Estratégias a utilizar

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estratégias a utilizar"

Transcrição

1 Introdução Ao olharmos à nossa volta e ao estarmos atentos à informação que nos chega diariamente através dos vários órgãos de comunicação social, chegamos à triste conclusão que a vida no planeta Terra está em perigo. Esta situação é consequência clara das nossas actividades, com as quais temos provocado a escassez dos recursos naturais, poluindo o ar que necessitamos para respirar, a água que precisamos para beber e o solo que suporta a vida, sem esquecer a desflorestação, a desertificação e a degradação e destruição dos habitats que também temos provocado. Assim, temos de admitir que durante muitos anos não fomos conscientes (ou não quisemos ser ) do impacto das nossas atitudes agressivas sobre a Natureza. Mas não podemos continuar de olhos fechados e fingir que o problema não existe. Temos de mudar de atitude para que as intervenções humanas tenham em conta o equilíbrio dos ecossistemas e a fragilidade da vida. Por outro lado, é fundamental assegurar todas as componentes de bem-estar humano, como a segurança, as condições materiais básicas, a saúde, as boas relações sociais e a liberdade de escolha e decisão, mas sem nunca quebrar a relação sustentável com o ambiente, que se impõe. Só através desta relação sustentável entre as comunidades humanas e a Natureza é possível o bem-estar de toda a humanidade sem que seja penhorada a possibilidade de satisfação das necessidades das gerações futuras. O mal está feito e agora temos duas opções: continuar de olhos fechados a participar na destruição da vida no nosso planeta ou participar activamente na resolução dos problemas existentes. Como cidadãos, somos parte do problema e temos o dever de ser parte da solução. Através de uma participação activa e responsável no nosso meio, na escola, em casa e na nossa comunidade, podemos ajudar a resolver os problemas ambientais locais e regionais e, com eles, os problemas globais do nosso Planeta. Para que uma relação sustentável com a 1

2 Natureza seja uma realidade, é fundamental sermos conscientes e preocupados com o ambiente e com os seus problemas e também termos conhecimentos, competências e motivações para trabalhar, tanto a nível individual como colectivo, na resolução das dificuldades actuais e impedir as futuras. Dotar os nossos educandos desses conhecimentos, competências e motivações é uma missão imperiosa da qual não nos podemos demarcar enquanto escola. Através do ECOatitude pretende-se que os educandos se tornem cidadãos conscientes, responsáveis, preocupados e, acima de tudo, activos, começando na escola a adquirir hábitos ecológicos que depois trespassem para o ambiente familiar e social. Pretende-se, assim, promover um desenvolvimento sustentável, através do qual é garantido o bem-estar das gerações actuais, sem contudo comprometer a satisfação das necessidades básicas das gerações futuras. Objectivos Constituem-se assim como objectivos fundamentais do ECOatitude: desenvolver competências que levem o educando a uma convivência harmoniosa com o ambiente em que vive; redefinir valores que conduzam o educando ao respeito às demais espécies que habitam o nosso planeta; auxiliar o educando a desenvolver o senso crítico em relação à ocupação ambiental, ao desperdício e à destruição dos recursos naturais; integrar a escola ao mundo, em tempo real, como espaço social ideal ao desenvolvimento do educando como cidadão; consciencializar o educando e, por extensão, a família e a comunidade de que a reciclagem é um processo vital, portanto, necessário, à preservação do planeta; desenvolver no aluno e, por extensão, na família e na comunidade, posturas sociais construtivas que colaborem com a construção de um mundo mais saudável - 3 R: Reduzir, Reutilizar, Reciclar) 2

3 Estratégias a utilizar Para cada ciclo do Ensino Básico são propostas estratégias concretas que se focam na regra dos 3 R s Reduzir, Reutilizar e Reciclar. Para cada um dos R s foi criado um slogan apelativo: Querida, reduzi o lixo! para Reduzir, Lixo não! Matériaprima! para Reutilizar e Do meu lixo cuido eu! - para Reciclar. Estas estratégias concretas serão desenvolvidas da seguinte forma: Na Educação Pré-Escolar, através de actividades que articulam as diferentes áreas de conteúdo; no 1.º ciclo, nas aulas de Formação Cívica e de Estudo do Meio; nas aulas de Ciências da Natureza (2.º ciclo) e Ciências Naturais (3.º ciclo), de uma forma mais teórica, e nas aulas de Formação Cívica, de uma forma prática, complementadas com estratégias gerais implementadas na comunidade escolar; no secundário, nas aulas de biologia e geologia. Comunidade Escolar Um projecto de Educação Ambiental não teria qualquer cabimento se não fossem criadas no espaço escolar todas as condições necessárias para a aquisição de hábitos ecológicos. Assim, a existência de um ecoponto no recinto escolar e recipientes para separação de lixo devidamente identificados em cada divisão da escola é fundamental. A participação e exemplo de toda a comunidade escolar, professores e funcionários é, sem dúvida alguma, indispensável uma vez que somos animais imitadores por natureza. Desta forma, a implementação de hábitos de separação de lixo não só nas salas de aula mas também na cantina, secretaria, sala dos professores, pavilhão, corredores e espaços abertos, por parte do pessoal docente e discente, é exigível e imperioso. O sucesso do ECOatitude depende essencialmente do empenho de toda a comunidade escolar. Tudo o resto vem por acréscimo. Conteúdos Lixo não! Matéria-prima! - Reutilizar 3

4 Pré- Escolar 3 Anos Lixo não, matéria-prima - Reutilizar Área de Conteúdo: Formação Pessoal e Social; Conhecimento do Mundo - Descobrir diferentes potencialidades para os objectos reutilizáveis; - Valorizar a reutilização, contribuindo para um menor impacto ambiental; - Promover a importância da mudança de hábitos e atitudes para a melhoria do ambiente. 4 Anos Área de Conteúdo: Formação Pessoal e Social; Conhecimento do Mundo - Promover o diálogo sobre a preservação do meio ambiente; - Compreender a importância da separação do lixo; - Desenvolver o espírito crítico e interventivo. 5 Anos Área de Conteúdo: Formação Pessoal e Social; Conhecimento do Mundo Competências a desenvolver - Compreender as consequências da poluição, através da observação do meio ambiente - Desenvolver a capacidade de intervenção. -Descobrir diferentes soluções para diminuir o lixo que produzimos 4

