Adriano Benayon. Globalização. Desenvolvimento. escrituras

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Adriano Benayon. Globalização. Desenvolvimento. escrituras"

Transcrição

1 Adriano Benayon Globalização. Desenvolvimento escrituras São Paulo, 2005

2 ítndice Prefácio - Prof. J. W. Bautista Vidal 11 Prefácio - Dr. Enéas Ferreira Carneiro 15 Apresentação 19 Parte 1-0 único caminho de desenvolvimento Os centros 25 Os centros e as transnacionais ; 2 5 Empresas transnacionais (ETNs) - conceito ETNs e poder Estado e burguesia 2 6 Estados imperiais e Estados nacionais 28 Atividades dos centros 2 8 Quais são os centros? 2 9 Portugal e Espanha, centros no passado? A formação dos centros 3 3 Inglaterra 33 As guerras dos Cem Anos e das Duas Rosas A ruptura com Roma Elisabete I e Thomas Gresham Inglaterra, século XVII Conclusão. Estado e limites do capital A dianteira inglesa no século XIX 44 A improbabilidade de novos centros França Alemanha 48 Influência francesa sobre base alemã O papel do Estado A concentração e seus efeitos políticos Capital formado no país O progresso económico

3 Estados Unidos 62 Política social e de desenvolvimento O "sistema americano" Atuação do Estado O mercado pós-guerra de Secessão Crescimento antes e depois de 1860 Concentração no sistema americano Japão 73 Modelo de desenvolvimento Pressupostos culturais A industrialização na Era Meiji O Estado e a indústria nacional Tecnologia: só sem capital estrangeiro Desenvolvimento e modelo no século XX Conclusão. Concentração e imperialismo^ O desenvolvimento 94 Cultura e valores 94 Para ser centro, livrar-se do centro 95 Estado e capital nacional 9 6 Economia social de mercado 98 Os entraves ao desenvolvimento 101 Concentração: controle das ETNs sobre os Estados A globalização 4 - Sistemas económicos 10 5 r Capitalismo 10 5 O que é capital? Os tipos do capitalismo A essência do capitalismo Capitalismo versus economia de mercado Teses sobre o capitalismo Braudel Sombart Weber Marx Schumpeter Keynes

4 Socialismo 147 Socialismo "real" ou comunismo Origens da revolução russa O regime soviético Personalidades e "nova classe" Apodrecimento e queda China Socialismo, social-democracia, trabalhismo Estatização e propriedade privada 16 3 "Privatização" e poder sobre o mercado 165 Parte II- A globalização das transnacionais A relação centro-periferia 16 9 Introdução 169 Situação atual Conceitos e histórico Livre-comércio e periferização 174 Periferização e imperialismo Periferização clássica: comércio exterior Livre-comércio: estrada da periferização Comércio, motor de desenvolvimento? Salários baixos, falsa vantagem competitiva Tecnologia "adequada" Dumping social Zonas de exportação Recursos naturais: ganhos para os centros Explicações das correntes de comércio 19 3 A industrialização substituidora de importações (ISI) 19 9 A ISI desvirtuada pelos investimentos estrangeiros Periferização e dependência 208 Periferização por dentro: investimentos diretos estrangeiros (IDEs) 208 Semiperiferias desestruturadas pelos "investimentos" diretos estrangeiros A extinção do comércio e do desenvolvimento

5 As dependências 214 Dependência cultural, raiz da periferização Primeiro Mundo? Avanços tecnológicos e superioridade Interações entre as dependências "Investimentos" diretos estrangeiros (IDEs) 225 IDEs e outros tipos de "investimento" estrangeiro Abertura ao capital estrangeiro e vulnerabilidade IDEs versus comércio e desenvolvimento Investimento para quem? Custos alternativos Imigração e desenvolvimento IDEs: dependência tecnológica e financeira Vantagens comparativas e economias externas IDEs. Relação de troca e ganhos do comércio 7 - Empresas transnacionais (ETNs) e transferência de recursos 2 41 Mecanismos da transferência de recursos 2 41 Transferência: despesas e perdas de receita "Investimentos" diretos estrangeiros (IDEs): déficits interno e externo 248 IDES: exportação de capital? 250 Objetivos e efeitos do investimento direto estrangeiro Jogos de poder das empresas transnacionais (ETNs): tecnologia e marketing Desenvolvimento autónomo, Industrialização substituidora de importações e promoção de exportações industriais Desenvolvimento: só existe o autónomo 268 Desenvolvimento: só sem "investimentos" diretos estrangeiros Teorias da dependência Frank: subdesenvolvimento, produto da ligação aos centros 279 Baran e a ação mundial do capitalismo 2 8 7

6 Raízes do atraso Outros teóricos da dependência 299 A falácia do desenvolvimento dependente 303 A ilusão fomentada por Cardoso e Faletto Evans e o tripé estatais/capital estrangeiro/capital local 10 - O modelo dependente no Brasil 316 Matriz energética _318 Matriz de transportes 322 Falência económica e financeira 322 Destruição das estatais e do capital privado Perda da autonomia política Submissão ideológica ; Siglas mais utilizadas Empresas transnacionais (ETNs) Empresas multinacionais (EMNs) Industrialização para substituir importações (ISI) Investimentos diretos estrangeiros (IDEs) Países desenvolvidos (PDs) Países em desenvolvimento (PEDs) Países industriais (Pis) Países subdesenvolvidos (PSDs) Produto interno bruto (PIB)

CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL. Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A

CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL. Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A O capitalismo teve origem na Europa, nos séculos XV e XVI, e se expandiu para outros lugares do mundo ( Ásia, África,

Leia mais

FORMAÇÃO DO TERRITORIO BRASILEIRO. Prof. Israel Frois

FORMAÇÃO DO TERRITORIO BRASILEIRO. Prof. Israel Frois FORMAÇÃO DO TERRITORIO BRASILEIRO Prof. Israel Frois SÉCULO XV Território desconhecido; Era habitado por ameríndios ; Natureza praticamente intocada Riqueza imediata: Pau-Brasil (Mata Atlântica) Seus limites

