Revolução Americana Independência dos Estados Unidos da América (1776) Ricardo Breda de Paula.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Revolução Americana Independência dos Estados Unidos da América (1776) Ricardo Breda de Paula."

Transcrição

1 Revolução Americana Independência dos Estados Unidos da América (1776) Ricardo Breda de Paula. O processo de independência das treze colônias da parte continental atlântica do império britânico foi importantíssimo, na medida em que representou o primeiro processo de independência do novo mundo e lançou bases de crítica, que perdurariam através dos tempos, ao antigo regime. Alem, evidentemente, de idéias relativas à república, à constituição, à liberdade e à felicidade dos homens, que podem ser consideradas uma perspectiva inovadora e revolucionária para a época. As treze colônias Britânicas. As treze colônias britânicas (Seguindo de norte a sul- Massachusetts, New Hampshire, Nova York, Rhode Island, Connecticut, Nova Jersey, Pensilvânia, Delaware, Maryland, Virginia, Carolina do norte, Carolina do Sul e Geórgia). Durante a colonização, essas regiões gozaram de relativa liberdade econômica e autonomia política levando sempre em conta a sua inserção no império britânico, isto é, aqueles colonos se viam como ingleses na América e orgulhavam-se disso. Pode-se dizer que esse quadro mudaria após a guerra dos sete anos ( ) que colocou basicamente em conflito as potências da Inglaterra e da França tanto na Europa quanto na América. Franceses, aliados a determinados indígenas, travaram batalhas pelas treze colônias e é claro que os colonos ali residentes os ajudariam a enfrentá-los em nome da coroa britânica. Sua intervenção na guerra foi fundamental para que a Inglaterra vencesse. Entretanto, mesmo vitoriosa, ficou fortemente endividada, fato que demandou esforços para reverter a situação resultando em uma nova política imperial. (Em relação à guerra dos sete anos ter como referencia o filme O Ultimo dos Moicanos (1992) discriminado na filmografia). A coroa restringiu o território dos colonos à Cadeia dos Apalaches (No mapa anterior é a linha cinza a oeste do território das treze colônias) e manteve um exército

2 regular de 10 mil homens com a finalidade de patrulhar as fronteiras, de forma que a manutenção financeira de tal aparato caiu, obviamente, sobre os colonos. A crise política sem precedentes desenvolvida acarretou uma série de impostos. O primeiro foi o de 1765 conhecido como lei do açúcar (Sugar Act) que instituía taxas sobre o melado. Essa medida atingiu em cheio os comerciantes da Nova Inglaterra (região que compreende Massachusetts, New Hampshire, Rhode Island e Connecticut) que contrabandeavam o produto das colônias ao caribe para a fabricação de rum. Na verdade o imposto em si não era o problema, mas sim sua imposição arbitrária, ou seja, o conflito propriamente dito era mais político que econômico. Um exemplo disso foi quando os comerciantes indignados proclamaram que não poderiam ser tributados sem a devida representação no parlamento. Tornou-se comum a expressão No Taxation without representation (sem representação não há tributação), por meio da qual afirmavam que a imposição de impostos sem seu devido consentimento era considerado tirania. Esse tipo de informação circulava na época em forma de panfletos que alcançavam parcela significativa da população, inclusive os analfabetos, na medida que eram lidos em voz alta e pregados em lugares públicos. Em 1765 escrevia John Dickson, um autor de um influente panfleto: Nada é desejado na metrópole a não ser um precedente, cuja força será estabelecida pela submissão tácita das colônias. (...) Se o parlamento for bem sucedido nessa tentativa, outros estatutos imporão outros deveres... e dessa forma o parlamento extorquirá de nós as quantias de dinheiro que quiser, sem qualquer outra limitação que não o seu prazer. 1 Também em 1765, George Greenville, lorde do tesouro britânico, propôs o Stamp Act (lei do selo) que previa que selos fossem colados em determinados documentos como jornais, revistas, licenças comerciais, entre outros, mediante a devida tributação. Os colonos se revoltaram. Organizações como os filhos da liberdade (Sons of liberty) foram formadas e retratos de GreenVille queimados. Discursos exaltados foram proferidos em praça pública enquanto os colonos impediam a venda de selos. Ao passo que o descontentamento geral se difundia pela sociedade, classes sociais mais desfavorecidas, como é o caso dos escravos, almejavam a possibilidade de ascensão social. Após inúmeros conflitos e um boicote por parte dos colonos aos produtos ingleses, a coroa finalmente revogou a lei do selo. Deve-se ter em mente que nessa época ainda não se pressupunha qualquer separação política do império britânico. Os colonos prometeram lealdade ao rei desde que não se tomassem medidas arbitrárias por parte do parlamento em se instituir novos impostos sem a devida representação e negociação, o que evidencia novamente que a questão é prioritariamente política. 1-Junqueira, Mary A.4 de Julho de 1776: Independência dos Estados Unidos da América São Paulo: Companhia Editora Nacional: Lazuli Editora, 2007, pp:15.

3 selo.(1765) Jornal da época anunciando a lei do Caricatura da época feita por um autor desconhecido transparecendo para aqueles colonos repúdio as autoridades britânicas. Está escrito na imagem Um emblema dos efeitos do selo-o selo fatal. Em 1773 o novo ministro do tesouro britânico Lorde North propõe ao parlamento uma nova lei que ficaria conhecida como lei do chá (Tea act) que concedia a companhia

4 das índias orientais, companhia comercial britânica que atuava na Índia e na Ásia em geral, o direito de vender chá aos colonos com redução das tarifas alfandegárias. Isso diminuiria o preço do produto afetando diretamente o comércio e o contrabando do local. Sendo Assim, várias frotas com carregamento de chá foram impedidas pelos colonos de atracar em forma de protesto nas cidades portuárias, mas foi em Boston (Massachusetts) que o descontentamento chegou ao extremo. Em 1773 homens vestidos de índios tomaram os navios britânicos no porto e lançaram 45 toneladas de chá vindas das Antilhas ao mar. Esse episódio passou para a história como a festa do chá de Boston (Boston Tea Party). Em represália, a Inglaterra considerou que tal insubordinação não era mais compatível e adotou medidas repressoras conhecidas como coercitive acts (leis coercitivas) ou Intolerable act (leis intoleráveis). O porto de Boston foi fechado até que se restabelecesse a ordem e os direitos políticos da assembléia de Massachusetts foram reduzidos. Somente a coroa poderia nomear juizes, magistrados e autoridades policiais. Foi nomeado um novo governador para a colônia, o general Tomas Cage, que manteve Massachusetts sob controle militar. Dessa forma a indignação se espalhou, como exemplifica o panfleto de um revolucionário anônimo de 1775 afirmando que o ideal de liberdade não caberia só a eles, mas sim a toda a humanidade:... Levanta-se! Todo o velho mundo está infestado pela opressão. A liberdade tem sido caçada ao redor do globo. A Ásia e a África há muito a expulsaram. A Europa a vê como uma estranha e a Inglaterra lhe deu um aviso para partir. Oh! Receba-se a fugitiva e prepare-se a tempo um asilo para a humanidade. 2 Em 1774 na Filadélfia foi estabelecido o primeiro congresso continental com os representantes descontentes das colônias. Condenaram as leis intoleráveis e declararam lealdade ao rei desde que não sofressem com impostos e mantivessem a sua liberdade e consentimento político tal como era antes da guerra dos sete anos. Vê-se, portanto, que ao declarar lealdade ao rei, esses colonos não estavam pensando imediatamente em separação política. Eles só querem restituídos àqueles direitos que lhe foram tirados, isto é aquela antiga memória institucionalizada que eles sempre usufruíram. Thomas Jefferson, proprietário da Virginia e um dos autores da declaração da independência, escreveu em 1774 para o primeiro congresso continental um documento de instrução aos seus delegados (Summary View) sobre o que deveria ser direcionado ao Rei: Abra seu coração, senhor (O Rei) ao pensamento liberal expandido. Não permita que o nome George III seja uma nódoa na página da história (...) Não mais persevere em sacrificar os direitos de uma parte do império aos desejos desordenados de outra; trate a todos com direito igual e imparcial (...) Não é nosso interesse separar-nos da Inglaterra(...) não os deixe pensar em impedir-nos de ir a outros mercados dispor das mercadorias que eles não possam usar ou de suprir as necessidades que eles não podem preencher. Menos ainda propor que nossas propriedades, em nossos próprios territórios, sejam tributadas ou reguladas por qualquer poder que não seja o nosso. 3 2-Junqueira, Mary A.4 de Julho de 1776: Independência dos Estados Unidos da América São Paulo: Companhia Editora Nacional: Lazuli Editora, 2007, pp:24.

