CENTRO DE ESPECIALIDADES MÉDICAS SCBH É REFERÊNCIA NO ATENDIMENTO AO SUS página 4

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CENTRO DE ESPECIALIDADES MÉDICAS SCBH É REFERÊNCIA NO ATENDIMENTO AO SUS página 4"

Transcrição

1 INFORMATIVO DO GRUPO SANTA CASA BH Nº 278 FEVEREIRO DE 2015 CENTRO DE ESPECIALIDADES MÉDICAS SCBH É REFERÊNCIA NO ATENDIMENTO AO SUS página 4

2 2 SANTA CASA NOTÍCIAS FEVEREIRO DE 2015 Palavra do provedor Prezado(a) amigo(a), Aqui estamos para a nossa conversa mensal, fundamental para mantermos o diálogo e a transparência entre os diversos setores da instituição que - para funcionar do melhor modo possível e diante das dificuldades por que passam todas as filantrópicas do País - muito exige devotamento de quantos se encontram sob a bandeira do altruísmo e do ideal cristão de servir aos que necessitam de ajuda. Este é o caminho desenvolvido pela Santa Casa BH, desde sua fundação em maio de No decorrer de seus 116 anos, que se completam no quinto mês deste ano, temos trabalhado para consumação dos objetivos que nos movem desde aquela hora. Durante o longo período à frente dos destinos do Grupo Santa Casa BH, temos envidado esforços para ampliar e aperfeiçoar os serviços à população, sobretudo aos segmentos mais carentes. As próprias dificuldades financeiras das filantrópicas impedem que determinados e elevados propósitos sejam abençoados em favor do cidadão. No entanto, como se deduzirá das informações contidas no presente informativo, enquanto aguardamos ansiosamente a tramitação de propostas e projetos de interesse do Grupo Santa Casa BH em nível federal, estadual e municipal, persistimos em ininterrupto labor. Nesta edição, damos especial ênfase à atuação do Centro de Especialidades Médicas SCBH, erguido após exaustivos esforços sobre o que restou da interrompida obra do Cardiominas. Na mesma área em que a Santa Casa BH construíra o antigo sanatório Imaculada Conceição, um marco na assistência ao paciente com tuberculose, implantou-se o CEM SCBH, que tantos e tão reconhecidos serviços hoje oferece à sociedade em um setor assistencial em que o Estado está tão carente. Os números e percentuais da unidade são sobremodo representativos, com milhares de pessoas recorrendo a múltiplos procedimentos sob cuidados de competentes profissionais de saúde. E não só se trata de serviço médico, mas também de capacitação em programas de educação continuada. Mostra-se, em outra matéria desta edição, o relevante significado de nossa funerária, criada ao tempo em que Bernardo Monteiro foi prefeito da Capital. O aspecto social do serviço ganhou expressão com Juscelino, também prefeito, em 1944, quando - como acertado com o provedor José Maria Alkmim - a Santa Casa BH assumiu a responsabilidade pelos sepultamentos, dos mortos em Belo Horizonte, cujas famílias não tenham condições econômicas. Para tanto, em outra iniciativa pioneira, instalou-se no hospital um setor para registro de óbitos de pacientes ali falecidos. Para quem deseja saber mais sobre saúde e vida, há outras notícias, com ênfase sobre metabolismo, além de reportagem sobre a saúde no Brasil de nossos dias. Para aprimorá-la e estendê-la aos irmãos enfermos, seguimos dando eficaz contribuição, a despeito de toda adversidade. Até março. Saulo Levindo Coelho Provedor DOAÇÕES - JANEIRO DE 2015 Receitas (em reais) Doações - contas da CEMIG ,00 Doações - boleto bancário/c. de crédito ,00 Doações - dinheiro 7.331,00 Doações - sentenças judiciais 2.718,00 TOTAL ,00 Fonte: Provedoria da Santa Casa BH Contribua com a Santa Casa BH. Faça contato com a Central de Doações: (31) ESPAÇO LEITOR Agradeço pela assistência oferecida à minha esposa, Claudina da Conceição Filpi, durante o período em que ela esteve internada para cirurgia e recuperação. O atendimento correspondeu ao bom nome e prestígio desta instituição. Leonardo Pessoa Filpi - Belo Horizonte, MG Quero registrar o impecável atendimento da equipe do Centro de Referência de Glaucoma e Catarata da Santa Casa BH, em especial da funcionária Elaine e dos médicos que fazem o exame de curva diária de pressão intraocular. Destaco também a educação, cordialidade e atenção dispensada aos pacientes. Todos estão de parabéns. Márcia Cristina Ferreira - Belo Horizonte, MG EXPEDIENTE Conselho da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte. Provedor Saulo Levindo Coelho 1º Secretário [ Vago ] 2º Secretário Roberto Otto Augusto de Lima Agostinho Patrus Filho, Carlos Batista Alves de Souza, Jamerson Rodrigues Marques, Jésus Trindade Barreto Júnior, João Batista do Couto, José Ângelo Lima Duarte, José Fernando Aparecido de Oliveira, José Luiz Magalhães, Laura Medioli, Luiz Fellipe de Lima Vieira, Maria Regina Calsolari, Maurício Brandi Aleixo, Newton Paiva Ferreira Filho, Olguinha Géo Leite Soares, Oswaldo Fortini Levindo Coelho, Reynaldo Arthur Ramos Ferreira, Saulo Converso Lara. Conselho Fiscal Amilcar Viana Martins, Carlos Ediber Richard Carvalhais, Christiano Renault, Delson de Miranda Tolentino, João Afonso Baeta da Costa Machado. Secretária da Irmandade Abadia Nunes do Nascimento Diretor Clínico Flávio Mendonça Andrade da Silva Vice-Diretor Clínico Kleber Costa Castro Pires Comitê Executivo Operacional Superintendente-geral Porfírio Marcos Rocha Andrade Superintendente de Assistência à Saúde Guilherme Gonçalves Riccio Superintendente de Planejamento, Finanças e Recursos Humanos Gonçalo de Abreu Barbosa Santa Casa Notícias Informativo mensal do Grupo Santa Casa BH Registrado no Cartório de Pessoas Jurídicas de Belo Horizonte sob o número 911, Livro B, em Av. Francisco Sales, Santa Efigênia - BH - CEP Telefone: (31) Editor: Manoel Hygino dos Santos (MG JP) Jornalistas: Almir Gomes Mariana Castello Branco Estagiário: Eduardo Constantino Revisão: Rodrigo Almeida (5.817/MG) Projeto gráfico: G30 MKT & COM Impressão: TCS Sol. Gráficas e Editora Tiragem: 3000 exemplares Assessor de Comunicação Institucional - Grupo Santa Casa BH Rodrigo Almeida O conteúdo deste informativo pode ser republicado por outros veículos de comunicação desde que citada a fonte: Santa Casa Notícias - Grupo Santa Casa BH.

3 FEVEREIRO DE 2015 SANTA CASA NOTÍCIAS 3 EXPERIÊNCIA PIONEIRA DA UNIDADE DE REGISTRO CIVIL A promotora de Justiça da Infância e da Juventude, dra. Maria de Lurdes Santa Gema (de vermelho, na foto), visitou no dia 10 de fevereiro a Unidade Interligada de Registro Civil da Santa Casa BH. Acompanhada de sua equipe - Rosana Araújo (psicóloga), Mabel Piancastelli (assistente social) e Sara Clemente (estagiária de Serviço Social) - a promotora foi recebida pela assistente social da instituição, Marilda de Souza e Santos, e pela equipe do Cartório de Registro Civil do 1º Subdistrito. O objetivo da visita foi verificar o progresso do serviço de emissão de certidões de nascimento e de óbito no hospital. A promotora participa desde 2010 da criação das unidades interligadas nas maternidades de Minas Gerais. Durante a visita, a dra. Maria de Lurdes destacou o pioneirismo da Santa Casa BH, a primeira a inaugurar o serviço de óbito no Brasil: estou feliz pelos avanços que presenciei hoje. Usaremos a experiência desta unidade para discutir, monitorar e avaliar as ações e verificar o que precisa ser melhorado. O nosso objetivo é expandir a emissão de certidão de óbito para as 36 unidades interligadas que já oferecem o registro de nascimento. Esse trabalho é fundamental à sociedade. Para que o cidadão tenha acesso às políticas públicas, ele precisa da sua documentação básica. Inaugurada em fevereiro de 2014, a Unidade de Registro Civil da SCBH foi um dos projetos-piloto para emissão de certidões de nascimento em hospitais da Capital. Em dezembro do ano passado, o registro de óbito também passou a ser disponibilizado na Santa Casa BH. Os serviços funcionam no 1º andar do hospital, de segunda a sexta-feira, das 8:30 às 11:30 h. HÁ 70 ANOS REALIZANDO SEPULTAMENTOS GRATUITOS O serviço funerário para sepultamentos gratuitos existe há 70 anos. Foi estabelecido em 23 de agosto de 1944, por meio de um contrato firmado entre a Prefeitura de Belo Horizonte - representada na época pelo prefeito Juscelino Kubitschek - e pelo então provedor da Santa Casa BH, José Maria Alkmim. Em 2014, a média de sepultamentos gratuitos realizados pela Funerária Santa Casa BH foi de 108 por mês. Na contabilização geral da unidade, isso representa 1 em cada 5 sepultamentos. De acordo com o gerente da FSCBH, Jefferson Florêncio, esse serviço representa um dos grandes diferenciais do Grupo Santa Casa BH: é uma ação filantrópica efetuada de forma integral. Somos responsáveis por tudo, desde a remoção do corpo no necrotério ou instituição de saúde até a higienização, tanatopraxia, ornamentação, condução do corpo, preparação da cova e sepultamento no cemitério. Fundada em 1900, a Funerária Santa Casa BH conta com a maior infraestrutura do setor na Capital, ofertando à população serviços funerários, planos funerários, coroas de flores e cursos de tanatopraxia. Mas o grande diferencial da unidade é realizar com exclusividade, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, sepultamentos gratuitos para pessoas carentes, indigentes e peças do IML. O contrato estabelece uma ligação entre a Secretaria Municipal Adjunta de Assistência Social (Smaas) da PBH e a Funerária Santa Casa BH, a única autorizada a prestar esse serviço na Capital. Segundo a Lei Orgânica da Assistência Social, o sepultamento gratuito está entre os benefícios da Política de Assistência Social por serem de caráter suplementar e provisório, prestados aos cidadãos e às famílias em virtude de nascimento, morte, situações de vulnerabilidade temporária e de calamidade pública. A Smaas é responsável por realizar o estudo de enquadramento do solicitante às normas da legislação e solicitar à FSCBH a execução do sepultamento. Sempre renovando sua parceria com o poder público, desde 2013 a Funerária Santa Casa BH é também responsável pelo transporte gratuito de corpos de pessoas carentes e indigentes, para o IML, quando há solicitação de necrópsia (exame que determina a causa da morte do indivíduo) dos hospitais Risoleta Neves, João XXIII e Santa Casa BH. Para solicitar um sepultamento gratuito, os familiares devem procurar o Plantão Social da PBH portando certidão de óbito, baixa do cartório e documentos que comprovem a necessidade da gratuidade. O Plantão Social funciona nas 9 regionais da PBH durante a semana e na rodoviária nos finais de semanas e feriados. AMPLIAÇÃO DA CAPACIDADE DE OXIGÊNIO No dia 31 de janeiro foi realizada a substituição de um dos tanques de oxigênio líquido da Santa Casa BH. O novo equipamento comporta 18,5 mil m³ do gás medicinal, enquanto o anterior tinha capacidade de 7,5 mil m³. Com esse aumento triplica-se a autonomia de uso para pacientes da UTI e do bloco cirúrgico da Santa Casa BH. A instituição possui agora 2 tanques de oxigênio - totalizando 25 mil m³ - além de 1 tanque de nitrogênio (7,5 mil m³) e 1 nitroso (5 mil m³), todos com quantidade ideal para assistência aos pacientes.

