KARL MARX ( )

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "KARL MARX (1818-1883)"

Transcrição

1 KARL MARX ( ) 1861

2 Biografia Nasceu em Trier, Alemanha. Pais judeus convertidos. Na adolescência militante antireligioso; A crítica da religião é o fundamento de toda crítica. Tese de doutorado sobre antiga filosofia grega;

3 Pensamento profundamente influenciado por Hegel; Foi expulso de vários países; Os últimos 34 anos de sua vida, vai passar na Inglaterra; Morreu em Londres em 1883.

4 Tumba de Marx no Cemitério Highgate em Londres

5 Influências Filosofia alemã (Hegel); Teoria política francesa (socialistas utópicos como Saint Simon, Louis Blanc e Proudhon); Economia Britânica (Adam Smith e David Ricardo);

6 Influência de Hegel ( ): Visão da história como um processo de mudança permanente; Entender a realidade é entender a natureza deste processo; A mudança não é aleatória e obedece a uma lei; O que mantém o processo em constante mudança são as suas contradições internas;

7 Este processo não está sob controle humano e continuará até que as suas contradições sejam resolvidas (fim da alienação); Isso tornará possível a liberdade e a auto- realização dos seres humanos.

8 Divergências de Hegel Para Hegel, o motor da transformação é a razão em um processo que caminha para a Ideia Absoluta, em que se realiza a plena identidade do sujeito com o objeto; Para Marx, o motor da transformação são as forças produtivas e as relações de produção, isto é, a forma como o homem e as forças produtivas se relacionam entre si no processo produtivo.

9 CONCEITUAÇÃO DE ALIENAÇÃO ETIMOLOGICAMENTE A PALAVRA ALIENAÇÃO VEM DO LATIM ALIENARE, ALIENUS, QUE SIGNIFICA QUE PERTENCE A UM OUTRO. ASSIM, ALIENAR É TORNAR ALHEIO, TRANSFERIR PARA OUTREM O QUE É SEU.

10 Alienação Conceito hegeliano de alienação: tratar como estranho algo com o qual devíamos nos identificar. Hegel considerava que os indivíduos, todos manifestações de um único Espírito, se viam uns aos outros como rivais hostis e não como elementos de uma unidade. «A alienação é o estado no qual as pessoas vêem como exterior algo que, na verdade, é um elemento intrínseco do seu próprio ser.» (Kenny, 1999: 356).

11 Alienação, segundo Marx Marx analisa a alienação dos trabalhadores industriais em Manuscritos Econômicos e Filosóficos (1848). A propriedade privada e o controle da produção por uma elite são causas do trabalho alienado. O trabalho alienado retira a humanidade das pessoas. Para Marx, a alienação residia, sobretudo, no dinheiro. «O dinheiro é o valor universal e autoconstituído de todas as coisas. Despojou, assim, o mundo inteiro, tanto o mundo humano como a natureza, do seu próprio valor. O dinheiro é a essência alienada do trabalho e da vida do homem, e esta essência alienígena domina-o enquanto ele a idolatrar.»

12 PARA KARL MARX, A ORIGEM DA ALIENAÇÃO ESTÁ NA DIVISÃO SOCIAL DO TRABALHO, QUE FAZ COM QUE O PRODUTO DO TRABALHO HUMANO DEIXE DE PERTENCER AO TRABALHADOR E PASSE A PERTENCER A OUTREM.

13 Como Surge a Alienação? - Todo ser humano tem de obter os meios de subsistência: alimento, abrigo, etc... - O desenvolvimento dos meios de produção leva à especialização; - A especialização torna os indivíduos dependentes um do outro;

14 O que define cada indivíduo é sua relação com os meios de produção; Esta relação determina quem mais tem os mesmos interesses que nós, e quem está em conflito conosco; Isto origina as classes socioeconômicas e Isto origina as classes socioeconômicas e também o conflito entre elas.

15 A produção social da loucura

16 Mas o que é alienação?

17 Que culmina em...

18 A super-estrutura É um reflexo abstrato da infraestrutura econômica. Corresponde às instituições sociais e políticas, religiões, filosofia, artes, ideias. Enfim, é tudo aquilo que é criado culturalmente para dar legitimidade a uma dada infraestrutura econômica.

19 A Teoria das crises No capitalismo, a concorrência gera o dinamismo econômico, mas, por outro lado, este estado de coisas facilmente descamba para o caos. É por isso que no capitalismo as crises são tão freqüentes. O desenvolvimento constante da tecnologia moderna seguiria criando uma massa de desempregados cada vez mais numerosa.

20 Até o momento em que a imensa quantidade de pessoas alienadas e empobrecidas se levantaria contra os capitalistas e faria a revolução. Esta revolução seria o fim da história. A divisão da sociedade em classes teria acabado. Os meios de produção seriam possuídos por todos e operados no interesse de todos.

21 Falso Profeta Marx acreditava que a sua teoria era científica, da mesma forma que a física de Newton era científica. Com tal conhecimento, dizia Marx, era possível prever o inevitável desenvolvimento futuro da sociedade. Esta ideia deu enorme grau de confiança aos marxistas e tornou-os famosos pela intolerância com todas as visões alternativas que não se coadunavam com as deles.

22 Ora, já que o marxismo era científico, as coisas necessariamente aconteceriam de acordo com as suas ideias, a despeito do que qualquer outra pessoa fizesse ou dissesse. Nas palavras de Trotsky, a história está do nosso lado.

23 Declínio e Queda Teorias científicas são refutáveis por definição. Ao contrário do que Marx previra, a tecnologia não aumentou indefinidamente o desemprego, surgiu o setor de serviços: educação, turismo, entretenimento, etc... Além disso, as revoluções aconteceram na periferia do capitalismo, e não nos mais desenvolvidos como Marx acreditava.

24 Nos países em que o marxismo alcançou o poder, quase sem exceção (talvez a China), a economia fracassou e instalouse uma ditadura burocrática. A liberdade também foi asfixiada. Isto tudo, levou a conclusão de que havia Isto tudo, levou a conclusão de que havia algo de errado com as teorias marxistas.