5 1.º Ciclo 1.º Ano Carga horária: 5 tempos lectivos - Promover o diálogo e a reflexão sobre questões relacionadas com o meio ambiente; - Inferir as necessidades de preservação do património natural; - Proporcionar mudanças de atitude; - Incentivar actividades de criação; - Desenvolver a capacidade de intervenção. 2.º Ano Lixo não, matéria-prima - Reutilizar Educação Ambiental Carga horária: 5 tempos lectivos - Promover o diálogo e a reflexão sobre questões relativas ao meio ambiente e à sua preservação; - Desenvolver técnicas de criação, a partir de materiais recicláveis; - Consciencializar para a necessidade de mudanças de hábitos e atitudes, em benefício da preservação do meio ambiente; - Desenvolver o espírito crítico e interventivo. 3.º Ano 5

6 Carga horária: 5 tempos lectivos - Proporcionar mudanças de atitude. - Desenvolver a capacidade de intervenção. - Inferir as necessidades de preservação do património natural. - Interagir socialmente para promover o bem-estar. 4.º Ano Âmbito: Estudo do Meio A qualidade do ambiente Carga horária: 2 tempos lectivos - Observar a degradação do meio próximo. - Enumerar e participar em soluções e promoções para a melhoria do ambiente. - Reconhecer a importância das florestas, reservas e parques naturais. Lixo não! Matéria-prima! - Reutilizar Carga horária: 3 tempos lectivos - Consciencializar para a necessidade de mudanças de atitudes e hábitos, para preservar o meio ambiente; - Incentivar actividades de criação, partindo de materiais recicláveis 6

7 2.º Ciclo 5.º Ano Lixo não! Matéria-prima! - Reutilizar Âmbito: Ciências da Natureza - Diversidade nos Animais Carga horária: 1 tempo lectivo - Compreender o impacto dos resíduos na alimentação dos animais selvagens. Carga horária: 4 tempos lectivos - Desenvolver a criatividade; - Reconhecer a utilidade dos resíduos que produzimos. 6.º Ano Âmbito: Ciências da Natureza Ao alimentos como veículo de nutrientes / Como se alimentam as plantas? Carga horária: 2 tempos lectivos - Compreender como podemos participar activamente no ciclo da matéria valorizando os resíduos sólidos orgânicos. Carga horária: 3 tempo lectivo - Desenvolver a capacidade de realizar compostagem. 7

8 3.º Ciclo 7.º Ano Âmbito: Ciências Naturais Ciência, Tecnologia, Sociedade e Ambiente Carga horária: 1 tempo lectivo - Compreender a quantidade de resíduos sólidos desnecessários que produzimos diariamente. Carga horária: 4 tempos lectivos - Perceber como podemos reduzir os resíduos sólidos que produzimos e poupar dinheiro ao mesmo tempo. 8.º Ano Lixo não! Matéria-prima! - Reutilizar Âmbito: Ciências Naturais Protecção e Conservação da Natureza Carga horária: 1 tempo lectivo - Reconhecer a importância de reutilizar os resíduos sólidos como forma de proteger e conservar a Natureza. Carga horária: 4 tempos lectivos - Desenvolver a criatividade; - Reconhecer a utilidade dos resíduos que produzimos; - Desenvolver a capacidade de trabalhar em grupo. 8

9 9.º Ano Âmbito: Ciências Naturais Opções que interferem no equilíbrio do organismo Carga horária: 2 tempos lectivos - Reconhecer como os resíduos sólidos podem interferir no equilíbrio do organismo; - Compreender como podemos participar activamente no ciclo da matéria valorizando os resíduos sólidos orgânicos. Carga horária: 3 tempos lectivos - Desenvolver a capacidade de realizar compostagem. - Compreender a importância da compostagem para a obtenção de adubos de qualidade. Secundário 10.º Ano Âmbito: Biologia e Geologia Intervenções do Homem nos subsistemas terrestres Carga horária: 5 tempos lectivos - Compreender a quantidade de resíduos sólidos desnecessários que produzimos diariamente; - Desenvolver a criatividade; - Reconhecer diferentes formas de reduzir a produção de resíduos sólidos. 9

8/14/2011. Conceito de solos. Levantamentos de solos. Processos pedogenéticos. Fatores pedogenéticos

8/14/2011. Conceito de solos. Levantamentos de solos. Processos pedogenéticos. Fatores pedogenéticos O SOLO NOS ECOSSISTEMAS (FLORESTAIS) Prof. J.Miguel Reichert (Prof. Ricardo Dalmolin) 1. O solo nos ecossistemas florestais 1.1. Funções gerais e ambientais do solo 1.2. O solo florestal Conceito de solos

Leia mais

MODELO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO (MEG) CRITÉRIO 06 - PESSOAS

MODELO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO (MEG) CRITÉRIO 06 - PESSOAS MODELO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO (MEG) CRITÉRIO 06 - PESSOAS A excelência em uma organização está relacionada à sua capacidade de perseguir seus propósitos, em completa harmonia com os complexos ecossistemas

Leia mais

Conjunto de elementos que interagem entre si, realizando trocas e influenciando-se uns aos outros

Conjunto de elementos que interagem entre si, realizando trocas e influenciando-se uns aos outros Conjunto de elementos que interagem entre si, realizando trocas e influenciando-se uns aos outros Tipos de sistemas em função das suas inter-relações com o meio Sistema fechado Sistema isolado Sistema

Leia mais

Grandes Problemas ambientais

Grandes Problemas ambientais Grandes Problemas ambientais O aumento do efeito de estufa; O aquecimento global; A desflorestação; A destruição da camada de ozono; As chuvas ácidas; O clima urbano; Os resíduos perigosos; A escassez

Leia mais

O que significa ser um estudante do ISPTEC? 02/03/2015

O que significa ser um estudante do ISPTEC? 02/03/2015 O que significa ser um estudante do ISPTEC? 02/03/2015 Índice Ø Bem vindo ao ISPTEC Ø Perfil do Estudante Ø Actividades de Apoio ao Estudante Ø A importância da Autonomia Ø Método de Estudo Ø Objectivos

Leia mais

EVACUAÇÃO GERAL DA ESCOLA > ATITUDES E RESPONSABILIDADES > PROCEDIMENTO DE EVACUAÇÃO > PLANTAS DE EMERGÊNCIA

EVACUAÇÃO GERAL DA ESCOLA > ATITUDES E RESPONSABILIDADES > PROCEDIMENTO DE EVACUAÇÃO > PLANTAS DE EMERGÊNCIA EVACUAÇÃO GERAL DA ESCOLA > ATITUDES E RESPONSABILIDADES > PROCEDIMENTO DE EVACUAÇÃO > EQUIPAS DE INTERVENÇÃO E MEIOS DE SOCORRO > ATITUDES E RESPONSABILIDADES A temática da segurança integra o Projecto

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3ºCICLO DE LOUSADA. Avaliação Interna. Questionário ao Pessoal Não Docente