Leia mais

AS ORIGENS DO SUBDESENVOLVIMENTO

AS ORIGENS DO SUBDESENVOLVIMENTO AS ORIGENS DO SUBDESENVOLVIMENTO 1. A TEORIA LIBERAL Os Países pobres são pobres porque não atingiram ainda a eficiência produtiva e o equilíbrio econômico necessário à manutenção de um ciclo de prosperidade

Leia mais

Espaço Geográfico (Tempo e Lugar)

Espaço Geográfico (Tempo e Lugar) Espaço Geográfico (Tempo e Lugar) Somos parte de uma sociedade, que (re)produz, consome e vive em uma determinada porção do planeta, que já passou por muitas transformações, trata-se de seu lugar, relacionando-se

Leia mais

A economia global e a organização do espaço

A economia global e a organização do espaço littleny/ Shutterstock ssguy/ Shutterstock A economia global e a organização do espaço Xangai, China Las Vegas, EUA Alain Lacroix/ Dreamstime.com Empresas multinacionais e economia global A revolução tecnocientífica,

Leia mais

Roteiro de Estudos. 2 trimestre - 2015 Disciplina: Geografia 2ª série

Roteiro de Estudos. 2 trimestre - 2015 Disciplina: Geografia 2ª série Roteiro de Estudos 2 trimestre - 2015 Disciplina: Geografia 2ª série Professor: Eduardo O que devo saber: Globalização, comércio mundial e blocos econômicos. O Comércio Global. O protecionismo. O comércio

Leia mais

DISCIPLINA: INTRODUÇÃO AO ESTUDO DAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS

DISCIPLINA: INTRODUÇÃO AO ESTUDO DAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS 7.PROJETO PEDAGÓGICO 1º SEMESTRE DISCIPLINA: INTRODUÇÃO À ECONOMIA EMENTA: Conceitos Fundamentais; Principais Escolas do Pensamento; Sistema Econômico; Noções de Microeconomia; Noções de Macroeconomia;

Leia mais

DESENVOLVIMENTO E SUBDESENVOLVIMENTO NO BRASIL

DESENVOLVIMENTO E SUBDESENVOLVIMENTO NO BRASIL DESENVOLVIMENTO E SUBDESENVOLVIMENTO NO BRASIL Luiz Carlos Bresser-Pereira Verbete para o livro Temas clássicos (e não tanto) do Pensamento Social no Brasil, organizado por André Bueno e Lilia Moritz Schwarcz.

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA ENSINO MÉDIO ÁREA CURRICULAR: CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS DISCIPLINA: HISTÓRIA SÉRIE 1.ª CH 68 ANO 2012 COMPETÊNCIAS:. Compreender

Leia mais

Guerra fria (o espaço mundial)

Guerra fria (o espaço mundial) Guerra fria (o espaço mundial) Com a queda dos impérios coloniais, duas grandes potências se originavam deixando o mundo com uma nova ordem tanto na parte política quanto na econômica, era os Estados Unidos

Leia mais

Colégio São Paulo Geografia Prof. Eder Rubens - 2013

Colégio São Paulo Geografia Prof. Eder Rubens - 2013 Colégio São Paulo Geografia Prof. Eder Rubens - 2013 CAP. 02 A Dinâmica dos espaços da Globalização. (9º ano) *Estudaremos a difusão do modo capitalista de produção, ou seja, do modo de produzir bens e

Leia mais

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES. AULA 11.2 Conteúdo: A Ascensão da América do Norte

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES. AULA 11.2 Conteúdo: A Ascensão da América do Norte 11.2 Conteúdo: A Ascensão da América do Norte 11.2 Habilidades: Verificar como o setor secundário interfere na América Anglo - Saxônica e quais os principais fatores para o desenvolvimento econômico dos

Leia mais

O Mundo industrializado no século XIX

O Mundo industrializado no século XIX O Mundo industrializado no século XIX Novas fontes de energia; novos inventos técnicos: Por volta de 1870, deram-se, em alguns países, mudanças importantes na indústria. Na 2ª Revolução Industrial as indústrias

Leia mais

TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRENTE 5B AULA 14 e 15. Profº André Tomasini

TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRENTE 5B AULA 14 e 15. Profº André Tomasini TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRENTE 5B AULA 14 e 15 Profº André Tomasini Formação Industrial Brasileira Proibição da produção (fim do século XVIII). Barão de Mauá (ferrovias e indústrias). Ciclo do café fase capitalista

Leia mais

Definição: domínio de vastas áreas do planeta por parte de nações industrializadas (ING, FRA, HOL, BEL, ALE, ITA, JAP, EUA, RUS). Onde?

Definição: domínio de vastas áreas do planeta por parte de nações industrializadas (ING, FRA, HOL, BEL, ALE, ITA, JAP, EUA, RUS). Onde? Definição: domínio de vastas áreas do planeta por parte de nações industrializadas (ING, FRA, HOL, BEL, ALE, ITA, JAP, EUA, RUS). Onde? África e Ásia (Neocolonialismo) e América (Imperialismo). Causas

Leia mais

A Redução do Fluxo de Investimento Estrangeiro Direto e as Implicações para o Brasil

A Redução do Fluxo de Investimento Estrangeiro Direto e as Implicações para o Brasil A Redução do Fluxo de Investimento Estrangeiro Direto e as Implicações para o Brasil Análise Economia e Comércio Bernardo Erhardt de Andrade Guaracy 30 de outubro de 2003 A Redução do Fluxo de Investimento

Leia mais

Prof. Esp. Lucas Cruz. www.proflucas.com

Prof. Esp. Lucas Cruz. www.proflucas.com Prof. Esp. Lucas Cruz www.proflucas.com O principal discípulo de Smith, David Ricardo, sofisticou um pouco mais essa teoria. Segundo ele, ainda que uma economia fosse mais eficiente em todos os produtos,

