Abordagem ao Paciente Hematológico

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Abordagem ao Paciente Hematológico"

Transcrição

1 Universidade Federal Fluminense Abordagem ao Paciente Hematológico Gilberto P Cardoso

2 O objetivo de todo médico é prevenir doenças. Na impossibilidade, que possa reconhecer e intervir para evitar complicações.

3 Fazer diagnóstico de doença primariamente hematológica é raro, pois manifestações hematológicas são secundárias a várias doenças.

4 História A determinação da natureza da doença sempre será pela história clínica e exame físico, aliado aos exames laboratoriais para confirmar a hipótese diagnóstica.

5 História Drogas para tratamentos e auto-medicação são uma realidade na prática médica!

6 Aspirina, laxantes, tranquilizantes, suplemento alimentar ( bomba ), corticóides, ferro oral, vitaminas, abuso de álcool, drogas ilícitas e ervas medicinais em muitos casos não são considerados na história medicamentosa.

7 História Produtos Químicos Exposição ocupacional a agentes químicos, radiações ionizantes, solventes, etc.

8 História Vacinação Pode exacerbar púrpuras imunológicas. V.V.A. contra-indicado em imunodeprimidos

9 História Nutricional Alguns tipos de anemia podem ter correlação com a dieta ou hábitos alimentares bizarros. Ex: Vegetarianos, restrição calórica extrema, anorexia

10 Sintomas Gerais Performance Status (PS) A determinação do PS é útil para estabelecer o tempo de doença e a gravidade, além de ser parâmetro da resposta ao tratamento.

11 Perda de Peso Acompanha muitas doenças graves, incluindo as hematológicas primárias.

12 Febre Manifestação comum em linfomas e leucemias. São devidas a infecção secundária, mas também podem expressar atividade de doença.

13 Febre de Origem Obscura Neoplasias hematológicas são causas de FOO.

14 Febre Calafrios Sudorese Noturna

15 Fadiga, Mal Estar e Prostração Acompanham estados emocionais Anemia, perda de peso, febre,

16 Fraqueza e Déficit Motor Anemia e estados consumptivos. Pode ser localizada, quando houver acometimento do SNC leucemias, LNH e MM podem infiltrar. Plaquetopenia e discrasias favorecem sangramentos no SNC.

17 Sintomas Específicos SNC Olhos Ouvidos Oro e Nasofaringe Sistema Gastrointestinal Pele e fâneros Tórax e Coração Sistema Reprodutor e Genito-urinário Articulações e Ossos

18 SNC Cefaléia Parestesia Estado Confusional Perda da Consciência

19 Hematoma Epidural

20

21 Olhos Distúrbios visuais são comuns na anemia Cegueira Hemorragias Diplopia Alterações no movimentos oculares Icterícia

22 Ouvidos Vertigem, tinidos e zumbidos ocorrem na anemia, policitemia ou estados de hiperviscosidade.

23 Boca e Orofaringe Epistaxe Anosmia ou alucinações olfativas Gengivorragia, hipertrofia gengival Dor na língua, Macroglossia, língua lisa e vermelha Ulcerações e mucosite Xerostomia Disfagia Queilite angular

24

25

26

27

28 Tórax e Coração Dispneia e palpitação ICC descompensada Angina Pectoris Tosse Dor Torácica (esterno, herpes zoster, fraturas ) Sopro Sistólico

29

30

31

32

33 Sistema Gastrointestinal Disfagia Anorexia Plenitude pós-prandial, saciedade Dor abdominal Diarreia Constipação Melena, hematêmese Hepatoesplenomegalia Pica

34

35 Sistema Reprodutivo e Genito-urinário Impotência Disfunção vesical Priapismo Hematúria, mioglobinúria, hemoglobinúria, cistite hemorrágica Amenorréia Menorragia

36 Ossos e Articulações Hemartroses Dor óssea Edema articular Úlceras de perna Gota secundária

37

38

39

40 Hematoma e hemartrose

41 Pele Prurido Eritrodermia generalizada Lesões necróticas, infiltrativas LA, LÑH Palidez Cianose Icterícia Equimoses, petéquias

42

43

44

45

46

47

48 Fâneros Quiloníquia Queda de cabelo

49 História Familiar Casos de Anemia Hemolítica Origem étnica: anemia falciforme, talassemias, deficiência de G6PD Hemofilias, von Willebrand

50 História Sexual Detecção de comportamento de risco para HIV, HCV, HTLV

51 Exame Físico Algumas áreas são de interesse especial no exame do paciente hematológico: pele, olhos, orofarínge, baço e fígado, linfonodos e SNC.

52 ANEMIA NÃO É UMA DOENÇA, MAS SINTOMA DE DOENÇA. FREQUENTEMENTE É SINTOMA DE DOENÇA GRAVE OU SÉRIA.

53 Investigação das Anemias História e Exame físico completos Hemograma, contagem de plaquetas e reticulócitos, índices hematológicos e hematoscopia Ferro sérico, Capacidade de Combinação da Transferrina, Ferritina LDH, dosagem de ácido fólico e vitamina B12 Uréia, Creatinina, Eletroforese de proteínas, T3, T4, TSH Mielograma e Biópsia de Medula óssea

54 Aspirado de Medula Óssea

55 Eritropoiese normal

56 Medula Óssea Normal

57 Medula Óssea Leucemia Aguda

58 Medula Óssea Leucemia Aguda

59 CLASSIFICAÇÃO MORFOLÓGICA PELO VOLUME DAS HEMÁCIAS MICROCÍTICA VCM < 82 µ 3 NORMOCÍTICA VCM entre 82 e 92 µ 3 MACROCÍTICA VCM > 92µ 3

60 CLASSIFICAÇÃO MORFOLÓGICA PELA QUANTIDADE DE HEMOGLOBINA HIPOCRÔMICA HCM ESTÁ < 27µg NORMOCRÔMICA HCM entre 27 e 32µg HIPERCRÔMICA HCM > 32µg

61 Impacto Clínico das Anemias no idoso Aumento da Mortalidade Maior incidência e gravidade das doenças cardiovasculares Maior risco de quedas e fraturas Piora da função cognitiva Maior índice de complicações em pacientes hospitalizados Declínio de atividades físicas

62 A HEMATOSCOPIA É UM DADO INDISPENSÁVEL EM TODO HEMOGRAMA.

Hemoglobina. Uma mulher com Hb de 11,5 a vida toda pode ser considerada normal e não anêmica.

Hemoglobina. Uma mulher com Hb de 11,5 a vida toda pode ser considerada normal e não anêmica. 11 de Agosto de 2008. Professor Fernando Pretti. Anemia Abordagem Diagnóstica Definição É a redução, abaixo do normal, da concentração de hemoglobina circulante total. A anemia não é um diagnóstico de

Leia mais

APRESENTAÇÕES Comprimidos com 50 mg ou 100 mg de cilostazol. Embalagens contendo 15, 30 ou 60 comprimidos.

