GRADE OU ESPORÃO? UMA COMPARAÇÃO ENTRE OS PONTOS DE VISTA ENTRE ORTODONTISTAS DE BELO HORIZONTE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GRADE OU ESPORÃO? UMA COMPARAÇÃO ENTRE OS PONTOS DE VISTA ENTRE ORTODONTISTAS DE BELO HORIZONTE"

Transcrição

1 CEFAC CENTRO DE ESPECIALIZAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA CLÍNICA MOTRICIDADE ORAL GRADE OU ESPORÃO? UMA COMPARAÇÃO ENTRE OS PONTOS DE VISTA ENTRE ORTODONTISTAS DE BELO HORIZONTE ANA MARIA PARIZZI BELO HORIZONTE

2 Resumo Observando existir escassa bibliografia e consequentemente escasso conhecimento, entre nós fonoaudiólogos, sobre o uso da Grade Lingual e do Esporão, seus objetivos e sobre a nossa atuação nestes casos, resolvemos então pesquisar os pontos de vista entre três ortodontistas de Belo Horizonte, na utilização de um ou outro aparato. Como esperávamos, existem divergências nas condutas destes profissionais, mas cada ortodontista diz obter sucesso com sua linha de tratamento. Ambas as linhas, entretanto, concordam que a terapia fonoaudiológica, quando necessária, só deve ser iniciada após o fechamento da mordida. Grade ou Esporão? Uma comparação entre os pontos de vista entre ortodontistas de Belo Horizonte Percebendo existir algumas divergências quanto ao uso da grade lingual e do esporão entre ortodontistas e ainda um grande desconhecimento por parte da fonoaudiologia, propomos neste trabalho uma breve revisão teórica sobre o assunto e estabelecer uma comparação das opiniões entre estes profissionais, através de entrevistas. Tentaremos aqui, responder às seguintes questões: Qual o objetivo do ortodontista quando opta pelo uso da grade ou do esporão? Qual seria a eficácia destes aparatos? A grade deve ser removível ou fixa? 2

3 Existe estabilidade do tratamento sem terapia miofuncional? Quando o ortodontista trabalha junto ao fonoaudiólogo que critérios usa para indicar a mioterapia nos casos de mordida aberta anterior? O fonoaudiólogo participa quando da decisão pelo uso da grade ou esporão? Para a realização desta pesquisa, entrevistamos três profissionais da ortodontia, sabidamente competentes e atuantes há bastante tempo em Belo Horizonte, cada qual em sua área de atuação. É preciso que se tenha conhecimento sobre a especialidade com a qual se trabalha - fonoaudiologia/ortodontia - além daquele conhecimento básico da anatomia e fisiologia do sistema estomatognático e crescimento crânio facial. É tempo de se repensar as terapias. O trabalho realizado é o esperado pelo paciente? O paciente entende aquilo que é trabalhado com ele ou apenas repete exercícios e usa aparelho? Sua queixa principal é levada em consideração? Porque tantas recidivas? O paciente foi recebido e entendido como um todo? Em meia a tantas indagações, o paciente acaba sendo prejudicado e muitas vezes culpado pelo fracasso do tratamento. É preciso que se compreenda forma e função. É preciso que fonoaudiologia e ortodontia utilizem uma mesma linguagem, visando uma compreensão do indivíduo com o qual irão trabalhar, respetindo-o. Acreditamos existir divergentes opiniões entre ortodontistas quanto ao uso da grade lingual e do esporão e sua eficácia. Além disso, cremos não existir trabalho em equipe com o fonoaudiólogo, visando um resultado melhor de tratamento. 3

4 Vamos então tentar compreender e correlacionar crescimento crânio facial e tipologia facial com o uso da grade lingual e do esporão. Baseamo-nos principalmente nos autores Irene Marchesan e C. R. Douglas; além de outros e dos especialistas entrevistados, Marília Inês Figueiredo, Tarcísio Junqueira e José Eymard Bicalho, todos de Belo Horizonte. Começaremos definido cada aparelho. A Grade lingual é um aparelho intra oral, fixo ou removível, no arco palatal superior e anteriormente, que pretende não permitir o posicionamento da língua entre os dentes, assim como impedir um mau hábito como a sucção digital. O Esporão é um aparelho fixo, no arco lingual onde são soldados quatro prolongamentos pontiagudos para cada incisivo, cujas pontas são evertidas no sentido lingual. O objetivo segundo José Eymard Bicalho é reverter o mau hábito, pela produção de um reflexo mais adequado. Entende-se por crescimento as mudanças normais na quantidade de substância viva. Este crescimento, definido geneticamente, recebe interferências de fatores sócio econômicos como a nutrição, enfermidades, exercícios físicos, aspectos psicológicos e de hábitos parafuncionais. Os ossos são muito dinâmicos, se desenvolvendo por fatores internos onde eles se empurram, fatores externos como a respiração e pela musculatura. Aliás, os músculos são os maiores responsáveis pelo crescimento. Sua tração provoca o crescimento ou o impede pela oposição e reabsorção óssea. Os fenômenos genéticos, neurológicos e hormonais coexistem provavelmente sob a influência da função, pois desde que ela é alterada, o crescimento também o é por via de consequência. Se a forma está inadequada não adianta adaptar a função. Daí a importância de se analisar o indivíduo em sua globalidade e se estabelecer um trabalho em equipe. 4

5 Existem os surtos de crescimento que acontecem quando se inicia a troca de dentição decídua para permanente. O maior crescimento se dá no final do nascimento dos dentes definitivos, dos dez aos quatorze anos - surto puberal. Observamos então a necessidade de uma intervenção precoce para um resultado final adequado. A determinação genética do padrão de crescimento nos fornece o tipo facial: o face média apresenta crescimento tanto no sentido horizontal como no vertical. O face curta apresenta crescimento preponderantemente horizontal. Já o face longa apresenta prevalência do crescimento vertical. Este indivíduo poderá ter dificuldade no selamento labial. O crescimento excessivo do terço inferior da face promove uma dificuldade no tecido mole em acompanhá-lo. É comum que apresente mordida aberta anterior e respiração bucal. A língua se encontra mais anteriorizada e no soalho bucal ou entre os dentes. Tanto ortodontistas como fonoaudiólogos trabalham na cavidade oral do indivíduo. Ela é o espaço limitado pelos lábios e bochechas anterior e lateralmente, pelo palato acima e pelo assoalho abaixo. Dentro dos arcos dentários está contida a língua, que é móvel e inserida no assoalho. Consideramos de grande importância descrever a língua anatômica e funcionalmente visto que o uso da Grade lingual e do Esporão é determinado por ela. Sicher ( 1991) nos fala que a língua é o mais ágil, versátil e competente apêndice do corpo humano, sendo essencial às funções do Sistema Estomatognático ( SEG ) e ao paladar. Ela não possui base óssea interna. Sua massa muscular fornece sua própria base esquelética. Seus movimentos partem de um esqueleto hidrostático. Mantém seu volume constante apesar de variações bruscas na forma. 5

6 O tecido muscular é composto primeiramente por um líquido aquoso, e portanto incompressivo ( propriedade física da água ). A musculatura intrínseca da língua é um arranjo de fibras musculares colocados nos três planos do espaço: longitudinal, transverso e vertical. A atividade local controlada das fibras acima, permite ondular, rodar, dobrar, enrolar, protruir e retrair a língua enquanto seu volume é mantido o mesmo. Finalmente a língua é presa ao osso hióide, que puxa essa massa para trás e para frente na cavidade oral. Douglas ( 1994 ) caracteriza muito bem a importância da língua no posicionamento dentário: O dente se posiciona entre dois grupos musculares ativos: a língua por um lado e os músculos das bochechas e dos lábios por outro. A posição do dente será estável se ambos os grupos estiverem em equilíbrio. Por outro lado, a forma do arco dentário, que se mantém constante durante a vida, é devida ao suporte estabilizador ósseo dependente do equilíbrio das forças musculares que agem sobre o dente, de modo que a maioria das forças normais está dentro de uma variação tolerada pelo osso ou contrabalançada por outras forças que atuam contra os dentes. Pode-se perturbar este sistema de estabilização pela interposição da língua, sucção digital ou aparelhagem ortodôntica que provoque movimentos do dente e deformação do processo alveolar. Pode-se novamente alcançar o equilíbrio através da nova estabilização das forças que agem sobre os dentes. Caberia, neste momento, escolher entre o uso do esporão ou da grade lingual. Moyers ( 1991 ) nos permite afirmar que os efeitos contínuos da postura anormal da língua produzem mais mordidas abertas que as mais óbvias interposições linguais. A postura adquirida da língua protruída geralmente é resultado da faringite crônica, amigdalite ou outro distúrbio naso-respiratório, ou 6