Leia mais

Ensino Fundamental II

Ensino Fundamental II Ensino Fundamental II Valor do trabalho: 2.0 Nota: Data: /dezembro/2014 Professora: Angela Disciplina: Geografia Nome: n o : Ano: 8º Trabalho de Recuperação Final de Geografia ORIENTAÇÕES: Leia atentamente

Leia mais

1º ano. I. O Surgimento do Estado e a Organização de uma Sociedade de Classes

1º ano. I. O Surgimento do Estado e a Organização de uma Sociedade de Classes Africana: África como berço da humanidade Capítulo 1: Item 1 Européia Capítulo 1: Item 2 Asiática Capítulo 1: Item 2 Americana Capítulo 1: Item 3 Arqueologia Brasileira Capítulo 1: Item 4 A paisagem e

Leia mais

O investimento público e o desenvolvimento econômico do Brasil

O investimento público e o desenvolvimento econômico do Brasil CRISTINA FRÓES DE BORJA REIS (*) O investimento público e o desenvolvimento econômico do Brasil Esse artigo apresenta as relações entre investimento público e desenvolvimento econômico no Brasil entre

Leia mais

Alguns dados sobre a China

Alguns dados sobre a China CHINA "...de que país a China é colônia? É colônia de cada país com quem firmou um tratado, e todos os países que têm um tratado com a China são seus donos. Assim, a China não é somente escrava de uma

Leia mais

1º ano. 1º Bimestre. Revolução Agrícola Capítulo 1: Item 5 Egito - política, economia, sociedade e cultura - antigo império

1º ano. 1º Bimestre. Revolução Agrícola Capítulo 1: Item 5 Egito - política, economia, sociedade e cultura - antigo império Introdução aos estudos de História - fontes históricas - periodização Pré-história - geral - Brasil As Civilizações da Antiguidade 1º ano Introdução Capítulo 1: Todos os itens Capítulo 2: Todos os itens

Leia mais

Resumo Aula-tema 05: Análise Comparativa do Desenvolvimento Econômico da Índia e da China

Resumo Aula-tema 05: Análise Comparativa do Desenvolvimento Econômico da Índia e da China Resumo Aula-tema 05: Análise Comparativa do Desenvolvimento Econômico da Índia e da China Esta aula tratará da análise comparativa do processo de desenvolvimento da China e da Índia, países que se tornaram

Leia mais

ORIENTE MÉDIO. Prof: Marcio Santos ENEM 2009 Ciências Humanas Aula II. Jerusalém Muro das Lamentações e Cúpula da Rocha

ORIENTE MÉDIO. Prof: Marcio Santos ENEM 2009 Ciências Humanas Aula II. Jerusalém Muro das Lamentações e Cúpula da Rocha Prof: Marcio Santos ENEM 2009 Ciências Humanas Aula II ORIENTE MÉDIO -Região marcada por vários conflitos étnicos, políticos e religiosos. -Costuma-se considerar 18 países como pertencentes ao Oriente

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2012 Conteúdos Habilidades Avaliação

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2012 Conteúdos Habilidades Avaliação Disciplina: Geografia Trimestre: 1º PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2012 1. População: - Crescimento populacional - O espaço urbano e o processo de urbanização - Teorias demográficas. 2. Mundo contemporâneo:

Leia mais

2 DISCIPLINA: Economia M6 Ano :11º C DATA: 10/07/2013 Cursos Profissionais: Técnico de Restauração Variante de Restaurante - Bar

2 DISCIPLINA: Economia M6 Ano :11º C DATA: 10/07/2013 Cursos Profissionais: Técnico de Restauração Variante de Restaurante - Bar 2 DISCIPLINA: Economia M6 Ano :11º C DATA: 10/07/2013 Cursos Profissionais: Técnico de Restauração Variante de Restaurante - Bar Nome: N.º: Classificação: Ass.Professor: GRUPO I Este grupo é constituído

Leia mais

EXPANSÃO E COLAPSO DO CAPITALISMO

EXPANSÃO E COLAPSO DO CAPITALISMO EXPANSÃO E COLAPSO DO CAPITALISMO 2ªRevolução Industrial HOLDING TRUSTE CARTEL Empresas financeiras que controlam complexos industriais a partir da posse de suas ações. Formação de grandes conglomerados

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA Educando para o pensar Tema Integrador 2013 / Construindo o amanhã: nós agimos, o planeta sente CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA Educando para o pensar Tema Integrador 2013 / Construindo o amanhã: nós agimos, o planeta sente CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA Educando para o pensar Tema Integrador 2013 / Construindo o amanhã: nós agimos, o planeta sente CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS CIÊNCIAS HUMANAS 3º ANO FILOSOFIA FILOSOFIA NA HISTÓRIA

Leia mais

1º ano. A reconquista ibérica e as grandes navegações Capítulo 10: Item 2 A revolução comercial Capítulo 12: Item 3 O Novo Mundo Capítulo 10: Item 2

1º ano. A reconquista ibérica e as grandes navegações Capítulo 10: Item 2 A revolução comercial Capítulo 12: Item 3 O Novo Mundo Capítulo 10: Item 2 1º ano O absolutismo e o Estado Moderno Capítulo 12: Todos os itens A reconquista ibérica e as grandes navegações Capítulo 10: Item 2 A revolução comercial Capítulo 12: Item 3 O Novo Mundo Capítulo 10:

Leia mais

Organizações internacionais Regionais

Organizações internacionais Regionais Organizações internacionais Regionais Percurso 4 Geografia 9ºANO Profª Bruna Andrade e Elaine Camargo Os países fazem uniões a partir de interesses comuns. Esses interesses devem trazer benefícios aos

Leia mais

ESTUDO DE CASO MÓDULO XI. Sistema Monetário Internacional. Padrão Ouro 1870 1914

ESTUDO DE CASO MÓDULO XI. Sistema Monetário Internacional. Padrão Ouro 1870 1914 ESTUDO DE CASO MÓDULO XI Sistema Monetário Internacional Padrão Ouro 1870 1914 Durante muito tempo o ouro desempenhou o papel de moeda internacional, principalmente por sua aceitabilidade e confiança.

