COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO E INTEGRAÇÃO CAMPUS EMPRESA IF-SUDESTE DE MINAS GERAIS CAMPUS MURIAÉ

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO E INTEGRAÇÃO CAMPUS EMPRESA IF-SUDESTE DE MINAS GERAIS CAMPUS MURIAÉ"

Transcrição

1 Em Busca dos 3Rs (REDUZIR, REUTILIZAR E RECICLAR) 1. EQUIPE Coordenadora: Andrea Procópio Lourenço Técnica em Assuntos Educacionais Mariana Silva de Paiva Engenheira Agrônoma Professora Ana Tereza César Alunos Bolsistas: Bruno Henrique Peioto de Almeida Aluno do curso técnico em Eletromecânica Igor Manhanini Paschoal - Aluno do curso técnico em Eletromecânica João Paulo Vardiero da Silva - Aluno do curso técnico em Eletromecânica Leandro Gonçalves de Bem - Aluno do curso técnico em Eletromecânica Erick Vieira Ribeiro - Aluno do curso técnico em Eletromecânica Antônio Jorge de Carvalho Jr. - Aluno do curso técnico em Eletromecânica Alice Ribeiro Vardiero Aluna do Curso técnico Integrado em Agroecologia Thayrone N.Zanco de Freitas - Aluna do Curso técnico Integrado em Agroecologia 2. APRESENTAÇÃO O desafio de dar destino para o grande acúmulo de lio que é produzido hoje pela população é urgente e preocupante. Segundo ABREU (2002) o Brasil é um dos países com o lio mais rico do mundo, devido ao grande descarte de matéria orgânica, embalagens e materiais descartáveis. Além disso, o lio de cerca de 20% dos municípios brasileiros é descartado à céu aberto, os conhecidos liões, ou em cursos d'água, o que provoca a poluição ambiente do solo, água e ar, comprometendo a saúde pública. Tendo em mente esta preocupação, a conferência da ONU sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento que aconteceu em 1992, preconizou que devemos minimizar a produção do lio através dos 3 R: (REDUZIR, REUTILIZAR E RECICLAR). Passado tanto tempo em relação a esta conferência, constatamos que poucas são as cidades que tem uma Política Pública voltada para o cuidado com o lio e que, menos ainda, possuem um aterro Sanitário ou reaproveitam de alguma maneira o lio produzido.

2 Sabemos que todos os problemas que temos hoje em relação à clima e saúde são gerados pela produção demasiada e descuidada de lio, e principalmente por não dar um fim adequado a este. São necessários cuidados especiais com alguns lios que não podem ser descartados juntamente com o lio doméstico, como óleo usado, que não se mistura na água, portanto polui o ambiente; pilhas, baterias e lâmpadas fluorescentes, que carregam em sua composição grande quantidade de substâncias tóicas; pneumáticos, vidros e plásticos, que levam muitos anos para se degradarem e que são matérias-primas para outros produtos; os RSS (Resíduos de Serviço de Saúde) que necessitam de uma vala específica para serem descartados; entre outros. Enfim, da reciclagem e utilização do lio podem surgir várias oportunidades de rendimento sem que as pessoas envolvidas passem por condições sub-humanas e de risco para a saúde. 3. JUSTIFICATIVA Sabendo e entendendo a importância da coleta seletiva do lio e do reaproveitamento de materiais recicláveis, uma vez que a cidade de Muriaé ainda não possui um aterro sanitário, este trabalho contribuiria muito para a diminuição do lio que fica eposto nos liões prejudicando o ambiente. Nós, como uma Instituição de Ensino Federal, cientes da visibilidade e credibilidade que temos na região, sabemos do nosso papel e responsabilidade de conscientização junto à população em relação à destinação do lio produzido. Faríamos do nosso espaço, que é central e de fácil acesso dentro deste município, um ecoponto (posto de coleta de óleo de cozinha usado e pilhas e baterias) para, posteriormente, reutilizá-los ou encaminhá-los a empresas específicas de reciclagem. A cidade de Muriaé conta hoje com um projeto do DEMSUR de separação do lio em secos e molhados que, por enquanto, funciona somente em alguns bairros do município de acordo com mapa em aneo. As residências que participam dessa separação do lio são identificadas com um adesivo, assim o DEMSUR faz o recolhimento do lio seco selecionado duas vezes na semana. A cidade também conta com uma associação de catadores - a ASMAN - que além da coleta do material reciclável porta a porta, recebe materiais de empresas e residências e faz a triagem de cerca de 60 a 65 toneladas por mês do lio seco coletado pela DEMSUR. Posteriormente, este lio é vendido à empresas que compram diversos dos recicláveis. No entanto, é ainda preocupante a situação do destino do lio em Muriaé. Além da cidade não contar com um aterro sanitário, resíduos especiais como os Pneumáticos, Vidros e Resíduos de saúde, entre outros, não tem um aterro específico e são descartados juntamente com os resíduos comuns, gerando contaminação do solo e podendo trazer doenças para a população da cidade. Vale lembrar que o Município ainda recebe os resíduos de saúde das cidades vizinhas como Miradouro, Barão de Monte Alto, além dos municípios de Porciúncula e Varre Sai, que pertencem ao

3 estado do Rio de Janeiro. Importante também tentar sensibilizar os catadores da Associação para uma atenção aos EPI's (Equipamentos de Proteção Individual), uma vez que raramente as associações criadas possuem equipamentos e cuidados com as condições de higienização, como acontece na cidade de Muriaé. Visando conseguir atingir e sensibilizar o maior número de pessoas possível para a situação do cuidado com o lio em Muriaé é que procuramos a parceria com o DEMSUR e principalmente, conscientizar nossos alunos de forma definitiva, para que eles possam ampliar esse aprendizado para a comunidade. 5. OBJETIVOS 5.1-Geral Conscientizar e sensibilizar a comunidade do IF Sudeste MG Campus Muriaé e a população da cidade de Muriaé para a importância da coleta seletiva do lio e informá-las de como é cuidado o lio neste município, por meio da DEMSUR (Departamento Municipal de Saneamento Urbano) e da cooperativa de catadores de materiais reaproveitáveis. Implantar a coleta seletiva no IF Sudeste MG Campus Muriaé. Epandir a coleta seletiva nos demais bairros da cidade de Muriaé e torná-la eficaz e de maior amplitude nos bairros já eistentes, uma vez que teríamos mais pessoas envolvidas na causa. 5.2-Específico Divulgar a iniciativa da DEMSUR da separação entre materiais secos e molhados. Divulgar junto às escolas públicas e aos órgãos municipais e estaduais, em parceria com o DEMSUR, através de palestras educativas e instrutivas de como funciona a coleta seletiva na cidade. Fazer do IF Sudeste de MG Campus Muriaé, inicialmente, um ecoponto, onde receberíamos materiais reutilizáveis como o óleo de cozinha usado e pilhas e baterias. Com o óleo usado, produziríamos sabão artesanal para ser utilizado em nossas dependências, podendo também ser negociado e trazer rendimentos para a associação de pais e mestres. 6. METODOLOGIA Durante o mês de Outubro de 2010, prepararíamos nossas unidades com lieiras seletivas para o lio produzido dentro do nosso campus, além dos reservatórios para receber o óleo usado e as pilhas e baterias que

