Aspectos de interesse à endodontia

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aspectos de interesse à endodontia"

Transcrição

1 SISTEMA DE CANAIS RADICULARES Anatomia das cavidades pulpares Aspectos de interesse à endodontia CAVIDADE PULPAR CAVIDADE PULPAR CAVIDADE ANATÔMICA CONTIDA NO INTERIOR DO DENTE, CIRCUNDADA POR DENTINA, EXCETO NA REGIÃO DO FORAME APICAL, E QUE ALOJA O TECIDO PULPAR CÂMARA PULPAR: - paredes -teto - assoalho CANAL RADICULAR BRAMANTE, et al CAVIDADE PULPAR CÂMARA PULPAR 1

2 CAVIDADE PULPAR SISTEMA DE CANAIS RADICULARES PUCCI & REIG SISTEMA DE CANAIS RADICULARES 2

3 SISTEMA DE CANAIS RADICULARES SISTEMA DE CANAIS RADICULARES ESTUDO DE 1140 DENTES EXTRAÍDOS DE HUMANOS ADULTOS 27% COM CANAIS LATERAIS EM DIFERENTES TERÇOS RADICULARES DE DEUS, 1975 KUTTLER SISTEMA DE CANAIS RADICULARES ESTUDO ABRANGENTE: 7275 DENTES CANAIS ACESSÓRIOS NA ÁREA DE FURCA 50 A 60% EM DENTES MULTIRRADICULADOS PINEDA ; KUTTLER, 1975 CLASSIFICAÇÃO DOS CANAIS RADICULARES CAVIDADES PULPARES injeção de tinta nanquim nas cavidades pulpares descalcificação do dente exame do molde cortes e desgastes da estrutura dentária KUTTLER HESS,

4 Fatores que alteram as cavidades pulpares FATORES QUE ALTERAM AS CAVIDADES PULPARES Deposição de dentina secundária Deposição de dentina terciária ria Calcificações distróficas Reabsorções dentinárias Dens in dente Fusão/Geminação Hipercementose DEPOSIÇÃO DE DENTINA SECUNDÁRIA Fatores que alteram as cavidades pulpares DEPOSIÇÃO DE DENTINA TERCIÁRIA RIA Deposição de dentina secundária Deposição de dentina terciária ria Calcificações distróficas Reabsorções dentinárias Dens in dente Fusão/Geminação Hipercementose 4

5 Fatores que alteram as cavidades pulpares Deposição de dentina secundária Deposição de dentina terciária ria Calcificações distróficas Reabsorções dentinárias Dens in dente Fusão/Geminação Hipercementose CALCIFICAÇÕES DISTRÓFICAS CALCIFICAÇÃO DISTRÓFICA Agulhas cálcicas no terço apical em 15% dos dentes analisados e distribuídos difusamente pela cavidade pulpar em 25% SELTZER, et al. Fatores que alteram as cavidades pulpares Deposição de dentina secundária Deposição de dentina terciária ria Calcificações distróficas Reabsorções dentinárias Dens in dente Fusão/Geminação Hipercementose 5

6 REABSORÇÃO DENTINÁRIA INTERNA REABSORÇÃO DENTINÁRIA INTERNA REABSORÇÃO DENTINÁRIA EXTERNA DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL (REABSORÇÕES ÕES) Fatores que alteram as cavidades pulpares Deposição de dentina secundária Deposição de dentina terciária ria Calcificações distróficas Reabsorções dentinárias Dens in dente Fusão/Geminação Hipercementose 6

7 DENS IN DENTE CLASSIFICAÇÃO (OEHLERS, 1957) Tipo 1: invaginação atinge o terço cervical da raiz Tipo 2: terço médio Tipo 3: terço apical CLASSIFICAÇÃO (OEHLERS) DENS IN DENTE Fatores que alteram as cavidades pulpares Deposição de dentina secundária Deposição de dentina terciária ria Calcificações distróficas Reabsorções dentinárias Dens in dente Fusão/Geminação Hipercementose 7

8 FUSÃO/GEMINAÇÃO FUSÃO/GEMINAÇÃO União de 2 ou mais dentes entre si podendo ter cavidades pulpares isoladas (fusão) ou unidas (geminação) ão) FUSÃO/GEMINAÇÃO Fatores que alteram as cavidades pulpares Deposição de dentina secundária Deposição de dentina terciária ria Calcificações distróficas Reabsorções dentinárias Dens in dente Fusão/Geminação Hipercementose 8

9 HIPERCEMENTOSE DIREÇÃO DAS RAÍZES DENTAIS DIREÇÃO DAS RAÍZES Teorias sobre as origens dos desvios de direção das raízes Direção absoluta / Direção relativa TEORIA DE SCHRODER (HEMODINÂMICA) 9

10 EXAME MICROSCÓPICO DOS ÁPICES RADICULARES Segundo Kuttler,, o forame apical normalmente não coincide com vértice do ápice radiográfico - 68% dos dentes de jovens - 80% dos adultos Aspectos anatômicos a serem estudados nos diferentes grupos de dentes 10

11 situação na boca irrompimento e término t da rizogênese dimensões dos dentes número, forma e direção das raízes características da câmara pulpar características dos condutos radiculares Anatomia das cavidades pulpares Aspectos anatômicos dos diferentes grupos dentais SITUAÇÃO NA BOCA INCISIVO CENTRAL SUPERIOR SENTIDO VESTIBULOPALATINO: 15º (p/ palatino) SENTIDO MESIODISTAL: 3º (p/ distal) IRROMPIMENTO E TÉRMINO T DA RIZOGÊNESE IRROMPIMENTO: ENTRE 7 E 8 ANOS TÉRMINO DA RIZOGÊNESE: ENTRE 9 E 10 ANOS, APROXIMADAMENTE 11

12 DIMENSÕES DOS DENTES DIMENSÃO MÁXIMA: 28,5mm DIMENSÃO MÍNIMA: 18,0mm DIMENSÃO MÉDIA: 21,8mm NÚMERO E FORMA RADICULAR INCISIVO CENTRAL SUPERIOR RAIZ ÚNICA FORMA CÔNICA TRIANGULAR ÁPICE ROMBO DIREÇÃO DA RAIZ E CONDUTO INCISIVO CENTRAL SUPERIOR CAVIDADE PULPAR RAIZ RETA: 75% CURVATURA APICAL VESTIBULAR: 9,3% CURVATURA APICAL DISTAL: 7,8% CURVATURA APICAL MESIAL: 4,3% CURVATURA APICAL PALATINA: 3,6% CORTE MESIODISTAL CORTE VESTIBULOPALATINO CORTE TRANSVERSAL 12

13 INCISIVO LATERAL SUPERIOR SITUAÇÃO NA BOCA SENTIDO VESTIBULOPALATINO: 20º (p/ palatino) SENTIDO MESIODISTAL: 5º (p/ distal) IRROMPIMENTO E TÉRMINO T DA RIZOGÊNESE DIMENSÕES DOS DENTES IRROMPIMENTO: ENTRE 8 E 9 ANOS TÉRMINO DA RIZOGÊNESE: ENTRE 10 E 11 ANOS, APROXIMADAMENTE DIMENSÃO MÁXIMA: 29,5mm DIMENSÃO MÍNIMA: 18,5mm DIMENSÃO MÉDIA: 23,1mm 13