Leia mais

Após a década de 1990, várias pessoas em todo o mundo mantêm hábito de consumo semelhantes.

Após a década de 1990, várias pessoas em todo o mundo mantêm hábito de consumo semelhantes. A ECONOMIA GLOBAL Após a década de 1990, várias pessoas em todo o mundo mantêm hábito de consumo semelhantes. O século XX marcou o momento em que hábitos culturais, passaram a ser ditados pelas grandes

Leia mais

Luís Francisco Carvalho Departamento de Economia Política Escola de Ciências Sociais e Humanas, ISCTE-IUL 1

Luís Francisco Carvalho Departamento de Economia Política Escola de Ciências Sociais e Humanas, ISCTE-IUL 1 Luís Francisco Carvalho Departamento de Economia Política Escola de Ciências Sociais e Humanas, ISCTE-IUL 1 1. Revisitar as ideias de Friedrich List, procurando uma leitura contextualizada, em termos da

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS CENTRO DE PROMOÇÃO DE INVESTIMENTOS CLIMA DE INVESTIMENTOS EM MOÇAMBIQUE

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS CENTRO DE PROMOÇÃO DE INVESTIMENTOS CLIMA DE INVESTIMENTOS EM MOÇAMBIQUE REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS CENTRO DE PROMOÇÃO DE INVESTIMENTOS CLIMA DE INVESTIMENTOS EM MOÇAMBIQUE CONTEÚDO 1 Razões para investir em Moçambique 2 Evolução do Investimento

Leia mais

GEOGRAFIA - 3 o ANO MÓDULO 12 O BRASIL NEOLIBERAL E OS DESAFIOS PARA O SÉCULO XXI

GEOGRAFIA - 3 o ANO MÓDULO 12 O BRASIL NEOLIBERAL E OS DESAFIOS PARA O SÉCULO XXI GEOGRAFIA - 3 o ANO MÓDULO 12 O BRASIL NEOLIBERAL E OS DESAFIOS PARA O SÉCULO XXI Como pode cair no enem A desconcentração industrial verificada no Brasil, na última década, decorre, entre outros fatores,

Leia mais

Prefácio Introdução: As origens do socialismo democrático PRIMEIRA PARTE: 1864-1918

Prefácio Introdução: As origens do socialismo democrático PRIMEIRA PARTE: 1864-1918 ÍNDICE 11 17 19. 199 22 25 25 28 31 33 36 42 47 48 48 51 51 52 56 58 62 63 72 Prefácio Introdução: As origens do socialismo democrático PRIMEIRA PARTE: 1864-1918 I. A Primeira Internacional 1. As origens

Leia mais

Introdução: Iniciou a industrialização depois da França Porém antes da Alemanha, Itália e Japão Maior potencia mundial: Indústrias, setor financeiro,

Introdução: Iniciou a industrialização depois da França Porém antes da Alemanha, Itália e Japão Maior potencia mundial: Indústrias, setor financeiro, Introdução: Iniciou a industrialização depois da França Porém antes da Alemanha, Itália e Japão Maior potencia mundial: Indústrias, setor financeiro, agrícola, militar e cultural Consequentemente geopolítico.

Leia mais

Qualidade, Metrologia no Apoio à Inovação

Qualidade, Metrologia no Apoio à Inovação Conteúdo do Curso Qualidade, Metrologia no Apoio à José Augusto A. K. Pinto de Abreu 1 Introdução no mercado de produtos, processos, métodos ou sistemas que não existiam anteriormente, ou que contenham

Leia mais

Geografia: ROCHA Globalização A globalização é a mundialização da economia capitalista que forma o aumento do processo de interdependência entre governos, empresas e movimentos sociais. Globalização Origens

Leia mais

Exercícios Reorganização Política Internacional

Exercícios Reorganização Política Internacional Exercícios Reorganização Política Internacional 1. (Ufg 2013) Analise a charge a seguir. A charge refere-se a dois temas: o papel do Estado na economia e as relações de trabalho. A respeito desses temas,

Leia mais

Instituto de Engenharia

Instituto de Engenharia Instituto de Engenharia Os Caminhos da Engenharia Brasileira A Engenharia como Principal Vetor para a Inovação e Competitividade Benedito G. Aguiar Neto Reitor da Universidade Presbiteriana Mackenzie Introdução

Leia mais

Economia de mercado socialista da China: Papéis do governo e dos capitais privados e estrangeiros

Economia de mercado socialista da China: Papéis do governo e dos capitais privados e estrangeiros Economia de mercado socialista da China: Papéis do governo e dos capitais privados e estrangeiros Após a 3ª sessão plenária do 11º Congresso Nacional do Partido Comunista da China (PCCh) realizada em 1978,

Leia mais

COMÉRCIO EXTERIOR. Causas da dívida Empréstimos internacionais para projetar e manter grandes obras. Aquisição de tecnologia e maquinário moderno.

