O QUE DOCENTES E DISCENTES DO IFNMG CAMPUS SALINAS SABEM SOBRE OS PROGRAMAS DO GOVERNO VINCULADOS AO EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO (ENEM)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O QUE DOCENTES E DISCENTES DO IFNMG CAMPUS SALINAS SABEM SOBRE OS PROGRAMAS DO GOVERNO VINCULADOS AO EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO (ENEM)"

Transcrição

1 O QUE DOCENTES E DISCENTES DO IFNMG CAMPUS SALINAS SABEM SOBRE OS PROGRAMAS DO GOVERNO VINCULADOS AO EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO (ENEM) Vailton Afonso da Silva Geovânia Silva Santos Instituto Federal Norte de Minas Gerais - Campus Salinas Agência de Fomento: Programa de Apoio à Produtividade em Pesquisa (PROAPE) GT 07: Currículo, educação profissional e tecnológica e EJA Modalidade: Artigo RESUMO: O ENEM é, atualmente, a prova mais importante do Brasil. De acordo com o MEC, mais de 7 (sete) milhões de participantes foram inscritos em todo o País, em Pelos números percebe-se a importância que o Exame vem tomando como processo unificado de seleção. O ENEM pode, além de influenciar, criar uma forma de controle dos currículos da educação básica, uma vez que os exames de ingresso ao ensino superior influenciam fortemente a composição desses currículos. Acreditamos que essa influencia se deve aos 5 programas do governo vinculados ao ENEM. Programa Universidade para Todos (PROUNI); Sistema de Seleção Unificada (SISU); Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (FIES); Ciências sem Fronteiras (CsF); Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (SISUTEC). Diante da problemática do ENEM como uma política de reestruturação do currículo no Ensino Médio induzida pelos programas do governo vinculados ao exame, buscamos conhecer a perspectiva de docentes e discentes. Assim, este trabalho tem por objetivo estudar as percepções dos discentes e docentes do IFNMG Campus Salinas dos cursos técnicos integrados para saber o nível de compreensão em relação ao ENEM e os programas do governo vinculados ao exame e analisar as ações desenvolvidas pelo Campus Salinas, em âmbito institucional, referente à divulgação, conscientização e importância dos exames oficiais. A análise das percepções nos permitirá conhecer a real influência curricular imposta pelo ENEM e os programas do governo vinculados ao exame no Campus Salinas. Utilizamos como procedimento metodológico a aplicação de um questionário para 120 alunos e 21 professores de Ensino Médio integrado e utilizamos a análise de conteúdo da professora Laurence Bardin (2009), que com base em procedimentos específicos os dados coletados foram sistematizados e categorizados, onde seu resultado

2 promoveu a análise desta pesquisa. Concluimos que falta muita informação sobre os programas do governo vinculados ao ENEM tanto por parte dos alunos quanto dos professores do IFNMG. Descobrimos que a maioria dos alunos e professores não leem o edital do ENEM publicados anualmente. Quando questionados sobre a Matriz de Referência que contém o referencial curricular do que será avaliado bem como as competências e habilidades esperadas ao se fazer o exame, tanto discente como docente, ficaram confusos apresentando altíssimo grau de desconhecimento, fato evidenciado com muita clareza na pesquisa. Percebemos que, praticamente, não existem ações desenvolvidas pelo IFNMG Campus Salinas em âmbito institucional referente à divulgação, conscientização e importância dos exames oficiais. Os dados confirmam não ser foco deste Campus os programas do governo vinculados ao ENEM. A pesquisa evidencia a falta de análise das provas do ENEM por parte dos professores, pois nenhum deles souberam dizer, com clareza, quais Objetos de Conhecimento do seu componente curricular estão sendo mais exigidos no exame. Assim, para que o estudante dê continuidade em seus estudos, é extremamente importante que os professores da parte enciclopédica (ensino médio) e a instituição ofereçam preparação adequada para realização do exame e divulgue amplamente os programas do governo vinculados ao ENEM. Caso isso não ocorra, teremos alunos sem saber os reais benefícios do exame que, ao nosso entender, é uma grande política de inclusão social e tem tudo para se transformar na transição da loteria dos vestibulares para a realização do preceito constitucional que trata a educação superior como direito de todos, mediante a capacidade de cada um. Considerando o ENEM como uma política de reestruturação do currículo no Ensino Médio, pautada no processo de contextualização do ensino, é possível concluir que, de certa forma, a instituição ainda parece estar indiferente às orientações públicas, primeiro porque os professores não se sentem questionados em seu trabalho; e segundo, os professores apresentam entendimentos superficiais e limitados para efetivar mudanças no ensino, pelo menos em relação ao ENEM. PALAVRAS-CHAVE: ENEM; PROUNI; SISU; FIES. 1. Introdução O ENEM é, atualmente, a prova mais importante do Brasil. De acordo com o MEC, mais de 7 (sete) milhões de participantes foram inscritos em todo o País, em Pelos números percebe-se a importância que o Exame vem tomando como processo unificado de

3 seleção. Assim, as Instituições de Ensino Superior (IES) estão revendo seus antigos processos seletivos (tais como o vestibular) e é nesse cenário que se insere o ENEM modelo de seleção de estudantes concebido para avaliar habilidades e competências humanas, isto é, procedimento seletivo adaptado às exigências de uma nova sociedade. O ENEM busca avaliar competências mais complexas, tais como: domínio de linguagens; compreensão de fenômenos; enfrentamento de situações-problema; construção de argumentações e elaboração de propostas. Sabemos que a partir de 2009 o ENEM passou a ser utilizado também como mecanismo de seleção para o ingresso no ensino superior. Foram implementadas mudanças no Exame que contribuem para a democratização das oportunidades de acesso às vagas oferecidas por Instituições Federais de Ensino Superior (IFES), para a mobilidade acadêmica e para induzir a reestruturação dos currículos do ensino médio. (BRASIL, 2013a). Assim, o modelo do ENEM induz o Ensino Médio a adotar uma proposta pedagógica centrada no desenvolvimento de competências relevantes para o cidadão dessa nova sociedade. Viggiano e Mattos (2013) relata a importância que o ENEM assume no cenário educacional brasileiro é indiscutível dado seu impacto nos mais diversos níveis do sistema educacional. Lopes e Perés (2010) afirmam que o ENEM pode, além de influenciar, criar uma forma de controle dos currículos da educação básica, uma vez que os exames de ingresso ao ensino superior influenciam fortemente a composição desses currículos. Pelos números percebe-se a importância que o ENEM vem adquirindo como processo unificado de seleção. Conforme se observa no gráfico a seguir. Gráfico 1 Evolução de inscritos ao ENEM Fonte: Elaborado pelo autores com dados do INEP Atualmente, são disponibilizados cinco programas que utilizam o ENEM como processo de seleção:

4 Programa Universidade para Todos (PROUNI) Sistema de Seleção Unificada (SISU) Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (FIES) Ciências sem Fronteiras (CsF) Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (SISUTEC) Entendemos que para o aluno e o professor a compreensão dos programas do governo vinculados ao ENEM é extremamente importante, pois o ENEM é um mecanismo de inclusão social e as ações desenvolvidas pelo IFNMG Campus Salinas em âmbito institucional referente à divulgação, conscientização e importância dos exames oficiais tornam-se imprescindíveis e colaboram para um melhor desempenho dos discentes no exame. Assim, é extremamente importante estudar as percepções dos discentes e docentes relacionadas ao ENEM e os programas do governo vinculados ao exame. Neste sentido o trabalho aqui apresentado, a partir da importância que o ENEM assume no cenário nacional, procura aplicar um questionário aos integrantes do processo de ensino-aprendizagem, docentes e discentes, do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Campus Salinas para saber o nível de compreensão deles em relação aos programas do governo vinculados ao ENEM. 2. Objetivos Considerando o que foi exposto, a investigação que temos desenvolvido tem os seguintes objetivos: Investigar a percepção dos discentes e docentes do Ensino Médio Integrado do IFNMG Campus Salinas sobre o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM); Programa Universidade para Todos (PROUNI); Sistema de Seleção Unificada (SISU) e o Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (FIES). Analisar as ações desenvolvidas pelo IFNMG Campus Salinas, em âmbito institucional, referente à divulgação, conscientização e importância dos exames oficiais. 3. Metodologia