4 4 SANTA CASA NOTÍCIAS FEVEREIRO DE 2015 HUMANIZAÇÃO NO ATENDIMENTO MÉDICO ESPECIALIZADO O Centro de Especialidades Médicas SCBH, unidade pertencente ao Grupo Santa Casa BH, é referência no atendimento médico especializado para usuários do SUS em Minas Gerais. Em 2014, a unidade realizou em média 54 mil atendimentos mensais. Deste total, foram cerca de 32 mil exames, 20 mil consultas (médicas e de equipe multidisciplinar), procedimentos ambulatoriais e 110 cirurgias de pequeno porte. Dos pacientes atendidos na unidade, no ano passado, 60% eram da Capital e da Região Metropolitana de Belo Horizonte e 40% de outros municípios mineiros. Originalmente construído para abrigar o Cardiominas, o prédio ficou abandonado por anos até que um condomínio formado pelo Grupo SCBH, Governo Federal, Governo Estadual e a Prefeitura de Belo Horizonte reativou o local, inaugurando-o em 2007 para abrigar 3 unidades de saúde distintas: CEM SCBH, CEM Ipsemg e UPA Centro-Sul. Na atual rede de atendimento aos usuários do SUS, em Belo Horizonte, o CEM SCBH é imprescindível. Atendendo a 32 especialidades médicas e realizando 19 tipos de exames e pequenas cirurgias ambulatoriais, a unidade é referência nos serviços de Obesidade Clínica, Obesidade Cirúrgica, Pré-natal de Alto Risco, Endocrinologia e Nefrologia. Funcionando de segunda a sexta-feira, atende em média pessoas por dia. Para tanta demanda, conta com uma equipe de cerca de 155 funcionários (área administrativa e assistencial, incluindo técnicos em enfermagem e enfermeiros) e 500 médicos. Localização privilegiada facilita o acesso de usuários do SUS FOTOS: Circulam diariamente pelo local cerca de pessoas entre pacientes, acompanhantes e profissionais de saúde. Os usuários do SUS atendidos na unidade são encaminhados pelos postos de saúde da Capital ou pelas secretarias de saúde dos municípios mineiros. Na necessidade de internações ou cirurgias complexas, os pacientes muitas vezes são encaminhados para a Santa Casa BH e, em contrapartida, os egressos das internações contam com atendimento, quando necessário, no CEM. Com equipamentos e instalações modernas, o local abriga 68 consultórios, 25 salas de exames, 1 bloco cirúrgico com 3 salas para pequenas cirurgias, 2 salas de procedimentos ambulatoriais, 1 sala de pulsoterapia e 3 salas de fototerapia. Focado no atendimento multidisciplinar, a unidade também oferece atendimento assistencial, com profissionais de Assistência Social, Nutrição, Fonoaudiologia, Fisioterapia e Psicologia. EXPRESSIVOS NÚMEROS DO CEM SCBH EM 2014 Consultas, exames, pequenas cirurgias e pequenos procedimentos: /ano Exames: /ano Consultas ambulatoriais (realizadas pela equipe médica e multidisciplinar): /ano Procedimentos ambulatoriais: /ano Pequenas cirurgias: 1.311/ano Fonte: DATASUS e CEM SCBH Equipamentos modernos garantem precisão e segurança nos diagnósticos PROCEDIMENTOS MAIS REALIZADOS EM 2014 Exames laboratoriais: /ano Consultas médicas em Atenção Especializada: /ano Consultas de profissionais em Atenção Especializada (exceto médico): /ano Eletrocardiogramas: /ano Curativos (Grau II): /ano Ultrassonografias (doppler colorida): /ano Pequenas cirurgias: 1.281/ano Raio-X: /ano Dentre consultas, exames, procedimentos e cirurgias, unidade realiza 54 mil atendimentos por mês, em média Fonte: DATASUS e CEM SCBH

5 FEVEREIRO DE 2015 SANTA CASA NOTÍCIAS 5 De acordo com a superintendente adjunta do CEM Santa Casa BH, dra. Maria Nunes Álvares, para oferecer atendimento humanizado e de alto nível são promovidos encontros periódicos de educação continuada para médicos, profissionais de enfermagem e toda a equipe multidisciplinar: a capacitação é de grande importância para o andamento das atividades realizadas diariamente na unidade. Um exemplo disso é a realização do Seminário do CEM Santa Casa BH, que acontece anualmente e envolve todos os seus profissionais de saúde. O encontro favorece a troca de experiências para que possamos desempenhar melhor o nosso papel na saúde do Estado. MUTIRÕES E CAMPANHAS Com o objetivo de agilizar diagnósticos para a população, médicos da unidade realizaram em 2014 diversos mutirões de atendimento de Ultrassom, Ecocardiografia, Estudo Urodinâmico, Dermatologia, Urologia, Ortopedia e Angiologia. Durante o ano, o CEM Santa Casa BH também promoveu campanhas de conscientização junto aos usuários sobre Prevenção do Câncer de Pele; Outubro Rosa - Câncer de Mama; Novembro Azul - Câncer de Próstata; Novembro Dourado - Câncer Infantojuvenil; Prevenção da Obesidade; Dia Mundial do Diabetes e Campanha de Prevenção do Pé Diabético. ENQUETE Iniciei o meu tratamento em 2011 no laboratório de Diabetes tipo II e, em seguida, passei para o serviço de Obesidade Clínica. Atualmente, a minha diabetes está controlada e consegui melhorar o meu peso. Desejo emagrecer e, para isso, tenho que ter disciplina. Daí a importância do acompanhamento multidisciplinar. Sou muito bem orientada e estou tentando melhorar os meus hábitos, com ajuda profissional especializada. Não daria conta sem o apoio dos profissionais do CEM. Maria Rita da Silva Sezário - Belo Horizonte, MG No ano passado, tive sérios problemas referentes a um implante de prótese de quadril e encontrei no CEM SCBH toda a ajuda necessária para a minha reabilitação. Sou atendida nos ambulatórios de Ortopedia, Cirurgia Plástica e Reumatologia e estou muito satisfeita. Viajo 120 quilômetros, mas venho com a certeza de que o serviço prestado aqui é de alto nível. Percebo que os profissionais são capacitados e tratam os usuários do SUS com toda atenção. Maria Aparecida de Paula - Pitangui, MG CONSCIENTIZAÇÃO Nos dias 10 e 11 de fevereiro, funcionários do Grupo Santa Casa BH participaram de palestras de conscientização no Salão Nobre da SCBH. Cerca de 150 pessoas foram orientadas sobre os temas Doenças Sexualmente Transmissíveis, Gravidez Indesejada e Métodos Anticoncepcionais e Drogas Lícitas, todos apresentados pelo representante do Grupo Saúde e Vida, Cléber Stelitano. Estas palestras fazem parte da campanha Carnaval Consciente, desenvolvida pelo setor do Gestão de Pessoas e pela Assessoria de Comunicação Institucional do GSCBH. Segundo Cléber, o bate-papo teve o objetivo de conscientizar os participantes da importância da medicina preventiva: não se pode brincar com a Aids e as DST s. O cuidado começa com o uso da camisinha, mas informações sobre as doenças são essenciais para a proteção da saúde, nosso bem mais precioso. Para complementar a ação, a equipe de Segurança do Trabalho visitou diversos setores das unidades do GSCBH distribuindo preservativos e panfletos educativos sobre a importância da prevenção. Na semana do Carnaval, também foram publicadas postagens nas redes sociais da Santa Casa BH, incentivando os foliões a aproveitarem o feriado de forma segura e responsável. CARNAVAL NA PEDIATRIA FOTOS: No dia 13 de fevereiro, crianças da Unidade Pediátrica da Santa Casa BH se divertiram ao som de marchinhas de Carnaval apresentadas pelo Instituto HAHAHA, grupo de atores especializados em apresentações para crianças hospitalizadas. O cortejo circulou pelas alas de Oncologia Pediátrica, Pediatria Clínica e Pediatria Cirúrgica, finalizando na UTI Infantil. Ao todo, cerca de 80 crianças e seus acompanhantes participaram do festejo. Os profissionais de saúde da Pediatria da Santa Casa BH entraram no clima e usaram adereços carnavalescos. Os pacientes mirins participaram também de oficinas de arte, nos dias 11 e 13, produzindo máscaras de Carnaval. Fábio Oliveira Melo, pai de Isabela, de 6 anos, parabenizou a instituição pela iniciativa: essas ações trazem alegria tanto para as crianças, que precisam de ânimo para se recuperar, quanto para os pais. A diversão se estendeu durante toda a tarde e foi ótima. Na Unidade Pediátrica, integrantes do Instituto HAHAHA animaram pacientes e funcionários

