O Plano de Formação 2014 abrange diversas modalidades, proporcionando soluções formativas à medida das necessidades das organizações.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O Plano de Formação 2014 abrange diversas modalidades, proporcionando soluções formativas à medida das necessidades das organizações."

Transcrição

1 Plano de Formação 2014

2 Na Academia VLM inspiramos pessoas para que desenvolvam as suas competências, comportamentos e atitudes, criando assim mais-valias para as organizações. Na Academia VLM encaramos os novos e permanentes desafios, como a necessidade constante de atualização do capital humano das organizações. É neste sentido que desenvolvemos ações formativas com o objetivo de prepararmos as pessoas para enfrentar desafios presentes e futuros e para o alcance do sucesso. O Plano de Formação 2014 abrange diversas modalidades, proporcionando soluções formativas à medida das necessidades das organizações. 2

3 MODALIDADES FORMATIVAS FORMAÇÃO INTER- EMPRESAS Enquadrada na nossa visão das necessidades formativas do meio empresarial atual, desenvolvemos o Plano de Formação 2014 com uma oferta formativa que pretende, não só ir ao encontro das necessidades de profissionais especializados, mas também desenvolver competências transversais a gestores e técnicos especializados. WORKSHOPS E SEMINÁRIOS Organizamos e dinamizamos Workshops e Seminários temáticos dedicados a áreas de interesse porque acreditamos que é pelo debate de ideias que surge a inovação e o desenvolvimento. Através do estabelecimento de sinergias com entidades e organizações especializadas de cada área, pretendemos desenvolver áreas de conhecimento focadas naquelas que são as questões mais atuais e prementes. FORMAÇÃO AVANÇADA Formação de média e longa duração, altamente especializada e orientada para o aprofundamento de saberes. A Academia VLM tem mantido parcerias e colaborações estratégicas com entidades de reconhecida qualidade no mercado, procurando responder às necessidades de formação de gestores e quadros técnicos. A aposta na qualidade do serviço, na seleção de formadores e oradores altamente qualificados e criteriosamente selecionados, são o ponto de partida para aquele que acreditamos ser o nível de excelência exigido pelos nossos Clientes. 3

4 Invista numa Formação Qualificada! Conheça o nosso Plano AcademiaVLM para CURSOS: Implementação de Sistemas de Gestão da Energia ISO RESPONSABILIDADE SOCIAL E ENERGIA WORKSHOPS: Workshop Técnico sobre Responsabilidade Social - SA 8000 SEGURANÇA ALIMENTAR CURSOS: Análise Sensorial Food Defense - Defesa dos Alimentos Interpretação da Norma NP EN ISO 22000:2005 Sistemas de Gestão da Segurança Alimentar BRC e IFS CURSOS: Gestão Aduaneira das Importações Internacionalização - Web Tools: A Customs Approach FINANCEIRA, FISCAL E CONTABILIDADE CURSOS: Outdoor Training - Desenvolvimento de Competências de Liderança de Equipas GESTÃO E INOVAÇÃO 4

5 CURSOS: Certificação da Cadeia de Responsabilidade FSC e PEFC Conformidade Legal em Matéria de Ambiente Interpretação da ISO 9001:2008 Produtos Químicos: Regulamento REACH e Regulamento CLP QUALIDADE E AMBIENTE WORKSHOPS: Avaliação de Impactes Ambientais Gestão de Resíduos Mitos e Lendas da NP EN ISO 9001 O Cálculo do Montante da Responsabilidade Ambiental CURSOS: Balanceamento de Processos Produtivos em 6 Etapas Lean Logistics - Os Princípios Lean aplicados à Cadeia de Abastecimento Pull System - Produza a quantidade certa no momento desejado OPERAÇÕES E LOGÍSTICA WORKSHOPS: Value Stream Mapping - Transforme os Desperdícios da sua Empresa em Oportunidades MARKETING E COMUNICAÇÃO CURSOS: Marketing Facebook - Empresas Redes Sociais para Empresas (youtube, facebook, linkedin, pinterest) Search Engine Advertising - Publicidade nos Motores de Busca (Google AdWords) CURSOS: Outdoor Training - Desenvolvimento de Competências em Primeiros Socorros Segurança na Condução de Empilhadores SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO WORKSHOPS: Identificação e Avaliação de Riscos Psicossociais Interpretação de Relatórios Técnicos e Certificados de Calibração Verificação de Equipamentos de Trabalho Medidas de Autoproteção em Edifícios Industriais, Oficinas e Armazéns: Cálculo da Carga de Incêndio CURSOS: Auditores Internos ISO TS 16949:2009 Auditorias a Sistemas de Gestão (ISO 19011) FORMAÇÃO DE AUDITORES 5

6 RESPONSABILIDADE SOCIAL E ENERGIA

7 CURSO Implementação de Sistemas de Gestão da Energia ISO Enquadramento A crescente preocupação com os custos associados aos consumos energéticos face ao aumento constante dos seus preços, conduz a que a este recurso sejam aplicados os princípios básicos da racionalização na sua utilização. Dar a conhecer a norma ISO e seus requisitos, bem como o seu potencial para a contribuição da melhoria da eficiência energética das organizações. / Quadro geral da regulamentação na área da energia / Sistemas de Gestão de Energia: enquadramento, conceitos gerais e estrutura da ISO / Requisitos e orientações da norma ISO / Estudos e casos práticos de implementação da ISO Este curso é dirigido a todo o tipo de organizações e atividades, bem como a qualquer um dos seus principais responsáveis (gestores, responsáveis de produção, ambiente, qualidade, segurança, manutenção, etc.), consultores e auditores. 16 horas 7

8 WORKSHOP Workshop Técnico sobre Responsabilidade Social - SA 8000 Enquadramento O passo natural para uma organização que esteja certificada pela qualidade, ambiente e segurança é avançar para a integração desse sistema com requisitos de responsabilidade social. A norma internacional SA 8000 é uma norma de avaliação da responsabilidade social que existe para empresas fornecedoras e vendedoras. Conhecer um dos referenciais normativos internacionais para implementar sistemas de gestão de responsabilidade social; Conhecer o contexto da implementação da norma SA8000; Conhecer os requisitos da norma, bem como as condições da sua implementação prática; Estruturar e elaborar o Código de Conduta Social para uma empresa; Identificar e definir o conteúdo dos diferentes documentos necessários à implementação da norma SA8000. / A- O Desenvolvimento sustentável e a responsabilidade social / B- A Responsabilidade Social 1. A Ética Empresarial 2. Os Direitos do Homem e a Responsabilidade Social 3. A Norma SA8000:2008: 3.1 Objetivo 3.2 Termos e Definições 3.3 Os requisitos normativos: - Trabalho infantil - Trabalho forçado - Saúde e Segurança - Liberdade de associação e Direito à negociação coletiva - Discriminação - Práticas disciplinares - Horário de trabalho - Remuneração - Sistema de gestão 4. As particularidades das Auditorias SA8000 Administrações, Direções, Diretores de Responsabilidade Social, Direções de Recursos Humanos, Chefias Intermédias e outros definidos pela empresa. 7 horas 8

9 SEGURANÇA ALIMENTAR

10 CURSO Análise Sensorial Conhecer as potencialidades e os diversos campos de aplicação da Análise Sensorial. / Fatores relevantes em estudos de análise sensorial: - Provadores - Locais de ensaio e medição de respostas em análise sensorial / Metodologias e técnicas de ensaio: - Ensaios discriminativos - Aplicação de diferentes técnicas, nomeadamente: ensaios de duo-trio (ISO 10399), utilização de escalas (ISO 4121), teste triangular (ISO 4120) e comparação por pares (ISO 5495) - Ensaios afetivos: testes de preferência, testes de aceitação - Ensaios descritivos / Definição da forma correta de provar: nariz e boca / Provas de soluções com diferentes concentrações / Descrição de odores / Identificação de erros em prova / Emparelhamento de sabores e odores / Aplicação de diferentes técnicas, nomeadamente: ensaios de duo-trio (ISO 10399), utilização de escalas (ISO 4121), teste triangular (ISO 4120) e comparação por pares (ISO 5495) / Determinação de limiares de perceção / Definição e análise de parâmetros de qualidade Quadros médios e superiores de empresas do setor agroalimentar, consultores, técnicos e outros profissionais com interesse nesta área. Parcerias: 12 horas 10