5 Aplicamos um questionário aos alunos e professores de Ensino Médio do IFNMG Campus Salinas, onde foram contemplados os seguintes assuntos: Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) e sua Matriz de Referência, o Sistema de Seleção Unificada (SISU), o Programa Universidade para Todos (Prouni) e o Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (FIES). Utilizamos a análise de conteúdo da professora Laurence Bardin (2009), que com base em procedimentos específicos os dados coletados foram sistematizados e categorizados, onde seu resultado promoveu a análise desta pesquisa. Foi feita uma leitura flutuante que possibilita a definição de critérios e indicadores que fundamentam a interpretação, apresentada e discutida por Bardim (2009), do material para caracterizar a percepção discente e docente, especialmente, em relação aos programas do governo e os vínculos destes com o ENEM. Assumimos as respostas dos alunos e professores como unidade de busca, por serem adequadas a estudos que envolvem atitudes, valores, opiniões e percepção. As respostas semelhantes foram agrupadas para se chegar a uma correspondência entre elas e seus significados. A interpretação dos resultados foi caracterizada pelas inferências e interpretações realizadas, a partir, da análise das respostas agrupadas, ou seja, semelhantes ou correspondentes. Entende-se que ao compreender a percepção dos discentes e docentes podem-se produzir orientações e escolher estratégias apropriadas de ensino-aprendizagem. 4. Dados e análise dos dados Esta pesquisa olhou para o Exame nacional do Ensino Médio (ENEM) e os programas do governo vinculados ao exame com o intuito de conhecer a compreensão dos alunos e professores do IFNMG Campus Salinas. Os sites oficiais apontam que a finalidade primordial do ENEM é a avaliação do desempenho escolar e acadêmico ao fim do Ensino Médio. As informações obtidas a partir dos resultados do ENEM são utilizadas para acompanhamento da qualidade do Ensino Médio no País, na implementação de políticas públicas, criação de referência nacional para o aperfeiçoamento dos currículos do Ensino Médio, desenvolvimento de estudos e indicadores sobre a educação brasileira e estabelecimento de critérios de acesso do participante a

6 programas governamentais. O ENEM serve, também, para a constituição de parâmetros para a auto-avaliação do participante, com vistas à continuidade de sua formação e à sua inserção no mundo de trabalho (BRASIL, 2013b). Assim, a pesquisa mostrou que os alunos não compreendem todas as finalidades do ENEM, pois 58,3% dos alunos definem o ENEM como um exame do governo que possibilita o ingresso na faculdade. 28,7% afirmam que o exame avalia a qualidade do ensino médio e oportuniza a entrada na faculdade. 8,7% alegam que o ENEM serve para testar os conhecimentos e 4,3% deixaram de responder à pergunta. Portanto, é extremamente importante, a conscientização dos nossos alunos sobre todos os objetivos e finalidades do ENEM, pois existem 5 programas do governo vinculados ao exame que, ao nosso entender, é mais um mecanismo de inclusão social. Além disso, pode servir de base para definir, em âmbito local, estratégias de uso dos resultados para melhorar o desempenho dos alunos em sala de aula, de modo a atingir padrões de qualidade compatíveis com as novas exigências da sociedade do conhecimento. Atualmente, os programas do governo vinculados ao ENEM são: Sisu, Prouni, Fies, Sisutec e Ciências sem fronteiras. Dos alunos pesquisados, 56,5% dos alunos conhecem os três principais programas, Sisu, Prouni e Fies. 36,5% dos alunos conhecem pelo menos um dos programas e 7% desconhecem os programas vinculados ao ENEM. Entendemos que o conhecimento dos alunos referente ao três principais programas se deve a divulgação feita tanto pelos professores quanto pela Instituição, pois 73,9% dos discentes dizem que os professores comentam sobre o exame e os três principais programas. 18,3% afirmam que há divulgação, mas de forma parcial, feita por apenas alguns professores ou com a utilização do site da escola, cartazes ou panfletos. 5,2% dos alunos afirmam que não há nenhum tipo de divulgação e 2,6% disseram que apenas próximo ao exame são feitas as divulgações. O Edital do ENEM, publicado todos os anos, apresenta uma Matriz de Referência como referencial curricular do que será avaliado, bem como as competências e habilidades esperadas dos alunos (BRASIL, 2013c). Consta do Edital uma listagem do conteúdo curricular científico, chamado de Objetos de Conhecimento que estão elencados na Matriz de Referência. Quando questionado aos alunos sobre o que são Objetos de Conhecimento elencados na Matriz de Referência do ENEM ficou claro que 56,6% dos alunos não conhecem os Objetos de Conhecimento, 33% dos alunos deram respostas confusas e sem significado efetivo com a pergunta. Apenas 10,4% dos alunos souberam definir os OC como matérias

7 cobradas no ENEM. Diante da falta de conhecimento por parte dos alunos, infere-se que os mesmos não leem o edital do ENEM e nem o professor discute o edital em sala de aula. Em relação a resolução de questões do exame em sala de aula, observa-se que 46,1% dos alunos afirmam que os professores discutem essas questões em suas aulas, mas 53,9% alegam que utilizam muito pouco. Observa-se nesta questão uma certa ansiedade ou preocupação do aluno em treinar resolução de questões. Isso é pertinente e se justifica, pois para cada questão objetiva o aluno tem, em média, 3 minutos e para a redação, em média, 1 hora. Assim, salientamos a importância em treinar a resolução das provas dos anos anteriores do ENEM. Uma boa alternativa seria um simulado, exigindo o conteúdo curricular ministrado, elaborado pelos próprios professores, aos moldes do ENEM. Foi perguntado aos alunos se sua escola apresenta os critérios de correção das redações e explica cada uma das cinco competências avaliadas ou mesmo fazem uma análise da proposta de redação que receberam nota máxima no ENEM concluímos que 48,7% dos discentes dizem que os critérios não estão sendo trabalhados. Os demais 51,3% alegam existir trabalhos para a elaboração de uma boa redação em sala de aula, porém, fica evidente em suas respostas que as aulas são pautadas apenas em alguns itens que estruturam a redação e que as competências cobradas, critérios de correção, entre outros não são tratados. Sabemos que o Programa Universidade para Todos (Prouni) é um programa do Ministério da Educação, criado pelo Governo Federal em 2004, que concede bolsas de estudo integrais e parciais (50%) em instituições privadas de ensino superior, em cursos de graduação e sequenciais de formação específica, a estudantes brasileiros, sem diploma de nível superior (BRASIL, 2013d). Quando questionado aos alunos sobre o que é PROUNI e para que serve 37,4% conhecem totalmente o programa e seus requisitos. 30,4% conhecem parcialmente o Prouni e 32,2% desconhecem completamente o programa. O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) é um programa do Ministério da Educação destinado a financiar a graduação na educação superior de estudantes matriculados em instituições não gratuitas. Podem recorrer ao financiamento os estudantes matriculados em cursos superiores que tenham avaliação positiva nos processos conduzidos pelo Ministério da Educação. Em 2010 o FIES passou a funcionar em um novo formato. O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) passou a ser o Agente Operador do Programa e os juros caíram para 3,4% ao ano. Além disso, passou a ser permitido ao estudante solicitar o financiamento em qualquer período do ano (BRASIL, 2013e). Diante disso, perguntamos aos

8 alunos o que é Fies? Para que serve? Quem pode participar? Identificamos que 14,8% dos alunos conhecem satisfatoriamente o Fies, 67% dos alunos compreendem parcialmente e 18,3% desconhecem completamente o FIES. Esses dados nos deixam perplexos, pois diante da importância do Fies é de se esperar que todos os alunos conheçam completamente o programa e as demais exigências estabelecidas nas normas do FIES. O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) é o sistema informatizado, gerenciado pelo Ministério da Educação (MEC), no qual instituições públicas de ensino superior oferecem vagas para candidatos participantes do Exame Nacional de Ensino Médio (ENEM) (BRASIL, 2013f). Questionamos aos alunos o que é Sisu? Como funciona e como se inscreve. Foi observado que 51,3% conhecem o SISU o que nos confere a ideia de que grande parte dos alunos compreendem o programa e sabem a sua finalidade. 9,6% compreendem parcialmente e 39,1% não conhecem o SISU. Esse dado é preocupante, pois essa porcentagem significa que 50 entrevistados desconhecem, remetendo a ideia de que não estão preocupados em ingressar em uma faculdade através do Sisu. Além do ENEM propiciar a participação em todos os programas já discutidos, sabemos que o ENEM pode ser utilizado para fins de certificação de conclusão do ensino médio para alunos maiores de 18 anos e que não concluíram esse nível de escolaridade na idade adequada, conforme o art. 38 da Lei nº 9.394/96, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Assim, sondamos os alunos e notamos que, em geral, os alunos conheciam essa utilização, porém, 20% dos alunos não conheciam os critérios para a certificação e 69,6% conheciam parcialmente os critérios. Os outros 10,4% desconheciam completamente esta utilização. Foi perguntado ao alunos sobre as vantagens e desvantagens que os mesmos atribuem ao ENEM. Concluímos que 65,2% atribuíram a entrada na faculdade como maior benefício que o exame proporciona. 13% apresentam opiniões diversas, como testar conhecimentos, ganhar experiência, questões cotidianas, acesso fácil as provas, etc. e 21,7% não expressaram a sua opinião. Quanto às desvantagens relacionadas ao ENEM 46,1% não atribuíram desvantagem ao exame e 53,9% alegaram prova extensa e cansativa. Aplicamos um questionário de sondagem também aos professores para podermos correlacionar com as respostas dos alunos. Começamos indagando sobre quais programas do governo estão vinculados ao ENEM. Nenhum professor expressou em suas respostas conhecer todos os programas do governo vinculados ao exame, limitando se apenas aos programas mais

