Universidade Digital: Um sistema ERP auxiliar para

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Universidade Digital: Um sistema ERP auxiliar para"

Transcrição

1 Universidade Digital: Um sistema ERP auxiliar para instituições públicas Matheus S. de Araujo, Diogo C. Silva, Yana Kellen D. Mendes, Italo Carlo S. Lopes 1 Laboratório de Pesquisa e Extensão em Computação(LaPEC) - - Universidade Federal de Alagoas(UFAL) Campus Arapiraca Av. Manoel Severino Barbosa, s/n Bom Sucesso Arapiraca AL Brasil Abstract. ERP systems (Enterprise Ressource Planning) are computer programs which aim at the integration of different functions and departments of a company. Although the Higher Education Institutions have adopted systems to improve the quality of service offered, some institutions have departments that are not common to commercial enterprises, sometimes these particularities are not included in the solution, making difficult the resource management. The Digital University project (UD) was developed to meet specific requirements that were not previously included in currently adopted systems. In order to make it possible, the OpenERP framework was used to support the solution development. The tool was evaluated using two modules with the academic community. The preliminary results were satisfactories, bringing a better data integration, increasing security and improving the quality of provided services. Resumo. Sistemas ERP (Enterprise Ressource Planning) são programas de computador que visam a integração das diferentes funções e departamentos de uma empresa. Embora as instituições de ensino superior têm adotado sistemas para melhorar a qualidade do serviço oferecido, algumas instituições têm departamentos que não são comuns às empresas comerciais, por vezes, estas particularidades não estão incluídos na solução, o que dificulta o gerenciamento de recursos. O projeto Universidade Digital (UD) foi desenvolvido para atender às necessidades específicas que não foram previamente incluídos nos sistemas adotados atualmente. A fim de tornar possível, o framework OpenERP foi usado para suportar o desenvolvimento de uma solução. A ferramenta foi avaliada através de dois módulos com a comunidade acadêmica. Os resultados preliminares foram satisfatórios, trazendo uma melhor integração de dados, aumentando a segurança e melhorando a qualidade dos serviços prestados. 1. Introdução Na era da Informação as organizações como empresas privadas e públicas são obrigadas a usar uma gestão de estratégia eficiente para a tomada de decisão no seu dia a dia. Atualmente a automação de processos administrativos voltados a essas organizações está sendo cada vez mais comum, visto que, há necessidade de uma maior segurança e agilidade nesses processos.

2 No mercado atual, existem sistemas voltados para diversos cenários do ambiente empresarial visando desde a alimentação até a saúde e, inclusive, trazem consigo uma grande experiência e facilidade para empresas. Além disso, muitas organizações públicas também fazem uso de Sistemas Integrados de Gestão Empresarial (Enterprise Resource Planning - ERP) nas suas rotinas de trabalho, pois favorecem a agilidade dos processos para atender as demandas na prestação de serviços. O uso de ERP s em IES foi encorajado pelo mesmo motivo que encorajou as empresas comerciais do setor privado [Fisher 2006], problemas de segurança da informação, descentralização dos dados e grande esforço para manter os dados atualizados. A organização em módulos nos permite a implementação adaptativa de sistemas digitais em empresas, podendo configurar subsistemas específicos de acordo com as regras de negócio aplicadas no ambiente empresarial em foco. No cenário de IES, essa abordagem é a mais adequada devido a organização interna desse tipo de instituição, onde a estrutura do módulo corresponderá a um setor da instituição, desde as funções primárias acadêmicas até as administrativas [Zornada and Velkavrh 2005]. E dessa forma, o projeto Universidade Digital (UD) objetiva a construção de um sistema ERP voltado a atender essas demandas específicas das IES. Para isso, foi utilizada a aplicação de código aberto OpenERP[Odoo 2015], que foi escrita na linguagem de programação Python, pois os desenvolvedores do projeto tem uma maior afinidade com essa linguagem de programação. Com o OpenERP, cada módulo atende necessidades específicas de determinados setores da Universidade. Dentre eles, estão os módulos do núcleo, ordem de serviço e o repositório institucional da biblioteca. O módulo do Núcleo é responsável pela inserção e manipulação dos principais dados e a integração com os demais módulos desenvolvidos, já o ordem de serviço fica com a captação e processamento das solicitações de ordem de serviço da instituição, e o repositório institucional detém a digitalização dos trabalhos que a biblioteca da universidade é responsável. Também existem outros módulos que auxiliam no gerenciamento de processos internos e externos à administração. O restante do artigo está organizado com o referencial teórico, a aplicação de um ERP em um ambiente de IES com os detalhes dessa aplicabilidade, os resultados, as conclusões e os trabalhos futuros. 2. Referencial Teórico Sistemas ERP são capazes de estruturar transações que cruzam fronteiras funcionais (departamentos). Este sistema é constituído por um conjunto integrado de módulos computacionais que tem por objetivo fornecer suporte aos processos de negócio de uma organização [Bermudez 2014]. A ideia de Sistemas ERP s existe desde o início da informatização de empresas, na década de 60, porém, limitações práticas e tecnológicas da época inviabilizaram a implementação, segundo ALSÊNE [Alsene 1999]. Com o passar dos anos os ERP s foram evoluindo de forma lenta e não acompanharam o desenvolvimento de outras classes de software, devido ao nível de complexidade do sistema e ao rápido avanço nas tecnologias usadas para o desenvolvimento. No final da década de 90 a utilização de sistemas ERP já está consolidada como solução para a construção da infra-estrutura tecnológica das empresas [...] [de Souza and Zwicker 2000]. As mudanças mais consideráveis que um sistema ERP traz a uma empresa é a