6 6 SANTA CASA NOTÍCIAS FEVEREIRO DE 2015 ENTENDENDO O METABOLISMO É cada vez mais comum ouvir: o meu metabolismo é lento e por isso tenho dificuldades para perder peso ou emagreço rápido graças ao meu metabolismo acelerado. Verdade ou mito? Afinal, o que é metabolismo? De acordo com o médico da Clínica de Endocrinologia da Santa Casa BH, dr. Pedro Rosário, metabolismo é o conjunto de reações químicas que ocorrem nas células de duas maneiras distintas: o anabolismo forma substâncias complexas, consumindo energia. Já o catabolismo degrada substâncias, gerando outras mais simples e liberando energia. O corpo humano precisa de energia para manter suas funções vitais, mesmo quando se está em repouso. Por isso, o metabolismo é um processo contínuo. Pessoas com metabolismo lento gastam menos energia para manter o corpo em atividade e, por isso, devem ingerir menos calorias. Caso contrário, este excesso será armazenado como gordura, colaborando para o ganho de peso (anabolismo de gordura). O oposto acontece com indivíduos com metabolismo acelerado, que consomem mais energia para o funcionamento do seu organismo. Para obter esta energia o corpo precisa degradar gordura, colaborando para a perda de peso e de massa gorda (catabolismo de gordura). O metabolismo de pessoas saudáveis é determinado, principalmente, por predisposições genéticas, sexo (mulheres tem metabolismo mais lento) e idade (metabolismo diminui com avanço da idade e após a menopausa). Com menor influência, outros fatores podem modificá-lo: massa muscular (quanto maior a quantidade, maior o gasto de energia), atividade física (o metabolismo aumenta com a prática diária), além da frequência e composição das refeições. Segundo o especialista, os fatores não modificáveis (hereditariedade, idade e sexo) são determinantes para o metabolismo de cada pessoa, mas há ainda casos raros de algumas doenças que também podem mudá-lo: quando não tratado, o hipotireoidismo pode tornar o metabolismo mais lento. Já o hipertireoidismo e o feocromocitoma o aceleram. Não é tão fácil alterar o metabolismo de uma pessoa, principalmente porque majoritariamente ele é determinado por condições não modificáveis. No entanto, algumas medidas podem acelerá-lo: a prática de atividade física, que aumenta a massa muscular, e a adequação dos hábitos alimentares, com fracionamento das refeições e alimentação equilibrada. Medicamentos e substâncias que prometem acelerar o metabolismo, na maioria das vezes, são ineficazes e podem causar efeitos colaterais como agitação, insônia, palpitações e arritmias. Pensar que o metabolismo contribui decisivamente para a perda ou ganho de peso é um mito. Para o dr. Pedro Rosário, as alterações metabólicas não são tão determinantes quando se deseja emagrecer: devemos adaptar a quantidade de calorias ingerida ao nosso metabolismo individual. Para perder peso e gordura, as pessoas com metabolismo mais lento precisam ingerir menor quantidade de calorias. SEJA BEM-VINDA, APOSENTADORIA Funcionários do GSCBH se beneficiam do programa de aposentadoria Com a chegada da aposentadoria, desfazer-se da rotina do ambiente de trabalho é motivo de alegria e satisfação para muitos trabalhadores. Mas, para algumas pessoas, o fim da carreira profissional é um período difícil devido à radical mudança de hábitos. No intuito de contribuir para amenizar este impacto, o Grupo Santa Casa BH mantém, desde 2011, o Programa Preparatório para Aposentadoria (PPA) oferecido pelo setor de Gestão de Pessoas. O programa já atendeu cerca de 100 pessoas que participaram de forma voluntária. Além dos direitos garantidos por lei, o PPA concede aos funcionários pagamento da multa de 40% sobre o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS); antecipação do pagamento do dissídio, caso o empregado tenha direito, em até 12 meses; aviso prévio indenizado ou trabalhado, conforme avaliação da gerência da área; acesso por 1 ano ao Clube Oi Art e possibilidade de participação por tempo indeterminado no Coral da Santa Casa BH. Marinete Cordeiro, conhecida como Nete, está há 36 anos no Grupo Santa Casa BH e se aposenta em abril. Atualmente, ela é supervisora do setor de Convênios e Serviço de Apoio à Família da Funerária Santa Casa BH, onde trabalha há 16 anos. Em 1978, foi admitida no Serviço Social do hospital e após 9 anos foi transferida para o Departamento de Pessoal, onde trabalhou por 11 anos. Lá ela foi uma das responsáveis pela implantação dos treinamentos de integração, realizados até hoje pelo setor recentemente renomeado para Gestão de Pessoas. A transferência para a Funerária SCBH permitiu que Marinete colaborasse para a aproximação dos funcionários junto às equipes das demais unidades do GSCBH, além de valorizá-los pessoal e profissionalmente. Relembrando sua trajetória profissional, Marinete se alegra por suas conquistas: A Santa Casa BH faz parte da minha história. Aqui tive oportunidade de crescimento imensurável e consegui conquistar meus objetivos pessoais. Aposento com a sensação de dever cumprido. Tive todo o suporte do Programa Preparatório para Aposentadoria para que esse desligamento seja tranquilo. A funcionária participou de momentos importantes da história da instituição. Ela se recorda com muito carinho do projeto Santa Casa - Casa Nova, que em 1993 recuperou a pintura da fachada do hospital: foi um momento histórico. No dia da inauguração, a praça Hugo Werneck se transformou em um palco com a presença de autoridades, funcionários e a população. O prédio ficou imponente e maravilhoso. O momento mais marcante foi o helicóptero sobrevoando o hospital e jogando pétalas de rosas. Na época, a campanha para escolher as cores que seriam utilizadas mobilizou os belo-horizontinos com urnas espalhadas por toda a cidade. Os interessados em participar do Programa Preparatório para Aposentadoria devem procurar o setor de Gestão de Pessoas ou ligar para o telefone (31)

7 FEVEREIRO DE 2015 SANTA CASA NOTÍCIAS 7 UM PAÍS MAIS SAUDÁVEL Campanhas e políticas públicas contra doenças que podem ser combatidas ou ter suas formas de contágio reduzidas, com orientações eficientes e cuidados adequados, são fundamentais para melhorar a saúde da população de qualquer País. No Brasil, ao longo das últimas décadas, recorrentes campanhas de vacinação estão sendo decisivas para que alguns males sejam erradicados ou apresentem menor incidência. A melhoria nas condições de vida da população também possibilitou o controle de algumas doenças. Atualmente no Brasil, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), o número de casas com água encanada é de 84% (93% em áreas urbanas). Mas a vacinação ainda é a maneira mais eficiente de evitar epidemias. O Programa Nacional de Imunizações (PNI), instituído em 1973, é bem sucedido e vem alcançando boa taxa de cobertura populacional. Atualmente inclui vacinas contra a BCG, poliomielite, sarampo, caxumba e rubéola, difteria, coqueluche, tétano, Influenza, hepatite B, hepatite A para crianças até um ano de idade, HPV para meninas de 9 a 13 anos, febre amarela, Pesquisas e ações de combate ajudaram a reduzir a incidência de várias doenças rotavírus, dtpa para gestantes, meningocócica C conjugada e pneumocócica 10 valente. Os números relacionados ao controle de doenças por vacinação no Brasil são impressionantes. Entre 1980 e 2007, o número de mortes por tétano caiu 80% e declinou 95% para mortes por coqueluche. A poliomielite (paralisia infantil) foi erradicada em 1989 e a transmissão de sarampo não existe há mais de uma década. Além disso, o último caso de varíola notificado no País foi em Em 2008, foi realizada uma grande campanha de vacinação contra a rubéola pela qual, segundo dados do Ministério da Saúde, 67,8 milhões de homens e mulheres com idade entre 20 e 39 anos foram imunizados. Desde 2010, não se registrou nenhum novo caso no Brasil. O número de habitantes que passaram a ter acesso à água tratada e melhores condições de saneamento é um fator que chama atenção na redução de algumas doenças, como diarreia e cólera que apresentam menor incidência desde O número de mortes associada à diarreia decresceu 95% e o último caso de cólera no Brasil foi registrado há 10 anos. De acordo com um estudo da Universidade Federal da Bahia, publicado na revista científica The Lancet, estimava-se que, na década de 1970, 5 milhões de pessoas haviam sido infectadas pelo protozoário Trypanosoma cruzi, causador da Doença de Chagas. Atualmente, calcula-se que existam entre 2 e 3 milhões de pessoas infectadas (Ministério da Saúde), principalmente na região amazônica. A boa notícia é que a política governamental conseguiu interromper a transmissão vetorial domiciliar (através do barbeiro): o desafio atual é combater a transmissão oral. De acordo com o mesmo estudo da UFBA, 6 milhões de pessoas estavam infectadas com esquistossomose em Somado ao melhor acesso às condições de água tratada, higiene e ao menor contato das pessoas com criadouros de caramujos hospedeiros, o tratamento ambulatorial em larga escala também contribuiu para uma redução de 80% no número de internações por complicações da doença, enquanto as mortes decaíram 29%. Porém, a atenção não deve ser diminuída, pois o Ministério calcula que 25 milhões de pessoas ainda vivam em áreas de risco de esquistossomose, especialmente na região Nordeste. Em outro cenário, levantamento recente da OMS aponta o Brasil como o segundo lugar no mundo com mais casos de hanseníase ( em 2014), à frente somente da Índia. A partir de 1991, quando foi instituído o tratamento com a poliquimioterapia (PQT/OMS), a hanseníase passou a ser considerada curável. Com a disponibilização do tratamento para a população de baixa renda, pelo Sistema Único de Saúde, sua incidência caiu de 26,61 casos por 100 mil habitantes em 2001 para 12,14 casos em A porcentagem nacional de cura atualmente está em 84%. Em Minas Gerais, o governo contabiliza cerca de novos registros por ano. No passado, condições de saneamento básico precárias favoreciam o contágio de doenças infecciosas O parcial desconhecimento da doença pelos profissionais de saúde e pela população faz com que o diagnóstico seja tardio, gerando incapacidade e estigma. Portanto, o diagnóstico precoce, aliado ao esclarecimento da população obtido através de campanhas publicitárias e educativas, contribuem para interromper a cadeia de transmissão da hanseníase no domicílio, comenta a preceptora da Residência Médica em Dermatologia da Santa Casa BH, dra. Valéria Gomes Barbosa. A tuberculose também é um dos mais graves problemas de saúde pública no Brasil. Segundo dados do Ministério da Saúde, por ano são cerca de 70 mil novos casos e 4,6 mil mortes em decorrência da doença. O Brasil é responsável por 80% do total de registros de tuberculose no mundo. Apesar destes dados alarmantes, os números estão caindo. Nos últimos 17 anos, o número de casos caiu 38,7% e a mortalidade foi reduzida em 33,6%. No entanto, na contramão dessa tendência, o País ainda tem uma dura missão no combate de doenças como a dengue e Aids. Segundo a ONU, o Brasil é o único no mundo em que o número de casos de Aids aumentou entre 2005 e No País, a mortalidade em decorrência do HIV caiu 2,3% entre 2000 e 2013, enquanto no restante do mundo ficou em 1,5%, em média. Já as constantes campanhas dos órgãos públicos contra a dengue também se justificam. Conforme estimativas oficiais, em 1992 a incidência era de somente casos por ano, chegando a casos em A dificuldade no controle da proliferação do Aedes aegypti, principal vetor da doença, é um dos maiores desafios do Ministério da Saúde. Há mais de 40 anos, Governo Federal investe em grandes campanhas de vacinação

