GT 3. Classes sociais e transformações no mundo do trabalho - Painel. Ana Lúcia Kraiewski Ana Patrícia Nalesso **

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GT 3. Classes sociais e transformações no mundo do trabalho - Painel. Ana Lúcia Kraiewski Ana Patrícia Nalesso **"

Transcrição

1 Anais do IV Simpósio Lutas Sociais na América Latina ISSN: Imperialismo, nacionalismo e militarismo no Século XXI 14 a 17 de setembro de 2010, Londrina, UEL GT 3. Classes sociais e transformações no mundo do trabalho - Painel O processo de inclusão do jovem no mercado de trabalho a partir de programas de qualificação profissional: o caso do projeto Adolescente Aprendiz Paranavaí/PR Ana Lúcia Kraiewski Ana Patrícia Nalesso ** Resumo O objetivo do trabalho é conhecer na visão do adolescente aprendiz quais as contribuições do programa para a sua vida profissional. Considerando as transformações societárias em curso a partir da década de 1970 é certo situar as mudanças no mundo do trabalho como intensas e extremamente negativas para a classe trabalhadora. As perdas salariais, a diminuição dos postos de trabalho e a flexibilização das relações Acadêmica do 4 ano do curso de Serviço Socials da Faculdade Estadual de Educação, Ciências e Letras de Paranavaí (FAFIPA). Aluna bolsista de Iniciação Científica da Fundação Araucária. End. eletrônico: ** Professora mestra e coordenadora do curso de Serviço Social da Faculdade Estadual de Educação, Ciências e Letras de Paranavaí. GT 3. Classes sociais e transformações no mundo do trabalho 248

2 trabalhistas impuseram novas exigências aos trabalhadores e levaram uma grande parcela da sociedade a uma condição de miserabilidade. O desemprego com certeza é elemento constitutivo do capitalismo e a questão que destacamos é que na contemporaneidade convive-se com ele como se o mesmo fosse aceitável sem que se note espanto ou incômodo com o enorme contingente de trabalhadores sem emprego. Essa situação agrava-se quando se trata da primeira entrada no mundo do trabalho, porque a colocação dos jovens da classe trabalhadora no mercado se torna cada vez mais uma tarefa complexa, não só pelo número reduzido de vagas, mas também pela qualidade do trabalho oferecido, pois muitas das vagas que estão disponíveis quase sempre oferecem condições precárias de trabalho e salários. A esta dinâmica perversa acrescenta-se a contradição entre a crescente exigência do mercado em relação à qualificação e ao baixo acesso que a classe trabalhadora tem a uma formação qualificada. No que se refere à preocupação deste trabalho, isto é, a inserção do jovem no mercado de trabalho, priorizamos conhecer o Projeto Adolescente Aprendiz, o qual é destinado a adolescentes entre quatorze e dezoito anos de idade, conforme a lei /2000; que dispõe especificamente sobre o trabalho de adolescentes na condição de aprendiz. No município de Paranavaí o Programa Adolescente Aprendiz é desenvolvido na Associação de Vigilantes Mirins de Paranavaí. Em que medida os jovens inseridos neste projeto se percebe como pertencentes a uma classe social, conseguindo apreender a dinâmica da inserção no mercado de trabalho além de, evidentemente, estarem sendo capacitados a desenvolver habilidades que permitam aos mesmos alçarem postos de trabalhos que ofereçam possibilidades de vida com cidadania. Objeto Os adolescentes inseridos no programa adolescente aprendiz de Paranavaí PR Objetivo geral Conhecer na visão do adolescente aprendiz quais as contribuições do programa para a sua vida profissional. Objetivos Específicos: Estabelecer o perfil socioeconômico dos adolescentes inseridos no programa adolescente aprendiz; GT 3. Classes sociais e transformações no mundo do trabalho 249

3 Identificar a efetuação do programa estabelecendo o número de adolescentes que após o término do programa conseguem se inserir no mercado de trabalho; Verificar as mudanças materiais ocorridas no contexto de vida do adolescente após o período que este esteve inserido o programa. Metodologia O objetivo do projeto é conhecer na visão do adolescente aprendiz quais as contribuições do programa para a sua vida profissional. Utilizaremos então a realização das entrevistas semi estruturadas com os adolescentes que estão no programa Adolescente Aprendiz de Paranavaí e alguns que já passaram pelo programa, buscaremos realizar essas entrevistas com os adolescentes fora do seu ambiente de trabalho para evitar inibição da parte do adolescente, desta forma a entrevista ocorrerá no dia em que eles realizam os cursos profissionalizantes no SENAC. Após as entrevistas teremos dados para analisarmos quem são os adolescentes inseridos no programa, quais são as perspectivas dos adolescentes após o término do programa, que mudanças ocorrem ao freqüentar o programa, e se a maioria dos adolescentes depois do programa consegue permanecer no mercado de trabalho. Resultados e Conclusões Realizamos uma entrevista com cada adolescente que está inserido no programa Adolescente Aprendiz de Paranavaí e obtemos os seguintes dados: GT 3. Classes sociais e transformações no mundo do trabalho 250

4 Escolaridade Renda Familiar Como é considerado o coordenador do Programa Total de respostas: 26 Ensino Médio Incompleto: 25 Ensino Fundamental Completo: 1 Total de respostas: 23 Até um salário mínimo: 3 Até dois salários mínimos: 10 Até três salários mínimos: 7 Mais de 3 salários mínimos: 3 Total de respostas: 33 Liberado em dias antecedentes as provas Total de respostas: 24 Responsável: 20 Liberados: 4 Possui conhecimento suficiente para a coordenação: 16 Outro: 2 Não liberados: 20 Foram entrevistados 26 (vinte e seis) adolescentes e podemos perceber com o quadro acima que nem todas as perguntas foram respondidas por todos os adolescentes, deixamos esta liberdade de expressão explicita ao efetuarmos as entrevistas e também o adolescente poderia se expressar com mais de uma resposta por pergunta. Sendo assim podemos concluir que dois critérios do programa estão sendo respeitados, o da escolaridade e a renda, porém a liberação do adolescente em dias anteriores de prova para que o adolescente possa estudar não está sendo respeitado, o que nos causa indignação e preocupação, pois esta condição do programa Adolescente Aprendiz é de suma importância para a vida escolar do adolescente. Percebemos nas entrevistas que os adolescentes são instigados e estimulados no programa pela busca de um futuro melhor, principalmente um futuro profissional, ainda que na imaturidade por causa da idade não consigam objetivar o que realmente almejam estando dentro de um programa como este, porém percebe-se em cada resposta a vontade de melhorar e mostrar isso a quem eles mais admiram que sejam as pessoas mais variadas desde o chefe da empresa que atuam como adolescentes aprendizes até seus pais. Acreditamos que o programa traz grandes benefícios a esses adolescentes, porém o aperfeiçoamento deste programa juntamente com a sua expansão e melhor aplicação dentro das normas do programa Adolescente Aprendiz pode melhorar em grande porcentagem a esperança de uma vida melhor em meio aos adolescentes que convivem com uma sociedade cheia de motivos e causas para gerar desesperanças. GT 3. Classes sociais e transformações no mundo do trabalho 251