11 CURSO Food Defense - Defesa dos Alimentos Enquadramento O conceito de defesa dos alimentos é ainda pouco conhecido, no entanto está em expansão. Com todos os acontecimentos do passado recente que focam a consciência no terrorismo, é utilizada com alguma frequência a palavra bioterrorismo e a cadeia alimentar com as suas fragilidades inerentes é cada vez mais um ponto de preocupação. Os sistemas de gestão da segurança alimentar, que se baseiam em normas da Global Food Safety Initiative (GFSI), nomeadamente referenciais BRC e IFS, incluem já requisitos específicos para prevenir a contaminação deliberada dos alimentos. Compreender a necessidade de gerir a Defesa dos Alimentos; Reconhecer os conceitos Defesa de alimentos; Vulnerabilidade e Ameaça; Definir um Plano de Defesa de Alimentos. Objetivos Específicos Compreender conceitos de Defesa dos Alimentos; Conhecer e compreender princípios da PAS 96:2010; Reconhecer os requisitos de Defesa dos alimentos nos Sistemas de Gestão de Segurança Alimentar _IFS; BRC Reconhecer princípios dos métodos ALERT; CARVER;TACCP; Desenvolver capacidades para desenvolver um Plano de Defesa de Alimentos. / Introdução à Defesa de alimentos_pas 96:2010 / Enquadramento com os sistemas de gestão de segurança alimentar IFS, BRC, PAS 220 / Definições de Vulnerabilidade; Ameaça; Adulteração de produto / Passos a seguir para elaboração de um plano de Defesa Alimentar / Metodologias associadas - ALERT; Carver Shock; TACCP / Verificação do Plano de Defesa dos Alimentos Quadros superiores e médios de organizações da cadeia de fornecimento de produtos alimentares e fornecedores de ingredientes, embalagens e produtos de higienização. 8 horas 11

12 CURSO Interpretação da Norma NP EN ISO 22000:2005 Enquadramento Cada vez mais, o consumidor demonstra a sua preocupação relativamente ao consumo de alimentos seguros. Esta preocupação fez com que empresas que processam alimentos tenham ao longo do tempo tentado desenvolver Sistemas de Gestão de Segurança Alimentar baseados na metodologia HACCP. Em 2001 a ISO (International Standard Organization) empreendeu o desenvolvimento de um referencial auditável, demonstrando o papel determinante da metodologia HACCP num Sistema de Gestão de Segurança Alimentar. A Norma Internacional ISO é uma ferramenta efetiva para a produção de alimentos seguros e que correspondem às exigências legais, dos consumidores e das próprias empresas. Pode ser aplicada a todos os setores da indústria alimentar e associados, incluindo restauração e empresas intermédias, distribuidoras e de transporte, o que engloba ainda fornecedores de embalagens, equipamento e matérias-primas. Compreender a necessidade de gerir a segurança dos produtos alimentares; Reconhecer os requisitos da norma ISO 22000:2005. Objetivos Específicos Compreender a estrutura do modelo de Gestão da Segurança Alimentar da ISO e o seu alinhamento com outros modelos de gestão; Desenvolver capacidades de implementação/evolução de um Sistema de Gestão da Segurança Alimentar. / Conceitos gerais de segurança alimentar / Estrutura da ISO Comparação com outros modelos de gestão / Requisitos Gerais e de Documentação do Sistema de Gestão da Segurança Alimentar / A Responsabilidade da Gestão de Topo / O conceito de cadeia de fornecimento de alimentos e importância da comunicação externa e interna / Assegurar os Recursos para Garantir a Segurança Alimentar / Programas de Pré-Requisitos / Requisitos para o desenvolvimento da Análise de Perigos 12

13 CURSO / Análise de Perigos: Identificação dos Perigos e Níveis Aceitáveis / Avaliação e Controlo / Programas de Pré-Requisitos Operacionais e Plano HACCP / Revisão, Atualização e Planeamento da Verificação / Rastreabilidade e Controlo da Não- Conformidade / Validação, Verificação e Melhoria do Sistema Quadros superiores e médios de organizações da cadeia de fornecimento de produtos alimentares e fornecedores de ingredientes, embalagens e produtos de higienização. 12 horas 13

14 CURSO Sistemas de Gestão da Segurança Alimentar BRC e IFS Enquadramento Cada vez mais, o consumidor demonstra a sua preocupação relativamente ao consumo de alimentos seguros. Esta preocupação fez com que empresas que processam alimentos tenham ao longo do tempo tentado desenvolver Sistemas de Gestão de Segurança Alimentar. Os referenciais BRC (British Retail Consortium) e IFS - International Food Standard, foram desenvolvidos por grupos de retalhistas, como ferramentas necessárias à produção de alimentos seguros e que correspondem às exigências legais, dos consumidores e das próprias empresas. Identificar os benefícios da implementação de um Sistema de Gestão da Segurança Alimentar; Compreender a estrutura e requisitos da IFS e BRC; Reconhecer os principais eixos das diferentes normas associadas à gestão de segurança alimentar; Desenvolver capacidades de implementação/evolução de um Sistema de Gestão da Segurança Alimentar; Perceber o alinhamento com outros referenciais, nomeadamente com a estrutura da ISO / Origem e evolução dos Referenciais / Requisitos de responsabilidade de Gestão / Requisitos do Sistema de Gestão / Requisitos de Gestão de Recursos / Requisitos do processo de Produção / Requisitos de Medição, Análise e Melhoria / Estudo de Caso Quadros Superiores e Médios de organizações da cadeia de fornecimento de produtos alimentares e fornecedores de ingredientes, embalagens, equipamentos e produtos de higienização e limpeza. Organismos Oficiais. 16 horas 14

15 FINANCEIRA, FISCAL E CONTABILIDADE

16 CURSO Gestão Aduaneira das Importações Adquirir conhecimentos sobre os formalismos na importação; Conhecer os diferentes regimes aduaneiros e as suas diferentes implicações na competitividade das empresas; Tributação das mercadorias na importação - classificação, origem e valor aduaneiro. Quadros técnicos e administrativos do departamento financeiro, de logística, comercial e de compras. / Formalidades a cumprir na importação / Diferentes regimes aduaneiros / Regimes Aduaneiros Suspensivos e Económicos / A aplicação dos regimes aduaneiros suspensivos e económicos à atividade das empresas / Noções de origem das mercadorias, valor aduaneiro e classificação pautal / O regime de IVA na importação / Tributação das mercadorias na importação - utilização da Pauta de Serviço Todos os casos simulados terão como base mercadorias/produtos a indicar pelos participantes. 7 horas 16

17 CURSO Internacionalização - Web Tools: A Customs Approach Utilizar as ferramentas disponíveis na internet que permitem fazer uma análise de mercados situados fora da UE; Analisar alguns mercados específicos situados fora da UE, para os quais temse vindo a assistir a um crescimento relevante nas exportações nacionais, numa perspetiva de análise do tratamento aplicado às mercadorias provenientes da UE comparativamente ao incidente sobre as provenientes de outros países ou blocos comerciais; Utilizar a internet como plataforma de promoção e de comercialização. Brasil) - barreiras alfandegárias e não alfandegárias, acordos estabelecidos com a UE e com outros países ou blocos comerciais - Casos Simulados / Utilização da internet como plataforma de promoção e de comercialização Todos os casos simulados terão como base mercadorias/produtos a indicar pelos participantes. Quadros técnicos e administrativos do departamento financeiro, de logística, comercial e de compras. / Breves noções de classificação pautal - Sistema Harmonizado / Breves noções de origens (preferencial e não preferencial) e de valor aduaneiro / Taxas ad valorem, específicas e mistas / Utilização de ferramentas que permitem conhecer o tratamento das mercadorias nos mercados de destino / Análise exemplificativa de alguns mercados (Marrocos, Argélia, China e 8 horas 17

18 GESTÃO E INOVAÇÃO

19 CURSO Outdoor Training - Desenvolvimento de Competências de Liderança de Equipas Enquadramento Perante um cenário natural, os vários percursos pedestres constituem um espaço por excelência, para a realização de atividades de teambuilding e sessões interativas, assentes numa metodologia ativa e participativa. Toda a formação decorre em contexto outdoor, visando o desenvolvimento de competências pessoais, profissionais e sociais, nas áreas da liderança, motivação e gestão de equipas. Treinar competências de liderança, motivação e gestão de equipas; Melhorar o relacionamento interpessoal; Desenvolver competências comunicacionais; Saber gerir emocionalmente uma equipa de trabalho. Este curso destina-se a todos aqueles desempenham funções que implicam a liderança de pessoas. Destina-se, também, a todos aqueles que foram recentemente promovidos, ou esperam sê-lo num futuro próximo, e que por via dessa promoção têm um novo desafio pela frente: liderar uma equipa. / Os 10 passos para uma liderança eficaz / Comunicação e relação interpessoal / Gestão emocional de equipas / A motivação numa equipa de trabalho / Técnicas de resolução de problemas 8 horas Serra da Lousã 19