8 8 SANTA CASA NOTÍCIAS FEVEREIRO DE 2015 SEMANA DE INTEGRAÇÃO O Instituto de Ensino e Pesquisa Santa Casa BH promoveu entre os dias 23 e 27 de fevereiro a Semana de Integração para recepcionar cerca de 210 novos residentes e especializandos. Durante toda a semana, diversas atividades foram realizadas no Salão Nobre da Santa Casa BH para capacitação dos profissionais, como apresentação de orientações sobre os diversos setores, projetos e comissões da instituição, além de palestras sobre Agência Transfusional, Ética e Bioética e Qualidade e Gerenciamento de Risco. FOTOS: O superintendente-geral do Grupo Santa Casa BH, dr. Porfírio Andrade, participou da abertura do evento e deu boas-vindas aos alunos: a educação na Santa Casa BH é um dos pilares da instituição, desenvolvendo Dr. Porfírio Andrade, durante a abertura do evento talentos e formando profissionais. Aproveitem todas as oportunidades de aprendizado, questionem seus professores e convivam com os pacientes. Dessa forma, vocês conhecerão o ser humano em todas as suas dimensões. A programação foi encerrada no dia 27 com apresentação das atividades da organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) pela médica coloproctologista mineira, Eliane Sander Mansur, e pelo médico anestesista cubano, Jorge Gelis. Eliane já trabalhou em 8 projetos em diversas partes do mundo, como República Centro-Africana, República Democrática do Congo, Haiti, Afeganistão, Paquistão e Honduras. Já Jorge Gelis participou de 4 projetos na Somalilândia, Haiti, República Centro-Africana e Afeganistão. Segundo a dra. Eliane, durante a residência a maioria dos alunos não tem acesso às informações da medicina na área humanitária: apresentamos o projeto para que todos tenham uma visão do trabalho realizado pela MSF. O principal objetivo da organização é levar cuidados médicos para aqueles que realmente precisam com neutralidade, imparcialidade e independência. Atuo no MSF há 9 anos. Se eu tivesse conhecido o projeto anteriormente, com certeza já estaria em ação há mais tempo. Para o dr. Jorge Gelis, esse é um projeto médico-humanitário muito importante e deve ser amplamente divulgado aos novos médicos: realizamos um tipo diferente de medicina, que nos ensina uma outra forma de ver o doente. Mesmo com pouca infraestrutura e recursos escassos, podemos fazer muito pelas pessoas em condições de risco. Na mesma data, a exposição itinerante Médicos Sem Fronteiras foi exibida no Espaço de Convivência Maurício Gorle. A organização atua em 70 de países, com voluntários de todo o mundo participando de um esforço conjunto para salvar pessoas em risco de vida. Junto aos alunos, dra. Eliane Mansur enalteceu suas experiências no MSF CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO A Escola Técnica Santa Casa BH oferece em março dois cursos de capacitação para técnicos em enfermagem, alunos do curso técnico e acadêmicos. No dia 14 de março, será promovido o curso Técnicas e Práticas em Primeiros Socorros. Com duração de 8 horas, a capacitação prepara os profissionais para a realização de procedimentos de atendimento em primeiros socorros, desde a avaliação das condições da vítima até a simulação do que deverá ser feito dependendo do estado de saúde do paciente. Para o dia 28, está programado o curso Hipertensão e Cuidados de Enfermagem, com o intuito de aperfeiçoar o profissional a cuidar das manifestações e complicações clínicas mais frequentes ao paciente portador de hipertensão, além de apresentar cuidados e orientações de enfermagem necessárias à promoção da saúde dos hipertensos. A capacitação tem duração de 4 horas. As inscrições podem ser feitas na secretaria da Escola Técnica Santa Casa BH - rua Domingos Vieira, 590, Santa Efigênia. Informações pelos telefones (31) / FECHAMENTO AUTORIZADO - PODE SER ABERTO PELA ECT PARA USO DOS CORREIOS AUSENTE NÃO EXISTE O Nº INDICADO INFORMAÇÃO ESCRITA POR TERCEIROS MUDOU-SE NÃO PROCURADO DESCONHECIDO ENDEREÇO INSUFICIENTE RECUSADO ASSINATURA E Nº DO CARTEIRO: OUTROS: REMETENTE Grupo Santa Casa BH Av. Francisco Sales, 1111 Santa Efigênia Belo Horizonte - MG CEP

Santa casa. Unidade de Cuidados Prolongados Inaugurados 31 novos leitos no Hospital Central

Santa casa. Unidade de Cuidados Prolongados Inaugurados 31 novos leitos no Hospital Central Santa casa N O T Í C I A S informativo oficial do grupo santa casa bh nº 244 jan/fev 2012 Foto de Rodrigo Almeida Unidade de Cuidados Prolongados Inaugurados 31 novos leitos no Hospital Central Página

Leia mais

OBJETIVO REDUZIR A MORTALIDADE

OBJETIVO REDUZIR A MORTALIDADE pg44-45.qxd 9/9/04 15:40 Page 44 44 OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO BRASIL OBJETIVO REDUZIR A MORTALIDADE NA INFÂNCIA pg44-45.qxd 9/9/04 15:40 Page 45 45 4 " META 5 REDUZIR EM DOIS TERÇOS, ENTRE

Leia mais

Campanhas, Atividades Semanais, Comemorações, Avanços e Desafios. Para o ano de 2015

Campanhas, Atividades Semanais, Comemorações, Avanços e Desafios. Para o ano de 2015 Campanhas, Atividades Semanais, Comemorações, Avanços e Desafios Para o ano de 2015 O Plano Anual de Saúde de 2015 guarda uma característica própria: é o espelho da programação do PMS 2014/2017 aplicado

Leia mais

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de respostas.

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de respostas. Prezado(a) candidato(a): Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de respostas. Nº de Inscrição Nome ASSINALE A RESPOSTA

Leia mais

HOSPITAL SÃO RAFAEL TUDO É POSSÍVEL A QUEM CRÊ

HOSPITAL SÃO RAFAEL TUDO É POSSÍVEL A QUEM CRÊ HOSPITAL SÃO RAFAEL TUDO É POSSÍVEL A QUEM CRÊ Origem A preocupação com as questões sociais fez com que o professor e sacerdote italiano D. Luigi Maria Verzé chegasse ao Brasil, em 1974, através do Monte

Leia mais

Mais de 1,2 milhão de visitantes únicos por mês, com mais de 3,5 milhões de visualizações mensais.

