DEFICIÊNCIA E EMPREGO Vinte e quatro anos depois da criação da lei de cotas, número de empregos ainda é relativamente baixo

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DEFICIÊNCIA E EMPREGO Vinte e quatro anos depois da criação da lei de cotas, número de empregos ainda é relativamente baixo"

Transcrição

1 Setembro 2015 DEFICIÊNCIA E EMPREGO Vinte e quatro anos depois da criação da lei de cotas, número de empregos ainda é relativamente baixo Pelo menos uma em cada cinco pessoas no país, ou mais de 45 milhões de pessoas, possui alguma deficiência, conforme revelou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no Censo Embora a maior parcela deste contingente populacional esteja em idade ativa para o trabalho não consegue exercer qualquer atividade remunerada. As dificuldades, que são as mais diversas possíveis, vão desde a inacessibilidade das vias, edifícios e dos transportes públicos até as restrições dos empregadores em contratá-los. Os próprios dados do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) são um indicativo dessa realidade, uma vez que só há registros de 381,3 mil vínculos empregatícios ligados a pessoas com deficiência no país, o equivalente a 0,77% do total de empregos formais, segundo dados da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) para o ano de Tamanho descompasso, sobretudo, no segmento mais formalizado do mercado de trabalho brasileiro, cujo vínculo laboral assegura o acesso aos mecanismos de proteção social e trabalhista (férias remuneradas, 13º salário, descanso semanal, dentre outros), é um claro sinal de que, apesar dos avanços das últimas décadas, ainda existem muitas barreiras que se interpõem para o acesso das pessoas com deficiência no mercado de trabalho. É desta questão que tratam as seções seguintes. Tabela 1 - Estoque de empregos por tipo de deficiência Brasil Variação Tipologia Absoluta Variação Relativa Física ,04 Auditiva ,37 Visual ,13 Intelectual (mental) ,00 Múltipla ,19 Reabilitado ,45 Total ,57 Fonte: MTE/RAIS.

2 Cresce a oferta de empregos Nos últimos anos, ocorreu no Brasil um avanço do número de pessoas com deficiência (PCD) no emprego formal ( registrado ou fichado ), mesmo com o arrefecimento da atividade econômica e da expansão do emprego. Em 2014, verificou-se um acréscimo de 23,5 mil vínculos empregatícios de PCD no estoque de empregos formais (celetistas e estatutários), cuja elevação foi percebida em 23 das 27 unidades federativas do país (Figura 1). Figura 1 Variação absoluta do número de empregos de pessoas com deficiência Brasil 2014 Em termos proporcionais, o Estado do Ceará é o que possui a maior proporção de deficientes inseridos no mercado de trabalho formal (0,97%) seguido de perto do Rio Grande do Sul (0,95%), cujos resultados superam bastante a média nacional (0,77%), que progressivamente vem melhorando nos últimos anos: 0,70%, em 2012 e 0,73%, em Não obstante essa realidade, é importante ressaltar que a proporção de pessoas com deficiência no mercado de trabalho ainda é bastante reduzida, se se levar em consideração o total de vínculos trabalhistas existentes, especialmente nas regiões Norte e Centro-Oeste, em que as proporções de deficientes com emprego formal são ainda menores, salvo algumas exceções (Figura 2). 2

3 Figura 2 Proporção de pessoas com deficiência no total de empregos formais Brasil 2014 É possível perceber que ainda é muito reduzida a proporção de trabalhadores com deficiência engajada no emprego formal, mesmo quase ¼ de século depois da aprovação da chamada Lei de Cotas (Lei nº de 1991), que estabelece um percentual de vagas a serem reservadas nas empresas com mais de cem funcionários (Quadro 1). No serviço público, este percentual oscila entre cinco e vinte por cento das vagas, dependendo do edital do concurso. No entanto, mesmo pela força da lei e de suas penalidades, é reconhecido pelos movimentos sociais e pelas instituições do poder público que o efetivo cumprimento da Lei de Cotas ainda está longe de ser alcançado, cujo problema se dá tanto pelo lado da oferta quanto da procura por trabalho, e é sobre essa questão que trata a seção seguinte. Quadro 1 Lei º de 1991 Art. 93. A empresa com 100 (cem) ou mais empregados está obrigada a preencher de 2% (dois por cento) a 5% (cinco por cento) dos seus cargos com beneficiários reabilitados ou pessoas portadoras de deficiência, habilitadas, na seguinte proporção: O déficit de vagas I - até 200 empregados...2%; II - de 201 a %; III - de 501 a %; IV - de em diante....5%. 3

4 O déficit de vagas Ao se ter em mente que o total de vínculos empregatícios ligados a pessoas com deficiência só corresponde a 0,77% do total dos empregos formais (celetistas e estatutários), especialmente quando este segmento populacional representa 24% da população nacional, não é difícil entrever que o número de vínculos trabalhistas para as pessoas com deficiência deveria ser bem maior do que o efetivamente declarado para o Ministério do Trabalho e Emprego. 1 E qual seria o tamanho desse déficit? Estima-se que o número de empregos que deveriam ser ocupados por pessoas com deficiência, segundo a Lei de Cotas, deveria ser, pelo menos, três vezes maior (mais de um milhão de vínculos) ao que atualmente existe, o que representa um déficit de aproximadamente 660 mil postos de trabalho (Gráfico 1). Gráfico 1 Estimativa de vagas previstas para pessoas com deficiência e número de vínculos efetivamente declarados, segundo Regiões - Brasil Para se chegar a esse quantitativo, tomou-se como referência o tamanho médio dos estabelecimentos e as respectivas exigências legais. Deve-se, contudo, ressaltar que a presente estimação tem caráter mais exploratório devido às mais diferentes situações encontradas tanto no setor público quanto na iniciativa privada. No primeiro caso, deve-se mencionar que boa parcela das administrações públicas tem se valido de cargos comissionados como meio de mover a máquina pública e, até mesmo, o sistema político e eleitoral, fugindo à 1 Em 2014, foram declarados 381,3 mil vínculos empregatícios. 4

