UNIJUI - UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. DCEEng DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E ENGENHARIAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIJUI - UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. DCEEng DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E ENGENHARIAS"

Transcrição

1 UNIJUI - UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DCEEng DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E ENGENHARIAS BRASILLEIRO FERRAMENTA WEB PARA GERENCIAMENTO DE PORTAIS DE PREFEITURAS ALÉX JOSE EIDELWEIN DE OLIVEIRA Ijuí 01/2012

2 UNIJUI - UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DCEEng DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E ENGENHARIAS BRASILLEIRO FERRAMENTA WEB PARA GERENCIAMENTO DE PORTAIS DE PREFEITURAS NOME DO ALUNO Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Curso de Informática - Sistemas de Informação do Departamento de Ciências Exatas e Engenharias (DCEEng), da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ), como requisito para a obtenção do título Bacharel em Informática - Sistemas de Informação. Orientador: Prof. (Titulação). Edson Luiz Padoin Ijuí 01/2012

3 BRASILLEIRO FERRAMENTA WEB PARA GERENCIAMENTO DE PORTAIS DE PREFEITURAS ALÉX JOSE EIDELWEIN DE OLIVEIRA Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Curso de Informática - Sistemas de Informação do Departamento de Ciências Exatas e Engenharias (DCEEng), da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ), como requisito para a obtenção do título Bacharel em Informática - Sistemas de Informação. Orientador: Prof. Edson Luiz Padoin BANCA EXAMINADORA Prof. Romário Lopes Alcântara Ijuí 01/2012

4 Ser o mais rico do cemitério não é o que mais importa para mim Ir para a cama à noite e pensar que foi feito alguma coisa grande. Isso é o que mais importa para mim. Steve Jobs

5 DEDICATÓRIA Dedico este trabalho aos meus pais, Jeova e Loiva, e a minha namorada Paula. Pessoas que amo muito e que sempre me apoiaram e me incentivaram para que fosse possível a realização de mais um sonho.

6 AGRADECIMENTOS A Deus por ter me acompanhado ao longo de mais esta jornada e ter me iluminado na realização deste trabalho. Ao meu pai e a minha mãe pela educação, pelos ensinamentos, pelo amor, carinho, dedicação e incentivo em todos os momentos. Sem eles, não teria conseguido chegar até aqui. A minha namorada pelo amor, carinho, compreensão, incentivo, por acreditar nos meus sonhos e fazer parte de mais esta conquista. Ao meu orientador Edson Luiz Padoin pelas dicas, profissionalismo, incentivo, pelo tempo e dedicação atribuídos ao meu trabalho. Aos meus chefes pelo incentivo, compreensão e contribuição para que conseguisse realizar mais este sonho. A todos os professores do curso de Informática Sistemas de Informações pelos ensinamento, dedicação e aprendizado adquirido durante este período. A UNIJUÍ e a todos os funcionários pelo ambiente de estudos disponibilizado. A todos os amigos e colegas pela convivência e amizade neste período.

7 RESUMO Este trabalho aborda o desenvolvimento de uma ferramenta na web com funcionalidades necessárias para gerenciar um portal de uma prefeitura. Como a internet se tornou uma das principais ferramentas de comunicação, é imprescindível que as prefeituras tenham um portal para disponibilizar informações e serviços que satisfaçam as necessidades, exigências e objetivos dos cidadãos. Por isso foi criado o Brasilleiro, uma ferramenta com o objetivo de disponibilizar os serviços e recursos necessários para qualquer prefeitura melhorar a integração entre o órgão público e cidadão. Através do Brasilleiro, estima-se que as prefeituras terão benefícios com redução de gastos nos setores de atendimento e marketing, e um aumento de popularidade perante a região, estado, país e até mesmo ao mundo, porque na internet não existe barreiras geográficas. Palavras-chave: portal, prefeitura, informações, cidadãos, Brasilleiro, integração, órgão público, internet

8 ABSTRACT This paper discusses the development of a web tool with features needed to manage a site for a city hall. As the Internet has become a major communication tool, it is imperative that local governments have a portal to provide information and services that meet the needs, requirements and goals of citizens. So Brasilleiro was developed, a tool aiming to provide services and resources to any city improve the integration between the public agency and citizen. Through Brasilleiro, it is estimated that municipalities will benefit from reduced spending in the areas of customer service and marketing, and an increase in popularity before the region, state, country and even the world, the Internet because there is no geographical barriers. Keywords: portal, city hall, information, citizens, Brasilleiro, integration, public agency, internet

9 LISTA DE ABREVIATURAS 3D ACL BSD CEO CGI.br CRUD Três Dimensões Access Control List (Lista de Controle de Acesso) Berkeley Software Distribution Chief Executive Officer (Diretor Executivo) Comitê Gestor da Internet no Brasil Create, Read, Update e Delete (Criar, Ler, Alterar e Excluir) CS5 Creative Suite 5 CSS DER FTP GB GPL HTML HTTP IBGE MVC OS PHP SCM SFTP Arquivos) SQL Cascading Style Sheets (Folhas de Estilo em Cascata) Diagrama Entidade Relacionamento File Transfer Protocol (Protocolo de Transferência de Arquivos) Giga Bytes General Public License (Licença Pública Geral) HyperText Markup Language (Linguagem de Marcação de Hipertexto) Hypertext Transfer Protocol (Protocolo de Transferência de Hipertexto) Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística Model, View e Controller (Modelo, Visão e Controlador) Operating System (Sistema Operacional) Hypertext Preprocessor Source Code Management (Gerenciamento de Código Fonte) SSH File Transfer Protocol (SSH Protocolo de Tranferência de Structured Query Language (Linguagem de Consulta Estruturada)

10 SSH SSL TLS URL UTF VCS W3C WAMP XML Secure Shell Secure Sockets Layer (Camada de Sockets Protegida) Transport Layer Security (Segurança da Camada de Transporte) Uniform Resource Locator (Localizador-Padrão de Recursos) Unicode Transformation Format Version Control System (Sistema de Controle de Versão) World Wide Web Consortium Windows, Apache, MySQL e PHP Extensible Markup Language

11 LISTA DE FIGURAS Figura 1 - Formulário de pesquisa criado no Google Docs Figura 2 - Resumo das respostas dos itens Ouvidoria e Denúncias e Reclamações Figura 3 - Resumo das respostas do item Portal Transparência Figura 4 - Resumo das respostas dos itens Concursos Públicos, Licitações, Estágios e Empregos.. 22 Figura 5 - Logomarca Brasilleiro Figura 6 - Mapa mental do sistema Brasilleiro Figura 7 - Diagrama entidade relacionamento Figura 8 - Módulo Controle de Acesso dos Usuários Figura 9 - ThemeRoller - Framewok para criação de temas no jquery UI Figura 10 - Fluxo de dados do codeigniter Figura 11 - Versões do projeto Brasilleiro no Bitbucket Figura 12 - Páginas de login e cadastro de usuários Figura 13 - Formulário de cadastro dos recursos Figura 14 - Relatório dos grupos de usuários cadastrados Figura 15 - Formulário de cadastro dos grupos Figura 16 - Formulário de cadastro dos usuários Figura 17 - Formulário de cadastro de prefeituras Figura 18 - Formulário de cadastro das Páginas do município Figura 19 - Página de cadastro de contas públicas Figura 20 - Página de cadastro de concursos públicos Figura 21 - Páginas de gerenciamento das licitações Figura 22 - Formulário para o cadastro de notícias

12 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO Cenário Geral Cenário Específico PESQUISA Resultados Escolha do Nome A Ferramenta Brasilleiro DESENVOLVIMENTO Ferramentas Mapas Mentais WAMP Apache MySQL PHP Modelagem do Banco de Dados Frameworks e Bibliotecas Grid System Formee Framework para Formulários Jquery e JqueryUI Code Igniter Controle de Versão Recursos Implementados ACL Gerenciamento de prefeituras Páginas, secretarias e pontos turísticos Contas públicas Concursos públicos Licitações Notícias Multimídia... 59

13 4 CONCLUSÃO Trabalhos futuros REFERÊNCIAS ANEXO A CAMPOS DA PESQUISA EFETUADA COM OS CIDADÃOS DISPONIBILIZADA ATRAVÉS DA FERRAMENTA GOOGLE DOCS ANEXO B RESULTADOS DA PESQUISA ANEXO C SCRIPT SQL DO BANCO DE DADOS BRASILLEIRO... 74

14 14 1 INTRODUÇÃO Cardoso (2000) sancionou e decretou a LEI N o onde no Capítulo VII Art. 17 consta que o Poder Público promoverá a eliminação de barreiras na comunicação e estabelecerá mecanismos e alternativas técnicas que tornem acessíveis os sistemas de comunicação e sinalização às pessoas portadoras de deficiência sensorial e com dificuldade de comunicação, para garantir-lhes o direito de acesso à informação, à comunicação, ao trabalho, à educação, ao transporte, à cultura, ao esporte e ao lazer. Na internet isso não se altera. Por isso é de grande importância que todos os aplicativos, de órgãos públicos, que se encontram nessa plataforma, ofereçam aos cidadãos acessibilidade, usabilidade, transparência e direito de resposta. Talvez, possamos resolver esse problema que afeta a grande maioria dos municípios do Brasil. Seus portais estão desagradáveis e não cumprem nenhuma característica recém citadas. Por isso, surgiu a ideia de reunir todos os portais em apenas uma ferramenta que já contempla todos os requisitos necessários para uma web mais semântica e humanizada. 1.1 Cenário Geral Em 1989, Tim Berners Lee, teve a genialidade de juntar três simples e elegantes tecnologias criando dessa maneira a Web. A primeira tecnologia era o Localizador ou Identificador Uniforme de Recursos (URL ou URI), a segunda foi a linguagem Hypertext Markup Language (HTML) usada para representar o conteúdo em termos de páginas na Web e de expressá-las em links e a terceira foi o protocolo Hypertext Transfer Protocol (HTTP) usada para mover dados na Web e em toda a Internet. Com isso iniciava-se a Web 1.0, uma tecnologia aberta e disponibilizada gratuitamente para todos através de diversas páginas que juntas formariam um site. Nessa geração o fato mais marcante foi a empresa Google, que inovou com um algoritmo que trouxe uma melhora significativa no desempenho e simplicidade das

15 15 pesquisas na Web, baseando-se no poder da linguagem HTML (DINIZ e CECCONI, 2009). Segundo Diniz E Cecconi (2009), a Web cresceu muito rapidamente, tornando-se um sucesso em todo o mundo. Onde antes o objetivo era a Hiperlinkagem de documentos e páginas, agora o conteúdo é dinâmico gerado pelos usuários. Essa evolução trouxe a Web 2.0. Exemplos disso foi o surgimento da Wikipedia, site colaborativo que possui conceitos e verbetes sobre diversos assuntos e, o Youtube que é um site de armazenamento de vídeos, ambos alimentados somente pelos usuários. Na Web 2.0 tudo é dinâmico e interativo, onde praticamente todo o conteúdo pode ser compartilhado de diversas formas para as outras pessoas, tornando-se algo sociável e globalizado. Porém, como em cada país, estado e cidade existem pessoas que citam as leis e regras que devem ser seguidas para uma possível organização, na Web também não poderia ser diferente. Foi nesse intuito que se criou a World Wide Web Consortium (W3C), para tentar organizar essa tecnologia. A W3C é uma comunidade internacional no qual as organizações associadas, profissionais de tempo integral, e o público, trabalham juntos para criar diretrizes e padrões na Web que garantam a sua evolução permanente, segundo o próprio site da comunidade. Liderados pelo inventor da Web, Tim Berners Lee e CEO Jeffrey Jaffe, a missão da W3C é de levar a Web ao seu máximo potencial (W3C, [s.d.]). A Web tem um valor social maior do que o tecnológico, pois é um ambiente de comunicação humana, de transações comerciais, de oportunidades para compartilhar conhecimentos e, para ser um ambiente universal, deve estar disponível para todas as pessoas, não importando os equipamentos ou softwares que são utilizados, da cultura ou localização geográfica que se encontram, das habilidades físicas ou mentais ou das condições socioeconômicas. Por isso, segundo Hartmut Richard Glaser, Diretor Executivo do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), a universalidade da Web só pode ser garantida com um modelo de governança democrático e pluralista que tenha foco no acesso por todos e na sua própria evolução tecnológica (CGI.BR, 2010).