5 Thomas Jefferson ( ). (Em relação à vida de Thomas Jefferson ter como referencia o filme Jefferson Em Paris discriminado na filmografia). Do período correspondente ao primeiro congresso e ao segundo (10 de maio de 1775) houve repressão militar por parte da coroa Inglesa e as milícias coloniais obviamente resistiram, ainda que sem a organização formal de um exército. É só no segundo congresso continental que alguns colonos se radicalizam e é finalmente criado um exército liderado pelo virginiano George Washington. A proposta de independência passou a ser formalizada e tornou-se pública mesmo que os colonos em geral resistissem a ela até o fim. Como já foi dito, eles queriam a principio uma negociação com a coroa e, portanto permanecer no império britânico tal como era antes da guerra dos sete anos. Apesar de tudo, alguns estrategistas mais radicais, como Thomas Paine, defendiam de forma implacável a independência. Em seu panfleto Senso comum (Common Sense) questiona a premissa da dominação inglesa sobre as colônias: Admitindo-se porem que somos todos de ascendência inglesa, o que significa isso? Nada. A Bretanha, sendo agora um inimigo declarado, todos os outros nomes e títulos desaparecem: e dizer que nosso dever seria a reconciliação seria ridículo. O primeiro rei da Inglaterra na presente linhagem( Guilherme, o conquistador) era francês e a metade dos nobres da Inglaterra são descendentes do mesmo país; sendo assim, se seguíssemos o mesmo método de raciocínio, a Inglaterra deveria ser governada pela França. 4 *Para acessar mais fontes primárias ao tema considerar os sites: 3-Junqueira, Mary A.4 de Julho de 1776: Independência dos Estados Unidos da América São Paulo: Companhia Editora Nacional: Lazuli Editora, 2007, pp: Junqueira, Mary A.4 de Julho de 1776: Independência dos Estados Unidos da América São Paulo: Companhia Editora Nacional: Lazuli Editora, 2007, pp:43.

6 Paine em Capa do panfleto Common Sense escrita por Thomas George Washington ( ) O segundo congresso continental fez um último apelo ao rei enviando a Oliver branch petition (petição do ramo de oliveira) confirmando a lealdade à coroa e pedindo condescendência aos súditos das treze colônias. A recusa dessa petição foi o estopim para em 4 de julho de 1776 o congresso declarar a independência das treze colônias do império britânico e apresentar publicamente a declaração de independência dos Estados Unidos. A guerra de independência duraria até 1781 quando o general Cornwallis entregou as armas aos colonos auxiliados pelos franceses na batalha de Yorktown, cidade da Virginia. As treze colônias só seriam reconhecidas em 1783 nos tratados de paz em Paris. (Em relação à guerra de independência ter como referencia o filme Revolução discriminada na filmografia). Sem dúvida ocorria um acontecimento inédito no novo mundo, colônias independentes da Europa, imbuídas de idéias liberais e republicanas negavam o poder do Estado moderno tradicional e das monarquias. Colônias que agora eram Estados que falavam em constituição, federação, confederação, direitos do individuo, liberdades fundamentais e até mesmo do direito do homem em buscar a sua felicidade, o que era algo extremamente inovador para aqueles tempos. Esses Estados iriam agora lutar pela implementação de um novo governo e pela sua formação, dando margem assim a outros

7 conflitos que perdurariam de forma gradativa ao longo do século XVIII e XIX e que poderiam explicar, em parte, a longínqua guerra de secessão. A independência política, entretanto não significou o fim da escravidão ou a ampliação dos direitos dos indígenas ou das mulheres, o que mostra os limites do seu ideal de liberdade. A instituição da Escravidão e o regime de Plantation, principalmente no sul dos Estados Unidos, perdurariam até os anos 60 do século XIX e só no século XX os negros passariam a ter direitos políticos. Apesar disso e dos limites atingidos pela independência, a sua declaração em 1776 é, sem dúvida, elemento determinante para a formação da história dos Estados Unidos. *Para mais informações relativas ao processo da revolução americana, ver os seguintes sites: Imagem do documento de declaração da independência dos Estados Unidos da América a 4 de julho de 1776: No topo do documento os seguintes dizeres: (Em congresso, Julho A unânime declaração dos treze estados unidos da América.) * Mais informações sobre documentos a respeito da revolução americana ver os seguintes sites: ( Library of Congress) ( National archives) Para finalizar a análise da revolução americana em questão, eis trechos da declaração de independência dos Estados Unidos da América: Consideramos estas verdades evidentes por si mesmas; de que todos os homens são criados iguais, dotados pelo criador de certos direitos inalienáveis, entre os quais figura a vida, a liberdade e a busca pela felicidade (...) Ele(o rei da Inglaterra) proibiu seus

