Jurandir Vieira Santiago

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Jurandir Vieira Santiago"

Transcrição

1 22º Fórum de Debates Brasilianas: Os Novos Polos de Desenvolvimento Painel 2: Mecanismos para a Indução da Política Industrial no Brasil Jurandir Vieira Santiago Presidente do BNB

2 As Políticas Industriais Recentes 1. Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior (2004/2007) 2. Política de Desenvolvimento Produtivo (2008/2010) 3. Plano Brasil Maior (2011/2014)

3 As Políticas Industriais Recentes 1. Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior (2004/2007) (PITCE) Objetivos: 1) Ações horizontais: inovação e desenvolvimento tecnológico, inserção externa, modernização industrial, ambiente institucional e aumento da capacidade produtiva ; 2) Opções estratégicas que contemplavam os setores: semicondutores, software, bens de capital e fármacos e medicamentos ; 3) Atividades promotoras de futuro: biotecnologia, nanotecnologia e biomassa /energias renováveis.

4 As Políticas Industriais Recentes 2. Política de Desenvolvimento Produtivo (2008/2010) (PDP) Objetivos 1. Ampliar a capacidade de oferta da economia; 2. Preservar a robustez do Balanço de Pagamentos; 3. Elevar a capacidade de inovação; 4. Fortalecer as micro e pequenas empresas

5 As Políticas Industriais Recentes 3. Plano Brasil Maior (2011/2014) Orientações estratégicas: - Promover a inovação e o desenvolvimento tecnológico; - Criar e fortalecer competências críticas da economia nacional; - Aumentar o adensamento produtivo e tecnológico das cadeias de valor; - Ampliar os mercados interno e externo das empresas brasileiras; - Garantir crescimento socialmente inclusivo e ambientalmente sustentável; - Ampliar os níveis de produtividade e competitividade da indústria brasileira.

6 BRASIL X NORDESTE

7 Composição Setorial do PIB (%) BRASIL Discriminação * 2020* Agricultura Indústria Serviços PIB Total NORDESTE Discriminação * 2020* Agricultura Indústria Serviços PIB Total Fonte: IBGE e Projeções BNB/ETENE. (*) Projeção.

8 Crescimento do PIB Brasil e do Nordeste (%) 7,94 Brasil Nordeste 4,31 6,52 5,71 4,56 6,09 4,75 4,85 5,7 5,54 7,53 4,7 4,09 1,31 2,91 2,66 1,89 3,16 3,96 0,95 2,7 3,1 3,7 3,5 4,5 0,76 1, , Fonte: 2000 a 2010 (Brasil) - IBGE; 2000 a 2009 (Nordeste) - IBGE; 2011 a 2013 (Brasil) - CEIS/ETENE; 2010 a 2013 (Nordeste) - CEIS/ETENE; Projeção do PIB - Brasil, 2012, Banco Central, Relatorio de Inflação de março de 2012.

9 PIB per capita (US$)² 5.739, , , , , , , , , , , , , , Fonte: 2000 a 2010 (Brasil) - IBGE; 2000 a 2009 (Nordeste) - IBGE; 2011 a 2013 (Brasil) - CEIS/ETENE; 2010 a 2013 (Nordeste) - CEIS/ETENE; Projeção do PIB - Brasil, 2012, Banco Central, Relatório de Inflação de março de 2012.

10 População 2012 (milhões hab.) Brasil 192,4 Nordeste 53,1 Colômbia 45,9 Argentina 40,1 Chile 17,2 PIB 2009 (US$ bilhões) Brasil 1.837,3 Colômbia 407,6 Argentina 386,7 Nordeste 247,9 Chile 63,8 Área (milhões km 2 ) Brasil 8,5 Argentina 2,8 Nordeste 1,6 Colômbia 1,1 Chile 0,8 Fontes: IBGE, FMI, Banco Mundial *PIB a preço de 2009

11 FONTES DE CRESCIMENTO DA ECONOMIA NORDESTINA NO PERÍODO RECENTE Programas sociais do governo Valorização real do salário mínimo Crescimento dos empregos formais Processo de ascensão social Política de crédito (de longo prazo) Investimentos públicos em obras de infraestrutura Investimentos privados induzidos pela expansão da economia nordestina Fatores que ampliam a capacidade produtiva da região, de forma permanente

12 PRINCIPAIS INVESTIMENTOS PÚBLICOS PREVISTOS Refinarias Ferrovias Portos/aeroportos Interligação de bacias hidrográficas Rodovias Metrôs E as obras da copa do mundo 2014 Os investimentos públicos previstos para o período 2012/2014 totalizam R$ 124,8 bilhões e incluem também as participações público/privadas

13 PRINCIPAIS INVESTIMENTOS PRIVADOS PREVISTOS Montadoras de automóveis Complexo acrílico Siderúrgicas Usinas eólicas Fábricas de produção de papel e celulose.

14 Nordeste Oportunidades de Investimentos POTENCIALIDADES Extrativismo mineral (gesso; mármore e granito; fosfato) Agronegócio (flores e plantas ornamentais; frutas frescas; soja; algodão; café; cana-de-açúcar; apicultura) Indústria de Transformação (confecções; couro e calçados; química e metal-mecânica) Infraestrutura (energia eólica e ferrovias) Comércio e Serviços (software; turismo; logística)

15 BANCO DO NORDESTE DO BRASIL - BNB Área de Atuação Área de atuação: 1.775,4 mil Km 2 Municípios atendidos: (11 Estados) MA CE RN PI PB PE BA SE AL Norte de Minas Semiárido Nordeste: 1.554,3 mil Km 2 Norte do Espírito Santo Semiárido: 977,6 mil Km 2 (62,9% do território do NE)

16 Banco do Nordeste Funções Financiamento de longo prazo na Região; Gerenciamento do FNE Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste Financiamento de curto prazo em complemento aos de longo prazo. Operações de Mercado complementares às operações de crédito. Apoio à inovação e à implantação de novas empresas na Região.

17 Operações de Crédito BNB / Participação no Mercado do NE (%) Crédito Rural: 71,0% LONGO PRAZO CURTO PRAZO Fonte: SISBACEN e BNB.