5 regra dos concursos públicos, o que, sobremaneira, minimiza o impacto da Lei de Cotas, afora outras estratégias de flexibilização das relações de trabalho utilizadas pelos gestores públicos, tal como a prestação de serviço. Já no caso do setor privado, cabe chamar atenção que não é difícil encontrar empresas que detenham diferentes inscrições no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), muitas vezes, como forma de se mitigar as obrigações legais, entre elas, a própria Lei de Cotas, quer para deficientes quer para aprendizes. Ou seja, o déficit de empregos a ser destinado às pessoas com deficiência pode ser, na verdade, bem maior. Não obstante essa realidade, a estratégia metodológica de se tentar quantificar, em grandes linhas, o total de postos de trabalho que deveriam ser destinados às pessoas com deficiência pode não apenas favorecer o acompanhamento do cumprimento da legislação, bem como identificar as localidades em que a situação é mais emblemática, embora o déficit de empregos para esse segmento populacional esteja presente em todos os estados federados, conforme ilustra a Figura 3. Figura 3 Estimativa do déficit de empregos para pessoas com deficiência, segundo a Lei de Cotas Brasil 2014 É notável a situação da região Sudeste, em geral, e do Estado de São Paulo, em especial, no que concerne ao déficit de vagas para as pessoas com deficiência, tanto em termos relativos quanto absolutos, na 5

6 medida em que essa região concentra a maior parcela do emprego formal do país e, consequentemente, também se expressa na quantidade de vagas a serem reservadas para as pessoas com deficiência. É igualmente elucidativo perceber que o número de postos de trabalho para esse segmento populacional está para além do tamanho dos mercados, pois, como se vê na Figura 3, todos os estados têm um menor número de deficientes empregados do que realmente deveria haver. E por quê? Dentre as motivações é possível destacar, pelo menos, duas bem significativas pelo lado da oferta de empregos. A primeira está relacionada às restrições dos empregadores em contratar pessoas com deficiência para não terem que fazer adaptações, tanto físicas quanto operacionais, nos seus estabelecimentos, tais como rampas, sinalizações (visual ou tátil), treinamentos em libras para demais colaboradores, dentre outras. Segundo, as exigências sobre o perfil dos profissionais a serem contratados geralmente são bem superiores ao que realmente necessita o cargo ou função, o que, sobremaneira, favorece que as vagas fiquem numa prolongada vacância, favorecendo o burlo à legislação ao ser colocado nas investidas de fiscalização do poder público de que a cota não é cumprida por falta de profissionais. E em muitos casos isso também não chega a ser uma inverdade, uma vez que as condições ofertadas para os profissionais se encontram, muitas vezes, aquém de suas expectativas, tal como a questão salarial. E sob este aspecto, cabe chamar atenção que, como boa parcela dos postos de trabalho oferece o salário mínimo como padrão remuneratório, isto acaba tornando essas oportunidades poucas atrativas na medida em que se equipara ao valor do Benefício de Prestação Continuada (BPC) para aqueles que comprovem não possuir meios de se sustentar ou de ser sustentado pela família. E para além do mero quantum remuneratório, que o viés economicista poderia atribuir, não se pode minimizar os transtornos que as pessoas com deficiência enfrentam no cotidiano de mobilidade e de acessibilidade aos locais de trabalho. Tamanho desafio faz com que muitas famílias cheguem até a proibir a busca por trabalho pelos seus entes, especialmente nos casos em que tais oportunidades não apresentem maiores perspectivas de progressão profissional. Os efeitos dessa luta, que também é simbólica, podem ser percebidos quando parcela desse segmento profissional diz que já está aposentada ao receber o BPC, numa clara referência de cumprimento do ciclo de transição da atividade para inatividade no mercado de trabalho. Em síntese, parece evidente que o baixo número de deficientes empregados decorre por problemas encontrados tanto do lado da oferta quanto da demanda por trabalho, embora pese para os primeiros a necessidade de melhor compreensão de que a política de cotas deva ser vista como uma importante estratégia de inclusão social e não como uma mera reserva de vagas, cabendo ao Sistema Público de Emprego fazer essa mediação para que o número de trabalhadores inseridos no mercado de trabalho seja cada vez maior. 6

7 Governador do Estado do Ceará Camilo Santana Secretário do Trabalho e Desenvolvimento Social Josbertini Virginio Clementino Coordenador do SINE/CE Robson de Oliveira Veras Presidente do IDT Antônio Gilvan Mendes de Oliveira Diretora Administrativo-Financeira do IDT Sheila Maria Freire Cunha Diretor de Promoção do Trabalho do IDT Francisco das Chagas Nascimento Araújo Diretora de Estudos e Pesquisas do IDT Cláudia Fernanda Moreira da Silva Coordenador de Estudos e Análise de Mercado Erle Cavalcante Mesquita Coordenadora de Produção Estatística Wládia Magalhães Lima Rocha Gerente do Atendimento Especializado à Pessoa com Deficiência Maria de Fátima Almeida de Sousa Análise e Redação Erle Cavalcante Mesquita Apoio Técnico Rosaliane Macedo Pinto Quezado Revisão Regina Helena Moreira Campelo 7

NOTA TÉCNICA Novembro 2016

NOTA TÉCNICA Novembro 2016 Novembro 201 Expectativa de melhoria na economia pode não repercutir na maior oferta de empregos Qual a percepção do segmento empresarial, sediado no Estado do Ceará, com relação aos rumos das economias

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 98, DE 15 DE AGOSTO DE 2012

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 98, DE 15 DE AGOSTO DE 2012 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 98, DE 15 DE AGOSTO DE 2012 Dispõe sobre procedimentos de fiscalização do cumprimento, por parte dos empregadores, das normas destinadas à inclusão no trabalho das pessoas com deficiência

Leia mais

Ismênia Pires. Obra - Operários Tarsila do Amaral 1933

Ismênia Pires. Obra - Operários Tarsila do Amaral 1933 Ismênia Pires Obra - Operários Tarsila do Amaral 1933 Agenda de Hoje Compreendermos melhor : exige um grande esforço vontade verdadeira muito empenho, pois o conforto do já conhecido e sabido, é irresistível

Leia mais

A INCLUSÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO: UMA REALIDADE POSSÍVEL

A INCLUSÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO: UMA REALIDADE POSSÍVEL A INCLUSÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO: UMA REALIDADE POSSÍVEL Priscila Mallmann Bordignon Mestre em Educação pelo Centro Universitário La Salle (UNILASALLE). e Terapeuta Ocupacional

Leia mais

PACTO COLETIVO DE TRABALHO PROGRAMA DE INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

PACTO COLETIVO DE TRABALHO PROGRAMA DE INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA PACTO COLETIVO DE TRABALHO PROGRAMA DE INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Entre as partes, de um lado o, SINAENCO - SINDICATO NACIONAL DAS EMPRESAS DE ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA, inscrito no

Leia mais

R$ 173 bilhões devem ser injetados na economia a título de 13º salário

R$ 173 bilhões devem ser injetados na economia a título de 13º salário 1 São Paulo, 11 de novembro de 2015. NOTA À IMPRENSA R$ 173 bilhões devem ser injetados na economia a título de 13º salário O pagamento do 13º salário deve injetar na economia brasileira aproximadamente

Leia mais

Política de Valorização do Salário Mínimo: valor para 2016 é fixado em R$ 880,00

Política de Valorização do Salário Mínimo: valor para 2016 é fixado em R$ 880,00 Nota Técnica Número 153 - Dezembro de 2015 Atualizada em janeiro de 2016 Política de Valorização do Salário Mínimo: valor para 2016 é fixado em R$ 880,00 Salário mínimo de 2016 é de R$ 880,00 A partir

Leia mais

Inclusão de profissionais com deficiência RH que descentraliza, REALIZA!

