Leia mais

DECISÃO Nº 32, DE 1º DE ABRIL DE 2015.

DECISÃO Nº 32, DE 1º DE ABRIL DE 2015. DECISÃO Nº 32, DE 1º DE ABRIL DE 2015. Estabelece a metodologia de cálculo do Fator Q a ser aplicado nos reajustes tarifários aplicáveis ao Contrato de Concessão do Aeroporto Internacional de São Gonçalo

Leia mais

DECLARAÇÃO DE CAPACIDADE OPERACIONAL GALEÃO

DECLARAÇÃO DE CAPACIDADE OPERACIONAL GALEÃO DECLARAÇÃO DE CAPACIDADE OPERACIONAL GALEÃO Temporada W16 30/10/16 à 25/03/17 18 abril 2016 Aeroporto Internacional Tom Jobim Galeão Sigla ICAO: SBGL Horário Funcionamento: H24 Responsável Técnico: Herlichy

Leia mais

RELATÓRIO GERAL INDICADORES DE DESEMPENHO OPERACIONAL EM AEROPORTOS 1º TRIMESTRE DE 2013

RELATÓRIO GERAL INDICADORES DE DESEMPENHO OPERACIONAL EM AEROPORTOS 1º TRIMESTRE DE 2013 RELATÓRIO GERAL INDICADORES DE DESEMPENHO OPERACIONAL EM AEROPORTOS 1º TRIMESTRE DE 2013 ENTIDADES ENVOLVIDAS NA EXECUÇÃO DA PESQUISA COORDENAÇÃO DA PESQUISA INTEGRANTES DO COMITÊ DE DESEMPENHO OPERACIONAL

Leia mais

PLANEJAMENTO AEROPORTUÁRIO : GERENCIAMENTO DO FLUXO DE PASSAGEIROS

PLANEJAMENTO AEROPORTUÁRIO : GERENCIAMENTO DO FLUXO DE PASSAGEIROS PLANEJAMENTO AEROPORTUÁRIO : GERENCIAMENTO DO FLUXO DE PASSAGEIROS OBJETIVO: Apresentar as necessidades e possíveis soluções existentes para a monitoração e análise de perfil de passageiros, visando o

Leia mais

DECLARAÇÃO DA CAPACIDADE OPERACIONAL SBGR TEMPORADA W13-27/10/13 a 29/03/ de maio de 2013

DECLARAÇÃO DA CAPACIDADE OPERACIONAL SBGR TEMPORADA W13-27/10/13 a 29/03/ de maio de 2013 DECLARAÇÃO DA CAPACIDADE OPERACIONAL SBGR TEMPORADA W13-27/10/13 a 29/03/2014 07 de maio de 2013 COMPONENTES AEROPORTUÁRIOS 1. PISTA DE POUSO E DECOLAGEM CAPACIDADE DE PISTA Período Hora (UTC) Capacidade

Leia mais

DECLARAÇÃO DA CAPACIDADE OPERACIONAL SBGR TEMPORADA S14 30/03/14 a 25/10/2014

DECLARAÇÃO DA CAPACIDADE OPERACIONAL SBGR TEMPORADA S14 30/03/14 a 25/10/2014 DECLARAÇÃO DA CAPACIDADE OPERACIONAL SBGR TEMPORADA S14 30/03/14 a 25/10/2014 03 de Outubro de 2013 1. PISTA DE POUSO E DECOLAGEM (*) CAPACIDADE DE PISTA Período Hora (LT) Capacidade (mov/hora) 30/03/2014

Leia mais

DECLARAÇÃO DA CAPACIDADE OPERACIONAL SBGR TEMPORADA W 16 30/10/16 a 25/03/2017

DECLARAÇÃO DA CAPACIDADE OPERACIONAL SBGR TEMPORADA W 16 30/10/16 a 25/03/2017 DECLARAÇÃO DA CAPACIDADE OPERACIONAL SBGR TEMPORADA W 16 30/10/16 a 25/03/2017 18 de abril de 2016 1. CAPACIDADE DA PISTA DE POUSO E DECOLAGEM Horário UTC * Capacidade máxima de movimentos hora. 2. TERMINAIS

Leia mais

Primeira viagem de avião

Primeira viagem de avião Primeira viagem de avião acessoriaviagem.com.br Primeira viagem de avião PRÉ VIAGEM Para quem vai viajar de avião pela primeira vez, existe uma cerca insegurança de como tudo funciona, então separamos

Leia mais

Audiência Pública nº 07/2017 Resolução ANAC Procedimentos de embarque e desembarque de passageiros armados, despacho de arma de fogo e de munição e

Audiência Pública nº 07/2017 Resolução ANAC Procedimentos de embarque e desembarque de passageiros armados, despacho de arma de fogo e de munição e Audiência Pública nº 07/2017 Resolução ANAC Procedimentos de embarque e desembarque de passageiros armados, despacho de arma de fogo e de munição e transporte de passageiros sob custódia JULHO/2017 OBJETIVO