18 Desafios do Nordeste Brasileiro Convivência com o semiárido; Redução da pobreza extrema; Déficit de investimentos em infraestrutura física (transporte, energia elétrica, telecomunicações, saneamento básico); Carência de investimentos em saúde, educação e equipamentos culturais; Redução das desigualdades interregionais e intrarregionais; Maior inserção internacional.

19 Nordeste x Brasil Indicadores Socioeconômicos Indicadores Nordeste Brasil NE/BR(%) Nº de Estados ,33 Área (km²) ,25 Nº de Municípios ,24 População (milhões habitantes) (1) ,7 27,79 População Extremamente Pobre (milhões de habitantes) (1) 9,6 16,2 59,26 PIB (R$ Bilhões) (1) 437, ,40 13,5 PIB per Capita 2009 (1) ,28 IDH (2) 0,749 0,816 Taxa de Analfabetismo das Pessoas de 15 anos ou mais (1) 19,1 9,6 Esperança de Vida ao Nascer(anos) (1) 70,4 73,1 Taxa de Mortaliadade Infantil (1) 34,4 23,6 Índice de GINI (1) 0,535 0,524 Taxa de Fecundidade(filhos por mulher) (1) 2,1 1,9 Acesso à rede geral de esgoto ou pluvial (1) 34 55,4 Fonte: 1 - IBGE(Censo 2010 e PNAD 2009), 2 Estimativa do Banco Central

20 Principais Desafios para o futuro 1. Necessidade de instrumentos de planejamento de longo prazo e da revisão periódica deste planejamento; 2. Estabelecimento de linha de base, metodologia de avaliação e indicadores de impacto das ações adotadas; 3. Inserção dos Estados e Municípios no processo de planejamento e execução das políticas de desenvolvimento; 4. Necessidade de estruturação de equipes técnicas qualificadas e permanentes para a gestão pública (estadual e municipal); 5. Maior atenção aos impactos ambientais e sociais; 7. Fortalecimento das micro e pequenas empresas e dos projetos com maior capacidade de geração de emprego e renda; 8. Busca de novos fundings para financiamento; 9. Articulação com outros órgãos de desenvolvimento regional (SUDENE, CODEVASF, CHESF etc.); 10. Ação integrada com os Governos Estaduais, principalmente na atração e apoio a novos investimentos geradores de desenvolvimento;

21 website:

ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL DO BANCO DO NORDESTE - BNB

ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL DO BANCO DO NORDESTE - BNB ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL DO BANCO DO NORDESTE - BNB 4ª Conferência Brasileira de Arranjos Produtivos Locais Brasília DF Outubro/2009 Indicadores NE/BR INDICADOR NE BRASIL NE/BR(%) Nº DE

Leia mais

O nosso negócio é o desenvolvimento

O nosso negócio é o desenvolvimento O nosso negócio é o desenvolvimento APOIO A INDÚSTRIA DE CAFÉ SUPERINTENDÊNCIA ESTADUAL DA BAHIA Novembro 2012 FNE para Indústria de Café Missão do Banco do Nordeste Atuar na promoção do desenvolvimento

Leia mais

Arranjos Produtivos Locais Acesso a Serviços Financeiros

Arranjos Produtivos Locais Acesso a Serviços Financeiros Arranjos Produtivos Locais Acesso a Serviços Financeiros 1 Nordeste do Brasil Crescimento de 3% na última década 23 milhões de consumidores PIB da ordem de R$ 144 bilhões 3.3km de litoral Sol o ano inteiro

Leia mais

O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL

O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL 08 de Novembro de 2012 O que é o Brasil Rural? O Brasil Rural Diversidade: raças, origens étnicas, povos, religiões, culturas Conflitos: concentração de terra, trabalho

Leia mais

PROGRAMAÇÃO FNE 2010 Adendo ao FNE PROATUR Programa de Apoio ao Turismo Regional (item 8.7)

PROGRAMAÇÃO FNE 2010 Adendo ao FNE PROATUR Programa de Apoio ao Turismo Regional (item 8.7) PROGRAMAÇÃO FNE 2010 Adendo ao FNE PROATUR Programa de Apoio ao Turismo Regional (item 8.7) PROPOSTA FNE-PROATUR INCLUSÃO DO APOIO A PROJETOS DE ARENAS MULTI-USOS NAS FINALIDADES DE FINANCIAMENTO A - Fundamentação

Leia mais

Atuação do Banco do Nordeste

Atuação do Banco do Nordeste São Luis MA Novembro de 2012 Atuação do Banco do Nordeste O Banco do Nordeste tem como área básica de atuação os nove Estados da região Nordeste, o norte e os Vales do Mucuri e do Jequitinhonha do Estado

Leia mais

Construção de um Sistema Nacional de Conhecimento e Inovação (SNCI)

Construção de um Sistema Nacional de Conhecimento e Inovação (SNCI) Construção de um Sistema Nacional de Conhecimento e Inovação (SNCI) A VISÃO DA INDÚSTRIA AUDIÊNCIA PÚBLICA SENADO FEDERAL Rafael Lucchesi Diretor de Educação e Tecnologia da CNI Diretor Geral do SENAI/DN

Leia mais

11. ESTIMATIVA DE VALOR DO PORTFÓLIO DE OPORTU- NIDADES DE INVESTIMENTO NO RN - QUANTIFICAÇÃO IN- DICATIVA 2016-2035

11. ESTIMATIVA DE VALOR DO PORTFÓLIO DE OPORTU- NIDADES DE INVESTIMENTO NO RN - QUANTIFICAÇÃO IN- DICATIVA 2016-2035 11. ESTIMATIVA DE VALOR DO PORTFÓLIO DE OPORTU- NIDADES DE INVESTIMENTO NO RN - QUANTIFICAÇÃO IN- DICATIVA 2016-2035 217 218 A partir da escolha do melhor cenário Um Pacto pelo Mais RN o Mais RN definiu

Leia mais

Cenários Macroeconômicos para 2014. Wellington Santos Damasceno ETENE

Cenários Macroeconômicos para 2014. Wellington Santos Damasceno ETENE Cenários Macroeconômicos para 2014 Wellington Santos Damasceno ETENE Fortaleza CE 28/11/2013 Cenário Internacional Regiões e Países Selecionados Variação do PIB real (%) Fonte: World Economic Outlook Database,

