FACULDADE VIZINHANÇA VALE DO IGUAÇU - VIZIVALI CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FACULDADE VIZINHANÇA VALE DO IGUAÇU - VIZIVALI CURSO DE ADMINISTRAÇÃO"

Transcrição

1 1 FACULDADE VIZINHANÇA VALE DO IGUAÇU - VIZIVALI CURSO DE PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO CURSO: BACHARELADO EM DOIS VIZINHOS 2012

2 2 ÍNDICE 1. CONTEXTO DE INSERÇÃO REFERÊNCIAS ORIENTADORAS JUSTIFICATIVA NATUREZA DO CURSO OBJETIVOS DO CURSO PERFIL PROFISSIONAL COMPETÊNCIAS E HABILIDADES ESTRUTURA ORGANIZACIONAL CONCEPÇÃO METODOLÓGICA SISTEMA DE AVALIAÇÃO CONCEPÇÃO DE AVALIAÇÃO DO RENDIMENTO ESCOLAR CONCEPÇÃO DE PESQUISA INTER RELAÇÃO: GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO

3 3 1.0 CONTEXTO DE INSERÇÃO 1.1 DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1.2. LEGISLAÇÃO REFERENTE AO CURRÍCULO MÍNIMO DO CURSO 1.3. LEGISLAÇÃO QUE REGULAMENTA A PROFISSÃO QUE O CURSO HABILITA A EXERCER Lei nº de 09 de setembro de 1965, dispõe sobre o exercício da profissão de administração e das outras providências com as alterações da Lei nº de 13 de junho de 1985 e da Lei de 26 de abril de 1994; Lei nº de 07 de maio de 1975, do valor da documentação de identidade as carteiras expedidas pelo órgão de classe e das outras providências. Lei nº de 29 de outubro de 1980, dispõe sobre o prazo prescricional para a punibilidade de profissional Liberal pôr falta sujeita a processo disciplinar a ser aplicada por órgão Competente; Lei nº de 30 de outubro de 1980, dispõe sobre o registro de empresas nas entidades fiscalizadoras do exercício de profissões; Lei nº de 13 de julho de 1985, altera a denominação do Conselho Federal e dos Conselhos Regionais. Lei nº de 02 de outubro de 1986, altera a redação do & 3 do Art. 543 da Consolidação das Leis do Trabalho, aprovado pelo decreto nº de 01 de maio de 1943 estendendo a estabilidade ao empregado associado investido em cargo de direção de Associação Profissional; Lei nº de 21 de junho de 1993 em seu Art. 30 Regulamenta o Art. 37

4 4 inciso XXI da Constituição Federal institui normas para licitações e contratos da Administração Pública e das outras providências; Lei nº de 25 de abril de 1994, altera os dispositivos da Lei nº de 09 de setembro de 1965 que dispõe sobre o exercício da profissão do Administrador; Decreto nº de 22 de dezembro de 1967, dispõe sobre a regulamentação do exercício da profissão do Administrador e a constituição do Conselho Federal de Administração de acordo com a Lei nº de 09 de setembro de 1965 e dá outras providências; Decreto nº de 01 de outubro de 1969, altera o parágrafo único do Artigo 50 do decretonº de 22 de dezembro de 1967, que dispõe sobre o exercício da profissão de Administrador e dá outras providências; Decreto nº de 05 de junho de 1972, altera o Regulamento aprovado pelo Decreto nº de 22 de dezembro de 1967, que dispõe sobre o exercício da profissão do Administrador e dá outras providências; Resolução Normativa CFA nº 02 de 18 de julho de 1978, dispõe sobre o registro dos diplomas em cursos de tecnólogos em Administração Rural; Resolução Normativa CFA nº03 de maio de 1980, dispõe sobre o registro dos diplomas em Curso de tecnólogos em Cooperativismo; Resolução Normativa CFA 05 de 10 de maio de 1980, dispõe sobre o registro dos diplomas em Cursos de Tecnólogo Executivo; Decreto nº de 13 de maio de 1980, institui o Certificado de Regularidade Jurídico-Fiscal nas licitações promovidas na Administração Federal Direta e Indireta e dá outras providências; Decreto nº de 13 de maio de 1980, simplifica a prova de quitação de tributos, contribuições, anuidades e outros encargos e restringe a exigência de certidões no âmbito da Administração Federal; Resolução Normativa CFA nº 27 de 28 de junho de 1981, dispõe sobre o registro dos Técnicos em Planejamento Turístico; Resolução Normativa CFA nº 86 de 18 de março de 1989, dispõe sobre o registro de diplomas de Curso de Tecnólogo em Administração Hoteleira; Resolução Normativa CFA nº 125 de 20 de agosto de 1992, dispõe sobre registro de Bacharéis e Tecnólogos em Processamento de Dados, Informática, análise de

5 5 Sistemas, Computação, Ciências da Computação e Ciências da Informação; Resolução Normativa CFA nº 126 de 20 de agosto de 1992, institui a carreira de identidade profissional dos Administradores e outros Profissionais registrados nos CRAs. Resolução Normativa CFA nº 128 s de 13 de setembro de 1992, aprova o Código de Ética profissional do Administrador; Resolução Normativa CFA nº 135 de 21 de maio de 1993, dispõe sobre a Perícia do Administrador na Justiça; Resolução Normativa CFA nº 136 de 18 de junho de 1993, dispõe sobre registro profissional de Pessoas Físicas, registro cadastral de Pessoas Jurídicas e documentos de identidade profissional; Resolução Normativa CFA nº 137 de 18 de junho de 1993, dispõe sobre a responsabilidade técnica do Administrador e outros bacharéis e tecnólogos registrados nos CRAs; Resolução Normativa CFA nº 143 de 18 de agosto de 1993, institui o modelo de Alvará de Habilitação de empresas registradas nos CRAs; Resolução Normativa CFA nº 146 de 17 de setembro de 1993, estabelece diretrizes para a organização e instalação de novos Conselhos Regionais de Administração e dá outras providências; Resolução Normativa CFA nº 148 de 26 de novembro de 1993, institui o registro de Comprovação de Aptidão para Desempenho de Atividades de Administração RCA - de Pessoas Físicas e Jurídicas e dá outras providências; Resolução Normativa CFA nº 152 de 10 de junho de 1994, regulamenta o processo eleitoral da Autarquia Conselho Federal de Administração; Resolução Normativa CFA nº 154 de 04 de julho de 1994, reformula e atualiza a concessão do Prêmio Belmiro Siqueira a Administradores; Código de Ética Profissional do Administrador. Atualmente o Curso de Administração se rege pelo Parecer nº 67/2003 CES/CNE; Parecer nº 134/2003 CES/CNE; Resolução nº 01/2004, CNE e Resolução nº 02 de 18 de junho de 2007 do CNE.