9 antigos, Sisu, Fies e Prouni. Sendo que, 45% dos professores conhecem até dois programas. 35% dos professores conhecem três programas e 20% dos professores desconhecem totalmente os programas. Não sabemos quais os motivos do desconhecimento desses professores em relação aos programas. Vale ressaltar que todos são professores do ensino médio e que, de certa forma, professores que desconhecem os programas não tem como orientar seus alunos ao pleno exercício da cidadania, pois o ENEM, mais do que uma avaliação do ensino médio, é uma grande política de inclusão social e tem tudo para se transformar na transição da loteria dos vestibulares para a realização do preceito constitucional que trata a educação superior como direito de todos, mediante a capacidade de cada um. Quando indagado sobre os Objetos de Conhecimento elencados na Matriz de Referência do ENEM e sua utilização em sala de aula, percebemos que 50% dos professores afirmam utilizar os OC em suas aulas, porém não evidenciam conhecimentos sobre os OC em suas respostas. 25% utilizam parcialmente os OC e demonstraram conhecimento parcial e os outros 25% desconhecem totalmente os Objetos de Conhecimento. Comparando as respostas dos professores com as dos alunos infere-se que, em sua grande maioria, nem alunos nem tão pouco professores leem o edital do ENEM. Podemos ressaltar, mediante a pesquisa, que pouco se utiliza os Objetos de conhecimento elencados na Matriz de Referência do edital no planejamento das aulas ou plano de ensino. Visando compreender melhor o conhecimento dos professores sobre os Objetos de Conhecimento, perguntamos quais OC da sua disciplina são privilegiados no ENEM. 50% dos professores alegam ter identificados os conteúdos que são mais cobrados, mas não souberam se reportar aos OC elencados na Matriz de Referência. Os outros 50% dos professores não souberam identificar os OC. Confrontando essas respostas com as discutidas anteriormente, pode-se afirmar que a maioria dos professores desconhecem a Matriz de Referência do ENEM, fato confirmado em duas perguntas consecutivas. Diante desse cenário pode-se concluir que, praticamente, não é o foco da Instituição preparar o aluno para o ENEM. Pensando no planejamento das aulas dos professores com enfoque no ENEM, perguntamos se os mesmos utilizam as questões do ENEM em sala de aula e como é feito este trabalho. 70% dos entrevistados afirmam que levam para sala de aula lista de exercícios, provas e simulados do ENEM. 10% afirmam que utilizam apenas as questões que estão presentes nos livros didáticos. 5% dizem que utiliza muito raramente e 15% afirmam não

10 utilizar as questões em sala de aula. Confrontando essas respostas com as dos alunos podemos afirmar que existe uma coerência nas respostas, pois 46,1% dos alunos afirmam que os professores discutem essas questões em suas aulas, mas 53,9% alegam que utilizam muito pouco. Infere-se aqui um avanço no tocante a preparação dos alunos para o exame. Questionamos os professores sobre as vantagens, desvantagens e a importância do ENEM para seus alunos e percebi que a maioria dos professores atribui o ingresso na faculdade como maior vantagem que o exame proporciona. A maioria dos professores não atribuíram desvantagens, sendo que, alguns alegaram fraudes, erros de logística, prova extensa, complexa, cansativa, evasão e concorrência, etc. Para confrontar as respostas dos professores com as dos alunos perguntamos aos docentes o que é Prouni? Para que serve? Quais os requisitos para participar, etc. Concluímos que 25% conhecem, 60% conhecem parcialmente e 15% desconhecem totalmente o PROUNI. Esses dados estão, aproximadamente, de acordo com as respostas dos alunos. Em relação ao Fies 25% dos professores conhecem totalmente, 60% conhecem parcialmente e 15% desconhecem totalmente. Esses dados estão, aproximadamente, de acordo com as respostas dos alunos. Perguntamos também aos docentes sobre o que é SISU? Como funciona? Como se inscreve? Concluímos que 30% dos professores conhecem totalmente, 50% parcialmente e 15% desconhecem completamente o SISU. Confrontando mais uma vez as respostas dos docentes e discentes concluímos que os alunos tem um grau de desconhecimento maior que os professores em relação ao SISU. Por fim, questionamos também aos professores sobre as condições para se obter a certificação de conclusão do ensino médio através do ENEM e a pesquisa apontou que apenas 5% conhecem a utilização do ENEM para certificação de conclusão de curso, 40% conheciam parcialmente e que 55% desconhecem totalmente esta utilização do exame. Esses dados não estão coerente com as respostas dos alunos, pois enquanto que a maioria dos alunos conhecem essa utilização do exame a maioria dos professores a desconhecem. 5 - Conclusão

11 Diante dos resultados da pesquisa conclui-se que falta muita informação sobre os programas do governo vinculados ao Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) tanto por parte dos alunos quanto dos professores do IFNMG Campus Salinas. Diante da importância do ENEM, é assustador descobrir que a maioria dos alunos e professores não leem o edital do ENEM publicados anualmente. Quando questionados sobre a Matriz de Referência que contém o referencial curricular do que será avaliado bem como as competências e habilidades esperadas ao se fazer o exame, tanto discente como docente, ficaram confusos apresentando altíssimo grau de desconhecimento, fato evidenciado com muita clareza na pesquisa. Em relação ao Sisu, Prouni e Fies percebemos que uma pequena minoria, próximo de 25% dos pesquisados, tanto professores como alunos, conhecem completamente estes programas. Aproximadamente 60% conhecem parcialmente e 15% desconhecem os programas do governo vinculados ao ENEM. Vale ressaltar que além destes, temos ainda o Sisutec, Ciencias sem fronteiras e Certificação para o ensino médio. Se estendermos a interpretação dos dados da pesquisa para estes, pode se dizer que, aproximadamente, 50% dos entrevistados desconhecem completamente estes últimos. Acreditamos que esse conhecimento parcial, tanto de discentes como de docentes, se deve às propagandas vinculadas nos meios de comunicação. Ver e ouvir uma propaganda é muito diferente de se buscar as informações nos editais e sites oficiais, pois estes condensam grandes quantidade de informações que não são vinculadas pela mídia. A pesquisa evidencia a falta de análise das provas do ENEM por parte dos professores, pois nenhum deles souberam dizer, com clareza, quais Objetos de Conhecimento do seu componente curricular estão sendo mais exigidos no exame. Conclui-se que, de certa forma, não é o foco da Instituição preparar o aluno para o ENEM, dada a falta de informação sobre o assunto. Diante do cenário da pesquisa conclui-se que, praticamente, não existem ações desenvolvidas pelo IFNMG Campus Salinas em âmbito institucional referente à divulgação, conscientização e importância dos exames oficiais. Os dados confirmam não ser foco deste Campus os programas do governo vinculados ao Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Sabemos que o campus oferece Cursos Técnicos Integrados que são cursos voltados aos estudantes que já concluíram o Ensino Fundamental (8ª série). Entendo que o termo integrado significa que o estudante vai cursar concomitantemente as disciplinas do Ensino Médio e da formação técnica profissional. Ao término do curso que dura três anos o

12 formado terá diploma de Técnico de Nível Médio podendo exercer atividade profissional técnica. Além disso, se desejar, o técnico poderá dar continuidade aos estudos ingressando em cursos de nível superior. Assim, para que o estudante dê continuidade em seus estudos, é extremamente importante que os professores da parte enciclopédica (ensino médio) e a instituição ofereçam preparação adequada para realização do exame e divulgue amplamente os programas do governo vinculados ao ENEM. Caso isso não ocorra, teremos alunos sem saber os reais benefícios do exame que, ao meu entender, é uma grande política de inclusão social e tem tudo para se transformar na transição da loteria dos vestibulares para a realização do preceito constitucional que trata a educação superior como direito de todos, mediante a capacidade de cada um. Lopes e Perés (2010) diz que o ENEM pode, além de influenciar, criar uma forma de controle dos currículos da educação básica, uma vez que os exames de ingresso ao ensino superior influenciam fortemente a composição desses currículos. Considerando o ENEM como uma política de reestruturação do currículo no Ensino Médio, pautada no processo de contextualização do ensino, é possível concluir que, de certa forma, a instituição ainda parece estar indiferente às orientações públicas, primeiro porque os professores não se sentem questionados em seu trabalho; e segundo, os professores apresentam entendimentos superficiais e limitados para efetivar mudanças no ensino, pelo menos em relação ao ENEM. 6. Referências Bibliográficas BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. 5. ed. Lisboa: Edições 70, Lda p. BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM): Sobre o ENEM. Brasília: INEP, 2013a. Disponível em: < Acesso em: 10/08/13. BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM): Perguntas Frequentes. Brasília: INEP, 2013b. Disponível em: < Acesso em: 12/08/13. BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM): Edital do ENEM. Brasília: INEP, 2013c. Disponível e m : <http://download.inep.gov.br/educacao_basica/enem/edital/2013/edital-enem-2013.pdf>. Acesso em: 16/08/13.

