'ü,ç4^,n,t-* (&"-;,,r L'"í- r*tru*^f/, ffi. ? ç r[z Lo'+',.ì-' Á),rh ut]'' rq-v. o c( ss,;ífr''- ''(í^:, * '",ï t,,? d NOTA FISGAL ELETNÔT'IIGA 2011

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "'ü,ç4^,n,t-* (&"-;,,r L'"í- r*tru*^f/, ffi. ? ç r[z Lo'+',.ì-' Á),rh ut]'' rq-v. o c( ss,;ífr''- ''(í^:, * '",ï t,,? d NOTA FISGAL ELETNÔT'IIGA 2011"

Transcrição

1 r*tru*^f/, ffi ' Jv'W,,1{ ' U RUA salvador,447 ADRhNóPoLls.Vv\ Dw,O E^rlÊ. rott r"n{76oo,, n1àv"',j?'*ú FoNE: (92 330í7600 o'" "ÂtioY wwweditorriscr'combr { _t d A àq \ì P '.ìl \_ o c( NOTA FSGAL ELETNÔT'GA 2011 unuzncão Do E[trssoR GRATUTo ronio pãrtcogor 1 computador PoR ALUNo 'ü,ç4^,n,t* (&";,,r L'"í \ s 0 É \\ t: l F *h CuTh'^ l'4#fr'2"o'n& o z^/tno e"'"/â ss,;ífr'' ''(í^:, * '",ï t,,? d y MANAUS2:1 <í? ç r[z Lo'+',.ì' Á,rh ut]'' rqv

2 dr,'aut,.9'm \,,^o (+u*ë' S "\ò f ^Lçt >'ío;r,s^ q % :,AN' 5 UtnztuLk V*Q, 4' rfujt,(rt, treu.ú/.k *ç tl // / íl,reí c{q c1?zt 'Q ('q( \/

3 SETOR DE TRENAMENTOS RUA SALVADOR, FONE: (92 330í7600 Visite nosso site: www editotíiscl.com'br,,, t t TNSTRUTORES: Prof, PAULO CÉSAR VNHAS TSO, euitor Fiscl de Tributos Estduis d SefzrAM' coordendoí do proiêto NF no Estdo do Amzon"". Éns"ìüroÉi"tri"ist, com êníse em EletrônK e Telecomunicçóes. formdo pelo ltútel ;"ï::'iü ìi;d" sãp*iíruiõ po"ì;ïïã;;; tï;;i;;éo à" C""" de computdores' per PUC/RJ e Administrção e Estrlégis de Msrketing pel FACECA,/MG ãiàìlëõõcico ATBUOUERQUE. Antist de recnolosi dêlnformção d 9EFAZAM resronsável perâ equipe de Ìl do projeto Not Fisct Etetrônic n SEFAzÃi.'èrãàìão e Cienú d Computçio pel Universidde FedeÍl d PrÍb UFPB 26 fevereiro, O5 e 12de mrço de 2O11 Hor: 08:00 às 12:00 (12 hors/ul JUSTFCATVA A prtir de jneiro de 201 1, s empress obrigds emitir Not Fiscl Eletrônic terão que utilizr NOVA versáo 2.0 d" rur", qu" tr"rã iãu" re'grsoe vtioço.precismos estr bem treindos prâ ess situéo. OEJETVoS GERAS. o "on"ruï. ã'ëinã"*ãnto o in"t'ir"noo estrá pto pr utilèr o. sistem d Not Fiscl Eletrônic com utilizção do p;"gr;; ì;isior Grturto de NF, disponibilizdo pelo Fisco utilizndo sus tuncionliddes ns diverss modliddes de emissão de NFe' üëjëïïüõïë!ëïcíëëóë õ;:ë;ãji" i,ãã"b" g"rt do Projeto NFe, ds ÍeÍÍments mis ulilizds pr coríeções de enos do "rquiuo xlúl, ì d; progrms utilizãdos pr visulizção d NFe e pr o cumprimento de outrs obrigções cessóris. PúBLCO ALVO ProÍìssionis ds áres contábil, Íiscâ, Íturmenlo e dministrtiv e demis ini"i"it"oo. "t profundr os conhecimentos sobre o PQeto d Not Fiscl EletÍônic' 1 Visão Gerl do Projeto NF'e Conceito de NFe b Modelo opercionl c Legislçáo di DANFE Documento Auxilir d NFe e Modliddes de contingênci 0 Cncelmento de NFe g lnutilizção de numerçáo ã1 Mnul de lntegrção Contribuinte Lingugem XML b Leiute do rquivo d NFe c Correções de erros n emissão de NFe i Visulizdor de Documento Fiscl Eletrônico Conceitos e principis crcterístics; b Visulizção de NFe cj Crição e gerencimento de Repositório Bckup 4 Cp de Lote Eletrônic CL+ Descrição gerl do sistem b Emissão d CLe cì Consult e impressão de CLe 5i Progrm Emissor de NFe (vercão 2'0'2 j Requisitos pr uso e instlção b lnstlção do Progrm emissor c Crcterístics técnics do progrm emlssor d Limitçóes do emissor e Funcionliddes do progrm emissor: i Cdâstro de emitentes ii Cdstro de clientes, produtos e trnsportdors iii Etps pr gerção d d NFe iv Vlidção d NFe v Assintur digitl d NFe vi Trnsmissão d NFe vii Gerencimento de NFe viii Cncelmento de NFe ix lnutilizção de númerçáo de NFe x Consult de pendèncis de NFe n Sefz xi Not fiscl referencid xii lmportção e exportção de rquivos xiii Bckup xiv Reltórios gerenciis do emissor f Modliddes de Emissão de NFe: i Emissão Norml ii Emissão de NFe em Contingênci com uso de Formulário de Segurnç FS iii Emissão de NFe em Contingênci com o uso d Declrção prévi de emissão de contingênci DPEC Emissão de NFe Pr o Sistem de Contingênci do Ambiente Ncionl SCAN

4 ^r \\ &v t\ (^' w4 ^yj^l',.i, ll,f^ *f (v" J. lí. n tj/ ue \f e1,í u'''^ l *[(? Yl*í'*u W l" ú"9 ctq C 7\tl,t E7i,/L

5 F l" 7., AD, t t t t D ì ì ì ì Etri:tg4 FoN /FAx: (92 33or7600 políttca DE parttcrnção eu rnelrlmento TNSTRUENDo: sej bêm vindo o Editor Fiscr, você irá receber prestção de um serviço de rt importânci.. Conhecer é poder, o conhecimento consiiiri moed importãnte oue lhe será trnsmitid de um form consgrd que éo contto p"r.o"r. iàãóã""áããàl àãijà'à"iào 0"." e instruções bixo, fim de que você poss usufruir deste serviço e'iorã Jrliente. Compreendendo em bses mínims o ppel os tres prããiros no evento. são onrcções Do rr{srrueì{do; 1 O instruendo deve estr presente pe10 menos 10 (dez minutos ntes pr do horário previsto o início do treinmento, proponhse estr pre;ente durnte todà o t"rpo ïo quur for desenvolvido o treinmento. 2 o coffeebrek durâ 15 minutos, será ddo viso com 5 minutos de instruendo ntecedênci, deve estr presente o no rocr durnte este tempo, ("rugr" deve ser o instrutor o.rpu, durnte o coffeebrek, fim de que'eri: posiìiràïì1ïoã, "uitãão intervro, não nos oo responsbirizmos pero coffeebrek oà. iãú,"noã.'qí"";;;;;", locl pós os 15 minutos determindos pr ess finlidde. 3 O instruendo deve "" ssinr dirimente list de pr"runçu. 4 O instruendo deve gurdr o momento e.ecàoei o sãu certificdo, em regr treinmento. no finãr do 5 o instruendo deve preencher Avrição, no Finr do treinmento, entregr à tendente, _ se identificndo, sendo lel e direto, em irformr tods âs sus impressões. 6 O instruendo deve se dispor prticipr de form tiv no treinmento, prendizdo. buscndo o 7 O instruendo deve portrse de form cortês com o instrutor e seus turm. compnheiros de 8 O instruendo não deve buscr monoporizr o treinmento, requerendo tod si tenção pôr durnte o mesmo. 9 Preencher corretmente o cnhoto, pr confecção do certificdo. são oenrelções Do rí{srrutorr 1 O instrutor deve inicir o treinmento ponturmente e ocupr o tempo qur está proposto de form ext. 2 O instrutor deve esforçrse por cumprir rlgorosmente proposição d Ement. 3 o instrutor deve presentãr postir ou qi,"iióruirjt"rir didático ser usdo. 4 O instrutor deve exercer ridernç n sr de ro.r" "n." e cortês pr com os instruendos e o Editor Fiscl. são onrcções Do EDtroR FrscAL: l o Editor deve disponibirizr com ntecedênci srs de ur com todos os recursos que serão usdos pr o treinmento. 2 O Editor Fiscl deve fornecer coffeebrker de qulidde. 3 o Editor Fiscr deve estr com estrutur de bnheiros e outrs em estdo de rimpez e orgnizção. 4 o Editor Fiscr deve fornecer o mterir didático, segurnç e conforto durnte os treinmentos 5 o Editor Fiscl drá suporte n eventul dificuldde do instruendo ou do instrutor no desenrolr do evento. 6 o Editor Fiscl drá suporte pr o treinmento de form cortês e eficiente os instruendos e o instrutor

6 \r< / Ul,r"^ \^i'< 'il^.t u\r \Y't t C \, '.{,.\ \ì < r\ \\./' ^.\ \r "< \,.r ì Q Ì{ \, lr i, L,.\ r/ rr,;lro Fà*"'f Ln,à, Á'.ò F=i::,r,J'.,,, : \'ftd,, _, (ì!' ^, * (r,ì\ l\ t,t., '.,. t.! ' ì ì 't. ',,;,/LA..,*1" '.,] ':! i Lr,'" ' i 1,\ 11".,"zi,LÇ'.i '.t/,...'1 ; '\

7 SPED SPEQ foi 'r Sislemo Público de Escrituroçõo Digilol instituído pelo Decreto Federol n" 6.022f 2OO7,. O SPED foz porle do Progromo de Aceleroçõo do Crescimenlo do Governo Federol (PAC e constiiuise em mois um ovqnço no infoímolizoçõo do reloçõo entre o fisco e os conìribuintes.