16 Cenário Específico O IBGE divulgou os resultados da Pesquisa de Informações Básicas Municipais realizada em 2009 junto às prefeituras dos cinco mil quinhentos e sessenta e cinco (5565) municípios brasileiro (IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA, 2009). A pesquisa abrangeu todos os setores dos municípios, inclusive a parte de Tecnologia que envolve computadores, internet e sites. O resultado do conjunto dessas informações refletiu as diferentes realidades do nosso país e possibilitou identificar as carências existentes nos municípios brasileiros. Segundo IBGE (2009), uma boa notícia da pesquisa foi que dentre 5565 municípios brasileiros existentes, apenas em quatro não existem computadores. O que indica que cada vez mais, os cidadãos brasileiros têm acesso à tecnologia do milênio. O mais importante, é que desses 5561 municípios que possuem computadores, 5532 possuem acesso à internet com a grande maioria das conexões de Banda larga. Ou seja, em casa, no trabalho, nos restaurantes, nas lanchonetes, nas escolas, enfim, em quase todos os lugares, podemos estar conectados na Internet. Por isso, as ferramentas que existem nessa camada, devem acompanhar as evoluções das tecnologias, usufruindo ao máximo, para trazer benefícios e comodidades aos usuários. Como os sites são os principais veículos de informação, seja pela velocidade e fácil acesso, é de extrema importância que cada prefeitura tenha em seu município, um Portal de Informação para disponibilizar informações e serviços que satisfaçam as necessidades, exigências e objetivos dos cidadãos. Porém, sabemos também, que os sites devem atender certas normas e diretrizes para garantir a acessibilidade e usabilidade de todos. É nesse ponto, que a Pesquisa do IBGE revela uma grande carência dos municípios brasileiros. De acordo com o IBGE (2009), mais da metade das prefeituras possuem página na internet, porém a grande maioria ou está em manutenção ou não possui interatividade com os usuários. Ainda, segundo o IBGE

17 17 (2009), o mais constrangedor é que apenas 36 páginas de prefeituras em todo o Brasil estão acessíveis para pessoas com deficiências audiovisuais. O que representa uma falta de respeito com uma boa porcentagem da nossa população, que por sua vez possuem algum tipo de deficiência mental ou física, deixando-os de lado e não atendendo os seus direitos de cidadãos. Em 2004 Silva (2004), assinou o Decreto N o regulamentando as Leis n os , de 8 de novembro de 2000, e , de 19 de dezembro de Conforme o Decreto, no Capítulo VI Art. 47, foi determinado que: No prazo de até doze meses a contar da data de publicação deste Decreto, será obrigatória a acessibilidade nos portais e sítios eletrônicos da administração pública na rede mundial de computadores (internet), para o uso das pessoas portadoras de deficiência visual, garantindo-lhes o pleno acesso às informações disponíveis. Nos portais e sítios de grande porte, desde que seja demonstrada a inviabilidade técnica de se concluir os procedimentos para alcançar integralmente a acessibilidade, o prazo definido no caput será estendido por igual período. (SILVA, 2004). O prazo viria a vencer dois anos depois, na data 01 de dezembro de 2006, onde todos deveriam "cumprir" o decreto. Os sites que não se adaptassem, os órgãos representantes poderiam ser penalizados com corte de recursos públicos. Mas será que isso irá acontecer mesmo? Pois seria o governo multando o próprio governo, o que não é muito comum de se ver em terras brasileiras. Para validar tais afirmações, foram visitadas algumas páginas de prefeituras do Brasil, comprovando que, a grande maioria deixa muito a desejar no aspecto visual e na parte funcional dos sites. O problema é que todos, prefeituras e cidadãos, perdem com isso, pois informações e serviços extremamente importantes estão ficando consequentemente no anonimato e indisponíveis. E tudo isso podemos resolver com um Portal de Informações que atenda todos os padrões da W3C e com serviços que fiquem disponíveis no Portal onde os cidadãos possam usá-las com qualquer tipo de dispositivo. Com a Web, podemos melhorar a transparência das prefeituras, aumentar a participação dos cidadãos, aumentar a popularidade do município, diminuir gastos em diversos setores, enfim, melhorar significativamente o relacionamento entre cidadãos e setores públicos.

18 18 2 PESQUISA Com o intuito de avaliar as necessidades foi realizada uma pesquisa nos principais portais de prefeituras. A partir desta consulta foi possível agrupar o maior número de serviços que seriam relevantes para os cidadãos. Após isso, criou-se um formulário de perguntas, que será utilizado para coletar a opinião das pessoas em relação dos serviços. Para aplicar o questionário, foi utilizado o serviço de criação de Formulários em HTML do Google Docs da empresa Google. O serviço contêm todos os recursos necessários de uma ferramenta de criação de formulários sem nenhum custo de atualização adicional. De acordo com Google (GOOGLE, [s.d.]), os recursos disponíveis para a ferramenta são as seguintes: Criação de formulários profissionais. Escolher entre mais de 60 temas e sete tipos de perguntas; Visualização de entradas em formato de planilha, onde se pode inserir respostas automaticamente diretamente na planilha conectada a pesquisa; e E visualização facilitada de informações coletadas, gerando automaticamente gráficos sofisticados. O formulário de pesquisa criado especialmente para este trabalho está disponível em um endereço público na internet, onde qualquer pessoa pode visita-lo e deixar sua opinião. A pergunta que é questionada na pesquisa é Quais serviços você gostaria de encontrar num Portal de Prefeitura?. A partir disso, o formulário contêm campos para o preenchimento dos dados pessoais do usuário e uma lista com os serviços mais utilizados nos outros portais já existentes com opções de escolha para sua importância, conforme se pode observar na Figura 1.

19 19 Figura 1 - Formulário de pesquisa criado no Google Docs. Fonte: Google Docs (2011). Nesta figura, está sendo exibida apenas a pergunta, uma breve explicação do formulário, os campos para identificação do usuário e um serviço para votação. Todos os outros campos e questionamentos podem ser visualizados no Anexo A. 2.1 Resultados Até a presente data, a pesquisa já tinha obtido 54 respostas. As pessoas que responderam tinham idade média de 26 anos e abrangeu moradores de até nove estados distintos. No formulário, foi disponibilizado 22 opções de serviços que podem ser implementadas em um portal de prefeitura, onde quem respondia deveria marcar, em um campo no formato radio box, o grau de importância que cada serviço tinha para si. Conforme resumo das 54 respostas (Anexo B), os serviços mais importantes para um portal de prefeitura foram Ouvidoria e Denúncias e Reclamações, onde os mesmos tiveram um alcance para o grau cinco de 69% e 59% respectivamente,

20 20 como pode ser visualizado na Figura 2. Estes resultados demonstraram que os cidadãos desejam ser ouvidos pelos órgãos públicos, fato este que não é muito comum nos serviços atuais disponibilizados pelas prefeituras. Por isso, a ferramenta a ser criada deverá facilitar esta comunicação entre as duas partes, criando um meio de ouvidoria e reclamações onde o cidadão possa expressar suas dúvidas e problemas referentes à prefeitura ou município. Figura 2 - Resumo das respostas dos itens Ouvidoria e Denúncias e Reclamações. Ouvidoria Grau de importância Votos % 1 - Pouco 1 2% 2 4 7% 3 5 9% % 5 - Muito 37 69% Pouco Muito Denúncias e Reclamações Grau de importância Votos % 1 - Pouco 3 6% 2 0 0% % % 5 - Muito 32 59% Pouco Muito Fonte: Google Docs (2011). Outro serviço bastante aceito foi o Portal Transparência com 63% no grau cinco. O Portal Transparência contém a divulgação de dados sobre receitas e despesas públicas, onde todos os órgãos públicos estaduais devem obrigatoriamente disponibilizar e, em alguns estados, os municípios também devem cumprir essa mesma lei, decretada em maio de 2010 (DECRETO Nº 7.185, 2010). Como se pode observar na Figura 3, os cidadãos são os mais interessados neste serviço, pois poderão vigiar os gastos e receitas tanto no estado como no município diminuindo os roubos e fraudes dos políticos.

21 21 Figura 3 - Resumo das respostas do item Portal Transparência. Portal Transparência Grau de importância Votos % 1 - Pouco 1 2% 2 2 4% % % 5 - Muito 34 63% Pouco Muito Fonte: Google Docs (2011). No resumo das respostas se observou a boa aceitação para os serviços que se relacionam com o trabalho de algum modo, como por exemplo, os serviços de Concursos Públicos, Estágios, Licitações e Empregos (ver Figura 4). Com uma média percentual de 49% para o grau de importância cinco, os cidadãos que responderam a pesquisa demonstraram uma preocupação com a empregabilidade em seus municípios. Seja, talvez, pela falta de oportunidade de se encontrar o emprego ou estágio ideal, ou no caso das empresas, para encontrar o empregado ou serviço ideal. Portanto, é imprescindível que a ferramenta a ser criada, disponibilize a seus usuários, serviços que consigam suprir suas necessidades neste quesito, mostrando para os cidadãos, os concursos públicos, estágios e empregos que podem ser de seu interesse e também oferecendo aos empregadores serviços disponíveis através das licitações.

22 22 Figura 4 - Resumo das respostas dos itens Concursos Públicos, Licitações, Estágios e Empregos. Concursos Públicos Licitações Grau de importäncia Votos % Grau de importância Votos % 1 - Pouco 4 7% 1 - Pouco 2 4% 2 4 7% 2 5 9% 3 3 6% % % % 5 - Muito 31 57% 5 - Muito 27 50% Pouco Muito Pouco Muito Estágios Empregos Grau de importância Votos % Grau de importância Votos % 1 - Pouco 5 9% 1 - Pouco 4 7% 2 2 4% 2 4 7% % % % % 5 - Muito 26 48% 5 - Muito 24 44% Pouco Muito Pouco Muito Fonte: Google Docs (2011). Ao final da pesquisa também foi disponibilizado um campo para os cidadãos colocarem suas dicas de serviços que um portal de prefeitura deveria oferecer com a seguinte pergunta: Existe mais algum serviço que gostaria de ver no Portal da Prefeitura?. O resultado disso foi impressionante, pois as ideias postadas foram bastante inovadoras e que podem ser um diferencial para os portais. Segue algumas dicas postadas: Seria interessante a criação de um espaço virtual de interação dos cidadãos, onde os mesmos possam relatar deficiências existentes em seus bairros e comunidades assim como acompanhar o andamento de obras nesses lugares em forma de cronograma, mesmo que aproximado. Também seria interessante ter uma forma de integração dos três poderes nesse portal (legislativo, executivo e judiciário) no sentido de "linkar" sites ou portais importantes dessas instituições. Existe um conceito o qual estou iniciando meus estudos, mas pelo pouco que estudei entendi que se trata de um conceito de interligação de informações na web: o Linked Data. Por trás desse sistema de prefeitura deveria haver uma forma de interligação dos dados publicados pelos 3 poderes, mais ou menos com o conceito de Linked Data. Poderia ter alguma coisa de culinária, cultura, locais de lazer, promoções e briques entre cidadãos.