Leia mais

DECLARAÇÃO DA CAPACIDADE OPERACIONAL SBGR TEMPORADA S16 27/03/16 a 29/10/2016

DECLARAÇÃO DA CAPACIDADE OPERACIONAL SBGR TEMPORADA S16 27/03/16 a 29/10/2016 DECLARAÇÃO DA CAPACIDADE OPERACIONAL SBGR TEMPORADA S16 27/03/16 a 29/10/2016 03 de setembro de 2015 1. TERMINAIS DE PASSAGEIROS CAPACIDADE ESTÁTICA DO TERMINAL DE PASSAGEIROS (PAX/HORA) INTERNACIONAL

Leia mais

@aviacaocivil

@aviacaocivil www.aviacaocivil.gov.br faleconosco@aviacaocivil.gov.br /AviacaoGovBr @aviacaogovbr @AviacaoGovBr @aviacaocivil Arranjo Institucional Março PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Formular, coordenar e supervisionar

Leia mais

DECLARAÇÃO DA CAPACIDADE DE INFRAESTRUTURA AEROPORTUÁRIA SBGR TEMPORADA W17 29/10/17 a 24/03/2018

DECLARAÇÃO DA CAPACIDADE DE INFRAESTRUTURA AEROPORTUÁRIA SBGR TEMPORADA W17 29/10/17 a 24/03/2018 DECLARAÇÃO DA CAPACIDADE DE INFRAESTRUTURA AEROPORTUÁRIA SBGR TEMPORADA W17 29/10/17 a 24/03/2018 10 de abril de 2017 1. CAPACIDADE DA PISTA DE POUSO E Horário UTC * Capacidade máxima de movimentos hora.

Leia mais

A P R E S E N T A Ç Ã O N A P T R A N S P O R T E 2 1 D E A G O S T O D E

A P R E S E N T A Ç Ã O N A P T R A N S P O R T E 2 1 D E A G O S T O D E A P R E S E N T A Ç Ã O N A P Direitos dos Idosos T R A N S P O R T E Estatuto do Idoso CAPÍTULO X Do Transporte Art. 39. Aos maiores de 65 (sessenta e cinco) anos fica assegurada a gratuidade dos transportes

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DO RIO DE JANEIRO SRRJ AÇÕES RELACIONADAS AOS 07 JUNHO 2011

SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DO RIO DE JANEIRO SRRJ AÇÕES RELACIONADAS AOS 07 JUNHO 2011 AÇÕES RELACIONADAS AOS AEROPORTOS DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DO RIO DE JANEIRO SRRJ 07 JUNHO 2011 AEROPORTOS SBGL AEROPORTO INTERNACIONAL DO RIO DE JANEIRO/GALEÃO ANTONIO CARLOS

Leia mais

ANAC divulga minuta de edital de concessão de Galeão e Confins

ANAC divulga minuta de edital de concessão de Galeão e Confins ANAC divulga minuta de edital de concessão de Galeão e Confins A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) aprovou, nesta quarta-feira (29/05), a minuta do Edital de Leilão e do Contrato

Leia mais

10/02/2014. conceitos. indicadores. recomendações. tempo e espaço. considerações finais. Curso: TRA 57 - ITA. Giovanna M. Ronzani Borille, D.Sc.

10/02/2014. conceitos. indicadores. recomendações. tempo e espaço. considerações finais. Curso: TRA 57 - ITA. Giovanna M. Ronzani Borille, D.Sc. QUALIDADE DE SERVIÇO EM OPERAÇÕES AEROPORTUÁRIAS Curso: TRA 57 - ITA Giovanna M. Ronzani Borille, D.Sc. NÍVEL DE SERVIÇO conceitos indicadores recomendações tempo e espaço considerações finais 1 NÍVEL

Leia mais

Ampliação do Aeroporto Internacional de Brasília

Ampliação do Aeroporto Internacional de Brasília Ampliação do Aeroporto Internacional de Brasília Aeroporto Intl. de Brasília O Aeroporto de Brasília é o terceiro em movimentos de passageiros e aeronaves do Brasil Em capacidade, tem potencial para ser

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL Edital de Chamamento Público de Estudos n. 003/2015 Processo: 00055.000799/2015-93 A SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA (SAC-PR),

Leia mais

Regras de Operação de Veículos Período Olímpico TERMINAL 01

Regras de Operação de Veículos Período Olímpico TERMINAL 01 Regras de Operação de Veículos Período Olímpico TERMINAL 01 Desembarque 10/07 a 21/09 (Olímpiada e Paralimpíada) 1) FAMÍLIA OLÍMPICA - Serão disponibilizados 94 metros, atendendo à solicitação da Rio2016.

Leia mais

Foto: Fernando Leite Jornal Opção. Professor Willer Luciano Carvalho, DSc Engenharia de Transportes - UFG

Foto: Fernando Leite Jornal Opção. Professor Willer Luciano Carvalho, DSc Engenharia de Transportes - UFG Foto: Fernando Leite Jornal Opção Engenharia de Transportes - UFG O que é percepção? A percepção é um fenômeno complexo que resulta de um conjunto de processamentos psicológicos humanos, que envolvem tanto

Leia mais

Transporte Aéreo, Movimentação de PAX, Tarifas Aéreas, Rotas e Direitos do Consumidor

Transporte Aéreo, Movimentação de PAX, Tarifas Aéreas, Rotas e Direitos do Consumidor Transporte Aéreo, Movimentação de PAX, Tarifas Aéreas, Rotas e Direitos do Consumidor Ricardo Bisinotto Catanant (SRE/ANAC) Roteiro Evolução do Setor Movimentação de PAX Market Share Rotas Aéreas Tarifas

Leia mais

A GRU Airport anuncia EBITDA ajustado de R$ 218,2 milhões com margem de 55,3% no 2T16.

A GRU Airport anuncia EBITDA ajustado de R$ 218,2 milhões com margem de 55,3% no 2T16. A GRU Airport anuncia EBITDA ajustado de R$ 218,2 milhões com margem de 55,3% no 2T16. São Paulo, 10 de agosto de 2016 As informações trimestrais (2TR) e as demonstrações financeiras padronizadas (DFP)

Leia mais

A GRU Airport anuncia EBITDA ajustado de R$ 252,6 milhões com margem de 61,6% no 1T17.

A GRU Airport anuncia EBITDA ajustado de R$ 252,6 milhões com margem de 61,6% no 1T17. A GRU Airport anuncia EBITDA ajustado de R$ 252,6 milhões com margem de 61,6% no 1T17. São Paulo, 10 de maio de 2017 As informações trimestrais (1TR) e as demonstrações financeiras padronizadas (DFP) são

Leia mais

PLANO NACIONAL DE DESESTATIZAÇÃO - SUCESSOS E DESAFIOS

PLANO NACIONAL DE DESESTATIZAÇÃO - SUCESSOS E DESAFIOS CÂMARA DE COMÉRCIO AMERICANA DO RIO DE JANEIRO SEMINÁRIO INFRAESTRUTURA LOGÍSTICA DOS AEROPORTOS PLANO NACIONAL DE DESESTATIZAÇÃO - SUCESSOS E DESAFIOS Índice 1. Desafios da aviação Civil Brasileira 2.

Leia mais

Avaliação do Desempenho Sistêmico da FACENE Funcionários. Quadro 1 Avaliação do Desempenho Sistêmico Institucional Funcionários

Avaliação do Desempenho Sistêmico da FACENE Funcionários. Quadro 1 Avaliação do Desempenho Sistêmico Institucional Funcionários Avaliação do Desempenho Sistêmico da FACENE 2008.2 Funcionários Foram analisadas as respostas, a um questionário estruturado, dos funcionários da FACENE no período letivo de 2008.2, perfazendo um total

Leia mais

2 Sistema Aeroportuário Brasileiro

2 Sistema Aeroportuário Brasileiro 2 Sistema Aeroportuário Brasileiro O sistema aeroportuário é constituído pelo conjunto de aeródromos brasileiros, com todas as pistas de pouso, pistas de táxi, pátio de estacionamento de aeronave, terminal

Leia mais

MOBILIDADE URBANA E AEROPORTO: TRANSPORTE COMO CHAVE PARA O SUCESSO DA COPA DE 2014

MOBILIDADE URBANA E AEROPORTO: TRANSPORTE COMO CHAVE PARA O SUCESSO DA COPA DE 2014 MOBILIDADE URBANA E AEROPORTO: TRANSPORTE COMO CHAVE PARA O SUCESSO DA COPA DE 2014 TPS pav. térreo TPS Vista do saguão TPS pav. superior PERSPECTIVA Lado TERRA PERSPECTIVA Lado AR Item 2011 2012 Revisão

Leia mais

AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DA CAPACIDADE DOS COMPONENTES OPERACIONAIS DO TERMINAL DE PASSAGEIROS DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/CAMPINAS

AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DA CAPACIDADE DOS COMPONENTES OPERACIONAIS DO TERMINAL DE PASSAGEIROS DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/CAMPINAS AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DA CAPACIDADE DOS COMPONENTES OPERACIONAIS DO TERMINAL DE PASSAGEIROS DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/CAMPINAS Nara Bianca Zimmermann Viviane A. Falcão Cláudio Jorge Pinto

Leia mais

UFPR DEPARTAMENTO DE TRANSPORTES SISTEMAS DE TRANSPORTES TT 046

UFPR DEPARTAMENTO DE TRANSPORTES SISTEMAS DE TRANSPORTES TT 046 UFPR DEPARTAMENTO DE TRANSPORTES SISTEMAS DE TRANSPORTES TT 046 Prof. Djalma Pereira Prof. Eduardo Ratton Profa. Gilza Fernandes Blasi Profa. Márcia de Andrade Pereira Aula 16 UFPR DEPARTAMENTO DE TRANSPORTES

Leia mais

ANEXO SUGESTÃO DE INDICADORES DE QUALIDADE DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE MOBILIDADE TRANSPORTE COLETIVO 1 / 19

ANEXO SUGESTÃO DE INDICADORES DE QUALIDADE DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE MOBILIDADE TRANSPORTE COLETIVO 1 / 19 ANEXO SUGESTÃO DE INDICADORES DE QUALIDADE DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE MOBILIDADE TRANSPORTE COLETIVO 1 / 19 INDICADORES COMUNS TRANSPORTE COLETIVO CONVENIÊNCIA / CONFIABILIDADE ACESSIBILIDADE INFORMAÇÃO

Leia mais

TRANSPORTE AÉREO DE PASSAGEIROS

TRANSPORTE AÉREO DE PASSAGEIROS DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRANSPORTE AÉREO DE PASSAGEIROS MAIO DE 2016 1 PRODUTOS 2 O objetivo do transporte aéreo é fornecer o serviço de transporte de cargas e passageiros.

Leia mais

Eficiência Funcionários Check-In

Eficiência Funcionários Check-In Eficiência Funcionários Check-In Sinalização dos fluxos, através de divisores, displays e sinalização horizontal; Alteração de layout áreas de formação de fila; Triagem dos passageiros na entrada da área

Leia mais

Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Aeroportos e Transporte Aéreo. Terminais de Passageiros

Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Aeroportos e Transporte Aéreo. Terminais de Passageiros Terminais de Passageiros Determinantes da capacidade aeorportuária Fonte: CNT Concepção antiga Chicago Fonte: Aeroporto de Barreiras BA Fonte: Airlines of Latin America R. E. G. Davies Terminais de passageiros

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL. REGULAMENTO Prêmio AEROPORTOS + BRASIL - 2015 CAPÍTULO I DO PRÊMIO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL. REGULAMENTO Prêmio AEROPORTOS + BRASIL - 2015 CAPÍTULO I DO PRÊMIO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL REGULAMENTO Prêmio AEROPORTOS + BRASIL - 2015 CAPÍTULO I DO PRÊMIO Art. 1 o O Prêmio AEROPORTOS + BRASIL - 2015 é uma iniciativa da Secretaria de Aviação

Leia mais

O que fazer quando as malas não chegam no seu destino!

O que fazer quando as malas não chegam no seu destino! O que fazer quando as malas não chegam no seu destino! Olá viajantes. Todo mundo sabe o sufoco que é na hora de pegar as malas numa viagem, principalmente em aeroportos. Como temos alguns roteiros com

Leia mais

TRANSPORTE AÉREO DE PASSAGEIROS

TRANSPORTE AÉREO DE PASSAGEIROS DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRANSPORTE AÉREO DE PASSAGEIROS DEZEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações

Leia mais

CATÁLOGO DE SALAS VIP

CATÁLOGO DE SALAS VIP CATÁLOGO DE SALAS VIP Aeroporto Internacional de Guarulhos, São Paulo AMBAR SERVIÇOS AUXILIARES DE TRANSPORTE AÉREO LTDA Rod. Hélio Smidt, S/N Cumbica Guarulhos SP CEP 07190-100 Brasil +55 11 2445 7338

Leia mais

DECISÃO Nº 84, DE 9 DE JULHO DE 2014.

DECISÃO Nº 84, DE 9 DE JULHO DE 2014. DECISÃO Nº 84, DE 9 DE JULHO DE 2014. Reajusta as tarifas aeroportuárias aplicáveis ao contrato de concessão do Aeroporto Internacional de Viracopos, localizado em Campinas/SP. A DIRETORIA DA AGÊNCIA NACIONAL

Leia mais

Mudanças no Setor Aéreo: Novas Concessões e Resoluções

Mudanças no Setor Aéreo: Novas Concessões e Resoluções Mudanças no Setor Aéreo: Novas Concessões e Resoluções Infraero: Reestruturação Societária Workshop de Logística e Transportes da Fiesp 24 de Maio de 2016 Agenda 1. Institucional 2. Efeitos das concessões

Leia mais

Gestão de operações aeroportuárias: componentes de um aeroporto

Gestão de operações aeroportuárias: componentes de um aeroporto Gestão de operações aeroportuárias: componentes de um aeroporto Definições: A/C: aircraft, aeronave; Acostamento: faixa lateral nas pistas ou pátios com revestimento tal que evite a ingestão pelas turbinas

Leia mais

2 O Sistema Aeroportuário Brasileiro

2 O Sistema Aeroportuário Brasileiro 18 2 O Sistema Aeroportuário Brasileiro O Sistema Aeroportuário Brasileiro é disciplinado pela Lei nº 7.565/86, que dispõe sobre o Código Brasileiro de Aeronáutica (CBDA) e traz a seguinte definição: Aeroportos:

Leia mais

PROJETO DE INTEGRAÇÃO REGIONAL NO MODAL AÉREO - PIRMA CONDIÇÕES DO CONTRATO DE VOO Nos termos da Portaria n 676/CG-5/2000 e da IAC n , ambas

PROJETO DE INTEGRAÇÃO REGIONAL NO MODAL AÉREO - PIRMA CONDIÇÕES DO CONTRATO DE VOO Nos termos da Portaria n 676/CG-5/2000 e da IAC n , ambas PROJETO DE INTEGRAÇÃO REGIONAL NO MODAL AÉREO - PIRMA CONDIÇÕES DO CONTRATO DE VOO Nos termos da Portaria n 676/CG-5/2000 e da IAC n 202-1001, ambas do Departamento de Aviação Civil, o voo é de responsabilidade

Leia mais

Emprego no Turismo da Cidade de São Paulo

Emprego no Turismo da Cidade de São Paulo Emprego no Turismo da Cidade de São Paulo Boletim Trimestral Janeiro - Março/2010 Dados: CAGED (MTE) IPEA O objetivo deste Boletim é acompanhar a cada três meses a variação do emprego formal nas atividades

Leia mais

COPA 2014 AEROPORTOS Atualização: 07/06/2011

COPA 2014 AEROPORTOS Atualização: 07/06/2011 COPA 204 AEROPORTOS Atualização: 07/06/20 AEROPORTOS DA COPA 3 Aeroportos 3 Intervenções R$ 5,79 bilhões Manaus TPS Fortaleza TPS São Gonçalo do Amarante Pista Recife Torre Cuiabá TPS Brasília TPS Salvador

Leia mais

DECISÃO Nº 110, DE 7 DE JULHO DE 2017.

DECISÃO Nº 110, DE 7 DE JULHO DE 2017. DECISÃO Nº 110, DE 7 DE JULHO DE 2017. Reajusta os tetos das tarifas aeroportuárias aplicáveis ao Contrato de Concessão do Aeroporto Internacional de Viracopos, localizado em Campinas (SP). O DIRETOR-PRESIDENTE

Leia mais

Curitiba, 2015 REALIZAÇÃO: APOIO:

Curitiba, 2015 REALIZAÇÃO: APOIO: Curitiba, 2015 Daniela Facchini, Diretora de Mobilidade Urbana Cristina Albuquerque, Coordenadora de Mobilidade Urbana Mariana Barcelos, Analista de Mobilidade Urbana Desenvolvido pelo WRI Brasil Cidades

Leia mais

Bagagem. Voos nacionais. Bagagem despachada DICAS IMPORTANTES

Bagagem. Voos nacionais. Bagagem despachada DICAS IMPORTANTES Voos nacionais Bagagem despachada Bagagem Nas aeronaves com mais de 31 assentos, cada passageiro (adulto ou criança) tem direito a 23 Kg de bagagem (franquia de bagagem). Pode-se despachar mais de um volume,

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL 11ª REUNIÃO DA COMISSÃO NACIONAL DE AUTORIDADES AEROPORTUÁRIAS (CONAERO) 2014

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL 11ª REUNIÃO DA COMISSÃO NACIONAL DE AUTORIDADES AEROPORTUÁRIAS (CONAERO) 2014 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL 11ª REUNIÃO DA COMISSÃO NACIONAL DE AUTORIDADES AEROPORTUÁRIAS (CONAERO) 2014 Local: Secretaria de Aviação Civil (Setor Comercial Sul, Quadra 09, Lote

Leia mais

REGULAMENTO BRASILEIRO DA AVIAÇÃO CIVIL

REGULAMENTO BRASILEIRO DA AVIAÇÃO CIVIL REGULAMENTO BRASILEIRO DA AVIAÇÃO CIVIL RBAC nº 159 EMENDA nº 00 Título: QUALIDADE DE SERVIÇO AEROPORTUÁRIO INDICADORES DE NÍVEL DE SERVIÇO Aprovação: SUMÁRIO SUBPARTE A GENERALIDADES 159.1 Aplicabilidade

Leia mais

DIREITO DOS PASSAGEIROS NO

DIREITO DOS PASSAGEIROS NO GUIA INFORMATIVO DIREITO DOS PASSAGEIROS NO TRANSPORTE AÉREO 2013 Informativo com dicas e orientações sobre os direitos dos passageiros no transporte aéreo. DIREITO DOS PASSAGEIROS EM TRANSPORTE AÉREO

Leia mais

RESOLUÇÃO ANAC Nº, DE DE DE 2014.

RESOLUÇÃO ANAC Nº, DE DE DE 2014. RESOLUÇÃO ANAC Nº, DE DE DE 2014. Regulamenta a apresentação de Informações, relativas à Movimentação Aeroportuária, pelas Concessionárias de Serviço Público de Infraestrutura Aeroportuária e pelos administradores

Leia mais

ANÁLISE SETORIAL DO SNEA MERCADO DE CARGA AÉREA - TERCEIRO TRIMESTRE DE 2009

ANÁLISE SETORIAL DO SNEA MERCADO DE CARGA AÉREA - TERCEIRO TRIMESTRE DE 2009 ANÁLISE SETORIAL DO SNEA MERCADO DE CARGA AÉREA - TERCEIRO TRIMESTRE DE 2009 O movimento total (doméstico + internacional) de carga nos 67 aeroportos administrados pela Empresa Brasileira de Infraestrutura

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Setor de Tecnologia Departamento de Transportes. Introdução Plano geral de um aeroporto

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Setor de Tecnologia Departamento de Transportes. Introdução Plano geral de um aeroporto UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Setor de Tecnologia Departamento de Transportes AEROPORTOS Introdução Plano geral de um aeroporto Profª. Daniane F. Vicentini O traçado de um aeroporto depende de vários

Leia mais

Sumário DOCUMENTO 2 DO ANEXO 1 - PARTE I - ANEXO Arquitetura - Urbanismo

Sumário DOCUMENTO 2 DO ANEXO 1 - PARTE I - ANEXO Arquitetura - Urbanismo http://www.bancodobrasil.com.br 1 DOCUMENTO 2 DO ANEXO 1 - PARTE I - ANEXO 15.1.6 Arquitetura - Urbanismo Sumário 1. OBJETIVO... 2 2. CONDIÇÕES GERAIS... 2 3. CONDIÇÕES ESPECÍFICAS... 2 3.1 Lado Terra...

Leia mais

Parte 3 Descrição da Pesquisa de Satisfação com os Usuários

Parte 3 Descrição da Pesquisa de Satisfação com os Usuários Parte 3 Descrição da Pesquisa de Satisfação com os Usuários - 2010 Perfil dos Usuários: Observa-se no gráfico 1 abaixo, que do total de usuários (N = 42) que respondeu à pesquisa, a maioria (67%) era de

Leia mais

ATUALIZAÇÃO MENSAL/FEVEREIRO 2013

ATUALIZAÇÃO MENSAL/FEVEREIRO 2013 ATUALIZAÇÃO MENSAL/FEVEREIRO 2013 SONDAGEM DO CONSUMIDOR INTENÇÃO DE VIAGEM DO CONSUMIDOR BRASILEIRO INTENÇÃO DE VIAGEM DESTINO MEIO DE TRANSPORTE Fontes: FGV / MTur FEVEREIRO 2013 - % SIM INCERTO NÃO

Leia mais

MSC FANTASIA TEMPORADA 16/17

MSC FANTASIA TEMPORADA 16/17 Informações Complementares do Pacote Turístico Internacional partindo de Dubai nos Emirados Árabes Unidos MSC FANTASIA TEMPORADA 16/17 PACOTE = Aéreo+Hotel+Transfer+Cruzeiro mais informações favor consultar

Leia mais

Entenda um pouco sobre o transporte de bagagens em viagens e excursões.

Entenda um pouco sobre o transporte de bagagens em viagens e excursões. Dicas sobre bagagem Entenda um pouco sobre o transporte de bagagens em viagens e excursões. Bagagem de mão Bagagem de mão é aquela que pode ser levada junto ao passageiro durante a viagem. Cada companhia

Leia mais

DECISÃO Nº 144, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2015.

DECISÃO Nº 144, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2015. DECISÃO Nº 144, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2015. Altera os tetos das tarifas aeroportuárias aplicáveis ao Contrato de Concessão do Aeroporto Internacional de Viracopos, localizado em Campinas (SP). O DIRETOR-PRESIDENTE

Leia mais

São Paulo 2030 Painel Mobilidade Urbana. Março/2016

São Paulo 2030 Painel Mobilidade Urbana. Março/2016 São Paulo 2030 Painel Mobilidade Urbana Março/2016 OBJETIVO Mapear as opiniões e as percepções dos moradores da cidade da São Paulo em relação a temas do cotidiano e à prestação de políticas públicas,

Leia mais

QUEM SOMOS? A AVEC Aviação Executiva e Compartilhada presta serviços de alta qualidade para operadores da Aviação Geral e Executiva, com o objetivo de se tornar a referência na região Nordeste do Brasil.

Leia mais

DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO OPERACIONAL DO SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO OPERACIONAL DOGP GPRI GERÊNCIA DE RELACIONAMENTO COM A INDUSTRIA

DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO OPERACIONAL DO SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO OPERACIONAL DOGP GPRI GERÊNCIA DE RELACIONAMENTO COM A INDUSTRIA DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO OPERACIONAL DO SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO OPERACIONAL DOGP GPRI GERÊNCIA DE RELACIONAMENTO COM A INDUSTRIA Dificuldades da infraestrutura aeroportuária para atendimento aos

Leia mais

Seja qual for a configuração do terminal passageiros percorrem uma sequência de atividades quando no aeroporto:

Seja qual for a configuração do terminal passageiros percorrem uma sequência de atividades quando no aeroporto: TRA 57_Operações em Aeroportos Fluxos, Processos e Atividades Operacionais: TPS Giovanna Miceli Ronzani Borille (ronzani@ita.br) processo Seja qual for a configuração do terminal passageiros percorrem

Leia mais

AEROPORTO INTERNACIONAL SALGADO FILHO

AEROPORTO INTERNACIONAL SALGADO FILHO AEROPORTO INTERNACIONAL SALGADO FILHO Localizado a aproximadamente 7Km do centro de Porto Alegre, o Aeroporto Internacional Salgado Filho possui 37,6 mil metros quadrados de área construída e distribuídas

Leia mais

ANÁLISE DO DESEMPENHO OPERACIONAL DOS AEROPORTOS BRASILEIROS NA VISÃO DOS PASSAGEIROS

ANÁLISE DO DESEMPENHO OPERACIONAL DOS AEROPORTOS BRASILEIROS NA VISÃO DOS PASSAGEIROS ANÁLISE DO DESEMPENHO OPERACIONAL DOS AEROPORTOS BRASILEIROS NA VISÃO DOS PASSAGEIROS Luís Henrique Gonçalves Costa Universidade Federal Rural do Semi-Árido Enilson Medeiros dos Santos Universidade Federal

Leia mais

DECLARAÇÃO DE CAPACIDADE OPERACIONAL

DECLARAÇÃO DE CAPACIDADE OPERACIONAL DECLARAÇÃO DE CAPACIDADE OPERACIONAL Temporada de Inverno S17 (27/03/2017 à 28/10/2017) 15 de Dezembro de 2016 Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante Gov. Aluísio Alves Siglas: ICAO SBSG IATA

Leia mais

DECISÃO Nº 81, DE 8 DE JULHO DE 2016.

DECISÃO Nº 81, DE 8 DE JULHO DE 2016. DECISÃO Nº 81, DE 8 DE JULHO DE 2016. Reajusta os tetos das tarifas aeroportuárias aplicáveis ao Contrato de Concessão do Aeroporto Internacional de Viracopos, localizado em Campinas/SP. O DIRETOR-PRESIDENTE

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 014, DE 14 DE JANEIRO DE 2008

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 014, DE 14 DE JANEIRO DE 2008 INSTRUÇÃO NORMATIVA N 014, DE 14 DE JANEIRO DE 2008 Recomenda a observação da norma constante no Anexo I. O Sistema de Controle Interno do Município de Lucas do Rio Verde, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

AS INFRA-ESTRUTURAS DE TRANSPORTES NO DESENVOLVIMENTO DO CORREDOR DO LOBITO

AS INFRA-ESTRUTURAS DE TRANSPORTES NO DESENVOLVIMENTO DO CORREDOR DO LOBITO AS INFRA-ESTRUTURAS DE TRANSPORTES NO DESENVOLVIMENTO DO CORREDOR DO LOBITO 01 MULTIMODALIDADE 02 HUB DE TRANSPORTES 03 EIXO ANTLÂNTICO - ÍNDICO AFRICA AUSTRAL 04 AEROPORTO CATUMBELA INFRA-ESTRUTURA INTERNACIONAL

Leia mais

Apresentação de Resultados 1T16

Apresentação de Resultados 1T16 Apresentação de Resultados 1T16 Ressalvas sobre os resultados As informações financeiras consolidadas consideram a proporção da participação da Triunfo em cada controlada. Os números operacionais correspondem

Leia mais

Tendências na área de Recursos Humanos

Tendências na área de Recursos Humanos Tendências na área de Recursos Humanos Confira a 6ª edição do maior censo de Recursos Humanos, realizado pelo RH Portal em 2016. Veja o que os profissionais estão falando sobre a realidade do RH no mercado

Leia mais

TERMO DE ADESÃO - PACOTE JMJ

TERMO DE ADESÃO - PACOTE JMJ TERMO DE ADESÃO - PACOTE JMJ Pelo presente instrumento particular, de um lado Arquidiocese de Palmas, pessoa jurídica de direito privado inscrita no CNPJ sob o nº, com sede na Quadra 504 sul, alameda 04,

Leia mais

SERVIÇO CIP NORMAS DE FUNCIOMENTO

SERVIÇO CIP NORMAS DE FUNCIOMENTO SERVIÇO CIP NORMAS DE FUNCIOMENTO CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES O atendimento constitui, um vector primordial da estratégia empresarial, devido, à comoditização de produtos e serviços. Sendo uma variável

Leia mais

Transporte e Economia Transporte Aéreo de Passageiros Principais dados

Transporte e Economia Transporte Aéreo de Passageiros Principais dados Transporte e Economia Principais dados Transporte e Economia Estudo da CNT mostra desafios do setor que transporta mais de 100 milhões por ano O estudo Transporte e Economia é o primeiro trabalho da CNT

Leia mais

Mama Shelter Rio de Janeiro

Mama Shelter Rio de Janeiro RIO DO ALTO Mama Shelter Rio de Janeiro O hotel Mama Shelter está em pleno coração do bairro de Santa Teresa, com fácil acesso à Avenida Rio Branco, à Praia de Botafogo, à Marina da Gloria, ao Aeroporto

Leia mais

OBJETO EXECUÇÃO DAS OBRAS DE REFORMA, ADEQUAÇÃO E AMPLIAÇÃO DO TERMINAL DE PASSAGEIROS DO AEROPORTO INTERNACIONAL EDUARDO GOMES - MANAUS/SBEG

OBJETO EXECUÇÃO DAS OBRAS DE REFORMA, ADEQUAÇÃO E AMPLIAÇÃO DO TERMINAL DE PASSAGEIROS DO AEROPORTO INTERNACIONAL EDUARDO GOMES - MANAUS/SBEG ROTEIRO OBJETO LOCALIZAÇÃO DADOS ATUAIS MOVIMENTO DE PASSAGEIROS ESTIMADO HISTÓRICO DO AEROPORTO JUSTIFICATIVA DO EMPREENDIMENTO AÇÕES PREVISTAS O PROJETO INVESTIMENTO PREVISTO PREVISÃO DE DESEMBOLSO PRAZOS

Leia mais

BRASIL XXVII ENCONTRO AULP (Associação das Universidades de Língua Portuguesa) Para reservas deste programa, aviões e hotéis, favor contactar:

BRASIL XXVII ENCONTRO AULP (Associação das Universidades de Língua Portuguesa) Para reservas deste programa, aviões e hotéis, favor contactar: BRASIL 2017 XXVII ENCONTRO AULP (Associação das Universidades de Língua Portuguesa) Para reservas deste programa, aviões e hotéis, favor contactar: pedrotomaz@intertur.pt ritatomaz@intertur.pt +351 213