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3ºCICLO DE LOUSADA. Avaliação Interna. Questionário ao Pessoal Não Docente ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3ºCICLO DE LOUSADA Avaliação Interna Questionário ao Pessoal Não Docente O pessoal dos serviços de administração e gestão da escola e o pessoal auxiliar de acção educativa e guardas-nocturnos

Leia mais

CRITÉRIOS/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO DO 1ºCICLO

CRITÉRIOS/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO DO 1ºCICLO CRITÉRIOS/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO DO 1ºCICLO CRITÉRIOS/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO LÍNGUA PORTUGUESA 1ºAno e 2ºAno de escolaridade Domínios Competências Sabe escutar para reproduzir pequenas mensagens

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS UFG - PPGA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS UFG - PPGA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS UFG - PPGA CURSO: Pós Graduação Agronomia DISCIPLINA: Classificação e Mapeamento de Solos PROF. RENATA S. MOMOLI Eng. Agrônoma Dra. em Solos e Nutrição de Plantas O QUE É

Leia mais

Descrição Competências Organizacionais

Descrição Competências Organizacionais Descrição Competências Organizacionais Orientação para Resultados Sustentáveis Disciplina Operacional Competência Técnica Adaptabilidade e Flexibilidade Relacionamento e Colaboração Realiza tarefas dentro

Leia mais

CIÊNCIAS. Prof. Diângelo

CIÊNCIAS. Prof. Diângelo CIÊNCIAS Prof. Diângelo TABELA PERÍODICA Aula 18 Respiração Celular Respiração celular é o processo de conversão das ligações químicas de moléculas ricas em energia que poderão ser usadas nos processos

Leia mais

ANO: 10º NÍVEL: BIOLOGIA E GEOLOGIA ANO LECTIVO: 2008/2009 p.1/12. Total: 92

ANO: 10º NÍVEL: BIOLOGIA E GEOLOGIA ANO LECTIVO: 2008/2009 p.1/12. Total: 92 ANO: 10º NÍVEL: BIOLOGIA E GEOLOGIA ANO LECTIVO: 2008/2009 p.1/12 1º PERÍODO Apresentação Teste diagnóstico Avaliar os conhecimentos dos alunos Total: 92 2 2 COMPONENTE DE GEOLOGIA MÓDULO INICIAL TEMA

Leia mais

Disciplina: Ciências Curso Professor: Marcel Série: 6º ano ROTEIRO DE ESTUDOS DE RECUPERAÇÃO E REVISÃO

Disciplina: Ciências Curso Professor: Marcel Série: 6º ano ROTEIRO DE ESTUDOS DE RECUPERAÇÃO E REVISÃO Aluno (a): Disciplina: Ciências Curso Professor: Marcel Série: 6º ano ROTEIRO DE ESTUDOS DE RECUPERAÇÃO E REVISÃO Número: 1 - Conteúdo: - Estrutura da Terra - Características da crosta terrestre, do manto

Leia mais

Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico FISPQ

Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico FISPQ Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico FISPQ Produto: Limpin SECÇÃO 1: Identificação da substância/mistura e da sociedade/empresa Nome do Produto: Desengraxante Limpin Empresa: Garin & Cia

Leia mais

PADRÕES de DESEMPENHO DOCENTE

PADRÕES de DESEMPENHO DOCENTE ESCOLA SECUNDÁRIA DO RESTELO 402679 PADRÕES de DESEMPENHO DOCENTE 2010-2011 Desp.n.º 16034-2010, ME (20 Out.) VERTENTE PROFISSIONAL, SOCIAL E ÉTICA Compromisso com a construção e o uso do conhecimento

Leia mais

Vivem na floresta / na cidade /no campo

Vivem na floresta / na cidade /no campo Nome: Data / / Título do livro que vamos ler: Autora do livro: O livro está escrito em poesia prosa Como serão as Fadas? (riscar o que não interessa) Bonitas / Feias Altas / Baixas Olhos: azuis / verdes

Leia mais

Ano Lectivo 2010/2011. Perfis Médios por Curso Escola Superior de Tecnologia de Abrantes

Ano Lectivo 2010/2011. Perfis Médios por Curso Escola Superior de Tecnologia de Abrantes Ano Lectivo 2010/2011 Perfis Médios por Curso Escola Superior de Tecnologia de Abrantes Julho de 2011 Índice Licenciatura em Comunicação Social... 2 Licenciatura em Engenharia Mecânica... 3 Licenciatura

Leia mais

Teste diagnóstico de Geologia (10.º ano)

Teste diagnóstico de Geologia (10.º ano) Teste diagnóstico de Geologia (10.º ano) 10.º Ano Objetivos Averiguar os conhecimentos prévios dos alunos acerca de alguns dos temas de Geociências que irão ser tratados ao longo do ensino secundário,

Leia mais

ÇÃ Á ÇÃ º º. Guarapari 2015

ÇÃ Á ÇÃ º º. Guarapari 2015 Í À ÇÃ Á ÇÃ º º Guarapari 2015 ESCOLA:EMÍLIA ANA DE LYRIO ALUNO: RAPHAEL SANTANA SANTOS ANO:4º ANO DATA:3 /6/2014 A ÁGUA ESTA ACABANDO A ÁGUA ESTA ACABANDO E PARA PRESERVÁ-LA TEMOS QUE CUIDAR BEM DELA,

Leia mais

O incrível ritual das 4 alegrias

O incrível ritual das 4 alegrias O incrível ritual das 4 alegrias Chega de pular ondinhas! Este ritual vai te dar 4 alegrias preciosas. Imagine a abundância de: Dinheiro, Paz, Harmonia no amor e Saúde! Este ritual de passagem de ano é

Leia mais

Jimboê. Ciências. Avaliação. Projeto. 4 o ano. 4 o bimestre

Jimboê. Ciências. Avaliação. Projeto. 4 o ano. 4 o bimestre Professor, esta sugestão de avaliação corresponde ao quarto bimestre escolar ou às unidades 7 e 8 do Livro do Aluno. Projeto Jimboê 4 o ano Avaliação 4 o bimestre 1 Avaliação NOME: ESCOLA: PROFESSOR: TURMA:

Leia mais

PROGRAMA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL PAI 2012

PROGRAMA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL PAI 2012 FACULDADE AMADEUS PROGRAMA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL PAI 2012 ORGANIZAÇÃO: COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE AMADEUS - CPA REPRESENTANTES Presidente: Eduardo de Andrade Gonçalves Vice-presidente:

Leia mais

Produtividade. Prof. Dr. Francisco Soares Santos Filho (UESPI)