APRESENTAÇÕES Comprimidos com 50 mg ou 100 mg de cilostazol. Embalagens contendo 15, 30 ou 60 comprimidos. CEBRALAT cilostazol APRESENTAÇÕES Comprimidos com 50 mg ou 100 mg de cilostazol. Embalagens contendo 15, 30 ou 60 comprimidos. USO ORAL USO ADULTO COMPOSIÇÃO Cada comprimido contém 50 mg de cilostazol.

Leia mais

ANEMIAS UNESC ENFERMAGEM SAÚDE DO ADULTO PROFª: FLÁVIA NUNES FUNÇÃO SANGUÍNEA COMPOSIÇÃO SANGUÍNEA REVISÃO DA FISIOLOGIA HEMATOLÓGICA

ANEMIAS UNESC ENFERMAGEM SAÚDE DO ADULTO PROFª: FLÁVIA NUNES FUNÇÃO SANGUÍNEA COMPOSIÇÃO SANGUÍNEA REVISÃO DA FISIOLOGIA HEMATOLÓGICA UNESC ENFERMAGEM SAÚDE DO ADULTO PROFª: FLÁVIA NUNES REVISÃO DA FISIOLOGIA HEMATOLÓGICA ANEMIAS SISTEMA HEMATOLÓGICO MEDULA ÓSSEA SANGUE LINFONODOS Volume: 7 a 10 % do peso corporal (cerca de 5 litros)

Leia mais

FLANCOX. etodolaco USO ORAL USO ADULTO

FLANCOX. etodolaco USO ORAL USO ADULTO FLANCOX etodolaco APRESENTAÇÕES Comprimidos revestidos de 300 mg. Caixas com 14 e 30 comprimidos Comprimidos revestidos de 400 mg. Caixas com 6, 10, e 20 comprimidos USO ORAL USO ADULTO COMPOSIÇÃO Cada

Leia mais

PRM EM HEMATOLOGIA E HEMOTERAPIA PEDIÁTRICA

PRM EM HEMATOLOGIA E HEMOTERAPIA PEDIÁTRICA PROCESSO SELETIVO 02/2016 PARA INGRESSO NOS PROGRAMAS DE RESIDÊNCIA MÉDICA ANOS OPCIONAIS E ÁREAS DE ATUAÇÃO E CURSOS DE APERFEIÇOAMENTO NOS MOLDES FELLOW - INCA PRM EM HEMATOLOGIA E HEMOTERAPIA PEDIÁTRICA

Leia mais

Tema: Anemias na Infância

Tema: Anemias na Infância ANEMIAS NA INFÂNCIA Tema: Anemias na Infância Objetivos Conceituar e classificar as anemias da infância Correlacionar o aparecimento das sindromes anêmicas com as fases da infância e adolescência Identificar

Leia mais

Avaliação laboratorial do paciente com pancitopenia. Dr. Edgar Gil Rizzatti Fleury Medicina e Saúde

Avaliação laboratorial do paciente com pancitopenia. Dr. Edgar Gil Rizzatti Fleury Medicina e Saúde Avaliação laboratorial do paciente com pancitopenia Dr. Edgar Gil Rizzatti Fleury Medicina e Saúde Pancitopenia: definição Pancitopenia Anemia Leucopenia Plaquetopenia Pancitopenia: abordagem clínica Pancitopenia:

Leia mais

Protocolo Clínico de Regulação de Acesso para Tratamento de Alta Complexidade em Oncologia versão 2015

Protocolo Clínico de Regulação de Acesso para Tratamento de Alta Complexidade em Oncologia versão 2015 Protocolo Clínico de Regulação de Acesso para Tratamento de Alta Complexidade em Oncologia versão 2015 Elaboração: Dr Luis Fernando Pracchia Área Técnica da Saúde da Pessoa com Doenças Crônicas Não Transmissíveis

Leia mais

Raniê Ralph Semio 2. 4 de Outubro de 2007. Professor Fernando Pretti. Síndromes Anêmicas

Raniê Ralph Semio 2. 4 de Outubro de 2007. Professor Fernando Pretti. Síndromes Anêmicas 4 de Outubro de 2007. Professor Fernando Pretti. Síndromes Anêmicas Interrogatório: dados importantes no interrogatório do paciente anêmico. Raça Sexo Ocupação Doenças anteriores Idade Residência Alimentação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ALCIDES CARNEIRO DIA - 20/12/2009 CARGO: HEMATOLOGISTA C O N C U R S O P Ú B L I C O - H U A C / 2 0 0 9 Comissão de Processos

Leia mais

QUESTÕES DE HEMATOLOGIA E SUAS RESPOSTAS

QUESTÕES DE HEMATOLOGIA E SUAS RESPOSTAS QUESTÕES DE HEMATOLOGIA E SUAS RESPOSTAS O QUE É VERDADEIRO E O QUE É FALSO? Questões 1 Anemia na deficiência de ferro a) Está geralmente associada com elevação do VCM. b) O HCM geralmente está diminuído.

Leia mais

Hemoglobina / Glóbulos Vermelhos são as células responsáveis por carregar o oxigênio para todos os tecidos.

Hemoglobina / Glóbulos Vermelhos são as células responsáveis por carregar o oxigênio para todos os tecidos. Doenças Hematológicas Hematologia é o ramo da medicina que estuda o sangue, seus distúrbios e doenças, dentre elas anemias, linfomas e leucemias. Estuda os linfonodos (gânglios) e sistema linfático; a

Leia mais

MODELO DE BULA (CCDS 200746 versão 5)

MODELO DE BULA (CCDS 200746 versão 5) Registro de Medicamento Novo Bula RDC 47/09 1 MODELO DE BULA (CCDS 200746 versão 5) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO CAELYX cloridrato de doxorrubicina lipossomal peguilado APRESENTAÇÕES Suspensão injetável

Leia mais

PROVA PARA A RESIDÊNCIA MÉDICA EM CARDIOLOGIA, GASTROENTEROLOGIA E MEDICINA INTENSIVA CONCURSO DE SELEÇÃO 2013 PROVA DE CLÍNICA MÉDICA

PROVA PARA A RESIDÊNCIA MÉDICA EM CARDIOLOGIA, GASTROENTEROLOGIA E MEDICINA INTENSIVA CONCURSO DE SELEÇÃO 2013 PROVA DE CLÍNICA MÉDICA PROVA PARA A RESIDÊNCIA MÉDICA EM CARDIOLOGIA, GASTROENTEROLOGIA E MEDICINA INTENSIVA CONCURSO DE SELEÇÃO 2013 PROVA DE CLÍNICA MÉDICA Nome: Dia: 20 de dezembro de 2012. 01 - A conduta inicial em embolia