COMÉRCIO EXTERIOR. Causas da dívida Empréstimos internacionais para projetar e manter grandes obras. Aquisição de tecnologia e maquinário moderno. 1. ASPECTOS GERAIS Comércio é um conceito que possui como significado prático, trocas, venda e compra de determinado produto. No início do desenvolvimento econômico, o comércio era efetuado através da

Leia mais

A 376394. PORTUGAL: As Relações Ibéricas no Âmbito da Globalização e Liberalização dos Mercados

A 376394. PORTUGAL: As Relações Ibéricas no Âmbito da Globalização e Liberalização dos Mercados A 376394 PORTUGAL: As Relações Ibéricas no Âmbito da Globalização e Liberalização dos Mercados ÍNDICE NOTA DE ENQUADRAMENTO 9 PREFÁCIO 11 INTRODUÇÃO A A escolha do tema 17 B - Objectivos e metodologia

Leia mais

Inovação no Brasil nos próximos dez anos

Inovação no Brasil nos próximos dez anos Inovação no Brasil nos próximos dez anos XX Seminário Nacional de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas XVIII Workshop ANPROTEC Rodrigo Teixeira 22 de setembro de 2010 30/9/2010 1 1 Inovação e

Leia mais

Resumo Aula-tema 03: Desenvolvimento Econômico da China

Resumo Aula-tema 03: Desenvolvimento Econômico da China Resumo Aula-tema 03: Desenvolvimento Econômico da China Esta aula trata da história econômica e do processo de desenvolvimento da China, país que se tornou a segunda economia do mundo, atrás dos Estados

Leia mais

FORUM PARA A COMPETITIVIDADE & CÂMARA DE COMÉRCIO E INDUSTRIA PORTUGUESA

FORUM PARA A COMPETITIVIDADE & CÂMARA DE COMÉRCIO E INDUSTRIA PORTUGUESA FORUM PARA A COMPETITIVIDADE & CÂMARA DE COMÉRCIO E INDUSTRIA PORTUGUESA Seminário Estratégias de Internacionalização da Economia Portuguesa - O que podemos esperar do Tratado Transatlântico (TTIP) A economia

Leia mais

O imperialismo. Prof Ferrari

O imperialismo. Prof Ferrari O imperialismo Prof Ferrari Imperialismo ou neocolonialismo do séc. XIX Conceitos e definições sobre o imperialismo O imperialismo dos séculos XIX e XX resultou da expansão capitalista e atendia aos interesses

Leia mais

MARKETING INTERNACIONAL

MARKETING INTERNACIONAL MARKETING INTERNACIONAL Produtos Ecologicamente Corretos Introdução: Mercado Global O Mercado Global está cada dia mais atraente ás empresas como um todo. A dinâmica do comércio e as novas práticas decorrentes

Leia mais

História. baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo

História. baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo História baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo 1 PROPOSTA CURRICULAR DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA Middle e High School 2 6 th Grade A vida na Grécia antiga: sociedade, vida cotidiana, mitos,

Leia mais

Equipe de Geografia GEOGRAFIA

Equipe de Geografia GEOGRAFIA Aluno (a): Série: 3ª Turma: TUTORIAL 12R Ensino Médio Equipe de Geografia Data: GEOGRAFIA CHINA 1. 1952: China Socialista. Um grande movimento guerrilheiro de base camponesa, liderado por Mao Tse Tung,

Leia mais

Exercícios sobre Tigres Asiáticos

Exercícios sobre Tigres Asiáticos Exercícios sobre Tigres Asiáticos Material de apoio do Extensivo 1. (UNITAU) Apesar das críticas, nos últimos tempos, alguns países superaram o subdesenvolvimento. São os NIC (Newly Industrialized Countries),

Leia mais

1º ano. 1) Relações de Trabalho, Relações de Poder...

1º ano. 1) Relações de Trabalho, Relações de Poder... Liberdade, propriedade e exploração. A revolução agrícola e as relações comerciais. Capítulo 1: Item 5 Relações de trabalho nas sociedades indígenas brasileiras e americanas. Escravidão e servidão. Divisão

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DAS ORGANIZAÇÕES

CARACTERÍSTICAS DAS ORGANIZAÇÕES CARACTERÍSTICAS DAS ORGANIZAÇÕES Histórico da empresa capitalista Empresário detentor dos meios de produção Operário vende a força de trabalho No século XIX, Karl Marx desenvolve o conceito de luta de

Leia mais

GLOBALIZAÇÃO. BLOG: www.boscotorres.com.br EMAIL: bosco.torres@hotmail.com. 3. Globalização 1

GLOBALIZAÇÃO. BLOG: www.boscotorres.com.br EMAIL: bosco.torres@hotmail.com. 3. Globalização 1 GLOBALIZAÇÃO CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTE: DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. Atlas. São Paulo: 2004. 3. Globalização 1 SUMÁRIO Globalização

Leia mais

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS BRASILEIRAS

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS BRASILEIRAS INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS BRASILEIRAS Sumário Capítulo 1 A importância do investimento direto estrangeiro do Brasil no exterior para o desenvolvimento socioeconômico do país 1 Introdução 1 A internacionalização

Leia mais

GLOBALIZAÇÃO: NOVA ORDEM MUNIDAL PROFESSOR: WISLER JULIANO DISCIPLINA: GEOGRAFIA

GLOBALIZAÇÃO: NOVA ORDEM MUNIDAL PROFESSOR: WISLER JULIANO DISCIPLINA: GEOGRAFIA GLOBALIZAÇÃO: NOVA ORDEM MUNIDAL PROFESSOR: WISLER JULIANO DISCIPLINA: GEOGRAFIA GLOBALIZAÇÃO? É um fenômeno capitalista de aprofundamento da integração econômica, social, cultural e política, que teria

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES. Análise de informação do manual. Filmes educativos

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES. Análise de informação do manual. Filmes educativos ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES 3º C.E.B. DISCIPLINA: História ANO: 8º ANO LECTIVO 2010/2011 COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ACTIVIDADES ESTRATÉGIAS AULAS PREVISTAS INSTRUMENTOS DE

Leia mais

HISTÓRIA-2009 2ª FASE 2009

HISTÓRIA-2009 2ª FASE 2009 Questão 01 UFBA - -2009 2ª FASE 2009 Na Época Medieval, tanto no Oriente Médio, quanto no norte da África e na Península Ibérica, muçulmanos e judeus conviviam em relativa paz, fazendo comércio e expressando,

Leia mais

BRICS e o Mundo Emergente

BRICS e o Mundo Emergente BRICS e o Mundo Emergente 1. Apresente dois argumentos favoráveis à decisão dos países integrantes da Aliança do Pacífico de formarem um bloco regional de comércio. Em seguida, justifique a situação vantajosa