14 NÚMERO E FORMA RADICULAR INCISIVO LATERAL SUPERIOR RAIZ ÚNICA FORMA CÔNICA TRIANGULAR ACHATAMENTO MESIODISTAL DIREÇÃO DA RAIZ E CONDUTO INCISIVO LATERAL SUPERIOR CAVIDADE PULPAR RAIZ RETA: 29,7% CURVATURA DISTAL: 49,2% LIGEIRA ANGULAÇÃO: 4,7% CURVATURA VESTIBULAR: 3,9% CURVATURA PALATINA: 3,9% CORTE MESIODISTAL CORTE VESTIBULOPALATINO CORTE TRANSVERSAL INCISIVO LATERAL SUPERIOR DENS IN DENTE 14

15 INCISIVO LATERAL SUPERIOR É uma má formação dental em forma de invaginação, ocorrendo geralmente na face palatina do dente e que avança em direção à cavidade pulpar, envolvendo-a INCISIVO CENTRAL INFERIOR BRAMANTE, et al SITUAÇÃO NA BOCA SENTIDO VESTIBULOLINGUAL: 15º (p/ lingual) SENTIDO MESIODISTAL: 0º (paralelo ao plano sagital) IRROMPIMENTO E TÉRMINO T DA RIZOGÊNESE DIMENSÕES DOS DENTES IRROMPIMENTO: ENTRE 6 E 7 ANOS TÉRMINO DA RIZOGÊNESE: ENTRE 9 E 10 ANOS, APROXIMADAMENTE DIMENSÃO MÁXIMA: 27,5mm DIMENSÃO MÍNIMA: 16,5mm DIMENSÃO MÉDIA: 20,8mm 15

16 NÚMERO E FORMA RADICULAR RAIZ ÚNICA FORMA ELIPSÓIDE ACHATAMENTO MESIODISTAL INCISIVO CENTRAL INFERIOR INCISIVO CENTRAL INFERIOR DIREÇÃO DA RAIZ E CONDUTO RAIZ RETA: 66,7% CURVATURA VESTIBULAR: 18,8% CURVATURA DISTAL: 12,5% PSEUDO-BAIONETA: 2,0% CAVIDADE PULPAR CORTE MESIODISTAL CORTE VESTIBULOLINGUAL CORTE TRANSVERSAL 16

17 ANATOMIA DAS CAVIDADES PULPARES ANATOMIA DAS CAVIDADES PULPARES FATORES RADIOGRÁFICOS QUE PODEM SUGERIR A PRESENÇA DE DUAS RAÍZES E/OU DOIS CANAIS CENTRALIZAÇÃO DA IMAGEM DO CANAL PROPORÇÃO DA IMAGEM DO CANAL ESTREITAMENTO UNIFORME E CONTÍNUO DO CANAL ANATOMIA DAS CAVIDADES PULPARES Fatores sugestivos da presença a de bifurcação VISÍVEL EM TODA EXTENSÃO DA RAIZ IMAGEM DE DOIS ÁPICES AUSÊNCIA DE LINHAS RADIOLÚCIDAS LONGITUDINAIS 17

18 SITUAÇÃO NA BOCA INCISIVO LATERAL INFERIOR SENTIDO VESTIBULOLINGUAL: 10º (p/ lingual) SENTIDO MESIODISTAL: 0º (paralelo ao plano sagital) IRROMPIMENTO E TÉRMINO T DA RIZOGÊNESE IRROMPIMENTO: ENTRE 7 E 8 ANOS TÉRMINO DA RIZOGÊNESE: ENTRE 10 E 11 ANOS, APROXIMADAMENTE DIMENSÕES DOS DENTES DIMENSÃO MÁXIMA: 29,0mm DIMENSÃO MÍNIMA: 17,0mm DIMENSÃO MÉDIA: 22,6mm 18

19 NÚMERO E FORMA RADICULAR INCISIVO LATERAL INFERIOR RAIZ ÚNICA FORMA ELIPSÓIDE ACHATAMENTO MESIODISTAL DIREÇÃO DA RAIZ E CONDUTO INCISIVO LATERAL INFERIOR CAVIDADE PULPAR RAIZ RETA: 54,0% CURVATURA DISTAL: 33,3% CURVATURA VESTIBULAR: 10,7% BAIONETA: 1,0% ANGULAÇÃO: 1,0% CORTE MESIODISTAL CORTE VESTIBULOLINGUAL CORTE TRANSVERSAL CANINO SUPERIOR 19

20 SITUAÇÃO NA BOCA SENTIDO VESTIPALATINO: 17º (p/ palatino) SENTIDO MESIODISTAL: 6º (p/ distal) IRROMPIMENTO E TÉRMINO T DA RIZOGÊNESE DIMENSÕES DOS DENTES IRROMPIMENTO: 11 E 12 ANOS TÉRMINO DA RIZOGÊNESE: ENTRE 13 E 15 ANOS, APROXIMADAMENTE DIMENSÃO MÁXIMA: 33.5mm DIMENSÃO MÍNIMA: 20.0mm DIMENSÃO MÉDIA: 26.4mm NÚMERO E FORMA RADICULAR CANINO SUPERIOR RAIZ ÚNICA FORMA CÔNICA TRIANGULAR ACHATAMENTO MESIODISTAL DIREÇÃO DA RAIZ E CONDUTO 20

21 CANINO SUPERIOR CANINO SUPERIOR RAIZ RETA: 38.5% CURVATURA APICAL VESTIBULAR: 12.8% CURVATURA APICAL DISTAL: 19.5% CURVATURA APICAL MESIAL: 12.0% CURVATURA APICAL PALATINA: 6.5% PSEUDOBAIONETA: 4.6% ACOTOVELAMENTO: 3.5% DILACERAÇÃO: 2.6% CAVIDADE PULPAR CORTE MESIODISTAL CORTE VESTIBULOPALATINO CORTE TRANSVERSAL SITUAÇÃO NA BOCA CANINO INFERIOR SENTIDO VESTIBULOLINGUAL: 2º (p/ lingual) SENTIDO MESIODISTAL: 3º (p/ distal) 21

22 IRROMPIMENTO E TÉRMINO T DA RIZOGÊNESE IRROMPIMENTO: ENTRE 9 E 10 ANOS TÉRMINO DA RIZOGÊNESE: ENTRE 12 E 14 ANOS, APROXIMADAMENTE DIMENSÕES DOS DENTES DIMENSÃO MÁXIMA: 32.0mm DIMENSÃO MÍNIMA: 19.5mm DIMENSÃO MÉDIA: 25.0mm NÚMERO E FORMA RADICULAR CANINO INFERIOR RAIZ ÚNICA FORMA CÔNICA TRIANGULAR DIREÇÃO DA RAIZ E CONDUTO ACHATADA 22

23 CANINO INFERIOR CANINO INFERIOR RAIZ RETA: 68.2% CURVATURA APICAL VESTIBULAR: 6.8% CURVATURA APICAL DISTAL: 13.6% CURVATURA APICAL MESIAL: 0.8% CURVATURA BAIONETA: 1.5% DUAS RAÍZES: 6% ANGULAÇÕES: 6% CAVIDADE PULPAR CORTE MESIODISTAL CORTE VESTIBULOLINGUAL CORTE TRANSVERSAL 23

ANATOMIA INTERNA DENTAL

ANATOMIA INTERNA DENTAL ANATOMIA INTERNA DENTAL Cavidade Pulpar: Espaço no interior dos dentes onde se aloja a polpa. Esta cavidade reproduz a morfologia externa do dente,podendo se distinguir duas porções: uma coronária e outra

Leia mais

ANATOMIA DENTAL INTERNA

ANATOMIA DENTAL INTERNA ANATOMIA DENTAL INTERNA VERSIANI, 2014 Anatomia Dental Interna Características Gerais Grupo dos incisivos Grupo dos caninos Grupo dos pré-molares Grupo dos molares VERSIANI, 2014 Anatomia Dental Interna

Leia mais

Abertura. Abertura ria. ria. Abertura. Abertura. Requisitos Principais. abertura coronária. Abertura ria. Requisitos Principais. ria.