8 governados de sancionar leis de importância imediata e urgente, a não ser que suspendessem a operação até a obtenção do seu consentimento; e depois que elas foram suspensas, negligenciou levá-las em consideração (...) Manteve entre nós, em tempos de paz, exércitos permanentes sem o consentimento de nossas legislaturas (...) Combinou com outros sujeitar-nos a uma jurisdição alheia a nossa constituição e não reconhecida pelas nossas leis; dando a sua aprovação aos atos desses outros e a sua pretensa legislação (...) Por impor-nos impostos sem nosso consentimento (...) Por tirar-nos as nossas cartas, revogando nossas leis mais valiosas, e por alterar fundamentalmente nossas formas de governo (...) Não deixamos de atender nossos irmãos ingleses. Temos advertido de tempos em tempos das tentativas do seu legislativo para estender uma injustificável jurisdição sobre nós(...) Eles( os ingleses) também tem mostrado surdos à voz da justiça e da consangüinidade(...) Nós, portanto, representantes dos Estados Unidos da América, em congresso geral (...) declaramos em nome do bom povo dessa colônia e pela autoridade que ele nos conferiu, que essas colônias unidas são, e por direito devem ser Estados livres e independentes; que estão liberados de toda e qualquer lealdade a coroa britânica, e que toda associação política entre elas e o Estado da Grã Bretanha está totalmente dissolvida; e que, como Estados livres e independentes, têm plenos poderes para fazer guerra, concluir a paz, contratar alianças, instituir o comércio e fazer todas as outras lei e tomar medidas que Estados independentes tem o direito de fazer. Em apoio desta declaração, com firme confiança na proteção da divina providência, mutuamente comprometemos uns aos outros nossas vidas, nossas fortunas e nossas honras sagradas. 5 5-Junqueira, Mary A.4 de Julho de 1776: Independência dos Estados Unidos da América São Paulo: Companhia Editora Nacional: Lazuli Editora, 2007, pp:58-63.

9 Bibliografia: Baylin, Bernard. As origens ideológicas da revolução americana. São Paulo: Edusc, Junqueira, Mary A. 4 de Julho de 1776: Independência dos Estados Unidos da América São Paulo: Companhia Editora Nacional: Lazuli Editora, Florenzano, Modesto. Thomas Paine revisitado. In: Volga, Cláudio; Brandão, Gildo M. Clássicos do pensamento político. São Paulo: Edusp, Heale, M. H. A revolução norte-americana. São Paulo: Atica, Jefferson, Thomas. Escritos políticos. Coleção Clássicos da Democracia. São Paulo: Ibrasa, Paine, Thomas. O Senso comum e a Crise. Brasília: Editora da universidade de Brasília, Berlin, Ira. Gerações revolucionárias. In: Berlin, Ira. Gerações de Cativeiro: Uma História da Escravidão nos Estados Unidos. Rio de Janeiro: Record, Filmografia: -Revolução (1985), Direção: Hugh Hudson. Com Al Pacino, Donald Sutherland, Nastassja Kinski. Trajetória de Tom Dobb, caçador e comerciante de peles, que chega ao porto de Nova York durante a guerra de independência e tenta desesperadamente salvaguardar seu filho da guerra. -O Ultimo dos Moicanos (1992). Direção: Michael Mann. Com Daniel Day Lewis, Madeleine Stone e Russel Means. Baseado no Romance de James Cooper, o filme enfoca a luta entre franceses e ingleses durante a guerra de sete anos e o posicionamento de determinados grupos indígenas no conflito. -Jefferson em Paris (1995). Direção: James Ivory. Com Nick Nolte, Greta Scacchi e Jean- Pierre Aumont.

10 Filme se passa na década de 1780 quando Thomas Jefferson é designado a representar os Estados Unidos na França. Nesse período, Jefferson tem um caso com uma de suas escravas com quem teve seis filhos. É obrigado a partir devido aos adventos da revolução francesa. Aluno: Ricardo Breda de Paula. Prof: Daniel Aarão Reis.

Independência dos EUA. Colégio Marista Rosário Professora: Adriana Moraes - História

Independência dos EUA. Colégio Marista Rosário Professora: Adriana Moraes - História Independência dos EUA Colégio Marista Rosário Professora: Adriana Moraes - História Considerada a primeira revolução americana (a segunda foi a Guerra de Secessão, também nos Estados Unidos); considerada

Leia mais

4 de julho 1776 PROF. ROBERTO BRASIL

4 de julho 1776 PROF. ROBERTO BRASIL 4 de julho 1776 PROF. ROBERTO BRASIL A Revolução Americana é um movimento de ampla base popular, a burguesia foi quem levou esta revolução avante. O terceiro estado (povo e burguesia) conseguiu a independência

Leia mais

Cap. 12- Independência dos EUA

Cap. 12- Independência dos EUA Cap. 12- Independência dos EUA 1. Situação das 13 Colônias até meados do séc. XVIII A. As colônias inglesas da América do Norte (especialmente as do centro e norte) desfrutavam da negligência salutar.

Leia mais

A CRISE DO ANTIGO REGIME A INDEPENDÊNCIA DOS EUA. A Independência dos EUA

A CRISE DO ANTIGO REGIME A INDEPENDÊNCIA DOS EUA. A Independência dos EUA A Independência dos EUA Definição: Movimento que inspirado nos princípios iluministas determinou o fim do domínio da Inglaterra sobre as chamadas 13 colônias americanas (atualmente EUA); que teve início

Leia mais

INTEIRATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA. Conteúdo: Independência dos Estados Unidos

INTEIRATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA. Conteúdo: Independência dos Estados Unidos Conteúdo: Independência dos Estados Unidos Habilidades: Compreender o processo de independência Norte Americana dentro do contexto das ideias iluministas. Yankee Doodle 1 Causas Altos impostos cobrados

Leia mais

Os E.U.A. nos séculos XVIII e XIX.

Os E.U.A. nos séculos XVIII e XIX. Aula 13 Os E.U.A. nos séculos XVIII e XIX. Nesta aula iremos tratar da formação dos Estados Unidos da América. Primeiramente o processo de independência dos Estados Unidos, em seguida, o processo de expansão

Leia mais

PROCESSO DE INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

PROCESSO DE INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA PROCESSO DE INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA TREZE COLÔNIAS Base de ocupação iniciativa privada: Companhias de colonização + Grupos de imigrantes = GRUPOS DISTINTOS [excedente da metrópole;

Leia mais

SÉCULO XVII A INGLATERRA INCENTIVOU A COLONIZAÇÃO DAS TERRAS NORTE- AMERICANAS INCENTIVANDO A VINDA DE EMIGRANTES INGLESES

SÉCULO XVII A INGLATERRA INCENTIVOU A COLONIZAÇÃO DAS TERRAS NORTE- AMERICANAS INCENTIVANDO A VINDA DE EMIGRANTES INGLESES A GUERRA DE INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA ANTECEDENTES SÉCULO XVII A INGLATERRA INCENTIVOU A COLONIZAÇÃO DAS TERRAS NORTE- AMERICANAS INCENTIVANDO A VINDA DE EMIGRANTES INGLESES NESSA ÉPOCA

Leia mais

As questões acerca da Independência dos Estados Unidos da América e da ratificação da primeira Constituição Nacional Norte-Americana

As questões acerca da Independência dos Estados Unidos da América e da ratificação da primeira Constituição Nacional Norte-Americana As questões acerca da Independência dos Estados Unidos da América e da ratificação da primeira Constituição Nacional Norte-Americana Por Thiago Monteiro, Estevão Balado e Rodrigo Pereira Por conta das

Leia mais

Estados Unidos da América. Aula I Da colonização ao século XIX

Estados Unidos da América. Aula I Da colonização ao século XIX Estados Unidos da América Aula I Da colonização ao século XIX As Teorias: Corrente asiática Estreito de Bering (beríngia). Malaio Polinésia Corrente australiana Ocupação do Continente Americano: Principais

Leia mais

Em 1776 nascia a primeira nação livre das Américas, os Estados Unidos da América, antigas colônias inglesas.