3 maior confiabilidade nos seus dados sendo monitorados em tempo real, e também a diminuição do retrabalho. Com isso é importante abordar algumas das vantagens que um ERP traz a uma empresa, como esses listadas a seguir: 1. Agilidade empresarial 2. Redução de custos 3. Qualidade e eficácia 4. Eliminação de uso de interfaces manuais 5. Otimizar o processo de tomada de decisão Para a construção de um ERP com determinadas particularidades como por exemplo a de uma IES, como é o caso do software Universidade Digital, uma das tecnologias usadas para o desenvolvimento de sistemas ERP s é o OpenERP [Odoo 2015]. É uma aplicação código aberto que foi escrita na linguagem de programação Python e desenvolvido sobre a arquitetura cliente-servidor, utilizando o protocolo XML-RPC [UserLand Software 2015] para conexão dos clientes, facilitando assim a criação de novos cliente para o sistema. A figura 1 demonstra a estrutura da aplicação. Figura 1. Arquitetura do sistema A própria camada de aplicação é escrita como um núcleo, pois vários módulos adicionais podem ser instalados de forma a criar uma instância específica do OpenERP adaptado às necessidades e exigências. O Object Relational Mapper (ORM) [orm 2015] é uma das principais características do servidor web. Ele fornece funcionalidades adicionais e essenciais no PostgreSQL. Os modelos de dados são descritos na linguagem de programação Python que geram no OpenERP as tabelas do banco de dados subjacentes. Todos os benefícios de Relational Database Management System (RDBMS) [Ltd. 2015], tais como restrições de unicidade, integridade relacional ou consulta eficiente são aliadas a flexibilidade Python. Por exemplo, restrições arbitrárias escritas em Python podem ser adicionadas a qualquer

4 modelo. O ORM também permite a criação de bancos de dados com navegabilidade total através de relações simétricas, mantendo a integridade entre as entidades. Também podemos citar algumas características e vantagens importantes do OpenERP que vale a pena ser levado em consideração. O OpenERP tem um alto poder de escalabilidade, com um balanceador de carga estável, onde se utiliza a técnica de distribuir o processamento uniformemente entre dois ou mais computadores distribuídos em uma rede, assim será otimizado a utilização dos recursos e maximiza o desempenho da aplicação. Por ser um sistema baseado na web, é oferecida uma grande portabilidade da aplicação, tendo um fácil acesso através de diversas plataformas, com isso basta apenas ter uma conexão à internet e um navegador para ter acesso ao sistema. Com uma interface fácil de ser manuseada o OpenERP também traz outra vantagem, com um forte poder de usabilidade, onde o usuário final não precisa de muitas técnicas avançadas para poder utilizar o sistema. 3. Aplicação de um ERP para um ambiente de IES O software Universidade Digital (UD) é um projeto de extensão do Núcleo de Tecnologia da Informação(NTI) da Universidade Federal de Alagoas com a finalidade de ser implantado no Campus Arapiraca. Visando suprir as necessidades da Universidade, o projeto foi idealizado com vários módulos interdependentes, oferecendo desde uma consulta de um TCC cadastrado na base de dados da Biblioteca até uma solicitação de Ordem de Serviço realizada pela COINFRA(Coordenadoria de Infraestrutura), sendo composto pelos módulos Núcleo, Ordem de serviço, Repositório Institucional da Biblioteca e entre outros. Para ter a facilidade do domínio e fácil implementação com sistemas ERP, foi utilizada a aplicação de código aberto OpenERP, escrita na linguagem de programação Python, onde cada módulo atende necessidades específicas de determinados setores. O processo de projeto e desenvolvimento foi guiado com total embasamento nos requisitos e opiniões dos clientes, de forma a objetivar o desenvolvimento mais fiel às necessidades, visando sempre a possibilidade de expansão das funcionalidades. Durante o desenvolvimento, todos os módulos seguiram uma padronização, visando uma maior organização do código, auxiliando na eliminação de erros e na segurança dos dados durante a sincronização entre os diferentes módulos. Na Figura 2, temos como base do Universidade Digital o módulo Núcleo, que modela, valida e armazena todos os dados que serão disponibilizados aos outros módulos, centralizando maior parte da informação em um único módulo, dando mais segurança à informação. Vamos explicar e detalhar neste trabalho, os módulos de Solicitação de Ordens de Serviço e o repositório institucional da Biblioteca. Os outros módulos ainda estão sendo finalizados para que o usuário final possa utilizar Solicitação de Ordem de Serviço Para poder gerir os processos de infraestrutura de uma universidade é necessário que aconteça uma grande comunicação de todas as partes para que o processo seja executado com rapidez e eficiência que atualmente sofrem com uma grande necessidade de informação sobre as solicitações de ordens de serviço para serem realizadas dentro da universidade. A partir do levantamento dessas informações, extraiu-se a estrutura que

5 Figura 2. Estrutura organizacional do Universidade Digital modela o formulário e a criação do módulo de Solicitações de Ordem de Serviço dentro do Universidade Digital, objetivando identificar os subprocessos técnicos que tornam as informações mais precisas e claras, como, por exemplo, a classificação hierárquica das ordens de serviço representada na figura 3. Figura 3. serviço Classificação das informações para as solicitações de ordem de Anteriormente para uma solicitação de ordem de serviço, era realizado um formulário em forma de que representava a solicitação, onde podia conter informações inconclusivas e dados inválidos, retardando o processo de resolução do problema. Com o sistema a obtenção dos dados pessoais do solicitante é feita a partir de um cadastro de pessoas pré validado, disponível no núcleo, feito pelos administradores do sistema. A solicitação é realizada e classificada através do tipo de manutenção detalhado na Figura 3. Com a solicitação realizada, é possível a rápida comunicação entre as partes envolvidas, tornando o entendimento do problema mais rápido, claro e preciso. Para a continuidade, o gestor da coordenadoria de infraestrutura atribui um responsável para análise de viabilidade, determinando uma data prevista para a realização do serviço. Em um próximo