Inclusão de profissionais com deficiência RH que descentraliza, REALIZA! www.talentoincluir.com.br Inclusão de profissionais com deficiência RH que descentraliza, REALIZA! 10 de abril de 2014 Carolina Ignarra Viabilizar a inclusão da pessoa com deficiência na sociedade

Leia mais

13º salário deve injetar R$ 196,7 bilhões na economia em 2016

13º salário deve injetar R$ 196,7 bilhões na economia em 2016 1 Florianópolis, 27 de outubro de 2016 NOTA À IMPRENSA 13º salário deve injetar R$ 196,7 bilhões na economia em 2016 Até dezembro de 2016, estima-se que deverão ser injetados na economia brasileira aproximadamente

Leia mais

INCLUSÃO DE PcD NO MERCADO DE TRABALHO

INCLUSÃO DE PcD NO MERCADO DE TRABALHO INCLUSÃO DE PcD NO MERCADO DE TRABALHO A I.SOCIAL Criada há 18 anos para atuar em favor da inclusão da pessoa com deficiência no mercado de trabalho; Já assessorou mais de 500 empresas na edificação de

Leia mais

discriminação e o preconceito que recai sobre o deficiente, garantindo a este sua integração ao meio social.

discriminação e o preconceito que recai sobre o deficiente, garantindo a este sua integração ao meio social. Concurso Melhores Práticas do Ministério Público de Minas Gerais Vencendo o Desafio da Inclusão no Mundo do Trabalho Empregabilidade das Pessoas com Deficiência Novas Perspectivas Eixo temático na categoria

Leia mais

REABILITAÇÃO PROFISSIONAL. INSS- Gex RJ Norte

REABILITAÇÃO PROFISSIONAL. INSS- Gex RJ Norte REABILITAÇÃO PROFISSIONAL INSS- Gex RJ Norte Auxílio Doença do Segurado Empregado Acidente/Doença Incapacidade laborativa Afastamento > 15 dias Auxílio Auxílio Doença Segurado em Auxílio Doença Estabilização

Leia mais

REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA Especial 8 de Março Dia Internacional da Mulher

REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA Especial 8 de Março Dia Internacional da Mulher REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA Especial 8 de Março Dia Internacional da Mulher Edição Especial INSERÇÃO DAS MULHERES DE ENSINO SUPERIOR NO MERCADO DE TRABALHO Introdução De maneira geral, as mulheres

Leia mais

Mapa da ilegalidade 1

Mapa da ilegalidade 1 1 2 ERLE CAVALCANTE MESQUITA MAPA DA ILEGALIDADE: AS RELAÇÕES DE TRABALHO SEM CARTEIRA ASSINADA FORTALEZA IDT 2015 3 Estudo realizado pelo Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT) - Organização Social

Leia mais

Inclusão de pessoas com deficiência no mercado trabalho: implicações da baixa escolarização

Inclusão de pessoas com deficiência no mercado trabalho: implicações da baixa escolarização Inclusão de pessoas com deficiência no mercado trabalho: implicações da baixa escolarização Suelen Moraes de Lorenzo 1 e-mail: suelen.lorenzo@gmail.com Amabriane da Silva Oliveira e-mail: amabriane@r7.com

Leia mais

LEGISLAÇÃO SOBRE ACESSIBILIDADE

LEGISLAÇÃO SOBRE ACESSIBILIDADE LEIS FEDERAIS Lei Federal 7.405 12/11/1985 Torna obrigatória a colocação do Símbolo Internacional de Acesso em todos os locais e serviços que permitam sua utilização por pessoas portadoras de deficiência

Leia mais

Pagamento do 13 o salário deve injetar em torno de R$ 78 bi na economia

Pagamento do 13 o salário deve injetar em torno de R$ 78 bi na economia 1 São Paulo, 11 de novembro de 2008 NOTA À IMPRENSA Pagamento do 13 o salário deve injetar em torno de R$ 78 bi na economia Até o final de 2008 devem ser injetados na economia brasileira cerca de R$ 78

Leia mais

R$ 173 bilhões devem ser injetados na economia a título de 13º salário

R$ 173 bilhões devem ser injetados na economia a título de 13º salário Porto Alegre, 11 de novembro de 2015. NOTA À IMPRENSA R$ 173 bilhões devem ser injetados na economia a título de 13º salário O pagamento do 13º salário deve injetar na economia brasileira aproximadamente

Leia mais

EDITAL N.º 27/2015 CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTE

EDITAL N.º 27/2015 CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTE EDITAL N.º 27/25 CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTE A REITORA DA UNIVERSIDA FERAL DO PAMPA, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, considerando o Decreto nº 7.485, de 18 de maio de 21, a Lei nº 8.112,

Leia mais

Instituto Educacional Santa Catarina. Faculdade Jangada. Atenas Cursos

Instituto Educacional Santa Catarina. Faculdade Jangada. Atenas Cursos Instituto Educacional Santa Catarina Faculdade Jangada Atenas Cursos Curso de Capacitação em AEE Aluna: Analice Poleto Passo Fundo, 21 de maio de 2015 1-Tema: O deficiente eo mercado de trabalho 2- Problema:

Leia mais

FISIOTERAPIA DO TRABALHO

FISIOTERAPIA DO TRABALHO FISIOTERAPIA DO TRABALHO - UFJF PNE e Fisioterapia do Trabalho Promover a inclusão das pessoas portadoras de deficiência requer um processo global em que todas as nações estejam envolvidas. A globalização

