Energy for Smart Cities. Estoril, 29 de Novembro de 2012

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Energy for Smart Cities. Estoril, 29 de Novembro de 2012"

Transcrição

1 Smart Investments for Smart Cities Energy for Smart Cities Estoril, 29 de Novembro de 2012

2 Agenda Quem somos Mobilidade Ambiente O que querem os Consumidores de Mobilidade Reflexão conjunta sobre onde investir para atrair mais passageiros para o comboio

3 CP - A Opção de Mobilidade

4 Com Elegância e Conforto

5 Ligamos as principais cidades portuguesas

6 Com Rapidez Oriente 2 horas e 35 minutos Porto Entrecampos 2 horas e 53 minutos Faro

7 Ligamos as periferias com o Centro de Lisboa Azambuja/ Vila Franca de Xira Sintra/ Cacém/ Amadora Cascais/ Estoril/ Oeiras Setúbal/ Pinhal Novo / Barreiro

8 e com o Centro do Porto Braga Guimarães Caíde/ Marco de Canavezes Aveiro

9 Também Aqui Oferecemos Rapidez

10 Há Algum Modo de Transporte mais Rápido?

11 E Quanto a Sustentabilidade?

12 Ocupação de espaço urbano/ Congestionamento Um comboio da Linha de Sintra tem uma lotação de 1300 passageiros. Apenas um comboio equivale à ocupação de cerca de 800 automóveis. Em cada hora no período de ponta da manhã, circulam na direcção de Lisboa 10 comboios. A Linha de Sintra evita a entrada em Lisboa de cerca de automóveis por hora. Passageiros por comboio Automóveis em cada comboio Comboios por hora Automóveis que deixam de entrar em Lisboa por hora

13 Consumo de Energia A maioria dos comboios consome energia eléctrica

14 Mais Rede estivesse electrificada, melhor seria ainda a performance ambiental da CP! A Linha do Algarve, por exemplo, não está electrificada! Entre Lagos e Tunes e entre Faro e Vila Real de Santo António têm de circular comboios a diesel.

15 29 Locomotivas Eléctricas 56% da frota 158 Automotoras Eléctricas - 84% da frota regeneram a energia Material Circulante que devolve a energia à catenária pelo efeito da frenagem Principal Medida para Poupar Energia

16 Pegada de Carbono Em 2011 Emitimos menos ,2 Ton CO 2 equivalente do que em 2010

17 Uma comparação de pegadas Em ,93g CO 2 equivalente por passageiro/ Km Fiat ,7g CO 2 equivalente por Km (Fonte:

18 Poupança Papel 9, 01Ton Poupança água m3 Redução Resíduos - 6 Ton Outras Reduções

19 Vertente Social Na CP há total igualdade de oportunidades, independentemente do género, em todas as categorias profissionais Apostámos na divulgação da cultura ferroviária em congressos, exposições, formação, edição de livros e viagens de grupos Cuidámos cada vez melhor dos Clientes com necessidades especiais, tendo dado frutos o protocolo com diversas Entidades

20 Então o que está a falhar?

21 Apesar das acções realizadas Aposta nos eventos que mobilizem muitas pessoas, principalmente concertos para jovens Reestruturação da oferta para concentrar recursos onde a procura justifica o transporte de massas

22 Apesar das acções realizadas Venda de bilhetes de longo curso na internet Investimento na bilhética sem contacto para facilitar a vida ao Cliente- agora até pode comprar bilhetes e passes no Multibanco!

23 Porquê perdemos Procura? Entre 2000 e 2011 decréscimo próximo de de passageiros

24 Ouçamos os Consumidores de Mobilidade

25 Segmentos de Estudo Pendulares (Casa-Trabalho/Estudo) Curta Distância-Lazer Distância > 200Km-Trabalho Distância > 200Km-Lazer Utilizadores de todos os modos de transporte Método: Focus Groups efectuado por Consultor. Ano: Cliente: CP.

26 Valores Determinantes para a Escolha Modal Pendulares Trabalho Longa Distância Rapidez Disponibilidade e Flexibilidade (preferência pela seamless journey) Orientação tecnológica (quanto mais novo, melhor) Anti-Minimalismo (sem preocupações com o ambiente) Sem preocupações com o custo é a última variável a ser considerada na escolha do modo de transporte Lazer-Curta Distância Lazer Longa Distância

27 Aqui é que reside o problema! A rapidez A viagem contínua É necessário minorar os Transbordos Que nos leva ao nosso Tema de Debate precisamos de

28 Smart Investments For Smart Cities

29 O Consumidor quer rapidez e flexibilidade, a viagem de comboio é rápida, mas quanto às outras etapas? Acessos na origem A cargo da Autarquia de origem Estação e envolvente A cargo da REFER Acessos no destino A cargo da Autarquia de destino

30 Mas é necessário investir nos acessos pedonais A rapidez e a flexibilidade sentem-se na facilidade com que se entra no comboio. Sempre que possível, o passageiro deve poder vir a pé.

31 Se vier de bicicleta, o Cliente já hoje pode transportá-la gratuitamente em qualquer comboio. Mas quantas estações têm ligação directa a ciclovias?

32 Um exemplo: Monte Gordo A estação fica a cerca de 1,5 km da zona urbana. Há uma barreira forte que consiste na EN 125. Como era de esperar, apesar de tão perto de um pólo fortemente atractor de turismo (existe mesmo um parque de campismo!), a estação tem uma procura reduzida. Uma ciclovia até à estação é o investimento mínimo que se pode fazer aqui.

33 É nisto que consistem os Smart Investments Pequenos investimentos, passo a passo, local a local, para facilitar as acessibilidades às estações e, com isso melhorar a qualidade de vida dos Cidadãos. Ao aumentar a mobilidade em transportes públicos, reduzimos a pegada de carbono. Pequenos investimentos, que no seu todo, são muito mais úteis à Sociedade do que alguns grandes investimentos pensados ou já realizados. Deve-se investir onde há procura potencial e que apenas não utiliza o comboio por dificuldade de acesso.

34 Em que vectores actuar? Segurança das pessoas (sem assaltos e sem atropelamentos) Acessos pedonais e cicláveis às estações Acessos iluminados Bons acessos rodoviários Sinalética direccional (informando onde se localiza a estação) Capacidade de Parqueamento junto das Estações (e preços compatíveis com o Transporte Público) Modos de transporte de rebatimento às estações

35 Um bom exemplo - a inauguração de uma nova estação nos arredores de Lisboa E deste lado? Um magnífico edifício! Com um excelente aceso aos bairros deste lado da estação, na área de construção da REFER!