A crítica à razão especulativa

A crítica à razão especulativa O PENSAMENTO DE MARX A crítica à razão especulativa Crítica a todas as formas de idealismo Filósofo, economista, homem de ação, foi o criador do socialismo científico e o inspirador da ideologia comunista,

Leia mais

De resto, para Marx, 3 SOUSA, Maria Carmelita Homem de, "Os Manuscritos de 1844 de Karl Marx", Revista Portuguesa de

De resto, para Marx, 3 SOUSA, Maria Carmelita Homem de, Os Manuscritos de 1844 de Karl Marx, Revista Portuguesa de Karl Heinrich Marx (1818 1883) e Friedrich Engels (1820 1895), foram filósofos, historiadores, economistas e políticos alemães, criadores de uma importante corrente de pensamento que visava a transformação

Leia mais

Karl Marx e o materialismo histórico e dialético (1818-1883)

Karl Marx e o materialismo histórico e dialético (1818-1883) Karl Marx e o materialismo histórico e dialético (1818-1883) O pensamento de Marx: Proposta: entender o sistema capitalista e modificá-lo [...] (COSTA, 2008, p.100). Obra sobre o capitalismo: O capital.

Leia mais

MARX, Karl Contribuição à Crítica da Economia Política

MARX, Karl Contribuição à Crítica da Economia Política ////////////////////////// Ficha de Leitura * ////////////////////////// MARX, Karl Contribuição à Crítica da Economia Política Introdução [À Crítica da Economia Política] Prefácio [Para a Crítica da Economia

Leia mais

Katia Luciana Sales Ribeiro Keila de Souza Almeida José Nailton Silveira de Pinho. Resenha: Marx (Um Toque de Clássicos)

Katia Luciana Sales Ribeiro Keila de Souza Almeida José Nailton Silveira de Pinho. Resenha: Marx (Um Toque de Clássicos) Katia Luciana Sales Ribeiro José Nailton Silveira de Pinho Resenha: Marx (Um Toque de Clássicos) Universidade Estadual de Montes Claros / UNIMONTES abril / 2003 Katia Luciana Sales Ribeiro José Nailton

Leia mais

Introdução à Sociologia Clássica 1

Introdução à Sociologia Clássica 1 Introdução à Sociologia Clássica 1 Eleandro Moi 2 A sociologia constitui um projeto intelectual tenso e contraditório. Para alguns ela representa uma poderosa arma a serviço dos interesses dominantes,

Leia mais

Karl Marx e a Teoria do Valor do Trabalho. Direitos Autorais: Faculdades Signorelli

Karl Marx e a Teoria do Valor do Trabalho. Direitos Autorais: Faculdades Signorelli Karl Marx e a Teoria do Valor do Trabalho Direitos Autorais: Faculdades Signorelli "O caminho da vida pode ser o da liberdade e da beleza, porém, desviamo-nos dele. A cobiça envenenou a alma dos homens,

Leia mais

A ideologia alemã. Karl Marx e Friedrich Engels

A ideologia alemã. Karl Marx e Friedrich Engels A ideologia alemã Karl Marx e Friedrich Engels Percurso Karl Marx (1817-1883) Filho de advogado iluminista Formou-se em Direito, Filosofia e História pela Universidade de Berlim; não seguiu carreira acadêmica

Leia mais

As Três Fontes e as Três partes Constitutivas do Marxismo

As Três Fontes e as Três partes Constitutivas do Marxismo As Três Fontes e as Três partes Constitutivas do Marxismo V. I. Lénine Março de 1913 Fonte: The Marxists Internet Archive A doutrina de Marx suscita em todo o mundo civilizado a maior hostilidade e o maior

Leia mais

Roteiro de Estudos. 3 trimestre - 2015

Roteiro de Estudos. 3 trimestre - 2015 Roteiro de Estudos 3 trimestre - 2015 Disciplina: Geografia Professor: Eduardo 3ª série O que devo saber: Crescimento populacional no Brasil e no mundo. Sociedade e economia. Povos em movimento e migrações

Leia mais

A ÉTICA DE KARL MARX (1818-1883) Ramiro Marques. A Vida

A ÉTICA DE KARL MARX (1818-1883) Ramiro Marques. A Vida A ÉTICA DE KARL MARX (1818-1883) Ramiro Marques A Vida Karl Marx nasceu, em Trier, numa família burguesa de origem judaica, embora convertida ao protestantismo luterano, mais por razões de conveniência

Leia mais

SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO

SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO 1 - INTRODUÇÃO Séc. XIX consolidação da burguesia: ascensão do proletariado urbano (classe operária) avanço do liberalismo.

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ENSINO MÉDIO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ENSINO MÉDIO Sistema de Ensino CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ENSINO MÉDIO UNO Ensino Médio Sociologia 1 Módulo I Nascimento da Sociologia I Do início 1. Da era pré-científica ao Renascimento I. O conhecimento como característica

Leia mais

Marxismo e Ideologia

Marxismo e Ideologia Rita Vaz Afonso 1 FBAUL, 2010 Marxismo e Ideologia 1 rita.v.afonso@gmail.com. O trabalho responde à disciplina semestral de Cultura Visual I do primeiro ano da Faculdade de Belas Artes da Universidade

Leia mais

O MARXISMO E A SOCIOLOGIA. Prof RODRIGO LEGRAZIE

O MARXISMO E A SOCIOLOGIA. Prof RODRIGO LEGRAZIE O MARXISMO E A SOCIOLOGIA Prof RODRIGO LEGRAZIE BIOGRAFIA Nasceu em 1818,na Alemanha. Cursou a universidade de Berlim e doutorou em Filosofia, em Iena. Foi redator de uma gazeta liberal em colônia. Mudou

Leia mais

A dialética em Marx. Data de recepção: 28/03/2014 Data de aprovação: 15/05/2014

A dialética em Marx. Data de recepção: 28/03/2014 Data de aprovação: 15/05/2014 A dialética em Marx Francisco Antonio de Vasconcelos EU-Piauí Doutor em Educação Universidad de la Empresa (reconhecido pela Universidade Federal de Uberlândia). E-mail: franciscoantonio_vasconcelos@yahoo.com.br

Leia mais

O DIREITO NOS MANUSCRITOS DO JOVEM MARX * RIGHT IN THE MANUSCRIPTS OF YOUNG MARX

O DIREITO NOS MANUSCRITOS DO JOVEM MARX * RIGHT IN THE MANUSCRIPTS OF YOUNG MARX O DIREITO NOS MANUSCRITOS DO JOVEM MARX * RIGHT IN THE MANUSCRIPTS OF YOUNG MARX Éder Ferreira Lauren de Miranda Celestino RESUMO A presente pesquisa situa-se no campo dos fundamentos do direito, pois

