Novas tecnologias, novos formatos, novas possibilidades de construção de tiras

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Novas tecnologias, novos formatos, novas possibilidades de construção de tiras"

Transcrição

1 Novas tecnologias, novos formatos, novas possibilidades de construção de tiras Paulo Ramos Universidade Federal de São Paulo Resumo A internet trouxe uma série de novas formas de interação, do aos sites de relacionamentos. Trouxe também um novo locus de produção e circulação de histórias em quadrinhos, as tiras entre elas. Estas encontraram no meio virtual um ambiente propício para sua difusão, sobrepondo-se em volume às páginas de cultura dos jornais, onde eram e ainda são publicadas. Os recursos de leitura propiciados pela tela do computador ou pelos tablets permitiram fugir às amarras do formato horizontal da tira, algo que seria inviável no processo de produção para o meio impresso diário, pautado no tamanho fixo para que a mesma história seja comercializada para mais de um periódico. Esta comunicação procura demonstrar alguns casos de fuga ao molde tradicional da tira. O processo será demonstrado com casos observados no blog Magias e Barbaridades, do desenhista brasileiro Fabio Ciccone. Entre as conclusões que serão delineadas, está a maior liberdade de utilização do formato da tiras no meio virtual, se comparado ao impresso. Palavras-chave tiras; internet; blogs; jornais; formato Abstract The Internet has brought a host of new ways of interaction, from to social networking sites. It also brought a new locus of production and circulation of comic books, strips between them. They found one in the virtual environment for its spread, overlapping in the volume of the culture pages of newspapers, where they were and still are published. Resources offered by reading the computer screen or the tablets allowed to escape the shackles of the horizontal format of the strip, something that would not be feasible in the production process through to the printed daily, based on fixed size for the same story that is marketed to more than a journal. This communication seeks to demonstrate some instances of escape from the traditional mold of the strip. The process will be demonstrated with cases observed in the blog Spells and barbarity, the Brazilian artist Fabio Ciccone. Among the conclusions that will be outlined, is the greatest freedom to utilize the format of the strips in the virtual environment, compared to print. Keywords comic strips; internet; blogs; newspapers; size Palavras iniciais Uma das marcas mais evidentes das tiras em quadrinhos são seu formato. O tamanho pode ser equivalente ao de um ou ao de duas tiras, mas tem sido sempre horizontal. Pelo menos, até o surgimento da internet. O meio virtual se tornou um locus privilegiado para a circulação de tiras. No Brasil, chegou-se ao ponto de o volume de

2 histórias, no final da primeira década deste século, ser maior que o visto nos jornais, ambiente onde foram publicadas desde os anos iniciais do século 20 (conforme RAMOS, 2011b). A internet e os blogs, em particular tornou-se um divisor de águas nesse processo. Pode-se dizer que, especificamente no caso das tiras, ficaram mais nítidas as propagadas mudanças anunciadas desde a virada de século sobre o impacto dos recursos virtuais. Além de facilitar a exposição e a circulação do gênero (ou dos gêneros de tiras), a leitura na tela do computador ou em outros suportes (caso dos tablets) permitiu aos autores a possibilidade de ultrapassar a barreira imposta pelo formato fixo. Há casos, mais de um, de experiências no sentido de ampliar ou de até subverter o molde tradicional de produção, herdado do meio impresso. Veremos neste artigo, também limitado pelo espaço, alguns casos de mudança do formato da tira. Nosso corpus selecionado para esta exposição será a série Magias e Barbaridades, criada pelo desenhista brasileiro Fabio Ciccone. As histórias são veiculadas num blog, mantido pelo autor desde julho de Magias e Barbaridades A série Magias e Barbaridades é um exemplo do que Ramos (2009, 2011a) chama de tira cômica seriada. O gênero, para o autor, seria uma mescla de outros dois: a tira cômica e a tira seriada. Explicando melhor. Todos os três gêneros dividiriam o formato, a tendência a apresentarem sequências narrativas e o uso de uma linguagem comum, a dos quadrinhos. O diferencial da tira cômica é ter um processo semelhante ao de uma piada. Com personagens fixos ou não, o gênero conduziria a um desfecho inesperado, fonte do humor. A tira seriada, ao contrário, contaria uma história maior, dosando um capítulo em cada tira. Se reunidas, ficaria mais claro que todas as etapas da narrativa formam uma trama maior. A tira cômica seriada, por fim, teria a característica de apresentar uma história de humor, com desfecho inesperado, mas também de conduzir um enredo mais amplo, com um capítulo de cada vez. Há poucos exemplos de produções assim na internet e o trabalho de Fabio Ciccone é um desses casos.

3 A história mescla humor com aventura, ambientada no universo fantasioso do capa e espada. Mostra as histórias do trio Oc, Remmil e Idana. Oc é um bárbaro, que adora os trabalhos de William Shakespeare. Remmil é um mago que costuma se envolver em situações embaraçosas ou inesperadas. A integrante feminina da trupe é uma valente guerreira. As situações giram em torno da peregrinação do grupo pelo período medieval. Na sequência narrativa em foco, os três precisam peregrinar para um lugar distante. Tentam, então, cortar caminho com a ajuda de um ser enigmático, que detém o poder de dominar e manipular a linguagem dos quadrinhos. Somente com o auxílio dele é que poderiam chegar ao outro extremo. As primeiras tiras que serão analisadas neste artigo se pautam nesse fragmento narrativo da série. Ampliação do tamanho Os capítulos de Magias e Barbaridades são produzidos no formato tradicional da tira, horizontal, como as impressas. Este primeiro bloco de exemplos de Magias e Barbaridades mostra duas alterações em relação ao molde de produção: o aumento do tamanho da tira e o uso da cor (a série é feita normalmente em preto-e-branco). Vejamos a discussão de forma ilustrada: Figura 1 Capítulo de Magias e Barbaridades A figura 1 se passa após a morte de Idana, ocorrida na tira anterior. O enigmático ser que acompanha o grupo na travessia sugere que o autor teria condições

4 de trazê-la de volta à vida, dando segmento à brincadeira com os recursos da linguagem dos quadrinhos (no caso, o diálogo direto com a pessoa que produz a história). Figura 2 Aumento no tamanho físico da tira e uso de cor O capítulo seguinte (figura 2), em vez de ser mostrado numa tira em preto-ebranco, como a que a precedia, é apresentada num tamanho dobrado maior, portanto e em cores. Na cena, o desenhista usa uma borracha para apagar a flecha que havia tirado a vida da personagem e reconstrói seus traços com um lápis. Pronto: Idana volta à vida. O formato mais amplo foge à forma como a série era conduzida até então. No meio impresso, vale reiterar, esse recurso dificilmente seria possível. As tiras apresentam um formato fixo para que a mesma história possa ser vendida a outros jornais, recurso próprio da indústria cultural. Quanto mais aparições a série tiver em