Em 1776 nascia a primeira nação livre das Américas, os Estados Unidos da América, antigas colônias inglesas. IDADE MODERNA Revolução Americana Os cinquenta anos que se passam entre o final do século XVIII e o início do século XIX foram decisivos para o continente americano. Foi nessa época que as ideias iluministas

Leia mais

Massacre de Boston. Em 1767, um novo decreto, o Townshend Act, tornou ainda mais tensas as relações entre a metrópole e as colônias.

Massacre de Boston. Em 1767, um novo decreto, o Townshend Act, tornou ainda mais tensas as relações entre a metrópole e as colônias. Revolução Americana Parte da grande revolução que mudou os destinos da civilização ocidental no final do século XVIII, a guerra da independência dos Estados Unidos (revolução americana) abriu uma nova

Leia mais

INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA http://www.youtube.com/watch?v=lmkdijrznjo Considerações sobre a independência -Revolução racional científica do

Leia mais

REVOLUÇÃO AMERICANA (1776-1781) - LISTA DE EXERCÍCIOS

REVOLUÇÃO AMERICANA (1776-1781) - LISTA DE EXERCÍCIOS 1. (Upe 2014) A passagem do século XVIII para o XIX foi marcada por um desequilíbrio nas relações entre a Europa e o Novo Mundo. As lutas políticas na América estavam ligadas à resistência contra a colonização

Leia mais

Imperialismo dos EUA na América latina

Imperialismo dos EUA na América latina Imperialismo dos EUA na América latina 1) Histórico EUA: A. As treze colônias, colonizadas efetivamente a partir do século XVII, ficaram independentes em 1776 formando um só país. B. Foram fatores a emancipação

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA DHI HISTÓRIA DA AMÉRICA II Prof.º Halyson Oliveira 2014.

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA DHI HISTÓRIA DA AMÉRICA II Prof.º Halyson Oliveira 2014. UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA DHI HISTÓRIA DA AMÉRICA II Prof.º Halyson Oliveira 2014.2 O PROCESSO DE INDEPEDÊNCIA DAS 13 COLÔNIAS KARNAL, Leandro. O processo

Leia mais

Objetivos: - IDENTIFICAR os antecedentes coloniais do processo de independência norte-americana.

Objetivos: - IDENTIFICAR os antecedentes coloniais do processo de independência norte-americana. Objetivos: - IDENTIFICAR os antecedentes coloniais do processo de independência norte-americana. - JUSTIFICAR a expansão territorial dos EUA ao longo do século XIX, localizando-a geograficamente. - ANALISAR

Leia mais

Colonização da América do Norte Formação dos Estados Unidos

Colonização da América do Norte Formação dos Estados Unidos Colonização da América do Norte Formação dos Estados Unidos A ocupação da América do Norte foi marcada por intensos conflitos entre ingleses e indígenas da região. Duas companhias de comércio foram autorizadas

Leia mais

A formação da monarquia inglesa na Baixa Idade Média, mais precisamente no século XII, na época da Guerra dos Cem anos.

A formação da monarquia inglesa na Baixa Idade Média, mais precisamente no século XII, na época da Guerra dos Cem anos. HISTÓRIA 8º ANO A formação da monarquia inglesa na Baixa Idade Média, mais precisamente no século XII, na época da Guerra dos Cem anos. Por volta do século XIII, o rei João sem terras estabeleceu novos

Leia mais

A INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS

A INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS A INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DESTRÓI A UNIDADE DO SISTEMA COLONIAL COLABORA DECISIVAMENTE PARA A DERROCADA DO ANTIGO REGIME NO CENTRO PENSILVÂNIA, NOVA YORK, NOVA JERSEY E DELAWARE. NO NORTE MASSACHUSETTS,

Leia mais

A expansão dos EUA (séc. XVIII-XX)

A expansão dos EUA (séc. XVIII-XX) 1803 Os Estados Unidos compram a Louisiana da França. Cronologia 1846 a 1848 Guerra do México. Os Estados Unidos conquistam e anexam os territórios da Califórnia, Novo México, Nevada, Arizona e Utah. 1810

Leia mais

Revolução Inglesa Movimento revolucionário inglês que derrubou as práticas do Antigo Regime

Revolução Inglesa Movimento revolucionário inglês que derrubou as práticas do Antigo Regime Revolução Inglesa Movimento revolucionário inglês que derrubou as práticas do Antigo Regime Prof: Otto BARRETO Os ingleses foram os primeiros a aprender a dominar o Leviatã, e a fazer dele seu servo em

Leia mais

A COLONIZAÇÃO INGLESA NA AMÉRICA. O processo de formação dos EUA

A COLONIZAÇÃO INGLESA NA AMÉRICA. O processo de formação dos EUA A COLONIZAÇÃO INGLESA NA AMÉRICA O processo de formação dos EUA Inglaterra X Portugal e Espanha A incursão dos ingleses no processo de colonização do continente americano conta com determinadas particularidades

Leia mais

História. Antigo regime, Estados nacionais e absolutismo

História. Antigo regime, Estados nacionais e absolutismo Antigo regime, Estados nacionais e absolutismo Índice Clique sobre tema desejado: A origem dos Estados Nacionais Contexto Histórico: crise feudal (séc. XIV-XVI) Idade Média Idade Moderna transição Sociedade

Leia mais

Formação do Estado Nacional Moderno: O Antigo Regime

Formação do Estado Nacional Moderno: O Antigo Regime Formação do Estado Nacional Moderno: O Antigo Regime A formação do Absolutismo Inglês Medieval Territórios divididos em condados (shires) e administrados por sheriffs (agentes reais) submetidos ao poder

Leia mais

A Revolução Inglesa. Monarquia britânica - (1603 1727)

A Revolução Inglesa. Monarquia britânica - (1603 1727) A Revolução Inglesa A Revolução inglesa foi um momento significativo na história do capitalismo, na medida em que, ela contribuiu para abrir definitivamente o caminho para a superação dos resquícios feudais,

Leia mais

A Revolução Inglesa. Autor: Jose Jobson de Andrade Arruda. Editora: Brasiliense.