Leia mais

TRABALHO ALIENADO E A PROPRIEDADE PRIVADA NOS MANUSCRITOS ECONÔMICO-FILOSÓFICOS

TRABALHO ALIENADO E A PROPRIEDADE PRIVADA NOS MANUSCRITOS ECONÔMICO-FILOSÓFICOS TRABALHO ALIENADO E A PROPRIEDADE PRIVADA NOS MANUSCRITOS ECONÔMICO-FILOSÓFICOS Océlio Jackson Braga 1 Enéas Arrais Neto 2 RESUMO O presente artigo é uma análise da relação entre as categorias trabalho

Leia mais

Antecedentes Históricos da Administração: Os primórdios da Administração

Antecedentes Históricos da Administração: Os primórdios da Administração Antecedentes Históricos da Administração: Os primórdios da Administração No decorrer da história da humanidade sempre existiu alguma forma simples ou complexa de administrar as organizações. O desenvolvimento

Leia mais

A HISTORIOGRAFIA SEGUNDO ERIC HOBSBAWM(1917-)

A HISTORIOGRAFIA SEGUNDO ERIC HOBSBAWM(1917-) A HISTORIOGRAFIA SEGUNDO ERIC HOBSBAWM(1917-) Aula 6 META Caracterizar o pensamento historiográfi co de Eric Hobsbawm. OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno deverá: elencar e explicar os principais aspectos

Leia mais

TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO. Fundamentos da Administração. Conteúdo programático: Administração e suas Perspectivas

TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO. Fundamentos da Administração. Conteúdo programático: Administração e suas Perspectivas TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO Fundamentos da Administração Prof. Me. Olney Bruno da Silveira Junior Conteúdo programático:. Ênfase nas tarefas e Ênfase na Estrutura Organizacional. Ênfase nas Pessoas. Ênfase

Leia mais

A GÊNESE DO CONCEITO DE ALIENAÇÃO THE GENESIS OF THE CONCEPT OF ALIENATION IN MARX

A GÊNESE DO CONCEITO DE ALIENAÇÃO THE GENESIS OF THE CONCEPT OF ALIENATION IN MARX A GÊNESE DO CONCEITO DE ALIENAÇÃO THE GENESIS OF THE CONCEPT OF ALIENATION IN MARX Fabrício J. Brustolin 1 RESUMO O texto consiste em uma analise do conceito de alienação no interior do pensamento de Marx.

Leia mais

Parte 01 - Versão 2.3 (Março de 2009)

Parte 01 - Versão 2.3 (Março de 2009) Parte 01 - Versão 2.3 (Março de 2009) Teorias clássica ou neoclássica (liberalismo); Teoria keynesiana; Teoria marxista. Visão do capitalismo como capaz de se auto-expandir e se autoregular Concepção

Leia mais

FÁBIO KONDER COMPARATO

FÁBIO KONDER COMPARATO FÁBIO KONDER COMPARATO Ética Direito, moral e religião no mundo moderno COMPANHIA DAS LETRAS Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CJP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil) Comparato,

Leia mais

THOMAS HOBBES LEVIATÃ MATÉRIA, FORMA E PODER DE UM ESTADO ECLESIÁSTICO E CIVIL

THOMAS HOBBES LEVIATÃ MATÉRIA, FORMA E PODER DE UM ESTADO ECLESIÁSTICO E CIVIL THOMAS HOBBES LEVIATÃ ou MATÉRIA, FORMA E PODER DE UM ESTADO ECLESIÁSTICO E CIVIL Thomas Hobbes é um contratualista teoria do contrato social; O homem natural / em estado de natureza para Hobbes não é

Leia mais

INTRODUÇÃO AO MATERIALISMO DIALÉTICO I

INTRODUÇÃO AO MATERIALISMO DIALÉTICO I INTRODUÇÃO AO MATERIALISMO DIALÉTICO I - Introdução O marxismo está intimamente ligado a uma filosofia e a um método. Esse método é o materialismo dialético e torna-se fundamental entendê-lo, não só para

Leia mais

Sobre A Sagrada Família: a superação do pensamento especulativo e contemplativo em Marx e Engels

Sobre A Sagrada Família: a superação do pensamento especulativo e contemplativo em Marx e Engels NOTA CRÍTICA Sobre A Sagrada Família: a superação do pensamento especulativo e contemplativo em Marx e Engels Leonardo Dorneles Gonçalves* O contexto da obra A Sagrada Família foi escrita em Bruxelas no

Leia mais

complexidade da ciência econômica. De fato, são muito diversas as definições já propostas para a economia. De modo geral, porém, podese afirmar que a

complexidade da ciência econômica. De fato, são muito diversas as definições já propostas para a economia. De modo geral, porém, podese afirmar que a Economia Embora a economia só tenha começado a se desenvolver como ciência no século XVIII, ela adquiriu tamanha importância no mundo contemporâneo que o conhecimento de seus conceitos fundamentais é imprescindível

Leia mais

Sociologia - Resumo Romero - 2014

Sociologia - Resumo Romero - 2014 Sociologia - Resumo Romero - 2014 [imaginação Sociológica] Ao utilizar este termo Giddens refere-se a uma certa sensibilidade que deve cercar a análise sociológica. As sociedades industriais modernas só

Leia mais

O PENSAMENTO POLÍTICO DO SÉCULO XIX

O PENSAMENTO POLÍTICO DO SÉCULO XIX O PENSAMENTO POLÍTICO DO SÉCULO XIX AS IDEIAS SOCIAIS O século XIX foi o século da supremacia europeia sobre o resto do mundo. Foi também o século no qual a burguesia da Europa consolidou seus valores

Leia mais

PLANEJAMENTO E GESTÃO. Renato De Marchi

PLANEJAMENTO E GESTÃO. Renato De Marchi PLANEJAMENTO E GESTÃO Renato De Marchi Processo de Trabalho e Eficiência Produtiva Com o avanço da divisão do trabalho, a ocupação da maior parte daqueles que vivem do trabalho, isto é, da maioria da população,

Leia mais

DATA: 18/12/2015 VALOR: 20,0 NOTA: NOME COMPLETO:

DATA: 18/12/2015 VALOR: 20,0 NOTA: NOME COMPLETO: DISCIPLINA: FILOSOFIA PROFESSOR: ENRIQUE MARCATTO DATA: 18/12/2015 VALOR: 20,0 NOTA: NOME COMPLETO: ASSUNTO: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL SÉRIE: 2ª TURMA: Nº: I N S T R U Ç Õ E S 1. Este trabalho contém