5 outros diários, maior a repercussão dela e o retorno financeiro para a distribuidora e o autor. Na tira de número 500 da série, o autor usou recurso semelhante para marcar a marca. Trocou o molde da tira pelo de uma página, como pode ser visto a seguir: Figura 3 Capítulo 500 da série foi feito no formato de uma página, e não de tira

6 Subversão do formato Figura 4 Capítulo de Magias e Barbaridades Figura 5 Capítulo seguinte apresenta a tira no formato vertical, e não horizontal

7 Os exemplos são eloquentes. A tira apresentada na figura 4 mostra o mago Remill preso e amordaçado, sendo torturado pelo canto da pessoa que o mantém detido. Descobre, na cena final, que se trata de um escriba. Não se trata, ao contrário da série como um todo, de um final com efeito de humor. Mas funciona como gancho para o capítulo seguinte, em que, uma vez mais, ocorre uma subversão do formato, como visto nas figura 2 e 3. O autor optou por construir a tira no formato vertical, e não horizontal. O recurso, possivelmente, foi usado para valorizar a figura do Cavaleiro Amarelo, montado num cavalo, cena que funcionaria melhor se vista dessa forma. É necessário ressaltar que o recurso já foi usado por outros autores nas tiras veiculadas nos jornais. Mas, ao contrário da tela do computador ou de outros suportes virtuais, havia a necessidade de o leitor virar a página para observar o desenho na forma como foi concebido. Outro caso peculiar é o do exemplo a seguir, em que são criados três caminhos de leitura para a tira: Figura 6 Capítulo cria três caminhos de leitura da tira

8 Nesse caso, em vez de uma tira, criam-se três, que partem de uma mesma cena, no canto esquerdo superior. O primeiro caminho é percebido por meio da leitura tradicional da história, no sentido horizontal. Um dos personagens, (re)encontra o filho. A segunda possibilidade de leitura é feita na diagonal. Idana beija um dos integrantes da trupe. A terceira alternativa é obtida na vertical e onde estava o efeito de humor. Remmil e Oc, inesperadamente, estavam mais preocupados mesmo com o que se anunciava no quadrinho inicial: serem recebidos na cidade com festa e sendo idolatrados pela população. Algumas observações Nesta curta análise, tomando como base alguns exemplos extraídos da série Magias e Barbaridades, pudemos demonstrar que o meio virtual permite impor alterações no modo de produção das tiras, a começar pelo próprio formato delas. Houve situações em que se optou por criar um tamanho equivalente ao de duas tiras e, em outro momento, ao molde de uma página de história em quadrinhos. Também merece registro o uso da cor nos dois casos. Outros casos inverteram a forma de leitura tradicional, de horizontal para vertical. Especificamente na situação demonstrada na figura 6, a subversão foi ainda mais radical: criaram-se três caminhos de leitura, como se ocorressem simultaneamente três tiras diferentes, que tomavam por base uma mesma cena. A internet tem modificado a forma de circulação das tiras, como comentado nas páginas iniciais deste artigo. Nos exemplos analisados nestas páginas, pudemos constatar que os aspectos tecnológicos proporcionados pela leitura nos suportes virtuais tem permitido novas experimentações, que têm como ponto comum a não rigidez do formato. É algo que permite modificar o processo de produção e que se opõe às amarras físicas às quais as tiras estiveram sujeitas durante todo o século 20. É, enfim, uma novidade que surge no processo de criação das tiras nacionais junto com este novo século. Referências

9 MILLER, Carolyn R. Gênero textual, agência e tecnologia. Trad. Judith Chambliss Hoffnagel. Recife: Editora Universitária da UFPE, RAMOS, Paulo. Faces do humor: uma aproximação entre tiras e piadas. Campinas, SP: Zarabatana, 2011a.. O impacto dos blogs para a produção de tiras no Brasil. Anais das I Jornadas Internacionais de Histórias em Quadrinhos. São Paulo: Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, ag. 2011b. CD-ROM.. A leitura dos quadrinhos. São Paulo: Contexto, 2009.

SUMÁRIO TUTORIAL DO HQ. 2 DICAS PEDAGÓGICAS:. 2 DOWNLOAD DA INSTALAÇÃO. 2 PASSO 1 FORMULÁRIO PARA DOWNLOAD. 2 PASSO 2 ESCOLHENDO A VERSÃO.

SUMÁRIO TUTORIAL DO HQ. 2 DICAS PEDAGÓGICAS:. 2 DOWNLOAD DA INSTALAÇÃO. 2 PASSO 1 FORMULÁRIO PARA DOWNLOAD. 2 PASSO 2 ESCOLHENDO A VERSÃO. SUMÁRIO TUTORIAL DO HQ... 2 DICAS PEDAGÓGICAS:... 2 DOWNLOAD DA INSTALAÇÃO... 2 PASSO 1 FORMULÁRIO PARA DOWNLOAD... 2 PASSO 2 ESCOLHENDO A VERSÃO... 3 PASSO 3 INSTRUÇÕES DE INSTALAÇÃO... 4 CRIANDO NOVAS

Leia mais

Produção de Histórias em Quadrinhos no Ensino de Química Orgânica: A Química dos Perfumes como Temática

Produção de Histórias em Quadrinhos no Ensino de Química Orgânica: A Química dos Perfumes como Temática Produção de Histórias em Quadrinhos no Ensino de Química Orgânica: A Química dos Perfumes como Temática Paloma Nascimento dos Santos 1 (FM)*, Kátia Aparecida da Silva Aquino 2 (PQ) 1 Secretaria de Educação

Leia mais

A diferença entre charge, cartum, tirinha e caricatura

A diferença entre charge, cartum, tirinha e caricatura A diferença entre charge, cartum, tirinha e caricatura É essencial que todo vestibulando saiba diferenciar e interpretar charges, cartuns, tirinhas e caricaturas. Dessa forma buscarei elucidar as semelhanças

Leia mais

Não Era uma Vez... Contos clássicos recontados

Não Era uma Vez... Contos clássicos recontados elaboração: PROF. DR. JOSÉ NICOLAU GREGORIN FILHO Não Era uma Vez... Contos clássicos recontados escrito por Vários autores Os Projetos de Leitura: concepção Buscando o oferecimento de subsídios práticos

Leia mais

1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido

1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido 1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido No estudo da Comunicação, a publicidade deve figurar como um dos campos de maior interesse para pesquisadores e críticos das Ciências Sociais e Humanas.

