Economia e Mercado Financeiro Perguntas e Respostas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Economia e Mercado Financeiro Perguntas e Respostas"

Transcrição

1 Economia e Mercado Financeiro Perguntas e Respostas O que é superveniência de depreciação? Superveniência de depreciação é uma prática contábil utilizada por empresas de leasing. Do ponto de vista legal, as operações de leasing são chamadas de arrendamento mercantil e são regulamentadas pela Lei 6.099/74. Com base nessa lei, regulamento do Banco Central permite que os saldos contábeis das operações de arrendamento mercantil sejam ajustados para o valor presente do fluxo futuro de recebimentos tomando por base as taxas de juros contratuais. Como o valor presente é menor que a simples soma dos recebimentos futuros, o ativo contábil da empresa se reduz quando ele usa o artifício da superveniência de depreciação, o que pode lhe ser vantajoso do ponto de vista tributário. É possível crescer com a política de metas de inflação? Sim, é possível. Mais do que isso. O controle da inflação é condição fundamental para que a economia cresça de forma sustentada. Além de distorcer a alocação de recursos na economia, de aumentar os custos de gerenciamento das empresas, a inflação é um imposto que pune mais fortemente as camadas mais pobres da população. Qual é a meta ótima de inflação? Não dá para dizer qual é a meta ótima, ou ideal, de inflação. Depende das condições estruturais da economia de cada país. Estudos estatísticos indicam contudo que países onde as taxas de inflação flutuam entre 1% a 5% ao ano tendem a crescer mais a longo prazo. Abaixo disso, há risco de o país entrar num processo de deflação, do qual normalmente é bastante difícil escapar. Com inflação consistentemente acima de 5%, há risco de o aumento de preços sair do controle. Quais são as diferenças entre debêntures e CDBs? CDBs (Certificado de Depósito Bancário) são títulos emitidos pelos bancos comerciais e de investimentos, que pagam taxas de juros em determinado vencimento para seus compradores. O dinheiro captado nos CDBs é usado para as operações de crédito do banco. Já as debêntures são títulos de renda fixa emitido por sociedade anônima para tomar empréstimos no mercado. Seu lançamento pode ser público ou particular. O que são hedges funds e qual a sua importância para os investidores? Os hedge funds podem ser também chamados de fundos de derivativos, ou multimercados. Eles foram criados por Alfred Jones, em Seu objetivo era aumentar as rentabilidades do fundo e para isso os hedges funds realizam operações com derivativos e outros instrumentos financeiros para proteger as operações já contratadas. É por isso que eles são chamados de hedge funds: em inglês, hedge significa proteção. Uma estratégia comum desses fundos de hedge é comprar ações que têm as melhores perspectivas e se proteger do risco de oscilações negativas nos preços dos papéis com a venda de contratos futuros de ações ou com o lançamento de opções de compra referentes às ações da carteira. Assim, se o mercado acionário recuar, o administrador do Fundo protege o seu fundo com esses derivativos. Os fundos multimercados podem operar em todos os mercados e em qualquer parte do mundo, sem nenhuma restrição. Com a utilização de derivativos, esses fundos podem alavancar o seu patrimônio a fim de obter ganhos bem superiores à media dos fundos referenciados, que são mais conservadores. Nesse caso, o investidor deve estar consciente dos riscos que o seu fundo corre, pois tanto os ganhos, como as perdas nesses fundos podem ser expressivos. Em função desse perfil mais agressivo, esses fundos normalmente são reservados a investidores qualificados e de grande capital. O segmento de fundos alavancados tem evoluído muito na indústria de fundos brasileira, pois muitas medidas já foram adotadas em termos de legislação, transparência nos prospectos e eficiência na regulamentação. Conforme o mercado vai se aprimorando, esse mercado deverá crescer ainda mais. O que é alavancagem? Quais são os investimentos mais alavancados? 1

2 As operações de alavancagem são realizadas com a utilização de derivativos numa proporção maior que o patrimônio do Fundo. Esses derivativos podem ser contratos futuros de moedas, juros, índices de ações, ações e mercadorias. Outros derivativos como swap, opções e operações a termo também podem ser utilizados pelos administradores que desejam alavancar as posições de seus fundos. As operações alavancadas permitem, na prática, que um fundo tenha uma posição no mercado maior do que o seu capital. Desta forma, essas operações têm potencial de maximizar os ganhos com um grau maior de risco. Assim, se a operação alavancada for bem sucedida, o fundo receberá lucro extraordinário; caso contrário, poderá incorrer em prejuízos extraordinários também. Os fundos de investimentos mais alavancados são os de multimercados, que aplicam em diversos mercados. O que é o mercado de derivativos? Derivativos são contratos cujo valor tem como base o preço de um determinado ativo. Por exemplo, um contrato futuro de café é um derivativo porque seu valor depende ( deriva ) do preço do café. Os mercados de derivativos se compõem de contratos futuros, de opções, a termo e de swaps (troca). As operações no mercado de derivativos têm com principal objetivo dar proteção aos agentes econômicos e investidores contra as oscilações dos preços de seus produtos e investimentos em ativos financeiros. Nesse mercado, são negociados diversos tipos de ativos (comodities, matérias primas, moedas estrangeiras, etc) ou de índices (de inflação, taxas de juros e outros). Um exemplo típico de operação simples de mercado futuro é a seguinte: um produtor de soja, que acredita que o preço futuro da soja irá cair nos próximos quatro meses, vende em bolsa um contrato futuro de soja para ser liquidado no quarto mês e que lhe garante um preço considerado vantajoso por ele. Dessa forma, se previne contra a esperada queda do preço da soja. Qual a diferença entre operação a termo e futuro? As operações a termo e futuro consistem numa compra ou venda de uma determinada quantidade de ativos financeiros, por um preço previamente estabelecido, para liquidação numa data específica no futuro, a contar da data da operação. A diferença entre essas operações é que no mercado futuro, os contratos são padronizados pela BM&F (Bolsa de Mercadorias e Futuros). Quando a cotação desses contratos flutua, os participantes recebem ou pagam ajustes diários à BM&F, que funciona como contraparte de todos os participantes do mercado. No mercado a termo, a liquidação se dá apenas no vencimento do contrato. O lucro ou prejuízo resultante da operação é realizado apenas no final. Por esse motivo, contratos a termo (como o são, por exemplo, os contratos de swap) são mais interessantes para aquelas empresas que não acham vantajoso realizar pagamentos freqüentes (como as empresas não financeiras, por exemplo). Os contratos futuros têm a característica da intercambialidade: comprar um contrato de venda anula a compra de um contrato de compra, e vice-versa. O mesmo não vale para os contratos a termo, pois estes são fechados em acordos particulares entre duas instituições, não sendo firmados contra uma única bolsa de mercadorias capaz de fazer o "netting" das posições. O que é um swap? Swap é um derivativo financeiro que tem por finalidade promover a troca de ativos financeiros entre os agentes econômicos envolvidos, ou seja, é um contrato de troca de pagamentos periódicos com uma contraparte, como a troca de pagamentos de rendimentos pré-fixados por pagamentos de rendimentos pós -fixados ou a troca de um valor mobiliário por outro com o propósito de melhorar o rendimento, mudar os vencimentos ou mudar o risco de crédito. As operações de swap constituem o instrumento mais eficaz para proteção contra flutuação indesejada de taxas, pela possibilidade, em um só contrato, de realizar o hedge (proteção) de duas posições, cada uma com um indexador diferente. Os tipos mais comuns de swap são: (a) swap de vencimento; (b) swap de taxa; (c) swap de qualidade. Operações com swap são comuns nos mercados de ouro, ativo financeiro, taxas de câmbio, taxas de juros, ações, mercadorias e índices de preços e de ações, além de opções não padronizadas referenciadas em debêntures simples ou conversíveis em ações, em notas promissórias e em ações de companhias abertas. Qual é a importância da diversificação na hora de investir? 2

