UFSC CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA PROGRAMA DE ENSINO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UFSC CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA PROGRAMA DE ENSINO"

Transcrição

1 UFSC CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA PROGRAMA DE ENSINO DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA SEMESTRE 2011/2 Nome da disciplina ODT 7111 Terapêutica Medicamentosa I Departamento ODT ODONTOLOGIA Carga horária semestral prática 00 Carga horária total semestral 02h/a/semana 36h/a/semestre Identificação da Oferta: a disciplina será oferecida apenas para alunos do Curso de Graduação em Odontologia da 5ª fase Pré-requisitos CFS 7102 Fisiologia Humana I; FMC 7001 Farmacologia Aplicada a Odontologia; MIP 7103 Microbiologia Oral; PTL 7002 Patologia Geral OBJETIVO GERAL DA DISCIPLINA Permitir ao aluno à aplicação adequada da terapêutica medicamentosa na Odontologia. Local CCS sala 901 EMENTA Introdução à farmacologia clínica. Conceitos básicos. Formas farmacêuticas. Processos farmacocinéticos e farmacodinâmicos. Prescrição medicamentosa (receituário e receita). Farmacologia da dor e inflamação (fisiopatologia). Vias de administração (enterais e parenterais). Anestésicos locais. Princípios gerais do uso dos analgésicos, antiinflamatórios e antibióticos: Aplicação dos analgésicos não opióides, antiinflamatórios não esteroidais e antibióticos em clínicas odontológicas. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Objetivos Por Unidade Conteúdos Carga Horária Unidade I Introdução à farmacologia clínica Unidade II Conceitos básicos Unidade III Formas farmacêuticas Apresentação da Disciplina e Detalhamento do Plano de Ensino Introdução à Terapêutica Medicamentosa - Importância do estudo Conceituar dose, índice terapêutico, latência, pico de efeito, droga, medicamento, especialidade farmacêutica, placebo e relacionar com a clínica odontológica Sólidas: principais características dos comprimidos, cápsulas e drágeas Líquidas: emulsões, soluções e suspensões Vantagens e desvantagens das soluções injetáveis 1 h 1 h 1 h

2 Unidade IV Prescrição medicamentosa (receituário e receita). Unidade V Vias de administração (enterais e parenterais) Unidade VI- Processos farmacocinéticos e farmacodinâmicos Unidade VII Anestésicos locais Unidade VIII Farmacologia da dor e da inflamação (fisiopatologia) Unidade IX Noções da utilização terapêutica dos analgésicos não-opióides Unidade X Antiinflamatórios não esteroidais Unidade XI Antibióticos em clínicas odontológicas Normas gerais da prescrição de medicamentos não controlados; receituário e receita; partes de uma prescrição; exercícios de como prescrever. Vias enterais (oral, bucal, sublingual e retal): vantagens e desvantagens do uso, principais características de cada via, importância na clínica odontológica Vias parenterais (intramuscular, endovenosa): vantagens e desvantagens do uso, principais características de cada via, importância na clínica odontológica Farmacocinética: Absorção, biodisponibilidade, distribuição e excreção de drogas e a sua importância na clínica odontológica Farmacodinâmica: Relação dose efeito; reações anômalas e efeitos adversos dos medicamentos Composição da solução anestésica; estrutura dos anestésicos locais; classificação; tipos de soluções disponíveis no mercado (nomes genéricos e comerciais); características das soluções anestésicas; fatores que influenciam as soluções anestéicas locais; seleção da solução anestésica; vasoconstritores, doses dos anestésicos locais; metabolização e excreção das soluções anestésicas; efeitos sobre os sistemas nervoso e cardiovascular. Caracterizar dor superficial e profunda; como combater o fenômeno doloroso; controle do fenômeno inflamatório; mecanismo de ação dos antiinflamatórios. Princípios gerais do uso dos analgésicos; classificação; seleção; prescrição; efeitos adversos; especialidades farmacêuticas; aplicação clínica Princípios gerais do uso dos antiinflamatórios; classificação; seleção; prescrição; efeitos adversos; especialidades farmacêuticas; aplicação clínica Conceito; princípios gerais do uso correto; classificação dos antimicrobianos Principais grupos: penicilinas; cefalosporinas; macrolídeos; tetraciclinas, lincosaminas; metronidazol Em cada grupo será estudado: a seleção; tipos; efeitos adversos; especialidades farmacêuticas; aplicação clínica REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 1- HARVEY, R. A.; CHAMPE, P. C. Farmacologia Ilustrada. Porto Alegre: Artmed, 2 a ed. 1998, 478 p. 2- WANNMACHER, L.; FERREIRA, M. B. C. Farmacologia Clínica para Dentistas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan S.A., 2 a ed., 1999, 349 p. 4 hs 2 h 2 hs 4 hs 1 h 4 hs 4 hs 4hs