Mais de 1,2 milhão de visitantes únicos por mês, com mais de 3,5 milhões de visualizações mensais. Mais de 1,2 milhão de visitantes únicos por mês, com mais de 3,5 milhões de visualizações mensais. O Brasil é o único país com mais de 100 milhões de habitantes que assumiu o desafio de ter um Sistema

Leia mais

Sucessos, Desafios e Perspectivas

Sucessos, Desafios e Perspectivas Sucessos, Desafios e Perspectivas Carla Magda A. S. Domingues Coordenação Geral do Programa Nacional de Imunizações Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Cenário Epidemiológico 1970 Doença

Leia mais

CARTA DE SERVIÇOS AO CIDADÃOADÃO

CARTA DE SERVIÇOS AO CIDADÃOADÃO CARTA DE SERVIÇOS AO CIDADÃOADÃO Hospital Universitário Dr. Miguel Riet Corrêa Jr. Rua Visconde de Paranaguá, nº 24 Campus Saúde CEP: 96.200-190 Bairro Centro Rio Grande Rio Grande do Sul/RS Brasil Acesso

Leia mais

SAÚDE E TRATAMENTOS MÉDICOS

SAÚDE E TRATAMENTOS MÉDICOS SAÚDE E TRATAMENTOS MÉDICOS CENTRO DE PROMOÇÃO À SAÚDE Iwata-shi Kounodai 57-1 É um órgão da prefeitura que tem como objetivo principal: promover serviços visando o bem-estar e a saúde dos cidadãos e a

Leia mais

NÚCLEO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA HOSPITALAR

NÚCLEO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA HOSPITALAR NÚCLEO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA HOSPITALAR Enfª Dda. Verginia Rossato Enfª Danieli Bandeira Santa Maria, 2012 Portaria GM/MS nº 2529, de 23 de novembro de 2004 Institui o Subsistema Nacional de Vigilância

Leia mais

INFARTO ENTRE AS MULHERES SEMANA DE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS FILANTRÓPICOS SUBFINANCIADOS FITAS DE CONSCIÊNCIA BANCO DE MATERIAL BIOLÓGICO

INFARTO ENTRE AS MULHERES SEMANA DE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS FILANTRÓPICOS SUBFINANCIADOS FITAS DE CONSCIÊNCIA BANCO DE MATERIAL BIOLÓGICO INFORMATIVO DO GRUPO SANTA CASA BH Nº 273 SETEMBRO DE 2014 INFARTO ENTRE AS MULHERES SEMANA DE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS página 8 página 7 FILANTRÓPICOS SUBFINANCIADOS BANCO DE MATERIAL BIOLÓGICO página 6 FITAS

Leia mais

PROVA PRÁTICA ACS CONCURSO PÚBLICO PREFEITURA MUNICIPAL DE MARACANAÚ

PROVA PRÁTICA ACS CONCURSO PÚBLICO PREFEITURA MUNICIPAL DE MARACANAÚ QUESTÃO 01 O Agente Comunitário de Saúde tem como objetivo principal contribuir para a qualidade de vida das pessoas e da comunidade. Analise as opções abaixo e marque a alternativa incorreta: A) Conhecer

Leia mais

Editoria: Geral Manaus Hoje

Editoria: Geral Manaus Hoje Editoria: Geral Manaus Hoje Beneficiários do Bolsa Família 12 Editoria: Notícias www.portalamazonia.com.br Campanha de vacinação contra H1N1 é prorrogada ( ) Press-release da assessoria de imprensa (X)

Leia mais

Protocolos de acesso do Serviço Social 1- Caracterização do Serviço

Protocolos de acesso do Serviço Social 1- Caracterização do Serviço Protocolos de acesso do Serviço Social 1- Caracterização do Serviço A finalidade do trabalho do Assistente Social junto ao usuário do Hospital Universitário da UFJF, implica em favorecer o acesso deste

Leia mais

9, 16 e 23 de outubro. www.mackenzievoluntario.com.br. No Mackenzie, o bem faz bem há 140 anos 1

9, 16 e 23 de outubro. www.mackenzievoluntario.com.br. No Mackenzie, o bem faz bem há 140 anos 1 9, 16 e 23 de outubro www.mackenzievoluntario.com.br No Mackenzie, o bem faz bem há 140 anos 1 O Projeto O Mackenzie Voluntário é um projeto de voluntariado que visa à prática da cidadania por meio do

Leia mais

APRESENTAÇÃO DIRETORIA

APRESENTAÇÃO DIRETORIA APRESENTAÇÃO Com mais de 50 anos de dedicação á SAÚDE, o Hospital São Marcos se tornou referência no assunto. Aliamos a vanguarda tecnológica com a tradição do maior e melhor corpo de profissionais do

Leia mais

ÁREAS DE ENFOQUE PRINCÍPIOS GERAIS

ÁREAS DE ENFOQUE PRINCÍPIOS GERAIS PORTUGUESE (PT) ÁREAS DE ENFOQUE PRINCÍPIOS GERAIS A Fundação Rotária atesta que: 1. Suas metas visam aumentar a eficácia na outorga de subsídios e garantir a qualidade dos projetos; 2. As declarações

Leia mais

www.saude.gov.br (Portal da saúde) Farmácia Popular do Brasil

www.saude.gov.br (Portal da saúde) Farmácia Popular do Brasil www.saude.gov.br (Portal da saúde) Farmácia Popular do Brasil O Governo Federal criou o Programa Farmácia Popular do Brasil para ampliar o acesso aos medicamentos para as doenças mais comuns entre os cidadãos.

Leia mais

PREVENÇÃO DO CÂNCER DE MAMA COMBATE AO AEDES BOAS PRÁTICAS NA MATERNIDADE 1ª FUNERÁRIA DE MINAS A OBTER CERTIFICAÇÃO ISO. página 8. página 7.

PREVENÇÃO DO CÂNCER DE MAMA COMBATE AO AEDES BOAS PRÁTICAS NA MATERNIDADE 1ª FUNERÁRIA DE MINAS A OBTER CERTIFICAÇÃO ISO. página 8. página 7. 1899 ANO XXV Nº 290 FEVEREIRO 2016 INFORMATIVO DO GRUPO SANTA CASA BH PREVENÇÃO DO CÂNCER DE MAMA página 8 COMBATE AO AEDES BOAS PRÁTICAS NA MATERNIDADE página 7 página 3 1ª FUNERÁRIA DE MINAS A OBTER

Leia mais

Combater o HIV/Aids, a malária e outras doenças

Combater o HIV/Aids, a malária e outras doenças Combater o HIV/Aids, a malária e outras doenças META Até 2015, ter detido a propagação do HIV/Aids e começado a inverter a tendência atual. 6a META Alcançar, até, o acesso universal ao tratamento para

Leia mais

PLANO INDIVIDUAL OU FAMILIAR UNIMED. Cuidamos de quem é importante para você

PLANO INDIVIDUAL OU FAMILIAR UNIMED. Cuidamos de quem é importante para você PLANO INDIVIDUAL OU FAMILIAR UNIMED Cuidamos de quem é importante para você plano individual ou familiar Unimed Atenção, respeito e e ciência são pré-requisitos indispensáveis quando se pensa em uma operadora

Leia mais

Relatório Anual e Balanço Social

Relatório Anual e Balanço Social Relatório Anual e Balanço Social 2014 ADMINISTRAÇÃO Conselho da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte Constituição vigente em 2014: Provedor Saulo Levindo Coelho 1º Secretário Lindolfo

Leia mais

Campanha para Atualização da Caderneta de Vacinação. Brasília - agosto de 2012

Campanha para Atualização da Caderneta de Vacinação. Brasília - agosto de 2012 Campanha para Atualização da Caderneta de Vacinação Brasília - agosto de 2012 18/08/2012 Atualização da Caderneta de Vacinação A campanha será realizada no período de 18 a 24 de agosto Dia da Mobilização

Leia mais

NORMA PROCEDIMENTAL REALIZAÇÃO DE EXAMES LABORATORIAIS

NORMA PROCEDIMENTAL REALIZAÇÃO DE EXAMES LABORATORIAIS 10.03.002 1/09 1. FINALIDADE Estabelecer procedimentos e disciplinar o processo para realização de exames laboratoriais no Hospital de Clínicas - HC. 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO Todas as unidades do HC, em

Leia mais

Esta entidade surgiu da preocupação do médico alagoano Alberto Augusto de Araújo Jorge com a questão da saúde em meu Estado.

Esta entidade surgiu da preocupação do médico alagoano Alberto Augusto de Araújo Jorge com a questão da saúde em meu Estado. Senhor Presidente Senhoras deputados Senhores deputados Quero hoje usar esta tribuna para parabenizar os primeiros cinquenta anos de uma instituição de saúde do meu Estado de Goiás, a Associação de Combate

Leia mais

CLIPPING IMPRESSO Página: -- Data: 04/10/2011. Enfoque: (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Neutro NOTÍCIAS

CLIPPING IMPRESSO Página: -- Data: 04/10/2011. Enfoque: (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Neutro NOTÍCIAS Editoria: Notícias www.manausonline.com.br Coluna: -- Prefeitura inicia programação do Outubro Rosa, movimento de prevenção ao câncer de mama ( ) Matéria articulada pela assessoria de imprensa -- NOTÍCIAS

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA SUPERINTENDÊNCIA DOS SERVIÇOS PENITENCIÁRIOS DEPARTAMENTO DE TRATAMENTO PENAL

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA SUPERINTENDÊNCIA DOS SERVIÇOS PENITENCIÁRIOS DEPARTAMENTO DE TRATAMENTO PENAL ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA SUPERINTENDÊNCIA DOS SERVIÇOS PENITENCIÁRIOS DEPARTAMENTO DE TRATAMENTO PENAL POLÍTICA DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE PRISIONAL A Política de Atenção

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem FERNANDA ARAUJO RODRIGUES

Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem FERNANDA ARAUJO RODRIGUES 0 Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Enfermagem FERNANDA ARAUJO RODRIGUES Vivenciando a Saúde Comunitária na Unidade Básica de Saúde Glória Porto Alegre 2011 1 FERNANDA ARAUJO RODRIGUES

Leia mais

DR. PEDRO JORGE GAYOSO DIRETORIA DE RECURSOS E SERVIÇOS PRÓPRIOS I I

DR. PEDRO JORGE GAYOSO DIRETORIA DE RECURSOS E SERVIÇOS PRÓPRIOS I I DR. PEDRO JORGE GAYOSO DIRETORIA DE RECURSOS E SERVIÇOS PRÓPRIOS I I Recursos e Serviços Próprios II Recursos e Serviços Próprios SAU II DIRETOR: DR. PEDRO JORGE LEITE GAYOSO DE SOUSA. COORDENADOR GERAL

Leia mais

Câmara Municipal de Itápolis 1

Câmara Municipal de Itápolis 1 Câmara Municipal de Itápolis 1 Apresentação Prezado Cidadão, Esta é a Cartilha da Boa Saúde de Itápolis, uma publicação da Câmara Municipal de Vereadores que tem por objetivo trazer à população informações

Leia mais

Jornal do Commercio - PE Dia para livrar criança da pólio

Jornal do Commercio - PE Dia para livrar criança da pólio Dia para livrar criança da pólio VACINAÇÃO Campanha contra poliomielite começa hoje e vai até dia 31. Existem no Estado cerca de 10 mil pontos de imunização Pais de crianças de 6 meses até 5 anos de idade

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL Das Atribuições dos Profissionais dos Recursos Humanos Atribuições comuns a todos os profissionais que integram a equipe: Conhecer a realidade das famílias pelas

