PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE"

Transcrição

1 SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMA Nº Manutenção e Operacionalização da SMS SUB-FUNÇÃO: 122 ADMINISTRAÇÃO GERAL Prover a SMS de Recursos materiais e Humanos para o bom desenvolvimento de suas funções.. Prover o bom atendimento a população mais necessitada que buscam atendimento junto ao SUS. População. 100% 100% 100% 100% , , , ,00 Suprir 67 unidades de saúde com equipamentos e atendimento da 100% da demanda. Suprir 67 unidades de saúde com equipamentos e atendimento da 100% da demanda. Suprir 67 unidades de saúde com equipamentos e atendimento da 100% da demanda. Suprir 67 unidades de saúde com equipamentos e atendimento da 100% da demanda.

2 SERVIÇO AUTÔNOMO HOSPITALAR PROGRAMA Nº Manutenção e Operacionalização do SAH SUB-FUNÇÃO: 302 ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL Promover a instalação de ferramentas de gestão que permitam o perfeito gerenciamento das informações dos diversos setores do HSJB. Prover os diversos órgãos do HSJB de recursos materiais e humanos para o bom desenvolvimento de suas funções. INDICADOR 100% 100% 100% 100% , , , ,00 Atendimento de 100% da demanda Atendimento de 100% da demanda Atendimento de 100% da demanda Atendimento de 100% da demanda

3 FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMA Nº Manutenção e Operacionalização da FMS SUB-FUNÇÃO: 122 ADMINISTRAÇÃO GERAL Prover os diversos órgãos do Fundo Municipal de Saúde de recursos materiais e humanos para o bom desenvolvimento de suas funções. Criação do programa multidisciplinar para atendimento de crianças e adolescentes, usuárias de substâncias psicoativas, visando a prevenção, tratamento e internação. Implantação da Notificação Compulsória da Violência contra a Mulher, atendida em serviços de saúde de urgência e emergência, conforme a Lei Municipal n ) Implantação de Brinquedoteca, conforme Lei Municipal n Implantação da Semana Municipal de Combate e Prevenção ao Câncer de Mama, conforme Lei Municipal nº POPULAÇÃO 100% 100% 100% 100% , , , ,00 OTIMIZAR O ATENDIMENTO, MELHORANDO O FLUXO DO PACIENTE JUNTO A REDE SUS E CONVENIADA. OTIMIZAR O ATENDIMENTO, MELHORANDO O FLUXO DO PACIENTE JUNTO A REDE SUS E CONVENIADA OTIMIZAR O ATENDIMENTO, MELHORANDO O FLUXO DO PACIENTE JUNTO A REDE SUS E CONVENIADA

4 OTIMIZAR O ATENDIMENTO, MELHORANDO O FLUXO DO PACIENTE JUNTO A REDE SUS E CONVENIADA.

5 FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMA Nº Conselho Municipal de Saúde SUB-FUNÇÃO: 122 ADMINISTRAÇÃO GERAL Prover conselho de recursos materiais e humanos para o bom desenvolvimento de suas funções. Aquisição de equipamentos,consultorias,materiais de consumo,reformas,ampliação e construção de novas unidades de saúde. POPULAÇÃO 100% 100% 100% 100% , , , ,50 ATINGIR 100% DE FISCALIZAÇÃO JUNTO AOS ÓRGÃOS ENVOLVIDOS. ATINGIR 100% DE FISCALIZAÇÃO JUNTO AOS ÓRGÃOS ENVOLVIDOS. ATINGIR 100% DE FISCALIZAÇÃO JUNTO AOS ÓRGÃOS ENVOLVIDOS. ATINGIR 100% DE FISCALIZAÇÃO JUNTO AOS ÓRGÃOS ENVOLVIDOS.

6 FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMA Nº Manutenção e Operacionalização do HMR SUB-FUNÇÃO: 122 ADMINISTRAÇÃO GERAL Prover o Hospital Munir Raful de recursos materiais e humanos para o bom desenvolvimento de suas funções. Otimizar o atendimento, melhorar o fluxo de pacientes e ampliar a atenção médico cirúrgico. Prover um bom atendimento a população mais necessitada, permitindo assim aos que buscam atendimento junto ao SUS, uma melhor qualidade de vida. Aquisição de 02 máquinas Narrow Band, para proporcionar a prevenção, proteção, diagnóstico, tratamento e assistência aos portadores de vitiligo e psoríase. Aquisição de aparelho de tomografia para o Hospital Munir Raful. Reforma e ampliação do refeitório do Hospital Municipal Dr. Munir Rafful. Reforma e ampliação do almoxarifado/farmácia do Hospital Municipal Dr. Munir Rafful. POPULAÇÃO 100% 100% 100% 100% , , , ,90 OTIMIZAR O ATENDIMETO,MELHOARAR O FLUXO DE PACIENTES E AMPLIAR A ATENÇÃO MEDICO CIRURGICO. Aquisição de 02 máquinas Narrow Band, para proporcionar a prevenção, proteção, diagnóstico, tratamento e assistência aos portadores de vitiligo e psoríase. Aquisição de aparelho de tomografia para o Hospital Munir Raful. Reforma e ampliação do refeitório do Hospital Municipal Dr. Munir Rafful. Reforma e ampliação do almoxarifado/farmácia do Hospital Municipal Dr. Munir Rafful. OTIMIZAR O ATENDIMETO, MELHOARAR O FLUXO DE PACIENTES E AMPLIAR A ATENÇÃO MEDICO CIRURGICO.

7 OTIMIZAR O ATENDIMETO, MELHOARAR O FLUXO DE PACIENTES E AMPLIAR A ATENÇÃO MEDICO CIRURGICO. OTIMIZAR O ATENDIMETO, MELHOARAR O FLUXO DE PACIENTES E AMPLIAR A ATENÇÃO MEDICO CIRURGICO. FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMA Nº Construção, Ampliação e Reformas das Unidades de Saúde SUB-FUNÇÃO: 302 ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL Proporcionar a melhoria da qualidade nos atendimentos feitos através da rede municipal de saúde, considerando o crescente aumento da demanda. Construção, ampliação e reformas das unidades, CAIS Aterrado e CAIS Conforto e todas as outras, inclusive as destinadas a tratamantos odontológicos. Ampliação do Posto de Saúde edificado no bairro Belmonte. Construção de um Posto de Saúde na Avenida Nossa Senhora do Amparo, ao lado da creche Girassol, bairro Santa Rita do Zarur. Construção de um posto de saúde no Bairro Retiro (próximo á Fundação Beatriz Gama), nesta Cidade. Construção de mini posto de saúde no Zoológico Municipal. Construção do Posto de Saúde no Bairro Nova Primavera. Construção de Posto de Saúde no Bairro São Sebastião. Cobertura na entrada do Posto de Saúde do Dom Bosco. Ampliação do posto de saúde edificado no Bairro Caieiras. Reforma da área física do setor de microbiologia do laboratório central. Construção de um posto de saúde no Bairro São João. Construção de posto de saúde no Bairro Retiro (Núcleo Estrada União). Reforma geral no posto de saúde do Bairro Volta Grande III. Criação de centro multidisciplinar para atendimento de usuários de substâncias psicoativas, visando a prevenção, tratamento e internação. População do município. 100% 100% 100% 100% , , ,00

8 Atender a toda a demanda, com prioridade para a construção de Posto de Saúde no bairro São Sebastião. Ampliação do Posto de Saúde edificado no bairro Belmonte. Construção de um Posto de Saúde na Avenida Nossa Senhora do Amparo, ao lado da Creche Girassol, bairro Santa Rita do Zarur. Construção de um posto de saúde no Bairro Retiro (próximo á Fundação Beatriz Gama), nesta Cidade. Construção de mini posto de saúde no Zoológico Municipal. Construção do Posto de Saúde no Bairro Nova Primavera. Construção de Posto de Saúde no Bairro São Sebastião. Cobertura na entrada do Posto de Saúde do Dom Bosco. Construção de posto de saúde no Bairro Retiro (Núcleo Estrada União). Reforma geral no posto de saúde do Bairro Volta Grande III. Atender a toda a demanda. Ampliação do Posto de Saúde edificado no bairro Belmonte. Manutenção de todas as unidades de saúde,priorizando sempre o bem estar do paciente. Construção de novos postos de Saúde. Atender a toda a demanda. Ampliação do Posto de Saúde edificado no bairro Belmonte. Construção de um Posto de Saúde na Avenida Nossa Senhora do Amparo, ao lado da Creche Girassol, bairro Santa Rita do Zarur. Atender a toda a demanda. Ampliação do Posto de Saúde edificado no bairro VOLDAC. Manutenção de todos os postos de Saúde.

9 FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMA Nº Saúde com Recursos Estaduais SUB-FUNÇÃO: 301 ATENÇÃO BÁSICA Melhoria da infra-estrutura da saúde utilizando recursos oriundos de emendas parlamentares estaduais. Aquisições de equipamentos, ampliações e reformas de instalações. População. 100% 100% 100% 100% , ,00 Suprir unidades de saúde com equipamentos. Suprir 67 unidades de saúde com equipamentos; Ampliar, reformar ou construir 25 escolas. Suprir 67 unidades de saúde com equipamentos; Ampliar, reformar ou construir 25 escolas. Suprir 67 unidades de saúde com equipamentos; Ampliar, reformar ou construir 25 escolas.

10 FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMA Nº Saúde com Recursos Federais SUB-FUNÇÃO: 301 ATENÇÃO BÁSICA Melhoria da infra-estrutura da saúde utilizando recursos oriundos de emendas parlamentares federais. Aquisições de equipamentos, ampliações e reformas de instalações. População. 100% 100% 100% 100% , , , ,00 Suprir 67 unidades de saúde com equipamentos; Ampliar, reformar ou construir 25 escolas. Suprir 67 unidades de saúde com equipamentos; Ampliar, reformar ou construir 25 escolas. Suprir 67 unidades de saúde com equipamentos; Ampliar, reformar ou construir 25 escolas. Suprir 67 unidades de saúde com equipamentos; Ampliar, reformar ou construir 25 escolas.

11 FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMA Nº Prog. Manutenção e Operacionalização do FMS ( PAB VAR PSF ) SUB-FUNÇÃO: 301 ATENÇÃO BÁSICA Melhoria da infra-estrutura da saúde utilizando recursos oriundos de emendas parlamentares federais. Aquisições de equipamentos, ampliações e reformas de instalações. População. 100% 100% 100% 100% , , , ,00 OTIMIZAR O ATENDIMENTO, MELHORAR O FLUXO DFOS PACIENTESE AMPLIAR A ATENÇÃO NOS PSF S,BENEFICIANDO A POPULAÇÃO COM UM SERVIÇO DDE QUALIDADE. OTIMIZAR O ATENDIMENTO, MELHORAR O FLUXO DFOS PACIENTESE AMPLIAR A ATENÇÃO NOS PSF S,BENEFICIANDO A POPULAÇÃO COM UM SERVIÇO DDE QUALIDADE OTIMIZAR O ATENDIMENTO, MELHORAR O FLUXO DFOS PACIENTESE AMPLIAR A ATENÇÃO NOS PSF S,BENEFICIANDO A POPULAÇÃO COM UM SERVIÇO DDE QUALIDADE OTIMIZAR O ATENDIMENTO, MELHORAR O FLUXO DFOS PACIENTESE AMPLIAR A ATENÇÃO NOS PSF S,BENEFICIANDO A POPULAÇÃO COM UM SERVIÇO DDE QUALIDADE

12 FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMA Nº Manutenção e Operacionalização do FMS PAB Variável ( Saúde Bucal ) SUB-FUNÇÃO: 301 ATENÇÃO BÁSICA Melhoria da infra-estrutura da saúde utilizando recursos oriundos de emendas parlamentares federais. Campanha de prevenções a saúde bucal. População. 100% 100% 100% 100% , , , ,00 OTIMIZAR O ATENDIMENTO,MELHORAR O FLUXO DE PACIENTES E AMPLIAR A ATENÇÃO MEDICO ODONTOLOGICO A TODA REDE SUS. CONSTRUÇÃO DE UM NÚCLEO DE SAÚDE BUCAL NO BAIRRO SANTA RITA DO ZARUR.. OTIMIZAR O ATENDIMENTO,MELHORAR O FLUXO DE PACIENTES E AMPLIAR A ATENÇÃO MEDICO ODONTOLOGICO A TODA REDE SUS. OTIMIZAR O ATENDIMENTO,MELHORAR O FLUXO DE PACIENTES E AMPLIAR A ATENÇÃO MEDICO ODONTOLOGICO A TODA REDE SUS. OTIMIZAR O ATENDIMENTO,MELHORAR O FLUXO DE PACIENTES E AMPLIAR A ATENÇÃO MEDICO ODONTOLOGICO A TODA REDE SUS.

13 FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMA Nº Teto Municipal de Alta Complexidade Hospitalar e Ambulatorial SUB-FUNÇÃO: 302 ASSISTENCIA HOSPITALAR A AMBULATORIAL Melhoria da infra-estrutura da saúde utilizando recursos oriundos de emendas parlamentares federais. Prover o bom atendimento a população mais carente, permetindo aos que buscam atendimento ao SUS,um serviço de qualidade. Aumentar a oferta do número de exames de alto custo, permitindo aos que buscam atendimento ao SUS, um serviço de melhor qualidade. População. 100% 100% 100% 100% , , , ,00 OTIMIZAR O ATENDIMENTO, MELHORAR O FLUXO DE PACIENTES QUE BUSCAM RECURSOS JUNTO AO SUS. OTIMIZAR O ATENDIMENTO, MELHORAR O FLUXO DE PACIENTES QUE BUSCAM RECURSOS JUNTO AO SUS. OTIMIZAR O ATENDIMENTO, MELHORAR O FLUXO DE PACIENTES QUE BUSCAM RECURSOS JUNTO AO SUS.

14 OTIMIZAR O ATENDIMENTO, MELHORAR O FLUXO DE PACIENTES QUE BUSCAM RECURSOS JUNTO AO SUS. FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMA Nº Incentivo para A Casa de Apoio SUB-FUNÇÃO: 305 VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA Melhoria da infra-estrutura da saúde utilizando recursos oriundos de emendas parlamentares federais. Promoção,prevenção,proteção,diagnostico, tratamento e assistência aos portadores de HIV/AIDS. População. 100% 100% 100% 100% , , ,80 OTIMIZAR LEITOS E DAR UAM MELHOR ASSISTÊNCIA A PORTADORES DE VÍRUS HIV/AIDS, JUNTO A CASA DE APOIO. OTIMIZAR LEITOS E DAR UAM MELHOR ASSISTÊNCIA A PORTADORES DE VÍRUS HIV/AIDS, JUNTO A CASA DE APOIO. OTIMIZAR LEITOS E DAR UAM MELHOR ASSISTÊNCIA A PORTADORES DE VÍRUS HIV/AIDS, JUNTO A CASA DE APOIO.