8 </ril(> wirç / v\v ^/ / lf u {'t ì% /l^o 1"P'\" ^*y

9 w Vídeos NFe Perdigõo i n^tt L^r,, o1 C115 \,/,/ Conceito de NFe o E um documento emilido e ormozenodo eletronicomente, de existêncio openos digilol, com o inluito de documentor operoções e prestoções, cuio volidode iurídico é gorontido pelo ossinoturo digitol do emitente e outorizoçõo de uso pelo odministroçõo tributório do unidode federodo do contribuinte, ontes do ocorrêncio do folo gerodor. ' A cerlificoçõo digitol goronle o oulorio e o inlegridode dos informoções.

10 n llr \ V (p^lr,^ 0ç {\ È2r dvl" w }Lfw r N=\ +r.^^*ç c,t4u 0n^ l. '"J'Á^ sr^ t/tfu 3"t\ \ 4^ ^ 1""y w' 4o**' \,n^; r, lq A^/^Á t/k.. ò

11 Corocterísticqs do NFe n Arquivo digitol no podrõo XML 1r*rene morkr.rp Lonsuose; A numeroçõo do NFe seró seqüenciol de o , por estobelecimento e por série, devendo ser reiniciodo quondo otingido esse limite; o Os contribuintes com mois de umo inscriçõo esloduol deverõo emiïir os NFe com séries distintos poro codo le; Umo NFe oceito oté 990 itens de produto c Os orquivos XML nõo poderõo exceder o 500 Kbytes Modelo Operocionol u O emitente gero o qrquivo eletrônico dq NFe Tronsmite poro o Sefoz de origem o orquivo XML com o pedido de concessõo de uso do NFe o A Sefoz de origem foz o qnólise do pedido:. Auloriz o uso: "/ o Sefqz disponibilizo o orquivo poro consullo ' o emitenìe imprime o DANFE " o desìinotório consuhq q idoneidode do documenlo e do operoçõo ou presìoçõo

12 tt.,r/ i i' / rl rl' \' t.,( t, t (( i' tt có cr? UT i.. l\,1,!:... ( L/ 5 /,".t' e (5,//", /5 (',1

13 Modelo Operocionol. 2 Reieito o pedido de Aulorizoçõo de Uso: r' o Sefoz cômun;co o rozóo do reieiçõo / o orquivo digirol nõo pode ser orquivodo pelo Fisco poro consulro / o emitenle pode corrigir o folho ê tíonsmirií o orquivo dô NFe em olgumos hipórêses. 3 Denego o pedido de Auiorizoção de Uso: / o drquivo digltol trdnsmitido fico ôíquivôdô pêlô Fisco poro consulro "D nêgddo d Aurorizoção de Uso" r' o Sefoz comunico oô êmitênìê o Íoto motivodor do denêgoçõo, nõo é possivêl snêoí s irrêguloridodês ê solìciror novo AuÌorizoçõo dê Uso do NFe com o mesmo numeroçõo Solicitoçõo poro Emissõo de NFe ffi ',, Em ffi o..ílê 1 s fz(ori9êm cd operção o vendedor deve so licitr utorizção de uso d NFe à SEFAZ Recepção ntes d ocorrênci do Fto cerdor Análise > Concessão d Autorizção de LJso; > Dênegção d AutoÍizção de Uco; > Rejeição do Arquivo Digitl.

14 t t t rl, D t to td t td rt, t tt t t" t 'r l.t t à,. L Volidoçõo do NFe o, lr=1t rj, ili:jèè ' A SEFAZ procederá à vlidção d NFe recebid. vlidção RecePção: ' Assì ntur Digitl. EsquemxMl. Numeíàçào ' Règul.idâde Fiscl. vêndedor Autoíizdo Volidoçõo do NFe o, Se nálise for po s itiv, uto rizrá o uso de NFe. Vlidção R cepção:. Regulãíidãdê Fiscl. Em itentê utorizàdo

15 !ì '1 i 9,'[il1 " f \ij lp*y (Ã ç'1 ç'* f f> Ív Lí, ry í(t b^tuü'il4 h"x"a" C\u /*u1" '4 c\ >,4i úwa/y4 b"

16 Envio poro o RF e outros UFs,., off í.1r'rì5ll.,'cíjlrh Envi Retrnsmite N Fe. ReceiÌ Fedêrl.'sefz (destino rsufràm lmpressõo do DANFE '', ÍrânsitôAutorizdo DANFE.9 Envi Autorizdo o uso d NFe nq uel operção, o DAN FE com pnhrá o trân s ìto d mercdori...

17 Envio dq NFe poro o comprodor ", Tránsito Au ton zdo DANFE...eovendedordeverá e nvir o rquivo d NFe pr seu com prdor. Consulto NFe pelo lnternet 'r O destintário deverá verificr utenticidde dnfeeexistênci de Autorizção de Uso d NF e por meio do código de ces

18 L L L Legisloçõo Nocionql Aiuste Sinief 07 /2OOS lnstirui o NFe e o DANFE (oheroções recenres. Aiustes Sinief 3 e 8/20ì 0 Protocolo CMSO/2007 Esrobelece o obrisororiedode do ulilizoçõo dõ NFe Monuql de lntegroçõo Descrevê os especificoções e crìiéíìos técnìcos põro emissõo do NFe {o píozo do versõo 3.0 foi ompliodo poro 3l 0320l AÌoCotepe 3ó/Ì0 Convênio CMS 9ó/2009 Dìspõê sobre fobíicoçõo, distribuiçõo e oquisiçõo dê popéis com dispositivos de seguronço poro o impressõo de documentos fisco;s (revogou o Conv. CMS 0/2008 efeitos o portir de ì'de ìulho de 2010 Legisloçõo Nocionol : Protocolo CMS 42/2OOq êsrobêtece o obrigotoriedode do utilizoçõo do NFe (... pelo crìiério de CNAE "Clóusulq quinto Ficom montìdos os obrigoloriedodes e prozos estobelecidos no Prolocolo CMS l0/07, de 18 de obril de 2007." : Ato Cotepe/CMS ó/2010 Dispõê sobrê os especificoções lécnicos de formulórios de seguronço

19 Legisloçõo Estoduol Decreto Estoduol /2009 Resulomento ô sisrêmo Público de Escriluroçõo Digilol SPED, inslirui ô Côpo dê Lôlê EêÌrônico CLê, e dó oulros providêncios kevôso o Dêc. Enoduot 27.O/2A08 Resoluçõo GSeÍoz 6f2OO9 Dispõe sobre os procêdimentos Dêcêssórios oo credenciomenlo de usuôrios do NFe.. Defìne os procedimêntos poro devôl!çõo dot blocor de Noro5 Fhcok modêlo (... 'Atì. 7,5 1" Os.of,rrtòuinìér ôôìisddoe d è itn Nfê, de,ho dê ó0 Ge$en,o dô., con'odo. o p.rti. do ddtd do ôbriso,,oriêddde ou do doto dd opçõo nrctotorel de enitir NFe dêvêr6ó rêquêrer ò SEFÁZ, pü neìo de pro.eso 'dhìnitttdtìvo, d óu!6àzõçãó.dto dêtruiçõo de rodos os Nór6 fà.o6 ôodêloi ê 1A nõo utilizodot confornê nodelo de no Anèto ll deío Resoiuçóo d;po'ìbilizodò,o Pd,ol Esrodudl dô NF do Legisloçõo Estoduql Resoluçõo GseÍoz 19/2OO9 Dispôe sobrê o credenciomênro de eslobelecimentos gróficos como rêvêndedorês dê Foímulóíio de Sêguronço poío lmprêssõo dê Do umênlo Auxilior de Documênto Fiscol Eletrôni o FSDA, e dó ouiros providêncios (oherodo pêlô Resoluçõo Gsefoz N' 008/20t 0.