Leia mais

Aula anterior... Revisão Geral de Conteúdo

Aula anterior... Revisão Geral de Conteúdo Aula anterior... Revisão Geral de Conteúdo Reveja esta aula em: http://www.joseferreira.com.br/blogs/sociologia/ Professor: Danilo Borges - Sociologia Aula de hoje... Aprofundamento do problema do trabalho

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE EDUCAÇÃO PESQUISA OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO REDE MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO DE GOIÂNIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE EDUCAÇÃO PESQUISA OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO REDE MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO DE GOIÂNIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE EDUCAÇÃO PESQUISA OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO REDE MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO DE GOIÂNIA ESCOLA MUNICIPAL JALLES MACHADO DE SIQUEIRA PROFESSORA BOLSISTA ROSA CRISTINA

Leia mais

ALIENAÇÃO: REFLEXÕES SOBRE SUA INFLUÊNCIA NA ATIVIDADE DOCENTE

ALIENAÇÃO: REFLEXÕES SOBRE SUA INFLUÊNCIA NA ATIVIDADE DOCENTE ALIENAÇÃO: REFLEXÕES SOBRE SUA INFLUÊNCIA NA ATIVIDADE DOCENTE Adriano Maciel de Souza André Siviero Fábio Luiz Tognin Lilian Luzia Tiezzi dos Santos Nascimento Luci Ramos Lisboa Zioli Maria Elisa Gonçalves

Leia mais

Construindo Derrida. Por Carla Rodrigues Para o Valor, 31.5.2013

Construindo Derrida. Por Carla Rodrigues Para o Valor, 31.5.2013 Construindo Derrida Por Carla Rodrigues Para o Valor, 31.5.2013 Em biografia recém- lançada, Benoît Peeters situa a obra do filósofo Jacques Derrida como parte de um tempo rico do pensamento francês Judeu

Leia mais

O nascimento da sociologia. Prof. Railton Souza

O nascimento da sociologia. Prof. Railton Souza O nascimento da sociologia Prof. Railton Souza Áreas do Saber MITO RELIGIÃO ARTES FILOSOFIA CIÊNCIA SENSO COMUM CIÊNCIAS NATURAIS OU POSITIVAS ASTRONOMIA FÍSICA QUÍMICA BIOLOGIA MATEMÁTICA (FERRAMENTA

Leia mais

Religião, Cristianismo e os significados

Religião, Cristianismo e os significados Religião, Cristianismo e os significados Religião: 1 - Crença na Carlos Alberto Iglesia Bernardo das existência palavras Manifestação dicionário Aurélio de - tal editora crença Nova pela Fronteira doutrina

Leia mais

HEGEL: A NATUREZA DIALÉTICA DA HISTÓRIA E A CONSCIENTIZAÇÃO DA LIBERDADE

HEGEL: A NATUREZA DIALÉTICA DA HISTÓRIA E A CONSCIENTIZAÇÃO DA LIBERDADE HEGEL: A NATUREZA DIALÉTICA DA HISTÓRIA E A CONSCIENTIZAÇÃO DA LIBERDADE Prof. Pablo Antonio Lago Hegel é um dos filósofos mais difíceis de estudar, sendo conhecido pela complexidade de seu pensamento

Leia mais

O Positivismo. Segunda metade do século XIX e inicio do século XX. 1ª. Apostila de Sociologia

O Positivismo. Segunda metade do século XIX e inicio do século XX. 1ª. Apostila de Sociologia 1ª. Apostila de Sociologia O Positivismo Os Clássicos da Sociologia I - Émile Durkheim II - Max Weber III - Karl Marx Resumo da aula anterior. A Sociologia surge no momento de desagregação da sociedade

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NO MUNDO DA TECNOLOGIA

A IMPORTÂNCIA DA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NO MUNDO DA TECNOLOGIA 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 A IMPORTÂNCIA DA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NO MUNDO DA TECNOLOGIA Zedequias Vieira Cavalcante¹, Mauro Luis Siqueira da Silva² RESUMO: A Revolução Industrial

Leia mais

Unic Sorriso Economia

Unic Sorriso Economia Professor FÁBIO TAVARES LOBATO Economista(UFRGS) MBA Gestão em Agribusiness(FGV) MBA Gestão Empresarial(UFRJ) MBA Finanças Empresariais (UNIC) MBA Liderança e Coaching (UNIC) 3. Evolução do Pensamento

Leia mais

Conexões entre o estranhamento e o capitalismo

Conexões entre o estranhamento e o capitalismo Conexões entre o estranhamento e o capitalismo Stênio Eduardo de Sousa Alves Universidade Federal de Uberlândia stenioche@yahoo.com.br Resumo Nos marcos de uma sociedade capitalista globalizada em que

Leia mais

EDUCAÇÃO IDEOLÓGICA E A FORMAÇÃO SOCIAL DO SUJEITO CONTEMPORÂNEO EM KARL MARX 1

EDUCAÇÃO IDEOLÓGICA E A FORMAÇÃO SOCIAL DO SUJEITO CONTEMPORÂNEO EM KARL MARX 1 EDUCAÇÃO IDEOLÓGICA E A FORMAÇÃO SOCIAL DO SUJEITO CONTEMPORÂNEO EM KARL MARX 1 Edvaldo Sant`Ana Lourenço Faculdade Católica de Uberlândia edvaldocsch@gmail.com RESUMO Por meio deste trabalho pretende-se

Leia mais

IDEOLOGIA, EDUCAÇÃO E EMANCIPAÇÃO HUMANA EM MARX, LUKÁCS E MÉSZÁROS

IDEOLOGIA, EDUCAÇÃO E EMANCIPAÇÃO HUMANA EM MARX, LUKÁCS E MÉSZÁROS IDEOLOGIA, EDUCAÇÃO E EMANCIPAÇÃO HUMANA EM MARX, LUKÁCS E MÉSZÁROS Maria Teresa Buonomo de Pinho * O objetivo deste artigo é examinar o caráter de ideologia da práxis educativa e o papel relativo que

Leia mais

Análise Sociológica do Filme -Notícias de Uma Guerra Particular [1999], (de Katia Lund e João Moreira Salles)

Análise Sociológica do Filme -Notícias de Uma Guerra Particular [1999], (de Katia Lund e João Moreira Salles) FACULDADE CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE Curso de Bacharel em Direito Turma A Unidade: Tatuapé Ana Maria Geraldo Paz Santana Johnson Pontes de Moura Análise Sociológica do Filme -Notícias de Uma Guerra Particular