23 23 Seria Interessante se a parte das Licitações fosse feita de forma a que toda a população pudesse acompanhar desde o processo de seleção até a parte de disponibilização dos produtos e serviços contratados, por exemplo, disponibilizar os locais aonde se destinou os produtos ou onde foi realizado o serviço contratado, para que assim a população possa fiscalizar se foi feito de acordo com o contrato realizado e também é importante que apareça os valores utilizados para que se compare com a licitação. Agenda do dia relatando as atividades que os representantes políticos irão fazer no dia, incluindo e principalmente, o prefeito. "Seria legal, na parte de licitações, se eu pudesse cadastrar meu e selecionar uma ou mais áreas de interesse, para ser notificado automaticamente quando entrar uma nova licitação naquela área. Bem simples e sem muita burocracia. Outra coisa, na parte de licitações, que vai um pouco além, seria fazer o cadastro de verdade da empresa, para participar das licitações etc. Esse cadastro, salvo engano, hoje tem que ser feito via papel na Prefeitura. Exemplo: Acho interessante que no site apareçam índices de desenvolvimento econômico e educacionais do município, fazendo um comparativo com as cidades vizinhas. Dessa maneira, a população poderia ter a noção de como está o município num ranking regional. Assim, poderiam exigir da prefeitura e vereadores, projetos que aumentassem ou mantivessem esse índice. Obtenção de segunda via documentos, impostos e certidões. Para a construção civil é muito importante que o site da prefeitura traga as normas e leis do município referentes à construção. Não esconder os arquivos num canto do site e deixar mal formatado, onde fica difícil de encontrar alguma informação. A prefeitura deve disponibilizar todos os downloads possíveis. Lembrar que o site é um meio de comunicação entre TODA a sociedade e a prefeitura. Um portal gratuito, imparcial e informativo. Acompanhar parcelas e poder negociar o pagamento dos impostos.

24 Escolha do Nome Como sabemos, o nome de uma ferramenta na web pode ser a porta de entrada para o sucesso. Por isso, deve se levar em conta muitos fatores para sua escolha. Os principais fatores são: Nome fácil de pronunciar; O nome deve ter alguma relação com a ferramenta; e Verificar se existe um domínio na web disponível para o nome escolhido. Levando em conta os fatores acima se chegou ao nome Brasilleiro, pois possui uma pronuncia fácil, seu nome lembra a palavra brasileiro que por sua vez lembra o povo que vive neste país, os quais se destina a ferramenta. E, talvez o mais importante, a disponibilidade de domínio para o nome foi o principal motivo para a escolha, porque foi registrado cinco dos principais domínios existentes, todos redirecionando para uma única hospedagem. São eles: Após a escolha do nome, foi providenciada a logomarca. Como pode ser visualizado na Figura 5, a nova logo ficou com uma aparência bastante inovadora. A cor azul se deve ao fato de que o azul é uma cor fresca e se associa com a parte intelectual da pessoa tranquilizando-a. A ferramenta Brasilleiro também leva em sua marca um dos ícones do Brasil, a arara azul. Nada melhor para representar o país do que sua própria natureza. A arara azul é uma ave muito bonita que apesar de ser um dos símbolos da nossa pátria está em perigo de extinção. Por isso, em forma de homenagem e também conscientização das pessoas, levamos sua beleza em nossa logomarca.

25 25 Figura 5 - Logomarca Brasilleiro. Fonte: Aléx de Oliveira (autor deste trabalho). 2.3 A Ferramenta Brasilleiro Como já sabemos, no Brasil temos mais de cinco mil prefeituras (IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA, 2009). Essas prefeituras precisam administrar todos os recursos e receitas do município de modo com que os cidadãos possam estar informados de tudo o que acontece. Ter acesso aos serviços que o município disponibiliza, da maneira mais rápida e prática possível. Para que isso aconteça é preciso uma integração entre órgão público e o cidadão. Com a missão de proporcionar essa integração foi criado o Brasilleiro. Uma ferramenta na web para que a prefeitura possa disponibilizar informações e serviços para a população. No Brasilleiro, a prefeitura pode cadastrar e organizar todos os seus departamentos, secretarias, contas públicas, eventos, concursos públicos, notícias, entre outros serviços necessários que seja do interesse da administração pública. Além disso, oferecerá ao cidadão um canal de comunicação dinâmico e colaborativo. Utilizando o Brasilleiro, os cidadãos poderão interagir com o poder executivo através de comentários, envio de fotos e vídeos, candidatarem-se para vagas de empregos e efetuarem denúncias e reclamações com absoluta segurança e sigilo. O portal Brasilleiro, agrupará as informações geradas pelas prefeituras de todo Brasil que foram mais acessadas e comentadas, visando levar aos internautas as informações mais relevantes de acordo com o que os usuários buscam.

26 26 Transformando-se assim em uma grande rede social humanizada com serviços em prol do desenvolvimento e da transparência dos poderes públicos.

27 27 3 DESENVOLVIMENTO Este capítulo apresenta o ambiente utilizado para o desenvolvimento do sistema. Todas as tecnologias envolvidas, ferramentas utilizadas, tipo de linguagem, tipo de banco de dados, frameworks e bibliotecas, controle de versão e os recursos implementados para o protótipo. 3.1 Ferramentas Para a criação do Brasilleiro foram utilizados alguns softwares que auxiliaram tanto no planejamento quanto no desenvolvimento da ferramenta. Os softwares que serão citados a seguir foram pré-selecionados pelo mentor deste trabalho através de anos de experiência, que os mesmos, tem com o ambiente de desenvolvimento de tecnologias de informações para web. A lista dos softwares utilizados é: Mind Manager 9 Versão Trial Mind Manager 9 é uma ferramenta poderosa para visualmente organizar e gerenciar informações e projetos. Através dela, se ganha um aumento na produtividade, ligando visualmente ideias e informações, economizando tempo e resolvendo problemas reais de negócios (MINDJET, [s.d.]). MySQL Workbench 5.2 Community Edition MySQL Workbench é uma ferramenta para modelagem de banco de dados visual que ajuda os desenvolvedores e administradores de banco de dados MySQL criar novos modelos de dados físicos, modificar base dados com o recurso de engenharia reversa e sincronização entre o banco local e remoto (MYSQL WORKBENCH, 2011). Além disso, o Workbench também é uma ferramenta multiplataforma, ou seja, pode ser instalado tanto em ambiente Windows, Linux e Mac OS X em diferentes edições (MYSQL WORKBENCH, 2011). O MySQL Workbench fornece aos administradores de banco de

28 28 dados e desenvolvedores um ambiente de ferramentas integradas para: Modelagem e Design de Banco de Dados; Desenvolvimento SQL; e Administração de Banco de Dados. Photoshop CS5 Versão Trial Segundo Adobe (ADOBE SYSTEMS INCORPORATED, [s.d.]) a ferramenta Photoshop CS5 oferece um poder de edição de imagem incomparável ao padrão da indústria, incluindo a criação, edição e pintura da imagem 3D (tradução nossa). Com isso, para a criação do Layout principal do Brasilleiro e dos templates que serão utilizados pelas Prefeituras, foi utilizado o Photoshop. Este software está disponível para os sistemas operacionais Windows e MAC OS X. Gedit FREE Gedit é um editor de texto, criado pela GNOME (2011), para ambientes desktop Linux, Mac OS X e Microsoft Windows. Concebida como um editor de texto de propósito geral, Gedit enfatiza a simplicidade e facilidade de uso. Ele inclui ferramentas para edição de código-fonte e texto estruturado, como linguagens de marcação (GEDIT, 2011). Ele é projetado para ter uma interface gráfica limpa e simples de conforme a filosofia do projeto Gnome (2011). De acordo com a Gnome (2011), atualmente suas principais características são: Suporte completo para texto internacionalizado (UTF-8); Configurável destaque de sintaxe para várias linguagens (C, C + +, Java, HTML, XML, Python, Perl e muitos outros); Refazer / Desfazer; Edição de arquivos locais e/ou remotos; Reverter arquivos; Impressão e suporte de visualização para impressão Sustentação da prancheta (cortar / copiar / colar); Procurar e substituir; Vá para a linha específica; Auto indentação;

29 29 Quebra de texto; Números de linhas; Margem direita; Linha atual destacada; Correspondência de parênteses; Backup de arquivos; Fontes e cores configuráveis; Um manual de usuário completo on-line; Filezilla FREE O Filezilla é uma rápida e confiável plataforma de FTP, FTPS e SFTP com características úteis e uma interface de usuário gráfica e intuitiva, além de ter seu código aberto distribuído gratuitamente sob os termos da GNU General Public License (FILEZILLA, 2011). Suas principais características são: Fácil de usar; Suporta FTP, FTP sobre SSL / TLS (FTPS) e SSH File Transfer Protocol (SFTP); Multi-plataforma. Roda em Windows, Linux, * BSD, Mac OS X, etc; Suporte IPv6; Disponível em vários idiomas; Suporta currículo e transferência de arquivos grandes (4GB); Interface com abas; Poderoso Site Manager e fila de transferência; Favoritos; Suporte para arrastar e soltar; Limites de velocidade de transferência configurável; Comparação de diretórios; Edição de arquivos remotos; Suporte a HTTP/1.1, SOCKS5 e FTP-Proxy; Navegação no diretório sincronizado; Pesquisa de arquivos remoto;

30 Mapas Mentais Segundo Velliaris (2009), Mapas Mentais, tradução do termo inglês Mind Maps, foi desenvolvido como um método eficaz para a geração de ideias por associação. Para se criar um mapa mental, você geralmente começa no meio da página com um tema central / ideia principal e a partir desse ponto você trabalha em todas as direções para criar um diagrama de crescimento composto de palavraschave, frases, conceitos, fatos e números. De acordo com Velliaris (2009), os mapas mentais servem para o seguinte: Tomar notas em uma palestra e anotando os pontos ou palavraschaves mais importantes; Fazer ligações, relacionando as ideias principais de algum assunto; Planejamento nos estágios iniciais de um ensaio, visualizando todos os aspectos da questão; Organizar as ideias e informações, tornando-as acessíveis em uma única página; Estimular o pensamento criativo em busca de soluções criativas aos problemas; Revisão de conteúdo, em preparação para um teste ou exame; Entre outros. Pelos motivos relatados acima, a técnica de mapa mental foi usada no processo de planejamento do Brasilleiro com a ajuda do software, citado no Tópico 3, chamado Mind Manager (MINDJET, [s.d.]). Este software, por meio de seus gráficos, permitiu mapear os fluxos de visitas que um usuário irá percorrer no sistema Brasilleiro e ainda, listar algumas estratégias e ideias que poderão ser implementadas no futuro. Abaixo, segue o mapa mental criado no software Mind Manager para o Brasilleiro.

31 31 Figura 6 - Mapa mental do sistema Brasilleiro. Fonte: Software Mindmanager 9 (MINDJET, [s.d.]). Como pode ser observado, na Figura 6, o mapa mental do sistema Brasilleiro foi dividido em três grandes partes: Produto, Portal e Estratégias. O Produto, obviamente, vai ser o site disponibilizado para cada Prefeitura, que por sua vez será o cliente. Cada site de Prefeitura vai ser subdividido em outras três partes contendo o conteúdo institucional de cada município, os recursos ou funcionalidades e os serviços disponibilizados para os usuários que vão gerar a interação no sistema. O Portal vai servir tanto para a divulgação do sistema Brasilleiro, onde as prefeituras poderão manter contato, como para o agrupamento de informações relevantes (notícias, imagens, vídeos, enquetes, eventos, licitações, concursos públicos, etc) geradas pelas prefeituras que já estão utilizando o produto. O Portal vai ter os mesmos Recursos e/ou Funcionalidades do produto, com a diferença de que os usuários terão acesso às informações que mais foram acessadas, comentadas, enfim, mais geraram ibope. Por fim, a parte de Estratégias contém ideias que poderão ser implementadas no futuro sempre melhorando o funcionamento e a abrangência dos serviços disponibilizados no sistema. Essas ideias também incluem os resultados e dicas da pesquisa realizada com a ferramenta Google Docs (GOOGLE DOCS, 2011).