4 recolheremos no nosso Ecoponto. Também no mês de outubro, faríamos palestras e informações para conscientizar nossos alunos para o uso correto das lieiras e para o cuidado com o lio produzido. Em um segundo momento, durante os meses de outubro e novembro, nossos alunos fariam um levantamento da situação do cuidado com o lio no Município de Muriaé junto ao DEMSUR, fazendo visitas ao DEMSUR, Lião, Associação de Catadores e Galpão de armazenamento dos recicláveis e reutilizáveis da ASMAN. Neste levantamento seriam colhidos dados quantitativos para serem comparados posteriormente, com a conclusão do projeto. Posteriormente, nossos alunos bolsistas divulgariam o projeto da DEMSUR e do nosso Ecoponto, através da distribuição de panfletos e cartazes informativos nas escolas e condomínios dos bairros atingidos pela coleta da DEMSUR, de acordo com mapa aneo, no Bairro onde situa nossa Unidade Barra e bairros vizinhos (Barra, Centro, Dornelas.) Seriam formulados e aplicados questionários junto aos estabelecimentos citados e à comunidade para conhecer a realidade e as dificuldades. Os alunos seriam orientados para a produção do sabão artesanal, produzido a partir do óleo usado. 7. PÚBLICO-ALVO Sudeste de MG. Comunidade do Município de Muriaé com foco em alunos de escolas estaduais e nossos alunos do IF 8. RESULTADOS ESPERADOS Esperamos com esse projeto, com a vantagem de ser nosso primeiro ano de funcionamento, implantar essa filosofia nos nossos alunos e que com o dever de casa feito consigamos atingir também as pessoas das relações sociais deles. Que possamos nos tornar referência neste quesito, uma vez que somos uma instituição de educação, responsável também pela educação social de nossos alunos. Nosso principal objetivo é despertar a preocupação na comunidade de Muriaé para o cuidado que se tem dado ao lio neste município, e que eles consigam, estando sensibilizados, diminuir a produção do lio através dos 3 R (Reduzir, Reaproveitar e Reciclar). Atingindo este objetivo, teremos mais residências participando do projeto de separação do lio seco do molhado, possibilitando a diminuição na produção do lio. Nossa contribuição neste primeiro momento é pequena e está longe de resolver o problema da coleta de

5 lio no município. No entanto, se conseguirmos conscientizar a população e posteriormente, fazer com que a idéia da coleta seletiva vire uma política pública para a cidade de Muriaé, nossa contribuição será grandiosa. projeto do DEMSUR. Esperamos que com a divulgação e sensilização, consigamos agregar o máimo possível de residências ao Com a reutilização do óleo usado, esperamos conseguir implantar nos alunos a cultura de reutilização. 9. CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO Atividades Outubro Novembro Dezembro Janeiro Depois Produção do material de divulgação do nosso Ecoponto Preparação das lieiras e recipientes do Ecoponto para recebimentos dos lios nas nossas unidades e comunidade. Levantamento dos cuidados com o Lio na cidade de Muriaé. Formulação e Aplicação de questionários para a comunidade e estabelecimentos com o intuito de conhecer a realidade e as dificuldades dos vários segmentos (DEMSUR, ASMAN, População) Visitas ao DEMSUR, ASMAN, Lião e Galpão de armazenamento de reutilizáveis e recicláveis. Recolhimento do óleo usado e pilhas e baterias Divulgação nas escolas e comunidade sobre projeto do DEMSUR (Lio Seco e Molhado) e do Ecoponto Pesquisa sobre a efetividade do projeto Produção de sabão artesanal a partir do óleo recolhido. Relatório Final do Projeto 10. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: OLIVEIRA, Breno Machado Gomes de et al. Orientações básicas para operação de usina de triagem e compostagem de lio. Belo Horizonte: FEAM, ABREU, Maria de Fátima; PINHEIRO, Otilie Macedo; MOTTA, Mara Luísa Alvim. Coleta seletiva: um manual para cidades mineiras. [s.l]: Fórum Estadual Lio e Cidadania-MG, MAZZINI, Ana Luíza Dolabela de Amorim. Nosso lio de cada dia: desafios e oportunidades. Belo Horizonte: Ed. do autor, Muriaé, 19 de Outubro de 2010.

6 ASSINATURA DO COORDENADOR

O marco mundial da nova ordem ambiental é minimizar o lixo. Desde 1992, os 170 países presentes na conferência da ONU sobre Meio Ambiente e

O marco mundial da nova ordem ambiental é minimizar o lixo. Desde 1992, os 170 países presentes na conferência da ONU sobre Meio Ambiente e Parceria: O marco mundial da nova ordem ambiental é minimizar o lixo. Desde 1992, os 170 países presentes na conferência da ONU sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, a RIO/92, assinaram a Agenda 21, que

Leia mais

Mensagem do Ministério Público do Estado de Goiás

Mensagem do Ministério Público do Estado de Goiás PRATIQUE COLETA SELETIVA Mensagem do Ministério Público do Estado de Goiás O Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) tem a missão de defender a ordem jurídica, o regime democrático e os interesses

Leia mais

ANÁLISE DA COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS EM ARCOS- MG: POSTURA OPERACIONAL E PARTICIPAÇÃO DA POPULAÇÃO

ANÁLISE DA COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS EM ARCOS- MG: POSTURA OPERACIONAL E PARTICIPAÇÃO DA POPULAÇÃO ANÁLISE DA COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS EM ARCOS- MG: POSTURA OPERACIONAL E PARTICIPAÇÃO DA POPULAÇÃO Tatiane Castaño Valadares*, Fernando Vieira de Sousa FUNEDI/UEMG taticastanobiologia@gmail.com

Leia mais

Município de Capanema - PR

Município de Capanema - PR LEI Nº. 1.557, DE 20 DE MAIO DE 2015. Dispõe sobre a política municipal de resíduos sólidos do Município de Capanema e dá outras providências. A Câmara Municipal de Capanema, Estado do Paraná, aprovou

Leia mais

UNISAL ARTIGO PARA MOSTRA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL AMERICANA 2011

UNISAL ARTIGO PARA MOSTRA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL AMERICANA 2011 UNISAL ARTIGO PARA MOSTRA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL AMERICANA 2011 Autora: Profa. Dra. Melissa Furlan Cursos: Direito e Engenharia Ambiental Área de Pesquisa: Meio Ambiente Título do artigo: O destino

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL CONTINUADA (FIC)

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL CONTINUADA (FIC) PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL CONTINUADA (FIC) RECICLADOR Florestal 2014 Reitora da Universidade Federal de Viçosa Nilda de Fátima Ferreira Soares Pró-Reitor de Ensino Vicente de Paula

Leia mais

Secretaria Municipal de meio Ambiente

Secretaria Municipal de meio Ambiente PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL O presente Programa é um instrumento que visa à minimização de resíduos sólidos, tendo como escopo para tanto a educação ambiental voltada

Leia mais

SUSTENTABILIDADE: Melhor qualidade de vida na RMBH e COLAR METROPOLITANA de Belo Horizonte/MG.