Leia mais

Luciano Coutinho Presidente

Luciano Coutinho Presidente Atratividade do Brasil: avanços e desafios Fórum de Atratividade BRAiN Brasil São Paulo, 03 de junho de 2011 Luciano Coutinho Presidente O Brasil ingressa em um novo ciclo de desenvolvimento A economia

Leia mais

GOVERNO DO ESPÍRITO SANTO. Regis Mattos Teixeira Secretário de Estado de Gerenciamento de Projetos

GOVERNO DO ESPÍRITO SANTO. Regis Mattos Teixeira Secretário de Estado de Gerenciamento de Projetos GOVERNO DO ESPÍRITO SANTO Regis Mattos Teixeira Secretário de Estado de Gerenciamento de Projetos Uruguai Lema: Libertad o Muerte Área: 176.215 km* População: 3,3 milhões* Expectativa de vida: 76 anos

Leia mais

Palavras de Saudação

Palavras de Saudação ESTUDOS E PESQUISAS Nº 327 Palavras de Saudação Luciano Coutinho* Fórum Especial 2009 - Na Crise Esperança e Oportunidade, Desenvolvimento como Sonho Brasileiro, Oportunidade para as Favelas 17 e 18 de

Leia mais

Wellington Santos Damasceno Banco do Nordeste

Wellington Santos Damasceno Banco do Nordeste SEMINÁRIO: O Papel das Instituições Financeiras de Desenvolvimento no Desenvolvimento Regional e o Fomento ao Investimento Privado de Longo Prazo Mecanismos Inovadores de Promoção de Investimento Privado

Leia mais

Perspectivas para o Desenvolvimento do Nordeste. Sergio Duarte de Castro Secretário de Desenvolvimento Regional

Perspectivas para o Desenvolvimento do Nordeste. Sergio Duarte de Castro Secretário de Desenvolvimento Regional Perspectivas para o Desenvolvimento do Nordeste Sergio Duarte de Castro Secretário de Desenvolvimento Regional RJ 20/02/2013 Trajetória Recente => Oportunidades Polos Dinâmicos, Decisões de Investimento

Leia mais

Desafios da Indústria e da Política de Desenvolvimento Produtivo

Desafios da Indústria e da Política de Desenvolvimento Produtivo Desafios da Indústria e da Política de Desenvolvimento Produtivo Josué Gomes da Silva IEDI Seminário Internacional: A Hora e a Vez da Política de Desenvolvimento Produtivo BNDES / CNI CEPAL / OCDE 22/09/2009

Leia mais

Diretrizes da Agenda Setorial do Setor de Energias Renováveis: Biocombustíveis

Diretrizes da Agenda Setorial do Setor de Energias Renováveis: Biocombustíveis SENADO FEDERAL Comissão de Agricultura e Reforma Agrária Diretrizes da Agenda Setorial do Setor de Energias Renováveis: Bioetanol Biodiesel Biocombustíveis Brasília, 28 de novembro de 2012 Foco e Prioridades

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015 DADOS GERAIS DO ESTADO DA RORAIMA Total Part % Brasil Part % Região Área Total - km² 224.118 2,64% 5,82% População - mil (1)

Leia mais

Perfil Municipal - Natal (RN)

Perfil Municipal - Natal (RN) Caracterização do Território Área: 169,9 km² Densidade Demográfica: 4.175,5 hab/km² Altitude da Sede: 30 m Ano de Instalação: 1.599 Distância à Capital: 0,0 km Microrregião: Natal Mesorregião: Leste Potiguar

Leia mais

Programa Mais Cultura

Programa Mais Cultura Programa Mais Cultura Reconhecimento da Cultura como: Necessidade básica; Direito de todos os brasileiros, como a alimentação, a saúde, a moradia, a educação e o voto; Economia importante para o desenvolvimento

Leia mais

Perfil Municipal - Queimada Nova (PI)

Perfil Municipal - Queimada Nova (PI) Caracterização do Território Área: 1.438,4 km² Densidade Demográfica: 5,8 hab/km² Altitude da Sede: 410 m Ano de Instalação: 1.993 Distância à Capital: 416,7 km Microrregião: Alto Médio Canindé Mesorregião:

Leia mais

APRESENTAÇÃO. ANTÔNIO EUGÊNIO CUNHA Engenheiro Mecânico Especialista em Gestão Empresarial Consultor Professor

APRESENTAÇÃO. ANTÔNIO EUGÊNIO CUNHA Engenheiro Mecânico Especialista em Gestão Empresarial Consultor Professor APRESENTAÇÃO ANTÔNIO EUGÊNIO CUNHA Engenheiro Mecânico Especialista em Gestão Empresarial Consultor Professor É um processo gerencial que diz respeito à formulação de objetivos para a seleção de programas

Leia mais

Perspectivas da Indústria Nacional de Celulose e Papel

Perspectivas da Indústria Nacional de Celulose e Papel 35º. Fórum ANAVE Perspectivas da Indústria Nacional de Celulose e Papel Simone Nagai 9 de novembro, 2010 Temas: O Setor Base Florestal Contribuição Social e Ambiental Investimentos e Perspectivas 2 Desempenho

Leia mais

FAZENDO NEGÓCIOS NO RIO GRANDE DO SUL Política Industrial. Setembro 2013

FAZENDO NEGÓCIOS NO RIO GRANDE DO SUL Política Industrial. Setembro 2013 FAZENDO NEGÓCIOS NO RIO GRANDE DO SUL Política Industrial Setembro 2013 BRASIL BRASIL Avanços sociais A extrema pobreza (pessoas vivendo com US$1,25 por dia) caiu de 10% em 2004 para 3,4% em 2011 Plano

Leia mais

Perfil Municipal - Florianópolis (SC)

Perfil Municipal - Florianópolis (SC) Caracterização do Território Área: 436,5 km² Densidade Demográfica: 760,1 hab/km² Altitude da Sede: 3 m Ano de Instalação: 1.726 Distância à Capital: 0,0 km Microrregião: Florianópolis Mesorregião: Grande