5 Bibliografia ANTUNES, R. Adeus ao trabalho? São Paulo: Cortez, Os sentidos do trabalho. São Paulo: Boitempo, ARROYO, M. G. Revendo os vínculos entre trabalho e educação. In: SILVIA, T.T. (Org.) Trabalho, educação e prática social. Porto Alegre: Artes Médicas, BEHRING. E. R. Acumulação capitalista, fundo público e política social. In: BOSCHETTTI, (org.) Política social no capitalismo: tendências contemporâneas. São Paulo: Cortez, FRIGOTTO, M. C. Educação e crise do capitalismo real. São Paulo: Cortez, LESSA, S. Trabalho e proletariado no capitalismo contemporâneo. São Paulo: Cortez, LOPES, M. I. de S. Educação, qualificação eo mundo do trabalho:danos e ganhos. In: PRIORI, A. (org.) O mundo do trabalho e a política: ensaios interdisciplinares. Maringá: EDUEM, POCHMANN, M. O desemprego no capitalismo. In: Serviço social e Sociedade. n.52. São Paulo: Cortez, PRIORI, A. (org.) O mundo do trabalho e a política: ensaios interdisciplinares. Maringá: EDUEM, SADER, E. Direitos e esfera pública. In: Serviço Social e Sociedade. n.77, ano XXXIV. São Paulo: Cortez, VIEIRA, E. O estado e a sociedade civil perante o eca e a loas. In: Serviço Social e Sociedade. n. 56. São Paulo: Cortez, YASBEK, M. C. Globalização, precarização das relações de trabalho e seguridade social. São Paulo: Cortez, GT 3. Classes sociais e transformações no mundo do trabalho 252

Resultados do Serviço Preparação para o Primeiro Emprego

Resultados do Serviço Preparação para o Primeiro Emprego Resultados do Serviço Preparação para o Primeiro Emprego Ano 2014 Administração: Rodrigo Antônio de Agostinho Mendonça Secretária do Bem Estar Social: Darlene Martin Tendolo Diretora de Departamento: Silmaire

Leia mais

Terceirização e cadeias produtivas: o caso do setor de confecções de Londrina-PR

Terceirização e cadeias produtivas: o caso do setor de confecções de Londrina-PR Anais do IV Simpósio Lutas Sociais na América Latina ISSN: 2177-9503 Imperialismo, nacionalismo e militarismo no Século XXI 14 a 17 de setembro de 2010, Londrina, UEL GT 3. Classes sociais e transformações

Leia mais

Patrocínio Institucional Parceria Institucional Apoio

Patrocínio Institucional Parceria Institucional Apoio Patrocínio Institucional Parceria Institucional Apoio O Grupo AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através da cultura e da arte, desperta potencialidades artísticas que elevam

Leia mais

GRUPO DE TRABALHO- GT 21 / SINDICATO E AÇÕE COLETIVAS (COORD. José Ricardo Ramalho /UFRJ e Marco Aurélio Santana/UNIRIO)

GRUPO DE TRABALHO- GT 21 / SINDICATO E AÇÕE COLETIVAS (COORD. José Ricardo Ramalho /UFRJ e Marco Aurélio Santana/UNIRIO) 1 XI CONGRESSO BRASILEIRO DE SOCIOLOGIA 1 A 5 DE SETEMBRO DE 2003, UNICAMP, CAMPINAS SP GRUPO DE TRABALHO- GT 21 / SINDICATO E AÇÕE COLETIVAS (COORD. José Ricardo Ramalho /UFRJ e Marco Aurélio Santana/UNIRIO)

Leia mais

7. Referências Bibliográficas

7. Referências Bibliográficas 7. Referências Bibliográficas ABRANCHES, S.H. e outros. Política Social e Combate à Pobreza. RJ: Ed. Zahar, 1997. ANTUNES, Ricardo. Adeus ao Trabalho? Ensaio sobre as Metamorfoses e a Centralidade no Mundo

Leia mais

Trabalho e Educação 68 horas. Universidade Estadual de Ponta Grossa Curso de Pedagogia 4º ano Professora Gisele Masson

Trabalho e Educação 68 horas. Universidade Estadual de Ponta Grossa Curso de Pedagogia 4º ano Professora Gisele Masson Trabalho e Educação 68 horas Universidade Estadual de Ponta Grossa Curso de Pedagogia 4º ano Professora Gisele Masson EMENTA DA DISCIPLINA - Trabalho como fundamento do ser social. - Trabalho nas diferentes

Leia mais

IV JORNADA DE ESTUDOS EM SERVIÇO SOCIAL SERVIÇO SOCIAL NO CREAS: ENTREVISTA COM A ASSISTENTE SOCIAL DO CREAS

IV JORNADA DE ESTUDOS EM SERVIÇO SOCIAL SERVIÇO SOCIAL NO CREAS: ENTREVISTA COM A ASSISTENTE SOCIAL DO CREAS ISSN 2359-1277 SERVIÇO SOCIAL NO CREAS: ENTREVISTA COM A ASSISTENTE SOCIAL DO CREAS Brenda de Oliveira Dias, brendadiasoliveira3@gmail.com Débora dos Santos Marques, dmarx670@yahoo.com.br Gabriela Machado

Leia mais

EXPECTATIVAS CONSOLIDADAS DE JOVENS ALUNOS DO PROJETO DE INCLUSÃO DIGITAL RECIFE.COM.JOVEM

EXPECTATIVAS CONSOLIDADAS DE JOVENS ALUNOS DO PROJETO DE INCLUSÃO DIGITAL RECIFE.COM.JOVEM EXPECTATIVAS CONSOLIDADAS DE JOVENS ALUNOS DO PROJETO DE INCLUSÃO DIGITAL RECIFE.COM.JOVEM Autora Naidja Laureano de Souza Orientador Profº Gilberto Farias Universidade Federal Rural de Pernambuco Secretaria

Leia mais

Juliana Curzi Bastos UFJF e-mail: julianacurzi@yahoo.com.br INTRODUÇÃO

Juliana Curzi Bastos UFJF e-mail: julianacurzi@yahoo.com.br INTRODUÇÃO ORIENTAÇÃO VOCACIONAL / PROFISSIONAL DE ABORDAGEM SÓCIO- HISTÓRICA: UMA PROPOSTA DE CONCRETIZAÇÃO DA ORIENTAÇÃO PARA O TRABALHO SUGERIDA PELOS PARÃMETROS CURRICULARES NACIONAIS. Juliana Curzi Bastos UFJF

Leia mais

REGIÃO SUDESTE. GRUPO 1 ALICIAMENTO PARA TRÁFICO DE DROGAS Planejamento das Ações Intersetoriais. Políticas Envolvidas. Segurança Pública.