Leia mais

O Desemprego no Ceará Evidências Recentes

O Desemprego no Ceará Evidências Recentes Dezembro 2015 O Desemprego no Ceará Evidências Recentes 1 O atual processo recessivo pelo qual a economia brasileira vem passando, no transcorrer de 2015, que vem acompanhado de elevados níveis de inflação

Leia mais

TRABALHO DOMÉSTICO NA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA

TRABALHO DOMÉSTICO NA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA Abril de 2013 TRABALHO DOMÉSTICO NA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA Na visão clássica do pensamento econômico, o conjunto dos trabalhadores domésticos diferencia-se dos que se encontram no setor público

Leia mais

A Inserção da População do Rio de Janeiro no Mundo do Trabalho

A Inserção da População do Rio de Janeiro no Mundo do Trabalho A Inserção da População do Rio de Janeiro no Mundo do Trabalho Adriana Fontes Andréia Arpon Os efeitos da desaceleração da atividade econômica resultante da instabilidade internacional, elevação dos juros

Leia mais

NOTA TÉCNICA AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E O MERCADO DE TRABALHO NO CEARÁ

NOTA TÉCNICA AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E O MERCADO DE TRABALHO NO CEARÁ Setembro de 2013 AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E O MERCADO DE TRABALHO NO CEARÁ O contexto histórico do desenvolvimento humano auxilia a compreender as dificuldades ainda existentes para o ingresso da pessoa

Leia mais

Tratamento da sociedade com as questões das pessoas com deficiência: Extermínio

Tratamento da sociedade com as questões das pessoas com deficiência: Extermínio INTRODUÇÃO HISTÓRICA Tratamento da sociedade com as questões das pessoas com deficiência: Exclusão Social Assistencialismo Integração Inclusão Social Extermínio Segregação / Paternalismo Adaptação ao meio

Leia mais

ÁREA: Estudos Técnicos e Saúde TÍTULO: Parâmetros referente a quantidade de Agentes de Combate à Endemias (ACE) por Município.

ÁREA: Estudos Técnicos e Saúde TÍTULO: Parâmetros referente a quantidade de Agentes de Combate à Endemias (ACE) por Município. NOTA TÉCNICA Nº 23/2016 Brasília, 14 de Junho de 2016. ÁREA: Estudos Técnicos e Saúde TÍTULO: Parâmetros referente a quantidade de Agentes de Combate à Endemias (ACE) por Município. 1- LEGISLAÇÃO A Lei

Leia mais

Pessoas com deficiência: Derrubando mitos e preconceitos

Pessoas com deficiência: Derrubando mitos e preconceitos Pessoas com deficiência: Derrubando mitos e preconceitos Carlos Aparício Clemente 1 Todos nós já ouvimos dizer que ninguém é igual a ninguém. Isto significa que a diversidade é uma característica do ser

Leia mais

REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA SUBCOMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS SOCIAIS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA SUBCOMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS SOCIAIS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA SUBCOMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS SOCIAIS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA AUDIÊNCIA PÚBLICA - Atendendo aos Requerimentos ns. 14, 19 e 31, de 2010, CAS Autoria: Senador Flávio Arns

Leia mais

INCLUSÃO PROFISSIONAL DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA. Conhecer para Incluir

INCLUSÃO PROFISSIONAL DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA. Conhecer para Incluir 1 INCLUSÃO PROFISSIONAL DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Conhecer para Incluir 2 Essa cartilha tem como objetivo fornecer informações a respeito da Inclusão Profissional de Pessoas com Deficiência, além de trazer

Leia mais

EDITAL DE CREDENCIAMENTO N 002/2013 - OFICINAS E PALESTRAS PARA INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E SERVIÇOS DE ACESSIBILIDADE O SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM DO COOPERATIVISMO NO ESTADO DE SÃO PAULO

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta:

O CONGRESSO NACIONAL decreta: REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 4.302-E DE 1998 Altera dispositivos da Lei nº 6.019, de 3 de janeiro de 1974, que dispõe sobre o trabalho temporário nas empresas urbanas e dá outras providências; e dispõe

Leia mais

COLETÂNEA LEGISLAÇÃO RELATIVA AO TRABALHO DE PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA

COLETÂNEA LEGISLAÇÃO RELATIVA AO TRABALHO DE PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA COLETÂNEA LEGISLAÇÃO RELATIVA AO TRABALHO DE PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA BRASÍLIA 1999 Ministério do Trabalho e Emprego 1999 É permitida a reprodução total ou parcial desta obra, desde que citada

Leia mais

REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS

REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS INTRODUÇÃO Esse documento orienta as aquisições da Agência de Desenvolvimento e Inovação de Guarulhos, doravante denominada AGENDE, inscrita no CNPJ nº

Leia mais

Escrita Didática Títulos Entrevista

Escrita Didática Títulos Entrevista MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA PRÓ-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS EDITAL Nº 019/2009-PRORH CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE PROFESSOR DA CARREIRA DE MAGISTÉRIO DE

Leia mais

Repercussão do Registro em Carteira de Trabalho da Pessoa com Deficiência junto ao Regime Geral de Previdência Social

Repercussão do Registro em Carteira de Trabalho da Pessoa com Deficiência junto ao Regime Geral de Previdência Social Repercussão do Registro em Carteira de Trabalho da Pessoa com Deficiência junto ao Regime Geral de Previdência Social Senado Federal 22 de junho de 2010 As Dimensões da Lei A lei é uma NORMA Já temos a

Leia mais

DECRETO N , DE 20 DE DEZEMBRO DE 1999

DECRETO N , DE 20 DE DEZEMBRO DE 1999 DECRETO N. 3.298, DE 20 DE DEZEMBRO DE 1999 Regulamenta a Lei n.º 7.853, de 24 de outubro de 1989, dispõe sobre a Política Nacional para a Integração da Pessoa Portadora de Deficiência, consolida as normas

Leia mais

CENTRO DE REFERÊNCIA NO ATENDIMENTO DE PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS - ITU-SP. Unidade do Sistema FIESP

CENTRO DE REFERÊNCIA NO ATENDIMENTO DE PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS - ITU-SP. Unidade do Sistema FIESP CENTRO DE REFERÊNCIA NO ATENDIMENTO DE PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS - ITU-SP Unidade do Sistema FIESP INTRODUÇÃO HISTÓRICA Tratamento das sociedades com as questões das pessoas com deficiências Exclusão

Leia mais

CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE CONTABILIDADE

CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE CONTABILIDADE CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE CONTABILIDADE CONTRATO DE GESTÃO IGAM/ABHA N 002/2009 = TERMO DE REFERÊNCIA = REPETIÇÃO DE PROCESSO PROCESSO SELETIVO 004-A/2012 ARAGUARI - MG ABRIL / 2012 1. INTRODUÇÃO 1.1.