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO SUPORTE PARA A IDENTIFICAÇÃO DE UMA NOTÍCIA SATÍRICA* 1

A IMPORTÂNCIA DO SUPORTE PARA A IDENTIFICAÇÃO DE UMA NOTÍCIA SATÍRICA* 1 A IMPORTÂNCIA DO SUPORTE PARA A IDENTIFICAÇÃO DE UMA NOTÍCIA SATÍRICA* 1 Emanoel Barbosa de Sousa - UFC Maria Lourdilene Vieira Barbosa UFMG Resumo: Considerando os elementos responsáveis pela interpretação

Leia mais

Flavia Di Luccio. As múltiplas faces dos blogs. Um estudo sobre as relações entre escritores, leitores e textos

Flavia Di Luccio. As múltiplas faces dos blogs. Um estudo sobre as relações entre escritores, leitores e textos Flavia Di Luccio As múltiplas faces dos blogs Um estudo sobre as relações entre escritores, leitores e textos Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do título

Leia mais

Leya Leituras Projeto de Leitura

Leya Leituras Projeto de Leitura Leya Leituras Projeto de Leitura Nome do livro: JAPĨĨ E JAKÃMĨ Uma história de amizade Autor: Yaguarê Yamã Nacionalidade do autor: Brasileira Currículo do autor: Escritor, professor e artista plástico

Leia mais

A ABORDAGEM DAS HISTÓRIAS EM QUADRINHO NOS LIVROS DIDÁTICOS DE QUÍMICA. Palavras-chave: Ensino de química; histórias em quadrinhos; livro didático.

A ABORDAGEM DAS HISTÓRIAS EM QUADRINHO NOS LIVROS DIDÁTICOS DE QUÍMICA. Palavras-chave: Ensino de química; histórias em quadrinhos; livro didático. A ABORDAGEM DAS HISTÓRIAS EM QUADRINHO NOS LIVROS DIDÁTICOS DE QUÍMICA Fabricio Santos Almeida 1 Márcia Cristiane Eloi Silva Ataide 2 1 Licenciando em Química, Universidade Federal do Piauí - UFPI. 2 Professora

Leia mais

Teatro com Surdos: Facilitador da Leitura e da Escrita

Teatro com Surdos: Facilitador da Leitura e da Escrita Teatro com Surdos: Facilitador da Leitura e da Escrita Ivani Rodrigues SILVA, Eunice R.S. CAMILO, Fátima Ap.G. MENDES, Juliane A. M.CORRADI CEPRE/FCM - UNICAMP ivars@fcm.unicamp.br, nycecamillo@yahoo.com.br,

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO DIRETORIA DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO DIRETORIA DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO DIRETORIA DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO Sequência de Aulas de Língua Portuguesa Produção de uma Fotonovela 1. Nível de

Leia mais

MÍDIA INFORMÁTICA E INTERNET NA EDUCAÇÃO INFANTIL: USO DE BLOG ESCOLAR

MÍDIA INFORMÁTICA E INTERNET NA EDUCAÇÃO INFANTIL: USO DE BLOG ESCOLAR 88 MÍDIA INFORMÁTICA E INTERNET NA EDUCAÇÃO INFANTIL: USO DE BLOG ESCOLAR Karine Queiroz Lagranha karinelagranha@ig.com.br 1 Resumo Este artigo apresenta um estudo de caso com uma turma de educação infantil

Leia mais

Criança e jornalismo: um estudo sobre as relações entre crianças e mídia impressa especializada infantil

Criança e jornalismo: um estudo sobre as relações entre crianças e mídia impressa especializada infantil Josy Fischberg Criança e jornalismo: um estudo sobre as relações entre crianças e mídia impressa especializada infantil Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção

Leia mais

DA FOLHA DE PAPEL À TELA DIGITAL: CENAS DE LETRAMENTO EM OFICINAS DE TIRINHAS

DA FOLHA DE PAPEL À TELA DIGITAL: CENAS DE LETRAMENTO EM OFICINAS DE TIRINHAS DA FOLHA DE PAPEL À TELA DIGITAL: CENAS DE LETRAMENTO EM OFICINAS DE TIRINHAS Luiza Alice Lima Rocha 1 (UFC) Resumo: Frente ao avanço das Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs), buscamos inseri-las

Leia mais

Histórias em Quadrinhos

Histórias em Quadrinhos Histórias em Quadrinhos Apresentação baseada no texto Profa. Denise Castilhos Profa. Marilene Garcia Histórias em quadrinhos: imaginação traduzida visualmente para encantar e apaixonar gerações As HQ começaram

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE CURSO MÍDIAS NA EDUCAÇÃO CADA UM NO SEU QUADRINHO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE CURSO MÍDIAS NA EDUCAÇÃO CADA UM NO SEU QUADRINHO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE CURSO MÍDIAS NA EDUCAÇÃO CADA UM NO SEU QUADRINHO VIDEIRA, JUNHO DE 2008 ERMELINA PIRES FERREIRA GISLAINE GONZALEZ SIRLEI MUNZLINGER

Leia mais

Prática Educativa da Língua Portuguesa na Educação Infantil. Autoras Daniela Guimarães Patrícia Corsino

Prática Educativa da Língua Portuguesa na Educação Infantil. Autoras Daniela Guimarães Patrícia Corsino Prática Educativa da Língua Portuguesa na Educação Infantil Autoras Daniela Guimarães Patrícia Corsino 2009 2008 IESDE Brasil S.A. É proibida a reprodução, mesmo parcial, por qualquer processo, sem autorização

Leia mais

O MATERIAL DIDÁTICO IMPRESSO COMO FACILITADOR NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 1

O MATERIAL DIDÁTICO IMPRESSO COMO FACILITADOR NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 1 O MATERIAL DIDÁTICO IMPRESSO COMO FACILITADOR NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 1 Laíssa Rodrigues Esposti Pacheco 2 ; Cristiano Farias Coelho 3 Grupo 4.1. Tecnologias na educação a distância: Concepção e produção

Leia mais

A DRAMATURGIA NO ATO TEATRAL

A DRAMATURGIA NO ATO TEATRAL A DRAMATURGIA NO ATO TEATRAL Calixto de Inhamuns A palavra dramaturgia, usando a pesquisa do mestre Alexandre Mate, nasce de drama (sentido conotativo de) ação e tourgia (sentido de trabalho, de tecimento),

Leia mais

Apresentação. Práticas Pedagógicas Língua Portuguesa. Situação 4 HQ. Recomendada para 7a/8a ou EM. Tempo previsto: 4 aulas

Apresentação. Práticas Pedagógicas Língua Portuguesa. Situação 4 HQ. Recomendada para 7a/8a ou EM. Tempo previsto: 4 aulas Práticas Pedagógicas Língua Portuguesa Situação 4 HQ Recomendada para 7a/8a ou EM Tempo previsto: 4 aulas Elaboração: Equipe Técnica da CENP Apresentação Histórias em quadrinhos (HQ), mangás e tirinhas

Leia mais

inglês MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DE EDIÇÕES SM Comparativos Curriculares SM língua estrangeira moderna ensino médio

inglês MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DE EDIÇÕES SM Comparativos Curriculares SM língua estrangeira moderna ensino médio MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DE EDIÇÕES SM língua estrangeira moderna Comparativos Curriculares SM inglês ensino médio A coleção Alive High Língua Estrangeira Moderna Inglês e o currículo do Estado de Goiás

Leia mais

Um Menino Igual a Todo Mundo

Um Menino Igual a Todo Mundo elaboração: PROF. DR. JOSÉ NICOLAU GREGORIN FILHO Um Menino Igual a Todo Mundo escrito por & ilustrado por Sandra Saruê Marcelo Boffa Os Projetos de Leitura: concepção Buscando o oferecimento de subsídios

Leia mais

GEOTARGET PERNAMBUCO NOTÍCIAS

GEOTARGET PERNAMBUCO NOTÍCIAS GEOTARGET PERNAMBUCO NOTÍCIAS GEOTARGET: o que é? É uma forma de comprar mídia na internet. A compra por Geotarget permite o direcionamento das peças publicitárias para determinadas áreas geográficas.