3 A diversificação é uma estratégia inteligente de investimento muito utilizada, e que pode proporcionar bons resultados expondo menos o investidor ao risco de perdas. Consiste em evitar "colocar todos os ovos numa única cesta, dividindo as aplicações entre algumas opções existentes no mercado financeiro. Para a diversificação ser eficaz, deve haver correlação negativa entre os ativos escolhidos na composição da carteira de investimentos. É preciso escolher opções de investimento que caminhem em direções contrárias conforme as mudanças no cenário econômico. Quando o desempenho de um investimento não for positivo, os outros podem comp ensar, de forma que, na média, o investidor não tenha perdas expressivas. Uma carteira composta por um Fundo de Renda Fixa pós-fixado e ações é um exemplo simples de uma carteira de investimentos diversificada, pois o mercado de juros tende a oscilar em direção oposta ao mercado acionário. São ativos que têm correlação negativa. Se o governo optar por juros altos, as aplicações em renda fixa poderão compensar parte das perdas com as ações que, por sua vez serão prejudicadas com aumento do custo dos financiamentos e encarecimento do crédito ao consumidor. Alocações em fundos cambiais e até mesmo de derivativos podem proporcionar formas de diversificação ainda mais eficientes. O que são as margens de garantia de um contrato futuro financeiro? As margens de garantia consistem em um depósito a ser mantido até o vencimento ou liquidação do contrato futuro, utilizado em caso de falta de pagamento de ajustes diários ou de valores devidos na entrega. Caso não existam problemas de inadimplência, as margens de garantia são revertidas para a Bolsa a fim de cobrir alguns de seus gastos relativos à operação. É fixada de acordo com critérios estabelecidos pela Bolsa.Vários ativos são aceitos como depósito de margem na BM&F, como exemplo: dinheiro, ouro, títulos públicos federais, dentre outros. Há para o próximo ano possibilidade de correção das faixas de alíquotas de imposto de renda? De quanto será (se houver) essa correção? Existe sim a possibilidade de correção das faixas de alíquotas de imposto de renda. É um assunto que está sendo discutido pela área econômica do governo e pelo Congresso, onde tramita o projeto do Orçamento da União para A expectativa é que a correção seja de no máximo 7%, o que, segundo estimativas da Receita Federal, provocaria perdas de R$ 2,4 bilhões na arrecadação do governo. A magnitude da correção dependerá, entre outras coisas, do valor do mínimo que será fixado para Quais são os encargos (taxas e tributação) incidentes sobre os ganhos no mercado de ações? Os ganhos aferidos no mercado de ações estão sujeitos à alíquota do Imposto de Renda (IR) de 15% (dos quais 0,005% é sobre a fonte e recolhida pela corretora, e o restante, 14,995% é arrecadado para a Receita Federal, DARF), para valores acima de R$20 mil (valores inferiores estão isentos de tributação no mercado a vista). Nas operações de day-trade (abertas e fechadas no mesmo pregão), o IR é de 20% (1% na fonte e 19% DARF). Os cálculos são feitos da seguinte forma: nos mercados à vista, o imposto será sobre o valor da venda (também chamado de valor de alienação); no mercado de opções, o imposto será sobre o valor da soma dos prêmios pagos e recebidos no dia que venceram; no mercado a termo, sobre a diferença entre o preço a termo e o preço a vista (se positiva); no mercado futuro, pela soma dos ajustes diários (se for positiva, no encerramento). Esses são os tributos. Na hora de aplicar, o investidor também tem de arcar com custos operacionais (ou custos de transação), pagos à corretora que faz a intermediação e/ou a administração do investimento. Um deles é a corretagem, que é calculada por faixas sobre o movimento financeiro total (compras mais vendas) do dia. O total da corretagem a ser cobrada costuma ser um valor fixo mais uma porcentagem sobre o volume negociado. Existem também os emolumentos, que são pagos à Bovespa ou à BM&F: para operações normais, são cobrados 0,035% do valor da operação; e para operações day-trade, são cobrados 0,025%. As taxas de custódia também variam de corretora para corretora. Trata-se de uma taxa fixa, cobrada para a guarda dos títulos ou ações. Assim, o ganho final do investidor no mercado de ações deve ser calculado da seguinte forma: Ganhos = preço de venda - preço de compra - Imposto de Renda Retido na Fonte (no caso de operações normais) - custos de transação (corretagem e os emolumentos) O que é benchmarking? 3

4 Benchmarking é um termo utilizado como padrão de referência no mercado financeiro para se comparar a rentabilidade entre investimentos, títulos, taxas, etc. Por exemplo, se o benchmark de um fundo de investimento é o CDI, a rentabilidade esperada do fundo deve ser igual ou superior à rentabilidade do CDI. O que é subscrição de ações? A subscrição é o lançamento de novas ações por uma sociedade anônima com o objetivo de obter recursos necessários para um investimento. É um direito aberto também aos acionistas para aquisição de ações da empresa, quando esta decide fazer essas novas emissões de ações para aumentar seu capital. Os acionistas da empresa que lança a subscrição têm preferências na compra da ação a preços inferiores aos praticados no mercado. O preço e prazo oferecido aos acionistas são pré-determinados e a quantidade de ações a serem subscritas é proporcional ao número de ações que os acionistas possuem. O direito de subscrição pode também ser negociado em bolsas de valores. Quais são as perspectivas para o mercado acionário em 2006? O cenário geral parece benigno para a economia brasileira em 2006, a despeito das eleições, evento que potencialmente traz alguma incerteza. Os fundamentos da economia brasileira são hoje sensivelmente melhores que no passado recente. A manutenção da austeridade fiscal e a confortável situação prevista para o Balanço de Pagamentos reduzem muito a probabilidade de default da dívida pública interna e externa. Assim, é provável que o risco Brasil continue caindo gradativamente e se aproxime mais do chamado investiment grade, o que favorece a entrada de recursos estrangeiros para o mercado acionário. O PIB brasileiro deve crescer entre 3,0% e 4,0%, taxa suficiente para manter a atividade econômica aquecida, o que favorece a bolsa de valores. No campo externo, as perspectivas também são boas. A economia americana continua apresentando crescimento sólido sem risco inflacionário. E a economia mundial, puxada pelos EUA e pela China, deve crescer em torno de 3%, taxa um pouco maior do que a verificada no final dos anos 90 e nos primeiros anos deste século. Também é um aspecto favorável para o mercado acionário doméstico. Qual será o impacto da nova forma de cobrança das chamadas locais de telefonia fixa nos índices de inflação? Em conformidade com a nova regulamentação, a Anatel divulgou recentemente a nova forma de cobrança das chamadas locais que passam a ser tarifas por minutos e não mais por pulso. A mudança será implantada gradualmente, a partir de março de 2006 até julho de Na tarifação atual, ao completar a chamada é cobrado um pulso e no período de utilização no chamado horário normal o segundo pulso é cobrado aleatoriamente entre 0 e 4 minutos iniciais e a seguir é cobrado um pulso a cada 4 minutos. Existe também a franquia de 100 pulsos, o que significa que só é cobrado o pulso adicional aos 100 pulsos inicialmente utilizados. Na ligação seguinte, ao completar a chamada, além do pulso inicial, será computado imediatamente o pulso retroativo. E se a ligação se estender por 4 minutos, mais um pulso será cobrado. A nova tarifação será realizada de tal forma que, no início da chamada haverá uma tarifação mínima de 30 segundos, a partir daí, dentro do horário normal, o cálculo será realizado em frações de 6 segundos. Foi definida também uma franquia de 200 minutos na classe residencial. Esse é o período médio (aproximado) equivalente à franquia de 100 pulsos em vista do pulso retroativo. Em relação ao impacto nos índices de inflação, os IPCs consideram contas padrão para o item telefonia fixa. No caso do IPCA, essa conta é composta pela assinatura básica e uma determinada quantia de pulsos excedentes (que superam a franquia de 100 pulsos) e de minutos de ligações de telefone fixo para móvel, ligações interurbanas e internacionais. Se o IBGE simplesmente converter os pulsos totais dessa conta padrão em minutos e considerar a franquia de 200 minutos e multiplicar o restante pela tarifa por minuto, o resultado seria uma alta da conta padrão, que poderia ter um impacto ao redor de 0,3 a 0,4 ponto percentual. No entanto, será preciso verificar junto ao IBGE qual será o tratamento dado nesse caso específico para que se possa precisar o impacto no indicador. Qual é o objetivo do Banco Central ao atuar diretamente no mercado cambial comprando dólares e realizando leilão de swap cambial reverso? 4