7 do hábito de sucção digital. Enquanto a causa estiver presente, a língua se coloca para frente e qualquer posicionamento ou tratamento ortodôntico dos incisivos pode ser instável. Por isso, a atuação de um otorrinolaringologista e do fonoaudiólogo neste caso é essencial na retirada desta causa. Ele sugere a eliminação do hábito e se persistir a protrusão, induzi-la a mudar pelo uso de esporões. Sabe-se que as pressões exercidas pela postura da língua e do lábios, quando não participam funcionalmente, são mais significativas e atuantes no desenvolvimento das deformidades oclusivas do que seus movimentos rápidos realizados na mastigação, deglutição e fonação pela sua curta duração. Então, na presença de má oclusão, a correção da postura da língua torna-se mais importante do que a correção da interposição durante a deglutição. O tamanho exagerado da língua em relação à arcada mandibular, faz com que os incisivos recebam constantemente forças e sejam projetados para frente dando origem à mordida aberta. No passado, pensava-se que a língua ao realizar o movimento de deglutir causava mordida aberta anterior, mas na verdade a língua que se projeta ao deglutir é apenas uma adaptação `a mordida aberta do que a causa dela. Isso é confirmado por Petrelli ( 1992 ) que observou existir uma relação morfológica anormal nesse caso e, portanto, um fenômeno de adaptação. Assim, só há melhora da projeção da língua quando a mordida já está quase fechada. Ao contrário, fica difícil a automatização do posicionamento correto da língua em ausência de movimento ou durante a fonação. Pode haver até um controle da postura em situação voluntária, mas não há automatização do padrão. Sabendo que a língua tem a propriedade de ocupar um espaço limitado, desde que a mordida esteja aberta, ela ocupará o espaço entre os dentes, Proffit ( 7

8 1995 ) nos alerta que a terapia miofuncional para a língua que faz pressão é ineficaz e não é mais recomendada. Seria então neste caso indicado o uso de um aparato mecânico. Petrelli sugere a grade palatina como um meio eficaz e tradicional de lembrar a língua do local onde ela deve se posicionar. José Eymard Bicalho e Tarcísio Junqueira ( 1997 ) acreditam ser o esporão lingual o melhor reeducador pelo seu próprio funcionamento de arco reflexo 1. Há elevação da ponta e posteriorização da língua mantendo a função. Produz-se um reflexo mais adequado, revertendo o hábito deletério. O paciente automatiza a postura correta da língua com mais rapidez, com conseqüente fechamento, também mais rápido, da mordida. Nelly Sanseverino ( 1996 ) critica as grades removíveis por não prenderem a língua e permitir a sua retirada a qualquer momento. Reforça que, se a forma está alterada, não adianta adaptar a função. E uma vez adaptada a forma, a função deve adaptar-se ou podem haver recidivas. Ela utiliza o esporão de Nakajima até o fechamento da mordida e encaminha para o trabalho funcional caso o hábito persista. Têm a mesma conduta José Eymard Bicalho e Tarcísio Junqueira. As recidivas nos casos de mordida aberta, com o uso do esporão lingual, são quase inexistentes. Quando ocorre, estão relacionadas ao tipo facial, crescimento, à genética e aos pacientes que apresentam problemas 1 Na atividade reflexa, para ter uma resposta qualquer, precisa-se de uma série de eventos cujo conjunto denomina-se arco reflexo. ( Douglas, R. - Tratado de fisiologia aplicada às ciências da saúde ) 8

9 neuromotores. Estes necessitam de maior tempo de uso do esporão lingual, acredita José Eymard Bicalho. Frederico Tenti ( 1993 ) aponta o uso da grade lingual em aparelhos removíveis como meio de impedir a sucção digital embora seja ineficiente na limitação dos movimentos linguais. ocorrem. Por aqui já pudemos perceber como as divergências entre os ortodontistas E a terapia miofuncinal? É sabido que a intervenção fonoaudiológica obterá melhores resultados quando a mordida já estiver fechada. Pelo que vimos, a língua tende a se projetar em função do espaço vazio causado pela abertura dental, impedindo a automatização do seu padrão postural correto. O ideal é que se consiga estabelecer um diagnóstico correto dentro do que se conhece teórica e praticamente levando-se em consideração as características morfofuncionais do paciente, suas limitações e suas queixas, discutindo interprofissionalmente qual a melhor terapêutica e assim traçar o plano de tratamento ideal a cada paciente. E, cada paciente, deve sempre compreender o percurso que será realizado. A conscientização é fundamental, sendo necessário que se utilize uma linguagem com termos compreensíveis por ele. E esta linguagem deve estar em sintonia com a do ortodontista. Antes de tratar qualquer hábito, Moyers alerta sobre o papel de toda musculatura no desenvolvimento normal da oclusão e de hábitos na etiologia da 9

10 má oclusão. Conscientiza o paciente da nova forma de deglutir, transfere o controle do novo padrão de deglutição ao subconsciente e reforça esse novo reflexo. Esse reforço, sempre necessário, é feito através da colocação de afiados e pequenos esporões em um arco lingual superior. O autor nos diz que o tratamento dos problemas clínicos que têm seu lugar etiológico primário no sistema neuromuscular e, portanto, na área de atuação fonoaudiológica, deve envolver o condicionamento de reflexos para produzir condições funcionais mais favoráveis para o crescimento esquelético crânio facial e o desenvolvimento da oclusão. Nakajima ( 1985 ) aconselha bandar os caninos inferiores e inserir em um arco lingual esporões, em forma de U, sem polir os cravos para não perder a eficácia. Discorda Petrelli, que considera os esporões aparelhos agressivos, sendo um método obsoleto e preocupando-se com o emocional do paciente. Utilizando o esporão lingual sobre os incisivos inferiores e superiores, Tenti explica ao paciente que o aparelho não constitui uma punição, mas apenas um recurso para lembrá-lo a manter a língua no palato durante a fonação e deglutição. Ensina a deglutição correta alguns dias antes. Exercícios para corrigir a deglutição, geralmente são descritos para serem realizados regularmente; como o paciente em geral, não segue esta recomendação, aplica-se o esporão. Marília Inês Figueiredo ( 1997 ), utiliza nos casos de mordida aberta com interposição lingual, a grade no arco superior, assim como para a eliminação de maus hábitos como sucção digital e chupeta. Ela considera que a eficácia deste aparato é a mesma do esporão ( além de ser esteticamente melhor e não machucar ) sendo colocada o mais cedo possível, por volta dos cinco a seis anos, durante seis a oito meses, e além disso, teria uma aceitação melhor pelos pais e pelos próprios pacientes. 10

11 Nega recidivas em casos de maus hábitos habituais ( faz uso da grade ou de qualquer outro aparato que impeça o hábito, como o quadrihélix ), pois estes são corrigidos principalmente em crianças. Diz ainda que a musculatura oral geralmente se adequa na criança, dependente da função bucal. No caso do respirador bucal é necessário restabelecer a função, A indicação para mioterapia se limita ao fechamento da mordida com permanência da interposição lingual e/ou alguma alteração na fala. Tarcísio Junqueira e José Eymard Bicalho utilizam o esporão lingual no arco inferior. Os prolongamentos pontiagudos não encostam nos incisivos para não impedir a movimentação dos dentes e da boa higiene. Este aparelho é utilizado nos casos de mordida aberta anterior por hábito inadequado da língua, uso de chupeta ou sucção digital mais freqüentemente. Junqueira utiliza ainda o esporão lingual em pacientes com mordida aberta lateral. Ambos concordam que a idade ideal é o mais cedo possível, em torno dos quatro ou cinco anos. Bicalho não vê contra-indicação para utilizar o esporão lingual em criança, adulto ou adolescente e, até mesmo, em casos de deficiência mental. Ressalta a colaboração do paciente. Relatam ainda que a aceitação dos pacientes, geralmente, é positiva, dependendo do emocional dos mesmos. Antes de colocar o esporão lingual há uma orientação aos pais e pacientes sobre a conduta do uso do aparelho, como é feito, para que é utilizado e seus benefícios. Sendo feita uma boa orientação o aparato é bem aceito. Sua eficácia é excelente, acredita José Eymard Bicalho, desde que bem indicado: bom diagnóstico, bom planejamento, bom uso. Sendo este um aparato reeducador, a língua não produz mais seu efeito deletério. O tempo de adaptação do aparelho é de uma semana. No início espeta a língua forçando o paciente a retraí-la, promovendo seu direcionamento correto, elevando sua ponta. Dessa forma há manutenção adequada das funções de fala e deglutição, sendo este o objetivo do aparelho. 11