SUSTENTABILIDADE: Melhor qualidade de vida na RMBH e COLAR METROPOLITANA de Belo Horizonte/MG. SUSTENTABILIDADE: Melhor qualidade de vida na RMBH e COLAR METROPOLITANA de Belo Horizonte/MG. Fevereiro 2013 Associação dos Catadores de Papel Papelão e Material Reaproveitável ASMARE INTRODUÇÃO SUSTENTABILIDADE:

Leia mais

O ENGAJAMENTO DA INDÚSTRIA DE TINTAS NA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

O ENGAJAMENTO DA INDÚSTRIA DE TINTAS NA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS O ENGAJAMENTO DA INDÚSTRIA DE TINTAS NA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Há muitos anos, a indústria de tintas, sob a liderança da ABRAFATI (Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas), pesquisa

Leia mais

RESÍDUO SÓLIDO: UM PROBLEMA SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICO.

RESÍDUO SÓLIDO: UM PROBLEMA SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICO. RESÍDUO SÓLIDO: UM PROBLEMA SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICO. POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS LEI Nº 12.305/2010 DECRETO Nº 7.404/2010 O QUE MUDA COM A LEI 12.305/2010? Lixões a céu aberto e aterros

Leia mais

POTENCIAL DA RECICLAGEM EM CUIABÁ E NO ESTADO DE MATO GROSSO

POTENCIAL DA RECICLAGEM EM CUIABÁ E NO ESTADO DE MATO GROSSO SEMINÁRIO PREPARATÓRIO À XII CONFERÊNCIA DAS CIDADES REGIÃO CENTRO-OESTE CUIABÁ, 02 DE SETEMBRO DE 2011 TEMA: POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS POTENCIAL DA RECICLAGEM EM CUIABÁ E NO ESTADO DE MATO

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE LIXO O CASO DE IJUÍ/RS 1

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE LIXO O CASO DE IJUÍ/RS 1 GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE LIXO O CASO DE IJUÍ/RS 1 Juliana Carla Persich 2, Sérgio Luís Allebrandt 3. 1 Estudo

Leia mais

Realizado de 25 a 31 de julho de 2010. Porto Alegre - RS, 2010. ISBN 978-85-99907-02-3

Realizado de 25 a 31 de julho de 2010. Porto Alegre - RS, 2010. ISBN 978-85-99907-02-3 DIMENSÕES DE SUSTENTABILIDADE NOS PROGRAMAS DE COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS. Márcio José Celeri Doutorando em Geografia da UNESP/Rio Claro marcioceleri@yahoo.com.br Ana Tereza Cáceres Cortez Docente

Leia mais

IV Seminário de Iniciação Científica

IV Seminário de Iniciação Científica LIXO MÍNIMO: EDUCANDO PARA SOCIEDADES SUSTENTÁVEIS Heliene Ferreira da Silveira Batista 1,3 Andréia Arruda de Oliveira Mosca 2,3 1 Bolsista PIVIC/UEG 2 Pesquisadora - Orientadora 3 Curso de Geografia,

Leia mais

FORMULÁRIO PARA CADASTRO DE PROJETO DE PESQUISA E EXTENSÃO

FORMULÁRIO PARA CADASTRO DE PROJETO DE PESQUISA E EXTENSÃO Protocolo 052/2010 FORMULÁRIO PARA CADASTRO DE PROJETO DE PESQUISA E ETENSÃO 1. Instruções 1 Deverão ser entregues 2 (duas) cópias impressas e 1 (uma) cópia via e-mail (na extensão.doc), encaminhados para

Leia mais

A RECICLAGEM EM NOSSO PLANETA, COMEÇA NA ESCOLA. 1

A RECICLAGEM EM NOSSO PLANETA, COMEÇA NA ESCOLA. 1 A RECICLAGEM EM NOSSO PLANETA, COMEÇA NA ESCOLA. 1 Marivana Da Silva Rigo 2, Liane Maria Fiorim Comerlato 3, Angela De Fátima Linck De Jesus 4. 1 Atividades desenvolvidas na Escola Municipal Fundamental

Leia mais

III-012 - ESTUDO PRELIMINAR SOBRE OS RESÍDUOS SÓLIDOS DOMICILIARES DA CIDADE DE ITAJUBÁ (MG): CARACTERIZAÇÃO FÍSICA NO PERÍODO DO INVERNO

III-012 - ESTUDO PRELIMINAR SOBRE OS RESÍDUOS SÓLIDOS DOMICILIARES DA CIDADE DE ITAJUBÁ (MG): CARACTERIZAÇÃO FÍSICA NO PERÍODO DO INVERNO III-012 - ESTUDO PRELIMINAR SOBRE OS RESÍDUOS SÓLIDOS DOMICILIARES DA CIDADE DE ITAJUBÁ (MG): CARACTERIZAÇÃO FÍSICA NO PERÍODO DO INVERNO Andriani Tavares Tenório e Silva (1) Engenheira Ambiental pela

Leia mais

Prática Pedagógica: Coleta de Lixo nas Escolas

Prática Pedagógica: Coleta de Lixo nas Escolas Prática Pedagógica: Coleta de Lixo nas Escolas Introdução O objetivo desse trabalho é ajudar as Escolas e demais instituições na implantação do programa da coleta seletiva do lixo e do lixo eletrônico.

Leia mais

1. Nome da Prática inovadora: Coleta Seletiva Uma Alternativa Para A Questão Socioambiental.

1. Nome da Prática inovadora: Coleta Seletiva Uma Alternativa Para A Questão Socioambiental. 1. Nome da Prática inovadora: Coleta Seletiva Uma Alternativa Para A Questão Socioambiental. 2. Caracterização da situação anterior: O município de Glória de Dourados possui 9.927 habitantes (IBGE-2011),

Leia mais

EDITAL N O 01/2012 1. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES. A proposta de Acordo Setorial a ser apresentada deverá obedecer aos seguintes.