15 OTIMIZAR LEITOS E DAR UAM MELHOR ASSISTÊNCIA A PORTADORES DE VÍRUS HIV/AIDS, JUNTO A CASA DE APOIO. FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMA Nº Incentivo no Âmbito do Prog. Nacional de HIV/Aids e Outras DSTs. SUB-FUNÇÃO: 305 VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA Melhoria da infra-estrutura da saúde utilizando recursos oriundos de emendas parlamentares federais. Promoção,prevenção,proteção,diagnostico, tratamento e assistência aos portadores de HIV/AIDS. População. 100% 100% 100% 100% , , ,00 TRABALHO DE CONSCIENTIZAÇÃO E DIVULGAÇÃO DAS DSTs ATRAVÉS DE PALESTRAS,TEATROS E DISTRIBUIÇÃO DE PRESERVATIVO,AO MAIOR NUMERO POSSÍVEL DE PESSOAS.. TRABALHO DE CONSCIENTIZAÇÃO E DIVULGAÇÃO DAS DSTs ATRAVÉS DE PALESTRAS,TEATROS E DISTRIBUIÇÃO DE PRESERVATIVO,AO MAIOR NUMERO POSSÍVEL DE PESSOAS.. TRABALHO DE CONSCIENTIZAÇÃO E DIVULGAÇÃO DAS DSTs ATRAVÉS DE PALESTRAS,TEATROS E DISTRIBUIÇÃO DE PRESERVATIVO,AO MAIOR NUMERO POSSÍVEL DE PESSOAS.

16 TRABALHO DE CONSCIENTIZAÇÃO E DIVULGAÇÃO DAS DSTs ATRAVÉS DE PALESTRAS,TEATROS E DISTRIBUIÇÃO DE PRESERVATIVO,AO MAIOR NUMERO POSSÍVEL DE PESSOAS. FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMA Nº Programa da Farmácia Popular do Brasil SUB-FUNÇÃO: 301 ATENÇÃO BÁSICA Acesso da população a medicamentos com um menor preço. Prover o bom atendimento a população mais necessitada que buscam atendimento junto ao SUS. População. 100% 100% 100% 100% , , , ,00 OTIMIZAR O ATENDIMENTO, MELHORANDO O FLUXO DE DISTRIBUIÇÃO DE MEDICAMENTOS A POPULAÇÃO MAIS CARENTE, A UM PREÇO MENOR. OTIMIZAR O ATENDIMENTO, MELHORANDO O FLUXO DE DISTRIBUIÇÃO DE MEDICAMENTOS A POPULAÇÃO MAIS CARENTE, A UM PREÇO MENOR. OTIMIZAR O ATENDIMENTO, MELHORANDO O FLUXO DE DISTRIBUIÇÃO DE MEDICAMENTOS A POPULAÇÃO MAIS CARENTE, A UM PREÇO MENOR.

17 OTIMIZAR O ATENDIMENTO, MELHORANDO O FLUXO DE DISTRIBUIÇÃO DE MEDICAMENTOS A POPULAÇÃO MAIS CARENTE, A UM PREÇO MENOR. FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMA Nº Manutenção e Operacionaliza do Prog. de Dispensação de Medicam. SUB-FUNÇÃO: 301 ATENÇÃO BÁSICA Melhoria da infra-estrutura da saúde utilizando recursos oriundos de emendas parlamentares federais. Prover o bom atendimento a população mais necessitada que buscam atendimento junto ao SUS. População. 100% 100% 100% 100% , , , ,00 Suprir as unidades de saúde através da farmácia básica com medicamentos, para que a população possa ter acesso mais fácil. Suprir as unidades de saúde através da farmácia básica com medicamentos, para que a população possa ter acesso mais fácil. Suprir as unidades de saúde através da farmácia básica com medicamentos, para que a população possa ter acesso mais fácil.

18 Suprir as unidades de saúde através da farmácia básica com medicamentos, para que a população possa ter acesso mais fácil. FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMA Nº Prog. Manutenção e Operacionalização FMS(PAB VARIÁVEL)Ag. Comut.Saúde SUB-FUNÇÃO: 301 ATENÇÃO BÁSICA PROVER A PREVENÇÃO E CONTROLE DE DOENÇAS,MUNINDO DE RECURSOS MATERIASI E HUMANOS PARA O BOM ATENDIMENTO. PROVER O BOM ATENDIMENTO A POPULAÇÃO MAIS NECESSITADA, PERMITINDO ASSIM AOS QUE BUSCAM ATENDIMENTOS AO SUS UMA MELHOR QUALIDADE DE VIDA. População. 100% 100% 100% 100% , , , ,00 Otimizar o atendimento e melhorar o fluxo de pacientes, ampliando o atendimento nos PSFs. Otimizar o atendimento e melhorar o fluxo de pacientes, ampliando o atendimento nos PSFs. Otimizar o atendimento e melhorar o fluxo de pacientes, ampliando o atendimento nos PSFs.

19 Otimizar o atendimento e melhorar o fluxo de pacientes, ampliando o atendimento nos PSFs. FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMA Nº Prog. Manutenção e Operacionalização do FMS ( PAB VARIÁVEL ) CAPS SUB-FUNÇÃO: 301 ATENÇÃO BÁSICA PROVER DE RECURSOS AMATERIAIS E HUMANOS PARA O BOM ATENDIMENTO E DESENVOLVIMENTO DE SUAS FUNÇÕES. PROVER O BOM ATENDIMENTO A POPULAÇÃO MAIS NECESSITADA, PERMITINDO ASSIM AOS QUE BUSCAM ATENDIMENTOS AO SUS UMA MELHOR QUALIDADE DE VIDA. População. 100% 100% 100% 100% , , , ,00 Otimizar o atendimento e melhorar o fluxo de pacientes, ampliando o atendimento na rede aos pacientes portadores de dependência química. Otimizar o atendimento e melhorar o fluxo de pacientes, ampliando o atendimento na rede aos pacientes portadores de dependência química. Otimizar o atendimento e melhorar o fluxo de pacientes, ampliando o atendimento na rede aos pacientes portadores de dependência química.

20 Otimizar o atendimento e melhorar o fluxo de pacientes, ampliando o atendimento na rede aos pacientes portadores de dependência química. FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMA Nº Prog. Manutenção e Operacionalização do FMS ( PAB FIXO )Piso de Atenção Ba SUB- FUNÇÃO: 301 ATENÇÃO BÁSICA PROVER OS DIVERSOS ÓRGÃOS DO FUNDO MUNICIPAL DE SAUDE COM RECURSOS MATERIAIS E HUMANOS PARA O BOM DESENVOLVIMENTO DE SUAS FUNÇÕES. Prover a manutenção e criação de diversos programas do FMS de recursos materiais e humanos para o bom desenvolvimento de suas funções. População. 100% 100% 100% 100% , , , ,00 PERCENTUAL DA MANUTENÇÃO EM RELAÇÃO A DESPESA TOTAL DO PROGRAMA. PERCENTUAL DA MANUTENÇÃO EM RELAÇÃO A DESPESA TOTAL DO PROGRAMA PERCENTUAL DA MANUTENÇÃO EM RELAÇÃO A DESPESA TOTAL DO PROGRAMA

21 PERCENTUAL DA MANUTENÇÃO EM RELAÇÃO A DESPESA TOTAL DO PROGRAMA

22 FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMA Nº TFVS- Teto Financeiro da Vigilância Sanitária SUB-FUNÇÃO: 304 VIGILÂNCIA SANITÁRIA ESTRUTURAÇÃO E ORIENTAÇÃO DE TRABALHO MNA PERSPECTIVA DE VIGILÃNCIA SANITÁRIA. NOTIFICAÇÕES E INVESTIGAÇÕES DE ARQUIVO,IMUNIZAÇÕES,CONTROLE DE VETORES,VIGILÃNCIA AMBIENTAL E SANITÁRIA BEM COMO AS INVESTIGAÇÕES DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO VISANDO A VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE SAÚDE. População. 100% 100% 100% 100% , ,00 OTIMIZAR OS SERVIDORES,EQUIPÁLOS E TREINÁLOS PARA O CONTROLE E COMBATE AOS VETORES TRANSMISSÍVEIS DE DOENÇAS. OTIMIZAR OS SERVIDORES,EQUIPÁLOS E TREINÁLOS PARA O CONTROLE E COMBATE AOS VETORES TRANSMISSÍVEIS DE DOENÇAS. OTIMIZAR OS SERVIDORES,EQUIPÁLOS E TREINÁLOS PARA O CONTROLE E COMBATE AOS VETORES TRANSMISSÍVEIS DE DOENÇAS. OTIMIZAR OS SERVIDORES,EQUIPÁLOS E TREINÁLOS PARA O CONTROLE E COMBATE AOS VETORES TRANSMISSÍVEIS DE DOENÇAS.

23 FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMA Nº Manutenção e Operacionalização do Programa FMS ( Saúde do Trabalhador ) SUB-FUNÇÃO: 301 ATENÇÃO BÁSICA PROVER DE RECURSOS DE RECURSOS MATERIAIS E HUMANOS PARA O BOM DESENVOLVIMENTO DE SUAS FUNÇÕES. OTIMIZAR AO ATENDIMETO NAS UNIDADES DE SAUDE DA FAMILIA. POPULAÇÃO 100% 100% 100% 100% , , , ,00 OTIMIZAR E MELHORAR O FLUXO DE ATENDIMENTO NAS UNIDADES DE SAUDE DA FAMILIA. OTIMIZAR E MELHORAR O FLUXO DE ATENDIMENTO NAS UNIDADES DE SAUDE DA FAMILIA. OTIMIZAR E MELHORAR O FLUXO DE ATENDIMENTO NAS ZUNIDADES DE SAUDE DA FAMILIA. OTIMIZAR E MELHORAR O FLUXO DE ATENDIMENTO NAS UNIDADES DE SAUDE DA FAMILIA.

24 Programa Saúde da Família SUB-FUNÇÃO: 301 ATENÇÃO BÁSICA FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMA Nº PROVER DE RECURSOS DE RECURSOS MATERIAIS E HUMANOS PARA O BOM DESENVOLVIMENTO DE SUAS FUNÇÕES. PROVER O BOM ATENDIMENTO AOS USUÁRIOS DO SUS PERMITINDO ASSIM AOS QUE BUSCAM ATENDIMENTOS UMA MELHOR QUALIDADE DE VIDA. Melhores condições de trabalho para os agentes comunitários de saúde, com fornecimento de uniformes adequados às estações do ano, protetores solares e bicicletas. Implantação do Programa de Saúde da Família na unidade de saúde do Bairro 249. Implantação do Programa de Saúde da Família na unidade de saúde do Bairro Ponte Alta. População, agentes comunitários de saúde do Programa Saúde da Família. 100% 100% 100% 100% , , , ,00 OTIMIZAR E MELHORAR O FLUXO DE ATENDIMENTO AOS USUÁRIOS DAS UNIDADES DE SAUDE DA FAMILIA. OTIMIZAR E MELHORAR O FLUXO DE ATENDIMENTO AOS USUÁRIOS DAS UNIDADES DE SAUDE DA FAMILIA. OTIMIZAR E MELHORAR O FLUXO DE ATENDIMENTO AOS USUARIOS DA SUNIDADES DE SAUDE DA FAMILIA.

25 OTIMIZAR E MELHORAR O FLUXO DE ATENDIMENTO AOS USUARIOS DAS UNIDADES DE SAUDE DA FAMILIA.. FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMA Nº Manutenção da Gestão do SUS( Financ.das Açoes Aliment e Nutri) FAN SUB-FUNÇÃO: 301 ATENÇÃO BÁSICA PROVER DE RECURSOS DE RECURSOS MATERIAIS E HUMANOS PARA O BOM DESENVOLVIMENTO DE SUAS FUNÇÕES. PROVER O BOM ATENDIMENTO AOS USUÁRIOS DO SUS,PERMITINDO ASSIM AOS QUE BUSCAM ATENDIMENTOS UMA MELHOR QUALIDADE DE VIDA. População. 100% 100% 100% 100% , , ,00 PROVER DE RECURSOS MATERIAS E HUMANOS AS UNIDADES,PARA O BOM DESENVOLVIMENTO DOS PROJETOS RELATIVOS A ÁREA.. PROVER DE RECURSOS MATERIAS E HUMANOS AS UNIDADES,PARA O BOM DESENVOLVIMENTO DOS PROJETOS RELATIVOS A ÁREA. PROVER DE RECURSOS MATERIAS E HUMANOS AS UNIDADES,PARA O BOM DESENVOLVIMENTO DOS PROJETOS RELATIVOS A ÁREA.

26 PROVER DE RECURSOS MATERIAS E HUMANOS AS UNIDADES,PARA O BOM DESENVOLVIMENTO DOS PROJETOS RELATIVOS A ÁREA. FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMA Nº Manutenção da Gestão de Saúde ( PROGESUS / Complexo Reguladores ) SUB-FUNÇÃO: 301 ATENÇÃO BÁSICA PROVER DE RECURSOS DE RECURSOS MATERIAIS E HUMANOS PARA O BOM DESENVOLVIMENTO DE SUAS FUNÇÕES. PROVER O BOM ATENDIMENTO AOS USUÁRIOS DO SUS,PERMITINDO ASSIM AOS QUE BUSCAM ATENDIMENTOS UMA MELHOR QUALIDADE DE VIDA. População. 100% 100% 100% 100% , , , PROVER DE RECURSOS MATERIAS E HUMANOS AS UNIDADES,PARA O BOM DESENVOLVIMENTO DOS PROJETOS RELATIVOS A ÁREA.. PROVER DE RECURSOS MATERIAS E HUMANOS AS UNIDADES,PARA O BOM DESENVOLVIMENTO DOS PROJETOS RELATIVOS A ÁREA. PROVER DE RECURSOS MATERIAS E HUMANOS AS UNIDADES,PARA O BOM DESENVOLVIMENTO DOS PROJETOS RELATIVOS A ÁREA.