36 O acesso pedonal de um grande bairro à nova estação suburbana era este! A poucas semanas da inauguração!

37 Um final feliz Um pequeno investimento que teve um impacto significativo na população que ali mora! O apelo da CP à Autarquia originou a pavimentação e a colocação de iluminação mesmo antes da inauguração da estação.

38 E quanto à exploração dos investimentos já realizados? A capacidade de Parqueamento junto das Estações é imprescindível. Tem de ser parqueamento de longa duração (nunca parquímetros!) Tem de ter preços compatíveis com o Transporte Público. Se os preços forem demasiado elevados e for permitido o estacionamento ilegal nas imediações, o investimento nos parques foi inútil para a sociedade pois os parques ficam vazios. Os exemplos são inúmeros.

39 Há bons exemplos de modos de transporte de rebatimento às estações facultados pelas Autarquias bicas Cascais buscas Cascais Rodinhas Moscavide

40 Ou de parques de estacionamento

41 Ou facilidades para quem tem dificuldades de locomoção Algumas, muito simples e baratas

42 Tudo tem de ser feito para facilitar e agilizar o acesso ao comboio Rampas São mais baratas para construir e para manter E são mais fáceis e rápidas para os Clientes utilizarem

43 E evitar o que atrase o acesso Os elevadores ou as escadas rolantes, gastam energia, têm uma utilização lenta e são vandalizáveis

44 Mais lento ainda As escadas tradicionais são o requinte de malvadez para quem tenha dificuldades de locomoção

45 Mas ainda há muito para fazer Estação do Cacém Casal do Cotão S. Marcos Freguesia de S. Marcos - população residente de cerca de habitantes. Dois bairros - Casal do Cotão situa-se próximo da estação do Cacém. S. Marcos da estação de Massamá-Barcarena.

46 Mas ainda há muito para fazer IC19 Estação de Massamá- Barcarena O bairro de S. Marcos está a poucos metros da estação de Massamá-Barcarena. No entanto, existe uma enorme barreira a transpor, que é o IC19. O acesso é tão demorado que a maioria dos habitantes se desloca de automóvel.

47 Mesmo com bons exemplos ao lado São mais baratas para construir e para manter Estação do Cacém E são mais fáceis e rápidas para utilizar O bairro do Casal do Cotão ficou ligado por uma passagem superior ao IC19, que lhe permite o acesso, pedonal e rodoviário, à estação do Cacém.

48 No que diz respeito às acessibilidades às estações, o céu é o limite! Mas é um investimento que compensa!

49 É um Smart Investment. Cristina Prieto

A rua como elemento central da mobilidade urbana ciclável

A rua como elemento central da mobilidade urbana ciclável A rua como elemento central da mobilidade urbana ciclável 15 de Fevereiro de 2011 José M. Viegas Susana Castelo Mudança de paradigma Necessidade de : 1. Revisão do modelo de Predict & Provide, já que este

Leia mais

Sustentabilidade nas Deslocações Casa-Escola

Sustentabilidade nas Deslocações Casa-Escola Divisão de Mobilidade e Transportes Públicos Sustentabilidade nas Deslocações Casa-Escola SEMINÁRIO. 11 e 12 Julho 2011. CASTELO BRANCO Margarida Inês de Oliveira margarida_deoliveira@cm-loures.pt TRANSPORTE

Leia mais

OPTIMIZAR OS COMBOIOS SUBURBANOS DE LISBOA

OPTIMIZAR OS COMBOIOS SUBURBANOS DE LISBOA OPTIMIZAR OS COMBOIOS SUBURBANOS DE LISBOA Diagrama actual Rui Rodrigues Site: www.maquinistas.org (Ver Opinião) Email rrodrigues.5@netcabo.pt Data: Público, 13 de Junho de 2005 OPTIMIZAR OS COMBOIOS SUBURBANOS

Leia mais

A CP Lisboa e o Desenvolvimento Sustentável

A CP Lisboa e o Desenvolvimento Sustentável A CP Lisboa e o Desenvolvimento Sustentável CP Lisboa Unidade de Negócios da Comboios de Portugal E.P.E. Gestão de Transporte Ferroviário de passageiros na área metropolitana de Lisboa Prestar serviço

Leia mais

Boas Práticas de aplicação nacional. Planeamento da Mobilidade Urbana Sustentável 1º Workshop Algarve 27 de junho de 2014

Boas Práticas de aplicação nacional. Planeamento da Mobilidade Urbana Sustentável 1º Workshop Algarve 27 de junho de 2014 Boas Práticas de aplicação nacional Planeamento da Mobilidade Urbana Sustentável 1º Workshop Algarve 27 de junho de 2014 A. Modos Suaves Infraestruturas Rede ciclável Murtosa EcoPista do Dão Viseu/ Santa

Leia mais

MOVIMENTOS PENDULARES NA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA 1991-2001

MOVIMENTOS PENDULARES NA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA 1991-2001 Informação à Comunicação Social 25 de Fevereiro de 2003 MOVIMENTOS PENDULARES NA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA 1991-2001 Deslocações entre o local de residência e o local de trabalho / estudo PORTUGAL MINISTÉRIO

Leia mais

Estação central de coimbra

Estação central de coimbra central de coimbra N o v a i n t e r f a c e i n t e r m o d a l e P l a n o d e u r b a n i z a ç ã o ( e n t r a d a p o e n t e ) Na sua história recente tem sido muito influenciada pela localização

Leia mais

METRO DO PORTO. Melhoria da mobilidade. Foto do site da Bombardier

METRO DO PORTO. Melhoria da mobilidade. Foto do site da Bombardier METRO DO PORTO Melhoria da mobilidade Foto do site da Bombardier Rui Site: Rodrigues www.maquinistas.org (Ver Opinião) Email rrodrigues.5@netcabo.pt Data: Público, 15 de Dezembro de 2003 METRO DO PORTO

Leia mais

ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA FACTORES DE SUCESSO PARA O TRANSPORTE FERROVIÁRIO. CP LISBOA ENG.º ÓSCAR AMORIM Lisboa, 5 de Julho de 2007

ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA FACTORES DE SUCESSO PARA O TRANSPORTE FERROVIÁRIO. CP LISBOA ENG.º ÓSCAR AMORIM Lisboa, 5 de Julho de 2007 ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA FACTORES DE SUCESSO PARA O TRANSPORTE FERROVIÁRIO CP LISBOA ENG.º ÓSCAR AMORIM Lisboa, 5 de Julho de 2007 ÁREA DE ACTUAÇÃO A CP Lisboa é a Unidade de Negócio da CP responsável

Leia mais

A experiência da EMEL na adopção de veículos eléctricos

A experiência da EMEL na adopção de veículos eléctricos A experiência da EMEL na adopção de veículos eléctricos EMEL EMEL Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa, E.M. S.A., tem como objecto a gestão do estacionamento público no Município