EDITAL N O 01/2012 1. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES. A proposta de Acordo Setorial a ser apresentada deverá obedecer aos seguintes. CHAMAMENTO PARA A ELABORAÇÃO DE ACORDO SETORIAL PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE LOGÍSTICA REVERSA DE LÂMPADAS FLUORESCENTES, DE VAPOR DE SÓDIO E MERCÚRIO E DE LUZ MISTA. EDITAL N O 01/2012 O MINISTÉRIO

Leia mais

Análise da responsabilidade social na gestão de um projeto de extensão: estudo de caso em uma IES

Análise da responsabilidade social na gestão de um projeto de extensão: estudo de caso em uma IES Análise da responsabilidade social na gestão de um projeto de extensão: estudo de caso em uma IES Resumo Este trabalho busca avaliar as atividades do projeto de extensão: Rumo a Gestão Ambiental no Campus:

Leia mais

PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DE IJUÍ PROPOSTA PRELIMINAR - 2007

PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DE IJUÍ PROPOSTA PRELIMINAR - 2007 PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DE IJUÍ PROPOSTA PRELIMINAR - 2007 APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA A presente proposta articula um conjunto de sugestões, cenários e arranjos institucionais e sociais,

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO SANTO ANTÔNIO DAS MISSÕES - RS BRASIL PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANTÔNIO DAS MISSÕES Elaborado por: COMITE DE COORDENAÇÃO DO

Leia mais

MMA. D i r e t o r a d e A m b i e n t e U r b a n o S e c r e t a r i a d e Re c u r s o s H í d r i c o s e M e i o U r b a n o

MMA. D i r e t o r a d e A m b i e n t e U r b a n o S e c r e t a r i a d e Re c u r s o s H í d r i c o s e M e i o U r b a n o M INISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA Zilda Maria Fa ria Veloso D i r e t o r a d e A m b i e n t e U r b a n o S e c r e t a r i a d e Re c u r s o s H í d r i c o s e M e i o U r b a n o POLÍTICA NACIONAL

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS S PNRS RESÍDUOS SÓLIDOS RESÍDUOS SÓLIDOS: S UM PROBLEMA DE CARÁTER SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICO MODELO TECNOLÓGICO COM AÇÕES A PARA

Leia mais

CATEGORIA: Pôster Eixo Temático - Tecnologias DIAGNÓSTICO E MONITORAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO CAMPUS LUIZ DE QUEIROZ

CATEGORIA: Pôster Eixo Temático - Tecnologias DIAGNÓSTICO E MONITORAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO CAMPUS LUIZ DE QUEIROZ CATEGORIA: Pôster Eixo Temático - Tecnologias DIAGNÓSTICO E MONITORAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO CAMPUS LUIZ DE QUEIROZ Nathália Bernardes Ribeiro 1 Izabela da Silveira Cardoso 2 Guilherme Aleoni 3 Miguel

Leia mais

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS: JORNAL O ALTO URUGUAI FREDERICO WESTPHALEN RS

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS: JORNAL O ALTO URUGUAI FREDERICO WESTPHALEN RS Porto Alegre/RS 23 a 26/11/2015 PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS: JORNAL O ALTO URUGUAI FREDERICO WESTPHALEN RS Aline Ferrão Custódio Passini*, Elisandro Alexandre, Gustavo Ribeiro, Alcindo Neckel,

Leia mais

Como implantar e manter a coleta seletiva na sua escola. Coleta Seletiva

Como implantar e manter a coleta seletiva na sua escola. Coleta Seletiva Como implantar e manter a coleta seletiva na sua escola Coleta Seletiva Apresentaçao ~ Índice Esta cartilha foi elaborada pela Prefeitura de São Bernardo do Campo, em parceria com a SBC Valorização de

Leia mais

CONCURSO SOCIOAMBIENTAL FENABB 2011 RECURSOS SOLÍDOS AQUECEDOR SOLAR COM MATERIAIS RECICLAVEIS

CONCURSO SOCIOAMBIENTAL FENABB 2011 RECURSOS SOLÍDOS AQUECEDOR SOLAR COM MATERIAIS RECICLAVEIS CONCURSO SOCIOAMBIENTAL FENABB 2011 RECURSOS SOLÍDOS AQUECEDOR SOLAR COM MATERIAIS RECICLAVEIS Tapera-RS 2012 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1. NOME DA AABB: Programa AABB Comunidade Tapera 1.2. TÍTULO: Aquecedor

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTANHA ES SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE

PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTANHA ES SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE 0 PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTANHA ES SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE PRORAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PEA PLANO DE AÇÃO Montanha ES 2014 1 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 02 2. JUSTIFICATIVA... 03 3. OBJETIVO GERAL...

Leia mais

Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 17 a 20 de outubro, 2011 441 ARTIGOS COMPLETOS...442

Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 17 a 20 de outubro, 2011 441 ARTIGOS COMPLETOS...442 Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 17 a 20 de outubro, 2011 441 ARTIGOS COMPLETOS...442 Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 17 a 20 de outubro, 2011

Leia mais

Meio Ambiente discute soluções para lixo

Meio Ambiente discute soluções para lixo NIQUELÂNDIA Meio Ambiente discute soluções para lixo Euclides Oliveira A correta deposição do lixo produzido diariamente pelos moradores de Niquelândia, a operação adequada do aterro sanitário que dará

Leia mais

SABER E ATUAR PARA MELHORAR O MUNDO: ÉTICA, CIDADANIA E MEIO AMBIENTE. DE OLHO NO ÓLEO (Resíduos líquidos) Dulce Florinda de Souza Lins.

SABER E ATUAR PARA MELHORAR O MUNDO: ÉTICA, CIDADANIA E MEIO AMBIENTE. DE OLHO NO ÓLEO (Resíduos líquidos) Dulce Florinda de Souza Lins. SABER E ATUAR PARA MELHORAR O MUNDO: ÉTICA, CIDADANIA E MEIO AMBIENTE. DE OLHO NO ÓLEO (Resíduos líquidos) Dulce Florinda de Souza Lins. RIO VERDE GO 2010 Identificação: EMEF José do Prado Guimarães. Série:

Leia mais

Meio ambiente: a conscientização começa pela educação. Implementação. Coleta Seletiva Solidária

Meio ambiente: a conscientização começa pela educação. Implementação. Coleta Seletiva Solidária Meio ambiente: a conscientização começa pela educação Implementação da Coleta Seletiva Solidária A guardiã da natureza Judith Cortesão "... Quem conhece ama, quem ama protege. Uma das descobertas mais

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO DOMINGOS DO NORTE SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO DOMINGOS DO NORTE SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE Projeto Acondicionamento Correto de Resíduos Sólidos SUMARIO Introdução...04 Justificativa...05 Objetivos...06 Metodologia...07 Cronograma Físico...08 Parcerias...09 Anexos...10 I) IDENTIFICAÇÃO Secretaria

Leia mais

III-084 - PROPOSTA DE PLANO UNIFICADO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS PARA POSTOS REVENDEDORES DE COMBUSTÍVEIS DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

III-084 - PROPOSTA DE PLANO UNIFICADO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS PARA POSTOS REVENDEDORES DE COMBUSTÍVEIS DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO III-084 - PROPOSTA DE PLANO UNIFICADO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS PARA POSTOS REVENDEDORES DE COMBUSTÍVEIS DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Larisse Brunoro Grecco (1) Graduanda em Tecnologia em Saneamento

Leia mais

Eixo Temático ET-03-004 - Gestão de Resíduos Sólidos VANTAGENS DA LOGÍSTICA REVERSA NOS EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS

Eixo Temático ET-03-004 - Gestão de Resíduos Sólidos VANTAGENS DA LOGÍSTICA REVERSA NOS EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS 198 Eixo Temático ET-03-004 - Gestão de Resíduos Sólidos VANTAGENS DA LOGÍSTICA REVERSA NOS EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS Isailma da Silva Araújo; Luanna Nari Freitas de Lima; Juliana Ribeiro dos Reis; Robson

Leia mais

RECICLA MOGI. Ação local. Resultado global.