6 passo o gestor fornece ao solicitante os dados da análise e uma previsão para a execução da solicitação. Na forma manual isso também acontecia, porém não existia comunicação intermediária entre as partes. O gestor informa ao solicitante a partir do sistema os detalhes do serviço a ser executado, e ordena a realização do serviço. Após a execução, a solicitação pode ser finalizada com os dados do serviço realizado. O processo pode ser cancelado a qualquer momento pelo gestor ou, enquanto enviada a solicitação, pelo solicitante, descrevendo o motivo do cancelamento, isso não era possível anteriormente Repositório Institucional da Biblioteca Os trabalhos armazenados na Biblioteca da Universidade Federal de Alagoas - Campus Arapiraca estão todos de forma impressa gerando problemas com o armazenamento, consultas, além de desgaste do documento. Atualmente, para realizar uma consulta, o aluno tem que se locomover até a biblioteca, fazer a solicitação para consultar algum trabalho e depois realizar a devolução. Visando resolver esses problemas, foi desenvolvido um módulo específico para armazenar o repositório institucional da Universidade Federal de Alagoas- Campus Arapiraca e seus respectivos Polos. Nesse repositório são armazenados trabalhos como Artigos, Monografias, Dissertação, Teses e entre outros, todos em formato pdf. Com o UD sendo responsável pelo armazenamento do repositório institucional, haverá uma facilidade tanto dos alunos, como de pessoas fora da universidade para realizar consultas dos trabalhos que a instituição é responsável, pois basta apenas acessar o sistema utilizando um navegador, fazer a busca pelo trabalho desejado e fazer o download. 4. Resultados Após o desenvolvimento ocorreu a fase de verificação e validação, adotou-se duas técnicas que guiaram todo o processo, inspeção e testes, testes com o usuário final e durante o desenvolvimento. Como verificação estática, a inspeção ajudou a filtrar os erros e falhas de desenvolvimento, analisando todos os módulos internamente tornando mais rápida sua resolução. Posteriormente, foram feitos testes funcionais ainda internamente para verificar a ocorrência de erros de execução no ambiente de produção, reduzindo assim o tempo de depuração de erros (debug) qualificando os módulos para a validação. Nessa fase, além da validação dos requisitos anteriormente levantados, foram feitas prospecções para futuras funcionalidades que poderiam estar disponíveis nas próximas versões. Depois para os testes com o usuário, foi realizado uma apresentação de um protótipo, o usuário começou a fazer testes para validar o sistema, executando todos os processos burocráticos de uma universidade. Foi elaborado um questionário para levantar alguns dados sobre a aceitação do usuário em relação aos módulos desenvolvidos e aplicados no Universidade Digital. O questionário foi respondido por dez pessoas sendo esses, servidores, técnicos e estudantes bolsistas que utilizam o sistema, responderam o questionário. Nos gráficos abaixo podemos observar que o sistema teve uma boa aceitabilidade. Na figura 4.a mostra que todos os usuários comprovam que o Universidade Digital ajuda e acelera nas inserções e consultas de dados em seus respectivos processos, variando a porcentagem de aceitação em 60%, 80% e 100%. Na figura 4.b, mostra o resultado de uma pergunta sobre a mudança do atual modo de trabalho para a utilização do Universidade

7 Digital, onde 60% respondeu positivamente. Já na figura 4.c, fica claro a aceitação do sistema no quesito de segurança dos dados, onde mostra que 90% dos usuários acham que as atividades diárias estão mais seguras depois da utilização do Universidade Digital. Figura 4. Gráficos 5. Conclusões e Trabalhos Futuros Constatamos em nossos estudos, que, na maior parte das vezes, o grande problema das implementações atuais é a abrangência das funcionalidades que, de certa forma, infla o software, tornando a utilização difícil e o treinamento obrigatório, aumentando o custo de implementação. Um ponto de vista otimista é adotado pelo autor [Bermudez 2014] aponta que: A adoção de um sistema ERP demanda da organização a formulação de definições estratégicas objetivas e claras[...] O ERP traz melhorias ao processamento das transações e à eficiência administrativa. Resultando na redução dos custos institucionais e melhoria dos serviços oferecidos aos estudantes [...] Aproveitando-se das características de modularidade de Sistemas ERP é possível adaptá-lo para qualquer ambiente de trabalho focando o desenvolvimento orientado a resultados, deixando de lado muitos detalhes técnicos que tornam o desenvolvimento massivo, gerando resultados mais rápidos, tornando o processo de validação mais objetivo que, consequentemente, aumenta a qualidade do produto gerado. O UD utiliza-se desse conceito para acelerar os processos administrativos e burocráticos por meio de uma ferramenta para auxiliar a gestão das instituições públicas e dessa forma, ficando evidente a importância dessa aplicação. Durante os testes com o usuário final observou-se a fácil capacitação para manutenção do sistema, um custo baixo de implementação e a facilidade de incorporação dos dados já existente, contudo a total dependência de sistemas de informação gera uma insegurança pessoal nos processos, dificultando a implementação em ambientes que possuem dados críticos. O resultado do trabalho atrai uma atenção especial para a utilização de sistemas de informação em ambientes que contém processos técnicos administrativos de instituições públicas em geral, como secretaria de saúde, educação, tribunais de justiça e instituições de ensino superior onde foi aplicado o trabalho.

8 Referências (2015). Orm : Object relational mapper. orm-object-relational-mapper/ Acessado em 16/03/2015. Alsene, E. (1999). The computer integration of the enterprise. Engineering Management, IEEE Transactions on, 46(1): Bermudez, J. M. d. O. (2014). Motivos para adoção de um sistema erp por uma instituição de ensino superior. de Souza, C. A. and Zwicker, R. (2000). Ciclo de vida de sistemas erp. Caderno de Pesquisas em Administração,(I), (11):2 14. Fisher, M. D. (2006). Staff perceptions of an enterprise resource planning system implementation : a case study of three australian universities. Ltd., A. C. (2015). Introduction to rdbms. introduction.html. Acessado em 16/03/2015. Odoo (2015). The architecture of openerp (odoo). https://doc.odoo.com/book/ 1/1_1_Inst_Config/1_1_Inst_Config_architecture/. Acessado em 11/02/2015. UserLand Software, I. (2015). What is xml-rpc? com/default.html. Acessado em 16/03/2015. Zornada, L. and Velkavrh, T. (2005). Implementing erp systems in higher education institutions. In Information Technology Interfaces, th International Conference on, pages

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Material de Apoio Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações.

Leia mais

ERP é um sistema de gestão empresarial que gerencia as informações relativas aos processos operacionais, administrativos e gerenciais das empresas.

