A CP Lisboa e o Desenvolvimento Sustentável

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A CP Lisboa e o Desenvolvimento Sustentável"

Transcrição

1 A CP Lisboa e o Desenvolvimento Sustentável

2 CP Lisboa Unidade de Negócios da Comboios de Portugal E.P.E. Gestão de Transporte Ferroviário de passageiros na área metropolitana de Lisboa Prestar serviço de transporte ferroviário de passageiros eficiente e de alta qualidade na Área Metropolitana de Lisboa orientado para as expectativas e necessidades dos Clientes com uma dinâmica de inovação, salvaguardando a segurança e o ambiente, em articulação com as comunidades locais. 2

3 Como estamos Organizados 3

4 Onde atuamos Área Metropolitana de Lisboa Cerca de 3000 km 2 2,6 milhões habitantes 4

5 A nossa Área de Influência Prestamos um serviço de transporte ferroviário de passageiros em 4 Linha da Área Metropolitana de Lisboa Linha de Sintra Linha de Cascais Linha de Azambuja Linha do Sado 5

6 Operamos em Rede Linha de Sintra Linha de Azambuja Linha de Cascais Linha do Sado Pgn. 6 6

7 Os nossos Clientes maioritariamente do sexo feminino 24 anos e anos 7

8 Como Servimos o Mercado Produção de comboios suburbanos na Região de Lisboa Linhas Comboios Cks Sintra/Azambuja Cascais Sado CP Lisboa Em 2012 a CP Lisboa realizou comboios. Mais de 700 comboios em cada dia útil. 8

9 Como Servimos o Mercado A CP Lisboa transportou milhões de de passageiros em (Corresponde a 69% da oferta da CP.) A CPLX transportando diariamente tantos milhares de pessageiros para o trabalho ou escola, contribui assim de forma inegável para a produtividade Nacional. 9

10 Os Recursos Humanos Para assegurar a sua oferta de transportes a CPLX necessita de uma importante força de trabalho. Colaboradores ao serviço em Colaboradores Quant. Produção 527 Comercial 223 Estrutura 33 Efectivo Total 783 A CPLX com 783 trabalhadores, tem também um importante papel ao nível do emprego. 10

11 Os Resultados Volume de Negócio 76 Milhões Proveitos/Efectivo 97 mil Proveitos/passageiro.km 0,064 Gastos 84 Milhões 11

12 O Desenvolvimento Sustentável O Desenvolvimento Sustentável está relacionado com a opção de responder às necessidades das pessoas hoje, sem comprometer a capacidade de as gerações futuras responderem às suas próprias necessidades. Envolve: Uma visão integrada dos resultados sociais, ambientais e económicos. Uma perspetiva de longo prazo. Uma estratégia inclusiva. 12

13 Como Atuamos Na Operação de Produção de Comboios. Na Atividade Comercial. 13

14 A OPERAÇÃO 143 Km de via 80 Unidades Elétricas 212 mil comboios / ano: 739 / dia útil 345 / fim de semana 68 Estações 14

15 Linha de Sintra / Azambuja 87,5 km via Sistema de sinalização elétrico cantonamento automático / bloco orientável; Sistema de controle automático de velocidade (CONVEL) e tipo de corrente alternada 25 kv. 418 Comboios / dia útil 38 Estações 47 Unidades UQE s 2300 V. máxima: 120 Km /h 648 lugares (316 sentados) 10 Unidades UQE s 3500 V. máxima: 140 Km /h 886 lugares (476 sentados) 15

16 Linha de Cascais 24,5 km via Sistema de sinalização elétrico cantonamento automático; Sistema de controle automático de frenagem; Tipo de corrente: contínua 1500V. corrente 251 Comboios / dia útil 17 Estações 30 Unidades UQE s 3250 V. máxima: 90 Km /h 405 / 547 lugares (164 / 220 sentados) 16

17 Linha do Sado 33,8 km via Sistema de sinalização elétrico cantonamento automático / bloco orientável; Sistema de controle automático de velocidade (CONVEL) e tipo de corrente alternada 25 kv. 70 Comboios / dia útil 13 Estações 3 Unidades UQE s 2300/ Frenagem Regenerativa. Taxa de Recuperação: 35% Energia Gerada: 3,5 Kwh/Km por Veículo. V. máxima: 120 Km/h 648 lugares (316 sentados) 17

18 A Qualidade do Serviço Os principais indicadores de qualidade de um serviço ferroviário, prendem-se com a Pontualidade e com a Regularidade. Pontualidade. Percentagem de comboios que chegam ao destino com um atraso inferior a 3 minutos (Serv. Urbano). Regularidade. Percentagem de comboios que se realizam em relação aos que estavam programados. Pontualidade Linhas Sintra/Azambuja 89 % 82% Cascais 94% 94% Sado 92% 89% Regularidade Linhas Sintra/Azambuja 96% 94% Cascais 96% 95% Sado 98% 93% 18

19 A Atividade Comercial A CP Lisboa, tem vindo a adotar políticas comerciais dinâmicas e agressivas, potenciando o valor do negócio, promovendo a competitividade do comboio face ao transporte individual, estabelecendo acordos comerciais, parcerias, descontos, e implementando novos produtos, por forma a contribuir para a captação e fidelização de clientes e gerar receitas. 19

20 A Bilhética Sem Contacto Cartões com CHIP: Cartão Viva viagem Cartão Lisboa viva Cartão Viva Viagem para Títulos Ocasionais. Cartão Lisboa Viva para Títulos Mensais. 20

21 Canais de Venda Bilheteiras Máquinas Multibanco Informatizadas. Horários Específicos. Modos de Pagamento: Moedas, Notas e Multibanco. Disponíveis 24h / dia. Modos de Pagamento: Moedas, Notas e Multibanco. Disponíveis 24h / dia. Rede Alargada de ATM s. 21

22 Controlo de Títulos de Transporte Equipamento do revisor Validadores Gates EPVC: Permite a Leitura e Venda de Títulos de Transpote sem contacto. Validação de Títulos de Transporte sem contacto. Validação de Títulos de Transporte sem contacto. 22

23 Os Diversos Títulos de Transporte Ocasionais Bilhetes que necessitam de ser validados antes de cada utilização. Bilhete Simples. Bilhete 10 Viagens. Zapping (Bilhete Modimodal). Mensais Assinaturas CP (Normal e Estudante). Passes Combinados. Passes Intermodais (Sociais). Passe Social +. Passe 4/18 e Sub 23 23

24 Outros Títulos de Transporte Bilhete de Família. Segmento-alvo: Famílias que viajam em lazer, ao fimde-semana. Vantagens: Pode viajar por um número ilimitado de viagens até ao final do dia. É muito económico. Válido para famílias de 3 a 9 pessoas, que viajem em conjunto. 24

25 Outros Títulos de Transporte Bilhete CP24. Segmento-alvo: Clientes que utilizam ocasionalmente o comboio, sobretudo turistas. Vantagens: Permite a realização de inúmeras viagens, no percurso definido, durante 24 horas, após a validação. 25

26 Outros Títulos de Transporte Viagens de Grupo. PROMOÇÃO 1 São oferecidos benefícios a este tipo de grupos (descontos, acompanhamento da viagem, bilhete único, ). 1 por uma viagem de Ida e Volta, nas Linhas de Sintra, Cascais, Azambuja e Sado (2 acompanhantes por cada 15 crianças/jovens). Mínimo 15 crianças/jovens (Até aos 18 anos). 26