RECICLA MOGI. Ação local. Resultado global. RECICLA MOGI Ação local. Resultado global. Mogi das Cruzes Mogi das Cruzes produz mais de 350 toneladas de lixo por dia Mogi das Cruzes produz mais de 350 toneladas de lixo por dia e recicla cerca de 1%

Leia mais

Educação ambiental e participação comunitária. Modelo de projeto (estruturação)

Educação ambiental e participação comunitária. Modelo de projeto (estruturação) Educação ambiental e participação comunitária Modelo de projeto (estruturação) A problemática da coleta seletiva 3.2. Concepção geral do sistema projetado 3.3. Objetivos gerais 3.4. Objetivos específicos

Leia mais

Aliança Resíduo Zero Brasil

Aliança Resíduo Zero Brasil Aliança Resíduo Zero Brasil carta de adesão 1. Introdução A extensão dos problemas socioambientais, envolvendo o consumo e a geração de resíduos no Brasil, originam-se em grande parte nas questões econômicas,

Leia mais

Plano Nacional de Resíduos Sólidos Logística Reversa de Embalagens

Plano Nacional de Resíduos Sólidos Logística Reversa de Embalagens Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais Plano Nacional de Resíduos Sólidos Logística Reversa de Embalagens Bernardo Pires Coordenador de Sustentabilidade São Paulo - SP 10 de novembro de

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO (Módulo: Resíduos Sólidos) Rio Claro SP

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO (Módulo: Resíduos Sólidos) Rio Claro SP PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO (Módulo: Resíduos Sólidos) Rio Claro SP LEI Nº 11.445/2007 LEI Nº 12.305/2010 1. OBJETIVOS - Realizar diagnósticos; - Elaborar propostas de intervenções; - Definir

Leia mais

Projeto SeparAção INTRODUÇÃO OBJETIVO GERAL Objetivos específicos

Projeto SeparAção INTRODUÇÃO OBJETIVO GERAL Objetivos específicos Projeto SeparAção INTRODUÇÃO Há muito tempo o homem vem utilizando os recursos naturais que ele encontra em seu habitat e a cada ano que passa, novas formas de uso são descobertas. O maior problema dessa

Leia mais

Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE

Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE Preservação e Conservação A preservação é o esforço para proteger um ecossistema e evitar que ele seja modificado. Depende também da presença e ação do homem sobre

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL IMPLANTADO NO MUNICÍPIO DE GUIRICEMA - MG, COMO INSTRUMENTO DE GERENCIAMENTO PARTICIPATIVO DOS RESIDUOS SOLIDOS URBANOS

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL IMPLANTADO NO MUNICÍPIO DE GUIRICEMA - MG, COMO INSTRUMENTO DE GERENCIAMENTO PARTICIPATIVO DOS RESIDUOS SOLIDOS URBANOS PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL IMPLANTADO NO MUNICÍPIO DE GUIRICEMA - MG, COMO INSTRUMENTO DE GERENCIAMENTO PARTICIPATIVO DOS RESIDUOS SOLIDOS URBANOS Marcos Alves de Magalhães (1) (1) Engenheiro Agrônomo/UFV;

Leia mais

INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO

INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO Aula 8 b A Engenharia e o Meio Ambiente Parte II Edgar Aberto de Brito SEGUNDA PARTE Soluções para as novas diretrizes do tratamento de resíduos. Resíduos

Leia mais

Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos - Farroupilha -

Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos - Farroupilha - Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos - Farroupilha - 1ª Audiência Pública Convênio de cooperação técnica Prefeitura Municipal de Farroupilha/UCS Farroupilha, 14 de dezembro de 2013.

Leia mais

SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras. Eduarda Ramires Silveira. Evelyn Victória Cardoso Lopes. Mel Suzane Santos Marques. Voluntários

SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras. Eduarda Ramires Silveira. Evelyn Victória Cardoso Lopes. Mel Suzane Santos Marques. Voluntários SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras Eduarda Ramires Silveira Evelyn Victória Cardoso Lopes Mel Suzane Santos Marques Voluntários Joyce Thaís Mendes Alves Sílvia Rocha Pena Rodrigues Luíza Almeida Dias de Carvalho

Leia mais

Tecnologia em Cidades da América Latina. A Experiência do Município de São Paulo/SP - Brasil

Tecnologia em Cidades da América Latina. A Experiência do Município de São Paulo/SP - Brasil Tecnologia em Cidades da América Latina A Experiência do Município de São Paulo/SP - Brasil Silvano Silvério da Costa Presidente da AMLURB Autoridade Municipal de Limpeza Urbana de São Paulo São Paulo

Leia mais

Palavras-chave: lixo - sensibilização - reciclagem

Palavras-chave: lixo - sensibilização - reciclagem RECICLAGEM: UMA ALTERNATIVA DE SENSIBILIZAÇÃO PARA COM O LIXO PRODUZIDO NA COMUNIDADE SÃO MATEUS, CUIABÁ MT SANTOS, AGDA LEMES DOS UNIC GOMES, ANINÊS ASSUNÇÃO UNIC Devido à evolução e o desenvolvimento

Leia mais

V-006 - PROJETO PARA AMPLIAÇÃO DA COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE BELÉM EM PARCERIA COM A ASSOCIAÇÃO DOS CATADORES DO AURÁ

V-006 - PROJETO PARA AMPLIAÇÃO DA COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE BELÉM EM PARCERIA COM A ASSOCIAÇÃO DOS CATADORES DO AURÁ V-006 - PROJETO PARA AMPLIAÇÃO DA COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE BELÉM EM PARCERIA COM A ASSOCIAÇÃO DOS CATADORES DO AURÁ Janary Fonseca Pinheiro (1) Engenheiro Civil pela Universidade Federal do Pará

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA Política Nacional de Resíduos Sólidos Instituída pela Lei 12.305/2010 e regulamentada pelo Decreto 7.404/2010, após 21 anos de tramitação no Congresso nacional Tem interação

Leia mais

A COLETA SELETIVA REALIZADA PELA PREFEITURA ATRAVÉS DE PONTOS DE ENTREGA VOLUNTÁRIA EM TERESINA, PI.

A COLETA SELETIVA REALIZADA PELA PREFEITURA ATRAVÉS DE PONTOS DE ENTREGA VOLUNTÁRIA EM TERESINA, PI. Goiânia/GO 19 a 22/11/2012 A COLETA SELETIVA REALIZADA PELA PREFEITURA ATRAVÉS DE PONTOS DE ENTREGA VOLUNTÁRIA EM TERESINA, PI. Simone Panis Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí.