32 32 Uma observação importante, é que um mapa mental nunca está terminado que não se possa mais modifica-lo. Por isso, é preciso, sempre estar estudando e encontrando novas formas para melhorá-lo, gerando benefícios, seja em novas ideias ou melhor organização do projeto. 3.3 WAMP WAMPs são pacotes e programas criados de forma independente e instalados em computadores que usam um sistema operacional Microsoft Windows. WAMP é um acrônimo formado pelas iniciais do sistema operacional Microsoft Windows e os componentes principais do pacote: Apache, MySQL e um de PHP, Perl ou Python (WAMP, 2011). Para a criação do protótipo do Brasilleiro, todo o desenvolvimento foi realizado em um servidor local, neste caso WAMP, que serviu como uma plataforma de testes podendo ser migrado para qualquer servidor na web Apache O Apache HTTP Project Server é um software colaborativo que visa criar um servidor HTTP robusto, de nível comercial, com mais recursos, com código aberto disponível às implementações. O projeto é administrado em conjunto por um grupo de voluntários espalhados pelo mundo, usando a Internet e a Web para se comunicar, planejar e desenvolver o servidor e sua respectiva documentação. Este projeto faz parte da Apache Software Foundation e também das centenas de usuários que contribuíram com ideias, código e documentação para o projeto (APACHE SOFTWARE FOUNDATION, [s.d.]) MySQL O banco de dados MySQL tornou-se o banco de dados open source mais popular do mundo por causa de seu alto desempenho, alta confiabilidade e facilidade de uso (ORACLE, INC., [s.d.]). De acordo com a Oracle ([s.d.]), administradora do projeto, muitas das grandes organizações e de crescimento mais

33 33 rápido do mundo, incluindo Facebook, Google, Adobe, Alcatel Lucent e Zappos utilizam o MySQL para poupar tempo e dinheiro ao otimizar os seus sites Web que possuem um alto volume de tráfego, sistemas críticos aos negócios e software empacotado. Ainda segundo a Oracle (ORACLE, INC., [s.d.]), o MySQL é um sistema de banco de dados relacional, ou seja, seus dados são armazenados em tabelas separadas em vez de colocar todos os dados em um só local. Isso adiciona velocidade e flexibilidade. Além de que qualquer pessoa, a partir da internet, pode baixar baixa-lo e usá-lo sem pagar nada. E se desejar, você pode estudar o código fonte e mudá-lo para atender às suas necessidades. Além dos motivos listados acima, a sua escolha para o desenvolvimento do sistema Brasilleiro foi feita pelo fato do desenvolvedor ter uma boa experiência com o software. E também, por causa de ser suportado em praticamente todos os serviços de hospedagens na Internet, esquivando-se assim, dos problemas com incompatibilidades existentes em outros sistemas de gerenciamento de banco de dados. O seu manuseio fica ainda mais facilitado com a integração dos softwares disponibilizados pela MySQL, que é o caso do Workbench (MYSQL WORKBENCH, 2011), ferramenta já citada e devidamente explicada no Tópico 3 deste trabalho PHP PHP, que significa "PHP: Hypertext Preprocessor" é uma linguagem de programação de ampla utilização, interpretada, que é especialmente interessante para desenvolvimento para a Web e pode ser mesclada dentro do código HTML. A sintaxe da linguagem lembra C, Java e Perl, e é fácil de aprender. O objetivo principal da linguagem é permitir a desenvolvedores escreverem páginas que serão geradas dinamicamente rapidamente, mas você pode fazer muito mais do que isso com PHP (ABT, AHTO, et al., 2011?). Sua escolha para o desenvolvimento do sistema Brasilleiro se deve ao fato de alguns fatores, tais como:

34 34 Suporte a quase todos os serviços de hospedagens existentes na Web; Experiência de cinco anos do desenvolvedor; Possui funções que permitem acessar os servidores de banco de dados MySQL; Grande comunidade de desenvolvedores ativos, prontamente para lhe dar suporte; e Assim como o MySQL, qualquer um pode baixar a partir da Internet e sua utilização é gratuita; 3.4 Modelagem do Banco de Dados Como já comentado (Tópico 3.3.2), para a modelagem e diagramação do banco de dados foi utilizado um software de design visual de banco de dados chamado Workbench em sua recente versão 5.2 (MYSQL WORKBENCH, 2011). A sua escolha se deve ao fato de sua total integração com o MySQL e a facilidade de seu manuseio através das ferramentas gráficas existentes onde com apenas alguns cliques pode-se criar um banco de dados completo, com as tabelas e relacionamentos necessários, com um Diagrama Entidade Relacionamento (DER) do seu modelo, e após, efetuar a conexão com o servidor de banco de dados podendo criar o banco no servidor ou apenas sincronizar as alterações efetuados no modelo local com o remoto. A Figura 7 apresenta um pequeno DER entre duas tabelas (usuário e mensagem) e uma janela da conexão do servidor de banco de dados com uma mensagem, avisando que a criação do novo banco de dados no servidor foi efetuado com sucesso.

35 35 Figura 7 - Diagrama entidade relacionamento. Fonte: Software MySQL Workbench (2011). O banco de dados do Brasilleiro agrega cinquenta e oito tabelas subdivididas em nove grandes módulos além das tabelas que fazem os relacionamentos entre os módulos. Entre os módulos estão inclusos o controle de acesso aos usuários, gerenciamento de prefeituras, notícias, contas públicas, licitações, concursos públicos, entre outros. Na Figura 8 pode ser visualizado o módulo de controle de acesso dos usuários. Este módulo inclui seis tabelas que se relacionam entre si sendo a tabela usuário, juntamente com a tabela prefeitura que pertence a outro módulo, o cérebro do banco.

36 36 Figura 8 - Módulo Controle de Acesso dos Usuários. Fonte: Software MySQL Workbench (2011). A tabela recurso armazena um identificador para cada recurso no sistema. É através deste identificador que é feito a verificação se o usuário tem ou não permissão para acessar certa página. Cada usuário pode ter quatro tipos distintos de privilégios dentro de um recurso, o popular CRUD (created, read, update e delete) que se encontra na tabela de mesmo nome. Caso o usuário tiver o privilégio exigido para certo recurso, é exibida a página de destino, caso contrário, será redirecionado para uma página de erro. Na tabela grupo são armazenados todos os grupos dos usuários. O administrador é um grupo, moderador é outro. Estes grupos, juntamente com a tabela recurso e crud, são os responsáveis pelo controle de acesso ao sistema. Cada usuário pertence a um grupo e herda deste, todos os privilégios necessários para a navegação no painel de controle. Por fim, a tabela usuário armazena os dados de cada usuário cadastrado. Além de informações tais como nome, data de nascimento, telefone, logradouro, cidade ou prefeitura, também é inserido o e senha do usuário que servirá como a chave de acesso ao painel de controle. Para fins de segurança, toda vez que um usuário acessar o sistema é feito um registro na tabela log_login onde é informando a data e hora de acesso, o ip de onde o usuário está acessando e logicamente seu identificador. Através disso o usuário saberá se outras pessoas estão acessando sua conta.

37 Frameworks e Bibliotecas Um framework é uma estrutura de software que é projetado para apoiar o desenvolvimento web. Por exemplo, muitos frameworks fornecem bibliotecas para o acesso ao banco de dados, suporte aos templates e a administração do sistema. Isso ajuda a promover a reutilização de código. Ao contrário das bibliotecas, é o framework quem dita o fluxo de controle da aplicação, chamado de inversão de Controle (FRAMEWORK, 2011). Os frameworks possuem muitas vantagens tais como: Maior facilidade para detecção de erros; Foco no problema que estamos tratando; e Eficiência na resolução dos problemas e otimização dos recursos. Já as bibliotecas, são coleções de subprogramas utilizados no desenvolvimento de software. Bibliotecas contêm código e dados auxiliares, que provém serviços a programas independentes, o que permite o compartilhamento e a alteração de código e dados de forma modular (BIBLIOTECA (COMPUTAÇÃO), 2011). Os frameworks e bibliotecas que serão utilizados para o desenvolvimento do sistema Brasilleiro. As suas escolhas se devem ao fato que o desenvolvedor possui uma experiência de seis anos em desenvolvimento de web e durante essa trajetória teve oportunidades de testar e usar vários frameworks e bibliotecas, com tudo, chegou a conclusão de que estes que serão listados abaixo são melhores pelos seguintes fatores: Gratuitos todos os frameworks e bibliotecas possuem licenças gratuitas para a sua utilização; Suporte e documentação são imprescindíveis para uma boa utilização. Os itens listados abaixo possuem uma comunidade de desenvolvedores espalhados pelo mundo inteiro bastante ativa e prontamente para prestar ajuda aos necessitados; Todos os itens trabalham junto, um dando suporte ao outro; e Rápidos e leves não comprometendo a aplicação.

38 Grid System Segundo Smith (2008), criador deste framework, o 960 Grid System foi inventado para agilizar o fluxo de trabalho de desenvolvimento web, proporcionando dimensões comumente usadas, com base em uma largura de 960 pixels. Sua utilização vai desde a criação dos wireframes, passando pela criação do desenho gráfico e finalizando na codificação. De acordo com Smith (SMITH, 2008), o 960 Grid System é um sistema licenciado sob GPL, ou seja, o desenvolvedor pode usá-lo gratuitamente em qualquer situação ou projeto Formee Framework para Formulários Hoje em dia a maioria dos desenvolvedores já sabem criar rapidamente o código de um menu de navegação ou uma estrutura de layout, mas tem sempre uma grande dificuldade para codificar um formulário de contato, login, newsletter, comentário, enfim, qualquer formulário de cadastro de forma semântica. Pensando nisso os desenvolvedores Bernard de Luna, Daniel Araujo e Marcello Manso criaram o Formee. Segundo Luna, Araujo e Manso (2011), autores do projeto, o Formee destinase a construção de formulários na web trabalhando com a técnica fornecida pelo 960 Grid System, criada por Smith (2008), para compor o layout do formulário, permitindo total flexibilidade para coloca-lo em qualquer site ou sistema web. Conforme seus criadores (LUNA, ARAUJO e MANSO, 2011), as principais características do Formee são: Personalizável e flexível O formulário tem uma estrutura construída em torno de larguras de porcentagem, permitindo assim a sua inclusão em qualquer projeto, adaptando-se ao espaço disponível. Formee tem o seu código estrutural independente do estilo de códigos, facilitando a personalização completa e manutenção do formulário.