Leia mais

O método como realização do conceito: monismo estrutural

O método como realização do conceito: monismo estrutural 90 O método como realização do conceito: monismo estrutural Method as accomplishment of the concept: structural monism Por Helio Aparecido Teixeira Mestrando em Teologia (Escola Superior de Teologia) Bolsista

Leia mais

Marx, Durkheim e Weber, referências fundamentais

Marx, Durkheim e Weber, referências fundamentais INTRODUÇÃO À sociologia Marx, Durkheim e Weber, referências fundamentais introdução à S Maura Pardini Bicudo Véras O CIO LO GIA Marx, Durkheim e Weber, referências fundamentais Direção editorial Claudiano

Leia mais

HISTÓRIA DOS PARTIDOS POLÍTICOS NA REVOLUÇÃO FRANCESA

HISTÓRIA DOS PARTIDOS POLÍTICOS NA REVOLUÇÃO FRANCESA HISTÓRIA DOS PARTIDOS POLÍTICOS NA REVOLUÇÃO FRANCESA Marcos Faber 1ª Edição www.historialivre.com Antecedentes: O Iluminismo O Iluminismo foi um movimento filosófico que defendeu o final dos regimes absolutistas

Leia mais

3. KARL MARX (e a critica à consciência moderna)

3. KARL MARX (e a critica à consciência moderna) 3. KARL MARX (e a critica à consciência moderna) Não é a consciência dos homens que determina o seu ser, mas, ao contrário, é o seu ser social que determina a sua consciência a) O Materialismo Histórico

Leia mais

Metade da humanidade não come...

Metade da humanidade não come... Metade da humanidade não come... ...e a outra metade não dorme com medo da que não come. Josué de Castro DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS DO HOMEM Art. 1º Todos os homens nascem livres e iguais em dignidade

Leia mais

EUROPA NO SÉCULO XIX. http://historiaonline.com.br

EUROPA NO SÉCULO XIX. http://historiaonline.com.br EUROPA NO SÉCULO XIX A INGLATERRA NO SÉCULO XIX: Era Vitoriana (1837-1901): Hegemonia marítima inglesa. Fortalecimento do poder político da burguesia. Expansão da economia industrial 2ª Revolução Industrial.

Leia mais

SIMULADO DE FILOSOFIA

SIMULADO DE FILOSOFIA NOME: DATA DE ENTREGA: / / SIMULADO DE FILOSOFIA 1) A Filosofia é uma disciplina, ou uma área de estudo que envolve: a) ( ) investigação, análise, discussão, formação e reflexão de idéias em uma situação

Leia mais

SOLIDARIEDADE SOCIAL QUESTÃO.

SOLIDARIEDADE SOCIAL QUESTÃO. 1. ÉMILE DURKHEIM. Bases empíricas da sociologia: o estudo da vida moral. Objeto e método da sociologia: 1. A sociedade como realidade sui generis Representações coletivas da consciência. 2. Fato Social

Leia mais

Resenha. Mestrando em Política Científica e Tecnológica no Instituto de Geociências da UNICAMP. E-mail: renandoliveira@yahoo.com.br.

Resenha. Mestrando em Política Científica e Tecnológica no Instituto de Geociências da UNICAMP. E-mail: renandoliveira@yahoo.com.br. Resenha NOVAES, Henrique Tahan (Org.). O Retorno do Caracol à Sua Concha: alienação e desalienação em associações de trabalhadores. São Paulo: Expressão Popular, 2011. Renan Dias Oliveira O livro de Henrique

Leia mais

1) Em novembro de 1807, a família real portuguesa deixou Lisboa e, em março de 1808, chegou ao Rio de Janeiro. O acontecimento pode ser visto como:

1) Em novembro de 1807, a família real portuguesa deixou Lisboa e, em março de 1808, chegou ao Rio de Janeiro. O acontecimento pode ser visto como: 1) Em novembro de 1807, a família real portuguesa deixou Lisboa e, em março de 1808, chegou ao Rio de Janeiro. O acontecimento pode ser visto como: a) incapacidade dos Braganças de resistirem à pressão

Leia mais

HISTÓRIA DA FILOSOFIA:

HISTÓRIA DA FILOSOFIA: CATÁLOGO ÁREA: Filosofia Política TEMA: O conceito de luta de classes em Marx HISTÓRIA DA FILOSOFIA: Filosofia contemporânea INTERDISCIPLINARIDADE: Sociologia, História e Artes (música) TRANSVERSALIDADE:

Leia mais

Teorias da Administração Conhecimentos organizados, produzidos pela experiência prática das organizações.

Teorias da Administração Conhecimentos organizados, produzidos pela experiência prática das organizações. Introdução à Teoria Geral da Administração Organização É uma combinação intencional de recursos para atingir um determinado objetivo. O que são teorias? São explicações, interpretações ou proposições sobre

Leia mais

Vejam que matéria prima escrita pelo Prof Rui da UFC em resposta aos artigos defendendo Marx dentro daquela universidade.

Vejam que matéria prima escrita pelo Prof Rui da UFC em resposta aos artigos defendendo Marx dentro daquela universidade. Vejam que matéria prima escrita pelo Prof Rui da UFC em resposta aos artigos defendendo Marx dentro daquela universidade. Uma verdadeira aula que devemos reproduzir para os alunos de todas as Escolas Militares

Leia mais

Professor Thiago Espindula - Geografia. África

Professor Thiago Espindula - Geografia. África África A seguir, representação cartográfica que demonstra a localização da África, em relação ao mundo. (Fonte: www.altona.com.br) Europeus partilham a África A Conferência de Berlim, entre 1884 e 1885,

Leia mais

As causas da crise monetária na Europa*

As causas da crise monetária na Europa* As causas da crise monetária na Europa* Karl Marx Londres, 14 de outubro de 1856 A crise monetária na Alemanha, que começou por volta de setembro passado, atingiu seu clímax no dia 26 daquele mês, quando

Leia mais

INTRODUÇÃO À CRÍTICA MARXISTA: O FUNDAMENTO DA ORIGEM DA SOCIEDADE NO CONTRATO SOCIAL DE ROUSSEAU

INTRODUÇÃO À CRÍTICA MARXISTA: O FUNDAMENTO DA ORIGEM DA SOCIEDADE NO CONTRATO SOCIAL DE ROUSSEAU INTRODUÇÃO À CRÍTICA MARXISTA: O FUNDAMENTO DA ORIGEM DA SOCIEDADE NO CONTRATO SOCIAL DE ROUSSEAU Mayane Almeida da Silva 1 mayanea@yahoo.com.br Priscila Azevedo de Amorim 2 priscilaazevedo23@yahoo.com.br