Produtividade. Prof. Dr. Francisco Soares Santos Filho (UESPI) Produtividade Prof. Dr. Francisco Soares Santos Filho (UESPI) Estudo de energia do ecossistema Foram iniciados em 1942 por R. L. Lindeman The trophic dynamic aspect of ecology A idéia geral foi converter

Leia mais

PLANO DE CURSO Disciplina: CIÊNCIAS Série: 3º ano Ensino Fundamental

PLANO DE CURSO Disciplina: CIÊNCIAS Série: 3º ano Ensino Fundamental PLANO DE CURSO Disciplina: CIÊNCIAS Série: 3º ano Ensino Fundamental Unidade I Hábitos de higiene com a boa saúde. Os alimentos por que precisamos comer? Alimentos e nutrientes. Alimentação saudável. Saúde

Leia mais

1º Ciclo. Competências Gerais do Ensino Básico

1º Ciclo. Competências Gerais do Ensino Básico 1º Ciclo Ao longo do 1º ciclo do Ensino Básico, todos os alunos devem desenvolver as competências gerais do Ensino Básico. Competências Gerais do Ensino Básico 1. Mobilizar saberes culturais, científicos

Leia mais

Unidade 3 O ar e a atmosfera

Unidade 3 O ar e a atmosfera Sugestões de atividades Unidade 3 O ar e a atmosfera 6 CIÊNCIAS 1 Propriedades do ar 1. Como mostra a figura a seguir, o ar pode ser comprimido e depois voltar à situação inicial. Que propriedades são

Leia mais

Ana Gonçalves. Curso: TSHT- Técnico de Segurança e Higiene no trabalho. CP: Cidadania e Profissionalidade. Formadora: Ana Gonçalves

Ana Gonçalves. Curso: TSHT- Técnico de Segurança e Higiene no trabalho. CP: Cidadania e Profissionalidade. Formadora: Ana Gonçalves Descrição: Direitos e deveres adquiridos em cada fase da vida - criança, adulto e na velhice Objectivo: Cidadão/ Estado Critérios de Evidência; Reconhecer as responsabilidades inerentes à liberdade pessoal

Leia mais

TÓPICOS PARA A APRESENTAÇÃO DA ESCOLA

TÓPICOS PARA A APRESENTAÇÃO DA ESCOLA TÓPICOS PARA A APRESENTAÇÃO DA ESCOLA CAMPOS DE ANÁLISE DE DESEMPENHO Como elemento fundamental de preparação da avaliação, solicita-se a cada escola 1 em processo de avaliação que elabore um texto que:

Leia mais

Actividade nº 3 Influência dos Factores Abióticos nos Ecossistemas

Actividade nº 3 Influência dos Factores Abióticos nos Ecossistemas Actividade nº 3 Influência dos Factores Abióticos nos Ecossistemas Introdução Se a vida dos seres não fosse influenciada por factores abióticos, que variam, existiriam, em todo o mundo, os mesmos seres

Leia mais

Terrário miniatura do Planeta Terra 1

Terrário miniatura do Planeta Terra 1 A TEORIA EM PRÁTICA. EXEMPLO DE ATIVIDADE Terrário miniatura do Planeta Terra 1 A montagem de um terrário é uma tarefa simples e um rico instrumento pedagógico. Sua confecção permite trabalhar o reaproveitamento

Leia mais

Importância da Água. Biosfera. Hidrosfera. Geosfera. Atmosfera

Importância da Água. Biosfera. Hidrosfera. Geosfera. Atmosfera Importância da Água Hoje em dia deparamo-nos com uma maior desigualdade em relação á distribuição de água, no planeta e em grande parte, devido às acções humanas. Como já vimos. É necessário perceber a

Leia mais

mandamentos mandamentos do produtor de lixo

mandamentos mandamentos do produtor de lixo 10 mandamentos mandamentos do produtor de lixo 1 Reduzo o lixo que produzo Quando vou às compras, levo sacos reutilizáveis. Prefiro produtos concentrados, com pouca embalagem. Entrego os bens que já não

Leia mais

DIVERSIDADE NA BIOSFERA

DIVERSIDADE NA BIOSFERA DIVERSIDADE NA BIOSFERA A BIOSFERA - Diversidade Organização biológica Extinção e conservação A CÉLULA - Unidade estrutural e funcional dos seres vivos Constituintes básicos Biologia e Geologia 10º ano

Leia mais

PROJECTO PEDAGÓGICO C.A.T.L INDÍCE

PROJECTO PEDAGÓGICO C.A.T.L INDÍCE PROJECTO PEDAGÓGICO C.A.T.L. 2011-2012 INDÍCE 1. Introdução 2. Organização e Gestão de tempo 3. Fundamentação Teórica 4. Competências Transversais 5. Competências Essenciais 6. Atividades a Desenvolver

Leia mais

Regulamento Interno de Funcionamento do Gabinete de Apoio à Qualidade (GAQ)

Regulamento Interno de Funcionamento do Gabinete de Apoio à Qualidade (GAQ) Regulamento Interno de Funcionamento do Gabinete de Apoio à Qualidade (GAQ) 1 Índice I Disposições Legais... 3 Artigo 1º - Objecto e âmbito de aplicação... 3 II Modelo Organizacional... 3 Artigo 2º - Definição

Leia mais

Florestas, Alterações Climáticas e Biodiversidade

Florestas, Alterações Climáticas e Biodiversidade Florestas, Alterações Climáticas e Biodiversidade A nossa pegada regista-se 1. A importância dos ecossistemas florestais, nas alterações climáticas e biodiversidade 2. Os impactos das alterações climáticas

Leia mais

Ciências Experimentais

Ciências Experimentais Planificação Actividades de Enriquecimento Curricular Ciências Experimentais 2.º Período Docente: Marta Sousa Ano Lectivo 2015/2016 Objectivos a atingir: Adquirir e aprofundar conhecimentos sobre a temática

Leia mais

Bem Explicado Centro de Explicações Lda. CN 7º Ano Grandes etapas na História da Terra

Bem Explicado Centro de Explicações Lda. CN 7º Ano Grandes etapas na História da Terra Bem Explicado Centro de Explicações Lda. CN 7º Ano Grandes etapas na História da Terra Nome: Data: / / 1. Observa, atentamente, a figura. I Deposição dos estratos f, e, d, e c. II Erosão do estrato c.