Leia mais

INTEGRAÇÃO DO CONE SUL: A INSERÇÃO REGIONAL NA ORDEM GLOBAL 2

INTEGRAÇÃO DO CONE SUL: A INSERÇÃO REGIONAL NA ORDEM GLOBAL 2 INTEGRAÇÃO DO CONE SUL: A INSERÇÃO REGIONAL NA ORDEM GLOBAL 2 INTEGRAÇÃO DO CONE SUL: A INSERÇÃO REGIONAL NA ORDEM GLOBAL HAROLDO LOGUERCIO CARVALHO * A nova ordem internacional que emergiu com o fim da

Leia mais

PREPARATÓRIO ENADE 2015 FACULDADE DOIS DE JULHO

PREPARATÓRIO ENADE 2015 FACULDADE DOIS DE JULHO E N A PREPARATÓRIO ENADE 2015 FACULDADE DOIS DE JULHO CURSO DE FORMAÇÃO GERAL TEMA 3: CRISE FINANCEIRA E GLOBALIZAÇÃO D E CURSO DE ADMINISTRAÇÃO E DIREITO 1 O FUTURO DA DEMOCRACIA Boaventura de Souza Santos

Leia mais

RISCOS E OPORTUNIDADES PARA A INDÚSTRIA DE BENS DE CONSUMO. Junho de 2012

RISCOS E OPORTUNIDADES PARA A INDÚSTRIA DE BENS DE CONSUMO. Junho de 2012 RISCOS E OPORTUNIDADES PARA A INDÚSTRIA DE BENS DE CONSUMO Junho de 2012 Riscos e oportunidades para a indústria de bens de consumo A evolução dos últimos anos, do: Saldo da balança comercial da indústria

Leia mais

SANTOS, B. S. Os processos da globalização In SANTOS, B. S. (org) (2001), Globalização Fatalidade ou utopia, Porto, Edições Afrontamento, pp.

SANTOS, B. S. Os processos da globalização In SANTOS, B. S. (org) (2001), Globalização Fatalidade ou utopia, Porto, Edições Afrontamento, pp. SANTOS, B. S. Os processos da globalização In SANTOS, B. S. (org) (2001), Globalização Fatalidade ou utopia, Porto, Edições Afrontamento, pp. 31-50 2º Ano ASE Sociologia do Desenvolvimento e da Mudança

Leia mais

REVOLUÇÃO INDUSTRIAL II REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

REVOLUÇÃO INDUSTRIAL II REVOLUÇÃO INDUSTRIAL REVOLUÇÃO INDUSTRIAL II REVOLUÇÃO INDUSTRIAL I REV. INDUSTRIAL II REV. INDUSTRIAL 1760-1860 1860 1914 ING, FRA e BEL ALE, ITA, RUS, EUA, JAP FERRO CARVÃO - VAPOR CAPITALISMO LIBERAL E INDUSTRIAL AÇO PETRÓLEO

Leia mais

Apoio didático de Geografia 2º ano

Apoio didático de Geografia 2º ano Nome: Nº: Turma: Geografia 2º ano Apoio didático Silvia fev/09 Apoio didático de Geografia 2º ano 1º Semestre I. Formação da Economia Mundo 1. Explique resumidamente as ideias do socialismo. 2. Diferencie

Leia mais

Internacionalização de empresas: experiências internacionais selecionadas. São Paulo, 14 de junho de 2012

Internacionalização de empresas: experiências internacionais selecionadas. São Paulo, 14 de junho de 2012 experiências internacionais selecionadas São Paulo, 14 de junho de 2012 experiências internacionais selecionadas Estudo realizado em parceria com a Sociedade Brasileira de Estudos de Empresas Transnacionais

Leia mais

Workshop sobre Atração de Investimentos no Brasil (Segunda Parte) 21 de Marco de 2012 Teiji Sakurai, Professor Universidade de Kansai Gaidai

Workshop sobre Atração de Investimentos no Brasil (Segunda Parte) 21 de Marco de 2012 Teiji Sakurai, Professor Universidade de Kansai Gaidai Workshop sobre Atração de Investimentos no Brasil (Segunda Parte) 21 de Marco de 2012 Teiji Sakurai, Professor Universidade de Kansai Gaidai Quais os países do mundo que têm obtido êxito em atrair investimentos

Leia mais

RESUMO PARA RECUPERAÇÃO 2º TRIMESTRE

RESUMO PARA RECUPERAÇÃO 2º TRIMESTRE RESUMO PARA RECUPERAÇÃO 2º TRIMESTRE Conceitos Diversos Estado É uma organização políticoadministrativa da sociedade. Estado-nação - Quando um território delimitado é composto de um governo e uma população

Leia mais

China 1. Antes de 1949: a. História de ciclos economicos prosperidade e crise dinastias: a cada dinastia há momentos de auge e de crise, sendo que

China 1. Antes de 1949: a. História de ciclos economicos prosperidade e crise dinastias: a cada dinastia há momentos de auge e de crise, sendo que China 1. Antes de 1949: a. História de ciclos economicos prosperidade e crise dinastias: a cada dinastia há momentos de auge e de crise, sendo que nos momentos de crise, a China acaba perdendo território.