6 LEGISLAÇÃO REFERENTE A CRIAÇÃO, AUTORIZAÇÃO E RECONHECIMENTO DO CURSO E PARECER DA REFORMULAÇÃO DA GRADE CURRICULAR Lei Municipal nº 896, de 28/04/1999 cria a Faculdade Vizinhança Vale do Iguaçu VIZIVALI; Decreto Governamental nº 1704 de 27/12/1999, autoriza o funcionamento; Decreto Governamental n 1716 de 13/08/2003, reconhecimento do curso. Parecer n 343/04, aprovado em , alteração curricular MISSÃO DA INSTITUIÇÃO 2. REFERÊNCIAS ORIENTADORAS 2.1. FILOSOFIA DO CURSO Fazendo parte de um sistema político educacional em que um dos maiores fundamentos está inserido na formação humana, o Ensino Superior busca o equilíbrio e procura ajustar-se as novas tendências educacionais, com flexibilidade, adequação e visão de mundo. Sob este pressuposto, a VIZIVALI Faculdade Vizinhança Vale do Iguaçu apresenta a grade curricular com o conteúdo programático que contempla cientificidade e a tecnologia presente na sociedade atual.

7 7 A filosofia do curso de Administração, propõe o estudo do conhecimento científico, humano e tecnológico necessário a uma formação abrangente em, tendo em vista assegurar as necessidades do mercado e das organizações. A dinâmica de novos paradigmas sociais e empresariais e das novas realidades do meio-ambiente exige do administrador atuação ética e eficaz. A formação do Administrador deve proporcionar-lhe uma visão global da realidade que o cerca, nos seus aspectos sociais, políticos e econômicos, aliada a uma clara compreensão das dimensões técnicas e legais envolvidas. No entanto, para que essa formação seja completa, o curso deve estar assentado nos pressupostos éticos e morais que constituem a base do julgamento crítico do Administrador. Tratando-se de preparar os acadêmicos para administrar o processo de desenvolvimento do país e do mundo no futuro, o curso estimula-os à busca de novos conhecimentos para fazer frente aos desafios emergentes. Deste modo, a aliança entre a competência técnica e a formação humanística permite que, como Administradores, possam, tanto na área pública quanto na privada, tomar decisões que resultem em melhorias de qualidade de vida, em diminuição de discrepâncias sociais, em aproveitamento completo dos recursos, de tal forma que o país possa ser competitivo em termos mundiais, sem esquecer a questão ecológica. A nova realidade e suas exigências levam a uma mudança de perspectiva da formação com foco no profissional de apoio logístico, procurando que, desde o início do curso, a instrumentalização técnica esteja aliada ao desenvolvimento de conhecimentos, habilidades e atitudes específicas ao novo perfil do administrador. Quanto ao Curso de Administração é substancial a opinião dos especialistas do ensino desta área, os quais destacam a relevância de novos profissionais que estejam preparados tecnologicamente para a gestão de negócios, para o empreendedorismo e devidamente habilitados a sensibilizar as pessoas quanto às necessidades do ambiente. O Município ao qual se encontra a VIZIVALI é um espaço em pleno desenvolvimento nas áreas do agronegócio, da indústria metal mecânica, do software e da área têxtil faz com surja a demanda de profissionais qualificados para atender as necessidades do mercado de trabalho e contribuir para o desenvolvimento regional. Assim, argumenta-se que o profissional da administração precisa estar em formação para que possa melhorar seus conhecimentos e atualizar-se no mercado altamente competitivo. 3. JUSTIFICATIVA Navegando no mesmo barco que muitas instituições embarcaram, o Ensino Superior está buscando o equilíbrio e procura ajustar-se à nova ordem com flexibilidade, adequação e visão de um mundo sem fronteiras. Sob este

8 8 pressuposto, a VIZIVALI Faculdade Vizinhança Vale do Iguaçu está propondo uma nova grade curricular que tenha um conteúdo programático que contemple essa nova ordem científica e tecnológica. Atendendo a essa realidade de um mundo sem fronteiras, foi promulgada a nova Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional permitindo que os currículos dos cursos superiores sofram mudanças significativas, dentre elas a mais importante diz respeito à liberdade de as Instituições de Ensino Superior definirem as disciplinas de acordo com o contexto regional onde estão inseridas, e o tempo de duração do curso. Quanto ao Curso de Administração é substancial a opinião dos especialistas do ensino desta área, os quais destacam a relevância de novos profissionais que estejam preparados tecnologicamente para a gestão de negócios, para o empreendedorismo e devidamente habilitados a sensibilizar as pessoas quanto às necessidades do ambiente. 4. NATUREZA DO CURSO A Administração constitui uma área do conhecimento humano complexa e repleta de desafios. O Administrador pode trabalhar nos mais diversos níveis hierárquico de uma organização, englobando setores especializados como as áreas de finanças, produção, recursos humanos, marketing e sistemas de informações para citar apenas o nível superior dessa hierarquia. 5. OBJETIVOS DO CURSO 5.1. GERAL Formar um profissional qualificado ao exercício das atividades atinentes aos vários campos da Administração ESPECÍFICOS Propiciar condições que possibilitam ao aluno gerenciar a dinâmica empresarial para otimizar a aplicação de recursos de forma coerente e articulada com a

9 9 missão, os objetivos e as estratégias da organização por meio da conjugação de fatores humanos, administrativos, informacionais, produtivos, mercadológicos, políticos, econômicos, culturais, tecnológicos, ecológicos e demográficos. Fornecer subsídios para o estabelecimento de estratégias e tomada de decisão com vistas ao alcance de resultados. Desenvolver habilidades e competências que capacitem o profissional a atuar de forma ética em um ambiente de competitividade e internacionalização do mercado. 6. PERFIL PROFISSIONAL O perfil desejado ao Bacharel em Administração é de um profissional com capacidade e aptidão para compreender as questões científicas, técnicas, sociais e econômicas, observados níveis graduais do processo de tomada de decisão, bem como desenvolver gerenciamento qualitativo e adequado, revelando a assimilação de novas informações e apresentando flexibilidade intelectual e adaptabilidade contextualizada no trato de situações diversas, presentes ou emergentes, nos vários segmentos do campo de atuação de administrador.