Leia mais

ciclo da água ciclo hidrológico

ciclo da água ciclo hidrológico Ciclo Hidrológico A água e seu ciclo A água da Terra - que constitui a hidrosfera - distribui-se por três reservatórios principais: os oceanos, os continentes e a atmosfera, entre os quais existe uma

Leia mais

Colégio Santa Dorotéia

Colégio Santa Dorotéia Colégio Santa Dorotéia Área de da Natureza Disciplina: Série: 6ª - Ensino Fundamental Professora: Flávia Lage Atividades para Estudos Autônomos Data: 03 / 10 / 2016 Aluno(a): Nº: Turma: Querido(a) aluno(a),

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação 1º, 2º e 3º ciclos

Critérios Gerais de Avaliação 1º, 2º e 3º ciclos Critérios Gerais de Avaliação 1º, 2º e 3º ciclos Ano letivo 2013-2014 INTRODUÇÃO - Avaliação (Decreto-Lei nº139/2012, de 5 de julho) - A avaliação constitui um processo regulador do ensino, orientador

Leia mais

Empresa: BOMBRIL S/A TELEFONE DE EMERGÊNCIA: Elaborado: 03/06/2013 Revisão: 00 Página 1 de 5. Elaboração: P&D Solange Hernandes

Empresa: BOMBRIL S/A TELEFONE DE EMERGÊNCIA: Elaborado: 03/06/2013 Revisão: 00 Página 1 de 5. Elaboração: P&D Solange Hernandes Página 1 de 5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Códigos internos: Múltipla Ação 1L / 10011 2L / 19300 Múltipla Ação Flores de Limão 1L / 10012 - Alta Performance 1L / 10013 - Maciez

Leia mais

Uma das características básicas da vida é a capacidade de responder a estímulos do meio

Uma das características básicas da vida é a capacidade de responder a estímulos do meio Hormonas vegetais Uma das características básicas da vida é a capacidade de responder a estímulos do meio Em resposta a factores externos, as plantas produzem mensageiros químicos, as hormonas vegetais

Leia mais

GRUPO VIII 3 o BIMESTRE PROVA A

GRUPO VIII 3 o BIMESTRE PROVA A Sistema de Ensino PROVA VIII 3 o BIMESTRE PROVA A Valor da prova: 3,0 Água Consciência e preservação Hoje, metade da população mundial (mais de três bilhões de pessoas) enfrenta problemas de abastecimento

Leia mais

Didática Aplicada ao Ensino de Ciências e Biologia

Didática Aplicada ao Ensino de Ciências e Biologia Universidade Tecnológica Federal do Paraná Curso Ciências Biológicas Licenciatura Campus Santa Helena Didática Aplicada ao Ensino de Ciências e Biologia Docente: Dra. Eduarda Maria Schneider E-mail: emschneider@utfpr.edu.br

Leia mais

CENTRO ESCOLAR DA VILA

CENTRO ESCOLAR DA VILA CENTRO ESCOLAR DA VILA Objetivos: -Proporcionar aos alunos um primeiro contacto com as regras e procedimentos a adotar em caso de emergência. -Efetuar o reconhecimento do percurso de evacuação de emergência

Leia mais

Ficha da semana 4º ano A e B. Instruções: Disciplina: História Data da realização: 20/06/2016

Ficha da semana 4º ano A e B. Instruções: Disciplina: História Data da realização: 20/06/2016 Ficha da semana 4º ano A e B. Instruções: 1. Cada atividade terá uma data de realização e deverá ser entregue à professora no dia seguinte. 2. As atividades deverão ser copiadas e respondidas no caderno

Leia mais

O filho sábio alegra a seu pai. (Provérbios 15:20)

O filho sábio alegra a seu pai. (Provérbios 15:20) Lista de Matemática e Interpretacão de texto 5 o ano de 5 à 9/08/206 O filho sábio alegra a seu pai. (Provérbios 5:20) 2 a Feira 5/08.Com muita mordomia, resolva os problemas abaixo. a) Wanessa é professora

Leia mais

Escola B1/PE de São Roque do Faial

Escola B1/PE de São Roque do Faial 8 de Março de 2007 2 1.1. A Direcção da é assegurada por um docente do quadro, eleito em Conselho Escolar, e o respectivo mandato tem a duração de 4 anos. 1.2. A eleição processa-se com a apresentação

Leia mais

BIOLOGIA 2ª ETAPA do VESTIBULAR 2006 (cada questão desta prova vale até cinco pontos)

BIOLOGIA 2ª ETAPA do VESTIBULAR 2006 (cada questão desta prova vale até cinco pontos) BIOLOGIA 2ª ETAPA do VESTIBULAR 2006 (cada questão desta prova vale até cinco pontos) QUESTÃO 01 Leia os itens abaixo, que se referem às glândulas, e responda: a) Os hormônios, produzidos pelas glândulas

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL SIGMA

CENTRO EDUCACIONAL SIGMA 4ºAno 1.4 CIÊNCIAS 3º período 28 de setembro de 2015 Cuide da organização da sua avaliação. Escreva de forma legível. Fique atento à ortografia e elabore respostas claras. Tudo isso será considerado na

Leia mais

Das perspectivas sobre Biodiversidade aos propósitos de a ensinar. Rosalina Gabriel e Ana Moura Arroz

Das perspectivas sobre Biodiversidade aos propósitos de a ensinar. Rosalina Gabriel e Ana Moura Arroz Das perspectivas sobre Biodiversidade aos propósitos de a ensinar Rosalina Gabriel e Ana Moura Arroz Formação Biodiversidade e arte para docentes Centro Cultural, Angra do Heroísmo, 11 de Setembro de 2010

Leia mais

Programa Plante Árvore. Instituto Brasileiro de Florestas - IBF

Programa Plante Árvore. Instituto Brasileiro de Florestas - IBF Programa Plante Árvore Instituto Brasileiro de Florestas - IBF O que é? O Programa Plante Árvore é uma ação voluntária do Instituto Brasileiro de Florestas IBF que consiste no cadastro de proprietários

Leia mais

SENSORIAMENTO REMOTO NO ENSINO BÁSICO DA GEOGRAFIA DEFININDO NOVAS ESTRATÉGIAS

SENSORIAMENTO REMOTO NO ENSINO BÁSICO DA GEOGRAFIA DEFININDO NOVAS ESTRATÉGIAS Espaço Laboratório de Sensoriamento Remoto e Estudos Ambientais UFRJ - Departamento de Geografia SREduc Sensoriamento Remoto na Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA

Leia mais

Módulo 1 Gestão e Implementação de Projectos 30 horas 40 tempos 5 semanas lectivas (contacto directo)

Módulo 1 Gestão e Implementação de Projectos 30 horas 40 tempos 5 semanas lectivas (contacto directo) Docente: Susana Contino Proposta de: PLANIFICAÇÃO DE PROJECTO E PRODUÇÃO MULTIMÉDIA 3º Ano do Curso Profissional de Multimédia Escola Secundária Cidadela - Ano lectivo 2010-2011 Módulo 1 Gestão e Implementação