Leia mais

SOBRE A DESCONSTRUÇÃO ROMANESCA EM BOLOR, DE AUGUSTO ABELAIRA

SOBRE A DESCONSTRUÇÃO ROMANESCA EM BOLOR, DE AUGUSTO ABELAIRA SOBRE A DESCONSTRUÇÃO ROMANESCA EM BOLOR, DE AUGUSTO ABELAIRA Kellen Millene Camargos RESENDE (Faculdade de Letras UFG; kellenmil@gmail.com); Zênia de FARIA (Faculdade de Letras UFG; zenia@letras.ufg.br).

Leia mais

CULTURA POPULAR E IDENTIDADE REGIONAL: A CONTRIBUIÇÃO DO SITE JORNALÍSTICO CULTURA PLURAL NOS CAMPOS GERAIS

CULTURA POPULAR E IDENTIDADE REGIONAL: A CONTRIBUIÇÃO DO SITE JORNALÍSTICO CULTURA PLURAL NOS CAMPOS GERAIS 110. ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) (X ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA CULTURA POPULAR E IDENTIDADE

Leia mais

Fernando Luiz Vale Castro

Fernando Luiz Vale Castro Fernando Luiz Vale Castro Pensando um continente: A Revista Americana e a criação de um projeto cultural para a América do Sul Tese de Doutorado Tese apresentada ao Programa de Pós-Graduação de História

Leia mais

Para pensar o. livro de imagens. Para pensar o Livro de imagens

Para pensar o. livro de imagens. Para pensar o Livro de imagens Para pensar o livro de imagens ROTEIROS PARA LEITURA LITERÁRIA Ligia Cademartori Para pensar o Livro de imagens 1 1 Texto visual Há livros compostos predominantemente por imagens que, postas em relação,

Leia mais

PORTFÓLIOS: INSTRUMENTO DE ENSINO

PORTFÓLIOS: INSTRUMENTO DE ENSINO Anais do XXXIV COBENGE. Passo Fundo: Ed. Universidade de Passo Fundo, Setembro de 2006. ISBN 85-7515-371-4 PORTFÓLIOS: INSTRUMENTO DE ENSINO BITTENCOURT, Evandro dcb2eb@joinville.udesc.br Universidade

Leia mais

Governo da Paraíba Secretaria de educação do estado Prêmio mestres da educação Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio José Luiz Neto

Governo da Paraíba Secretaria de educação do estado Prêmio mestres da educação Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio José Luiz Neto Governo da Paraíba Secretaria de educação do estado Prêmio mestres da educação Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio José Luiz Neto Maria José Almeida Silva Projeto: A literatura de cordel como

Leia mais

Composição de pequenas músicas a partir de outras já existentes e de versos; a partir de objetos, da voz, do corpo, do silêncio.

Composição de pequenas músicas a partir de outras já existentes e de versos; a partir de objetos, da voz, do corpo, do silêncio. MÚSICA A música é uma linguagem expressiva importante a ser incentivada desde os primeiros anos de vida. O trabalho com música na escola de Educação Infantil deve respeitar as diferenças regionais e suas

Leia mais

SUELEN SANTOS MONTEIRO (UNESP - PRESIDENTE PRUDENTE ), MELINA ALTAVINI DE ABREU MAIOLI (UNESP - FCT).

SUELEN SANTOS MONTEIRO (UNESP - PRESIDENTE PRUDENTE ), MELINA ALTAVINI DE ABREU MAIOLI (UNESP - FCT). ESTUDANDO O TEXTO NARRATIVO ATRAVÉS DAS TEORIAS DE PROPP, BREMOND E LARIVAILLE: UM TRABALHO COM 1ª E 2ª SÉRIES PARA A CONSTRUÇÃO DE TEXTOS MAIS COERENTES SUELEN SANTOS MONTEIRO (UNESP - PRESIDENTE PRUDENTE

Leia mais

A DIVULGAÇÃO DO CURSO DE JORNALISMO ATRAVÉS DO SITE E DAS REDES SOCIAIS

A DIVULGAÇÃO DO CURSO DE JORNALISMO ATRAVÉS DO SITE E DAS REDES SOCIAIS 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( X ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

Curso Técnicas de Eletricidade Predial/EaD Uma Experiência em Blended Learning

Curso Técnicas de Eletricidade Predial/EaD Uma Experiência em Blended Learning ABRIL/2004 Curso Técnicas de Eletricidade Predial/EaD Uma Experiência em Blended Learning Maria Antonieta Pires dos Santos mariaps@firjan.org.br Ana Beatriz Lima Guedes Monteiro aguedes@firjan.org.br Alexandre

Leia mais

FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA DE LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS NARRATIVOS

FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA DE LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS NARRATIVOS FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA DE LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS NARRATIVOS Resumo LUCAS, Maria Angélica Olivo Francisco 1 - UEM Grupo de Trabalho - Formação de professores e

Leia mais

O USO DA LINGUAGEM DO DESENHO NO CONTEXTO DOS MEIOS DIGITAIS UMA EXPERIÊNCIA DE ENSINO

O USO DA LINGUAGEM DO DESENHO NO CONTEXTO DOS MEIOS DIGITAIS UMA EXPERIÊNCIA DE ENSINO O USO DA LINGUAGEM DO DESENHO NO CONTEXTO DOS MEIOS DIGITAIS UMA EXPERIÊNCIA DE ENSINO Marly de Menezes Gonçalves, Doutoranda em Arquitetura pela FAU/USP FASM - Faculdade Santa Marcelina professora do

Leia mais

TRIADES. Transversalidade Design Linguagens

TRIADES. Transversalidade Design Linguagens 2 Transversalidade Design Linguagens Marcos Rizolli ARTISTAS-DESIGNERS DO SÉCULO XX: UM INVENTÁRIO SEMIÓTICO 2 RESUMO O presente estudo apresenta as relações semióticas entre Arte e Design, percebidas

Leia mais

A DANÇA COMO POTENCIAL DE DESENVOLVIMENTO INFANTIL.