Leia mais

Município de Torres Vedras

Município de Torres Vedras Município de Torres Vedras Reunião da Rede CiViTAS Espanha e Portugal Cidades Pequenas e Médias da Rede CiViTAS Espanha e Portugal. Torres Vedras, 5 de Março de 2012. MOBILIDADE SUSTENTÁVEL URBANA EM CIDADES

Leia mais

Metro. é o que mais agrada. Transportes públicos

Metro. é o que mais agrada. Transportes públicos é o que mais agrada O metro é um dos meios de transporte mais usados e que mais satisfaz os inquiridos. Já o autocarro desilude a elevada percentagem que o usa METRO DO PORTO A empresa que lidera na satisfação

Leia mais

Metro Sul do Tejo. Artigo de Opinião

Metro Sul do Tejo. Artigo de Opinião Metro Sul do Tejo Artigo de Opinião Neste artigo chama-se a atenção para as ineficiências do atual sistema de transportes públicos na zona de Almada, devida à descoordenação entre as carreiras do Metro

Leia mais

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro www.regiaodeaveiro.pt PIMT de Aveiro, Aveiro TIS.PT Transportes Inovação e Sistemas, S.A. 1 16 Breve enquadramento A Comunidade Intermunicipal

Leia mais

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes (PIMT) da Região de Aveiro. PIMT Região de Aveiro 1 16

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes (PIMT) da Região de Aveiro. PIMT Região de Aveiro 1 16 Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes (PIMT) da Região de Aveiro 1 16 Breve enquadramento A Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro (CIRA) decidiu desenvolver o Plano Intermunicipal de

Leia mais

2ª Reunião do National Supporting Group (NSG) - Projecto Ele.C.Tra. Lisboa, 13 de Junho de 2015

2ª Reunião do National Supporting Group (NSG) - Projecto Ele.C.Tra. Lisboa, 13 de Junho de 2015 2ª Reunião do National Supporting Group (NSG) - Projecto Ele.C.Tra Lisboa, 13 de Junho de 2015 EMEL EMEL Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa, E.M. S.A., tem como objecto a gestão

Leia mais

PORTAGENS AS NOVAS FRONTEIRAS DE LISBOA. Revista ACP TEMA DE CAPA ID: 27641689 01-11-2009

PORTAGENS AS NOVAS FRONTEIRAS DE LISBOA. Revista ACP TEMA DE CAPA ID: 27641689 01-11-2009 Pág: 12 Área: 19,57 x 24,59 cm² Corte: 1 de 7 CONSTITUEM-SE HOJE COMO QUE NOVAS FRONTEIRAS. EM RELAÇÃO A LISBOA, ESTÃO PERFEITAMENTE DEMARCADAS. FALAMOS DAS PORTAGENS QUE RODEIAM A CAPITAL, CONDICIONANDO

Leia mais

Sustentabilidade em Movimento no Oeste - Torres Vedras, 16-22 Setembro 2012

Sustentabilidade em Movimento no Oeste - Torres Vedras, 16-22 Setembro 2012 Sustentabilidade em Movimento no Oeste - Torres Vedras, 16-22 Setembro 2012 Localização e Território O Município de Torres Vedras localiza-se na costa oeste de Portugal e a sua cidade,torres Vedras, está

Leia mais

PROJECTO MOBILIDADE SUSTENTÁVEL ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DE CASTELO BRANCO

PROJECTO MOBILIDADE SUSTENTÁVEL ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DE CASTELO BRANCO PROJECTO MOBILIDADE SUSTENTÁVEL ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DE CASTELO BRANCO População concelho: 11 659 População Sede concelho: 2 134 (18%) Área: 1412,73 km2 Freguesias: 17 Intervenção nas seguintes

Leia mais

Apresentação Programas de Apoio

Apresentação Programas de Apoio Apresentação Programas de Apoio Índice Programa MOP APOIO SOCIAL Introdução Suportes para apoio Redes formatadas Descrição Tabela de custos Outros formatos Descrição Tabela de custos Contatos 2 4 5 7 12

Leia mais

Senhor Presidente do Instituto da Mobilidade e dos. Senhor Vereador da Câmara Municipal de Lisboa. Senhor Vereador da Câmara Municipal do Porto

Senhor Presidente do Instituto da Mobilidade e dos. Senhor Vereador da Câmara Municipal de Lisboa. Senhor Vereador da Câmara Municipal do Porto Senhor Presidente do Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres Senhor Vereador da Câmara Municipal de Lisboa Senhor Vereador da Câmara Municipal do Porto Senhores representantes das associações

Leia mais

What We re Doing For Cycling no município do Seixal

What We re Doing For Cycling no município do Seixal What We re Doing For Cycling no município do Seixal SEIXAL Seixal: 94 km2 158 269 habitantes 94 600 empregados e estudantes 47 800 ficam no concelho (50%) Seixal: 94 km2 158 269 habitantes 94 600 empregados

Leia mais

APRESENTAÇÃO ACORDO COMERCIAL

APRESENTAÇÃO ACORDO COMERCIAL APRESENTAÇÃO ACORDO COMERCIAL A CP LONGO CURSO celebra Acordos Comerciais para venda de bilhetes em regime de tarifário especial, proporcionando aos colaboradores e associados das Entidades a aquisição

Leia mais

Linha do Oeste. Comboios em Portugal (fotografia e história) (A Linha do Litoral Centro)

Linha do Oeste. Comboios em Portugal (fotografia e história) (A Linha do Litoral Centro) Comboios em Portugal (fotografia e história) Linha do Oeste (A Linha do Litoral Centro) Novembro de 2007 http://combport.pt.to Texto: João Pedro Joaquim Fotos: João Pedro Joaquim Embora actualmente seja

Leia mais

Plano de Mobilidade Sustentável de Vendas Novas. Relatório de Diagnóstico

Plano de Mobilidade Sustentável de Vendas Novas. Relatório de Diagnóstico Plano de Mobilidade Sustentável de Vendas Novas Relatório de Diagnóstico Setembro de 2007 Projecto: Projecto Mobilidade Sustentável Equipa Técnica: Av. Rovisco Pais, 1 Pav. Mecânica I, 2º andar 1049-001

Leia mais

Alargar os Horizontes -Visão CP -

Alargar os Horizontes -Visão CP - Alargar os Horizontes -Visão CP - Seminário de Transporte Ferroviário Porto, 1 de Outubro de 2009 Francisco Cardoso dos Reis Agenda Contexto Programa Transformação Estratégica CPmais Resultados 2008 Qualidade

Leia mais

Carris de ferro em Portugal

Carris de ferro em Portugal www.ocomboio.net Carris de ferro em Portugal Texto de António Alves (Abril 2009) Fotografias de Dario Silva Ponte São João (Porto~Gaia), Linha do Norte, 2006 Há 152 anos, em 28 de Outubro de 1856, foi

Leia mais

Nos últimos 15 anos mais de metade do espaço público da actual área urbana da cidade de Castelo Branco foi intervencionado.