20 Outdoor Training

21

22 22 QUALIDADE E AMBIENTE

23 CURSO Certificação da Cadeia de Responsabilidade FSC e PEFC Esta ação tem como objetivos dotar os formandos de conhecimentos que lhes permitam enquadrar a gestão florestal responsável na criação de valor das organizações, interpretar e aplicar os referenciais normativos PEFC e FSC. / A Certificação Florestal / Os esquemas de certificação Florestal / O esquema de Certificação Florestal FSC / O esquema de Certificação Florestal PEFC / Os referenciais normativos FSC e PEFC / Integração dos referenciais normativos com outras normas / Consolidação de conhecimentos Auditores qualificados para outros referenciais técnicos ISO 14001, EMAS, ISO 9000 que não tenham formação de base florestal; Quadros médios e superiores de organizações com responsabilidades na área da gestão florestal; Quadros médios e superiores de organizações com responsabilidades no âmbito da Cadeia de Responsabilidade (CdR); Técnicos florestais e afins; Público interessado na temática. 8 horas 23

24 CURSO Conformidade Legal em Matéria de Ambiente Desenvolver nos participantes a capacidade para interpretar e aplicar a legislação ambiental existente. Objetivos Específicos Proporcionar aos formandos conhecimentos sobre o conteúdo, condições e modo de aplicação da principal legislação ambiental portuguesa e europeia (de aplicação direta) aplicável aos aspetos ambientais das atividades, produtos e serviços das organizações; Contribuir para dotar os formandos de capacidades para interpretar, do ponto de vista de aplicabilidade, os documentos legais que vão sendo publicados; Proporcionar um fórum de discussão sobre requisitos legais aplicáveis aos aspetos ambientais das atividades, produtos e serviços das organizações. / Enquadramento na norma NP EN ISO 14001:2012 (nomeadamente com os requisitos Requisitos Legais e Avaliação da Conformidade) / A Principal legislação no domínio da água / A Principal legislação no domínio do ar / A Principal legislação no domínio da Energia, Impacte Ambiental e Licenciamentos / A Principal legislação no domínio dos Resíduos e do Ruído Este curso destina-se a todo o tipo de organizações e atividades, bem como a qualquer um dos seus principais responsáveis (gestores, responsáveis de produção, ambiente, qualidade, segurança, manutenção, etc.). 24 horas 24

25 CURSO Interpretação da ISO 9001:2008 Conhecer as normas da série ISO 9000; Compreender os requisitos da norma ISO 9001; Adquirir o conhecimento necessário para manter um Sistema de Gestão da Qualidade; Conhecer o conceito de melhoria contínua da organização e satisfação do cliente. Este curso destina-se a quadros intermédios e superiores das organizações (gestores, responsáveis de produção, ambiente, qualidade, segurança, manutenção, etc.). / A relevância da normalização / Sistemas de Gestão da Qualidade / Responsabilidade da Gestão / Gestão de Recursos / Realização do Produto 12 horas 25

26 CURSO Produtos Químicos: Regulamento REACH e Regulamento CLP Enquadramento O Regulamento (CE) n.º 1907/2006 relativo ao registo, avaliação, autorização e restrição de substâncias químicas (Registration, Evaluation, Authorisation and Restriction of Chemicals - REACH), com entrada em vigor a 1 de Junho de 2007, que já foi alterado pelo Regulamento (UE) n.º 453/2010, de 20 de Maio eleva a gestão dos produtos químicos a um nível que assegura a melhor proteção possível da saúde humana e do ambiente. O REACH foi complementado com o Regulamento CLP que é o novo Regulamento Europeu de Classificação, Rotulagem e Embalagem de Substâncias e Misturas Químicas (Regulamento (CE) n.º 1272/2008, do Parlamento Europeu e do Conselho de 16 de Dezembro). O Regulamento prevê um período de transição para permitir uma migração gradual a partir do já existente para o novo regime. O período de transição correu a 1 de Dezembro de 2010 para substâncias, e continua até 01 de junho de 2015 para misturas (preparações). Importa, produz, compra ou utiliza substâncias químicas ou preparações? Importa, produz, compra ou utiliza artigos que as contêm? Então o REACH aplica-se-lhe. Conhecer o processo de implementação do regulamento REACH e do regulamento CLP; Interpretar o regulamento REACH e o regulamento CLP; Conhecer as respetivas obrigações aplicáveis às empresas de acordo com a sua atividade e classificação no âmbito do REACH; Definir os requisitos da elaboração das Fichas de Dados de Segurança de acordo com o Regulamento (UE) n.º 453/2010. / 1. Conceitos Gerais A importância da melhor proteção possível da saúde humana e do ambiente e as vantagens da harmonização / 2. Definições importantes no âmbito dos Regulamentos REACH e CLP / 3. Regulamento REACH Regulamento n.º 1907/2006: - Enquadramento e entrada em vigor; - Obrigações decorrentes do REACH (registo, avaliação, autorização, restrição, comunicação na cadeia, entre outras); - Aplicabilidade das obrigações às empresas (produtores, importadores, distribuidores, produtores de artigos e obrigações relativas a substâncias de preocupação muito elevada); 26

27 / 4. Regulamento CLP Regulamento n.º 1272/2008 (novo regulamento de classificação, embalagem e rotulagem de substâncias e preparações): - Enquadramento e entrada em vigor; - Funções e obrigações da indústria relacionadas com a elaboração das Fichas de Dados de Segurança ao abrigo do Regulamento REACH e CLP; - Apresentar os novos requisitos de embalagem e rotulagem de substâncias e misturas perigosas; - Identificar as alterações nos símbolos e indicações de perigo das substâncias e misturas perigosas; - Conhecer novas frases de advertência de perigo e recomendações de prudência. Quadros de empresas comunitárias que importam, produzem, compram ou utilizam substâncias químicas ou preparações; Quadros técnicos superiores de entidades reguladoras, licenciadoras e fiscalizadoras das áreas do Ambiente, Atividades Económicas e Atividades de Higiene, Segurança e Saúde no Trabalho (organismos centrais e locais); Outros profissionais que pretendam enriquecer as suas competências técnicas em matéria de gestão de produtos químicos como Consultores; Auditores. 16 horas 27

28 WORKSHOP Avaliação de Impactes Ambientais Enquadramento Tipicamente, em auditorias aos sistemas de gestão ambiental existem Não Conformidades ao requisito por omissão de alguns aspetos ambientais, principalmente os indiretos ou condições anormais de funcionamento. Conhecer novas metodologias e critérios de identificação e de avaliação de aspetos e impactes ambientais a fim de evitar Não Conformidades em auditorias. Responsáveis pela gestão ambiental das empresas. / Enquadramento na ISO / Termos e Definições / Apresentação e interpretação do requisito normativo / Case Study / Não conformidades mais frequentes 4 horas 28

29 WORKSHOP Gestão de Resíduos Enquadramento Atualmente ainda se verificam várias lacunas que, por vezes, conduzem a coimas no que concerne à gestão de resíduos, a maior parte das vezes por desconhecimento da legislação aplicável. Conhecer a principal legislação aplicável aos resíduos e tomar decisões adequadas para uma correta gestão dos mesmos, em consonância com o princípio da hierarquia dos resíduos e com a proteção do ambiente. / Principal legislação nacional na área dos resíduos / Medidas de prevenção de resíduos / Licenciamento de operações de gestão de resíduos / Obrigações de comunicação dos operadores - MIRR / Transporte de resíduos: GAR / Subproduto e fim do estatuto de resíduo Responsáveis pela gestão ambiental das empresas 4 horas 29

30 WORKSHOP Mitos e Lendas da NP EN ISO 9001 Enquadramento Muitas organizações agem em resposta a Não Conformidades despendendo recursos (e.g. humanos, tempo, financeiros, máquinas, equipamentos, infraestrutura, recursos naturais, matérias primas, energia). Contudo, basta, muitas vezes, dizer a palavra certa quando se contrapõem determinadas constatações. Adquirir conhecimentos relativamente ao referencial normativo NP EN ISO 9001, de modo a proporcionar know-how para defender auditorias segundo o referencial para sistemas de gestão da qualidade. Colaboradores que lidem com SGQ segundo a NP EN ISO / Brainstorming sobre a cultura da Qualidade / Plenário de mitos e lendas relativos aos requisitos normativos da norma NP EN ISO horas 30

31 WORKSHOP O Cálculo do Montante da Responsabilidade Ambiental Dotar as empresas de instrumentos de prevenção e reparação de danos ambientais, bem como da consciencialização do montante financeiro envolvido. / Metodologia para avaliação de riscos ambientais / Metodologia para o cálculo do montante financeiro a considerar para prevenção e reparação de danos ambientais e ameaças a esses danos / Análise e interpretação do DL 147/2008 / Análise e discussão dos principais pontos para a caracterização de referência Responsáveis pela gestão ambiental e gestão de topo. 8 horas 31

32 OPERAÇÕES E LOGÍSTICA

33 CURSO Balanceamento de Processos Produtivos em 6 Etapas Enquadramento A procura por melhores índices de desempenho, menores custos e maior flexibilidade tem sido uma preocupação constante por parte das organizações. Existe cada vez mais a procura por metodologias que alterem da melhor forma os sistemas produtivos, visando a redução de desperdícios. Este curso tem como finalidade fornecer conhecimentos sobre o processo de balanceamento de processos produtivos. Responsáveis de Melhoria Contínua, Agentes de Tempos e outros colaboradores. / Abordagem Lean VLM / Lean Manufacturing / Balanceamento de processos produtivos / Simulações práticas em sala 6 horas 33