Leia mais

Editoria: Dia a Dia. Veículo:

Editoria: Dia a Dia. Veículo: 7 Comunicação e Marketing Ltda Editoria: Dia a Dia Amazonas em Tempo Coluna: -- Colisão na Cosme Ferreira leva família para o hospital ( ) Press-release da assessoria de imprensa (X) Iniciativa do próprio

Leia mais

Produtos Unimed Grande Florianópolis

Produtos Unimed Grande Florianópolis Produtos Unimed Grande Florianópolis A Unimed é o plano de saúde que oferece os melhores médicos do Brasil. Vamos além para que sua saúde seja plena e de qualidade. Para nós, o importante é ver você bem

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014. Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social

RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014. Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014 Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social Entidade: Grupo de Pesquisa e Assistência ao Câncer Infantil Endereço: Rua Antônio Miguel Pereira

Leia mais

Fortaleza, novembro, 2013 Marema Patrício Assessora Técnica CONASEMS

Fortaleza, novembro, 2013 Marema Patrício Assessora Técnica CONASEMS Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde COLÓQUIO Fortaleza, novembro, 2013 Marema Patrício Assessora Técnica CONASEMS PAINEL III Subtema 2: Primeira infância e gravidez na adolescência: O

Leia mais

PROJETO: AÇÃO DE SAÚDE

PROJETO: AÇÃO DE SAÚDE PROJETO: AÇÃO DE SAÚDE FEIRAS DE SAÚDE EM UBÁ MG Projeto realizado pela Prefeitura de Ubá MG, administração 2009-2012, em parceria com a Universidade Federal de Juiz de Fora. Coordenador Geral: Vereador

Leia mais

Autoavaliação. Institucional. Comissão Própria de Avaliação CPA 2012

Autoavaliação. Institucional. Comissão Própria de Avaliação CPA 2012 Autoavaliação Institucional FACULDADES INTEGRADAS DO EXTREMO SUL DA BAHIA Credenciada pela Portaria Ministerial nº 1.727 de 13/06/2002 - D.O.U. 14/06/2002 Comissão Própria de Avaliação CPA 2012 OBJETIVOS

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DAS AÇÕES DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE - 2008/2009

PROGRAMAÇÃO DAS AÇÕES DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE - 2008/2009 PROGRAMAÇÃO DAS AÇÕES DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE - 2008/2009 1.Notificação AÇÃO 1.1 Realizar notificação dos casos de sífilis em gestante 48.950 casos de sífilis em gestantes notificados. 1.2 Definir Unidades

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE AÇÕES PROGRAMÁTICAS ESTRATÉGICAS ÁREA TÉCNICA SAÚDE DO IDOSO

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE AÇÕES PROGRAMÁTICAS ESTRATÉGICAS ÁREA TÉCNICA SAÚDE DO IDOSO MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE AÇÕES PROGRAMÁTICAS ESTRATÉGICAS ÁREA TÉCNICA SAÚDE DO IDOSO LUIZA MACHADO COORDENADORA ATENÇÃO Ä SAÚDE DA PESSOA IDOSA -AÇÕES DO MINISTERIO

Leia mais

INSTITUTO DE MEDICINA INTEGRAL PROFº FERNANDO FIGUEIRA - IMIP

INSTITUTO DE MEDICINA INTEGRAL PROFº FERNANDO FIGUEIRA - IMIP INSTITUTO DE MEDICINA INTEGRAL PROFº FERNANDO FIGUEIRA - IMIP Complexo Hospitalar - Hospital Filantrópico - Área 69.000 m² - 10 prédios - 1.143 leitos - 101 leitos de UTI NHE (VEH / GRSH / CCIH) COMISSÕES

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria de Relações Institucionais Subchefia de Assuntos Federativos

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria de Relações Institucionais Subchefia de Assuntos Federativos Agenda de Compromissos Governo Federal e Municípios 1. Erradicar a extrema pobreza e a fome 2. Educação básica de qualidade para todos 3. Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres

Leia mais

Relatório Mesa 6. I. Introdução. Lista dos participantes

Relatório Mesa 6. I. Introdução. Lista dos participantes Relatório Mesa 6 OBJETIVO 6 Meta 7 Meta 8 COMBATER AIDS, MALÁRIA E OUTRAS DOENÇAS Até 2015, ter detido a propagação do HIV/Aids, começado a inverter a tendência atual. Até 2015, ter detido a incidência

Leia mais

As Ações de Imunizações e o Programa de Saúde da Família

As Ações de Imunizações e o Programa de Saúde da Família As Ações de Imunizações e o Programa de Saúde da Família 1º. a 3 de junho de 2004 lourdes.maia@funasa.gov.br PNI. Dados Históricos No Brasil, vacina-se desde 1804. 1973 foi criado um Programa Nacional

Leia mais

VACINAÇÃO: PERFIS E CONHECIMENTO DAS GESTANTES. Descritores: vacinação, gestantes, doenças infecciosas.

VACINAÇÃO: PERFIS E CONHECIMENTO DAS GESTANTES. Descritores: vacinação, gestantes, doenças infecciosas. VACINAÇÃO: PERFIS E CONHECIMENTO DAS GESTANTES Julianne Melo dos Santos 1, Auleliano Adonias dos Santos 1, Rosa Maria Nunes Galdino 2 Descritores: vacinação, gestantes, doenças infecciosas. Introdução

Leia mais

EVENTOS DO CURSO DE BACHARELADO EM ENFERMAGEM DO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO CAMPUS XII

EVENTOS DO CURSO DE BACHARELADO EM ENFERMAGEM DO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO CAMPUS XII EVENTOS DO CURSO DE BACHARELADO EM DO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO CAMPUS XII SEMESTRE NOME DO EVENTO RESPONSÁVEL OBJETIVOS CLIENTELA ATENDIDA 2006.1 Curso de Primeiros Socorros Aracy Fernandes de Magalhães

Leia mais

Você sabe os fatores que interferem na sua saúde?

Você sabe os fatores que interferem na sua saúde? DICAS DE SAÚDE 2 Promova a sua saúde. Você sabe os fatores que interferem na sua saúde? Veja o gráfico : 53% ao estilo de vida 17% a fatores hereditários 20% a condições ambientais 10% à assistência médica

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE ADMINISTRAÇÃO PENITENCIÁRIA PROGRAMA DE DST/ HIV /AIDS / HEPATITES

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE ADMINISTRAÇÃO PENITENCIÁRIA PROGRAMA DE DST/ HIV /AIDS / HEPATITES GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE ADMINISTRAÇÃO PENITENCIÁRIA PROGRAMA DE DST/ HIV /AIDS / HEPATITES SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE E DEFESA CIVIL GERÊNCIA ESTADUAL DE DST/AIDS,

Leia mais

VISITA TÉCNICA A MATERNIDADE DR. ADALBERTO PEREIRA - ANÁPOLIS

VISITA TÉCNICA A MATERNIDADE DR. ADALBERTO PEREIRA - ANÁPOLIS VISITA TÉCNICA A MATERNIDADE DR. ADALBERTO PEREIRA - ANÁPOLIS A Comissão de Saúde e Promoção Social, de acordo com a competência regimental que lhe confere o Art. 45, inciso V, do Regimento Interno desta

Leia mais

ANEXO 06 RELATÓRIO FOTOGRÁFICO CONSOLIDADO DE ATIVIDADES AÇÕES ESTRUTURANTES P.30 META-ATIVIDADE PACTUAÇÃO

ANEXO 06 RELATÓRIO FOTOGRÁFICO CONSOLIDADO DE ATIVIDADES AÇÕES ESTRUTURANTES P.30 META-ATIVIDADE PACTUAÇÃO ANEXO 06 RELATÓRIO FOTOGRÁFICO CONSOLIDADO DE ATIVIDADES AÇÕES ESTRUTURANTES P.30 META-ATIVIDADE PACTUAÇÃO Figura 60: Entrega de microscópio doado pelo do CHTP ao Município de Alta Floresta Figura 65:

Leia mais

GOVERNO DA BAHIA SECRETARIA DA SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA Centro Estadual de Oncologia. Salvador, 14 de março de 2013

GOVERNO DA BAHIA SECRETARIA DA SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA Centro Estadual de Oncologia. Salvador, 14 de março de 2013 GOVERNO DA BAHIA SECRETARIA DA SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA Centro Estadual de Oncologia Salvador, 14 de março de 2013 ROTEIRO O CICAN Breve Histórico Missão Perfil Ambulatórios Quimioterapia Centro Cirúrgico

Leia mais

Instrumento Administrativo Política Institucional Nº 02.03 Política de Vacinação

Instrumento Administrativo Política Institucional Nº 02.03 Política de Vacinação Rev: 03 Data: 19/07/2010 Página 1 de 5 Anexo I - Rol de Vacinas cobertas por esta Política Vacina Nome da Droga Pré-requisitos para cobertura Documentação necessária Observação Crianças de 1 a 12 anos:

Leia mais

EIXO I - Política de saúde na seguridade social, segundo os princípios da integralidade, universalidade e equidade

EIXO I - Política de saúde na seguridade social, segundo os princípios da integralidade, universalidade e equidade 10ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE: OO"TODOS USAM O SUS! SUS NA SEGURIDADE SOCIAL - POLÍTICA PÚBLICA, PATRIMÔNIO DO POVO BRASILEIRO" EIXO I - Política de saúde na seguridade social, segundo os princípios

Leia mais

Filantropia e Responsabilidade Social do Hospital Sírio-Libanês

Filantropia e Responsabilidade Social do Hospital Sírio-Libanês Filantropia e Responsabilidade Social do Hospital Sírio-Libanês Í ndice Fi l a nt ro p i a e R e s p o n s a b i l i d a d e S o c i a l 0 5 A Sociedade e a Filantropia Hoje 07 Dezenove Projetos em Parceria

Leia mais

Apoio. Patrocínio Institucional

Apoio. Patrocínio Institucional Patrocínio Institucional Apoio O Grupo AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através da cultura e da arte, desperta potencialidades artísticas que elevam a autoestima de jovens