Leia mais

Física I 2010/2011. Aula 07. Trabalho e Energia Potencial

Física I 2010/2011. Aula 07. Trabalho e Energia Potencial Física I 2010/2011 Aula 07 Trabalho e Energia Potencial Sumário Trabalho e Energia Potencial O trabalho de uma força conservativa sobre um corpo que se desloca entre dois pontos é independente da trajectória

Leia mais

COLÉGIO 7 DE SETEMBRO ALUNO(A): TURMA: Ciências

COLÉGIO 7 DE SETEMBRO ALUNO(A): TURMA: Ciências FUNDADOR PROF. EDILSON BRASIL SOÁREZ 2011 O Colégio que ensina o aluno a estudar APICE ALUNO(A): TURMA: Ciências [1 a a7vg] Você está recebendo o, mais um recurso que ajudará a consolidar os conteúdos

Leia mais

CONSULTAS TRATAMENTO DESCRIÇÃO TEMPO VALOR PACOTES

CONSULTAS TRATAMENTO DESCRIÇÃO TEMPO VALOR PACOTES CONSULTAS TRATAMENTO DESCRIÇÃO TEMPO VALOR PACOTES Inner Coaching Sessões individuais para desenvolvimento do Eu Integral ou para orientação em áreas específicas da vida 1:30h 1ª sessão 80 Seguintes -------

Leia mais

Ficha de Exercícios 10 º ano de Escolaridade

Ficha de Exercícios 10 º ano de Escolaridade Ficha de Exercícios 10 º ano de Escolaridade Versão Corrigida A Biosfera A vida terá surgido na Terra há mais de 3500 milhões de anos. Inicialmente com formas muito simples, são actualmente, complexos

Leia mais

Plano de Intervenção

Plano de Intervenção INTERVENÇÃO UM MERGULHO NA BIOLOGIA Por Rutilene Carmo de Jesus Plano de Intervenção CONTEXTUALIZAÇÃO No mês de setembro é comemorado o dia do biólogo. Por isso realizou-se o evento Um mergulho na Biologia

Leia mais

TESTE DE AVALIAÇÃO HISTÓRIA DA TERRA / TECTÓNICA

TESTE DE AVALIAÇÃO HISTÓRIA DA TERRA / TECTÓNICA TESTE DE AVALIAÇÃO HISTÓRIA DA TERRA / TECTÓNICA Ciências Naturais 7º ano Nome n.º Turma Data: Classificação: Professor(a): Enc. Educação Lê com atenção cada uma das questões que te são propostas e responde

Leia mais

Unidade 1 Os seres vivos e o ambiente

Unidade 1 Os seres vivos e o ambiente UNIDADE 1 OS SERES VIVOS E O AMBIENTE Unidade 1 Os seres vivos e o ambiente Energia Fotossíntese Temperatura Água Solo Sistema Solar O que é um ecossistema? Ecologia Ecossistema Meio abiótico Meio biótico

Leia mais

CICLOS BIOGEOQUÍMICOS

CICLOS BIOGEOQUÍMICOS CICLOS BIOGEOQUÍMICOS É o trânsito da matéria entre o meio físico e os seres vivos. Quando os organismos vivos realizam os processos vitais essenciais, eles incorporam moléculas de água, carbono, nitrogênio

Leia mais

Cerimónia do hastear da bandeira da eco-escolas. Feira do Livro

Cerimónia do hastear da bandeira da eco-escolas. Feira do Livro EB1/PE TANQUE MONTE Dezembro de 2009, 10ª Edição Site da Escola - http://escolas.madeira-edu.pt/eb1petanquem Ficha Técnica JornalTIC Produção: Coordenador TIC: Vítor Franco Professores Colaboradores: Cátia

Leia mais

APLICAÇÕES DO MÉTODO DE VALORAÇÃO CONTINGENTE NO BRASIL: Um estudo de caso das regiões Norte e Nordeste

APLICAÇÕES DO MÉTODO DE VALORAÇÃO CONTINGENTE NO BRASIL: Um estudo de caso das regiões Norte e Nordeste APLICAÇÕES DO MÉTODO DE VALORAÇÃO CONTINGENTE NO BRASIL: Um estudo de caso das regiões Norte e Nordeste Leila Divina Cintra 1, Joana D arc Bardella Castro 2 1 Graduanda em Ciências Econômicas, Universidade

Leia mais

Biodiversidade e Escola:

Biodiversidade e Escola: Biodiversidade e Escola: parcerias para sua valorização Profa. Dra. Maria de Jesus da C. F. Fonseca Coordenadora do GT.Sociobiodiversidade e Educação-Necaps-UEPA e da Escola da Biodiversidade Amazônica

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE CIÊNCIAS

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE CIÊNCIAS ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE CIÊNCIAS Nome: Nº 7º Ano Data: / / 2016 Professor(a): Nota: (Valor 2,0) A - Introdução Neste ano, fizemos um estudo acerca da diversidade dos seres vivos em nosso planeta.

Leia mais

PROPOSTAS DOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS DAS DIFERENTES SECÇÕES DISCIPLINARES DO DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES E TECNOLOGIAS

PROPOSTAS DOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS DAS DIFERENTES SECÇÕES DISCIPLINARES DO DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES E TECNOLOGIAS PROPOSTAS DOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS DAS DIFERENTES SECÇÕES DISCIPLINARES DO DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES E TECNOLOGIAS SECÇÃO DISCIPLINAR DE EDUCAÇÃO FÍSICA: CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DA DISCIPLINA

Leia mais

CONTEÚDOS. CIÊNCIAS 7º ANO Coleção Interativa UNIDADE 1 SEU LUGAR NO AMBIENTE UNIDADE 2 ECOLOGIA: INTERAÇÃO TOTAL

CONTEÚDOS. CIÊNCIAS 7º ANO Coleção Interativa UNIDADE 1 SEU LUGAR NO AMBIENTE UNIDADE 2 ECOLOGIA: INTERAÇÃO TOTAL CONTEÚDOS UNIDADE 1 SEU LUGAR NO AMBIENTE 1. Vida, só na Terra Procurando vida no Sistema Solar Condições de vida no planeta Terra 2. Características dos seres vivos Célula Capacidade de realizar atividades