REGIÃO SUDESTE. GRUPO 1 ALICIAMENTO PARA TRÁFICO DE DROGAS Planejamento das Ações Intersetoriais. Políticas Envolvidas. Segurança Pública. REGIÃO SUDESTE Eixos de Atuação 1. Informação e Mobilização GRUPO 1 ALICIAMENTO PARA TRÁFICO DE DROGAS Planejamento das Ações Intersetoriais 1.1 Capacitar permanente os gestores e profissionais envolvidos

Leia mais

Situação do jovem no mercado de trabalho no Brasil: um balanço dos últimos 10 anos 1

Situação do jovem no mercado de trabalho no Brasil: um balanço dos últimos 10 anos 1 Situação do jovem no mercado de trabalho no Brasil: um balanço dos últimos 1 anos 1 Marcio Pochmann 2 São Paulo fevereiro de 2.7. 1 Texto preliminar, sujeito a modificações. Situação do jovem no mercado

Leia mais

2. REBATIMENTOS DAS TRANSFOMAÇÕES NO MUNDO DO TRABALHO NA VIDA DOS ADOLECESNTES E JOVENS EM CONFLITO COM A LEI.

2. REBATIMENTOS DAS TRANSFOMAÇÕES NO MUNDO DO TRABALHO NA VIDA DOS ADOLECESNTES E JOVENS EM CONFLITO COM A LEI. ADOLESCENTES EM CONFLITO COM A LEI E MUNDO DO TRABALHO Ivana Marques dos Santos Silva Universidade Federal Rural de Pernambuco GT 3 - Trabalho e Produção no Capitalismo Contemporâneo 1. INTRODUÇÃO O artigo

Leia mais

MILLER, Julia Ulrich, 1 ; BUENEVIDES, Kênia Gabriela 2 ; AREND, Michele Catherin 1 Instituto Federal Catarinense IFC. Camboriú/SC; INTRODUÇÃO

MILLER, Julia Ulrich, 1 ; BUENEVIDES, Kênia Gabriela 2 ; AREND, Michele Catherin 1 Instituto Federal Catarinense IFC. Camboriú/SC; INTRODUÇÃO QUAL A PORCENTAGEM DOS ALUNOS DOS CURSOS TÉCNICOS DO IFC-CC, QUE SEGUEM SEUS ESTUDOS NA MESMA ÁREA E A INFLUÊNCIA DA DISCIPLINA DE PRÁTICAS PARA ESTA ESCOLHA. MILLER, Julia Ulrich, 1 ; BUENEVIDES, Kênia

Leia mais

A GEOGRAFIA DO PROFESSOR E A EMANCIPAÇÃO DO CIDADÃO

A GEOGRAFIA DO PROFESSOR E A EMANCIPAÇÃO DO CIDADÃO Jônatas Lima Candido Secretaria de Estado da Educação do Paraná SEED PR jonataslimacandido@seed.pr.gov.br A GEOGRAFIA DO PROFESSOR E A EMANCIPAÇÃO DO CIDADÃO INTRODUÇÃO Embora o Ensino de Geografia tenha

Leia mais

A TEORIA DA ESCOLA DUALISTA E A EXPANSÃO DO ENSINO TÉCNICO PRONATEC - DA EDUCAÇÃO BÁSICA

A TEORIA DA ESCOLA DUALISTA E A EXPANSÃO DO ENSINO TÉCNICO PRONATEC - DA EDUCAÇÃO BÁSICA A TEORIA DA ESCOLA DUALISTA E A EXPANSÃO DO ENSINO TÉCNICO PRONATEC - DA EDUCAÇÃO BÁSICA MACEDO, Georgina Marcia Negrão (UEPA) marciamacedo45@yahoo.com.br CARNEIRO, Juliana Furtado (UEPA) anailuj.furtado@gmail.com

Leia mais

Detalhamento da Pesquisa

Detalhamento da Pesquisa Projeto Voluntariado Brasil 2011 Job 11/0274 09/12/2011 Detalhamento da Pesquisa Contexto: Estudo geral: Estudo específico: Contribuir com a produção de conhecimento em 2001+10, marcando os 10 anos do

Leia mais

Estrategias para Busca de Emprego

Estrategias para Busca de Emprego Estrategias para Busca de Emprego Apresentação Atualmente o problema de desemprego atinge a todos. Não importa se é homem, mulher, jovem, adulto, se tem ou não experiência nem o seu nível de qualificação,

Leia mais

JOVENS, EDUCAÇÃO E CIDADANIA: ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA PÚBLICA DE TERESINA (PI).

JOVENS, EDUCAÇÃO E CIDADANIA: ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA PÚBLICA DE TERESINA (PI). JOVENS, EDUCAÇÃO E CIDADANIA: ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA PÚBLICA DE TERESINA (PI). Armstrong de Miranda Evangelista Carlos Vinícius Ribeiro Silva Islânio de Sousa Silva Lino Rafael Moura de Oliveira

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE A FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES DAS SRMs DO MUNICÍPIO DE PETRÓPOLIS

UM ESTUDO SOBRE A FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES DAS SRMs DO MUNICÍPIO DE PETRÓPOLIS 1019 UM ESTUDO SOBRE A FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES DAS SRMs DO MUNICÍPIO DE PETRÓPOLIS Rafaela Souza de Barros UERJ 3 Suellen da Rocha Rodrigues UERJ e UFF 4 Nara Alexandre Costa UERJ 5 Edicléa Mascarenhas

Leia mais

DESIGUALDADES DE GÊNERO E FORMAÇÃO DO ASSISTENTE SOCIAL. Resumo: O debate sobre gênero no Brasil se incorporou às áreas de conhecimento a partir do

DESIGUALDADES DE GÊNERO E FORMAÇÃO DO ASSISTENTE SOCIAL. Resumo: O debate sobre gênero no Brasil se incorporou às áreas de conhecimento a partir do DESIGUALDADES DE GÊNERO E FORMAÇÃO DO ASSISTENTE SOCIAL Rosana Mirales 1 Resumo: O debate sobre gênero no Brasil se incorporou às áreas de conhecimento a partir do final da década de 1980 e mais firmemente

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Ensino de História, Currículo, Currículo do Estado de São Paulo.

PALAVRAS-CHAVE: Ensino de História, Currículo, Currículo do Estado de São Paulo. O CURRÍCULO E O ENSINO DE HISTÓRIA NO ESTADO DE SÃO PAULO: O QUE DIZEM OS PROFESSORES? José Antonio Gonçalves Caetano- UEL 1 zg_caetano@hotmail.com CAPES-Cnpq Marlene Rosa Cainelli - UEL 2 RESUMO Este

Leia mais

PROGRAMAS DE JUVENTUDE NO MUNICÍPIO RIO DE JANEIRO BRENNER

PROGRAMAS DE JUVENTUDE NO MUNICÍPIO RIO DE JANEIRO BRENNER PROGRAMAS DE JUVENTUDE NO MUNICÍPIO RIO DE JANEIRO BRENNER, Ana Karina - Universidade Federal Fluminense GT: Movimentos Sociais e Educação / n.03 Agência Financiadora: FAPERJ Este trabalho relata resultados

Leia mais

ISSN ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções)

ISSN ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE

Leia mais

REFLEXÃO SOBRE O ACESSO AO BPC PARA PESSOA COM DEFICIÊNCIA. Eixo Temático: Política Social e trabalho

REFLEXÃO SOBRE O ACESSO AO BPC PARA PESSOA COM DEFICIÊNCIA. Eixo Temático: Política Social e trabalho ISSN 2359-1277 REFLEXÃO SOBRE O ACESSO AO BPC PARA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Ana Carolina Ribeiro Dos Santos, Carol_santos94@live.com Jaqueline dos Santos Zuin (Orientadora ), jaque.zuin.s@gmail.com Universidade