Leia mais

CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM CIRÚRGICA MÓDULO III Profª Mônica I. Wingert 301E COMPLICAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS

CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM CIRÚRGICA MÓDULO III Profª Mônica I. Wingert 301E COMPLICAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS Complicações Cirúrgicas CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM CIRÚRGICA MÓDULO III Profª Mônica I. Wingert 301E COMPLICAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS 1. Complicações Circulatórias Hemorragias: é a perda de sangue

Leia mais

Cymevene (ganciclovir sódico) Produtos Roche Químicos e Farmacêuticos S.A. Pó liofilizado 500 mg

Cymevene (ganciclovir sódico) Produtos Roche Químicos e Farmacêuticos S.A. Pó liofilizado 500 mg Cymevene (ganciclovir sódico) Produtos Roche Químicos e Farmacêuticos S.A. Pó liofilizado 500 mg Cymevene ganciclovir sódico Roche Antivirótico APRESENTAÇÃO Pó liofilizado estéril para infusão intravenosa

Leia mais

rivaroxabana REPRODUÇÃO REPRODUÇÃO DA BULA REPRODUÇÃO REPRODUÇÃO ESTE TEXTO É A REPRODUÇÃO REPRODUÇÃO REPRODUÇÃO REPRODUÇÃO REPRODUÇÃO REPRODUÇÃO

rivaroxabana REPRODUÇÃO REPRODUÇÃO DA BULA REPRODUÇÃO REPRODUÇÃO ESTE TEXTO É A REPRODUÇÃO REPRODUÇÃO REPRODUÇÃO REPRODUÇÃO REPRODUÇÃO REPRODUÇÃO rivaroxabana 1 ApresentAções Xarelto (rivaroxabana) é apresentado na forma de comprimidos revestidos em cartucho com blíster contendo 10 ou 30 comprimidos revestidos de 10 mg. UsO OrAl UsO ADUltO 2 COmpOsiçãO

Leia mais

Relaxante Muscular e Analgésico. APRESENTAÇÕES Comprimidos de 200 mg de clorzoxazona e 300 mg de paracetamol em embalagens com 12 comprimidos.

Relaxante Muscular e Analgésico. APRESENTAÇÕES Comprimidos de 200 mg de clorzoxazona e 300 mg de paracetamol em embalagens com 12 comprimidos. BULA DO PACIENTE IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Paralon Relaxante Muscular e Analgésico clorzoxazona 200 mg e paracetamol 300 mg Comprimidos APRESENTAÇÕES Comprimidos de 200 mg de clorzoxazona e 300 mg de

Leia mais

TREINAMENTO CLÍNICO EM MANEJO DA DENGUE 2016. Vigilância Epidemiológica Secretaria Municipal de Saúde Volta Redonda

TREINAMENTO CLÍNICO EM MANEJO DA DENGUE 2016. Vigilância Epidemiológica Secretaria Municipal de Saúde Volta Redonda TREINAMENTO CLÍNICO EM MANEJO DA DENGUE 2016 Vigilância Epidemiológica Secretaria Municipal de Saúde Volta Redonda DENGUE O Brasil têm registrado grandes epidemias de dengue nos últimos 10 anos com aumento

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS De acordo com o conceito de humanizar a assistência ao paciente, julgue os itens a seguir. 41 A heteronomia do paciente, o cuidado do ser humano doente e a promoção de saúde visando apenas à cura da doença

Leia mais

Semiologia Abordagem ao paciente Hematológico. Prof. Ivan da Costa Barros Monitor: Pedro Gemal. Universidade Federal Fluminense

Semiologia Abordagem ao paciente Hematológico. Prof. Ivan da Costa Barros Monitor: Pedro Gemal. Universidade Federal Fluminense Semiologia Abordagem ao paciente Hematológico Prof. Ivan da Costa Barros Monitor: Pedro Gemal Universidade Federal Fluminense Hemopatias Primárias Secundárias Distúrbios das séries homopoiégcas - Eritrocitária

Leia mais

MODELO DE BULA. GANVIRAX ganciclovir

MODELO DE BULA. GANVIRAX ganciclovir MODELO DE BULA GANVIRAX ganciclovir Forma farmacêutica, via de administração e apresentação comercial: Caixa contendo frasco plástico com 40 cápsulas de 250 mg. Via oral. USO ADULTO E PEDIÁTRICO. Composição:

Leia mais

Pesquisa Etiológica. Exame específico

Pesquisa Etiológica. Exame específico Influenza A (H1N1) O vírus A Influenza A(H1 N1) é uma doença respiratória e a transmissão ocorre de pessoa a pessoa, principalmente por meio de tosse, espirro ou de contato com secreções respiratórias

Leia mais

Projeto: Desenvolvimento de Casos Clínicos para Aplicação no Ensino de Biologia Celular e Molecular para Medicina

Projeto: Desenvolvimento de Casos Clínicos para Aplicação no Ensino de Biologia Celular e Molecular para Medicina Departamento de Biologia Celular e Molecular Projeto: Desenvolvimento de Casos Clínicos para Aplicação no Ensino de Biologia Celular e Molecular para Medicina Tema: Metabolismo do Ferro e Anemias Monitores:

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Programa Nacional de Controle da Dengue Febre Hemorrágica da Dengue e Apresentações Graves Definição e Rotina de Investigação Maio 2010 Dengue no Brasil

Leia mais

MEDICAMENTO SIMILAR EQUIVALENTE AO MEDICAMENTO DE REFERÊNCIA

MEDICAMENTO SIMILAR EQUIVALENTE AO MEDICAMENTO DE REFERÊNCIA PAMIGEN cloridrato de gencitabina MEDICAMENTO SIMILAR EQUIVALENTE AO MEDICAMENTO DE REFERÊNCIA APRESENTAÇÃO 200 mg - Embalagem com 1 frasco ampola 1 g - Embalagem com 1 frasco ampola FORMA FARMACÊUTICA

Leia mais

- Dermografismo (<30 minutos). [2] - Urticária aquagênica (<60 minutos). [3] - Urticária solar (<60 minutos). Maioria das urticarias.

- Dermografismo (<30 minutos). [2] - Urticária aquagênica (<60 minutos). [3] - Urticária solar (<60 minutos). Maioria das urticarias. GUIA PARA A HISTÓRIA DA URTICÁRIA 1. HISTÓRIA DE LESÕES a) Duração: urticária Menos de seis semanas: urticária aguda. Mais de 6 semanas: urticária crônica. b) Duração de pápulas: Menos de 24 horas: Urticária.