34 CURSO Lean Logistics - Os Princípios Lean aplicados à Cadeia de Abastecimento Entender de que forma o Pensamento Lean - Lean Thinking - pode ser aplicado à Cadeia de Abastecimento. Quadros superiores, quadros intermédios, responsáveis de setor, responsáveis de armazém e logística. / A logística - Conceito atual e sua evolução / Supply Chain Management / Introdução ao Lean Thinking / A aplicação das ferramentas Lean na Cadeia Logística 8 horas 34

35 CURSO Pull System - Produza a quantidade certa no momento desejado Enquadramento A otimização do fluxo de material nos processos produtivos, garantindo a sincronia entre a produção e a logística é um fator cada vez mais importante na otimização da cadeia de Valor. Através da adoção da Filosofia Pull consegue-se produzir na quantidade exata, no momento certo e com a qualidade desejada. No final desta ação os formandos deverão conhecer e saber aplicar alguns métodos de melhoria do fluxo logístico nas organizações. Responsáveis de melhoria contínua, responsáveis de produção, responsáveis de logística e outros colaboradores. / Abordagem Lean VLM / Lean Manufacturing / Filosofia Pull / Sistema Kanban / Circuito Pull 6 horas 35

36 WORKSHOP Value Stream Mapping - Transforme os Desperdícios da sua Empresa em Oportunidades Enquadramento Cada vez mais existe a necessidade de atuar nos processos produtivos das empresas com o objetivo de alcançar melhores índices de produtividade através de uma organização eficiente. O Mapeamento de Fluxo de Valor (VSM), surge como resposta desta necessidade apresentando-se como uma ferramenta Lean de extrema importância na identificação dos desperdícios existentes nos processos produtivos das empresas. Dotar os formandos com conhecimentos base para aplicação da ferramenta Mapeamento de Fluxo de Valor na procura da redução de desperdícios existentes na organização. Responsáveis de Melhoria Contínua, responsáveis de produção, e outros colaboradores. / Abordagem Lean VLM / Lean Manufacturing / Mapeamento de Fluxo de Valor / Simulação prática em sala 4 horas 36

37 MARKETING E COMUNICAÇÃO

38 CURSO Marketing Enquadramento Utilização do como ferramenta de marketing direto, respeitando as normas e procedimentos pré-definidos. O marketing é uma das opções mais rentáveis para manter contacto e construir relacionamentos entre empresa e clientes. Aprender a utilizar o como ferramenta importante, maximizando as probabilidades de leitura, gerando comportamentos pelos destinatários. Profissionais que exerçam funções de marketing/comercial e outros interessados na área. / Compreender a ferramenta para melhorar a utilização / O Marketing de Permissão: Estratégia principal para Marketing / Elaboração de Bases de Dados (Segmentada) / Tipos de -Marketing / Uma campanha de Marketing: análise de resultados / O Web Marketing: Redes Sociais, CRM, Web Analytics / Ferramentas de apoio ao Marketing 12 horas 38

39 CURSO Facebook - Empresas Enquadramento Facebook é a rede social mais utilizada em todo o mundo por usuários ativos mensais. Permite interagir, informar, publicitar, estimular, comunicar e impressionar os seus utilizadores. Adquirir conhecimentos práticos sobre ferramentas concretas do Facebook Marketing, visando a otimização da gestão da presença empresarial no Facebook. / Criação/otimização de página de empresa no facebook / As principais funcionalidades da página empresarial / As aplicações base do facebook (fotos, notas, eventos) / Recomendação de aplicações externas (Apps) / Apps Mobile / Dicas para otimização da gestão da página / Noções de webcopywring para criação de posts / Técnicas de seleção de conteúdos: imagem e vídeo Profissionais que trabalhem em organizações que não têm uma presença no Facebook consolidada, e que encontram dificuldades na definição da sua estratégia de conteúdos e na interação com a sua comunidade. 8 horas 39

O Plano de Formação 2015 abrange diversas modalidades, proporcionando soluções formativas à medida das necessidades das organizações.

O Plano de Formação 2015 abrange diversas modalidades, proporcionando soluções formativas à medida das necessidades das organizações. Plano de Formação 2015 Na Academia VLM inspiramos pessoas para que desenvolvam as suas competências, comportamentos e atitudes, criando assim mais-valias para as organizações. Na Academia VLM encaramos

Leia mais

PLANO DE FORMAÇÃO 2015 Página 1 de 6

PLANO DE FORMAÇÃO 2015 Página 1 de 6 AMBIENTE ECONOMIA SOCIAL ENERGIA A Certificação da Gestão Florestal e Cadeia de Responsabilidade FSC ou PEFC Acompanhamento Ambiental em Obra e Gestão de RCD s (e-xz) Auditorias Ambientais (e-xz) Conformidade

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO / ESPECIALIZAÇÃO SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA ALIMENTAR

PÓS-GRADUAÇÃO / ESPECIALIZAÇÃO SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA ALIMENTAR PÓS-GRADUAÇÃO / ESPECIALIZAÇÃO SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA ALIMENTAR FORMAÇÃO SGS ACADEMY LOCAL: LISBOA, PORTO E FUNCHAL GRUPO SGS PORTUGAL O Grupo SGS Société Générale de Surveillance S.A é a maior

Leia mais

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada.

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. Anexo A Estrutura de intervenção As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. 1. Plano de ação para o período 2016

Leia mais

Indústria Agroalimentar. Cursos de Formação. Primeiro Semestre 2016

Indústria Agroalimentar. Cursos de Formação. Primeiro Semestre 2016 Indústria Agroalimentar Cursos de Formação Primeiro Semestre 2016 Assista aos nossos cursos e atualize os seus conhecimentos sobre os requisitos inerentes à Indústria Agroalimentar. Introdução Localização

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO PÓS-GRADUAÇÃO/ESPECIALIZAÇÃO EM SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO QUALIDADE, AMBIENTE, SEGURANÇA E RESPONSABILIDADE SOCIAL FORMAÇÃO SGS ACADEMY PORQUÊ A SGS ACADEMY? Criada, em 2003, como área de negócio da

Leia mais

PLANO DE FORMAÇÃO EXTERNA 2015. Qualidade

PLANO DE FORMAÇÃO EXTERNA 2015. Qualidade (Isento IVA) Qualidade Norma ISO 9001 Qualidade (nova versão ) Gestores da Qualidade 7 outubro Formar acerca do conteúdo da Norma de referência ISO 9001 Sistemas de gestão da qualidade: requisitos Conhecer

Leia mais

QUER FAZER O SEU NEGÓCIO CRESCER?

QUER FAZER O SEU NEGÓCIO CRESCER? QUER FAZER O SEU NEGÓCIO CRESCER? GARANTIR A PRESENÇA DA SUA EMPRESA NOS MEIOS ONLINE? TER UM SITE TOTALMENTE OTIMIZADO? IMPULSIONAR O AUMENTO DAS SUAS VENDAS? CONHEÇA A CERTIFICAÇÃO EM MARKETING DIGITAL

Leia mais

Lean Management na Indústria Alimentar

Lean Management na Indústria Alimentar Lean Management na Indústria Alimentar de 1.) Introdução O atual desafio colocado às empresas para a sua sobrevivência, demonstra que só aquelas que são ágeis e magras são competitivas nos mercados exigentes

Leia mais

AEP/APCER FORMAÇÃO 2º SEMESTRE 2004

AEP/APCER FORMAÇÃO 2º SEMESTRE 2004 Ed. de Serviços da Exponor, 2º Av. Dr. António Macedo 4450 617 Leça da Palmeira t: 22 999 36 00 f: 22 999 36 01 e-mail: info@apcer.pt www.apcer.pt Formação Empresa 4450-617 Leça da Palmeira t: 22 998 1753

Leia mais

Procifisc Engenharia e Consultadoria, Lda.

Procifisc Engenharia e Consultadoria, Lda. 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa, com sede em Castelo Branco, é uma empresa criada em 2007 que atua nos domínios da engenharia civil e da arquitetura. Atualmente, é uma empresa

Leia mais

OFERTA. Diretores ou Responsáveis da Qualidade, Quadros Médios e Superiores; Responsáveis pela implementação de Sistemas de Gestão da Qualidade.