A DANÇA COMO POTENCIAL DE DESENVOLVIMENTO INFANTIL. A DANÇA COMO POTENCIAL DE DESENVOLVIMENTO INFANTIL. CAMARGO,Leonildo Discente do curso de Pedagogia da Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva. MÜZEL,Andrei Docente do curso de Pedagogia da

Leia mais

Interpretação de textos - Atividades 3ª etapa - 2015 Língua Portuguesa Professora: Maria de Lourdes

Interpretação de textos - Atividades 3ª etapa - 2015 Língua Portuguesa Professora: Maria de Lourdes J+C Interpretação de textos - Atividades 3ª etapa - 2015 Língua Portuguesa Professora: Maria de Lourdes Leia a tira abaixo, de Laerte, e responda às questões 1 e 2. 1. Observe o 1 9 e o 2 9 quadrinhos

Leia mais

DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA

DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA OBJETIVOS: 1 ano Levar o estudante a realizar a escrita do próprio nome e outros nomes. Promover a escrita das letras do alfabeto. Utilizar a linguagem oral para conversar,

Leia mais

XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO

XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO MCH0181 HISTÓRIAS EM QUADRINHOS SOB A PERSPECTIVA DA TEORIA BAKHTINIANA

Leia mais

Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos

Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos O PAPEL DA HIBRIDIZAÇÃO DE GÊNEROS NA PUBLICIDADE Juliely Veiga Gomes (UFV) julielyveiga@gmail.com Dayane Sávia Monteiro (UFV) dayanesavia@yahoo.com.br RESUMO Este trabalho visa investigar a manifestação

Leia mais

A Cobronça, a Princesa e a Surpresa

A Cobronça, a Princesa e a Surpresa elaboração: PROF. DR. JOSÉ NICOLAU GREGORIN FILHO A Cobronça, a Princesa e a Surpresa escrito por & ilustrado por Celso Linck Fê Os Projetos de Leitura: concepção Buscando o oferecimento de subsídios práticos

Leia mais

tido, articula a Cartografia, entendida como linguagem, com outra linguagem, a literatura infantil, que, sem dúvida, auxiliará as crianças a lerem e

tido, articula a Cartografia, entendida como linguagem, com outra linguagem, a literatura infantil, que, sem dúvida, auxiliará as crianças a lerem e Apresentação Este livro tem o objetivo de oferecer aos leitores de diversas áreas do conhecimento escolar, principalmente aos professores de educação infantil, uma leitura que ajudará a compreender o papel

Leia mais

Projeto - por que não se arriscar com um trabalho diferente?

Projeto - por que não se arriscar com um trabalho diferente? Projeto - por que não se arriscar com um trabalho diferente? Gisele Bischoff Scherer 1 Resumo O texto a seguir defende um trabalho diferenciado em sala de aula a partir de um planejamento conjunto entre

Leia mais

Por uma estética das imagens digitais: um olhar sobre Parallel, videoinstalação de Harun Farocki

Por uma estética das imagens digitais: um olhar sobre Parallel, videoinstalação de Harun Farocki Por uma estética das imagens digitais: um olhar sobre Parallel, videoinstalação de Harun Farocki Jamer Guterres de Mello 1 Resumo Este trabalho pretende demonstrar de que forma as imagens digitais produzem

Leia mais

A jornada do herói. A Jornada do Herói

A jornada do herói. A Jornada do Herói A Jornada do Herói Artigo de Albert Paul Dahoui Joseph Campbell lançou um livro chamado O herói de mil faces. A primeira publicação foi em 1949, sendo o resultado de um longo e minucioso trabalho que Campbell

Leia mais

Ensino em Grupo de Instrumento Musical na Educação Básica

Ensino em Grupo de Instrumento Musical na Educação Básica Ensino em Grupo de Instrumento Musical na Educação Básica Alessandra Nunes de Castro Silva, SEDUC/GO, alessandrancs@hotmail.com Resumo: O presente artigo trata-se de um relato de experiência a respeito

Leia mais

Caracterização da Escola

Caracterização da Escola 28 O CORDEL DOS TIRADENTES Flávia Helena Pontes Carneiro* helena.flavia@gmail.com *Graduada em Pedagogia, Mestre em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais, Professora

Leia mais

APROPRIAÇÃO DA ESCRITA ALFABÉTICA: É POSSÍVEL ALFABETIZAR LETRANDO AOS SEIS ANOS?

APROPRIAÇÃO DA ESCRITA ALFABÉTICA: É POSSÍVEL ALFABETIZAR LETRANDO AOS SEIS ANOS? APROPRIAÇÃO DA ESCRITA ALFABÉTICA: É POSSÍVEL ALFABETIZAR LETRANDO AOS SEIS ANOS? Magna do Carmo Silva Cruz mestranda CEEL/UFPE magna_csc@yahoo.com.br ; Eliana Borges Correia de Albuquerque docente CEEL/UFPE

Leia mais

O GÊNERO MASCULINO NA PUBLICIDADE DE COSMÉTICOS E VESTUÁRIO

O GÊNERO MASCULINO NA PUBLICIDADE DE COSMÉTICOS E VESTUÁRIO O GÊNERO MASCULINO NA PUBLICIDADE DE COSMÉTICOS E VESTUÁRIO Janaína Fernandes Possati Faculdade de Letras Centro de Linguagem e Comunicação janainapossati@bol.com.br Resumo: Objetivamos analisar, sob o

Leia mais

Objetivos Específicos. Estratégias em Língua Portuguesa. Leitura de histórias em quadrinhos. Desenhos próprios. Gibisão data show.

Objetivos Específicos. Estratégias em Língua Portuguesa. Leitura de histórias em quadrinhos. Desenhos próprios. Gibisão data show. PLANEJAMENTO Folclore Professor (a): Vanessa da Rosa Competências Leitura; Oralidade; Produção textual, Ortografia, Ritmo e Memória. Avançar em seus conhecimentos sobre a escrita, ao escrever segundo suas

Leia mais

Online Collaborative Learning Design

Online Collaborative Learning Design "Online Collaborative Learning Design" Course to be offered by Charlotte N. Lani Gunawardena, Ph.D. Regents Professor University of New Mexico, Albuquerque, New Mexico, USA July 7- August 14, 2014 Course

Leia mais

INTERNET NA MEDIDA. Carga Horária A palestra tem uma carga horária de 2 horas.