Leia mais

Questão 1. a) Cite as duas hipóteses diagnósticas mais prováveis para o caso. b) Descreva, em linhas gerais, a abordagem terapêutica mais adequada.

Questão 1. a) Cite as duas hipóteses diagnósticas mais prováveis para o caso. b) Descreva, em linhas gerais, a abordagem terapêutica mais adequada. Questão 1 Uma paciente de 35 anos é internada com história de cinco dias de cefaleia progressiva, febre e astenia. A avaliação laboratorial mostrou contagem plaquetária de 23.000/mm³, anemia com hemácias

Leia mais

O que é câncer? Grupo de doenças que têm em comum a proliferação descontrolada de células anormais e que pode ocorrer em qualquer local do organismo.

O que é câncer? Grupo de doenças que têm em comum a proliferação descontrolada de células anormais e que pode ocorrer em qualquer local do organismo. CÂNCER EM CRIANÇAS O que é câncer? Grupo de doenças que têm em comum a proliferação descontrolada de células anormais e que pode ocorrer em qualquer local do organismo. O câncer é comum em crianças? Nos

Leia mais

Governo do Estado de Pernambuco / Secretaria Estadual de Saúde / Fundação HEMOPE Processo Seletivo Simplificado 2006

Governo do Estado de Pernambuco / Secretaria Estadual de Saúde / Fundação HEMOPE Processo Seletivo Simplificado 2006 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS QUESTÃO 01 A respeito do diagnóstico do Mieloma Múltiplo, qual entre as alternativas não representa um critério de diagnóstico? A) Componente M na Urina. B) Cálcio sérico >12mg/dl.

Leia mais

CONCEITO: Principais tipos de anemia:

CONCEITO: Principais tipos de anemia: CONCEITO: Diminuição do número de HEMOGLOBINA contida nos glóbulos vermelhos como resultado da falta de um ou mais nutrientes essenciais à manutenção do organismo ou defeitos anatômicos das hemácias A

Leia mais

Esalerg gotas. Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A. solução oral 1,25 mg/ml

Esalerg gotas. Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A. solução oral 1,25 mg/ml Esalerg gotas Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A. solução oral 1,25 mg/ml BULA PARA PACIENTE Bula de acordo com a Resolução-RDC nº 47/2009 I- IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO ESALERG GOTAS (desloratadina)

Leia mais

Vesanoid (tretinoína) Produtos Roche Químicos e Farmacêuticos S.A. Cápsula 10 mg

Vesanoid (tretinoína) Produtos Roche Químicos e Farmacêuticos S.A. Cápsula 10 mg Vesanoid (tretinoína) Produtos Roche Químicos e Farmacêuticos S.A. Cápsula 10 mg Vesanoid tretinoína Roche Antineoplásico APRESENTAÇÃO Cápsulas de 10 mg em caixa com frasco contendo 100 cápsulas. VIA ORAL

Leia mais

Boehringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica Ltda. Comprimidos 40 mg e 80 mg

Boehringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica Ltda. Comprimidos 40 mg e 80 mg MICARDIS (telmisartana) Boehringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica Ltda. Comprimidos 40 mg e 80 mg Micardis telmisartana APRESENTAÇÕES Comprimidos de 40 mg e 80 mg: embalagens com 10 ou 30 comprimidos

Leia mais

PROTOCOLO MÉDICO. Assunto: Osteomielite. Especialidade: Infectologia. Autor: Cláudio de Cerqueira Cotrim Neto e Equipe GIPEA

PROTOCOLO MÉDICO. Assunto: Osteomielite. Especialidade: Infectologia. Autor: Cláudio de Cerqueira Cotrim Neto e Equipe GIPEA PROTOCOLO MÉDICO Assunto: Osteomielite Especialidade: Infectologia Autor: Cláudio de Cerqueira Cotrim Neto e Equipe GIPEA Data de Realização: 15/04/2009 Data de Revisão: Data da Última Atualização: 1.

Leia mais

ZOMETA ácido zoledrônico. APRESENTAÇÕES Zometa 4 mg/100 ml - embalagem contendo 1 frasco de 100 ml de solução para infusão pronta para uso.

ZOMETA ácido zoledrônico. APRESENTAÇÕES Zometa 4 mg/100 ml - embalagem contendo 1 frasco de 100 ml de solução para infusão pronta para uso. ZOMETA ácido zoledrônico APRESENTAÇÕES Zometa 4 mg/100 ml - embalagem contendo 1 frasco de 100 ml de solução para infusão pronta para uso. VIA INTRAVENOSA USO ADULTO COMPOSIÇÃO Cada frasco de Zometa 4

Leia mais

Leucemias e Linfomas LEUCEMIAS

Leucemias e Linfomas LEUCEMIAS 23 Leucemias e Linfomas LEUCEMIAS A leucemia representa um grupo de neoplasias malignas derivadas das células hematopoiéticas. Esta doença inicia sempre na medula-óssea, local onde as células sangüíneas

Leia mais

Anemia: Conteúdo. Definições

Anemia: Conteúdo. Definições Anemia Resumo de diretriz NHG M76 (março 2003) Van Wijk MAM, Mel M, Muller PA, Silverentand WGJ, Pijnenborg L, Kolnaar BGM traduzido do original em holandês por Luiz F.G. Comazzetto 2014 autorização para

Leia mais

ALOPURINOL LEGRAND PHARMA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA LTDA 300 MG COMPRIMIDOS

ALOPURINOL LEGRAND PHARMA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA LTDA 300 MG COMPRIMIDOS ALOPURINOL LEGRAND PHARMA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA LTDA 300 MG COMPRIMIDOS MODELO DE BULA alopurinol Medicamento genérico Lei n 9.787, de 1999. I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES:

Leia mais

4. COMO É FEITO O DIAGNÓSTICO MIELOIDE CRÔNICA (LMC)? E MONITORAMENTO DE LMC? É uma doença relativamente rara, que ocorre

4. COMO É FEITO O DIAGNÓSTICO MIELOIDE CRÔNICA (LMC)? E MONITORAMENTO DE LMC? É uma doença relativamente rara, que ocorre ÍNDICE 1. O que é Leucemia Mieloide Crônica (LMC)?... pág 4 2. Quais são os sinais e sintomas?... pág 4 3. Como a LMC evolui?... pág 5 4. Quais são os tratamentos disponíveis para a LMC?... pág 5 5. Como

Leia mais

Zyloric. alopurinol. Cada comprimido de Zyloric 100 mg contém: Alopurinol...100 mg. Cada comprimido de Zyloric 300 mg contém: Alopurinol...