Abertura. Abertura ria. ria. Abertura. Abertura. Requisitos Principais. abertura coronária. Abertura ria. Requisitos Principais. ria. coroná www.endodontia.com.br abertura coroná princípios pios e técnica t simplificada Coroná Requisitos Principais Coroná Requisitos Principais Ponto de eleição inicial pré- determinado Remoção do tecido

Leia mais

PRÉ-MOLARES. Os Pré-Molares superiores decrescem no sentido mésio-distal enquanto os inferiores têm sentido crescente.

PRÉ-MOLARES. Os Pré-Molares superiores decrescem no sentido mésio-distal enquanto os inferiores têm sentido crescente. PRÉ-MOLARES PRÉ-MOLARES Pré-Molares são conhecidos como pequenos molares bicuspidados, em número de quatro para cada arco, dois de cada lado da linha mediana chamados de primeiros e segundos prémolares;

Leia mais

ASPECTOS DE IMAGEM DAS ALTERAÇÕES DA RAIZ DENTAL

ASPECTOS DE IMAGEM DAS ALTERAÇÕES DA RAIZ DENTAL ASPECTOS DE IMAGEM DAS ALTERAÇÕES DA RAIZ DENTAL Vamos descrever a seguir as principais imagens das alterações da raiz dental. As ocorrências, em sua maioria, são provenientes de causas patológicas. FORMA

Leia mais

ASPECTO DE IMAGEM DAS ESTRUTURAS DO DENTE

ASPECTO DE IMAGEM DAS ESTRUTURAS DO DENTE ASPECTO DE IMAGEM DAS ESTRUTURAS DO DENTE O órgão dentário, um dos elementos do aparelho mastigatório, é constituído por tecidos especificamente dentais (esmalte, dentina, polpa) e por tecidos periodontais

Leia mais

PREPARO DO CANAL. - Indicação. 1. Material necessário Instrumentos Manuais tipo K. - Pulpectomias e Desobturações. Flexofile ou Flex-R.

PREPARO DO CANAL. - Indicação. 1. Material necessário Instrumentos Manuais tipo K. - Pulpectomias e Desobturações. Flexofile ou Flex-R. PREPARO DO CANAL 1. Material necessário Instrumentos Manuais tipo K - Pulpectomias e Desobturações Flexofile ou Flex-R (FIG.1) (FIG.5) (FIG.2) - núcleo quadrangular (FIG.2) - pouco flexível - bom corte

Leia mais

Assessoria ao Cirurgião Dentista. 11 3894 3030 papaizassociados.com.br. Publicação mensal interna da Papaiz edição XVI Maio de 2016

Assessoria ao Cirurgião Dentista. 11 3894 3030 papaizassociados.com.br. Publicação mensal interna da Papaiz edição XVI Maio de 2016 Assessoria ao Cirurgião Dentista Publicação mensal interna da Papaiz edição XVI Maio de 2016 Dr. André Simões, radiologista da Papaiz Diagnósticos Odontológicos por Imagem 11 3894 3030 papaizassociados.com.br

Leia mais

IMAGENS DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL

IMAGENS DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL IMAGENS DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL Em um dente íntegro, suas imagens são facilmente identificáveis, pois já conhecemos a escala de radiopacidade. Estudamos as imagens das estruturas anatômicas, suas

Leia mais

DIAGNÓSTICO COLETA DE DADOS RACIOCÍNIO E DEDICAÇÃO

DIAGNÓSTICO COLETA DE DADOS RACIOCÍNIO E DEDICAÇÃO EXAME CLÍNICO DA DOENÇA PERIODONTAL DIAGNÓSTICO PERIODONTAL CONSISTE O DIAGNÓSTICO NA ANÁLISE DO PERIODONTAL HISTÓRICO DO CASO, NA AVALIAÇÃO DOS SINAIS CLÍNICOS E SINTOMAS, COMO TAMBÉM DOS RESULTADOS DE

Leia mais

Viseu, 13 de Outubro de 2009. Molares Superiores. UBM IV 2ºano. Mestrado Integrado em Medicina Dentária. Octávio Ribeiro

Viseu, 13 de Outubro de 2009. Molares Superiores. UBM IV 2ºano. Mestrado Integrado em Medicina Dentária. Octávio Ribeiro Viseu, 13 de Outubro de 2009 Molares Superiores UBM IV 2ºano Mestrado Integrado em Medicina Dentária Octávio Ribeiro Molares Permanentes Maxilares 1º Molar Superior Calcificação- inicio aos 48 meses Erupção-

Leia mais

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA RAIZ DENTAL. radiográficas da raiz dental. As ocorrências, em sua maioria, são provenientes de

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA RAIZ DENTAL. radiográficas da raiz dental. As ocorrências, em sua maioria, são provenientes de ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA RAIZ DENTAL Neste tópico vamos descrever as principais alterações das imagens radiográficas da raiz dental. As ocorrências, em sua maioria, são provenientes de causas

Leia mais

ODONTOMETRIA. CDC- cemento dentina canal. Referências Radiográficas

ODONTOMETRIA. CDC- cemento dentina canal. Referências Radiográficas ODONTOMETRIA Objetivos: Conhecer a técnica odontometrica e os fatores que justificam sua execução. Saber determinar o limite apic de trabho nas diferentes situações anatomopatológicas Determinar a técnica

Leia mais

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL Analisando-se a imagem de um dente íntegro, todas as suas partes são facilmente identificáveis, pois já conhecemos sua escala de radiopacidade e posição

Leia mais

Guia Rápido de Utilização do Localizador Foraminal Eletrônico Romiapex D-30

Guia Rápido de Utilização do Localizador Foraminal Eletrônico Romiapex D-30 Guia Rápido de Utilização do Localizador Foraminal Eletrônico Romiapex D-30 Figura 1. Aparelho Localizador Foraminal Eletrônico Romiapex D-30 (Romidan/Romibrás). O Romiapex D-30 (Figura 1) apresenta uma

Leia mais

ANATOMIA DO PERIODONTO

ANATOMIA DO PERIODONTO INAPÓS - Faculdade de Odontologia e Pós Graduação DISCIPLINA DE PERIODONTIA ANATOMIA DO PERIODONTO Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira http://lucinei.wikispaces.com 2012 PERIODONTO DE SUSTENTAÇÃO Ligamento

Leia mais

ENDODONTIA I ABERTURA CORONÁRIA

ENDODONTIA I ABERTURA CORONÁRIA ENDODONTIA I ABERTURA CORONÁRIA Preparo da Cavidade Endodôntica Fundamentalmente, o objetivo do tratamento endodôntico consiste em chegar à região apical com os instrumentos e com o material obturador.