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM GESTÃO DA ESCOLA INCLUSIVA. Marcos Legais Resolução CNE-CES 1-2001 Resolução CNE-CES 1-2007 PROJETO PEDAGÓGICO

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM GESTÃO DA ESCOLA INCLUSIVA. Marcos Legais Resolução CNE-CES 1-2001 Resolução CNE-CES 1-2007 PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM GESTÃO DA ESCOLA INCLUSIVA Marcos Legais Resolução CNE-CES 1-2001 Resolução CNE-CES 1-2007 PROJETO PEDAGÓGICO Campo Limpo Paulista 2016 1 CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO

Leia mais

A inserção da população negra no mercado de trabalho da Região Metropolitana de Belo Horizonte

A inserção da população negra no mercado de trabalho da Região Metropolitana de Belo Horizonte PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE A inserção da população negra no mercado de trabalho da Novembro de 2011 A discussão sobre trabalho decente, capitaneada pela

Leia mais

Aula 3 MODALIDADES DO CONTRATO DE TRABALHO

Aula 3 MODALIDADES DO CONTRATO DE TRABALHO Aula 3 MODALIDADES DO CONTRATO DE TRABALHO Prazo indeterminado: O contrato de trabalho comum. Não há prazo para seu encerramento. Prazo determinado: Contrato de trabalho com tempo determinado para sua

Leia mais

NOTA EXPLICATIVA À INSTRUÇÃO CVM Nº 489, DE 14 DE JANEIRO DE 2011

NOTA EXPLICATIVA À INSTRUÇÃO CVM Nº 489, DE 14 DE JANEIRO DE 2011 Ref: Instrução CVM Nº 489, DE 14 DE JANEIRO DE 2011, que dispõe sobre a elaboração e divulgação das Demonstrações Financeiras dos Fundos de Investimento em Direitos Creditórios FIDC e dos Fundos de Investimento

Leia mais

RI PACTO DE APRIMORAMENTO DO SUAS

RI PACTO DE APRIMORAMENTO DO SUAS Informações Gerais RELATÓRIO DE INFORMAÇÕES PARA O PLANEJAMENTO E ALCANCE DAS PRIORIDADES E METAS DO PACTO DE APRIMORAMENTO DO SUAS - GESTÃO MUNICIPAL Município: Porte SUAS: UF: Objetivo do RI: SÃO PAULO

Leia mais

A EDUCAÇÃO E PROFISSIONALIZAÇÃO DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

A EDUCAÇÃO E PROFISSIONALIZAÇÃO DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA 1 A EDUCAÇÃO E PROFISSIONALIZAÇÃO DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Eliane de Sousa Nascimento 1 Theresinha Guimarães Miranda 2 Introdução A educação, a organização política e o trabalho são formas de participação

Leia mais

PACTO DE APRIMORAMENTO DO SUAS NOS MUNICÍPIOS

PACTO DE APRIMORAMENTO DO SUAS NOS MUNICÍPIOS PACTO DE APRIMORAMENTO DO SUAS NOS MUNICÍPIOS PRIORIDADES E METAS PARA A GESTÃO MUNICIPAL DO SUAS PARA O QUADRIÊNIO 2014/2017 André YoSan Analista de Políticas Sociais Coordenador-Geral Substituto Coordenação-Geral

Leia mais

Portadores de necessidades especiais: trabalhando com saúde. Lailah Vasconcelos de Oliveira Vilela

Portadores de necessidades especiais: trabalhando com saúde. Lailah Vasconcelos de Oliveira Vilela Portadores de necessidades especiais: trabalhando com saúde Lailah Vasconcelos de Oliveira Vilela Quem são as pessoas com necessidades especiais? Todos nós!!! Termos Pessoa Portadora de Deficiência x Pessoa

Leia mais

A inserção do negro no mercado de trabalho no Distrito Federal

A inserção do negro no mercado de trabalho no Distrito Federal PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NO DISTRITO FEDERAL A inserção do negro no mercado de trabalho no Novembro de 2011 A discussão sobre trabalho decente, capitaneada pela Organização Internacional do Trabalho

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Assistência Social Departamento de Benefícios Assistenciais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Assistência Social Departamento de Benefícios Assistenciais Anexo IV Metas Fiscais IV.9 Avaliação da Situação Financeira e Atuarial dos Assistenciais da Lei Orgânica de Assistência Social LOAS (Art. 4 o, 2 o, inciso IV, da Lei Complementar n o 101, de 4 de maio

Leia mais

EDITAL PARA CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO ANO LETIVO 2016

EDITAL PARA CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO ANO LETIVO 2016 EDITAL PARA CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO ANO LETIVO 2016 1 DAS INFORMAÇÕES GERAIS 1.1 O presente regulamento, baseado na Lei 12.868, de 15/10/2013 e no Decreto 8242, de 26/05/2014, disciplina o processo

Leia mais

TEXTO DOCUMENTO PROJETO DE LEI TÍTULO I. Das Disposições Preliminares

TEXTO DOCUMENTO PROJETO DE LEI TÍTULO I. Das Disposições Preliminares Plano de Carreira TEXTO DOCUMENTO PROJETO DE LEI Consolida o Plano de Carreira e Cargo de Professor Federal e dispõe sobre a reestruturação e unificação das carreiras e cargos do magistério da União, incluídas

Leia mais

VIII Seminário de Pós-Graduação. A OFERTA DE TRABALHO EM GOIÂNIA PARA PESSOA COM DEFICIÊNCIA: o que mudou da Constituição Brasileira de 1988 a 2010?