A Revolução Inglesa. Autor: Jose Jobson de Andrade Arruda. Editora: Brasiliense. Objetivos: - ANALISAR as relações entre a Monarquia inglesa e o Parlamento durante a Dinastia Stuart. - IDENTIICAR as principais etapas do processo revolucionário inglês. - INERIR o amplo alcance das lutas

Leia mais

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE HISTÓRIA 8º ANO PROFESSOR: MÁRCIO AUGUSTO

Leia mais

OITAVO ANO ESINO FUNDAMENTAL II PROFESSORA: ROSE LIMA

OITAVO ANO ESINO FUNDAMENTAL II PROFESSORA: ROSE LIMA OITAVO ANO ESINO FUNDAMENTAL II PROFESSORA: ROSE LIMA http://plataformabrioli.xpg.uol.com.br/historiaresumo/2ano/epopeialusitana.pdf http://blog.msmacom.com.br/familia-real-portuguesa-quem-e-quem-na-monarquia/

Leia mais

PROVA BIMESTRAL História

PROVA BIMESTRAL História 8 o ano 3 o bimestre PROVA BIMESTRAL História Escola: Nome: Turma: n o : 1. Leia o texto e responda. Fernando VII tinha um reino, mas não podia governá-lo; a monarquia espanhola tinha um rei, mas não podia

Leia mais

HISTÓRIA - 3 o ANO MÓDULO 42 REVOLUÇÃO AMERICANA DE 1776

HISTÓRIA - 3 o ANO MÓDULO 42 REVOLUÇÃO AMERICANA DE 1776 HISTÓRIA - 3 o ANO MÓDULO 42 REVOLUÇÃO AMERICANA DE 1776 Como pode cair no enem Na democracia estado unidense, os cidadãos são incluídos na sociedade pelo exercício pleno dos direitos políticos e também

Leia mais

Exerc ícios de Revisão Aluno(a): Nº:

Exerc ícios de Revisão Aluno(a): Nº: Exerc íciosde Revisão Aluno(a): Nº: Disciplina:HistóriadoBrasil Prof(a).:Cidney Data: deagostode2009 2ªSériedoEnsinoMédio Turma: Unidade:Nilópolis 01. QuerPortugallivreser, EmferrosqueroBrasil; promoveaguerracivil,

Leia mais

Equipe de História HISTÓRIA. Exercícios

Equipe de História HISTÓRIA. Exercícios Aluno (a): Série: 3ª Turma: TUTORIAL 9R Ensino Médio Equipe de História Data: HISTÓRIA ESTADOS UNIDOS Exercícios 1. A expansão dos Estados Unidos em direção ao oeste, na primeira metade do século XIX,

Leia mais

GUERRA DE SECESSÃO secessão significa separação INTRODUÇÃO a Guerra de Secessão foi uma guerra civil ocorrida nos EUA entre 1861 e 1865 motivo

GUERRA DE SECESSÃO secessão significa separação INTRODUÇÃO a Guerra de Secessão foi uma guerra civil ocorrida nos EUA entre 1861 e 1865 motivo GUERRA DE SECESSÃO secessão significa separação INTRODUÇÃO a Guerra de Secessão foi uma guerra civil ocorrida nos EUA entre 1861 e 1865 motivo rivalidades e divergências entre o Norte e o Sul dos EUA (

Leia mais

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 2009 PROVA DE HISTÓRIA. Fase 1

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 2009 PROVA DE HISTÓRIA. Fase 1 FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 2009 PROVA DE HISTÓRIA Fase 1 Novembro 2008 INTRODUÇÃO Na prova de História de 2009 foi possível concretizar vários dos objetivos do programa do Vestibular.

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA ENSINO MÉDIO ÁREA CURRICULAR: CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS DISCIPLINA: HISTÓRIA SÉRIE 1.ª CH 68 ANO 2012 COMPETÊNCIAS:. Compreender

Leia mais

NAPOLEÃO BONAPARTE. Pode-se dividir seu governo em três partes: Consulado (1799-1804) Império (1804-1815) Governo dos Cem Dias (1815)

NAPOLEÃO BONAPARTE. Pode-se dividir seu governo em três partes: Consulado (1799-1804) Império (1804-1815) Governo dos Cem Dias (1815) NAPOLEÃO BONAPARTE 1 Profª Adriana Moraes Destaca-se política e militarmente no Período Jacobino. DIRETÓRIO Conquistas militares e diplomáticas na Europa defesa do novo governo contra golpes. Golpe 18

Leia mais

PROVA BIMESTRAL História

PROVA BIMESTRAL História 8 o ano o bimestre PROVA BIMESTRAL História Escola: Nome: Turma: n o :. Leia os textos e responda às questões e. Texto Na Grécia Antiga, Aristóteles (384 a.c.-3 a.c.) já defendia a ideia de que o Universo

Leia mais

ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA SÉCULO XIX

ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA SÉCULO XIX ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA SÉCULO XIX GUERRA DE SECESSÃO secessão significa separação INTRODUÇÃO a Guerra de Secessão foi uma guerra civil ocorrida nos EUA entre 1861 e 1865 motivo rivalidades e divergências

Leia mais

COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE

COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 2ª Etapa 2014 Disciplina: HISTÓRIA Professora: ALESSANDRA PRADA 2ª Série Turma: FG Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

Transferência da Corte portuguesa. D. João VI no Brasil

Transferência da Corte portuguesa. D. João VI no Brasil Transferência da Corte portuguesa D. João VI no Brasil A Corte no Brasil? Desde o século XVII, o governo de Portugal cogitava, eventualmente, transferir a sede do Império Português para a colônia na América.

Leia mais

COLÉGIO SHALOM Ensino Fundamental 8 Ano Prof.: TONHAO Disciplina HISTÓRIA Aluno (a):. No.

COLÉGIO SHALOM Ensino Fundamental 8 Ano Prof.: TONHAO Disciplina HISTÓRIA Aluno (a):. No. Orientações: -Responder manuscrito; -Cópias de colegas, entrega com atraso, letra ilegível, deixar de responder alguma questão e o não cumprimento de orientações passadas pelo professor, acarretará no

Leia mais

Exercícios de Iluminismo e Independência dos EUA

Exercícios de Iluminismo e Independência dos EUA Exercícios de Iluminismo e Independência dos EUA 1. (Enem) É verdade que nas democracias o povo parece fazer o que quer, mas a liberdade política não consiste nisso. Deve-se ter sempre presente em mente

Leia mais

TODOS COLÉGIOS SIMULADO 2ª SÉRIE

TODOS COLÉGIOS SIMULADO 2ª SÉRIE TODOS COLÉGIOS SIMULADO 2ª SÉRIE 1.Analise as afirmativas abaixo referentes ao Iluminismo: 01 - Muitas das idéias propostas pelos filósofos iluministas são, hoje, elementos essenciais da identidade da

Leia mais

CRISE DO ESCRAVISMO. O Brasil foi o último país da América Latina a abolir a escravidão.

CRISE DO ESCRAVISMO. O Brasil foi o último país da América Latina a abolir a escravidão. CRISE DO ESCRAVISMO A Dinamarca foi o primeiro país Europeu a abolir o tráfico de escravos em 1792. A Grã-Bretanha veio a seguir, abolindo em 1807 e os Estados Unidos em 1808. O Brasil foi o último país

Leia mais

EUROPA BRASIL SÉCULO XIX AMÉRICA O BRASIL NO FINAL DO SÉCULO XVIII SÉCULO XVIII FINAL DA IDADE MODERNA

EUROPA BRASIL SÉCULO XIX AMÉRICA O BRASIL NO FINAL DO SÉCULO XVIII SÉCULO XVIII FINAL DA IDADE MODERNA O BRASIL NO FINAL DO SÉCULO XVIII SÉCULO XVIII FINAL DA IDADE MODERNA EUROPA Expansão dos Ideais Iluministas Revolução Francesa Fim do Antigo regime Ascensão da Burguesia ao poder Revolução Industrial

Leia mais

PROFª CLEIDIVAINE DA S. REZENDE DISC. HISTÓRIA / 8º ANO

PROFª CLEIDIVAINE DA S. REZENDE DISC. HISTÓRIA / 8º ANO PROFª CLEIDIVAINE DA S. REZENDE DISC. HISTÓRIA / 8º ANO 1 CONTEXTO HISTÓRICO Crescimento econômico da Inglaterra no século XVIII: industrialização processo de colonização ficou fora. Ingleses se instalaram

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA - Marco Histórico: Fim da Idade Moderna. Símbolo: Queda da Bastilha (1789). Lema: Liberdade, Fraternidade, Igualdade.