ERP é um sistema de gestão empresarial que gerencia as informações relativas aos processos operacionais, administrativos e gerenciais das empresas. Introdução Sistemas de Informação é a expressão utilizada para descrever um Sistema seja ele automatizado (que pode ser denominado como Sistema Informacional Computadorizado), ou seja manual, que abrange

Leia mais

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning ERP Enterprise Resources Planning A Era da Informação - TI GRI Information Resource Management -Informação Modo organizado do conhecimento para ser usado na gestão das empresas. - Sistemas de informação

Leia mais

INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS

INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS Cilene Loisa Assmann (UNISC) cilenea@unisc.br Este estudo de caso tem como objetivo trazer a experiência de implantação

Leia mais

Figura 1 - Arquitetura multi-camadas do SIE

Figura 1 - Arquitetura multi-camadas do SIE Um estudo sobre os aspectos de desenvolvimento e distribuição do SIE Fernando Pires Barbosa¹, Equipe Técnica do SIE¹ ¹Centro de Processamento de Dados, Universidade Federal de Santa Maria fernando.barbosa@cpd.ufsm.br

Leia mais

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS WALLACE BORGES CRISTO 1 JOÃO CARLOS PEIXOTO FERREIRA 2 João Paulo Coelho Furtado 3 RESUMO A Tecnologia da Informação (TI) está presente em todas as áreas de

Leia mais

ERP Enterprise Resource Planning

ERP Enterprise Resource Planning ERP Enterprise Resource Planning Sistemas Integrados de Gestão Evolução dos SI s CRM OPERACIONAL TÁTICO OPERACIONAL ESTRATÉGICO TÁTICO ESTRATÉGICO OPERACIONAL TÁTICO ESTRATÉGICO SIT SIG SAE SAD ES EIS

Leia mais

Palestra: Entrerprise Resource Planning - ERP

Palestra: Entrerprise Resource Planning - ERP Palestra: Entrerprise Resource Planning - ERP Ricardo Vilarim Formado em Administração de Empresas e MBA em Finanças Corporativas pela UFPE, Especialização em Gestão de Projetos pelo PMI-RJ/FIRJAN. Conceito

Leia mais

Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações. Um SIG gera

Leia mais

Tecnologia da Informação

Tecnologia da Informação Tecnologia da Informação Gestão Organizacional da Logística Sistemas de Informação Sistemas de informação ERP - CRM O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 5 Servidores de Aplicação

Leia mais

Reuso. Curso de Especialização DEINF - UFMA Desenvolvimento Orientado a Objetos Prof. Geraldo Braz Junior

Reuso. Curso de Especialização DEINF - UFMA Desenvolvimento Orientado a Objetos Prof. Geraldo Braz Junior Reuso Curso de Especialização DEINF - UFMA Desenvolvimento Orientado a Objetos Prof. Geraldo Braz Junior Reutilização de Software Na maioria das áreas de engenharia de software, sistemas são desenvolvidos

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação REGIONALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE TI MAPEAMENTO DE PROVIDÊNCIAS INICIAIS Março/2014 V 1.1 REGIONALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE TI MAPEAMENTO

Leia mais

Sistemas ERP. Profa. Reane Franco Goulart

Sistemas ERP. Profa. Reane Franco Goulart Sistemas ERP Profa. Reane Franco Goulart Tópicos O que é um Sistema ERP? Como um sistema ERP pode ajudar nos meus negócios? Os benefícios de um Sistema ERP. Vantagens e desvantagens O que é um ERP? ERP

Leia mais

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento HOME O QUE É TOUR MÓDULOS POR QUE SOMOS DIFERENTES METODOLOGIA CLIENTES DÚVIDAS PREÇOS FALE CONOSCO Suporte Sou Cliente Onde sua empresa quer chegar? Sistemas de gestão precisam ajudar sua empresa a atingir

Leia mais

Sistemas ERP. Enterprise Resource Planning ou Sistemas Integrados de Gestão Empresarial. Unirio/PPGI SAIN

Sistemas ERP. Enterprise Resource Planning ou Sistemas Integrados de Gestão Empresarial. Unirio/PPGI SAIN Sistemas ERP Enterprise Resource Planning ou Sistemas Integrados de Gestão Empresarial Definições Sistemas de informações que integram todos os dados e processos de uma organização em um único sistema

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO @ribeirord FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br Sistemas de Informação Sistemas de Apoio às Operações Sistemas

Leia mais

Análise da vantagem de adoção e uso de sistemas ERP código aberto em relação aos sistemas ERP código fechado

Análise da vantagem de adoção e uso de sistemas ERP código aberto em relação aos sistemas ERP código fechado Análise da vantagem de adoção e uso de sistemas ERP código aberto em relação aos sistemas ERP código fechado Louis Albert Araujo Springer Luis Augusto de Freitas Macedo Oliveira Atualmente vem crescendo

Leia mais

GESTÃO. Educacional. www.semeareducacional.com.br. Sistema Municipal de Excelência ao Atendimento da Rede

GESTÃO. Educacional. www.semeareducacional.com.br. Sistema Municipal de Excelência ao Atendimento da Rede GESTÃO Educacional A P R E S E N T A Ç Ã O www.semeareducacional.com.br Sistema Municipal de Excelência ao Atendimento da Rede A EXPANSÃO TECNOLOGIA Nossa MISSÃO: Transformação de Dados em Informação Transformação

Leia mais

ARQUITETURA DE SISTEMAS. Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com)

ARQUITETURA DE SISTEMAS. Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com) ARQUITETURA DE SISTEMAS Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com) Roteiro Definição Documento de arquitetura Modelos de representação da arquitetura Estilos arquiteturais Arquitetura de sistemas web Arquitetura

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS P o r f.. E d E uar a d r o Oli l v i e v i e r i a

SISTEMAS INTEGRADOS P o r f.. E d E uar a d r o Oli l v i e v i e r i a SISTEMAS INTEGRADOS Prof. Eduardo Oliveira Bibliografia adotada: COLANGELO FILHO, Lúcio. Implantação de Sistemas ERP. São Paulo: Atlas, 2001. ISBN: 8522429936 LAUDON, Kenneth C.; LAUDON, Jane Price. Sistemas

Leia mais

Dado: Fatos conhecidos que podem ser registrados e têm um significado implícito. Banco de Dados:

Dado: Fatos conhecidos que podem ser registrados e têm um significado implícito. Banco de Dados: MC536 Introdução Sumário Conceitos preliminares Funcionalidades Características principais Usuários Vantagens do uso de BDs Tendências mais recentes em SGBDs Algumas desvantagens Modelos de dados Classificação

Leia mais

Bem-vindo à apresentação do SAP Business One.