3 3- ARMONIA, P.L.; TORTAMANO, N. Como Prescrever em Odontologia. Santos, 6 a ed., 2004, 167p. 4- ANDRADE, E.D. Terapêutica Medicamentosa em Odontologia, Artes Médicas, 2006, 2ª ed. 216p. 5- ANSEL, H.C.; PRINCE, S.J. Manual de Cálculos Farmacêuticos, Artmed, 2005, 300p. 6- APPEL, G.; REUS, M. Formulações Aplicadas à Odontologia. RCN, 2 a ed., 6007 p GOLAN, D.E. et al. Princípios de Farmacologia A base Fisiopatológica da Farmacoterapia, Guanabara/Koogan, 2 a ed., 952 p CRAIG, C.R. and STITZEL, R.E. Farmacologia Moderna com Aplicações Clínicas, Guanabara/Koogan, 6 a ed., 815 p GRAHAME-SMITH, D.G. and ARONSON, J.K. Tratado de Farmacologia Clínica e Farmacoterapia, Guanabara/Koogan, 3 a ed., 617 p SONIS, S.T. et al. Princípios e Prática de Medicina Oral, Guanabara/Koogan, 2 a ed., 491p Professor Responsável pela Disciplina de Terapêutica I: Prof, Rubens Rodrigues Filho de contato: Chefe do Departamento: Alfredo Meyer Filho de contato:

4 Programa de Terapêutica I (2011-2) Unidade 1: Introdução à Farmacologia clínica - Importância do estudo Unidade 2: Conceitos básicos a) Dose b) Indice terapêutico c) Medicamento d) Droga e) Especialidades farmacêuticas f) Latência g) Pico de efeito Unidade 3: Prescrição medicamentosa (receituário e receita) a) Normas gerais b) Partes de uma prescrição c) Exercícios de como prescrever Unidade 4: Vias de administração a) Administração enteral (oral, bucal e sublingual) b) Administração parenteral b.1- intramuscular b.2- intravenosa

5 Unidade 5: Processos farmacocinéticos e farmacodinâmicos a) Absorção de drogas b) Biodisponibilidade das drogas c) Distribuição das drogas d) Excreção das drogas e) Relação dose-efeito f) Reações anômalas e efeitos adversos Unidade 6: Farmacologia da dor e da inflamação a) Fisiopatologia da dor b) Fisiopatologia da inflamação Unidade 7: Anestésicos locais a) Definição b) Estrutura química c) Composição d) Classificação e) Mecanismo de ação f) Seleção do anestésico g) Prescrição do anestésico h) Efeitos farmacológicos i) Efeitos sobre o sistema nervoso central e cardiovascular j) Vasoconstritores k) Especialidades farmacêuticas Unidade 8: Analgésicos a) Princípios gerais do uso dos analgésicos b) Classificação c) Analgésicos não-opióides c.1- Classificação

6 c.2- Seleção c.3- Prescrição c.4- Efeitos adversos c.5- Especialidades farmacêuticas Unidade 9: Antiinflamatórios a) Princípios gerais do uso dos antiinflamatórios b) Classificação c) Antiinflamatórios não esteroidais c.1- Classificação c.2- Seleção c.3- Prescrição c.4- Efeitos adversos c.5- Especialidades farmacêuticas Unidade 10: Antimicrobianos a) Conceito b) Princípios gerais do uso correto c) Classificação dos antimicrobianos c.1- Inibidores metabólicos c.2- Inibidores de síntese de parede celular c.3- Inibidores de síntese de proteínas c.4- Inibidores da função ou da síntese de ácidos nucleícos d) Considerações terapêuticas sobre os principais antimicrobianos d.1- Penicilinas d.1.1- Seleção d.1.2- Prescrição d.1.3- Efeitos adversos d.1.4- Tipos