Leia mais

XIII SEMINARIO INTERNACIONAL DO COMITÉ DE INTEGRACIÓN LATINO EUROPA-AMÉRICA

XIII SEMINARIO INTERNACIONAL DO COMITÉ DE INTEGRACIÓN LATINO EUROPA-AMÉRICA XIII SEMINARIO INTERNACIONAL DO COMITÉ DE INTEGRACIÓN LATINO EUROPA-AMÉRICA AMÉRICA PAINEL: Políticas de Facilitação de Créditos para o Desenvolvimento das Pequenas e Médias Empresas (PMES). HENRIQUE Jorge

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2016

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2016 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2016 Institui a Política de Desenvolvimento Sustentável da Caatinga. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º Esta Lei institui a Política de Desenvolvimento Sustentável da

Leia mais

As Hidrovias como fator de desenvolvimento brasileiro

As Hidrovias como fator de desenvolvimento brasileiro As Hidrovias como fator de desenvolvimento brasileiro Guilherme Almeida Diretor da Área de Revitalização das Bacias Hidrográficas 2 Forum sobre Hidrovias Congresso Nacional - 24 de agosto de 2011 CODEVASF

Leia mais

O Nordeste Chances e Obstáculos para um Avanço Sustentável

O Nordeste Chances e Obstáculos para um Avanço Sustentável O Nordeste Chances e Obstáculos para um Avanço Sustentável por Cláudia Cristina 1 O NOVO CONTEXTO GLOBAL E O DESAFIO DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL As profundas transformações econômicas, sociais e políticas

Leia mais

Área Geográfica 8.514.876,599 km 2 56.439,838 Km 2 População (2007) 183.987.291 habitantes 3.641.395 habitantes Densidade demográfica

Área Geográfica 8.514.876,599 km 2 56.439,838 Km 2 População (2007) 183.987.291 habitantes 3.641.395 habitantes Densidade demográfica 1- DADOS GERAIS DO ESTADO DO ESTADO DA PARAÍBA Brasil Paraíba Área Geográfica 8.514.876,599 km 2 56.439,838 Km 2 População (2007) 183.987.291 habitantes 3.641.395 habitantes Densidade demográfica 21,61

Leia mais

Copa do Mundo FIFA Brasil 2014 : Perfil econômico dos Estados-sede

Copa do Mundo FIFA Brasil 2014 : Perfil econômico dos Estados-sede Copa do Mundo FIFA Brasil 2014 : Perfil econômico dos Estados-sede Índice Estado página Amazonas (cidade-sede Manaus)... 3 Bahia (cidade-sede Salvador)... 8 Ceará (cidade-sede Fortaleza)... 13 Distrito

Leia mais

PLANO NACIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO - PLANSAB

PLANO NACIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO - PLANSAB Implementação do Marco Regulatório do Saneamento Ambiental PLANO NACIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO - PLANSAB Ernani Ciríaco de Miranda Diretor da DARIN/SNSA/MCIDADES Belo Horizonte, 20 de março de 2013 Art.

Leia mais

Oportunidades de negócios em TI no novo ciclo de desenvolvimento do país

Oportunidades de negócios em TI no novo ciclo de desenvolvimento do país Oportunidades de negócios em TI no novo ciclo de desenvolvimento do país 1 CENÁRIO Taxa de Crescimento do PIB, Consumo das Famílias e FBCF - 2006-2012 25,0 22,0 20,0 18,0 15,0 13,8 13,6 15,0 10,0 9,8 5,0

Leia mais

Investe São Paulo. Campinas, 17 de março de 2015

Investe São Paulo. Campinas, 17 de março de 2015 Investe São Paulo Campinas, 17 de março de 2015 Missão Ser a porta de entrada para novos investimentos e a expansão dos negócios existentes, gerando inovação tecnológica, emprego e renda. Promover a competitividade

Leia mais

Oportunidades em Infr In aes aes rutura rutur 8º FÓRUM PERSPECTIV PERSPECTIV S 2014 Novembro 2013

Oportunidades em Infr In aes aes rutura rutur 8º FÓRUM PERSPECTIV PERSPECTIV S 2014 Novembro 2013 Oportunidades em Infraestrutura 8º FÓRUM PERSPECTIVAS 2014 8º FÓRUM PERSPECTIVAS 2014 Novembro 2013 1 ATIVOS DE INFRAESTRUTURA x INVESTIDOR INSTITUCIONAL 2 EXPERIÊNCIA ASSET CAIXA 3 OPORTUNIDADES DE INVESTIMENTO

Leia mais

PARÁ Fomento à exploração mineral

PARÁ Fomento à exploração mineral PARÁ Fomento à exploração mineral Ouro Preto, Maio de 2016 2 O ESTADO DO PARÁ Brasil Região Amazônica Estado do Pará Regiões de Integração Informações PARÁ Part (%) no Brasil Área (1.000 km 2 ) 1.248 15%

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCO, DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA EXIGIDO E DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA. Setembro de 2012

RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCO, DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA EXIGIDO E DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA. Setembro de 2012 RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCO, DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA EXIGIDO E DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA Setembro de 2012 SUMÁRIO 1 Introdução 03 1.1 O Banco do Nordeste 03 2 Gestão de Risco do BNB 05 2.1 Risco

Leia mais

O Programa Bolsa Família

O Programa Bolsa Família Painel sobre Programas de Garantia de Renda O Programa Bolsa Família Patrus Ananias de Sousa Ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome República Federativa do Brasil Comissão de Emprego e Política

Leia mais

Brasil Economia e Educação. Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação

Brasil Economia e Educação. Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação Brasil Economia e Educação Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação Gini e PIB Per Capita 380 Gini e Pib Per Capita (1960 - base =100) 120 PIB Per Capita 330 280 230 180 1995 111,42 108,07 1992

Leia mais

balanço 1Oº março >> junho 2014 A gente FAZ um brasil de oportunidades

balanço 1Oº março >> junho 2014 A gente FAZ um brasil de oportunidades balanço 1Oº março >> junho 2014 A gente FAZ um brasil de oportunidades Metrô de Salvador Linha 1 Trecho Lapa - Acesso Norte Salvador BA apresentação O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) completa

Leia mais

Apresentação de Resultados 2T11

Apresentação de Resultados 2T11 Apresentação de Resultados 2T11 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da Companhia sobre eventos ou resultados futuros. Todas as declarações