Zyloric. alopurinol. Cada comprimido de Zyloric 100 mg contém: Alopurinol...100 mg. Cada comprimido de Zyloric 300 mg contém: Alopurinol... Zyloric alopurinol I ) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Zyloric - alopurinol APRESENTAÇÕES Comprimidos com 100 ou 300 mg de alopurinol Apresentados em caixas com 30 unidades. USO ORAL USO ADULTO E PEDIÁTRICO

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA O ACOLHIMENTO COM AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE RISCO

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA O ACOLHIMENTO COM AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE RISCO SOCIEDADE QUIXADAENSE DE PROTEÇÃO E ASSISTÊNCIA À MATERNIDADE E À INFÂNCIA HOSPITAL MATERNIDADE JESUS MARIA JOSÉ Av. Francisco Almeida Pinheiro 2268 Fone (0**88) 3412-0681 Caixa Postal 82 CEP 63.900-000

Leia mais

Leucemias. Claudia witzel

Leucemias. Claudia witzel Leucemias Claudia witzel Introduçao MEDULA ÓSSEA fabrica CÉLULAS (células mães imaturas). célula sanguínea pode tornar-se uma célula mielóide ou uma célula linfóide. que se desenvolvem em células sanguíneas

Leia mais

APRACUR. maleato de clofeniramina + ácido ascórbico + dipirona monoidratada

APRACUR. maleato de clofeniramina + ácido ascórbico + dipirona monoidratada APRACUR maleato de clofeniramina + ácido ascórbico + dipirona monoidratada Cosmed Indústria de Cosméticos e Medicamentos S.A. Comprimido Revestido 1mg + 50mg +100mg I - IDENTIFICAÇÃO DO : APRACUR maleato

Leia mais

alopurinol Sandoz do Brasil Ind. Farm. Ltda. comprimido 300 mg

alopurinol Sandoz do Brasil Ind. Farm. Ltda. comprimido 300 mg alopurinol Sandoz do Brasil Ind. Farm. Ltda. comprimido 300 mg I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO alopurinol Medicamento genérico, Lei nº 9.787 de 1999. APRESENTAÇÕES alopurinol comprimidos de 300 mg. Embalagem

Leia mais

Foliron. Marjan Indústria e Comércio Ltda. Comprimidos revestidos Ácido fólico (5,0 mg/comp) + bisglicinato quelato ferroso (150,00 mg/comp)

Foliron. Marjan Indústria e Comércio Ltda. Comprimidos revestidos Ácido fólico (5,0 mg/comp) + bisglicinato quelato ferroso (150,00 mg/comp) Foliron Marjan Indústria e Comércio Ltda. Comprimidos revestidos Ácido fólico (5,0 mg/comp) + bisglicinato quelato ferroso (150,00 mg/comp) Foliron Ácido fólico + bisglicinato quelato ferroso APRESENTAÇÃO

Leia mais

INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA (IRC) Os Rins e suas funções.

INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA (IRC) Os Rins e suas funções. INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA (IRC) Os Rins e suas funções. Possuímos dois rins que têm cor vermelho-escura, forma de grão de feijão e medem cerca de 12 cm em uma pessoa adulta.localizam-se na parte posterior

Leia mais

Púrpura Trombocitopênica Auto-imune

Púrpura Trombocitopênica Auto-imune Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Púrpura Trombocitopênica Auto-imune Rafael Machado Mantovani E-mail: rafaelmm@uai.com.br Introdução

Leia mais

Granulokine (filgrastim) Produtos Roche Químicos e Farmacêuticos S.A. Solução injetável 30 MU/ML e 60 MU/ML

Granulokine (filgrastim) Produtos Roche Químicos e Farmacêuticos S.A. Solução injetável 30 MU/ML e 60 MU/ML Granulokine (filgrastim) Produtos Roche Químicos e Farmacêuticos S.A. Solução injetável 30 MU/ML e 60 MU/ML Granulokine filgrastim (G-CSF) Roche Fator estimulador de colônias de granulócitos (glóbulos

Leia mais

FURP-CIMETIDINA. Fundação para o Remédio Popular FURP. Comprimido. 200 mg

FURP-CIMETIDINA. Fundação para o Remédio Popular FURP. Comprimido. 200 mg FURP-CIMETIDINA Fundação para o Remédio Popular FURP Comprimido 200 mg BULA PARA O PACIENTE FURP-CIMETIDINA 200 mg Comprimido cimetidina APRESENTAÇÃO Embalagem com 10 comprimidos de 200 mg. USO ORAL USO

Leia mais

mesilato de doxazosina Medley Indústria Farmacêutica Ltda. Comprimidos 2 mg

mesilato de doxazosina Medley Indústria Farmacêutica Ltda. Comprimidos 2 mg mesilato de doxazosina Medley Indústria Farmacêutica Ltda. Comprimidos 2 mg mesilato de doxazosina Medicamento Genérico, Lei nº 9.787, de 1999 APRESENTAÇÃO Comprimido de 2 mg: embalagem com 30 comprimidos.

Leia mais

INDICADORAS DE INFECÇÃO PELO HIV/AIDS DETECÇÃO TARDIA: A DOENÇA JÁ COMEÇOU

INDICADORAS DE INFECÇÃO PELO HIV/AIDS DETECÇÃO TARDIA: A DOENÇA JÁ COMEÇOU DOENÇAS INDICADORAS DE INFECÇÃO PELO HIV/AIDS DETECÇÃO TARDIA: A DOENÇA JÁ COMEÇOU Doenças indicativas de infecção Síndrome retroviral aguda Febre prolongada Diarréia crônica pelo HIV / AIDS Infecções

Leia mais

Amoxicilina. Aché Laboratórios Farmacêuticos Comprimidos 875 mg

Amoxicilina. Aché Laboratórios Farmacêuticos Comprimidos 875 mg Amoxicilina Aché Laboratórios Farmacêuticos Comprimidos 875 mg MODELO DE BULA PARA PACIENTE Bula de acordo com a Resolução-RDC nº 47/2009 I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO amoxicilina Medicamento Genérico

Leia mais

MOTRIN ibuprofeno. I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: Motrin Nome genérico: ibuprofeno

MOTRIN ibuprofeno. I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: Motrin Nome genérico: ibuprofeno MOTRIN ibuprofeno I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: Motrin Nome genérico: ibuprofeno APRESENTAÇÕES Motrin 600 mg em embalagens contendo 12 ou 30 comprimidos revestidos. VIA DE ADMINISTRAÇÃO:

Leia mais

PARATRAM cloridrato de tramadol + paracetamol

PARATRAM cloridrato de tramadol + paracetamol PARATRAM cloridrato de tramadol + paracetamol APRESENTAÇÕES Comprimidos Paratram 37,5 mg + 325mg. Embalagem com 10, 20 ou 30 comprimidos. USO ORAL. USO ADULTO. COMPOSIÇÃO Cada comprimido de PARATRAM contém