7 d.1.5- Especialidades farmacêuticas d.2- Macrolídeos d.2.1- Seleção d.2.2- Prescrição d.2.3- Efeitos adversos d.2.4- Tipos d.2.5- Especialidades farmacêuticas d.3- Tetraciclinas d.3.1- Seleção d.3.2- Prescrição d.3.3- Efeitos adversos d.3.4- Especialidades farmacêuticas d.4- Cefalosporinas d.4.1- Seleção d.4.2- Prescrição d.4.3- Efeitos adversos d.4.4- Tipos d.4.5- Especialidades farmacêuticas d.5- Metronidazol d.5.1- Seleção d.5.2- Prescrição d.5.3- Efeitos adversos d.5.4- Especialidades farmacêuticas Obs: O estudo das diferentes classes de drogas acima mencionadas será baseado em situações clínicas comuns às diferentes especialidades, que podem ocorrer no consultório, e que necessitarão de prescrição medicamentosa.

8 Florianópolis, 18 de julho de 2011 Prof. Dr. Rubens Rodrigues Filho

CURSO DE ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14

CURSO DE ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 CURSO DE ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 Componente Curricular: FARMACOLOGIA BÁSICA Código: ODO-015 CH Total: 60 horas Pré-requisito:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CCS ODT - CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA P L A N O D E E N S I N O

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CCS ODT - CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA P L A N O D E E N S I N O UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CCS ODT - CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA P L A N O D E E N S I N O DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA Semestre: 2011/2 Nome da disciplina Departamentos: ODT

Leia mais

Hermann Blumenau - Complexo Educacional Curso Técnico em Saúde Bucal FARMACOLOGIA. Professor Bruno Aleixo Venturi

Hermann Blumenau - Complexo Educacional Curso Técnico em Saúde Bucal FARMACOLOGIA. Professor Bruno Aleixo Venturi Hermann Blumenau - Complexo Educacional Curso Técnico em Saúde Bucal FARMACOLOGIA Professor Bruno Aleixo Venturi Farmacologia fármacon: drogas lógos: estudo É a ciência que estuda como os medicamentos

Leia mais

PROF.: FERNANDA BRITO Disciplina Farmacologia. fernandabrito@vm.uff.br

PROF.: FERNANDA BRITO Disciplina Farmacologia. fernandabrito@vm.uff.br PROF.: FERNANDA BRITO Disciplina Farmacologia fernandabrito@vm.uff.br CONCEITOS ABSORÇÃO Passagem da droga do local de administração p/ a corrente sangüínea FÍGADO TGI METABOLISMO PLASMA PULMÃO RIM METABOLISMO

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO MEDICAMENTOSA: VANTAGENS E DESVANTAGENS DAS DIFERENTES VIAS DRUG ADMINISTRATION: ADVANTAGES AND DISADVANTAGES OF DIFFERENT WAYS

ADMINISTRAÇÃO MEDICAMENTOSA: VANTAGENS E DESVANTAGENS DAS DIFERENTES VIAS DRUG ADMINISTRATION: ADVANTAGES AND DISADVANTAGES OF DIFFERENT WAYS ADMINISTRAÇÃO MEDICAMENTOSA: VANTAGENS E DESVANTAGENS DAS DIFERENTES VIAS DRUG ADMINISTRATION: ADVANTAGES AND DISADVANTAGES OF DIFFERENT WAYS MONTANHA, Francisco Pizzolato Docente do curso de Medicina

Leia mais

1ª Série. 5EST222 ESTÁGIO INTEGRATIVO DE BIOMEDICINA I Atividades práticas e de pesquisa nas várias disciplinas da área de biomedicina.

1ª Série. 5EST222 ESTÁGIO INTEGRATIVO DE BIOMEDICINA I Atividades práticas e de pesquisa nas várias disciplinas da área de biomedicina. 1ª Série 5MOR018 ANATOMIA DOS ANIMAIS DE LABORATÓRIO Estudo da anatomia de alguns animais utilizados em laboratório e considerados de grande importância para o futuro profissional biomédico, utilizando-se,

Leia mais

P L A N O D E E N S I N O. Eixo Temático Odontologia/Multidisciplinar Local Serviço de Odontologia Hospitalar, HU/UFSC

P L A N O D E E N S I N O. Eixo Temático Odontologia/Multidisciplinar Local Serviço de Odontologia Hospitalar, HU/UFSC UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE PATOLOGIA P L A N O D E E N S I N O DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA Semestre: 2015/1 Nome da disciplina RMP110027