10 10 7. COMPETÊNCIAS E HABILIDADES 8. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL A estrutura organizacional do Curso de Administração foi idealizada no sentido de possibilitar a integração das ações entre os diversos campos onde o curso se realiza e a garantia de atualização permanente de sua proposta pedagógica

11 ESTRUTURA CURRICULAR A estrutura curricular constitui elemento fundamental para permitir aos acadêmicos o desenvolvimento de competência e habilidades desejado para o curso. As disciplinas de formação básica deverão dar suporte às demais disciplinas da formação profissional. As disciplinas de formação profissional são as de áreas específicas envolvendo a administração e a organização de empresas nos seus mais diversos aspectos, desde o planejamento até a prestação de serviços. As disciplinas de estudos quantitativos abrangem a utilização de estratégias e procedimentos inerentes à administração e as disciplinas de formação complementar tem caráter de enriquecimento do perfil do formando. O planejamento do curso considera os princípios humanísticos: para possibilitar a formação plena, capaz de diagnosticar, analisar e refletir para encontrar soluções que possam expressar as novas realidades organizacionais, sociais e ambientais do mundo; técnicos: para possibilitar a harmonização entre as disciplinas, entre a teoria e a prática. Nesse contexto, do perfil desejado do egresso e dos princípios humanísticos e técnicos, está inspirada a nova proposta curricular. Escolheu-se o regime seriado anual, com disciplinas anuais, que mantém convergência com os objetivos do curso, o perfil do profissional desejado e as condições sócio-econômicas e culturais da cidade-sede e região. A carga horária proposta para as disciplinas do Curso Administração está baseada no pressuposto de que a duração do ano letivo é de 40 semanas. Assim, uma matéria com 36 horas anuais significa ter uma carga de 1 aula por semana. Levando-se em conta a estrutura da VIZIVALI e a disponibilidade dos professores, as aulas poderão ser geminadas.

12 CONTEÚDOS DE FORMAÇÃO BÁSICA 8.12 CONTEÚDOS DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL

13 CONTEÚDOS DE ESTUDOS QUANTITATIVOS E SUAS TECNOLOGIAS 8.14 CONTEÚDOS DE FORMAÇÃO COMPLEMENTAR MATRIZ CURRICULAR E PERIODIZAÇÃO RECOMENDADA 1º ANO MATRIZ CURRICULAR DE PROPOSTA 1ª Série

14 14 2ª Série 3ª Série 4ª Série

15 15

16 16 EMENTÁRIOS E BIBLIOGRAFIAS PRIMEIRO ANO FACULDADE VIZINHANÇA VALE DO IGUAÇU

17 17 PRIMEIRO ANO FACULDADE VIZINHANÇA VALE DO IGUAÇU

18 18 PRIMEIRO ANO FACULDADE VIZINHANÇA VALE DO IGUAÇU

19 19 PRIMEIRO ANO FACULDADE VIZINHANÇA VALE DO IGUAÇU

20 20 PRIMEIRO ANO FACULDADE VIZINHANÇA VALE DO IGUAÇU

21 21 PRIMEIRO ANO FACULDADE VIZINHANÇA VALE DO IGUAÇU

22 22 PRIMEIRO ANO FACULDADE VIZINHANÇA VALE DO IGUAÇU

23 23 PRIMEIRO ANO FACULDADE VIZINHANÇA VALE DO IGUAÇU

24 24 PRIMEIRO ANO FACULDADE VIZINHANÇA VALE DO IGUAÇU

25 25 PRIMEIRO ANO FACULDADE VIZINHANÇA VALE DO IGUAÇU

26 26 SEGUNDO ANO

27 27 SEGUNDO ANO

28 28 SEGUNDO ANO

29 29 SEGUNDO ANO

30 30 SEGUNDO ANO

31 31 SEGUNDO ANO

32 32 SEGUNDO ANO

33 33 SEGUNDO ANO

34 34 SEGUNDO ANO

35 35 TERCEIRO ANO FACULDADE VIZINHANÇA VALE DO IGUAÇU

36 36 TERCEIRO ANO FACULDADE VIZINHANÇA VALE DO IGUAÇU

37 37 TERCEIRO ANO FACULDADE VIZINHANÇA VALE DO IGUAÇU

38 38 TERCEIRO ANO FACULDADE VIZINHANÇA VALE DO IGUAÇU

39 39 TERCEIRO ANO FACULDADE VIZINHANÇA VALE DO IGUAÇU

40 40 TERCEIRO ANO FACULDADE VIZINHANÇA VALE DO IGUAÇU

41 41 TERCEIRO ANO FACULDADE VIZINHANÇA VALE DO IGUAÇU

42 42 TERCEIRO ANO FACULDADE VIZINHANÇA VALE DO IGUAÇU

43 43 QUARTO ANO FACULDADE VIZINHANÇA VALE DO IGUAÇU

44 44 QUARTO ANO FACULDADE VIZINHANÇA VALE DO IGUAÇU

45 45 QUARTO ANO FACULDADE VIZINHANÇA VALE DO IGUAÇU

46 46 QUARTO ANO FACULDADE VIZINHANÇA VALE DO IGUAÇU

47 47 QUARTO ANO FACULDADE VIZINHANÇA VALE DO IGUAÇU

48 48 QUARTO ANO FACULDADE VIZINHANÇA VALE DO IGUAÇU

49 49 QUARTO ANO FACULDADE VIZINHANÇA VALE DO IGUAÇU

50 50 QUARTO ANO FACULDADE VIZINHANÇA VALE DO IGUAÇU

51 51 QUARTO ANO FACULDADE VIZINHANÇA VALE DO IGUAÇU

52 52 QUARTO ANO FACULDADE VIZINHANÇA VALE DO IGUAÇU

53 ATIVIDADES COMPLEMENTARES Na matriz curricular estão previstas as atividades acadêmicas complementares num total de 120 horas isto porque a concepção do ensino como propiciador do desenvolvimento de habilidades e competências remete à necessidade de uma prática pedagógica mais globalizada, conectada com os mais diversos campos de conhecimento. O egresso do Curso de Administração deve estar apto para a solução dos problemas imediatos e mediatos tomando posições, assumido riscos. Nesta perspectiva, a metodologia praticada em sala de aula deve ter o caráter interdisciplinar, posto que linhas muito tênues circunscrevem os limites dos campos de conhecimentos específicos ainda que se tenha uma estrutura curricular disciplinar. Assim, de forma a concretizar a formação do egresso está se desenvolvendo na Instituição, entre docentes e discentes, a cultura da educação como processo interdisciplinar, buscando novas formas de trabalho do cotidiano dando ênfase em ações criativas, inovadoras e fomentando a questão da construção do conhecimento voltado para a prática administrativa, tendo como base os conceitos teóricos desenvolvidos nas diversas disciplinas que formam a estrutura curricular do Curso. As atividades acadêmicas complementares do curso tornam-se importante estratégias na medida em que favorecem a atualização permanente dos alunos e professores envolvidos no Curso de Administração no que se refere ao ensino, a pesquisa e à extensão como forma de ampliar os mapas mentais dos envolvidos no processo. As atividades acadêmicas complementares do curso são concernentes e importantes na medida em que aprofundam aspectos dos conteúdos previstos nos ementários, porém necessários em virtude de novas emergências conceituais da atualidade. As atividades acadêmicas complementares do curso referentes à pesquisa estimulam o desenvolvimento de projetos com vistas ao incentivo da prática do pensamento reflexivo e do pensamento científico. As atividades acadêmicas complementares do curso que se referem à extensão favorecem o desenvolvimento de habilidades comportamentais,