13 BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de Dispõe sobre as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, Brasília, 23 dez p.1-9. Disponível em: <http://www.in.gov.br/visualiza/index.jsp?data=23/12/1996&jornal=1&pagina=1&totalarqui vos=289>. Acesso em: 28/08/2013. BRASIL. Ministério da Educação. Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). O que é Fies?. Brasília: MEC, 2013e. Disponível em: < Acesso em: 18/08/13. BRASIL. Ministério da Educação. Programa Universidade para Todos (PROUNI). O que é Prouni?. Brasília: MEC, 2013d. Disponível em: < >. Acesso em: 18/08/13. BRASIL. Ministério da Educação.Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Tire suas dúvidas. Brasília: MEC, 2013f. Disponível em: <http://sisu.mec.gov.br/tire-suas-duvidas>. Acesso em: 19/08/13. LOPES, A. C.; LÓPEZ, S. B. A performatividade nas políticas de currículo: caso do ENEM. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 26, n. 1, p , abr VIGGIANO, E: MATTOS, C. O desempenho de estudantes no ENEM 2010 em diferentes regiões brasileiras. Rev. bras. Estud. pedagog. (online), Brasília, v. 94, n. 237, p , maio/ago

PROJETO PEDAGÓGICO ENEM / 2015

PROJETO PEDAGÓGICO ENEM / 2015 PROJETO PEDAGÓGICO ENEM / 2015 Profª Esp.Carla Menezes Coord. Pedagógica A prova do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) é uma das mais importantes do país, tendo em vista seu crescente número de candidatos

Leia mais

Qual a principal diferença entre o Enem tradicional e o novo Enem?

Qual a principal diferença entre o Enem tradicional e o novo Enem? SAIBA TUDO SOBRE O ENEM 2009 Qual a principal diferença entre o Enem tradicional e o novo Enem? Até 2008, o Enem era uma prova clássica com 63 questões interdisciplinares, sem articulação direta com os

Leia mais

1 POLÍTICA PÚBLICA DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR: UM OLHAR SOBRE A UTILIZAÇÃO DO ENEM/SISU NA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA

1 POLÍTICA PÚBLICA DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR: UM OLHAR SOBRE A UTILIZAÇÃO DO ENEM/SISU NA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA 1 POLÍTICA PÚBLICA DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR: UM OLHAR SOBRE A UTILIZAÇÃO DO ENEM/SISU NA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA 1. Introdução Janete dos Santos Universidade Federal da Bahia sajanetes@gmail.com

Leia mais

Prouni 2016: candidatos podem consultar primeira lista de aprovados

Prouni 2016: candidatos podem consultar primeira lista de aprovados O Ministério da Educação divulgou nesta segunda, 25, a primeira chamada de pré-selecionados para o Programa Universidade para Todos (Prouni). Os candidatos podem conferir os resultados no site http://siteprouni.mec.gov.br/,

Leia mais

O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO MEDIADOR DE NOVOS CONHECIMENTOS 1

O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO MEDIADOR DE NOVOS CONHECIMENTOS 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS PROGRAMA NACIONAL ESCOLA DE GESTORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO MEDIADOR DE NOVOS CONHECIMENTOS

Leia mais

O TRABALHO DOCENTE NUM PROGRAMA DE ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: CONTRADIÇÕES E PERSPECTIVAS

O TRABALHO DOCENTE NUM PROGRAMA DE ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: CONTRADIÇÕES E PERSPECTIVAS O TRABALHO DOCENTE NUM PROGRAMA DE ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: CONTRADIÇÕES E PERSPECTIVAS Daiana Rodrigues dos Santos Prado¹; Francine de Paulo Martins² Estudante do Curso de Pedagogia; e-mail:

Leia mais

M a n u a l E n e m 2 0 1 5 P á g i n a 1. Manual do Enem 2015

M a n u a l E n e m 2 0 1 5 P á g i n a 1. Manual do Enem 2015 M a n u a l E n e m 2 0 1 5 P á g i n a 1 Manual do Enem 2015 Criado em 1998, o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), segundo o INEP, tinha o objetivo de avaliar o desempenho do aluno ao término da escolaridade

Leia mais

Artigo. nos últimos 15 anos Acesso ao ensino superior no Brasil: equidade e desigualdade social

Artigo. nos últimos 15 anos Acesso ao ensino superior no Brasil: equidade e desigualdade social Artigo nos últimos 15 anos Acesso ao ensino superior no Brasil: equidade e desigualdade social Por Cibele Yahn de Andrade Pesquisadora do Núcleo de Estudos de Políticas Públicas (NEPP) da Unicamp. Doutoranda

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO (Anexo 1)

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO (Anexo 1) Prezado(a) Professor(a), Visando orientar e otimizar as informações que deverão constar no projeto, elencamos, abaixo, os itens imprescindíveis para compreensão e apresentação da sua proposta ao Prêmio

Leia mais

PALAVRAS CHAVE: Formação de Professores, Políticas Públicas, PIBID, Ensino de Física. Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN

PALAVRAS CHAVE: Formação de Professores, Políticas Públicas, PIBID, Ensino de Física. Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN IX CONGRESO INTERNACIONAL SOBRE INVESTIGACIÓN EN DIDÁCTICA DE LAS CIENCIAS Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A EDUCAÇÃO: A IMPORTÂNCIA DO PIBID 1 NA FORMAÇÃO INICIAL

Leia mais

O Grupo Actcon e a Rede Educar Brasil

O Grupo Actcon e a Rede Educar Brasil O Grupo Actcon e a Rede Educar Brasil Especializado em soluções que incorporam Tecnologia da Informação à Educação e à Modernização da Administração Pública, o Grupo Actcon tem como sua principal integrante

Leia mais

META NACIONAL 15: garantir, em regime de colaboração entre a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, no prazo de 1 (um) ano de vigência deste PNE, política nacional de formação dos profissionais

Leia mais

META NACIONAL 12: elevar a taxa bruta de matrícula na educação superior para 50% (cinquenta por cento) e a taxa líquida para 33% (trinta e três por

META NACIONAL 12: elevar a taxa bruta de matrícula na educação superior para 50% (cinquenta por cento) e a taxa líquida para 33% (trinta e três por META NACIONAL 12: elevar a taxa bruta de matrícula na educação superior para 50% (cinquenta por cento) e a taxa líquida para 33% (trinta e três por cento) da população de 18 (dezoito) a 24 (vinte e quatro)

Leia mais

Fies tem prazo de aditamento de contrato prorrogado Sex, 29 de Abril de 2016 10:42 - Última atualização Sex, 29 de Abril de 2016 11:29

Fies tem prazo de aditamento de contrato prorrogado Sex, 29 de Abril de 2016 10:42 - Última atualização Sex, 29 de Abril de 2016 11:29 O prazo para os aditamentos de renovação semestral dos contratos do Financiamento Estudantil (Fies) do primeiro semestre de 2016 foi prorrogado para o dia 31 de maio. A portaria publicada no Diário Oficial

Leia mais

GUIA DE CERTIFICAÇÃO. Exame Nacional do Ensino Médio. Brasília-DF. Guia de Certificação Exame Nacional do Ensino Médio Enem

GUIA DE CERTIFICAÇÃO. Exame Nacional do Ensino Médio. Brasília-DF. Guia de Certificação Exame Nacional do Ensino Médio Enem GUIA DE CERTIFICAÇÃO Exame Nacional do Ensino Médio Brasília-DF MAIO/2015 Guia de Certificação Equipe técnica Diretoria de Avaliação da Educação Básica Alexandre André dos Santos Alessandro Borges Tatagiba

Leia mais

O EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO E A ESCOLA

O EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO E A ESCOLA O EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO E A ESCOLA Karine Gantes Monteiro (kahh_gtm@hotmail.com) 1 Márcia Lorena Martinez (marcialorenam@hotmail.com) 2 Thaís Gonçalves D Avila (thais.avila@ig.com.br) 3 Vagner

Leia mais

CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA: A IMPLANTAÇÃO E A GESTÃO NA MODALIDADE A DISTÃNCIA. Araras, maio de 2011.

CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA: A IMPLANTAÇÃO E A GESTÃO NA MODALIDADE A DISTÃNCIA. Araras, maio de 2011. 1 CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA: A IMPLANTAÇÃO E A GESTÃO NA MODALIDADE A DISTÃNCIA Araras, maio de 2011. Fernando da Silva Pereira Centro Universitário Hermínio Ometto UNIARARAS SP fernandosilper@uniararas.br

Leia mais

Entenda agora as mudanças para as novas contratações do FIES

Entenda agora as mudanças para as novas contratações do FIES Entenda agora as mudanças para as novas contratações do FIES Em notícias divulgadas nos meios de comunicação o Ministério da Educação informou as mudanças constantes relacionadas ao FIES. Segue abaixo

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES 1

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES 1 FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES 1 A LDB, no Titulo VI, trata dos Profissionais da Educação, considerando sob essa categoria não só os professores, que são responsáveis pela gestão da sala de aula, mas

Leia mais

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010 ANÁLISE ESTATÍSTICA DE DADOS DO INEP SOBRE A CORRELAÇÃO ENTRE O PERFIL PROFISSIONAL DOS PROFESSORES DA CIDADE DE SÃO CARLOS QUE ATUAM NA EDUCAÇÃO BÁSICA E, A BUSCA POR FORMAÇÃO CONTINUADA E INOVAÇÃO EDUCACIONAL

Leia mais

EdUECE- Livro 1 03430

EdUECE- Livro 1 03430 OS SABERES E AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DO CURSO DE PEDAGOGIA A DISTÂNCIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Maria Irene Miranda Universidade Federal de Uberlândia RESUMO O trabalho aborda o Curso de Pedagogia

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID ESPANHOL

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID ESPANHOL PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID ESPANHOL A língua espanhola na Educação Básica A implantação da língua espanhola por meio da lei federal 11.161, que diz respeito à sua oferta

Leia mais

A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA

A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA Luciana Pereira de Sousa 1 Carmem Lucia Artioli Rolim 2 Resumo O presente estudo propõe discutir o contexto da formação dos pedagogos para o ensino da

Leia mais

A ARTICULAÇÃO ENTRE AS DISCIPLINAS ESPECÍFICAS E PEDAGÓGICAS EM UM CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA

A ARTICULAÇÃO ENTRE AS DISCIPLINAS ESPECÍFICAS E PEDAGÓGICAS EM UM CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA A ARTICULAÇÃO ENTRE AS DISCIPLINAS ESPECÍFICAS E PEDAGÓGICAS EM UM CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA Edson Mayer Mestrando em Educação em Ciências e Matemática PUCRS Helena Noronha Cury Doutora em Educação

Leia mais

ÍNDICE. Esta publicação é destinada a leitura on-line, e visa informar sem poluir podendo ser impressa de acordo com a preferência individual.

ÍNDICE. Esta publicação é destinada a leitura on-line, e visa informar sem poluir podendo ser impressa de acordo com a preferência individual. ÍNDICE Esta publicação é destinada a leitura on-line, e visa informar sem poluir podendo ser impressa de acordo com a preferência individual. INTRODUÇÃO 1 COMO PARTICIPAR? 2 COMO FAZER A INSCRIÇÃO? 4 QUAIS

Leia mais

Recife/PE 2010 ESTÁGIO REGULAMENTO

Recife/PE 2010 ESTÁGIO REGULAMENTO ESTÁGIO REGULAMENTO Recife/PE 2010 2 CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS DO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Art. 1.º O presente regulamento visa cumprir a Política de estágios da Escola Superior de Marketing-ESM

Leia mais

Unis - MG Centro Universitário do Sul de Minas Comissão Própria de Avaliação - CPA. Varginha - 2013 1

Unis - MG Centro Universitário do Sul de Minas Comissão Própria de Avaliação - CPA. Varginha - 2013 1 Varginha - 201 1 CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO Relatório Avaliação Institucional - 2012 Varginha - 201 2 Sumário 1 DADOS DA INSTITUIÇÃO... 7 2 CONSIDERAÇÕES INICIAIS... 7 DESENVOLVIMENTO... 9.1 AVALIAÇÃO

Leia mais

Síntese do Projeto Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação PUC Minas/São Gabriel

Síntese do Projeto Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação PUC Minas/São Gabriel PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Instituto de Informática Síntese do Projeto Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação PUC Minas/São Gabriel Belo Horizonte - MG Outubro/2007 Síntese

Leia mais

A VISÃO DOS TUTORES NA EAD DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE GOIÁS - uma sugestão de formação corporativa ao serviço público

A VISÃO DOS TUTORES NA EAD DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE GOIÁS - uma sugestão de formação corporativa ao serviço público 1 A VISÃO DOS TUTORES NA EAD DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE GOIÁS - uma sugestão de formação corporativa ao serviço público Goiânia GO abril/2015 Dayse Mysmar Tavares Rodrigues TJGO dmysmar@hotmail.com

Leia mais

A Fundação concederá apenas bolsas de estudo integrais (100%).

A Fundação concederá apenas bolsas de estudo integrais (100%). ENEM 1 - Quando serão feitas as inscrições para o Enem 2014? Do dia 12 de maio até às 23h59 do dia 23 de maio, observado o horário oficial de Brasília-DF. 2 - Quando será a aplicação das provas do Enem

Leia mais

OS SABERES NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA. Cleber Luiz da Cunha 1, Tereza de Jesus Ferreira Scheide 2

OS SABERES NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA. Cleber Luiz da Cunha 1, Tereza de Jesus Ferreira Scheide 2 Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 1029 OS SABERES NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA Cleber Luiz da Cunha 1, Tereza de Jesus Ferreira Scheide 2

Leia mais

Diagnosticando conhecimentos matemáticos requeridos nas provas do ENEM

Diagnosticando conhecimentos matemáticos requeridos nas provas do ENEM Diagnosticando conhecimentos matemáticos requeridos nas provas do ENEM Maria das Dores de Morais Brasil dora.pe@gmail.com Leonardo de Morais UFPE Brasil leonardob.morais@gmail.com Resumo Este trabalho

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB ANEXO II Edital Pibid n /2012 CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO

Leia mais

definido, cujas características são condições para a expressão prática da actividade profissional (GIMENO SACRISTAN, 1995, p. 66).

definido, cujas características são condições para a expressão prática da actividade profissional (GIMENO SACRISTAN, 1995, p. 66). A CONSTRUÇÃO DE IDENTIDADES PROFISSIONAIS DE ESTUDANTES DE PEDAGOGIA Rita de Cássia de Alcântara Braúna UFV/MG - rbrauna@ufv.br Agência Financiadora: FAPEMIG e CNPq Introdução Pesquisas na área da formação

Leia mais

A REGULAMENTAÇÃO DA EAD E O REFLEXO NA OFERTA DE CURSOS PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

A REGULAMENTAÇÃO DA EAD E O REFLEXO NA OFERTA DE CURSOS PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES A REGULAMENTAÇÃO DA EAD E O REFLEXO NA OFERTA DE CURSOS PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Autor(a): Alessandra Barbara Santos de Almeida Coautor(es): Alessandra Barbara Santos de Almeida, Gliner Dias Alencar,

Leia mais

Ministério da Educação GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 30, DE 26 DE JANEIRO DE 2016

Ministério da Educação GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 30, DE 26 DE JANEIRO DE 2016 Ministério da Educação GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 30, DE 26 DE JANEIRO DE 2016 Amplia o Programa Idiomas sem Fronteiras. O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso da atribuição que lhe confere o art.

Leia mais

CURSO: EDUCAR PARA TRANSFORMAR. Fundação Carmelitana Mário Palmério Faculdade de Ciências Humanas e Sociais

CURSO: EDUCAR PARA TRANSFORMAR. Fundação Carmelitana Mário Palmério Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Fundação Carmelitana Mário Palmério Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Educação de Qualidade ao seu alcance EDUCAR PARA TRANSFORMAR O CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CURSO: LICENCIATURA

Leia mais

Fanor - Faculdade Nordeste

Fanor - Faculdade Nordeste Norma 025: Projeto de Avaliação Institucional Capítulo I Disposições Gerais A avaliação institucional preocupa-se, fundamentalmente, com o julgamento dos aspectos que envolvem a realidade interna e externa

Leia mais

Centro Acadêmico Paulo Freire - CAPed Maceió - Alagoas - Brasil ISSN: 1981-3031

Centro Acadêmico Paulo Freire - CAPed Maceió - Alagoas - Brasil ISSN: 1981-3031 COORDENADOR PEDAGÓGICO E SUA IMPORTÂNCIA NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM Polyana Marques Lima Rodrigues 1 poly90lima@hotmail.com Willams dos Santos Rodrigues Lima 2 willams.rodrigues@hotmail.com RESUMO

Leia mais

TÍTULO DO PROJETO: Política de Financiamento da Educação Superior no Brasil uma análise dos Planos Nacionais de Educação

TÍTULO DO PROJETO: Política de Financiamento da Educação Superior no Brasil uma análise dos Planos Nacionais de Educação TÍTULO DO PROJETO: Política de Financiamento da Educação Superior no Brasil uma análise dos Planos Nacionais de Educação 1 APRESENTAÇÃO O financiamento da educação superior pública constitui-se num dos

Leia mais

PROPOSTA DE METODOLOGIA E PLANO DE TRABALHO PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI DO IFB (2014-2018)

PROPOSTA DE METODOLOGIA E PLANO DE TRABALHO PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI DO IFB (2014-2018) PROPOSTA DE METODOLOGIA E PLANO DE TRABALHO PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI DO IFB (2014-2018) 1. Introdução O Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) busca nortear

Leia mais

PROJETO MATEMÁGICA JOGOS MATEMÁTICOS COMO AUXILIO DIDÁTICO NO ENSINO MÉDIO

PROJETO MATEMÁGICA JOGOS MATEMÁTICOS COMO AUXILIO DIDÁTICO NO ENSINO MÉDIO PROJETO MATEMÁGICA JOGOS MATEMÁTICOS COMO AUXILIO DIDÁTICO NO ENSINO MÉDIO INTRODUÇÃO: ¹ OLIVEIRA; Verônica Araújo de. ² SILVA; Romaro Antonio. IF-SEMG Campus Rio Pomba ¹ veve-a@hotmail.com ; ² romaro18cefet@yahoo.com.br.