INTERNET NA MEDIDA. Carga Horária A palestra tem uma carga horária de 2 horas. INTERNET NA MEDIDA O SEBRAE acredita na força da internet e por isso desenvolveu um conjunto de produtos para os empresários de microempresas ampliarem sua rede de contatos, estruturarem o relacionamento

Leia mais

Uma perspectiva para compreender os gêneros discursivos: a Escola Norte-Americana

Uma perspectiva para compreender os gêneros discursivos: a Escola Norte-Americana Uma perspectiva para compreender os gêneros discursivos: a Escola Norte-Americana Lucas Piter Alves Costa 1 Por que estudar gêneros? Como estudá-los? Qual a importância que o domínio de seus estudos pode

Leia mais

A diferença entre marketing, propaganda publicidade, relações públicas e jornalismo Por Renato Galisteu

A diferença entre marketing, propaganda publicidade, relações públicas e jornalismo Por Renato Galisteu A diferença entre marketing, propaganda e publicidade, relações públicas e jornalismo Por Renato Galisteu Communication and social media specialist, passionate tech journalism and Noah's Dad A comunicação

Leia mais

Projeto São João Literário Promovendo a cultura popular, incentivando a leitura e a produção literária.

Projeto São João Literário Promovendo a cultura popular, incentivando a leitura e a produção literária. Projeto São João Literário Promovendo a cultura popular, incentivando a leitura e a produção literária. Histórico e Justificativa No ano de 2012, ao participar de uma quadrilha temática, em homenagem ao

Leia mais

04/05 05/05 06/06 07/05 11/05 12/05 Ciências Inglês -6º ano. Artes todos Inglês- (7,8,9º) Redação -6º ano

04/05 05/05 06/06 07/05 11/05 12/05 Ciências Inglês -6º ano. Artes todos Inglês- (7,8,9º) Redação -6º ano Cronograma da II Unidade 6º ano. Estudem pelos livros e atividades no caderno. : Capítulo 2 Formas geométricas espaciais. Capítulo 6 Medidas de comprimento Capítulo 7 Múltiplos e divisores. - Produtores,

Leia mais

ORALIDADE E ESCRITA: ANÁLISE DE HISTÓRIA EM QUADRINHOS

ORALIDADE E ESCRITA: ANÁLISE DE HISTÓRIA EM QUADRINHOS ORALIDADE E ESCRITA: ANÁLISE DE HISTÓRIA EM QUADRINHOS Ana Letícia Vaz Pereira 1 Natália Canuto do Nascimento 2 Orientador Prof. Ms. Artarxerxes Modesto RESUMO: Este trabalho tem como objetivo analisar

Leia mais

HISTÓRIA DA MATEMÁTICA PARA O ENSINO FUNDAMENTAL: ELABORANDO QUADRINHOS

HISTÓRIA DA MATEMÁTICA PARA O ENSINO FUNDAMENTAL: ELABORANDO QUADRINHOS HISTÓRIA DA MATEMÁTICA PARA O ENSINO FUNDAMENTAL: ELABORANDO QUADRINHOS Sven Glint Universidade Estadual do Centro-Oeste svenglint@live.com Karolina Barone Ribeiro da Silva Universidade Estadual do Centro-Oeste

Leia mais

Arte sequencial ao alcance de todos: as novas possibilidades de criação e veiculação de tirinhas nas mídias digitais 1

Arte sequencial ao alcance de todos: as novas possibilidades de criação e veiculação de tirinhas nas mídias digitais 1 Arte sequencial ao alcance de todos: as novas possibilidades de criação e veiculação de tirinhas nas mídias digitais 1 Vítor Nicolau 2 Henrique Magalhães 3 Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa,

Leia mais

Os gêneros das histórias em quadrinhos

Os gêneros das histórias em quadrinhos Os gêneros das histórias em quadrinhos Figura 1.1 Tira da série Classificados, de Laerte. A história acima ilustra bem a dificuldade que envolve os gêneros ligados às histórias em quadrinhos. É só observar

Leia mais

GÊNEROS TEXTUAIS EM FASCÍCULOS DIGITAIS DE EAD: APROPRIAÇÃO E TRABALHO PEDAGÓGICO

GÊNEROS TEXTUAIS EM FASCÍCULOS DIGITAIS DE EAD: APROPRIAÇÃO E TRABALHO PEDAGÓGICO GÊNEROS TEXTUAIS EM FASCÍCULOS DIGITAIS DE EAD: APROPRIAÇÃO E TRABALHO PEDAGÓGICO Renato Lira Pimentel 1 (UFPE) Resumo: Neste trabalho temos o intuito de pesquisar sobre gêneros textuais veiculados nos

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCACIONAIS A PRÁTICA MUSICAL NA ESCOLA PÚBLICA PAULISTA

POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCACIONAIS A PRÁTICA MUSICAL NA ESCOLA PÚBLICA PAULISTA POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCACIONAIS A PRÁTICA MUSICAL NA ESCOLA PÚBLICA PAULISTA Leila Guimarães dos Santos Dorotéa Machado Kerr RESUMO: Pretende-se discutir o papel do ensino da música nos diferentes períodos

Leia mais

Cartão postal. CONSULTORAS Patrícia Corsino e Hélen A. Queiroz

Cartão postal. CONSULTORAS Patrícia Corsino e Hélen A. Queiroz Cartão postal CONSULTORAS Patrícia Corsino e Hélen A. Queiroz SINOPSE geral da série Chico, 6 anos, adora passar as tardes na estamparia de fundo de quintal do seu avô. Nela, Vô Manu construiu um Portal

Leia mais

Piadas e tiras em quadrinhos: a oralidade presente nos textos de humor

Piadas e tiras em quadrinhos: a oralidade presente nos textos de humor Estudos Lingüísticos XXXIV, p. 1158-1163, 2005. [ 1158 / 1163 ] Piadas e tiras em quadrinhos: a oralidade presente nos textos de humor Paulo Ramos R. Tenente Antônio João, 55 - Caixa Postal 09530-460 São

Leia mais

Fig. 247 Storyboard 2

Fig. 247 Storyboard 2 173 Fig. 247 Storyboard 2 174 Fig. 248 Storyboard 2 Fig. 249 Storyboard 2 175 176 3.2.5 Edição visual e sonora Foram realizadas algumas etapas: análise, seleção e edição da imagem (correção de cor, luz,

Leia mais

O olho que pensa, a mão que faz, o corpo que inventa

O olho que pensa, a mão que faz, o corpo que inventa Rey n ald o Fon sec a Pas t or al, 1992, s erigr af i a Fot o: Fau st o Fleur y O olho que pensa, a mão que faz, o corpo que inventa Com as proposições didáticas sugeridas, espera-se que os alunos possam

Leia mais

Roteiro de Aplicação da Economia Criativa e Inovação como critérios na FETEPS

Roteiro de Aplicação da Economia Criativa e Inovação como critérios na FETEPS Roteiro de Aplicação da Economia Criativa e Inovação como critérios na FETEPS Com objetivo de auxiliar na elaboração dos trabalhos, apresentamos critérios relacionados a Economia Criativa e Inovação, conceitos