27 Outros Títulos de Transporte Viagens de Grupo. PROMOÇÃO 1 As Viagens de Grupo tem sido divulgadas nas Escolas, como forma de facilitar a realização de Visitas de Estudo. 27

28 Novos Processos de Venda E-requisição Permite a várias Entidades e Empresas requisitarem online bilhetes ou passes para os seus colaboradores. Requisição de títulos de transporte com 30 dias de antecedência. Indispensável efectuar o levantamento do título requisitado antes do início da viagem.. 28

29 Novos Processos de Venda (Inovação) Portal Viva (OTLIS) Projecto que visa agilizar e facilitar o uso dos transportes públicos, permitindo a Clientes e Empresas: Efectuar pedido de cartões. Efectuar carregamento de títulos de transporte. Consultar os movimentos do cartão. 29

30 Novos Processos de Venda (Inovação) Cartão Bancário (OTLIS) Projecto que consiste na criação de um cartão com valência bancária e de transportes. Ao passar por um validador, efectua de imediato o débito na conta do cliente. Regista no próprio cartão a existência do título e a sua validade. 30

31 Novos Processos de Venda (Inovação) Mobile Ticketing (OTLIS) Projecto que consiste na utilização do telemóvel como cartão de transporte. Permite aos utilizadores a aquisição pelo telemóvel do passe mensal e do seu armazenamento no chip do telemóvel. Permite a validação do título de transporte, mesmo sem bateria no telemóvel. 31

32 Como Ouvimos os Nossos Clientes GAC Gabinete de Apoio ao Cliente. Os Gabinetes de Apoio ao Cliente têm como objectivo prestar apoio e esclarecer dúvidas aos clientes. A CP Lisboa têm dois GAC s, um no Rossio e outro no Cais do Sodré. 32

33 Como Ouvimos os Nossos Clientes Call Center É uma linha de atendimento telefónico que presta informações sobre produtos e serviços CP

34 Como Ouvimos os Nossos Clientes Quais os canais que os Clientes utilizam para reclamar? Formulário Sugestões/Reclamações: -Em qualquer estação ou Gabinete de Apoio ao Cliente. - Pode enviar pelo correio. Livro de reclamações: - Em qualquer estação ou Gabinete de Apoio ao Cliente. Site CP: -www.cp.pt 34

35 Ações de Comunicação A CP Lisboa, seguindo uma estratégia de comunicação de produtos e serviços, direcionada aos diferentes segmentos de mercado, tem procurado promover o comboio como um meio de transporte competitivo. Na comunicação tem privilegiado os meios de grande abrangência, nomeadamente os digitais, e espaços próprios que impactam milhares de contactos, como são os comboios e as estações. 35

36 Ações de Comunicação - flyers 36

37 Ações de Comunicação Internet Média diária de visitas:

38 Ações de Comunicação Presenças Comerciais Jovens Core business Infantil 38

39 Ações de Comunicação - Comboios Flash Mob Conferências de Imprensa Aluguer de Carruagens - Festas e Grupos Tarifas Especias 39

40 Desenvolvimento de Parcerias A CP Lisboa tem procurado estabelecer um diálogo permanente com as comunidades locais, nomeadamente com as Autarquias, estabelecendo Parcerias, tendo em vista a divulgação de Eventos e a promoção do comboio como um meio de transporte acessível, competitivo, económico, confortável, seguro e amigo do ambiente. Objectivos: Fidelizar os atuais clientes e captar novos clientes; Aumentar as vendas e receitas; Reforçar a ativação da marca no exterior; Aumentar a notoriedade da CP. 40

41 No âmbito Autárquico da Linha do Sado C. M. do Barreiro. C. M. da Moita. C. M. de Palmela. C. M. de Setúbal. 41

42 No âmbito da Responsabilidade Social Programa em parceria com a C.M. Cascais com vista a promover a ocupação dos tempos livres dos jovens nas férias de verão, fomentando o espirito comunitário. 42

43 No âmbito da Cultura 43

44 No âmbito de Atividades de Lazer 44

45 No âmbito de Espetáculos de Música 45

46 No âmbito do Ambiente e da Mobilidade 46

47 No âmbito do Desporto 47

48 Alteração Tarifária Zonamento Bilhetes /Assinaturas 48

49 Alteração Tarifária Anterior Sistema Tarifário: Baseado num conceito de Linha com origem / destino fixos. Com vários quadros de percursos (por linhas). 5 quadros de percurso diferentes! Sistema demasiado rígido e incoerente. L.Azambuja L.Sintra L.Cascais L.Sado 4 49

50 Alteração Tarifária Novo Sistema Tarifário: Baseado num conceito de Rede. O Cliente é o centro e paga de acordo com o número de zonas em que circula, independentemente da linha ou percurso. Implementação de uma zona única para o centro de Lisboa. Sistema simplificado e com maior equidade 50

51 Alteração Tarifária Modelo Anterior RIGIDEZ O cliente tem de adquirir um título com origem e destino pré-definidos INCOERÊNCIA Inexistência de uma regra claras para construção dos preços COMPLEXIDADE Preços variáveis para percursos entre estações localizadas em Lisboa Existência de cinco quadros de percurso distintos Novo Modelo FLEXIBILIDADE O Cliente adquire um título com X zonas que lhe permite viajar entre qualquer origem e destino em que essas zonas sejam válidas COERÊNCIA Regras para a construção de preços o Cliente paga de acordo com a utilização SIMPLIFICAÇÃO Tarifário único em Lisboa Integração com o tarifário dos outros Operadores da AML 51

52 Um Exemplo de Modernização e Sustentabilidade Alhos Vedros Barreiro Pinhal Novo 52

53 A Modernização da Linha do Sado A 14 de Dezembro de 2008: Electrificação do troço Barreiro / Pinhal Novo Novos Comboios. Novos Horários. Remodeladas as Estações. Modernizado o Sistema de Vendas. Em 2009 a procura aumentou 6% 53

54 A Modernização da Linha do Sado Antes: Material Diesel (7 Unidades) Antigo Avarias frequentes Desnivelamento entre as portas e as plataformas Sem informação a bordo 496 lugares 54

55 Modernidade e conforto dos Comboios Depois: Material eléctrico (3 Unidades) Ar condicionado Videovigilância Nivelamento entre a porta e a plataforma Informação sonora e escrita a bordo 648 lugares 55

56 Modernidade e conforto dos Comboios Informação sonora nos comboios informação sobre a próxima paragem informação prestada pelos maquinistas, quando necessário Informação estática nos comboios Molduras Diagramas da rede Painéis electrónicos: indicadores destino, próxima paragem

57 Rapidez Frequência: - Horas ponta: 30/30 min. - Outros períodos: 1h/1h Redução de 34% Tempo viagem Tempos de trajecto: Antes Depois Praias do Sado Barreiro 58 min. 38 min. -20 min. Setúbal Barreiro 48 min. 30 min. -18 min. Barreiro Pinhal Novo 25 min. 18 min. -7 min. 57

58 Estações renovadas Estações novas, com melhores condições de acessibilidade e conforto. Alhos Vedros Barreiro Pinhal Novo 58

59 Parques de Estacionamento A mobilidade nos espaços urbanos está hoje marcada pela utilização crescente do transporte individual. É necessário criar condições para incentivar a utilização do transporte coletivo. O Estacionamento é uma das principais variáveis que condiciona a escolha modal. Barreiro Parques de Estacionamento junto às estações facilita a Intermodadidade. 59