12 Ele é mantido até que se feche a mordida, em tempo mínimo de seis meses. Após o fechamento, tem-se a opção de retirá-lo ou não, de acordo com o andamento do trabalho ortodôntico. Os ortodontistas reforçam que as recidivas são reduzidas, salvo os casos já relatados: tipo facial, genética, crescimento. Tarcísio Junqueira ao observá-las, recoloca o esporão. O encaminhamento ao fonoaudiólogo ocorre após o fechamento da mordida se o hábito persistir. Justus ( 1976 ) afirma que o melhor método para o tratamento da mordida aberta associada ao hábito de projeção lingual é o esporão lingual. Com a colocação deste aparato, cria-se um novo ambiente bucal, a língua fica impedida de tocar no esporão e nos dentes, consequentemente estes irrompem sem problemas. Desta forma, ocorre uma modificação na alimentação sensorial do cérebro permitindo uma nova resposta motora ( função e posição normal da língua ). Esta resposta pode ficar impressa no cérebro se os esporões ficarem por tempo adequado, no mínimo um ano, evitando assim as recidivas. Para ele, a terapia fonoaudiológica só funcionaria se houvesse mais conhecimento por parte do profissional, colaboração do paciente e dos pais na realização dos exercícios diários e principalmente se não fosse tão difícil modificar voluntariamente uma atividade reflexa fundamental, como é o caso da deglutição. Considera como contra indicação a imaturidade do paciente para compreender o sistema do aparato ( menos de quatro anos ) e não estiver motivado a eliminar o hábito. Não é indicado para pacientes que estejam passando por problemas emocionais, que se encontrem com inflamação aguda de amígdalas e adenóide, em tratamento de fala e/ou linguagem ( recomenda-se que se termine o programa ou pedir que cancele e retorne após a retirada do esporão ) e portadores de macroglossia. 12

13 Por muito tempo a língua levou a culpa de abrir e manter aberta uma mordida. E os fonoaudiólogos se esforçavam para retirá-la da posição interdental e da sua projeção durante a fala e deglutição. Alguns casos se resolviam, outros não. Se torna cada vez mais clara a definição de diagnósticos e a obtenção de resultados rápidos e melhores, principalmente quando se trata de problemas relacionados à oclusão dentária e musculatura oro-facial os quais só serão solucionados quando os profissionais afins perceberem a importância de escutar e questionar, adquirindo conhecimentos atualizados de áreas correlatas. De acordo com o que ouvimos, a grade, para Proffit, funciona como uma ajuda ao paciente e é um aparato efetivo em 85% a 90% dos casos em crianças, se for fixa, pois de pende da colaboração delas. Concorda com ele, Petrelli, da linha tradicional dizendo que a grade lembra o paciente do local onde a língua deve se posicionar. Assim como eles, trabalha com este aparelho, e com sucesso, a ortodontista Marília Inês Figueiredo. Já Tenti diz que a grade impede a sucção digital, mas é ineficiente na limitação dos movimentos linguais. O esporão é considerado punitivo por alguns, mas Nelly Sanseverino, Tarcísio Junqueira e José Eymard Bicalho o utilizam com igual ou melhor sucesso à grade. Nelly critica o uso das grades, pois elas não prenderiam a língua permitindo a sua retirada a qualquer momento. Funcionando como um arco reflexo o esporão seria na verdade um reeducador, sendo mais eficaz, mais rápido no fechamento da mordida e usado por menos tempo que a grade ( T. Junqueira ). As divergências existem e sempre existirão. A escolha pelo melhor aparato e terapia dependerá da opção de cada profissional para uma BOA indicação, seja para o uso da GRADE ou do ESPORÃO, variando sempre o caso específico de cada paciente. 13

14 Cabe à nós, fonoaudiólogos, termos conhecimentos sobre o que são estes aparatos e seus objetivos para discutirmos cada caso com o ortodontista, e em equipe decidirmos o que será o ideal para o paciente, deixando a TERAPIA MIOFUNCIONAL, quando necessária, para depois do fechamento da mordida. Certamente desta forma, ambos os tratamentos terão sucesso. 14

15 Bibliografia 1- Bianchini, Esther M. G A cefalometria nas alterações Miofuncionais Orais. Diagnóstico e Tratamento Fonoaudiológico. S.P., Pró Fono departamento editorial; 2- Douglas, Carlos Roberto Tratado de fisiologia aplicado às ciências da saúde. S.P., Robe Editorial; 3- Enlow, Donald H Crescimento facial. S.P., Artes Médicas; 4- Villar, Flávia T Esporão Lingual: conhecer ou ignorar? B.H., Monografia entregue ao CEFAC, departamento de Motricidade Oral; 5- Marchesan, Irene Q Motricidade Oral. S.P., Pancast; 6- Marchesan, I. Q. e col Tópicos em Fonoaudiologia. S.P., Lovise; Tópicos em Fonoaudiologia. S.P., Lovise; 7- Moyers, Robert E Ortodontia. R.J., Guanabara Koogan S.A; 8- Nakajima, Elichiro Atlas de Ortodontia. S.P., Santos; 15

16 9- Sanseverino, Nelly T Anotações em sala de aula de especialização do curso de Motricidade Oral - CEFAC B.H,; 10- Petrelli, Eros Ortodontia para fonoaudiologia. P.R., Lovise; 11- Proffit, William R. & Fields, Henry Ortodontia contemporânea. R.J., Guanabara Koogan; 12- Sicher & Dubrul Anatomia Oral. S.P., Artes Médicas; Santos. 13- Tenti, Frederico v Atlas de Aparelhos Ortodônticos Fixos e Removíveis. S.P., 16

17 17

INTERVENÇÃO FONOAUDIOLÓGICA NO SERVIÇO DE CONTROLE DA DOR OROFACIAL E DEFORMIDADES DENTOFACIAIS DO HULW/UFPB

INTERVENÇÃO FONOAUDIOLÓGICA NO SERVIÇO DE CONTROLE DA DOR OROFACIAL E DEFORMIDADES DENTOFACIAIS DO HULW/UFPB INTERVENÇÃO FONOAUDIOLÓGICA NO SERVIÇO DE CONTROLE DA DOR OROFACIAL E DEFORMIDADES DENTOFACIAIS DO HULW/UFPB ALVES, Giorvan Ânderson dos santos Alves LOPES SOBRINHO, Paulo Naati LUNA, Anibal Henrique Barbosa

Leia mais

BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL

BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL Montagem das Pastas As pastas devem estar organizadas na seguinte ordem: I- Externo Página Título: colocar na capa frontal da pasta (a capa tem um envelope plástico para esta finalidade). BOARD BRASILEIRO

Leia mais

LEVANTAMENTO DO PERFIL DO COMPLEXO ESTOMATOGNÁTICO DOS ALUNOS DA 3ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO INOVADOR DA EEEMIDR.

LEVANTAMENTO DO PERFIL DO COMPLEXO ESTOMATOGNÁTICO DOS ALUNOS DA 3ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO INOVADOR DA EEEMIDR. LEVANTAMENTO DO PERFIL DO COMPLEXO ESTOMATOGNÁTICO DOS ALUNOS DA 3ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO INOVADOR DA EEEMIDR. ANTONIO BATISTA SANTIAGO EM ITABAIANA-PB. Napoleão Fernando do Nascimento 1 Ana Karênina de

Leia mais

Manobras utilizadas na reabilitação da deglutição

Manobras utilizadas na reabilitação da deglutição Marchesan IQ, Furkim AM. Manobras utilizadas na reabilitação da deglutição. In: Costa M, Castro LP. Tópicos em deglutição e disfagia. Rio de Janeiro: Medsi; 2003. p.375-84. Manobras utilizadas na reabilitação

Leia mais

Aparelhos Ortodônticos Removíveis com Alta Retenção

Aparelhos Ortodônticos Removíveis com Alta Retenção Aparelhos Ortodônticos Removíveis com Alta Retenção Um novo conceito de ver e atuar com os aparelhos ortodônticos removíveis José Roberto Ramos Na maioria dos casos, o emprego dos aparelhos ortodônticos

Leia mais

CIRURGIAS ORTOGNÁTICAS

CIRURGIAS ORTOGNÁTICAS CIRURGIAS ORTOGNÁTICAS Informações ao paciente Contém: 1. Explicação geral sobre cirurgias ortognáticas, 2. Perguntas e respostas, A cirurgia ortognática, também chamada de ortodontia cirúrgica, é um tipo

Leia mais

Breve Panorama Histórico

Breve Panorama Histórico Análise Facial Breve Panorama Histórico Norman Kingsley Kingsley (final do séc.xix): s a articulação dos dentes secundária à aparência facial. Breve Panorama Histórico Edward Angle (in (início séc. s XX)