Leia mais

Viseu, 20 de Outubro de 2009. Molares Inferiores. UBM IV 2ºano. Mestrado Integrado em Medicina Dentária Octávio Ribeiro

Viseu, 20 de Outubro de 2009. Molares Inferiores. UBM IV 2ºano. Mestrado Integrado em Medicina Dentária Octávio Ribeiro Viseu, 20 de Outubro de 2009 Molares Inferiores UBM IV 2ºano Mestrado Integrado em Medicina Dentária Octávio Ribeiro Molares Permanentes Mandibulares 1º Molar Inferior Calcificação- inicio aos 25 semanas

Leia mais

Assessoria ao Cirurgião Dentista. Publicação mensal interna a Papaiz edição 1I maio de 2014. 11 3894 3030 papaizassociados.com.br

Assessoria ao Cirurgião Dentista. Publicação mensal interna a Papaiz edição 1I maio de 2014. 11 3894 3030 papaizassociados.com.br Assessoria ao Cirurgião Dentista Publicação mensal interna a Papaiz edição 1I maio de 2014 11 3894 3030 papaizassociados.com.br 11 3894 3030 papaizassociados.com.br IMPORTÂNCIA DOS EXAMES RADIOGRÁFICOS

Leia mais

Aula 11: ALTERAÇÕES DO ORGÃO DENTÁRIO RAIZ

Aula 11: ALTERAÇÕES DO ORGÃO DENTÁRIO RAIZ Aula 11: ALTERAÇÕES DO ORGÃO DENTÁRIO RAIZ Autora: Profª. Rosana da Silva Berticelli Edição: Luana Christ e Bruna Reuter Etiologia CONGÊNITAS GENÉTICA ADQUIRIDAS Congênitas Concrescência Dilaceração radicular

Leia mais

ODONTOLOGIA ENDODONTIA I. 5º Período / Carga Horária: 90 horas

ODONTOLOGIA ENDODONTIA I. 5º Período / Carga Horária: 90 horas ODONTOLOGIA ENDODONTIA I 5º Período / Carga Horária: 90 horas 1. PRÉ-REQUISITOS: Diagnóstico por Imagem; Patologia Buco-Dental. 2. EMENTA: Durante o curso de Endodontia Pré-Clínica os alunos irão adquirir

Leia mais

ANOMALIAS DO DESENVOLVIMENTO DENTÁRIO

ANOMALIAS DO DESENVOLVIMENTO DENTÁRIO Disciplina: Patologia Oral e Maxilofacial ANOMALIAS DO DESENVOLVIMENTO DENTÁRIO Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira 2012 Anomalias do desenvolvimento da boca e Anomalias dentárias ANOMALIAS DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

INTERPRETAÇÃO TOMOGRÁFICA DE DENTES RETIDOS EM ORTODONTIA DEGUSTAÇÃO

INTERPRETAÇÃO TOMOGRÁFICA DE DENTES RETIDOS EM ORTODONTIA DEGUSTAÇÃO INTERPRETAÇÃO TOMOGRÁFICA DE DENTES RETIDOS EM ORTODONTIA Marília Sayako Yatabe Daniela Gamba Garib Gabriel Salles Barbério Maria Aparecida de Andrade Moreira Machado Thais Marchini de Oliveira Guilherme

Leia mais

Aula 9: Laudo Radiográfico

Aula 9: Laudo Radiográfico Aula 9: Laudo Radiográfico Autora: Profª. Rosana da Silva Berticelli Edição: Luana Christ e Bruna Reuter Definição: É a interpretação das imagens radiográficas, reconhecendo as estruturas e reparos anatômicos

Leia mais

INCISIVOS INCISIVO CENTRAL SUPERIOR INCISIVO LATERAL SUPERIOR INCISIVO CENTRAL INFERIOR INCISIVO LATERAL INFERIOR CANINOS

INCISIVOS INCISIVO CENTRAL SUPERIOR INCISIVO LATERAL SUPERIOR INCISIVO CENTRAL INFERIOR INCISIVO LATERAL INFERIOR CANINOS INCISIVOS Os incisivos permanentes são o primeiro e segundo dente a contar da linha média; Juntamente com os caninos constituem os dentes anteriores; Os incisivos superiores são geralmente maiores que

Leia mais

Aula 4: TÉCNICA RADIOGRÁFICA INTRA-ORAL

Aula 4: TÉCNICA RADIOGRÁFICA INTRA-ORAL Aula 4: TÉCNICA RADIOGRÁFICA INTRA-ORAL Técnicas Radiográficas Periapical Exame do dente e osso alveolar que o rodeia; Interproximal Diagnóstico de cáries proximais, excessos marginais de restaurações;

Leia mais

MOLARES INFERIORES COM QUATRO CONDUTOS RADICULARES: TRATAMENTO ENDODÔNTICO MANDIBULAR MOLAR WITH FOUR CANALS: ENDODONTICS TREATMENT

MOLARES INFERIORES COM QUATRO CONDUTOS RADICULARES: TRATAMENTO ENDODÔNTICO MANDIBULAR MOLAR WITH FOUR CANALS: ENDODONTICS TREATMENT Revista de Endodontia Pesquisa e Ensino On Line - Ano 3, Número 5, Janeiro Junho, 2007 1 MOLARES INFERIORES COM QUATRO CONDUTOS RADICULARES: TRATAMENTO ENDODÔNTICO MANDIBULAR MOLAR WITH FOUR CANALS: ENDODONTICS

Leia mais

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIODONTO

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIODONTO ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIODONTO ESTUDAR COM ATENÇÃO AMPLIAR AS IMAGENS PARA OBSERVAR OS DETALHES O periodonto (peri= em redor de; odontos = dente) compreende a gengiva, o ligamento periodontal,

Leia mais

ESTUDO DO SISTEMA DE CANAIS RADICULARES EM DENTES COM HIPERCEMENTOSE

ESTUDO DO SISTEMA DE CANAIS RADICULARES EM DENTES COM HIPERCEMENTOSE UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CLÍNICA ODONTOLÓGICA JAIRO FERREIRA DE FARIAS JUNIOR ESTUDO DO SISTEMA DE CANAIS RADICULARES EM DENTES COM

Leia mais

MICROSCÓPIO CLÍNICO ODONTOLÓGICO NA ENDODONTIA CONTEMPORÂNEA: POR QUE CONTINUAR ENXERGANDO COM OS DEDOS?

MICROSCÓPIO CLÍNICO ODONTOLÓGICO NA ENDODONTIA CONTEMPORÂNEA: POR QUE CONTINUAR ENXERGANDO COM OS DEDOS? MICROSCÓPIO CLÍNICO ODONTOLÓGICO N ENDODONTI CONTEMPORÂNE: POR QUE CONTINUR ENXERGNDO COM OS DEDOS? INTRODUÇÃO Francisco José de Souza-Filho driana de Jesus Soares Endodontia FOP-UNICMP Os avanços e inovações

Leia mais

Estudo dirigido sobre premolares

Estudo dirigido sobre premolares Estudo dirigido sobre premolares 1 Miguel Carlos Madeira e Roelf Cruz Rizzolo http://www.anatomiafacial.com Material para ser impresso, com a autorização dos autores, exclusivamente para os alunos do primeiro

Leia mais

27/05/2014. Dentística I. Classe III. Classe I. Classe V. Terapêutica ou protética; Simples, composta ou complexa.