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: METODOLOGIA DO PROCESSO DE CUIDAR II Código: ENF 204 Pré-requisito: ENF 202

Leia mais

Câmpus de Araçatuba. Plano de Ensino. Docente(s) Suzely Adas Saliba Moimaz, Ronald Jefferson Martins, Renato Moreira Arcieri, Tânia Adas Saliba Rovida

Câmpus de Araçatuba. Plano de Ensino. Docente(s) Suzely Adas Saliba Moimaz, Ronald Jefferson Martins, Renato Moreira Arcieri, Tânia Adas Saliba Rovida Curso ODOI 8 - Odontologia Ênfase Identificação Disciplina SCOI9-I-T/P-A/B - Saúde Coletiva I Docente(s) Suzely Adas Saliba Moimaz, Ronald Jefferson Martins, Renato Moreira Arcieri, Tânia Adas Saliba Rovida

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO DE CIRURGIÕES-DENTISTAS E ACADÊMICOS DE ODONTOLOGIA SOBRE A INDICAÇÃO E A PRESCRIÇÃO DE FÁRMACOS

AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO DE CIRURGIÕES-DENTISTAS E ACADÊMICOS DE ODONTOLOGIA SOBRE A INDICAÇÃO E A PRESCRIÇÃO DE FÁRMACOS AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO DE CIRURGIÕES-DENTISTAS E ACADÊMICOS DE ODONTOLOGIA SOBRE A INDICAÇÃO E A PRESCRIÇÃO DE FÁRMACOS CURITIBA 2015 JENIFFER KULA AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO DE CIRURGIÕES-DENTISTAS

Leia mais

1.1 QUADRO: PERÍODOS, VAGAS E TURNOS

1.1 QUADRO: PERÍODOS, VAGAS E TURNOS ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DO PARÁ ACEPA CENTRO UNIVERSITÁRIO DO ESTADO DO PARÁ CESUPA PROCESSO SELETIVO PARA MATRÍCULAS ESPECIAIS 2015/II CURSO DE ODONTOLOGIA EDITAL Nº 025/2015 1. O Reitor do

Leia mais

ANEXO I DEMOSTRATIVO DE VAGAS POR CARGO, ÁREA DE ATUAÇÃO, PERFIL, ESCOLARIDADE EXIGIDA E LOCALIZAÇÃO.

ANEXO I DEMOSTRATIVO DE VAGAS POR CARGO, ÁREA DE ATUAÇÃO, PERFIL, ESCOLARIDADE EXIGIDA E LOCALIZAÇÃO. ANEXO I DEMOSTRATIVO DE VAGAS POR CARGO, ÁREA DE ATUAÇÃO, PERFIL, ESCOLARIDADE EXIGIDA E LOCALIZAÇÃO. CARGO: ASSISTENTE DE PESQUISA Cód. ÁREA DE ATUAÇÃO N O DE VAGAS POR ÁREA PERFIL 212 Antropologia 2

Leia mais

RESOLUÇÃO. Artigo 4º - Os alunos inseridos no regime anual seguem o currículo previsto na Resolução CONSEPE 38/96, até sua extinção.

RESOLUÇÃO. Artigo 4º - Os alunos inseridos no regime anual seguem o currículo previsto na Resolução CONSEPE 38/96, até sua extinção. RESOLUÇÃO CONSEPE 91/2000 ATERA O CURRÍCULO DO CURSO DE ODONTOLOGIA DO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CCBS. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso de suas atribuições

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE MEDICINA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE MEDICINA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE MEDICINA PLANO DE ENSINO DO MÓDULO Introdução ao estudo da medicina II área do conhecimento Clínica Médica/ Cardiologia (2013/semestre

Leia mais

GRUPO PERINATAL SERVIÇO DE FARMÁCIA EDITAL 02/2014

GRUPO PERINATAL SERVIÇO DE FARMÁCIA EDITAL 02/2014 GRUPO PERINATAL SERVIÇO DE FARMÁCIA EDITAL 02/2014 PROCESSO SELETIVO PARA I CURSO DE CAPACITAÇÃO TÉCNICA EM FARMÁCIA HOSPITALAR COM FOCO EM PERINATOLOGIA E NEONATOLOGIA (NOS MOLDES DE RESIDÊNCIA) PARA

Leia mais

A Cardiopneumologia é a Ciência que estuda a função (fisiologia) e estrutura sistemas cardíaco, vascular e respiratório.