5 O objetivo declarado do Banco Central de comprar dólares é recuperar o nível de reservas internacionais do país para reduzir o risco de que crises externas afetem significativamente a economia doméstica, formando assim, o que a literatura tradicional chama de colchão de liquidez. No caso do swap cambial reverso, oficialmente, o propósito é melhorar o perfil da dívida, reduzindo a sua exposição à taxa de câmbio. Contudo, na prática, ao comprar dólares no mercado e realizar os leilões de swap cambial reverso, o Banco Central está influenciando a formação da taxa de câmbio, atuando como uma força altista para a cotação da moeda norteamericana. Na última semana de novembro, o Banco Central intensificou suas intervenções no mercado de câmbio com a retomada dos leilões de swaps reversos, o que não ocorria desde o mês de março. O que são os Fundos de Investimentos em Direitos Creditórios - FDIC? Os FDIC são Fundos de Recebíveis, criados com o objetivo de dar liquidez ao mercado de crédito, reduzindo o risco e ampliando a oferta de recursos. Estão regulamentados na CVM, e a sua última versão é a Instrução 399. Com eles as empresas passaram a ter uma opção de financiamento alternativa, seja ao sistema bancário, seja ao mercado de capitais. Caso a empresa cedente seja um banco, ele passa a ter a possibilidade de vender seus créditos para fundos de recebíveis especialmente criados para esse fim, abrindo espaço em sua carteira para novas operações de crédito. Uma possível sequencia para formação de um fundo de recebíveis pode ser resumida da seguinte forma: 1. A empresa A vende produtos e emite faturas (recebíveis) para pagamento pelos compradores B; 2. A empresa A constitui um FIDC; 3. O FIDC da empresa A capta recursos dos investidores com a venda de cotas seniores e com os recursos recebidos adquire, com desconto, os recebíveis da empresa A, capitalizando antecipadamente a empresa A e tornando-se agora o credor desses recebíveis; 4. Os compradores B pagam os recebíveis em sua data de vencimento, diretamente para o FIDC; e 5. O FIDC, com recursos recebidos, paga os rendimentos pactuados e devidos aos seus cotistas seniores. 6. Agências de classificação de risco atribuem ratings ao fundo e os reavaliam a cada 3 meses, no mínimo. Qual a diferença entre ações, debêntures e notas promissórias? As ações são pertencentes ao mercado de renda variável. Ao comprar ações de uma empresa, o investidor se torna sócio dela, dividindo os riscos do negócio. Já as debêntures e as notas promissórias fazem parte do mercado de renda fixa. Quem investe em debêntures ou em notas promissórias se torna credor da empresa e terá de volta os recursos emprestados, nos prazos, condições e garantias pré-determinados no ato da emissão do título. Neste caso, deve-se analisar o risco de crédito da emissão. Qual é a diferença entre a análise fundamentalista e técnica de ações? Qual é a melhor? A análise fundamentalista tem o objetivo de avaliar os determinantes de valor de uma empresa, tais como as perspectivas de lucros. Com isso, é possível avaliar alternativas de investimentos a partir de análises do ambiente macroeconômico e setorial. Aliadas às análises macroeconômicas e setoriais, são processadas informações junto às empresas tais como perspectivas de crescimento, de distribuição de dividendos, e outras informações que podem afetar o valor presente do fluxo de dividendos que a empresa espera gerar. 5

6 As análises fundamentalistas estabelecem o valor teoricamente justo para uma ação. O pressuposto básico da análise fundamentalista é de que o valor justo para uma empresa se dá pela definição da sua capacidade de gerar lucros no futuro. No caso da análise técnica, o foco está nos movimentos passados dos preços de uma empresa. Os técnicos acreditam que o comportamento passado de uma ação (preços e volumes negociados) sinaliza os movimentos futuros dos preços. A análise técnica não se contrapõe necessariamente às análises fundamentalistas. Normalmente, os investidores fazem uma combinação entre elas. O que é o "swap cambial reverso"? Nos contratos de "swap", que quer dizer troca, cada uma das pontas que o negociam se compromete a pagar a oscilação de uma taxa ou um ativo. No caso do contrato cambial, as variações no dólar. Na venda de "swap cambial reverso", o Banco Central, que vende os contratos, ganha a variação cambial do período de validade mais um prêmio, conhecido como cupom cambial. Em termos práticos, a operação de swap reverso é equivalente à compra de dólar no mercado futuro. Por isso, a moeda americana sobe quando a instituição faz o leilão. É como se houvesse aumentado a demanda pela moeda americana. Esses títulos são chamados de "reversos" porque o mais comum é o Banco Central receber uma taxa de juros e pagar a variação do câmbio. O aumento das expectativas da continuidade da apreciação do real tem ajudado a manter o dólar em baixos níveis recentemente. Como essas apostas são feitas no mercado futuro, a atuação do BC acaba por equilibrar um pouco o processo. Em análise de investimentos, o que esses índices querem dizer: WACC, EVA, VPL, TIR? O WACC (weighted average cost of capital), é o método do custo médio ponderado de capital, utilizado para avaliar um projeto, ou a própria empresa, quando se usa capital próprio e de terceiros. O enfoque do WACC parte da idéia de que os projetos de empresas com dívidas são financiados simultaneamente com capital de terceiros e capital próprio. O custo do capital é uma média ponderada entre o custo de capital de terceiros e o custo de capital próprio. Fazendo esta média ponderada, podemos ver quanto de juro a companhia tem de pagar por cada unidade monetária que ela toma emprestado. O EVA (Economic Value Added), fundamenta-se no conceito intuitivo de que as empresas, para serem bemsucedidas e viáveis, devem gerar mais riqueza do que o custo do capital que empregam. Considerando EVA como (e), ele é definido como a diferença entre a taxa de retorno (r) e a taxa do custo de oportunidade (c) do capital de uma empresa, ou seja, e = r c. Vale destacar que existem diversas formas de sua mensuração que contemplam inúmeros ajustes para situações específicas. Diversas empresas vêm utilizando o conceito de EVA para várias situações de decisão, não somente financeira mas também estratégica: identificação de oportunidades de planejamento estratégico que maximizem o EVA; utilização de estimativas de EVA projetadas e trazidas a valor presente para planejamento de capital e orçamento de projetos; avaliação de processos de aquisição ou desinvestimento baseados em EVA projetados e descontados; estabelecimento de metas de EVA de longo prazo, entre outros. O VPL é uma metodologia para analisar investimentos. Ele mostra a contribuição do novo projeto de investimento no aumento do valor da empresa. Para calcular o VPL de um investimento é necessário projetar um fluxo de caixa que aponte as entradas e saídas de dinheiro provocadas pelo investimento. Ao final do cálculo, se o VPL der positivo, isto quer dizer que o investimento compensa, ou seja, que ele será recuperado, ou que será remunerado, no mínimo, à taxa mínima de atratividade. A TIR é a taxa interna de retorno de um investimento. É a taxa de juros para a qual o VPL é zero. Caracteriza, desta forma, a taxa de remuneração do capital investido. Após calcular a TIR, deve-se compará-la com a taxa mínima de atratividade, e o investimento será considerado rentável se a TIR for, no mínimo igual a esta taxa. Qual a diferença entre valor patrimonial e valor contábil de uma empresa? Nem sempre o valor patrimonial das empresas é próximo do valor de mercado. O patrimônio líquido de uma empresa é o seu capital, suas reservas e seus lucros acumulados. Essa diferença entre o valor patrimonial e contábil 6