54 54 políticas, sociais para consolidar o perfil do egresso desejado pelo curso. O curso de Administração considera como atividades acadêmicas complementares do curso os eventos descritos abaixo bem como a sua respectiva capacidade máxima a ser considerada como atividade complementar INTERDISCIPLINARIDADE A organização do currículo vai além da mera justaposição de disciplinas como da diluição delas em generalidades. As disciplinas estão relacionadas em áreas de projetos de estudo, pesquisa e ação. O conhecimento mantém um dialogo permanente com outros conhecimentos. O que será ensinado no curso deve ir além da descrição como forma de constituir nos alunos a capacidade de analisar, explicar, prever e intervir ESTÁGIO SUPERVISIONADO Carga Horária de 324 horas/aulas conforme Regulamento próprio da Instituição. 8.5 ADEQUAÇÃO AS DIRETRIZES CURRICULARES As Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Administração vêm complementar uma nova postura de homem e sociedade, definindo perfil do formando, as competências e habilidades, a organização do curso bem como conteúdos curriculares, estágios e atividades complementares e avaliação do

55 55 formando do Curso de Bacharelado em Administração na perspectiva da Resolução nº 1/02/2004 CNE/CES. Nesta visão as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Administração caracterizam uma evolução e vantagens a este processo: Concebem a formação de nível superior como um processo contínuo, autônomo e permanente, como uma sólida formação básica e uma formação profissional fundamentada na competência teórico-prática; Ensejam a flexibilização curricular e a liberdade de as instituições elaborarem seus projetos pedagógicos segundo as demandas sociais e do meio e os avanços científicos e tecnológicos; Orientam-se na direção de uma sólida formação básica, preparando o futuro graduado para enfrentar os desafios das rápidas transformações da sociedade, do mercado de trabalho e das condições do exercício profissional; Pretendem preparar o profissional adaptável a situações novas e emergentes. 9. CONCEPÇÃO METODOLÓGICA O processo de Planejamento Estratégico do Ensino é preocupação constante da Direção da Faculdade e dos Colegiados do Curso para que as políticas de ensino superior busquem o equilíbrio e procurem ajustar-se às novas ordens da flexibilização, da adequação e da visão de um novo mundo. O processo de Planejamento Tático do Ensino, também é preocupação constante da direção e colegiados promovendo as adequações necessárias para atender às solicitações exigidas no mercado com relação as novas práticas de trabalho, tecnologias para essas práticas e das novas teorias e modelos. O processo de Planejamento Operacional do Ensino é ministrado por meio de aulas teóricas, práticas e estágio supervisionado. Os professores adotam procedimentos didáticos que permitem a difusão do saber entre os alunos, sujeitos da construção do seu próprio conhecimento. Nas aulas teóricas, práticas e no estágio supervisionado conduzidas em ambientes próprios, tais como laboratórios, sala de aula e em ambientes que

56 56 extrapolam os ambientes físicos da instituição, são utilizados recursos didáticos inovadores, tais como: estudos de casos, seminários, simpósios, palestras de empresários e de professores de outras instituições, visitas a empresas, consultoria pela Empresa Júnior, jogos de empresas, workshop, equipamentos como data-show e multimídia, através dos quais, se oferecem melhores condições e oportunidades educacionais para que os alunos nesse ambiente de confiança, aprendam o que fazer, como fazer e onde aplicar o saber no exercício futuro do cotidiano profissional. O Curso disponibiliza um acervo bibliográfico constituído de livros, revistas, periódicos nacionais e internacionais e softwares com o propósito de maximizar e otimizar o despertar da curiosidade científica. O curso mantém um processo de avaliação com a participação dos alunos que são motivados a avaliá-los semestralmente. Assim, o aluno assume o papel de co-responsável das mudanças necessárias ao aprimoramento, o que resulta num processo permanente de busca da melhoria da qualidade do curso. Todos esses traços de planejamento, organização, execução e controle do Curso de Administração estão voltados para a geração de conhecimento e aprendizado, de forma a ser permanente na escola nova da administração, reconhecida como o espaço de criatividade e inovação da Ciência, da Administração dos negócios e da organização, privilegiada com habilidades humanas, profissionais e contemporânea, por operar na fronteira dos valores regionais, nacionais e internacionais da Educação. 10. SISTEMA DE AVALIAÇÃO Na busca de novas articulações entre os conhecimentos, a avaliação é vista como um processo amplo resultante de uma atitude de responsabilidade da Instituição, dos professores e dos acadêmicos. Ela deve ser percebida com um movimento de reflexão destes envolvidos sobre os elementos que constituem o processo ensino-aprendizagem: Plano político pedagógico, atividades curriculares e extracurriculares através de estudo-pesquisa, aulas expositivas, trabalhos cooperativos, seminários temáticos, aulas integradas, estágios e oficinas

57 57 utilizando processos diversificados de modo a atender situações diferenciadas de aprendizagem e do modo de conhecer. Nesta abordagem avaliativa prevê-se um conjunto de possibilidades onde serão considerados: a) Avaliação processual: análise e reflexão das atividades curriculares e do desenvolvimento do aluno; b) Avaliação contínua: feita ao longo do desenvolvimento do processo formativo através das expressões do conhecimento na área, das ações colaborativas entre os alunos, da expressão de criatividade, da compreensão das relações entre as áreas do conhecimento; c) Avaliação credencial: feita através de diferentes instrumentos orientados para tal fim de cunho individual, grupal e/ou de auto-avaliação. Será a soma das avaliações. A dimensão micro da avaliação é vista no curso sobre cada disciplina, na qual o professor é o gestor, levando sempre em conta os saberes e as competências adquiridas ou agregadas. A dimensão macro é a que se explicitou no Projeto Pedagógico do curso e que prima pelo saber, o saber-ser, o saber fazer, e o saber conviver identificando a capacidade do docente tornar-se sujeito ativo, reflexivo e participante das transformações. A reconstrução do fazer pedagógico do professor formador terá como premissa básica a postura de constante reflexão sobre sua prática, o acompanhamento do acadêmico na sua caminhada de construção do conhecimento e o resultado da avaliação do curso semestralmente. 11. CONCEPÇÃO DE AVALIAÇÃO DO RENDIMENTO ESCOLAR O Regimento da Faculdade Vizinhança Vale do Iguaçu VIZIVALI avalia e processa o rendimento escolar conforme um conjunto de normas quantificadas mediante o acompanhamento contínuo do aluno e dos resultados por ele obtidos. São realizadas duas avaliações bimestrais e um exame final. Os professores podem solicitar outras atividades escolares para contemplar a parte formativa. A cada verificação do aproveitamento é atribuída uma nota, cuja média semestral,