VIII Seminário de Pós-Graduação. A OFERTA DE TRABALHO EM GOIÂNIA PARA PESSOA COM DEFICIÊNCIA: o que mudou da Constituição Brasileira de 1988 a 2010? VIII Seminário de Pós-Graduação A OFERTA DE TRABALHO EM GOIÂNIA PARA PESSOA COM DEFICIÊNCIA: o que mudou da Constituição Brasileira de 1988 a 2010? Luciana Vieira MAGALHÃES 1 Resumo 2 A proposta ora apresentada

Leia mais

O Instituto Modo Parités é uma ponte entre os interesses sociais e corporativos

O Instituto Modo Parités é uma ponte entre os interesses sociais e corporativos O Instituto Modo Parités é uma ponte entre os interesses sociais e corporativos Nosso objetivo é incluir pessoas com deficiência no mercado de trabalho, conforme previsto na lei de cotas Art. 93 da Lei

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO /2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO /2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO /2015 Convenção Coletiva de Trabalho, que entre si ajustam a FEDERAÇÃO NACIONAL DOS EMPREGADOS EM POSTOS DE SERVIÇOS DE COMBUSTÍVEIS E DERIVADOS DE PETRÓLEO - FENEPOSPETRO,

Leia mais

13º salário deve injetar R$ 196,7 bilhões na economia em 2016

13º salário deve injetar R$ 196,7 bilhões na economia em 2016 1 São Paulo, 27 de outubro de 2016 NOTA À IMPRENSA 13º salário deve injetar R$ 196,7 bilhões na economia em 2016 Até dezembro de 2016, estima-se que deverão ser injetados na economia brasileira aproximadamente

Leia mais

Terceirização e Trabalho Temporário

Terceirização e Trabalho Temporário Terceirização e Trabalho Temporário Lei 13.429, de 31/03/2017 que promove alterações na Lei 6019 que disciplina as relações de trabalho na empresa de trabalho temporário, na empresa de prestação de serviços

Leia mais

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL GABINETE DO DEPUTADO DELMASSO. PROJETO DE LEI Nº 1395 /2016 (Do Senhor Deputado DELMASSO PTN/DF)

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL GABINETE DO DEPUTADO DELMASSO. PROJETO DE LEI Nº 1395 /2016 (Do Senhor Deputado DELMASSO PTN/DF) PROJETO DE LEI Nº 1395 /2016 (Do Senhor Deputado DELMASSO PTN/DF) Estabelece normas visando a garantia de acessibilidade dos deficientes auditivos a exibição de filmes nacionais e estrangeiros, animações,

Leia mais

R$ 131 bilhões devem ser injetados na economia a título de 13º salário

R$ 131 bilhões devem ser injetados na economia a título de 13º salário 1 São Paulo, 22 de outubro de 2012 NOTA À IMPRENSA R$ 131 bilhões devem ser injetados na economia a título de 13º salário Até dezembro de 2012 devem ser injetados na economia brasileira cerca de R$ 131

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão - SECADI

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão - SECADI MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão - SECADI Política de Educação Especial na Perspectiva Inclusiva Convenção Sobre os Direitos das Pessoas com

Leia mais

R$ 143 bilhões devem ser injetados na economia a título de 13º salário

R$ 143 bilhões devem ser injetados na economia a título de 13º salário 1 Porto Alegre, 28 de outubro de 2013. NOTA À IMPRENSA R$ 143 bilhões devem ser injetados na economia a título de 13º salário Até dezembro de 2013 devem ser injetados na economia brasileira pouco mais

Leia mais

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDO INVESTIMENTO EM COTAS FUNDOS INVESTIMENTO CAIXA GERAÇÃO JOVEM RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO LONGO PRAZO

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDO INVESTIMENTO EM COTAS FUNDOS INVESTIMENTO CAIXA GERAÇÃO JOVEM RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO LONGO PRAZO FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDO INVESTIMENTO EM COTAS FUNDOS INVESTIMENTO CAIXA GERAÇÃO JOVEM RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO LONGO PRAZO Data de Competência: 16/02/2016 1. CNPJ 10.577.485/0001-34

Leia mais

MINIRREFORMA PREVIDENCIÁRIA

MINIRREFORMA PREVIDENCIÁRIA MINIRREFORMA PREVIDENCIÁRIA Olá Concurseiros! =) O artigo de hoje traz as principais mudanças operadas pela Medida Provisória n.º 664/2014, publicada em 30/12/2014, que trouxe, no apagar das luzes de 2014,

Leia mais

A OBRIGATORIEDADE DE AS EMPRESAS PROMOVEREM O PREENCHIMENTO DE CARGOS COM PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA E REABILITADOS

A OBRIGATORIEDADE DE AS EMPRESAS PROMOVEREM O PREENCHIMENTO DE CARGOS COM PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA E REABILITADOS A OBRIGATORIEDADE DE AS EMPRESAS PROMOVEREM O PREENCHIMENTO DE CARGOS COM PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA E REABILITADOS Dinorá Carla de Oliveira Rocha Fernandes 1 Nos últimos anos as empresas têm sido

Leia mais

Campus Recife e de Núcleos do Centro Acadêmico do Agreste, indicados no

Campus Recife e de Núcleos do Centro Acadêmico do Agreste, indicados no UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO SELEÇÃO PÚBLICA SIMPLIFICADA PARA PROFESSOR TEMPORÁRIO EDITAL nº9, de 09 de abril de 202, publicado no D.O.U. nº 69, de 0 de abril de 202, Seção 3, págs. 47-48. De acordo

Leia mais

Programa de Proteção ao Emprego PPE

Programa de Proteção ao Emprego PPE Programa de Proteção ao Emprego PPE Ministério de Trabalho e Emprego MTE Grupo Técnico da Secretaria Executiva do Comitê do PPE Previsão Legal Medida Provisória n 680, de 6 de julho de 2015; Decreto n

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Anexo IV Metas Fiscais IV.9 Avaliação da Situação Financeira e Atuarial dos Assistenciais da Lei Orgânica de Assistência Social LOAS (Art. 4 o, 2 o, inciso IV, da Lei Complementar n o 101, de 4 de maio

Leia mais

PORTARIA DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO - MTE Nº 723 DE 23 de abril de 2012

PORTARIA DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO - MTE Nº 723 DE 23 de abril de 2012 PORTARIA DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO - MTE Nº 723 DE 23 de abril de 2012 O MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO - INTERINO, no uso das atribuições que lhe confere o inciso II do parágrafo único

Leia mais

APRESENTAÇÃO SOBRE A ESTRUTURA DO CRAS

APRESENTAÇÃO SOBRE A ESTRUTURA DO CRAS APRESENTAÇÃO SOBRE A ESTRUTURA DO CRAS Atividades desenvolvidas no âmbito do CRAS no que se refere a encaminhamentos Atividades desenvolvidas Orientação/acompanhamento para inserção no BPC Encaminhamento