27 PROVER DE RECURSOS MATERIAS E HUMANOS AS UNIDADES,PARA O BOM DESENVOLVIMENTO DOS PROJETOS RELATIVOS A ÁREA.

28 FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMA Nº Programa de Compensação e Especificadores Regionais SUB-FUNÇÃO: 301 ATENÇÃO BÁSICA PROVER DE RECURSOS DE RECURSOS MATERIAIS E HUMANOS PARA O BOM DESENVOLVIMENTO DE SUAS FUNÇÕES. PROVER O BOM ATENDIMENTO AOS USUÁRIOS DO SUS,PERMITINDO ASSIM AOS QUE BUSCAM ATENDIMENTOS UMA MELHOR QUALIDADE DE VIDA. População. 100% 100% 100% 100% , , , ,00 PROVER DE RECURSOS MATERIAS E HUMANOS AS UNIDADES,PARA O BOM DESENVOLVIMENTO DOS PROJETOS RELATIVOS A ÁREA.. PROVER DE RECURSOS MATERIAS E HUMANOS AS UNIDADES,PARA O BOM DESENVOLVIMENTO DOS PROJETOS RELATIVOS A ÁREA. PROVER DE RECURSOS MATERIAS E HUMANOS AS UNIDADES,PARA O BOM DESENVOLVIMENTO DOS PROJETOS RELATIVOS A ÁREA. PROVER DE RECURSOS MATERIAS E HUMANOS AS UNIDADES,PARA O BOM DESENVOLVIMENTO DOS PROJETOS RELATIVOS A ÁREA.

29 FUNDO COMUNITÁRIO DE VOLTA REDONDA PROGRAMA Nº Manutenção, Construção, Ampliação e Reforma de Unidades de Saúde SUB-FUNÇÃO: 301 ATENÇÃO BÁSICA Enfatizar as ações voltadas à atenção básica de saúde, dinamizando a expansão de programas face obras de manutenção, construção, reformas e ampliação das unidades de saúde propiciando uma melhor gestão e aparelhamento de toda rede. Reformar e/ou resgatar as unidades de saúde inclusive a criação de novas unidades. Construção de uma unidade de saúde no Bairro Colorado. Construção de uma unidade de saúde no Bairro Conforto. Construção de uma unidade de saúde no Bairro Eldorado. Construção de uma unidade de saúde no Bairro Santa Cruz II. Construção de um Centro Odontológico Integrado no Bairro Açude II. População de modo geral, baixa renda, excluídos. INDICADOR Em desenvolvimento 40% 30% 20% 10% , , , ,00 Reforma, ampliação e construção de unidades de saúde conforme solicitação. Manutenção de todas as unidades de acordo com a demanda. Construção de um posto de saúde no Bairro Casa de Pedra. Construção de um posto de saúde no Bairro Aero Clube. Construção, ampliação e reforma de Unidades Básicas de Saúde. Construção, ampliação e reforma de Unidades Básicas de Saúde.

30 Avaliação das ações, mensuração dos projetos e programas, levantamentos estatísticos por amostragem, apresentação de relatório com propostas para o próximo quadriênio em acordo com o gestor municipal. Apoio a Saúde SUB-FUNÇÃO: 122 ADMINISTRAÇÃO GERAL Viabilizar a contração de funcionários para trabalharem na saúde. COMPANHIA DE HABITAÇÃO DE VOLTA REDONDA PROGRAMA Nº Prover a SMS de recursos humanos de apoio para o bom desenvolvimento das atividades daquela secretaria. Em construção INDICADOR 100% 100% 100% 100% , , , ,00 100% da demanda atendida. 100% da demanda atendida. 100% da demanda atendida.

31 100% da demanda atendida. SERVIÇO AUTÔNOMO HOSPITALAR PROGRAMA Nº Atenção Hospitalar e Ambulatorial - I SUB-FUNÇÃO: 302 ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL AMPLIAR A CAPACIDADE OPERACIONAL E TECNOLÓGICA DO CENTRO CIRÚRGICO DOS HOSPITAIS MUNICIPAIS SÃO JOÃO BATISTA E MUNIR RAFFUL COMO REFERENCIA DE QUALIDADE PARA O MUNICÍPIO E REGIÃO EM PROCEDIMENTOS CIRÚRGICOS E CLÍNICOS DE MÉDIA E ALTA COMPLEXIDADE; AUMENTAR A OFERTA DE CIRURGIAS ELETIVAS; REFORMA DO CENTRO CIRURGICO E CENTRAL DE INTERNAÇÃO; MANTER O CC EM PLENO FUNCIONAMENTO AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E REFORMAS ESTRUTURAIS PARA REALIZAÇÃO DE CIRURGIA BARIÁTRICA. População INDICADOR 200 CIRURGIAS NO HMMR E 265 NO HSJB 100% 100% 100% 100% , , , ,00 AMPLIAR A OFERTA DE CIRURGIAS ELETIVAS DE 400 PARA 420 NO HOSPITAL SÃO JOÃO BATISTA AMPLIAR A OFERTA DE CIRURGIAS ELETIVAS DE 200 PARA 220 NO HOSPITAL MUNICIPAL MUNIR RAFFUL. AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E REFORMAS ESTRUTURAIS PARA REALIZAÇÃO DE CIRURGIA BARIÁTRICA. AMPLIAR A OFERTA DE CIRURGIAS ELETIVAS DE 420 PARA 441 AMPLIAR A OFERTA DE CIRURGIAS ELETIVAS DE 220PARA 231 NO HOSPITAL MUNICIPAL MUNIR RAFFUL. AMPLIAR A OFERTA DE CIRURGIAS ELETIVAS DE 441 PARA 463 AMPLIAR A OFERTA DE CIRURGIAS ELETIVAS DE 231PARA 243 NO HOSPITAL MUNICIPAL MUNIR RAFFUL. AMPLIAR A OFERTA DE CIRURGIAS ELETIVAS DE 463 PARA 463. AMPLIAR A OFERTA DE CIRURGIAS ELETIVAS DE 231PARA 243 NO HOSPITAL MUNICIPAL MUNIR RAFFUL.

32 SERVIÇO AUTÔNOMO HOSPITALAR PROGRAMA Nº Atenção Hospitalar e Ambulatorial - II SUB-FUNÇÃO: 302 ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL AMPLIAR A CAPACIDADE OPERACIONAL E TECNOLÓGICA DO CENTRO CIRÚRGICO DOS HOSPITAIS MUNICIPAIS SÃO JOÃO BATISTA E MUNIR RAFFUL COMO REFERENCIA DE QUALIDADE PARA O MUNICÍPIO E REGIÃO EM PROCEDIMENTOS CIRÚRGICOS DE MÉDIA E ALTA COMPLEXIDADE; DIMINUIR OS ÍNDICES DE SUSPENSÃO DE CIRURGIAS. IDENTIFICAÇÃO DAS CAUSAS DE SUSPENSÃO DE CIRURGIAS; REVISÃO DOS PROCESSOS DE TRABALHO; ATUAÇÃO CORRETIVA NAS CAUSAS DIRETAS E INDIRETAS; DEFINIÇÃO DA PROGAMAÇÃO DA CAPACIDADE INSTALADA DO CENTRO DO CENTRO CIRURGICO; REDEFINÇÃO DA CAPACIDADE OPERACIONAL DAS EQUIPES DE CIRURGIÕES E DE ENFERMAGEM; AVALIAÇÃO DO PARQUE TECNOLÓGICO DO SETOR; AQUISIÇÃO DOS EQUIPAMENTOS E INSTRUMENTAIS NECESSÁRIOS; IMPLANTAÇÃO DE INDICADORES DE MONITORAMENTO, PRODUÇÃO E QUALIDADE.. AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E REFORMAS ESTRUTURAIS PARA REALIZAÇÃO DE EXAMES COMPLEMENTARES NECESSÁRIOS PARA REALIZAÇÃO DE CIRURGIAS DE CATARATA. População e equipe INDICADOR HOSPITAL SÃO JOÃO BATISTA: 28%, HOSPITAL MUNICIPAL MUNIR RAFFUL: 16% HSJB:20% HMMR:14% HSJB:18% HMMR:12% HSJB:15% HMMR:10% HSJB:10% HMMR:10% , , , ,00 REDUZIR OS INDICES DE SUSPENSÃO DE CIRUR GIA NO HOSPITAL SÃO JOÃO BATISTA EM 28,57% ATÉ DEZEMBRO DE REDUZIR OS INDICES DE SUSPENSÃO DE CIRURGIA NO HOSPITAL MUNICIPAL MUNIR RAFFUL EM % ATÉ DEZEMBRO DE AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E REFORMAS ESTRUTURAIS PARA REALIZAÇÃO DE EXAMES COMPLEMENTARES NECESSÁRIOS PARA REALIZAÇÃO DE CIRURGIAS DE CATARATA. REDUZIR OS INDICES DE SUSPENSÃO DE CIRUR GIA NO HOSPITAL SÃO JOÃO BATISTA EM 10% ATÉ DEZEMBRO DE REDUZIR OS INDICES DE SUSPENSÃO DE CIRURGIA NO HOSPITAL MUNICIPAL MUNIR RAFFUL EM 14,28%, ATÉ DEZEMBRO DE REDUZIR OS INDICES DE SUSPENSÃO DE CIRUR GIA NO HOSPITAL SÃO JOÃO BATISTA EM 16,6% ATÉ DEZEMBRO DE REDUZIR OS INDICES DE SUSPENSÃO DE CIRURGIA NO HOSPITAL MUNICIPAL MUNIR RAFFUL EM 16,6 % ATÉ DEZEMBR0 DE REDUZIR OS INDICES DE SUSPENSÃO DE CIRUR GIA NO HOSPITAL SÃO JOÃO BATISTA EM 33,3% ATÉ DEZEMBRO DE REDUZIR OS INDICES DE SUSPENSÃO DE CIRURGIA NO HOSPITAL MUNICIPAL MUNIR RAFFUL EM 16,6 % ATÉ DEZEMBRO DE 2010.

33

34 SERVIÇO AUTÔNOMO HOSPITALAR PROGRAMA Nº Atenção Hospitalar e Ambulatorial - III SUB-FUNÇÃO: 302 ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL AMPLIAR A OFERTA DE INTERNAÇÕES DE MÉDIA E ALTA COMPLEXIDADE.NOS DOIS HOSPITAIS PÚBLICOS MUNICIPAIS. OTIMIZAR OS RECURSOS EXISTENTES AUMENTAR O FATURAMENTO DOS HOSPITAIS PÚBLICOS MUNICIPAIS. REDEFINIÇÃO DO PERFIL ASISTENCIAL DOS HOSPITAIS PÚBLICOS MUNICIPAIS; DEFINIÇÃO DA NECESSIDADE DE LEITOS POR HOSPITAL; RECADASTAMENTO DOS LEITOS EXISTENTES; AMPLIAÇÃO DO NÚMERO DE LEITOS EM CLÍNICA MÉDICA, OBSTÈTRICIA, CIRURGIA E DE UTI E UI ADULTO E NEO NATAL; IMPLANTAÇÃO DA CENTRAL DE LEITOS NOS DOIS HOSPITAIS; INCREMENTO DO PROGRAMA DE INTERNAÇÃO DOMICILIAR, AUMENTAR O NÚMERO DE ENFERMARIAS DO HOSPITAL SÃO JOÃO BATISTA, EQUIPAR AS ENFERMARIAS NOVAS População HSJB: ;(+) 3.3% HMMR;(+) 2% INDICADOR HSJB:: 590 INTERNAÇÕES POR MÊS. HMMR; 300 INTERNAÇÕES POR MÊS HSJB: ;(+) 2% HMMR;(+) 3% HSJB: ;(+) 2% HMMR;(+) 2,2% HSJB ;(+) 2%: HMMR;(+) 2.5% , , , ,00 AMPLIAR A OFERTA DE INTERNAÇÕES DO HSJB PARA 610 ATÉ DEZEMBRO DE AMPLIAR A OFERTA DE INTERNAÇÕES DO HMMR PARA 306 ATÉ DEZEMBRO DE 2010 AMPLIAR A OFERTA DE INTERNAÇÕES DO HSJB PARA 622 ATÉ DEZEMBRO DE AMPLIAR A OFERTA DE INTERNAÇÕES DO HMMR PARA 315 ATÉ DEZEMBRO DE AMPLIAR A OFERTA DE INTERNAÇÕES DO HSJB PARA 635 ATÉ DEZEMBRO DE AMPLIAR A OFERTA DE INTERNAÇÕES DO HMMR PARA 322 ATÉ DEZEMBRO DE 2012 AMPLIAR A OFERTA DE INTERNAÇÕES DO HSJB PARA 648 ATÉ DEZEMBRO DE AMPLIAR A OFERTA DE INTERNAÇÕES DO HMMR PARA 330 ATÉ DEZEMBRO DE 2013.