58 58 deve ser igual ou superior a 7.0 (sete). O aluno que não atingir a média exigida fará exame final necessitando então no somatório entre as avaliações bimestrais e o exame final a média mínimo de 5,0 (cinco). A avaliação do desempenho é feita por disciplina, incidindo sobre a freqüência e o rendimento escolar. No que concerne à freqüência é exigido o mínimo de 75% por disciplina. 12. CONCEPÇÃO DE PESQUISA A Administração procurará estimular um trabalho de criação coletiva, introduzindo a participação em projetos negociáveis, articuláveis e solidários nos quais os acadêmicos e os professores sejam os verdadeiros autores. Para tanto abre-se, no currículo, espaços para a prática que poderão ser articuladas com as demais disciplinas. O comportamento investigativo aqui priorizado se aplica tanto para as atividades de sala de aula como fora dela, incluindo-se temas do cotidiano e linhas de pesquisa articuladas com o curso em questão, servindo de base para o trabalho de conclusão de curso. A pesquisa enquanto prática investigativa é parte integrante da formação dos profissionais da administração. O curso de Administração da Vizivali estabelecerá em colegiado de curso os eixos de investigação como prática de inserção na realidade, como exercício teórico e prático e como produção de conhecimentos envolvendo professores, acadêmicos e comunidade. 13. INTER-RELAÇÃO: GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO A Faculdade Vizinhança do Vale do Iguaçu - VIZIVALI - oferece o Curso de Administração, também, estará oferecendo o curso de especialização lato senso onde após a graduação os alunos terão a oportunidade de buscar a especialização nas áreas de maior interesse, que serão oferecidas oportunamente. Assim, há disposição pedagógica do curso na busca de aliar o ensino curricular com a iniciação à pesquisa através dos estágios supervisionados e os respectivos Trabalhos de Conclusão de Curso.

59 A integração entre a graduação e a pós-graduação é realizada com o intercâmbio dos alunos de pós apresentando trabalhos na graduação e alunos da graduação assistindo aulas na pós-graduação. 59

FACULDADE PASCHOAL DANTAS

FACULDADE PASCHOAL DANTAS FACULDADE PASCHOAL DANTAS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO ÊNFASE GESTÃO DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SÃO PAULO - SP NOVEMBRO DE 2008 ÍNDICE 1. Visão e Missão da FPD...3 2. ORGANIZAÇÃO

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR APROVADO PELA RESOLUÇÃO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO REVOGADA PELA RESOLUÇÃO Nº 128/2014- COU/UNICENTRO. DISPOSITIVOS DO PROJETO PEDAGÓGICO APROVADO POR ESTA RESOLUÇÃO, ESTÃO ALTERADOS PELA RESOLUÇÃO Nº 26/2009-COU/UNICENTRO.

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Concepção do Curso de Administração A organização curricular do curso oferece respostas às exigências impostas pela profissão do administrador, exigindo daqueles que integram a instituição

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE - RS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE - RS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE - RS PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO CIÊNCIAS BIOLÓGICAS LICENCIATURA PLENA ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICAS O Curso de Ciências Biológicas, através

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Turismo

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO O Curso de Secretariado Executivo das Faculdades Integradas de Ciências Exatas Administrativas e Sociais da UPIS, reconhecido pelo MEC desde 1993, pela Portaria 905, de 24.06,1993,

Leia mais

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Engenharia Agrícola e dá outras providências.

Leia mais

MBA EM CONSULTORIA E GESTÃO DE NEGÓCIOS 2014.1

MBA EM CONSULTORIA E GESTÃO DE NEGÓCIOS 2014.1 NÚMERO DE VAGAS: 45 (Quarenta e cinco) vagas. PREVISÃO DE INÍCIO DAS AULAS Abril de 2014 APRESENTAÇÃO / JUSTIFICATIVA MBA EM CONSULTORIA E GESTÃO DE NEGÓCIOS 2014.1 O MBA EM CONSULTORIA & GESTÃO DE NEGÓCIOS,

Leia mais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação

Leia mais

FACULDADE ESTÁCIO MONTESSORI DE IBIÚNA ESTÁCIO FMI SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

FACULDADE ESTÁCIO MONTESSORI DE IBIÚNA ESTÁCIO FMI SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ADMINISTRAÇÃO - BACHARELADO MISSÃO DO CURSO Formar profissionais de elevado nível de consciência crítica, competência técnica empreendedora, engajamento

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior - DAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

Informações sobre o Curso de Administração

Informações sobre o Curso de Administração Objetivo Geral do Curso: Informações sobre o Curso de Administração Prover a sociedade de profissional dotado de senso crítico e comportamento ético-profissional qualificado. Um Administrador criativo,

Leia mais

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí Instituto Superior de Educação - ISE

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí Instituto Superior de Educação - ISE DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1 Do estágio curricular supervisionado A modalidade de Estágio Supervisionado é uma importante variável a ser considerada no contexto de perfil do egresso. A flexibilidade prevista

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS MISSÃO DO CURSO Formar profissionais de elevado nível de consciência crítica, competência técnica empreendedora, engajamento ético

Leia mais

BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES

BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES Bacharelados Interdisciplinares (BIs) e similares são programas de formação em nível de graduação de natureza geral, que conduzem a diploma, organizados por grandes áreas

Leia mais

Regulamento Atividades Complementares. Faculdade da Cidade de Santa Luzia - FACSAL

Regulamento Atividades Complementares. Faculdade da Cidade de Santa Luzia - FACSAL Regulamento Atividades Complementares Faculdade da Cidade de Santa Luzia - 2014 Regulamento das Atividades Complementares CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Artigo 1º - As Atividades

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 1 FACULDADE DE ESTUDOS SOCIAIS DO ESPÍRITO SANTO PIO XII CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 O currículo

Leia mais

REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES NORMAS OPERACIONAIS PARA ACOMPANHAMENTO E REGISTRO DOS ESTUDOS COMPLEMENTARES

REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES NORMAS OPERACIONAIS PARA ACOMPANHAMENTO E REGISTRO DOS ESTUDOS COMPLEMENTARES REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES NORMAS OPERACIONAIS PARA ACOMPANHAMENTO E REGISTRO DOS ESTUDOS COMPLEMENTARES O Parecer do CNE/CES nº 492/2001, assim define as atividades complementares:

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO. 1. TURNOS: Matutino HABILITAÇÃO: Bacharelado em Administração Noturno. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos

ADMINISTRAÇÃO. 1. TURNOS: Matutino HABILITAÇÃO: Bacharelado em Administração Noturno. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos ADMINISTRAÇÃO 1. TURNOS: Matutino HABILITAÇÃO: Bacharelado em Administração Noturno GRAU ACADÊMICO: Bacharel em Administração PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos Máximo = 8 anos 2. HISTÓRICO DO CURSO