60 Interfaces Um Interface é uma infraestrutura de grande importância para a utilização do transporte público. Com a integração da Estação Ferroviária no Terminal Fluvial do Barreiro, melhorou-se a Intermodalidade. Permite multiplicar as alternativas modais de cada cliente. Ao permitir a transferência modal, cria o efeito de Rede. 60

61 Maior Frequência de Comboios Em Março de 2010 entrou em vigor um novo horário na Linha do Sado. Os comboios passaram a ter um frequência de 30 em 30 minutos. Foram introduzidos mais 16 comboios por dia útil. Em 2010 a procura aumentou 11% 61

62 Mobilidade Sustentável O conceito de Mobilidade Sustentável, pressupõe que os cidadãos disponham de condições de escolha de acessibilidades e mobilidade que lhes proporcionem: Deslocações seguras. Com conforto. Com tempos aceitáveis. Com custos acessíveis. Com eficiência energética. Com impactos ambientais reduzidos. 62

63 Transporte de Bicicletas Com vista a criar um impacto positivo na sociedade e melhorar a intermodalidade a CP Lisboa instalou vários parque de estacionamento para bicicletas em algumas estações da Área Metropolitana de Lisboa. Gratuito; Sem restrições horárias de utilização; Comboios adaptados para transporte de bicicletas. 63

64 Serviço SIM É um Serviço de Apoio a Clientes com Necessidades Especiais, centralizado através de uma linha telefónica ( ). Foi também criado um tarifário próprio para os Clientes com Necessidades Especiais, tarifa 2 por 1. Permite que os acompanhantes de pessoas com incapacidade igual ou superior a 80%, viaje de forma gratuita. Implementado o atendimento prioritário em todas as bilheteiras e colocada sinalética própria para o efeito. 64

65 ECOviagem CP A CP desenvolveu o primeiro simulador ambiental do sector de transportes em Portugal, ECOviagem CP, dando a conhecer a sua eficiência energética e induzindo comportamentos ecologicamente mais responsáveis nos seus clientes. 65

66 66

67 Considerações Finais A CP Lisboa tem vindo a desenvolver a sua atividade com base na mobilidade sustentável, com continua preocupação de racionalização dos seus meios de produção, rigor na utilização dos recursos, aposta na inovação, compromisso com a responsabilidade social e desenvolvimento de uma cultura ambiental integrada na gestão da Organização. 67

68 OBRIGADO

ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA FACTORES DE SUCESSO PARA O TRANSPORTE FERROVIÁRIO. CP LISBOA ENG.º ÓSCAR AMORIM Lisboa, 5 de Julho de 2007

ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA FACTORES DE SUCESSO PARA O TRANSPORTE FERROVIÁRIO. CP LISBOA ENG.º ÓSCAR AMORIM Lisboa, 5 de Julho de 2007 ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA FACTORES DE SUCESSO PARA O TRANSPORTE FERROVIÁRIO CP LISBOA ENG.º ÓSCAR AMORIM Lisboa, 5 de Julho de 2007 ÁREA DE ACTUAÇÃO A CP Lisboa é a Unidade de Negócio da CP responsável

Leia mais

O passado, o presente e o futuro TIP, TRANSPORTES INTERMODAIS DO PORTO

O passado, o presente e o futuro TIP, TRANSPORTES INTERMODAIS DO PORTO ANDANTE O passado, o presente e o futuro TIP, TRANSPORTES INTERMODAIS DO PORTO ANDANTE o passado... 3 TIP, ACE Consórcio constituído em 2002 Membros: Metro do Porto, STCP, CP 4 Andante - A coragem de inovar

Leia mais

ACORDO AIMINHO COM A CP/EMPRESAS. MANUAL de UTILIZAÇÃO

ACORDO AIMINHO COM A CP/EMPRESAS. MANUAL de UTILIZAÇÃO ACORDO AIMINHO COM A CP/EMPRESAS MANUAL de UTILIZAÇÃO Abril de 2009 ACORDO AIMINHO COM A CP/EMPRESAS MANUAL de UTILIZAÇÃO A AIMinho celebrou um Acordo Comercial com a CP Caminhos de Ferro Portugueses que

Leia mais

ACORDO CP/EMPRESAS COM A ORDEM DOS MÉDICOS DENTISTAS

ACORDO CP/EMPRESAS COM A ORDEM DOS MÉDICOS DENTISTAS ACORDO CP/EMPRESAS COM A ORDEM DOS MÉDICOS DENTISTAS A CP LONGO CURSO celebrou protocolo com a ORDEM DOS MÉDICOS DENTISTAS para venda de bilhetes em regime de tarifário especial, proporcionando aos seus

Leia mais

ACORDO COMERCIAL CELEBRADO ENTRE A CP CAMINHOS DE FERRO PORTUGUESES, E.P., E A CÂMARA DE COMÉRCIO E INDÚSTRIA LUSO-ALEMÃ

ACORDO COMERCIAL CELEBRADO ENTRE A CP CAMINHOS DE FERRO PORTUGUESES, E.P., E A CÂMARA DE COMÉRCIO E INDÚSTRIA LUSO-ALEMÃ ACORDO COMERCIAL CELEBRADO ENTRE A CP CAMINHOS DE FERRO PORTUGUESES, E.P., E A CÂMARA DE COMÉRCIO E INDÚSTRIA LUSO-ALEMÃ A CP compromete-se a vender títulos de transporte para todos os comboios Alfa Pendular

Leia mais

METRO DO PORTO. Melhoria da mobilidade. Foto do site da Bombardier

METRO DO PORTO. Melhoria da mobilidade. Foto do site da Bombardier METRO DO PORTO Melhoria da mobilidade Foto do site da Bombardier Rui Site: Rodrigues www.maquinistas.org (Ver Opinião) Email rrodrigues.5@netcabo.pt Data: Público, 15 de Dezembro de 2003 METRO DO PORTO

Leia mais

ACORDO CP/ ORDEM DOS ARQUITECTOS SECÇÃO REGIONAL NORTE

ACORDO CP/ ORDEM DOS ARQUITECTOS SECÇÃO REGIONAL NORTE CP / ACORDOS COMERCIAIS ACORDO CP/ ORDEM DOS ARQUITECTOS SECÇÃO REGIONAL NORTE A CP LONGO CURSO celebrou um Acordo Comercial com a SECÇÃO REGIONAL NORTE DA ORDEM DOS ARQUITECTOS para venda de bilhetes

Leia mais

Energy for Smart Cities. Estoril, 29 de Novembro de 2012

Energy for Smart Cities. Estoril, 29 de Novembro de 2012 Smart Investments for Smart Cities Energy for Smart Cities Estoril, 29 de Novembro de 2012 Agenda Quem somos Mobilidade Ambiente O que querem os Consumidores de Mobilidade Reflexão conjunta sobre onde

Leia mais

Política Tarifária nos Sistemas de Transporte Público

Política Tarifária nos Sistemas de Transporte Público Grupo Parlamentar PROJECTO-LEI N.º /X Política Tarifária nos Sistemas de Transporte Público Exposição de Motivos Nas sociedades actuais a mobilidade das populações é cada vez maior. A política de transportes

Leia mais

ANET Associação Nacional dos Engenheiros Técnicos Associação de direito público Secção Regional Centro

ANET Associação Nacional dos Engenheiros Técnicos Associação de direito público Secção Regional Centro PROTOCOLO CP/EMPRESAS ANET SECÇÃO REGIONAL CENTRO Caro Colega, A ANET ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS ENGENHEIROS TÉCNICOS, SECÇÃO REGIONAL DO CENTRO celebrou protocolo com a CP LONGO CURSO para venda de bilhetes