20 1 *'byh> o n\ qc\j ily O lê\:,,? p7 tr \ :.N oí \ ì $ ( \y\ ^/.$,N Y (71^{ J.9 \ íe1 S\ +:t \ ' +$.A CÜ: ü Ëq =

21 D, t, t t t Cronogromo de Mossificoçõo r O Protocolo CMS n" 10 /2OO7 (e suos olteroções esiobelece o obrigoìoriedode de utilizoçõo do NFe: Abr/08 5 sêtores Dez/089 seìores. Al>r/O9 25 seiores Set/09 54 setores Cronogromo de Mossificoçõo : Protocolo CMS n" 2/2OO9 complemento o Prot. CMS 1O/O7 e utilizo o critério de CNAE:. ì " de obril de '1" de iulho de 20ì 0 l' de ourubro de o de dezembro de 2010, os operoções: ' deíinodos ò Adm. PÚblìco direìo ou indirelô. inte'.s'oduoi,e,c"lo conribuirle e'clu\i'omenle voreinlo' ôpe'ocões 'o\."t * Ctot nô iicìso ll' dô *""t's O Úni'o' do clóusulo segundo' do Píú. 2 /2Ao9l. dê cômércio exlerior

22 DANFE (Documento Auxìlìor do Noro Fìscol Eletrônico ffi L #ï:' Ínflmmil[uuuuflilmnlilruul DANFE (Documento Auxilior do Noto Fiscol Eletrônico ilililfitilllülllillllüll Ë. lï'!q l'g lf.*ã"

23 Conceito de DANFE o É o Documento Auxilior do NoÌo Fiscol Eletrônico que ocomponho o trônsito do mercodorio. o É umo representoçõo grófico simplificodo do NFe. : Contém o chove de ocesso e o código de borros (podrõo code 128C poro Íocilitor o consulto do NFe. CorocÌerísticos do DANFE o Deve ser impresso em popel no tomonho mínimo A4 e móximo ofício 2, exceto popel iornol, em único vio. Podem ser utilizodos folhos soltos, FS, FSDA. formulório contínuo ou formulório préimpresso. Só poderó tronsitor com os mercodorios opós o concessõo do Autorizoçõo de Uso do NFe ou nos hipóteses de contingêncios Ìécnicos.

24 i Coroclerísticos do DANFE g O DANFE deve sempre leí suo outenticidode verificodo. : Pode ser impresso no verso do DÀNFE oté 50o/o do óreo disponível. r Vem com o conhoto de recebimento poro o comprovoçõo do entrego dos mercodorios ou prestoçõo de serviços. n Auxilio o escrituroçõo do destinqtório que nõo Ìenho condições de ormozenor o orquivo digitol' Corqcterísticos do DANFE r DANFE simplificodo usodo no hipótese de vendo forq do eslqbelecimento:. pode ser impresso em quolquêí tipo de popeì, exceto popel iornol, êm lomonho inferior oo A4. em contingêncio, deve ser impresso em no mínimo 2 yios, com o expressõo "DANFE Simplificodo em Contingêncio". peímite o ouiomoçõo do processo de geroçõo de NFe nos operoções de vendos em veículo

25 Requisitos poro Emitir NFe or fìcdodigíàldeveráconteronúmêro do CNPJ de quãlquerdos nbele. meios Credenciomento no AM O conrribuìnte deveró êfêìuôr o credencìomenro O conrribuintê solicito o <rêdenciomento Resoluçòo GSEFAZ SuÌeiro òs mesmos obrigoçõês píevistos poro os contrlbuinres credenciddos de ofício qpçõo irrêrrotóvel

26 Credenciomento GEET Gln t*lffi Credenciqmento...,3!Ê!!!!ó,:ì.r..'.'... h

27 Progromo Emissor de NFe Certificoçõo Digitol õ Certificodo tipo Aì: volidode de um qno ormozenodo no computodor. o Certificodo lipo A3: volidode de oìé lrês qnos qrmozenodo em cqrlõo ou token cripìogrófico.

28 }. \ {? \.Y \L < à ç 3 t_..*j..." \\> ônt tì è\ (Í,4 5 ì, \Sò í'.ì\ \ 'ì G?.= _5 \{ \

29 NT 2010/001 tr lnformor o código estobelecido no Nomencloturo Comum do Mercosul NCM (8 dígitos nos operoções: ' EstqbelecimenÌo industriol ou equiporodo. Comércio exìerior ÀÌuíe Siniêf 205, clóusuld 3", in.èo V s lnformor o copítulo (2 primeiros dígiïos nos demois operoções NT 20r O/OO1 Estruturo do código no Siçt m Hrmonizdo NCM: Específi co pr [,4ercosul 0 coítulo 2 primeiros dígitos do SH Subposicão 6 primeiros dígitos do SH Subitem 8" dígito d NCM P!&s 4 primeiros díqitos do 5H!Ìe!q 7'dígito d NCú Sistem Hrmonizdo > é um método interncionl d clssificção de mercdoris. bsedo em um estrutur de códigos e respectivs d scriçô s

30 f vr w "'f \^ v'

31 NT 20r O/OO1 c Simplif icoçõo do procedimento de registro do emissõo de NFe em contingêncio:. Eliminoçõo do necessidode de lovroturo do termo no livro de Registro de Documentos Fiscqis D lnformoções que deverõo fozer porìe do orquivo e ser impressos no DANFE: ' O motivo do entrodo em conlingêncio. A doto, horq com minutos e segundos do seu início Àiuê 9^ie1 7 /0s, etólsut. 11", ç tl NT 20r O/OO1! Novos CST poro PS/COFNS do ln 1.009/20ì 0:. lnformor o código 99 oulros operoções oíé que o leioutê do NFe suporfe os novos códigos

32 rlssf',p*, 1"< Yet n,t.r' 'Lq,{LVÉ' C c.fl! /.^n',,oo o l(f r**' 't{*^ 4 *:n J,4r* u truw'trtot

33 ',! J \J ( ^tt t l\ Modolidodes de Emissõo de NF t'të^/v4l t"*t' tr J' \,' iv...j\ "\:!" ï ü" ',t r^'l\' ' ^.\ ft \. :3; ò, Áru úi, (t' 3 È JÈ J ì :^.:< \J!*> { c\. 5Ì A{ Jçtr.:. b' \ i4 "L j Ì..\.ì \s,a lçë t,j+ 41 t't'^' " r"^ lr't t lr ^1'tt*r Emissõo Normol de NFe.ç.J1 t"'< "Ü ' t:r,:llx y4 t't Cà + "t L z^h E o procedimento podrõo de emissõo do NFe com tronsmissõo do NFe poro o Sefoz de origem do emissor poro obter o ouìorizoçõo de uso. u Todos os recursos necessórios poro o emissõo do NFe estõo operocionois e o outorizoçõo de uso do NFe é concedido normolmente pelo Sefoz. u O DANFE pode ser impresso em popel comum.. L ' r"^ / \ Lu^t, vl L<'/ \ N } _\._, /t',j :, J N.r. \ '(t \,V l1 ì/ 3 ì t t< Àr _2 t", ''l í J 6. d. s '\s_ i\ iíè N \s.\ +

34 Emissõo em Contingêncio com SCAN r O Sistemo de Conlingêncio do Ambienie Nocionol SCAN é umo olternolivo poro o contribuinle quondo o sislemo de recepçõo de NFe do Sefoz esliver indisponívêl (monutençõo Preventìvo. r O SCAN pode ossumir o recepçõo e oulorizoçõo dos NFe de quolquer UF, quondo solicitodo pelo SeÍoz interessodq. cr A série do NFe deve ser ollerodo poro o foixo exclusìvo do SCAN 900 o 999, ossim como o númêío do NFe. u O DANFE pode ser impresso em popel comum. l Dispenso o Ìronsmìssõo do NFe poro o Sefoz de origem quondo cessorem os problemos lécnicos. r O conlribuinlê deve vêíifìcor o slolus do serviço do SCAN. DANFE Normol e com SCAN DANFE N sêrte S9S S999 S9S0 99S9 9SS9 Cônsulldeuteniicrdâde noporlâlncionâld NFe.,.^.r nfe.lzend.qov.br,oorll ou no ste d Selz Auloíìzdor JO31200S 10:00:00 Noto Técnico 3/2009

35 Emissõo em Contingênciq com FS É umo qlternqtivo quondo ocorre olgum problemo que impede o obiençõo do outorizoçõo de uso do NFe. A NFe é emitidq em coniingêncio com o impressõo do DANFE em Formulório de Seguronço F5. J O DANFE seró impresso em no mínimo duos vios, com o expressõo "DANFE em Contingênciq impíesso em decorrêncio de problemos lécnicos". A NFe deveró ser enviodo poro o Sefoz ossim que cessorem os problemos técnicos que impedirom o suo tronsmissõo, oté o prozo limile de ó8h (conrodo o portir do impressõo do respectivo DANFE. Emissõo em Contingêncio com FS FS odquirido poro DANFE nõo pode ser utilizodo poro nolo fiscol de impressor oulônomo. O Pedido de Aquisiçõo do Formulório de Seguronço PAFS é preenchido pelo ÍobriconÌe e enviodo oo conìíibuinte. O PAFS deve ser encominhodo diretomente ò GDF (sede do Sefoz poro obter oulorizoçõo de impressõo, AÌé , o Administroçõo Tributório dos UFs poderó ouïorizor o PAFS, poro o impressõo de DANFE, sendo permitido qo contribuinte o utilizoçõo do estoque exislenle (i,.r. sini.í 9/2oto.