OFERTA. Diretores ou Responsáveis da Qualidade, Quadros Médios e Superiores; Responsáveis pela implementação de Sistemas de Gestão da Qualidade. QUALIDADE Transição para a NP ISO 9001:2015 Diretores ou Responsáveis da Qualidade, Quadros Médios e Superiores; Responsáveis pela implementação de Sistemas de Gestão da Qualidade. Dar a conhecer as alterações

Leia mais

Vencemos juntos. Apresentação da Empresa

Vencemos juntos. Apresentação da Empresa Vencemos juntos Apresentação da Empresa @ 2014 Quem Somos Missão Fornecer ferramentas e recursos, que juntos, colmatam as necessidades dos nossos Clientes tornando-os mais competitivos e eficazes. Visão

Leia mais

CURSOS VOCACIONAIS PRÁTICA SIMULADA REGULAMENTO ESPECÍFICO

CURSOS VOCACIONAIS PRÁTICA SIMULADA REGULAMENTO ESPECÍFICO REGULAMENTO ESPECÍFICO MARÇO DE 2014 ÍNDICE ENQUADRAMENTO NORMATIVO... 1 ÂMBITO E DEFINIÇÃO 1 CONDIÇÕES DE ACESSO 1 OBJETIVOS 1 COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER 2 ESTRUTURA E DESENVOLVIMENTO DE PS 2 AVALIAÇÃO

Leia mais

PLANO DE FORMAÇÃO 2016 Página 1 de 7

PLANO DE FORMAÇÃO 2016 Página 1 de 7 AMBIENTE A Certificação da Gestão Florestal e Cadeia de Responsabilidade FSC ou PEFC Acompanhamento Ambiental em Obra e Gestão de RCD s (e-xz) Auditorias Ambientais (e-xz) Conformidade Legal em matéria

Leia mais

Mini-MBA de Marketing

Mini-MBA de Marketing Mini-MBA de Marketing Coordenador/Formador: José Guimarães Índice Designação do curso... 2 Duração Total... 2 Destinatários... 2 Perfil de saída... 2 Pré-Requisitos... 3 Objectivo Geral... 3 Objetivos

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS

CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Helena Ferreira (helena.ferreira@apcer.pt) Gestora de Desenvolvimento da APCER I. APRESENTAÇÃO DA APCER www.apcer.pt 1. Quem Somos Início de actividade

Leia mais

Uma Questão de Atitude...

Uma Questão de Atitude... Uma Questão de Atitude... Catálogo de Formação 2014 1 Introdução 3 Soluções de Formação 3 Áreas de Formação 4 Desenvolvimento Pessoal 5 Comercial 12 Secretariado e Trabalho Administrativo 15 Indústrias

Leia mais

MASTER EXECUTIVO GESTÃO ESTRATÉGICA

MASTER EXECUTIVO GESTÃO ESTRATÉGICA Pág.: 1/10 HISTÓRICO DO DOCUMENTO / EMISSÃO Data Ver. Objeto da Revisão Elab. / Verif. (Função / Nome / Assinatura(*)) C. Técnicocientífica/ S. Iglésias Aprovação (Função / Nome / Assinatura(*)) Diretora/

Leia mais

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL Diretor Geral O Diretor Geral supervisiona e coordena o funcionamento das unidades orgânicas do Comité Olímpico de Portugal, assegurando o regular desenvolvimento das suas

Leia mais

REGULAMENTO DO SISTEMA PARA A VALORIZAÇÃO DE PRODUTOS E SERVIÇOS TURÍSTICOS DA ROTA DO ROMÂNICO

REGULAMENTO DO SISTEMA PARA A VALORIZAÇÃO DE PRODUTOS E SERVIÇOS TURÍSTICOS DA ROTA DO ROMÂNICO REGULAMENTO DO SISTEMA PARA A VALORIZAÇÃO DE PRODUTOS E SERVIÇOS TURÍSTICOS DA ROTA DO ROMÂNICO Objetivo Artigo 1.º 1. Este regulamento tem como objetivo estabelecer condições e normas para a obtenção

Leia mais

ORIENTAÇÕES NO ÂMBITO DA ELABORAÇÃO DA DECLARAÇÃO AMBIENTAL E RESPETIVAS

ORIENTAÇÕES NO ÂMBITO DA ELABORAÇÃO DA DECLARAÇÃO AMBIENTAL E RESPETIVAS ORIENTAÇÕES NO ÂMBITO DA ELABORAÇÃO DA DECLARAÇÃO AMBIENTAL E RESPETIVAS I. Objetivo ATUALIZAÇÕES As Declarações Ambientais (DA) elaboradas no âmbito do Sistema Comunitário de Ecogestão e Auditoria, devem

Leia mais

www.highskills.pt geral@highskills.pt

www.highskills.pt geral@highskills.pt www.highskills.pt geral@highskills.pt Índice Designação do Curso... 2 Duração Total... 2 Destinatários... 2 Perfil de saída... 2 Pré-Requisitos... 2 Objetivo Geral... 2 Objetivos Específicos... 3 Estrutura

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO. Titulo: Sistema de Gestão da Qualidade CMSeixal MANUAL DE GESTÃO V09. Sistema de Gestão da Qualidade

IDENTIFICAÇÃO. Titulo: Sistema de Gestão da Qualidade CMSeixal MANUAL DE GESTÃO V09. Sistema de Gestão da Qualidade IDENTIFICAÇÃO Titulo: Sistema de Gestão da Qualidade CMSeixal MANUAL DE GESTÃO V09 Código: CMSeixalSGQ_2600204_ManualGestaoV09 Destinatários: Trabalhadores, Munícipes e Utentes da CMSeixal Campo de aplicação:

Leia mais

Treinamento: FSSC 22000 / Versão 3 Formação de auditores internos

Treinamento: FSSC 22000 / Versão 3 Formação de auditores internos Treinamento: FSSC 22000 / Versão 3 Formação de auditores internos 1. Interpretar os requisitos das normas ISO 22000:2005; ISO TS 22002-1:2012 e requisitos adicionais da FSSC 22000. Fornecer diretrizes

Leia mais

Data de adopção. Referência Título / Campo de Aplicação Emissor. Observações

Data de adopção. Referência Título / Campo de Aplicação Emissor. Observações NP ISO 10001:2008 Gestão da qualidade. Satisfação do cliente. Linhas de orientação relativas aos códigos de conduta das organizações CT 80 2008 NP ISO 10002:2007 Gestão da qualidade. Satisfação dos clientes.

Leia mais

Plano de Formação - 2011. Form + Lab. 2 Semestre

Plano de Formação - 2011. Form + Lab. 2 Semestre Plano de Formação - 2011 Form + Lab 2 Semestre Form + Lab O que é? O Form + Lab é um serviço de formação criado para apoiar os laboratórios na valorização e formação dos seus colaboradores dando resposta

Leia mais

Gestão da Qualidade, Ambiente e Segurança

Gestão da Qualidade, Ambiente e Segurança 1. Denominação do curso de especialização tecnológica: Gestão da Qualidade, Ambiente e Segurança 2. Perfil profissional que visa preparar: Técnico (a) Especialista em Gestão da Qualidade, Ambiente e Segurança

Leia mais

S ão as pessoas, não as empresas, que fazem a qualidade do serviço.

S ão as pessoas, não as empresas, que fazem a qualidade do serviço. S ão as pessoas, não as empresas, que fazem a qualidade do serviço. Qualidade Ambiente Segurança A Quambis é uma empresa do Grupo Sondar, que tem como principal finalidade prestar um serviço integrado

Leia mais

KEY Centro de Formação, Lda. Regulamento de Funcionamento da Formação

KEY Centro de Formação, Lda. Regulamento de Funcionamento da Formação Regulamento de Funcionamento da Formação KEY Centro de Formação, Lda. Regulamento de Funcionamento da Formação Página 2 de 12 ÍNDICE 1. ENQUADRAMENTO... 3 2. REQUISITOS DE ACESSO E FORMAS DE INSCRIÇÃO...

Leia mais

ABR/MAI.2015 WORKSHOPS TEMÁTICOS

ABR/MAI.2015 WORKSHOPS TEMÁTICOS ABR/MAI.2015 TEMÁTICOS REGIÃO CENTRO ÁREA INOVAÇÃO NP4457:2007 SENSIBILIZAÇÃO E CASOS DE SUCESSO No final da sessão os participantes deverão estar aptos a: Alinhar a Estratégia de negócio incorporando

Leia mais

COMPETIR + Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial

COMPETIR + Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada COMPETIR + Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial Subsistemas Fomento da Base Económica de Exportação Desenvolvimento Local Empreendedorismo

Leia mais

OFERTA IVA INTRACOMUNITÁRIO (RITI) E OPERAÇÕES COM N/RESIDENTES

OFERTA IVA INTRACOMUNITÁRIO (RITI) E OPERAÇÕES COM N/RESIDENTES FINANCEIRA IVA INTRACOMUNITÁRIO (RITI) E OPERAÇÕES COM N/RESIDENTES Colaboradores dos serviços de contabilidade implicados na contabilização do IVA que desejem melhorar os seus conhecimentos nestas matérias.

Leia mais

Coordenador da área - Engº Pedro Marques

Coordenador da área - Engº Pedro Marques Requisitos e implementação da ISO 9001 gestão da qualidade, ISO 14001 gestão ambiental e OHSAS 18001 gestão de segurança e saúde no trabalho Coordenador da área - Engº Pedro Marques Índice Duração Total...