Nos últimos 15 anos mais de metade do espaço público da actual área urbana da cidade de Castelo Branco foi intervencionado. Nos últimos 15 anos mais de metade do espaço público da actual área urbana da cidade de Castelo Branco foi intervencionado. No final dos anos 90 lançamos um projecto ambicioso de requalificação urbana

Leia mais

PROPOSTA DE ACORDO DE SERVIÇOS DE ALUGUER DE AUTOMÓVEIS SEM CONDUTOR AMCPN ASSOCIAÇÃO DE MORADORES E COMERCIANTES DO PARQUE DAS NAÇÕES

PROPOSTA DE ACORDO DE SERVIÇOS DE ALUGUER DE AUTOMÓVEIS SEM CONDUTOR AMCPN ASSOCIAÇÃO DE MORADORES E COMERCIANTES DO PARQUE DAS NAÇÕES PROPOSTA DE ACORDO DE SERVIÇOS DE ALUGUER DE AUTOMÓVEIS SEM CONDUTOR AMCPN ASSOCIAÇÃO DE MORADORES E COMERCIANTES DO PARQUE DAS NAÇÕES 14 DE NOVEMBRO DE 2011 IMP.DC.02 - Revisão: 1 16.01.2011 1 PROPOSTA

Leia mais

Mobilidade Sustentável em Meio Urbano

Mobilidade Sustentável em Meio Urbano Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Mobilidade Sustentável em Meio Urbano Quais as medidas para uma mobilidade sustentável? Amando Sousa Projeto FEUP 1ºANO MIEC: Francisco Piqueiro Equipa

Leia mais

CENTRO DE CONGRESSOS APTO PARA SERVIÇOS DE APOIO

CENTRO DE CONGRESSOS APTO PARA SERVIÇOS DE APOIO CENTRO DE CONGRESSOS APTO PARA SERVIÇOS DE APOIO Inserido no Parque de Congressos e Conferências Restauração Ciência e Tecnologia Foruns, Feiras e Exposições Agências bancárias - MB A 20 minutos de Lisboa

Leia mais

Gestão da mobilidade urbana

Gestão da mobilidade urbana Fernando Nunes da Silva Vereador da Mobilidade C. M. Lisboa Fernando Nunes da Silva OE Coimbra JAN 2013 JAN 13 Gestão da mobilidade urbana - dificuldades e soluções uma política de mobilidade para Lisboa:

Leia mais

Movimentos Pendulares e Organização do Território Metropolitano: Área Metropolitana de Lisboa e Área Metropolitana do Porto, 1991-2001

Movimentos Pendulares e Organização do Território Metropolitano: Área Metropolitana de Lisboa e Área Metropolitana do Porto, 1991-2001 26 de Setembro de 2003 Movimentos Pendulares e Organização do Território Metropolitano: Área Metropolitana de Lisboa e Área Metropolitana do Porto, 1991-2001 PORTUGAL A análise dos movimentos pendulares

Leia mais

A Cidade de Lisboa e os Grandes Desafios da Mobilidade Urbana Pedro Machado, CML/DMMT

A Cidade de Lisboa e os Grandes Desafios da Mobilidade Urbana Pedro Machado, CML/DMMT A Cidade de Lisboa e os Grandes Desafios da Mobilidade Urbana Pedro Machado, CML/DMMT Enquadramento Europeu Estratégia Europa 2020 (20x20x20) Livro Branco dos Transportes Livro Verde da Mobilidade Urbana

Leia mais

Como a política de transportes pode influenciar a qualidade do ar nas cidades

Como a política de transportes pode influenciar a qualidade do ar nas cidades Como a política de transportes pode influenciar a qualidade do ar nas cidades Gonçalo Homem de Almeida Rodriguez Correia (gcorreia@dec.uc.pt) Professor Auxiliar do Departamento de Engenharia Civil Universidade

Leia mais

PROMOÇÃO DA BICICLETA

PROMOÇÃO DA BICICLETA PROMOÇÃO DA BICICLETA E OUTROS MODOS SUAVES Porto, 21 de novembro de 2013 Congresso Internacional de Promoção da Mobilidade Suave O Problema A evolução da mobilidade em Portugal Predomínio crescente das

Leia mais

Analisando viagens a pé e por bicicletas na integração com transporte de massa

Analisando viagens a pé e por bicicletas na integração com transporte de massa Analisando viagens a pé e por bicicletas na integração com transporte de massa Fernanda Borges Monteiro, Vânia Barcellos Gouvêa Campos arqnandy@gmail.com; vania@ime.eb.br Instituto Militar de Engenharia

Leia mais

Integrar o Aeroporto Sá Carneiro na Linha de Velocidade Elevada Porto Galiza através da Linha de Leixões António Alves 10 01 2008

Integrar o Aeroporto Sá Carneiro na Linha de Velocidade Elevada Porto Galiza através da Linha de Leixões António Alves 10 01 2008 Integrar o Aeroporto Sá Carneiro na Linha de Velocidade Elevada Porto Galiza através da Linha de Leixões António Alves 10 01 2008 As grandes vantagens desta proposta são não pôr em causa o objectivo de

Leia mais

PROPOSTA DE EXPANSÃO DA PONTE ORCA: ENTRE O MUSEU DO IPIRANGA E A ESTAÇÃO ALTO DO IPIRANGA DO METRÔ RESUMO

PROPOSTA DE EXPANSÃO DA PONTE ORCA: ENTRE O MUSEU DO IPIRANGA E A ESTAÇÃO ALTO DO IPIRANGA DO METRÔ RESUMO PROPOSTA DE EXPANSÃO DA PONTE ORCA: ENTRE O MUSEU DO IPIRANGA E A ESTAÇÃO ALTO DO IPIRANGA DO METRÔ RESUMO Utilizando um modelo de transporte público existente, denominado Ponte Orca, gerenciado pela EMTU,

Leia mais

O Metro Ligeiro de Superfície

O Metro Ligeiro de Superfície UMA SOLUÇÃO DE TRANSPORTE O Metro Ligeiro de Superfície AÁrea Metropolitana de Lisboa poderá contar nos próximos anos com uma nova solução de transporte rápido para os concelhos limítrofes de Lisboa, e