Leia mais

GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS. Teresina, 12 de junho de 2015

GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS. Teresina, 12 de junho de 2015 GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS Teresina, 12 de junho de 2015 GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS Bertrand Sampaio de Alencar Teresina, 12 de junho de 2015 ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO 1.Marco

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA Política Nacional de Resíduos Sólidos Instituída pela Lei 12.305/2010 e regulamentada pelo Decreto 7.404/2010, após 21 anos de tramitação no Congresso nacional Tem interação

Leia mais

TÍTULO: PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA FACULDADE ANHANGUERA DE ANÁPOLIS

TÍTULO: PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA FACULDADE ANHANGUERA DE ANÁPOLIS TÍTULO: PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA FACULDADE ANHANGUERA DE ANÁPOLIS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FARMÁCIA INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA DE ANÁPOLIS AUTOR(ES):

Leia mais

1) NOME DO PROJETO: Reciclando oportunidades - coleta seletiva como instrumento de sustentabilidade, trabalho e renda.

1) NOME DO PROJETO: Reciclando oportunidades - coleta seletiva como instrumento de sustentabilidade, trabalho e renda. 1) NOME DO PROJETO: Reciclando oportunidades - coleta seletiva como instrumento de sustentabilidade, trabalho e renda. 2) AUTORA DO PROJETO: Vanessa Maia de Amorim Evangelista Promotora de Justiça 1ª Promotoria

Leia mais

Relatório Fórum do Poder Público - Carta de Intenções

Relatório Fórum do Poder Público - Carta de Intenções Relatório Fórum do Poder Público - Carta de Intenções O presente documento contempla as conclusões dos diferentes grupos de trabalho que se reuniram nos Fóruns do Poder Público dos Estados de São Paulo,

Leia mais

Eixo Temático ET-03-016 - Gestão de Resíduos Sólidos

Eixo Temático ET-03-016 - Gestão de Resíduos Sólidos 147 Eixo Temático ET-03-016 - Gestão de Resíduos Sólidos VIABILIDADE DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA NO IFPB CAMPUS PRINCESA ISABEL: CARACTERIZAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS Queliane Alves da Silva 1 ; Ana Lígia

Leia mais

INVESTIGAÇÃO DA RELAÇÃO ENTRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL NA VISÃO DOS TRABALHADORES DO ATERRO SANITÁRIO DE AGUAZINHA

INVESTIGAÇÃO DA RELAÇÃO ENTRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL NA VISÃO DOS TRABALHADORES DO ATERRO SANITÁRIO DE AGUAZINHA INVESTIGAÇÃO DA RELAÇÃO ENTRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL NA VISÃO DOS TRABALHADORES DO ATERRO SANITÁRIO DE AGUAZINHA RODRIGUES, Ângela, Cristina, Lins; SILVA, Isabel, Gomes da; CUNHA,

Leia mais

Projeto Sabão Mirim. Categoria do projeto: II Projetos em implantação (projetos que estão em fase inicial)

Projeto Sabão Mirim. Categoria do projeto: II Projetos em implantação (projetos que estão em fase inicial) Projeto Sabão Mirim Mostra Local de: Londrina Categoria do projeto: II Projetos em implantação (projetos que estão em fase inicial) Nome da Instituição/Empresa: Guarda Mirim de Londrina Cidade: Londrina

Leia mais

AVALIAÇÃO DO PROCESSO PRODUTIVO DE UMA COOPERATIVA DE MATERIAIS RECICLÁVEIS NO DF ESTUDO DE CASO

AVALIAÇÃO DO PROCESSO PRODUTIVO DE UMA COOPERATIVA DE MATERIAIS RECICLÁVEIS NO DF ESTUDO DE CASO AVALIAÇÃO DO PROCESSO PRODUTIVO DE UMA COOPERATIVA DE MATERIAIS RECICLÁVEIS NO DF ESTUDO DE CASO Elza dos Anjos de Jesus 1 ; Lindalva Lopes de Oliveira 2 ; Jackeline do Socorro Benassuly Barbosa 3 ; Marcely

Leia mais

ICMS ECOLÓGICO: UM ESTÍMULO PARA A IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DE SANEAMENTO AMBIENTAL EM MINAS GERAIS

ICMS ECOLÓGICO: UM ESTÍMULO PARA A IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DE SANEAMENTO AMBIENTAL EM MINAS GERAIS Belo Horizonte/MG 24 a 27/11/2014 ICMS ECOLÓGICO: UM ESTÍMULO PARA A IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DE SANEAMENTO AMBIENTAL EM MINAS GERAIS Rafael Geraldo Àvila Freitas (*), Juliana Oliveira de Miranda Pacheco,

Leia mais

VI PRÊMIO SIPROCFC-MG DE EDUCAÇÃO NO TRÂNSITO

VI PRÊMIO SIPROCFC-MG DE EDUCAÇÃO NO TRÂNSITO 1 VI PRÊMIO SIPROCFC-MG DE EDUCAÇÃO NO TRÂNSITO 2 Semana Nacional do Trânsito CFC Martins 2014 3 MINUTA DE PROJETO EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO 1. IDENTIFICAÇÃO Semana Nacional do Trânsito CFC Martins 2014

Leia mais

EMEI EMEI. Estudo de Monitoramento da Economia Informal. Catadores de Belo Horizonte: Realidades e Recomendações. Características e Forças Motrizes

EMEI EMEI. Estudo de Monitoramento da Economia Informal. Catadores de Belo Horizonte: Realidades e Recomendações. Características e Forças Motrizes Catadores e catadoras trazem importantes contribuições ambientais e econômicas para seus municípios. O Estudo de Monitoramento da Economia Informal (EMEI) examinou as realidades enfrentadas por catadores

Leia mais

ESTRATÉGIAS E DESAFIOS PARA A IMPLANTAÇÃO DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

ESTRATÉGIAS E DESAFIOS PARA A IMPLANTAÇÃO DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS ESTRATÉGIAS E DESAFIOS PARA A IMPLANTAÇÃO DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Geraldo Antônio Reichert Coordenador da Câmara Temática de Resíduos Sólidos ABES Associação Brasileira de Engenharia Sanitária

Leia mais

PROGRAMA DE BOLSA ACADÊMICA DE EXTENSÃO PBAEX / EDIÇÃO 2016 CAMPUS AMAJARI ANEXO III

PROGRAMA DE BOLSA ACADÊMICA DE EXTENSÃO PBAEX / EDIÇÃO 2016 CAMPUS AMAJARI ANEXO III PROGRAMA DE BOLSA ACADÊMICA DE EXTENSÃO PBAEX / EDIÇÃO 2016 CAMPUS AMAJARI ANEXO III FORMULÁRIO DA VERSÃO ELETRÔNICA DO PROJETO / ATIVIDADE DE EXTENSÃO PBAEX 2016 01. Título do Projeto Implantação e desenvolvimento

Leia mais

NATAL SUSTENTÁVEL: UMA PROPOSTA PRÁTICA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL REALIZADA PELO PROEJA EDIFICAÇÕES.