Bem-vindo à apresentação do SAP Business One. Bem-vindo à apresentação do SAP Business One. Neste tópico, responderemos à pergunta: O que é o Business One? Definiremos o SAP Business One e discutiremos as opções e as plataformas disponíveis para executar

Leia mais

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI Nome da Empresa Documento Visão Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 23/02/2015 1.0 Início do projeto Anderson, Eduardo, Jessica, Sabrina, Samuel 25/02/2015 1.1 Correções Anderson e Eduardo

Leia mais

PROPOSTA DE SOFTWARE DE INSTALAÇÃO PARA UM AMBIENTE INTEGRADO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS

PROPOSTA DE SOFTWARE DE INSTALAÇÃO PARA UM AMBIENTE INTEGRADO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS PROPOSTA DE SOFTWARE DE INSTALAÇÃO PARA UM AMBIENTE INTEGRADO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS Élysson Mendes Rezende Bacharelando em Sistemas de Informação Bolsista de Iniciação Científica

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1. COLABORAÇÃO NAS EMPRESAS Os sistemas colaborativos nas empresas nos oferecem ferramentas para nos ajudar a colaborar, comunicando idéias, compartilhando

Leia mais

HEALTHCARE SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE CLÍNICAS MÉDICAS

HEALTHCARE SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE CLÍNICAS MÉDICAS HEALTHCARE SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE CLÍNICAS MÉDICAS OLIVEIRA, R. M.; SANTOS, A. B. RESUMO Diante da crescente expansão tecnológica e do aumento da demanda de software gerencial na área de atendimento

Leia mais

1. DESCRIÇÃO DO SIE Sistema de Informações para o Ensino

1. DESCRIÇÃO DO SIE Sistema de Informações para o Ensino 1. DESCRIÇÃO DO SIE Sistema de Informações para o Ensino O SIE é um sistema aplicativo integrado, projetado segundo uma arquitetura multicamadas, cuja concepção funcional privilegiou as exigências da Legislação

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO DESCRIÇÃO DO SIGAI O SIGAI (Sistema Integrado de Gestão do Acesso à Informação) é uma solução de software que foi desenvolvida para automatizar os processos administrativos e operacionais visando a atender

Leia mais

Forefront Server Security Management Console: Gerenciamento Simplificado da Segurança para Mensagens e Colaboração White Paper

Forefront Server Security Management Console: Gerenciamento Simplificado da Segurança para Mensagens e Colaboração White Paper Forefront Server Security Management Console: Gerenciamento Simplificado da Segurança para Mensagens e Colaboração White Paper Outubro de 2007 Resumo Este white paper explica a função do Forefront Server

Leia mais

Apresentação, xix Prefácio à 8a edição, xxi Prefácio à 1a edição, xxiii. Parte I - Empresa e Sistemas, 1

Apresentação, xix Prefácio à 8a edição, xxi Prefácio à 1a edição, xxiii. Parte I - Empresa e Sistemas, 1 Apresentação, xix Prefácio à 8a edição, xxi Prefácio à 1a edição, xxiii Parte I - Empresa e Sistemas, 1 1 SISTEMA EMPRESA, 3 1.1 Teoria geral de sistemas, 3 1.1.1 Introdução e pressupostos, 3 1.1.2 Premissas

Leia mais

3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio

3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio 32 3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio Este capítulo apresenta o framework orientado a aspectos para monitoramento e análise de processos de negócio

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA 1. Projeto: OEI/BRA/09/004 - Aprimoramento da sistemática de gestão do Ministério da Educação (MEC) em seus processos de formulação, implantação e

Leia mais

Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy

Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy Ricardo Caruso Vieira Aquarius Software Revista Cadware Ed.22 versão online 1. Introdução Há mais de duas décadas, a indústria investe intensamente

Leia mais

Alinhamento Estratégico. A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1

Alinhamento Estratégico. A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1 Conhecimento em Tecnologia da Informação Alinhamento Estratégico A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1 2010 Bridge Consulting Apresentação

Leia mais

Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares

Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares Comunidades de Prática Grupos informais e interdisciplinares de pessoas unidas em torno de um interesse

Leia mais

Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy

Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy Ricardo Caruso Vieira Aquarius Software 1. Introdução Há mais de duas décadas, a indústria investe intensamente em sistemas ERP (Enterprise Resource

Leia mais

SISTEMA COMPUTACIONAL PARA ANÁLISES DE DADOS EM AGRICULTURA DE PRECISÃO

SISTEMA COMPUTACIONAL PARA ANÁLISES DE DADOS EM AGRICULTURA DE PRECISÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA PROJETO SISTEMA COMPUTACIONAL PARA ANÁLISES DE DADOS EM AGRICULTURA DE PRECISÃO ALUNO RICARDO CARDOSO TERZELLA

Leia mais

Disciplina: Tecnologias de Banco de Dados para SI s

Disciplina: Tecnologias de Banco de Dados para SI s Curso de Gestão em SI Disciplina: Tecnologias de Banco de Dados para SI s Rodrigo da Silva Gomes (Extraído do material do prof. Ronaldo Melo - UFSC) Banco de Dados (BD) BD fazem parte do nosso dia-a-dia!

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação

Estratégias em Tecnologia da Informação Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 6 Sistemas de Informações Estratégicas Sistemas integrados e sistemas legados Sistemas de Gerenciamento de Banco de Dados Material de apoio 2 Esclarecimentos

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057 INTRODUÇÃO SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057 Há algum tempo, podemos observar diversas mudanças nas organizações,

Leia mais

FURB - Universidade Regional de Blumenau TCC - Trabalho de Conclusão de Curso Acadêmico: Fernando Antonio de Lima Orientador: Oscar Dalfovo

FURB - Universidade Regional de Blumenau TCC - Trabalho de Conclusão de Curso Acadêmico: Fernando Antonio de Lima Orientador: Oscar Dalfovo FURB - Universidade Regional de Blumenau TCC - Trabalho de Conclusão de Curso Acadêmico: Fernando Antonio de Lima Orientador: Oscar Dalfovo Roteiro Introdução Sistemas de Informação - SI Executive Information

Leia mais

Sistema Integrado de Gestão ERP. Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com

Sistema Integrado de Gestão ERP. Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com Sistema Integrado de Gestão ERP Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com Tecnologia da Informação. O que é TI? TI no mundo dos negócios Sistemas de Informações Gerenciais Informações Operacionais Informações

Leia mais

Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP ERP

Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP ERP Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com O que é TI? TI no mundo dos negócios Sistemas de Informações Gerenciais Informações Operacionais Informações