Leia mais

Red Derechos Humanos y Educación Superior Taller 1 Metodología de la enseñanza de los DDHH en la Educación Superior (Lima, 16-17 de julio de 2012)

Red Derechos Humanos y Educación Superior Taller 1 Metodología de la enseñanza de los DDHH en la Educación Superior (Lima, 16-17 de julio de 2012) Red Derechos Humanos y Educación Superior Taller 1 Metodología de la enseñanza de los DDHH en la Educación Superior (Lima, 16-17 de julio de 2012) O Ensino de Direitos Humanos da Universidade Federal do

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Atividades Complementares Sistemas de Informação 1. Introdução Nos cursos de graduação, além das atividades de aprendizagem articuladas pelas disciplinas que compõem a matriz curricular, deverão ser inseridas

Leia mais

APRESENTAÇÃO / JUSTIFICATIVA

APRESENTAÇÃO / JUSTIFICATIVA NÚMERO DE VAGAS: 45 (Quarenta e cinco) vagas. CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA VISCONDE DE CAIRU CEPPEV PREVISÃO DE INÍCIO DAS AULAS Fevereiro de 2014 APRESENTAÇÃO / JUSTIFICATIVA O MBA EM CONSULT ORIA

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE SERVIÇO SOCIAL PLANO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO PARA ESTUDANTES DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE SERVIÇO SOCIAL PLANO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO PARA ESTUDANTES DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE SERVIÇO SOCIAL PLANO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO PARA ESTUDANTES DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL INTRODUÇÃO O estágio curricular obrigatório é aquele definido

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO (PPC)

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO (PPC) , INCLUINDO ESSE, DEVEM SER RETIRADOS DO TEXTO FINAL, POIS SERVEM SOMENTE COMO ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DO DOCUMENTO FINAL> PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO (PPC)

Leia mais

2. Disseminar o conhecimento gerado no Instituto Federal do Amazonas.

2. Disseminar o conhecimento gerado no Instituto Federal do Amazonas. Extensão ETENSÃO A implementação da politica de Extensão, no Instituto Federal do Amazonas reafirma a missão deste Instituto e seu comprometimento com o desenvolvimento local e regional promovendo a integração

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 17 DE JUNHO DE 2010 (*)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 17 DE JUNHO DE 2010 (*) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 17 DE JUNHO DE 2010 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Arquitetura

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES OBRIGATÓRIAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Carga Horária Total exigida no curso: 200 horas

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES OBRIGATÓRIAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Carga Horária Total exigida no curso: 200 horas REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES OBRIGATÓRIAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Carga Horária Total exigida no curso: 200 LONDRINA/PR 2014 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES OBRIGATÓRIAS DO CURSO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura

Leia mais

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 -

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - O Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação é um curso da área de informática e tem seu desenho curricular estruturado por competências

Leia mais

ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1

ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1 ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1 ARQUITETURA E URBANISMO Graduar arquitetos e urbanistas com uma sólida formação humana, técnico-científica e profissional,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*)

RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*) RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Ciências Contábeis, bacharelado, e dá outras providências. O Presidente da Câmara de Educação

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UTFPR Resolução

Leia mais

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área;

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n. 66/ 2012 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Computação, Licenciatura

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Arquitetura

Leia mais

Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso

Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso AUTO-AVALIAÇAO INSTITUCIONAL DO CURSO DE PEDAGOGIA FACED-UFAM / Professores Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso Objetivos do Curso 01 - Tenho conhecimento do Projeto Pedagógico do Curso.

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação UF: DF Superior ASSUNTO: Diretrizes Curriculares Nacionais para

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

Inscrições Abertas. Dia e horário das aula: Sexta-Feira 18h30 às 22h30 Quinzenal Sábado 08h30 às 17h30 Quinzenal

Inscrições Abertas. Dia e horário das aula: Sexta-Feira 18h30 às 22h30 Quinzenal Sábado 08h30 às 17h30 Quinzenal MBA Recursos Humanos Inscrições Abertas Dia e horário das aula: Sexta-Feira 18h30 às 22h30 Quinzenal Sábado 08h30 às 17h30 Quinzenal Carga horária: 600 Horas Duração: 24 meses *As informações podem sofrer

Leia mais

Credenciada pela Portaria Ministerial nº 1734 de 06/08/2001, D.O.U. de 07/08/2001

Credenciada pela Portaria Ministerial nº 1734 de 06/08/2001, D.O.U. de 07/08/2001 ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE LICENCIATURA: EDUCAÇÃO FÍSICA (Portaria de Reconhecimento nº 428 de 28 de julho de 2014) E PEDAGOGIA (Portaria de Reconhecimento nº 286 de 21 de dezembro de 2012) ORIENTAÇÕES

Leia mais

RENOVAR PARA INOVAR! Plano de Gestão. Proposta de plano de gestão do candidato Érico S. Costa ao cargo de Diretor do Campus

RENOVAR PARA INOVAR! Plano de Gestão. Proposta de plano de gestão do candidato Érico S. Costa ao cargo de Diretor do Campus RENOVAR PARA INOVAR! Plano de Gestão Proposta de plano de gestão do candidato Érico S. Costa ao cargo de Diretor do Campus 2013-2016 0 1 Sumário Apresentação... 2 Análise Situacional... 2 Programas Estruturantes...

Leia mais

Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação

Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação Curso de Atualização Pedagógica Julho de 2010 Mediador: Adelardo Adelino Dantas de Medeiros (DCA/UFRN) Diretrizes Curriculares

Leia mais

ASSISTENTE DE PLANEJAMENTO E CONTROLE DE PRODUÇÃO

ASSISTENTE DE PLANEJAMENTO E CONTROLE DE PRODUÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CÂMPUS CANOAS PROJETO PEDAGÓGICO CURSO FIC PRONATEC Canoas

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Introdução à Pedagogia Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º 1 - Ementa (sumário, resumo) A disciplina se constitui como

Leia mais

Planejamento Estratégico - Setor de Ciências Biológicas UFPR Gestão 2014/2016. Diretrizes específicas por unidade setorial. Curso de Graduação

Planejamento Estratégico - Setor de Ciências Biológicas UFPR Gestão 2014/2016. Diretrizes específicas por unidade setorial. Curso de Graduação Planejamento Estratégico - Setor de Ciências Biológicas UFPR Gestão 2014/2016 Diretrizes específicas por unidade setorial Curso de Graduação Fisioterapia Estudo Preliminar Apresentação Este planejamento

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 8, DE 7 DE MAIO DE 2004. (*)

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 8, DE 7 DE MAIO DE 2004. (*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 8, DE 7 DE MAIO DE 2004. (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Psicologia. O Presidente