REVOLUÇÃO FRANCESA - Marco Histórico: Fim da Idade Moderna. Símbolo: Queda da Bastilha (1789). Lema: Liberdade, Fraternidade, Igualdade. REVOLUÇÃO FRANCESA REVOLUÇÃO FRANCESA - Marco Histórico: Fim da Idade Moderna. 1789 Símbolo: Queda da Bastilha (1789). Lema: Liberdade, Fraternidade, Igualdade. Influência: Iluminista. DIVISÃO SOCIAL 1º

Leia mais

MINERAÇÃO E REVOLTAS NO BRASIL COLONIAL

MINERAÇÃO E REVOLTAS NO BRASIL COLONIAL MINERAÇÃO E REVOLTAS NO BRASIL COLONIAL Portugal: crises e dependências -Portugal: acordos comerciais com a Inglaterra; -Exportação de produtos brasileiros; -Tratado de Methuen: redução fiscal para os

Leia mais

Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real. História C Aula 08 Prof. Thiago

Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real. História C Aula 08 Prof. Thiago Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real História C Aula 08 Prof. Thiago Movimentos de Pré- Independência Século XVIII e XIX Crise do mercantilismo e do Estado Absolutista Hegemonia de

Leia mais

Nome: Turma: Data: Atividade de revisão para o Exame final. A Revolução Francesa (14/07/1789)

Nome: Turma: Data: Atividade de revisão para o Exame final. A Revolução Francesa (14/07/1789) Profª.: Lygia Mânica Costa 7ª série do E. Fundamental Nome: Turma: Data: Atividade de revisão para o Exame final A Revolução Francesa (14/07/1789) A situação social era grave e o nível de insatisfação

Leia mais

MOD. 13 CRISE DO IMPÉRIO COLONIAL ESPANHOL

MOD. 13 CRISE DO IMPÉRIO COLONIAL ESPANHOL MOD. 13 CRISE DO IMPÉRIO COLONIAL ESPANHOL A MUDANÇA DA POLÍTICA COLONIAL ESPANHOLA SE DEU EM FUNÇÃO: DO ENVOLVIMENTO DA ESPANHA NAS GUERRAS EUROPEIAS; DA DECADÊNCIA DA MINERAÇÃO; DAS DIFICULDADES QUE

Leia mais

Guerra Civil (1642-1648)

Guerra Civil (1642-1648) Prof. Thiago Revolução Inglesa Governo Despótico de Carlos I (1625-1648) Petição de Direitos (1628) Exigência do Parlamento Cobrança do ship money em cidades do interior desobediência ao Parlamento Guerra

Leia mais

EUROPA NO SÉCULO XIX. http://historiaonline.com.br

EUROPA NO SÉCULO XIX. http://historiaonline.com.br EUROPA NO SÉCULO XIX A INGLATERRA NO SÉCULO XIX: Era Vitoriana (1837-1901): Hegemonia marítima inglesa. Fortalecimento do poder político da burguesia. Expansão da economia industrial 2ª Revolução Industrial.

Leia mais

Reconhecimento: Resolução nº CEE - 1464/85 - D.O. 04/05/85 Ent. Mantenedora: Centro Evangélico de Recuperação Social de Paulo Afonso

Reconhecimento: Resolução nº CEE - 1464/85 - D.O. 04/05/85 Ent. Mantenedora: Centro Evangélico de Recuperação Social de Paulo Afonso COLÉGIO SETE DE SETEMBRO Reconhecimento: Resolução nº CEE - 1464/85 - D.O. 04/05/85 Ent. Mantenedora: Centro Evangélico de Recuperação Social de Paulo Afonso CNPJ: 13.911.052/0001-61 e Inscrição Municipal

Leia mais

843 Tratado de Verdum divisão do Império entre os netos de Carlos Magno.

843 Tratado de Verdum divisão do Império entre os netos de Carlos Magno. História 8A - Aula 22 As Monarquias Feudais 843 Tratado de Verdum divisão do Império entre os netos de Carlos Magno. -Séculos IX e X sociedade francesa se feudalizou. -Poder real enfraqueceu. -Condes,

Leia mais

ANTECEDENTES A idéia de República

ANTECEDENTES A idéia de República ANTECEDENTES A idéia de República Silêncio, o imperador está governando o Brasil Piada comum entre os republicanos. Para eles, não era apenas o imperador que estava envelhecido e incapaz. O próprio regime

Leia mais

Universidade Federal de Alfenas COPEVE Comissão Permanente de Vestibular

Universidade Federal de Alfenas COPEVE Comissão Permanente de Vestibular PROCESSO SELETIVO UNIFAL MG 2008/1 Gabarito Final com Distribuição dos Pontos questão nº 01 1º) 4 pontos serão atribuídos à resposta que contemplar a explicação da política de submissão dos índios nos

Leia mais

Pontuação do bimestre

Pontuação do bimestre História- Goretti 8º ano Conteúdos do 4º bimestre: 1 - A Revolução Industrial OBS.: As atividades referentes ao conteúdo de Revolução Industrial foram apresentados no Estudo Dirigido do 3º. 2 A crise do

Leia mais

EUA: Expansão Territorial

EUA: Expansão Territorial EUA: Expansão Territorial Atividades: Ler Livro didático págs. 29, 30 e 81 a 86 e em seguida responda: 1) Qual era a abrangência do território dos Estados Unidos no final da guerra de independência? 2)

Leia mais

CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL. Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A

CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL. Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A O capitalismo teve origem na Europa, nos séculos XV e XVI, e se expandiu para outros lugares do mundo ( Ásia, África,

Leia mais

CADERNO DE EXERCÍCIOS 3C

CADERNO DE EXERCÍCIOS 3C CADERNO DE EXERCÍCIOS 3C Ensino Fundamental Ciências Humanas Questão Conteúdo Habilidade da Matriz da EJA/FB 1 África: Colonização e Descolonização H40 2 Terrorismo H46 3 Economia da China H23 4 Privatizações

Leia mais

Construção do Espaço Africano

Construção do Espaço Africano Construção do Espaço Africano Aula 2 Colonização Para melhor entender o espaço africano hoje, é necessário olhar para o passado afim de saber de que forma aconteceu a ocupação africana. E responder: O