35 SERVIÇO AUTÔNOMO HOSPITALAR PROGRAMA Nº Atenção Hospitalar e Ambulatorial - IV SUB-FUNÇÃO: 302 ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL AMPLIAR A OFERTA DE CONSULTAS ESPECIALIZADAS AMBULATORIAIS DOS HOSPITAIS PÚBLICOS MUNICIPAIS. OTIMIZAR OS RECURSOS EXISTENTES; SUPRIR PARCIALMENTE AS NECESSIDADES DA REDE BÁSICA MUNICIPAL; REDEFINIÇÃO DA CAPACIDADE OPERACIONAL DAS ESPECIALIDADES EXISTENTES NOS HOSPITAIS PÚBLICOS MUNICIPAIS; DEFINIÇÃO DA OFERTA DE SERVIÇOS; DEFINIÇÃO DOS FLUXOS DE ACESSO; IMPLANTAÇÃO DOS PROTOCOLOS DE ACESSO EM PARCERIA COM A SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE EQUIPAR E IMPLANTAR O SOFTWARE DE GESTÃO DO AMBULATÓRIO População INDICADOR HSJB:3343 CONSULTAS POR MÊS. HMMR: CONSULTAS POR MÊS HSJB:(+)2% HMMR(+)6.25% HSJB:(+)3% HMMR(+)2% HSJB:(+)2% HMMR:(+)2% HSJB:(+)1.90% HMMR:(+)2% , , , ,00 AMPLIAR A OFERTA DE CONSULTAS DE PARA ATÉ DEZEMBRO DE 2010, NO HSJB. AMPLIAR A OFERTA DE CONSULTAS DE 4500 PARA 4800 ATÉ DEZEMBRO DE 2010, NO HMMR AMPLIAR A OFERTA DE CONSULTAS DE PARA ATÉ DEZEMBRO DE 2010, NO HSJB. AMPLIAR A OFERTA DE CONSULTAS DE 4800PARA 4900 ATÉ DEZEMBRO DE 2010, NO HMMR AMPLIAR A OFERTA DE CONSULTAS DE 3.617PARA ATÉ DEZEMBRO DE 2010, NO HSJB. AMPLIAR A OFERTA DE CONSULTAS DE 4900 PARA ATÉ DEZEMBRO DE 2010, NO HMMR AMPLIAR A OFERTA DE CONSULTAS DE 3690PARA 3760 ATÉ DEZEMBRO DE 2010, NO HSJB. AMPLIAR A OFERTA DE CONSULTAS DE PARA ATÉ DEZEMBRO DE 2010, NO HMMR

36 SERVIÇO AUTÔNOMO HOSPITALAR PROGRAMA Nº Atenção Hospitalar e Ambulatorial - V SUB-FUNÇÃO: 302 ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL REDUZIR O TEMPO MÉDIO DE PERMANENCIA.NOS HOSPITAIS PÚBLICOS MUNICIPAIS; QUALIFICAR A ATENÇÃO HOSPITALAR; AMPLIAR A OFERTA DE INTERNAÇÕES IDENTIFICAÇÃO DAS CAUSA DIRETAS E INDIRETAS DO TEMPO MÉDIO DE PERMANENCIA ELEVADO, POR CLÍNICA. ELABORAÇÃO DE PLANO DE AÇÃO VISANDO A REDUÇÃO DAS CAUSAS PREPONDERANTES; INCREMENTO DO PID EM PARCERIA COM A SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE; REDEFINIÇÃO DO PAPEL DAS EQUIPES NO PROCESSO DE ACOMPANHAMENTO DOS PACIENTES INTERNADOS E DA ALTA HOSPITALAR. População INDICADOR HSJB: 6.0 TEMPO MÉDIO DE PERMANENCIA GERAL HMMR: 6.0 TEMPO MÉDIO DE PERMANENCIA GERAL HSJB:(-)3.3% HMMR(-)8.3% HSJB:(-)5.18% HMMR(-)3.6% HSJB:(-)3.6% HMMR:(-)5.7% HSJB:(-)0% HMMR:(-)2% 5.000, , , ,00 REDUZIR O TEMPO MÉDIO DE PERMANÊNCIA NOS HSJB E HMMR DE 6.0 E 6.0, PARA 5,8 E 5.5, RESPECTIVAMENTE REDUZIR O TEMPO MÉDIO DE PERMANÊNCIA NOS HSJB E HMMR DE 5,8 E 5,5, PARA 5.5 E 5,3, RESPECTIVAMENTE REDUZIR O TEMPO MÉDIO DE PERMANÊNCIA NOS HSJB E HMMR DE 5,5 E 5,3, PARA 5,3 E 5,0, RESPECTIVAMENTE REDUZIR O TEMPO MÉDIO DE PERMANÊNCIA NOS HSJB E HMMR DE 5,3 E 5,0, PARA 5,3 E 4,9, RESPECTIVAMENTE

37 SERVIÇO AUTÔNOMO HOSPITALAR PROGRAMA Nº Atenção Hospitalar e Ambulatorial - VI SUB-FUNÇÃO: 302 ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL REDUZIR A TAXA DE MORTALIDADE GERAL HOSPITALAR DOS DOIS HOSPITAIS PÚBLICOS MUNICIPAIS QUALIFICAR A ATENÇÃO HOSPITALAR. IDENTIFICAÇÃO DO PERFIL DE MORBIMORTALIDADE DOS HOSPITAIS PÚBLICOS MUNICIPAIS ELABORAÇÃO DE PLANO DE AÇÃO VISANDO A REDUÇÃO DAS CAUSAS PREPONDERANTES EM PARCERIA COM A SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE. CAPACITAR AS EQUIPES População INDICADOR HSJB: 6.5 TAXA DE MORTALIDADE HOSPITALAR GERAL HMMR: 5.6 TAXA DE MORTALIDADE GERAL HSJB:(-)3.1% HMMR(-)1.8% HSJB:(-)3.2% HMMR(-)3.6% HSJB:(-)1.6% HMMR:(-)1.9% HSJB:(-)3.3% HMMR:(-)0% , , , ,00 REDUZIR A TAXA DE MORTALIDADE GERAL NOS HSJB E HMMR DE 6.5 E 5.6, PARA 6.3 E 5.5, RESPECTIVAMENTE REDUZIR O TEMPO MÉDIO DE PERMANÊNCIA NOS HSJB E HMMR DE 6.3 E 5,5, PARA 6.1 E 5.3, RESPECTIVAMENTE REDUZIR O TEMPO MÉDIO DE PERMANÊNCIA NOS HSJB E HMMR DE 6.1 E 5,3, PARA 6.0 E 5,2, RESPECTIVAMENTE REDUZIR O TEMPO MÉDIO DE PERMANÊNCIA NOS HSJB E HMMR DE 6.0 E 5,2, PARA 5,8 E 5.2, RESPECTIVAMENTE

38 Hospital Humanizado - III SERVIÇO AUTÔNOMO HOSPITALAR PROGRAMA Nº SUB-FUNÇÃO: 302 ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL Implantar a política de Urgência/Emergência segundo normas do Ministério da Saúde e como componente do SAMU regional. Implantar a humanização / acolhimento e classificação de riscos na Urgência / Emergência do HSJB e do HMMR. Adequar as estruturas das Unidades de Urgência/Emergência ao projeto de humanização / acolhimento e Ambiência. Reduzir o tempo de espera com atendimento acolhedor e resolutivo baseado em critérios de risco e por linhas de cuidado. Implantar o novo boletim de atendimento nas Unidades de Urgência e Emergência, implantar o software para gestão da Urgência e Emergência e classificação de risco População do município, médicos, enfermeiros e administrativos dos Hospitais São João Batista e Municipal Munir Rafful. INDICADOR 100% implantado 100% 100% 100% , , , ,00 Boletim plenamente implantado até janeiro de 2010 SOFTWARE DE GESTÃO INSTALADA E FUNCIONANDO ATÉ DEZEMBRO DE SOFTWARE DE GESTÃO FUNCIONANDO. SOFTWARE DE GESTÃO INSTALADA E FUNCIONANDO.

39 Hospital Humanizado - I SERVIÇO AUTÔNOMO HOSPITALAR PROGRAMA Nº SUB-FUNÇÃO: 302 ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL IMPLANTAR A POLÍTICA DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA SEGUNDO NORMAS DO MINISTÉRIO DA SAÚDE E COMO COMPONENTE DO SAMU REGIONAL. IMPLANTAR A HUMANIZAÇÃO / ACOLHIMENTO E CLASSIFICAÇÃO DE RISCOS NA URGÊNCIA / EMERGÊNCIA DO HSJB E DO HMMR. ADEQUAR AS ESTRUTURAS DAS UNIDADES DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA AO PROJETO DE HUMANIZAÇÃO / ACOLHIMENTO E AMBIÊNCIA. REDUZIR O TEMPO DE ESPERA COM ATENDIMENTO ACOLHEDOR E RESOLUTIVO BASEADO EM CRITÉRIOS DE RISCO E POR LINHAS DE CUIDADO; IMPLANTAR A CLASSIFICAÇÃO DE RISCO. REFORMA DA UNIDADE DE URGENCIA /EMERGENCIA ADULTO DO HOSPITAL SÃO JOÃO BATISTA SEGUNDO O PROJETO APROVADO E AS NORMAS VIGENTES. POPULAÇÃO DO MUNICÍPIO, MÉDICOS, ENFERMEIROS E ADMINISTRATIVOS DOS HOSPITAIS SÃO JOÃO BATISTA E MUNICIPAL MUNIR RAFFUL. INDICADOR Unidade 100%reformada , , , ,00 UNIDADE DE URGÊNCIA/ EMERGÊNCIA DO HOSPITAL SÃO JOÃO BATISTA REFORMADA ATÉ JANEIRO DE 2010.

40 Hospital Humanizado - II SERVIÇO AUTÔNOMO HOSPITALAR PROGRAMA Nº SUB-FUNÇÃO: 302 ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL IMPLANTAR A POLÍTICA DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA SEGUNDO NORMAS DO MINISTÉRIO DA SAÚDE E COMO COMPONENTE DO SAMU REGIONAL. IMPLANTAR A HUMANIZAÇÃO / ACOLHIMENTO E CLASSIFICAÇÃO DE RISCOS NA URGÊNCIA / EMERGÊNCIA DO HSJB E DO HMMR. ADEQUAR AS ESTRUTURAS DAS UNIDADES DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA AO PROJETO DE HUMANIZAÇÃO / ACOLHIMENTO E AMBIÊNCIA. REDUZIR O TEMPO DE ESPERA COM ATENDIMENTO ACOLHEDOR E RESOLUTIVO BASEADO EM CRITÉRIOS DE RISCO E POR LINHAS DE CUIDADO. REFORMAR A UNIDADE DE URGENCIA /EMERGENCIA ADULTO E INFANTIL DO HOSPITAL MUNICIPAL MUNIR RAFFUL SEGUNDO O PROJETO APROVADO SEGUNDO AS NORMAS VIGENTES. MANTER AS UNIDADES EM CONDIÇÕES DE USO. POPULAÇÃO DO MUNICÍPIO, MÉDICOS, ENFERMEIROS E ADMINISTRATIVOS DOS HOSPITAL MUNICIPAL MUNIR RAFFUL.. INDICADOR Unidade 100%reformada 100% 100% 100% , , , ,00 UNIDADE DE URGÊNCIA/ EMERGÊNCIA DO HOSPITAL MUNICIPAL MUNIR RAFFUL REFORMADA ATÉ JANEIRO DE 2010.

41 Gestão Pela Qualidade - I SERVIÇO AUTÔNOMO HOSPITALAR PROGRAMA Nº SUB-FUNÇÃO: 302 ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL IIMPLANTAR A GESTÃO PELA QUALIDADE/CUIDADO HUMANIZADO; IMPLANTAR A FUNDAÇÃO HOSPITALAR E DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA PUBLICA DE DIREITO PRIVADO NO MUNICIPIO. CONTRAÇÃO DE EMPRESA PARA SUPORTE A IMPLANTAÇÃO DA FUNDAÇÃO E GESTÃO PELA QUALIDADE- CUIDADO HUMANIZADO. NOMEAR COMISSÃO PARA DESENVOLVER E IMPLANTAR O PROJETO; DESENVOLVIMENTO DO PROJETO DE IMPLANTAÇÃO DA FUNDAÇÃO E GESTÃO PELA QUALIDADE. IMPLANTAÇÃO DA FUNDAÇÃO E DA GESTÃO PELA QUALIDADE-CUIDADO HUMANIZADO. POPULAÇÃO E EQUIPE DOS DOIS HOSPITAIS. INDICADOR 100%NOMEADA E CONTRATADA 80%DO PROJETO DESENVOLVIDO 100% IMPLANTADO , , , ,00 NOMEAR COMISSÃO PARA DESENVLOVER E ACOMPANHAR O PROJETO ATÉ DEZEMBRO JUNHO DE CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA SUPORTE ATÉ SETEMBRO DE 2010; 80% DO PROJETO DE FUNDAÇÃO E GESTÃO PELA QUALIDADE DESENVOLVIDO E IMPLANTADO, ATÉ DEZEMBRO DE FUNDAÇÃO E GESTÃO PELA QUALIDADE, 100% DESENVOLVIDO E IMPLANTADO, ATÉ DEZEMBRO DE 2012.

42 SERVIÇO AUTÔNOMO HOSPITALAR PROGRAMA Nº Atenção Hospitalar Gestão Pela Qualidade III SUB-FUNÇÃO: 302 ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL ADEQUAR A ESTRUTURA FÍSICA AS NECESSIDADES DA EQUIPE MÉDICA DO HOSPITAL MUNICIPAL MUNIR RAFFUL. 1. REFORMA E AMPLIAÇÃO DO QUARTO DOS MÉDICOS DO HOSPITAL MUNICIPAL MUNIR RAFFUL. População INDICADOR 100% REFORMADO , , , ,00 REFORMADO ATÉ JANEIRO DE 2010.

43 Gestão Pela Qualidade - IV SERVIÇO AUTÔNOMO HOSPITALAR PROGRAMA Nº SUB-FUNÇÃO: 302 ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL INTEGRAR HOSPITAL MUNICIPAL MUNIR RAFFUL E HOSPITAL SÃO JOÃO BATISTA A REDE DE SERVIÇOS; ADEQUAR A ESTRUTURA FÍSICA AO DEFINIDO PELA POLITICA NACIONAL DE URGÊNCIA/EMERGENCIA. REDEFINIR O PERFIL ASSISTENCIAL DAS DUAS UNIDADES DE URGENCIA/EMERGENCIA HOSPITALARES DO MUNICIPIO. IMPLANTAR A GESTÃO PELA QUALIDADE E DO CUIDADO HUMANIZADO REDEFINIÇÃO DAS EQUIPES POR ESPECIALIDADES QUE ATUAM NOS DOIS HOSPITAIS REDEFINIÇÃO DA CAPACIDADE OPERACIONAL POR EQUIPE DE PROFISSIONAIS; FORMALIZAÇÃO DE OFERTA POR EQUIPE DE PROFISSIONAIS; DEFINIÇÃO DO TIPO DE CIRURGIAS QUE SERÃO OFERTADAS POR PERFIL DE COMPLEXIDADE E POR EQUIPE DE PROFISSIONAIS, REDEFINIÇÃO DO FLUXO DE ACESSO AOS SERVIÇOS OFERECIDOS; IMPLANTAÇÃO DA CENTRAL DE INTERNAÇÃO E DE MARCAÇÃO DE CONSULTAS NOS DOIS HOSPITAIS; DISPONIBILIZAÇÃO PARA A CENTRAL DE LEITOS DO MUNICIPIO E SISREG; População INDICADOR 100% IMPLANTADO 5.000, , , ,00 A IMPLATAÇÃO INTEGRAL DO PROJETO CONCLUIDA ATÉ JANEIRO DE 2010.