7 se deve ao fato de que os dados contábeis são escriturais e podem conter defasagens em relação ao valor considerado justo para a ação, que é uma compreensão subjetiva e varia de investidor para investidor. Os diferentes julgamentos que são feitos em torno do valor de uma ação permitem que haja sempre compradores e vendedores, o que proporciona liquidez aos ativos. Vale ressaltar que a contabilidade usa como parâmetro o conceito de valor econômico e não financeiro. Assim, os valores observados nos balanços não possuem relação direta com o valor efetivo dado pelo mercado. Fonte: As informações/análises contidas neste site são oriundas de provedores independentes, com propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza, e, não necessariamente, refletem a opinião do banco. O Banco Itaú S.A. não se responsabiliza por qualquer decisão tomada com base nas informações contidas neste site, nem pelos eventuais prejuízos decorrentes de: (i) exatidão, autenticidade, veracidade, integridade, legalidade, precisão ou validade das i nformações, para qualquer propósito específico do cliente das informações; (ii) interrupção ou cancelamento das informações; e (iii) imperícia, negligência, imprudência, por ação ou omissão, dos provedores independentes de informação. 7

Transferência da administração de recursos e alocação de ativos para profissionais especializados;

Transferência da administração de recursos e alocação de ativos para profissionais especializados; Guia de Fundos de Investimento A CMA desenvolveu o Guia de Fundos de Investimento para você que quer se familiarizar com os princípios básicos do mercado financeiro, ou que tem interesse em aprofundar

Leia mais

Fundos de Investimento

Fundos de Investimento Gestão Financeira Prof. Marcelo Cruz Fundos de Investimento 3 Uma modalide de aplicação financeira Decisão de Investimento 1 Vídeo: CVM Um fundo de investimento é um condomínio que reúne recursos de um

Leia mais

Os fundos referenciados identificam em seu nome o indicador de desempenho que sua carteira tem por objetivo acompanhar.

Os fundos referenciados identificam em seu nome o indicador de desempenho que sua carteira tem por objetivo acompanhar. FUNDO REFERENCIADO DI Os fundos referenciados identificam em seu nome o indicador de desempenho que sua carteira tem por objetivo acompanhar. Para tal, investem no mínimo 80% em títulos públicos federais

Leia mais

Economia e Mercado Financeiro

Economia e Mercado Financeiro Economia e Mercado Financeiro O que é fluxo cambial? O fluxo cambial é a soma das operações da balança comercial, das operações financeiras e das operações com instituições financeiras no exterior. Segundo

Leia mais

Simulado CPA 10 Completo

Simulado CPA 10 Completo Simulado CPA 10 Completo Question 1. O SELIC é um sistema informatizado que cuida da liquidação e custódia de: ( ) Certificado de Depósito Bancário ( ) Contratos de derivativos ( ) Ações negociadas em

Leia mais

[POLÍTICA DE INVESTIMENTOS]

[POLÍTICA DE INVESTIMENTOS] [POLÍTICA DE INVESTIMENTOS] Este documento aborda o processo de seleção e alocação de valores mobiliários da Interinvest Data de Publicação: Abril de 2012 Política de Investimentos 1. Conteúdo do Documento

Leia mais

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

Guia de Renda Fixa. 1. Principais Características

Guia de Renda Fixa. 1. Principais Características Guia de Renda Fixa Os títulos de renda fixa se caracterizam por possuírem regras definidas de remuneração. Isto é, são aqueles títulos cujo rendimento é conhecido previamente (juro prefixado) ou que depende

Leia mais

RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

a) mercados de derivativos, tais como, exemplificativamente, índices de ações, índices de preços, câmbio (moedas), juros;

a) mercados de derivativos, tais como, exemplificativamente, índices de ações, índices de preços, câmbio (moedas), juros; CREDIT SUISSE HEDGINGGRIFFO 1. Públicoalvo LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS dezembro/2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o CSHG EQUITY HEDGE LEVANTE FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

Tributação. Mercado de Derivativos, Fundos e Clubes de Investimentos, POP e Principais Perguntas

Tributação. Mercado de Derivativos, Fundos e Clubes de Investimentos, POP e Principais Perguntas Tributação Mercado de Derivativos, Fundos e Clubes de Investimentos, POP e Principais Perguntas 1 Índice Imposto de Renda para Mercado de Opções 03 Exemplos de Apuração dos Ganhos Líquidos - Antes do Exercício

Leia mais

PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10

PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10 PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10 Controle: D.04.10.04 Data da Elaboração: 10/11/2009 Data da Revisão: 30/09/2013 Elaborado por: Certificação ANBIMA Aprovado por:

Leia mais

Fundo multimercado que tem como objetivo buscar rentabilidade acima do Certificado de Depósito Interbancário - CDI.

Fundo multimercado que tem como objetivo buscar rentabilidade acima do Certificado de Depósito Interbancário - CDI. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS 1. Público-alvo dezembro/2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o CSHG VERDE FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO.