Leia mais

ALTERAÇÕES A INCLUIR NAS SECÇÕES RELEVANTES DO RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DOS MEDICAMENTOS QUE CONTENHAM NIMESULIDA (FORMULAÇÕES SISTÉMICAS)

ALTERAÇÕES A INCLUIR NAS SECÇÕES RELEVANTES DO RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DOS MEDICAMENTOS QUE CONTENHAM NIMESULIDA (FORMULAÇÕES SISTÉMICAS) ANEXO III 58 ALTERAÇÕES A INCLUIR NAS SECÇÕES RELEVANTES DO RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DOS MEDICAMENTOS QUE CONTENHAM NIMESULIDA (FORMULAÇÕES SISTÉMICAS) Adições aparecem em itálico e sublinhado; rasuras

Leia mais

ATRED pemetrexede dissódico MEDICAMENTO SIMILAR EQUIVALENTE AO MEDICAMENTO DE REFERÊNCIA

ATRED pemetrexede dissódico MEDICAMENTO SIMILAR EQUIVALENTE AO MEDICAMENTO DE REFERÊNCIA ATRED pemetrexede dissódico MEDICAMENTO SIMILAR EQUIVALENTE AO MEDICAMENTO DE REFERÊNCIA APRESENTAÇÕES Pó liofilizado para solução injetável contendo 100 mg de pemetrexede (base anidra) ou 500 mg de pemetrexede

Leia mais

caixas com 25 ampolas de 1 ml

caixas com 25 ampolas de 1 ml AROVIT Palmitato de retinol (gotas e ampolas) Acetato de retinol (drágeas) VITAMINA A IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO - AROVIT Nomes genéricos Palmitato de retinol (gotas e ampolas) Acetato de retinol (drágeas)

Leia mais

Nebido. Bayer S.A. Solução injetável 250 mg/ml de undecilato de testosterona

Nebido. Bayer S.A. Solução injetável 250 mg/ml de undecilato de testosterona Nebido Bayer S.A. Solução injetável 250 mg/ml de undecilato de testosterona 1 Nebido undecilato de testosterona APRESENTAÇÃO: Cartucho contendo 1 ampola de vidro com 4 ml de solução injetável estéril VIA

Leia mais

EXPECTAMIN. (maleato de dexclorfeniramina + sulfato de pseudoefedrina + guaifenesina) LEGRAND PHARMA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA LTDA.

EXPECTAMIN. (maleato de dexclorfeniramina + sulfato de pseudoefedrina + guaifenesina) LEGRAND PHARMA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA LTDA. EXPECTAMIN (maleato de dexclorfeniramina + sulfato de pseudoefedrina + guaifenesina) LEGRAND PHARMA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA LTDA Solução Oral 0,4 mg/ ml + 4 mg/ml + 20 mg/ml I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Leia mais

DOR PÉLVICA DISMENORRÉIA TPM. Profa. Dra. Maria Bethânia da Costa Chein Departamento de Medicina III

DOR PÉLVICA DISMENORRÉIA TPM. Profa. Dra. Maria Bethânia da Costa Chein Departamento de Medicina III DOR PÉLVICA DISMENORRÉIA TPM Profa. Dra. Maria Bethânia da Costa Chein Departamento de Medicina III Dor pélvica -Sem relação com fluxo menstrual Aguda d. inflamatória Crônica diagnóstico diferencial 2

Leia mais

ATRED. Libbs Farmacêutica Ltda. Pó liofilizado para solução injetável 100 mg e 500 mg

ATRED. Libbs Farmacêutica Ltda. Pó liofilizado para solução injetável 100 mg e 500 mg ATRED Libbs Farmacêutica Ltda. Pó liofilizado para solução injetável 100 mg e 500 mg ATRED pemetrexede dissódico APRESENTAÇÕES Pó liofilizado para solução injetável contendo 100 mg de pemetrexede (base

Leia mais

aciclovir Merck S/A Comprimidos 200 mg

aciclovir Merck S/A Comprimidos 200 mg aciclovir Merck S/A Comprimidos 200 mg aciclovir Medicamento genérico Lei nº 9.797, de 1999 200 mg APRESENTAÇÕES Aciclovir 200 mg é apresentado em embalagens com 25 comprimidos. USO ORAL USO ADULTO E USO

Leia mais

Leia com atenção todo este folheto antes de começar a utilizar este medicamento, pois contém informação importante para si.

Leia com atenção todo este folheto antes de começar a utilizar este medicamento, pois contém informação importante para si. Folheto informativo: Informação para o utilizador Neupogen 300 30 MU (0,3 mg/ml) Neupogen 480 48 MU (0,3 mg/ml) Solução injetável filgrastim Leia com atenção todo este folheto antes de começar a utilizar

Leia mais

Hematofer. (sulfato ferroso) Prati-Donaduzzi Comprimido revestido 40 mg. Hematofer_bula_profissional

Hematofer. (sulfato ferroso) Prati-Donaduzzi Comprimido revestido 40 mg. Hematofer_bula_profissional Hematofer (sulfato ferroso) Prati-Donaduzzi Comprimido revestido 40 mg Hematofer_bula_profissional INFORMAÇÕES TÉCNICAS AOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE Hematofer sulfato ferroso APRESENTAÇÕES Comprimido revestido

Leia mais

ZOMETA ácido zoledrônico

ZOMETA ácido zoledrônico ZOMETA ácido zoledrônico APRESENTAÇÕES ZOMETA 4 mg/ 5mL embalagem contendo 1 frasco-ampola de 5 ml de solução injetável concentrada para infusão. ZOMETA 4 mg/5ml + Solução Fisiológica - embalagem contendo

Leia mais

Dengue diagnóstico e manejo clínico. Lúcia Alves da Rocha

Dengue diagnóstico e manejo clínico. Lúcia Alves da Rocha Dengue diagnóstico e manejo clínico Lúcia Alves da Rocha Introdução Expansão em áreas tropicais e subtropicais Considera-se 2,5 a 3 milhões de pessoas vivem em área de risco (Eric Martínez,2005); Estima-se

Leia mais

INSUFICIÊNCIA RENAL. Profa. Dra.Monica Akemi Sato

INSUFICIÊNCIA RENAL. Profa. Dra.Monica Akemi Sato INSUFICIÊNCIA RENAL Profa. Dra.Monica Akemi Sato REVISÃO DE FISIOLOGIA RENAL FILTRAÇÃO GLOMERULAR TÚBULO PROXIMAL ALÇA DE HENLE CAPILAR GLOMERULAR ARTERÍOLA EFERENTE TUBULO PROXIMAL TUBULO DISTAL ESPAÇO