Leia mais

A necessidade do entendimento da formação da teoria valor-trabalho para uma possível prática revolucionária

A necessidade do entendimento da formação da teoria valor-trabalho para uma possível prática revolucionária A necessidade do entendimento da formação da teoria valor-trabalho para uma possível prática revolucionária Carolina Cristina Alves Universidade Estadual de Campinas UNICAMP/Brasil. Programa de Pós-Graduação

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL GOIÁS CURSOS DE DIREITO E DE SERVIÇO SOCIAL PLANO DE TRABALHO PIBIC/2014-2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL GOIÁS CURSOS DE DIREITO E DE SERVIÇO SOCIAL PLANO DE TRABALHO PIBIC/2014-2015 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL GOIÁS CURSOS DE DIREITO E DE SERVIÇO SOCIAL PLANO DE TRABALHO PIBIC/20-20 Ideologia e Direitos Humanos: uma critica histórica Equipe executora:

Leia mais

Aula 06 A SOCIOLOGIA CLÁSSICA O PENSAMENTO SOCIOLÓGICO POSITIVISTA E O PENSAMENTO CRÍTICO. 1. Posisitivismo: Uma Primeira Forma de Pensamento Social

Aula 06 A SOCIOLOGIA CLÁSSICA O PENSAMENTO SOCIOLÓGICO POSITIVISTA E O PENSAMENTO CRÍTICO. 1. Posisitivismo: Uma Primeira Forma de Pensamento Social Aula 06 A SOCIOLOGIA CLÁSSICA O PENSAMENTO SOCIOLÓGICO POSITIVISTA E O PENSAMENTO CRÍTICO 1. Posisitivismo: Uma Primeira Forma de Pensamento Social A primeira corrente de pensamento sociológico propriamente

Leia mais

PSVS/UFES 2013 MATEMÁTICA 1ª QUESTÃO. O domínio da função real dada por 2ª QUESTÃO. Uma equação da reta tangente ao gráfico de no ponto é 3ª QUESTÃO

PSVS/UFES 2013 MATEMÁTICA 1ª QUESTÃO. O domínio da função real dada por 2ª QUESTÃO. Uma equação da reta tangente ao gráfico de no ponto é 3ª QUESTÃO MATEMÁTICA 1ª QUESTÃO O domínio da função real dada por 2ª QUESTÃO Uma equação da reta tangente ao gráfico de no ponto 3ª QUESTÃO A assíntota horizontal do gráfico de a reta de equação GRUPO 3 PROVA DE

Leia mais

OFICINA DA PESQUISA ÉTICA, POLÍTICA E SOCIEDADE

OFICINA DA PESQUISA ÉTICA, POLÍTICA E SOCIEDADE OFICINA DA PESQUISA ÉTICA, POLÍTICA E SOCIEDADE Prof. Msc. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br A FORMAÇÃO DA MORAL OCIDENTAL A FILOSOFIA CONTEMPORÂNEA

Leia mais

RESENHA: PAULA, MARCIO GIMENES DE. INDIVÍDUO E COMUNIDADE NA FILOSOFIA DE KIERKEGAARD. PAULUS/MACKENZIE, SÃO PAULO, 2009.

RESENHA: PAULA, MARCIO GIMENES DE. INDIVÍDUO E COMUNIDADE NA FILOSOFIA DE KIERKEGAARD. PAULUS/MACKENZIE, SÃO PAULO, 2009. caderno ufs - filosofia RESENHA: PAULA, MARCIO GIMENES DE. INDIVÍDUO E COMUNIDADE NA FILOSOFIA DE KIERKEGAARD. PAULUS/MACKENZIE, SÃO PAULO, 2009. Jadson Teles Silva Graduando em Filosofia UFS Indivíduo

Leia mais

ALIENAÇÃO E FETICHE: DESDOBRAMENTOS NO TRABALHO REALIZADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

ALIENAÇÃO E FETICHE: DESDOBRAMENTOS NO TRABALHO REALIZADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL ALIENAÇÃO E FETICHE: DESDOBRAMENTOS NO TRABALHO REALIZADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Laís Leni Oliveira Lima Universidade Federal de Goiás-Campus Jataí laisleni@yahoo.com.br CONSIDERAÇÕES INTRODUTÓRIAS Este

Leia mais

Tarefa Net 9º ano História. 2º Bimestre

Tarefa Net 9º ano História. 2º Bimestre Tarefa Net 9º ano História 2º Bimestre 1. Há 70 anos o mundo assistiu ao começo da Guerra Civil Espanhola, cujo saldo de 600 mil mortos provocou comoção internacional, mas não evitou a instalação de uma

Leia mais

Nova classe média? Buscando respostas num velho debate sobre os limites do capitalismo. Danilo Chaves Nakamura 1

Nova classe média? Buscando respostas num velho debate sobre os limites do capitalismo. Danilo Chaves Nakamura 1 Nova classe média? Buscando respostas num velho debate sobre os limites do capitalismo Danilo Chaves Nakamura 1 Para minha geração, o êxito do capital era um problema. Agora muitos acreditam que isso é

Leia mais

ALIENAÇÃO. J. M. Paulo Serra. www.lusosofia.net

ALIENAÇÃO. J. M. Paulo Serra. www.lusosofia.net ALIENAÇÃO J. M. Paulo Serra 2003 Covilhã, 2008 FICHA TÉCNICA Título: Alienação Autor: Joaquim Mateus Paulo Serra Colecção: Artigos LUSOSOFIA Design da Capa: António Rodrigues Tomé Composição & Paginação:

Leia mais

EDUCAÇÃO E ALIENAÇÃO EM MARX: CONTRIBUIÇÕES TEÓRICO- METODOLÓGICAS PARA PENSAR A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO

EDUCAÇÃO E ALIENAÇÃO EM MARX: CONTRIBUIÇÕES TEÓRICO- METODOLÓGICAS PARA PENSAR A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO E ALIENAÇÃO EM MARX: CONTRIBUIÇÕES TEÓRICO- METODOLÓGICAS PARA PENSAR A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO João Carlos da Silva i UNIOESTE, Cascavel, PR RESUMO: A educação, em Marx, não teve um tratamento específico,