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA. Março de 2015 4ª Edição

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA. Março de 2015 4ª Edição REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA Março de 2015 4ª Edição Índice 1 O DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO... 3 1.1. POLÍTICA E ESTRATÉGIA... 3 1.2. ESTRUTURA... 3 2 CONDIÇÕES DE FUNCIONAMENTO DA

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA ABERTURA A People & Skills foi criada para responder às necessidades de um mercado cada vez mais apostado em desenvolver e consolidar competências que

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE MQ_v5 MANUAL DA QUALIDADE. FORM_001_v1 [Este documento depois de impresso constitui uma cópia não controlada] Página 1 de 22

MANUAL DA QUALIDADE MQ_v5 MANUAL DA QUALIDADE. FORM_001_v1 [Este documento depois de impresso constitui uma cópia não controlada] Página 1 de 22 MANUAL DA QUALIDADE FORM_001_v1 [Este documento depois de impresso constitui uma cópia não controlada] Página 1 de 22 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 4 1.1 Promulgação... 4 1.2 Âmbito e campo de aplicação do SGQ...

Leia mais

Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa do Instituto Politécnico de Lisboa Curso de Pós-Graduação em Qualidade na Saúde 3.

Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa do Instituto Politécnico de Lisboa Curso de Pós-Graduação em Qualidade na Saúde 3. Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa do Instituto Politécnico de Lisboa Curso de Pós-Graduação em Qualidade na Saúde 3.ª Edição 2014/2015 EDITAL A Escola Superior de Tecnologia da Saúde de

Leia mais

Curso Integrado AUDITOR. Cadeia de Responsabilidade PEFC FSC. Cadeia de Custódia. Lisboa Porto

Curso Integrado AUDITOR. Cadeia de Responsabilidade PEFC FSC. Cadeia de Custódia. Lisboa Porto Curso Integrado AUDITOR Cadeia de Responsabilidade PEFC e FSC Cadeia de Custódia EDIÇÕES 2012 Lisboa Porto AUDITOR Cadeia de Responsabilidade PEFC e Cadeia de Custódia FSC CURSOS Auditor Cadeia de Responsabilidade

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DE PESSOAS REGULAMENTO GERAL

CERTIFICAÇÃO DE PESSOAS REGULAMENTO GERAL CERTIFICAÇÃO DE PESSOAS REGULAMENTO GERAL 1. INTRODUÇÃO Este regulamento: Descreve os requisitos referentes à Certificação de Pessoas da SGS ICS; Complementa o documento PTD6850 - Processo de Certificação

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA DOS ENCONTROS DE SABEDORIA DA AMUT

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA DOS ENCONTROS DE SABEDORIA DA AMUT REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA DOS ENCONTROS DE SABEDORIA DA AMUT Conteúdo Artigo 1º... 3 OBJECTIVO... 3 Artigo 2º... 3 CONCEITO DE ENCONTRO DE SABEDORIA... 3 Artigo 3º... 3 ÂMBITO

Leia mais

MASTER GESTOR ESTRATÉGICO DE PRODUTO ALIMENTAR

MASTER GESTOR ESTRATÉGICO DE PRODUTO ALIMENTAR MASTER GESTOR ESTRATÉGICO DE PRODUTO ALIMENTAR MASTER ENQUADRAMENTO O master Gestor Estratégico de Produto Alimentar, da SGS Academy, visa proporcionar aos seus formandos conhecimentos específicos sobre

Leia mais

CURSO DESENVOLVER A RELAÇÃO COM O CLIENTE

CURSO DESENVOLVER A RELAÇÃO COM O CLIENTE CURSO DESENVOLVER A RELAÇÃO COM O CLIENTE ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 03 2. DESENVOLVIMENTO A. Proposta pedagógica B. Investimento C. Condições de participação 03 03 04 04 3. FICHA DE INSCRIÇÃO 05 02 Moneris

Leia mais

Apreenda como os Auditores Externos das diferentes Normas analisam e auditam processos Coordenador Eng.º Pedro Marques

Apreenda como os Auditores Externos das diferentes Normas analisam e auditam processos Coordenador Eng.º Pedro Marques Apreenda como os Auditores Externos das diferentes Normas analisam e auditam processos Coordenador Eng.º Pedro Marques Índice Duração Total... 2 Destinatários... 2 Perfil de saída... 2 Pré-Requisitos...

Leia mais

PROGRAMA/REFERENCIAL DO CURSO

PROGRAMA/REFERENCIAL DO CURSO Nome do curso Auditores Florestais PEFC e FSC Horário Designação e código UFCD Não aplicável Duração 09.00 às 19.00 horas 10.00 às 18.00 horas 87 horas Formador/a,, Luís Janicas, Paula Salazar, e Modalidade

Leia mais

Competências de Gestão para Dirigentes e Técnicos de Associações Empresariais

Competências de Gestão para Dirigentes e Técnicos de Associações Empresariais Competências de Gestão para Dirigentes e Técnicos de Associações Empresariais Curso de Formação 2011 Índice PROPOSTA FORMATIVA... 3 Introdução... 3 Objectivo geral... 3 Estrutura... 3 Metodologias... 3

Leia mais

ISO 22000 SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA ALIMENTAR

ISO 22000 SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA ALIMENTAR ISO 22000 SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA ALIMENTAR INTRODUÇÃO Os sistemas de segurança alimentar devem ser desenhados de forma a controlar o processo de produção e basearem-se em princípios e conceitos

Leia mais

Gestão de Crises na Indústria Alimentar

Gestão de Crises na Indústria Alimentar Gestão de Crises na Indústria Alimentar de 1.) Introdução Crise significa lidar com uma situação, muitas vezes, inesperada que pode representar uma ameaça não só para o negócio como para os colaboradores

Leia mais

CURSOS PRESENCIAIS (Também podem ser ministrados in company)

CURSOS PRESENCIAIS (Também podem ser ministrados in company) 1 CURSOS PRESENCIAIS (Também podem ser ministrados in company) BOAS PRÁTICAS DE MANIPULAÇÃO BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO BOAS PRÁTICAS DE LABORATÓRIO BOAS PRÁTICAS DE ARMAZENAMENTO, LOGÍSTICA E DISTRIBUIÇÃO

Leia mais

Uso Sustentável de Produtos Fitofarmacêuticos. Formação de Agricultores na Região centro

Uso Sustentável de Produtos Fitofarmacêuticos. Formação de Agricultores na Região centro Uso Sustentável de Produtos Fitofarmacêuticos Formação de Agricultores na Região centro Aplicação de Produtos Fitofarmacêuticos Objetivo das ações de formação: Utilização correta no uso e manuseamento

Leia mais

Índice resumido do DVD Ferramentas para a Gestão Ambiental

Índice resumido do DVD Ferramentas para a Gestão Ambiental Conteúdos Complementares ao Manual 1 Gestão do Ciclo de Vida do Produto 1.1 A Perspectiva do Ciclo de Vida nas Organizações 1.2 Avaliação do Ciclo de Vida 1.2.1 Introdução 1.2.2 Avaliação Qualitativa 1.2.3

Leia mais

NOSSA HISTÓRIA. Desde 1988, ano de fundação da Qualtec, desenvolvemos as melhores soluções para nossos clientes.

NOSSA HISTÓRIA. Desde 1988, ano de fundação da Qualtec, desenvolvemos as melhores soluções para nossos clientes. NOSSA HISTÓRIA Desde 1988, ano de fundação da Qualtec, desenvolvemos as melhores soluções para nossos clientes. Estamos preparados para atuar no desenvolvimento, implementação, aprimoramento, treinamento

Leia mais

Principais referenciais apoiados:

Principais referenciais apoiados: Enquadramento A Inova-Ria - Associação de Empresas para uma Rede de Inovação em Aveiro, com o propósito de reforçar o reconhecimento nacional da promoção da qualidade do setor TICE e contribuir para o

Leia mais

Aumente sua velocidade e flexibilidade com a implantação da nuvem gerenciada de software da SAP

Aumente sua velocidade e flexibilidade com a implantação da nuvem gerenciada de software da SAP Parceiros de serviços em nuvem gerenciada Aumente sua velocidade e flexibilidade com a implantação da nuvem gerenciada de software da SAP Implemente a versão mais recente do software da SAP de classe mundial,

Leia mais

APLICAÇÃO DA ISO 22000 BENEFÍCIOS E POTENCIAIS CONSTRANGIMENTOS HIGIENE DOS ALIMENTOS PAPEL DAS EMPRESAS DO SECTOR

APLICAÇÃO DA ISO 22000 BENEFÍCIOS E POTENCIAIS CONSTRANGIMENTOS HIGIENE DOS ALIMENTOS PAPEL DAS EMPRESAS DO SECTOR APLICAÇÃO DA ISO 22000 BENEFÍCIOS E POTENCIAIS CONSTRANGIMENTOS SEMANA TEMÁTICA DE ENGENHARIA ALIMENTAR 09, 10 e 11 de Outubro 2006 Cecília Gaspar A livre circulação de géneros alimentícios seguros e sãos