Leia mais

Hydrea. Cápsulas. 500mg

Hydrea. Cápsulas. 500mg Hydrea Cápsulas 500mg APRESENTAÇÃO HYDREA (hidroxiureia) é apresentado na forma farmacêutica de cápsulas de 500mg em frascos com 100 cápsulas. USO ORAL USO ADULTO COMPOSIÇÃO Cada cápsula de HYDREA contém

Leia mais

Rocephin 500 mg/2 ml pó e solvente para solução injetável Ceftriaxona (na forma de Ceftriaxona Sódica)

Rocephin 500 mg/2 ml pó e solvente para solução injetável Ceftriaxona (na forma de Ceftriaxona Sódica) Folheto informativo: Informação para o utilizador Rocephin 500 mg/2 ml pó e solvente para solução injetável Ceftriaxona (na forma de Ceftriaxona Sódica) Leia com atenção todo este folheto antes de começar

Leia mais

HEMORIO INSTITUTO ESTADUAL DE HEMATOLOGIA ARTHUR DE SIQUEIRA CAVALCANTI. Linfoma. Não-Hodgkin

HEMORIO INSTITUTO ESTADUAL DE HEMATOLOGIA ARTHUR DE SIQUEIRA CAVALCANTI. Linfoma. Não-Hodgkin HEMORIO INSTITUTO ESTADUAL DE HEMATOLOGIA ARTHUR DE SIQUEIRA CAVALCANTI MANUAL DO PACIENTE - LINFOMA NÃO-HODGKIN EDIÇÃO REVISADA 02/2004 Linfoma Não-Hodgkin Introdução Este manual tem como objetivo fornecer

Leia mais

Anemia Falciforme Atenção Especial. Revisado pelo Prof. Dr. Rodolfo Delfino Cançado

Anemia Falciforme Atenção Especial. Revisado pelo Prof. Dr. Rodolfo Delfino Cançado Anemia Falciforme Atenção Especial Revisado pelo Prof. Dr. Rodolfo Delfino Cançado Anemia Falciforme Anemia Falciforme é uma das enfermidades hereditárias mais comuns no Brasil e no mundo. Caracteriza-se

Leia mais

Ana-Flex. citrato de orfenadrina 35 mg + dipirona monoidratada 300mg + cafeína anidra 50mg. Comprimidos. Cristália Prod. Quím. Farm. Ltda.

Ana-Flex. citrato de orfenadrina 35 mg + dipirona monoidratada 300mg + cafeína anidra 50mg. Comprimidos. Cristália Prod. Quím. Farm. Ltda. Ana-Flex citrato de orfenadrina 35 mg + dipirona monoidratada 300mg + cafeína anidra 50mg Comprimidos Cristália Prod. Quím. Farm. Ltda. MODELO DE BULA PARA O PACIENTE IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Ana-Flex

Leia mais

DORES RECORRENTES MOMENTO II Abril 2010 DORES RECORRENTES - DENOMINADOR COMUM ETIOLOGIA: Maioria - dores primárias; Dicotomia: Orgânico x Emocional. Associação de vários tipos de dores; Presença de dores

Leia mais

LAHEBA. Introdução Linfomas Leucemias Caso clínico Conclusão 05/10/2011. Anselmo Boa Sorte

LAHEBA. Introdução Linfomas Leucemias Caso clínico Conclusão 05/10/2011. Anselmo Boa Sorte UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA LIGA ACADÊMICA DE HEMATOLOGIA DA BAHIA LAHEBA Anselmo Boa Sorte Introdução Linfomas Leucemias Caso clínico Conclusão 1 LINFOMAS E LEUCEMIAS Escalada do desenvolvimento celular

Leia mais

MEDICAMENTO SIMILAR EQUIVALENTE AO MEDICAMENTO DE REFERÊNCIA

MEDICAMENTO SIMILAR EQUIVALENTE AO MEDICAMENTO DE REFERÊNCIA Olmetec HCT olmesartana medoxomila/hidroclorotiazida I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: Olmetec HCT Nome genérico: olmesartana medoxomila/hidroclorotiazida APRESENTAÇÕES Olmetec HCT 20 mg/12,5

Leia mais

PEMEGLENN Glenmark Farmacêutica Ltda. Pó liófilo para solução injetável 100 mg e 500 mg

PEMEGLENN Glenmark Farmacêutica Ltda. Pó liófilo para solução injetável 100 mg e 500 mg PEMEGLENN Glenmark Farmacêutica Ltda. Pó liófilo para solução injetável 100 mg e 500 mg Pemeglenn_VP02 Página 1 PEMEGLENN pemetrexede dissódico LEIA ATENTAMENTE ESTA BULA ANTES DE INICIAR O TRATAMENTO

Leia mais

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Meduloblastoma

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Meduloblastoma Diretrizes Assistenciais Protocolo Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Meduloblastoma Versão eletrônica atualizada em Novembro 2008 Protocolo Conduta da Assistência Médico-Hospitalar Objetivos:

Leia mais

CONSULTA EM PNEUMOLOGIA CÓDIGO SIA/SUS: 03.01.01.007-2. Motivos para encaminhamento:

CONSULTA EM PNEUMOLOGIA CÓDIGO SIA/SUS: 03.01.01.007-2. Motivos para encaminhamento: CONSULTA EM PNEUMOLOGIA CÓDIGO SIA/SUS: 03.01.01.007-2 Motivos para encaminhamento: 1. Dor torácica 3. Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica 4. Nódulo pulmonar 5. Pneumonia Adquirida na Comunidade 6. Tosse

Leia mais

Dengue. Febre hemorrágica Febre não diferenciada Síndrome de febre da dengue (síndrome viral) da dengue (efusão de plasma)

Dengue. Febre hemorrágica Febre não diferenciada Síndrome de febre da dengue (síndrome viral) da dengue (efusão de plasma) Dengue Manifestações clínicas As infecções pelos vírus da dengue podem ser assintomáticas ou produzir febre não diferenciada, febre de dengue ou febre de dengue hemorrágica (figura 1). Figura 1- Manifestações

Leia mais

Valsartana LEGRAND PHARMA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA LTDA. Comprimido revestido. 40mg, 80mg, 160mg e 320mg

Valsartana LEGRAND PHARMA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA LTDA. Comprimido revestido. 40mg, 80mg, 160mg e 320mg Valsartana LEGRAND PHARMA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA LTDA Comprimido revestido 40mg, 80mg, 160mg e 320mg IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Valsartana medicamento genérico Lei n 9.787, de 1999 APRESENTAÇÕES Comprimidos

Leia mais

Malária e Plasmodium sp. Me. Carolina Miguel Fraga Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública - UFG