Leia mais

A GEOLOGIA, OS GEÓLOGOS E OS SEUS MÉTODOS

A GEOLOGIA, OS GEÓLOGOS E OS SEUS MÉTODOS Biologia Geologia (10º ano) A GEOLOGIA, OS GEÓLOGOS E OS SEUS MÉTODOS A Terra como um sistema Subsistemas terrestres GEOLOGIA O que é a Geologia? A geologia é a ciência que estuda a Terra! (do grego Geo

Leia mais

-ECOLOGIA APLICADA. Espécies símbolos. Prevenção da Poluição. Conservação de áreas. Preservação da diversidade genética bbbb

-ECOLOGIA APLICADA. Espécies símbolos. Prevenção da Poluição. Conservação de áreas. Preservação da diversidade genética bbbb -ECOLOGIA APLICADA * É o estudo dos efeitos causados pelo homem nos sistemas ecológicos, e o consequente manejo desses sistemas e recursos em benefício da sociedade. Espécies símbolos Questões Prevenção

Leia mais

Você na EAD. Conteudista: Equipe Multidisciplinar. Campus Virtual Cruzeiro do Sul

Você na EAD. Conteudista: Equipe Multidisciplinar. Campus Virtual Cruzeiro do Sul Você no EAD Você na EAD Conteudista: Equipe Multidisciplinar Campus Virtual Cruzeiro do Sul Você na EAD Perfil e Perspectiva de Desenvolvimento Considerando que uma das características da educação a

Leia mais

Apresentação. Caros estudantes, pais, professores, funcionários e comunidade em geral,

Apresentação. Caros estudantes, pais, professores, funcionários e comunidade em geral, Apresentação Caros estudantes, pais, professores, funcionários e comunidade em geral, Sabemos que hoje os acidentes de trânsito são um problema, não só em nossa cidade, mas em todo o mundo. Diariamente,

Leia mais

Escola Secundária Francisco Simões Ano lectivo 2009/2010 Professora: Ana Paula Reis 12º Ano. Desafio Bactéria. Realizado por: Biomaníacas

Escola Secundária Francisco Simões Ano lectivo 2009/2010 Professora: Ana Paula Reis 12º Ano. Desafio Bactéria. Realizado por: Biomaníacas Escola Secundária Francisco Simões Ano lectivo 2009/2010 Professora: Ana Paula Reis 12º Ano Desafio Bactéria Realizado por: Biomaníacas Introdução Teórica Este trabalho encontra-se inserido num projecto,

Leia mais

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) MON BIJOU AMACIANTE DE ROUPAS (Pureza, Harmonia, Natureza, Magia e Baby)

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) MON BIJOU AMACIANTE DE ROUPAS (Pureza, Harmonia, Natureza, Magia e Baby) Pág.: 1 de 5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome: Mon Bijou Amaciante de roupas Aplicação: Amaciante de Roupas Códigos internos: Versão Código (500 ml) Código (2L) Código (5L) Pureza 4021 19255

Leia mais

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos)

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) Página 1 de 6 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome do produto: Código interno: 5042 Aplicação: secante abrilhantador de louças para máquinas de lavar louças Empresa: BOMBRIL S/A TELEFONE DE

Leia mais

Faculdade de Direito da Alta Paulista Faculdade da Alta Paulista Comissão Própria de Avaliação (CPA)

Faculdade de Direito da Alta Paulista Faculdade da Alta Paulista Comissão Própria de Avaliação (CPA) PLANO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA FAP 2016 1. Introdução Desde 2004, a avaliação interna da Instituição Dom Bosco de Ensino e Cultura Ltda. está sob as normas do Sistema Nacional de Avaliação dos

Leia mais

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) NO AR ODORIZANTE DE AMBIENTES (PINK e LE LIS)

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) NO AR ODORIZANTE DE AMBIENTES (PINK e LE LIS) Página 1 de 6 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Códigos internos: Le Lis (12/300ml): 9025 Pink (12/300ml): 9026 Aplicação: Odorizar ambientes e tecidos. Empresa: BOMBRIL S/A TELEFONE

Leia mais

Geologia e conservação de solos. Luiz José Cruz Bezerra

Geologia e conservação de solos. Luiz José Cruz Bezerra Geologia e conservação de solos Luiz José Cruz Bezerra SOLO É a parte natural e integrada à paisagem que dá suporte às plantas que nele se desenvolvem. Parte mais superficial e fina da crosta terrestre.

Leia mais

Exercício Extra 25. Um lagarto muito peculiar

Exercício Extra 25. Um lagarto muito peculiar Exercício Extra 25 Nome: Turma: LÍNGUA PORTUGUESA 3º ano do Ensino Fundamental Data: 29/08/2016 Data de devolução: 05/09/2016 Um lagarto muito peculiar Vocês já devem ter mascado goma de mascar ou ingerido

Leia mais

RELATÓRIO DO SECRETARIADO DE EXAMES

RELATÓRIO DO SECRETARIADO DE EXAMES RELATÓRIO DO SECRETARIADO DE EXAMES 2013/2014 Índice Nota Introdutória... 3 Reflexão... 4 Anexo I - Estatística 6 Página 2 de 9 NOTA INTRODUTÓRIA As provas finais nacionais do ensino básico têm uma função

Leia mais

5 E X E R C Í C I O S D E MINDFULNESS P A R A C R I A N Ç A S. Sheila Drumond

5 E X E R C Í C I O S D E MINDFULNESS P A R A C R I A N Ç A S. Sheila Drumond 5 E X E R C Í C I O S D E MINDFULNESS P A R A C R I A N Ç A S Sheila Drumond Mestres em viver no Aqui e Agora POR QUE MINDFULNESS PARA CRIANÇAS? Não há nenhuma dúvida de que as crianças tem muito mais

Leia mais

TH 030- Sistemas Prediais Hidráulico Sanitários

TH 030- Sistemas Prediais Hidráulico Sanitários Universidade Federal do Paraná Engenharia Civil TH 030- Sistemas Prediais Hidráulico Sanitários Aula 15 Instalações Prediais de Esgoto Sanitário Profª Heloise G. Knapik 1 Instalações prediais de esgotamento

Leia mais

A nova era da Responsabilidade social mútua e o papel do consumidor. Uberaba, 14 de abril de Márcio Fernando dos Reis

A nova era da Responsabilidade social mútua e o papel do consumidor. Uberaba, 14 de abril de Márcio Fernando dos Reis A nova era da Responsabilidade social mútua e o papel do consumidor. Uberaba, 14 de abril de 2010. Márcio Fernando dos Reis Uberaba Uberaba éum município brasileiro do estado de Minas Gerais, na região

Leia mais

Aula 1. 3º)A biodiversidade inclui componentes físicos do ambiente como minerais, agua ar? Justifique