Leia mais

Porto/Lisboa/Faro Lisboa / Braga. SERVIÇO INTERCIDADES Lisboa Porto /Guimarães Lisboa Guarda Lisboa Covilhã Lisboa Faro Lisboa Beja Lisboa Évora

Porto/Lisboa/Faro Lisboa / Braga. SERVIÇO INTERCIDADES Lisboa Porto /Guimarães Lisboa Guarda Lisboa Covilhã Lisboa Faro Lisboa Beja Lisboa Évora MAPA DA REDE SERVIÇO ALFA PENDULAR Porto/Lisboa/Faro Lisboa / Braga SERVIÇO INTERCIDADES Lisboa Porto /Guimarães Lisboa Guarda Lisboa Covilhã Lisboa Faro Lisboa Beja Lisboa Évora SERVIÇO ALFA PENDULAR

Leia mais

Requalificação da Frente Ribeirinha do Concelho de Vila Franca de Xira Polis & Polis XXI

Requalificação da Frente Ribeirinha do Concelho de Vila Franca de Xira Polis & Polis XXI Requalificação da Frente Ribeirinha do Concelho de Vila Franca de Xira Polis & Polis XXI Luís Matas de Sousa Director do Projecto de Requalificação Urbana da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira Área

Leia mais

especiais por ano, garantindo a máxima capacidade de transporte para jogos de futebol, concertos e outras celebrações de massas.

especiais por ano, garantindo a máxima capacidade de transporte para jogos de futebol, concertos e outras celebrações de massas. O Metro do Porto O Metro é um sistema de transportes públicos da Área Metropolitana do Porto e combina uma rede ferroviária subterrânea, no centro da cidade, com linhas à superfície em meio urbano e diversos

Leia mais

DIA SEM CARROS. Ou com adequados transportes colectivos?

DIA SEM CARROS. Ou com adequados transportes colectivos? Página 1/5 DIA SEM CARROS Ou com adequados transportes colectivos? Lisboa 21 de Setembro de 2011 Financiamento dos transportes colectivos nas áreas metropolitanas Façam-se as contas com transparência.

Leia mais

ECOXXI Galardão 2013 MODOS DE TRANSPORTE SUAVES EM TORRES VEDRAS

ECOXXI Galardão 2013 MODOS DE TRANSPORTE SUAVES EM TORRES VEDRAS ECOXXI Galardão 2013 MODOS DE TRANSPORTE SUAVES EM TORRES VEDRAS LOCALIZAÇÃO DE TORRES VEDRAS POPULAÇÃO O Município de Torres Vedras localiza-se na costa oeste de Portugal e a sua cidade,torres Vedras,

Leia mais

Combate as alterações climáticas. Reduz a tua pegada e muda o mundo!!

Combate as alterações climáticas. Reduz a tua pegada e muda o mundo!! Combate as alterações climáticas Reduz a tua pegada e muda o mundo!! O dióxido de carbono é um gás naturalmente presente na atmosfera. À medida que crescem, as plantas absorvem dióxido de carbono, que

Leia mais

Jornadas do Socialismo 2010 Braga, 28 e 29 de Agosto Heitor de Sousa, Economista de Transportes

Jornadas do Socialismo 2010 Braga, 28 e 29 de Agosto Heitor de Sousa, Economista de Transportes Jornadas do Socialismo 2010 Braga, 28 e 29 de Agosto Heitor de Sousa, Economista de Transportes 1 Pressupostos e condicionantes Estratégia de Mobilidade nacional para o transporte de passageiros e de mercadorias:

Leia mais

Governo quer cem mil passageiros diários na ligação Setúbal-Lisboa em 2005 INAUGURAÇÃO DO SERVIÇO DIRECTO ENTRE LISBOA E SETÚBAL Ministro das Obras Públicas incentivou os cidadãos a deixarem automóvel

Leia mais

CIDADES INTELIGENTES DIREITO DA ENERGIA RITA NORTE

CIDADES INTELIGENTES DIREITO DA ENERGIA RITA NORTE CIDADES INTELIGENTES DIREITO DA ENERGIA RITA NORTE CIDADES INTELIGENTES NOTAS INTRODUTÓRIAS As cidades - espaços de oportunidades, desafios e problemas Diagnóstico dos espaços urbanos: Transformação demográfica

Leia mais

MOB CARSHARING PROTOCOLOS

MOB CARSHARING PROTOCOLOS O QUE É O MOB CARSHARING A QUEM SE DESTINA VANTAGENS ECONÓMICAS VANTAGENS AMBIENTAIS MOB CARSHARING PARTICULARES MOB CARSHARING EMPRESAS MOB CARSHARING PROTOCOLOS COMO FUNCIONA A FROTA CONTACTOS 01 02

Leia mais

Mobilidade Sustentável

Mobilidade Sustentável Mobilidade Sustentável Eco-Condução e Planos de Mobilidade de Empresas e Pólos 1 Índice 1. Conceito de Mobilidade Sustentável 2. Eco-condução (+ económica, + segura, + confortável) a) Informação, Formação

Leia mais

INQUÉRITO À POPULAÇÃO DE BRAGANÇA

INQUÉRITO À POPULAÇÃO DE BRAGANÇA FACULDADE DE LETRAS UNIVERSIDADE DE LISBOA Mestrado em Geografia, Esp. em Urbanização e Ordenamento do Território O planeamento urbano e o ordenamento territorial estratégico: O papel das politicas de

Leia mais

São Paulo 2022. Metodologia de para monitoramento do comportamento da Cidade de São Paulo por Indicadores e Metas

São Paulo 2022. Metodologia de para monitoramento do comportamento da Cidade de São Paulo por Indicadores e Metas São Paulo 2022 Metodologia de para monitoramento do comportamento da Cidade de São Paulo por Indicadores e Metas Cidade Democrática, participativa e descentralizada Transformando São Paulo pela mudança

Leia mais

Plano Estratégico dos Transportes (2011-2015)

Plano Estratégico dos Transportes (2011-2015) JAN.2012 Plano Estratégico dos Transportes (2011-2015) Transportes Públicos de Passageiros Fernando Nunes da Silva Vereador da Mobilidade - Câmara Municipal de Lisboa Plano Estratégico de Transportes (2011

Leia mais

Prestação dos Transportes Públicos no Concelho de Loures Relatório dos Resultados do Questionário

Prestação dos Transportes Públicos no Concelho de Loures Relatório dos Resultados do Questionário Prestação dos Transportes Públicos no Concelho de Loures Relatório dos Resultados do Questionário Grupo de Trabalho para Transportes Públicos no Concelho Março de 2015 Relatório dos Resultados do Questionário