Leia mais

Metodologias de Desenvolvimento de Sistemas. Analise de Sistemas I UNIPAC Rodrigo Videschi

Metodologias de Desenvolvimento de Sistemas. Analise de Sistemas I UNIPAC Rodrigo Videschi Metodologias de Desenvolvimento de Sistemas Analise de Sistemas I UNIPAC Rodrigo Videschi Histórico Uso de Metodologias Histórico Uso de Metodologias Era da Pré-Metodologia 1960-1970 Era da Metodologia

Leia mais

Sistemas Integrados de Gestão História e Evolução do Conceito

Sistemas Integrados de Gestão História e Evolução do Conceito Sistemas Integrados de Gestão História e Evolução do Conceito Sistemas de Informação Prof. Gerson gerson.prando@fatec.sp.gov.br Evolução dos SI OPERACIONAL TÁTICO OPERACIONAL ESTRATÉGICO TÁTICO ESTRATÉGICO

Leia mais

SIMARPE Sistema de Arquivo Permanente

SIMARPE Sistema de Arquivo Permanente SIMARPE Sistema de Arquivo Permanente Documentos formam a grande massa de conhecimentos de uma organização seja ela privada ou pública, esses documentos em sua maioria são parte do seu patrimônio. A Gestão

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DE SISTEMAS ERP NAS EMPRESAS DE MÉDIO E PEQUENO PORTE

A IMPORTÂNCIA DE SISTEMAS ERP NAS EMPRESAS DE MÉDIO E PEQUENO PORTE REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - ISSN 1807-1872 P UBLICAÇÃO C IENTÍFICA DA F ACULDADE DE C IÊNCIAS J URÍDICAS E G ERENCIAIS DE G ARÇA/FAEG A NO II, NÚMERO, 03, AGOSTO DE 2005.

Leia mais

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar.

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar. C O B I T Evolução Estratégica A) Provedor de Tecnologia Gerenciamento de Infra-estrutura de TI (ITIM) B) Provedor de Serviços Gerenciamento de Serviços de TI (ITSM) C) Parceiro Estratégico Governança

Leia mais

Roteiro 2 Conceitos Gerais

Roteiro 2 Conceitos Gerais Roteiro 2 Conceitos Gerais Objetivos: UC Projeto de Banco de Dados Explorar conceitos gerais de bancos de dados; o Arquitetura de bancos de dados: esquemas, categorias de modelos de dados, linguagens e

Leia mais

Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informações gerencias, editora Pearson, 2010. Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informação, editora LTC, 1999

Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informações gerencias, editora Pearson, 2010. Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informação, editora LTC, 1999 FSI capítulo 2 Referências bibliográficas: Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informações gerencias, editora Pearson, 2010 Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informação, editora LTC, 1999 Porter M., Competitive

Leia mais

FUND DE SI SISTEMAS INTEGRADOS ERP SCM CRM

FUND DE SI SISTEMAS INTEGRADOS ERP SCM CRM FUND DE SI SISTEMAS INTEGRADOS ERP SCM CRM 5/5/2013 1 ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING 5/5/2013 2 1 Os SI nas organizações 5/5/2013 3 Histórico Os Softwares de SI surgiram nos anos 60 para controlar estoque

Leia mais

A concatenação de profissionais experientes, percepções modernas do mercado e ferramentas avançadas de gestão fazem com que a Menchën ofereça ao seu

A concatenação de profissionais experientes, percepções modernas do mercado e ferramentas avançadas de gestão fazem com que a Menchën ofereça ao seu A concatenação de profissionais experientes, percepções modernas do mercado e ferramentas avançadas de gestão fazem com que a Menchën ofereça ao seu cliente um produto final mais completo e robusto, que

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 14 PROFª BRUNO CALEGARO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 14 PROFª BRUNO CALEGARO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 14 PROFª BRUNO CALEGARO Santa Maria, 01 de Novembro de 2013. Revisão aula passada Projeto de Arquitetura Decisões de projeto de Arquitetura

Leia mais

CLOUD COMPUTING: COMPARANDO COMO O MUNDO ONLINE PODE SUBSTITUIR OS SERVIÇOS TRADICIONAIS

CLOUD COMPUTING: COMPARANDO COMO O MUNDO ONLINE PODE SUBSTITUIR OS SERVIÇOS TRADICIONAIS CLOUD COMPUTING: COMPARANDO COMO O MUNDO ONLINE PODE SUBSTITUIR OS SERVIÇOS TRADICIONAIS João Antônio Bezerra Rodrigues¹, Claudete Werner¹, Gabriel Costa Silva² ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí

Leia mais

EMISSÃO DE CERTIFICADOS ELETRÔNICOS NOS EVENTOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS VIDEIRA

EMISSÃO DE CERTIFICADOS ELETRÔNICOS NOS EVENTOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS VIDEIRA EMISSÃO DE CERTIFICADOS ELETRÔNICOS NOS EVENTOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS VIDEIRA Autores : Jeferson BOESING; Tiago HEINECK; Angela Maria Crotti da ROSA; Leila Lisiane ROSSI Identificação

Leia mais

A Empresa. Alguns Clientes que já utilizam nossa tecnologia.

A Empresa. Alguns Clientes que já utilizam nossa tecnologia. A Empresa A GDDoc é uma empresa especializada na gestão de documentos digitais e arquivos, auxilia as empresas a administrar através da tecnologia o uso de papel, para alcançar estes objetivos fazemos

Leia mais

Ao introduzir o sistema ERP, o empresário reconhece imediatamente os benefícios e ferramentas que podem

Ao introduzir o sistema ERP, o empresário reconhece imediatamente os benefícios e ferramentas que podem Os benefícios do ERP Ao introduzir o sistema ERP, o empresário reconhece imediatamente os benefícios e ferramentas que podem ajudar a resolver os problemas comuns dentro da sua empresa. A abertura de informações

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EDUARDO ROCHA BRUNO CATTANY FERNANDO BAPTISTA

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EDUARDO ROCHA BRUNO CATTANY FERNANDO BAPTISTA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EDUARDO ROCHA BRUNO CATTANY FERNANDO BAPTISTA Descrição da(s) atividade(s): Indicar qual software integrado de gestão e/ou ferramenta

Leia mais

Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP com foco nas tecnologias de software livre / código aberto

Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP com foco nas tecnologias de software livre / código aberto UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina CTC Centro Tecnológico INE Departamento de Informática e Estatística INE5631 Projetos I Prof. Renato Cislaghi Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 Reestrutura as unidades vinculadas à Secretaria de Tecnologia da Informação SETIN do Tribunal Superior do Trabalho.