Leia mais

8. Da seleção. A Prova Escrita constará de argüições sobre: a) Empreendedorismo e inovação;

8. Da seleção. A Prova Escrita constará de argüições sobre: a) Empreendedorismo e inovação; EDITAL PROEX Nº 062/2013 A Pró-Reitora de Extensão da Universidade Estadual de Londrina TORNA PÚBLICA A SELEÇÃO DE BOLSISTA PARA ATUAR NA AGÊNCIA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA

Leia mais

CRESCENDO COM AS DIFERENÇAS CPF 002.899.580-59 CPF 769.101.569-00 CPF 038.835.879-31 CPF 034.846.959-43

CRESCENDO COM AS DIFERENÇAS CPF 002.899.580-59 CPF 769.101.569-00 CPF 038.835.879-31 CPF 034.846.959-43 CRESCENDO COM AS DIFERENÇAS CPF 002.899.580-59 CPF 769.101.569-00 CPF 038.835.879-31 CPF 034.846.959-43 FLORIANÓPOLIS, 2011 1 RESUMO Segundo a Organização Mundial da Saúde baixa escolaridade, falta de

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 SINDICATO DO COMÉRCIO ATACADISTA DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS DE BELO HORIZONTE E CONTAGEM, CNPJ n. 17.265.851/0001-69, neste ato representado por seu Presidente, Sr. MARCUS

Leia mais

Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados

Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados 1 RAIS: 1. A RAIS - Relação Anual de Informações Sociais é um Registro Administrativo criado pelo Decreto nº 76.900/75, com declaração

Leia mais

RESULTADO DO EDITAL DE PROGRAMAS E PROJETOS DE EXTENSÃO ACADÊMICA - 2016 / I CURSO DE DIREITO

RESULTADO DO EDITAL DE PROGRAMAS E PROJETOS DE EXTENSÃO ACADÊMICA - 2016 / I CURSO DE DIREITO RESULTADO DO EDITAL DE PROGRAMAS E PROJETOS DE EXTENSÃO ACADÊMICA - 2016 / I CURSO DE DIREITO TÍTULO: Núcleo de Práticas Jurídicas Itinerante Rogério Tabet Projeto do curso de Direito, onde objetiva inserir

Leia mais

O BENEFÍCIO DA PRESTAÇÃO CONTINUADA FRENTE À CONVENÇÃO SOBRE DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA. Maria Aparecida Gugel 1

O BENEFÍCIO DA PRESTAÇÃO CONTINUADA FRENTE À CONVENÇÃO SOBRE DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA. Maria Aparecida Gugel 1 O BENEFÍCIO DA PRESTAÇÃO CONTINUADA FRENTE À CONVENÇÃO SOBRE DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Maria Aparecida Gugel 1 A Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência A Convenção sobre os

Leia mais

Encontro Nacional de Coordenadores de Educação Profissional, Trabalho, Emprego e Renda.

Encontro Nacional de Coordenadores de Educação Profissional, Trabalho, Emprego e Renda. Encontro Nacional de Coordenadores de Educação Profissional, Trabalho, Emprego e Renda. Coordenação Nacional de Educação Profissional, Trabalho, Emprego e Renda Federação Nacional das Apaes Os benefícios

Leia mais

LEI Nº 8.460, DE 17 DE SETEMBRO DE 1992. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei:

LEI Nº 8.460, DE 17 DE SETEMBRO DE 1992. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei: LEI Nº 8.460, DE 17 DE SETEMBRO DE 1992. Mensagem de veto Texto compilado Concede antecipação de reajuste de vencimentos e de soldos dos servidores civis e militares do Poder Executivo e dá outras providências.

Leia mais

Por outro lado, há que se considerar que existe uma grande diferença entre deficiência e incapacidade.

Por outro lado, há que se considerar que existe uma grande diferença entre deficiência e incapacidade. Deficiência O que é isto? Por Jorge da C. Barbosa Leite, Médico ORL e do Trabalho, Professor Adjunto da Disciplina de ORL da UNI-RIO Existem leis bem intencionadas, cujo escopo deva ser proteger os deficientes,

Leia mais

ANEXO III. Roteiro para Apresentação de Projetos do Tipo C R$ 50.001,00 a R$ 100.000,00

ANEXO III. Roteiro para Apresentação de Projetos do Tipo C R$ 50.001,00 a R$ 100.000,00 ANEXO III Roteiro para Apresentação de Projetos do Tipo C R$ 50.001,00 a R$ 100.000,00 1. Apresentação Geral: 1. Nome do projeto 2. Linha(s) Temática(s) 2. Localidade e município 3. Instituição Proponente

Leia mais

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO ANO VI POPULAÇÃO E COMÉRCIO

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO ANO VI POPULAÇÃO E COMÉRCIO MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO ANO VI POPULAÇÃO E COMÉRCIO 2013 OBJETIVO E PÚBLICO ALVO O objetivo principal deste estudo é investigar a utilização dos Meios Eletrônicos de pagamento e as percepções

Leia mais

PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO

PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO NORMA Nº: NIE-CGCRE-140 APROVADA EM DEZ/2015 Nº 01/07 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Histórico

Leia mais

1 Os contratos de que tratam o caput serão por prazo determinado, com duração de 12 (doze) meses, podendo ser renovado por prazo de igual período.

1 Os contratos de que tratam o caput serão por prazo determinado, com duração de 12 (doze) meses, podendo ser renovado por prazo de igual período. LEI COMPLEMENTAR Nº 250 DE 14 DE OUTUBRO DE 2014. REGULAMENTA A CONTRATAÇÃO DE AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE E DE PROGRAMAS PSF PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA E PACS PROGRAMA DOS AGENTES COMUNITÁRIOS DE

Leia mais

ESTÁGIO PARA ESTUDANTE DA UFU PROCESSO SELETIVO PARA ESTAGIÁRIO (A) EDITAL 024.2015 PSICOLOGIA - GDHS/HCU - UFU

ESTÁGIO PARA ESTUDANTE DA UFU PROCESSO SELETIVO PARA ESTAGIÁRIO (A) EDITAL 024.2015 PSICOLOGIA - GDHS/HCU - UFU 1 ESTÁGIO PARA ESTUDANTE DA UFU PROCESSO SELETIVO PARA ESTAGIÁRIO (A) EDITAL 024.2015 PSICOLOGIA - GDHS/HCU - UFU O PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO DE ASSISTÊNCIA, ESTUDO E PESQUISA DE UBERLÂNDIA - FAEPU, no uso

Leia mais

A INSERÇÃO DO NEGRO NO MERCADO DE TRABALHO DA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA

A INSERÇÃO DO NEGRO NO MERCADO DE TRABALHO DA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA Novembro de 2011 A INSERÇÃO DO NEGRO NO MERCADO DE TRABALHO DA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA A discussão a respeito do trabalho

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA DE SÃO PAULO CREA-SP ATO NORMATIVO Nº, DE DE DE.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA DE SÃO PAULO CREA-SP ATO NORMATIVO Nº, DE DE DE. ATO NORMATIVO Nº, DE DE DE. Dispõe sobre celebração de convênios com entidades de classe para maior eficiência da fiscalização profissional, através da expansão das Anotações de Responsabilidade Técnica

Leia mais

Concurso COPERGÁS-PE 2016: inscrições abertas a partir desta 2ª feira, dia 28/03. Oferta de 13 vagas. Ganhos de até R$ 7 mil!