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E A JUVENTUDE BRASILEIRA

POLÍTICAS PÚBLICAS DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E A JUVENTUDE BRASILEIRA POLÍTICAS PÚBLICAS DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E A JUVENTUDE BRASILEIRA Paula de Macedo UFRRJ Email: pauladems@hotmail.com 1. Introdução O grupo dos jovens compõe o segmento mais atingido pelo desemprego

Leia mais

O ENSINO DE SOCIOLOGIA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA) NAS ESCOLSA ESTADUAIS DE DOURADOS/MS RESUMO INTRODUÇÃO

O ENSINO DE SOCIOLOGIA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA) NAS ESCOLSA ESTADUAIS DE DOURADOS/MS RESUMO INTRODUÇÃO O ENSINO DE SOCIOLOGIA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA) NAS ESCOLSA ESTADUAIS DE DOURADOS/MS Rodolfo Dias Pinto 1 Maria de Lourdes dos Santos 2 1 Bolsista do Programa de Projetos de Pesquisa na Licenciatura

Leia mais

DESAFIOS DOS ESTUDOS CURRICULARES CRÍTICOS:

DESAFIOS DOS ESTUDOS CURRICULARES CRÍTICOS: DESAFIOS DOS ESTUDOS CURRICULARES CRÍTICOS: RETOMADA DOS DIÁLOGOS COM OS MARXISMOS NO SÉCULO XXI Christiane Caetano M. Fernandes PPGEdu/UFMS DESAFIOS DOS ESTUDOS CURRICULARES CRÍTICOS: RETOMADA DOS DIÁLOGOS

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Médio Etec Código: Município: Área de conhecimento: Componente Curricular: Série: C. H. Semanal: Professor: I Competências e respectivas habilidades e valores 1 1

Leia mais

Eixo Temático: Questão Social e Serviço Social

Eixo Temático: Questão Social e Serviço Social ISSN 2359-1277 POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA: UMA EXPRESSÃO DA QUESTÃO SOCIAL RESUMO Bruna Caroline Joinhas, brunajoinhas@hotmail.com; Priscila Semzezem (Orientadora), priscilasemzezem@hotmail.com; Universidade

Leia mais

Ensino Profissionalizante como Política Pública de Aproveitamento do Dividendo Demográfico: Minas Gerais, 2009

Ensino Profissionalizante como Política Pública de Aproveitamento do Dividendo Demográfico: Minas Gerais, 2009 1 Ensino Profissionalizante como Política Pública de Aproveitamento do Dividendo Demográfico: Minas Gerais, 2009 Ernesto Friedrich de Lima Amaral (DCP/UFMG) amaral@fafich.ufmg.br Bárbara Avelar Gontijo

Leia mais

A Inserção da População do Rio de Janeiro no Mundo do Trabalho

A Inserção da População do Rio de Janeiro no Mundo do Trabalho A Inserção da População do Rio de Janeiro no Mundo do Trabalho Adriana Fontes Andréia Arpon Os efeitos da desaceleração da atividade econômica resultante da instabilidade internacional, elevação dos juros

Leia mais

FORMAÇÃO DO PSICÓLOGO: UM ESTUDO REALIZADO NO CURSO DE PSICOLOGIA DA UNISC

FORMAÇÃO DO PSICÓLOGO: UM ESTUDO REALIZADO NO CURSO DE PSICOLOGIA DA UNISC 61 FORMAÇÃO DO PSICÓLOGO: UM ESTUDO REALIZADO NO CURSO DE PSICOLOGIA DA UNISC Resumo Morgana Schena Aila Severino Mença Aline Michele da Costa Paula Rogeli Vieira Silvia Virginia Coutinho Areosa Universidade

Leia mais

Cartilha. do adolescente trabalhador

Cartilha. do adolescente trabalhador Cartilha do adolescente trabalhador Se você está em busca de uma oportunidade para se profissionalizar e ingressar no mercado de trabalho, fique de olho nas dicas que preparamos. ANTES DE QUALQUER COISA...

Leia mais

Leônidas Siqueira Duarte 1 Universidade Estadual da Paraíba UEPB / leonidas.duarte@hotmail.com 1. INTRODUÇÃO

Leônidas Siqueira Duarte 1 Universidade Estadual da Paraíba UEPB / leonidas.duarte@hotmail.com 1. INTRODUÇÃO REFLEXÕES SOBRE ASPECTOS TEÓRICOS E METODOLÓGICOS DO ENSINO DE GEOGRAFIA PRATICADO POR PROFESSORES CURSISTAS DA ESPECIALIZAÇÃO EM FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO UEPB 2013/2014 Leônidas Siqueira Duarte 1 Universidade

Leia mais

FUNDAÇÃO CARMELITANA MÁRIO PALMÉRIO FACIHUS FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS Educação de qualidade ao seu alcance

FUNDAÇÃO CARMELITANA MÁRIO PALMÉRIO FACIHUS FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS Educação de qualidade ao seu alcance SUBPROJETO DE LETRAS/PORTUGUÊS Gêneros textuais como ferramenta para o ensino de Língua Portuguesa INTRODUÇÃO De acordo com os objetivos do programa, conforme portaria 096/2013 Capes, essa proposta de

Leia mais

ATUAÇÃO DOS CONSELHOS TUTELARES JUNTO AS ESCOLAS PÚBLICAS DO AGRESTE PARAIBANO

ATUAÇÃO DOS CONSELHOS TUTELARES JUNTO AS ESCOLAS PÚBLICAS DO AGRESTE PARAIBANO 1 ATUAÇÃO DOS CONSELHOS TUTELARES JUNTO AS ESCOLAS PÚBLICAS DO AGRESTE PARAIBANO INTRODUÇÃO Isabela Fernanda Macedo Rangel - UEPB isabelafcandido@gmail.com Janyere de Araújo Barbosa - UEPB janyere_15@hotmail.com

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE PROGRAMA Nº- 108

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE PROGRAMA Nº- 108 PROGRAMA Nº- 108 AMPLIAÇÃO DO PROJETO VOLTA REDONDA CIDADE DA MÚSICA SUB-FUNÇÃO: 361 ENSINO FUNDAMENTAL Proporcionar aos alunos da Rede Pública Municipal de Volta Redonda atividades musicais diversas nos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA. PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CEDUC: CENTRO EDUCACIONAL.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA. PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CEDUC: CENTRO EDUCACIONAL. UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA. PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CEDUC: CENTRO EDUCACIONAL. ITAMARA CARDOSO DOS SANTOS JULIANA LIMA MAGALHÃES SUANI MARA DA SILVA VIANA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL (UAB) BOA

Leia mais

Pela primeira vez 47,3 % Pela terceira vez 14,5 % Pela quarta vez ou mais 10,9 %

Pela primeira vez 47,3 % Pela terceira vez 14,5 % Pela quarta vez ou mais 10,9 % 2008 01 - Local atual da residência: Na cidade sede do curso que prestará seleção (caso não resida no município de Natal) 13,5 % Na capital do estado do Rio Grande do Norte 2,6 % Em outra cidade do interior

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE NOME DO DEPARTAMENTO: Departamento de Serviço Social Endereço do Departamento: BR 101, Sem número - Lagoa Nova - Campus Universitário.