36 DANFE em Conlingêncio com FS DANFE N, sérre S S99S S9 S999 ilililtttill1ülill lilf lilltll lïlllllllllllllillllüllllll 9S99S Not Técnico 3 / 2009

37 Emissõo em Contingêncio com FSDA r Tem o modelo operocionoì similor oo do contingêncio com uso do FS, sendo o FSDA criodo poro oumentqí o copilorìdode dos PonÌos de vendo'.l A NFe é emitido em conlingêncio com o impressõo do DANFE em Formulário de Seguronço Poro Documenlo Auxiliqr FSDA (c.*;* rcrs col:oor; r O DANFE seró impresso em no mínimo duos vios, com o expíessõo "DANFE em Contingêncio impresso em decorrêncio de probìemos lécnicos"' 'l A NFe deveró ser envìodo poro o Sefoz ossim que cessorem os problemos Ìécnìcos que impedirom o suo tronsmissõo, oíó o prozo ìimile de 1ó8h ro c""p'r rcís ; :r,'ol Modelo de FSDA Ato CoÌêp /CMS n' 6/20ì 0 i ã il 1 é 5

38 Emissõo em Contingêncio com DPEC A emissõo em contingêncio com o Decloroçõo Préviq de Emissõo em Contingêncio DPEC é umo qhernqlivo que dispenso o uso de FS poro o impressõo do DANFE e nõo necessilo oheror o série e nem o numeroçõo do NFe. Consiste no registro prévio dos resumos dos NFe emitidos pelo contribuinte. O DANFE é impresso em popel comum. em no mínimo 2 vios, com o expíessõo "DANFE impresso em Contingêncio DPEC regulormente recebido pelo Receilo Federol do Brosil". A NFe deveró ser enviodq poro o Sefoz ossim que cêssorem os problemos técnicos, olé o prozo de ìó8h (conìodo o porìir do recepçõo do DPEC pelo RFB. DANFE em Contingêncio com DPEC DANFE N" serré S9 99S !9 Consull de uienllôldde no pori ncionld NFe i*ìr nie lâ2end3 õô! brbôrl: 1' t03t

39 r ;t t rt. rt. ít rt rt rt íl í ít rl rl íl rt ro ro rc rc rc t Emissõo em Contingênciq com DPEC. httpt f fhom.nfe.fozendo.gov.br/portol ' hfivf /,itww.nie.f ozendo.gov.br f porìol Emissõo em Contingêncio com DPEC &.Dcodii'.i<io 12.11,7e r 63.ó345eô/oooì.o r 2 F.Ìn. d. Emn!õo ÍÍÌ{ôrtul / ccoi.i4.ncè

40 tt l., 7 t ā., ā o AC re rê t ít lnutilizoçõo de Numeroçõo.r Ocorre no eventuolidode de quebro de seqüêncio do numeroçõo do NFe. rr Denúncio esponiôneo = deve ser efeìuodo o Pedido de lnutilizoçõo de Número do NFe, oté o 10" dio do mês subseqüenle o*u" s^*t z/os.^'n t fl, :.: O Pedido seró efeìivodo vio lnternet, por meio de protocolo de seguronço ou criptogrofio. r O sistemo oceito oïé,ì.000 números por vez. Cqncelomento de NFe Lr O emitente poderó solicitor o concelomento do NFe oté 'l ó8h opós o concessõo do Autorizoçõo de Uso rorr. r'"t r /os..títusuto t2" e to coìepê/ìctás n 33/03. : Desde que nõo tenho ocorrido o respecìivo mercodorio ou o serviço. circulcçõo do prestoçõo do : Deve ser tronsmitido ò Sefoz o Pedido de Concelomento de NFe, vio lnternet, por meio de protocolo de seguronço ou criptogrofio.

41 Concelomento de NFe Alteroçõo do prozo de concelomento do NFe : A portir de " de ioneiro de 2012, o prozo de concelomento do NFe nõo poderó ser superior o 24h.,i.to co,*"/,c^s n" ss/to Corto de Correçõo Eletrônico u Apesor de constor o suo previsõo legol no Aiuste SinieÍ 7 /2QO5, oté o momento o leioute do CCe oindo nõo foi divulgodo em Ato COTEPE.

42 Desemboroço de soído :r As operoções de soído de mercodorios do Estodo do Amozonos ocobertodos por NFe e os destinodos o outros Municípios, Unidodes do Federoçõo ou Exterior estõo dispensodos do desemboroço eleìrônico tá4. to d De.íet. EshduÕ 23.3r'1 / Consultq Desemboroço do NFe if:

43 Consultq Desemboroço dq NFe c.cr,rxï:r.rrrrrrrlrrxr::r.lil,:t:,lr:ur: wllli Consulto Desemboroço do NFe l! t. *n*i'".'4e.*!'

44 Bose de lnformoções o Portol Nocionol do NFe. o PorÌol Esioduol do NFe Sefoz/AM Produçõo ' http f / ní e.seíoz.o m.9 ov. b r r Portol Estoduol do NFe Sefoz/AM Homologoçõo. http,//homníe,sef oz.om.gov.br Contqtos SPED Ë'' t' i r Emdil. ' ef

45 tr\ go '1,'\./ \ü rcl / Y erilçr lt i \ t' tl l v ( tl 4l ç\ '/ ì,r\ \''\ ^,v 'tt/ d^ \4., / f \ \t lv\ /,; L l'' ' LY'A' '' '

A modernização do Fisco a serviço da sociedade

A modernização do Fisco a serviço da sociedade A modernização do Fisco a serviço da sociedade SPED Sistema Público de Escrituração Digital SPED, foi instituído pelo Decreto Federal nº 6.022/2007: SPED NF-e CT-e EFD ECD O SPED faz parte do Programa

Leia mais

NFe Nota Fiscal Eletrônica. Helder da Silva Andrade

NFe Nota Fiscal Eletrônica. Helder da Silva Andrade Nota Fiscal Eletrônica Helder da Silva Andrade 23/08/2010 SPED SUBSISTEMAS Escrituração Contábil Digital EFD ECD Escrituração Fiscal Digital Nota Fiscal Eletrônica CTe Conhecimento Transporte Eletrônico

Leia mais

Nota Fiscal Eletrônica Priscila Lima

Nota Fiscal Eletrônica Priscila Lima O que é Benefícios Obrigatoriedade Fluxograma Alterações na emissão Armazenamento Recebimento Contingência Inutilização do Mod.1 Nota Fiscal Eletrônica Priscila Lima O que é... Documento de existência

Leia mais

A NOTA FISCAL ELETRÔNICA: um breve histórico

A NOTA FISCAL ELETRÔNICA: um breve histórico 1 A NOTA FISCAL ELETRÔNICA: um breve histórico Nota Fiscal eletrônica - NF-e é um modelo de documento fiscal, de existência apenas digital cuja validade jurídica é garantida pela assinatura digital, que

Leia mais

Pergunte à CPA. Nota Fiscal Eletrônica Modalidades de Contingência

Pergunte à CPA. Nota Fiscal Eletrônica Modalidades de Contingência 30/04/2013 Pergunte à CPA Nota Fiscal Eletrônica Modalidades de Contingência Apresentação: Helen Mattenhauer Oliveira 2 Conceito de Contingência para a NF- e A contingência é apenas de comunicação ou de

Leia mais

Nota Fiscal. Eletrônica. Apontamentos para Contribuintes obrigados a emissão

Nota Fiscal. Eletrônica. Apontamentos para Contribuintes obrigados a emissão Nota Fiscal Eletrônica Apontamentos para Contribuintes obrigados a emissão Índice O que é a NF-e... 3 O que é o DANFE... 3 Nota Fiscal Paulista... 3 Quantidade de cópias do DANFE... 4 Papel do DANFE...

Leia mais

Palestra. SPED - NF Eletrônica - Escrituração Fiscal Digital - Atualização. Março 2010. Elaborado por:

Palestra. SPED - NF Eletrônica - Escrituração Fiscal Digital - Atualização. Março 2010. Elaborado por: Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 D A T A D E A B E R T U R A : 2 9 d e d e z e m b r o d e 2 0 1 0 H O R Á R I O : 9:0 0 h o r a s L O C A L D A S E S S Ã O P Ú B L I C A: S a l a d a C P L/

Leia mais

Vinicius Pimentel de Freitas. Julho de 2010

Vinicius Pimentel de Freitas. Julho de 2010 Nota Fiscal Eletrônica no Rio Grande do Sul Vinicius Pimentel de Freitas Julho de 2010 SPED ECD EFD NF-e CT-e MC-e NFS-e... Contextualizando: Documentos Fiscais Eletrônicos no Brasil Comunicações e Energia

Leia mais

Manual Básico de Procedimentos Nota Fiscal Eletrônica NF-e no APOLO

Manual Básico de Procedimentos Nota Fiscal Eletrônica NF-e no APOLO Manual Básico de Procedimentos Nota Fiscal Eletrônica NF-e no APOLO 1- Geração e Envio Normal: Quando estiver tudo pronto para a geração da NF-e, selecione a nota, clique com o botão direito do mouse,

Leia mais

5ª Delegacia Regional da Receita Guarapuava PR ALTAIR BATISTA DE SOUZA JOSÉ CLODOALDO MUNHOZ