Leia mais

VI Seminário de Iniciação Científica SóLetras - 2009 ISSN 1808-9216

VI Seminário de Iniciação Científica SóLetras - 2009 ISSN 1808-9216 O EMPREGO GRAMATICAL NO LIVRO DIDÁTICO Desiree Bueno TIBÚRCIO (G-UENP/campus Jac.) desiree_skotbu@hotmail.com Marilúcia dos Santos Domingos Striquer (orientadora-uenp/campus Jac.) marilucia.ss@uol.com.br

Leia mais

FACETAS DA MULHER BRASILEIRA: VISÃO DAS BRASILEIRAS SOBRE A IMAGEM DA MULHER NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO

FACETAS DA MULHER BRASILEIRA: VISÃO DAS BRASILEIRAS SOBRE A IMAGEM DA MULHER NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO FACETAS DA MULHER BRASILEIRA: VISÃO DAS BRASILEIRAS SOBRE A IMAGEM DA MULHER NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO Fevereiro 2016 A MULHER NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO O que mais incomoda no discurso/posição que a mulher

Leia mais

PROPOSTA PEDAGÓGICA. Elaborada por Ana Carolina Carvalho

PROPOSTA PEDAGÓGICA. Elaborada por Ana Carolina Carvalho PROPOSTA PEDAGÓGICA Elaborada por Ana Carolina Carvalho PROPOSTA PEDAGÓGICA Crianças do Brasil Suas histórias, seus brinquedos, seus sonhos elaborada por ANA CAROLINA CARVALHO livro de JOSÉ SANTOS ilustrações

Leia mais

APRESENTAMOS A REVISTA JOYTCE PASCOWITCH

APRESENTAMOS A REVISTA JOYTCE PASCOWITCH APRESENTAMOS A REVISTA JOYTCE PASCOWITCH /REVISTA JOYCE PASCOWITCH Comportamento, notícias exclusivas, tendências e personagens marcantes sempre passaram pelo olhar afiado e inteligente de Joyce Pascowitch.

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: dança; Merce Cunningham; composição coreográfica

PALAVRAS-CHAVE: dança; Merce Cunningham; composição coreográfica SACCOL, Débora Matiuzzi Pacheco. A composição em Merce Cunningham. Florianópolis: Udesc. Udesc; Mestranda em Teatro; orientadora Sandra Meyer. Bolsista Promop. RESUMO O presente artigo tem como objetivo

Leia mais

NADJA VLADI - Editora da revista Muito.

NADJA VLADI - Editora da revista Muito. NADJA VLADI - Editora da revista Muito. Jornalista, doutora em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Faculdade de Comunicação da UFBA. Atualmente atua como editora-coordenadora da revista Muito do

Leia mais

Os Amigos do Pedrinho

Os Amigos do Pedrinho elaboração: PROF. DR. JOSÉ NICOLAU GREGORIN FILHO Os Amigos do Pedrinho escrito por & ilustrado por Ruth Rocha Eduardo Rocha Os Projetos de Leitura: concepção Buscando o oferecimento de subsídios práticos

Leia mais

TECNOLOGIAS COMPUTACIONAIS APLICADAS AO ENSINO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO

TECNOLOGIAS COMPUTACIONAIS APLICADAS AO ENSINO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO 63 TECNOLOGIAS COMPUTACIONAIS APLICADAS AO ENSINO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO CARLOS FERNANDO DE ARAUJO JR 1 ÁDERSON GUIMARÃES PEREIRA 2 RESUMO O trabalho procura demonstrar que a aplicação das tecnologias

Leia mais

Computação nas nuvens (Vantagens)

Computação nas nuvens (Vantagens) Computação em Nuvem Computação em nuvem O conceito de computação em nuvem (em inglês, cloud computing) refere-se à possibilidade de utilizarmos computadores menos potentes que podem se conectar à Web e

Leia mais

Caro educador, um conjunto de critérios de seleção de obras literárias organizado pelo grupo de formadores do Projeto Entorno;

Caro educador, um conjunto de critérios de seleção de obras literárias organizado pelo grupo de formadores do Projeto Entorno; Caro educador, Nas páginas deste documento, você vai encontrar várias informações e materiais importantes para apoiar a realização dos projetos institucionais de leitura na sua escola: um conjunto de critérios

Leia mais

O PROJETO PASSO A PASSO

O PROJETO PASSO A PASSO O PROJETO PASSO A PASSO 4ª ETAPA: Elaboração do Texto Ao concluir a Etapa 3, você já reúne todas as informações necessárias para elaborar seu projeto de pesquisa. O texto do projeto terá a mesma estrutura

Leia mais

1 Tema: Interdisciplinaridade com a Arte - Simetria e Padrões

1 Tema: Interdisciplinaridade com a Arte - Simetria e Padrões UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Setor de Educação Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência PIBID/UFPR Projeto Interdisciplinar Pedagogia e Matemática PLANO DE AULA Projeto Literatura e Matemática

Leia mais

A LITERATURA INFANTOJUVENIL CONTEMPORÂNEA: ENTRE CARTAS E E-MAILS

A LITERATURA INFANTOJUVENIL CONTEMPORÂNEA: ENTRE CARTAS E E-MAILS A LITERATURA INFANTOJUVENIL CONTEMPORÂNEA: ENTRE CARTAS E E-MAILS Resumo: Prof. Dr. Diógenes Buenos Aires de Carvalho i (UEMA) O presente trabalho objetiva analisar a obra P.S. Beijei, de Adriana Falcão

Leia mais

APRESENTAÇÃO CIESP-CAMPINAS

APRESENTAÇÃO CIESP-CAMPINAS APRESENTAÇÃO CIESP-CAMPINAS O CIESP O CIESP, Centro das Indústrias do Estado de São Paulo, foi fundado em 1928 e reúne empresas indústriais, associações, bem como empresas que possuem atividades diretamente

Leia mais

As adivinhas são jogos de linguagem em que a relação entre fatos semânticos

As adivinhas são jogos de linguagem em que a relação entre fatos semânticos As adivinhas na relação ilustração-texto na literatura infantil 73 Kassandra da Silva Muniz * Resumo: Esta pesquisa se insere no projeto A organização textual interativa das adivinhações, coordenado pela

Leia mais

A INFORMAÇÃO E A FORMAÇÃO

A INFORMAÇÃO E A FORMAÇÃO A INFORMAÇÃO E A FORMAÇÃO BECK, Eliane Maria Cabral (UNIOESTE)² PALAVRAS-CHAVE: interpretação, interlocutor, contexto. Resumo: Pretende-se, com este trabalho, analisar a transmissão de informação expressa

Leia mais

HQ, INFORMÁTICA E DESENHO: INFORMANDO E DIVERTINDO.