Leia mais

COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA

COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA Pedido de Credenciamento de Programa Nome Completo da Instituição UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PROF. EDGARD SANTOS (Serviço de Dermatologia)

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ SECRETARIA MUNICIPAL DA CIDADANIA

ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ SECRETARIA MUNICIPAL DA CIDADANIA 1 ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ SECRETARIA MUNICIPAL DA CIDADANIA GERÊNCIA EXECUTIVA DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA À SAÚDE ASSUNTOS DESTE INFORME Agravos notificados

Leia mais

VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA

VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA Manual das ações programáticas 1 M o d e l o S a ú d e T o d o D i a PROGRAMA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DE AGRAVOS TRANSMISSÍVEIS INDICE INTRODUÇÃO... 5 FLUXOGRAMA DO ENVIO

Leia mais

Longo caminho. Acontece no mundo inteiro. Os doentes crônicos

Longo caminho. Acontece no mundo inteiro. Os doentes crônicos Gestão Foto: dreamstime.com Longo caminho Medida da ANS inicia discussão sobre a oferta de medicamentos ambulatoriais para doentes crônicos pelas operadoras de saúde Por Danylo Martins Acontece no mundo

Leia mais

Selo Hospital Amigo do Idoso. Centro de Referência do Idoso

Selo Hospital Amigo do Idoso. Centro de Referência do Idoso SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DE SÃO PAULO COORDENADORIA DE REGIÕES DE SAÚDE CRS Política de Saúde para o Idoso no Estado de São Paulo Selo Hospital Amigo do Idoso Centro de Referência do Idoso Resolução

Leia mais

Índice dos Boletins Epidemiológicos de Porto Alegre de 2014 a 1996

Índice dos Boletins Epidemiológicos de Porto Alegre de 2014 a 1996 Índice dos Boletins Epidemiológicos de Porto Alegre de 2014 a 1996 XV 55 Novembro de 2014 Especial Vigilância Ambiental da Dengue em Porto Alegre XV 54 Fevereiro de 2014 Atual Cenário Epidemiológica da

Leia mais

Imagem do incêndio na comunidade de Tribo e famílias recebendo doações da Cruz Vermelha de São Paulo

Imagem do incêndio na comunidade de Tribo e famílias recebendo doações da Cruz Vermelha de São Paulo 1) Socorro e Desastre Incêndio na Brasilândia No dia 26 de setembro, a comunidade conhecida como Tribo, localizada na Brasilândia, Zona Norte de São Paulo, sofreu com um incêndio ocasionado por uma explosão

Leia mais

ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS INTEGRANTES DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA

ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS INTEGRANTES DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS INTEGRANTES DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA ATRIBUIÇÕES DO MÉDICO I- Realizar consultas clínicas aos usuários de sua área adstrita; II- Participar das atividades de grupos de controle

Leia mais

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Viva intensamente. Cuide-se DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Nossos órgãos internos HÁBITOS SAUDÁVEIS Para se ter qualidade com aumento da expectativa de vida,precisa-se manter hábitos saudáveis: Alimentação balanceada

Leia mais

A DESNUTRIÇÃO DO PACIENTE ONCOLÓGICO

A DESNUTRIÇÃO DO PACIENTE ONCOLÓGICO II CICLO DE DEBATES DESNUTRIÇÃO HOSPITALAR A EPIDEMIOLOGIA DA DESNUTRIÇÃO NO BRASIL NA EPIDEMIA DE OBESIDADE A DESNUTRIÇÃO DO PACIENTE ONCOLÓGICO Edilaine Maria Stella da Cruz Instituto do Câncer Arnaldo

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS ASPECTO FINANCEIRO E PRODUÇÃO DE SERVIÇOS 3º QUADRIMESTRE/2014

PRESTAÇÃO DE CONTAS ASPECTO FINANCEIRO E PRODUÇÃO DE SERVIÇOS 3º QUADRIMESTRE/2014 PRESTAÇÃO DE CONTAS ASPECTO FINANCEIRO E PRODUÇÃO DE SERVIÇOS 3º QUADRIMESTRE/2014 Quadrimestre União Estado Município Outras receitas 1º 99,97 4.972.3 1,06 297.86 289,98 2.454. 28,59 20.4 2º 62,69 4.701.5

Leia mais

saúde! cartões de cara nova

saúde! cartões de cara nova saúde! Jornal trimestral da ArcelorMittal Abeb Promoção da Saúde nº 33 jan-fev-mar 2011 cartões de cara nova A partir de abril, a ArcelorMittal Abeb começa a distribuir seus novos cartões, que agora são

Leia mais

Professora do curso de extensão em vacinas da UFRJ. Professor Adjunto de Infectologia Pediátrica da UFRJ,

Professora do curso de extensão em vacinas da UFRJ. Professor Adjunto de Infectologia Pediátrica da UFRJ, VACINAÇÃO DE GESTANTES Isabella Ballalai (MD) Diretora Médica da VACCINI - Clínica de Vacinação Professora do curso de extensão em vacinas da UFRJ Edimilson Migowski (MD, PhD, MSc) Professor Adjunto de

Leia mais

PROJETO. Responsável: Vera Andretta CPF 234.417.989-53 Função: Presidente

PROJETO. Responsável: Vera Andretta CPF 234.417.989-53 Função: Presidente PROJETO 1 IDENTIFICAÇÃO Abrangência do Projeto: ( x ) Estadual ( ) Regional ( ) Intermunicipal (no mínimo três municípios) 1.1 Dados Cadastrais do(s) Proponente(s) Proponente: Associação Paranaense de

Leia mais

Relatório Mesa 4. REDUZIR A MORTALIDADE INFANTIL Reduzir em dois terços, entre 1990 e 2015, a mortalidade de crianças menores de 5 anos.

Relatório Mesa 4. REDUZIR A MORTALIDADE INFANTIL Reduzir em dois terços, entre 1990 e 2015, a mortalidade de crianças menores de 5 anos. Relatório Mesa 4 OBJETIVO 4 Meta 5 REDUZIR A MORTALIDADE INFANTIL Reduzir em dois terços, entre 1990 e 2015, a mortalidade de crianças menores de 5 anos. I. Introdução Após a apresentação dos participantes

Leia mais

Na escola. Para saber mais, visite: www.objetivosdomilenio.org.br www.nospodemos.org.br www.educardpaschoal.org.br

Na escola. Para saber mais, visite: www.objetivosdomilenio.org.br www.nospodemos.org.br www.educardpaschoal.org.br Na escola "Precisamos, mais do que nunca, do engajamento dos voluntários para que o nosso desejo de um mundo melhor para todos se transforme em realidade. Kofi Annan, Secretário-Geral da ONU Para saber

Leia mais

Relatório Trabalhista

Relatório Trabalhista Rotinas de Pessoal & Recursos Humanos www.sato.adm.br - sato@sato.adm.br - fone/fax (11) 4742-6674 Desde 1987 Legislação Consultoria Assessoria Informativos Treinamento Auditoria Pesquisa Qualidade Relatório

Leia mais

Alcance dos ODMs pelo Brasil Metas da Saúde. Dr. Jarbas Barbosa Secretário de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde

Alcance dos ODMs pelo Brasil Metas da Saúde. Dr. Jarbas Barbosa Secretário de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Alcance dos ODMs pelo Brasil Metas da Saúde Dr. Jarbas Barbosa Secretário de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Brasília- DF, 25 de abril de 2012 ObjeHvos de Desenvolvimento do Milênio - ODM Obje%vo

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO DE SAÚDE CARACTERÍSTICAS DO ESTABELECIMENTO

IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO DE SAÚDE CARACTERÍSTICAS DO ESTABELECIMENTO I SOLICITAÇÃO DE: INSCRIÇÃO REGISTRO CADASTRO ATUALIZAÇÃO DE DADOS: (a cargo do CRM) II 1 Razão Social IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO DE SAÚDE 2 Designação de Fantasia / Nome Usual 3 Endereço 4 Município

Leia mais

Palavras- chave: Vigilância epidemiológica, Dengue, Enfermagem

Palavras- chave: Vigilância epidemiológica, Dengue, Enfermagem ANÁLISE DAS NOTIFICAÇÕES DE DENGUE APÓS ATUAÇÃO DO SERVIÇO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA HOSPITALAR INTRODUÇÃO: A Dengue é uma doença infecciosa febril aguda de amplo espectro clínico e de grande importância

Leia mais

Patrimônio. Foco na história

Patrimônio. Foco na história Patrimônio Foco na história 30 metrópole campinas 19/6/11 À esquerda, a foto vencedora Corredor, de Matheus Spina; abaixo, detalhe da Mandala, por José Roberto Magalhães: exposição que vai até 31 de julho

Leia mais

Rua Antônia Lara de Resende, 325 Centro CEP: 36.350-000 Fone: (0xx32) 3376.1438/ 2151 Fax: (0xx32) 3376.1503 pmstsaude@portalvertentes.com.