Leia mais

Inovar com o Sistema VIVA

Inovar com o Sistema VIVA Inovar com o Sistema VIVA Novas Soluções de Venda de Títulos de Transporte OTLIS, ACE / Miguel Brito da Silva Agenda 1. O Consórcio OTLIS 2. O Sistema VIVA 3. Desafios OTLIS VIVA: melhorar a experiência

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE TRANSPORTE DOS SERVIÇOS DA CP

CONDIÇÕES GERAIS DE TRANSPORTE DOS SERVIÇOS DA CP CONDIÇÕES GERAIS DE TRANSPORTE DOS SERVIÇOS DA CP 01.10.2013 INDICE INTRODUÇÃO... 4 CAPÍTULO I PRESTAÇÃO DO SERVIÇO... 5 I.1 DEFINIÇÃO DA OFERTA COMERCIAL DOS SERVIÇOS DA CP... 5 I.1.1. Serviços Alfa Pendular,

Leia mais

5º Encontro Transportes em Revista

5º Encontro Transportes em Revista 5º Encontro Transportes em Revista Transportes factor de inclusão social António Proença Administrador-Delegado 1 O que é a OTLIS? É um ACE (Agrupamento Complementar de Empresas) formado por 7 Operadores

Leia mais

ACORDO CP/ ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS ENGENHEIROS TÉCNICOS

ACORDO CP/ ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS ENGENHEIROS TÉCNICOS ACORDO CP/ ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS ENGENHEIROS TÉCNICOS A CP LONGO CURSO celebrou um acordo comercial com a ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS ENGENHEIROS TÉCNICOS (ANET) para venda de bilhetes em regime de tarifário

Leia mais

Plano Estratégico dos Transportes (2011-2015)

Plano Estratégico dos Transportes (2011-2015) JAN.2012 Plano Estratégico dos Transportes (2011-2015) Transportes Públicos de Passageiros Fernando Nunes da Silva Vereador da Mobilidade - Câmara Municipal de Lisboa Plano Estratégico de Transportes (2011

Leia mais

APRESENTAÇÃO ACORDO COMERCIAL

APRESENTAÇÃO ACORDO COMERCIAL APRESENTAÇÃO ACORDO COMERCIAL A CP LONGO CURSO celebra Acordos Comerciais para venda de bilhetes em regime de tarifário especial, proporcionando aos colaboradores e associados das Entidades a aquisição

Leia mais

Casa da América Latina. Empresa Pública Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa, E.E.M.

Casa da América Latina. Empresa Pública Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa, E.E.M. Casa da América Latina Empresa Pública Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa, E.E.M. 2013.04.18 Lisboa, Portugal A Cidade de Lisboa A Cidade de Lisboa População : 500.000 habitantes; 2 milhões

Leia mais

APRESENTAÇÃO ACORDO COMERCIAL

APRESENTAÇÃO ACORDO COMERCIAL APRESENTAÇÃO ACORDO COMERCIAL A CP LONGO CURSO celebra Acordos Comerciais para venda de bilhetes em regime de tarifário especial, proporcionando aos colaboradores e associados das Entidades a aquisição

Leia mais

ENEC 2011 - Encontro Nacional de Engenharia Civil

ENEC 2011 - Encontro Nacional de Engenharia Civil ENEC 2011 - Encontro Nacional de Engenharia Civil Sistema Ferroviário: Estagnação ou Desenvolvimento? Alberto Castanho Ribeiro Porto, 21 de Maio de 2011 Estrutura 1. Evolução do Caminho de Ferro 2. Desafios

Leia mais

A MOBILIDADE URBANA E A SUSTENTABILIDADE DAS CIDADES. Opções da União Europeia e posição de Portugal

A MOBILIDADE URBANA E A SUSTENTABILIDADE DAS CIDADES. Opções da União Europeia e posição de Portugal A MOBILIDADE URBANA E A SUSTENTABILIDADE DAS CIDADES Opções da União Europeia e posição de Portugal 1 I Parte - O Plano de Acção da EU Plano de Acção para a Mobilidade Urbana Publicado pela Comissão Europeia

Leia mais

Dossier de Imprensa. rumbo

Dossier de Imprensa. rumbo Dossier de Imprensa rumbo Janeiro 2012 Rumbo, líder em viagens online A empresa é participada em 50% pela Telefónica e pela Orizonia. Criada no ano 2000, e desde o seu inicio que a inovação tecnológica

Leia mais

Dossier de Imprensa. rumbo

Dossier de Imprensa. rumbo Dossier de Imprensa rumbo Novembro 2011 Rumbo, líder em viagens online A empresa é participada em 50% pela Telefónica e pela Orizonia. Criada no ano 2000, e desde o seu inicio que a inovação tecnológica

Leia mais

OPTIMIZAR OS COMBOIOS SUBURBANOS DE LISBOA

OPTIMIZAR OS COMBOIOS SUBURBANOS DE LISBOA OPTIMIZAR OS COMBOIOS SUBURBANOS DE LISBOA Diagrama actual Rui Rodrigues Site: www.maquinistas.org (Ver Opinião) Email rrodrigues.5@netcabo.pt Data: Público, 13 de Junho de 2005 OPTIMIZAR OS COMBOIOS SUBURBANOS

Leia mais

Conheça os Seus Direitos de Passageiro

Conheça os Seus Direitos de Passageiro Conheça os Seus Direitos de Passageiro Índice Via Aérea... 2 Pessoas com deficiências e pessoas com mobilidade reduzida... 2 Embarque recusado... 2 Cancelamento... 2 Atrasos consideráveis... 2 Bagagem...

Leia mais

MOVIMENTO MENOS UM CARRO PEDALAR NUMA CIDADE COM SETE COLINAS

MOVIMENTO MENOS UM CARRO PEDALAR NUMA CIDADE COM SETE COLINAS GETTYIMAGES MOVIMENTO MENOS UM CARRO PEDALAR NUMA CIDADE COM SETE COLINAS ENQUADRAMENTO > O transporte público e, em especial, o transporte urbano rodoviário, são pouco valorizados pela população em geral

Leia mais

O SIG como apoio à mobilidade intermodal

O SIG como apoio à mobilidade intermodal Especializações em Transportes Transportes e Vias de / SIG Comunicação / INSPIRE e Sistemas Painel de Lisboa Informação 6 novembro Geográfica 2012 Transportes / SIG / INSPIRE O SIG como apoio à mobilidade

Leia mais

A maioria da população mundial, europeia e nacional vive hoje em cidades.

A maioria da população mundial, europeia e nacional vive hoje em cidades. 1. As cidades A maioria da população mundial, europeia e nacional vive hoje em cidades. Na União Europeia, mais de 2/3 da população vive em áreas urbanas e 67% do Produto Interno Bruto (PIB) europeu é

Leia mais

APRESENTAÇÃO ACORDO COMERCIAL 2 MODOS DE AQUISIÇÃO E DE COMPROVAÇÃO 11 REVALIDAÇÕES 12 REEMBOLSOS 14

APRESENTAÇÃO ACORDO COMERCIAL 2 MODOS DE AQUISIÇÃO E DE COMPROVAÇÃO 11 REVALIDAÇÕES 12 REEMBOLSOS 14 APRESENTAÇÃO ACORDO COMERCIAL 2 SERVIÇO ALFA PENDULAR 3 CP LOUNGE ESTAÇÃO DE LISBOA ORIENTE 4 SERVIÇO DE RESTAURAÇÃO A BORDO ALFA PENDULAR 4 SERVIÇO INTERCIDADES 6 VANTAGENS COMPLEMENTARES A ESTE ACORDO

Leia mais

Que possíveis desenvolvimentos para a Marca INTEGRA?