Leia mais

(MAPAS VIVOS DA UFCG) PPA-UFCG RELATÓRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA UFCG CICLO 2006-2008 ANEXO (PARTE 2) DIAGNÓSTICOS E RECOMENDAÇÕES

(MAPAS VIVOS DA UFCG) PPA-UFCG RELATÓRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA UFCG CICLO 2006-2008 ANEXO (PARTE 2) DIAGNÓSTICOS E RECOMENDAÇÕES 1 PPA-UFCG PROGRAMA PERMANENTE DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA UFCG CICLO 2006-2008 ANEXO (PARTE 2) DIAGNÓSTICOS E RECOMENDAÇÕES (MAPAS VIVOS DA UFCG) 2 DIMENSÃO MISSÃO E PDI MAPAS VIVOS DE

Leia mais

Palavras-chave: ensino médio; música na escola; programas de acesso às IES.

Palavras-chave: ensino médio; música na escola; programas de acesso às IES. 272 MÚSICA NOS PROGRAMAS DE INGRESSO AO ENSINO SUPERIOR: POSSIBILIDADES DE AMPLIAÇÃO DO CONHECIMENTO MUSICAL E DA PRODUÇÃO DE SABERES PEDAGÓGICOS MUSICAIS Liège Pinheiro dos Reis Universidade de Brasília

Leia mais

FACULDADE ANCHIETA DE ENSINO SUPERIOR DO PARANÁ RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 1SEM2015 COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO

FACULDADE ANCHIETA DE ENSINO SUPERIOR DO PARANÁ RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 1SEM2015 COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO FACULDADE ANCHIETA DE ENSINO SUPERIOR DO PARANÁ RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 1SEM2015 COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO Constituída em atendimento à Lei nº 10.861/2004, regulamentada pela Portaria

Leia mais

Necessidade e construção de uma Base Nacional Comum

Necessidade e construção de uma Base Nacional Comum Necessidade e construção de uma Base Nacional Comum 1. O direito constitucional à educação é concretizado, primeiramente, com uma trajetória regular do estudante, isto é, acesso das crianças e jovens a

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE GRAVATAÍ

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE GRAVATAÍ FACULDADE DE TECNOLOGIA DE GRAVATAÍ REGIMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO Atualização do Regimento de 2012 Porto Alegre, março de 2015 Faculdade de Tecnologia de Porto Alegre Av. Julio de Castilhos,

Leia mais

Programa de Educação Tutorial - PET 2010. Edital CLA-PET 07/2012 Seleção de Tutor

Programa de Educação Tutorial - PET 2010. Edital CLA-PET 07/2012 Seleção de Tutor Programa de Educação Tutorial - PET 2010 Edital CLA-PET 07/2012 Seleção de Tutor A Universidade Federal do Pampa, através do Comitê Local de Acompanhamento do Programa de Educação Tutorial (CLA-PET), torna

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Coordenadoria Geral de Estágios

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Coordenadoria Geral de Estágios DIRETRIZES E NORMAS PARA A ATIVIDADE DE ESTÁGIO NA PUC-SP Aprovadas pelo CEPE, em 11 de fevereiro de 2009 I INTRODUÇÃO A LDB trouxe à discussão a flexibilização curricular, a valorização da experiência

Leia mais

NO IFRN / CAMPUS MOSSORÓ

NO IFRN / CAMPUS MOSSORÓ MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE PRO-REITORIA DE PESQUISA E INOVAÇÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL

Leia mais

I) A prova de Redação será escrita e respondida em Língua Portuguesa, no valor total de 100 (cem) pontos.

I) A prova de Redação será escrita e respondida em Língua Portuguesa, no valor total de 100 (cem) pontos. EDITAL DO PROCESSO SELETIVO E MATRÍCULA DOS CANDIDATOS APROVADOS NO CURSO PRESENCIAL OFERECIDO PARA O PRIMEIRO SEMESTRE DE 2016 DA FACULDADE MODAL (INÍCIO DAS AULAS EM FEVEREIRO DE 2016). De ordem do Sr.

Leia mais

CONSTITUINDO REFERENCIAIS TEÓRICO-METODOLÓGICOS: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O TRABALHO COM ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO

CONSTITUINDO REFERENCIAIS TEÓRICO-METODOLÓGICOS: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O TRABALHO COM ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO CONSTITUINDO REFERENCIAIS TEÓRICO-METODOLÓGICOS: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O TRABALHO COM ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO Bruna Mendes Muniz 1 Gislaine Aparecida Puton Zortêa 2 Jéssica Taís de Oliveira Silva

Leia mais

M a n u a l E n e m 2 0 1 4 P á g i n a 1

M a n u a l E n e m 2 0 1 4 P á g i n a 1 M a n u a l E n e m 2 0 1 4 P á g i n a 1 Criado em 1998, o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), segundo o próprio INEP, tinha o objetivo de avaliar o desempenho do aluno ao término da escolaridade básica,

Leia mais

Estrutura do PDI 2014-2018

Estrutura do PDI 2014-2018 APRESENTAÇÃO O Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais (IFMG) além de constituir um requisito legal, tal como previsto no Artigo

Leia mais

OS NOVOS PARADIGMAS DA FORMAÇÃO CONTINUADA: DA EDUCAÇÃO BÁSICA À PÓSGRADUAÇÃO

OS NOVOS PARADIGMAS DA FORMAÇÃO CONTINUADA: DA EDUCAÇÃO BÁSICA À PÓSGRADUAÇÃO OS NOVOS PARADIGMAS DA FORMAÇÃO CONTINUADA: DA EDUCAÇÃO BÁSICA À PÓSGRADUAÇÃO Profa. Drª. Ana Maria Maranhão 1 Resumo: A tecnologia da Informação e de modo específico o computador, oferece as diferentes

Leia mais

Coordenação-Geral de Avaliação dos Cursos de Graduação e Instituições de Ensino Superior

Coordenação-Geral de Avaliação dos Cursos de Graduação e Instituições de Ensino Superior CAPA 1 República Federativa do Brasil Ministério da Educação Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Diretoria de Avaliação

Leia mais

CONCEPÇÕES SOBRE EDUCAÇÃO INCLUSIVA MANTIDAS POR ESTUDANTES DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS DA UNESP DE MARÍLIA 1

CONCEPÇÕES SOBRE EDUCAÇÃO INCLUSIVA MANTIDAS POR ESTUDANTES DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS DA UNESP DE MARÍLIA 1 CONCEPÇÕES SOBRE EDUCAÇÃO INCLUSIVA MANTIDAS POR ESTUDANTES DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS DA UNESP DE MARÍLIA 1 Carla Cristina MARINHO 2. Sadao OMOTE 3. Faculdade de Filosofia e Ciências,

Leia mais

ENFERMAGEM FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA. Município: PALMITOS

ENFERMAGEM FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA. Município: PALMITOS ENFERMAGEM FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA Município: PALMITOS O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) apresenta o Relatório do Curso com os resultados

Leia mais

EDITAL N 01/2010 - MONITORIA VOLUNTÁRIA DO PROEJA

EDITAL N 01/2010 - MONITORIA VOLUNTÁRIA DO PROEJA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PIAUÍ PRÓ-REITORIA DE ENSINO DIRETORIA DO CAMPUS TERESINA CENTRAL EDITAL N 01/2010 - MONITORIA VOLUNTÁRIA DO PROEJA EDITAL DE SELEÇÃO DOS MONITORES