Leia mais

Guia para Elaboração de Planos de Mobilidade e Transportes (PMT)

Guia para Elaboração de Planos de Mobilidade e Transportes (PMT) Workshop Regional de Disseminação do Universidade de Évora, Évora, 24 de Abril de 2012 Guia para Elaboração de Planos de Mobilidade e Transportes (PMT) Faustino Gomes TIS.PT, Transportes, Inovação e Sistemas,

Leia mais

MUDAR PRÁTICAS DE DESLOCAÇÃO PLANO DE PROMOÇÃO DA BICICLETA E OUTROS MODOS SUAVES. Isabel Seabra

MUDAR PRÁTICAS DE DESLOCAÇÃO PLANO DE PROMOÇÃO DA BICICLETA E OUTROS MODOS SUAVES. Isabel Seabra MUDAR PRÁTICAS DE DESLOCAÇÃO PLANO DE PROMOÇÃO DA BICICLETA E OUTROS MODOS SUAVES Isabel Seabra 4ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA Preparar a Cidade para a Mobilidade do Futuro: Dos Modos Suaves à Mobilidade

Leia mais

Conheça os Seus Direitos de Passageiro

Conheça os Seus Direitos de Passageiro Conheça os Seus Direitos de Passageiro Índice Via Aérea... 2 Pessoas com deficiências e pessoas com mobilidade reduzida... 2 Embarque recusado... 2 Cancelamento... 2 Atrasos consideráveis... 2 Bagagem...

Leia mais

1. Conectividade. Conceito: É sair de casa e poder ir ao bairro do lado sem ter de dar grandes voltas.

1. Conectividade. Conceito: É sair de casa e poder ir ao bairro do lado sem ter de dar grandes voltas. 1. Conectividade Em que medida o ambiente urbano/pedonal dispõe de uma rede integrada que permite conectar origens e destinos, que passa, por exemplo, pela existência e continuidade de uma infra-estrutura

Leia mais

Cidade de Grenoble testa sistema público de partilha de viaturas Toyota i-road e Toyota COMS

Cidade de Grenoble testa sistema público de partilha de viaturas Toyota i-road e Toyota COMS Cidade de Grenoble testa sistema público de partilha de viaturas Toyota i-road e Toyota COMS # Grenoble, a cidade inteligente a partir de Outubro com a 'Citélib by Ha:mo', uma inovação recorrendo as últimas

Leia mais

INQUÉRITO A PASSAGEIROS INTERNACIONAIS DE CRUZEIRO PORTO DE LISBOA

INQUÉRITO A PASSAGEIROS INTERNACIONAIS DE CRUZEIRO PORTO DE LISBOA INQUÉRITO A PASSAGEIROS INTERNACIONAIS DE CRUZEIRO PORTO DE LISBOA 2011 1 INQUÉRITO A PASSAGEIROS INTERNACIONAIS DE CRUZEIRO INTRODUÇÃO Na continuidade do estudo que vem sendo realizado pelo, em conjunto

Leia mais

PRIO.E E MOBILIDADE ELÉTRICA EM PORTUGAL. João Dias Administrador Prio.E / Ex.Coordenador Programa para a Mobilidade Eléctrica em Portugal

PRIO.E E MOBILIDADE ELÉTRICA EM PORTUGAL. João Dias Administrador Prio.E / Ex.Coordenador Programa para a Mobilidade Eléctrica em Portugal PRIO.E E MOBILIDADE ELÉTRICA EM PORTUGAL João Dias Administrador Prio.E / Ex.Coordenador Programa para a Mobilidade Eléctrica em Portugal I. O DESAFIO Em Portugal, as emissões dos transportes rodoviários

Leia mais

ANET Associação Nacional dos Engenheiros Técnicos Associação de direito público Secção Regional Centro

ANET Associação Nacional dos Engenheiros Técnicos Associação de direito público Secção Regional Centro PROTOCOLO CP/EMPRESAS ANET SECÇÃO REGIONAL CENTRO Caro Colega, A ANET ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS ENGENHEIROS TÉCNICOS, SECÇÃO REGIONAL DO CENTRO celebrou protocolo com a CP LONGO CURSO para venda de bilhetes

Leia mais

Segunda Reunião sobre Ungulados Silvestres Ibéricos. Informação Útil

Segunda Reunião sobre Ungulados Silvestres Ibéricos. Informação Útil Informação Útil Como chegar? Departamento de Biologia da Universidade de Aveiro Coordenada GPS: 40º38 01-51 N 08º39 33,91 W Gerar itinerário: GoogleMaps (http://maps.google.com/, destino: Universidade

Leia mais

Políticas e Orientações para a Mobilidade Ciclável Isabel Seabra Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres (IMTT) Gabinete de Planeamento

Políticas e Orientações para a Mobilidade Ciclável Isabel Seabra Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres (IMTT) Gabinete de Planeamento Políticas e Orientações para a Mobilidade Ciclável Isabel Seabra Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres (IMTT) Gabinete de Planeamento Inovação e avaliação (GPIA) 1 Instituto da Mobilidade

Leia mais

ACORDO CP/EMPRESAS COM A ORDEM DOS MÉDICOS DENTISTAS

ACORDO CP/EMPRESAS COM A ORDEM DOS MÉDICOS DENTISTAS ACORDO CP/EMPRESAS COM A ORDEM DOS MÉDICOS DENTISTAS A CP LONGO CURSO celebrou protocolo com a ORDEM DOS MÉDICOS DENTISTAS para venda de bilhetes em regime de tarifário especial, proporcionando aos seus

Leia mais

PROJECTO PARA A CRIAÇÃO DE UMA REDE URBANA DE ENERGIA TÉRMICA NA BAIXA DO PORTO

PROJECTO PARA A CRIAÇÃO DE UMA REDE URBANA DE ENERGIA TÉRMICA NA BAIXA DO PORTO PROJECTO PARA A CRIAÇÃO DE UMA REDE URBANA DE ENERGIA TÉRMICA NA BAIXA DO PORTO O Vice-Presidente e Vereador do Ambiente da Câmara Municipal do Porto, Álvaro Castello-Branco, juntamente com o Administrador

Leia mais

Mobilidade e Acessibilidade Mobilidade e em pri ro ugar as PESSOAS Fevereiro 2009

Mobilidade e Acessibilidade Mobilidade e em pri ro ugar as PESSOAS Fevereiro 2009 Mobilidade e Acessibilidade em primeiro i lugar as PESSOAS Fevereiro 2009 Mobilidade e Acessibilidade Mobilidade para todos! Hierarquia dos utilizadores dos espaços públicos 1. Pessoas com mobilidade reduzida