44 Gestão Pela Qualidade - V SERVIÇO AUTÔNOMO HOSPITALAR PROGRAMA Nº SUB-FUNÇÃO: 302 ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL INTEGRAR HOSPITAL MUNICIPAL MUNIR RAFFUL E HOSPITAL SÃO JOÃO BATISTA A REDE DE SERVIÇOS COM REDEFINIÇÃO DO PERFIL ASSISTENCIAL DAS DUAS UNIDADES DE URGENCIA /EMERGENCIA HOSPITALARES. IMPLANTAR A GESTÃO PELA QUALIDADE HOSPITAL HUMANIZADO; ADEQUAR A UNIDADE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA E AS PORTARIAS NÚMEROS: 2.048, 1863 E 1864/ MINISTÉRIO DA SAÚDE. IMPLANTAÇÃO DA CLASSIFICAÇÃO DE RISC NOS DOIS HOSPITAIS PÚBLICOS MUNICIPAIS. AQUISIÇÃO EQUIPAMENTOS E INSTRUMENTAIS NECESSÁRIOS AO INCREMENTO TECNONOLÓGICO PARA AS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NAS UNIDADES DE URGÊNCIA./EMERGÊNCIA HOSPITALARES DO SAH. POPULAÇÃO E EQUIPE DAS UNIDADES DE SAUDE. INDICADOR 100% IMPLANTADA 100% ADQUIRIDOS , ,00 IMPLANTADA A CLASSIFICAÇÃO DE RISCO NAS UNIDADES DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA ATÉ JANEIRO DE 2010 ADQUIRIDOS 100% DOS EQUIPAMENTOS E INSTRUMENTAL DAS UNIDADES DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA ATÉ JANEIRO DE 2011.

45 SERVIÇO AUTÔNOMO HOSPITALAR PROGRAMA Nº Atenção Hospitalar Gestão Pela Qualidade - VII SUB-FUNÇÃO: 302 ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL ADEQUAR A ESTRUTURA FÍSICA DA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA E UNIDADE INTERMIADIÁRIA ADULTO, DO HOSPITAL MUNICIPAL MUNIR RAFFUL. A RDC Nº50-ANVISA E A PORTARIA Nº3.432 DE AGOSTO DE 1998 SAS/MS. AMPLIAR A OFERTA DE LEITOS DE UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA E UNIDADE INTERMEDIÁRIA ADULTO, PARA O MUNICIPIO E REGIÃO. REFORMA E AMPLIAÇÃO DA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA E UNIDADE INTERMIADIÁRIA ADULTO DO HOSPITAL MUNICIPAL MUNIR RAFFUL. MANTER EM CONDIÇÕES DE USO. População INDICADOR 0%CONCLUÍDA 30%CONCLUÍDA 70% 0, , , ,00 REFORMA 30%CONCLUIDA ATÉ DEZEMBRO DE % CONCLUIDA ATÉ ABRIL DE 2011 AMPLIAR O NUMERO DE VAGAS DE UTI ADULTO EM 40% - DE 06 VAGAS PARA 10 VAGAS AMPLIAR O NUMERO DE VAGAS DE UI ADULTO EM 100% - DE 03 VAGAS PARA 06 VAGAS

46 Gestão Pela Qualidade - VIII SERVIÇO AUTÔNOMO HOSPITALAR PROGRAMA Nº SUB-FUNÇÃO: 302 ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL SUPRIR AS NECESSIDADES DE RECURSOS HUMANOS NECESSÁRIOS AS UNIDADES DE TERAPIA INTENSIVA E UNIDADE INTERMEDIÁRIA DE ADULTOS DO HOSPITAL SÃO JOÃO BATISTA E HOSPITAL MUNICIPAL MUNIR RAFFUL. CONTRATAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS: MÉDICOS, ENFERMEIROS, AUXILIARES DE ENFERMAGEM, POR SELEÇÃO PÚBLICA, PARA COBRIR AS NECESSIDADES DAS UNIDADES.. População INDICADOR 50% CONTRATADOS (+) 50%CONTRATADOS , ,00 CONTRATAR 100% DOS PROFISSIONAIS NECESSÁRIOS PARA COBRIR OS PLANTÕES DAS UNIDADES DE TERAPIA INTENSIVA E UNIDADE INTERMEDIÁRIA DE ADULTOS DO HOSPITAL SÃO JOÃO BATISTA, ATÉ DEZEMBRO DE CONTRATAR 100% DOS PROFISSIONAIS NECESSÁRIOS PARA COBRIR OS PLANTÕES DAS UNIDADES DE TERAPIA INTENSIVA E UNIDADE INTERMEDIÁRIA DE ADULTOS ATÉ JULHO DE 2011.

47 Gestão Pela Qualidade - IX SERVIÇO AUTÔNOMO HOSPITALAR PROGRAMA Nº SUB-FUNÇÃO: 302 ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL ADEQUAR A ESTRUTURA FÍSICA DA UNIDADE E DOS LEITOS DE TERAPIA INTENSIVA E UNIDADE INTERMEDIÁRIA ADULTO DO HOSPITAL SÃO JOÃO BATISTA. A RDC Nº50-ANVISA E A PORTARIA Nº3432 SAS/MS. AMPLIAR A OFERTA DE LEITOS DAS UNIDADES DE TERAPIA INTENSIVA E UNIDADE INTERMEDIÁRIA ADULTO PARA O MUNICIPIO E REGIÃO.. REFORMA E AMPLIAÇÃO DA UNIDADE E DOS LEITOS DE TERAPIA INTENSIVA E UNIDADE INTERMEDIÁRIA ADULTO DO HOSPITAL SÃO JOÃO BATISTA;. AVALIAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS EXISTENTES, DEFINIÇÃO DE INCREMENTO TECNOLÓGICO; AQUISIÇAO DE EQUIPAMENTOS E MATERIAIS NECESSÁRIOS. MANTER EM CONDIÇÕES DE USO. População INDICADOR 100% REFORMADA , , , ,00 100%CONCLUÍDA ATÉ DEZEMBRO DE AMPLIAR A OFERTA DE LEITOS DE UTI PARA MAIS 70 % - DE 09 VAGAS PARA 15 VAGAS, ATÉ DEZEMBRO DE AMPLIAR A OFERTA DE LEITOS DE UI PARA MAIS 100 % - DE 04 VAGAS PARA 08 VAGAS, ATÉ DEZEMBRO DE 2010

48 Gestão Pela Qualidade SERVIÇO AUTÔNOMO HOSPITALAR PROGRAMA Nº SUB-FUNÇÃO: 302 ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL ADEQUAR A ESTRUTURA FÍSICA DO CENTRO OBSTÉTRICO DO HOSPITAL SÃO JOÃO BATISTA A RDC Nº50 ANVISA E AS NORMAS DA COMISSÃO DE INFECÇÃO HOSPITALAR, E AS NECESSIDADES DO MUNICIPIO. MELHORAR AS CONDIÇÕES DE TRABALHO. REFORMA DO CENTRO OBSTÉTRICO-HOSPITAL SÃO JOÃO BATISTA, AVALIAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS E INSTRUMENTAIS EXISTENTES; REPOSIÇÃO DOS EQUIPAMENTOS E INSTRUMENTAIS NECESSÁRIOS; IMPLANTAÇÃO DE PROTOCOLOS ASSISTENCIAIS E ADMINISTRATIVOS; CAPACITAÇÃO SISTEMÁTICA DAS EQUIPES. MANTER EM CONDIÇÕES DE USO. POPULAÇÃO E EQUIPE DO HOSPITAL INDICADOR 100%REFORMADA ,OO , , ,00 CENTRO OBSTÉTRICO REFORMADO ATÉ SETEMBRO DE 2010.

49 SERVIÇO AUTÔNOMO HOSPITALAR PROGRAMA Nº Atenção Hospitalar Gestão Pela Qualidade - XI SUB-FUNÇÃO: 302 ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL INTEGRAR HOSPITAL MUNICIPAL MUNIR RAFFUL E HOSPITAL SÃO JOÃO BATISTA A REDE DE SERVIÇOS COM REDEFINIÇÃO DO PERFIL ASSISTENCIAL DAS DUAS UNIDADES HOSPITALARES. CONTRUIR O LACTARIO DO HOSPITAL MUNICIPAL MUNIR RAFFUL; MANTER EM CONDIÇÕES DE USO. População INDICADOR 100% implantado , , ,00 LACTÁRIO FUNCIONANDO ATÉ DEZEMBRO DE

50 Hospital Humanizado - III SERVIÇO AUTÔNOMO HOSPITALAR PROGRAMA Nº SUB-FUNÇÃO: 302 ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL IMPLANTAR A POLÍTICA DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA SEGUNDO NORMAS DO MINISTÉRIO DA SAÚDE E COMO COMPONENTE DO SAMU REGIONAL. IMPLANTAR A HUMANIZAÇÃO / ACOLHIMENTO E CLASSIFICAÇÃO DE RISCOS NA URGÊNCIA / EMERGÊNCIA DO HSJB E DO HMMR. ADEQUAR AS ESTRUTURAS DAS UNIDADES DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA AO PROJETO DE HUMANIZAÇÃO / ACOLHIMENTO-AMBIÊNCIA. REDUZIR O TEMPO DE ESPERA COM ATENDIMENTO ACOLHEDOR E RESOLUTIVO BASEADO EM CRITÉRIOS DE RISCO E POR LINHAS DE CUIDADO CAPACITAÇÃO DE TODOS OS MÉDICOS CLÍNICOS, PEDIATRAS E CIRURGIÕES QUE ATUAM NOS SETORES DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA HSJB E HMMR; CAPACITAÇÃO E TREINAMENTO DE TODA A EQUIPE DE ADMINISTRATIVOS E ENFERMAGEM DOS SETORES DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA HSJB E HMMR. IMPLANTAÇÃO DA EDUCAÇÃO PERMANENTE. MÉDICOS, ENFERMEIROS E ADMINISTRATIVOS DOS HOSPITAIS SÃO JOÃO BATISTA E MUNICIPAL MUNIR RAFFUL. INDICADOR 0% DAS EQUIPES DOS SETORES DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA DOS HOSPITAIS SÃO JOÃO BATISTA E MUNICIPAL MUNIR RAFFUL CAPACITADOS 90%TREINADOS 100%TREINADOS 100% 100% , , , ,00 90% dos médicos, enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem até junho de % dos administrativos até março de %pessoal da limpeza até janeiro de % dos médicos, enfermeiros,técnicos e auxiliares de enfermagem, até junho de % dos administrativos, até março de %pessoal da limpeza, até janeiro de % dos médicos, enfermeiros,técnicos e auxiliares de enfermagem. 100% dos administrativos; 100%pessoal da limpeza. 100% dos médicos, enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem. 100% dos administrativos; 100%pessoal da limpeza

51 Gestão Pela Qualidade - X SERVIÇO AUTÔNOMO HOSPITALAR PROGRAMA Nº SUB-FUNÇÃO: 302 ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL IMPLANTAR A POLÍTICA DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA SEGUNDO NORMAS DO MINISTÉRIO DA SAÚDE E COMO COMPONENTE DO SAMU REGIONAL. IMPLANTAR A HUMANIZAÇÃO / ACOLHIMENTO E CLASSIFICAÇÃO DE RISCOS NA URGÊNCIA / EMERGÊNCIA DO HSJB E DO HMMR. ADEQUAR AS ESTRUTURAS DAS UNIDADES DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA AO PROJETO DE HUMANIZAÇÃO / ACOLHIMENTO E AMBIÊNCIA. REDUZIR O TEMPO DE ESPERA COM ATENDIMENTO ACOLHEDOR E RESOLUTIVO BASEADO EM CRITÉRIOS DE RISCO E POR LINHAS DE CUIDADO Implantação das comissões hospitalares; Comissão de Documentação Médica e Estatística; Comissão de Mortalidade Materna e Neonatal. Comissão de Ética; Comissão Interna de Prevenção de Acidentes; Comissão de óbitos; Comissão de Revisão de Prontuários; Comissão de Transplante e Captação de órgãos, Comissão de reprocessamento de material e padronização de técnicas de esterilização. Comissão de Avaliação e Padronização de materiais e equipamentos Médico Hospitalar; Comitê Interno de Urgência e Emergência Implantação dos indicadores de monitoramento e qualidade do funcionamento das comissões. POPULAÇÃO DO MUNICÍPIO, MÉDICOS, ENFERMEIROS E ADMINISTRATIVOS DOS HOSPITAIS SÃO JOÃO BATISTA E MUNICIPAL MUNIR RAFFUL. INDICADOR 0% DAS EQUIPES DOS SETORES DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA DOS HOSPITAIS SÃO JOÃO BATISTA E MUNICIPAL MUNIR RAFFUL CAPACITADOS 100% IMPLANTADAS E FUNCIONANDO INDICADORES 100% AVALIADOS 100% 100% 2.000, , , ,00 COMISSÕES HOSPITALARES;IMPLANTADAS ATÉ JANEIRO DE 2010 IMPLANTAÇÃO DA AVALIAÇÃO ATRAVÉS INDICADORES DE MONITORAMENTO E QUALIDADE ATÉ JANEIRO A DEFINIR A DEFINIR

52 Hospital Humanizado - IV SERVIÇO AUTÔNOMO HOSPITALAR PROGRAMA Nº SUB-FUNÇÃO: 302 ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL IMPLANTAR A POLÍTICA DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA SEGUNDO NORMAS DO MINISTÉRIO DA SAÚDE E COMO COMPONENTE DO SAMU REGIONAL. IMPLANTAR A HUMANIZAÇÃO / ACOLHIMENTO E CLASSIFICAÇÃO DE RISCOS NA URGÊNCIA / EMERGÊNCIA DO HSJB E DO HMMR. ADEQUAR AS ESTRUTURAS DAS UNIDADES DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA AO PROJETO DE HUMANIZAÇÃO / ACOLHIMENTO E AMBIÊNCIA. REDUZIR O TEMPO DE ESPERA COM ATENDIMENTO ACOLHEDOR E RESOLUTIVO BASEADO EM CRITÉRIOS DE RISCO E POR LINHAS DE CUIDADO EQUIPAR E INFORMATIZAR AS UNIDADES DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA DOS HOSPITAIS PÚBLICOS MUNICIPAIS, SEGUNDO O PLANO DE INVESTIMENTO E NECESSIDADES DO SETOR. MANTER EM PLENO FUNCIONAMENTO. POPULAÇÃO DO MUNICÍPIO, MÉDICOS, ENFERMEIROS E ADMINISTRATIVOS DOS HOSPITAIS SÃO JOÃO BATISTA. INDICADOR UNIDADE URGÊNCIA/ EMERGÊNCIA DO HOSPITAL SJB 100%INFORMATIZADA UNIDADES DE URGÊNCIA/ EMERGÊNCIA DO HMMR100% INFORMATIZADA , , , ,00 UNIDADES DE URGÊNCIA/ EMERGÊNCIA DO HOSPITAL SÃO JOÃO BATISTA INFORMATIZADA ATÉ DEZEMBRO DE 2010 UNIDADES DE URGÊNCIA/ EMERGÊNCIA DO HSOPITAL MUNICIPAL MUNIR RAFFUL PLENAMENTE INFORMATIZADA ATÉ JUNHO DE

53 Hospital Humanizado - V SERVIÇO AUTÔNOMO HOSPITALAR PROGRAMA Nº SUB-FUNÇÃO: 302 ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL Implantar a política de Urgência/Emergência segundo normas do Ministério da Saúde e como componente do SAMU regional. Implantar a humanização / acolhimento e classificação de riscos na Urgência / Emergência do HSJB e do HMMR. Adequar as estruturas das Unidades de Urgência/Emergência ao projeto de humanização / acolhimento e Ambiência. Reduzir o tempo de espera com atendimento acolhedor e resolutivo baseado em critérios de risco e por linhas de cuidado IMPLANTAÇÃO DO ACOLHIMENTO E CLASSIFICAÇÃO DE RISCO NO HOSPITAL SÃO JOÃO BATISTA E NO HOSPITAL MUNICIPAL MUNIR RAFFUL. CAPACITAÇÃO DAS EQUIPES. População do município, médicos, enfermeiros e administrativos dos Hospitais São João Batista e Municipal Munir Rafful. INDICADOR 100% IMPLANTADO 100% CAPACITADAS , , , ,00 Implantado até junho de 2010.