5ª Delegacia Regional da Receita Guarapuava PR ALTAIR BATISTA DE SOUZA JOSÉ CLODOALDO MUNHOZ 5ª Delegacia Regional da Receita Guarapuava PR ALTAIR BATISTA DE SOUZA JOSÉ CLODOALDO MUNHOZ 1. O QUE É NF-e? 2. OBJETIVO DA NF-e 3. LEGISLAÇÃO 4. CONTRIBUINTES OBRIGATÓRIOS 5. ADESÃO VOLUNTÁRIA 6. NECESSIDADES

Leia mais

Decreto nº 11.336 (DOE de 26/11/08)

Decreto nº 11.336 (DOE de 26/11/08) Decreto nº 11.336 (DOE de 26/11/08) Procede à Alteração nº 110 ao Regulamento do ICMS e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, no uso de suas atribuições, considerando o disposto no Ajuste

Leia mais

Sistema PúblicoP. de Escrituraçã. Fabiano Moreira Ramos 26/11/2009

Sistema PúblicoP. de Escrituraçã. Fabiano Moreira Ramos 26/11/2009 Sistema PúblicoP de Escrituraçã ção Digital Sped NF-e e / CT-e Fabiano Moreira Ramos 26/11/2009 SPED - Subsistemas Escrituração Contábil Digital Nota Fiscal Eletrônica ECD EFD CTe NFe Escrituração Fiscal

Leia mais

Projeto Nota Fiscal Eletrônica (NF-e)

Projeto Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) Projeto Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) (Ajuste SINIEF 07/05) Estado de Santa Catarina 7º Congresso de Secretários de Finanças, Contadores Públicos e Controladores Internos Municipais Florianópolis SC 15/04/2011

Leia mais

Nota Fiscal Eletrônica

Nota Fiscal Eletrônica Receita Federal do Brasil Ricardo Rezende Barbosa nfe@sefaz.pi.gov.br 06 de dezembro de 2007 Secretaria da Fazenda do Estado do Piauí Nota Fiscal Eletrônica Nota Fiscal Eletrônica Luiz Antonio Baptista

Leia mais

Projeto Nota Fiscal Eletrônica

Projeto Nota Fiscal Eletrônica Projeto Nota Fiscal Eletrônica A ABRAFORM agradece a oportunidade de estar divulgando suas ações. www.abraform.org.br abraform@abraform.org.br Fone: (11) 3284-6456 29/09/2009 EMBASAMENTO LEGAL Ajuste SINIEF

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA/SP - NF-e 01/2011

ORIENTAÇÃO TÉCNICA/SP - NF-e 01/2011 ORIENTAÇÃO TÉCNICA/SP - NF-e 01/2011 ORIENTAÇÃO AOS AGENTES PÚBLICOS COM RELAÇÃO ÀS DISPOSIÇÕES PREVISTAS PELA PORTARIA CAT 162/08 A RESPEITO DA OBRIGATORIEDADE DE EMISSÃO DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA. ÍNDICE

Leia mais

Fundamentos da NF-e Exercícios Práticos. Luiz Campos

Fundamentos da NF-e Exercícios Práticos. Luiz Campos Fundamentos da NF-e Exercícios Práticos Luiz Campos 1 Livro de Apuração do IPI - CFOP CFOP DESCRIÇÃO 1.000 ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DO ESTADO 1.100 COMPRAS PARA INDUSTRIALIZAÇÃO, PRODUÇÃO RURAL,

Leia mais

Como se Tornar Emissor de NF-e

Como se Tornar Emissor de NF-e SEFAZ-BA Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia Como se Tornar Emissor de NF-e Manual Versão 1.9 Salvador - Ba, novembro de 2010 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO...3 2. NF-E INFORMAÇÕES GERAIS...3 2.1. PROJETO

Leia mais

SUBSEÇÃO IV Da Nota Fiscal Eletrônica - NF-e e do Documento Auxiliar da NF-e - DANFE

SUBSEÇÃO IV Da Nota Fiscal Eletrônica - NF-e e do Documento Auxiliar da NF-e - DANFE SUBSEÇÃO IV Da Nota Fiscal Eletrônica - NF-e e do Documento Auxiliar da NF-e - DANFE Art. 182-A. A Nota Fiscal Eletrônica - NF-e que poderá ser utilizada em substituição a Nota Fiscal modelo 1 ou 1-A,

Leia mais

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e :

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 13 DE JULH DE 2015! Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : Caso vo cê nunca t e nh a pa

Leia mais

Prgrmçã O Mu s u Év r, p r l ém f rcr s s i g ns «vi s i t s cl áss i cs» qu cri m s p nt s c nt ct nt r s di v rs s p úb l ic s qu vi s it m s c nt ú d s d s u ri c s p ó l i, p r cu r, c nc m i t nt

Leia mais

SPED NOTA FISCAL ELETRÔNICA. Maio/ 2009

SPED NOTA FISCAL ELETRÔNICA. Maio/ 2009 SPED NOTA FISCAL ELETRÔNICA Maio/ 2009 NFe - Objetivo Alteração da sistemática atual de emissão da nota fiscal em papel, por nota fiscal de existência apenas eletrônica. NFs Modelos 1 e 1A NFe - Conceito

Leia mais

Geraldo Scheibler. Equipe da NF-e no RS nfe@sefaz.rs.gov.br

Geraldo Scheibler. Equipe da NF-e no RS nfe@sefaz.rs.gov.br Geraldo Scheibler Equipe da NF-e no RS nfe@sefaz.rs.gov.br Escrituração Contábil Digital Escrituração Fiscal Digital Nota Fiscal Eletrônica Sistema Público de Escrituração Digital - SPED SPED Subprojetos

Leia mais

Projeto Nota Fiscal Eletrônica

Projeto Nota Fiscal Eletrônica Nota Fiscal Eletrônica Nota Técnica 2010/004 Projeto Nota Fiscal Eletrônica Nota Técnica 2010/004 Substitui a Nota Técnica 2010/003 Junho-2010 Pág. 1 / 17 Nota Fiscal Eletrônica NT 2010/003 1. Resumo Divulgar

Leia mais

1. Como funciona o modelo operacional da NF-e? (atualizado em 31/12/08)

1. Como funciona o modelo operacional da NF-e? (atualizado em 31/12/08) III. Modelo Operacional (o que muda com a NF-e) - Modelo 55 1. Como funciona o modelo operacional da NF-e? (atualizado em 31/12/08) De maneira simplificada, a empresa emissora de NF-e gerará um arquivo

Leia mais

Nota Fiscal Eletrônica/SC. Perguntas e Respostas

Nota Fiscal Eletrônica/SC. Perguntas e Respostas Nota Fiscal Eletrônica/SC Perguntas e Respostas I. Conceito, uso e obrigatoriedade da NF-e 1. O que é a Nota Fiscal Eletrônica NF-e? 2. Já existe legislação aprovada sobre a NF-e? 3. Quais são as vantagens

Leia mais

Portaria CAT- 162, de 29-12-2008

Portaria CAT- 162, de 29-12-2008 Portaria CAT- 162, de 29-12-2008 Dispõe sobre a emissão da Nota Fiscal Eletrônica - NF-e e do Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica - DANFE, o credenciamento de contribuintes e dá outras providências.

Leia mais

ANEXO IX - DOS DOCUMENTOS FISCAIS ELETRÔNICOS E AUXILIARES

ANEXO IX - DOS DOCUMENTOS FISCAIS ELETRÔNICOS E AUXILIARES ANEXO IX - DOS DOCUMENTOS FISCAIS ELETRÔNICOS E AUXILIARES CAPÍTULO I DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA - NF-e E DO DOCUMENTO AUXILIAR DA NF-e DANFE Art. 1º A Nota Fiscal Eletrônica - NF-e, modelo 55, poderá ser

Leia mais

NOTA FISCAL ELETRÔNICA

NOTA FISCAL ELETRÔNICA NOTA FISCAL ELETRÔNICA Instalação do certificado digital Para cada empresa certificadora existe um manual de instalação. Antes de emitir o certificado no cliente, leia atentamente as instruções do manual.

Leia mais

Alterações da Versão 5.8.7.2 para a 5.8.8

Alterações da Versão 5.8.7.2 para a 5.8.8 Documento Atualizado em: 23/11/2011 - Versão: 1.1 Prezados Clientes: Abaixo, estão os Novos Recursos da versão 2.0.6 BUILD: 5.8.8.1 em relação ao Build 5.8.7.2. Dividimos as alterações por Menus, sendo

Leia mais

Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e)

Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) Para dar mais agilidade e segurança à administração tributária, os Estados brasileiros, o Distrito Federal e o

Leia mais

Palestra em 30 de julho de 2014. Cristina S. Rodrigues ex Diretora do TI RIO e Diretora da empresa DELLINE INFORMÁTICA LTDA

Palestra em 30 de julho de 2014. Cristina S. Rodrigues ex Diretora do TI RIO e Diretora da empresa DELLINE INFORMÁTICA LTDA Palestra em 30 de julho de 2014 Cristina S. Rodrigues ex Diretora do TI RIO e Diretora da empresa DELLINE INFORMÁTICA LTDA Os Layouts e Serviços de Autorização de uso da NF-e Serão os mesmos para NFC-e.