Leia mais

SUSANA MARTHA DE PROENÇA DA ROCHA FREITAS PERCEÇÃO DOS MÉDICOS DENTISTAS EM RELAÇÃO À INTERVENÇÃO DOS TERAPEUTAS DA FALA

SUSANA MARTHA DE PROENÇA DA ROCHA FREITAS PERCEÇÃO DOS MÉDICOS DENTISTAS EM RELAÇÃO À INTERVENÇÃO DOS TERAPEUTAS DA FALA SUSANA MARTHA DE PROENÇA DA ROCHA FREITAS PERCEÇÃO DOS MÉDICOS DENTISTAS EM RELAÇÃO À INTERVENÇÃO DOS TERAPEUTAS DA UNIVERSIDADE FERNANDO PESSOA FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE PORTO 2013 SUSANA MARTHA

Leia mais

T4A TRAINER PARA ALINHAMENTO. Desenvolvido por Dr. Chris Farrell (BDS Sydney University)

T4A TRAINER PARA ALINHAMENTO. Desenvolvido por Dr. Chris Farrell (BDS Sydney University) T4A TRAINER PARA ALINHAMENTO Desenvolvido por Dr. Chris Farrell (BDS Sydney University) PARA O ALINHAMENTO DE DENTES ANTERIORES NA DENTIÇÃO PERMANENTE Contate-nos para obter informações sobre o vídeo de

Leia mais

CEFAC MASTIGAÇÃO: CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS DE ALTERAÇÕES E ATRASOS

CEFAC MASTIGAÇÃO: CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS DE ALTERAÇÕES E ATRASOS CEFAC CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA CLÍNICA MASTIGAÇÃO: CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS DE ALTERAÇÕES E ATRASOS MONOGRAFIA ESPECIALIZAÇÃO EM MOTRICIDADE ORAL ORIENTADORA: MIRIAN GOLDENBERG DE RUTH LOPES

Leia mais

COLÉGIO MATER CONSOLATRIX RUDAHYRA TAISA OSSWALD DE OLIVEIRA FONOAUDIOLOGA CRFA 9324/PR. Nitro PDF Trial

COLÉGIO MATER CONSOLATRIX RUDAHYRA TAISA OSSWALD DE OLIVEIRA FONOAUDIOLOGA CRFA 9324/PR. Nitro PDF Trial COLÉGIO MATER CONSOLATRIX RUDAHYRA TAISA OSSWALD DE OLIVEIRA FONOAUDIOLOGA CRFA 9324/PR PROJETO FONOAUDIOLOGIA E EDUCAÇÃO: UMA PROPOSTA VOLTADO AO DENVOLVIMENTO INFANTIL Ivaiporã/PR 2009 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

ANÁLISE DA DENTIÇÃO MISTA

ANÁLISE DA DENTIÇÃO MISTA 1 ANÁLISE DA DENTIÇÃO MISTA INTRODUÇÃO O período da dentição mista inicia-se por volta dos 6 anos de idade com a erupção dos primeiros molares permanentes, e termina ao redor dos 12 anos de idade, com

Leia mais

FECHAMENTO DE ESPAÇOS

FECHAMENTO DE ESPAÇOS FECHAMENTO DE ESPAÇOS Rua 144, n 77 - Setor Marista - Goiânia (GO) - CEP 74170-030 - PABX: (62) 278-4123 - 1 - Introdução Podemos definir essa etapa do tratamento ortodôntico como aquela onde o principal

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE PIRACICABA CONCORDÂNCIA DO ORIENTADOR

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE PIRACICABA CONCORDÂNCIA DO ORIENTADOR UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE PIRACICABA CONCORDÂNCIA DO ORIENTADOR Declaro que a aluna Évelin Lourance Venzi Zulin RA 104861 esteve sob minha orientação para a realização

Leia mais

A DEGLUTIÇÃO ONTEM E HOJE

A DEGLUTIÇÃO ONTEM E HOJE CEFAC CENTRO DE ESPECIALIZAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA CLÍNICA MOTRICIDADE ORAL A DEGLUTIÇÃO ONTEM E HOJE MÉRCIA Mª A. PINTO FORTALEZA 1999 CEFAC CENTRO DE ESPECIALIZAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA CLÍNICA MOTRICIDADE

Leia mais

Distúrbios Miofuncionais Orofaciais na Infância

Distúrbios Miofuncionais Orofaciais na Infância Marchesan IQ. Distúrbios Miofuncionais Orofaciais na Infância. In: Sociedade Brasileira de Otorrinolaringologia, Tratado de Otorrinolaringologia. São Paulo: Roca; 2003. V.3 cap. 54 p.520-33. Distúrbios

Leia mais

componentes Sistema digestório Pré-diafragmáticos: boca, língua, dentes, faringe, esôfago

componentes Sistema digestório Pré-diafragmáticos: boca, língua, dentes, faringe, esôfago Mecanismos para Obtenção de Alimentos Ingestão de Grandes Quantidades de Alimento Absorção de nutrientes diretamente do meio Parasitas do sangue Adaptações mais interessantes Aquelas evoluíram p/ obtenção

Leia mais

A Importância do diagnóstico e intervenção precoce no tratamento das maloclusões em odontopediatria

A Importância do diagnóstico e intervenção precoce no tratamento das maloclusões em odontopediatria A Importância do diagnóstico e intervenção precoce no tratamento das maloclusões em odontopediatria The importance of early diagnosis and intervention in the treatment of malocclusion in pediatric dentistry

Leia mais

FONOAUDIOLOGIA x ORTODONTIA NÍVEL DE CONHECIMENTO DOS ORTODONTISTAS DE BARBACENA SOBRE A FONOAUDIOLOGIA

FONOAUDIOLOGIA x ORTODONTIA NÍVEL DE CONHECIMENTO DOS ORTODONTISTAS DE BARBACENA SOBRE A FONOAUDIOLOGIA CEFAC CENTRO DE ESPECIALIZAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA CLÍNICA MOTRICIDADE ORAL FONOAUDIOLOGIA x ORTODONTIA NÍVEL DE CONHECIMENTO DOS ORTODONTISTAS DE BARBACENA SOBRE A FONOAUDIOLOGIA MONOGRAFIA DE CONCLUSÃO

Leia mais

QUEIXA PRINCIPAL: EXAME ESTÉTICO

QUEIXA PRINCIPAL: EXAME ESTÉTICO O texto abaixo é um parte do capítulo I do livro manual simplificado de diagnóstico e planejamento em ortodontia e ortopedia que pode ser adquirido em nosso site. Os colegas que não frequentaram cursos

Leia mais

Sinonímia Alterações Herdadas e Congênitas Defeitos de Desenvolvimento da Região Maxilofacial e Oral

Sinonímia Alterações Herdadas e Congênitas Defeitos de Desenvolvimento da Região Maxilofacial e Oral Sinonímia Alterações Herdadas e Congênitas Defeitos de Desenvolvimento da Região Maxilofacial e Oral Doença Hereditária: é um desvio da normalidade transmitidos por genes e que podem estar presentes ou

Leia mais

BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL. http://www.bbo.org.br [acesso em 15/02/2009, 07h30] Especificação dos Casos quanto às Categorias

BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL. http://www.bbo.org.br [acesso em 15/02/2009, 07h30] Especificação dos Casos quanto às Categorias BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL http://www.bbo.org.br [acesso em 15/02/2009, 07h30] Especificação dos Casos quanto às Categorias A escolha dos casos a serem apresentados deverá seguir

Leia mais

CADEIAS MUSCULARES CADEIAS MUSCULARES CADEIAS MUSCULARES CADEIAS MUSCULARES. Dra. Adriana Tessitore. CADEIAS MUSCULARES aplicada à

CADEIAS MUSCULARES CADEIAS MUSCULARES CADEIAS MUSCULARES CADEIAS MUSCULARES. Dra. Adriana Tessitore. CADEIAS MUSCULARES aplicada à aplicada à 1 MOTRICIDADE OROFACIAL 2 MOTRICIDADE OROFACIAL Motricidade Orofacial é o campo da Fonoaudiologia voltado para o estudo/pesquisa, prevenção, avaliação, diagnóstico, desenvolvimento, habilitação,

Leia mais

IMPLANTES OSSEOINTEGRADOS MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO PACIENTE DR. MARCOLINO ANTONIO PELLICANO DR. BENEDITO UMBERTO BUENO

IMPLANTES OSSEOINTEGRADOS MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO PACIENTE DR. MARCOLINO ANTONIO PELLICANO DR. BENEDITO UMBERTO BUENO IMPLANTES OSSEOINTEGRADOS MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO PACIENTE DR. MARCOLINO ANTONIO PELLICANO DR. BENEDITO UMBERTO BUENO 1 IMPLANTES OSSEOINTEGRADOS PORQUE PODEM SER COLOCADOS QUANDO PODEM SER COLOCADOS COMO

Leia mais

Cirurgia Ortognática e Estética Facial: Qual sua importância na Odontologia Integrada?