39 39 Semântica e performance O formulário foi construído com o cuidado de preservar os padrões web e seus valores semânticos, trabalhando de acordo com as regras da W3C. Acessibilidade e Usabilidade Alguns elementos foram inseridos para adicionar mais valor ao seu projeto, tais como caixas de mensagens que podem ser indicados mostrando erros, avisos e alertas ou sucessos Jquery e JqueryUI O jquery é uma nova biblioteca do JavaScript. Anunciada oficialmente pela primeira vez em 14 de janeiro de 2006 por seu criador John Resig em uma sessão de demonstração de projetos em um feira chamada BarCampNYC Wrap-up (RESIG, 2006). O jquery é uma maneira rápida, concisa e simples de acessar e percorrer os elementos HTML. Através disso, um desenvolvedor pode manipular eventos fazendo animações e interações Ajax para um rápido desenvolvimento web (JQUERY, [s.d.]). Resumindo, o jquery foi projetado para mudar a maneira que o desenvolvedor escreve JavaScript. De acordo com site do projeto (JQUERY, [s.d.]), suas principais características são: Rápido e leve Em sua atual versão 1.6.2, a biblioteca pode ser utilizada para a produção através de um arquivo de 31KB; Suporte aos seletores CSS 1 ao 3; e Cross-browser é funcional em todos os navegadores, incluindo suas versões mais antigas, como é o exemplo do Internet Explorer 6 que é o terror dos desenvolvedores por causa de sua má interpretação dos elementos HTML e CSS. Já o jquery UI, fornece abstrações de baixo nível de interação e animação, efeitos avançados e de alto nível, widgets personalizáveis, construído em cima da

40 40 biblioteca JavaScript jquery, e pode ser usado para construir aplicações web altamente interativas (JQUERY UI, 2010). O jquery UI, assim como o jquery, tem seu código aberto, ou seja, qualquer um pode usar e também colaborar para o crescimento e o melhoramento da biblioteca. O jquery UI possui também internamente um framework poderoso para a criação de temas chamado ThemeRoller. Este framework possui ferramentas que torna a criação de temas, para as aplicações, rápida e fácil, como pode ser observado na Figura 9. Figura 9 - ThemeRoller - Framewok para criação de temas no jquery UI. Fonte: Jquery UI (2010). Como podem visualizar na figura acima, a interface do ThemeRoller é dividida em painéis para font global e definições de raio de canto, estilos dos containers, e os estados de interação para os elementos clicáveis, e vários estilos para sobreposições e sombras. Estes painéis permitem a configuração de várias

41 41 propriedades CSS tais como tamanho e cor da fonte, cor e textura do fundo, cor da borda, cor do ícone, raio de canto, etc Code Igniter O Code Igniter é um framework de desenvolvimento de aplicativos para quem constrói sites em PHP. Seu objetivo é permitir que o desenvolvedor desenvolva projetos mais rapidamente do que poderia se estivesse escrevendo o código do zero, proporcionando um rico conjunto de bibliotecas para as tarefas mais comuns necessárias, bem como uma interface simples e estrutura lógica para acesso aquelas bibliotecas. O CodeIgniter permite que o desenvolvedor mantenha o foco em seu projeto minimizando a quantidade de código necessário para uma dada tarefa (ELLISLAB, INC., 2011). De acordo com o Guia do usuário, escrito pela empresa mantenedora do projeto Ellislab (2011) e seus contribuintes, o CodeIgniter é ideal para o desenvolvedor que: Quer um framework leve com um grau de aprendizado pequeno; Precisa de um desempenho excepcional; Precisa de compatibilidade entre os servidores de hospedagens; Quer um framework que requer uma configuração quase zero; Quer um framework que não requer que você use a linha de comando; Não quer ser forçado a aprender uma linguagem de templates (embora um parser de template esteja disponível opcionalmente, se você desejar um); e Precisa de documentação clara e completa. Além disso, o Code Igniter utiliza o padrão de arquitetura de software MVC (Model, View, Controller) que separa a lógica de negócio da lógica de apresentação, permitindo um melhor controle na criação de softwares entre equipes, pois permite o desenvolvimento, teste e manutenção isolado de ambos. O padrão MVC é composto por três camadas, model, view e controller. Cada camada será responsável por executar funções distintas dentro da aplicação e o núcleo do framework irá fazer a comunicação entre as camadas.

42 42 A camada Model (modelo) é a responsável por fazer a interação com o banco de dados. É o Model que tem contato com as informações armazenadas e que são mostradas ao usuário final. É no Model e somente no Model que as operações de select, insert, update e delete devem acontecer. A camada View (visão), é a apresentação, é o que aparece, é o que é visualizado pelo usuário do sistema. É na View que todas as informações, incluindo às buscadas na Model, serão exibidas. É nessa camada também, que será aplicado o design da interface e a estrutura organizacional para que seja um ambiente agradável ao usuário final. Já a camada Controller (controlador), como o próprio nome sugere é o responsável por controlar todo o fluxo do sistema. O controller é o cérebro e o coração da aplicação. È esta camada que faz comunicação entre a camada model e a camada view, desde o que vai ser consultado no banco de dados à tela que vai ser exibida para o usuário que usa o sistema. A Figura 10 mostra o fluxo do sistema, criado com o codeigniter juntamente com o padrão de arquitetura MVC que está destacado, mostrando a comunicação entre as camadas e como as requisições são tratadas. Figura 10 - Fluxo de dados do codeigniter. Fonte: CodeIgniter (2011).

43 Controle de Versão Muitos problemas de desenvolvimento acontecem por falta de controle de versão. Imagine o seguinte cenário: Você está desenvolvendo um sistema para web faz mais de um mês. A versão beta já está no ar e você decide fazer algumas alterações. Porém por algum motivo, suas alterações fizeram o sistema parar totalmente e você não consegue encontrar onde foi que errou. Cenário como esse é bastante comum no mundo do programador. Agora imagina um sistema assim, sendo alterado todos os dias por uma equipe de desenvolvedores. Teria muitos erros e códigos subscritos sem saber quando foram feitos e quem fez, além das dificuldades em recuperar o código de uma versão anterior que está em produção. Para a resolução desses problemas existem os sistemas de controle de versões, VCS (do inglês Version Control System) ou ainda SCM (do inglês Source Code Management). O controle de versão subdivide-se em duas partes: o repositório e a área de trabalho. No repositório é armazenado todo o histórico da produção de um projeto. Toda alteração efetuada é registrado juntamente com o usuário que o fez em cada versionamento. Portanto, caso um usuário fizer uma alteração errada em algum arquivo, é possível voltar para uma versão anterior sem maiores transtornos. O desenvolvedor nunca trabalha diretamente com os arquivos do repositório. Ele faz uma requisição e com isso cria-se uma área de trabalho, isolada dos demais, com a cópia dos arquivos do projeto. Cada alteração feita é monitorada pelo controle de versão. Após o desenvolvedor efetuar todas suas alterações é preciso enviar os arquivos sincronizando com os do servidor. Segundo Dias (2011), existem dois tipos de controle de versão: o centralizado e o distribuído. No controle de versão centralizado existe apenas um repositório central e cada desenvolvedor tem sua área de trabalho. Já, no controle de versão distribuído, pode existir vários repositórios onde um pode ser usado para convencionar o fluxo do trabalho e cada repositório pode ter vários desenvolvedores.

44 44 Existem várias ferramentas disponíveis para o controle de versão. Porém, de acordo com Dias (2011), o recomendado para o controle de versão centralizado é o Subversion e para quem desejar utilizar distribuído o Mercurial ou o Git. Para fazer o controle de versão do sistema Brasilleiro foi utilizada a ferramenta Mercurial com o tipo distribuído. Esta ferramenta foi escolhida porque existe um site chamado Bitbucket, da empresa australiana Atlassian, que serve para o armazenamento de repositórios distribuídos, como Mercurial e Git, e que se difere dos demais concorrentes por permitir ilimitados repositórios públicos e privados (MADDOX, 2011). No Bitbucket existem diversos projetos armazenados, incluindo o Brasilleiro (OLIVEIRA, 2011). Atualmente o repositório do Brasilleiro encontra-se privado sendo mantido, atualizado e sincronizado apenas por um usuário. Mas o momento que o administrador achar conveniente incluir novos usuários ou alterar sua visualização e edição aberto ao público, basta apenas alguns cliques e o sistema passa a ser desenvolvido, por uma equipe ou qualquer desenvolvedor interessado. Na Figura 11, pode-se observar a página que exibe os versionamentos do sistema Brasilleiro. No primeiro destaque, está o endereço do repositório caso um usuário, com permissão de acesso, possa fazer um clone dos arquivos e criar sua área de trabalho. No segundo destaque, aparece o número total de versões feitas no projeto. E no terceiro destaque estão os últimos versionamentos do sistema, mostrando a data que foi efetuada, a descrição das alterações, o código da revisão e quem enviou.

45 45 Figura 11 - Versões do projeto Brasilleiro no Bitbucket. Fonte: Bitbucket ([s.d.]) 3.7 Recursos Implementados Este tópico apresenta uma breve descrição de cada um dos recursos implementados neste protótipo, destacando suas principais funções ACL Access Control List (ACL) é a Lista de Controle de Acesso dos usuários. Esta lista define quais usuários vão ter permissão de acesso aos serviços. Esta prática é normalmente usada para servidores de rede, onde o administrador atribui os tipos de acesso aos grupos de usuários. No Brasilleiro foi aplicado o conceito de ACL, por se tratar de uma forma bastante dinâmica e simples de implementar. Este conceito, por abranger três recursos, vamos tratar como um módulo do sistema. Primeiramente, para um cidadão ter acesso ao sistema, o mesmo deve já possuir um login e senha ou efetuar o cadastro. Caso a segunda a opção for escolhida, o cidadão será encaminhado para uma nova página onde deverá preencher, no formulário de cadastro, alguns campos requeridos, tais como nome, , senha e a cidade caso não houver sua prefeitura disponível. Por padrão, o novo usuário cadastrado vai pertencer ao grupo dos cidadãos e possuir todos os privilégios que o grupo disponibiliza.

46 46 Na Figura 12 é possível visualizar o formulário de login, à esquerda, e o de cadastro de novos usuários, à direita. Figura 12 - Páginas de login e cadastro de usuários. Fonte: Protótipo do Brasilleiro. O administrador do Brasilleiro possui acesso a todos os recursos do sistema. Isso inclui o gerenciamento do módulo ACL que abrange as páginas dos recursos, grupos e usuários. Através destes, o usuário tem controle total sob o sistema, podendo cadastrar e excluir recursos, grupos e usuários Recursos Neste item, o administrador gerencia todos os recursos disponíveis no sistema (ver Figura 13). Os campos do formulário de cadastro são: Nome do recurso; Nome identificador este nome servirá para o sistema verificar se um usuário possui privilégios de acesso ao recurso; Descrição uma breve descrição sobre o que o recurso faz; Este recurso pertence ao: Sistema de prefeituras ou Sistema administrativo Brasilleiro; e Situação ativo ou inativo. Caso o recurso estiver inativo, nenhum usuário poderá acessá-lo;

47 47 Figura 13 - Formulário de cadastro dos recursos. Fonte: Protótipo do Brasilleiro Grupos Os grupos são peças fundamentais dentro do sistema administrativo da ferramenta. Cada usuário precisa obrigatoriamente pertencer a um grupo, que por sua vez é vinculado aos recursos. Atualmente existem apenas três grupos principais no Brasilleiro, como podemos observar na Figura 14. O Administrador Master possui acesso total ao sistema administrativo. O Administrador de Prefeituras possui acesso às páginas de cadastros da prefeitura que o usuário pertence. Já o Cidadão têm acesso apenas ao seu painel de controle, podendo fazer alterações em seu próprio perfil e interagir com alguns recursos como comentários nas notícias, enviar novas imagens nas galerias, entre outras.

48 48 Figura 14 - Relatório dos grupos de usuários cadastrados. Fonte: Protótipo do Brasilleiro. 15): O formulário de cadastro dos grupos contêm os seguintes campos (ver Figura Nome do grupo exemplo: Administrador Master; Situação do grupo ativo ou inativo. Caso o grupo estiver inativo, seus usuários não poderão entrar no sistema; Descrição do grupo; Recursos nesta tabela são escolhidos quais recursos o grupo terá acesso e quais os privilégios de cada um;

49 49 Figura 15 - Formulário de cadastro dos grupos. Fonte: Protótipo do Brasilleiro.