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Metodologia Científica Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º 1 - Ementa (sumário, resumo) Conceito e concepção de ciência

Leia mais

Quadro Resumo de Projeto Pedagógico do Curso Superior de Tecnologia em GESTÃO COMERCIAL

Quadro Resumo de Projeto Pedagógico do Curso Superior de Tecnologia em GESTÃO COMERCIAL Quadro Resumo de Projeto Pedagógico do Curso Superior de Tecnologia em GESTÃO COMERCIAL Dados de Identificação: -Modalidade: Graduação Tecnológica -Ato Legal de Autorização: Resolução CONSUNI nº -Turnos

Leia mais

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 901491 - EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução da teoria organizacional

Leia mais

Curso de Graduação. Dados do Curso. Administração. Contato. Modalidade a Distância. Ver QSL e Ementas. Universidade Federal do Rio Grande / FURG

Curso de Graduação. Dados do Curso. Administração. Contato. Modalidade a Distância. Ver QSL e Ementas. Universidade Federal do Rio Grande / FURG Curso de Graduação Administração Modalidade a Distância Dados do Curso Contato Ver QSL e Ementas Universidade Federal do Rio Grande / FURG 1) DADOS DO CURSO: COORDENAÇÃO: Profª MSc. Suzana Malta ENDEREÇO:

Leia mais

BACHARELADO. Administração. Ciências Contábeis. Ciências Econômicas. Serviço Social. Ciências Sociais. Objetivos. Objetivos. Objetivos.

BACHARELADO. Administração. Ciências Contábeis. Ciências Econômicas. Serviço Social. Ciências Sociais. Objetivos. Objetivos. Objetivos. BACHARELADO Administração O curso de Administração tem como objetivo formar profissionais que poderão atuar como executivos, técnicos em funções administrativas e/ou empreendedores, com capacidade de alinhar

Leia mais

CURSO DE DIREITO REGULAMENTO PARA ATIVIDADES COMPLEMENTARES

CURSO DE DIREITO REGULAMENTO PARA ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE DIREITO REGULAMENTO PARA ATIVIDADES COMPLEMENTARES 2 DA FINALIDADE E DO OBJETIVO Art. 1º. As Atividades Complementares do Curso de Direito da Faculdade Unida de Suzano serão regidas por este Regulamento.

Leia mais

Normas das Atividades Complementares do Curso de Ciência da Computação

Normas das Atividades Complementares do Curso de Ciência da Computação Normas das Atividades Complementares do Curso de Ciência da Computação 1. Apresentação As atividades complementares são consideradas parte integrante do Currículo do Curso de Bacharelado em Ciência da

Leia mais

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO PROVÍNCIA LA SALLE BRASIL - CHILE APRESENTAÇÃO O Setor de Educação Superior da Província

Leia mais

Pós-Graduação em Gestão de Negócios com Ênfase em Mercado Farmacêutico

Pós-Graduação em Gestão de Negócios com Ênfase em Mercado Farmacêutico Pós-Graduação em Gestão de Negócios com Ênfase em Mercado Farmacêutico Manual do Curso São Paulo Educação Executiva 2015 Apresentação O Sindusfarma deseja oferecer aos seus associados à possibilidade de

Leia mais

Maio 2013 Macaé- RJ. Rafael Pacheco Lívia Leite

Maio 2013 Macaé- RJ. Rafael Pacheco Lívia Leite Maio 2013 Macaé- RJ Rafael Pacheco Lívia Leite Matriz do Curso de Engenharia Química 2013 Page 2 Sumário 1. APRESENTAÇÃO 2. JUSTIFICATIVA 3. DA CONCEPÇÃO DO CURSO 4. ORGANIZAÇÃO DO CURSO 5. A MATRIZ CURRICULAR

Leia mais

Centro de Estudos Avançados em Pós Graduação e Pesquisa

Centro de Estudos Avançados em Pós Graduação e Pesquisa GESTÃO EDUCACIONAL INTEGRADA: Oferecendo 04 Habilitações: supervisão de ensino, orientação educacional, inspeção de ensino e administração escolar. JUSTIFICATIVA O Curso de Especialização em Gestão Educacional

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 36 / 2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Graduação em Línguas Estrangeiras

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no início do ano 2000, para os matriculados no 1º semestre.

R E S O L U Ç Ã O. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no início do ano 2000, para os matriculados no 1º semestre. RESOLUÇÃO CONSEPE 30/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso da atribuição

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 72/2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação, modalidade

Leia mais

Padrões de Qualidade para os Cursos de Graduação em Direito

Padrões de Qualidade para os Cursos de Graduação em Direito MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS DE ENSINO COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DE ENSINO DE DIREITO APRESENTAÇÃO: Padrões de Qualidade para os Cursos

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Evolução de Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução

Leia mais

PROJETO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL SUPERVISIONADO

PROJETO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL SUPERVISIONADO PROJETO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL SUPERVISIONADO O Estágio Curricular Supervisionado tem como objetivo desenvolver junto ao estudante a capacidade de desenvolver uma leitura problematizadora da realidade

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Regime: Duração: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE S (ÁREA: GESTÃO) TECNÓLOGO SERIADO ANUAL - NOTURNO 3 (TRÊS) ANOS LETIVOS Integralização:A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO

Leia mais

OBJETIVOS DO CURSO PERFIL DO EGRESSO

OBJETIVOS DO CURSO PERFIL DO EGRESSO 1 APRESENTAÇÃO Segundo Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos Tecnologicos conforme RESOLUÇÃO CNE/CP 3, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2002, A educação profissional de nível tecnológico, integrada às diferentes

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC 1 PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC O PPC, Projeto Pedagógico de Curso, é o instrumento de concepção de ensino e aprendizagem de um curso e apresenta características de um projeto, no qual devem ser definidos

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO: PEDAGOGIA

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO: PEDAGOGIA 1 FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO: PEDAGOGIA 2 CRUZEIRO - SP 2014 APRESENTAÇÃO De acordo com a Resolução n o 1, de 02 de fevereiro de 2004,

Leia mais

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO Com a finalidade de otimizar o processo de elaboração e avaliação dos Projetos Pedagógicos do Cursos (PPC), sugere-se que os itens a seguir sejam

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM GESTÃO ESCOLAR (Ênfase em Coordenação Pedagógica) PROJETO PEDAGÓGICO

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM GESTÃO ESCOLAR (Ênfase em Coordenação Pedagógica) PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM GESTÃO ESCOLAR (Ênfase em Coordenação Pedagógica) PROJETO PEDAGÓGICO Campo Limpo Paulista 2012 1 CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM GESTÃO ESCOLAR Marcos Legais Resolução

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior- Conaes Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 15-CEPE/UNICENTRO, DE 23 DE MARÇO DE 2010. Aprova o Curso de Especialização em Pedagogia para Ambientes Não-Escolares, modalidade regular, a ser ministrado no Campus Avançado da UNICENTRO,

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Identificação do Curso Nome do Curso: Sistemas de Informação Titulação: Bacharelado Modalidade de ensino: Presencial

Leia mais

O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA.