Leia mais

A Indústria de Fundos de Investimento no Brasil. Luiz Calado Gerente de Certificação da ANBID

A Indústria de Fundos de Investimento no Brasil. Luiz Calado Gerente de Certificação da ANBID A Indústria de Fundos de Investimento no Brasil Luiz Calado Gerente de Certificação da ANBID A ANBID A ANBID Associação Nacional dos Bancos de Investimentos Criada em 1967, é a maior representante das

Leia mais

Concurso 2011. Prof. Cid Roberto. As bolsas de valores são instituições administradoras de mercados. prof.bancario@gmail.com

Concurso 2011. Prof. Cid Roberto. As bolsas de valores são instituições administradoras de mercados. prof.bancario@gmail.com Concurso 2011 Prof. Cid Roberto prof.bancario@gmail.com Bolsa de Valores As bolsas de valores são instituições administradoras de mercados. Comunidade Conhecimentos Bancários (orkut) 8ª aula Início da

Leia mais

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

MERCADO DE RENDA VARIÁVEL PRODUTOS E CARACTERÍSTICA

MERCADO DE RENDA VARIÁVEL PRODUTOS E CARACTERÍSTICA MERCADO DE RENDA VARIÁVEL PRODUTOS E CARACTERÍSTICA AÇÕES Ações são instrumentos utilizados pelas empresas para captar recursos no mercado financeiro para os mais diversos projetos (investimentos, redução

Leia mais

Como investir em 2012 Entenda como funciona cada produto financeiro : O Globo 2/fev/2012

Como investir em 2012 Entenda como funciona cada produto financeiro : O Globo 2/fev/2012 Como investir em 2012 Entenda como funciona cada produto financeiro : O Globo 2/fev/2012 Analistas indicam quais cuidados tomar no mercado financeiro em 2012 e quais investimentos oferecem menor probabilidade

Leia mais

Programa de Atualização Certificação Profissional ANBIMA Série 10 (CPA-10) Versão 2.2

Programa de Atualização Certificação Profissional ANBIMA Série 10 (CPA-10) Versão 2.2 Programa de Atualização Certificação Profissional ANBIMA Série 10 (CPA-10) Versão 2.2 OBJETIVOS DA ATUALIZAÇÃO DA CPA-10 A Atualização dos profissionais certificados CPA-10 é parte do Código de Regulação

Leia mais

Aplicação de recursos

Aplicação de recursos Aplicação de recursos São 3 os pilares de qualquer investimento Segurança Liquidez Rentabilidade Volatilidade - mede o risco que um fundo ou um título apresenta - maior a volatilidade, maior o risco; Aplicação

Leia mais

Prazos e Riscos de Mercado

Prazos e Riscos de Mercado Prazos e Riscos de Mercado A Pilla Corretora oferece aos seus clientes uma gama completa de produtos e serviços financeiros. Nossa equipe de profissionais está qualificada para atender e explicar tudo

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 2.1.4- Fundos de Investimentos 2ª parte:

Conhecimentos Bancários. Item 2.1.4- Fundos de Investimentos 2ª parte: Conhecimentos Bancários Item 2.1.4- Fundos de Investimentos 2ª parte: Conhecimentos Bancários Item 2.1.4- Fundos de Investimentos: São condomínios, que reúnem aplicações de vários indivíduos para investimento

Leia mais

Valor ao par O valor de face uma ação ou título. No caso de ações, o valor ao par é, meramente, um registro contábil e não serve a outro propósito.

Valor ao par O valor de face uma ação ou título. No caso de ações, o valor ao par é, meramente, um registro contábil e não serve a outro propósito. Valor ao par O valor de face uma ação ou título. No caso de ações, o valor ao par é, meramente, um registro contábil e não serve a outro propósito. Valor da cota de um fundo de investimento É calculado

Leia mais

E-book de Fundos de Investimento

E-book de Fundos de Investimento E-book de Fundos de Investimento O QUE SÃO FUNDOS DE INVESTIMENTO? Fundo de investimento é uma aplicação financeira que funciona como se fosse um condomínio, onde as pessoas somam recursos para investir

Leia mais

Resumo de Análise de Projetos de Investimento

Resumo de Análise de Projetos de Investimento Agosto/2011 Resumo de Análise de Projetos de Investimento Valor Quanto vale um ativo? Quanto vale uma empresa? Quanto vale um projeto? Valor Contábil É o valor da empresa para a Contabilidade. Ou seja,

Leia mais

Curso Preparatório CPA20

Curso Preparatório CPA20 Página 1 de 8 Você acessou como Flávio Pereira Lemos - (Sair) Curso Preparatório CPA20 Início Ambiente ) CPA20_130111_1_1 ) Questionários ) Passo 2: Simulado Módulo IV ) Revisão da tentativa 3 Iniciado

Leia mais

Capítulo 7 Fundos de Investimentos

Capítulo 7 Fundos de Investimentos Capítulo 7 Fundos de Investimentos 7.1 Apresentação do capítulo O objetivo deste capítulo é apresentar as principais características e classificações de um fundo de investimento. Ao final, você terá visto:

Leia mais

PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10

PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10 PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10 Controle: D.04.10.05 Data da Elaboração: 10/11/2009 Data da Revisão: 14/05/2015 Elaborado por: Certificação ANBIMA Aprovado por:

Leia mais

Veja na tabela a seguir as performances de cada aplicação em setembro e no acumulado do ano. Desempenho em setembro. Ibovespa 4,84% -17,96% 30/09/2013

Veja na tabela a seguir as performances de cada aplicação em setembro e no acumulado do ano. Desempenho em setembro. Ibovespa 4,84% -17,96% 30/09/2013 Veículo: Exame.com Os melhores e os piores investimentos de setembro Ibovespa fecha o mês com a maior alta, seguido pelos fundos de ações small caps; na renda fixa, a LTN, título do Tesouro prefixado,

Leia mais

Perfis de Investimento. GEBSA Prev

Perfis de Investimento. GEBSA Prev Perfis de Investimento GEBSA Prev 2 GEBSA-PREV INTRODUÇÃO Esta cartilha reúne as principais informações relacionadas aos Perfis de Investimento da GEBSA PREV e vai lhe ajudar a identificar alguns aspectos

Leia mais

http://www.receita.fazenda.gov.br/pessoafisica/irpf/2008/perguntas/aplicfinanrenfi...

http://www.receita.fazenda.gov.br/pessoafisica/irpf/2008/perguntas/aplicfinanrenfi... Page 1 of 8 Aplicações Financeiras - Renda Fixa e Renda Variável 617 Quais são as operações realizadas nos mercados financeiro e de capital? Nesses mercados são negociados títulos, valores mobiliários

Leia mais

INFORMAÇÕES REFERENTES À VENDA DOS PRODUTOS OFERECIDOS PELA ALFA CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS S.A. (CNPJ/MF N 62.178.

INFORMAÇÕES REFERENTES À VENDA DOS PRODUTOS OFERECIDOS PELA ALFA CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS S.A. (CNPJ/MF N 62.178. INFORMAÇÕES REFERENTES À VENDA DOS PRODUTOS OFERECIDOS PELA ALFA CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS S.A. (CNPJ/MF N 62.178.421/0001-64) O cliente, devidamente qualificado em sua ficha cadastral,

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O GRADIUS HEDGE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ: Nº 10.446.951/0001-42

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O GRADIUS HEDGE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ: Nº 10.446.951/0001-42 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O GRADIUS HEDGE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ: Nº Informações referentes à Abril de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o

Leia mais

$ $ ETF EXCHANGE TRADED FUND $ $

$ $ ETF EXCHANGE TRADED FUND $ $ ETF EXCHANGE TRADED FUND Investimento para quem busca a possibilidade de melhores retornos, através de uma carteira diversificada e com menor custo. Confira porque os fundos de índices são a nova opção

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O PERFIL DE INVESTIMENTOS CONSERVADOR INDEXADO A INFLAÇÃO DA VISÃO PREV SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O PERFIL DE INVESTIMENTOS CONSERVADOR INDEXADO A INFLAÇÃO DA VISÃO PREV SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O PERFIL DE INVESTIMENTOS CONSERVADOR INDEXADO A INFLAÇÃO DA VISÃO PREV SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

Ciências Econômicas. 4.2 Mercado de Capitais. Marcado Financeiro e de Capitais (Aula-2015/10.16) 16/10/2015. Prof. Johnny 1

Ciências Econômicas. 4.2 Mercado de Capitais. Marcado Financeiro e de Capitais (Aula-2015/10.16) 16/10/2015. Prof. Johnny 1 UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ Ciências Econômicas Mercado de Capitais Tributações Relatórios Professor : Johnny Luiz Grando Johnny@unochapeco.edu.br 4.2 Mercado de Capitais 4.3.1 Conceitos

Leia mais

Como funcionam os fundos de investimentos

Como funcionam os fundos de investimentos Como funcionam os fundos de investimentos Fundos de Investimentos: são como condomínios, que reúnem recursos financeiros de um grupo de investidores, chamados de cotistas, e realizam operações no mercado

Leia mais

Operações com derivativos (item 7 do edital BB)

Operações com derivativos (item 7 do edital BB) Operações com derivativos (item 7 do edital BB) Prof.Nelson Guerra set / 2012 INTRODUÇÃO Os preços gerais das mercadorias agrícolas, das taxas de juros e do câmbio têm-se mostrado altamente instável no

Leia mais

3.3.2.2. O objetivo do FRONT é proporcionar ganhos de capital de longo prazo aos seus cotistas, através de um portfolio diversificado de aplicações.