Leia mais

DESEN- VOLVI- MENTO. CONHECIMENTO: Formação e Capacitação de RH Inovação Tecnológica. POLÍTICAS PÚBLICAS: Educação C&T PITCE

DESEN- VOLVI- MENTO. CONHECIMENTO: Formação e Capacitação de RH Inovação Tecnológica. POLÍTICAS PÚBLICAS: Educação C&T PITCE CONHECIMENTO: Formação e Capacitação de RH Inovação Tecnológica POLÍTICAS PÚBLICAS: Educação C&T PITCE DESEN- VOLVI- MENTO SETOR PRODUTIVO: Agropecuária Indústria Serviços MCT MEC SNPG [ FINEP, CNPq &

Leia mais

A Mineração e a. Política Nacional de Mudança do Clima

A Mineração e a. Política Nacional de Mudança do Clima Secretaria de Geologia, A e a Política Nacional de Mudança do Clima Departamento de Desenvolvimento Sustentável na Secretaria de Geologia, Ministério das Minas e Energia Secretaria de Geologia, SUMÁRIO

Leia mais

SÍNTESE JUINA. Meio Ambiente

SÍNTESE JUINA. Meio Ambiente SÍNTESE JUINA Aperfeiçoar mecanismos controle ambiental Meio Ambiente Instalação de viveiros de distribuição de mudas para o reflorestamento e matas ciliares Ampliar aceso aos programas de crédito de Capacitar

Leia mais

Inovação no Complexo Industrial da Saúde

Inovação no Complexo Industrial da Saúde 3º ENCONTRO NACIONAL DE INOVAÇÃO EM FÁRMACOS E MEDICAMENTOS Inovação no Complexo Industrial da Saúde Painel: Fomento, Preços, Compras e Encomendas São Paulo SP, 15 de setembro de 2009 FINEP Empresa pública

Leia mais

Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste Ministério da Integração Nacional

Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste Ministério da Integração Nacional Fundo de & Incentivos Fiscais Finalidade Assegurar recursos para investimentos na área de atuação da SUDENE, em infra-estrutura e serviços públicos e em empreendimentos produtivos com grande capacidade

Leia mais

Oportunidades e atração de investimentos para o setor de P&G no Estado de São Paulo. Luciano Almeida Presidente 22 de agosto de 2013

Oportunidades e atração de investimentos para o setor de P&G no Estado de São Paulo. Luciano Almeida Presidente 22 de agosto de 2013 Oportunidades e atração de investimentos para o setor de P&G no Estado de São Paulo Luciano Almeida Presidente 22 de agosto de 2013 Missão Ser a porta de entrada para novos investimentos ou expansão dos

Leia mais

SETORIAIS VISÃO GERAL

SETORIAIS VISÃO GERAL MCT FUNDOS SETORIAIS VISÃO GERAL Financiamento de Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil RECURSOS GOVERNAMENTAIS IMPOSTOS e TAXAÇÃO SISTEMA DE CT&I Universidades Centros de Pesquisas Empresas do Governo

Leia mais

Contexto: oportunidades

Contexto: oportunidades Recife, 10 de dezembro de 2010 Contexto: oportunidades Período de crescimento econômico nacional (mesmo atenuado pela crise mundial) e de crescimento econômico regional, puxado pelo consumo Grandes investimentos

Leia mais

A região Nordeste e seus aspectos econômicos e sociais. As atividades econômicas

A região Nordeste e seus aspectos econômicos e sociais. As atividades econômicas A região Nordeste e seus aspectos econômicos e sociais As atividades econômicas Conforme o mapa mostra, de todas as capitais nordestinas, apenas Teresina, capital do Piauí, não está voltada para o Oceano

Leia mais

FINEP - Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação

FINEP - Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação FINEP - Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Fomento à Inovação no Brasil Desenvolvimento e Sustentabilidade ALIDE Fortaleza, maio 2010 FINEP Empresa pública federal, vinculada

Leia mais

A DEMANDA POR SAÚDE PÚBLICA EM GOIÁS

A DEMANDA POR SAÚDE PÚBLICA EM GOIÁS Título: A DEMANDA POR SAÚDE PÚBLICA EM GOIÁS Projeto de pesquisa: ANÁLISE REGIONAL DA OFERTA E DA DEMANDA POR SERVIÇOS DE SAÚDE NOS MUNICÍPIOS GOIANOS: GESTÃO E EFICIÊNCIA 35434 Autores: Sandro Eduardo

Leia mais

AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO MERCADO INTERNO DESAFIOS LOGÍSTICOS FLORIANÓPOLIS AGOSTO 2013

AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO MERCADO INTERNO DESAFIOS LOGÍSTICOS FLORIANÓPOLIS AGOSTO 2013 AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO MERCADO INTERNO DESAFIOS LOGÍSTICOS ENESUL -2013 FLORIANÓPOLIS AGOSTO 2013 Metodologia de Trabalho Identificação de Mercados Aptidão e Competitividade da Produção Competitividade

Leia mais

Superintendência Estadual do Rio Grande do Norte

Superintendência Estadual do Rio Grande do Norte Superintendência Estadual do Rio Grande do Norte Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) Municípios atendidos: 1.990 (11 Estados) Administrado pelo BNB Marco normativo/legal, diretrizes

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome O Brasil assume o desafio de acabar com a miséria O Brasil assume o desafio de acabar com a

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DIRETRIZES

RELATÓRIO FINAL DIRETRIZES RELATÓRIO FINAL Priorização da Etapa Nacional na I Conferência Nacional de Desenvolvimento Regional DIRETRIZES Classificação 1 97 Nº Conteúdo Criar um sistema nacional de financiamento ao Desenvolvimento

Leia mais

Fevereiro/2014. Cenário Econômico: Piora das Perspectivas de Crescimento. Departamento t de Pesquisas e Estudos Econômicos

Fevereiro/2014. Cenário Econômico: Piora das Perspectivas de Crescimento. Departamento t de Pesquisas e Estudos Econômicos Fevereiro/2014 Cenário Econômico: Piora das Perspectivas de Crescimento Departamento t de Pesquisas e Estudos Econômicos 1 Retrospectiva 2013 Frustração das Expectativas 2 Deterioração das expectativas

Leia mais

Panorama Municipal. Município: Barreiros / PE. Aspectos sociodemográficos. Demografia

Panorama Municipal. Município: Barreiros / PE. Aspectos sociodemográficos. Demografia Município: Barreiros / PE Aspectos sociodemográficos Demografia A população do município ampliou, entre os Censos Demográficos de 2000 e 2010, à taxa de 0,40% ao ano, passando de 39.151 para 40.732 habitantes.