A Cardiopneumologia é a Ciência que estuda a função (fisiologia) e estrutura sistemas cardíaco, vascular e respiratório. Licenciatura Cardiopneumologia Descrição A Cardiopneumologia é a Ciência que estuda a função (fisiologia) e estrutura sistemas cardíaco, vascular e respiratório. O Cardiopneumologista é o profissional

Leia mais

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Bacharelado em Enfermagem Disciplina: Semiologia e Semiotécnica II Professor: Petrúcia Maria de Matos E-mail: petruciamatos@hotmail.com Código: Carga Horária:

Leia mais

Interações medicamentosas na clínica odontológica

Interações medicamentosas na clínica odontológica ARTIGO REVISÃO Interações medicamentosas na clínica odontológica rug interactions in dental clinic Avner Luis Bertollo Cristiano emartini Acadêmicos da Universidade Comunitária da Região de Chapecó Angelo

Leia mais

Prescrição Farmacêutica. Aspectos técnicos e legais

Prescrição Farmacêutica. Aspectos técnicos e legais Bem Vindos! Prescrição Farmacêutica Aspectos técnicos e legais Quem sou? Prof. Dr José Henrique Gialongo Gonçales Bomfim Farmacêutico Bioquímico 1998 Mestre em Toxicologia USP 2003 Doutor em Farmacologia

Leia mais

Cirurgiã Dentista, Especialista em Radiologia, Especializanda em Ortodontia PLANO DE CURSO

Cirurgiã Dentista, Especialista em Radiologia, Especializanda em Ortodontia PLANO DE CURSO C U R S O O D O N T O L O G I A Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 Componente Curricular: RADIOLOGIA Código: ODO-14 Pré-requisito: ANATOMIA

Leia mais

F - ÁREA PROFISSIONAL FARMÁCIA. FARMÁCIA HOSPITALAR E CLÍNICA - InCor. Titulação: Aprimoramento e Especialização

F - ÁREA PROFISSIONAL FARMÁCIA. FARMÁCIA HOSPITALAR E CLÍNICA - InCor. Titulação: Aprimoramento e Especialização F - ÁREA PROFISSIONAL FARMÁCIA FARMÁCIA HOSPITALAR E CLÍNICA - InCor Titulação: Aprimoramento e Especialização Supervisora: Drª Sonia Lucena Cipriano Características: (duração 12 meses) Dirigido a farmacêuticos,

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO BIOMÉDICO FACULDADE DE ODONTOLOGIA COORDENAÇÃO DOS CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO EDITAL

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO BIOMÉDICO FACULDADE DE ODONTOLOGIA COORDENAÇÃO DOS CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO EDITAL UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO BIOMÉDICO FACULDADE DE ODONTOLOGIA COORDENAÇÃO DOS CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO EDITAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CIRURGIA E TRAUMATOLOGIA BUCO-MAXILO- FACIAIS

Leia mais

Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14

Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 C U R S O O D O N T O L O G I A Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 Componente Curricular: CLÍNICA INTEGRADA IV Código: ODO-042 Pré-requisito:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS- UFG INSTITUTO DE QUÍMICA - IQ QUÍMICA AMBIENTAL. Profa.Dra.Núbia Natália de Brito

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS- UFG INSTITUTO DE QUÍMICA - IQ QUÍMICA AMBIENTAL. Profa.Dra.Núbia Natália de Brito UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS- UFG INSTITUTO DE QUÍMICA - IQ QUÍMICA AMBIENTAL Introdução à Química Ambiental. A Química e à Antroposfera: a química ambiental e à química verde Usina Belo Monte-PA Profa.Dra.Núbia

Leia mais

FARMACOLOGIA APLICADA À ODONTOLOGIA EM ATENÇÃO PRIMÁRIA

FARMACOLOGIA APLICADA À ODONTOLOGIA EM ATENÇÃO PRIMÁRIA FARMACOLOGIA APLICADA À ODONTOLOGIA EM ATENÇÃO PRIMÁRIA Maria Beatriz Cardoso Ferreira Departamento de Farmacologia Instituto de Ciências Básicas da Saúde - UFRGS Paciente de 68 anos procura atendimento

Leia mais

Matriz Curricular. Carga Horária. Unidades Acadêmicas. Período

Matriz Curricular. Carga Horária. Unidades Acadêmicas. Período Matriz Curricular Período 1º Unidades Acadêmicas UAI: Introdução ao Estudo da Odontologia Conhecer a estrutura do indivíduo nas suas bases biomoleculares e celulares quanto às propriedades e interrelações