Leia mais

A vinda da família real e o governo joanino no Brasil

A vinda da família real e o governo joanino no Brasil A vinda da família real e o governo joanino no Brasil A Europa no século XIX Napoleão realizou uma série de batalhas para a conquista de novos territórios para a França. O exército francês aumentou o número

Leia mais

CRISE DO ANTIGO SISTEMA COLONIAL

CRISE DO ANTIGO SISTEMA COLONIAL CRISE DO ANTIGO SISTEMA COLONIAL BASES COMUNS DO SISTEMA COLONIAL PACTO-COLONIAL Dominação Política Monopólio Comercial Sistema de Produção Escravista ESTRUTURA SOCIAL DAS COLONIAS ESPANHOLAS Chapetones

Leia mais

A TRANSFERÊNCIA DA FAMÍLIA REAL PARA O BRASIL. Está ligada às Guerras Napoleônicas e ao decreto do BLOQUEIO CONTINENTAL PORTUGAL

A TRANSFERÊNCIA DA FAMÍLIA REAL PARA O BRASIL. Está ligada às Guerras Napoleônicas e ao decreto do BLOQUEIO CONTINENTAL PORTUGAL A TRANSFERÊNCIA DA FAMÍLIA REAL PARA O BRASIL Está ligada às Guerras Napoleônicas e ao decreto do BLOQUEIO CONTINENTAL De um lado, a pressão napoleônica para Portugal aderir ao bloqueio PORTUGAL De outro

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DO MODELO SOVIÉTICO E O SEU IMPACTO NO MUNDO

A CONSTRUÇÃO DO MODELO SOVIÉTICO E O SEU IMPACTO NO MUNDO A CONSTRUÇÃO DO MODELO SOVIÉTICO E O SEU IMPACTO NO MUNDO Império russo (início do século a 1917) Território * Governo Maior império da Europa, estendendo-se da Ásia ao pacífico * Monarquia absoluta e

Leia mais

PROVA BIMESTRAL História

PROVA BIMESTRAL História 8 o ano 3 o bimestre PROVA BIMESTRAL História Escola: Nome: Turma: n o : 1. 25 de janeiro de 1835, ao amanhecer o dia na cidade de Salvador, 600 negros entre libertos e escravos levantaram-se decididos

Leia mais

2. (Pucrs 2014) Considere as afirmações abaixo sobre a crise do Antigo Sistema Colonial e a Independência do Brasil (1822).

2. (Pucrs 2014) Considere as afirmações abaixo sobre a crise do Antigo Sistema Colonial e a Independência do Brasil (1822). 1. (Enem 2014) A transferência da corte trouxe para a América portuguesa a família real e o governo da Metrópole. Trouxe também, e sobretudo, boa parte do aparato administrativo português. Personalidades

Leia mais

Superioridade ibérica nos mares

Superioridade ibérica nos mares 2.ª metade do século XVI Superioridade ibérica nos mares PORTUGAL Entre 1580 e 1620 ESPANHA Império Português do oriente entra em crise devido a Escassez de gentes e capitais Grande extensão dos domínios

Leia mais

O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA

O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA O sistema feudal entra em crise com o advento das cidades e a expansão do comércio, somados a outros fatores. 1) Necessidade de moedas, crescimento das cidades

Leia mais

INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA LATINA (1808-1826) Profª Adriana Moraes

INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA LATINA (1808-1826) Profª Adriana Moraes INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA LATINA (1808-1826) Profª Adriana Moraes A independência foi o processo político e militar que afetou todas as regiões situadas entre os vicereinados da Nova Espanha e do Rio da

Leia mais

GOVERNO AMERICANO. 1. Qual é a lei suprema da terra? a Constituição

GOVERNO AMERICANO. 1. Qual é a lei suprema da terra? a Constituição GOVERNO AMERICANO Se você tem 65 anos ou mais de idade ou e têm sido um residente permanente dos Estados Unidos pelos 20 anos ou mais, você pode estudar apenas as perguntas que foram marcados com um asterisco.

Leia mais

Benjamin Franklin (1706-1790)

Benjamin Franklin (1706-1790) Benjamin Franklin (1706-1790) Benjamin Franklin nasceu em Boston, Estados Unidos da América, foi jornalista, editor, autor, filantropo, abolicionista, funcionário público, cientista, diplomata e inventor.

Leia mais

Contexto. Galileu Galilei, René Descartes e Isaac Newton. Concepção racionalista do mundo Leis Naturais

Contexto. Galileu Galilei, René Descartes e Isaac Newton. Concepção racionalista do mundo Leis Naturais Revolução Científica do século XVII Galileu Galilei, René Descartes e Isaac Newton Concepção racionalista do mundo Leis Naturais Contexto Crise do Antigo Regime Questionamento dos privilégios do Clero

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS REVOLUÇÃO AMERICANA

LISTA DE EXERCÍCIOS REVOLUÇÃO AMERICANA 1. (Pucrj 2013) As transformações ocorridas nas Américas durante a Era das Revoluções Atlânticas estiveram marcadas por dois grandes eventos, ambos igualmente radicais: (a) a Revolução Americana, que,

Leia mais

O CAPITALISMO E A DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (DIT)

O CAPITALISMO E A DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (DIT) O CAPITALISMO E A DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (DIT) O capitalismo teve origem na Europa, entre os séculos XIII e XIV, com o renascimento urbano e comercial e o surgimento de uma nova classe social:

Leia mais

A Revoluções Burguesas na Inglaterra: o surgimento do Parlamentarismo

A Revoluções Burguesas na Inglaterra: o surgimento do Parlamentarismo A Revoluções Burguesas na Inglaterra: o surgimento do Parlamentarismo Parlamento Inglês -Rainha Elizabeth I (1558-1603) maior exemplo de poder absoluto na Inglaterra daquele tempo; - Maquiavélica; - Enquanto

Leia mais

UNICAMP REVOLUÇÃO FRANCESA HISTÓRIA GEAL

UNICAMP REVOLUÇÃO FRANCESA HISTÓRIA GEAL 1. (Unicamp 94) Num panfleto publicado em 1789, um dos líderes da Revolução Francesa afirmava: "Devemos formular três perguntas: - O que é Terceiro Estado? Tudo. - O que tem ele sido em nosso sistema político?

Leia mais

3-5-2010 CURSO DE MAHATMA GANDHI TIS. Sandra Jacinto

3-5-2010 CURSO DE MAHATMA GANDHI TIS. Sandra Jacinto 3-5-2010 CURSO DE TIS MAHATMA GANDHI Sandra Jacinto 1869 Gandhi nasce no dia 2 de outubro, na Índia ocidental( Porbandar). 1891 - Forma-se em direito em Londres volta para a Índia a fim de praticar a advocacia.