Que possíveis desenvolvimentos para a Marca INTEGRA? Projeto START Workshop Que possíveis desenvolvimentos para a Marca INTEGRA? Source: Google Earth Mobilidade e Transportes Lisboa, 24 Maio 2012 A Marca INTEGRA (I) A Marca INTEGRA A marca Integra pretende

Leia mais

BENEFÍCIOS DOS ADVOGADOS

BENEFÍCIOS DOS ADVOGADOS CONDIÇÕES * >> DESCONTO DE 15% no preço de cada viagem, nos comboios ALFA PENDULAR e INTERCIDADES, respectivamente, nas CLASSES CONFORTO e 1ª CLASSE, na altura da aquisição do bilhete. >> DESCONTO DE 30%

Leia mais

BENEFÍCIOS DOS ADVOGADOS

BENEFÍCIOS DOS ADVOGADOS PROTOCOLO OA CP CAMINHOS DE FERRO PORTUGUESES CONDIÇÕES * >> DESCONTO DE 15% no preço de cada viagem, nos comboios ALFA PENDULAR e INTERCIDADES, respectivamente, nas CLASSES CONFORTO e 1ª CLASSE, na altura

Leia mais

Senhor Presidente do Instituto da Mobilidade e dos. Senhor Vereador da Câmara Municipal de Lisboa. Senhor Vereador da Câmara Municipal do Porto

Senhor Presidente do Instituto da Mobilidade e dos. Senhor Vereador da Câmara Municipal de Lisboa. Senhor Vereador da Câmara Municipal do Porto Senhor Presidente do Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres Senhor Vereador da Câmara Municipal de Lisboa Senhor Vereador da Câmara Municipal do Porto Senhores representantes das associações

Leia mais

SERVIÇO ALFA PENDULAR

SERVIÇO ALFA PENDULAR ACORDO COMERCIAL A CP LONGO CURSO celebra Acordos Comerciais para venda de bilhetes em regime de tarifário especial, proporcionando aos associados das Entidades a aquisição a preços mais vantajosos nos

Leia mais

Alargar os Horizontes -Visão CP -

Alargar os Horizontes -Visão CP - Alargar os Horizontes -Visão CP - Seminário de Transporte Ferroviário Porto, 1 de Outubro de 2009 Francisco Cardoso dos Reis Agenda Contexto Programa Transformação Estratégica CPmais Resultados 2008 Qualidade

Leia mais

Porto/Lisboa/Faro Lisboa / Braga. SERVIÇO INTERCIDADES Lisboa Porto /Guimarães Lisboa Guarda Lisboa Covilhã Lisboa Faro Lisboa Beja Lisboa Évora

Porto/Lisboa/Faro Lisboa / Braga. SERVIÇO INTERCIDADES Lisboa Porto /Guimarães Lisboa Guarda Lisboa Covilhã Lisboa Faro Lisboa Beja Lisboa Évora MAPA DA REDE SERVIÇO ALFA PENDULAR Porto/Lisboa/Faro Lisboa / Braga SERVIÇO INTERCIDADES Lisboa Porto /Guimarães Lisboa Guarda Lisboa Covilhã Lisboa Faro Lisboa Beja Lisboa Évora SERVIÇO ALFA PENDULAR

Leia mais

2ª Reunião do National Supporting Group (NSG) - Projecto Ele.C.Tra. Lisboa, 13 de Junho de 2015

2ª Reunião do National Supporting Group (NSG) - Projecto Ele.C.Tra. Lisboa, 13 de Junho de 2015 2ª Reunião do National Supporting Group (NSG) - Projecto Ele.C.Tra Lisboa, 13 de Junho de 2015 EMEL EMEL Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa, E.M. S.A., tem como objecto a gestão

Leia mais

Metro. é o que mais agrada. Transportes públicos

Metro. é o que mais agrada. Transportes públicos é o que mais agrada O metro é um dos meios de transporte mais usados e que mais satisfaz os inquiridos. Já o autocarro desilude a elevada percentagem que o usa METRO DO PORTO A empresa que lidera na satisfação

Leia mais

MULTIMODALIDADE ÁREA METROPOLITANA DO PORTO UMA OFERTA INTEGRADA DE QUALIDADE

MULTIMODALIDADE ÁREA METROPOLITANA DO PORTO UMA OFERTA INTEGRADA DE QUALIDADE MULTIMODALIDADE ÁREA METROPOLITANA DO PORTO UMA OFERTA INTEGRADA DE QUALIDADE Enquadramento Comunitário e Nacional Livro Branco Roteiro do espaço único europeu dos transportes, rumo a um sistema de transportes

Leia mais

M U N I C Í P I O D E V A L E N Ç A C ÂMARA MUNICIPAL

M U N I C Í P I O D E V A L E N Ç A C ÂMARA MUNICIPAL NORMAS DE FUNCIONAMENTO DAS ZONAS DE ESTACIONAMENTO DA COROADA As zonas de estacionamento da Coroada, adiante designadas por parques ou Parques da Coroada, são parte integrante das áreas de estacionamento

Leia mais

MOVIMENTOS PENDULARES NA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA 1991-2001

MOVIMENTOS PENDULARES NA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA 1991-2001 Informação à Comunicação Social 25 de Fevereiro de 2003 MOVIMENTOS PENDULARES NA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA 1991-2001 Deslocações entre o local de residência e o local de trabalho / estudo PORTUGAL MINISTÉRIO

Leia mais

Jornadas do Socialismo 2010 Braga, 28 e 29 de Agosto Heitor de Sousa, Economista de Transportes

Jornadas do Socialismo 2010 Braga, 28 e 29 de Agosto Heitor de Sousa, Economista de Transportes Jornadas do Socialismo 2010 Braga, 28 e 29 de Agosto Heitor de Sousa, Economista de Transportes 1 Pressupostos e condicionantes Estratégia de Mobilidade nacional para o transporte de passageiros e de mercadorias:

Leia mais

Projecto REDE CICLÁVEL DO BARREIRO Síntese Descritiva

Projecto REDE CICLÁVEL DO BARREIRO Síntese Descritiva 1. INTRODUÇÃO Pretende-se com o presente trabalho, desenvolver uma rede de percursos cicláveis para todo o território do Município do Barreiro, de modo a promover a integração da bicicleta no sistema de

Leia mais

BENEFÍCIOS DOS ADVOGADOS

BENEFÍCIOS DOS ADVOGADOS Produtos e serviços CGD para profissionais liberais e jovens advogados: CONTAS À ORDEM Conta Extracto A informação onde preferir. Com esta conta recebe um extracto com toda a informação da sua conta, na

Leia mais

Cartão Andante Azul. Cartão Andante Gold

Cartão Andante Azul. Cartão Andante Gold Guia Intermodal Zonamento Cartões Andante Cartão Andante Azul Cartão em papel, não personalizado. Recarregável com títulos ocasionais (Títulos de Viagem e Andante 24). Cada cartão só pode conter um tipo

Leia mais

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE VILA FRANCA DE XIRA

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE VILA FRANCA DE XIRA Moção Contra a alteração de horários em defesa dos utentes do serviço público ferroviário Considerando que: Portugal tem assistido, pela mão dos sucessivos governos, ao aceleramento da ruína da ferrovia