Leia mais

Os Modelos de Gestão da Qualidade das Respostas Sociais - Novos desafios

Os Modelos de Gestão da Qualidade das Respostas Sociais - Novos desafios Qualidade e Sustentabilidade das Organizações Sociais Os Modelos de Gestão da Qualidade das Respostas Sociais - Novos desafios Instituto da Segurança Social, I.P. Gabinete de Qualidade e Auditoria 17 de

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001 Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Conceitos Gerais A gestão ambiental abrange uma vasta gama de questões, inclusive aquelas com implicações estratégicas

Leia mais

D6. Documento de suporte à Implementação das Iniciativas Piloto REDE INTERMUNICIPAL DE PARCERIAS DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO E SOCIAL

D6. Documento de suporte à Implementação das Iniciativas Piloto REDE INTERMUNICIPAL DE PARCERIAS DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO E SOCIAL ÍNDICE 1. OBJETIVOS E METODOLOGIA 1.1. Objetivos 1.2. Metodologia de Trabalho 2. IDENTIFICAÇÃO DAS INICIATIVAS PILOTO 3. INICIATIVAS PILOTO 4. IMPLEMENTAÇÃO DE INICIATIVAS PILOTO - MATERIAIS DE SUPORTE

Leia mais

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora:

Leia mais

ELABORAÇÃO DE MEDIDAS DE AUTOPROTEÇÃO

ELABORAÇÃO DE MEDIDAS DE AUTOPROTEÇÃO Praça Nove de Abril, 170. 4200 422 Porto Tel. +351 22 508 94 01/02 www.jct.pt SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM EDIFÍCIOS ELABORAÇÃO DE MEDIDAS DE AUTOPROTEÇÃO JCT - Consultores de Engenharia, Lda tem como

Leia mais

O PROCESSO DE REVISÃO ISO 9001

O PROCESSO DE REVISÃO ISO 9001 O PROCESSO DE REVISÃO ISO 9001 Andreia Martins Gestora de Cliente andreia.martins@apcer.pt Tópicos Enquadramento do Processo de Revisão Principais Alterações Pensamento Baseado em Risco Informação Documentada

Leia mais

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO::

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO:: ::ENQUADRAMENTO:: :: ENQUADRAMENTO :: O actual ambiente de negócios caracteriza-se por rápidas mudanças que envolvem a esfera politica, económica, social e cultural das sociedades. A capacidade de se adaptar

Leia mais

CURSO Formação Pedagógica Inicial de Formadores

CURSO Formação Pedagógica Inicial de Formadores REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO CURSO Formação Pedagógica Inicial de Formadores Homologado pelo IEFP com o código de curso C1840003 Presencial 90 horas (Conforme Portaria n.º 214/2011, de 30 de maio) DPJ.FOR.FPIF.01

Leia mais

Training Manager. Certificação PwC. 7, 14 e 21 de março. www.pwc.pt/academy. Academia da PwC

Training Manager. Certificação PwC. 7, 14 e 21 de março. www.pwc.pt/academy. Academia da PwC www.pwc.pt/academy Training Manager Certificação PwC 7, 14 e 21 de março Academia da PwC As empresas líderes analisam quais as competências necessárias para o desempenho dos seus colaboradores, implementam

Leia mais

Código de prática para a gestão da segurança da informação

Código de prática para a gestão da segurança da informação Código de prática para a gestão da segurança da informação Edição e Produção: Fabiano Rabaneda Advogado, professor da Universidade Federal do Mato Grosso. Especializando em Direito Eletrônico e Tecnologia

Leia mais

Regulamento do Núcleo de Formação

Regulamento do Núcleo de Formação Regulamento do Núcleo de Formação 2013 1.Nota Introdutória Qualquer processo de formação com qualidade exige medidas e instrumentos de normalização e controlo, que permitam garantir desempenhos de excelência

Leia mais

Gestão de Crises na Indústria Alimentar

Gestão de Crises na Indústria Alimentar Gestão de Crises na Indústria Alimentar de 1.) Introdução Crise significa lidar com uma situação, muitas vezes, inesperada que pode representar uma ameaça não só para o negócio como para os colaboradores

Leia mais

Marketing Digital. Carla Machado. Francesco Berrettini. Responsável das Formações Marketing Digital

Marketing Digital. Carla Machado. Francesco Berrettini. Responsável das Formações Marketing Digital Marketing Digital Francesco Berrettini Responsável das Formações Marketing Digital Carla Machado Coordenadora Pedagógica das Formações Marketing Digital Marketing Digital Digital Marketing - Professional

Leia mais

REGULAMENTO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DOS REVISORES OFICIAIS DE CONTAS

REGULAMENTO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DOS REVISORES OFICIAIS DE CONTAS REGULAMENTO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DOS REVISORES OFICIAIS DE CONTAS N.º 2 do art.º 62.º do Decreto-Lei n.º 487/99, de 16 de Novembro, alterado pelo Decreto-Lei n.º 224/2008, de 20 de Novembro PREÂMBULO

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Campus e-learning

APRESENTAÇÃO. Campus e-learning APRESENTAÇÃO Campus e-learning ÍNDICE Bem-vindos ao nosso campus virtual Vantagens da formação e-learning Tecnologia e-learning Conteúdos de qualidade Dinamização do formando Tutorias à medida Áreas Formativas

Leia mais

Apresentação Corporativa

Apresentação Corporativa CONSULTORIA E ESTUDOS TÉCNICOS DE AMBIENTE E SEGURANÇA, S.A. Apresentação Corporativa Dezembro 2011 Propriedade da Enviprime 12/2011. Proibida a Cópia Sem Autorização Prévia SOBRE A ENVIPRIME, S.A. é uma

Leia mais

MANUAL DO CURSO Normas Internacionais de Auditoria

MANUAL DO CURSO Normas Internacionais de Auditoria MANUAL DO CURSO ÍNDICE ENQUADRAMENTO DESCRIÇÃO DESTINATÁRIOS OBJETIVOS ESTRUTURA E DURAÇÃO AUTORES FUNCIONAMENTO E METODOLOGIA DO CURSO AVALIAÇÃO E CERTIFICAÇÃO PORTAL E CONTEÚDOS MULTIMÉDIA PORTAL ORDEM

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05 RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05 Aprova a NBC T 11.8 Supervisão e Controle de Qualidade. O Conselho Federal de Contabilidade, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, Considerando que as Normas

Leia mais

Como ter sucesso na educação a distância

Como ter sucesso na educação a distância Metodologia Diferenciada Ambiente de Aprendizagem Moderno Inovação Continuada e Empreendedorismo Como ter sucesso na educação a distância 1 Regulamento 2 1 Como ter sucesso na educação a distância Para

Leia mais

Este sistema é sustentado por 14 pilares: Elemento 1 Liderança, Responsabilidade e Gestão

Este sistema é sustentado por 14 pilares: Elemento 1 Liderança, Responsabilidade e Gestão Este sistema é sustentado por 14 pilares: Elemento 1 Liderança, Responsabilidade e Gestão Como as pessoas tendem a imitar os seus líderes, estes devem-se empenhar e comprometer-se com o QSSA, para servirem

Leia mais

Mini MBA de Especialização em Análise e Gestão de Seguros de Vida Pedro Milheiro Galha

Mini MBA de Especialização em Análise e Gestão de Seguros de Vida Pedro Milheiro Galha Mini MBA de Especialização em Análise e Gestão de Seguros de Vida Pedro Milheiro Galha www.highskills.pt geral@highskills.pt Índice Designação do Curso... 2 Duração Total... 2 Destinatários... 2 Perfil

Leia mais

AGENDA 21 escolar. Pensar Global, agir Local. Centro de Educação Ambiental. Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89" N 9º15'50.

AGENDA 21 escolar. Pensar Global, agir Local. Centro de Educação Ambiental. Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89 N 9º15'50. AGENDA 21 escolar Pensar Global, agir Local Centro de Educação Ambiental Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89" N 9º15'50.84" O 918 773 342 cea@cm-tvedras.pt Enquadramento A Agenda

Leia mais

Localização da AHBVBrasfemes Entidade Formadora

Localização da AHBVBrasfemes Entidade Formadora Localização da AHBVBrasfemes Entidade Formadora Colocar mapa de localização com coordenadas: GPS: 40.271892, -8.404848 Morada: Bombeiros Voluntários de Brasfemes Rua Antonino dos Santos, nº. 37 3020-533

Leia mais

Índice: Objetivo Geral... 3. Objetivos Específicos... 3. Destinatários... 3. Duração Total... 3. Pré-requisitos... 3. Perfil de Saída...