NATAL SUSTENTÁVEL: UMA PROPOSTA PRÁTICA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL REALIZADA PELO PROEJA EDIFICAÇÕES. 1 NATAL SUSTENTÁVEL: UMA PROPOSTA PRÁTICA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL REALIZADA PELO PROEJA EDIFICAÇÕES. FREITAS, Samylla Tassia Ferreira de¹; SILVA, Thariny Alves²; SOUSA, Leticia Ferreira de³; OLIVEIRA, Sandra

Leia mais

Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos. - Instrumento da PNRS -

Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos. - Instrumento da PNRS - Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos - Instrumento da PNRS - VISÃO para os Planos : 1 - conjunto de ações voltadas para a busca de soluções 2 - considerar as dimensões política, econômica, ambiental,

Leia mais

APOIO AS CONDIÇÕES DE TRABALHO DE CATADORES/AS DE MATERIAIS RECICLÁVEIS: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA

APOIO AS CONDIÇÕES DE TRABALHO DE CATADORES/AS DE MATERIAIS RECICLÁVEIS: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA APOIO AS CONDIÇÕES DE TRABALHO DE CATADORES/AS DE MATERIAIS RECICLÁVEIS: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA Autora: Ana Paula S. dos Santos 1, co-autora: Mary Help Ibiapina Alves 2, co-autora: Karliane Sousa Coelho

Leia mais

Coleta seletiva de lixo e Reciclagem

Coleta seletiva de lixo e Reciclagem Etec. Prof. Mário Antônio Verza Coleta seletiva de lixo e Reciclagem Realização: CIPA Responsável CIPA: Micaiser Faria Silva (2015/2016) A reciclagem é o processo de reaproveitamento do lixo descartado,

Leia mais

Relatório da Oficina sobre o Planejamento das Ações do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos PMGIRS AMAI

Relatório da Oficina sobre o Planejamento das Ações do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos PMGIRS AMAI Relatório da Oficina sobre o Planejamento das Ações do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos PMGIRS AMAI ABELARDO LUZ - SC Agosto de 2014 1 SUMÁRIO 1. Identificação 3 2. Objetivo da Atividade

Leia mais

Projeto Reciclar - Implantação da Coleta Seletiva no Campus da UFV

Projeto Reciclar - Implantação da Coleta Seletiva no Campus da UFV Anais do 2º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária Belo Horizonte 12 a 15 de setembro de 2004 Projeto Reciclar - Implantação da Coleta Seletiva no Campus da UFV Área Temática de Meio Ambiente Resumo

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS LEI 12.305/2010

POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS LEI 12.305/2010 POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS LEI 12.305/2010 I RESUMO EXECUTIVO O que muda com a Lei 12.305/2010? Lixões a céu aberto e aterros controlados ficam proibidos. A Lei, determina que todas as administrações

Leia mais

Qualquer pessoa com mais de 30 anos lembra-se do

Qualquer pessoa com mais de 30 anos lembra-se do cultura do lixo A produção de lixo no mundo cresce assustadoramente. Uma das causas é a necessidade de manter a roda do consumo girando. Quanto mais as pessoas compram, mais a economia cresce e mais materiais

Leia mais

Proposta da ABIVIDRO para Logística Reversa de vidro março de 2013

Proposta da ABIVIDRO para Logística Reversa de vidro março de 2013 Proposta da ABIVIDRO para Logística Reversa de vidro março de 2013 Contexto e Desafios Criação da Política Nacional de Resíduos Sólidos Em ago.2010 o Presidente Lula sancionou a Lei 12.305 que estabelece

Leia mais

COOPERATIVA DE TRABALHO DE RECICLADORES DE ESTEIO-RS E SUA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS: UM ESTUDO DE CASO

COOPERATIVA DE TRABALHO DE RECICLADORES DE ESTEIO-RS E SUA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS: UM ESTUDO DE CASO COOPERATIVA DE TRABALHO DE RECICLADORES DE ESTEIO-RS E SUA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS: UM ESTUDO DE CASO Elizandra Machado Ogliari (*), Rafael Mozart da Silva * Universidade do Vale do Rio dos

Leia mais

LOGISTICA REVERSA INCLUSÃO SOCIAL REQUALIFICAR A CIDADE

LOGISTICA REVERSA INCLUSÃO SOCIAL REQUALIFICAR A CIDADE Prof. Carlos Alexandre Silva Graduado em Tecnologia da Gestão Ambiental Faculdade de Arquitetura e Engenharia CEUSNP - SP Pós Graduando em Arquitetura, Cidades e Sustentabilidade Faculdade de Arquitetura

Leia mais

Alternativa berço a berço

Alternativa berço a berço Alternativa berço a berço Nível de Ensino/Faixa Etária: Ensino Fundamental Final Áreas Conexas: Ciências, Língua Portuguesa Consultor: Robson Castro RESUMO Sobre o que trata a série? O documentário traz

Leia mais

RESUMO. Palavras chave: resíduos sólidos; composição gravimétrica; gestão; reintegração ambiental

RESUMO. Palavras chave: resíduos sólidos; composição gravimétrica; gestão; reintegração ambiental 1 AVALIAÇÃO DA COMPOSIÇÃO GRAVIMÉTRICA E POTENCIAL DE REINTEGRAÇÃO AMBIENTAL DOS RESÍDUOS SÓLIDOS GERADOS NA CIDADE DE VIÇOSA, MINAS GERAIS (*) Marcos Alves de Magalhães 1, Adriana Barbosa Sales de Magalhães

Leia mais

Programa de Coleta Seletiva da Prefeitura do Campus 15 Anos de Parcerias Sustentáveis

Programa de Coleta Seletiva da Prefeitura do Campus 15 Anos de Parcerias Sustentáveis Programa de Coleta Seletiva da Prefeitura do Campus 15 Anos de Parcerias Sustentáveis Minimização O manejo ambientalmente saudável do resíduo sólido urbano deve ir além do simples depósito ou aproveitamento

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE RESÍDUOS SÓLIDOS: UM PROBLEMA DE CARÁTER SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICO MODELO TECNOLÓGICO COM AÇÕES PARA A REDUÇÃO DA DISPOSIÇÃO FINAL DE RESÍDUOS Construção de Galpões de Triagem

Leia mais

Amanda Aroucha de Carvalho. Reduzindo o seu resíduo

Amanda Aroucha de Carvalho. Reduzindo o seu resíduo Amanda Aroucha de Carvalho Reduzindo o seu resíduo 1 Índice 1. Apresentação 2. Você sabe o que é Educação Ambiental? 3. Problemas Ambientais 4. Para onde vai o seu resíduo? 5. Soluções para diminuir a

Leia mais

Cooperativa de Ensino A Colmeia. Projeto Curricular de Escola

Cooperativa de Ensino A Colmeia. Projeto Curricular de Escola Cooperativa de Ensino A Colmeia Projeto Curricular de Escola TRIÉNIO 2010-2013 É preciso que toda a sociedade se consciencialize que ambiente é o conjunto de tudo o que envolve o Homem, incluindo o próprio

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTANHA ES SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE

PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTANHA ES SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE 0 PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTANHA ES SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE PROJETO PILOTO DE IMPLANTAÇÃO DE PONTOS DE ENTREGA VOLUNTÁRIA (PVE) NO MUNICÍPIO DE MONTANHA -ES Montanha ES Abril / 2014 1 SUMÁRIO 1.