Leia mais

TEMA 3 UMA EXPERIÊNCIA

TEMA 3 UMA EXPERIÊNCIA TEMA 3 UMA EXPERIÊNCIA DOLOROSA: O NAZISMO ALEMÃO A ascensão dos nazistas ao poder na Alemanha colocou em ação a política de expansão territorial do país e o preparou para a Segunda Guerra Mundial. O saldo

Leia mais

RELATÓRIO DE MISSÃO INTERNACIONAL À ALEMANHA

RELATÓRIO DE MISSÃO INTERNACIONAL À ALEMANHA RELATÓRIO DE MISSÃO INTERNACIONAL À ALEMANHA Participantes: Dr. Roberto Simões, presidente do CDN (Conselho Deliberativo Nacional) e Dr. Carlos Alberto dos Santos, Diretor Técnico do Sebrae Nacional. Objetivo:

Leia mais

PLANO DE ENSINO DE HISTÓRIA 5ª. SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL 1º BIMESTRE

PLANO DE ENSINO DE HISTÓRIA 5ª. SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL 1º BIMESTRE PLANO DE ENSINO DE HISTÓRIA 5ª. SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL 1º BIMESTRE - Sistemas sociais e culturais de notação de tempo ao longo da história, - As linguagens das fontes históricas; - Os documentos escritos,

Leia mais

História. Antigo regime, Estados nacionais e absolutismo

História. Antigo regime, Estados nacionais e absolutismo Antigo regime, Estados nacionais e absolutismo Índice Clique sobre tema desejado: A origem dos Estados Nacionais Contexto Histórico: crise feudal (séc. XIV-XVI) Idade Média Idade Moderna transição Sociedade

Leia mais

O IMPERIALISMO EM CHARGES. Marcos Faber www.historialivre.com marfaber@hotmail.com. 1ª Edição (2011)

O IMPERIALISMO EM CHARGES. Marcos Faber www.historialivre.com marfaber@hotmail.com. 1ª Edição (2011) O IMPERIALISMO EM CHARGES 1ª Edição (2011) Marcos Faber www.historialivre.com marfaber@hotmail.com Imperialismo é a ação das grandes potências mundiais (Inglaterra, França, Alemanha, Itália, EUA, Rússia

Leia mais

PROCESSO DE INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

PROCESSO DE INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA PROCESSO DE INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA TREZE COLÔNIAS Base de ocupação iniciativa privada: Companhias de colonização + Grupos de imigrantes = GRUPOS DISTINTOS [excedente da metrópole;

Leia mais

Eficiência energética nas políticas nacionais das maiores economias mundiais

Eficiência energética nas políticas nacionais das maiores economias mundiais Agenda 1 2 3 4 5 Panorama sobre eficiência energética Eficiência energética nas políticas nacionais das maiores economias mundiais Políticas brasileiras de eficiência energética Eficiência energética na

Leia mais

PROFESSOR: EQUIPE DE GEOGRAFIA

PROFESSOR: EQUIPE DE GEOGRAFIA PROFESSOR: EQUIPE DE GEOGRAFIA BANCO DE QUESTÕES - GEOGRAFIA - 9º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================== 01- O desenvolvimento

Leia mais

RELATÓRIO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS E DA POSIÇÃO DE INVESTIMENTO INTERNACIONAL, 2011

RELATÓRIO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS E DA POSIÇÃO DE INVESTIMENTO INTERNACIONAL, 2011 RELATÓRIO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS E DA POSIÇÃO DE INVESTIMENTO INTERNACIONAL, 2011 I. BALANÇA DE PAGAMENTOS A estatística da Balança de Pagamentos regista as transacções económicas ocorridas, durante

Leia mais

FRANÇA: UM PAÍS ATRATIVO O ESSENCIAL EM

FRANÇA: UM PAÍS ATRATIVO O ESSENCIAL EM FRANÇA: UM PAÍS ATRATIVO 10 O ESSENCIAL EM PONTOS 1 OS INVESTIDORES ESTRANGEIROS ADORAM A FRANÇA Em 2014, de cada três investidores estrangeiros, dois consideravam a França atrativa, ccontra um a cada

Leia mais

AVISO Nº 01/SI/2014 - INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS PME PROJETOS CONJUNTOS INTERNACIONALIZAÇÃO

AVISO Nº 01/SI/2014 - INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS PME PROJETOS CONJUNTOS INTERNACIONALIZAÇÃO AVISO Nº 01/SI/2014 - Janeiro de 2015 Objetivo Estratégico Beneficiários Ações globais do Programa Abrir novos horizontes às PME nacionais, fomentando a sua entrada no mercado-alvo de África do Sul e impulsionado

Leia mais

TEMA I A EUROPA E O MUNDO NO LIMIAR DO SÉC. XX

TEMA I A EUROPA E O MUNDO NO LIMIAR DO SÉC. XX TEMA I A EUROPA E O MUNDO NO LIMIAR DO SÉC. XX A supremacia Europeia sobre o Mundo A Europa assumia-se como 1ª potência Mundial DOMÍNIO POLÍTICO Inglaterra, França, Alemanha, Portugal e outras potências

Leia mais

A INSERÇÃO DO BRASIL NO MUNDO CAP. 14 EXERCÍCIOS DE REVISÃO

A INSERÇÃO DO BRASIL NO MUNDO CAP. 14 EXERCÍCIOS DE REVISÃO A INSERÇÃO DO BRASIL NO MUNDO CAP. 14 EXERCÍCIOS DE REVISÃO 1- O que são multinacionais? São empresas que possuem sua matriz em um país, geralmente desenvolvido, e filiais em outros países, muitos deles

Leia mais

BRASIL EXCLUDENTE E CONCENTRADOR. Colégio Anglo de Sete Lagoas Prof.: Ronaldo Tel.: (31) 2106 1750

BRASIL EXCLUDENTE E CONCENTRADOR. Colégio Anglo de Sete Lagoas Prof.: Ronaldo Tel.: (31) 2106 1750 BRASIL EXCLUDENTE E CONCENTRADOR As crises econômicas que se sucederam no Brasil interromperam a política desenvolvimentista. Ocorre que o modelo de desenvolvimento aqui implantado (modernização conservadora

Leia mais

Workshop sobre o Investimento Responsável no Sector Agrário

Workshop sobre o Investimento Responsável no Sector Agrário REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS CENTRO DE PROMOÇÃO DE INVESTIMENTOS Workshop sobre o Investimento Responsável no Sector Agrário Cidade Maputo, 23 de Abril de 2015 CONTEÚDO Papel