Índice: Objetivo Geral... 3. Objetivos Específicos... 3. Destinatários... 3. Duração Total... 3. Pré-requisitos... 3. Perfil de Saída... Índice: Objetivo Geral... 3 Objetivos Específicos... 3 Destinatários... 3 Duração Total... 3 Pré-requisitos... 3 Perfil de Saída... 4 Estrutura modular e respetiva carga horária... 4 Metodologia... 4 Condições

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO O presente Regulamento pretende enquadrar as principais regras e linhas de orientação pelas quais se rege a atividade formativa da LEXSEGUR, de forma a garantir

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

9001, ISO TS 16949, ISO 14001, OHSAS 18001, ISO 22000, SASSMAQ.

9001, ISO TS 16949, ISO 14001, OHSAS 18001, ISO 22000, SASSMAQ. 1 Versão: 04A APRESENTAÇÃO: A I9Gestão é uma empresa de consultoria e treinamento especializada na implantação de Sistemas de Gestão, auxiliando as organizações no atendimento a diversos padrões normativos

Leia mais

CURSO RH SELECIONAR COM SUCESSO

CURSO RH SELECIONAR COM SUCESSO CURSO RH SELECIONAR COM SUCESSO ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 03 2. DESENVOLVIMENTO A. Proposta pedagógica B. Investimento C. Condições de participação 03 03 04 04 3. FICHA DE INSCRIÇÃO 05 02 Moneris Academy RH

Leia mais

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000 ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário Gestão da Qualidade 2005 1 As Normas da família ISO 9000 ISO 9000 descreve os fundamentos de sistemas de gestão da qualidade e especifica

Leia mais

reason why FORMAR UM PROFISSIONAL DE CERTIFICAÇÃO COM O LÍDER DO MERCADO.

reason why FORMAR UM PROFISSIONAL DE CERTIFICAÇÃO COM O LÍDER DO MERCADO. PLANO DE FORMAÇÃO reason why FORMAR UM PROFISSIONAL DE CERTIFICAÇÃO COM O LÍDER DO MERCADO. PREFÁCIO A formação, inicial ou contínua, é assumida pela APCER como vital para o desenvolvimento dos profissionais

Leia mais

SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO MEDIDAS DE AUTOPROTECÇÃO

SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO MEDIDAS DE AUTOPROTECÇÃO IV JORNADAS TÉCNICAS DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO DA ESCOLA PROFISSIONAL DE AVEIRO SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO MEDIDAS DE AUTOPROTECÇÃO Manuela Mil-Homens Comando Distrital de Operações de Socorro

Leia mais

CURSO DE INTEGRAÇÃO EMPRESARIAL DE QUADROS (CIEQ)

CURSO DE INTEGRAÇÃO EMPRESARIAL DE QUADROS (CIEQ) INTEGRAÇÃO PROFISSIONAL DE TÉCNICOS SUPERIORES BACHARÉIS, LICENCIADOS E MESTRES CURSO DE INTEGRAÇÃO EMPRESARIAL DE QUADROS (CIEQ) GUIA DE CURSO ÍNDICE 1 - Objectivo do curso 2 - Destinatários 3 - Pré-requisitos

Leia mais

O PROCESSO DE REVISÃO ISO 9001

O PROCESSO DE REVISÃO ISO 9001 O PROCESSO DE REVISÃO ISO 9001 Ana Francisco Gestora de Cliente Tópicos Enquadramento do Processo de Revisão Principais Alterações Pensamento Baseado em Risco Informação Documentada Princípios da Qualidade

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DE PRODUTOS SISTEMA DE GESTÃO EM SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO (OHSAS 18001)

CERTIFICAÇÃO DE PRODUTOS SISTEMA DE GESTÃO EM SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO (OHSAS 18001) 1 INFO012 REV 05 APRESENTAÇÃO: A I9Gestão é uma empresa de consultoria e treinamento especializada na implantação de Sistemas de Gestão, auxiliando as organizações no atendimento a diversos padrões normativos

Leia mais

MANUAL DE GESTÃO. SGQ Sistema de Gestão da Qualidade CMSeixal

MANUAL DE GESTÃO. SGQ Sistema de Gestão da Qualidade CMSeixal MANUAL DE GESTÃO SGQ IDENTIFICAÇÃO Titulo: - Código: SGQ_2600204_ManualGestao Destinatários: Trabalhadores, Munícipes e Utentes da Campo de aplicação: Documentos de referência: NP EN ISO 9001:2008 Página

Leia mais

Índice. rota 3. Enquadramento e benefícios 6. Comunicação Ética 8. Ética nos Negócios 11. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13. Percurso 1.

Índice. rota 3. Enquadramento e benefícios 6. Comunicação Ética 8. Ética nos Negócios 11. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13. Percurso 1. rota 3 CLIENTES Rota 3 Índice Enquadramento e benefícios 6 Percurso 1. Comunicação Ética 8 Percurso 2. Ética nos Negócios 11 Percurso 3. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13 responsabilidade

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DETALHADO FORMAÇÃO DE ESPECIALISTA EM SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DETALHADO FORMAÇÃO DE ESPECIALISTA EM SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO PARTE 1 ESTRUTURA DO SGI Módulo SGI-1.0 - Introdução (04 horas) Apresentação da metodologia do Programa de Formação Manual do Aluno Critérios de aprovação e reposição de módulos Uso da plataforma do Ambiente

Leia mais

Regulamento do Programa do Desporto Escolar 2014-2015

Regulamento do Programa do Desporto Escolar 2014-2015 Regulamento do Programa do Desporto Escolar 2014-2015 REGULAMENTO DO PROGRAMA DO DESPORTO ESCOLAR 2014-2015 ( a que se refere o Despacho nº9302/2014 de 17 de julho) 1. ÂMBITO O presente regulamento define

Leia mais

GESTÃO E CAPACITAÇÃO MÓDULO NO 3º SETOR FORMAÇÃO ESPECIALIZADA NA ÁREA FORMADOR/DATA SOCIAL CENTRO DE FORMAÇÃO. a nossa missão é a sua formação

GESTÃO E CAPACITAÇÃO MÓDULO NO 3º SETOR FORMAÇÃO ESPECIALIZADA NA ÁREA FORMADOR/DATA SOCIAL CENTRO DE FORMAÇÃO. a nossa missão é a sua formação GESTÃO E CAPACITAÇÃO AÇÃO ORGANIZACIONAL MÓDULO NO 3º SETOR FORMAÇÃO ESPECIALIZADA NA ÁREA FORMADOR/DATA SOCIAL a nossa missão é a sua formação CENTRO DE FORMAÇÃO COIMBRA BISSAYA BARRETO 17-06-2015 DURAÇÃO

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO ESPECÍFICO. Regulamento

CURSO DE FORMAÇÃO ESPECÍFICO. Regulamento CURSO DE FORMAÇÃO ESPECÍFICO ÍNDICE PREÂMBULO... 3 Procedimentos Técnico-Pedagógicos... 4 1.1. Destinatários e condições de acesso... 4 1.2. Organização dos cursos de formação... 4 1.3. Componentes de

Leia mais

Prevenção de incêndios

Prevenção de incêndios Prevenção de incêndios 1 Prevenção de incêndios Entre 2008 e 2013, os falsos alarmes de incêndio nos centros comerciais da Sonae Sierra dispararam entre 5.000 a 7.000 vezes por ano. Mesmo não pondo em

Leia mais

Uma Questão de Atitude...

Uma Questão de Atitude... Uma Questão de Atitude... Catálogo de Formação 1 Introdução 3 Soluções de Formação 3 Áreas de Formação 4 Desenvolvimento Pessoal 5 Comercial 12 Secretariado e Trabalho Administrativo 15 Indústrias Alimentares

Leia mais

RELATÓRIO DA AUDITORIA INTERNA AO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

RELATÓRIO DA AUDITORIA INTERNA AO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Pág. 1 5 Designação legal da Organização: Municipio do Sátão. Instalações auditadas: Paços do Concelho, na Praça Paulo VI, Oficina e Armazém na Zona Industrial e Obra (Bem ou serviço nº 525) "valetas em

Leia mais

XVI Férias Técnicas VALORES

XVI Férias Técnicas VALORES XVI Férias Técnicas da POLIVALOR em parceria a Ford de 31 de Agosto a 11 de Setembro de 2015, abertas a todos os estudantes do Ensino Superior e todos os que gostem de automóveis, no Centro de Treino Ford.

Leia mais

CURSO SECTOR NÃO LUCRATIVO REGIME FISCAL E CONTABILÍSTICO (ESFL)

CURSO SECTOR NÃO LUCRATIVO REGIME FISCAL E CONTABILÍSTICO (ESFL) CURSO SECTOR NÃO LUCRATIVO REGIME FISCAL E CONTABILÍSTICO (ESFL) ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 03 2. DESENVOLVIMENTO A. Proposta pedagógica B. Investimento C. Condições de participação 03 03 04 04 3. FICHA DE INSCRIÇÃO

Leia mais