Malária e Plasmodium sp. Me. Carolina Miguel Fraga Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública - UFG Malária e Plasmodium sp Me. Carolina Miguel Fraga Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública - UFG Características Gerais Também conhecida por impaludismo, febre palustre, maleita, sezão; Doença infecciosa

Leia mais

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

INFORMAÇÕES AO PACIENTE FAULDVINCRI sulfato de vincristina MEDICAMENTO SIMILAR EQUIVALENTE AO MEDICAMENTO DE REFERÊNCIA APRESENTAÇÃO Solução injetável com 1 mg de sulfato de vincristina. Embalagem contendo 5 frascos-ampola com

Leia mais

bosentana Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999 APRESENTAÇÃO Comprimidos revestidos 125 mg: embalagem com 60 comprimidos revestidos.

bosentana Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999 APRESENTAÇÃO Comprimidos revestidos 125 mg: embalagem com 60 comprimidos revestidos. bosentana Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999 APRESENTAÇÃO Comprimidos revestidos 125 mg: embalagem com 60 comprimidos revestidos. USO ORAL. USO ADULTO E PEDIÁTRICO ACIMA DE 3 ANOS COMPOSIÇÃO bosentana

Leia mais

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Pulmão

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Pulmão Diretrizes Assistenciais Protocolo Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Pulmão Versão eletrônica atualizada em Julho - 2012 Protocolo Conduta da Assistência Médico-Hospitalar Objetivos: - manuseio

Leia mais

DOCELIBBS (docetaxel tri-hidratado)

DOCELIBBS (docetaxel tri-hidratado) DOCELIBBS (docetaxel tri-hidratado) Libbs Farmacêutica Ltda. Solução injetável Concentrado para infusão 20 mg/0,5 ml Concentrado para infusão 80 mg/2,0 ml DOCELIBBS docetaxel tri-hidratado Solução concentrada

Leia mais

Sedalex. Comprimido 35mg + 300mg + 50mg

Sedalex. Comprimido 35mg + 300mg + 50mg Sedalex Comprimido 35mg + 300mg + 50mg MODELO DE BULA COM INFORMAÇÕES AO PACIENTE Sedalex citrato de orfenadrina dipirona cafeína APRESENTAÇÕES Comprimido 35mg + 300mg + 50mg Embalagens contendo 30, 200

Leia mais

APRESENTAÇÕES : Comprimidos de liberação prolongada em embalagem com 30 ou 60 comprimidos, contendo 30 mg de gliclazida.

APRESENTAÇÕES : Comprimidos de liberação prolongada em embalagem com 30 ou 60 comprimidos, contendo 30 mg de gliclazida. IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO DIAMICRON MR gliclazida 30mg APRESENTAÇÕES : Comprimidos de liberação prolongada em embalagem com 30 ou 60 comprimidos, contendo 30 mg de gliclazida. USO ORAL USO ADULTO Composição:

Leia mais

O uso de etoposídeo deve ser feito com cautela em pacientes com história de varicela ou herpes zóster.

O uso de etoposídeo deve ser feito com cautela em pacientes com história de varicela ou herpes zóster. TEVAETOPO etoposídeo 20 mg/ml APRESENTAÇÕES Solução injetável. TEVAETOPO (etoposídeo) é apresentado em embalagem contendo 10 frascos-ampola com 5 ml de solução injetável 20 mg/ml (100 mg) USO INJETÁVEL

Leia mais

Nome comercial: Dorciflexin Nome genérico: dipirona monoidratada (DCB 09564) + citrato de orfenadrina (DCB 06630) + cafeína (DCB 01642)

Nome comercial: Dorciflexin Nome genérico: dipirona monoidratada (DCB 09564) + citrato de orfenadrina (DCB 06630) + cafeína (DCB 01642) DORCIFLEXIN dipirona monoidratada DCB: 09564 citrato de orfenadrina DCB: 06630 cafeína DCB: 01642 I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: Dorciflexin Nome genérico: dipirona monoidratada (DCB

Leia mais

Urgências Oncológicas Ana Paula Ornellas de S. Victorino

Urgências Oncológicas Ana Paula Ornellas de S. Victorino Urgências Oncológicas Ana Paula Ornellas de S. Victorino Coordenação de Pesquisa Clínica - INCA Serviço de Oncologia Clínica - HSE COI - Clínicas Oncológicas Integradas Definição de emergência oncológica

Leia mais

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar CP Operado

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar CP Operado Diretrizes Assistenciais Protocolo Conduta da Assistência Médico- Hospitalar CP Operado Versão eletrônica atualizada em Novembro 2008 Protocolo Conduta da Assistência Médico-Hospitalar Objetivos: - manuseio

Leia mais

Ponstan ácido mefenâmico

Ponstan ácido mefenâmico Ponstan ácido mefenâmico I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: Ponstan Nome genérico: ácido mefenâmico APRESENTAÇÕES: Ponstan 500 mg em embalagens contendo 24 comprimidos. USO ADULTO E PEDIÁTRICO

Leia mais

citrato de sildenafila

citrato de sildenafila citrato de sildenafila Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A. Comprimido revestido 50mg e 100mg citrato de sildenafila Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999 APRESENTAÇÕES citrato de sildenafila

Leia mais

Carduran XL mesilato de doxazosina. APRESENTAÇÕES: Carduran XL comprimidos de liberação controlada de 4 mg em embalagem 30 comprimidos.

Carduran XL mesilato de doxazosina. APRESENTAÇÕES: Carduran XL comprimidos de liberação controlada de 4 mg em embalagem 30 comprimidos. Carduran XL mesilato de doxazosina I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: Nome comercial: Carduran XL Nome genérico: mesilato de doxazosina APRESENTAÇÕES: Carduran XL comprimidos de liberação controlada de

Leia mais

Comprimidos Cada comprimido amarelo contém: 400 mg de paracetamol e 20 mg de fenilefrina base (adicionada na forma de cloridrato).

Comprimidos Cada comprimido amarelo contém: 400 mg de paracetamol e 20 mg de fenilefrina base (adicionada na forma de cloridrato). paracetamol - cloridrato de fenilefrina - maleato de carbinoxamina COMBATE OS SINTOMAS DA GRIPE Dores em Geral Febre Congestão Nasal Coriza APRESENTAÇÕES NALDECON NOITE é apresentado na forma farmacêutica

Leia mais

Evoposdo. Evolabis Produtos Farmacêuticos Ltda Solução Injetável 20 mg/ml

Evoposdo. Evolabis Produtos Farmacêuticos Ltda Solução Injetável 20 mg/ml Evoposdo Evolabis Produtos Farmacêuticos Ltda Solução Injetável 20 mg/ml EVOPOSDO etoposídeo I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO EVOPOSDO etoposídeo APRESENTAÇÕES EVOPOSDO solução injetável de 20 mg/ml em

Leia mais