Leia mais

Módulo 4: Gerenciamento de Dados

Módulo 4: Gerenciamento de Dados Módulo 4: Gerenciamento de Dados 1 1. CONCEITOS Os dados são um recurso organizacional decisivo que precisa ser administrado como outros importantes ativos das empresas. A maioria das organizações não

Leia mais

Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO

Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura OEI/TOR/MEC/DTI nº 003/2009 TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR 1. Projeto: OEI/BRA/09/004

Leia mais

Alinhamento Estratégico da TI com o Modelo de Negócios da Empresa: um estudo sobre as melhores práticas da biblioteca ITIL

Alinhamento Estratégico da TI com o Modelo de Negócios da Empresa: um estudo sobre as melhores práticas da biblioteca ITIL Alinhamento Estratégico da TI com o Modelo de Negócios da Empresa: um estudo sobre as melhores práticas da biblioteca ITIL Fernando Riquelme i Resumo. A necessidade por criar processos mais eficientes,

Leia mais

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial. Prof. Dr. Adilson de Oliveira Computer Engineering Ph.D Project Management Professional (PMP)

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial. Prof. Dr. Adilson de Oliveira Computer Engineering Ph.D Project Management Professional (PMP) Sistemas Integrados de Gestão Empresarial Prof. Dr. Adilson de Oliveira Computer Engineering Ph.D Project Management Professional (PMP) Evolução da TI nas Organizações Estágios de Evolução da TI nas Organizações

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PROJETOS DE SOFTWARE - SGPS

SISTEMA DE GESTÃO DE PROJETOS DE SOFTWARE - SGPS SISTEMA DE GESTÃO DE PROJETOS DE SOFTWARE - SGPS Lilian R. M. Paiva, Luciene C. Oliveira, Mariana D. Justino, Mateus S. Silva, Mylene L. Rodrigues Engenharia de Computação - Universidade de Uberaba (UNIUBE)

Leia mais

Profa. Gislaine Stachissini. Unidade III GOVERNANÇA DE TI

Profa. Gislaine Stachissini. Unidade III GOVERNANÇA DE TI Profa. Gislaine Stachissini Unidade III GOVERNANÇA DE TI Information Technology Infrastructure Library ITIL Criado pelo governo do Reino Unido, tem como objetivo a criação de um guia com as melhores práticas

Leia mais

José Benedito Lopes Junior ¹, Marcello Erick Bonfim 2

José Benedito Lopes Junior ¹, Marcello Erick Bonfim 2 ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 Definição de uma tecnologia de implementação e do repositório de dados para a criação da ferramenta

Leia mais

Plataforma na nuvem do CA AppLogic para aplicativos corporativos

Plataforma na nuvem do CA AppLogic para aplicativos corporativos FOLHA DE PRODUTOS: CA AppLogic Plataforma na nuvem do CA AppLogic para aplicativos corporativos agility made possible O CA AppLogic é uma plataforma de computação na nuvem pronta para o uso que ajuda a

Leia mais

Londrina PR Arranjo Produtivo Local de Tecnologia da Informação SUMÁRIO Apresentação do APL 1. Processo de Informatização 2. Processo de Seleção de Pacotes de Software 3. Vantagens e Desvantagens de cada

Leia mais

EMISSÃO DE CERTIFICADOS ELETRÔNICOS NOS EVENTOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS VIDEIRA

EMISSÃO DE CERTIFICADOS ELETRÔNICOS NOS EVENTOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS VIDEIRA EMISSÃO DE CERTIFICADOS ELETRÔNICOS NOS EVENTOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS VIDEIRA Jeferson Boesing 1 ; Tiago Heineck 2 ; Angela Maria Crotti da Rosa 3 ; Leila Lisiane Rossi 4 INTRODUÇÃO Alunos

Leia mais

Introdução sobre Implantação de Sistema ERP em Pequenas Empresas. Prof Valderi R. Q. Leithardt

Introdução sobre Implantação de Sistema ERP em Pequenas Empresas. Prof Valderi R. Q. Leithardt Introdução sobre Implantação de Sistema ERP em Pequenas Empresas Prof Valderi R. Q. Leithardt Objetivo Esta apresentação tem por objetivo mostrar tanto os benefícios como as dificuldades da implantação

Leia mais

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 PROSPERE NA NOVA ECONOMIA A SPEKTRUM SUPORTA A EXECUÇÃO DA SUA ESTRATÉGIA Para as empresas que buscam crescimento

Leia mais

Microsoft Nosso Comprometimento Mais de 9 bilhões em P&D/ano

Microsoft Nosso Comprometimento Mais de 9 bilhões em P&D/ano Microsoft Nosso Comprometimento Mais de 9 bilhões em P&D/ano Windows e Web Dynamics Comunicação e Produtividade Servidores Infraestrutura Empresarial Busca e Anúncios Mobilidade Entretenimento e TV PRODUTIVIDADE

Leia mais

Gerenciamento de Incidentes

Gerenciamento de Incidentes Gerenciamento de Incidentes Os usuários do negócio ou os usuários finais solicitam os serviços de Tecnologia da Informação para melhorar a eficiência dos seus próprios processos de negócio, de forma que

Leia mais

Ricardo Scheurer Sonda Supermercado

Ricardo Scheurer Sonda Supermercado Tema: Apresentador: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Ricardo Scheurer Sonda Supermercado Objetivo desta palestra será resolver as seguintes questões: Porque fazer um PDTI? Quais os benefícios

Leia mais

EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE

EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE por Miguel Aguiar Barbosa Trabalho de curso II submetido como

Leia mais

PDS - DATASUS. Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS

PDS - DATASUS. Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS PDS - DATASUS Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS Coordenação Geral de Arquitetura e Engenharia Tecnológica Coordenação de Padronização e Qualidade de Software Gerência de Padrões e Software

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE

CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE A proposta para o ambiente apresentada neste trabalho é baseada no conjunto de requisitos levantados no capítulo anterior. Este levantamento, sugere uma

Leia mais

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Módulo 4 Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Estruturas e Metodologias de controle adotadas na Sarbanes COBIT

Leia mais

A Melhoria de Desempenho de Processos em uma Instituição Bancária Brasileira: Um Estudo de Caso

A Melhoria de Desempenho de Processos em uma Instituição Bancária Brasileira: Um Estudo de Caso A Melhoria de Desempenho de Processos em uma Instituição Bancária Brasileira: Um Estudo de Caso Fernando Cesar Camilo Centro Universitário de Araraquara- UNIARA SP Brasil fc_camilo@yahoo.com.br Prof. Dr.