Leia mais

PLANBELAS, S.A. Missão, Visão e Valores

PLANBELAS, S.A. Missão, Visão e Valores PLANBELAS, S.A. Missão, Visão e Valores Missão (razão de ser): Desenvolver projectos residenciais de referência, com uma visão de longo prazo, baseados em princípios de excelência, sustentáveis e integrados

Leia mais

APRESENTAÇÃO ACORDO COMERCIAL

APRESENTAÇÃO ACORDO COMERCIAL APRESENTAÇÃO ACORDO COMERCIAL A CP LONGO CURSO celebra Acordos Comerciais para venda de bilhetes em regime de tarifário especial, proporcionando aos colaboradores e associados das Entidades a aquisição

Leia mais

Depto. Engenharia Industrial Estudo sobre a Mobilidade Sustentável Diretrizes para o Município do Dr. Madiagne Diallo, Prof. Coordenador do Laboratório de Apoio à Decisão Coordenador de Assessoria Técnica

Leia mais

GUIA DE BOAS PRÁTICAS DE SUSTENTABILIDADE NA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA

GUIA DE BOAS PRÁTICAS DE SUSTENTABILIDADE NA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA GUIA DE BOAS PRÁTICAS DE SUSTENTABILIDADE NA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA 98 Projetos de Sustentabilidade Local 2013 Área Metropolitana de Lisboa Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova

Leia mais

RESUMO DAS OBRAS VISITADAS:

RESUMO DAS OBRAS VISITADAS: RESUMO DAS OBRAS VISITADAS: Bairro da Laje, freguesia de Porto Salvo: - Parque Urbano Fase IV Os Arranjos Exteriores do Parque Urbano Fase IV do bairro da Laje, inserem-se num vasto plano de reconversão

Leia mais

Eng.º José Pinto Leite

Eng.º José Pinto Leite Dia 27 de Maio Investimento e sustentabilidade Eng.º José Pinto Leite Programa Polis Congresso LIDER A 09 Sustentabilidade e o POLIS José Manuel Pinto Leite IST 27/05/2009 1 Sustentabilidade e o POLIS

Leia mais

Matosinhos: território de mobilidades

Matosinhos: território de mobilidades Matosinhos: território de mobilidades O desenvolvimento do tecido urbano, as alterações do modo de vida, a flexibilidade do automóvel particular, associada a uma oferta nem sempre satisfatória de transportes

Leia mais

MONTIJO, CIDADE SAUDÁVEL E SUSTENTÁVEL DA CICLOVIA A UMA REDE PEDONAL E CICLÁVEL

MONTIJO, CIDADE SAUDÁVEL E SUSTENTÁVEL DA CICLOVIA A UMA REDE PEDONAL E CICLÁVEL MONTIJO, CIDADE SAUDÁVEL E SUSTENTÁVEL DA CICLOVIA A UMA REDE PEDONAL E CICLÁVEL Identificação do ponto de partida: O Município de Montijo: - Integra a Rede Portuguesa das Cidades Saudáveis, com quatro

Leia mais

A Cidade Logística. Plataforma Logística do Poceirão

A Cidade Logística. Plataforma Logística do Poceirão A Cidade Logística Plataforma Logística do Poceirão Póvoa de Santa Iria, 03 de Dezembro 2009 1 1. Apresentação Integrado na rede de plataformas nacionais definida pelo Portugal Logístico será desenvolvido

Leia mais

ambithus Informação Prática COMO PROCEDER À INSCRIÇÃO? ORGANIZAÇÃO DA FORMAÇÃO INSCRIÇÕES EM GRUPO GARANTIA DE QUALIDADE CONTACTOS DA AMBITHUS

ambithus Informação Prática COMO PROCEDER À INSCRIÇÃO? ORGANIZAÇÃO DA FORMAÇÃO INSCRIÇÕES EM GRUPO GARANTIA DE QUALIDADE CONTACTOS DA AMBITHUS ambithus Informação Prática COMO PROCEDER À INSCRIÇÃO? ORGANIZAÇÃO DA FORMAÇÃO INSCRIÇÕES EM GRUPO GARANTIA DE QUALIDADE CONTACTOS DA AMBITHUS COMO CHEGAR À AMBITHUS? FICHA DE CANDIDATURA PARA A FORMAÇÃO

Leia mais

Freguesia: Agualva Concelho: Sintra Distrito: Lisboa

Freguesia: Agualva Concelho: Sintra Distrito: Lisboa Localização: Freguesia: Agualva Concelho: Sintra Distrito: Lisboa - 0/13 - Índice Capa... 0 Índice... 1 1 - Apresentação... 2 2 Objecto Descrito... 2 2.1 Referência ao Imóvel... 2 2.2 Âmbito do Negócio...

Leia mais

Câmara Municipal de Almeirim

Câmara Municipal de Almeirim Câmara Municipal de Almeirim Programa de Adesão SEMANA EUROPEIA DA MOBILIDADE 16 a 22 de Setembro de 2007 P r o g r a m a 1 - Aderindo à ECOTROCA ganhe viagens nos TUA (durante toda a semana): - Aderindo

Leia mais

Smart Cities em Portugal: Uma realidade emergente

Smart Cities em Portugal: Uma realidade emergente Smart Cities em Portugal: Uma realidade emergente Agenda Digital Local Formação Smart Cities 29 de Outubro de 2013 estrutura da apresentação Conceito de Smart City para além da tecnologia Smart Cities

Leia mais

DADOS DE MERCADO 2010/2011 HOLANDA + BÉLGICA

DADOS DE MERCADO 2010/2011 HOLANDA + BÉLGICA DADOS DE MERCADO 2010/2011 HOLANDA + BÉLGICA HÓSPEDES HOTELARIA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA (NUTSII) (Fonte: INE, PORTUGAL) HOLANDA Hóspedes hotelaria - AM Lisboa 82.600 78.557 75.546 76.601 75.636 74.305

Leia mais

RELATÓRIO. Os Comboios em Portugal

RELATÓRIO. Os Comboios em Portugal RELATÓRIO Os Comboios em Portugal Comboios de Mercadorias Grupo CIV212: Ana Correia José Henriques Luís Moreira Miguel Cunha Miguel Seixas Nuno Pereira 1 Resumo Sendo o tema do projecto Os Comboios em

Leia mais

ORÇAMENTO PARTICIPATIVO POR CASCAIS, PARTICIPO. /opcascais www.cm-cascais.pt. escolha o seu projeto e vote por SMS grátis.