Autoria Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web

Autoria Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web Apresentação Thiago Miranda Email: mirandathiago@gmail.com Site: www.thiagomiranda.net Objetivos da Disciplina Conhecer os limites de atuação profissional em Web

Leia mais

Desenvolvendo para WEB

Desenvolvendo para WEB Nível - Básico Desenvolvendo para WEB Por: Evandro Silva Neste nosso primeiro artigo vamos revisar alguns conceitos que envolvem a programação de aplicativos WEB. A ideia aqui é explicarmos a arquitetura

Leia mais

História e Evolução da Web. Aécio Costa

História e Evolução da Web. Aécio Costa Aécio Costa A História da Web O que estamos estudando? Período em anos que a tecnologia demorou para atingir 50 milhões de usuários 3 As dez tecnologias mais promissoras 4 A evolução da Web Web 1.0- Passado

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN José Agostinho Petry Filho 1 ; Rodrigo de Moraes 2 ; Silvio Regis da Silva Junior 3 ; Yuri Jean Fabris 4 ; Fernando Augusto

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Se ainda tiver dúvidas entre em contato com a equipe de atendimento: Por telefone: 0800 642 3090 Por e-mail atendimento@oisolucoespraempresas.com.br Introdução... 3 1. O que é o programa Oi Backup Empresarial?...

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO DESCRIÇÃO DO SIGAI O SIGAI (Sistema Integrado de Gestão do Acesso à Informação) é uma solução de software que foi desenvolvida para automatizar os processos administrativos e operacionais visando a atender

Leia mais

ESTRUTURA PARA PORTAIS ELETRÔNICOS MUNICIPAIS

ESTRUTURA PARA PORTAIS ELETRÔNICOS MUNICIPAIS ESTRUTURA PARA PORTAIS ELETRÔNICOS MUNICIPAIS 1. Apresentação Os sites e sistemas web desenvolvidos pela Dynamika apresentam um conjunto de critérios de desenvolvimento que visam entregar o projeto de

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL ALUNO Versão 1.0 2014 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE

Leia mais

Flex. MANUAL DE USO DA FERRAMENTA FLEX O Flex como gerenciador de conteúdo

Flex. MANUAL DE USO DA FERRAMENTA FLEX O Flex como gerenciador de conteúdo 2011 MANUAL DE USO DA FERRAMENTA FLEX O Flex como gerenciador de conteúdo Aprenda como é simples utilizar a ferramenta Flex como seu gerenciador de conteúdo online. Flex Desenvolvido pela ExpandWEB 31/01/2011

Leia mais

Ferramentas desenvolvidas internamente não atendem às necessidades de crescimento, pois precisam estar sendo permanentemente aperfeiçoadas;

Ferramentas desenvolvidas internamente não atendem às necessidades de crescimento, pois precisam estar sendo permanentemente aperfeiçoadas; APRESENTAÇÃO O Myself é um sistema de gerenciamento de conteúdo para websites desenvolvido pela Genial Box Propaganda. Seu grande diferencial é permitir que o conteúdo de seu website possa ser modificado

Leia mais

M a n u a l d o R e c u r s o Q m o n i t o r

M a n u a l d o R e c u r s o Q m o n i t o r M a n u a l d o R e c u r s o Q m o n i t o r i t i l advanced Todos os direitos reservados à Constat. Uso autorizado mediante licenciamento Qualitor Porto Alegre RS Av. Ceará, 1652 São João 90240-512

Leia mais

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento HOME O QUE É TOUR MÓDULOS POR QUE SOMOS DIFERENTES METODOLOGIA CLIENTES DÚVIDAS PREÇOS FALE CONOSCO Suporte Sou Cliente Onde sua empresa quer chegar? Sistemas de gestão precisam ajudar sua empresa a atingir

Leia mais

Versão 1.0 Janeiro de 2011. Xerox Phaser 3635MFP Plataforma de interface extensível

Versão 1.0 Janeiro de 2011. Xerox Phaser 3635MFP Plataforma de interface extensível Versão 1.0 Janeiro de 2011 Xerox Phaser 3635MFP 2011 Xerox Corporation. XEROX e XEROX e Design são marcas da Xerox Corporation nos Estados Unidos e/ou em outros países. São feitas alterações periodicamente

Leia mais

Novell Vibe 3.4. Novell. 1º de julho de 2013. Inicialização Rápida. Iniciando o Novell Vibe. Conhecendo a interface do Novell Vibe e seus recursos

Novell Vibe 3.4. Novell. 1º de julho de 2013. Inicialização Rápida. Iniciando o Novell Vibe. Conhecendo a interface do Novell Vibe e seus recursos Novell Vibe 3.4 1º de julho de 2013 Novell Inicialização Rápida Quando você começa a usar o Novell Vibe, a primeira coisa a se fazer é configurar sua área de trabalho pessoal e criar uma área de trabalho

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

O melhor do PHP. Por que PHP? CAPÍTULO 1. Uma Pequena História do PHP

O melhor do PHP. Por que PHP? CAPÍTULO 1. Uma Pequena História do PHP CAPÍTULO 1 O melhor do PHP Este livro levou bastante tempo para ser feito. Venho usando agora o PHP por muitos anos e o meu amor por ele aumenta cada vez mais por sua abordagem simplista, sua flexibilidade

Leia mais

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Disciplina: Programação Orientada a Objetos II Professor: Cheli dos S. Mendes da Costa Modelo Cliente- Servidor Modelo de Aplicação Cliente-servidor Os

Leia mais

PRODUTO 1 (CONSTRUÇÃO DE PORTAL WEB)

PRODUTO 1 (CONSTRUÇÃO DE PORTAL WEB) RELATÓRIO DE ENTREGA DO PRODUTO 1 (CONSTRUÇÃO DE PORTAL WEB) PARA A ELABORAÇÃO DOS PLANOS MUNICIPAIS DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS PMGIRS PARA OS MUNICÍPIOS DE NOVO HORIZONTE, JUPIÁ, GALVÃO,

Leia mais

Manual de referência do HP Web Jetadmin Database Connector Plug-in

Manual de referência do HP Web Jetadmin Database Connector Plug-in Manual de referência do HP Web Jetadmin Database Connector Plug-in Aviso sobre direitos autorais 2004 Copyright Hewlett-Packard Development Company, L.P. A reprodução, adaptação ou tradução sem permissão

Leia mais

INTRODUÇÃO. A Claireconference agradece pela escolha!

INTRODUÇÃO. A Claireconference agradece pela escolha! 1 ÍNDICE 1. IMPLEMENTAÇÃO 4 1.1 PAINEL DE CONTROLE 4 1.1.1 SENHA 4 1.1.2 CRIAÇÃO DE USUÁRIOS DO LYNC 5 1.1.3 REDEFINIR SENHA 7 1.1.4 COMPRAR COMPLEMENTOS 9 1.1.5 UPGRADE E DOWNGRADE 10 1.1.5.1 UPGRADE

Leia mais

ANEXO 11. Framework é um conjunto de classes que colaboram para realizar uma responsabilidade para um domínio de um subsistema da aplicação.

ANEXO 11. Framework é um conjunto de classes que colaboram para realizar uma responsabilidade para um domínio de um subsistema da aplicação. ANEXO 11 O MATRIZ Para o desenvolvimento de sites, objeto deste edital, a empresa contratada obrigatoriamente utilizará o framework MATRIZ desenvolvido pela PROCERGS e disponibilizado no início do trabalho.

Leia mais

GANHE DINHEIRO FACIL GASTANDO APENAS ALGUMAS HORAS POR DIA

GANHE DINHEIRO FACIL GASTANDO APENAS ALGUMAS HORAS POR DIA GANHE DINHEIRO FACIL GASTANDO APENAS ALGUMAS HORAS POR DIA Você deve ter em mente que este tutorial não vai te gerar dinheiro apenas por você estar lendo, o que você deve fazer e seguir todos os passos

Leia mais

1. ACESSO AO SISTEMA. LOGIN E SENHA Para ter acesso ao painel administrativo de seu site, acesse o link: http://atualiza.urldosite.com.

1. ACESSO AO SISTEMA. LOGIN E SENHA Para ter acesso ao painel administrativo de seu site, acesse o link: http://atualiza.urldosite.com. Manual de uso 1. ACESSO AO SISTEMA LOGIN E SENHA Para ter acesso ao painel administrativo de seu site, acesse o link: http://atualiza.urldosite.com.br Após acessar o link acima, favor digitar seu LOGIN

Leia mais

Guia do usuário do Seagate Dashboard

Guia do usuário do Seagate Dashboard Guia do usuário do Seagate Dashboard Guia do usuário do Seagate Dashboard 2013 Seagate Technology LLC. Todos os direitos reservados. Seagate, Seagate Technology, o logotipo Wave e FreeAgent são marcas

Leia mais

Sumário Aspectos Básicos... 3 Como Empresas usam o Facebook... 3 Introdução ao Facebook... 4 Criando um Cadastro... 5 Confirmando E-mail...

Sumário Aspectos Básicos... 3 Como Empresas usam o Facebook... 3 Introdução ao Facebook... 4 Criando um Cadastro... 5 Confirmando E-mail... FACEBOOK Sumário Aspectos Básicos... 3 Como Empresas usam o Facebook... 3 Introdução ao Facebook... 4 Criando um Cadastro... 5 Confirmando E-mail... 8 Características do Facebook... 10 Postagens... 11

Leia mais

CA Nimsoft Monitor Snap

CA Nimsoft Monitor Snap CA Nimsoft Monitor Snap Guia de Configuração do Gateway de email emailgtw série 2.7 Avisos legais Copyright 2013, CA. Todos os direitos reservados. Garantia O material contido neste documento é fornecido

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Criação de Formulários no Google Drive Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Criação de Formulários no Google Drive Introdução...

Leia mais

Portal Contador Parceiro

Portal Contador Parceiro Portal Contador Parceiro Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa 1. Portal Contador Parceiro... 03 2. Acesso ao Portal... 04 3. Profissionais...11 4. Restrito...16 4.1 Perfil... 18 4.2 Artigos...

Leia mais

Novell Vibe 4.0. Março de 2015. Inicialização Rápida. Iniciando o Novell Vibe. Conhecendo a interface do Novell Vibe e seus recursos

Novell Vibe 4.0. Março de 2015. Inicialização Rápida. Iniciando o Novell Vibe. Conhecendo a interface do Novell Vibe e seus recursos Novell Vibe 4.0 Março de 2015 Inicialização Rápida Quando você começa a usar o Novell Vibe, a primeira coisa a se fazer é configurar sua área de trabalho pessoal e criar uma área de trabalho de equipe.

Leia mais

Manual Vivo Sync. Manual do Usuário. Versão 1.0.0. Copyright Vivo 2013. http://vivosync.com.br

Manual Vivo Sync. Manual do Usuário. Versão 1.0.0. Copyright Vivo 2013. http://vivosync.com.br Manual do Usuário Versão 1.0.0 Copyright Vivo 2013 http://vivosync.com.br 1 1 Índice 1 Índice... 2 2 Vivo Sync... 5 3 Vivo Sync Web... 6 3.1 Página Inicial... 6 3.1.1 Novo Contato... 7 3.1.2 Editar Contato...

Leia mais

Manual do Usuário Janeiro de 2016

Manual do Usuário Janeiro de 2016 Manual do Usuário Janeiro de 2016 SOBRE CMX CMX é uma interface que dá acesso aos estudantes a milhares de atividades, exercícios e recursos todos posicionados com os padrões e conceitos curriculares.

Leia mais

MANUAL DE ADMINISTRAÇÃO DO SOFTWARE E COMUNIDADES DO PORTAL DO SOFTWARE PÚBLICO BRASILEIRO. Em construção

MANUAL DE ADMINISTRAÇÃO DO SOFTWARE E COMUNIDADES DO PORTAL DO SOFTWARE PÚBLICO BRASILEIRO. Em construção MANUAL DE ADMINISTRAÇÃO DO SOFTWARE E COMUNIDADES DO PORTAL DO SOFTWARE PÚBLICO BRASILEIRO Em construção Índice 1. Introdução 2. Cadastrar e Logar no Portal 3. Plataforma de redes Sociais Noosfero 3.1.