O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA. O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA. Profa. Elizabeth Rodrigues Felix 1 I- INTRODUÇÃO Com dezoito anos de existência, o

Leia mais

PROPOSTA PEDAGOGICA CENETEC Educação Profissional. Índice Sistemático. Capitulo I Da apresentação...02. Capitulo II

PROPOSTA PEDAGOGICA CENETEC Educação Profissional. Índice Sistemático. Capitulo I Da apresentação...02. Capitulo II Índice Sistemático Capitulo I Da apresentação...02 Capitulo II Dos objetivos da proposta pedagógica...02 Capitulo III Dos fundamentos da proposta pedagógica...02 Capitulo IV Da sinopse histórica...03 Capitulo

Leia mais

Bacharelado em Serviço Social

Bacharelado em Serviço Social Informações gerais: Bacharelado em Serviço Social Duração do curso: 04 anos (08 semestres) Horário: Vespertino e Noturno Número de vagas: 300 vagas anuais Coordenador do Curso: Profª Ms. Eniziê Paiva Weyne

Leia mais

Projeto Pedagógico do Curso

Projeto Pedagógico do Curso Projeto Pedagógico do Curso Fundamentação Diretrizes curriculares do MEC Diretrizes curriculares da SBC Carta de Princípios da UNICAP Projeto Pedagógico Institucional da UNICAP Diretrizes Curriculares

Leia mais

RESUMO DO PPC Curso Superior de Tecnologia em Logística Emitente: Adriano Araújo Data: 21/10/2015

RESUMO DO PPC Curso Superior de Tecnologia em Logística Emitente: Adriano Araújo Data: 21/10/2015 1. PERFIL DO CURSO O Curso de da Unijorge (UJ), instalado no Comércio, está fundamentado em mecanismos efetivos de interdisciplinaridade e flexibilização curricular que permitem a formação de profissionais

Leia mais

MBA em Marketing Estratégico

MBA em Marketing Estratégico MBA em Marketing Estratégico Público - alvo O MBA em Marketing Estratégico é indicado para profissionais com experiência profissional mínima de três anos, com formação universitária em qualquer área e

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Nome da disciplina Evolução do Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação;

Leia mais

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. (Resumido)

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. (Resumido) FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRATIVAS DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM ES Curso de Administração reconhecido pelo Decreto Federal nº 78.951, publicado no D.O.U. de 16-12-1976 Curso de Ciências Contábeis

Leia mais

MBA em Marketing Estratégico

MBA em Marketing Estratégico MBA em Marketing Estratégico Público - alvo O MBA em Marketing Estratégico é indicado para profissionais com experiência profissional mínima de três anos, com formação universitária em qualquer área e

Leia mais

PROJETO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO INFANTIL 2014.2

PROJETO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO INFANTIL 2014.2 PROJETO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO INFANTIL 2014.2 APRESENTAÇÃO A Educação Infantil é a primeira etapa da Educação Básica e tem como finalidade o desenvolvimento integral

Leia mais

Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico

Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico O Coordenador Pedagógico é o profissional que, na Escola, possui o importante papel de desenvolver e articular ações pedagógicas que viabilizem

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CÂMPUS CANOAS PROJETO PEDAGÓGICO CURSO FIC PRONATEC Canoas

Leia mais

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM ECOTURISMO Objetivo: O Curso tem por objetivo capacitar profissionais, tendo em vista a carência de pessoas qualificadas na área do ecoturismo, para atender,

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO CURSO: TURISMO ( bacharelado) Missão Formar profissionais humanistas, críticos, reflexivos, capacitados para planejar, empreender e gerir empresas turísticas, adaptando-se ao

Leia mais

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1.1 Denominação Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 1.2 Total de Vagas Anuais 80 vagas anuais 1.3 Regime Acadêmico de Oferta Seriado

Leia mais

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS SALVADOR 2012 1 CONTEXTUALIZAÇÃO Em 1999, a UNIJORGE iniciou suas atividades na cidade de Salvador, com a denominação de Faculdades Diplomata. O contexto

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO: CES

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO: CES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Secretaria de Educação Superior/ Câmara de Educação UF: DF Superior ASSUNTO: Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em

Leia mais

INFORMAÇÕES DO PPC Perfil do Egresso

INFORMAÇÕES DO PPC Perfil do Egresso INFORMAÇÕES DO PPC Perfil do Egresso O Curso Superior de Tecnologia em Secretariado visa formar profissionais com competência técnica, comunicação interpessoal, postura ética, visão holística, espírito

Leia mais

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR do Curso de Serviço Social

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR do Curso de Serviço Social ORGANIZAÇÃO CURRICULAR do Curso de Serviço Social O Projeto pedagógico do Curso de Serviço Social do Pólo Universitário de Rio das Ostras sua direção social, seus objetivos, suas diretrizes, princípios,

Leia mais

O Curso de Administração da ESAG. Prof. Dr. Nério Amboni (ESAG/UDESC) 2011.2

O Curso de Administração da ESAG. Prof. Dr. Nério Amboni (ESAG/UDESC) 2011.2 O Curso de Administração da ESAG Prof. Dr. Nério Amboni (ESAG/UDESC) 2011.2 Missão da ESAG A ESAG tem por missão realizar o ensino, a pesquisa, a extensão, de modo articulado, a fim de contribuir na formação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO CES

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO CES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação / Câmara de Educação Superior ASSUNTO: Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Engenharia RELATOR(A):

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM HISTÓRIA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM HISTÓRIA Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás Departamento de Áreas Acadêmicas I Coordenação de Ciências Humanas

Leia mais

MINUTA DE DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS

MINUTA DE DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS 1 MINUTA DE DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS O Presidente da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação, no uso de suas atribuições

Leia mais

REGULAMENTO PARA ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE ENFERMAGEM

REGULAMENTO PARA ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM REGULAMENTO PARA ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE ENFERMAGEM CAPÍTULO I DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES E SUAS FINALIDADES Art. 1º. As atividades complementares, no âmbito do Curso de Enfermagem,

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. PROCESSO SELETIVO 2013 Cursos Técnicos a Distância 2 SEMESTRE

MANUAL DO CANDIDATO. PROCESSO SELETIVO 2013 Cursos Técnicos a Distância 2 SEMESTRE MANUAL DO CANDIDATO PROCESSO SELETIVO 2013 Cursos Técnicos a Distância 2 SEMESTRE APRESENTAÇÃO Neste Manual, desenvolvido pela Comissão de Processo Seletivo (COPESE) do Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais