INSTITUTO DE CIÊNCIAS DE SAÚDE FUNORTE. Patrícia Palmeira de Brito Fleury

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INSTITUTO DE CIÊNCIAS DE SAÚDE FUNORTE. Patrícia Palmeira de Brito Fleury"

Transcrição

1 INSTITUTO DE CIÊNCIAS DE SAÚDE FUNORTE Patrícia Palmeira de Brito Fleury TRATAMENTO ENDODÔNTICO DE DENTE COM RIZOGÊNESE INCOMPLETA PÓS-TRAUMA: RELATO DE CASO CLÍNICO GOIÂNIA 2012

2 Patrícia Palmeira de Brito Fleury TRATAMENTO ENDODÔNTICO DE DENTE COM RIZOGÊNESE INCOMPLETA PÓS-TRAUMA: RELATO DE CASO CLÍNICO Monografia apresentada ao Programa de Especialização em Endodontia do ICS FUNORTE NÚCLEO GOIÂNIA, como parte dos requisitos para obtenção do titulo de Especialista. Orientador: Profa. Ms. Andrea Leão Rangel GOIÂNIA 2012

3 Patrícia Palmeira de Brito Fleury TRATAMENTO ENDODÔNTICO DE DENTE COM RIZOGÊNESE INCOMPLETA PÓS-TRAUMA: RELATO DE CASO CLÍNICO Monografia apresentada ao Programa de Especialização em Endodontia do ICS FUNORTE NÚCLEO GOIÂNIA, como parte dos requisitos para obtenção do titulo de Especialista. Orientador: Profa. Ms. Andrea Leão Rangel Aprovada em: / / Banca Examinadora Profa. Ms. Andrea Leão Rangel Prof. Ms. Marcos Arruda Prof. Edson Takano

4 DEDICATÓRIA Dedico esta conquista: aos meus amados pais Vilmar e Auristela; ao meu irmão-amigo Sérgio Henrique; e ao meu querido esposo Paulo Roberto.

5 AGRADECIMENTOS A Deus, que é o mentor de todas as minhas vitórias. Aos meus pais e esposo pelo apoio irrestrito em todos os momentos de minha vida. À professora Andrea Leão, pela sábia orientação. Aos meus colegas, em especial ao meu parceiro Thales Collet, por compartilharem comigo tantos conhecimentos. A todos os professores e ao coordenador do curso Prof. Marcos Arruda pelo apoio, pelo convívio carinhoso, pela compreensão e pela amizade e ensinamentos. Obrigada por me mostrarem que o conhecimento é algo que está sempre se renovando. Obrigada por tudo!

6 Para o homem, ainda que seja sábio, aprender continuamente e ser flexível não é vergonhoso. Sófocles

7 LISTA DE FIGURAS Figura 1: Estágios de Nolla Figura 2: Tabelas de condutas frente aos diferentes tipos de trauma dental Figura 3: Vista inicial do caso clínico. Dentes 11 e 21 fraturados Figura 4: (A) Radiografia inicia. (B) Medicação intracanal. (C) Odontometria radiográfica. (D) Medicação intracanal. (E) Pasta L&C. (F) Controle radiográfico de 2 meses da colocação da Pasta L&C. (G) Controle de 5 meses da colocação da Pasta L&C. (H) Radiografia final. Obturação definitiva. (I) Imagem obtida através de microscópio operatório... 23

8 RESUMO A prevalência e incidência dos traumas dentários nas dentições decíduas e permanentes têm sido o objetivo de estudos em diversos países. O tipo de trauma, assim como o tempo decorrente entre o trauma e o atendimento, são importantes aspectos a serem considerados durante o tratamento e avaliação do prognóstico do caso. É importante ressaltar que os manejos das lesões traumáticas em dentes permanentes com rizogênese incompleta apresentam algumas diferenças. Devido a intima relação entre o ápice radicular do dente e os tecidos periodontais, algumas alterações no processo de tratamento endodôntico devem ser consideradas. O caso aqui relatado descreve um tratamento endodôntico do dente 21 com rizogênese incompleta que, pós-trauma, apresentou fratura coronária e no terço apical além de rarefação óssea periapical. A renovação periódica da medicação intracanal à base de hidróxido de cálcio promoveu a formação de uma barreira apical mineralizada permitindo a obturação definitiva do canal com MTA. Dessa forma evitou-se a perda prematura do elemento dentário em questão. Palavras-chave: Traumatismo dentário, apicigênese, rizogênese incompleta, plug apical.

9 ABSTRACT The prevalence and incidence of dental trauma in deciduous and permanent dentition have been the aim of studies in several countries. The type of trauma, as well as the time elapsed between trauma and treatment, are important aspects to be considered during treatment and assessment of case prognosis. It is important to stress that the treatment of traumatic injuries in permanent teeth with incomplete root formation presents a few differences. Due to the intimate relationship between the root apex and the periodontal tissues, some modifications in the endodontic treatment process should be considered. The clinical case presented here describes an endodontic treatment of the tooth 21 which, after a trauma, presented coronary and third apical fractures, besides a periapical osseous rarefaction. Periodical renovation of the intra canal dressing based on calcium hydroxide promoted a mineralized apical barrier formation allowing a definitive MTA filling. Hence a premature loss of the dental element in question was avoided. Keywords: Dental injuries, apex formation, incomplete root formation, apical plug.

10 SUMÁRIO LISTA DE FIGURAS RESUMO ABSTRACT 1 INTRODUÇÃO REVISÃO DE LITERATURA RELATO DE CASO CLÍNICO DISCUSSÃO CONCLUSÃO REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS... 30

11 1 INTRODUÇÃO 11 O trauma dental hoje é considerado a terceira patologia mais frequente nos países em desenvolvimento e a mais frequente nos países ricos (BATISTA, 2010). Sendo assim, a devida atenção deve ser dada a esta situação, uma vez que as atitudes tomadas nos primeiros socorros podem determinar o sucesso ou o fracasso do atendimento do paciente traumatizado. Porém, o que a literatura nos mostra é um despreparo, tanto por parte dos leigos quanto por parte dos profissionais da saúde frente aos traumas dentários. De acordo com a pesquisa realizada por CAMPOS et al. (2006) que avaliou o grau de informação de estudantes, pais e professores de escolas públicas e particulares frente às urgências com trauma dentário, os autores concluíram que apenas 6,77% apresentavam um alto nível de conhecimento; 16,26% apresentavam um nível razoável; 51,13% um nível baixo; e 23,84% um nível muito baixo de conhecimento. Os traumatismos dentários são situações de urgência odontológica que impõem ao profissional um atendimento rápido, porém minucioso. Apesar da presteza no primeiro atendimento, na maioria das vezes é necessário o acompanhamento do paciente por um longo período. A incidência deste tipo de injúria varia de 4 a 30% na população em geral (MARZOLA et al., 2006). Lesões traumáticas aos dentes são comuns nas crianças em idade escolar. Iniciam-se nos primeiros anos de vida e vão aumentando à medida em que começam a dar seus primeiros passos. Na criança, o número de avulsões que ocorrem por traumatismos é mais frequente que nos adultos devido à fragilidade do tecido ósseo que envolve principalmente os dentes decíduos (MARZOLA et al., 2006). Dentre as dificuldades encontradas pelo endodontista, podemos considerar o tratamento de dentes permanentes com incompleto desenvolvimento radicular. O canal radicular é extremamente amplo e o seu forame, mesmo sem estar com a sua formação completa, apresenta-se também com um diâmetro exagerado (DOTTO, S. R. 2006). A formação radicular continua algum tempo depois de a coroa estar formada, envolvendo interações entre o folículo dentário, a bainha epitelial de Hertwig e a papila dentária. Assim, esse processo leva um longo tempo para se

12 12 completar, talvez três a quatro anos após a erupção do dente (GRÜNDLING et al. 2010). De acordo com GRÜNDLING et al. (2010): O traumatismo dentário é a causa mais frequente de necrose em dente anterior permanente imaturo. O dente mais comumente traumatizado em crianças é o incisivo central superior. O pico de incidência de trauma ocorre entre os oito e dez anos de idade, quando as raízes dos incisivos estão em formação. Se durante esse período ocorrer a necrose pulpar como consequência de um trauma, não se dará o desenvolvimento completo da raiz, resultando num incisivo com o ápice aberto e desenvolvimento radicular incompleto. A estimulação do desenvolvimento radicular poderá fechar o ápice e dar condições para uma adequada obturação do canal radicular. Dentes com rizogênese incompleta podem ser descritos como aqueles casos cujos ápices radiculares, histologicamente, não apresentam a dentina apical revestida por cemento e, radiograficamente, quando o extremo apical da raiz não atinge o estágio 10 de Nolla, isto é, ápice radicular completo (ANDRETTA, R. 2009). Figura 1: Estágio de Nolla. Fonte: acessado em 26/09/2012.

13 2 REVISÃO DE LITERAT URA 13 Em 2006, DOTTO, S. R. relatou um caso clinico onde utilizou o agregado de trióxido mineral (MTA), um pó branco composto de trióxidos combinados com outras partículas minerais hidrofílicas e que cristalizam na presença de umidade, prevenindo a microinfiltração, o que é uma vantagem sobre as pastas de hidróxido de cálcio (BERNABÉ e HOLLAND, 2003). Posteriormente ao desaparecimento da lesão, a realização da obturação convencional do canal radicular com cones de guta-percha e cimento foi realizada. CARVALHO et al. (2010) apresentam um caso clinico de rizogênese incompleta e alertam em seu estudo que a fratura coronorradicular apresenta-se como uma lesão relativamente comum, ocasionando, muitas vezes, complicações de ordem fisiológica, estética e psico-emocional. Por isso, o conhecimento das técnicas de manejo das injúrias traumáticas e dos tecidos moles é imprescindível para a realização de um correto diagnóstico, bem como um plano de tratamento associado ao acompanhamento para propiciar condições plenas de recuperação para o paciente. Somado a isso, casos de rizogênese incompleta requerem do profissional conhecimento para a terapêutica com o objetivo de manter o elemento dental na cavidade bucal. GRÜNDLING et al. (2010), em seu relato de caso clinico de apicificação de dente com fratura coronorradicular, lembram que o tratamento endodôntico de um dente com polpa necrosada e formação radicular incompleta é difícil, pois o ápice aberto torna impossível a realização de uma instrumentação clássica correta. Nesses casos, a instrumentação pode ser perigosa em virtude da fragilidade das paredes do canal, podendo aumentar o risco de fratura. Além disso, com o ápice aberto é muito difícil de obter um bom selamento apical. A apicificação é o procedimento mais aceito para a solução desse problema. MARZOLA et al. (2006) relembram que por ser uma urgência traumática e dolorosa, o trauma dental exige um diagnostico rápido e correto para que o tratamento seja estabelecido o mais precocemente possível. O relato do acidente é importante para nortear a condução do tratamento. Perguntas como: -Quando ocorreu o acidente?; -Como ocorreu?; -Onde ocorreu o acidente? são básicas para determinar a conduta clínica relacionada ao estado pulpar, possibilidade de

14 14 reimplantes dentais e outros atendimentos de urgência, visto que o tempo decorrido entre o momento do trauma e o atendimento influencia diretamente no tipo de tratamento a ser realizado e no prognóstico. Tais questionamentos importam ainda do ponto de vista legal para saber a causa jurídica da lesão, se foi acidente, se foi agressão durante assalto, brigas familiares etc. O local do fato permitirá ao profissional avaliar o grau de contaminação das estruturas atingidas, pesquisar a presença de corpos estranhos, e indicar a necessidade de cobertura antibiótica além da profilaxia antitetânica. BATISTA, SIDYNEI e DEONIZIO (2007) realizaram um estudo in vitro com o objetivo de avaliar a efetividade de plugs apicais de MTA e de hidróxido de cálcio em pacientes com dentes com rizogênese incompleta. De acordo com os resultados do estudo, os autores concluíram que o plug apical de MTA foi mais efetivo do que o de hidróxido de cálcio, não ocorrendo extravasamento em nenhum caso, ao passo em que, no grupo do plug apical com o hidróxido de cálcio, houve o rompimento do plug em quarto casos sem extrusão da obturação. Para FERNANDES (2011), o primeiro objetivo quanto ao tratamento do dente imaturo deve ser o de manter a polpa com vitalidade de modo que a apicigênese venha a ocorrer. A terapia pulpar conservadora escolhida para manter a vitalidade do tecido pulpar nestes casos é a pulpotomia. Os procedimentos de pulpotomia conduzem, invariavelmente, à calcificação progressiva dos canais radiculares. Após o desenvolvimento radicular bem sucedido, a extirpação do tecido pulpar remanescente e o tratamento endodôntico devem ser realizados. Este procedimento é recomendado devi- do à alta incidência de calcificação contínua, que torna os canais difíceis de serem instrumentados, e caso posteriormente haja necessidade de terapia endodôntica em virtude de alteração patológica, isto seria inviável devido à obstrução do conduto radicular. De acordo com o estudo de RESENDE e ROCHA (2003) a paralisação da formação radicular pode ser resultante de um trauma dental que leva à inviabilidade da bainha epitelial de Hertwig. Um dos tratamentos de escolha é a apicificação, que promove um vedamento radicular e, assim, permite a realização de uma eficiente terapia endodôntica. A apicificação é o tratamento realizado em dentes permanentes imaturos com necrose pulpar com a finalidade de promover a formação de uma barreira osteocementária ou de tecido similar na altura do ápice. Este processo

15 15 envolve a criação de um ambiente adequado através do completo esvaziamento do canal radicular para a remoção de resíduos e bactérias e seguidas trocas de curativos que estimulem a formação da barreira calcificada. ANDRETTA, (2009), em seu estudo intitulado Endodontia Clinica e considerações bibliográficas: a especialidade sustentada pela literatura, apresentou um caso clínico de tratamento endodôntico do dente 11 com rizogênese incompleta após trauma do elemento durante uma crise de convulsão (sequela de uma meningite adquirida aos 3 anos de idade). O paciente não apresentava sintomatologia dolorosa, mas observou a alteração de cor do elemento (amarelomarrom) e procurou a clinica de endodontia da faculdade de odontologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Radiograficamente o dente apresentava abertura apical de diâmetro maior que o canal radicular, além de imagem radiolúcida no ápice (de 8mm de diâmetro) compatível com rizogênese incompleta e lesão apical. O diagnóstico de necrose com lesão foi confirmado pela imagem da radiografia. O protocolo de tratamento proposto pelo autor, de acordo com a revisão realizada pelo mesmo, foi a abertura do canal com esvaziamento, limpeza mecânica (lima 80) e química (hipoclorito de sódio 2,5%). A medicação intracanal utilizada foi o hidróxido de cálcio, uma vez que o mesmo tem propriedades indutoras do fechamento apical. Realizou-se a primeira troca de curativo de demora de hidróxido de cálcio após um mês do preparo químico mecânico, acompanhada previamente pelo debridamento com lima 80 e irrigação com hipoclorito a 2,5%. A segunda troca foi realizada após dois meses do preparo. A terceira após quatro meses e a quarta após oito meses do preparo. A quinta troca do curativo de demora foi realizada nove meses após o preparo e este ficou até o dia da obturação do canal, realizada com 11 meses após o preparo químico mecânico. O autor realizou a obturação através da confecção de um bastão mestre de guta-percha mais calibroso e, apesar dos cuidados na pressão durante a obturação, ocorreu a sobreobturacão confirmada na radiografia final. O autor não utilizou plug apical para prevenção do extravasamento. Em estudo publicado por CAMPOS, HENRIQUES e CAMPOS (2006) ficou evidente a falta de conhecimento frente a traumas envolvendo avulsões dentárias. De acordo com o estudo que investigou o nível de informação de estudantes, pais e professores quanto a conduta frente a urgência de um traumatismo dental e teve 990 indivíduos analisados, o estudo concluiu que do total

16 16 dos entrevistados apenas 6,77% apresentavam um alto nível de conhecimento; 16,26% apresentavam um nível razoável; 51,13% um nível baixo; e 23,84% um nível muito baixo de conhecimento. Os resultados da pesquisa demonstram que condutas de urgência para traumas dentais devem ser incluídas como temas da programação de prevenção de saúde bucal nas escolas públicas e particulares. Para SEIBEL, SOARES e LIMONGI (2006), embora o mecanismo histológico do reparo ainda permaneça relativamente obscuro e sua explicação encontre controvérsia na literatura, há o consenso de que a barreira de tecido duro apical pode ser formada por dentina ou cemento, em dependência das células que estiverem presentes no momento da intervenção. A morfologia do reparo da região apical tem sido estudada e caracterizada de duas formas: simplesmente pelo aparecimento de substância radiopaca que obstrui a abertura apical ou pela complementação do desenvolvimento radicular com deposição de tecido duro apical, podendo a raiz do elemento dentário apresentar diversas configurações. O hidróxido de cálcio continua sendo o material mais requisitado nesse tipo de tratamento, mesmo que alguns pesquisadores sustentem que o fechamento apical ocorra quando controlada a infecção e sem a utilização de um material indutor de tecido mineralizado. GRANVILLE-GARCIA et al. (2006) realizaram estudo transversal com amostra de pré-escolares da cidade do Recife, da rede particular e da rede pública. A coleta de dados foi realizada através de exame clínico e entrevista estruturada. Para a categorização dos traumatismos, foi adotada a classificação proposta por Hinds e Gregory. A análise estatística envolveu distribuição de frequências, análise bivariada considerando-se o nível de significância de 5%. A concordância diagnóstica intra-examinador foi 0,90 (Kappa). A prevalência de traumatismos foi de 36,8%; o dente 61 foi o mais acometido e as fraturas de esmalte, seguidas das descolorações, as alterações mais frequentes. O traumatismo foi mais prevalente no sexo masculino nas crianças da rede particular (p<0,005). De acordo com os pais e/ou responsáveis, as faixas etárias mais frequentes em relação ao traumatismo foram as inferiores a quatro anos, e a maioria (70,6%) não procurou atendimento em consequência do trauma. O local e a etiologia mais citados foram a casa e as quedas, respectivamente. Há a necessidade de implementação de programas preventivos em relação ao traumatismo dentário

17 17 devido a sua alta prevalência, bem como devido à ausência de conscientização para a procura de tratamento. Para SENNA (2009) o tratamento endodôntico em dentes com rizogênese incompleta é complexo e exige muita habilidade do profissional em virtude de ocorrer frequentemente em pacientes jovens. O cimento mais indicado como tampão apical é o MTA, que vem sido amplamente testado por suas propriedades biológicas, químicas e físicas satisfatórias, porém seu alto custo inviabiliza sua utilização rotineira para a maioria dos cirurgiões-dentistas. No fim do século passado, o cimento Portland foi introduzido na odontologia por possuir propriedades semelhantes ao MTA, com custo acessível à população economicamente desfavorável, tornando-se compreensível a importância e o interesse da comparação da infiltração apical do cimento MTA e do cimento Portland utilizados como tampão apical em dentes com rizogênese incompleta. SIMÕES et al. (2004) realizaram um estudo com o objetivo de identificar os fatores etiológicos relacionados ao traumatismo dental. Foi examinado um total de pacientes, com dentes traumatizados. Dessa amostra foi observada uma maior ocorrência nos pacientes do sexo masculino (65,49%) em relação ao sexo feminino (34,51%). A faixa etária mais atingida foi entre 1 e 7 anos (51,90%), destacando-se a idade de 3 anos (9,47%) e em seguida de 1 ano (9,19%), tendo como a maior causa a queda de nível (32,68%). Os dentes que apresentaram maior predisposição ao trauma foram os incisivos centrais superiores (57,87%), evidenciando-se neles a frequência das seguintes lesões: subluxação (21,46%), avulsão (17,18%) e luxação lateral (16,66%). Os autores concluem que esse levantamento possibilita um conhecimento mais aprofundado das causas do traumatismo bem como das regiões mais afetadas, o que determina uma maior possibilidade de realização de prevenções do trauma alvéolo-dentário. No estudo publicado por OLIVEIRA, (2008) o autor salienta que a literatura evidencia a recomendação da apicificação, sendo utilizado o hidróxido de cálcio devido à sua ação efetiva, mesmo demandando um tempo longo. No intuito de melhorar as propriedades físico-químicas desta substância, como a radiopacidade, sugere-se a associação com iodofórmio que, por sua vez, não interfere nas propriedades antibacterianas. Para TOLEDO et al. (2010), durante o tratamento endodôntico, a

18 18 substância química utilizada deve oferecer uma efetiva ação antimicrobiana e o aumento da permeabilidade do sistema de canais radiculares, porém esta condição é dificultada quando os dentes apresentam rizogênese incompleta, em razão das condições anatômicas do terço apical inviabilizarem os procedimentos técnicos da endodontia atual. Tendo em vista a importância da anatomia dental e as substâncias químicas auxiliares no tratamento endodôntico, o estudo teve como objetivo revisar a produção científica sobre os efeitos do hidróxido de cálcio e do iodofórmio associados ou não, em dentes com rizogênese incompleta. Foi possível constatar a existência de dificuldades em virtude das condições anatômicas, estado de mortificação pulpar, processo inflamatório periapical e maior facilidade de contaminação do sistema de canais radiculares nestes casos. A literatura evidencia a recomendação da apicificação, sendo utilizado o hidróxido de cálcio devido a sua ação efetiva, mesmo demandando um tempo longo. O iodofórmio é menos utilizado nestes casos, pois sua ação antisséptica e estimulação de resposta imunológica podem atuar e influenciar positivamente nos casos endodônticos de dentes com rizogênese incompleta. No intuito de melhorar as propriedades físico-químicas desta substância, como a radiopacidade, sugere-se a associação com iodofórmio que, por sua vez, não interfere nas propriedades antibacterianas. De acordo com OLIVEIRA et al. (2004) o traumatismo dento-alveolar envolve três estruturas básicas: dentes, porção alveolar e tecidos moles adjacentes. O tipo de dano e as estruturas atingidas orientam o tipo de tratamento a ser realizado. Os autores ressaltam ainda que em virtude de considerações estéticas, funcionais, psicológicas e econômicas que tais danos acarretam, medidas preventivas devem ser tomadas. O prognóstico depende do grau de envolvimento das estruturas e do estágio de desenvolvimento radicular, além do tempo transcorrido entre o acidente e o atendimento. Em seu trabalho SANABE et al. (2009) relatam que a experiência do profissional é essencial para o bom andamento do tratamento após o traumatismo. É necessário, inicialmente, acalmar os pais e o paciente para que se consiga obter informações precisas durante a realização da anamnese, com vistas a estabelecer um diagnóstico preciso e confiável, por meio de perguntas simples sobre onde, como e quando ocorreu o traumatismo. Os autores realizaram ainda um protocolo das condutas clinicas a serem tomadas frente a diversas formas de traumas

19 19 dentários. Concluem ainda que o conhecimento sobre o assunto, a agilidade no tratamento de urgência e o correto encaminhamento do paciente proporcionam melhor prognóstico. Figura 2: Tabelas de condutas frente aos diferentes tipos de trauma dental.. Fonte: SANABE et al. (2009). VALE e SILVA (2011) em estudo intitulado de Conduta endodôntica pós-

20 20 trauma em dente com rizogênese incompleta relatam que os principais fatores responsáveis por injúrias à integridade de dentes imaturos são a cárie e o traumatismo. Quando ocorre comprometimento pulpar irreversível ou necrose o quadro torna-se complicado, pois a deposição de dentina radicular apical cessa e a terapia endodôntica convencional faz-se necessária no intuito de assegurar a permanência do elemento dentário na cavidade oral. De acordo com os autores, o hidróxido de cálcio associado a veículos é a conduta mais utilizada para obturar o canal temporariamente e estimular a continuação do desenvolvimento radicular até que sejam obtidas as condições anatômicas que permitam sua obturação de forma adequada e definitiva.

21 3 RELATO DE CASO CLÍNICO 21 Paciente do sexo feminino, com 08 anos de idade, procurou a Clínica de Endodontia do Instituto Lenza de Pós-Graduação, Goiânia, Goiás, para realizar avaliação dos dentes 11 e 21 com história de trauma (Fig. 03). A mãe da paciente relatou que, em abril de 2011, ao descer uma rampa em sua residência, de bicicleta, a paciente perdeu o controle e caiu. Ao bater a boca no guidão, lascou o dente 21. Em seguida, no mês de julho do mesmo ano, ao subir a grade do portão de casa, a paciente escorregou e bateu com a boca no chão, quebrando a coroa dos dentes 11 e 21. Na primeira consulta, realizada em setembro de 2011, havia decorrido 5 meses do primeiro trauma e 2 meses do segundo. Nessa ocasião foi realizado o teste de sensibilidade pulpar a frio utilizando spray Endo-Frost e para o dente 11 a resposta foi positiva, enquanto que para o dente 21 não houve resposta. Durante a anamnese não havia história de comprometimento sistêmico e o exame clínico intrabucal mostrou ausência de edema, de fístula, de dor à percussão ou à apalpação, todavia apresentou alteração de cor. Com uma radiografia periapical do dente 21 foi diagnosticada uma fratura no terço apical e rarefação óssea (Fig. 4A). Na segunda consulta em outubro de 2011, após anestesia local com mepivacaína 2%, realizou-se isolamento absoluto e o canal radicular do dente 21 foi acessado. Foi realizada neutralização do conteúdo séptico com hipoclorito de sódio a 2,5% e, então, procedeu-se ao início da instrumentação. Como curativo de demora foi utilizado Ca(OH) 2 e anestésico, sendo o prognóstico avaliado como desfavorável (Fig. 4B). Numa terceira sessão (novembro de 2011), após anestesia e isolamento absoluto, realizou-se odontometria radiográfica (21 mm) seguida de instrumentação até a lima K 140 e irrigação com hipoclorito de sódio 2,5% (Fig. 4C). O canal foi seco com pontas de papel estéreis e inundado com EDTA trissódico 17% por 3 minutos. Após a remoção do EDTA o canal foi seco novamente e preenchido com pasta de Ca(OH) 2, propilenoglicol e iodofórmio e selado com óxido de zinco e eugenol (Fig. 4D). Na sessão seguinte, janeiro de 2012, após irrigação abundante com NaOCl 1%, realizou-se debridamento foraminal. Objetivando reduzir as trocas do

22 22 curativo e na tentativa de induzir a formação de tecido mineralizado apical, foi utilizada a Pasta L&C (pasta de hidróxido de cálcio com veículo oleoso) como medicação intracanal e subsequente selamento coronário com óxido de zinco e eugenol (Fig. 4E). Decorridos dois meses, a paciente retornou e o controle radiográfico revelou aparente aumento da lesão com reabsorção parcial da medicação, porém ausência de sintomas e sinais clínicos (Fig. 4F). Em junho de 2012, o raio-x de controle demonstrou regressão da lesão e reabsorção parcial da medicação na área da lesão com ausência de sintomas e sinais clínicos (Fig. 4G). Complementarmente, foi solicitada à paciente uma tomografia computadorizada. Em agosto de 2012, após resultados positivos obtidos através da proservação clínica e radiográfica, optou-se pela obturação definitiva do canal. Com auxílio de um microscópio operatório, foi realizado o preenchimento apical com uma pasta de Ca(OH) 2, iodofórmio, paramonoclorofenol canforado e glicerina. Em seguida, preenchimento do terço médio com MTA Angelus (Fig. 4H e 4I). Em setembro de 2012, após raio-x de controle, realizou-se a restauração coronária dos dentes 11 e 21 com resina fotopolimerizável Z 350. Figura 3: Vista inicial do caso clínico. Dentes 11 e 21 fraturados.

23 23 A B C D

24 24 E F G H

25 I Figura 4: (A) Radiografia inicia. (B) Medicação intracanal. (C) Odontometria radiográfica. (D) Medicação intracanal. (E) Pasta L&C. (F) Controle radiográfico de 2 meses da colocação da Pasta L&C. (G) Controle de 5 meses da colocação da Pasta L&C. (H) Radiografia final. Obturação definitiva. (I) Imagem obtida através de microscópio operatório. 25

26 4 DISCUSSÃO 26 A formação radicular continua algum tempo depois de a coroa estar formada, envolvendo interações entre o folículo dentário, a bainha epitelial de Hertwig e a papila dentária. Assim, esse processo leva um longo tempo para se completar, talvez três a quatro anos após a erupção do dente (GRÜNDLING et al. 2010). De acordo com o estudo realizado por FERNANDES (2011) a pulpotomia em dentes com rizogênese incompleta, usando-se óxido de zinco como material capeador, mantém a polpa radicular com vitalidade, sem formação de barreira dentinária até o desenvolvimento completo da raiz e fechamento da porção apical, ficando o canal radicular permeável para a conclusão do tratamento endodôntico. E, em casos em que ocorra necrose, o tratamento poderá ter seguimento com a apicificação. Ao contrario dos estudos em que se utilizou o hidróxido de cálcio, tais como o de BARTHEL et al. (2000 appud FERNANDES 2011), que avaliando os resultados dos tratamentos de capeamentos pulpares com Ca(OH) 2, após 5 e 10 anos, observaram que todos os casos que tiveram sucesso na formação de barreira dentinária mostraram metamorfose cálcica no espaço pulpar quando comparados radiograficamente com dentes adjacentes, cujo resultado pode significar um futuro impedimento para o tratamento endodôntico. Entretanto, nem sempre se pode manter a vitalidade pulpar para se esperar a formação completa da raiz. Em casos de trauma com comprometimento pulpar e processo de necrose, o tratamento endodôntico se torna necessário e é nestes casos que os endodontistas encontram mais um desafio, uma vez que com o ápice aberto é muito difícil manter o tratamento endodôntico nos limites do canal, além disso, as paredes do canal nem sempre estão paralelas, apresentado-se divergentes para apical e o forame aberto não promove o anteparo adequado para a obturação do canal. Além disso, como o canal está muito amplo, as paredes radiculares se tornam frágeis e passiveis de fratura (DOTTO, 2006). GRÜNDLING et al. (2010) alegam em seu estudo de apresentação de caso clínico que há duas vertentes de pensamentos para o processo biológico de apicificacão. De acordo com os autores: A primeira sugere não ser necessária a introdução de qualquer tipo de

PROJETO DE EXTENSÃO: TRATAMENTO DE INFECÇÕES DENTÁRIAS / PROEC

PROJETO DE EXTENSÃO: TRATAMENTO DE INFECÇÕES DENTÁRIAS / PROEC PROJETO DE EXTENSÃO: TRATAMENTO DE INFECÇÕES DENTÁRIAS / PROEC FERREIRA, Jean Carlos Barbosa.*¹; MARQUES, Aline Silva¹; SILVA, Julio. Almeida² DECURCIO, Daniel Almeida²; ALENCAR, Ana Helena Gonçalves³;

Leia mais

Curso de Especialização em Endodontia

Curso de Especialização em Endodontia Curso de Especialização em Endodontia Coordenador: Prof. Nilton Vivacqua EndodontiaAvancada.com OBJETIVOS DO CURSO Este curso tem como objetivos colocar à disposição de clínicos gerais, a oportunidade

Leia mais

ASPECTOS DE IMAGEM DAS ALTERAÇÕES DA RAIZ DENTAL

ASPECTOS DE IMAGEM DAS ALTERAÇÕES DA RAIZ DENTAL ASPECTOS DE IMAGEM DAS ALTERAÇÕES DA RAIZ DENTAL Vamos descrever a seguir as principais imagens das alterações da raiz dental. As ocorrências, em sua maioria, são provenientes de causas patológicas. FORMA

Leia mais

Gislaine Adams Sabrine Louise Souza

Gislaine Adams Sabrine Louise Souza Caso Clínico Clínica Integrada IV Necropulpectomia Gislaine Adams Sabrine Louise Souza Universidade Positivo 5º período Anamnese Paciente M.M. Sexo feminino 21 anos Fumante Procurou o serviço de emergência

Leia mais

Traumatismo Alvéolo-Dentário em Dentes Permanentes: Elementos para Diagnóstico e Tratamento por Cristina Braga Xavier e Eduardo Luiz Barbin

Traumatismo Alvéolo-Dentário em Dentes Permanentes: Elementos para Diagnóstico e Tratamento por Cristina Braga Xavier e Eduardo Luiz Barbin Traumatismo Alvéolo-Dentário em Dentes Permanentes: Elementos para Diagnóstico e Tratamento por Cristina Braga Xavier e Eduardo Luiz Barbin Espera-se que a leitura deste documento forneça, de maneira rápida

Leia mais

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Odontologia 2013-1 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Odontologia 2013-1 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais. Especial Online ISSN 1982-1816 www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.html DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO Odontologia 2013-1 INCIDÊNCIA DE HIPERTROFIA DE CORNETOS NASAIS INFERIORES NUMA POPULAÇÃO BRASILEIRA

Leia mais

PROTOCOLOS OPERACIONAIS DOS SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS A SEREM SEGUIDOS PELOS PERITOS E PRESTADORES DE SERVIÇO DO SESI/DR/AC

PROTOCOLOS OPERACIONAIS DOS SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS A SEREM SEGUIDOS PELOS PERITOS E PRESTADORES DE SERVIÇO DO SESI/DR/AC PROTOCOLOS OPERACIONAIS DOS SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS A SEREM SEGUIDOS PELOS PERITOS E PRESTADORES DE SERVIÇO DO SESI/DR/AC A) TIPOS DE SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS A.1 Consulta Inicial Entende-se como exame clínico,

Leia mais

Apresentação na Jornada Internacional do 45º Aniversário da Faculdade de Odontologia de Rosário.

Apresentação na Jornada Internacional do 45º Aniversário da Faculdade de Odontologia de Rosário. 1 45º Aniversario FOR UNR Jornada Internacional Resumen trabajos expuestos. 2 Pilares Protéticos Personalizados. Paulo Odair Tessare Junior *; Maria Leticia Britto Machado**; Antônio Sérgio Fava*** 1 Nos

Leia mais

Obturação dos Canais Radiculares

Obturação dos Canais Radiculares Obturação dos Canais Radiculares EML Rodrigo Del Monaco 2012 É o preenchimento tridimensional, completo e hermético do canal tanto no seu comprimento quanto na sua largura. FINALIDADE DA OBTURAÇÃO Preencher

Leia mais

2. Quando o implante dental é indicado?

2. Quando o implante dental é indicado? Dúvidas sobre implantodontia: 1. O que são implantes? São cilindros metálicos (titânio) com rosca semelhante a um parafuso que são introduzidos no osso da mandíbula (arco inferior) ou da maxila (arco superior),

Leia mais

Histomorfologia do reparo após tratamento endodôntico em dentes com rizogênese incompleta: Revisão de literatura

Histomorfologia do reparo após tratamento endodôntico em dentes com rizogênese incompleta: Revisão de literatura ISSN 1806-7727 Histomorfologia do reparo após tratamento endodôntico em dentes com rizogênese incompleta: Revisão de literatura Healing process after root canal therapy in immature human teeth: Bibliographycal

Leia mais

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA RAIZ DENTAL. radiográficas da raiz dental. As ocorrências, em sua maioria, são provenientes de

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA RAIZ DENTAL. radiográficas da raiz dental. As ocorrências, em sua maioria, são provenientes de ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA RAIZ DENTAL Neste tópico vamos descrever as principais alterações das imagens radiográficas da raiz dental. As ocorrências, em sua maioria, são provenientes de causas

Leia mais

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL Analisando-se a imagem de um dente íntegro, todas as suas partes são facilmente identificáveis, pois já conhecemos sua escala de radiopacidade e posição

Leia mais

MEDIDAS DE ADEQUAÇÃO DO MEIO BUCAL PARA CONTROLE DA CÁRIE DENTÁRIA EM ESCOLARES DO CASTELO BRANCO

MEDIDAS DE ADEQUAÇÃO DO MEIO BUCAL PARA CONTROLE DA CÁRIE DENTÁRIA EM ESCOLARES DO CASTELO BRANCO MEDIDAS DE ADEQUAÇÃO DO MEIO BUCAL PARA CONTROLE DA CÁRIE DENTÁRIA EM ESCOLARES DO CASTELO BRANCO BARROS, Ítala Santina Bulhões 1 LIMA, Maria Germana Galvão Correia 2 SILVA, Ariadne Estffany Máximo da

Leia mais

OCORRÊNCIA E ETIOLOGIA DO TRAUMATISMO DENTAL EM ALUNOS DO CURSO DE ODONTOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL/RS

OCORRÊNCIA E ETIOLOGIA DO TRAUMATISMO DENTAL EM ALUNOS DO CURSO DE ODONTOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL/RS Revista de Endodontia Pesquisa e Ensino On Line - Ano 4, Número 7, Janeiro/Junho, 2008. 1 OCORRÊNCIA E ETIOLOGIA DO TRAUMATISMO DENTAL EM ALUNOS DO CURSO DE ODONTOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO

Leia mais

TRATAMENTO DE CANAL RADICULAR DE DENTES COM RIZOGÊNESE INCOMPLETA EMPREGANDO PASTA DE HIDRÓXIDO DE CÁLCIO. ESTUDO RADIOGRÁFICO.

TRATAMENTO DE CANAL RADICULAR DE DENTES COM RIZOGÊNESE INCOMPLETA EMPREGANDO PASTA DE HIDRÓXIDO DE CÁLCIO. ESTUDO RADIOGRÁFICO. Rev. Odont. UNE5P, São Paulo, 15/16: 1-12,1986/87. TRATAMENTO DE CANAL RADICULAR DE DENTES COM RIZOGÊNESE INCOMPLETA EMPREGANDO PASTA DE HIDRÓXIDO DE CÁLCIO. ESTUDO RADIOGRÁFICO. Rosa Maria Gonzalez Vono

Leia mais

CENTRO DE ATENDIMENTO DENTÍSTICA-ENDODONTIA TRAUMATISMO DENTAL

CENTRO DE ATENDIMENTO DENTÍSTICA-ENDODONTIA TRAUMATISMO DENTAL FACULDADE DE ODONTOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO CENTRO DE ATENDIMENTO DENTÍSTICA-ENDODONTIA TRAUMATISMO DENTAL CENTRO DE ESTUDOS ENDODÔNTICOS JOÃO AUGUSTO FLEURY VARELLA DESENVOLVIMENTO Prof. Dr.

Leia mais

Palavras chaves: Traumatismos dentários ; Dentes decíduos ; Dentes permanentes

Palavras chaves: Traumatismos dentários ; Dentes decíduos ; Dentes permanentes TRAUMATISMO EM DENTES DECÍDUOS E SUA REPERCUSSÃO EM DENTES PERMANENTES JOVENS: RELATO DE CASO Márcia Cançado FIGUEIREDO 1 ;Sérgio Estelita Cavalcante BARROS 1 ;Deise PONZONI 1 Raissa Nsensele NYARWAYA

Leia mais

Manejo das Avulsões Dentárias Traumáticas em Dentição Permanente Monday, 05 July 2010 19:03 - Last Updated Wednesday, 06 November 2013 20:20

Manejo das Avulsões Dentárias Traumáticas em Dentição Permanente Monday, 05 July 2010 19:03 - Last Updated Wednesday, 06 November 2013 20:20 Manejo das Avulsões Dentárias Traumáticas em Dentição Permanente: Elementos para Diagnóstico, Tratamento e Proservação por Cristina Braga Xavier, Dener Cruz Soldati e Eduardo Luiz Barbin Espera-se que

Leia mais

TRATAMENTO ENDODÔNTICO EM DENTE PERMANENTE COM NECROSE PULPAR E ÁPICE INCOMPLETO RELATO DE CASO

TRATAMENTO ENDODÔNTICO EM DENTE PERMANENTE COM NECROSE PULPAR E ÁPICE INCOMPLETO RELATO DE CASO Revista de Endodontia Pesquisa e Ensino On Line - Ano 2, Número 3, Janeiro/Junho, 2006. 1 TRATAMENTO ENDODÔNTICO EM DENTE PERMANENTE COM NECROSE PULPAR E ÁPICE INCOMPLETO RELATO DE CASO TREATMENT ENDODONTIC

Leia mais

Apicificação de um Dente Avulsionado Utilizando MTA: Relato de Caso MTA Apexification of an Avulsed Tooth: Case Report

Apicificação de um Dente Avulsionado Utilizando MTA: Relato de Caso MTA Apexification of an Avulsed Tooth: Case Report 67 Apicificação de um Dente Avulsionado Utilizando MTA: Relato de Caso MTA Apexification of an Avulsed Tooth: Case Report Nino Velho de Mesquita 1, Marcus Vinícius Reis Só 2, Ricardo Abreu da Rosa 3, Aline

Leia mais

PREPARO DO CANAL. - Indicação. 1. Material necessário Instrumentos Manuais tipo K. - Pulpectomias e Desobturações. Flexofile ou Flex-R.

PREPARO DO CANAL. - Indicação. 1. Material necessário Instrumentos Manuais tipo K. - Pulpectomias e Desobturações. Flexofile ou Flex-R. PREPARO DO CANAL 1. Material necessário Instrumentos Manuais tipo K - Pulpectomias e Desobturações Flexofile ou Flex-R (FIG.1) (FIG.5) (FIG.2) - núcleo quadrangular (FIG.2) - pouco flexível - bom corte

Leia mais

FACULDADE MERIDIONAL IMED CENTRO DE ESTUDOS ODONTOLÓGICO MERIDIONAL- CEOM CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENDODONTIA MARCO VINICIUS BACCIN

FACULDADE MERIDIONAL IMED CENTRO DE ESTUDOS ODONTOLÓGICO MERIDIONAL- CEOM CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENDODONTIA MARCO VINICIUS BACCIN FACULDADE MERIDIONAL IMED CENTRO DE ESTUDOS ODONTOLÓGICO MERIDIONAL- CEOM CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENDODONTIA MARCO VINICIUS BACCIN REPARO APICAL APÓS O TRATAMENTO ENDODÔNTICO PASSO FUNDO 2012 1 MARCO

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DAS AÇÕES DE SAÚDE BUCAL NA REDE DE SERVIÇOS DA SMSA DOCUMENTO AUXILIAR

DESENVOLVIMENTO DAS AÇÕES DE SAÚDE BUCAL NA REDE DE SERVIÇOS DA SMSA DOCUMENTO AUXILIAR PREFEITURA DE BELO HORIZONTE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE GERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA DESENVOLVIMENTO DAS AÇÕES DE SAÚDE BUCAL NA REDE DE SERVIÇOS DA SMSA DOCUMENTO AUXILIAR COORDENAÇÃO TÉCNICA DE SAÚDE BUCAL

Leia mais

UNA-SUS Universidade Aberta do SUS SAUDE. da FAMILIA. CASO COMPLEXO 8 Wilson. Fundamentação Teórica: Trauma dental

UNA-SUS Universidade Aberta do SUS SAUDE. da FAMILIA. CASO COMPLEXO 8 Wilson. Fundamentação Teórica: Trauma dental CASO COMPLEXO 8 Wilson : Kristianne Porta Nos casos de traumatismo dental, como relatado na descrição do caso, começamos com a investigação da história médica, passamos para a história do traumatismo e

Leia mais

ASPECTO DE IMAGEM DAS ESTRUTURAS DO DENTE

ASPECTO DE IMAGEM DAS ESTRUTURAS DO DENTE ASPECTO DE IMAGEM DAS ESTRUTURAS DO DENTE O órgão dentário, um dos elementos do aparelho mastigatório, é constituído por tecidos especificamente dentais (esmalte, dentina, polpa) e por tecidos periodontais

Leia mais

ODONTOLOGIA CANINA. Introdução

ODONTOLOGIA CANINA. Introdução ODONTOLOGIA CANINA Juliana Kowalesky Médica Veterinária Mestre pela FMVZ -USP Pós graduada em Odontologia Veterinária - ANCLIVEPA SP Sócia Fundadora da Associação Brasileira de Odontologia Veterinária

Leia mais

A Importância da Saúde Bucal. na Saúde Geral

A Importância da Saúde Bucal. na Saúde Geral PALESTRA A Importância da Saúde Bucal na Saúde Geral A saúde começa pela boca Os dentes são importantes na mastigação dos alimentos, fala, e estética, influenciando diretamente na auto-estima do indivíduo

Leia mais

Transplante Dental* Coordenador: MACEDO, Sérgio Bruzadelli

Transplante Dental* Coordenador: MACEDO, Sérgio Bruzadelli Transplante Dental* Coordenador: MACEDO, Sérgio Bruzadelli LIMA, Richard Presley 1 ; DOS SANTOS, Mateus Veppo 2 ; DE MOURA, Cariacy Silva 3 ; GUILLEN, Gabriel Albuquerque 4 ; MELLO, Thais Samarina Sousa

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES AVISO DE RETIFICAÇÃO DE EDITAL Nº 01 A Comissão de Concurso torna publica

Leia mais

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia.

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Tratamento endodôntico em Gato Doméstico (Felis Catus): Relato de caso Jaime Sardá Aramburú Junior 1, Cristiano Gomes 2, Ney Luis Pippi 3, Paulo

Leia mais

ODONTOLOGIA ENDODONTIA I. 5º Período / Carga Horária: 90 horas

ODONTOLOGIA ENDODONTIA I. 5º Período / Carga Horária: 90 horas ODONTOLOGIA ENDODONTIA I 5º Período / Carga Horária: 90 horas 1. PRÉ-REQUISITOS: Diagnóstico por Imagem; Patologia Buco-Dental. 2. EMENTA: Durante o curso de Endodontia Pré-Clínica os alunos irão adquirir

Leia mais

Conduta endodôntica pós-trauma em dente com rizogênese incompleta

Conduta endodôntica pós-trauma em dente com rizogênese incompleta REVISTA DE ODONTOLOGIA DA UNESP CASO CLÍNICO Rev Odontol UNESP, Araraquara. jan./fev., 2011; 40(1): 47-52 2011 - ISSN 1807-2577 Conduta endodôntica pós-trauma em dente com rizogênese incompleta Mônica

Leia mais

Assessoria ao Cirurgião Dentista. Publicação mensal interna a Papaiz edição 1I maio de 2014. 11 3894 3030 papaizassociados.com.br

Assessoria ao Cirurgião Dentista. Publicação mensal interna a Papaiz edição 1I maio de 2014. 11 3894 3030 papaizassociados.com.br Assessoria ao Cirurgião Dentista Publicação mensal interna a Papaiz edição 1I maio de 2014 11 3894 3030 papaizassociados.com.br 11 3894 3030 papaizassociados.com.br IMPORTÂNCIA DOS EXAMES RADIOGRÁFICOS

Leia mais

IMAGENS DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL

IMAGENS DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL IMAGENS DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL Em um dente íntegro, suas imagens são facilmente identificáveis, pois já conhecemos a escala de radiopacidade. Estudamos as imagens das estruturas anatômicas, suas

Leia mais

CURSO de ODONTOLOGIA - Gabarito

CURSO de ODONTOLOGIA - Gabarito UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE TRANSFERÊNCIA 2 o semestre letivo de 2009 e 1 o semestre letivo de 2010 CURSO de ODONTOLOGIA - Gabarito INSTRUÇÕES AO CANDIDATO? Verifique se este caderno contém : PROVA

Leia mais

REGULAMENTO ODONTOLÓGICO

REGULAMENTO ODONTOLÓGICO REGULAMENTO ODONTOLÓGICO Regulamento Vigente REGULAMENTO ODONTOLÓGICO ARTIGO 1º - A Associação dos Agentes Fiscais de Rendas do Estado de São Paulo - AFRESP - prestará a seus associados inscritos na Administração

Leia mais

DIAGNÓSTICO COLETA DE DADOS RACIOCÍNIO E DEDICAÇÃO

DIAGNÓSTICO COLETA DE DADOS RACIOCÍNIO E DEDICAÇÃO EXAME CLÍNICO DA DOENÇA PERIODONTAL DIAGNÓSTICO PERIODONTAL CONSISTE O DIAGNÓSTICO NA ANÁLISE DO PERIODONTAL HISTÓRICO DO CASO, NA AVALIAÇÃO DOS SINAIS CLÍNICOS E SINTOMAS, COMO TAMBÉM DOS RESULTADOS DE

Leia mais

Classificação dos Núcleos

Classificação dos Núcleos OBJETIVO Núcleos Permitir que o dente obtenha características biomecânicas suficientes para ser retentor de uma prótese parcial fixa. Classificação dos Núcleos Núcleos de Preenchimento Núcleos Fundidos

Leia mais

MANUAL INSTRUTIVO DOS CÓDIGOS ODONTOLÓGICOS DO SIA/SUS - TSB E ASB -

MANUAL INSTRUTIVO DOS CÓDIGOS ODONTOLÓGICOS DO SIA/SUS - TSB E ASB - 1 MANUAL INSTRUTIVO DOS CÓDIGOS ODONTOLÓGICOS DO SIA/SUS - TSB E ASB - Porto Alegre, 2014. 1 2 S ODONTOLÓGICOS PARA AUXILIARES E TÉCNICOS EM SAÚDE BUCAL Tabela 1: Tipos de Procedimentos Odontológicos para

Leia mais

Resumo. Endereço para correspondência: Flares Baratto Filho Rua Professor Pedro V. P. de Sousa, 1100 ap. 701 bloco 7 CEP 81200-100 Curitiba PR

Resumo. Endereço para correspondência: Flares Baratto Filho Rua Professor Pedro V. P. de Sousa, 1100 ap. 701 bloco 7 CEP 81200-100 Curitiba PR ISSN 1806-7727 Fatores etiológicos relacionados ao traumatismo alvéolo-dentário de pacientes atendidos no prontosocorro odontológico do Hospital Universitário Cajuru 1 Related etiologics factors to the

Leia mais

RETRATAMENTO ENDODÔNTICO

RETRATAMENTO ENDODÔNTICO RETRATAMENTO ENDODÔNTICO Profa. Flávia Sens Fagundes Tomazinho Prof. Flares Baratto Filho Atualmente o índice de sucesso dos tratamentos endodônticos é muito alto, devido às evoluções que as técnicas e

Leia mais

Tratamento de Dente Traumatizado (41) com Rizogênese Incompleta e Fístula Relato de Caso Clínico

Tratamento de Dente Traumatizado (41) com Rizogênese Incompleta e Fístula Relato de Caso Clínico CASO CLÍNICO Tratamento de Dente Traumatizado (41) com Rizogênese Incompleta e Fístula Relato de Caso Clínico Treatment of Non-Vital Immature Traumatized Tooth (41) Case Report Gimol Benchimol de Resende*

Leia mais

GUIA DE SAÚDE BUCAL E TRAUMATISMO DENTAL PARA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA)

GUIA DE SAÚDE BUCAL E TRAUMATISMO DENTAL PARA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA) GUIA DE SAÚDE BUCAL E TRAUMATISMO DENTAL PARA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA) AUTORES Ingryd Coutinho de Oliveira Priscila Cunha Nascimento Discentes da Graduação em Odontologia e Bolsistas de Ensino

Leia mais

Hermann Blumenau - Complexo Educacional Curso Técnico em Saúde Bucal. Materiais Dentários. Professora: Patrícia Cé

Hermann Blumenau - Complexo Educacional Curso Técnico em Saúde Bucal. Materiais Dentários. Professora: Patrícia Cé Hermann Blumenau - Complexo Educacional Curso Técnico em Saúde Bucal Materiais Professora: Patrícia Cé Introdução AULA I Vernizes Cimento de hidróxido de Cálcio Cimento de Ionômero de Vidro Cimento de

Leia mais

Cobertura dos Planos Odontológicos OdontoPrev

Cobertura dos Planos Odontológicos OdontoPrev Cobertura dos Planos Odontológicos OdontoPrev Plano Integral... TRATAMENTO AMBULATORIAL/DIAGNÓSTICO Consulta EMERGÊNCIA Colagem de fragmentos (consiste na recolocação de partes de dente que sofreu fratura,

Leia mais

Tabela de Procedimentos Odontológicos Página: 1 de 8 Especialidade: DENTÍSTICA RESTAURADORA

Tabela de Procedimentos Odontológicos Página: 1 de 8 Especialidade: DENTÍSTICA RESTAURADORA Tabela de Procedimentos Odontológicos Página: 1 de 8 Grupo: 100-Diagnose - As consultas deverão ser faturadas em Guias de Atendimento - GA, separadamente dos demais procedimentos, que serão faturados na

Leia mais

ANATOMIA DO PERIODONTO

ANATOMIA DO PERIODONTO INAPÓS - Faculdade de Odontologia e Pós Graduação DISCIPLINA DE PERIODONTIA ANATOMIA DO PERIODONTO Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira http://lucinei.wikispaces.com 2012 PERIODONTO DE SUSTENTAÇÃO Ligamento

Leia mais

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIODONTO

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIODONTO ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIODONTO ESTUDAR COM ATENÇÃO AMPLIAR AS IMAGENS PARA OBSERVAR OS DETALHES O periodonto (peri= em redor de; odontos = dente) compreende a gengiva, o ligamento periodontal,

Leia mais

ODT 7005 - ENDODONTIA PRÉ - CLINICA - PLANO DE ENSINO 2011-2

ODT 7005 - ENDODONTIA PRÉ - CLINICA - PLANO DE ENSINO 2011-2 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ODONTOLOGIA COORDENADORIA DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA Campus Prof. João David Ferreira Lima CEP 8800-900 Trindade

Leia mais

TABELA INTEGRAL DE PROCEDIMENTOS Plano Master

TABELA INTEGRAL DE PROCEDIMENTOS Plano Master TABELA INTEGRAL DE PROCEDIMENTOS Plano Master (ANEXO A - ROL DE PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS EXIGIDOS PELA ANS)- Tabela Cliente CH = Coeficiente de Honorário Odontológico Valor do CH = R$ USO = Unidade

Leia mais

APICIFICAÇÃO EM DENTES PERMANENTES COM RIZOGÊNESE INCOMPLETA: RELATO DE CASO E REVISÃO DE LITERATURA

APICIFICAÇÃO EM DENTES PERMANENTES COM RIZOGÊNESE INCOMPLETA: RELATO DE CASO E REVISÃO DE LITERATURA APICIFICAÇÃO EM DENTES PERMANENTES COM RIZOGÊNESE INCOMPLETA: RELATO DE CASO E REVISÃO DE LITERATURA APICIFICAÇÃO EM DENTES PERMANENTES COM RIZOGÊNESE INCOMPLETA: RELATO DE CASO E REVISÃO DE LITERATURA

Leia mais

DE LESÃO PERIAPICAL: RELATO DE CASO REPAIR OF PERIAPICAL LESION: CASE REPORT

DE LESÃO PERIAPICAL: RELATO DE CASO REPAIR OF PERIAPICAL LESION: CASE REPORT Revista de Endodontia Pesquisa e Ensino on Line Ano 9 Numero 15 Janeiro/Junho, 2012 ISSN 1980-7473 - http://www.ufsm.br/endodontiaonline REPARO DE LESÃO PERIAPICAL: RELATO DE CASO REPAIR OF PERIAPICAL

Leia mais

TRAUMA DENTAL EM ESPORTE DE CONTATO: RELATO DE CASO DENTAL TRAUMA IN CONTACT SPORT: CASE REPORT

TRAUMA DENTAL EM ESPORTE DE CONTATO: RELATO DE CASO DENTAL TRAUMA IN CONTACT SPORT: CASE REPORT TRAUMA DENTAL EM ESPORTE DE CONTATO: RELATO DE CASO DENTAL TRAUMA IN CONTACT SPORT: CASE REPORT Karina Miguel Gibbini 1, Ana Cláudia G. A. Koubik 2 1 Pós-graduanda do Curso de especialização em Radiologia

Leia mais

PORTARIA Nº 1.032, DE 5 DE MAIO DE 2010

PORTARIA Nº 1.032, DE 5 DE MAIO DE 2010 PORTARIA Nº 1.032, DE 5 DE MAIO DE 2010 Inclui procedimento odontológico na Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses e Próteses e Materiais Especiais do Sistema Único de Saúde - SUS, para atendimento

Leia mais

RELAÇÃO ENTRE TRAUMA OCLUSAL E DOENÇAS PERIODONTAIS

RELAÇÃO ENTRE TRAUMA OCLUSAL E DOENÇAS PERIODONTAIS RELAÇÃO ENTRE TRAUMA OCLUSAL E DOENÇAS PERIODONTAIS Por Carlos Marcelo da Silva Figueredo, DDS, MDSc, PhD cmfigueredo@hotmail.com www.periodontiamedica.com Introdução A associação do trauma oclusal (TO)

Leia mais

RESIDÊNCIA PEDIÁTRICA

RESIDÊNCIA PEDIÁTRICA Residência Pediátrica 2012;2(2):12-9. RESIDÊNCIA PEDIÁTRICA Use of fluoride toothpaste by preschoolers: what pediatricians should know? ; Ana Paula Pires dos Santos pré-escolar. Resumo Resultados e conclusões:

Leia mais

disponibilidade do proprietário. Em geral, a melhor forma de profilaxia consiste na escovação dentária diária em animais de pequeno porte e, três

disponibilidade do proprietário. Em geral, a melhor forma de profilaxia consiste na escovação dentária diária em animais de pequeno porte e, três Perfil do proprietário de cães e gatos da cidade de Jataí GO em relação aos cuidados odontológicos de seus animais RESENDE, Lara Gisele¹; PAIVA, Jacqueline de Brito¹; ARAÚJO, Diego Pereira¹; CARVALHO,

Leia mais

Sobre trauma dentário em crianças e adolescentes

Sobre trauma dentário em crianças e adolescentes PERGUNTAS E RESPOSTAS Sobre trauma dentário em crianças e adolescentes Vânia Portela Ditzel WESTPHALEN Everdan CARNEIRO Luiz Fernando FARINIUK Ulisses Xavier da SILVA NETO Liliane ROSKAMP Fernando Henrique

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO EM ENDODONTIA

ESPECIALIZAÇÃO EM ENDODONTIA Faculdade Presidente Antônio Carlos - FAPAC Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos ITPAC-PORTO Coordenação de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão - COPPEX Departamento de Odontologia ESPECIALIZAÇÃO

Leia mais

TRAUMATISMO EM DENTES DECÍDUOS

TRAUMATISMO EM DENTES DECÍDUOS COMO TRATAR DENTES TRAUMATIZADOS OU PERDIDOS TRAUMATISMO EM DENTES DECÍDUOS E SUAS REPERCUSSÕES PARA AS DENTIÇÕES MARCIA TUROLLA WANDERLEY Professora de Odontopediatria da Faculdade de Odontologia da USP;

Leia mais

AVALIAÇÃO DE TRATAMENTOS ENDODÔNTICOS REALIZADOS POR ALUNOS DE GRADUAÇÃO COM PROSERVAÇÃO DE SEIS MESES

AVALIAÇÃO DE TRATAMENTOS ENDODÔNTICOS REALIZADOS POR ALUNOS DE GRADUAÇÃO COM PROSERVAÇÃO DE SEIS MESES AVALIAÇÃO DE TRATAMENTOS ENDODÔNTICOS REALIZADOS POR ALUNOS DE GRADUAÇÃO COM PROSERVAÇÃO DE SEIS MESES Dhebora do Canto 1 ; Beatriz do Nascimento Hernandes 2 ; Fausto Rodrigo Victorino 3 RESUMO: Pode-se

Leia mais

ANEXO RN 211 ROL DE PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS

ANEXO RN 211 ROL DE PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS ROL DE ONTOLÓGICOS PROCEDIMENTO SUBGRUPO GRUPO CAPÍTULO AMB HCO HSO PAC D.UT ADEQUAÇÃO DO MEIO BUCAL (COM DIRETRIZ DE AJUSTE OCLUSAL ALVEOLOPLASTIA AMPUTAÇÃO RADICULAR COM OU SEM OBTURAÇÃO RETRÓGRADA APICETOMIA

Leia mais

FECHAMENTO APICAL COM MTA EM DENTES COM RIZOGÊNESE INCOMPLETA RELATO DE CASO CLÍNICO

FECHAMENTO APICAL COM MTA EM DENTES COM RIZOGÊNESE INCOMPLETA RELATO DE CASO CLÍNICO FECHAMENTO APICAL COM MTA EM DENTES COM RIZOGÊNESE INCOMPLETA RELATO DE CASO CLÍNICO APICAL CLOSURE WITH MTA OF TEETH WITH INCOMPLETE ROOT FORMATION A CASE REPORT Maria Gabriela Pereira de Carvalho A Cláudia

Leia mais

Manual do Cliente. Ao aderir o plano da OdontoGroup, você recebe o cartão de acesso para a sua identificação perante nossa rede credenciada.

Manual do Cliente. Ao aderir o plano da OdontoGroup, você recebe o cartão de acesso para a sua identificação perante nossa rede credenciada. Manual do Cliente IDENTIFICAÇÃO ODONTOGROUP Ao aderir o plano da OdontoGroup, você recebe o cartão de acesso para a sua identificação perante nossa rede credenciada. No seu cartão de acesso personalizado,

Leia mais

LEGISLAÇÃO DO SUS. D) promoção do desenvolvimento sustentável, controle da obesidade infanto-juvenil, redução da mortalidade infantil

LEGISLAÇÃO DO SUS. D) promoção do desenvolvimento sustentável, controle da obesidade infanto-juvenil, redução da mortalidade infantil LEGISLAÇÃO DO SUS 01. O Ministério da Saúde, por meio da Secretaria de Vigilância em Saúde, publicou em 2006 a Política Nacional de Promoção da Saúde. São ações prioritárias dessa Política: A) incentivo

Leia mais

Tracionamento ortodôntico: possíveis consequências nos caninos superiores e dentes adjacentes

Tracionamento ortodôntico: possíveis consequências nos caninos superiores e dentes adjacentes I n s i g h t O r t o d ô n t i c o Tracionamento ortodôntico: possíveis consequências nos caninos superiores e dentes adjacentes Parte 3: anquilose alveolodentária, reabsorção dentária por substituição,

Leia mais

210 RX Periapical R$ 7,00 220 RX Bite-Wing (Interproximal) R$ 7,00 310 RX Oclusal R$ 14,00 300-490 - 3 URGÊNCIAS/EMERGÊNCIAS ODONTOLÓGICAS

210 RX Periapical R$ 7,00 220 RX Bite-Wing (Interproximal) R$ 7,00 310 RX Oclusal R$ 14,00 300-490 - 3 URGÊNCIAS/EMERGÊNCIAS ODONTOLÓGICAS 1 - DIAGNÓSTICO 100-490 110 Consulta Inicial (Exame Clínico e Orçamento) (VALID. 6 meses) R$ 45,00 120 Urgência odontológica R$ 45,00 130 Exame histopatológico*** (somente clínicas especializadas) ***

Leia mais

Linha 1: Resposta biológica nas terapias em Odontologia.

Linha 1: Resposta biológica nas terapias em Odontologia. Linha 1: Resposta biológica nas terapias em Odontologia. Descrição. O entendimento dos processos fisiológicos, celulares e moleculares associados com o uso de diversos materiais, medicamentos e demais

Leia mais

ROL DE PROCEDIMENTOS E SUAS ESPECIFICAÇÕES

ROL DE PROCEDIMENTOS E SUAS ESPECIFICAÇÕES ROL DE PROCEDIMENTOS E SUAS ESPECIFICAÇÕES Classificam-se como procedimentos de DIAGNÓSTICOS: I Consulta Inicial Consiste em anamnese, preenchimento de ficha clínica Odontolegal, diagnósticos das doenças

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE ODONTOLOGIA ESPECIALIZAÇÃO ENDODONTIA DÉBORA FRANZON BRUN

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE ODONTOLOGIA ESPECIALIZAÇÃO ENDODONTIA DÉBORA FRANZON BRUN UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE ODONTOLOGIA ESPECIALIZAÇÃO ENDODONTIA DÉBORA FRANZON BRUN MINERALIZAÇÃO DO CANAL RADICULAR GERADA POR TRAUMATISMO DENTÁRIO PORTO ALEGRE, 2009 DÉBORA

Leia mais

Dr. Marco António Castro Clínicas Médicas e Dentárias

Dr. Marco António Castro Clínicas Médicas e Dentárias Dr. Marco António Castro Clínicas Médicas e Dentárias Tabela proposta a sócios CCD- V.N.Gaia 01 CONSULTA Consulta de medicina dentária 10 Consulta para apresentação e discussão de plano de tratamento 10

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CAMPUS DE SOBRAL CURSO DE ODONTOLOGIA PATOLOGIA GERAL E ORAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CAMPUS DE SOBRAL CURSO DE ODONTOLOGIA PATOLOGIA GERAL E ORAL SUB- PATOLOGIA GERAL E ORAL Estomatologia Métodos de Diagnóstico I e II Processos Patológicos PROGRAMA SUGERIDO (PROVA ESCRITA / DIDÁTICA / PRÁTICA) - TEMAS 1. Cistos dos maxilares. 2. Neoplasias benignas

Leia mais

Controle de Hemorragia sem Aplicação de Agente Hemostático em região Buco-maxilo-facial 82000484 130

Controle de Hemorragia sem Aplicação de Agente Hemostático em região Buco-maxilo-facial 82000484 130 ANEXO I TABELA DE PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS AGEMED Baseado na Lei 9656 e RN 211 - Edição julho/2014 Terminologia Unificada da Saúde Suplementar (TUSS). NOMENCLATURA / PROCEDIMENTO CÓDIGO TUSS RAIO X

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ MARIA ALICE ASCARI VANIN REVASCULARIZAÇÃO PULPAR DE DENTE COM RIZOGÊNESE INCOMPLETA E PERIODONTITE APICAL

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ MARIA ALICE ASCARI VANIN REVASCULARIZAÇÃO PULPAR DE DENTE COM RIZOGÊNESE INCOMPLETA E PERIODONTITE APICAL 1 UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ MARIA ALICE ASCARI VANIN REVASCULARIZAÇÃO PULPAR DE DENTE COM RIZOGÊNESE INCOMPLETA E PERIODONTITE APICAL Relato de caso clínico Itajaí 2012 2 MARIA ALICE ASCARI VANIN

Leia mais

Dr. Felipe Groch CRO 101.353 Especialização em Implantes Dentários

Dr. Felipe Groch CRO 101.353 Especialização em Implantes Dentários Nosso consultório odontológico está equipado para oferecer ao produtor rural todos os tratamentos odontológicos disponíveis na atualidade. Segue abaixo uma discriminação detalhada de cada tratamento oferecido

Leia mais

Planilha1. Controle de hemorragia com aplicação de agente hemostático em região buco-maxilo-facial

Planilha1. Controle de hemorragia com aplicação de agente hemostático em região buco-maxilo-facial 81000421 Radiografia periapical CIRURGIA Planilha1 DIAGNÓSTICO 81000065 Consulta odontológica inicial 81000111 Diagnóstico anatomopatológico em citologia esfoliativa na região buco-maxilo-facial 81000138

Leia mais

Aspectos de interesse à endodontia

Aspectos de interesse à endodontia SISTEMA DE CANAIS RADICULARES Anatomia das cavidades pulpares Aspectos de interesse à endodontia CAVIDADE PULPAR CAVIDADE PULPAR CAVIDADE ANATÔMICA CONTIDA NO INTERIOR DO DENTE, CIRCUNDADA POR DENTINA,

Leia mais

Periodontite apical assintomática relato de caso clínico. Assymptomatic apical periodontitis clinical report. Introdução. Revisão da literatura

Periodontite apical assintomática relato de caso clínico. Assymptomatic apical periodontitis clinical report. Introdução. Revisão da literatura Rev Inst Ciênc Saúde 2007; 25(4):463-8 Periodontite apical assintomática relato de caso clínico Assymptomatic apical periodontitis clinical report Abilio Albuquerque Maranhão de Moura* Harry Davidowicz**

Leia mais

PLANO DE ENSINO - 1º/2014

PLANO DE ENSINO - 1º/2014 PLANO DE ENSINO - 1º/2014 1. IDENTIFICAÇÃO: Curso: Odontologia Disciplina: Endodontia Carga Horária: 60h/a Professora: Dra. Patrícia Alvarez Ruiz Spyere do Nascimento E-mail: patriciaruizspyere@hotmail.com

Leia mais

Resumo. Roberta LAMPING* Lilian Eiko MAEKAWA** Sidnei MARCACCI*** Maria Renata Giazzi NASSRI****

Resumo. Roberta LAMPING* Lilian Eiko MAEKAWA** Sidnei MARCACCI*** Maria Renata Giazzi NASSRI**** ISSN 1806-7727 Reabsorção radicular externa inflamatória: descrição de caso clínico utilizando pasta de hidróxido de cálcio External inflamatory root resorption: clinical case description using calcium

Leia mais

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. 21. A dentina do manto e a dentina circum pulpar constituem a dentina:

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. 21. A dentina do manto e a dentina circum pulpar constituem a dentina: 2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS ENDODONTIA 21. A dentina do manto e a dentina circum pulpar constituem a dentina: a) Terciária. b) Secundária. c) Primária. d) Reacional. 22. O revestimento dos túbulos

Leia mais

Rol Mínimo. Cobertura detalhada

Rol Mínimo. Cobertura detalhada Cirurgia Alveoloplastia Amputação radicular com obturação retrógrada Amputação radicular sem obturação retrógrada Apicetomia birradiculares com obturação retrógrada Apicetomia birradiculares sem obturação

Leia mais

COBERTURAS DO PLANO VIP PLUS

COBERTURAS DO PLANO VIP PLUS COBERTURAS DO PLANO VIP PLUS DESCRIÇÃO DO SERVIÇO 01. DIAGNÓSTICO Exame clínico inicial Consultas com hora marcada Exame clínico final Exame admissional (exame de sanidade dentária) 02. ATENDIMENTO DE

Leia mais

químicos empregados em atos operatórios. Segundo Furquin (2003), uma vez esgotados todos os recursos para que se determine a causa local da

químicos empregados em atos operatórios. Segundo Furquin (2003), uma vez esgotados todos os recursos para que se determine a causa local da 6 1 INTRODUÇÃO As reabsorções de tecidos mineralizados em dentes decíduos representam processos fisiológicos decorrentes da esfoliação e da erupção dentária permanente. Por outro lado, processos reabsortivos

Leia mais

Código Estruturado. 79 81000138 Diagnóstico anatomopatológico em material de biópsia. 79 81000154 Diagnóstico anatomopatológico em peça cirúrgica na

Código Estruturado. 79 81000138 Diagnóstico anatomopatológico em material de biópsia. 79 81000154 Diagnóstico anatomopatológico em peça cirúrgica na TUSS Odontologia Código Procedimento US Código Estruturado Especialidade US DIAGNÓSTICO DIAGNÓSTICO 01.01 CONSULTA ODONTOLÓGICA INICIAL 65 81000065 Consulta odontológica inicial 65 01.05 CONSULTA ODONTOLÓGICA

Leia mais

Clinical Update. Restauração com Resina Composta de Dentes Anteriores Fraturados Relato de Caso Clínico. Procedimento Restaurador

Clinical Update. Restauração com Resina Composta de Dentes Anteriores Fraturados Relato de Caso Clínico. Procedimento Restaurador Restauração com Resina Composta de Dentes Anteriores Fraturados Relato de Caso Clínico Dr Saul Antunes Neto Desde o surgimento das resinas compostas, das técnicas de condicionamento ácido, das estruturas

Leia mais

Microlocalização de canais radiculares: relato clínico de um primeiro molar inferior com três canais mesiais

Microlocalização de canais radiculares: relato clínico de um primeiro molar inferior com três canais mesiais Microlocalização de canais radiculares: relato clínico de um primeiro molar inferior com três canais mesiais FÁBIO DUARTE DA COSTA AZNAR(UNINGÁ/BAURU-SP)¹ CELSO KENJI NISHIYAMA(UNINGÁ/BAURU-SP) 2 JOSÉ

Leia mais

LÚCIA HELENA MADUREIRA GONÇALVES FERNANDES RESPOSTA DA POLPA DENTAL HUMANA PROTEGIDA COM ÓXIDO DE ZINCO EM APICOGÊNESE

LÚCIA HELENA MADUREIRA GONÇALVES FERNANDES RESPOSTA DA POLPA DENTAL HUMANA PROTEGIDA COM ÓXIDO DE ZINCO EM APICOGÊNESE LÚCIA HELENA MADUREIRA GONÇALVES FERNANDES RESPOSTA DA POLPA DENTAL HUMANA PROTEGIDA COM ÓXIDO DE ZINCO EM APICOGÊNESE 2010 i LÚCIA HELENA MADUREIRA GONÇALVES FERNANDES RESPOSTA DA POLPA DENTAL HUMANA

Leia mais

TABELA DE REEMBOLSO. PRATA R$ Consulta Inicial: Exame clínico e plano de tratamento. R$ 11,40 Exame histopatológico R$ 50,00

TABELA DE REEMBOLSO. PRATA R$ Consulta Inicial: Exame clínico e plano de tratamento. R$ 11,40 Exame histopatológico R$ 50,00 TABELA DE REEMBOLSO PRATA R$ Consulta Inicial: Exame clínico e plano de tratamento. R$ 11,40 Exame histopatológico R$ 50,00 Urgência / Emergência Curativo em caso de hemorragia bucal R$ 37,80 Curativo

Leia mais

Figura 1: Aspecto radiográfico de dentes com rizogênese incompleta, destacando-se a forma das paredes radiculares (círculo),

Figura 1: Aspecto radiográfico de dentes com rizogênese incompleta, destacando-se a forma das paredes radiculares (círculo), 1 INTRODUÇÃO Os dentes permanentes, ao erupcionarem, apresentam sua raiz incompletamente formada. Ao alcançar o contato oclusal, o dente já estará com sua configuração apical quase completa com um forame

Leia mais

I. DOS PRÉ-REQUISITOS.

I. DOS PRÉ-REQUISITOS. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA UFSM FUNDAÇÃO DE APOIO À TECNOLOGIA E CIÊNCIA EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PÚBLICO INSCRIÇÕES PARA SELEÇÃO DE ALUNOS DO CURSO DE CAPACITAÇÃO EM CLÍNICA ODONTOLÓGICA INTEGRADA

Leia mais

MICROSCÓPIO CLÍNICO ODONTOLÓGICO NA ENDODONTIA CONTEMPORÂNEA: POR QUE CONTINUAR ENXERGANDO COM OS DEDOS?

MICROSCÓPIO CLÍNICO ODONTOLÓGICO NA ENDODONTIA CONTEMPORÂNEA: POR QUE CONTINUAR ENXERGANDO COM OS DEDOS? MICROSCÓPIO CLÍNICO ODONTOLÓGICO N ENDODONTI CONTEMPORÂNE: POR QUE CONTINUR ENXERGNDO COM OS DEDOS? INTRODUÇÃO Francisco José de Souza-Filho driana de Jesus Soares Endodontia FOP-UNICMP Os avanços e inovações

Leia mais

A gengivite é uma inflamação das gengivas provocada por acumulação de placa bacteriana e tártaro como consequência

A gengivite é uma inflamação das gengivas provocada por acumulação de placa bacteriana e tártaro como consequência Periodontologia É a disciplina da medicina dentária que se dedica à prevenção, diagnóstico e tratamento das doenças das gengivas e das estruturas de suporte dos dentes. A inflamação e o sangramento das

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Faculdade de Odontologia Disciplina de Endodontia CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO DO TRATAMENTO ENDODÔNTICO

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Faculdade de Odontologia Disciplina de Endodontia CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO DO TRATAMENTO ENDODÔNTICO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Faculdade de Odontologia Disciplina de Endodontia George Táccio de Miranda Candeiro Doutorando em Endodontia (FOUSP) Giulio Gavini Professor Titular de Endodontia (FOUSP) INTRODUÇÃO

Leia mais

É a etapa inicial do tratamento do canal, consiste em o dentista atingir a polpa dentária (nervinho do dente).

É a etapa inicial do tratamento do canal, consiste em o dentista atingir a polpa dentária (nervinho do dente). É a etapa inicial do tratamento do canal, consiste em o dentista atingir a polpa dentária (nervinho do dente). Consiste na regularização do alvéolo (local onde está inserido o dente), geralmente após a

Leia mais

ANEXO I. Rol de Procedimentos Odontológicos

ANEXO I. Rol de Procedimentos Odontológicos ANEXO I Rol de Procedimentos Odontológicos Classificam-se como procedimentos de DIAGNÓSTICO: I Consulta inicial II Exame histopatológico Consiste em anamnese, preenchimento de ficha clínica odontolegal,

Leia mais

AVULSÃO EM DENTES PERMANENTES: NÍVEL DE CONHECIMENTO DE ALUNOS NA FACULDADE DE ODONTOLOGIA DA PUCRS

AVULSÃO EM DENTES PERMANENTES: NÍVEL DE CONHECIMENTO DE ALUNOS NA FACULDADE DE ODONTOLOGIA DA PUCRS IX Salão de Iniciação Científica PUCRS AVULSÃO EM DENTES PERMANENTES: NÍVEL DE CONHECIMENTO DE ALUNOS NA FACULDADE DE ODONTOLOGIA DA PUCRS Fernando Vacilotto Gomes, Ana Paula Zambarda Habekost, João Feliz

Leia mais

Cobertura RN 338 Lei 9656/98:

Cobertura RN 338 Lei 9656/98: Cobertura RN 338 Lei 9656/98: CÓDIGO PROCEDIMENTO Flex 30% GRUPO 87000032 CONDICIONAMENTO EM ODONTOLOGIA PARA PACIENTES COM NECESSIDADES ESPECIAIS R$ 7,62 CONSULTAS 81000030 CONSULTA ODONTOLÓGICA R$ 10,58

Leia mais

Retratamento endodôntico de incisivo central inferior com ilha de dentina e portador de lesão periapical: relato de caso

Retratamento endodôntico de incisivo central inferior com ilha de dentina e portador de lesão periapical: relato de caso ISSN 1806-7727 Retratamento endodôntico de incisivo central inferior com ilha de dentina e portador de lesão periapical: relato de caso Endodontic retreatment of inferior central incisor with dentin island

Leia mais