3.3.2.2. O objetivo do FRONT é proporcionar ganhos de capital de longo prazo aos seus cotistas, através de um portfolio diversificado de aplicações. 1. Públicoalvo LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS dezembro/2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o CSHG GLOBAL CURRENCIES HEDGE FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO

Leia mais

1. Público-alvo. 2. Objetivos

1. Público-alvo. 2. Objetivos LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS dezembro/2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento

Leia mais

Evolução Recente das Principais Aplicações Financeiras

Evolução Recente das Principais Aplicações Financeiras Evolução Recente das Principais Aplicações Financeiras As principais modalidades de aplicação financeira disponíveis no mercado doméstico caderneta de poupança, fundos de investimento e depósitos a prazo

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Julgue os itens a seguir, a respeito da Lei n.º 6.404/197 e suas alterações, da legislação complementar e dos pronunciamentos do Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC). 71 Os gastos incorridos com pesquisa

Leia mais

Tipos de ações As ações se diferenciam basicamente pelos direitos que concedem a seus acionistas. No Brasil, elas estão divididas em dois grandes

Tipos de ações As ações se diferenciam basicamente pelos direitos que concedem a seus acionistas. No Brasil, elas estão divididas em dois grandes Tipos de ações As ações se diferenciam basicamente pelos direitos que concedem a seus acionistas. No Brasil, elas estão divididas em dois grandes grupos: as ações ordinárias e as ações preferenciais. As

Leia mais

COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA

COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA ATENÇÃO Este texto não é uma recomendação de investimento. Para mais esclarecimentos, sugerimos a leitura de outros folhetos editados pela BOVESPA. Procure sua Corretora.

Leia mais

COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA

COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA ATENÇÃO ESTE FOLHETO FAZ REFERÊNCIA AO PREGÃO À VIVA VOZ, FORMA DE NEGOCIAÇÃO UTILIZADA ATÉ 30/9/2005. A PARTIR DESSA DATA, TODAS AS OPERAÇÕES FORAM CENTRALIZADAS

Leia mais

HSBC Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo Tripla Vantagem CNPJ nº 09.522.596/0001-64

HSBC Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo Tripla Vantagem CNPJ nº 09.522.596/0001-64 HSBC Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo Tripla Vantagem CNPJ nº 09.522.596/0001-64 (Administrado pelo HSBC Bank Brasil S.A. - Banco Múltiplo CNPJ nº 01.701.201/0001-89) Demonstrações financeiras

Leia mais

Perfis de Investimento

Perfis de Investimento Perfis de Investimento Manual Perfis de Investimento Manual Perfis de Investimento Índice Objetivo... 3 Introdução... 3 Falando sobre sua escolha e seu plano... 3 Perfis de Investimento... 5 Principais

Leia mais

Conteúdo Programático. Agente Autônomo de Investimentos (ANCORD)

Conteúdo Programático. Agente Autônomo de Investimentos (ANCORD) Conteúdo Programático Agente Autônomo de Investimentos (ANCORD) 1. A atividade do agente autônomo de investimento Instrução CVM 497 Diferenciação das atividades do agente autônomo, administração de carteiras,

Leia mais

Curso Preparatório ANBIMA - CPA-10 Curso Preparatório ANBIMA - CPA-20

Curso Preparatório ANBIMA - CPA-10 Curso Preparatório ANBIMA - CPA-20 Solange Honorato Curso Preparatório ANBIMA - CPA-10 Curso Preparatório ANBIMA - CPA-20 Módulo VI CPA10 Demais produtos de Investimentos Pg 70 De 8 a 13 Questões na prova (15% a 25%) Demais produtos de

Leia mais

Margem Líquida Diferença entre o preço do produto e todos os custos e despesas envolvidos na fabricação.

Margem Líquida Diferença entre o preço do produto e todos os custos e despesas envolvidos na fabricação. MACD (Moving Average Convergence/Divergence) Este indicador técnico é calculado subtraindo-se o valor de duas médias móveis: de 26 dias e de 12 dias. O MACD indica a diferença entre as expectativas de

Leia mais

Curso CPA-10 Certificação ANBID Módulo 6 Demais Produtos de Investimento

Curso CPA-10 Certificação ANBID Módulo 6 Demais Produtos de Investimento Pág: 1/45 Curso CPA-10 Certificação ANBID Módulo 6 Demais Produtos de Investimento Pág: 2/45 Módulo 6 - Demais Produtos de Investimento Este módulo apresenta as principais características de algumas das

Leia mais

GUIA SOBRE RISCOS DE RENDA VARIÁVEL V1. 04_2012

GUIA SOBRE RISCOS DE RENDA VARIÁVEL V1. 04_2012 AO FINAL DESTE GUIA TEREMOS VISTO: GUIA SOBRE RISCOS DE RENDA VARIÁVEL V1. 04_2012 O objetivo deste material é prestar ao investidor uma formação básica de conceitos e informações que possam auxiliá-lo

Leia mais

Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (C.N.P.J. nº 04.890.401/0001-15) (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.

Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (C.N.P.J. nº 04.890.401/0001-15) (Administrado pelo Banco J. Safra S.A. Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 30 de setembro de 2015 e relatório dos auditores independentes Relatório dos

Leia mais

Material Explicativo sobre Debêntures

Material Explicativo sobre Debêntures Material Explicativo sobre 1. Definições Gerais As debêntures são valores mobiliários que representam dívidas de médio e longo prazos de Sociedades Anônimas ou por ações (emissoras), de capital aberto

Leia mais

cartilha_18x10.qxd 9/20/2005 1:45 PM Page 1 dicas dos especialistas Como investir em ações utilizando Análise Fundamentalista

cartilha_18x10.qxd 9/20/2005 1:45 PM Page 1 dicas dos especialistas Como investir em ações utilizando Análise Fundamentalista cartilha_18x10.qxd 9/20/2005 1:45 PM Page 1 dicas dos especialistas Como investir em ações utilizando Análise Fundamentalista cartilha_18x10.qxd 9/20/2005 1:45 PM Page 2 Como investir em ações utilizando

Leia mais

Economia e Mercado Financeiro

Economia e Mercado Financeiro Economia e Mercado Financeiro O que é um hot money? Hot money é um empréstimo de curtíssimo prazo, de normalmente um dia, no máximo de dez dias. Com o objetivo de simplificar os procedimentos operacionais,

Leia mais

Sicredi - Fundo de Investimento em Ações Petrobras (CNPJ n 08.336.054/0001-34) (Administrado pelo Banco Cooperativo Sicredi S.A.