Princípios e proposições gerais para a Saúde no Governo Wagner:

Princípios e proposições gerais para a Saúde no Governo Wagner: Princípios e proposições gerais para a Saúde no Governo Wagner: 1) defesa do Sistema Único de Saúde (SUS) universal, humanizado e de qualidade; 2) compromisso do governo com a geração de emprego, distribuição

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE SERVIÇO AUTÔNOMO HOSPITALAR

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE SERVIÇO AUTÔNOMO HOSPITALAR PROGRAMA Nº- 125 GESTÃO PELA QUALIDADE - I Código Descrição SUB-FUNÇÃO: 122 ADMINISTRAÇÃO GERAL OBJETIVOS: Implantar um novo modelo de gestão pela qualidade que dinamiza a capacidade de gestão, agilize

Leia mais

Capacitação de Profissionais em Prevenção, Controle e Assistência Oncológica

Capacitação de Profissionais em Prevenção, Controle e Assistência Oncológica Programa 0011 PREVENÇÃO E CONTROLE DO CÂNCER E ASSISTÊNCIA ONCOLÓGICA Objetivo Indicador(es) Promover a prevenção, a detecção precoce dos tipos de câncer prevalentes e a assistência à população para reduzir

Leia mais

ROBERTO REQUIÃO 15 GOVERNADOR COLIGAÇÃO PARANÁ COM GOVERNO (PMDB/PV/PPL)

ROBERTO REQUIÃO 15 GOVERNADOR COLIGAÇÃO PARANÁ COM GOVERNO (PMDB/PV/PPL) ROBERTO REQUIÃO 15 GOVERNADOR COLIGAÇÃO PARANÁ COM GOVERNO (PMDB/PV/PPL) PROPOSTAS PARA SAÚDE Temos plena convicção de que uma ambulância com destino à capital não pode ser considerada como um tratamento

Leia mais

O Planejamento na Administração Municipal. - Plano Plurianual Participativo 2010 2013 -

O Planejamento na Administração Municipal. - Plano Plurianual Participativo 2010 2013 - O Planejamento na Administração Municipal - Plano Plurianual Participativo 2010 2013 - Informação é Cidadania Março - 2013 Orçamento = Planejamento Programa de Governo Planejamento Estratégico Situacional

Leia mais

b. Completar a implantação da Rede com a construção de hospitais regionais para atendimentos de alta complexidade.

b. Completar a implantação da Rede com a construção de hospitais regionais para atendimentos de alta complexidade. No programa de governo do senador Roberto Requião, candidato ao governo do estado pela coligação Paraná Com Governo (PMDB/PV/PPL), consta um capítulo destinado apenas à universalização do acesso à Saúde.

Leia mais

SAÚDE PÚBLICA PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA. Palestrante: Carolina Ferri

SAÚDE PÚBLICA PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA. Palestrante: Carolina Ferri SAÚDE PÚBLICA PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA Palestrante: Carolina Ferri Programa de Saúde da Família Estratégia de reorientação do modelo assistencial, operacionalizada mediante a implantação de equipes

Leia mais

FINANCIAMENTO DA ASSISTENCIA PARA ALÉM DO PAGAMENTO POR PRODUÇÃO MAC/FAEC/INCENTIVOS/REDES

FINANCIAMENTO DA ASSISTENCIA PARA ALÉM DO PAGAMENTO POR PRODUÇÃO MAC/FAEC/INCENTIVOS/REDES 13º AUDHOSP Congresso Nacional de Auditoria em Saúde e Qualidade da Gestão e Assistência Hospitalar FINANCIAMENTO DA ASSISTENCIA PARA ALÉM DO PAGAMENTO POR PRODUÇÃO MAC/FAEC/INCENTIVOS/REDES Setembro/2014

Leia mais

PREFEITURA MUNICPAL DE VALENÇA Secretaria Municipal de Saúde PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE

PREFEITURA MUNICPAL DE VALENÇA Secretaria Municipal de Saúde PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE PREFEITURA MUNICPAL DE VALENÇA Secretaria Municipal de Saúde PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE 2014 2 PREFEITURA MUNICIPAL DE VALENÇA-RJ Endereço: Rua Dr. Figueiredo nº 320 Centro Valença-RJ - CEP: 27.600-000

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SAÚDE 2014 a 2017 DIRETRIZES, OBJETIVOS E METAS PLURIANUAIS

PLANO MUNICIPAL DE SAÚDE 2014 a 2017 DIRETRIZES, OBJETIVOS E METAS PLURIANUAIS PLANO MUNICIPAL DE SAÚDE 2014 a 2017 DIRETRIZES, OBJETIVOS E METAS PLURIANUAIS IDENTIFICAÇÃO MUNICIPAL Município: Prefeito: Endereço da Prefeitura: São José do Rio Preto Valdomiro Lopes da Silva Junior

Leia mais

Projeto Hospitais de Excelência /Ministério da Saúde / Programa de Desenvolvimento e Apoio àgestão Hospital Samaritano

Projeto Hospitais de Excelência /Ministério da Saúde / Programa de Desenvolvimento e Apoio àgestão Hospital Samaritano Análise do processo de implementação de políticas na área hospitalar do Ministério da Saúde: contratualização de hospitais de ensino e filantrópicos no Brasil Projeto Hospitais de Excelência /Ministério

Leia mais

Câmara Municipal de Volta Redonda RJ PROGRAMA Nº - 191

Câmara Municipal de Volta Redonda RJ PROGRAMA Nº - 191 Câmara Municipal de Volta Redonda RJ PROGRAMA Nº - 191 Manutenção e Operacionalização do SAH Promover a instalação de ferramentas de gestão que permitam o perfeito gerenciamento das informações dos diversos

Leia mais

GLOSSÁRIO DO PORTAL SAÚDE TRANSPARENTE

GLOSSÁRIO DO PORTAL SAÚDE TRANSPARENTE GLOSSÁRIO DO PORTAL SAÚDE TRANSPARENTE Blocos de financiamento: Com a implementação do Pacto pela Saúde, os recursos federais, destinados ao custeio de ações e serviços da saúde, passaram a ser divididos

Leia mais

QUALIHOSP 2013 Secretaria de Saúde de São Bernardo do Campo

QUALIHOSP 2013 Secretaria de Saúde de São Bernardo do Campo REDES DE ATENÇÃO EM SAÚDE: A EXPERIÊNCIA DE SÃO BERNARDO DO CAMPO QUALIHOSP 2013 Secretaria de Saúde de São Bernardo do Campo SÃO BERNARDO DO CAMPO É O 5º MUNICÍPIO DO ESTADO DE SP EM POPULAÇÃO E ORÇAMENTO

Leia mais

NOTA TÉCNICA 55 2011

NOTA TÉCNICA 55 2011 Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com transtornos mentais e com necessidades decorrentes do uso prejudicial de crack, álcool e outras drogas, no âmbito do SUS. Minuta de portaria: Institui a Rede

Leia mais

Plano de Governo 2013/2016 Secretaria Municipal de Saúde

Plano de Governo 2013/2016 Secretaria Municipal de Saúde Secretaria Municipal de Saúde Garantir o bom funcionamento e reais condições de atendimento a população em toda Rede de Serviços de Saúde, de forma eficiente; Fortalecer o Conselho Municipal de Saúde,

Leia mais

As tendências do Sistema Único de Saúde FGV 2009 1693 A Cidade de Curitiba 1916 2009 316 anos Missão da SMS Planejar e executar a política de saúde para o Município de Curitiba, responsabilizando- se pela

Leia mais

unidades, serviços e ações que interagem para um objetivo comum: a promoção, proteção e recuperação da Saúde.

unidades, serviços e ações que interagem para um objetivo comum: a promoção, proteção e recuperação da Saúde. O SISTEMA DE SAÚDE PÚBLICA EM SANTA CATARINA Fevereiro/2013 SUS S O SUS é um SISTEMA, um conjunto de unidades, serviços e ações que interagem para um objetivo comum: a promoção, proteção e recuperação

Leia mais

REALIDADE E DESAFIOS DA INTEGRAÇÃO ENSINO-SERVIÇO. Apresentador: Leógenes Maia Santiago Coordenador Curso Odontologia Executor Carta acordo Pró-Saúde

REALIDADE E DESAFIOS DA INTEGRAÇÃO ENSINO-SERVIÇO. Apresentador: Leógenes Maia Santiago Coordenador Curso Odontologia Executor Carta acordo Pró-Saúde REALIDADE E DESAFIOS DA INTEGRAÇÃO ENSINO-SERVIÇO Apresentador: Leógenes Maia Santiago Coordenador Curso Odontologia Executor Carta acordo Pró-Saúde CARUARU (PE) CAPITAL DO AGRESTE Recife(PE) 136Km Cidade

Leia mais

PREFEITURA MUNICPAL DE VALENÇA Secretaria Municipal de Saúde PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE

PREFEITURA MUNICPAL DE VALENÇA Secretaria Municipal de Saúde PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE PREFEITURA MUNICPAL DE VALENÇA Secretaria Municipal de Saúde PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE 2015 2 PREFEITURA MUNICIPAL DE VALENÇA-RJ Endereço: Rua Dr. Figueiredo nº 320 Centro Valença-RJ - CEP: 27.600-000

Leia mais

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html Página 1 de 5 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.559, DE 1º DE AGOSTO DE 2008 Institui a Política Nacional

Leia mais

POLITICA NACIONAL DE ATENÇÃO HOSPITALAR - PNHOSP

POLITICA NACIONAL DE ATENÇÃO HOSPITALAR - PNHOSP POLITICA NACIONAL DE ATENÇÃO HOSPITALAR - PNHOSP Macro estratégias Discussão, pactuação tripartite, e publicação de portaria da Politica Nacional de Atenção Hospitalar/PNHOSP no SUS, estabelecendo as diretrizes

Leia mais

Unidade de Urgência e Emergência: 88 leitos Média de 480 atendimentos/dia

Unidade de Urgência e Emergência: 88 leitos Média de 480 atendimentos/dia Perfil do HOB Hospital (autarquia), geral, de ensino O HOB conta com 409 leitos Média de 1.484 internações/mês Unidade de Urgência e Emergência: 88 leitos Média de 480 atendimentos/dia Perfil do HOB Unidades

Leia mais

Como a Tecnologia pode democratizar o acesso à saúde

Como a Tecnologia pode democratizar o acesso à saúde Como a Tecnologia pode democratizar o acesso à saúde Smartcity Business América 2015 Curitiba PR Brazil Maio de 2015 Sociedades Inteligentes e Governaça Airton Coelho, MsC, PMP Secretário de Ciência e

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SES/GO

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SES/GO SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SES/GO SUPERINTENDÊNCIA DE POLÍTICAS DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE-SPAIS Goiânia Agosto/2011 SUPERINTENDÊNCIA DE POLÍTICAS DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE - SPAIS 7. GERÊNCIA DE

Leia mais

SAÚDE PÚBLICA 4 A DESCENTRALIZAÇÃO DO SISTEMA DE SAÚDE BRASILEIRO

SAÚDE PÚBLICA 4 A DESCENTRALIZAÇÃO DO SISTEMA DE SAÚDE BRASILEIRO SAÚDE PÚBLICA 4 A DESCENTRALIZAÇÃO DO SISTEMA DE SAÚDE BRASILEIRO OBJETIVOS DAS NOBs a)promover integração entre as esferas de governo definindo responsabilidades na consolidação do SUS; b)operacionalizar

Leia mais

Resumo do Projeto Nacional de Atendimento ao Acidente Vascular Cerebral

Resumo do Projeto Nacional de Atendimento ao Acidente Vascular Cerebral MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO ESPECIALIZADA COORDENAÇÃO GERAL DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA Resumo do Projeto Nacional de Atendimento ao Acidente Vascular Cerebral

Leia mais

PORTARIA Nº 648/GM DE 28 DE MARÇO DE 2006.

PORTARIA Nº 648/GM DE 28 DE MARÇO DE 2006. PORTARIA Nº 648/GM DE 28 DE MARÇO DE 2006. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica para o Programa Saúde da Família

Leia mais

Câmara Municipal de Volta Redonda RJ PROGRAMA Nº - 095

Câmara Municipal de Volta Redonda RJ PROGRAMA Nº - 095 PROGRAMA Nº - 095 Manutenção e Operacionalização da SMS SUB-FUNÇÃO: 122 ADMINISTRAÇÃO GERAL Prover a SMS de Recursos materiais e Humanos para o bom desenvolvimento de suas funções.. Prover o bom atendimento

Leia mais

AULA 1: ORGANIZAÇÃO E PLANEJAMENTO NA EMERGÊNCIA

AULA 1: ORGANIZAÇÃO E PLANEJAMENTO NA EMERGÊNCIA AULA 1: ORGANIZAÇÃO E PLANEJAMENTO NA EMERGÊNCIA 1- INTRODUÇÃO Quando uma pessoa sofre agravo agudo à saúde, deve ser acolhido em serviço do SUS mais próximo de sua ocorrência, seja numa Unidade de Saúde

Leia mais

DIREITO À VIDA A GESTÃO DA QUALIDADE E DA INTEGRALIDADE DO CUIDADO EM SAÚDE PARA A MULHER E A CRIANÇA NO SUS-BH: a experiência da Comissão Perinatal

DIREITO À VIDA A GESTÃO DA QUALIDADE E DA INTEGRALIDADE DO CUIDADO EM SAÚDE PARA A MULHER E A CRIANÇA NO SUS-BH: a experiência da Comissão Perinatal DIREITO À VIDA A GESTÃO DA QUALIDADE E DA INTEGRALIDADE DO CUIDADO EM SAÚDE PARA A MULHER E A CRIANÇA NO SUS-BH: a experiência da Comissão Perinatal Grupo temático: Direito à vida, à saúde e a condições

Leia mais

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 121, DE 25 DE JANEIRO DE 2012

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 121, DE 25 DE JANEIRO DE 2012 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 121, DE 25 DE JANEIRO DE 2012 Institui a Unidade de Acolhimento para pessoas

Leia mais

SECRETARIA DE SAÚDE - Pronto Socorro Municipal recebe Licença Sanitária de Funcionamento: - Mais de 12 mil atendimentos nos mutirões:

SECRETARIA DE SAÚDE - Pronto Socorro Municipal recebe Licença Sanitária de Funcionamento: - Mais de 12 mil atendimentos nos mutirões: SECRETARIA DE SAÚDE - Pronto Socorro Municipal recebe Licença Sanitária de Funcionamento: o Pronto Socorro Adulto de Taubaté teve seu funcionamento aprovado pela Vigilância Sanitária Estadual. O documento

Leia mais

PORTARIA Nº 1.366, DE 8 DE JULHO DE 2013 Legislações - GM

PORTARIA Nº 1.366, DE 8 DE JULHO DE 2013 Legislações - GM PORTARIA Nº 1.366, DE 8 DE JULHO DE 2013 Legislações - GM Sex, 12 de Julho de 2013 00:00 PORTARIA Nº 1.366, DE 8 DE JULHO DE 2013 Estabelece a organização dos Centros de Trauma, estabelecimentos de saúde

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL

RESPONSABILIDADE SOCIAL RESPONSABILIDADE SOCIAL Antes mesmo de inaugurar seu hospital, em 1971, a Sociedade já se dedicava ao exercício da responsabilidade social, atendendo crianças carentes da comunidade na área de Pediatria

Leia mais

Tabela das Despesas Contabilizáveis para as Ações e Serviços Públicos de Saúde - ASPS. Assist. Social

Tabela das Despesas Contabilizáveis para as Ações e Serviços Públicos de Saúde - ASPS. Assist. Social Descrição da Despesa ASPS Assist. Social Outros Base Legal Subsídio do Secretário da Saúde, Assistência e Meio Ambiente. X 1 1 Casos em que a Secretaria da Saúde abranja outras áreas de atuação, deverá

Leia mais

Capítulo Políticas públicas. Termo de Referência do setor Saúde. Políticas de Saúde

Capítulo Políticas públicas. Termo de Referência do setor Saúde. Políticas de Saúde Capítulo Políticas públicas Termo de Referência do setor Saúde Políticas de Saúde 1 Considerações gerais A Secretaria Municipal de Saúde de Campinas, gestora do Sistema Único de Saúde - SUS Campinas tem

Leia mais

ALEGRETE DO PIAUÍ Coligação "ALEGRETE PARA TODOS" Plano de Governo 2013 a 2016

ALEGRETE DO PIAUÍ Coligação ALEGRETE PARA TODOS Plano de Governo 2013 a 2016 ALEGRETE DO PIAUÍ Coligação "ALEGRETE PARA TODOS" Plano de Governo 2013 a 2016 1 APRESENTAÇÃO O candidato a Prefeito de Alegrete do Piauí através da coligação ALEGRETE PARA TODOS, Márcio William Maia Alencar

Leia mais

Atenção de Média e Alta Complexidade Hospitalar: Financiamento, Informação e Qualidade. Experiência da Contratualização no Município de Curitiba

Atenção de Média e Alta Complexidade Hospitalar: Financiamento, Informação e Qualidade. Experiência da Contratualização no Município de Curitiba Atenção de Média e Alta Complexidade Hospitalar: Financiamento, Informação e Qualidade Experiência da Contratualização no Município de Curitiba 9º - AUDHOSP Águas de Lindóia Setembro/2010 Curitiba População:1.818.948

Leia mais

Prefeitura trabalha para melhorar a saúde PREFEITURAFAZ. no SUS Contagem.

Prefeitura trabalha para melhorar a saúde PREFEITURAFAZ. no SUS Contagem. PREFEITURAFAZ INFORMATIVO DA PREFEITURA DE CONTAGEM CONTAGEM - Nº 13 - JUNHO DE 2008 Prefeitura trabalha para melhorar a saúde A Prefeitura de Contagem, em parceria com o Governo Federal, através do Ministério

Leia mais

Portaria GM n. 1130 que institui a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC) no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS)

Portaria GM n. 1130 que institui a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC) no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) Portaria GM n. 1130 que institui a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC) no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) PORTARIA Nº 1.130, DE 5 DE AGOSTO DE 2015 O MINISTRO DE ESTADO

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO PORTARIA MS/GM Nº 1.130, DE 5 DE AGOSTO DE 2015

MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO PORTARIA MS/GM Nº 1.130, DE 5 DE AGOSTO DE 2015 MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO PORTARIA MS/GM Nº 1.130, DE 5 DE AGOSTO DE 2015 Institui a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC) no âmbito do Sistema Único de Saúde

Leia mais

* Portaria SAS/MS nº 356 de 22 de setembro de 2000

* Portaria SAS/MS nº 356 de 22 de setembro de 2000 * Portaria SAS/MS nº 356 de 22 de setembro de 2000 O Secretário de Assistência à Saúde, no uso de suas atribuições legais, Considerando a Portaria GM/MS nº 569, de 1º de julho de 2000, que institui o Programa

Leia mais

DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ

DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ EIXO 1 DIREITO À SAÚDE, GARANTIA DE ACESSO E ATENÇÃO DE QUALIDADE Prioritária 1: Manter o incentivo aos Programas do Núcleo Apoio da Saúde da Família

Leia mais

Município de Guarulhos População: 1.244.518 habitantes

Município de Guarulhos População: 1.244.518 habitantes Município de Guarulhos População: 1.244.518 habitantes 1 2 EQUIPAMENTOS DE SAÚDE NO MUNICÍPIO Hospitais Municipais: 03 Hospitais Estaduais: 02 Hospitais Filantrópicos: 02 Policlínicas: 06 Unidade de Pronto

Leia mais

MANIFESTO DOS TERAPEUTAS OCUPACIONAIS À REDE DE HOSPITAIS PÚBLICOS FEDERAIS DO RIO DE JANEIRO

MANIFESTO DOS TERAPEUTAS OCUPACIONAIS À REDE DE HOSPITAIS PÚBLICOS FEDERAIS DO RIO DE JANEIRO MANIFESTO DOS TERAPEUTAS OCUPACIONAIS À REDE DE HOSPITAIS PÚBLICOS FEDERAIS DO RIO DE JANEIRO O Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão editou a portaria n 292 no dia 4 de julho de 2012 que autoriza

Leia mais

Artigo A GESTÃO DO FLUXO ASSISTENCIAL REGULADO NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE João Marcelo Barreto Silva

Artigo A GESTÃO DO FLUXO ASSISTENCIAL REGULADO NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE João Marcelo Barreto Silva Artigo A GESTÃO DO FLUXO ASSISTENCIAL REGULADO NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE João Marcelo Barreto Silva Introduzir ações de regulação em um sistema de saúde requer um diagnóstico apurado de uma série de processos

Leia mais

REGULAMENTO OPERACIONAL DA CENTRAL DE REGULAÇÃO CENTRAL DE CONSULTAS E EXAMES ESPECIALIZADOS

REGULAMENTO OPERACIONAL DA CENTRAL DE REGULAÇÃO CENTRAL DE CONSULTAS E EXAMES ESPECIALIZADOS REGULAMENTO OPERACIONAL DA CENTRAL DE REGULAÇÃO CENTRAL DE CONSULTAS E EXAMES ESPECIALIZADOS Aprovado através da Resolução nº 06/CMS/2010, de 09 de março de 2010, Ananindeua PA Capítulo I DO CADASTRAMENTO

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS PARA UM PLANO DE GOVERNO

DIRETRIZES GERAIS PARA UM PLANO DE GOVERNO DIRETRIZES GERAIS PARA UM PLANO DE GOVERNO Ações de Inclusão Social e de Combate à Pobreza Modelo Próprio de Desenvolvimento Infra-estrutura para o Desenvolvimento Descentralizado Transparência na Gestão

Leia mais

A N E X O I - E D I T A L 01/2015 A T R I B U I Ç Õ E S E R E Q U I S I T O S D O S C A R G O S C O N C U R S O P Ú B L I C O Nº 002/2015

A N E X O I - E D I T A L 01/2015 A T R I B U I Ç Õ E S E R E Q U I S I T O S D O S C A R G O S C O N C U R S O P Ú B L I C O Nº 002/2015 A N E X O I - E D I T A L 01/2015 A T R I B U I Ç Õ E S E R E Q U I S I T O S D O S C A R G O S C O N C U R S O P Ú B L I C O Nº 002/2015 NÍVEL SUPERIOR CIRURGIÃO DENTISTA BUCO MAXILO FACIAL - CEOCAM Realizar

Leia mais

COLIGAÇÃO INOVAR É PRECISO PROPOSTA DE GOVERNO 2013/2016

COLIGAÇÃO INOVAR É PRECISO PROPOSTA DE GOVERNO 2013/2016 COLIGAÇÃO INOVAR É PRECISO PROPOSTA DE GOVERNO 2013/2016 ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL Implantar o Plano Diretor. Implantar o Orçamento participativo. Valorização pessoal do funcionário público municipal. Implantação

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE PARACAMBI

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE PARACAMBI SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE PARACAMBI PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAUDE 2014 PROGRAMA: 06 Administração Governamental. Objetivo: Promover ações indispensáveis ao funcionamento administrativo e operacional

Leia mais

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Proposta de ações para elaboração do Plano Estadual da Pessoa com Deficiência Objetivo Geral: Contribuir para a implementação

Leia mais

PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES VIABILIZADORAS FT DE SAÚDE - "A SANTA MARIA QUE QUEREMOS"

PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES VIABILIZADORAS FT DE SAÚDE - A SANTA MARIA QUE QUEREMOS 1 - Apoiar a construção coletiva e implementação do Plano Realizar a Conferência com uma ampla participação da comunidade Conferência Municipal de Saúde Conferência realizada PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE Pág.: 1 de 21 PREFEITURA MUNICIPAL DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM Programação Anual de Saúde 2015 Pág.: 2 de 21 SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE 2015 Cachoeiro de Itapemirim-ES Novembro/2014

Leia mais

SAÚDE DA MULHER, MORTALIDADE MATERNA E REDUÇÃO DE DANOS. Novembro de 2008

SAÚDE DA MULHER, MORTALIDADE MATERNA E REDUÇÃO DE DANOS. Novembro de 2008 PARAÍBA NEGO SAÚDE DA MULHER, MORTALIDADE MATERNA E REDUÇÃO DE DANOS Novembro de 2008 Atenção Básica Conjunto de ações de saúde, no âmbito individual e coletivo, que abrangem a promoção e a proteção da

Leia mais

SAÚDE. Coordenador: Liliane Espinosa de Mello

SAÚDE. Coordenador: Liliane Espinosa de Mello Coordenador: Liliane Espinosa de Mello SAÚDE Visão: Que Santa Maria seja o principal Polo na Área de Saúde do interior do Rio Grande do Sul, contribuindo para a melhor qualidade de vida da população da

Leia mais

TELESSAÚDE BRASIL REDES NA ATENÇÃO BÁSICA

TELESSAÚDE BRASIL REDES NA ATENÇÃO BÁSICA MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA TELESSAÚDE BRASIL REDES NA ATENÇÃO BÁSICA MANUAL INSTRUTIVO Sumário Introdução... 3 Atividades a serem desenvolvidas dentro

Leia mais

I SEMINÁRIO NACIONAL DO PROGRAMA NACIONAL DE REORIENTAÇÃO DA FORMAÇÃO PROFISIONAL EM SAÚDE PRÓ-SAÚDE II

I SEMINÁRIO NACIONAL DO PROGRAMA NACIONAL DE REORIENTAÇÃO DA FORMAÇÃO PROFISIONAL EM SAÚDE PRÓ-SAÚDE II Ministério da Educação Secretaria de Ensino Superior Diretoria de Hospitais Univ ersitários e Residências em Saúde A articulação da Graduação em Saúde, dos Hospitais de Ensino e das Residências em Saúde

Leia mais

GRÁFICO 136. Gasto anual total com transplante (R$)

GRÁFICO 136. Gasto anual total com transplante (R$) GRÁFICO 136 Gasto anual total com transplante (R$) 451 3.5.2.13 Freqüência de transplantes por procedimentos Pela tabela da freqüência anual de transplantes por procedimentos, estes cresceram cerca de

Leia mais

PROJETO DE ESTRUTURAÇÃO SAÚDE PÚBLICA Prefeitura Municipal de Itapeva - SP. Maio de 2014

PROJETO DE ESTRUTURAÇÃO SAÚDE PÚBLICA Prefeitura Municipal de Itapeva - SP. Maio de 2014 PROJETO DE ESTRUTURAÇÃO SAÚDE PÚBLICA Prefeitura Municipal de Itapeva - SP Maio de 2014 UMA RÁPIDA VISÃO DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL HOJE Estrutura com grandes dimensões, complexa, onerosa e com falta de

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PILÕES CNPJ: 08.148.488/0001-00 CEP: 59.5960-000 GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PILÕES CNPJ: 08.148.488/0001-00 CEP: 59.5960-000 GABINETE DO PREFEITO LEI Nº. 277/2007. CEP: 5.50-000 Institui o Programa Casa da Família e dá outras providências. A Câmara Municipal aprovou e eu, Prefeito do Município de Pilões, sanciono e promulgo a seguinte lei: Art.