Leia mais

1. O Novo Plano Nacional de Educação (2011 2020) O antigo Plano Nacional de Educação terminou sua vigência em 2010 e o Novo Plano encontra-se em

1. O Novo Plano Nacional de Educação (2011 2020) O antigo Plano Nacional de Educação terminou sua vigência em 2010 e o Novo Plano encontra-se em 1. O Novo Plano Nacional de Educação (2011 2020) O antigo Plano Nacional de Educação terminou sua vigência em 2010 e o Novo Plano encontra-se em discussão na Câmara dos Deputados (PL 8.035/2010). Até o

Leia mais

Desenvolvimento Regional para a Integração Nacional. Nova Política Nacional de Desenvolvimento Regional PNDR II

Desenvolvimento Regional para a Integração Nacional. Nova Política Nacional de Desenvolvimento Regional PNDR II Desenvolvimento Regional para a Integração Nacional Nova Política Nacional de Desenvolvimento Regional PNDR II Profundas desigualdades sociais e regionais e grande diversidade Área N: 45,3% CO: 18,8% NE:

Leia mais

LEI DE INOVAÇÃO Regulamentação e Medidas Tributárias Favoráveis às atividades de Pesquisa, Desenvolvimento Tecnológico e Inovação nas Empresas

LEI DE INOVAÇÃO Regulamentação e Medidas Tributárias Favoráveis às atividades de Pesquisa, Desenvolvimento Tecnológico e Inovação nas Empresas LEI DE INOVAÇÃO Regulamentação e Medidas Tributárias Favoráveis às atividades de Pesquisa, Desenvolvimento Tecnológico e Inovação nas Empresas 8 REPICT Encontro de Propriedade Intelectual e Comercialização

Leia mais

TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2011

TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2011 SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL COINT - Coordenação-Geral de Análise e Informações das Transferências Financeiras Intergovernamentais TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2011

Leia mais

Plano Nacional de Educação 201? 202?: Desafios e Perspectivas. Fernando Mariano fmariano@senado.leg.br Consultoria Legislativa

Plano Nacional de Educação 201? 202?: Desafios e Perspectivas. Fernando Mariano fmariano@senado.leg.br Consultoria Legislativa Plano Nacional de Educação 201? 202?: Desafios e Perspectivas Fernando Mariano fmariano@senado.leg.br Consultoria Legislativa Panorama População com idade até 24 anos: 63 milhões Taxa de alfabetização:

Leia mais

COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO AUDIÊNCIA PÚBLICA 23/11/2011

COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO AUDIÊNCIA PÚBLICA 23/11/2011 COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO AUDIÊNCIA PÚBLICA 23/11/2011 PwC 1 PwC 2 2.7 2.5 Setor automotivo Fumo Multiplicador 2.3 Couros Borracha e Plástico 1.9 Metalurgia e Siderurgia

Leia mais

12 portos marítimos (+8 terminais privados de uso misto) 409.473 km de rodovias. 18 aeroportos (9 internacionais)

12 portos marítimos (+8 terminais privados de uso misto) 409.473 km de rodovias. 18 aeroportos (9 internacionais) Fórum Nacional Eólico Carta dos Ventos Financiamento de Projetos José Maria Vilar Superintendente do Banco do Nordeste do Brasil (BNB) Natal, 19.06.2009 Nordeste do Brasil: Infraestrutura 12 portos marítimos

Leia mais

Cenário Brasileiro e Educação

Cenário Brasileiro e Educação Cenário Brasileiro e Educação Prof. José Pio Martins Economista Reitor da Universidade Positivo Agosto/2014 Observações introdutórias Missões do gestor Gerenciar o dia a dia Preparar a organização para

Leia mais

Agricultura Familiar AVANÇOS E DESAFIOS

Agricultura Familiar AVANÇOS E DESAFIOS Agricultura Familiar AVANÇOS E DESAFIOS Tema Centrais As mudanças nas regras do Selo O Selo existiria em um cenário sem leilões? A importância do Selo Social para o novo Governo. A Função da Secretaria

Leia mais

Desenvolvimento Regional

Desenvolvimento Regional Clonilo Moreira Sindeaux de Oliveira Pedro Jorge Ramos Vianna Desenvolvimento Regional 50 Anos do BNB FORTALEZA 2005 SUMARIO LISTA DE TABELAS IX APRESENTAÇÃO XIII 1 - INTRODUÇÃO 17 2 - O NORDESTE BRASILEIRO

Leia mais

1º Simpósio Infra-estrutura e Logística no Brasil: Desafios para um país emergente

1º Simpósio Infra-estrutura e Logística no Brasil: Desafios para um país emergente 1º Simpósio Infra-estrutura e Logística no Brasil: Desafios para um país emergente Painel: Gestão Pública, Orçamento e Investimento Públicos - Privados O HISTÓRICO DOS INVESTIMENTOS EM INFRA-ESTRUTURA

Leia mais

Planejamento, Desenvolvimento e Políticas Públicas

Planejamento, Desenvolvimento e Políticas Públicas Planejamento, Desenvolvimento e Políticas Públicas MÁRCIO GIMENE DE OLIVEIRA Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Salvador, 6 de agosto de 2014 ABOP Slide 1 PLANEJAMENTO: cálculo que precede

Leia mais

FINANCIAMENTO DO DESENVOLVIMENTO

FINANCIAMENTO DO DESENVOLVIMENTO FINANCIAMENTO DO DESENVOLVIMENTO Apresentação Esse relatório trata do Financiamento do Desenvolvimento Regional formulado pelo Ministério da Integração Nacional-MI, como contribuição à reflexão do tema

Leia mais

Lucratividade das Empresas Nordestinas, Arrecadação de IRJP e Reforma de Tributos. Waldery Rodrigues Júnior