Rua Antônia Lara de Resende, 325 Centro CEP: 36.350-000 Fone: (0xx32) 3376.1438/ 2151 Fax: (0xx32) 3376.1503 pmstsaude@portalvertentes.com. - SECRETARIA DE SAÚDE - SÃO TIAGO MINAS GERAIS PROGRAMA DE EDUCAÇÃO ALIMENTAR E INCENTIVO À ATIVIDADE FÍSICA EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES DE 04 A 19 ANOS 1 PROGRAMA DE EDUCAÇÃO ALIMENTAR E INCENTIVO À ATIVIDADE

Leia mais

Nome/Código arquivo: 2013_11_12 Mem.Reun.Saúde _ Escola do Evangelho Belo Monte Vitória do Xingu

Nome/Código arquivo: 2013_11_12 Mem.Reun.Saúde _ Escola do Evangelho Belo Monte Vitória do Xingu Assunto: Orientar e esclarecer as dúvidas da população sobre as Ações Preventivas na Área de Saúde Pública em virtude da construção da UHE Belo Monte. Redator: Èrica Silva Data: 12-11-2013 Duração: 14h30min

Leia mais

Política de Vacinação

Política de Vacinação Rol de s cobertas por esta Política Catapora ou Varicela contra Varicela Biken Crianças de 1 a 12 anos: esquema vacinal em dose única. Pacientes imunocomprometidos: portadores de leucemia linfóide aguda

Leia mais

3º Fórum de Assistência Social do Ministério da Defesa Painel sobre Humanização

3º Fórum de Assistência Social do Ministério da Defesa Painel sobre Humanização 3º Fórum de Assistência Social do Ministério da Defesa Painel sobre Humanização Clínica Ampliada do HC II A experiência do Serviço Social Fernanda dos Reis Melo SSocial HCII/INCA femelo@ig.com.br Rio de

Leia mais

V CONGRESSO CIENTÍFICO E ÉTICO DO CREMEC SECCIONAL DO CARIRI 12, 13 e 14 de agosto de 2010 JUAZEIRO DO NORTE/CEARÁ

V CONGRESSO CIENTÍFICO E ÉTICO DO CREMEC SECCIONAL DO CARIRI 12, 13 e 14 de agosto de 2010 JUAZEIRO DO NORTE/CEARÁ V CONGRESSO CIENTÍFICO E ÉTICO DO CREMEC SECCIONAL DO CARIRI 12, 13 e 14 de agosto de 2010 JUAZEIRO DO NORTE/CEARÁ 12 DE AGOSTO DE 2010- QUINTA FEIRA 10h 12h - Mesa-Redonda: CICLO DE VIDA SAÚDE DO IDOSO

Leia mais

O Perfil Dos Usuários Do Grupo De Apoio Às DST s E AIDS, Viçosa - MG 1

O Perfil Dos Usuários Do Grupo De Apoio Às DST s E AIDS, Viçosa - MG 1 O Perfil Dos Usuários Do Grupo De Apoio Às DST s E AIDS, Viçosa - MG 1 Talita da Conceição de Oliveira Fonseca. Economista Doméstica. Endereço: Rua João Valadares Gomes nº 210, bairro JK, Viçosa-MG. E-mail:

Leia mais

DATA DA VISITA: 26/11/2013 DATA DA VISITA: 28/04/2015 UNIDADE DE SAÚDE DR MANOEL DA ROCHA COUTINHO

DATA DA VISITA: 26/11/2013 DATA DA VISITA: 28/04/2015 UNIDADE DE SAÚDE DR MANOEL DA ROCHA COUTINHO DATA DA VISITA: 26/11/2013 DATA DA VISITA: 28/04/2015 UNIDADE DE SAÚDE DR MANOEL DA ROCHA COUTINHO Responsável: Adriana dos Santos Leandro Endereço: Rua Fenelon Gomes, 112 Bairro: Ilha do Principe CEP:

Leia mais

O Estado de S.Paulo 30/01/2007 câncer câncer Vigilância Sanitária Anvisa Medicamentos medicamentos câncer câncer câncer câncer câncer INCIDÊNCIA

O Estado de S.Paulo 30/01/2007 câncer câncer Vigilância Sanitária Anvisa Medicamentos medicamentos câncer câncer câncer câncer câncer INCIDÊNCIA O Estado de S.Paulo Vida & Liberada droga contra câncer de pulmão Tarceva é o 1º remédio de terapia-alvo para combater a doença; um mês de tratamento custará R$ 8 mil Adriana Dias Lopes O primeiro remédio

Leia mais

NOTA CIENTÍFICA: A EVOLUÇÃO DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL E A AMPLITUDE E COMPLEXIDADE DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE

NOTA CIENTÍFICA: A EVOLUÇÃO DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL E A AMPLITUDE E COMPLEXIDADE DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE NOTA CIENTÍFICA: A EVOLUÇÃO DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL E A AMPLITUDE E COMPLEXIDADE DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE Ana Iva Corrêa Brum Barros 1 Rayana de Carvalho Freitas 2 Prof. Esp. Gilmar dos Santos Soares

Leia mais

Prova do Processo Seletivo para Agente Comunitário de Saúde e Agente de Combate de Endemias. SEMSA - Ponte Nova MG

Prova do Processo Seletivo para Agente Comunitário de Saúde e Agente de Combate de Endemias. SEMSA - Ponte Nova MG Prova do Processo Seletivo para Agente Comunitário de Saúde e Agente de Combate de Endemias. SEMSA - Ponte Nova MG Nome: Nota: INSTRUÇÕES PARA REALIZAÇÃO DA PROVA (LEIA ATENTAMENTE!) 1. A prova é individual

Leia mais

Rede Pública ou Particular?

Rede Pública ou Particular? Vacinar seu filho na feito com carinho para você ganhar tempo! Rede Pública ou Particular? guia rápido das vacinas e principais diferenças Um guia de utilidade pública com as fichas de 10 vacinas para

Leia mais

Aplicação de Programa de Controle de Tuberculose Nosocomial no Instituto de Infectologia Emílio Ribas

Aplicação de Programa de Controle de Tuberculose Nosocomial no Instituto de Infectologia Emílio Ribas Aplicação de Programa de Controle de Tuberculose Nosocomial no Instituto de Infectologia Emílio Ribas Instituto de Infectologia Emílio Ribas Referência em doenças infecciosas, com 230 leitos (60% para

Leia mais

2 o Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão. Um paciente muito especial: retrato da saúde do adolescente no Brasil.

2 o Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão. Um paciente muito especial: retrato da saúde do adolescente no Brasil. 2 o Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão Um paciente muito especial: retrato da saúde do adolescente no Brasil. Sumário Pauta...2 Justificativa...2 Objetivos...3 Metodologia...3 Potencial de

Leia mais

PROVA FORMAÇÃO DE AGENTE DE COMBATE A ENDEMIAS Prefeitura Municipal de Ouro Preto 1- Assinale a alternativa que define o que é epidemiologia.

PROVA FORMAÇÃO DE AGENTE DE COMBATE A ENDEMIAS Prefeitura Municipal de Ouro Preto 1- Assinale a alternativa que define o que é epidemiologia. 1- Assinale a alternativa que define o que é epidemiologia. a) Estudo de saúde da população humana e o inter relacionamento com a saúde animal; b) Estudo de saúde em grupos de pacientes hospitalizados;

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA HOME CARE

MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA HOME CARE MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA HOME CARE Elaborado por: Ana Paula de Menezes Assistente Social da CASSIND APRESENTAÇÃO A internação domiciliar ou home care é compreendida como a instalação de uma estrutura

Leia mais

PROJETO DE ESTRUTURAÇÃO SAÚDE PÚBLICA Prefeitura Municipal de Itapeva - SP. Maio de 2014

PROJETO DE ESTRUTURAÇÃO SAÚDE PÚBLICA Prefeitura Municipal de Itapeva - SP. Maio de 2014 PROJETO DE ESTRUTURAÇÃO SAÚDE PÚBLICA Prefeitura Municipal de Itapeva - SP Maio de 2014 UMA RÁPIDA VISÃO DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL HOJE Estrutura com grandes dimensões, complexa, onerosa e com falta de

Leia mais

FECOMÉRCIO VEÍCULO: TRIBUNA DO NORTE DATA: 14.10.15 EDITORIA: ECONOMIA

FECOMÉRCIO VEÍCULO: TRIBUNA DO NORTE DATA: 14.10.15 EDITORIA: ECONOMIA FECOMÉRCIO VEÍCULO: TRIBUNA DO NORTE DATA: 14.10.15 EDITORIA: ECONOMIA VEÍCULO: PORTAL NO AR DATA: 13.10.15 Em 13 de outubro de 2015 às 16:10 Cidades Sesc Saúde Mulher inicia atendimentos na Maternidade

Leia mais

1)Campanha Pré-Calamidade

1)Campanha Pré-Calamidade 1)Campanha Pré-Calamidade A Cruz Vermelha de São Paulo, no cumprimento de sua missão de ajuda humanitária e de auxiliar as comunidades carentes, que sofrem com as enchentes e desabamentos provocados pelas

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO 2013

AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO 2013 1 AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO Temas 2 Objetivo e metodologia Utilização dos serviços do plano de saúde e ocorrência de problemas Reclamação ou recurso contra o plano de

Leia mais

CALENDÁRIOS VACINAIS. Renato de Ávila Kfouri Sociedade Brasileira de Imunizações SBIM

CALENDÁRIOS VACINAIS. Renato de Ávila Kfouri Sociedade Brasileira de Imunizações SBIM CALENDÁRIOS VACINAIS Renato de Ávila Kfouri Sociedade Brasileira de Imunizações SBIM VACINA É PARA A VIDA TODA... Oportunidades para a Vacinação criança adolescente adulto Programa infantil Catch up (repescagem)

Leia mais

Relatório CVBSP. de Atividades. Jan Fev/2015

Relatório CVBSP. de Atividades. Jan Fev/2015 Jan Fev/2015 CVBSP Relatório de Atividades Índice. Resultados Gerais 03. Socorro e Desastre 04. Primeiros Socorros 05. Promoção à Saúde 06. Programas Comunitários 07. Juventude 09. Voluntariado 09. Expediente

Leia mais

b. Completar a implantação da Rede com a construção de hospitais regionais para atendimentos de alta complexidade.

b. Completar a implantação da Rede com a construção de hospitais regionais para atendimentos de alta complexidade. No programa de governo do senador Roberto Requião, candidato ao governo do estado pela coligação Paraná Com Governo (PMDB/PV/PPL), consta um capítulo destinado apenas à universalização do acesso à Saúde.

Leia mais

ACES GRANDE PORTO I SANTO TIRSO / TROFA PROGRAMAS E PROJETOS

ACES GRANDE PORTO I SANTO TIRSO / TROFA PROGRAMAS E PROJETOS ACES GRANDE PORTO I SANTO TIRSO / TROFA PROGRAMAS E PROJETOS O Dec. Lei 28/2008 de 22 de Fevereiro, estabelece o regime da criação, estruturação e funcionamento dos agrupamentos de Centros de Saúde (ACES)

Leia mais