Sicredi - Fundo de Investimento em Ações Petrobras (CNPJ n 08.336.054/0001-34) (Administrado pelo Banco Cooperativo Sicredi S.A. Sicredi - Fundo de Investimento em Ações Petrobras (CNPJ n 08.336.054/0001-34) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos auditores independentes Relatório dos auditores independentes

Leia mais

Mercados Futuros (BM&F)

Mercados Futuros (BM&F) Neste segmento de mercado se negociam contratos e minicontratos futuros de ativos financeiros ou commodities. Ou seja, é a negociação de um produto que ainda não existe no mercado, por um preço predeterminado

Leia mais

Empresas de Capital Fechado, ou companhias fechadas, são aquelas que não podem negociar valores mobiliários no mercado.

Empresas de Capital Fechado, ou companhias fechadas, são aquelas que não podem negociar valores mobiliários no mercado. A Ação Os títulos negociáveis em Bolsa (ou no Mercado de Balcão, que é aquele em que as operações de compra e venda são fechadas via telefone ou por meio de um sistema eletrônico de negociação, e onde

Leia mais

BANCO DO BRASIL ESCRITURÁRIO

BANCO DO BRASIL ESCRITURÁRIO BANCO DO BRASIL ESCRITURÁRIO CONHECIMENTOS BANCÁRIOS 1. O Sistema Financeiro Nacional (SFN) é constituído por todas as instituições financeiras públicas ou privadas existentes no país e seu órgão normativo

Leia mais

O que é o Mercado de Capitais. A importância do Mercado de Capitais para a Economia. A Estrutura do Mercado de Capitais Brasileiro

O que é o Mercado de Capitais. A importância do Mercado de Capitais para a Economia. A Estrutura do Mercado de Capitais Brasileiro 1 2 O que é o Mercado de Capitais A importância do Mercado de Capitais para a Economia A Estrutura do Mercado de Capitais Brasileiro O que é Conselho Monetário Nacional (CNM) O que é Banco Central (BC)

Leia mais

BAN CO DO BRASIL. Atualizada 19/01/2011 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 1

BAN CO DO BRASIL. Atualizada 19/01/2011 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 1 41. (CAIXA/2010) Compete à Comissão de Valores Mobiliários CVM disciplinar as seguintes matérias: I. registro de companhias abertas. II. execução da política monetária. III. registro e fiscalização de

Leia mais

Letras D, E e F. 3. Data de Concessão do Benefício: É a data prevista para o recebimento de Benefício.

Letras D, E e F. 3. Data de Concessão do Benefício: É a data prevista para o recebimento de Benefício. Letras D, E e F 1. Dano Moral Trabalhista: Dano causado por constrangimento moral oriundo de relação que tem por base um contrato de trabalho. Pode afetar tanto o empregado quanto o empregador. 2. Data

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS CAGEPREV - FUNDAÇÃO CAGECE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PLANO DE BENEFÍCIO DE CONTRIBUIÇÃO VARIÁVEL Vigência: 01/01/2013 a 31/12/2017 1. OBJETIVOS A Política de Investimentos tem

Leia mais

COMO INVESTIR NO MERCADO A TERMO MERCADOS

COMO INVESTIR NO MERCADO A TERMO MERCADOS COMO INVESTIR NO MERCADO A TERMO MERCADOS O que é? uma operação A TERMO É a compra ou a venda, em mercado, de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado,

Leia mais

Alterações na Poupança

Alterações na Poupança PRODUTOS E SERVIÇOS FINANCEIROS INVESTIMENTOS POUPANÇA A conta de poupança foi criada para estimular a economia popular e permite a aplicação de pequenos valores que passam a gerar rendimentos mensalmente.

Leia mais

INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA NO BRASIL

INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA NO BRASIL JANEO 2013 INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA NO BRASIL MEDIDA PROVISÓRIA 601/2012: BENEFÍCIOS FISCAIS DE FIDCS DE PROJETOS DE INVESTIMENTO (INCLUSIVE INFRAESTRUTURA) A. Introdução 1. A fim de aprimorar os

Leia mais

Jonatam Cesar Gebing. Tesouro Direto. Passo a passo do Investimento. Versão 1.0

Jonatam Cesar Gebing. Tesouro Direto. Passo a passo do Investimento. Versão 1.0 Jonatam Cesar Gebing Tesouro Direto Passo a passo do Investimento Versão 1.0 Índice Índice 2 Sobre o autor 3 O Tesouro Direto 4 1.1 O que é? 4 1.2 O que são Títulos Públicos? 5 1.3 O que é o grau de investimento?

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS CAGEPREV - FUNDAÇÃO CAGECE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA Vigência: 01/01/2013 a 31/12/2017 1. OBJETIVOS A Politica de Investimentos tem como objetivo

Leia mais

5/3/2012. Derivativos. Prof. Dr. Bolivar Godinho de Oliveira Filho. Prof. Dr. Bolivar Godinho de Oliveira Filho

5/3/2012. Derivativos. Prof. Dr. Bolivar Godinho de Oliveira Filho. Prof. Dr. Bolivar Godinho de Oliveira Filho Derivativos Prof. Dr. Bolivar Godinho de Oliveira Filho 1 Prof. Dr. Bolivar Godinho de Oliveira Filho Currículo Economista com pós-graduação em Finanças pela FGV-SP, mestrado em Administração pela PUC-SP

Leia mais

Banco do Brasil - Cartilha de Fundos de Investimento Fundos de Investimento

Banco do Brasil - Cartilha de Fundos de Investimento Fundos de Investimento Fundos de Investimento O que é?...2 Tipos de Fundos...2 Fundos de curto prazo...2 Fundos renda fixa...2 Fundos referenciados DI...2 Fundos multimercado...3 Fundos de ações...3 Fundos da dívida externa...3

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 3.5.4 - Mercado de Capitais

Conhecimentos Bancários. Item 3.5.4 - Mercado de Capitais Conhecimentos Bancários Item 3.5.4 - Mercado de Capitais Conhecimentos Bancários Item 3.5.4 - Mercado de Capitais Sistema de distribuição de valores mobiliários, que tem o objetivo de proporcionar liquidez

Leia mais

Finança Pessoal. Artigo Clube de Investimento Versão completa em PDF Versão 1.0 www.financapessoal.com.br

Finança Pessoal. Artigo Clube de Investimento Versão completa em PDF Versão 1.0 www.financapessoal.com.br Bem-vindo aos artigos do Finança Pessoal. Nesse primeiro artigo vamos esclarecer as informações sobre os Clubes de Investimentos e vamos fazer um passo-a-passo de como montar um clube. Esse artigo é uma

Leia mais

Especialista questiona "ascensão" de bancos brasileiros em ranking

Especialista questiona ascensão de bancos brasileiros em ranking Veículo: Valor Online Data: 13/04/09 Especialista questiona "ascensão" de bancos brasileiros em ranking A crise global colocou os bancos brasileiros em destaque nos rankings internacionais de lucro, rentabilidade

Leia mais

A CVM E O MERCADO DE CAPITAIS NO BRASIL

A CVM E O MERCADO DE CAPITAIS NO BRASIL A CVM E O MERCADO DE CAPITAIS NO BRASIL Leonardo B. Pupo Analista de Mercado de Capitais Gerência de Acompanhamento de Mercado 2 Superintendência de Acompanhamento de Mercado Agenda Intermediação Financeira

Leia mais

Salus Infraestrutura Portuária S.A.