Leia mais

COMPREENSÃO DE LICENCIANDOS EM BIOLOGIA SOBRE A EDUCAÇÃO INCLUSIVA

COMPREENSÃO DE LICENCIANDOS EM BIOLOGIA SOBRE A EDUCAÇÃO INCLUSIVA COMPREENSÃO DE LICENCIANDOS EM BIOLOGIA SOBRE A EDUCAÇÃO INCLUSIVA Rafaela Rocha-Oliveira 1 Maíra Souza Machado¹ Maxwell Siqueira¹ Viviane Borges Dias¹ Ana Cristina Santos Duarte 2 Palavras- chave: Educação

Leia mais

Semeando Futuro RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

Semeando Futuro RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Semeando Futuro RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Pilar da companhia Responsabilidade Socioambiental BRASIL OBJETIVO: Promover o desenvolvimento sustentável das comunidades onde atua DIAGNÓSTICO: Identificar

Leia mais

Documento Auxiliar do Conhecimento de Transporte Eletrônico

Documento Auxiliar do Conhecimento de Transporte Eletrônico Documento Auxiliar do Conhecimento de Transporte Eletrônico 8338 Documento Auxiliar do Conhecimento de Transporte Eletrônico 8339 Documento Auxiliar do Conhecimento de Transporte Eletrônico 8340 Documento

Leia mais

paulinhaven@hotmail.com Introdução

paulinhaven@hotmail.com Introdução DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NO ENSINO DE BIOLOGIA: REFLEXÃO A PARTIR DE SUBSTRATOS TEÓRICOS E PESQUISAS EM UMA ESCOLA PÚBLICA DE PARNAÍBA/PI 1 Ana Paula Costa do Nascimento 1 Nailton de Souza

Leia mais

Palavras-chave: Organização sem fins lucrativos. Administrador de organização sem fins lucrativos. Terceiro setor.

Palavras-chave: Organização sem fins lucrativos. Administrador de organização sem fins lucrativos. Terceiro setor. O ADMINISTRADOR DE ORGANIZAÇÕES SEM FINS LUCRATIVOS Marcileia Costa dos Santos* RESUMO O Terceiro Setor compreende Organizações Sem Fins Lucrativos que buscam promover o bem estar social e mudanças na

Leia mais

ENSINO DE QUÍMICA E SEU PAPEL NA EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA. (*) Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará.

ENSINO DE QUÍMICA E SEU PAPEL NA EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA. (*) Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará. ENSINO DE QUÍMICA E SEU PAPEL NA EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA Laís Conceição TAVARES (**) Ivoneide Maria Menezes BARRA (*) Karen Albuquerque Dias da COSTA (**) (*) Instituto Federal de Educação, Ciência e

Leia mais

TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA: DESAFIOS À EDUCAÇÃO

TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA: DESAFIOS À EDUCAÇÃO TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA: DESAFIOS À EDUCAÇÃO MARCOCCIA, Patrícia Correia de Paula Marcoccia UEPG pa.tyleo12@gmailcom PEREIRA, Maria de Fátima Rodrigues UTP maria.pereira@utp.br RESUMO:

Leia mais

História em foco : rádio escola como uma alternativa eficaz de ensino aprendizagem nas aulas de história

História em foco : rádio escola como uma alternativa eficaz de ensino aprendizagem nas aulas de história História em foco : rádio escola como uma alternativa eficaz de ensino aprendizagem nas aulas de história Introdução Maria Luziane de Sousa Lima (UFCG) Luziane.picui@hotmail.com Djanira Rafaella Silva Pereira

Leia mais

POLÍTICAS SOCIAIS DE COMBATE A POBREZA, NA GARANTIA DE DIREITOS: UM BREVE RELATO

POLÍTICAS SOCIAIS DE COMBATE A POBREZA, NA GARANTIA DE DIREITOS: UM BREVE RELATO POLÍTICAS SOCIAIS DE COMBATE A POBREZA, NA GARANTIA DE DIREITOS: UM BREVE RELATO Clarice Ana Ruedieger Jaqueline Fernanda Machado Jaqueline Nadir da Silva Rosiléia Cavalli Weber INTRODUÇÃO: Com o desenvolvimento

Leia mais

VIII JORNADA DE ESTÁGIO DE SERVIÇO SOCIAL CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL NOVO HORIZONTE, CARAMBEÍ PR

VIII JORNADA DE ESTÁGIO DE SERVIÇO SOCIAL CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL NOVO HORIZONTE, CARAMBEÍ PR VIII JORNADA DE ESTÁGIO DE SERVIÇO SOCIAL CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL NOVO HORIZONTE, CARAMBEÍ PR RUPPEL. ANGELA MARIA 1 PEREIRA. TÁSSIA² SOUZA. C. D. S³ Resumo: Este trabalho pretende apresentar

Leia mais

UMA PARCERIA DE SUCESSO

UMA PARCERIA DE SUCESSO Relatório Final de Atividades Gerdau Sete Lagoas e : UMA PARCERIA DE SUCESSO 1 SUMÁRIO Relatório de Atividades... 2 Resultados Gerais... 3 Resultados do Programa As Vantagens de Permanecer na Escola...

Leia mais

O SERVIÇO SOCIAL NO NUCLEO DE ESTUDOS E DEFESA DOS DIREITOS DA INFÂNCIA E JUVENTUDE - NEDDIJ. Política Social e Trabalho

O SERVIÇO SOCIAL NO NUCLEO DE ESTUDOS E DEFESA DOS DIREITOS DA INFÂNCIA E JUVENTUDE - NEDDIJ. Política Social e Trabalho ISSN 2359-1277 O SERVIÇO SOCIAL NO NUCLEO DE ESTUDOS E DEFESA DOS DIREITOS DA INFÂNCIA E JUVENTUDE - NEDDIJ Ana Caroline (Acadêmica), carolsantos_94@live.com; Caroline Ribeiro Patrícia Almeida (Acadêmica),

Leia mais

Profª. Ms. Ana Claudia Duarte Pinheiro

Profª. Ms. Ana Claudia Duarte Pinheiro 1 Profª. Ms. Ana Claudia Duarte Pinheiro Bom dia. Agradeço o convite feito pela Pró-Reitoria de Graduação PROGRAD. É muito honroso tratar, junto à Universidade, de um tema tão polêmico; certamente não

Leia mais

Resenha do livro Educação de Jovens e Adultos: sujeitos, saberes e práticas

Resenha do livro Educação de Jovens e Adultos: sujeitos, saberes e práticas 1 9 8 4-7 2 4 6 Resenha do livro Educação de Jovens e Adultos: sujeitos, saberes e práticas JARDILINO, José Rubens Lima; ARAUJO, Regina Magda Bonifácio. (Orgs.). Educação de Jovens e Adultos: sujeitos,

Leia mais

Bárbara Oliveira ROSA* Analúcia Bueno dos Reis GIOMETTI. Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, UNESP - Câmpus de Franca.