ORÇAMENTO PARTICIPATIVO POR CASCAIS, PARTICIPO. /opcascais www.cm-cascais.pt. escolha o seu projeto e vote por SMS grátis. ORÇAMENTO PARTICIPATIVO POR CASCAIS, PARTICIPO. De 2 dez. a 5 de jan. 2014 escolha o seu projeto e vote por SMS grátis. Marcos Chuva Atleta Olímpico Salto em comprimento SAIBA MAIS: /opcascais www.cm-cascais.pt

Leia mais

Informações Úteis. Bilheteira. Recinto

Informações Úteis. Bilheteira. Recinto Informações Úteis 1 Informações Úteis Bilheteira Passe 3 dias: 50.00 Venda antecipada até ao dia 14 de Junho 45,00 Bilhete diário: 25.00 Bilhetes à venda na : Ticketline, CTT, Lojas FNAC, Worten, Espanha:

Leia mais

MAPA DE PARQUES E TARIFÁRIO

MAPA DE PARQUES E TARIFÁRIO MAPA DE PARQUES E TARIFÁRIO Combustível e parquímetro PARTICULARES MOB INDIVIDUAL Ter um carro para a vida toda já não se usa! O que se usa é o Mob Carsharing que lhe permite ter um carro diferente sempre

Leia mais

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE VILA FRANCA DE XIRA

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE VILA FRANCA DE XIRA Moção Contra a alteração de horários em defesa dos utentes do serviço público ferroviário Considerando que: Portugal tem assistido, pela mão dos sucessivos governos, ao aceleramento da ruína da ferrovia

Leia mais

Compromisso para o Crescimento Verde e Perspetivas do Alentejo 2020

Compromisso para o Crescimento Verde e Perspetivas do Alentejo 2020 Compromisso para o Crescimento Verde e Perspetivas do Alentejo 2020 Financiamentos Comunitários na Área do Ambiente e da Eficiência Energética Auditório António Chainho Santiago do Cacém 22/07/2015 Programa

Leia mais

O Sector do Transporte Rodoviário Colectivo de Passageiros

O Sector do Transporte Rodoviário Colectivo de Passageiros O Sector do Transporte Rodoviário Colectivo de Passageiros Uma Abordagem Valpi Sumário 1. Envolvente 2. Oportunidades 3. Abordagem Valpi Envolvente Repartição dos Modos Transporte na AMP 1991 2001 7,1

Leia mais

O papel da bicicleta na mobilidade urbana

O papel da bicicleta na mobilidade urbana O papel da bicicleta na mobilidade urbana 1870 Grand Bi James Starley França O automóvel continua a ser, na maioria das cidades portuguesas, o principal responsável pela ineficiência ambiental e pelo incumprimento

Leia mais

INTERVENÇÕES DE REGENERAÇÃO URBANA EM PORTUGAL

INTERVENÇÕES DE REGENERAÇÃO URBANA EM PORTUGAL INTERVENÇÕES DE REGENERAÇÃO URBANA EM PORTUGAL JESSICA KICK-OFF MEETING FÁTIMA FERREIRA mrferreira@ihru.pt POLÍTICA DE CIDADES NO ÂMBITO DO QREN - PORTUGAL PO Regional Programas integrados de regeneração

Leia mais

Layouts Balanceamento de Linhas. Maria Antónia Carravilla

Layouts Balanceamento de Linhas. Maria Antónia Carravilla Layouts Balanceamento de Linhas Maria Antónia Carravilla Abril 1998 1. Layouts... 1 1.1 Definição, tipos de layouts... 1 1.1.1 Definição... 1 1.1.2 Factores determinantes para a construção de um layout...

Leia mais

VISÃO SOBRE QUALIDADE DE VIDA AMBICIONADA PARA OEIRAS 2020

VISÃO SOBRE QUALIDADE DE VIDA AMBICIONADA PARA OEIRAS 2020 VISÃO SOBRE QUALIDADE DE VIDA AMBICIONADA PARA OEIRAS 2020 Habitação, Espaços Exteriores e Equipamentos A minha casa é muito confortável e sossegada. Já está paga porque beneficiei de um programa de requalificação

Leia mais

Princípios da nova visão de Mobilidade Urbana Mobilidade Sustentável

Princípios da nova visão de Mobilidade Urbana Mobilidade Sustentável Princípios da nova visão de Mobilidade Urbana Mobilidade Sustentável Diminuir a necessidade de viagens motorizadas: Posicionando melhor os equipamentos sociais, descentralizando os serviços públicos, ocupando

Leia mais

Investimento na Rede Ferroviária Nacional 2009-2013

Investimento na Rede Ferroviária Nacional 2009-2013 Investimento na Rede Ferroviária Nacional 2009-2013 Porto, 1 de Outubro de 2009 António Viana 2 Plano da Apresentação Missão OESF 2006 Investimentos 2009-2013 3 Missão da REFER Proporcionar ao mercado

Leia mais

A MOBILIDADE ELÉCTRICA

A MOBILIDADE ELÉCTRICA A MOBILIDADE ELÉCTRICA Contextualização As significativas alterações climáticas e o aumento do preço dos combustíveis sustentam um dos maiores desafios do século XXI - fiabilidade, segurança e sustentabilidade

Leia mais

ECOXXI 2011/2012 Indicador Mobilidade Sustentável

ECOXXI 2011/2012 Indicador Mobilidade Sustentável ECOXXI 2011/2012 Indicador Mobilidade Sustentável Gabinete de Planeamento Inovação e Avaliação Catarina Marcelino (cmarcelino@imtt.pt) http://www.imtt.pt APA, 14 de Fevereiro de 2012 Índice 1. Conceito

Leia mais

Projeto Viva a Alameda

Projeto Viva a Alameda Projeto Viva a Alameda Janeiro 2012 I. Enquadramento a. Política de Cidades o instrumento PRU b. Sessões Temáticas II. A PRU de Oliveira do Bairro a. Visão b. Prioridades Estratégicas c. Área de Intervenção

Leia mais

Autárquicas 2013. Recomendações da FPCUB às candidaturas autárquicas para uma Mobilidade Ciclável

Autárquicas 2013. Recomendações da FPCUB às candidaturas autárquicas para uma Mobilidade Ciclável 1/7 Autárquicas 2013 Recomendações da FPCUB às candidaturas autárquicas para uma Mobilidade Ciclável Nas cidades Europeias tem-se dado prioridade a Planos de Deslocações Urbanas que privilegiem uma mobilidade

Leia mais

Planos de Mobilidade e Transportes em Portugal e SUMP - conceitos

Planos de Mobilidade e Transportes em Portugal e SUMP - conceitos Planos de obilidade e Transportes em Portugal e SUP - conceitos IT, Gabinete de Planeamento, Inovação e Avaliação aria Isabel Seabra icseabra@imt ip.pt 4 de junho de 2015 Portugal e a obilidade Sustentável

Leia mais