Salus Infraestrutura Portuária S.A. Salus Infraestrutura Portuária S.A. Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2014 e Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Deloitte

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 7 (IASB) PRONUNCIAMENTO Conteúdo Item OBJETIVO

Leia mais

Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10. Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10 3º versão

Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10. Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10 3º versão Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10 Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10 3º versão 0 Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID SÉRIE 10-3º

Leia mais

GESTOR DA CARTEIRA DE INVESTIMENTO

GESTOR DA CARTEIRA DE INVESTIMENTO O QUE É? No Brasil um fundo de investimento possui a sua organização jurídica na forma de um condomínio de investidores, portanto o fundo de investimento possui um registro na Receita Federal (CNPJ) pois

Leia mais

Material Explicativo sobre Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI)

Material Explicativo sobre Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI) Material Explicativo sobre (CRI) 1. Definições Gerais Os Certificados de Recebíveis são títulos lastreados em créditos imobiliários, representativos de parcelas de um direito creditório. O ativo permite

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 08. Custos de Transação e Prêmios na Emissão de Títulos e Valores Mobiliários

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 08. Custos de Transação e Prêmios na Emissão de Títulos e Valores Mobiliários COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 08 Custos de Transação e Prêmios na Emissão de Títulos e Valores Mobiliários Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 39 partes

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e Fundo de Investimento Imobiliário Península Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 3 Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Ativo 2009 2008

Leia mais

MERCADO DE CAPITAIS. Bolsas de Valores ou de Mercadorias. Cronologia da criação dos mercados de bolsas no mundo e no Brasil

MERCADO DE CAPITAIS. Bolsas de Valores ou de Mercadorias. Cronologia da criação dos mercados de bolsas no mundo e no Brasil MERCADO DE CAPITAIS Prof. Msc. Adm. José Carlos de Jesus Lopes Bolsas de Valores ou de Mercadorias São centros de negociação onde reúnem-se compradores e vendedores de ativos padronizados (ações, títulos

Leia mais

César Frade Finanças Aula 02

César Frade Finanças Aula 02 César Frade Finanças Aula 02 Olá Pessoal. Estamos nós aqui mais uma vez para tentar entender essa matéria. Concordo que a sua compreensão não é das mais fáceis, mas vocês terão que concordar comigo que

Leia mais

Relatório Analítico 27 de março de 2012

Relatório Analítico 27 de março de 2012 VENDA Código de Negociação Bovespa TGM A3 Segmento de Atuação Principal Logística Categoria segundo a Liquidez 2 Linha Valor de M ercado por Ação (R$) 29,51 Valor Econômico por Ação (R$) 32,85 Potencial

Leia mais

Prof. Cid Roberto. Concurso 2012

Prof. Cid Roberto. Concurso 2012 Prof. Cid Roberto Concurso 2012 Grupo Conhecimentos Bancários no Google http://goo.gl/gbkij Comunidade Conhecimentos Bancários (orkut) http://goo.gl/4a6y7 São realizadas por bancos de investimentos e demais

Leia mais

Escolha o seu e comece a construir o futuro que você quer ter

Escolha o seu e comece a construir o futuro que você quer ter Escolha o seu e comece a construir o futuro que você quer ter Valia Fix, Valia Mix 20, Valia Mix 35 e Valia Ativo Mix 40 Quatro perfis de investimento. Um futuro cheio de escolhas. Para que seu plano de

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.)

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2008 2007 Passivo e patrimônio líquido 2008 2007 Circulante Circulante Bancos 3 14 Rendimentos a distribuir 3.599 2.190 Aplicações financeiras de renda fixa

Leia mais

Tag Along Direito de alienação de ações conferido a acionistas minoritários, em caso de alienação de ações realizada pelos controladores da companhia.

Tag Along Direito de alienação de ações conferido a acionistas minoritários, em caso de alienação de ações realizada pelos controladores da companhia. Tag Along Direito de alienação de ações conferido a acionistas minoritários, em caso de alienação de ações realizada pelos controladores da companhia. Take One Proposta de adesão para um cartão encontrado

Leia mais

BRADESCO PRIVATE FIC FI MULTIMERCADO PACTUAL HIGH YIELD

BRADESCO PRIVATE FIC FI MULTIMERCADO PACTUAL HIGH YIELD BRADESCO PRIVATE FIC FI MULTIMERCADO PACTUAL HIGH YIELD Bradesco Private Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento Multimercado Pactual High Yield CNPJ: 06.190.203/0001-74 Características

Leia mais

Gestão Tesouraria e Derivativos Prof. Cleber Rentroia MBA em Gestão Financeira Avançada

Gestão Tesouraria e Derivativos Prof. Cleber Rentroia MBA em Gestão Financeira Avançada 1. O direito de compra de um ativo, a qualquer tempo, pelo respectivo preço preestabelecido, caracteriza uma opção? a) Européia de venda b) Européia de compra c) Americana de venda d) Americana de compra

Leia mais

TIPOS DE INVESTIMENTO

TIPOS DE INVESTIMENTO TIPOS DE INVESTIMENTO CDB O Certificado de Depósito Bancário (CDB) e o Recibo de Depósito Bancário, (RDB) são os mais antigos e utilizados títulos de captação do setor privado. São oficialmente conhecidos

Leia mais

COMO INVESTIR NO MERCADO A TERMO MERCADOS

COMO INVESTIR NO MERCADO A TERMO MERCADOS COMO INVESTIR NO MERCADO A TERMO MERCADOS Como Investir no Mercado a Termo 1 2 Como Investir no Mercado a Termo O que é? uma OPERAÇÃO A TERMO É a compra ou a venda, em mercado, de uma determinada quantidade

Leia mais

CAPÍTULO I DO FUNDO CAPÍTULO II DA ADMINISTRAÇÃO

CAPÍTULO I DO FUNDO CAPÍTULO II DA ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO I DO FUNDO 1. O CSHG JUSPREV FUNDO DE INVESTIMENTO REFERENCIADO DI constituído sob forma de condomínio aberto, com prazo indeterminado de duração, é regido pelo presente Regulamento e pelas disposições

Leia mais

Princípios de Investimento

Princípios de Investimento Princípios de Investimento Rentabilidade Rentabilidade é o grau de rendimento proporcionado por um investimento pela valorização do capital ao longo do tempo. Liquidez Liquidez é a rapidez com que se consegue

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC CAMBIAL DOLAR 02.294.024/0001-26 Informações referentes a Abril de 2013

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC CAMBIAL DOLAR 02.294.024/0001-26 Informações referentes a Abril de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o HSBC FUNDO DE INVESTIMENTO CAMBIAL LONGO PRAZO. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento

Leia mais

TRIBUTAÇÃO. Atualizado em 12/2011

TRIBUTAÇÃO. Atualizado em 12/2011 TRIBUTAÇÃO Atualizado em 12/2011 1 Tributação dos Fundos de Investimento Instruções Normativas SRF nº 487 (30/12/04) e nº 489 (07/01/05) Lei nº 11.033/04 2 Base de Incidência de IR Base de incidência:

Leia mais

Semana Nacional de Educação Financeira Tema. Opções de investimentos em um cenário de juros em elevação

Semana Nacional de Educação Financeira Tema. Opções de investimentos em um cenário de juros em elevação Tema Opções de investimentos em um cenário de juros em elevação Apresentação JOCELI DA SILVA SILVA Analista Administrativo/Gestão Pública Lotado na Assessoria de Coordenação 3ª CCR Especialização UNB Clube

Leia mais