Bárbara Oliveira ROSA* Analúcia Bueno dos Reis GIOMETTI. Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, UNESP - Câmpus de Franca. O TRABALHO COM MATERIAIS RECICLÁVEIS: INCLUSÃO OU EXCLUSÃO? Bárbara Oliveira ROSA* Analúcia Bueno dos Reis GIOMETTI Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, UNESP - Câmpus de Franca barbarass@hotmail.com.br

Leia mais

Pesquisa: Perfil dos participantes do Fórum Social Mundial de Belém (Pará, janeiro de 2009)

Pesquisa: Perfil dos participantes do Fórum Social Mundial de Belém (Pará, janeiro de 2009) Pesquisa: Perfil dos participantes do Fórum Social Mundial de Belém (Pará, janeiro de 2009) Amostra: 2.262 entrevistas com participantes do encontro do Fórum Social Mundial (FSM) em Belém (PA), realizadas

Leia mais

DISSERTAÇÃO DEFENDIDA EM FEVEREIRO DE 2014... MAIS EDUCAÇÃO NO MUNICÍPIO DE MESQUITA - RJ

DISSERTAÇÃO DEFENDIDA EM FEVEREIRO DE 2014... MAIS EDUCAÇÃO NO MUNICÍPIO DE MESQUITA - RJ DISSERTAÇÃO DEFENDIDA EM FEVEREIRO DE 2014... A FORMAÇÃO CONTINUADA NO ÂMBITO DO PROGRAMA A FORMAÇÃO CONTINUADA NO ÂMBITO DO PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO NO MUNICÍPIO DE MESQUITA - RJ As novas propostas de educação

Leia mais

PROGRAMA RESIDÊNCIA TÉCNICA NA ÁREA

PROGRAMA RESIDÊNCIA TÉCNICA NA ÁREA PROGRAMA RESIDÊNCIA TÉCNICA NA ÁREA DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL (SUAS) FERNANDA BERNARDI VIEIRA RICHA TATIANA POSSA SCHAFACHEK 2 Painel 01/003 A construção dos perfis profissionais para a execução

Leia mais

Vale tudo? Ética nos processos de recrutamento e seleção

Vale tudo? Ética nos processos de recrutamento e seleção a RECURSOS HUMANOS Ética nos processos de recrutamento e seleção Vale tudo? Ética nos processos de recrutamento e seleção 18 GVexecutivo V 12 N 2 Jul/dez 2013 Inovar nos processos seletivos como forma

Leia mais

RADIOGRAFIA DAS ESCOLAS MÉDICAS DO BRASIL

RADIOGRAFIA DAS ESCOLAS MÉDICAS DO BRASIL RADIOGRAFIA DAS ESCOLAS MÉDICAS DO BRASIL Total das escolas médicas no Brasil Números de vagas no Brasil 271 24.495 Total de escolas privadas 162 Total de escolas estaduais e federais 109 Média do valor

Leia mais

Dificuldades no atendimento aos casos de violência e estratégias de prevenção

Dificuldades no atendimento aos casos de violência e estratégias de prevenção Dificuldades no atendimento aos casos de violência e estratégias de prevenção Gilka Jorge Figaro Gattás Professora Livre-Docente da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, Departamento de Medicina

Leia mais

MOTIVOS DA EVASÃO ESCOLAR EM SALAS DE AULA DA EJA

MOTIVOS DA EVASÃO ESCOLAR EM SALAS DE AULA DA EJA MOTIVOS DA EVASÃO ESCOLAR EM SALAS DE AULA DA EJA Cláudia Ramos Gomes da Silva ; Marta Maria da Conceição 2 Universidade Federal de Campina Grande-CES, Campus Cuité Universidade Federal da Paraíba 2 crgomes2003@yahoo.com.br

Leia mais

Faço saber que a Câmara Municipal de Mangueirinha, Estado do Paraná aprovou e eu, ALBARI GUIMORVAM FONSECA DOS SANTOS, sanciono a seguinte lei:

Faço saber que a Câmara Municipal de Mangueirinha, Estado do Paraná aprovou e eu, ALBARI GUIMORVAM FONSECA DOS SANTOS, sanciono a seguinte lei: LEI Nº 1578/2010. Institui o Programa Social Municipal de Profissionalização de Adolescentes, assim como autoriza a Administração Pública realizar a contratação de aprendizes na forma desta lei, e da outras

Leia mais

- Identificar as formas de gestão e de tomadas de decisão dentro da organização escolar

- Identificar as formas de gestão e de tomadas de decisão dentro da organização escolar Disciplina: Gestão e Organização Escolar Código da Disciplina: EDU336 Curso: Pedagogia Período: 6º Faculdade Responsável: Pedagogia Programa em vigência a partir de: 2015 Número de créditos: 05 Horas-aula:

Leia mais

TRABALHO, EDUCAÇÃO E SOCIABILIDADE NA FORMAÇÃO INTEGRAL DO PROGRAMA NACIONAL DE INCLUSÃO DE JOVENS (PROJOVEM URBANO) DO MUNICÍPIO DE NOVA IGUAÇU/RJ

TRABALHO, EDUCAÇÃO E SOCIABILIDADE NA FORMAÇÃO INTEGRAL DO PROGRAMA NACIONAL DE INCLUSÃO DE JOVENS (PROJOVEM URBANO) DO MUNICÍPIO DE NOVA IGUAÇU/RJ TRABALHO, EDUCAÇÃO E SOCIABILIDADE NA FORMAÇÃO INTEGRAL DO PROGRAMA NACIONAL DE INCLUSÃO DE JOVENS (PROJOVEM URBANO) DO MUNICÍPIO DE NOVA IGUAÇU/RJ Ricardo de Souza Ribeiro 1 José dos Santos Souza 2 Frente

Leia mais

ESTUDO EXPLORÁTORIO COM ALUNOS CONCLUINTES DO SEGUNDO GRAU EM VISITA A FEIRA DE PROFISSÕES UNIFIA 2015

ESTUDO EXPLORÁTORIO COM ALUNOS CONCLUINTES DO SEGUNDO GRAU EM VISITA A FEIRA DE PROFISSÕES UNIFIA 2015 ESTUDO EXPLORÁTORIO COM ALUNOS CONCLUINTES DO SEGUNDO GRAU EM VISITA A FEIRA DE PROFISSÕES UNIFIA 2015 ANA CAROLINA MITESTAINER¹, THAIS PITARELLO², PAULO ALEXANDRE PINHEIRO SOARES³ 1 - Aluna do 2º semestre

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL

RESPONSABILIDADE SOCIAL RESPONSABILIDADE SOCIAL Você pode praticar a responsabilidade social ao abrir vagas na sua empresa para adolescentes, na condição de aprendizes ou estagiários. Nesta seção você poderá saber quais as diferenças

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS INSTITUTO DE FILOSOFIA, SOCIOLOGIA E POLÍTICA CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS PLANO DE ENSINO. Semestre Letivo º

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS INSTITUTO DE FILOSOFIA, SOCIOLOGIA E POLÍTICA CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS PLANO DE ENSINO. Semestre Letivo º Professor(es) UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS INSTITUTO DE FILOSOFIA, SOCIOLOGIA E POLÍTICA CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS PLANO DE ENSINO Ano Semestre Letivo 2017 2º 1. IDENTIFICAÇÃO: Código: 1.1. Disciplina:

Leia mais

PORTARIA Nº 123/2014 DE 16 de JUNHO de 2014

PORTARIA Nº 123/2014 DE 16 de JUNHO de 2014 PORTARIA Nº 123/2014 DE 16 de JUNHO de 2014 Disposto nas legislações DEL5452/43 Consolidação das Leis do Trabalho, L8069/90 - Estatuto da Criança e do Adolescente ECA, L9394/96 Lei de Diretrizes e Bases

Leia mais

Percepção da população sobre a avaliação dos estudantes e dos cursos de medicina

Percepção da população sobre a avaliação dos estudantes e dos cursos de medicina Percepção da população sobre a avaliação dos estudantes e dos cursos de medicina População brasileira, 16 anos ou mais Setembro de 2016 2 Objetivo Conhecer a opinião da População sobre a realização de

Leia mais

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE JOVENS E ADULTOS NA UFMG: UMA EXPERIÊNCIA BEM SUCEDIDA

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE JOVENS E ADULTOS NA UFMG: UMA EXPERIÊNCIA BEM SUCEDIDA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE JOVENS E ADULTOS NA UFMG: UMA EXPERIÊNCIA BEM SUCEDIDA Ludimila Corrêa Bastos Orientação: Profa. Dra. Carmem Lúcia Eiterer Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PIAUÍ PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA. Centro de Apoio Operacional de Defesa da Infância da Juventude CAODIJ

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PIAUÍ PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA. Centro de Apoio Operacional de Defesa da Infância da Juventude CAODIJ MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PIAUÍ PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA Centro de Apoio Operacional de Defesa da Infância da Juventude CAODIJ PACTO PELOS DIREITOS DAS CRIANÇAS, ADOLESCENTES E JOVENS DA CIDADE

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL JUNHO E JULHO

RELATÓRIO MENSAL JUNHO E JULHO RELATÓRIO MENSAL JUNHO E JULHO PATROCÍNIO: No mês de junho o trabalho no Projeto teve como foco a 11ª. Mostra de Artes dos Artistas Mirins do Projeto Pequeno Cidadão. Este ano o tema escolhido e trabalhado

Leia mais

FOME ZERO. VI Encontro Nacional dos Coordenadores Estaduais e Centros Colaboradores em Alimentaçã. ção CGPAN/MS/Brasília

FOME ZERO. VI Encontro Nacional dos Coordenadores Estaduais e Centros Colaboradores em Alimentaçã. ção CGPAN/MS/Brasília FOME ZERO VI Encontro Nacional dos Coordenadores Estaduais e Centros Colaboradores em Alimentaçã ção e Nutriçã ção CGPAN/MS/Brasília lia-df Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Abril/2006

Leia mais

InfoReggae - Edição 10 Denúncias de abuso sexial contra crianças e adolescentes no estado do Rio de Janeiro 13 de setembro de 2013

InfoReggae - Edição 10 Denúncias de abuso sexial contra crianças e adolescentes no estado do Rio de Janeiro 13 de setembro de 2013 O Grupo Cultural AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através da cultura e da arte, desperta potencialidades artísticas que elevam a autoestima de jovens das camadas populares.

Leia mais

PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO

PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO Refere-se ao surgimento de novas formas de trabalho a partir de um processo de mudanças estruturais no capitalismo, que procura garantir competitividade às empresas por meio da

Leia mais

ADOLESCENTES E O MERCADO DE TRABALHO. Eixo Temático - Temas Transversais

ADOLESCENTES E O MERCADO DE TRABALHO. Eixo Temático - Temas Transversais ADOLESCENTES E O MERCADO DE TRABALHO ISSN 2359-1277 Gabriela dos Santos de Souza, gaby_ssouza@outlook.com; Priscila dos Santos Pardim, priscila.s.pardimgallego@gmail.com; Keila Pinna Valensuela (Orientadora),

Leia mais

DIREITOS E OS DEVERES DAS CRIANÇAS E DO ADOLESCENTE: divulgando o ECA através de vídeo

DIREITOS E OS DEVERES DAS CRIANÇAS E DO ADOLESCENTE: divulgando o ECA através de vídeo DIREITOS E OS DEVERES DAS CRIANÇAS E DO ADOLESCENTE: divulgando o ECA através de vídeo CARVALHO, Ana Cláudia Marçal dos Santos 1 FERREIRA, Natana dos Santos 2 ALBUQUERQUE, Érica Muniz de 3 COSTA, Edmilson

Leia mais

A PESSOA COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL E O MERCADO DE TRABALHO: UM ESTUDO SOBRE A INFLUÊNCIA DA OFICINA PROTEGIDA DE PADARIA DA APAE

A PESSOA COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL E O MERCADO DE TRABALHO: UM ESTUDO SOBRE A INFLUÊNCIA DA OFICINA PROTEGIDA DE PADARIA DA APAE A PESSOA COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL E O MERCADO DE TRABALHO: UM ESTUDO SOBRE A INFLUÊNCIA DA OFICINA PROTEGIDA DE PADARIA DA APAE Tatiane Cristina Athayde Marques Glaucimara Pires Oliveira Universidade

Leia mais

1- APRESENTAÇÃO e JUSTIFICATIVA:

1- APRESENTAÇÃO e JUSTIFICATIVA: A FORMAÇÃO INICIAL DO EDUCADOR DE JOVENS E ADULTOS: UM ESTUDO DA HABILITAÇÃO DE EJA DOS CURSOS DE PEDAGOGIA SOARES, Leôncio UFMG leonciosoares@uol.com.br GT: Educação de Pessoas Jovens e Adultas / n.18

Leia mais

O TRABALHO INFORMAL NO CENTRO DE FORTALEZA-CEARÁ. Graduada em Serviço Social pela Faculdade Metropolitana da Grande Fortaleza - Fametro

O TRABALHO INFORMAL NO CENTRO DE FORTALEZA-CEARÁ. Graduada em Serviço Social pela Faculdade Metropolitana da Grande Fortaleza - Fametro CONEXÃO FAMETRO: 1 ÉTICA, CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE XII SEMANA ACADÊMICA ISSN: 2357-8645 O TRABALHO INFORMAL NO CENTRO DE FORTALEZA-CEARÁ Aldenice Bezerra de Oliveira Graduada em Serviço Social pela

Leia mais

IV ENCONTRO EM EDUCAÇÃO AGRÍCOLA I FÓRUM DE DEBATES SOBRE A PEDAGOGIA DA ALTERNÂNCIA 07 a 11 de maio de 2012

IV ENCONTRO EM EDUCAÇÃO AGRÍCOLA I FÓRUM DE DEBATES SOBRE A PEDAGOGIA DA ALTERNÂNCIA 07 a 11 de maio de 2012 IMPORTÂNCIA DA MICROSCOPIA ÓPTICA COMO FERRAMENTA NO ENSINO DE BIOLOGIA PARA JOVENS E ADULTOS: UM ESTUDO DE CASO NO CURSO TÉCNICO EM MEIO AMBIENTE - PROEJA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIENCIA E TECNOLOGIA

Leia mais

A INCLUSÃO DE ALUNOS COM PARALISIA CEREBRAL NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA

A INCLUSÃO DE ALUNOS COM PARALISIA CEREBRAL NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA A INCLUSÃO DE ALUNOS COM PARALISIA CEREBRAL NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA Introdução Lilian Ravazzi 1 Nilton Munhoz Gomes 2 Universidade Estadual de Londrina 3 Ao olharmos para uma pessoa que não conhecemos

Leia mais

CURSO DE FORTALECIMENTO DO ENSINO MÉDIO SISMÉDIO COLÉGIO ESTADUAL EMÍLIO DE MENEZES

CURSO DE FORTALECIMENTO DO ENSINO MÉDIO SISMÉDIO COLÉGIO ESTADUAL EMÍLIO DE MENEZES CURSO DE FORTALECIMENTO DO ENSINO MÉDIO SISMÉDIO COLÉGIO ESTADUAL EMÍLIO DE MENEZES A proposta desta reflexão é a de conhecer o jovem estudante trabalhador, sua relação com projetos presentes e futuros,

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Obstetrícia. Educação em saúde. Consulta de enfermagem.