Leia mais

Logística Reversa. Guia rápido

Logística Reversa. Guia rápido Logística Reversa Guia rápido 1 Apresentação Em 2010 foi sancionada pelo Governo Federal, a Política Nacional de Resíduos Sólidos, na qual, dentre outros temas, constam exigências às empresas quanto à

Leia mais

Senac. Reciclagem de Raios-x 072.859.529-07 041.458.909-22 069.829.709-14 003.763.080-60 052.690.109-84

Senac. Reciclagem de Raios-x 072.859.529-07 041.458.909-22 069.829.709-14 003.763.080-60 052.690.109-84 Senac Reciclagem de Raios-x 072.859.529-07 041.458.909-22 069.829.709-14 003.763.080-60 052.690.109-84 Joinville 2013 RESUMO As radiografias possuem elementos químicos altamente agressivos à saúde e ao

Leia mais

Palavras Chave: Cores, Coleta Seletiva, Lixeiras.

Palavras Chave: Cores, Coleta Seletiva, Lixeiras. ANÁLISE DOS CONHECIMENTOS PRÉVIOS DOS ALUNOS DO 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL ACERCA DAS CORES DA COLETA SELETIVA Maria Thamires Gomes de Melo¹ A diversidade problemas relacionados ao meio ambiente está

Leia mais

Projeto de Incentivo à Reciclagem

Projeto de Incentivo à Reciclagem Projeto de Incentivo à Reciclagem Boas Práticas em Meio Ambiente Apresentação: O objetivo do seguinte projeto tem a finalidade de auxiliar a implementação da Coleta Seletiva e posteriormente envio para

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE LEI Nº 12.305/2010 - DECRETO NO. 7.404/2010

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE LEI Nº 12.305/2010 - DECRETO NO. 7.404/2010 MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS LEI Nº 12.305/2010 - DECRETO NO. 7.404/2010 BASE LEGAL Lei nº 12.305/2010 - Decreto No. 7.404/2010 Lei nº 11.445/2007 - Política Federal

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO DESCARTE ADEQUADO DE PILHAS E BATERIAS

A IMPORTÂNCIA DO DESCARTE ADEQUADO DE PILHAS E BATERIAS Eixo Temático: Educação Ambiental, Educação culturas populares e Educação no campo. A IMPORTÂNCIA DO DESCARTE ADEQUADO DE PILHAS E BATERIAS Jaqueline Araújo de OLIVEIRA¹; Anne Mírian da Silva GOMES¹; Maria

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARANÁ PROGRAMA DE GESTÃO SOCIOAMBIENTAL. Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (Modelo Sugestivo)

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARANÁ PROGRAMA DE GESTÃO SOCIOAMBIENTAL. Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (Modelo Sugestivo) MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARANÁ PROGRAMA DE GESTÃO SOCIOAMBIENTAL Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (Modelo Sugestivo) Comarca de xxxxxxxxxxxxxxxx xxxxxxxxxxx / 2013 1. IDENTIFICAÇÃO DO

Leia mais

PLANO DE GERENCIAMENTO INTEGRADO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS PGIRS Diretrizes para Implementação

PLANO DE GERENCIAMENTO INTEGRADO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS PGIRS Diretrizes para Implementação AUDIÊNCIA PÚBLICA - PGIRS Engenheira Sanitarista Kátia Cristina de Souza Assessoria Técnica da Preifeitura de Cuiabá Cuiabá, 24 de Novembro de 2014 PLANO DE GERENCIAMENTO INTEGRADO DE RESÍDUOS SÓLIDOS

Leia mais

PROBLEMÁTICA DO LIXO NO ENTORNO DA ESCOLA ANDRÉ VIDAL DE NEGREIROS CUITÉ/PB

PROBLEMÁTICA DO LIXO NO ENTORNO DA ESCOLA ANDRÉ VIDAL DE NEGREIROS CUITÉ/PB PROBLEMÁTICA DO LIXO NO ENTORNO DA ESCOLA ANDRÉ VIDAL DE NEGREIROS CUITÉ/PB Melo, Kaline Fonseca; Freire, Aline Katiane da Silva; Santos, Igor Luiz Vieira de Lima. Universidade Federal de Campina Grande

Leia mais

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para Política Nacional de Resíduos Sólidos Agora é lei Novos desafios para poder público, empresas, catadores e população Marco histórico da gestão ambiental no Brasil, a lei que estabelece a Política Nacional

Leia mais

LOGÍSTICA REVERSA A INICIATIVA DO SETOR DE HIGIENE PESSOAL, PERFUMARIA E COSMÉTICOS

LOGÍSTICA REVERSA A INICIATIVA DO SETOR DE HIGIENE PESSOAL, PERFUMARIA E COSMÉTICOS LOGÍSTICA REVERSA A INICIATIVA DO SETOR DE HIGIENE PESSOAL, PERFUMARIA E COSMÉTICOS POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Lei 12.305/10 Decreto 7.404/10 POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Uma Mudança

Leia mais

A Política Nacional de Resíduos Sólidos: a responsabilidade das empresas e a inclusão social

A Política Nacional de Resíduos Sólidos: a responsabilidade das empresas e a inclusão social A Política Nacional de Resíduos Sólidos: a responsabilidade das empresas e a inclusão social Elisabeth Grimberg Elisabet Grimberg é Mestre em sociologia, Coordenadora da Área de Ambiente Urbano do Instituto

Leia mais

Missão. Quem somos: Promover o conceito de Gerenciamento Integrado do Resíduo Sólido Municipal; Promover a reciclagem pós-consumo;

Missão. Quem somos: Promover o conceito de Gerenciamento Integrado do Resíduo Sólido Municipal; Promover a reciclagem pós-consumo; Quem somos: Associação sem fins lucrativos, fundado em 1992, o CEMPRE se dedica à promoção da reciclagem dentro do conceito de gerenciamento integrado do lixo. Missão Promover o conceito de Gerenciamento

Leia mais

CONSCIENTIZAÇÃO DO USO E DESCARTE DAS PILHAS E BATERIAS

CONSCIENTIZAÇÃO DO USO E DESCARTE DAS PILHAS E BATERIAS CONSCIENTIZAÇÃO DO USO E DESCARTE DAS PILHAS E BATERIAS 1 João Lopes da Silva Neto; 2 Juciery Samara Campos Oliveira; 3 Thayana Santiago Mendes; 4 Geovana do Socorro Vasconcelos Martins 1 (AUTOR) Discente

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Recicle Art

Mostra de Projetos 2011. Recicle Art Mostra de Projetos 2011 Recicle Art Mostra Local de: Ivaiporã. Categoria do projeto: Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: Sesi Apucarana. Cidade: Apucarana. Contato:

Leia mais