Leia mais

Documentos Fiscais Eletrônicos na Prestação de Serviço de Transporte de Cargas AFR Newton Oller de Mello Delegacia Regional Tributária do Litoral

Documentos Fiscais Eletrônicos na Prestação de Serviço de Transporte de Cargas AFR Newton Oller de Mello Delegacia Regional Tributária do Litoral Documentos Fiscais Eletrônicos na Prestação de Serviço de Transporte de Cargas AFR Newton Oller de Mello Delegacia Regional Tributária do Litoral Palestra SINDISAN Sindicato das Empresas de Transporte

Leia mais

MÓDULO DE NOTA FISCAL ELETRONICA

MÓDULO DE NOTA FISCAL ELETRONICA MANUAL DO SISTEMA Versão 6.08 Introdução... 2 Requisitos para Utilização do Módulo NF-e... 2 Termo de Responsabilidade... 2 Certificados... 2 Criação de Séries... 2 Framework... 3 Teste de Comunicação...

Leia mais

Guia de Primeiros Passos - MOVIMENTAÇÕES

Guia de Primeiros Passos - MOVIMENTAÇÕES Guia de Primeiros Passos - MOVIMENTAÇÕES Este documento tem o objetivo principal de iniciar você de forma rápida e simples no sistema.aprog., configurando as funcionalidades a sua realidade. A série Primeiros

Leia mais

1º SEMANA EMPRESÁRIO EMPREENDEDOR LUZ E REGIÃO SICOOB - CREDILUZ. Tema: Novas sistemáticas contábeis (SINTEGRA NF-e)

1º SEMANA EMPRESÁRIO EMPREENDEDOR LUZ E REGIÃO SICOOB - CREDILUZ. Tema: Novas sistemáticas contábeis (SINTEGRA NF-e) 1º SEMANA EMPRESÁRIO EMPREENDEDOR LUZ E REGIÃO SICOOB - CREDILUZ Tema: Novas sistemáticas contábeis (SINTEGRA NF-e) 17 de Novembro de 2009 SPED SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL DECRETO Nº 6.022/07

Leia mais

Departamento Jurídico - DEJUR COMTÊXTIL - COMCOURO 21.07.2009

Departamento Jurídico - DEJUR COMTÊXTIL - COMCOURO 21.07.2009 Departamento Jurídico - DEJUR COMTÊXTIL - COMCOURO 21.07.2009 SPED Sistema Público P de Escrituração Digital DEJUR O S.P.E.D. Sistema Público de Escrituração Digital foi instituído pelo Decreto 6.022,

Leia mais

Evento Especial da Área Fiscal NF-e versão 3.10-24/04/2015. José Alves Fogaça Neto

Evento Especial da Área Fiscal NF-e versão 3.10-24/04/2015. José Alves Fogaça Neto 1 Evento Especial da Área Fiscal NF-e versão 3.10-24/04/2015 Apresentadores: Fernanda Silva José Alves Fogaça Neto 2 NF-e Legislação Ajuste Sinief 07/05 Institui a NF-e e o Documento Auxiliar da Nota Fiscal

Leia mais

Nota Fiscal Eletrônica

Nota Fiscal Eletrônica Nota Fiscal Eletrônica NF-e - Considerações 3,6 bilhões de notas fiscais armazenadas só em SP 26000 campos de futebol 27 voltas ao redor do mundo Podem representar um custo de até 5% no faturamento das

Leia mais

SINDCONT-SP SINDCONT-SP

SINDCONT-SP SINDCONT-SP SPED, ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL EFD E OS DOCUMENTOS ELETRÔNICOS 2007/2008 Programa: - Sistema Público de Escrituração Digital - SPED - Escrituração Fiscal Digital - EFD - Documentos Eletrônicos do SPED:

Leia mais

Perguntas Freqüentes NFe

Perguntas Freqüentes NFe Perguntas Freqüentes NFe I - Conceito, uso e obrigatoriedade da NFe 1. O que é a Nota Fiscal Eletrônica NFe? Nota Fiscal Eletrônica é um documento fiscal de existência apenas digital, emitido e armazenado

Leia mais

Conhecimento de Transporte Eletrônico - CT-e

Conhecimento de Transporte Eletrônico - CT-e Conhecimento de Transporte Eletrônico - CT-e O que é O Conhecimento de Transporte eletrônico (CT-e) é o novo modelo de documento fiscal eletrônico, instituído pelo AJUSTE SINIEF 09/07, de 25/10/2007, que

Leia mais

Nota Fiscal eletrônica NF-e

Nota Fiscal eletrônica NF-e Secretaria de Estado da Fazenda do Paraná Coordenação da Receita do Estado Inspetoria Geral de Fiscalização Nota Fiscal eletrônica NF-e Maringá, 24 de Maio de 2011 Setor de Documentação Fiscal eletrônica

Leia mais

Vale Fertilizantes Janeiro / 2012 Versão 1.0

Vale Fertilizantes Janeiro / 2012 Versão 1.0 Cartilha NF-e Nota Fiscal Eletrônica Vale Fertilizantes Janeiro / 2012 Versão 1.0 Este documento descreve as obrigações e procedimentos no manuseio de NFNF e Nota Fiscal Eletrônica. Conteúdo 1. Introdução...

Leia mais

AJUSTE SINIEF Nº 09, 25 DE OUTUBRO DE 2007 Publicado no DOU de 30.10.07, pelo Despacho 91/07. Manual de Integração do Contribuinte do Conhecimento de Transporte Eletrônico - CT-e: Atos COTEPE/ICMS 08/08

Leia mais

Principais Alterações da NF-e na versão 2.00

Principais Alterações da NF-e na versão 2.00 Principais Alterações da NF-e na versão 2.00 A partir de 01/04/2011, a Nota Fiscal Eletrônica modelo 55 deve seguir obrigatoriamente as orientaçõs contidas no Manual de Integração da NF-e 4.01, que define

Leia mais

DECRETO Nº 29.041, DE 26 DE OUTUBRO DE 2007

DECRETO Nº 29.041, DE 26 DE OUTUBRO DE 2007 DECRETO Nº 29.041, DE 26 DE OUTUBRO DE 2007 * Publicado no DOE em 31/10/2007. Acresce dispositivos ao Decreto nº 24.569, de 31 de julho de 1997, que regulamenta e consolida a legislação do Imposto sobre

Leia mais

Emissão e autorização da NF-e 2. Quais são as validações realizadas pela Secretaria de Fazenda na autorização de uma NF-e?

Emissão e autorização da NF-e 2. Quais são as validações realizadas pela Secretaria de Fazenda na autorização de uma NF-e? O QUE MUDA COM A NF-e 1. Como funciona o modelo operacional da NF-e? De maneira simplificada, a empresa emissora de NF-e, previamente credenciada segundo as normas ditadas pela Secretaria de Fazenda de

Leia mais

Altera o Livro VI do Regulamento do ICMS (RICMS/00), aprovado pelo Decreto n.º 27.427, de 17 de novembro de 2000, e dá outras providências.

Altera o Livro VI do Regulamento do ICMS (RICMS/00), aprovado pelo Decreto n.º 27.427, de 17 de novembro de 2000, e dá outras providências. Decreto Publicado no D.O.E. de 13.05.2014, pág. 01 Este texto não substitui o publicado no D.O.E Índice Remissivo: Letra R - RICMS DECRETO N.º 44.785 DE 12 DE MAIO DE 2014 Altera o Livro VI do Regulamento

Leia mais

Página 1 de 14 ICMS - Sped - Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e) 16 de Outubro de 2012 Em face da publicação do Despacho SE/Confaz nº 190/2012 - DOU 1 de 04.10.2012, este procedimento foi atualizado

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE, no uso das atribuições que lhe confere o art. 78, inciso IV da Constituição Estadual, e

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE, no uso das atribuições que lhe confere o art. 78, inciso IV da Constituição Estadual, e DECRETO Nº 5.257, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2013. Publicado no DOE nº 10.993, de 22-02-2013. Institui a Nota Fiscal Eletrônica para Consumidor Final - NFC-e e o Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica

Leia mais

ANEXO V. DOS DOCUMENTOS E LIVROS FISCAIS (a que se referem os artigos 130, 131 e 160 deste Regulamento) SUMÁRIO

ANEXO V. DOS DOCUMENTOS E LIVROS FISCAIS (a que se referem os artigos 130, 131 e 160 deste Regulamento) SUMÁRIO RICMS (Decreto nº 43.080/2002) Anexo V ANEXO V DOS DOCUMENTOS E LIVROS FISCAIS (a que se referem os artigos 130, 131 e 160 deste Regulamento) SUMÁRIO ARTIGOS PARTE 1 DAS DISPOSIÇÕES RELATIVAS AOS DOCUMENTOS

Leia mais

Nota Fiscal Eletrônica 3.10. www.integrationsys.com Solução SEAFZ Atualização 3.10

Nota Fiscal Eletrônica 3.10. www.integrationsys.com Solução SEAFZ Atualização 3.10 Nota Fiscal Eletrônica 3.10 www.integrationsys.com Solução SEAFZ Atualização 3.10 Objetivo Atualmente o leiaute da NF-e está na versão 2.00 e a Nota Técnica nº 05/2013 tem o objetivo de divulgar: Funcionalidades

Leia mais

Sistema Nota Fiscal Eletrônica

Sistema Nota Fiscal Eletrônica Fiscal eletrônica Sistema Fiscal Eletrônica Técnica 2013/007 Apresenta o novo ambiente de autorização de contingência do Sistema NF-e e disciplina a sua forma de uso pelas empresas: SVC - SEFAZ VIRTUAL

Leia mais

Portaria CAT- 162, de 29-12-2008

Portaria CAT- 162, de 29-12-2008 Page 1 of 31 Portaria CAT- 162, de 29-12-2008 (DOE 30-12-2008) Dispõe sobre a emissão da Nota Fiscal Eletrônica - NF-e e do Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica - DANFE, o credenciamento de contribuintes

Leia mais

Nota Fiscal Eletrônica NFe Questões mais frequentes

Nota Fiscal Eletrônica NFe Questões mais frequentes Nota Fiscal Eletrônica NFe Questões mais frequentes Helder Andrade Existe um roteiro para uma empresa implantar NFe? Possuir Certificado Digital (da empresa) emitido por uma Autoridade Certificadora da

Leia mais

Portaria CAT- 162, de 29-12-2008

Portaria CAT- 162, de 29-12-2008 Portaria CAT- 162, de 29-12-2008 (DOE 30-12-2008) Dispõe sobre a emissão da Nota Fiscal Eletrônica - NF-e e do Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica - DANFE, o credenciamento de contribuintes e

Leia mais

Contudo, o Manual de Integração versão 3.0, que define a versão 1.10 da NF-e, continuará em vigor até 31 de dezembro de 2010.