Leia mais

ACTIVIDADE OPERACIONAL

ACTIVIDADE OPERACIONAL ACTIVIDADE OPERACIONAL 66.1 CP LISBOA 6.1.1 Síntese da Actividade Em 2008, destacam-se como acções de maior relevo: A reabertura da estação do Rossio em Fevereiro; A conclusão das obras de electrificação

Leia mais

MOBILIDADE SUSTENTÁVEL

MOBILIDADE SUSTENTÁVEL MOBILIDADE SUSTENTÁVEL Quem somos TIS A TIS tem como missão a geração de valor na área da mobilidade e transportes para os seus clientes e acionistas, baseado em soluções sustentáveis do ponto de vista

Leia mais

Projectar o Algarve no Futuro

Projectar o Algarve no Futuro Projectar o Algarve no Futuro Os Novos Desafios do Algarve Região Digital paulo.bernardo@globalgarve.pt 25 Maio 2007 Auditório Portimão Arena Um mundo em profunda mudança O Mundo enfrenta hoje um processo

Leia mais

Investimento na Rede Ferroviária Nacional 2009-2013

Investimento na Rede Ferroviária Nacional 2009-2013 Investimento na Rede Ferroviária Nacional 2009-2013 Porto, 1 de Outubro de 2009 António Viana 2 Plano da Apresentação Missão OESF 2006 Investimentos 2009-2013 3 Missão da REFER Proporcionar ao mercado

Leia mais

O SISTEMA DE. Álvaro Seco SISTEMA DE MOBILIDADE DO MONDEGO

O SISTEMA DE. Álvaro Seco SISTEMA DE MOBILIDADE DO MONDEGO O Álvaro Seco ÍNDICE 1. Resenha Histórica 2. O Presente Mudança de Paradigma Breve Descrição da Rede 3. O Faseamento do Projecto 4. Os Desafios Futuros 1. RESENHA HISTÓRICA 1 RESENHA HISTÓRIA O PROBLEMA

Leia mais

Apresentação Programas de Apoio

Apresentação Programas de Apoio Apresentação Programas de Apoio Índice Programa MOP APOIO SOCIAL Introdução Suportes para apoio Redes formatadas Descrição Tabela de custos Outros formatos Descrição Tabela de custos Contatos 2 4 5 7 12

Leia mais

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro www.regiaodeaveiro.pt PIMT de Aveiro, Aveiro TIS.PT Transportes Inovação e Sistemas, S.A. 1 16 Breve enquadramento A Comunidade Intermunicipal

Leia mais

Integrar o Aeroporto Sá Carneiro na Linha de Velocidade Elevada Porto Galiza através da Linha de Leixões António Alves 10 01 2008

Integrar o Aeroporto Sá Carneiro na Linha de Velocidade Elevada Porto Galiza através da Linha de Leixões António Alves 10 01 2008 Integrar o Aeroporto Sá Carneiro na Linha de Velocidade Elevada Porto Galiza através da Linha de Leixões António Alves 10 01 2008 As grandes vantagens desta proposta são não pôr em causa o objectivo de

Leia mais

Mercados informação de negócios

Mercados informação de negócios Mercados informação de negócios Rússia Oportunidades e Dificuldades do Mercado Março 2012 Índice 1. Oportunidades 3 1.1 Comércio 3 1.2 Investimento de Portugal na Rússia 4 1.3 Investimento da Rússia em

Leia mais

SOBRE OS PRESSUPOSTOS SUBJACENTES AO PLANO

SOBRE OS PRESSUPOSTOS SUBJACENTES AO PLANO No âmbito do procedimento de consulta pública do Plano Estratégico de Transportes 2008-2020 (PET), vem a Quercus - Associação Nacional de Conservação da Natureza apresentar o seu parecer. SOBRE OS PRESSUPOSTOS

Leia mais

O Conceito de Cluster

O Conceito de Cluster O Conceito de Cluster Conjunto de empresas, relacionadas entre si, que desenvolvem competências específicas, formando um pólo produtivo especializado e com vantagens competitivas. Antecedentes As empresas

Leia mais

Proposta de protocolo Benefícios aos associados

Proposta de protocolo Benefícios aos associados Proposta de protocolo Benefícios aos associados A LUZBOA A LUZBOA Comercialização de Energia Lda é uma empresa de comercialização de electricidade no mercado liberalizado sedeada em Viseu, que opera para

Leia mais

A Alta Velocidade e o Turismo.

A Alta Velocidade e o Turismo. A Alta Velocidade e o Turismo. Estudo sobre o impacte do projecto de Alta Velocidade ferroviária no sector do turismo em Portugal Janeiro de 2010 Caderno 2 de 4 Relatório (Parte I) 1 Presentation Name

Leia mais

REGULAMENTO DE TRANSPORTES ESCOLARES

REGULAMENTO DE TRANSPORTES ESCOLARES REGULAMENTO DE TRANSPORTES ESCOLARES Aprovado por deliberação da Assembleia Municipal de Azambuja de 19 de Setembro de 2012, publicada pelo Edital n.º 77/2012, de 26 de Outubro de 2012. Em vigor desde

Leia mais

Dossier de Imprensa. rumbo

Dossier de Imprensa. rumbo Dossier de Imprensa rumbo Novembro 2012 Rumbo, líder em viagens online A Rumbo é a agência de viagens online nº 1 em vendas em Espanha, segundo a IATA International Air Transport Association-. Empresa

Leia mais

PROPOSTA DE ACORDO DE SERVIÇOS DE ALUGUER DE AUTOMÓVEIS SEM CONDUTOR AMCPN ASSOCIAÇÃO DE MORADORES E COMERCIANTES DO PARQUE DAS NAÇÕES

PROPOSTA DE ACORDO DE SERVIÇOS DE ALUGUER DE AUTOMÓVEIS SEM CONDUTOR AMCPN ASSOCIAÇÃO DE MORADORES E COMERCIANTES DO PARQUE DAS NAÇÕES PROPOSTA DE ACORDO DE SERVIÇOS DE ALUGUER DE AUTOMÓVEIS SEM CONDUTOR AMCPN ASSOCIAÇÃO DE MORADORES E COMERCIANTES DO PARQUE DAS NAÇÕES 14 DE NOVEMBRO DE 2011 IMP.DC.02 - Revisão: 1 16.01.2011 1 PROPOSTA

Leia mais

RELATÓRIO. Os Comboios em Portugal

RELATÓRIO. Os Comboios em Portugal RELATÓRIO Os Comboios em Portugal Comboios de Mercadorias Grupo CIV212: Ana Correia José Henriques Luís Moreira Miguel Cunha Miguel Seixas Nuno Pereira 1 Resumo Sendo o tema do projecto Os Comboios em

Leia mais

1.3 - Existem táxis especialmente adaptados para pessoas com mobilidade condicionada?