Leia mais

1. APRESENTAÇÃO. Cartilha do ENADE. Caro estudante,

1. APRESENTAÇÃO. Cartilha do ENADE. Caro estudante, Cartilha do ENADE Caro estudante, Pensando em você e com o objetivo de esclarecer e informar sobre todos os procedimentos para a realização do ENADE, a Universidade Potiguar, elaborou essa cartilha que

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. PROCESSO SELETIVO 2015-2º. semestre

MANUAL DO CANDIDATO. PROCESSO SELETIVO 2015-2º. semestre MANUAL DO CANDIDATO PROCESSO SELETIVO 2015-2º. semestre Caro Candidato, Este é o manual do processo seletivo para o 2º. semestre de 2015 para os cursos de Licenciatura em Pedagogia e Letras-Língua Portuguesa

Leia mais

A PRÁTICA DE COMPONENTE CURRICULAR NAS LICENCIATURAS

A PRÁTICA DE COMPONENTE CURRICULAR NAS LICENCIATURAS 1 A PRÁTICA DE COMPONENTE CURRICULAR NAS LICENCIATURAS RIBEIRO, Zenilda Lopes UFMT- Campus Universitário do Araguaia zenildalr@hotmail.com INTRODUÇÃO A licenciatura é uma permissão dada por uma autoridade

Leia mais

PROPOSTA PARA MINIMIZAÇÃO DA EVASÃO ESCOLAR COM O USO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

PROPOSTA PARA MINIMIZAÇÃO DA EVASÃO ESCOLAR COM O USO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 1 PROPOSTA PARA MINIMIZAÇÃO DA EVASÃO ESCOLAR COM O USO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA São Paulo SP 04/2012 Categoria: C - Métodos e Tecnologias Setor Educacional: 3 Educação Universitária Natureza do Trabalho:

Leia mais

3. EIXOS DE DESENVOLVIMENTO (*):

3. EIXOS DE DESENVOLVIMENTO (*): PAC UFSCar 2016 1.INTRODUÇÃO A Política de Capacitação da UFSCar estabelece as diretrizes para capacitação de servidores com vistas ao desenvolvimento de um processo de educação continuada e permanente

Leia mais

E.E. Fúlvio Morganti

E.E. Fúlvio Morganti E.E. Fúlvio Morganti Estrutura da Palestra Abertura: Palavra da Diretora Introdução: Etapas da Escolaridade 1. Vestibulares 2. Bolsas e Cotas 3. Universidades no Estado de São Paulo 4. Ensino Técnico 5.

Leia mais

LINGUAGEM ACADÊMICA Aluno especial/avulso Aluno regular Avaliação do rendimento escolar Avaliação institucional da educação superior brasileira.

LINGUAGEM ACADÊMICA Aluno especial/avulso Aluno regular Avaliação do rendimento escolar Avaliação institucional da educação superior brasileira. LINGUAGEM ACADÊMICA Após o ingresso na Universidade, o aluno de graduação deve tomar conhecimento de alguns termos que passarão a fazer parte do seu cotidiano. Aluno especial/avulso. Poderá ser concedida

Leia mais

RESOLUÇÃO N 008/2015. A Diretora Geral da Faculdade Unilagos, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela Legislação em vigor, RESOLVE

RESOLUÇÃO N 008/2015. A Diretora Geral da Faculdade Unilagos, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela Legislação em vigor, RESOLVE RESOLUÇÃO N 008/2015 Dispõe sobre a inclusão de políticas do aluno autista no Núcleo de Pesquisa e Estudos em Educação para a diversidade e Inclusão da Mantida. A Diretora Geral da, no uso das atribuições

Leia mais

PROJETO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL FACIPLAC

PROJETO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL FACIPLAC PROJETO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL FACIPLAC GAMA/DF - 2015 2 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3. 2. OBJETIVOS... 4. 2.1. Geral... 4. 2.2.Específicos... 4. 3. EIOS AVALIATIVOS... 5. 3.1. Eixos de Avaliação Institucional

Leia mais

A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO NO CONTEXTO ATUAL

A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO NO CONTEXTO ATUAL A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS Ana Lúcia Cunha Duarte UCB duart_ana@hotmail.com Resumo: A prática investigativa desenvolvida no curso de Pedagogia do Centro de Educação,

Leia mais

EDITAL Nº 12/2015, DE 13 DE OUTUBRO DE 2015, DO COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE SANTA MARIA, UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA, REDE E-TEC BRASIL

EDITAL Nº 12/2015, DE 13 DE OUTUBRO DE 2015, DO COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE SANTA MARIA, UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA, REDE E-TEC BRASIL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA REDE E-TEC BRASIL COORDENADORIA DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE SANTA MARIA NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

Leia mais

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PROGRAMADAS: APROXIMAÇÃO DO ACADÊMICO DE PEDAGOGIA COM O PROFISSIONAL DO ENSINO

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PROGRAMADAS: APROXIMAÇÃO DO ACADÊMICO DE PEDAGOGIA COM O PROFISSIONAL DO ENSINO PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PROGRAMADAS: APROXIMAÇÃO DO ACADÊMICO DE PEDAGOGIA COM O PROFISSIONAL DO ENSINO Resumo HOÇA, Liliamar Universidade Positivo liliamarh@up.com.br MORASTONI, Josemary- Universidade Positivo

Leia mais

EDITAL Nº 006/2013 PARA SELEÇÃO DE ALUNOS DO CURSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE CONSELHEIROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO / PRÓ- CONSELHO/UFSJ

EDITAL Nº 006/2013 PARA SELEÇÃO DE ALUNOS DO CURSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE CONSELHEIROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO / PRÓ- CONSELHO/UFSJ MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL REI NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PROGRAMA NACIONAL DE CAPACITAÇÃO DE CONSELHEIROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO FORMAÇÃO CONTINUADA DE CONSELHEIROS

Leia mais

ANÁLISE DO LIVRO DIDÁTICO DE BIOLOGIA EM RELAÇÃO À ABORDAGEM DA TEMÁTICA LIXO

ANÁLISE DO LIVRO DIDÁTICO DE BIOLOGIA EM RELAÇÃO À ABORDAGEM DA TEMÁTICA LIXO ANÁLISE DO LIVRO DIDÁTICO DE BIOLOGIA EM RELAÇÃO À ABORDAGEM DA TEMÁTICA LIXO Jailane Araújo 1 Jeane Almeida 2 Letícia Brandão 3 Cintiane Cunha 4 RESUMO: O livro didático é muito utilizado por professores

Leia mais

Secretaria de Educação Superior Diretoria de Políticas e Programas de Graduação

Secretaria de Educação Superior Diretoria de Políticas e Programas de Graduação Secretaria de Superior Diretoria de Políticas e Programas de Graduação Proposta: para vagas remanescentes em cursos de graduação de instituições públicas e gratuitas de educação superior Sisu - Vagas Remanescentes

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online EDUCAÇÃO INCLUSIVA EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online Regulamentação de Pós-Graduação Lato Sensu e Ato de Credenciamento Institucional para Oferta de Curso de Pós-Graduação na

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO LATO SENSU MODALIDADE EAD

ESPECIALIZAÇÃO LATO SENSU MODALIDADE EAD MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL-RIO-GRANDENSE PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, INOVAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO NÚCLEO

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FORMAÇÃO CONTINUADA EM EDUCAÇÃO INCLUSIVA. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FORMAÇÃO CONTINUADA EM EDUCAÇÃO INCLUSIVA. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

Quanto custam as matrículas e mensalidades na UFFS? Nada! A UFFS é pública e, portanto, não cobra matrículas ou mensalidades.

Quanto custam as matrículas e mensalidades na UFFS? Nada! A UFFS é pública e, portanto, não cobra matrículas ou mensalidades. A Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) prorrogou em uma semana as inscrições para o Processo Seletivo. O prazo, agora, vai até o dia 23. Quem quer ser aluno de um dos cursos de graduação da UFFS

Leia mais

PSICOLOGIA E EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPROMISSOS E DESAFIOS

PSICOLOGIA E EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPROMISSOS E DESAFIOS PSICOLOGIA E EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPROMISSOS E DESAFIOS Letícia Luana Claudino da Silva Discente de Psicologia da Universidade Federal de Campina Grande. Bolsista do Programa de Saúde. PET/Redes

Leia mais

ENSINO MÉDIO DIFERENCIAIS PEDAGÓGICOS ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO. Processo de Admissão

ENSINO MÉDIO DIFERENCIAIS PEDAGÓGICOS ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO. Processo de Admissão ENSINO MÉDIO PROCESSO DE ADMISSÃO DE NOVOS ESTUDANTES PARA 2015 PROPOSTAS PEDAGÓGICAS A fase da escolha de qual carreira seguir acontece, normalmente, durante o ensino médio. Tendo de vivenciar mudanças

Leia mais

CAMPUS BRUMADO DEPEN / COTEP P L A N O D E E N S I N O-APRENDIZAGEM. Manual de instruções. Prezado Professor e prezada Professora,

CAMPUS BRUMADO DEPEN / COTEP P L A N O D E E N S I N O-APRENDIZAGEM. Manual de instruções. Prezado Professor e prezada Professora, CAMPUS BRUMADO DEPEN / COTEP P L A N O D E E N S I N O-APRENDIZAGEM Manual de instruções Prezado Professor e prezada Professora, Apresentamo-lhes o modelo de Plano de Ensino-Aprendizagem para o Ensino

Leia mais

O LÚDICO COMO INSTRUMENTO TRANSFORMADOR NO ENSINO DE CIÊNCIAS PARA OS ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA.