Leia mais

O que é Anarquismo? Nicolas Walter. Tradução: Plínio A. Coêlho

O que é Anarquismo? Nicolas Walter. Tradução: Plínio A. Coêlho O que é Anarquismo? Nicolas Walter Tradução: Plínio A. Coêlho 2009 Projeto de capa: Luiz Carioca Diagramação: Farrer (C) Copyleft - É livre, e inclusive incentivada, a reprodução deste livro, para fins

Leia mais

O ESTADO E DOMINAÇÃO NOS PRESSUPOSTOS DE MARX, WEBER E DURKHEIM

O ESTADO E DOMINAÇÃO NOS PRESSUPOSTOS DE MARX, WEBER E DURKHEIM O ESTADO E DOMINAÇÃO NOS PRESSUPOSTOS DE MARX, WEBER E DURKHEIM Silvia Jurema Leone Quaresma* 1. Estado e dominação nos pressupostos de Marx Karl Heinrich Marx (1818-1883) nasceu em Treves, capital da

Leia mais

Aula5 TEORIAS CLÁSSICAS DA SOCIOLOGIA. José Rodorval Ramalho. META Apresentar a diversidade teórica nas origens da sociologia.

Aula5 TEORIAS CLÁSSICAS DA SOCIOLOGIA. José Rodorval Ramalho. META Apresentar a diversidade teórica nas origens da sociologia. Aula5 TEORIAS CLÁSSICAS DA SOCIOLOGIA META Apresentar a diversidade teórica nas origens da sociologia. OBJETIVOS Ao fi nal desta aula, o aluno deverá: identificar o conceito de modernidade com base no

Leia mais

Mudança e transformação social

Mudança e transformação social 7 Mudança e transformação social Unidade Não existem sociedades sem mudanças. Há transformações maiores, que atingem toda a humanidade, e menores, que acontecem no cotidiano das pessoas. Normalmente elas

Leia mais

RETA FINAL INSS. Técnico do Seguro Social l Analista do Serviço Social. Aula 01 ÉTICA NO SERVIÇO PÚBLICO. Professor: Tiago Zanolla

RETA FINAL INSS. Técnico do Seguro Social l Analista do Serviço Social. Aula 01 ÉTICA NO SERVIÇO PÚBLICO. Professor: Tiago Zanolla RETA FINAL INSS Técnico do Seguro Social l Analista do Serviço Social ÉTICA NO SERVIÇO PÚBLICO Professor: Tiago Zanolla Aula 01 AULA INAUGURAL 1. OBSERVAÇÕES INICIAIS... 3 1.1. PROFESSOR... 3 1.2. CONHECENDO

Leia mais

A natureza ontológica do pensamento de Marx

A natureza ontológica do pensamento de Marx A natureza ontológica do pensamento de Marx Frederico Jorge Ferreira Costa 1 Susana Jimenez Vasconcelos 2 Nosso objetivo neste artigo é identificar os pressupostos que identificam o pensamento de Marx

Leia mais

Douglas Filenga TGA I. Tópicos do módulo: a)campo de atuação profissional; b)perspectivas organizacionais;

Douglas Filenga TGA I. Tópicos do módulo: a)campo de atuação profissional; b)perspectivas organizacionais; Administração Douglas Filenga TGA I Tópicos do módulo: a)campo de atuação profissional; b)perspectivas organizacionais; c) Habilidades profissionais; d)influências históricas. Campo de atuação: Os diferentes

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS Goiânia, de de 2015.

LISTA DE EXERCÍCIOS Goiânia, de de 2015. LISTA DE EXERCÍCIOS Goiânia, de de 2015. Série: 2 º ano Aluno(a): Disciplina: Sociologia Professora: Rafael e-mail: rafaelgargano@gmail.com Karl Marx Profº: Rafael Gargano Principais conceitos Mais-Valia

Leia mais

Marx e a religião: a construção do conhecimento histórico

Marx e a religião: a construção do conhecimento histórico Marx e a religião: a construção do conhecimento histórico Sylvana Maria Brandão de Aguiar 1 Edson de Araújo Nunes 2 Renan Vilas Boas de Melo Magalhães 3 Rafaella Valença de Andrade Galvão 4 Resumo Extremamente

Leia mais

SOCIOLOGIA QUESTÃO 51 As assertivas a seguir resumem formulações teóricas da Sociologia sobre coesão social e anomia Leia-as e assinale a alternativa que indica as formulações corretas na tradição teórica

Leia mais

Princípios Elementares de Filosofia

Princípios Elementares de Filosofia Pelo Socialismo Questões político-ideológicas com atualidade http://www.pelosocialismo.net Obra editada pela Prelo Editora, SARL, em janeiro de 1975 (4.ª Edição) Colocado em linha em: 2012/01/23 Princípios

Leia mais

Sociologia. Marcos Eduardo G. de Lima Renato Garibaldi Mauri. Professor

Sociologia. Marcos Eduardo G. de Lima Renato Garibaldi Mauri. Professor Sociologia 2 Marcos Eduardo G. de Lima Renato Garibaldi Mauri Professor SUMÁRIO MÓDULO 9 Materialismo histórico............................... 2 1. Karl Marx: o revolucionário........................ 2

Leia mais

Marx e Marcuse: Acerca da Alienação do Homem e seu Trabalho

Marx e Marcuse: Acerca da Alienação do Homem e seu Trabalho Marx e Marcuse: Acerca da Alienação do Homem e seu Trabalho Marx y Marcuse: Acerca de la Alienación del Hombre e su Trabajo FABIO GOULART 1 Resumo: Este artigo tem como objetivo apresentar e analisar o

Leia mais

O HUMANISMO DE KARL MARX: O TRABALHO NA HISTÓRIA COMO MEIO DE FORMAÇÃO DO HOMEM

O HUMANISMO DE KARL MARX: O TRABALHO NA HISTÓRIA COMO MEIO DE FORMAÇÃO DO HOMEM O HUMANISMO DE KARL MARX: O TRABALHO NA HISTÓRIA COMO MEIO DE FORMAÇÃO DO HOMEM Felipe Gustavo Soares da Silva 1 RESUMO Muitas críticas são tecidas já a algum tempo acerca da concepção do trabalho na sociedade

Leia mais

Conhecer a FCH, Conferências Multidisciplinares. VOLUME 5 Filosofia. Filosofia e Direitos dos Animais. Questões de Filosofia Aplicada

Conhecer a FCH, Conferências Multidisciplinares. VOLUME 5 Filosofia. Filosofia e Direitos dos Animais. Questões de Filosofia Aplicada Conhecer a FCH, Conferências Multidisciplinares VOLUME 5 Filosofia Filosofia e Direitos dos Animais. Questões de Filosofia Aplicada Lisboa Universidade Católica Editora 2011 Índice Apresentação................................