Leia mais

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE Manual de Utilização do MSDN-AA Software Center Aracaju/SE 2009 Sumário Apresentação... 3 1. Solicitando ativação no MSDN-AA... 3 2. Acessando o Portal

Leia mais

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 Este tutorial não tem como finalidade esgotar todas as funcionalidades do Ambiente, ele aborda de forma prática

Leia mais

Manual Vivo Sync. Manual do Usuário. Versão 1.0.0. Copyright Vivo 2013. http://vivosync.com.br

Manual Vivo Sync. Manual do Usuário. Versão 1.0.0. Copyright Vivo 2013. http://vivosync.com.br Manual do Usuário Versão 1.0.0 Copyright Vivo 2013 http://vivosync.com.br 1 1 Índice 1 Índice... 2 2 Vivo Sync... 4 3 Vivo Sync Web... 5 3.1 Página Inicial... 5 3.1.1 Novo Contato... 6 3.1.2 Editar Contato...

Leia mais

NOVO COMPONENTE ASSINADOR ESEC

NOVO COMPONENTE ASSINADOR ESEC NOTAS FISCAIS DE SERVIÇO ELETRÔNICAS PREFEITURA DE JUIZ DE FORA COMPLEMENTO AO SUPORTE A ATENDIMENTO NÍVEL 1 1.0 Autor: Juiz de Fora, Fevereiro 2015. PÁGINA 1 DE 38 SUMÁRIO 1REQUISITOS MÍNIMOS CONFIGURAÇÕES

Leia mais

Instalação de Moodle 1

Instalação de Moodle 1 Instalação de Moodle (local em Windows XP) 1. Introdução...2 2. Instalação de XAMPP...3 3. Instalação de Moodle...9 3.1. Download de Moodle...9 3.2. Criar uma Base de Dados...10 3.3. Instalação de Moodle...11

Leia mais

2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO

2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO INDICE 1. INTRODUÇÃO 2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO 2.1. COMPARTILHANDO O DIRETÓRIO DO APLICATIVO 3. INTERFACE DO APLICATIVO 3.1. ÁREA DO MENU 3.1.2. APLICANDO A CHAVE DE LICENÇA AO APLICATIVO 3.1.3 EFETUANDO

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL

TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E ANALISTA (EXCETO PARA O CARGO 4 e 8) GABARITO 1. (CESPE/2013/MPU/Conhecimentos Básicos para os cargos 34 e 35) Com a cloud computing,

Leia mais

Implementar servidores de Web/FTP e DFS. Disciplina: Serviços de Redes Microsoft Professor: Fernando Santorsula fernando.santorsula@esamc.

Implementar servidores de Web/FTP e DFS. Disciplina: Serviços de Redes Microsoft Professor: Fernando Santorsula fernando.santorsula@esamc. Implementar servidores de Web/FTP e DFS Disciplina: Serviços de Redes Microsoft Professor: Fernando Santorsula fernando.santorsula@esamc.br Conteúdo programático Introdução ao protocolo HTTP Serviço web

Leia mais

APOSTILA BÁSICA INFORMÁTICA: 1. PROCESSADOR DE TEXTOS 1.1 Conhecendo o aplicativo Word 2007 2.EDITOR DE PLANILHAS

APOSTILA BÁSICA INFORMÁTICA: 1. PROCESSADOR DE TEXTOS 1.1 Conhecendo o aplicativo Word 2007 2.EDITOR DE PLANILHAS APOSTILA BÁSICA INFORMÁTICA: 1. PROCESSADOR DE TEXTOS 1.1 Conhecendo o aplicativo Word 2007 2.EDITOR DE PLANILHAS 3.INTERNET 3.1. Internet: recursos e pesquisas 3.2. Conhecendo a Web 3.3. O que é um navegador?

Leia mais

Guia de Inicialização para o Windows

Guia de Inicialização para o Windows Intralinks VIA Versão 2.0 Guia de Inicialização para o Windows Suporte 24/7/365 da Intralinks EUA: +1 212 543 7800 Reino Unido: +44 (0) 20 7623 8500 Consulte a página de logon da Intralinks para obter

Leia mais

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning www.pwi.com.br 1 Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado,

Leia mais

CONCEITOS INICIAIS. Agenda A diferença entre páginas Web, Home Page e apresentação Web;

CONCEITOS INICIAIS. Agenda A diferença entre páginas Web, Home Page e apresentação Web; CONCEITOS INICIAIS Agenda A diferença entre páginas Web, Home Page e apresentação Web; O que é necessário para se criar páginas para a Web; Navegadores; O que é site, Host, Provedor e Servidor Web; Protocolos.

Leia mais

Produto IV: ATU SAAP. Manual de Referência

Produto IV: ATU SAAP. Manual de Referência Produto IV: ATU SAAP Manual de Referência Pablo Nogueira Oliveira Termo de Referência nº 129275 Contrato Número 2008/000988 Brasília, 30 de outubro de 2008 1 Sistema de Apoio à Ativideade Parlamentar SAAP

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL AMBIENTE VIRTUAL INSTITUCIONAL MOODLE/UFFS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL AMBIENTE VIRTUAL INSTITUCIONAL MOODLE/UFFS UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL AMBIENTE VIRTUAL INSTITUCIONAL MOODLE/UFFS Guia Inicial de Acesso e Utilização Para Docentes Versão 1.0b Outubro/2010 Acesso e utilização do Ambiente Virtual de Ensino

Leia mais

O Blog do Conhecimento (http://blog.df.sebrae.com.br/ugc), desenvolvido pela UGC, é uma

O Blog do Conhecimento (http://blog.df.sebrae.com.br/ugc), desenvolvido pela UGC, é uma MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO BLOG DO CONHECIMENTO APRESENTAÇÃO O Blog do Conhecimento (http://blog.df.sebrae.com.br/ugc), desenvolvido pela UGC, é uma ferramenta de COLABORAÇÃO que tem como objetivo facilitar

Leia mais

O QUE FAZEMOS MISSÃO VISÃO QUEM SOMOS

O QUE FAZEMOS MISSÃO VISÃO QUEM SOMOS O QUE FAZEMOS Provemos consultoria nas áreas de comunicação online, especializados em sites focados na gestão de conteúdo, sincronização de documentos, planilhas e contatos online, sempre integrados com

Leia mais

Manual do Usuário Cyber Square

Manual do Usuário Cyber Square Manual do Usuário Cyber Square Criado dia 27 de março de 2015 as 12:14 Página 1 de 48 Bem-vindo ao Cyber Square Parabéns! Você está utilizando o Cyber Square, o mais avançado sistema para gerenciamento

Leia mais

1998-2009 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados.

1998-2009 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados. Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda. Nesse caso, somente a Domínio Sistemas poderá ter

Leia mais

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1 MANUAL DO USUÁRIO Índice 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema... 4 2.1. Instalação... 4 2.1.1. Servidor - Computador Principal... 4 2.1.2. Estação - Computador na Rede... 6 2.1.3. Estação - Mapeamento

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS DE INTERNET. Disciplina: INFORMÁTICA 1º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA

CONCEITOS BÁSICOS DE INTERNET. Disciplina: INFORMÁTICA 1º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA CONCEITOS BÁSICOS DE INTERNET Disciplina: INFORMÁTICA 1º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA conceito inicial Amplo sistema de comunicação Conecta muitas redes de computadores Apresenta-se de várias formas Provê

Leia mais

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA Guia rápido A PLATAFORMA MOODLE Moodle (Modular Object Oriented Distance LEarning) é um Sistema para Gerenciamento de Cursos (SGC). Trata-se de um programa para computador

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA. REFERENTE AO CONVÊNIO MDIC nº 39/2012 SICONV 781212/2012. Tipo: Menor Preço e Melhor Técnica

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA. REFERENTE AO CONVÊNIO MDIC nº 39/2012 SICONV 781212/2012. Tipo: Menor Preço e Melhor Técnica ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA REFERENTE AO CONVÊNIO MDIC nº 39/2012 SICONV 781212/2012 Tipo: Menor Preço e Melhor Técnica Este documento contém a descrição detalhada do objeto a ser contratado, os serviços

Leia mais

Microsoft Office Outlook Web Access ABYARAIMOVEIS.COM.BR

Microsoft Office Outlook Web Access ABYARAIMOVEIS.COM.BR Microsoft Office Outlook Web Access ABYARAIMOVEIS.COM.BR 1 Índice: 01- Acesso ao WEBMAIL 02- Enviar uma mensagem 03- Anexar um arquivo em uma mensagem 04- Ler/Abrir uma mensagem 05- Responder uma mensagem

Leia mais

ADOBE FLASH PLAYER 10.3 Gerenciador de configurações locais

ADOBE FLASH PLAYER 10.3 Gerenciador de configurações locais ADOBE FLASH PLAYER 10.3 Gerenciador de configurações locais PRERELEASE 03/07/2011 Avisos legais Avisos legais Para consultar avisos legais, acesse o site http://help.adobe.com/pt_br/legalnotices/index.html.

Leia mais

Requisitos Mínimos para instalação do Antivírus McAfee

Requisitos Mínimos para instalação do Antivírus McAfee Requisitos Mínimos para instalação do Antivírus McAfee Requisitos Mínimos do computador: Microsoft Windows 2000 (32 bits) com Service Pack 4 (SP4) ou superior, Windows XP (32 bits) com Service Pack 1 (SP1)

Leia mais

www.f2b.com.br 18/04/2006 Micropagamento F2b Web Services Web rev 00

www.f2b.com.br 18/04/2006 Micropagamento F2b Web Services Web rev 00 www.f2b.com.br 18/04/2006 Micropagamento F2b Web Services Web rev 00 Controle de Revisões Micropagamento F2b Web Services/Web 18/04/2006 Revisão Data Descrição 00 17/04/2006 Emissão inicial. www.f2b.com.br

Leia mais

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software.

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software. 1 - Sumário 1 - Sumário... 2 2 O Easy Chat... 3 3 Conceitos... 3 3.1 Perfil... 3 3.2 Categoria... 4 3.3 Ícone Específico... 4 3.4 Janela Específica... 4 3.5 Ícone Geral... 4 3.6 Janela Geral... 4 4 Instalação...

Leia mais

Conteúdo Programático de PHP

Conteúdo Programático de PHP Conteúdo Programático de PHP 1 Por que PHP? No mercado atual existem diversas tecnologias especializadas na integração de banco de dados com a WEB, sendo o PHP a linguagem que mais se desenvolve, tendo

Leia mais

MOODLE é o acrónimo de "Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment. Executado em um AVA - Ambiente Virtual de Apresendizagem;

MOODLE é o acrónimo de Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment. Executado em um AVA - Ambiente Virtual de Apresendizagem; MOODLE é o acrónimo de "Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment Software livre, de apoio à aprendizagem; Executado em um AVA - Ambiente Virtual de Apresendizagem; A expressão designa ainda

Leia mais

DMS Documento de Modelagem de Sistema. Versão: 1.4

DMS Documento de Modelagem de Sistema. Versão: 1.4 DMS Documento de Modelagem de Sistema Versão: 1.4 VERANEIO Gibson Macedo Denis Carvalho Matheus Pedro Ingrid Cavalcanti Rafael Ribeiro Tabela de Revisões Versão Principais Autores da Versão Data de Término

Leia mais

1998-2009 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados.