O LÚDICO COMO INSTRUMENTO TRANSFORMADOR NO ENSINO DE CIÊNCIAS PARA OS ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA. O LÚDICO COMO INSTRUMENTO TRANSFORMADOR NO ENSINO DE CIÊNCIAS PARA OS ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Autor (1)Suzânia Maria Pereira de Araújo; Autor (2) Eleilde de Sousa Oliveira; Orientador (1)Denise Silva

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEISDA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEISDA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEISDA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA 2013/01 a 2013/02 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. Diagnóstico

Leia mais

Pós graduação EAD Área de Educação

Pós graduação EAD Área de Educação Pós graduação EAD Área de Educação Investimento: a partir de R$ 109,00 mensais. Tempo de realização da pós graduação: 15 meses Investimento: R$109,00 (acesso ao portal na internet e livros em PDF). Ou

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online PSICOPEDAGOGIA Regulamentação de Pós-Graduação Lato Sensu e Ato de Credenciamento Institucional para Oferta de Curso de Pós-Graduação na Modalidade

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 31/8/2011, Seção 1, Pág.24. Portaria n 1168, publicada no D.O.U. de 31/8/2011, Seção 1, Pág.24. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

MODELO DE RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO PERÍODO: MARÇO DE 2009 A MARÇO DE 2012 CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS

MODELO DE RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO PERÍODO: MARÇO DE 2009 A MARÇO DE 2012 CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS MODELO DE RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO PERÍODO: MARÇO DE 2009 A MARÇO DE 2012 CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS APRESENTAÇÃO DO CURSO Caracterização geral do Curso de Ciências Econômicas da Unemat: Denominação

Leia mais

AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL: instrumento norteador efetivo de investimentos da IES

AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL: instrumento norteador efetivo de investimentos da IES 152 AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL: instrumento norteador efetivo de investimentos da IES Silvana Alves Macedo 1 Reginaldo de Oliveira Nunes 2 RESUMO O processo da Auto-Avaliação Institucional ainda é um

Leia mais

PERFIL INVESTIGADOR DO LICENCIANDO EM MATEMÁTICA DO ESTADO DO MARANHÃO. Celina Amélia da Silva celina_amelia@yahoo.com.br CESC/UEMA/MA, Brasil

PERFIL INVESTIGADOR DO LICENCIANDO EM MATEMÁTICA DO ESTADO DO MARANHÃO. Celina Amélia da Silva celina_amelia@yahoo.com.br CESC/UEMA/MA, Brasil PERFIL INVESTIGADOR DO LICENCIANDO EM MATEMÁTICA DO ESTADO DO MARANHÃO Celina Amélia da Silva celina_amelia@yahoo.com.br CESC/UEMA/MA, Brasil Carmen Teresa Kaiber kaiber@ulbra.br ULBRA/RS, Brasil Modalidade:

Leia mais

OS MAPAS CONCEITUAIS COMO FERRAMENTAS PARA AUXILIAR NA APRENDIZAGEM DE ALUNOS DO PRÉ-VESTIBULAR SOLIDÁRIO

OS MAPAS CONCEITUAIS COMO FERRAMENTAS PARA AUXILIAR NA APRENDIZAGEM DE ALUNOS DO PRÉ-VESTIBULAR SOLIDÁRIO OS MAPAS CONCEITUAIS COMO FERRAMENTAS PARA AUXILIAR NA APRENDIZAGEM DE ALUNOS DO PRÉ-VESTIBULAR SOLIDÁRIO José Jailson Lima Bezerra (1); Joseclécio Dutra Dantas (2) (1) Discente. Licenciatura em Ciências

Leia mais

Palavras-chave: Educação Especial; Educação Escolar Indígena; Censo Escolar

Palavras-chave: Educação Especial; Educação Escolar Indígena; Censo Escolar INTERFACE DA EDUCAÇÃO ESPECIAL NA EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA: ALGUMAS REFLEXÕES A PARTIR DO CENSO ESCOLAR SÁ, Michele Aparecida de¹ ¹Doutoranda em Educação Especial - UFSCar CIA, Fabiana² ²Professora Adjunta

Leia mais

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN 978-85-99643-11-2

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN 978-85-99643-11-2 INCLUIR NA UFU ACESSIBILIDADE E PERMANÂNCIA COM QUALIDADE NA EDUCAÇÃO SUPERIOR Valéria Manna Oliveira FAEFI - Universidade Federal Uberlândia Claudia Dechichi CEPAE - Universidade Federal de Uberlândia

Leia mais

ENEM - EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO

ENEM - EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO ENEM - EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO INSCRIÇÕES DE 23 DE MAIO A 10 DE JUNHO EXCLUSIVAMENTE NO SITE: http://sistemasenem2.inep.gov.br/inscricao PROVAS 22 E 23 DE OUTUBRO; INÍCIO DAS PROVAS 13h00 DURAÇÃO:

Leia mais

VII ENCONTRO ENSINO EM ENGENHARIA

VII ENCONTRO ENSINO EM ENGENHARIA VII ENCONTRO ENSINO EM ENGENHARIA PROGRAMA COOPERATIVO EDUCAÇÃO CONTINUADA E CAPACITAÇÃO PEDAGÓGICA DE DOCENTES DOS CURSOS SUPERIORES DE ENGENHARIA: INICIANDO A DISCUSSÃO Sandra Maria Dotto Stump - sstump@mackenzie.com.br

Leia mais

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS GRADUAÇÃO-SANDUÍCHE NA HOLANDA

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS GRADUAÇÃO-SANDUÍCHE NA HOLANDA PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS GRADUAÇÃO-SANDUÍCHE NA HOLANDA CHAMADA PÚBLICA PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS/ NUFFIC (Organização Neerlandesa para Cooperação Internacional em Educação Superior) Nº 116/2012

Leia mais

ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO: DA EDUCAÇÃO BÁSICA AO ENSINO SUPERIOR

ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO: DA EDUCAÇÃO BÁSICA AO ENSINO SUPERIOR ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO: DA EDUCAÇÃO BÁSICA AO ENSINO SUPERIOR Ana Lucia Lima da Costa Pimenta Monteiro Prefeitura Municipal de Biguaçu anamonteiro1970@hotmail.com INTRODUÇÃO: As políticas

Leia mais

Mais da metade dos brasileiros pagam compras com o cartão de crédito, principalmente roupas, calçados e eletrodomésticos

Mais da metade dos brasileiros pagam compras com o cartão de crédito, principalmente roupas, calçados e eletrodomésticos USO DO CARTÃO DE CRÉDITO Mais da metade dos brasileiros pagam compras com o cartão de crédito, principalmente roupas, calçados e eletrodomésticos Mais da metade dos brasileiros (53%) faz uso do cartão

Leia mais

Influências das políticas públicas de inclusão

Influências das políticas públicas de inclusão artigo Rodrigo Perla Martins Diretor do Sinpro/RS Doutor em História, Mestre em Ciência Política e graduado em História. Influências das políticas públicas de inclusão na educação superior e os benefícios

Leia mais

FORMAÇÃO PESSOAL E PROFISSIONAL DE PROFESSORES DO ENSINO SUPERIOR UFSM

FORMAÇÃO PESSOAL E PROFISSIONAL DE PROFESSORES DO ENSINO SUPERIOR UFSM FORMAÇÃO PESSOAL E PROFISSIONAL DE PROFESSORES DO ENSINO SUPERIOR UFSM Claudia Angelita Antunes Silveira UFSM Tamiris Cardoso da Silva UFSM Venice Teresinha Grings - UFSM RESUMO Este trabalho compreende

Leia mais

JOGOS ELETRÔNICOS CONTRIBUINDO NO ENSINO APRENDIZAGEM DE CONCEITOS MATEMÁTICOS NAS SÉRIES INICIAIS

JOGOS ELETRÔNICOS CONTRIBUINDO NO ENSINO APRENDIZAGEM DE CONCEITOS MATEMÁTICOS NAS SÉRIES INICIAIS JOGOS ELETRÔNICOS CONTRIBUINDO NO ENSINO APRENDIZAGEM DE CONCEITOS MATEMÁTICOS NAS SÉRIES INICIAIS Educação Matemática na Educação Infantil e nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental (EMEIAIEF) GT 09 RESUMO

Leia mais