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Gestão Financeira. Conteúdo Programático. ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DE CURTO PRAZO / 100h

Curso Superior de Tecnologia em Gestão Financeira. Conteúdo Programático. ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DE CURTO PRAZO / 100h ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DE CURTO PRAZO / 100h CAPITAL DE GIRO liquidez e capital circulante líquido rentabilidade do ativo estratégias de gerência fontes de financiamento estudo de caso orçamento de caixa

Leia mais

CORREÇÃO TAREFAS. Aulas 1 4 Pág. 24-31

CORREÇÃO TAREFAS. Aulas 1 4 Pág. 24-31 CORREÇÃO TAREFAS Aulas 1 4 Pág. 24-31 Paginas 24 e 25 1. a) População absoluta é a população total de um determinado local. b) População relativa é a densidade demográfica, ou seja, média de habitantes

Leia mais

SUMÁRIO O MUNDO ANTIGO

SUMÁRIO O MUNDO ANTIGO SUMÁRIO Apresentação Prefácio Introdução 1. Da história da pedagogia à história da educação 2. Três revoluções em historiografia 3. As muitas histórias educativas 4. Descontinuidade na pesquisa e conflito

Leia mais

Direitos Humanos - Direitos Econômicos e Sociais -

Direitos Humanos - Direitos Econômicos e Sociais - Direitos Humanos - Direitos Econômicos e Sociais - Apresentação Direitos sociais e econômicos Desafios Dados Distribuição renda Exemplo mundo Situação Brasil Conceituação a) condição de pessoa como requisito

Leia mais

Apresentação da Proposta de Trabalho aos ICTs e as Empresas

Apresentação da Proposta de Trabalho aos ICTs e as Empresas Apresentação da Proposta de Trabalho aos ICTs e as Empresas 29 abril 2014 Fundamentação Lei da Inovação Nº 10.973, 02 Dez 2004 Regulamentada pelo Decreto Nº 5.563, 11 Out 2005 Artigo 20, do Decreto Nº

Leia mais

ESTADOS UNIDOS: superpotência mundial. Capítulo 8 Educador: Franco Augusto

ESTADOS UNIDOS: superpotência mundial. Capítulo 8 Educador: Franco Augusto ESTADOS UNIDOS: superpotência mundial Capítulo 8 Educador: Franco Augusto EUA: Processo histórico Colônia de povoamento (Reino Unido, em especial a Inglaterra) A ocupação da costa do Atlântico foi baseada

Leia mais

BRASIL: INDUSTRIALIZAÇÃO RETARDATÁRIA

BRASIL: INDUSTRIALIZAÇÃO RETARDATÁRIA BRASIL: INDUSTRIALIZAÇÃO RETARDATÁRIA Entre as razões que mantiveram o Brasil alheio do desenvolvimento industrial estão: a permanência até segunda metade do século XIX de relações escravagistas de trabalho;

Leia mais

ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA SÉCULO XIX

ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA SÉCULO XIX ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA SÉCULO XIX GUERRA DE SECESSÃO secessão significa separação INTRODUÇÃO a Guerra de Secessão foi uma guerra civil ocorrida nos EUA entre 1861 e 1865 motivo rivalidades e divergências

Leia mais

BALANÇO DE PAGAMENTOS: desempenho brasileiro em 2010 RESUMO

BALANÇO DE PAGAMENTOS: desempenho brasileiro em 2010 RESUMO 78 BALANÇO DE PAGAMENTOS: desempenho brasileiro em 2010 Guilherme Fernandes de Souza RESUMO Com o objetivo de conhecer o desempenho brasileiro no que se refere ao Balanço de Pagamentos, esse artigo analisa

Leia mais

Disciplinas Obrigatórias do Núcleo Básico Geral Comum do Campus de Limeira

Disciplinas Obrigatórias do Núcleo Básico Geral Comum do Campus de Limeira EMENTAS DAS DISCIPLINAS DOS CURSOS DA ÁREA DE GESTÃO Disciplinas Obrigatórias do Núcleo Básico Geral Comum do Campus de Limeira Sociedade e Cultura no Mundo Contemporâneo As mudanças nas relações entre

Leia mais

A Revolução Industrial, iniciada na Grà-Bretanha, mudou a maneira de trabalhar e de pensar das pessoas

A Revolução Industrial, iniciada na Grà-Bretanha, mudou a maneira de trabalhar e de pensar das pessoas A Revolução Industrial, iniciada na Grà-Bretanha, mudou a maneira de trabalhar e de pensar das pessoas A industrialização mudou a história do homem. O momento decisivo ocorreu no século XVIII com a proliferação

Leia mais

TRATADO BRASIL - ESTADOS UNIDOS PARA EVITAR A BITRIBUTAÇÃO CÂMARA DOS DEPUTADOS

TRATADO BRASIL - ESTADOS UNIDOS PARA EVITAR A BITRIBUTAÇÃO CÂMARA DOS DEPUTADOS CÂMARA DOS DEPUTADOS Comissão de Finanças e Tributação Comissão de Relações Exteriores Grupo Parlamentar Brasil-EUA AmCham Brasil Câmara Americana de Comércio Roberto Pasqualin Conselheiro Legal AmCham

Leia mais

Como a JETRO poderá apoiar os exportadores brasileiros

Como a JETRO poderá apoiar os exportadores brasileiros Como a JETRO poderá apoiar os exportadores brasileiros Teiji Sakurai Realização :, SÃO PAULO O que é a JETRO? Órgão oficial de comércio exterior do Japão 1951 Osaka Oficialmente JETRO em 1958 76 escritórios

Leia mais

CRISE DE 29. Colapso do sistema financeiro americano

CRISE DE 29. Colapso do sistema financeiro americano CRISE DE 29 Colapso do sistema financeiro americano Antecedentes: Europa destruída pela grande guerra depende do capital americano; EUA responsável por 50% de toda produção industrial do mundo; American

Leia mais