Leia mais

ERP Enterprise Resource Planning

ERP Enterprise Resource Planning ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de Recursos da Empresa Sistema Integrado de Gestão Corporativa Prof. Francisco José Lopes Rodovalho 1 Um breve histórico sobre o surgimento do software ERP

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS. Apostila 03 Estrutura do Sistema Operacional UNIBAN

SISTEMAS OPERACIONAIS. Apostila 03 Estrutura do Sistema Operacional UNIBAN SISTEMAS OPERACIONAIS Apostila 03 Estrutura do Sistema Operacional UNIBAN 1.0 O Sistema Operacional como uma Máquina Virtual A arquitetura (conjunto de instruções, organização de memória, E/S e estrutura

Leia mais

Otimização através de LIMS e Lean Seis Sigma

Otimização através de LIMS e Lean Seis Sigma Otimização através de LIMS e Lean Seis Sigma Resumo Com uma abordagem prática este trabalho proporcionará uma visão do projeto de implantação de um sistema LIMS com o objetivo de eliminar totalmente o

Leia mais

Professor: Curso: Disciplina:

Professor: Curso: Disciplina: Professor: Curso: Disciplina: Aula 1 Turma: Esp. Marcos Morais de Sousa Sistemas de informação Engenharia de Software I Dinâmica da disciplina, plano de curso e avaliação 03º semestre Prof. Esp. Marcos

Leia mais

Nota Fiscal Eletrônica (NF-e/NFS-e)

Nota Fiscal Eletrônica (NF-e/NFS-e) Nota Fiscal Eletrônica (NF-e/NFS-e) Nota Fiscal Eletrônica (NF-e/NFS-e) é um documento de existência apenas digital, emitido e armazenado eletronicamente, com o intuito de documentar, para fins fiscais,

Leia mais

Aplicativo Cliente/Servidor multicamadas para controle de uma rede de lojas via web utilizando Java

Aplicativo Cliente/Servidor multicamadas para controle de uma rede de lojas via web utilizando Java Aplicativo Cliente/Servidor multicamadas para controle de uma rede de lojas via web utilizando Java Aluno: Henrique Eduardo M. Oliveira Orientador: Prof. Dr. Leandro J. Komosinski Banca: Prof. M. Maria

Leia mais

Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG

Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG Marco T. A. Rodrigues*, Paulo E. M. de Almeida* *Departamento de Recursos em Informática Centro Federal de Educação Tecnológica de

Leia mais

1. Introdução. 1.1. A história do ERP

1. Introdução. 1.1. A história do ERP 1. Introdução Podemos definir os sistemas ERP como sistemas de informação integrados na forma de um pacote de software que tem a finalidade de dar suporte à maioria das operações de uma organização. A

Leia mais

Detecção e investigação de ameaças avançadas. INFRAESTRUTURA

Detecção e investigação de ameaças avançadas. INFRAESTRUTURA Detecção e investigação de ameaças avançadas. INFRAESTRUTURA DESTAQUES A infraestrutura do RSA Security Analytics Arquitetura modular para coleta distribuída Baseada em metadados para indexação, armazenamento

Leia mais

Regulamento do Programa RiSE/Porto Digital de Residência em Reuso de Software 2011

Regulamento do Programa RiSE/Porto Digital de Residência em Reuso de Software 2011 Regulamento do Programa RiSE/Porto Digital de Residência em Reuso de Software 2011 1. Apresentação A RiSE Reuse in Software Engineering e o Núcleo de Gestão do Porto Digital (NGPD), com o apoio do CNPq

Leia mais

Palavras chave Sistema de Informações Geográficas, Banco de Dados, Geoprocessamento

Palavras chave Sistema de Informações Geográficas, Banco de Dados, Geoprocessamento IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS PARA O MUNICÍPIO DE TERESÓPOLIS, EM LABORATÓRIO DO UNIFESO José Roberto de C. Andrade Professor do Centro de Ciências e Tecnologia, UNIFESO Sergio Santrovitsch

Leia mais

SPED e NF- e Claudio Coli

SPED e NF- e Claudio Coli SPED e NF- e Claudio Coli A MASTERSAF Nossa Visão Missão Negócio Nossa Razão Convergência Promover Ética e Responsabilidade Social deixando um legado que seja motivo de Orgulho para nossos Clientes e Colaboradores

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Sistemas de Informação Informação no contexto administrativo Graduação em Redes de Computadores Prof. Rodrigo W. Fonseca SENAC FACULDADEDETECNOLOGIA PELOTAS >SistemasdeInformação SENAC FACULDADEDETECNOLOGIA

Leia mais

INDICE 3.APLICAÇÕES QUE PODEM SER DESENVOLVIDAS COM O USO DO SAXES

INDICE 3.APLICAÇÕES QUE PODEM SER DESENVOLVIDAS COM O USO DO SAXES w w w. i d e a l o g i c. c o m. b r INDICE 1.APRESENTAÇÃO 2.ESPECIFICAÇÃO DOS RECURSOS DO SOFTWARE SAXES 2.1. Funcionalidades comuns a outras ferramentas similares 2.2. Funcionalidades próprias do software

Leia mais

Estudo de Viabilidade

Estudo de Viabilidade Estudo de Viabilidade PGE: Plastic Gestor Empresarial Especificação de Requisitos e Validação de Sistemas Recife, janeiro de 2013 Sumário 1. Motivação... 1 2. Introdução: O Problema Indentificado... 2

Leia mais

Um processo para construção de software mais transparente

Um processo para construção de software mais transparente Um processo para construção de software mais transparente Eduardo Almentero 1, and Julio Cesar Sampaio do Prado Leite 1 1 Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, PUC - Rio, Brasil {ealmentero,

Leia mais