Lucratividade das Empresas Nordestinas, Arrecadação de IRJP e Reforma de Tributos. Waldery Rodrigues Júnior O Futuro do Nordeste: Estratégias de Desenvolvimento para as Próximas Décadas Lucratividade das Empresas Nordestinas, Arrecadação de IRJP e Reforma de Tributos Waldery Rodrigues Júnior Economista Sênior/TPP-IPEA

Leia mais

II Edital de municípios para implantação de cursos de Medicina Programa Mais Médicos

II Edital de municípios para implantação de cursos de Medicina Programa Mais Médicos II Edital de municípios para implantação de cursos de Medicina Programa Mais Médicos Brasília, 02 de abril de 2015 Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior Ministério da Educação Lei nº

Leia mais

Danilo Roque Pasin Coordenador do Ramo Infraestrutura do Sistema OCB. Guarujá, Outubro de 2013.

Danilo Roque Pasin Coordenador do Ramo Infraestrutura do Sistema OCB. Guarujá, Outubro de 2013. Contexto das Cooperativas de Eletrificação no Brasil Danilo Roque Pasin Coordenador do Ramo Infraestrutura do Sistema OCB Guarujá, Outubro de 2013. Conceito de Infraestrutura É o conjunto de atividades

Leia mais

Panorama Municipal. Município: Cabo de Santo Agostinho / PE. Aspectos sociodemográficos. Demografia

Panorama Municipal. Município: Cabo de Santo Agostinho / PE. Aspectos sociodemográficos. Demografia Município: Cabo de Santo Agostinho / PE Aspectos sociodemográficos Demografia A população do município ampliou, entre os Censos Demográficos de 2000 e 2010, à taxa de 1,93% ao ano, passando de 152.836

Leia mais

Correção Exercícios Tarefa. Página 11 e 12

Correção Exercícios Tarefa. Página 11 e 12 Correção Exercícios Tarefa Página 11 e 12 1. Os critérios utilizados são geoeconômicos, não estando relacionados à divisão do mundo em hemisférios. Os países do Sul se caracterizam por haverem se industrializado

Leia mais

Informativo PIB Trimestral

Informativo PIB Trimestral Informativo PIB Trimestral v. 1 n. 1 abr. jun. 2010 ISSN 2178-8367 Economia baiana cresce 10,4% no segundo trimestre e acumula alta de 10,0% no 1º semestre No segundo trimestre de 2010, a economia baiana

Leia mais

CONGRESSO NACIONAL COMISSÃO MISTA DE PLANOS, ORÇAMENTOS PÚBLICOS E FISCALIZAÇÃO PARECER N.º, DE 2012

CONGRESSO NACIONAL COMISSÃO MISTA DE PLANOS, ORÇAMENTOS PÚBLICOS E FISCALIZAÇÃO PARECER N.º, DE 2012 PARECER N.º, DE 2012 Da Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização (CMO) sobre o Ofício nº 14, de 2012 CN, que Encaminha ao Congresso Nacional o Relatório de Resultados e Impactos Exercício

Leia mais

FINEP Financiadora de Estudos e Projetos

FINEP Financiadora de Estudos e Projetos FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Workshop: Os Desafios para a Industria Nacional de Petróleo e Gás BNDES, Rio de Janeiro - RJ, 02 de julho de 2008 FINEP Empresa pública

Leia mais

VI SIMPÓSIO BRASILEIRO sobre Pequenas e Médias Centrais Hidrelétricas

VI SIMPÓSIO BRASILEIRO sobre Pequenas e Médias Centrais Hidrelétricas VI SIMPÓSIO BRASILEIRO sobre Pequenas e Médias Centrais Hidrelétricas Mesa Redonda: O Papel das PCH e Fontes Alternativas de Energia na Matriz Energética Brasileira Amilcar Guerreiro Diretor de Estudos

Leia mais

PAINEL V : DESENVOLVIMENTO REGIONAL NA AMÉRICA LATINA ESTRUTURA PRODUTIVA E DESENVOLVIMENTO REGIONAL: EXPERIÊNCIAS LATINO-AMERICANAS

PAINEL V : DESENVOLVIMENTO REGIONAL NA AMÉRICA LATINA ESTRUTURA PRODUTIVA E DESENVOLVIMENTO REGIONAL: EXPERIÊNCIAS LATINO-AMERICANAS PAINEL V : DESENVOLVIMENTO REGIONAL NA AMÉRICA LATINA ESTRUTURA PRODUTIVA E DESENVOLVIMENTO REGIONAL: EXPERIÊNCIAS LATINO-AMERICANAS Ricardo Romeiro Coordenador Geral de Arranjos Produtivos Locais Secretária

Leia mais

O Brasil no século XXI. Desafios Estratégicos para o Brasil em 2022

O Brasil no século XXI. Desafios Estratégicos para o Brasil em 2022 O Brasil no século XXI Desafios Estratégicos para o Brasil em 2022 Construir o Brasil do século XXI Reduzir as Vulnerabilidades Externas; Enfrentar as desigualdades; Realizar as potencialidades; Construir

Leia mais

NFSP (% PIB) ' 8. indexador: dezembro (%) 9. produto potencial (% a.a.) 15. idade (%) 24. anual (%) 24

NFSP (% PIB) ' 8. indexador: dezembro (%) 9. produto potencial (% a.a.) 15. idade (%) 24. anual (%) 24 Sumário de tabelas TABELA 1.1 Taxas de crescimento - médias por período (% a.a.) 5 TABELA 1.2 Indicadores sociais 6 TABELA 1.3 Brasil - Dívida externa - fim de período (US$ bilhões) 7 TABELA 1.4 Necessidades

Leia mais

A Logística Brasileira Hoje e Suas Tendências

A Logística Brasileira Hoje e Suas Tendências A Logística Brasileira Hoje e Suas Tendências Prof. Manoel A. S. Reis, PhD I SEMINÁRIO DE INFRAESTRUTURA DA BRITCHAM Segmento de Transportes no Brasil São Paulo 18 de Novembro de 2010 1. Características

Leia mais

EMPRESAS DO BRASIL E NORDESTE Ano IV N O 20

EMPRESAS DO BRASIL E NORDESTE Ano IV N O 20 O nosso negócio é o desenvolvimento EMPRESAS DO BRASIL E NORDESTE Ano IV N O 20 ESCRITÓRIO TÉCNICO DE ESTUDOS ECONÔMICOS DO NORDESTE ETENE Superintendente José Narciso Sobrinho Ambiente de Estudos, Pesquisas

Leia mais

Uma política econômica de combate às desigualdades sociais

Uma política econômica de combate às desigualdades sociais Uma política econômica de combate às desigualdades sociais Os oito anos do Plano Real mudaram o Brasil. Os desafios do País continuam imensos, mas estamos em condições muito melhores para enfrentálos.