Cirurgia Ortognática e Estética Facial: Qual sua importância na Odontologia Integrada? Cirurgia Ortognática e Estética Facial: Qual sua importância na Odontologia Integrada? A avaliação da estética facial, bem como sua relação com a comunicação e expressão da emoção, é parte importante no

Leia mais

A Importância da Saúde Bucal. na Saúde Geral

A Importância da Saúde Bucal. na Saúde Geral PALESTRA A Importância da Saúde Bucal na Saúde Geral A saúde começa pela boca Os dentes são importantes na mastigação dos alimentos, fala, e estética, influenciando diretamente na auto-estima do indivíduo

Leia mais

FONOAUDIOLOGIA E DIETA ALIMENTAR NA DENTIÇÃO DECÍDUA

FONOAUDIOLOGIA E DIETA ALIMENTAR NA DENTIÇÃO DECÍDUA CEFAC CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA CLÍNICA MOTRICIDADE ORAL FONOAUDIOLOGIA E DIETA ALIMENTAR NA DENTIÇÃO DECÍDUA ANA CALINE NÓBREGA DA COSTA RECIFE 1998 1 CEFAC CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM

Leia mais

APRESENTAÇÃO DAS BANDAS TIPOS:

APRESENTAÇÃO DAS BANDAS TIPOS: 1 2 BANDAS ORTODÔNTICAS Introdução Para entendermos a real importância destes componentes de um aparelho ortodôntico, devemos inicialmente compreender qual a função da bandagem frente à um complexo sistema

Leia mais

RECUPERADORES DE ESPAÇO

RECUPERADORES DE ESPAÇO RECUPERADORES DE ESPAÇO Conceito Recuperadores de espaço são usados para recuperar o espaço perdido nas arcadas dentárias. Eles verticalizam os dentes que inclinaram, depois que outros foram perdidos.

Leia mais

Uma vez estando estabelecidos os conceitos de oclusão normal, a etapa. subseqüente do processo de aprendizado passa a ser o estudo das variações

Uma vez estando estabelecidos os conceitos de oclusão normal, a etapa. subseqüente do processo de aprendizado passa a ser o estudo das variações 1 INTRODUÇÃO Uma vez estando estabelecidos os conceitos de oclusão normal, a etapa subseqüente do processo de aprendizado passa a ser o estudo das variações desse padrão. Vale a pena relembrarmos a definição

Leia mais

Fonodialogando. Sucção Digital UM OLHAR DA FONOAUDIOLOGIA. Um hábito que poderá trazer consequências no desenvolvimento da criança

Fonodialogando. Sucção Digital UM OLHAR DA FONOAUDIOLOGIA. Um hábito que poderá trazer consequências no desenvolvimento da criança Fonodialogando Sucção Digital Um hábito que poderá trazer consequências no desenvolvimento da criança UM OLHAR DA FONOAUDIOLOGIA O que é Sucção? Asucção é um reflexo próprio da espécie adquirido na o n

Leia mais

Especialidades Odontológicas

Especialidades Odontológicas Especialidades Odontológicas Urubatan Medeiros Doutor (USP) - Professor Titular do Departamento de Odontologia Preventiva e Comunitária (UERJ/UFRJ) - Consultor do Ministério da Saúde I - Introdução A Odontologia

Leia mais

Kimberly Willis. The Little Book Of Diet Help. Inês Rodrigues. Liliana Lourenço. Tradução de. Ilustrações de

Kimberly Willis. The Little Book Of Diet Help. Inês Rodrigues. Liliana Lourenço. Tradução de. Ilustrações de Kimberly Willis The Little Book Of Diet Help Tradução de Inês Rodrigues Ilustrações de Liliana Lourenço PARTE 1 > SOBRE ESTE LIVRO 9 PARTE 2 > VAMOS COMEÇAR 19 PARTE 3 > MUDE A FORMA COMO SE SENTE 49

Leia mais

INTERVENÇÃO FONOAUDIOLÓGICA EM PORTADORES DE MÁ OCLUSÃO DE CLASSE III (DENTÁRIA E/OU ESQUELÉTICA)

INTERVENÇÃO FONOAUDIOLÓGICA EM PORTADORES DE MÁ OCLUSÃO DE CLASSE III (DENTÁRIA E/OU ESQUELÉTICA) CEFAC CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA CLÍNICA MOTRICIDADE ORAL INTERVENÇÃO FONOAUDIOLÓGICA EM PORTADORES DE MÁ OCLUSÃO DE CLASSE III (DENTÁRIA E/OU ESQUELÉTICA) VERIDIANA PROSINI RECIFE 1998

Leia mais

A INTERDISCIPLINARIDADE ENTRE AS ORTODONTIA E ORTOPEDIA FUNCIONAL DOS MAXILARES E A FONOAUDIOLOGIA: EXISTE ESTA RELAÇÃO NOS DIAS DE HOJE?

A INTERDISCIPLINARIDADE ENTRE AS ORTODONTIA E ORTOPEDIA FUNCIONAL DOS MAXILARES E A FONOAUDIOLOGIA: EXISTE ESTA RELAÇÃO NOS DIAS DE HOJE? CEFAC Centro de Especialização em Fonoaudiologia Clínica Motricidade Oral A INTERDISCIPLINARIDADE ENTRE AS ORTODONTIA E ORTOPEDIA FUNCIONAL DOS MAXILARES E A FONOAUDIOLOGIA: EXISTE ESTA RELAÇÃO NOS DIAS

Leia mais

manter um dente recém- período suficientemente prolongado correção ortodôntica que se conceito polêmico.

manter um dente recém- período suficientemente prolongado correção ortodôntica que se conceito polêmico. Introdução CONTENÇÕES EM ORTODONTIA em ortodontia é o procedimento para manter um dente recém- movimentado em posição por um período suficientemente prolongado para assegurar a manutenção da correção ortodôntica

Leia mais

PROTOCOLO INTEGRADO DE ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS CREO CISAMUSEP 1. PRÓTESE 2. ENDODONTIA 3. PERIODONTIA 4. CIRURGIA ORAL MENOR

PROTOCOLO INTEGRADO DE ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS CREO CISAMUSEP 1. PRÓTESE 2. ENDODONTIA 3. PERIODONTIA 4. CIRURGIA ORAL MENOR PROTOCOLO INTEGRADO DE ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS CREO CISAMUSEP 1. PRÓTESE 2. ENDODONTIA 3. PERIODONTIA 4. CIRURGIA ORAL MENOR 5. PACIENTES COM NECESSIDADES ESPECIAIS 6. ORTOPEDIA FUNCIONAL DOS MAXILARES

Leia mais

Análise das alterações miofuncionais na correção da mordida aberta anterior

Análise das alterações miofuncionais na correção da mordida aberta anterior Caso Clínico Análise das alterações miofuncionais na correção da mordida aberta anterior Joanna A. Binato*, Wagner S. Alviano**, Maria da Conceição A. Ferraz***, Margareth M. G. de Souza**** A mordida

Leia mais

TENDÊNCIAS RECENTES DOS ESTUDOS E DAS PRÁTICAS CURRICULARES

TENDÊNCIAS RECENTES DOS ESTUDOS E DAS PRÁTICAS CURRICULARES TENDÊNCIAS RECENTES DOS ESTUDOS E DAS PRÁTICAS CURRICULARES Inês Barbosa de Oliveira O desafio de discutir os estudos e as práticas curriculares, sejam elas ligadas à educação de jovens e adultos ou ao

Leia mais

Mordida Profunda Definição. Trespasse vertical

Mordida Profunda Definição. Trespasse vertical Mordida Profunda Definição Trespasse vertical Mordida Profunda Diagnóstico Os fatores que contribuem variam de acordo com a oclusão: u Em boas oclusões é determinda por fatores dentários: t Comprimento

Leia mais

FATORES QUE INFLUENCIAM O ESTADO DE SAÚDE E O CONTATO COM OS SERVIÇOS DE SAUDE (Z00 Z99)

FATORES QUE INFLUENCIAM O ESTADO DE SAÚDE E O CONTATO COM OS SERVIÇOS DE SAUDE (Z00 Z99) FATORES QUE INFLUENCIAM O ESTADO DE SAÚDE E O CONTATO COM OS SERVIÇOS DE SAUDE (Z00 Z99) Guias SP/SADT Protocolo Conduta Indicação Clínica Laudo médico Justificativa Tipos N máximo de sessões Exame geral

Leia mais

Série Aparelhos Ortodônticos

Série Aparelhos Ortodônticos Série Aparelhos Ortodônticos Em geral, o protocolo de tratamento nos casos de Classe III, principalmente naqueles com deficiência maxilar, tem sido a disjunção, seguida pela protração da ma-xila. De acordo

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO APARELHO DE PROTRAÇÃO MANDIBULAR COMO ANCORAGEM PARA MESIALIZAÇÃO DE MOLARES INFERIORES: RELATO DE CASO CLÍNICO RESUMO