PALAVRAS-CHAVE Obstetrícia. Educação em saúde. Consulta de enfermagem. 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido - ISSN 2238-9113 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE

Leia mais

A INCLUSÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO: UMA REALIDADE POSSÍVEL

A INCLUSÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO: UMA REALIDADE POSSÍVEL A INCLUSÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO: UMA REALIDADE POSSÍVEL Priscila Mallmann Bordignon Mestre em Educação pelo Centro Universitário La Salle (UNILASALLE). e Terapeuta Ocupacional

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA ONLINE DE PROFESSORES QUE ATUAM COM ESCOLARES EM TRATAMENTO DE SAÚDE Jacques de Lima Ferreira PUC-PR Agência Financiadora: CNPq

FORMAÇÃO CONTINUADA ONLINE DE PROFESSORES QUE ATUAM COM ESCOLARES EM TRATAMENTO DE SAÚDE Jacques de Lima Ferreira PUC-PR Agência Financiadora: CNPq FORMAÇÃO CONTINUADA ONLINE DE PROFESSORES QUE ATUAM COM ESCOLARES EM TRATAMENTO DE SAÚDE Jacques de Lima Ferreira PUC-PR Agência Financiadora: CNPq INTRODUÇÃO Este texto apresenta a pesquisa em andamento

Leia mais

INSTRUÇÕES ESPECÍFICAS QUE REGULAMENTAM O CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR DE MAGISTÉRIO SUPERIOR. Campus do Mucuri

INSTRUÇÕES ESPECÍFICAS QUE REGULAMENTAM O CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR DE MAGISTÉRIO SUPERIOR. Campus do Mucuri INSTRUÇÕES ESPECÍFICAS QUE REGULAMENTAM O CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR DE MAGISTÉRIO SUPERIOR Campus do Mucuri CATEGORIA FUNCIONAL: Professor Ensino Superior. CLASSE: Professor Classe A Assistente A

Leia mais

A Agenda do Trabalho Decente no Brasil e a I CNETD

A Agenda do Trabalho Decente no Brasil e a I CNETD A Agenda do Trabalho Decente no Brasil e a I CNETD Ana Lúcia Monteiro Organização Internacional do Trabalho 28 de outubro de 2011 ESQUEMA DA APRESENTAÇÃO 1. O Conceito de Trabalho Decente 2. O compromisso

Leia mais

racismo, a fato é que a pesquisa que ora publicamos revela que o quadro apenas se agravou.

racismo, a fato é que a pesquisa que ora publicamos revela que o quadro apenas se agravou. Página 1 de 15 Apresentação Com o objetivo de examinar o quadro atual da discriminação racial nas relações de trabalho, o INSPIR - Instituto Sindical lnteramericano pela Igualdade Racial, encomendou ao

Leia mais

REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA Especial 8 de Março Dia Internacional da Mulher

REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA Especial 8 de Março Dia Internacional da Mulher REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA Especial 8 de Março Dia Internacional da Mulher Edição Especial INSERÇÃO DAS MULHERES DE ENSINO SUPERIOR NO MERCADO DE TRABALHO Introdução De maneira geral, as mulheres

Leia mais

COORDENADOR DO PROJETO / CURSO ASSINATURA

COORDENADOR DO PROJETO / CURSO ASSINATURA DE DISCIPLINA Políticas educacionais na contemporaneidade C. HORÁRIA CRÉDITOS D I S T R I B U I Ç Ã O D E C A R G A H O R Á R I A TOTAL A educação escolar como setor de atuação do Estado. Sistemas de ensino,

Leia mais

PEDAGOGIA JURÍDICA: AS PRÁTICAS DO PEDAGOGO NO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE GOIÁS. Laylla Nayanne Dias Lopes TJGO.

PEDAGOGIA JURÍDICA: AS PRÁTICAS DO PEDAGOGO NO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE GOIÁS. Laylla Nayanne Dias Lopes TJGO. PEDAGOGIA JURÍDICA: AS PRÁTICAS DO PEDAGOGO NO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE GOIÁS Laylla Nayanne Dias Lopes TJGO laylla.lopes@hotmail.com RESUMO: Este trabalho realiza uma análise sobre a participação

Leia mais

PACTO DE APRIMORAMENTO DA GESTÃO DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - SUAS

PACTO DE APRIMORAMENTO DA GESTÃO DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - SUAS ISSN 2359-1277 PACTO DE APRIMORAMENTO DA GESTÃO DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - SUAS Patrícia Guilherme de Almeida (Acadêmica), forever_guilherme@hotmail.com Jaqueline Zuin dos Santos (Orientadora),

Leia mais

Pesquisa Qualificação Profissional 2016

Pesquisa Qualificação Profissional 2016 Pesquisa Qualificação Profissional 2016 Coordenadores Paulo Tarso Vilela de Resende Paulo Renato de Sousa Paula Oliveira Simone Nunes (PUC-Minas) Bolsistas Fapemig Bruna Catão Braga Larissa de Freitas

Leia mais

Sistema de Indicadores de Percepção Social (SIPS) Percepção sobre pobreza: causas e soluções Assistência Social

Sistema de Indicadores de Percepção Social (SIPS) Percepção sobre pobreza: causas e soluções Assistência Social Sistema de Indicadores de Percepção Social (SIPS) Percepção sobre pobreza: causas e soluções Assistência Social SIPS O Sistema de Indicadores de Percepção Social (SIPS), elaborado pelo IPEA, é uma pesquisa

Leia mais

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO ESTRATÉGIA DE COMBATE AO DESPERDÍCIO DE ALIMENTO

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO ESTRATÉGIA DE COMBATE AO DESPERDÍCIO DE ALIMENTO A EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO ESTRATÉGIA DE COMBATE AO DESPERDÍCIO DE ALIMENTO SILVA, Cármen Cássia Velloso eprofessora do Departamento de Geociências/ UNIMONTES. Mestre em Educação. Integrante da equipe técnica

Leia mais

É HORA DE INVESTIR EM VOCÊ

É HORA DE INVESTIR EM VOCÊ 01 É HORA DE INVESTIR EM VOCÊ Como inovar na carreira e se dar bem no mercado. Lídice da Matta 02 03 Sumário Introdução... 4 Não tenha medo de errar... 7 Veja mudanças como oportunidades... 8 Busque referências...

Leia mais