Contudo, o Manual de Integração versão 3.0, que define a versão 1.10 da NF-e, continuará em vigor até 31 de dezembro de 2010. Principais Mudanças da NF-e XML 2.0 Um dos temas em mais relevantes no cenário empresarial para 2010 é a chamada Segunda Geração da NF-e, cujas especificações técnicas tiveram inicio em 1º de abril, de

Leia mais

Parecer Técnico. NF-e 3.10 NT 1.21 Alterações

Parecer Técnico. NF-e 3.10 NT 1.21 Alterações Parecer Técnico NF-e 3.10 NT 1.21 Alterações PARECER SOBRE A NT 1.21 NF-e 3.10 2014 Nota Técnica 2013/005 v 1.20/1.21 Alteração no Leiaute de NF-e Em Novembro de 2014 a SEFAZ publicou a Nota Técnica 2013/005

Leia mais

Projeto Nota Fiscal Eletrônica

Projeto Nota Fiscal Eletrônica Nota Fiscal Eletrônica Nota Técnica 2009/003 Projeto Nota Fiscal Eletrônica Nota Técnica 2009/003 Padroniza o uso de campos do grupo de medicamentos da NF-e e a geração e impressão do código de barras

Leia mais

SPED Fiscal Escrita Fiscal Digital - EFD

SPED Fiscal Escrita Fiscal Digital - EFD SPED Fiscal Escrita Fiscal Digital - EFD Luiz Antonio Baptista da Costa Leite Auditor Fiscal da Fazenda Estadual Coordenação dos Estudos Econômico-Fiscais - COEFI Coordenador dos projetos NF-e, CT-e, EFD

Leia mais

Vale Fertilizantes Janeiro / 2012 Versão 1.0

Vale Fertilizantes Janeiro / 2012 Versão 1.0 Cartilha CT-e Conhecimento de Transporte Eletrônico Vale Fertilizantes Janeiro / 2012 Versão 1.0 Este documento descreve as Conhecimento de Transporte Eletrônicos Conteúdo 1. Introdução... 3 2. Papeis

Leia mais

Acesso a NFA-e para não contribuinte:

Acesso a NFA-e para não contribuinte: Acesso a NFA-e para não contribuinte: Através da pagina da Secretaria de Estado da Fazenda (www.sef.sc.gov.br) o contribuinte não credenciado no Sistema de Administração Tributária (S@T) poderá emitir

Leia mais

Programa Contag Consultoria e Escola de Negócios, representação da Nasajon Sistemas no Amapá

Programa Contag Consultoria e Escola de Negócios, representação da Nasajon Sistemas no Amapá Programa Contag Consultoria e Escola de Negócios, representação da Nasajon Sistemas no Amapá Instrutor: José Jeová Junior Contador, com formação nesta área pelo Instituto IOB de São Paulo Dinâmica das

Leia mais

NOTA FISCAL ELETRÔNICA

NOTA FISCAL ELETRÔNICA NOTA FISCAL ELETRÔNICA 1. Comprei mercadoria com NF-e denegada. Qual o procedimento para regularizar essa situação? Resposta: Preliminarmente, temos que esclarecer o que é uma NF-e Denegada:, A Denegação

Leia mais

Nota Fiscal Eletrônica/RS. Perguntas e Respostas

Nota Fiscal Eletrônica/RS. Perguntas e Respostas Nota Fiscal Eletrônica/RS Perguntas e Respostas 1. OBJETIVO, CONCEITO, USO E OBRIGATORIEDADE 2. OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS 3. MODELO OPERACIONAL 4. DANFE (Documento Auxiliar da NF-e) 5. CERTIFICAÇÃO DIGITAL

Leia mais

DECRETO Nº 5.067 DE 2 DE JANEIRO DE 2013

DECRETO Nº 5.067 DE 2 DE JANEIRO DE 2013 DECRETO Nº 5.067 DE 2 DE JANEIRO DE 2013. Publicado no DOE nº 10.969, de 16-01-2013.. Republicado por Incorreção no DOE nº 10.973 de 22-01-2013 Altera e acrescenta dispositivos ao Regulamento do ICMS,

Leia mais

NF-e Procedimentos e Operações

NF-e Procedimentos e Operações NF-e Procedimentos e Operações - Cores : Amarela - Nota Fiscal cadastrada no insig com emissão ainda não autorizada pela SEFAZ Verde Nota Fiscal com emissão autorizada pela SEFAZ Vermelha Nota Fiscal com

Leia mais

Módulo 14. CgaInformatica. NFe. NFe para o Sistema Retwin

Módulo 14. CgaInformatica. NFe. NFe para o Sistema Retwin Módulo 14 CgaInformatica NFe NFe para o Sistema Retwin 2 Sumário O que é... 3 Benefícios... 3 Requisitos para Instalação e Implantação... 3 Obrigação Backup... 4 Configuração Geral do Sistema... 5 Cadastro

Leia mais

COORDENADORIA DA ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA Portaria CAT 12, de 04-02-2015

COORDENADORIA DA ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA Portaria CAT 12, de 04-02-2015 COORDENADORIA DA ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA Portaria CAT 12, de 04-02-2015 Dispõe sobre a emissão da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica - NFC-e (NF-e, modelo 65) e do Documento Auxiliar da Nota Fiscal

Leia mais

1 de 22 12-04-2013 11:25

1 de 22 12-04-2013 11:25 (*) ESTE TEXTO NÃO SUBSTITUI O ORIGINAL PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO. Subanexo 12 ao Anexo 015 (Versão Atual) DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA (NF-e) E O DOCUMENTO AUXILIAR DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA

Leia mais

Impactos da Nota Fiscal Eletrônica no Setor de Varejo. Eduardo Barbosa de Souza Diretor de P&D&I Oriontec Automação Comercial ebsouza@oriontec.com.

Impactos da Nota Fiscal Eletrônica no Setor de Varejo. Eduardo Barbosa de Souza Diretor de P&D&I Oriontec Automação Comercial ebsouza@oriontec.com. Impactos da Nota Fiscal Eletrônica no Setor de Varejo Eduardo Barbosa de Souza Diretor de P&D&I Oriontec Automação Comercial ebsouza@oriontec.com.br Agenda Visão Geral da NF-e Breve Histórico Conceito

Leia mais

Roteiro de Instalação da NF-e no Sistema CalcExpress S U M À R I O

Roteiro de Instalação da NF-e no Sistema CalcExpress S U M À R I O Roteiro de Instalação da NF-e no Sistema CalcExpress S U M À R I O Procedimentos de Configuração no CalcExpress....2 Procedimentos de Configuração no Emissor de Nota Fiscal Eletrônica...3 Gerando Arquivo

Leia mais

REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM No u s o d a c o mp e t ê n c i a p r e v i s t a al í n e a v ) d o n. º 1 d o ar t i g o 64º d o De c r e t o -Le i n. º 1

Leia mais

Nota Fiscal eletrônica nacional NF-e. Perguntas e respostas. Versão 2.0 30/05/2008

Nota Fiscal eletrônica nacional NF-e. Perguntas e respostas. Versão 2.0 30/05/2008 Nota Fiscal eletrônica nacional NF-e Perguntas e respostas Versão 2.0 30/05/2008 ATENÇÃO: o presente texto Nota Fiscal eletrônica nacional Perguntas e respostas é uma adaptação do texto Perguntas Freqüentes

Leia mais

WORKSHOP CARTA CORREÇÃO ELETRONICA

WORKSHOP CARTA CORREÇÃO ELETRONICA WORKSHOP CARTA CORREÇÃO ELETRONICA Sistema JAD NOTA FISCAL ELETRÔNICA OBJETIVO: O objetivo deste WORKSHOP é apresentar a nova ferramenta do Sistema JAD, conforme o Ajuste Sinief 10 de 30/09/2011, que altera

Leia mais

Capítulo II. Da Adesão. Capítulo III

Capítulo II. Da Adesão. Capítulo III Decreto do Estado do Amazonas nº 33.405 de 16.04.2013 DOE-AM: 16.04.2013 Disciplina a emissão da Nota Fiscal Eletrônica a Consumidor Final, e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO AMAZONAS,