27/05/2014. Dentística I. Classe III. Classe I. Classe V. Terapêutica ou protética; Simples, composta ou complexa. Mauro A Dall Agnol UNOCHAPECÓ mauroccs@gmail.com Classe I Classe II Classe III Classe IV Classe V Classe I Classe II Classe III Classe IV Classe V Dentística I Terapêutica ou protética; Simples, composta

Leia mais

Anatomia Individual dos Dentes

Anatomia Individual dos Dentes CAPÍTULO 2 Anatomia Individual dos Dentes OBJETIVOS Identificar e descrever os acidentes anatômicos de cada um dos dentes permanentes e decíduos típicos Descrever cada uma das faces da coroa de cada dente

Leia mais

OCLUSÃO! ! Posições mandibulares. ! Movimentos mandibulares. ! Equilíbrio de forças atuantes - vestibulolingual

OCLUSÃO! ! Posições mandibulares. ! Movimentos mandibulares. ! Equilíbrio de forças atuantes - vestibulolingual Universidade de Brasília Departamento de Odontologia OCLUSÃO! NOÇÕES DE OCLUSÃO! Estudo das relações estáticas e dinâmicas entre as estruturas do sistema mastigatório!! Movimentos mandibulares Disciplina

Leia mais

ROTEIRO DE TÉCNICAS ANESTÉSICAS

ROTEIRO DE TÉCNICAS ANESTÉSICAS ROTEIRO DE TÉCNICAS ANESTÉSICAS Anestesia em anestésico o mais próximo possível do ápice do dente a ser anestesiado. Objetivo : Propiciar o conhecimento das técnicas anestésicas, principalmente as utilizadas

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 37. Em relação à resina composta para restaurações indiretas, é CORRETO afirmar:

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 37. Em relação à resina composta para restaurações indiretas, é CORRETO afirmar: 8 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 37 QUESTÃO 17 Em relação à resina composta para restaurações indiretas, é CORRETO afirmar: a) Sua composição química é bem diferente das resinas compostas de uso

Leia mais

UBM IV 2ºano 1º Semestre Mestrado Integrado em Medicina Dentária Octávio Ribeiro 2009/2010

UBM IV 2ºano 1º Semestre Mestrado Integrado em Medicina Dentária Octávio Ribeiro 2009/2010 Incisivos & Caninos UBM IV 2ºano 1º Semestre Mestrado Integrado em Medicina Dentária Octávio Ribeiro 2009/2010 Anatomia Dentária 2º ano. INCISIVOS Incisivos Existem dois por quadrante Função de corte Importância

Leia mais

5 Instrumentos Convencionais Acionados a Motor para Uso Endodôntico

5 Instrumentos Convencionais Acionados a Motor para Uso Endodôntico 5 Instrumentos Convencionais Acionados a Motor para Uso Endodôntico de Jesus Djalma Pécora com a colaboração de Eduardo Luiz Barbin; Júlio César Emboava Spanó; Luis Pascoal Vansan e Ricardo Novak Savioli

Leia mais

Classificação dos Núcleos

Classificação dos Núcleos OBJETIVO Núcleos Permitir que o dente obtenha características biomecânicas suficientes para ser retentor de uma prótese parcial fixa. Classificação dos Núcleos Núcleos de Preenchimento Núcleos Fundidos

Leia mais

FUNORTE INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE Waldemar João de Assunção

FUNORTE INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE Waldemar João de Assunção FUNORTE INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE Waldemar João de Assunção ESTUDO DA INCIDÊNCIA DE QUATRO CONDUTOS RADICULARES EM MOLARES INFERIORES EM PACIENTES TRATADOS ENDODONTICAMENTE NA CLÍNICA FUNORTE/ FLORIANÓPOLIS

Leia mais

Manipulação de Tecido Mole ao Redor de Implantes na Zona Estética

Manipulação de Tecido Mole ao Redor de Implantes na Zona Estética Manipulação de Tecido Mole ao Redor de Implantes na Zona Estética Figura 9 1A Diagrama de secção transversal mostrando um implante no local do incisivo. A forma côncava do rebordo vestibular é evidenciada.

Leia mais

Dr Christian Coachman. Dr Guilherme Cabral. Dr Braulio Paolucci

Dr Christian Coachman. Dr Guilherme Cabral. Dr Braulio Paolucci Protócolo Wax-up Dr Christian Coachman Dr Guilherme Cabral Dr Braulio Paolucci Volume 3D / Posicão 3D Centrais 1. Encerar sobre a linha mediana antiga!! 2. Encerar os 2 centrais em um bloco de cera 3.

Leia mais

componentes Sistema digestório Pré-diafragmáticos: boca, língua, dentes, faringe, esôfago

componentes Sistema digestório Pré-diafragmáticos: boca, língua, dentes, faringe, esôfago Mecanismos para Obtenção de Alimentos Ingestão de Grandes Quantidades de Alimento Absorção de nutrientes diretamente do meio Parasitas do sangue Adaptações mais interessantes Aquelas evoluíram p/ obtenção

Leia mais

Localização de canais calcificados com auxílio do microscópio clínico operatório: Série de casos clínicos

Localização de canais calcificados com auxílio do microscópio clínico operatório: Série de casos clínicos Autor convidado ZUOLO ML, KHERLAKIAN D, MELLO JR. JE, CARVALHO MCC, FAGUNDES MIRC Localização de canais calcificados com auxílio do microscópio clínico operatório: Série de casos clínicos Mário Luis Zuolo

Leia mais

Técnicas Anestésicas Aplicadas à Cirurgia Oral

Técnicas Anestésicas Aplicadas à Cirurgia Oral Técnicas Anestésicas Aplicadas à Cirurgia Oral Anestesias Locais 1. Periférica, tópica ou de superfície 2. Infiltrativa terminal 3. Troncular, regional ou bloqueio de condução Aula de cirurgia Anestesia

Leia mais

LINK CATÁLOGO DE EXAMES

LINK CATÁLOGO DE EXAMES Porque pedir um exame radiográfico? LINK CATÁLOGO DE EXAMES O exame radiográfico é solicitado para a visualização clinica das estruturas ósseas da cavidade bucal. Para isso, existem as mais diversas técnicas

Leia mais

IGC - Índice do Grau de Complexidade

IGC - Índice do Grau de Complexidade IGC - Índice do Grau de Complexidade Uma medida da complexidade do caso DI -American Board of Orthodontics Autorização American Board of Orthodon1cs- ABO Atualização: 13.05.2013 12. Outros Itens pontuados

Leia mais

Tracionamento ortodôntico: possíveis consequências nos caninos superiores e dentes adjacentes

Tracionamento ortodôntico: possíveis consequências nos caninos superiores e dentes adjacentes I n s i g h t O r t o d ô n t i c o Tracionamento ortodôntico: possíveis consequências nos caninos superiores e dentes adjacentes Parte 3: anquilose alveolodentária, reabsorção dentária por substituição,

Leia mais

A. CARACTERÍSTICAS GERAIS

A. CARACTERÍSTICAS GERAIS INCISIVOS A. CARACTERÍSTICAS GERAIS Os dentes incisivos, também chamados de cuneiformes ou espatulados, são as peças situadas na parte mediana dos arcos dentais. A. CARACTERÍSTICAS GERAIS O nome incisivo

Leia mais

Anatomia do assoalho da câmara pulpar de molares superiores: Parte I

Anatomia do assoalho da câmara pulpar de molares superiores: Parte I REVISTA DE ODONTOLOGIA DA UNESP ARTIGO ORIGINAL Rev Odontol UNESP, Araraquara. mar./abr., 2011; 40(2): 73-77 2011 - ISSN 1807-2577 Anatomia do assoalho da câmara pulpar de molares superiores: Parte I Elder

Leia mais

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO SÃO JOSÉ DO RIO PRETO ANATOMIA DENTAL Florisa Maria Nunes de Abreu Tunes Botelho Nogueira 2012 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA Prótese Dentária: É a ciência e/ou a arte que proporciona elementos substitutos

Leia mais

BOM DIA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

BOM DIA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! BOM DIA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! CURSO ASB UNIODONTO DRA. NANCI CATANDI PERRONE OSSOS DA FACE MAXILA Forma o maxilar Limite inferior da cavidade orbitária Separa através do processo palatino a cavidade bucal

Leia mais

CANAL MÉSIO-CENTRAL EM PRIMEIRO MOLAR INFERIOR

CANAL MÉSIO-CENTRAL EM PRIMEIRO MOLAR INFERIOR CANAL MÉSIO-CENTRAL EM PRIMEIRO MOLAR INFERIOR 383 RELATO DE CASO CANAL MÉSIO-CENTRAL EM PRIMEIRO MOLAR INFERIOR MIDDLE MESIAL CANAL OF THE FIRST MANDIBULAR MOLAR Rodrigo Sanches CUNHA 1,2 Carlos Eduardo