UTILIZAÇÃO DO APARELHO DE PROTRAÇÃO MANDIBULAR COMO ANCORAGEM PARA MESIALIZAÇÃO DE MOLARES INFERIORES: RELATO DE CASO CLÍNICO RESUMO 474 UTILIZAÇÃO DO APARELHO DE PROTRAÇÃO MANDIBULAR COMO ANCORAGEM PARA MESIALIZAÇÃO DE MOLARES INFERIORES: RELATO DE CASO CLÍNICO Fábio André Werlang 1 Marcos Massaro Takemoto 2 Prof Elton Zeni 3 RESUMO

Leia mais

Aula 9: Laudo Radiográfico

Aula 9: Laudo Radiográfico Aula 9: Laudo Radiográfico Autora: Profª. Rosana da Silva Berticelli Edição: Luana Christ e Bruna Reuter Definição: É a interpretação das imagens radiográficas, reconhecendo as estruturas e reparos anatômicos

Leia mais

Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de açoa. o superiores e splint removível vel inferior

Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de açoa. o superiores e splint removível vel inferior Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de açoa o superiores e splint removível vel inferior MORO, A.; et al. Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de aço superiores

Leia mais

Inter-relação entre a Ortodontia e a Fonoaudiologia na tomada de decisão de tratamento de indivíduos com respiração bucal

Inter-relação entre a Ortodontia e a Fonoaudiologia na tomada de decisão de tratamento de indivíduos com respiração bucal Inter-relação entre a Ortodontia e a Fonoaudiologia na tomada de decisão de tratamento de indivíduos com respiração bucal Rúbia Vezaro Vanz 1, Lilian Rigo 2, Angela Vezaro Vanz 3, Anamaria Estacia 4, Lincoln

Leia mais

Adaptação de. PdP. Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 13/01/2006 Última versão: 18/12/2006

Adaptação de. PdP. Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 13/01/2006 Última versão: 18/12/2006 TUTORIAL Adaptação de Servo-motores Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 13/01/2006 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br

Leia mais

Capítulo 15: TÉCNICAS PARA UMA ENTREVISTA DE TRABALHO

Capítulo 15: TÉCNICAS PARA UMA ENTREVISTA DE TRABALHO Capítulo 15: TÉCNICAS PARA UMA ENTREVISTA DE TRABALHO 15.1 Como se Preparar para as Entrevistas É absolutamente essencial treinar-se para as entrevistas. Se você não praticar, poderá cometer todos os tipos

Leia mais

Como a palavra mesmo sugere, osteointegração é fazer parte de, ou harmônico com os tecidos biológicos.

Como a palavra mesmo sugere, osteointegração é fazer parte de, ou harmônico com os tecidos biológicos. PRINCIPAIS PERGUNTAS SOBRE IMPLANTES DENTÁRIOS. O que são implantes osseointegrados? É uma nova geração de implantes, introduzidos a partir da década de 60, mas que só agora atingem um grau de aceitabilidade

Leia mais

SISTEMA LEVITAR DE CABEÇA

SISTEMA LEVITAR DE CABEÇA SISTEMA LEVITAR DE CABEÇA O equipamento deve estar completamente desmontado com os seguintes componentes e quantidades: Quantidades 1 INICIAR A REGULAGEM: o usuário a seguir serve apenas como referência

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CURSO DE FONOAUDIOLOGIA. Organização do portfólio no grupo tutorial do II Ciclo no módulo de Motricidade Orofacial

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CURSO DE FONOAUDIOLOGIA. Organização do portfólio no grupo tutorial do II Ciclo no módulo de Motricidade Orofacial UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CURSO DE FONOAUDIOLOGIA Organização do portfólio no grupo tutorial do II Ciclo no módulo de Motricidade Orofacial Profa. Dra. Carla Patrícia Hernandez Alves Ribeiro César

Leia mais

A ATUAÇÃO FONOAUDIOLÓGICA EM DISFAGIA NA ONCOLOGIA DE CABEÇA E PESCOÇO: ESTUDO DE CASO

A ATUAÇÃO FONOAUDIOLÓGICA EM DISFAGIA NA ONCOLOGIA DE CABEÇA E PESCOÇO: ESTUDO DE CASO ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 A ATUAÇÃO FONOAUDIOLÓGICA EM DISFAGIA NA ONCOLOGIA DE CABEÇA E PESCOÇO: ESTUDO DE CASO Tarsila Fleischmann

Leia mais

"UMA BOCA SAUDÁVEL NA IDADE ADULTA DEPENDE DOS CUIDADOS QUE FOREM MANTIDOS DESDE O BERÇO".O que é a Odontopediatria?

UMA BOCA SAUDÁVEL NA IDADE ADULTA DEPENDE DOS CUIDADOS QUE FOREM MANTIDOS DESDE O BERÇO.O que é a Odontopediatria? "UMA BOCA SAUDÁVEL NA IDADE ADULTA DEPENDE DOS CUIDADOS QUE FOREM MANTIDOS DESDE O BERÇO".O que é a Odontopediatria? A Odontopediatria é uma especialidade dentro da Medicina Dentária que oferece aos bebés,

Leia mais

ESPECIALIDADE MEDICINA DENTÁRIA

ESPECIALIDADE MEDICINA DENTÁRIA ESPECIALIDADE MEDICINA DENTÁRIA Cirurgia Oral A Cirurgia Oral é uma especialidade da Medicina Dentária que inclui o diagnóstico e o tratamento cirúrgico de patologias dos tecidos moles e tecidos duros

Leia mais

TRAUMATISMO DENTÁRIO EM DENTIÇÃO DECÍDUA UM CASO CLÍNICO DE TRAÇÃO ORTODÔNTICA

TRAUMATISMO DENTÁRIO EM DENTIÇÃO DECÍDUA UM CASO CLÍNICO DE TRAÇÃO ORTODÔNTICA Prémio Ortodontia 2015 TRAUMATISMO DENTÁRIO EM DENTIÇÃO DECÍDUA UM CASO CLÍNICO DE TRAÇÃO ORTODÔNTICA ARTIGO VENCEDOR RESUMO Os traumatismos em dentição decídua poderão afetar a dentição permanente, afetando

Leia mais

MANUAL PARA PREENCHIMENTO DAS FICHAS

MANUAL PARA PREENCHIMENTO DAS FICHAS MANUAL PARA PREENCHIMENTO DAS FICHAS OBJETIVO Este manual foi elaborado para orientar o usuário quanto ao preenchimento das fichas de Coleta de Dados Simplificados (CDS). Esse documento visa descrever

Leia mais

RESPIRADOR BUCAL : PERSPECTIVAS CLÍNICAS NA ABORDAGEM INTERDISCIPLINAR

RESPIRADOR BUCAL : PERSPECTIVAS CLÍNICAS NA ABORDAGEM INTERDISCIPLINAR RESPIRADOR BUCAL : PERSPECTIVAS CLÍNICAS NA ABORDAGEM INTERDISCIPLINAR Jucyara Menezes Aroucha Professora da Universidade Moacyr Bastos (RJ / Brasil) Formadora do CEFOC - UFP Fonoaudióloga do Projecto

Leia mais

A PERCEPÇÃO DAS SENSAÇÕES DO CORPO NA FLEXIBILIDADE DA POSTURA E NO CONTATO COM O AMBIENTE

A PERCEPÇÃO DAS SENSAÇÕES DO CORPO NA FLEXIBILIDADE DA POSTURA E NO CONTATO COM O AMBIENTE 1 A PERCEPÇÃO DAS SENSAÇÕES DO CORPO NA FLEXIBILIDADE DA POSTURA E NO CONTATO COM O AMBIENTE RESUMO Luciana Gandolfo O objetivo da prática da eutonia é orientar a pessoa a focalizar a atenção em um segmento

Leia mais

VERIFICAÇÃO DA AMPLITUDE DOS MOVIMENTOS MANDIBULARES EM CRIANÇAS* RANGE OF MOTION ANALISES IN CHILDREN

VERIFICAÇÃO DA AMPLITUDE DOS MOVIMENTOS MANDIBULARES EM CRIANÇAS* RANGE OF MOTION ANALISES IN CHILDREN 35 VERIFICAÇÃO DA AMPLITUDE DOS MOVIMENTOS MANDIBULARES EM CRIANÇAS* RANGE OF MOTION ANALISES IN CHILDREN Célia Miyuki Hamazaki 1 Raquel Kawaura 1 Esther Mandelbaum Gonçalves Bianchini 2 Vicente José Assencio-Ferreira

Leia mais

AVALIAÇÃO NA DISCIPLINA DE ARTE

AVALIAÇÃO NA DISCIPLINA DE ARTE AVALIAÇÃO NA DISCIPLINA DE ARTE Juliana Stedille 1 Richelly de Macedo Ramos 2 Edi Jussara Candido Lorensatti 3 Resumo Este artigo busca verificar quais os procedimentos adotados por professores da disciplina

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Anais. IV Seminário Internacional Sociedade Inclusiva

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Anais. IV Seminário Internacional Sociedade Inclusiva Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Anais IV Seminário Internacional Sociedade Inclusiva Propostas e ações inclusivas: impasses e avanços Belo Horizonte 17 a 20 de outubro de 2006 Sessões

Leia mais

UFSC CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA PROGRAMA DE ENSINO

UFSC CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA PROGRAMA DE ENSINO UFSC CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA PROGRAMA DE ENSINO DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA Nome da disciplina ODT 7121 - Cirurgia e traumatologia bucomaxilofacial I Departamento

Leia mais

Metodologias de Pesquisa Qualitativa

Metodologias de Pesquisa Qualitativa Metodologias de Pesquisa Qualitativa Pesquisa Qualitativa Subjetividade e interpretação do avaliador/pesquisador Entender um problema em profundidade. Não usa estatísticas e generalizações. Trabalha com

Leia mais

O USO DO COPO NA ALIMENTAÇÃO DE LACTENTES: EXISTE UM MODELO IDEAL?