Aula 1. 3º)A biodiversidade inclui componentes físicos do ambiente como minerais, agua ar? Justifique Aula 1 1º) Conceitue meio ambiente É tudo que tem a ver com o ser ou com um grupo de seres vivos. É o conjunto de fatores, sociais e culturais que envolvem um individuo e com os quais ele interage. 2º)

Leia mais

DOS MAIORES DE 23 ANOS NOME:

DOS MAIORES DE 23 ANOS NOME: Notas: Apresente o seu documento de identificação. Coloque o nome em todas as folhas. Leia atentamente cada questão antes de iniciar a sua resposta. Grupo 1 [10 VALORES] Relativamente a cada questão, assinale

Leia mais

Texto de Maria Adélia Pieta; Lia de Lucca Freitas - UFRGS

Texto de Maria Adélia Pieta; Lia de Lucca Freitas - UFRGS Texto de Maria Adélia Pieta; Lia de Lucca Freitas - UFRGS a gratidão é responsável pela coesão social, uma vez que cria uma relação entre pessoas, desenvolvendo seu senso de comunidade. Seria difícil pensar

Leia mais

Equipa de Avaliação Interna da Escola Secundária de Lousada

Equipa de Avaliação Interna da Escola Secundária de Lousada A equipa de avaliação interna preparou um questionário on-line para ser feito aos alunos e aos professores sobre a INDISCIPLINA na escola. O trabalho apresentado baseou-se no tratamento estatístico das

Leia mais

Aluno (a): Professor:

Aluno (a): Professor: 2º BIM P2 HABILIDADES E COMPETÊNCIAS LISTA DE EXERCÍCIOS CIÊNCIAS 6º ANO Aluno (a): Professor: Turma: Turno:... Data: / / Unidade: ( ) Asa Norte ( ) Águas Lindas ( )Ceilândia ( ) Gama ( )Guará ( ) Pistão

Leia mais

Pegada Ecológica. Convite: junte-se a nós e saiba mais sobre um conceito

Pegada Ecológica. Convite: junte-se a nós e saiba mais sobre um conceito Pegada Ecológica Convite: junte-se a nós e saiba mais sobre um conceito cada vez mais divulgado e descubra uma estimativa de quantos planetas Terra serão necessários, para sustentar toda a sua população,

Leia mais

Comercialização de produtos diferenciados na perspectiva do produtor Alfredo Sendim. Exploração Familiar. Produção Extensiva. Montado 1.

Comercialização de produtos diferenciados na perspectiva do produtor Alfredo Sendim. Exploração Familiar. Produção Extensiva. Montado 1. Exploração Familiar Produção Extensiva Montado 1.900 ha Herdade do Freixo do Meio Montemor-o-Novo Alentejo- Portugal Montado = Eco-Eficiência O Montado é um agro-ecossistema produtivo, que resulta da acção

Leia mais

TRANSCRIÇÃO. Metodologias de Investigação em Educação. Professor Doutor J. António Moreira

TRANSCRIÇÃO. Metodologias de Investigação em Educação. Professor Doutor J. António Moreira DESCRIÇÃO DA AMOSTRA: Docente Escola Básica 2, 3 nº 2 de Elvas, pertence ao quadro do agrupamento. TRANSCRIÇÃO DA ENTREVISTA: Muito obriga pela sua disponibilide. A entrevista terá uma duração curta. Gostaria

Leia mais

Tema: Viver melhor na Terra (48 Blocos) ANO LECTIVO 2011/2012

Tema: Viver melhor na Terra (48 Blocos) ANO LECTIVO 2011/2012 Tema: Viver melhor na Terra (48 Blocos) ANO LECTIVO 2011/2012 PROCESSOS VITAIS COMUNS AOS SERES VIVOS TROCAS NUTRICIONAIS ENTRE O ORGANISMO E O MEIO Nos animais: Alimentos como veículo de nutrientes Como

Leia mais

ANEXO III DA RESOLUÇÃO O65/CONSAD/08 FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO DISCENTE

ANEXO III DA RESOLUÇÃO O65/CONSAD/08 FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO DISCENTE ANEXO III DA RESOLUÇÃO O65/CONSAD/08 FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO DISCENTE DISCIPLINA: PROFESSOR: 1- MODELO ATUAL 1. O relacionamento professor-aluno pode ser considerado: 2. A presença do professora as aulas

Leia mais

Escrito por Administrator Qua, 11 de Junho de :55 - Última atualização Qui, 12 de Junho de :42

Escrito por Administrator Qua, 11 de Junho de :55 - Última atualização Qui, 12 de Junho de :42 Virgem com Áries Uma relação de aprendizado. Aqui teremos o confronto entre a ordem e o método virginiano em teste com a impulsividade dinâmica ariana. Ambos podem ganhar muito dentro deste contato. Um

Leia mais

Tarefas para desenvolver Operações Aritméticas

Tarefas para desenvolver Operações Aritméticas Escola uperior de Educação de Coimbra Tarefas para desenvolver Operações Aritméticas 1. Considera a tabela seguinte: + 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 2 3 4 5 6 7 8 9 10 12 3 4 5 6 7 8 9 10 12

Leia mais

Escola Básica do 1º Ciclo de Caia e Nave Longa

Escola Básica do 1º Ciclo de Caia e Nave Longa Escola Básica do 1º Ciclo de Caia e Nave Longa Regresso à Escola "Baptismo" Facilitar a integração dos alunos e encarregados 01-09-2004 Alunos dos alunos do 1.ºano de educação na comunidade escolar Quadros

Leia mais

Exercício 2 1ª etapa 2017 Língua Portuguesa

Exercício 2 1ª etapa 2017 Língua Portuguesa Exercício 2 1ª etapa 2017 Língua Portuguesa QUESTÃO 01 Complete as lacunas usando o pronome relativo adequado, atente-se para a necessidade de uso ou não de preposição: 1. São estes os voluntários DE QUEM

Leia mais

O HOMEM LIVRE E DE BONS COSTUMES

O HOMEM LIVRE E DE BONS COSTUMES O HOMEM LIVRE E DE BONS COSTUMES O HOMEM QUE FALA A VERDADE. É um homem feliz e congruente consigo mesmo Fico fascinado com O Maçom que sabe para onde vai, qual é seu destino, para que foi criado pelo

Leia mais

Fontes de Energias Renováveis e Não Renováveis. Aluna : Ana Cardoso

Fontes de Energias Renováveis e Não Renováveis. Aluna : Ana Cardoso Fontes de Energias Renováveis e Não Renováveis Aluna : Ana Cardoso Fontes de Energias Renováveis As fontes de energia renováveis são aquelas que vem de recursos naturais e que se renovam continuamente

Leia mais