HQ, INFORMÁTICA E DESENHO: INFORMANDO E DIVERTINDO. HQ, INFORMÁTICA E DESENHO: INFORMANDO E DIVERTINDO. Escola Estadual Antônio Ablas Filho Sala 4 / Sessão 1 Professor(es) Apresentador(es): Cibele Vale de Souza Branquinho Maria do Céu Leal Realização: Foco

Leia mais

O papel mediador da comunicação visual do livro didático para a criança

O papel mediador da comunicação visual do livro didático para a criança O papel mediador da comunicação visual do livro didático para a criança Melissa Haag Rodrigues 1 Resumo: O presente estudo tem por objetivo observar mais atentamente a comunicação visual do livro didático

Leia mais

Mova São Luís e a Experiência de um Movimento Social no Facebook 1

Mova São Luís e a Experiência de um Movimento Social no Facebook 1 Mova São Luís e a Experiência de um Movimento Social no Facebook 1 Ana Paula Pereira COELHO 2 Patrícia AZAMBUJA 3 Universidade Federal do Maranhão, São Luís, MA RESUMO Este trabalho foi realizado a partir

Leia mais

PRODUÇÃO COLETIVA DE CONHECIMENTO EM INVESTIGAÇÕES MATEMÁTICAS EM GRUPOS ONLINE

PRODUÇÃO COLETIVA DE CONHECIMENTO EM INVESTIGAÇÕES MATEMÁTICAS EM GRUPOS ONLINE Capítulo 5. Uso de los recursos tecnológicos en el proceso de aprendizaje de las matemáticas PRODUÇÃO COLETIVA DE CONHECIMENTO EM INVESTIGAÇÕES MATEMÁTICAS EM GRUPOS ONLINE Felipe Pereira Heitmann, Sueli

Leia mais

RIO 2016 & AS TRÊS GRAÇAS: AS MUITAS FACES

RIO 2016 & AS TRÊS GRAÇAS: AS MUITAS FACES RIO 2016 & AS TRÊS GRAÇAS: AS MUITAS FACES EM UMA MESMA IMAGEM Maria da Glória Weissheimer Professora-Tutora Externa Marinilse Netto Centro Universitário Leonardo da Vinci - UNIASSELVI Curso Artes Visuais

Leia mais

O novo projeto do Diario de Pernambuco

O novo projeto do Diario de Pernambuco O novo projeto do Diario de Pernambuco Na mais radical mudança de sua história, jornal faz reforma gráfica, unifica redações, lança novo site, cria blogs e se renova para o futuro. O Diario de Pernambuco

Leia mais

360º. da Construção. Visão. cobertura. Lorem ipsum dolor sit amet, cons ectetur adipiscing elit. Phasellus aliquet neque eu mi feugiat eget ante

360º. da Construção. Visão. cobertura. Lorem ipsum dolor sit amet, cons ectetur adipiscing elit. Phasellus aliquet neque eu mi feugiat eget ante Também distribuída para as maiores construtoras do Brasil Matéria de capa cobertura Lorem ipsum dolor sit amet, cons ectetur adipiscing elit. Phasellus aliquet neque eu mi feugiat eget ante Visão 360º

Leia mais

Projeto: TE Conhecer, aprender, saber...

Projeto: TE Conhecer, aprender, saber... Colégio Pe. João Bagozzi Formação de Educadores Tecnologias da Informação e da Comunicação - TICs http://blog.portalpositivo.com.br/ticbagozzi Projeto: TE Conhecer, aprender, 1 Objetivos e Atividades:

Leia mais

Pesquisas sobre leitura e biblioteca: um percurso de investigação e seus primeiros achados

Pesquisas sobre leitura e biblioteca: um percurso de investigação e seus primeiros achados 1 Pesquisas sobre leitura e biblioteca: um percurso de investigação e seus primeiros achados Renata Aliaga 1 Lilian Lopes Martin da Silva (Grupo ALLE- Alfabetização, Leitura e Escrita Programa de Pós Graduação

Leia mais

Arquivo Virtual da Geração de Orpheu. modernismo.pt. Os Problemas de Matemática de Almada Negreiros. Pedro J. Freitas e Simão Palmeirim Costa

Arquivo Virtual da Geração de Orpheu. modernismo.pt. Os Problemas de Matemática de Almada Negreiros. Pedro J. Freitas e Simão Palmeirim Costa Arquivo Virtual da Geração de Orpheu modernismo.pt Os Problemas de Matemática de Almada Negreiros Pedro J. Freitas e Simão Palmeirim Costa Artigo publicado no número especial do Boletim da Sociedade Portuguesa

Leia mais

PARECER TÉCNICO DA ATIVIDADE:

PARECER TÉCNICO DA ATIVIDADE: PARECER TÉCNICO DA ATIVIDADE: Encontro com o Livro no Colégio Coração de Maria Me. Maria Aparecida da Costa Bezerra - Bibliotecária escolar e universitária Resumo: O Colégio Coração de Maria proporciona

Leia mais

IMPACTO DA INTERNET PARA OS MOVIMENTOS SOCIAIS E PARA A ABORDAGEM DA MÍDIA TRADICIONAL

IMPACTO DA INTERNET PARA OS MOVIMENTOS SOCIAIS E PARA A ABORDAGEM DA MÍDIA TRADICIONAL IMPACTO DA INTERNET PARA OS MOVIMENTOS SOCIAIS E PARA A ABORDAGEM DA MÍDIA TRADICIONAL Lucas Arantes Zanetti 1, Caroline Kraus Luvizotto 2 Universidade Estadual Paulista UNESP, 1 FAAC Faculdade de Arquitetura,

Leia mais

A CRIADA PATROA Giovanni Battista Pergolesi. Programa Escola da Família Escolas da Rede Estadual de São Paulo

A CRIADA PATROA Giovanni Battista Pergolesi. Programa Escola da Família Escolas da Rede Estadual de São Paulo ÓPERA NA ESCOLA A CRIADA PATROA Giovanni Battista Pergolesi Direção Cênica Direção Geral Direção de Produção Serpina a criada Uberto o patrão Vespone o criado Livia Sabag Cléia Mangueira Florent Reard

Leia mais

Xixi na Cama. Cara Professora, Caro Professor,

Xixi na Cama. Cara Professora, Caro Professor, Xixi na Cama Cara Professora, Caro Professor, Estamos oferecendo a você e a seus alunos mais um livro da coleção Revoluções: Xixi na Cama, do autor mineiro Drummond Amorim. Junto com a obra, estamos também

Leia mais

Faltam boas entrevistas ao jornalismo diário brasileiro

Faltam boas entrevistas ao jornalismo diário brasileiro 1 www.oxisdaquestao.com.br Faltam boas entrevistas ao jornalismo diário brasileiro Texto de CARLOS CHAPARRO A complexidade dos confrontos da atualidade, em especial nos cenários políticos, justificaria

Leia mais