Leia mais

Especias K21 Exclusivo Atletas e Acompanhantes. - Rapidinho

Especias K21 Exclusivo Atletas e Acompanhantes. - Rapidinho Especias K21 Exclusivo Atletas e Acompanhantes - Rapidinho 04-12-2015 Transporte Terrestre em Van ou Ônibus; Trecho Campo Grande Bonito Saída do aeroporto às 09:30h, 14:30h e 16:30h.(POR VOLTA DE 04H DE

Leia mais

ADM 250 capítulo 2 - Slack, Chambers e Johnston complementação

ADM 250 capítulo 2 - Slack, Chambers e Johnston complementação ADM 250 capítulo 2 - Slack, Chambers e Johnston complementação 1 Perguntas que se esperam respondidas ao final do capítulo 2 Papel estratégico e objetivos da função produção Qual papel da função produção

Leia mais

I 4 - INV 4 90 0 495 110.099.314

I 4 - INV 4 90 0 495 110.099.314 PROGRAMA DE TRABALHO (SUPLEMENTACAO) RECURSOS DE TODAS AS FONTES R$ 1,00 23 COMÉRCIO E SERVIÇOS 256.092.869 26 TRANSPORTE 468.989.333 TOTAL - GERAL 725.082.202 122 ADMINISTRAÇÃO GERAL 21.077.996 126 TECNOLOGIA

Leia mais

PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE TURISMO COORDENAÇÃO DE ANÁLISE MERCADOLÓGICA SINOPSE: PESQUISA DE TURISMO RECEPTIVO ALTA ESTAÇÃO /

PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE TURISMO COORDENAÇÃO DE ANÁLISE MERCADOLÓGICA SINOPSE: PESQUISA DE TURISMO RECEPTIVO ALTA ESTAÇÃO / COORDENAÇÃO DE ANÁLISE MERCADOLÓGICA SINOPSE: PESQUISA DE TURISMO RECEPTIVO ALTA ESTAÇÃO / JANEIRO - 2010 IDENTIFICAÇÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO LUÍS Prefeito: João Castelo Ribeiro Gonçalves Secretário:

Leia mais

Conceitos de Produtividade Industrial - QUA

Conceitos de Produtividade Industrial - QUA Conceitos de Produtividade Industrial - QUA Profº Spim Aulas 7 e 8 Aulas 9 e 10 2.1 Cinco objetivos de desempenho. 2.1.1 Objetivo Qualidade. 2.1.2 Objetivo Rapidez. 2.1.3 Objetivo Confiabilidade. 2.1.4

Leia mais

PLANEJAMENTO DINÂMICO DE AEROPORTOS

PLANEJAMENTO DINÂMICO DE AEROPORTOS CONJUNTURA DA AVIAÇÃO CIVIL BRASILEIRA PLANEJAMENTO DINÂMICO DE AEROPORTOS Erivelton Pires Guedes - ANAC 15.05.08 Reflexões Atendimento das necessidades Saturação da capacidade Excesso de capacidade TI:

Leia mais

Gerenciamento de Receita

Gerenciamento de Receita Aspectos da Demanda e a Gestão de Preços nas Empresas Aéreas A estratégia de Gerenciamento de Receita é composta pelo quarteto: Discriminação de Preços, Diferenciação de Produtos, Sistema de Controle de

Leia mais

Bem-vindo ao Rio. Bem-vindo ao RIOgaleão.

Bem-vindo ao Rio. Bem-vindo ao RIOgaleão. Bem-vindo ao Rio. Bem-vindo ao RIOgaleão. O Rio de Janeiro é o cartão postal do Brasil, a sua principal porta de entrada e oferece um dos aeroportos mais modernos e conectados da América Latina. Com padrão

Leia mais

Avaliação do Desempenho Sistêmico da FACENE Alunos

Avaliação do Desempenho Sistêmico da FACENE Alunos Avaliação do Desempenho Sistêmico da FACENE 2008.2 Alunos Foram analisadas as respostas, a um questionário estruturado, dos alunos do P1 ao P7 da FACENE, no período letivo de 2008.2, perfazendo um total

Leia mais

RELATÓRIO TRIMESTRAL VARIG SETEMBRO DE 2000

RELATÓRIO TRIMESTRAL VARIG SETEMBRO DE 2000 RELATÓRIO TRIMESTRAL VARIG SETEMBRO DE 2000 Relatório Trimestral 30 de Setembro de 2000 Clique no botão para ver os destaques: Senhores Acionistas: Apresentamos o Balanço Patrimonial e a Demonstração de

Leia mais

AEROPORTO DE CONGONHAS

AEROPORTO DE CONGONHAS AEROPORTO DE CONGONHAS CIRCUITO DIGITAL AEROPORTO DE CONGONHAS - SP CONGONHAS E SEU PÚBLICO O Aeroporto de Congonhas é o principal aeroporto executivo do Brasil e um dos principais portões de entrada e

Leia mais

Sistema Radioestrada FM

Sistema Radioestrada FM Sistema Radioestrada FM O que é o Serviço Radiovias.. Trata-se de Sistema inédito por apresentar características exclusivas. É o primeiro serviço em FM Sincronizado, via satélite, dedicado a uma única

Leia mais