1998-2009 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados. Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda. Nesse caso, somente a Domínio Sistemas poderá ter

Leia mais

Kerio Exchange Migration Tool

Kerio Exchange Migration Tool Kerio Exchange Migration Tool Versão: 7.3 2012 Kerio Technologies, Inc. Todos os direitos reservados. 1 Introdução Documento fornece orientações para a migração de contas de usuário e as pastas públicas

Leia mais

Como Configurar Catálogos de Correio Eletrônico com o MDaemon 6.0

Como Configurar Catálogos de Correio Eletrônico com o MDaemon 6.0 Como Configurar Catálogos de Correio Eletrônico com o MDaemon 6.0 Alt-N Technologies, Ltd 1179 Corporate Drive West, #103 Arlington, TX 76006 Tel: (817) 652-0204 2002 Alt-N Technologies. Todos os Direitos

Leia mais

Satélite. Manual de instalação e configuração. CENPECT Informática www.cenpect.com.br cenpect@cenpect.com.br

Satélite. Manual de instalação e configuração. CENPECT Informática www.cenpect.com.br cenpect@cenpect.com.br Satélite Manual de instalação e configuração CENPECT Informática www.cenpect.com.br cenpect@cenpect.com.br Índice Índice 1.Informações gerais 1.1.Sobre este manual 1.2.Visão geral do sistema 1.3.História

Leia mais

Guia de Usuário do Gateway do Avigilon Control Center. Versão 5.6

Guia de Usuário do Gateway do Avigilon Control Center. Versão 5.6 Guia de Usuário do Gateway do Avigilon Control Center Versão 5.6 2006-2015 Avigilon Corporation. Todos os direitos reservados. A menos que seja expressamente concedida por escrito, nenhuma licença será

Leia mais

www.neteye.com.br NetEye Guia de Instalação

www.neteye.com.br NetEye Guia de Instalação www.neteye.com.br NetEye Guia de Instalação Índice 1. Introdução... 3 2. Funcionamento básico dos componentes do NetEye...... 3 3. Requisitos mínimos para a instalação dos componentes do NetEye... 4 4.

Leia mais

Software de gerenciamento do sistema Intel. Guia do usuário do Pacote de gerenciamento do servidor modular Intel

Software de gerenciamento do sistema Intel. Guia do usuário do Pacote de gerenciamento do servidor modular Intel Software de gerenciamento do sistema Intel do servidor modular Intel Declarações de Caráter Legal AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NESTE DOCUMENTO SÃO RELACIONADAS AOS PRODUTOS INTEL, PARA FINS DE SUPORTE ÀS PLACAS

Leia mais

1. DOTPROJECT. 1.2. Tela Inicial

1. DOTPROJECT. 1.2. Tela Inicial 1 1. DOTPROJECT O dotproject é um software livre de gerenciamento de projetos, que com um conjunto simples de funcionalidades e características, o tornam um software indicado para implementação da Gestão

Leia mais

INTRODUÇÃO: 1 - Conectando na sua conta

INTRODUÇÃO: 1 - Conectando na sua conta INTRODUÇÃO: Com certeza a reação da maioria dos que lerem esse mini manual e utilizarem o servidor vão pensar: "mas porque eu tenho que usar um console se em casa eu tenho uma interface gráfica bonito

Leia mais

Microsoft Office 2007

Microsoft Office 2007 Produzido pela Microsoft e adaptado pelo Professor Leite Júnior Informática para Concursos Microsoft Office 2007 Conhecendo o Office 2007 Visão Geral Conteúdo do curso Visão geral: A nova aparência dos

Leia mais

Conteúdo. Curso de Introdução ao Plone. O que é Plone. Parte I Conceitos básicos

Conteúdo. Curso de Introdução ao Plone. O que é Plone. Parte I Conceitos básicos Curso de Introdução ao Plone Conteúdo Parte I - Conceitos básicos Parte II - Interface do Plone Parte III - Gerenciamento de usuários Modulo A Instrutores Carlos Alberto Alves Meira Laurimar Gonçalves

Leia mais

JOOMLA V3.2 PARA INICIANTES

JOOMLA V3.2 PARA INICIANTES JOOMLA V3.2 PARA INICIANTES Material desenvolvido para uso no ensino da plataforma Joomla para alunos de graduação do Instituto de Arquitetura e Urbanismo de São Carlos Autor: Daniel Picon Versão 1.1 -

Leia mais

milenaresende@fimes.edu.br

milenaresende@fimes.edu.br Fundação Integrada Municipal de Ensino Superior Sistemas de Informação A Internet, Intranets e Extranets milenaresende@fimes.edu.br Uso e funcionamento da Internet Os dados da pesquisa de TIC reforçam

Leia mais

Curso de Introdução ao Plone. Instrutores Carlos Alberto Alves Meira Erick Gallani

Curso de Introdução ao Plone. Instrutores Carlos Alberto Alves Meira Erick Gallani Curso de Introdução ao Plone Instrutores Carlos Alberto Alves Meira Erick Gallani Conteúdo Parte I - Conceitos básicos Parte II - Interface do Plone Parte III - Gerenciamento de usuários Parte IV - Criação

Leia mais

Lição 4 - Primeiros passos no Linux Ubuntu 11.04

Lição 4 - Primeiros passos no Linux Ubuntu 11.04 Lição 4 - Primeiros passos no Linux Ubuntu 11.04 Olá Aluno Os objetivos específicos desta lição são: - reconhecer o Ubuntu como mais uma alternativa de sistema operacional; - conhecer os elementos da área

Leia mais

Estratégia para fazer cópias de segurança ( backup ) em nuvem

Estratégia para fazer cópias de segurança ( backup ) em nuvem 1 de 20 Estratégia para fazer cópias de segurança ( backup ) em nuvem Resolvi documentar uma solução que encontrei para fazer minhas cópias de segurança. Utilizo um software gratuito chamado Cobian Backup

Leia mais

MANUAL DO ALUNO. Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA. http://www.fgf.edu.br

MANUAL DO ALUNO. Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA. http://www.fgf.edu.br MANUAL DO ALUNO Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA http://www.fgf.edu.br Sala Virtual TelEduc O TelEduc é um ambiente virtual desenvolvido Unicamp para apoiar professores

Leia mais

Manual TIM PROTECT BACKUP. Manual do Usuário. Versão 1.0.0. Copyright TIM PROTECT BACKUP 2013. http://timprotect.com.br/

Manual TIM PROTECT BACKUP. Manual do Usuário. Versão 1.0.0. Copyright TIM PROTECT BACKUP 2013. http://timprotect.com.br/ Manual do Usuário Versão 1.0.0 Copyright TIM PROTECT BACKUP 2013 http://timprotect.com.br/ 1 1 Índice 1 Índice... 2 2 TIM PROTECT BACKUP...Erro! Indicador não definido. 3 TIM PROTECT BACKUP Web... 6 3.1

Leia mais

Prefeitura de Belo Horizonte. Sistema de Controle de Protocolo

Prefeitura de Belo Horizonte. Sistema de Controle de Protocolo Prefeitura de Belo Horizonte Sistema de Controle de Protocolo Relatório apresentado para concorrer ao 2º Prêmio Inovar BH conforme Edital SMARH nº 001/2014 Belo Horizonte Julho de 2014 Resumo Sendo grande

Leia mais

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3. A série... 3

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3. A série... 3 WORD 2007 E 2010 ÍNDICE ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3 A série... 3 01 CAPTURAS DE TELA WORD 2010... 3 02 IMAGENS 2007/2010... 5 03 NOTAS DE RODAPÉ... 13 04 NUMERAÇÃO DE PÁGINAS... 15 05 CONTAR PALAVRAS...

Leia mais

Afinal o que é HTML?

Afinal o que é HTML? Aluno : Jakson Nunes Tavares Gestão e tecnologia da informacão Afinal o que é HTML? HTML é a sigla de HyperText Markup Language, expressão inglesa que significa "Linguagem de Marcação de Hipertexto". Consiste

Leia mais

Manual do Usuário Nextel Cloud. Manual do Usuário. Versão 1.0.0. Copyright Nextel 2014. http://nextelcloud.nextel.com.br

Manual do Usuário Nextel Cloud. Manual do Usuário. Versão 1.0.0. Copyright Nextel 2014. http://nextelcloud.nextel.com.br Manual do Usuário Versão 1.0.0 Copyright Nextel 2014 http://nextelcloud.nextel.com.br 1 Nextel Cloud... 4 2 Nextel Cloud Web... 5 2.1 Página Inicial... 6 2.1.1 Meu Perfil... 7 2.1.2 Meu Dispositivo...

Leia mais

Anexo V - Planilha de Apuração Aquisição de Solução de Redes Sociais

Anexo V - Planilha de Apuração Aquisição de Solução de Redes Sociais Anexo V - Planilha de Apuração Aquisição de Solução de Redes Sociais Será utilizado o seguinte critério: Atende / Não atende (Atende em parte será considerado Não atende) Item Itens a serem avaliados conforme

Leia mais

Conteúdo Manual do sistema de ajuda do KDE

Conteúdo Manual do sistema de ajuda do KDE 2 Conteúdo 1 Manual do sistema de ajuda do KDE 5 1.1 Sistema de ajuda do KDE................................. 5 1.1.1 Instalação...................................... 5 1.2 Invocar a ajuda.......................................

Leia mais

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Banco de Dados de Músicas Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Definição Aplicação Web que oferece ao usuário um serviço de busca de músicas e informações relacionadas, como compositor, interprete,

Leia mais

6 Aplicações Ricas para Internet

6 Aplicações Ricas para Internet 6 Aplicações Ricas para Internet DESENVOLVIMENTO WEB II - 7136 6.1. Evolução das aplicações para web O crescente número de pessoas que usufruem da informatização das tarefas cotidianas, viabilizadas na

Leia mais

Usando ferramentas já conhecidas integradas ao Visual Studio Team System 2008

Usando ferramentas já conhecidas integradas ao Visual Studio Team System 2008 Usando ferramentas já conhecidas integradas ao Visual Studio Team System 2008 White Paper Maio de 2008 Para obter as últimas informações, visite o site www.microsoft.com/teamsystem As informações contidas

Leia mais

Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina

Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Programação para Internet Rica 1 Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Objetivo: Identificar as principais características de uma Aplicação Internet Rica.

Leia mais

Desenvolvimento de Software Livre para a área

Desenvolvimento de Software Livre para a área Desenvolvimento de Software Livre para a área de Saúde Daniel Weingaertner Departamento de Informática UFPR Centro de Computação Científica e Software Livre C3SL Programa de Extensão Conhecendo Padrões

Leia mais

BlackBerry Internet Service. Versão: 4.5.1. Guia do usuário

BlackBerry Internet Service. Versão: 4.5.1. Guia do usuário BlackBerry Internet Service Versão: 4.5.1 Guia do usuário Publicado: 09/01/2014 SWD-20140109134951622 Conteúdo 1 Primeiros passos... 7 Sobre os planos de serviço de mensagens oferecidos para o BlackBerry

Leia mais

Navegando no produto e utilizando esse material de apoio, você descobrirá os benefícios do IOB Online Regulatório, pois só ele é:

Navegando no produto e utilizando esse material de apoio, você descobrirá os benefícios do IOB Online Regulatório, pois só ele é: 1. CONCEITO Completo, prático e rápido. Diante do aumento da complexidade da tributação e do risco fiscal, pelos desafios de conhecimento e capacitação e pela velocidade para acompanhar mudanças na legislação,

Leia mais

Vamos criar uma nova Página chamada Serviços. Clique em Adicionar Nova.

Vamos criar uma nova Página chamada Serviços. Clique em Adicionar Nova. 3.5 Páginas: Ao clicar em Páginas, são exibidas todas as páginas criadas para o Blog. No nosso exemplo já existirá uma página com o Título Página de Exemplo, criada quando o WorPress foi instalado. Ao

Leia mais

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server Noções de 1 Considerações Iniciais Basicamente existem dois tipos de usuários do SQL Server: Implementadores Administradores 2 1 Implementadores Utilizam o SQL Server para criar e alterar base de dados

Leia mais