Concurso COPERGÁS-PE 2016: inscrições abertas a partir desta 2ª feira, dia 28/03. Oferta de 13 vagas. Ganhos de até R$ 7 mil! Concurso COPERGÁS-PE 2016: inscrições abertas a partir desta 2ª feira, dia 28/03. Oferta de 13 vagas. Ganhos de até R$ 7 mil! Começa hoje! Estão abertas as inscrições para o concurso da Companhia Pernambucana

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Faculdade Mineira de Direito - Núcleo Barreiro

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Faculdade Mineira de Direito - Núcleo Barreiro PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Faculdade Mineira de Direito - Núcleo Barreiro Henrique Gustavo Guimaraes Jose Isaias Fonseca Rafael Moreira Campos Gomes Ronaldo José Santana ANÁLISE CASO

Leia mais

O Brasil e os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio

O Brasil e os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio O Brasil e os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio O Brasil avançou muito em relação ao cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio e pavimentou o caminho para cumprir as metas até 2015.

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL

RESPONSABILIDADE SOCIAL RESPONSABILIDADE SOCIAL Você pode praticar a responsabilidade social ao abrir vagas na sua empresa para adolescentes, na condição de aprendizes ou estagiários. Nesta seção você poderá saber quais as diferenças

Leia mais

1. DAS INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE O PROCESSO SELETIVO

1. DAS INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE O PROCESSO SELETIVO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS DIRETORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS Caixa Postal 3037 - Lavras - MG - 37200-000 Telefone: (35) 3829-1858 - E-mail: dri@dri.ufla.br EDITAL N 002/2015/DRI/UFLA INGLÊS SEM

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 13.429, DE 31 DE MARÇO DE 2017. Altera dispositivos da Lei n o 6.019, de 3 de janeiro de 1974, que dispõe sobre o trabalho temporário nas empresas urbanas e dá outras providências; e dispõe sobre

Leia mais

13 o salário deve injetar R$ 84,8 bilhões na economia

13 o salário deve injetar R$ 84,8 bilhões na economia 1 São Paulo, 10 de novembro de 2009 NOTA À IMPRENSA 13 o salário deve injetar R$ 84,8 bilhões na economia Até dezembro de 2009 devem ser injetados na economia brasileira cerca de R$ 85 bilhões em decorrência

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: CE001009/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 21/07/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR034284/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46205.010483/2015-40 DATA DO

Leia mais

O Direito da Acessibilidade e comunicação dos surdos. Neivaldo Zovico Diretor Regional da Feneis/SP

O Direito da Acessibilidade e comunicação dos surdos. Neivaldo Zovico Diretor Regional da Feneis/SP O Direito da Acessibilidade e comunicação dos surdos Neivaldo Zovico Diretor Regional da Feneis/SP Filosofo Sócrates diz : Se não tivéssemos voz nem língua, mas apesar disso desejássemos manifestar coisas

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ002242/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 02/10/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR049024/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.018167/2014-16

Leia mais

MENOS CUSTOS = MAIS FORMALIDADE E MENOS DEMISSÕES NO EMPREGO DOMÉSTICO BRASILEIRO.

MENOS CUSTOS = MAIS FORMALIDADE E MENOS DEMISSÕES NO EMPREGO DOMÉSTICO BRASILEIRO. MENOS CUSTOS = MAIS FORMALIDADE E MENOS DEMISSÕES NO EMPREGO DOMÉSTICO BRASILEIRO. Conforme, simulação abaixo, baseado na aprovação dos Projetos de Lei da Campanha de Abaixo Assinado Legalize sua doméstica

Leia mais

Direito do Trabalho Questões Dissertativas Konrad Mota Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

Direito do Trabalho Questões Dissertativas Konrad Mota Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Direito do Trabalho Questões Dissertativas Konrad Mota 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. 01. Joana contava com 12 anos de idade quando foi contratada pela empresa

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº. 021/2014. ÁREA: Jurídica TÍTULO: Piso Salarial Nacional de Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate à Endemias

NOTA TÉCNICA Nº. 021/2014. ÁREA: Jurídica TÍTULO: Piso Salarial Nacional de Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate à Endemias NOTA TÉCNICA Nº. 021/2014 Brasília, 30 de setembro de2014. ÁREA: Jurídica TÍTULO: Piso Salarial Nacional de Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate à Endemias REFERÊNCIA(S): EC nº. 51/2006 Lei

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE DEPARTAMENTO DE SERVIÇO SOCIAL EDITAL Nº. 01, DE 22 DE JUNHO DE 2016

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE DEPARTAMENTO DE SERVIÇO SOCIAL EDITAL Nº. 01, DE 22 DE JUNHO DE 2016 EDITAL Nº. 01, DE 22 DE JUNHO DE 2016 PROCESSO SELETIVO O da Universidade Federal de Sergipe comunica que estarão abertas inscrições para a seleção de estudantes para atuar como bolsistas e/ou voluntários

Leia mais

Inclusão de profissionais com deficiência

Inclusão de profissionais com deficiência Inclusão de profissionais com deficiência RH que DESCENTRALIZA, REALIZA! Inclusão de Profissionais com Deficiência PESQUISA 2013 Inclusão de Profissionais com Deficiência PESQUISA 2013 Sua empresa cumpre

Leia mais

DICAS DE NOVEMBRO / 2014

DICAS DE NOVEMBRO / 2014 DICAS DE NOVEMBRO / 2014 DICA 01 O segurado especial é o único segurado da previdência social que poderá ter sua inscrição feita após sua morte. DICA 02 O benefício de prestação continuada da Assistência

Leia mais