1.3 - Existem táxis especialmente adaptados para pessoas com mobilidade condicionada? 12 - TRANSPORTES 1. TAXIS 1.1 - Por motivo de uma deficiência motora utilizo cadeira de rodas. Se viajar de táxi sou obrigado a efectuar algum pagamento pelo transporte da cadeira? Não; os passageiros

Leia mais

Seminário Mobilidade Sustentável

Seminário Mobilidade Sustentável Acessibilidade (locais) Facilitar o acesso Mobilidade (pessoas) Facilitar a deslocação Sistema de Transportes Impacte Social Impacte Ambiental Impacte Económico Repartição Modal Supremacia crescente do

Leia mais

Carris de ferro em Portugal

Carris de ferro em Portugal www.ocomboio.net Carris de ferro em Portugal Texto de António Alves (Abril 2009) Fotografias de Dario Silva Ponte São João (Porto~Gaia), Linha do Norte, 2006 Há 152 anos, em 28 de Outubro de 1856, foi

Leia mais

PIRENE IV Melhoria das Redes de Transporte do Sudoeste Europeu

PIRENE IV Melhoria das Redes de Transporte do Sudoeste Europeu PIRENE IV Melhoria das Redes de Transporte do Sudoeste Europeu Ligação Ferroviária ria Sines/Elvas Luísa Soares Direcção de Estudos e Estratégia llsoares@refer.pt Zaragoza, 20.10.2009 Índice 1. Enquadramento

Leia mais

Mobile Payments: projeto piloto

Mobile Payments: projeto piloto Mobile Payments: projeto piloto Sustentabilidade Maio, 2013 AGENDA ENQUADRAMENTO PILOTO MOBILE PAYMENTS RESULTADOS ENQUADRAMENTO Já assumida como uma tendência, o sistema de pagamento pelo telemóvel começa

Leia mais

Informação ao cliente 1 de fevereiro de 2012. Tarifas

Informação ao cliente 1 de fevereiro de 2012. Tarifas Informação ao cliente 1 de fevereiro de 2012 Tarifas Títulos Ocasionais Cartão viva viagem 0,50 Bilhete viagem Metro (para toda a rede do Metro) 1,25 Bilhete diário Carris/Metro (válido em toda a rede

Leia mais

TRANSPORTE INTERMODAL. Os diferentes modos de transporte deverão funcionar como peças de um puzzle, que se encaixam harmoniosamente

TRANSPORTE INTERMODAL. Os diferentes modos de transporte deverão funcionar como peças de um puzzle, que se encaixam harmoniosamente TRANSPORTE INTERMODAL Os diferentes modos de transporte deverão funcionar como peças de um puzzle, que se encaixam harmoniosamente Rui Rodrigues Site: www.maquinistas.org (Ver Opinião) Email rrodrigues.5@netcabo.pt

Leia mais

Mobile Phone Ticket. Transportes como factor de inclusão social. Pedro de Melo Pereira Siemens Mobility 5º Encontro Transportes em Revista

Mobile Phone Ticket. Transportes como factor de inclusão social. Pedro de Melo Pereira Siemens Mobility 5º Encontro Transportes em Revista Mobile Phone Ticket Transportes como factor de inclusão social Pedro de Melo Pereira Siemens Mobility 5º Encontro Transportes em Revista Siemens SA 2008 As inovações Siemens mudaram o Mundo Indústria Dos

Leia mais

Transporte e Planejamento Urbano

Transporte e Planejamento Urbano Transporte e Planejamento Urbano para o Desenvolvimento da RMRJ Julho/2014 Cidades a maior invenção humana As cidades induzem a produção conjunta de conhecimentos que é a criação mais importante da raça

Leia mais

Mercados informação de negócios

Mercados informação de negócios Mercados informação de negócios Rússia Oportunidades e Dificuldades do Mercado Fevereiro 2010 Índice 1. Oportunidades 3 1.1 Comércio 3 1.2 Investimento de Portugal na Rússia 4 1.3 Investimento da Rússia

Leia mais

TURISMO DE NATUREZA. AEP / Gabinete de Estudos

TURISMO DE NATUREZA. AEP / Gabinete de Estudos TURISMO DE NATUREZA AEP / Gabinete de Estudos Junho de 2008 1 1. Situação a nível europeu De acordo com o Estudo realizado por THR (Asesores en Turismo Hotelería y Recreación, S.A.) para o Turismo de Portugal,

Leia mais

O Projecto de Alta Velocidade em Portugal. Lisboa, 17 de Novembro de 2008

O Projecto de Alta Velocidade em Portugal. Lisboa, 17 de Novembro de 2008 O Projecto de Alta Velocidade em Portugal Lisboa, 17 de Novembro de 2008 Sinopse Histórica Sinopse Histórica Dez/2000 Criação da RAVE Jan/2001 Criação do AVEP Jun/2002 Início dos Estudos de Viabilidade

Leia mais

Estação central de coimbra

Estação central de coimbra central de coimbra N o v a i n t e r f a c e i n t e r m o d a l e P l a n o d e u r b a n i z a ç ã o ( e n t r a d a p o e n t e ) Na sua história recente tem sido muito influenciada pela localização

Leia mais

1. Condições netticket

1. Condições netticket 1. Condições netticket No netticket estão disponíveis bilhetes para os serviços Alfa Pendular e Intercidades. Os bilhetes podem ser adquiridos nos 30 dias anteriores à viagem, até aos 60 minutos que antecedem

Leia mais

"É imperiosa a necessidade de inverter a política de transportes"

É imperiosa a necessidade de inverter a política de transportes INTERVENÇÃO DE JERÓNIMO DE SOUSA, SECRETÁRIO-GERAL, LISBOA, REUNIÃO METROPOLITANA SOBRE TRANSPORTES PÚBLICOS E MOBILIDADE 10 Março 2016 "É imperiosa a necessidade de inverter a política de transportes"

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 247/IX CRIA O PASSE SOCIAL INTERMODAL NA ÁREA METROPOLITANA DO PORTO

PROJECTO DE LEI N.º 247/IX CRIA O PASSE SOCIAL INTERMODAL NA ÁREA METROPOLITANA DO PORTO PROJECTO DE LEI N.º 247/IX CRIA O PASSE SOCIAL INTERMODAL NA ÁREA METROPOLITANA DO PORTO A população da Área Metropolitana do Porto nunca teve a possibilidade de aceder a um título de transporte colectivo

Leia mais

Normas de utilização das bicicletas urbanas de Torres Vedras

Normas de utilização das bicicletas urbanas de Torres Vedras Normas de utilização das bicicletas urbanas de Torres Vedras INTRODUÇÃO O Município de Torres Vedras está empenhado em promover as vantagens do uso de bicicleta, designadamente por se tratar de uma nova

Leia mais

A MOBILIDADE ELÉCTRICA

A MOBILIDADE ELÉCTRICA A MOBILIDADE ELÉCTRICA Contextualização As significativas alterações climáticas e o aumento do preço dos combustíveis sustentam um dos maiores desafios do século XXI - fiabilidade, segurança e sustentabilidade

Leia mais

DBL/BLM 01.08.2012. Banda Larga Móvel

DBL/BLM 01.08.2012. Banda Larga Móvel DBL/BLM 01.08.2012 Índice Banda Larga O que é? Abordagem Comercial O que é o 4G Evolução Tecnológica Uma Oferta duas marcas Tarifários Campanha de Adesão Equipamentos Serviços Adicionais Argumentário de

Leia mais

Movimentos Pendulares e Organização do Território Metropolitano: Área Metropolitana de Lisboa e Área Metropolitana do Porto, 1991-2001

Movimentos Pendulares e Organização do Território Metropolitano: Área Metropolitana de Lisboa e Área Metropolitana do Porto, 1991-2001 26 de Setembro de 2003 Movimentos Pendulares e Organização do Território Metropolitano: Área Metropolitana de Lisboa e Área Metropolitana do Porto, 1991-2001 PORTUGAL A análise dos movimentos pendulares

Leia mais

Case study. Galpshare UM PROGRAMA DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL EMPRESA