O USO DO COPO NA ALIMENTAÇÃO DE LACTENTES: EXISTE UM MODELO IDEAL? 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 O USO DO COPO NA ALIMENTAÇÃO DE LACTENTES: EXISTE UM MODELO IDEAL? Priscila Amanda Ramos Galego 1 ; Cristiane Faccio Gomes 2 RESUMO: Este estudo teve como

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO APARELHO Componentes do aparelho extrabucal 3

APRESENTAÇÃO DO APARELHO Componentes do aparelho extrabucal 3 Série Aparelhos Ortodônticos EXTRABUCAL INTRODUÇÃO A ancoragem extrabucal ainda é um dos recursos mais utilizados e recomendados no tratamento da má oclusão de Classe II, primeira divisão, caracterizada

Leia mais

COLÉGIO MATER CONSOLATRIX PROJETO DE INTERVENÇÃO DE PSICOLOGIA

COLÉGIO MATER CONSOLATRIX PROJETO DE INTERVENÇÃO DE PSICOLOGIA INTRODUÇÃO Segundo Costa (2000), o Psicólogo Escolar vai trabalhar com os problemas apresentados pelos alunos dentro e fora da escola, interagindo com pais, professores, especialistas em educação e com

Leia mais

PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DAS GUIAS DE ENCAMINHAMENTO ODONTOLÓGICO PROGEO

PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DAS GUIAS DE ENCAMINHAMENTO ODONTOLÓGICO PROGEO PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DAS GUIAS DE ENCAMINHAMENTO ODONTOLÓGICO PROGEO 1 1. PROPÓSITO Efetuar controle da Guias de Encaminhamentos Odontológicos em conformidade com a Circular 006/2007 da DSM e DGPM-401

Leia mais

- ADITEME - Atendimento Especial de Pacientes com Disfunção da Articulação Temporomandibular. Conceitos Restauradores de Oclusão: - Relação Cêntrica;

- ADITEME - Atendimento Especial de Pacientes com Disfunção da Articulação Temporomandibular. Conceitos Restauradores de Oclusão: - Relação Cêntrica; Universidade Federal de Pelotas Faculdade de Odontologia Extensão Universitária - ADITEME - Atendimento Especial de Pacientes com Disfunção da Articulação Temporomandibular Conceitos Restauradores de Oclusão:

Leia mais

248 249 250 251 252 253 Anexo B Textos dos alunos sobre a relação mídia sociedade 254 255 A importância da mídia para sociedade Por Aline da Silva Santos Antigamente, não tinha muitos meios de comunicação.

Leia mais

Prevenção ao uso de drogas na escola: o que você pode fazer?

Prevenção ao uso de drogas na escola: o que você pode fazer? Prevenção ao uso de drogas na escola: o que você pode fazer? O educador pode contribuir para prevenir o abuso de drogas entre adolescentes de duas formas básicas: incentivando a reflexão e a adoção de

Leia mais

Aula 1 Uma visão geral das comorbidades e a necessidade da equipe multidisciplinar

Aula 1 Uma visão geral das comorbidades e a necessidade da equipe multidisciplinar Aula 1 Uma visão geral das comorbidades e a necessidade da equipe multidisciplinar Nesta aula, apresentaremos o panorama geral das comorbidades envolvidas na dependência química que serão estudadas ao

Leia mais

Prof Dr.Avelino Veit Mestre Ortodontia Doutor Implantodontia Fundador projetos socio-ambientais Natal Azul e Salve o Planeta Azul

Prof Dr.Avelino Veit Mestre Ortodontia Doutor Implantodontia Fundador projetos socio-ambientais Natal Azul e Salve o Planeta Azul Prof Dr.Avelino Veit Mestre Ortodontia Doutor Implantodontia Fundador projetos socio-ambientais Natal Azul e Salve o Planeta Azul Reabilitação oral e estética Amamos reconstruir sorrisos Protocolo Branemark

Leia mais

HÁBITOS EM ORTODONTIA UMA REVISÃO DA LITERATURA

HÁBITOS EM ORTODONTIA UMA REVISÃO DA LITERATURA 1 Faculdade de Pindamonhangaba Alinne Laura Vituriano HÁBITOS EM ORTODONTIA UMA REVISÃO DA LITERATURA Pindamonhangaba SP 2014 2 Alinne Laura Vituriano HÁBITOS EM ORTODONTIA UMA REVISÃO DA LITERATURA Monografia

Leia mais

AMAMENTAÇÃO, HÁBITOS ORAIS DELETÉRIOS E ALTERAÇÕES FONOAUDIOLÓGICAS: UM ESTUDO SOBRE SUAS RELAÇÕES

AMAMENTAÇÃO, HÁBITOS ORAIS DELETÉRIOS E ALTERAÇÕES FONOAUDIOLÓGICAS: UM ESTUDO SOBRE SUAS RELAÇÕES 26 a 29 de outubro de 2010 ISBN 978-85-61091-69-9 AMAMENTAÇÃO, HÁBITOS ORAIS DELETÉRIOS E ALTERAÇÕES FONOAUDIOLÓGICAS: UM ESTUDO SOBRE SUAS RELAÇÕES Francis Farias de Oliveira 1 ; Caroline Maressa Alves

Leia mais

O PAPEL DA ERGONOMIA NO DESIGN DE INTERIORES

O PAPEL DA ERGONOMIA NO DESIGN DE INTERIORES O PAPEL DA ERGONOMIA NO DESIGN DE INTERIORES Este artigo busca destacar a importância da aplicabilidade das técnicas ergonômicas no que se refere ao design de interiores. A ergonomia será apresentada como

Leia mais

PROTOCOLO DE DESCONTAMINAÇÃO ORAL

PROTOCOLO DE DESCONTAMINAÇÃO ORAL PROTOCOLO DE DESCONTAMINAÇÃO ORAL (PARA ADULTOS) Adaptado para utilização de escova dental + boneca de gaze Versão 1.6 Dr. Eduardo Esber Odontologista CROMG 16393 CNI 16495 "O que acontece na boca não

Leia mais

O Papel da Hipertrofia Adenotonsilar na Síndrome do Respirador Bucal

O Papel da Hipertrofia Adenotonsilar na Síndrome do Respirador Bucal O Papel da Hipertrofia Adenotonsilar na Síndrome do Respirador Bucal Mesa Redonda Moderador: Paulo L. Pontes Participantes: Ana Tereza Britto, Gabriela D. de Carvalho, Marcos Mocellin e Ricardo Godinho

Leia mais

Avaliação Fisioterapêutica do Ombro Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional-FMUSP

Avaliação Fisioterapêutica do Ombro Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional-FMUSP Avaliação Fisioterapêutica do Ombro Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional-FMUSP Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João 1. Anatomia Aplicada Articulação esternoclavicular: É uma

Leia mais

POST GRADO EN ORTODONCIA (Programa)

POST GRADO EN ORTODONCIA (Programa) POST GRADO EN ORTODONCIA (Programa) Coordinador del Curso: Prof. Dr. Gastão Moura Neto 1. Entidad: SPO (SOCIEDAD PAULISTA DE ORTODONCIA) / Unidade Botucatu debidamente autorizada por CFO-Consejo Federal

Leia mais

A INCLUSÃO ESCOLAR DO PORTADOR DE SINDROME DE DOWN

A INCLUSÃO ESCOLAR DO PORTADOR DE SINDROME DE DOWN 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 A INCLUSÃO ESCOLAR DO PORTADOR DE SINDROME DE DOWN Leonardo Triaca 1 ; Elizabeth Emma Soares de Nunez 2 ; Adriana Zilly 3 RESUMO: Com a política de inclusão