Leia mais

COLEÇÃO MANUAIS DA ODONTOLOGIA

COLEÇÃO MANUAIS DA ODONTOLOGIA COLEÇÃO MANUAIS DA ODONTOLOGIA SUMÁRIO ASPECTOS ANATÔMICOS DA CAVIDADE PULPAR CAPÍTULO 1 1. Anatomia interna dental...13 2. Câmara pulpar...15 1. Forma da câmara pulpar nos diferentes grupos dentais...15

Leia mais

INSTRUMENTAL E INSTRUMENTAÇÃO EM PERIODONTIA

INSTRUMENTAL E INSTRUMENTAÇÃO EM PERIODONTIA Aplicação do t Manual INSTRUMENTAL E INSTRUMENTAÇÃO EM PERIODONTIA Classificação Geral Identificação dos instrumentos t SONDAS PERIODONTAIS EXPLORADORES CURETAS ENXADAS FOICES LIMAS Instrumentos Exploradores

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS FACULDADE DE ODONTOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS FACULDADE DE ODONTOLOGIA 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS FACULDADE DE ODONTOLOGIA INCISIVO LATERAL INFERIOR COM TRÊS CANAIS RADICULARES RELATO DE CASO ALYNNE MACHADO ALECRIM MANAUS 2009 2 UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS FACULDADE

Leia mais

UBM IV 2ºano Mestrado Integrado em Medicina Dentária Viseu, 6 de Outubro de 2009 Octávio Ribeiro

UBM IV 2ºano Mestrado Integrado em Medicina Dentária Viseu, 6 de Outubro de 2009 Octávio Ribeiro Pré-molares UBM IV 2ºano Mestrado Integrado em Medicina Dentária Viseu, 6 de Outubro de 2009 Octávio Ribeiro Anatomia Dentária 1º Pré-molar superior Primeiro Pré-molar Superior Calcificação- inicio aos

Leia mais

Cirurgiã-dentista, UFES, Vitória, Brasil. 2. Mestre em Saúde Coletiva, EMESCAM, Vitória, Brasil. 5

Cirurgiã-dentista, UFES, Vitória, Brasil. 2. Mestre em Saúde Coletiva, EMESCAM, Vitória, Brasil. 5 Melina Zani 1 Francisco Carlos Ribeiro 2 Rogério Albuquerque Azeredo 3 Márcia Gabriela Nino de Barros 4 Cristina Musso Schneider 5 Juliana Machado Barroso 6 In vitro analysis of the canal treated teeth

Leia mais

irace Rápido, eficaz e seguro

irace Rápido, eficaz e seguro irace Rápido, eficaz e seguro Características exclusivas Nova haste Fácil identificação dos instrumentos Diâmetro - anel largo, código de cores ISO Conicidade - anel estreito: amarelo: 2%, vermelho: 4%,

Leia mais

Traumatismo Alvéolo-Dentário em Dentes Permanentes: Elementos para Diagnóstico e Tratamento por Cristina Braga Xavier e Eduardo Luiz Barbin

Traumatismo Alvéolo-Dentário em Dentes Permanentes: Elementos para Diagnóstico e Tratamento por Cristina Braga Xavier e Eduardo Luiz Barbin Traumatismo Alvéolo-Dentário em Dentes Permanentes: Elementos para Diagnóstico e Tratamento por Cristina Braga Xavier e Eduardo Luiz Barbin Espera-se que a leitura deste documento forneça, de maneira rápida

Leia mais

EndoUFU. Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Odontologia REVISÃO. Endodontia Pré-Clinica Endo-UFU (roteiro de aula) 1 P á g i n a

EndoUFU. Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Odontologia REVISÃO. Endodontia Pré-Clinica Endo-UFU (roteiro de aula) 1 P á g i n a Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Odontologia EndoUFU REVISÃO 2013 Endodontia Pré-Clinica (roteiro de aula) 1 P á g i n a Apresentação O presente material didático tem por finalidade servir

Leia mais

Retratamento endodôntico de incisivo central inferior com ilha de dentina e portador de lesão periapical: relato de caso

Retratamento endodôntico de incisivo central inferior com ilha de dentina e portador de lesão periapical: relato de caso ISSN 1806-7727 Retratamento endodôntico de incisivo central inferior com ilha de dentina e portador de lesão periapical: relato de caso Endodontic retreatment of inferior central incisor with dentin island

Leia mais

Universidade Federal de Santa Catarina Associação Brasileira de Odontologia - SC

Universidade Federal de Santa Catarina Associação Brasileira de Odontologia - SC Universidade Federal de Santa Catarina Associação Brasileira de Odontologia - SC Departamento de Estomatologia Pós-Graduação em Odontologia - Especialização em Prótese Dentária Técnicas de Preparos Protéticos

Leia mais

HISTÓRICO. Röntgen (1895): descoberta dos raios X. Otto Walkhoff: radiografia dental. Kells (1899): Endodontia

HISTÓRICO. Röntgen (1895): descoberta dos raios X. Otto Walkhoff: radiografia dental. Kells (1899): Endodontia HISTÓRICO Röntgen (1895): descoberta dos raios X Otto Walkhoff: radiografia dental Kells (1899): Endodontia Dentro das especialidades da Odontologia, a Endodontia é aquela que mais se utiliza da radiologia,

Leia mais

Estudo da anatomia interna do canal radicular em incisivos inferiores pela técnica de diafanização

Estudo da anatomia interna do canal radicular em incisivos inferiores pela técnica de diafanização ISSN 1806-7727 Estudo da anatomia interna do canal radicular em incisivos inferiores pela técnica de diafanização Root canal anatomy study of lower incisors by the clearing technique Daniel GALAFASSI*

Leia mais

UNINGÁ-UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR INGÁ FACULDADE INGÁ CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENDODONTIA JULIANA ROSA LIOTTO

UNINGÁ-UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR INGÁ FACULDADE INGÁ CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENDODONTIA JULIANA ROSA LIOTTO 1 UNINGÁ-UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR INGÁ FACULDADE INGÁ CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENDODONTIA JULIANA ROSA LIOTTO AVALIAÇÃO DA PRESENÇA DE UM OU DOIS CANAIS RADICULARES NO TERÇO APICAL, MÉDIO E CERVICAL

Leia mais

MANUAL DE ENDODONTIA PRÉ-CLÍNICA FOA - ARAÇATUBA DISCIPLINA DE ENDODONTIA

MANUAL DE ENDODONTIA PRÉ-CLÍNICA FOA - ARAÇATUBA DISCIPLINA DE ENDODONTIA MANUAL DE ENDODONTIA PRÉ-CLÍNICA FOA - ARAÇATUBA DISCIPLINA DE ENDODONTIA JOÃO EDUARDO GOMES FILHO LUCIANO TAVARES ANGELO CINTRA ELOI DEZAN JUNIOR 2014 FICHA DE LABORATÓRIO DA DISCIPLINA DE ENDODONTIA

Leia mais

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. 21. A dentina do manto e a dentina circum pulpar constituem a dentina:

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. 21. A dentina do manto e a dentina circum pulpar constituem a dentina: 2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS ENDODONTIA 21. A dentina do manto e a dentina circum pulpar constituem a dentina: a) Terciária. b) Secundária. c) Primária. d) Reacional. 22. O revestimento dos túbulos

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PREFEITURA MUNICIPAL DE MACAU CONCURSO PÚBLICO PROVA PARA CARGO DE: DENTISTA - ENDODONTISTA

ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PREFEITURA MUNICIPAL DE MACAU CONCURSO PÚBLICO PROVA PARA CARGO DE: DENTISTA - ENDODONTISTA ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PREFEITURA MUNICIPAL DE MACAU CONCURSO PÚBLICO PROVA PARA CARGO DE: DENTISTA - ENDODONTISTA * ATENÇÃO - CONFIRA SE ESTA PROVA CORRESPONDE AO CARGO QUE VOCÊ CONCORRE * Neste

Leia mais

RETRATAMENTO ENDODÔNTICO

RETRATAMENTO ENDODÔNTICO RETRATAMENTO ENDODÔNTICO Profa. Flávia Sens Fagundes Tomazinho Prof. Flares Baratto Filho Atualmente o índice de sucesso dos tratamentos endodônticos é muito alto, devido às evoluções que as técnicas e

Leia mais

COBERTURAS DO PLANO VIP PLUS

COBERTURAS DO PLANO VIP PLUS COBERTURAS DO PLANO VIP PLUS DESCRIÇÃO DO SERVIÇO 01. DIAGNÓSTICO Exame clínico inicial Consultas com hora marcada Exame clínico final Exame admissional (exame de sanidade dentária) 02. ATENDIMENTO DE

Leia mais

Viseu, 6 de Novembro de 2008. Dentição Decidua. UBM IV 2ºano. Mestrado Integrado em Medicina Dentária Octávio Ribeiro

Viseu, 6 de Novembro de 2008. Dentição Decidua. UBM IV 2ºano. Mestrado Integrado em Medicina Dentária Octávio Ribeiro Viseu, 6 de Novembro de 2008 Dentição Decidua UBM IV 2ºano Mestrado Integrado em Medicina Dentária Octávio Ribeiro Dentição Decidua Funções Fisiológicas Funções Fisiológicas Mastigação Formação de um plano

Leia mais

INSTITUTO DE CIÊNCIA DA SAÚDE DE PÓS-GRADUAÇÃO FUNORTE/SOEBRÁS LUCIANA MARTINS DOS SANTOS COMPLICAÇÕES E ACIDENTES DURANTE A TERAPIA ENDODÔNTICA

INSTITUTO DE CIÊNCIA DA SAÚDE DE PÓS-GRADUAÇÃO FUNORTE/SOEBRÁS LUCIANA MARTINS DOS SANTOS COMPLICAÇÕES E ACIDENTES DURANTE A TERAPIA ENDODÔNTICA INSTITUTO DE CIÊNCIA DA SAÚDE DE PÓS-GRADUAÇÃO FUNORTE/SOEBRÁS LUCIANA MARTINS DOS SANTOS COMPLICAÇÕES E ACIDENTES DURANTE A TERAPIA ENDODÔNTICA Poços de Caldas, 2014 LUCIANA MARTINS DOS SANTOS COMPLICAÇÕES

Leia mais

PLANO DE ENSINO - 1º/2014

PLANO DE ENSINO - 1º/2014 PLANO DE ENSINO - 1º/2014 1. IDENTIFICAÇÃO: Curso: Odontologia Disciplina: Endodontia Carga Horária: 60h/a Professora: Dra. Patrícia Alvarez Ruiz Spyere do Nascimento E-mail: patriciaruizspyere@hotmail.com

Leia mais

Curso de Especialização em Endodontia

Curso de Especialização em Endodontia Curso de Especialização em Endodontia Coordenador: Prof. Nilton Vivacqua EndodontiaAvancada.com OBJETIVOS DO CURSO Este curso tem como objetivos colocar à disposição de clínicos gerais, a oportunidade

Leia mais

Premissa. Códigos e rios

Premissa. Códigos e rios Índices epidemiológicos em saúde bucal 3/10/2011 Prof. Samuel Jorge Moysés, Ph.D. 1 Premissa A epidemiologia pode ser definida como o estudo da distribuição e dos determinantes de eventos ou estados relacionados

Leia mais

Anatomia da Cabeça e do Pescoço

Anatomia da Cabeça e do Pescoço Anatomia da Cabeça e do Pescoço Sandra de Quadros Uzêda 1. ARTROLOGIA ARTICULAÇÃO TEMPOROMANDI- BULAR.01. (Prefeitura de Palhoça/SC 2011 FEPESE) Sobre a anatomia da articulação temporomandibular (ATM),

Leia mais

Prefeitura Municipal de São João do Tigre PB Concurso Público 2009 http://www.asperhs.com.br

Prefeitura Municipal de São João do Tigre PB Concurso Público 2009 http://www.asperhs.com.br Português 01. Mas, de que serve a filosofia, quando se tem por diante um homem teimoso e enfezado, como meu tio?... Eu estava desesperado, demonstrei com toda a força da lógica a inconveniência da viagem,

Leia mais

ODONTOLOGIA CANINA. Introdução

ODONTOLOGIA CANINA. Introdução ODONTOLOGIA CANINA Juliana Kowalesky Médica Veterinária Mestre pela FMVZ -USP Pós graduada em Odontologia Veterinária - ANCLIVEPA SP Sócia Fundadora da Associação Brasileira de Odontologia Veterinária

Leia mais

Código Estruturado. 79 81000138 Diagnóstico anatomopatológico em material de biópsia. 79 81000154 Diagnóstico anatomopatológico em peça cirúrgica na

Código Estruturado. 79 81000138 Diagnóstico anatomopatológico em material de biópsia. 79 81000154 Diagnóstico anatomopatológico em peça cirúrgica na TUSS Odontologia Código Procedimento US Código Estruturado Especialidade US DIAGNÓSTICO DIAGNÓSTICO 01.01 CONSULTA ODONTOLÓGICA INICIAL 65 81000065 Consulta odontológica inicial 65 01.05 CONSULTA ODONTOLÓGICA

Leia mais

Centro Universitário Cesmac CAMILA MARIA BEDER RIBEIRO

Centro Universitário Cesmac CAMILA MARIA BEDER RIBEIRO Centro Universitário Cesmac CAMILA MARIA BEDER RIBEIRO TUMORES ODONTOGÊNICOS Tumores odontogênicos - grupo de doenças heterogêneas que vão desde hamartomas ou proliferação de tecido não neoplásico a neoplasias

Leia mais

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL CURSO DE ODONTOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA NÍVEL: MESTRADO ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: ENDODONTIA AVALIAÇÃO, IN VIVO, DA CONFIABILIDADE DO LOCALIZADOR APICAL

Leia mais

ROL DE PROCEDIMENTOS Atendimento em consultórios particulares dos cooperados em todo o Brasil

ROL DE PROCEDIMENTOS Atendimento em consultórios particulares dos cooperados em todo o Brasil ROL DE PROCEDIMENTOS Atendimento em consultórios particulares dos cooperados em todo o Brasil 1 DIAGNÓSTICO 1.1 Consulta Clínico 1.2 Consulta Especialista 1.3 Condicionamento em Odontologia para crianças

Leia mais

RSBO Revista Sul-Brasileira de Odontologia ISSN: 1806-7727 fbaratto@uol.com.br Universidade da Região de Joinville Brasil

RSBO Revista Sul-Brasileira de Odontologia ISSN: 1806-7727 fbaratto@uol.com.br Universidade da Região de Joinville Brasil RSBO Revista Sul-Brasileira de Odontologia ISSN: 1806-7727 fbaratto@uol.com.br Universidade da Região de Joinville Brasil Sens Fagundes TOMAZINHO, Flávia; VALENÇA, Paola Cristine; Zaina BINDO, Tatiana;

Leia mais

1º PRÉ-MOLAR INFERIOR

1º PRÉ-MOLAR INFERIOR 1º PRÉ-MOLAR INFERIOR 1º PRÉ-MOLAR INFERIOR A CARACTERISTICAS GERAIS Situado distalmente ao canino inferior e mesialmente ao 2º pré-molar inferior. É o menor dente do grupo dos pré-molares, conseqüentemente,

Leia mais

http://www.endo-e.com/images/diagnostico/diagnostico.htm

http://www.endo-e.com/images/diagnostico/diagnostico.htm Page 12 of 23 Dente 36, hiperplasia conotando dúvidas da sua origem, pulpar ou gengival? Anestesia infiltrativa na gengiva marginal próximo ao tecido hiperplásico. Não houve isquemia do tecido hiperplásico,

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECIALIZADOS

CONHECIMENTOS ESPECIALIZADOS CONHECIMENTOS ESPECIALIZADOS 31) Sobre a reabsorção localizada severa, é correto afirmar que a) os dentes com dilaceração são fatores de risco. b) o tratamento ortodôntico não é o principal fator etiológico.