Case study. Galpshare UM PROGRAMA DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL EMPRESA Case study 2009 Galpshare UM PROGRAMA DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL EMPRESA A Galp Energia é um operador integrado presente em toda a cadeia de valor do petróleo e do gás natural e cada vez mais activo nas

Leia mais

What We re Doing For Cycling no município do Seixal

What We re Doing For Cycling no município do Seixal What We re Doing For Cycling no município do Seixal SEIXAL Seixal: 94 km2 158 269 habitantes 94 600 empregados e estudantes 47 800 ficam no concelho (50%) Seixal: 94 km2 158 269 habitantes 94 600 empregados

Leia mais

Plano T ecnológico Tecnológico d a da E ducação Educação

Plano T ecnológico Tecnológico d a da E ducação Educação Plano Tecnológico da Educação 23 de Julho de 2007 ENQUADRAMENTO Estratégia de Lisboa ME Tornar a Europa a economia baseada no conhecimento mais dinâmica e competitiva do mundo Aumentar a qualidade e a

Leia mais

Índice Apresentação Vantagens Cartão Galp Frota Cartão Galp Frota Cartão Galp Frota Profissional Funcionalidades Cartão Galp Frota Galp Frota Online

Índice Apresentação Vantagens Cartão Galp Frota Cartão Galp Frota Cartão Galp Frota Profissional Funcionalidades Cartão Galp Frota Galp Frota Online Índice Índice Apresentação Vantagens Cartão Galp Frota Cartão Galp Frota Cartão Galp Frota Profissional Funcionalidades Cartão Galp Frota Galp Frota Online Informação de Gestão Elementos de Personalização

Leia mais

Barreiro, 22 de Outubro 2010

Barreiro, 22 de Outubro 2010 Contribuição do Projecto Português de Alta Velocidade na redução da factura energética nacional Barreiro, 22 de Outubro 2010 2 Aumento de: Velocidade Eficiência Conforto Segurança Capacidade A Alta Velocidade

Leia mais

A rua como elemento central da mobilidade urbana ciclável

A rua como elemento central da mobilidade urbana ciclável A rua como elemento central da mobilidade urbana ciclável 15 de Fevereiro de 2011 José M. Viegas Susana Castelo Mudança de paradigma Necessidade de : 1. Revisão do modelo de Predict & Provide, já que este

Leia mais

O Sector do Transporte Rodoviário Colectivo de Passageiros

O Sector do Transporte Rodoviário Colectivo de Passageiros O Sector do Transporte Rodoviário Colectivo de Passageiros Uma Abordagem Valpi Sumário 1. Envolvente 2. Oportunidades 3. Abordagem Valpi Envolvente Repartição dos Modos Transporte na AMP 1991 2001 7,1

Leia mais

Artigo 3º. Condições para o exercício de serviços admitidos no Aeroporto

Artigo 3º. Condições para o exercício de serviços admitidos no Aeroporto ALTERAÇÃO AO REGULAMENTO do exercício de serviços de rent-a-car por empresas sem instalações no domínio público aeroportuário e com reserva devidamente comprovada (Aeroporto de Lisboa) Considerando que:

Leia mais

PARCEIROS Modelo de Negócio

PARCEIROS Modelo de Negócio PARCEIROS Modelo de Negócio YouBIZ Telecom O YouBIZ Telecom é um negócio da empresa YouBIZ, parceira da. Somos uma empresa líder no canal de Marketing de Rede, com uma quota de mercado superior a 85%.

Leia mais

Sustentabilidade em Movimento no Oeste - Torres Vedras, 16-22 Setembro 2012

Sustentabilidade em Movimento no Oeste - Torres Vedras, 16-22 Setembro 2012 Sustentabilidade em Movimento no Oeste - Torres Vedras, 16-22 Setembro 2012 Localização e Território O Município de Torres Vedras localiza-se na costa oeste de Portugal e a sua cidade,torres Vedras, está

Leia mais

JORGE PINTO CEO da CAETANOBUS

JORGE PINTO CEO da CAETANOBUS JORGE PINTO CEO da CAETANOBUS NOVO MODO DE TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS RODOVIÁRIO, MAIS EFICIENTE EM TERMOS ENERGÉTICOS, MAIS EFICIENTE NA AFETAÇÃO DOS RECURSOS, NOMEADAMENTE DOS FUNDOS PÚBLICOS

Leia mais

ECOXXI Galardão 2013 MODOS DE TRANSPORTE SUAVES EM TORRES VEDRAS

ECOXXI Galardão 2013 MODOS DE TRANSPORTE SUAVES EM TORRES VEDRAS ECOXXI Galardão 2013 MODOS DE TRANSPORTE SUAVES EM TORRES VEDRAS LOCALIZAÇÃO DE TORRES VEDRAS POPULAÇÃO O Município de Torres Vedras localiza-se na costa oeste de Portugal e a sua cidade,torres Vedras,

Leia mais

Transportes Sul do Tejo MOBILIDADE SUSTENTÁVEL

Transportes Sul do Tejo MOBILIDADE SUSTENTÁVEL Transportes Sul do Tejo MOBILIDADE SUSTENTÁVEL Graça Calapez Barreiro, 22 de Outubro de 2010 HISTÓRIA A T.S.T. constitui-se a partir de um dos centros da Rodoviária Nacional. Foi privatizada em Janeiro

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 90/XII/1.ª REINTRODUZ O PASSE SOCIAL INTERMODAL

PROJECTO DE LEI N.º 90/XII/1.ª REINTRODUZ O PASSE SOCIAL INTERMODAL Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º 90/XII/1.ª REINTRODUZ O PASSE SOCIAL INTERMODAL Exposição de motivos Em Setembro deste ano o Governo instituiu, através da publicação da Portaria n.º 272/2011, de

Leia mais

CARTÕES UNIBANCO APRESENTAÇÃO

CARTÕES UNIBANCO APRESENTAÇÃO CARTÕES UNIBANCO APRESENTAÇÃO A UNICRE UNICRE Instituição Financeira de Crédito, S.A Especialista em cartões de pagamento desde 1974 Sede: Av. António Augusto de Aguiar, 122 Lisboa www.unicre.pt Emissora

Leia mais

INDUSCRIA. PLATAFORMA PARA AS INDÚSTRIAS CRIATIVAS Um Contributo para as Novas Geografias Cosmopolitas

INDUSCRIA. PLATAFORMA PARA AS INDÚSTRIAS CRIATIVAS Um Contributo para as Novas Geografias Cosmopolitas OS CONSULTORES Instituicões & Empresas Associadas: GAB. COORDENADOR da ESTRATÉGIA DE LISBOA e do PLANO TECNOLÓGICO CEDRU_Centro de Estudos e Desenvolv. Regional e Urbano McKINSEY & Company PLMJ ASSOCIADOS_Sociedade

Leia mais

Mensagem do Presidente 5. Principais Indicadores 6. Capitulo 1- Apresentação 7. Capitulo 2 Serviço Prestado 10. 2.1 Rede 10. 2.

Mensagem do Presidente 5. Principais Indicadores 6. Capitulo 1- Apresentação 7. Capitulo 2 Serviço Prestado 10. 2.1 Rede 10. 2. 1 2 Mensagem do Presidente 5 Principais Indicadores 6 Capitulo 1- Apresentação 7 Capitulo 2 Serviço Prestado 10 2.1 Rede 10 2.2 Oferta 12 2.3 Procura 13 2.4 Qualidade de Serviço 14 2.5 Tarifário e Mercado

Leia mais