Leia mais

PROJETO DE LEI 01-00453/2014 dos Vereadores Floriano Pesaro (PSDB), Andrea Matarazzo (PSDB), José Américo (PT) e Marta Costa (PSD)

PROJETO DE LEI 01-00453/2014 dos Vereadores Floriano Pesaro (PSDB), Andrea Matarazzo (PSDB), José Américo (PT) e Marta Costa (PSD) Secretaria de Documentação Equipe de Documentação do Legislativo PROJETO DE LEI 01-00453/2014 dos Vereadores Floriano Pesaro (PSDB), Andrea Matarazzo (PSDB), José Américo (PT) e Marta Costa (PSD) Autores

Leia mais

PORTARIA Nº 399/GM DE 22 DE FEVEREIRO DE 2006. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, INTERINO, no uso de suas atribuições, e

PORTARIA Nº 399/GM DE 22 DE FEVEREIRO DE 2006. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, INTERINO, no uso de suas atribuições, e PORTARIA Nº 399/GM DE 22 DE FEVEREIRO DE 2006. Divulga o Pacto pela Saúde 2006 Consolidação do SUS e aprova as Diretrizes Operacionais do Referido Pacto. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, INTERINO, no uso

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM RELATÓRIO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR III SERVIÇOS HOSPITALARES

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM RELATÓRIO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR III SERVIÇOS HOSPITALARES 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM RELATÓRIO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR III SERVIÇOS HOSPITALARES MARIÁ BARBALHO NARDI Orientadora: Prof.ª Drª Isabel Cristina Echer

Leia mais

PORTARIA Nº 375, DE 10 DE MARÇO DE 2014

PORTARIA Nº 375, DE 10 DE MARÇO DE 2014 PORTARIA Nº 375, DE 10 DE MARÇO DE 2014 Regulamenta a aplicação das emendas parlamentares que adicionarem recursos à Rede SUS no exercício de 2014 para aplicação em obras de ampliação e construção de entidades

Leia mais

AUTÓGRAFO DE LEI N. 83, DE 30 DE SETEMBRO DE 2013

AUTÓGRAFO DE LEI N. 83, DE 30 DE SETEMBRO DE 2013 AUTÓGRAFO DE LEI N. 83, DE 30 DE SETEMBRO DE 2013 Altera a Lei n. 1788/2009 e alterações (PPA exercício 2010/2013), a Lei n. 2077/2012 (LDO exercício de 2013 e alterações) e abre Crédito Suplementar na

Leia mais

QUESTOES DE CONCURSO

QUESTOES DE CONCURSO QUESTOES DE CONCURSO 1. Com o envelhecimento populacional, um dos maiores desafios das políticas de saúde é alcançar um equilíbrio entre o apoio ao autocuidado, o apoio informal (familiares e amigos) e

Leia mais

Prefeitura Municipal de Resende Secretaria Municipal de Fazenda Plano Plurianual 2014-2017

Prefeitura Municipal de Resende Secretaria Municipal de Fazenda Plano Plurianual 2014-2017 Linha de Atuação: Universalização e Humanização do Atendimento Básico e Secundário CÓDIGO DO PROGRAMA: 119 PROGRAMA DE ATENÇÃO BÁSICA À SAÚDE VALOR DO PROGRAMA NO PERÍODO FONTES 2014 2015 2016 2017 Tesouro

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) Este documento tem o propósito de promover o alinhamento da atual gestão

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE AÇÕES PROGRAMÁTICAS ESTRATÉGICAS ÁREA TÉCNICA SAÚDE DO IDOSO

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE AÇÕES PROGRAMÁTICAS ESTRATÉGICAS ÁREA TÉCNICA SAÚDE DO IDOSO MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE AÇÕES PROGRAMÁTICAS ESTRATÉGICAS ÁREA TÉCNICA SAÚDE DO IDOSO LUIZA MACHADO COORDENADORA Objetivo estratégico do MS relacionado ao envelhecimento

Leia mais

MA160.MA.77/RT.001 3.18. PROGRAMA DE ATENDIMENTO MÉDICO SANITÁRIO PARA A POPULAÇÃO RESIDENTE NA AID

MA160.MA.77/RT.001 3.18. PROGRAMA DE ATENDIMENTO MÉDICO SANITÁRIO PARA A POPULAÇÃO RESIDENTE NA AID 3.18. PROGRAMA DE ATENDIMENTO MÉDICO SANITÁRIO PARA A POPULAÇÃO RESIDENTE NA AID 3.18.1. Introdução O quadro de saúde da região da área de influência direta do empreendimento traduzido pelas condições

Leia mais

ANEXO DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

ANEXO DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PREFEITURA MUNICIPAL DE JOAO PESSOA Secretaria Municipal de Planejamento EXERCÍCIO: 20 ANEXO DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ÓRGÃO: Projeto/Atividade Objetivo Denominação da Meta Unid.

Leia mais

Saúde mais Perto de Você

Saúde mais Perto de Você Saúde mais Perto de Você LINHAS GERAIS DA NOVA POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO BÁSICA Ampliação do Financiamento da AB Programa de Requalificação das UBS Ampliação do Acesso Melhoria da Qualidade da AB Ações

Leia mais

50 pontos do programa de governo do PSOL - Ivanete Prefeita para transformar Duque de Caxias:

50 pontos do programa de governo do PSOL - Ivanete Prefeita para transformar Duque de Caxias: 50 pontos do programa de governo do PSOL - Ivanete Prefeita para transformar Duque de Caxias: Duque de Caxias nas mãos do Povo: contra a corrupção e pela mudança 1) Garantir a participação popular e a

Leia mais

Relatório de Conclusão do Estágio Curricular III Serviços Hospitalares

Relatório de Conclusão do Estágio Curricular III Serviços Hospitalares 1 Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Enfermagem THAÍLA TANCCINI Relatório de Conclusão do Estágio Curricular III Serviços Hospitalares Porto Alegre 2011 2 THAÍLA TANCCINI Relatório de

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ARAPONGAS Estado do Paraná

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ARAPONGAS Estado do Paraná SECRETARIA EXECUTIVA LEI Nº 3.336, DE 30 DE AGOSTO DE 2006 Dispõe sobre a criação de empregos públicos para a execução dos Programas de Saúde da Família e Agentes Comunitários de Saúde. A CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

Circular 641/2014 São Paulo, 12 de Dezembro de 2014.

Circular 641/2014 São Paulo, 12 de Dezembro de 2014. Circular 641/2014 São Paulo, 12 de Dezembro de 2014. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) FINANCIAMENTO PARA A AMPLIAÇÃO DO ACESSO AO TRANSPLANTE DE CÉLULAS-TRONCO HEMATOPOÉTICAS (TCTH) ALOGÊNICO NÃO APARENTADO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SAQUAREMA RUA CORONEL MADUREIRA 77 - CNPJ:32147670/0001-21

PREFEITURA MUNICIPAL DE SAQUAREMA RUA CORONEL MADUREIRA 77 - CNPJ:32147670/0001-21 Página 1 PODER 01 PODER LEGISLATIVO ORGÃO 01 CAMARA MUNICIPAL DE SAQUAREMA UNIDADE 01 CAMARA MUNICIPAL DE SAQUAREMA 01 Legislativa 6.436.730,49 01 031 Ação Legislativa 6.436.730,49 01 031 0079 GESTÃO ADMINISTRATIVA

Leia mais

Proposta de Plano Nacional de Saúde - PNS 2008/2009-2011

Proposta de Plano Nacional de Saúde - PNS 2008/2009-2011 Proposta de Plano Nacional de Saúde - PNS 2008/2009-2011 ELABORAÇÃO MS/SE/SPO/ PLANEJASUS EQUIPE PLANO NACIONAL DE SAÚDE cgpl@saude.gov.br - (61) 3315-2677 - www.saude.gov.br/planejasus Início do processo:

Leia mais

PREFEITURA DE XINGUARA

PREFEITURA DE XINGUARA 50/000-20 Anexo IV - Programas, Metas e Ações - (PPA Inicial) Página de 5 Programa: 000 AÇÃO LEGISLATIVA Manutenção da CMX através do apoio financeiro às atividades legislativas, custeio de despesas administrativas,

Leia mais

I RELATÓRIO: II ANÁLISE:

I RELATÓRIO: II ANÁLISE: INTERESSADO: ASSUNTO: CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL JOAQUIM NABUCO - RECIFE/PE AUTORIZAÇÃO DOS CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TÉCNICA EM INSTRUMENTAÇÃO CIRÚRGICA, EM ENFERMAGEM EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA

Leia mais

Cuidado. Prevenção. Autoridade. Crack, é possível vencer 2011-2014. Aumento da oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários

Cuidado. Prevenção. Autoridade. Crack, é possível vencer 2011-2014. Aumento da oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários Prevenção Educação, Informação e Capacitação Cuidado Aumento da oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários Autoridade Enfrentamento ao tráfico de drogas e às organizações criminosas Crack, é

Leia mais

Código Especificação Projetos Atividades Oper. Especiais Total

Código Especificação Projetos Atividades Oper. Especiais Total Estado do Paraná Programa de Trabalho Folha: 1 Órgão...: 02 SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO Unidade Orçamentária: 02.01 GOVERNO MUNICIPAL 04.000.0000.0.000.000 Administração 44.113,54 44.113,54 04.122.0000.0.000.000

Leia mais

ANEXO I TERMO DE COMPROMISSO DE GESTÃO MUNICIPAL

ANEXO I TERMO DE COMPROMISSO DE GESTÃO MUNICIPAL ANEXO I TERMO DE COMPROMISSO DE GESTÃO MUNICIPAL Termo de Compromisso de Gestão que firma a Secretaria Municipal de Saúde de XX, representada pelo seu Secretário Municipal de Saúde, com o objetivo de pactuar

Leia mais

O CUIDADO QUE EU PRECISO

O CUIDADO QUE EU PRECISO O CUIDADO QUE EU PRECISO GOVERNO FEDERAL GOVERNO ESTADUAL GOVERNO MUNICIPAL MOVIMENTOS SOCIAIS MEIOS DE COMUNICAÇÃO O CUIDADO QUE EU PRECISO Serviço Hospitalar de Referência AD CAPS AD III Pronto Atendimento

Leia mais

Prefeitura Municipal de AJURICABA LDO - Lei de Diretrizes Orçamentárias - 2016 Anexo V - Meta Fiscal da Despesa - Rol de Programas

Prefeitura Municipal de AJURICABA LDO - Lei de Diretrizes Orçamentárias - 2016 Anexo V - Meta Fiscal da Despesa - Rol de Programas Página: 1 0000 OPERAÇÕES ESPECIAIS 101 Restituição de Recursos 4.000,00 5.000,00 6.000,00 201 Contribuição PASEP 290.000,00 300.000,00 310.000,00 301 Sentenças Judiciais e Precatórios 6.000,00 8.000,00

Leia mais

ANEXO DE METAS E PRIORIDADES LDO 2016 PPA: 2014/2017 PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA CRUZ DA VITÓRIA PROGRAMAS E AÇÕES PRODUTO UNID.

ANEXO DE METAS E PRIORIDADES LDO 2016 PPA: 2014/2017 PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA CRUZ DA VITÓRIA PROGRAMAS E AÇÕES PRODUTO UNID. PROGRAMA: 0140 MODERNIZAÇÃO DA GESTÃO PÚBLICA OBJETIVO: Melhorar a qualidade e reduzir os custos da prestação de serviços da administração em geral. 2088 MODERNIZAÇÃO DO ARQUIVO MUNICIPAL ARQUIVO MUNICIPAL

Leia mais

Agenda Estratégica para o SUS e a Reforma Sanitária Brasileira: Objetivos e Metas para a Política de Saúde no Período 2011-2014

Agenda Estratégica para o SUS e a Reforma Sanitária Brasileira: Objetivos e Metas para a Política de Saúde no Período 2011-2014 Agenda Estratégica para o SUS e a Reforma Sanitária Brasileira: Objetivos e Metas para a Política de Saúde no Período 2011-2014 Diretrizes para articular saúde e desenvolvimento social Para contribuir

Leia mais

Telebrasil 2006. TeleComunicações para a Inclusão Social. Prefeitura Municipal de São Paulo Secretaria Municipal de Saúde (SMS-SP)

Telebrasil 2006. TeleComunicações para a Inclusão Social. Prefeitura Municipal de São Paulo Secretaria Municipal de Saúde (SMS-SP) Telebrasil 2006 PANORAMA DA REGULAÇÃO SMS-SP Diagnóstico Não possui dados sistematizados; TeleComunicações para a Inclusão Social não existe uma uniformidade nas ações; as atividades da área, não estão

Leia mais

Política Social: características

Política Social: características Política Social: características Políticas Sociais são formas mais ou menos institucionalizadas que as sociedades constroem em seu processo histórico para proteger e/ou promover parte ou todos os seus

Leia mais

PARECER CREMEB Nº 28/13 (Aprovado em Sessão Plenária de 23/07/2013)

PARECER CREMEB Nº 28/13 (Aprovado em Sessão Plenária de 23/07/2013) PARECER CREMEB Nº 28/13 (Aprovado em Sessão Plenária de 23/07/2013) EXPEDIENTE CONSULTA Nº 011.881/13 ASSUNTO: Relação de proporcionalidade: Número de profissionais médicos e número de atendimentos. RELATORA:

Leia mais

Estado do Paraná Programa de Trabalho Folha: 1 Prefeitura Municipal de Salto do Lontra Março de 2014 - Anexo 6, da Lei 4.320/64

Estado do Paraná Programa de Trabalho Folha: 1 Prefeitura Municipal de Salto do Lontra Março de 2014 - Anexo 6, da Lei 4.320/64 Estado do Paraná Programa de Trabalho Folha: 1 Órgão...: 02 SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO Unidade Orçamentária: 02.01 GOVERNO MUNICIPAL 04.000.0000.0.000.000 Administração 40.675,57 40.675,57 04.122.0000.0.000.000

Leia mais

NOTA TÉCNICA 03 2012 REDE DE CUIDADOS À PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO ÂMBITO DO SUS

NOTA TÉCNICA 03 2012 REDE DE CUIDADOS À PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO ÂMBITO DO SUS NOTA TÉCNICA 03 2012 REDE DE CUIDADOS À PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO ÂMBITO DO SUS Atualização da Minuta de portaria para a Assembleia do CONASS em 21/03/2012 1. Contextualização Pessoas com deficiência são

Leia mais

E AÇÕES PARA AS DIRETRIZES DO PLANO DE GOVERNO DO PT 2013 A 2016

E AÇÕES PARA AS DIRETRIZES DO PLANO DE GOVERNO DO PT 2013 A 2016 E AÇÕES PARA AS DIRETRIZES DO PLANO DE GOVERNO DO PT 2013 A 2016 1-ORÇAMENTO PARTICIPATIVO; PLANEJAMENTO DE CURTO, MÉDIO E LONGO PRAZO COM PARTICIPAÇÃO DIRETA DA POPULAÇÃO PARA DEFINIR AS PRIORIDADES DAS

Leia mais