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO INSTRUÇÕES

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO INSTRUÇÕES MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 12º EXAME CONJUNTO DE SELEÇÃO - PARA O CADASTRO RESERVA - DO QUADRO DE ESTAGIÁRIOS DOS CURSO DE NÍVEL SUPERIOR EM ANTROPOLOGIA,

Leia mais

AMPUTAÇÃO RADICULAR COM OU SEM OBTURAÇÃO RETRÓGRADA 82000050 Amputação radicular sem obturação retrógrada

AMPUTAÇÃO RADICULAR COM OU SEM OBTURAÇÃO RETRÓGRADA 82000050 Amputação radicular sem obturação retrógrada 85400017 Ajuste Oclusal por acréscimo AJUSTE OCLUSAL 85400025 Ajuste Oclusal por desgaste seletivo AJUSTE OCLUSAL 82000034 Alveoloplastia ALVEOLOPLASTIA Amputação radicular com obturação retrógrada AMPUTAÇÃO

Leia mais

ESTUDO DAS RELAÇÕES ANATÔMICAS ENTRE OS CANAIS MESIAIS DE MOLARES INFERIORES AN INVESTIGATION OF ANATOMICAL RELATIONS AMONG MOLAR MESIAL CANALS

ESTUDO DAS RELAÇÕES ANATÔMICAS ENTRE OS CANAIS MESIAIS DE MOLARES INFERIORES AN INVESTIGATION OF ANATOMICAL RELATIONS AMONG MOLAR MESIAL CANALS Revista de Endodontia Pesquisa e Ensino On Line - Ano 1, Número 2, Julho/Dezembro, 2005. 1 ESTUDO DAS RELAÇÕES ANATÔMICAS ENTRE OS CANAIS MESIAIS DE MOLARES INFERIORES AN INVESTIGATION OF ANATOMICAL RELATIONS

Leia mais

Anatomia do Periodonto. Por Carlos Marcelo da Silva Figueredo,, DDS, MDSc,, PhD cmfigueredo@hotmail.com www.periodontiamedica.com

Anatomia do Periodonto. Por Carlos Marcelo da Silva Figueredo,, DDS, MDSc,, PhD cmfigueredo@hotmail.com www.periodontiamedica.com Anatomia do Periodonto Por Carlos Marcelo da Silva Figueredo,, DDS, MDSc,, PhD cmfigueredo@hotmail.com Periodonto Normal Anatomia macroscópica Anatomia microscópica Anatomia macroscópica Gengiva Ligamento

Leia mais

Odontólogo / Endodontia

Odontólogo / Endodontia Odontólogo / Endodontia LEIA COM ATENÇÃO 01 - Só abra este caderno após ler todas as instruções e quando for autorizado pelos fiscais da sala. 02 - Preencha os dados pessoais. 03 - Autorizado o início

Leia mais

ARQUITETURA E TOPOGRAFIA ALVÉOLO-DENTAIS

ARQUITETURA E TOPOGRAFIA ALVÉOLO-DENTAIS ARQUITETURA E TOPOGRAFIA ALVÉOLO-DENTAIS Dr. Peter Reher, CD, CD, MSc, PhD PhD Especialista e Mestre em CTBMF - UFPel-RS Doutor (PhD) em CTBMF - University of London Professor Adjunto da UFMG e da PUC-Minas

Leia mais

Palavras chaves: Traumatismos dentários ; Dentes decíduos ; Dentes permanentes

Palavras chaves: Traumatismos dentários ; Dentes decíduos ; Dentes permanentes TRAUMATISMO EM DENTES DECÍDUOS E SUA REPERCUSSÃO EM DENTES PERMANENTES JOVENS: RELATO DE CASO Márcia Cançado FIGUEIREDO 1 ;Sérgio Estelita Cavalcante BARROS 1 ;Deise PONZONI 1 Raissa Nsensele NYARWAYA

Leia mais

Por: Renato Fabricio de Andrade Waldemarin;Guilherme Brião Camacho e Vinícius Marcel Ferst

Por: Renato Fabricio de Andrade Waldemarin;Guilherme Brião Camacho e Vinícius Marcel Ferst Por: Renato Fabricio de Andrade Waldemarin;Guilherme Brião Camacho e Vinícius Marcel Ferst TÉCNICA DIRETA. 1. Radiografia inicial para determinação da possibilidade de confecção de pino/núcleo. 2. O dente

Leia mais

BRONZE R$ R$ 11,40 tratamento. Exame histopatológico R$ 50,00

BRONZE R$ R$ 11,40 tratamento. Exame histopatológico R$ 50,00 TABELA DE REEMBOLSO BRONZE R$ Consulta Inicial: Exame clínico e plano de R$ 11,40 tratamento. Exame histopatológico R$ 50,00 Urgência / Emergência Curativo em caso de hemorragia bucal R$ 37,80 Curativo

Leia mais

ANEXO I. Rol de Procedimentos Odontológicos

ANEXO I. Rol de Procedimentos Odontológicos ANEXO I Rol de Procedimentos Odontológicos Classificam-se como procedimentos de DIAGNÓSTICO: I Consulta inicial II Exame histopatológico Consiste em anamnese, preenchimento de ficha clínica odontolegal,

Leia mais

Alterações Morfológicas na Cavidade Pulpar que Influenciam no Tratamento Endodôntico

Alterações Morfológicas na Cavidade Pulpar que Influenciam no Tratamento Endodôntico Alterações Morfológicas na Cavidade Pulpar que Influenciam no Tratamento Endodôntico E N D O D O N T I A 1 Lívia Dantas LOPES 1 Pâmela Helena Rodrigues de FREITAS 1 Priscilla Gioia BORGES 1 Raphael Felippe

Leia mais

Ortho In Lab. Resumo PROSTHESIS

Ortho In Lab. Resumo PROSTHESIS Planejamento e individualização da aparatologia ortodôntica conjugada aos mini-implantes ( DATs) Parte I Sítios de instalação uma área de risco controlado. Individualization of planning and orthodontic

Leia mais

COBERTURA DA APÓLICE BRADESCO DENTAL SPG 5 A 49 VIDAS

COBERTURA DA APÓLICE BRADESCO DENTAL SPG 5 A 49 VIDAS ANS BRADESCO DENTAL DIAGNÓSTICO CONSULTA INICIAL EXAME HISTOPATOLÓGICO URGÊNCIA/EMERGÊNCIA COLAGEM DE FRAGMENTOS CURATIVO E/OU SUTURA EM CASO DE HEMORRAGIA BUCAL/LABIAL CURATIVO EM CASO DE ODONTALGIA AGUDA

Leia mais