Leia mais

Evento Especial da Área Fiscal 29 de maio de 2013. Samyr Qbar

Evento Especial da Área Fiscal 29 de maio de 2013. Samyr Qbar Evento Especial da Área Fiscal 29 de maio de 2013 Apresentadores: Helen Mattenhauer Oliveira Samyr Qbar NF-e Legislação Ajuste Sinief 07/05 Institui a NF-e e o Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica;

Leia mais

3.3. Nota Fiscal Eletrônica e o Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica AJUSTE SINIEF 07/05 de 30.09.2005

3.3. Nota Fiscal Eletrônica e o Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica AJUSTE SINIEF 07/05 de 30.09.2005 3.3. Nota Fiscal Eletrônica e o Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica AJUSTE SINIEF 07/05 de 30.09.2005 A Emenda Constitucional nº 42/03, com o objetivo de promover a racionalização e a modernização

Leia mais

NF-ELETRÔNICA & NF DE SERVIÇOS ELETRÔNICA. Julio Hermes Pregiliscio

NF-ELETRÔNICA & NF DE SERVIÇOS ELETRÔNICA. Julio Hermes Pregiliscio NOTA FISCAL ELETRÔNICA & NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA JULIO HERMES PREGILISCIO Consultor tributário com mais de 20 anos de consultoria; Consultor tributário da COAD; Instrutor de inúmeras palestras

Leia mais

NFe e NFCe Como emitir nota fiscal pelo Lince? COMO EMITIR NOTA FISCAL PELO LINCE?

NFe e NFCe Como emitir nota fiscal pelo Lince? COMO EMITIR NOTA FISCAL PELO LINCE? Como emitir nota fiscal pelo Lince? COMO EMITIR NOTA FISCAL PELO LINCE? O que é a Nota Fiscal Eletrônica? Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) tem como intuito emitir e armazenar eletronicamente, para fins fiscais,

Leia mais

CAPÍTULO III-A DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA E DO DOCUMENTO AUXILIAR DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA. Seção I Da Nota Fiscal Eletrônica

CAPÍTULO III-A DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA E DO DOCUMENTO AUXILIAR DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA. Seção I Da Nota Fiscal Eletrônica CAPÍTULO III-A DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA E DO DOCUMENTO AUXILIAR DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA Seção I Da Nota Fiscal Eletrônica Vê Portaria n. 027/2010-SEFAZ, que dispõe sobre as especificações técnicas da

Leia mais

Sistema Nota Fiscal Eletrônica

Sistema Nota Fiscal Eletrônica Fiscal eletrônica Sistema Fiscal Eletrônica Técnica 2013/007 Apresenta o novo ambiente de autorização de contingência do Sistema NF-e e disciplina a sua forma de uso pelas empresas: SVC - SEFAZ VIRTUAL

Leia mais

Novo Leiaute da Nota Fiscal Eletrônica Versão 3.10 e Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica NFC-e

Novo Leiaute da Nota Fiscal Eletrônica Versão 3.10 e Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica NFC-e Novo Leiaute da Nota Fiscal Eletrônica Versão 3.10 e Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica NFC-e Agente Fiscal de Rendas Newton Oller de Mello Delegacia Regional Tributária do Litoral Secretaria da Fazenda

Leia mais

Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e)

Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) Para dar mais agilidade e segurança à administração tributária, os Estados brasileiros, o Distrito Federal e o

Leia mais

LINX POSTOS AUTOSYSTEM

LINX POSTOS AUTOSYSTEM LINX POSTOS AUTOSYSTEM Manual Notas Fiscais Sumário 1 CONCEITO... 3 2 REQUISITOS... 3 3 CONFIGURAÇÕES... 3 3.1 Permissões... 3 3.2 Configurar NF-e... 4 3.2.1 Aba Geral... 5 3.2.2 Opções... 6 3.3 Processador

Leia mais

Curso de Procedimentos Básicos. NF-e

Curso de Procedimentos Básicos. NF-e Curso de Procedimentos Básicos. NF-e (NF-e) é "um documento de existência apenas digital, emitido e armazenado eletronicamente, com o intuito de documentar uma operação de circulação de mercadorias ou

Leia mais

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O O s depós itos fos s ilíferos, o s s ítios paleontológ icos (paleobiológicos ou fossilíferos) e o s fós s eis q u e a p r e s e n ta m valores científico, educativo o u cultural

Leia mais

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I 1 3Mr P e re s, R e s e r h D i re t r I D C B rs i l Br 0 0metr Cis e Bn L rg n Brsil, 2005-201 0 R e s l t s P ri m e i r T ri m e s t re e 2 0 0 7 Prer r Prer r Met e Bn Lrg em 2 0 1 0 n Brs i l : 10

Leia mais

1. Consulta de Certificado Digital 1. 2. Modelo de faturamento por Central de Serviços 3. 3 Configuração de informações para Faturamento de pedidos 4

1. Consulta de Certificado Digital 1. 2. Modelo de faturamento por Central de Serviços 3. 3 Configuração de informações para Faturamento de pedidos 4 CONFIGURAÇÃO PEDIDOS 1. Consulta de Certificado Digital 1 2. Modelo de faturamento por Central de Serviços 3 3 Configuração de informações para Faturamento de pedidos 4 4 Faturamento de NF-e pela SEFAZ

Leia mais

! $&% '% "' ' '# ' %, #! - ' # ' ' * '. % % ' , '%'# /%, 0! .!1! 2 / " ') # ' + 7*' # +!!! ''+,!'#.8.!&&%, 1 92 '. # ' '!4'',!

! $&% '% ' ' '# ' %, #! - ' # ' ' * '. % % ' , '%'# /%, 0! .!1! 2 /  ') # ' + 7*' # +!!! ''+,!'#.8.!&&%, 1 92 '. # ' '!4'',! "#$%% $&% '% "' ' '# '"''%(&%') '*'+&%'# ),'#+# ' %, # - ' # ' "%'''' ' * '. % % ', '%'# ''''') /%, 0.1 2 / " ') 33*&,% *"'",% '4'5&%64'' # ' + 7*' # + "*''''' 12''&% '''&")#'35 ''+,'#.8.&&%, 1 92 '. #

Leia mais

C AR T I L H A N O T A FI S C A L EL E T R Ô N I C A I - SOBRE O PROJETO NF-E II - DOCUMENTAÇÃO BÁSICA DO PROJETO

C AR T I L H A N O T A FI S C A L EL E T R Ô N I C A I - SOBRE O PROJETO NF-E II - DOCUMENTAÇÃO BÁSICA DO PROJETO I - SOBRE O PROJETO NF-E O Projeto Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) é desenvolvido de forma integrada, pelas Secretarias de Fazenda dos Estados (SEFAZ) e a Receita Federal do Brasil (RFB), a partir da assinatura

Leia mais

Roteiro de Instalação da NF-e no Sistema CalcExpress S U M À R I O

Roteiro de Instalação da NF-e no Sistema CalcExpress S U M À R I O Roteiro de Instalação da NF-e no Sistema CalcExpress S U M À R I O Instalação da Aplicação Java...2 Instalação do Emissor...5 Instalação do Framework...7 Instalação das DLL s URL, SCHEMAS, CADEIA DE CERTIFICADO

Leia mais

Portaria CAT- 162, de 29-12-2008

Portaria CAT- 162, de 29-12-2008 Portaria CAT- 162, de 29-12-2008 (DOE 30-12-2008) Dispõe sobre a emissão da Nota Fiscal Eletrônica - NF-e e do Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica - DANFE, o credenciamento de contribuintes e

Leia mais

AJUSTE SINIEF 07/05 A J U S T E

AJUSTE SINIEF 07/05 A J U S T E AJUSTE SINIEF 07/05 Publicado no DOU de 05.10.05. Republicado no DOU de 07.12.05. Alterado pelos Ajustes 11/05, 02/06, 04/06. Ato Cotepe 72/05 dispõe sobre as especificações técnicas da NF-e e do DANFE.

Leia mais

Tópicos Quem é é a a PP aa nn dd ui t t?? PP oo rr qq ue um CC aa bb ea men tt oo PP er ff oo rr ma nn cc e? dd e AA ll tt a a Qua ll ii dd aa dd e e PP aa nn dd ui t t NN et ww oo rr k k II nn ff rr aa

Leia mais

Módulo NF-e. Manual de Utilização

Módulo NF-e. Manual de Utilização Módulo NF-e Manual de Utilização 1 Conteúdo Passo-a-passo para emissão de NF-e... 3 1. Obtendo seu Certificado Digital... 3 2. Registrando-se na Secretaria da Fazenda para Homologação (testes)... 4 3.

Leia mais

TÍTULO III DAS OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS CAPÍTULO I DOS DOCUMENTOS FISCAIS. Seção II-A Da Nota Fiscal Eletrônica

TÍTULO III DAS OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS CAPÍTULO I DOS DOCUMENTOS FISCAIS. Seção II-A Da Nota Fiscal Eletrônica TÍTULO III DAS OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS CAPÍTULO I DOS DOCUMENTOS FISCAIS Seção II-A Da Nota Fiscal Eletrônica Art. 543-C. O contribuinte do imposto poderá utilizar, em substituição a Nota Fiscal, modelo

Leia mais