Leia mais

MAHATMA GANDHI. Cronologia

MAHATMA GANDHI. Cronologia Cronologia 1869 Data de nascimento de Gandhi 1888 1891 Estudou direito em Londres 1893 1914 Período em que viveu na África do Sul 1920 Lutou pelo boicote aos produtos ingleses 1930 Campanhas de desobediência

Leia mais

Cópia autorizada. II

Cópia autorizada. II II Sugestões de avaliação História 8 o ano Unidade 5 5 Unidade 5 Nome: Data: 1. Elabore um texto utilizando as palavras do quadro. França Napoleão Bonaparte Egito 18 Brumário guerra Constituição 2. Sobre

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2011

PROCESSO SELETIVO 2011 PROCESSO SELETIVO 2011 Anos 06/12/2010 INSTRUÇÕES 1. Confira, abaixo, o seu número de inscrição, turma e nome. Assine no local indicado. 2. Aguarde autorização para abrir o caderno de prova. Antes de iniciar

Leia mais

O ANTIGO REGIME FRANCÊS ANCIEN REGIM

O ANTIGO REGIME FRANCÊS ANCIEN REGIM O ANTIGO REGIME FRANCÊS ANCIEN REGIM Organização social que vigorou na França, principalmente na época em que os reis eram absolutistas, ou seja, de meados do século XVII até a Revolução Francesa. Tal

Leia mais

Roteiro: Locke: contexto histórico, metodologia, natureza humana e estado de natureza

Roteiro: Locke: contexto histórico, metodologia, natureza humana e estado de natureza Gustavo Noronha Silva José Nailton Silveira de Pinho Juliana Gusmão Veloso Kátia Geralda Pascoal Fonseca Walison Vasconcelos Pascoal Roteiro: Locke: contexto histórico, metodologia, natureza humana e estado

Leia mais

Sugestões de avaliação. História 8 o ano Unidade 4

Sugestões de avaliação. História 8 o ano Unidade 4 Sugestões de avaliação História 8 o ano Unidade 4 5 Nome: Data: Unidade 4 1. Analise a gravura e explique qual crítica ela revela. Gravura anônima do século XVIII. Biblioteca Nacional da França, Paris

Leia mais

CHRISTOPHER HILL: UMA VISÃO SOBRE A LIBERDADE

CHRISTOPHER HILL: UMA VISÃO SOBRE A LIBERDADE CHRISTOPHER HILL: UMA VISÃO SOBRE A LIBERDADE CAROLINE OLIVEIRA JUNG * RESUMO Neste trabalho discute-se a questão da liberdade, o que é ser livre no século XVI e XVII, em específico dentro da Revolução

Leia mais

Escola Básica de Custóias/ Faculdade de Letras da Universidade do Porto Núcleo de Estágio em História e Geografia 2011/2012 Estagiária: Diana Barroso

Escola Básica de Custóias/ Faculdade de Letras da Universidade do Porto Núcleo de Estágio em História e Geografia 2011/2012 Estagiária: Diana Barroso Escola Básica de Custóias/ Faculdade de Letras da Universidade do Porto Núcleo de Estágio em História e Geografia 2011/2012 Estagiária: Diana Barroso Escola: Básica de Custóias (sede) Ano: 8º ano Turma:

Leia mais

HISTÓRIA - MATERIAL COMPLEMENTAR OITAVO ANO ENSINO FUNDAMENTAL II PROF. ROSE LIMA

HISTÓRIA - MATERIAL COMPLEMENTAR OITAVO ANO ENSINO FUNDAMENTAL II PROF. ROSE LIMA HISTÓRIA - MATERIAL COMPLEMENTAR OITAVO ANO ENSINO FUNDAMENTAL II PROF. ROSE LIMA INDEPENDÊNCIA DO Colonização: espanhola até 1697, posteriormente francesa. Produção açucareira. Maioria da população:

Leia mais

TEMA F.1 O IMPÉRIO PORTUGUÊS E A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL

TEMA F.1 O IMPÉRIO PORTUGUÊS E A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL TEMA F.1 O IMPÉRIO PORTUGUÊS E A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL A partir de meados do séc. XVI, o Império Português do Oriente entrou em crise. Que fatores contribuíram para essa crise? Recuperação das rotas

Leia mais

A era dos impérios. A expansão colonial capitalista

A era dos impérios. A expansão colonial capitalista A era dos impérios A expansão colonial capitalista O século XIX se destacou pela criação de uma economia global única, caracterizado pelo predomínio do mundo industrializado sobre uma vasta região do planeta.

Leia mais

Colégio SOTER - Caderno de Atividades - 8º Ano - História - 1º Bimestre

Colégio SOTER - Caderno de Atividades - 8º Ano - História - 1º Bimestre Capítulo 1 1) Qual a diferença entre as colônias do Norte e as colônias do sul, na colonização inglesa na América? 2) Explique o comércio triangular. 3) Relacione a Guerra dos Sete Anos (1767-1773), entre

Leia mais

Cópia autorizada. II

Cópia autorizada. II II Sugestões de avaliação História 7 o ano Unidade 6 5 Unidade 6 Nome: Data: 1. Leia o texto e responda aos itens a seguir. A busca pelo ouro A causa pela qual os espanhóis destruíram tal infinidade de

Leia mais

1º ano. 1º Bimestre. Revolução Agrícola Capítulo 1: Item 5 Egito - política, economia, sociedade e cultura - antigo império

1º ano. 1º Bimestre. Revolução Agrícola Capítulo 1: Item 5 Egito - política, economia, sociedade e cultura - antigo império Introdução aos estudos de História - fontes históricas - periodização Pré-história - geral - Brasil As Civilizações da Antiguidade 1º ano Introdução Capítulo 1: Todos os itens Capítulo 2: Todos os itens

Leia mais

Transição da condição colonial para o país livre

Transição da condição colonial para o país livre Transição da condição colonial para o país livre ERA COLONIAL (1521-1810): Conhecido como Nova Espanha, a maior parte das terras era comandada por proprietários espanhóis. Economia e política mexicanas

Leia mais

Unidade I Produção, Circulação e Trabalho. Aula 3.2 Conteúdo Revolução Francesa II

Unidade I Produção, Circulação e Trabalho. Aula 3.2 Conteúdo Revolução Francesa II A A Unidade I Produção, Circulação e Trabalho. Aula 3.2 Conteúdo Revolução Francesa II 2 A A Habilidade Analisar a Era Napoleônica e a organização social da França no Pós-Revolução. 3 A A Napoleão 4 A

Leia mais

América: a formação dos estados

América: a formação dos estados América: a formação dos estados O Tratado do Rio de Janeiro foi o último acordo importante sobre os limites territoriais brasileiros que foi assinado em 1909, resolvendo a disputa pela posse do vale do

Leia mais

A expansão dos EUA (séc. XVIII-XX)

A expansão dos EUA (séc. XVIII-XX) 1803 Os Estados Unidos compram a Louisiana da França. Cronologia 1846 a 1848 Guerra do México. Os Estados Unidos conquistam e anexam os territórios da Califórnia, Novo México, Nevada, Arizona e Utah. 1810

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL CESAR STANGE EFM.

COLÉGIO ESTADUAL CESAR STANGE EFM. COLÉGIO ESTADUAL CESAR STANGE EFM. PLANO DE TRABALHO DOCENTE - 2012 Professora: Ana Claudia Martins Ribas Disciplina: História - 8º ano -Fundamental 1º BIMESTRE Conteúdos Básicos: -Povos, Movimentos e

Leia mais