Leia mais

A organização do espaço na América Latina

A organização do espaço na América Latina Tifonimages/ Dreamstime.com Joetex1/ Dreamstime.com A organização do espaço na América Latina Vista da cidade de Santiago, capital e maior cidade do Chile. Monocultura de milho na Argentina. Andresr/ Shutterstock

Leia mais

Dr. Carlos Alexandre Geyer. Diretor Presidente da ALANAC

Dr. Carlos Alexandre Geyer. Diretor Presidente da ALANAC Dr. Carlos Alexandre Geyer Diretor Presidente da ALANAC São Paulo, 01 de março de 2010 Associação dos Laboratórios Farmacêuticos Nacionais Desde 1983 Laboratórios de Capital Nacional 36 FABRICANTES: Similar

Leia mais

FINEP Financiadora de Estudos e Projetos

FINEP Financiadora de Estudos e Projetos FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Programas de Financiamento à Inovação III WORKSHOP DAS UNIDADES DE PESQUISA DO MCT Campinas, 30 e 31 de agosto de 2010 Inovação Inovação

Leia mais

50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias

50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias 50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias Pesquisa realizada pela Rizzo Franchise e divulgada pela revista Exame listou as 50 cidades com as melhores oportunidades para abertura de

Leia mais

< > MODELO DE DESENVOLVIMENTO PARA O RS

< > MODELO DE DESENVOLVIMENTO PARA O RS MODELO DE DESENVOLVIMENTO PARA O RS POLÍTICA INDUSTRIAL DO RS Modelo de Desenvolvimento Industrial do Estado do RS Março de 2012. 2 Sumário MODELO DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL DO ESTADO DO RS Destaques

Leia mais

Carteira de projetos prioritários para 2014. Propostas a serem entregues aos presidenciáveis. Mapa Estratégico DA INDÚSTRIA 2013-2022

Carteira de projetos prioritários para 2014. Propostas a serem entregues aos presidenciáveis. Mapa Estratégico DA INDÚSTRIA 2013-2022 Carteira de projetos prioritários para 2014 Propostas a serem entregues aos presidenciáveis Mapa Estratégico da Indústria 2013-2022 OBS: AJUSTAR TAMANHO DA LOMBADA COM O CÁLCULO FINAL DO MIOLO. Mapa Estratégico

Leia mais

(Talking Points) Bom Noite Senhoras e Senhores,

(Talking Points) Bom Noite Senhoras e Senhores, EST 20JO CEARÁ (Talking Points) Bom Noite Senhoras e Senhores, Antes de mais nada, gostaria de expressar minha enorme satisfação de estar aqui no Rio Grande do Norte e agradecer ao Sr. MARCANTONI GADELHA

Leia mais

Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará. Eixo Temático Educação Infantil

Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará. Eixo Temático Educação Infantil Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará Eixo Temático Educação Infantil Ceará, 2015 1 Socioeconômico Diagnóstico Para compreender a situação da educação no estado do Ceará é necessário também

Leia mais

Demonstrativo da extrema pobreza: Brasil 1990 a 2009

Demonstrativo da extrema pobreza: Brasil 1990 a 2009 Campinas, 29 de fevereiro de 2012 AVANÇOS NO BRASIL Redução significativa da população em situação de pobreza e extrema pobreza, resultado do desenvolvimento econômico e das decisões políticas adotadas.

Leia mais

1. INTRODUÇÃO EXPERIÊNCIAS E RECOMENDAÇÕES

1. INTRODUÇÃO EXPERIÊNCIAS E RECOMENDAÇÕES 1. INTRODUÇÃO O quadro sanitário da maioria da população da América Latina e do Caribe ainda é muito precário em virtude da carência de recursos para investimento e da deficiência ou da ausência de políticas

Leia mais

A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE

A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE AUMENTAR O INVESTIMENTO PRIVADO EM P&D ------------------------------------------------------- 3 1. O QUE É A PDP? ----------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

NOVA VISÃO DO GESTÃO SUSTENTÁVEL DE RECURSOS HÍDRICOS

NOVA VISÃO DO GESTÃO SUSTENTÁVEL DE RECURSOS HÍDRICOS NOVA VISÃO DO SANEAMENTO NA GESTÃO SUSTENTÁVEL DE RECURSOS HÍDRICOS IMPORTÂNCIA DO REUSO NA GESTÃO Alan Graham Macdiarmid (Prêmio Nobel de Química 2000) Energia Democracia Água Educação 10 maiores problemas

Leia mais

O papel anticíclico dos investimentos públicos e as perspectivas econômicas

O papel anticíclico dos investimentos públicos e as perspectivas econômicas O papel anticíclico dos investimentos públicos e as perspectivas econômicas Luciano Coutinho Rio de Janeiro, 14 de julho de 2009 Limitação da política monetária após crises financeiras Processos de desalavancagem

Leia mais

II ENCONTRO NACIONAL DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL

II ENCONTRO NACIONAL DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL Ministério da Saúde II ENCONTRO NACIONAL DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL APLICAÇÃO DAS DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM NUTRIÇÃO, DESAFIOS E POSSIBILIDADES Brasília, 25 de setembro de

Leia mais

Mobilidade Urbana. Linhas gerais, resultados e desafios selecionados

Mobilidade Urbana. Linhas gerais, resultados e desafios selecionados Mobilidade Urbana Linhas gerais, resultados e desafios selecionados Apresentação A política de desenvolvimento urbano é estratégica para a promoção de igualdade de oportunidades, para a desconcentração

Leia mais