Leia mais

Série Aparelhos Ortodônticos: Barra Transpalatina

Série Aparelhos Ortodônticos: Barra Transpalatina Série Aparelhos Ortodônticos barra transpalatina INTRODUÇÃO A barra transpalatina (BTP) tem sido aplicada na mecânica ortodôntica de forma crescente e em muitas situações clínicas. Isto pela característica

Leia mais

O POSICIONAMENTO DA LÍNGUA NA MORDIDA ABERTA: Atuação ortodôntica e fonoaudiológica

O POSICIONAMENTO DA LÍNGUA NA MORDIDA ABERTA: Atuação ortodôntica e fonoaudiológica CEFAC Centro de Especialização em Fonoaudiologia clínica Motricidade Oral O POSICIONAMENTO DA LÍNGUA NA MORDIDA ABERTA: Atuação ortodôntica e fonoaudiológica Monografia de conclusão do curso de Especialização

Leia mais

Grade Palatina como Auxiliar no Fechamento da Mordida Aberta Anterior

Grade Palatina como Auxiliar no Fechamento da Mordida Aberta Anterior TRABALHO DE PESQUISA Grade Palatina como Auxiliar no Fechamento da Mordida Aberta Anterior Palatine Bar as an Auxiliary Measure to Close Anterior Open Bite Sérgio Rúbio Pinto Bastos* Bastos SRP. Grade

Leia mais

RELAÇÃO ENTRE ALEITAMENTO MATERNO, MODO RESPIRATÓRIO E POSTURA CORPORAL

RELAÇÃO ENTRE ALEITAMENTO MATERNO, MODO RESPIRATÓRIO E POSTURA CORPORAL ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 RELAÇÃO ENTRE ALEITAMENTO MATERNO, MODO RESPIRATÓRIO E POSTURA CORPORAL Patrícia Tiemi Kikuti Orita

Leia mais

MANUAL DA SECRETARIA

MANUAL DA SECRETARIA MANUAL DA SECRETARIA Conteúdo Tela de acesso... 2 Liberação de acesso ao sistema... 3 Funcionários... 3 Secretaria... 5 Tutores... 7 Autores... 8 Configuração dos cursos da Instituição de Ensino... 9 Novo

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA ODONTOLOGIA NO ALEITAMENTO MATERNO

A IMPORTÂNCIA DA ODONTOLOGIA NO ALEITAMENTO MATERNO A IMPORTÂNCIA DA ODONTOLOGIA NO ALEITAMENTO MATERNO FLÁVIA PEDREIRA CIRURGIÃ DENTISTA DO HOSPITAL E MATERNIDADE PÚBLICA DONA REGINA 20 DE FEVEREIRO DE 2014 Se pretendermos que as crianças tenham uma qualidade

Leia mais

Ortodontia A força dos dentes

Ortodontia A força dos dentes Ortodontia A força dos dentes O estudo da mecânica da boca é fundamental para a resolução de problemas que prejudicam o quotidiano dos pacientes. A solução encontrada apoia-se, muitas vezes, numa estrutura

Leia mais

MÁ-OCLUSÃO. Ortodontista: Qualquer desvio de posição do dente em relação ao normal

MÁ-OCLUSÃO. Ortodontista: Qualquer desvio de posição do dente em relação ao normal MÁ-OCLUSÃO Ortodontista: Qualquer desvio de posição do dente em relação ao normal Sanitarista: Inconveniente estético ou funcional de grande magnitude que possa interferir no relacionamento do indivíduo

Leia mais

D E S E N V O L V I M E N T O

D E S E N V O L V I M E N T O Marchesan I.Q. Atuação Fonoaudiológica nas Funções Orofaciais: Desenvolvimento, Avaliação e Tratamento. In: Andrade C.R.F. ; Marcondes E. Fonoaudiologia em Pediatria. São Paulo. Sarvier. 2003. p. 3-22

Leia mais

Dicas para o ensino e prática de atividades motoras e mecanismos de informações para pessoas com deficiência visual

Dicas para o ensino e prática de atividades motoras e mecanismos de informações para pessoas com deficiência visual Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Dicas para o ensino e prática de atividades motoras e mecanismos de informações para pessoas com deficiência

Leia mais

10+10 MINIGUIA... ATITUDES E PALAVRAS ASSERTIVAS. dar FEEDBACK, dizer NÃO, Veronica Z. Herrera Consultora Treinadora Coach Certificada.

10+10 MINIGUIA... ATITUDES E PALAVRAS ASSERTIVAS. dar FEEDBACK, dizer NÃO, Veronica Z. Herrera Consultora Treinadora Coach Certificada. 10+10 MINIGUIA... ATITUDES E PALAVRAS Para administrar CONFRONTAÇÃO; dar FEEDBACK, dizer NÃO, expressar DESACORDO ou SATISFAÇÃO Veronica Z. Herrera Consultora Treinadora Coach Certificada CONSTRUINDO MELHORES

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DAS AÇÕES DE SAÚDE BUCAL NA REDE DE SERVIÇOS DA SMSA DOCUMENTO AUXILIAR

DESENVOLVIMENTO DAS AÇÕES DE SAÚDE BUCAL NA REDE DE SERVIÇOS DA SMSA DOCUMENTO AUXILIAR PREFEITURA DE BELO HORIZONTE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE GERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA DESENVOLVIMENTO DAS AÇÕES DE SAÚDE BUCAL NA REDE DE SERVIÇOS DA SMSA DOCUMENTO AUXILIAR COORDENAÇÃO TÉCNICA DE SAÚDE BUCAL

Leia mais

BENNER WEB MÓDULO ATENDIMENTO

BENNER WEB MÓDULO ATENDIMENTO BENNER WEB MÓDULO ATENDIMENTO 1 Procedimento inicial para acessar o sistema na web No browser digitar: Para Homologação: http://treinamento.assiste.mpu.gov.br/homologacao Para Produção: http://assiste.mpu.gov.br/producao

Leia mais

TRATAMENTO ORTODÔNTICO DA MORDIDA ABERTA ANTERIOR EM PACIENTES ADULTOS

TRATAMENTO ORTODÔNTICO DA MORDIDA ABERTA ANTERIOR EM PACIENTES ADULTOS TRATAMENTO ORTODÔNTICO DA MORDIDA ABERTA ANTERIOR EM PACIENTES ADULTOS Jorge Ferreira Rodrigues 1 Marcella Maria Ribeiro do Amaral Andrade 2 Ernesto Dutra Rodrigues 3 Resumo O tratamento ortodôntico da

Leia mais

AVALIAÇÃO DO PROCESSO ENSINO E APRENDIZAGEM

AVALIAÇÃO DO PROCESSO ENSINO E APRENDIZAGEM AVALIAÇÃO DO PROCESSO ENSINO E APRENDIZAGEM Kelly Cristina Sabadin kellysabadin@hotmail.com RESUMO A avaliação da aprendizagem escolar se faz presente em todas as instituições de ensino. É o tema mais

Leia mais

Recomendada. A coleção apresenta eficiência e adequação. Ciências adequados a cada faixa etária, além de

Recomendada. A coleção apresenta eficiência e adequação. Ciências adequados a cada faixa etária, além de Recomendada Por quê? A coleção apresenta eficiência e adequação metodológica, com os principais temas relacionados a Ciências adequados a cada faixa etária, além de conceitos em geral corretos. Constitui

Leia mais

O que é coleta de dados?

O que é coleta de dados? O que é coleta de dados? Segundo Bandeira (2004) no projeto de pesquisa, o pesquisador deverá descrever detalhadamente o método que usará para coletar seus dados. Basicamente ele pode adotar como método

Leia mais

1.000 Receitas e Dicas Para Facilitar a Sua Vida

1.000 Receitas e Dicas Para Facilitar a Sua Vida 1.000 Receitas e Dicas Para Facilitar a Sua Vida O Que Determina o Sucesso de Uma Dieta? Você vê o bolo acima e pensa: Nunca poderei comer um doce se estiver de dieta. Esse é o principal fator que levam

Leia mais

Formação Profissional em Psicologia Social: Um estudo sobre os interesses dos estudantes pela área.

Formação Profissional em Psicologia Social: Um estudo sobre os interesses dos estudantes pela área. Formação Profissional em Psicologia Social: Um estudo sobre os interesses dos estudantes pela área. Autores: Ligia Claudia Gomes de Souza Universidade Salgado de Oliveira Faculdades Integradas Maria Thereza.

Leia mais

Prevenção do bullying. Quando o seu filho é a vítima, o agressor (bully) ou o espectador

Prevenção do bullying. Quando o seu filho é a vítima, o agressor (bully) ou o espectador Prevenção do bullying Quando o seu filho é a vítima, o agressor (bully) ou o espectador O que é bullying? Bullying não é um conflito nem uma briga. O bullying é o abuso físico, verbal ou emocional deliberado,

Leia mais