Leia mais

UNIVERSIDADE PÚBLICA: O SENTIDO DA NOSSA LUTA. Ivo Tonet

UNIVERSIDADE PÚBLICA: O SENTIDO DA NOSSA LUTA. Ivo Tonet 1 UNIVERSIDADE PÚBLICA: O SENTIDO DA NOSSA LUTA Ivo Tonet Introdução Para melhor orientar e sustentar a nossa luta, é importante compreender as dimensões mais gerais em que ela se situa. A convicção, gerada

Leia mais

A PAIDÉIA FREIREANA: A UTOPIA DA FORMAÇÃO COMO PRÁTICA DA LIBERDADE. Resumo

A PAIDÉIA FREIREANA: A UTOPIA DA FORMAÇÃO COMO PRÁTICA DA LIBERDADE. Resumo A PAIDÉIA FREIREANA: A UTOPIA DA FORMAÇÃO COMO PRÁTICA DA LIBERDADE Peri Mesquida: Mestrado em Educação PUCPR Rosane Wandscheer: Mestranda em Educação PUCPR Resumo A paidéia na Grécia clássica e, em particular,

Leia mais

Pensamento Marxista e a Educação na Sociedade Capitalista Atual

Pensamento Marxista e a Educação na Sociedade Capitalista Atual 1 Pensamento Marxista e a Educação na Sociedade Capitalista Atual DINIZ, Rosemeri Birck - Universidade Federal do Tocantins. rosebirck@uft.edu.br SOUZA, Raquel Aparecida. Universidade Federal do Tocantins.

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: GRAMSCI; SOCIEDADE CIVIL; HEGEMONIA A SOCIEDADE CIVIL EM GRAMSCI

PALAVRAS-CHAVE: GRAMSCI; SOCIEDADE CIVIL; HEGEMONIA A SOCIEDADE CIVIL EM GRAMSCI PALAVRAS-CHAVE: GRAMSCI; SOCIEDADE CIVIL; HEGEMONIA A SOCIEDADE CIVIL EM GRAMSCI Introdução O pensamento político moderno, de Hobbes a Hegel, caracteriza-se pela tendência a considerar o Estado ou sociedade

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS RECUPERAÇÃO FINAL 3 ano

LISTA DE EXERCÍCIOS RECUPERAÇÃO FINAL 3 ano LISTA DE EXERCÍCIOS RECUPERAÇÃO FINAL 3 ano 1. Apresente as ideias de Tese, antítese e síntese idealizados por Hegel. 2. Uma das faculdades mais importantes do ser humano é pensar. Nenhum homem conseguiria

Leia mais

Porque Vale o que Está Escrito, ou as Letras e Seusl Estilos

Porque Vale o que Está Escrito, ou as Letras e Seusl Estilos Porque Vale o que Está Escrito, ou as Letras e Seusl Estilos 1 Um simples olhar ao mundo da escrita nos mostra tanta variação na forma gráfica que, por um instante, surge a dúvida: como é possível que

Leia mais

SALÁRIO, LUCRO E DIVISÃO DE CLASSE RESUMO. relações sociais decorrentes dos modos de produção, sendo fator de transformação da

SALÁRIO, LUCRO E DIVISÃO DE CLASSE RESUMO. relações sociais decorrentes dos modos de produção, sendo fator de transformação da 1 SALÁRIO, LUCRO E DIVISÃO DE CLASSE Fabiane Ribeiro Caldas 1 RESUMO De acordo com o pensamento sociológico de Karl Marx, a sociedade se dá com as relações sociais decorrentes dos modos de produção, sendo

Leia mais

AS PRINCIPAIS CONTRIBUIÇÕES DO PENSAMENTO SOCIOLÓGICO CLÁSSICO

AS PRINCIPAIS CONTRIBUIÇÕES DO PENSAMENTO SOCIOLÓGICO CLÁSSICO AS PRINCIPAIS CONTRIBUIÇÕES DO PENSAMENTO SOCIOLÓGICO CLÁSSICO Nesta unidade, estudaremos o pensamento sociológico clássico, que consiste na compreensão dos três princípios explicativos da realidade social.

Leia mais

A) o dualismo ontológico é uma impossibilidade, enquanto o mundo sensível traz em si a causa da sua própria existência.

A) o dualismo ontológico é uma impossibilidade, enquanto o mundo sensível traz em si a causa da sua própria existência. QUESTÃO 01 Em Platão, as questões metafísicas mais importantes e a possibilidade de serem solucionadas estão vinculadas aos grandes problemas da geração, da corrupção e do ser das coisas. Para Platão,

Leia mais

DA MANUFATURA À MAQUINARIA MODERNA: CONSOLIDAÇÃO DO MODO DE PRODUÇÃO CAPITALISTA

DA MANUFATURA À MAQUINARIA MODERNA: CONSOLIDAÇÃO DO MODO DE PRODUÇÃO CAPITALISTA DA MANUFATURA À MAQUINARIA MODERNA: CONSOLIDAÇÃO DO MODO DE PRODUÇÃO CAPITALISTA SOUZA, Osmar Martins, PG, UEM, msouza.32@gmail.com PEREIRA MELO, José Joaquim, PG, UEM, jjpmelo@hotmail.com INTRODUÇÃO Neste

Leia mais

Antropologia, História e Filosofia

Antropologia, História e Filosofia Antropologia, História e Filosofia Breve história do pensamento acerca do homem Um voo panorâmico na história ocidental Cosmológicos 1. Embora o objeto não seja propriamente o homem já encontramos indícios

Leia mais

O PENSAMENTO HEGELIANO: O SISTEMA E A DIALÉTICA. Resumo

O PENSAMENTO HEGELIANO: O SISTEMA E A DIALÉTICA. Resumo 1 O PENSAMENTO HEGELIANO: O SISTEMA E A DIALÉTICA Cassio Donizete Marques 1 Resumo Hegel é considerado um dos pensadores mais complexos de toda a história da filosofia. Seu pensamento estabelece, senão

Leia mais