Leia mais

O ENSINO DO HANDEBOL NA ESCOLA: UMA PROPOSTA DE SISTEMATIZAÇÃO DOS CONTEÚDOS

O ENSINO DO HANDEBOL NA ESCOLA: UMA PROPOSTA DE SISTEMATIZAÇÃO DOS CONTEÚDOS O ENSINO DO HANDEBOL NA ESCOLA: UMA PROPOSTA DE SISTEMATIZAÇÃO DOS CONTEÚDOS Resumo Scheila Medina 1 - PUCPR Luís Rogério de Albuquerque 2 - PUCPR Grupo de Trabalho - Didática: Teorias, Metodologias e

Leia mais

CURSO ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 P L A N O D E C U R S O

CURSO ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 P L A N O D E C U R S O FACULDADE INDEPENDENE DO NORDESE CURSO ODONOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 Componente Curricular: HISOLOGIA BUCO-DENAL Código:ODO

Leia mais

Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 PLANO DE CURSO

Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 PLANO DE CURSO C U R S O O D O N T O L O G I A Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 Componente Curricular: Diagnóstico Oral Código: ODO-020 Pré-requisito:

Leia mais

Administração de Medicamentos. Professora Daniele Domingues dani.dominguess@gmail.com

Administração de Medicamentos. Professora Daniele Domingues dani.dominguess@gmail.com Professora Daniele Domingues dani.dominguess@gmail.com FATORES QUE DETERMINAM A ESCOLHA VIA Tipo de ação desejada Rapidez de ação desejada Natureza do medicamento CLASSIFICAÇÃO Enterais Parenterais Tópica

Leia mais

FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA Instituição Adventista Nordeste Brasileira de Educação e Assistência Social CURSO DE ODONTOLOGIA

FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA Instituição Adventista Nordeste Brasileira de Educação e Assistência Social CURSO DE ODONTOLOGIA MATRIZ CURRICULAR - FADBA Período Núcleos Componente curricular Créditos Anatomia geral 1º período Básica Bioquímica Citologia, Histologia e Embriologia Humanas 5 72 18 90 Políticas de Saúde Anatomia e

Leia mais

Faculdade de Imperatriz FACIMP

Faculdade de Imperatriz FACIMP Faculdade de Imperatriz FACIMP Disciplina: Farmacologia Prof. Dr. Paulo Roberto da Silva Ribeiro 5 o Período de Farmácia e Bioquímica 1 o Semestre de 2007 Prof. Paulo Roberto 1 FARMACOLOGIA 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

Especialização Profissional de Nível Técnico de. Enfermagem em Instrumentação Cirúrgica, Centro Cirúrgico e Central de Material e Esterilização

Especialização Profissional de Nível Técnico de. Enfermagem em Instrumentação Cirúrgica, Centro Cirúrgico e Central de Material e Esterilização Nome da Instituição : SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC - SP CNPJ: 03.709.814/0001-98 Data: 09 de maio de 2002 Número do Plano: 60 Área do Plano: Saúde - Subárea Enfermagem PLANO DE CURSO

Leia mais

Currículo vitae. Flávia Cristina Rodrigues da Silva

Currículo vitae. Flávia Cristina Rodrigues da Silva 1 Currículo vitae Flávia Cristina Rodrigues da Silva 2 SUMÁRIO 01-DADOS PESSOAIS 02-DOCUMENTAÇÃO 03-ESCOLARIDADE 04-PARTICIPAÇÃO EM CURSOS E CONGRESSOS 05-APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS CIENTÍFICOS 06-APERFEIÇOAMENTO

Leia mais

18/2/2013. Profª Drª Alessandra Camillo S. C. Branco PRESCRIÇÃO OU RECEITA MÉDICA TIPOS DE RECEITAS PRESCRIÇÃO OU RECEITA MÉDICA TIPOS DE RECEITAS

18/2/2013. Profª Drª Alessandra Camillo S. C. Branco PRESCRIÇÃO OU RECEITA MÉDICA TIPOS DE RECEITAS PRESCRIÇÃO OU RECEITA MÉDICA TIPOS DE RECEITAS PRESCRIÇÃO MÉDICA Profª Drª Alessandra Camillo S. C. Branco PRESCRIÇÃO OU RECÉITA MÉDICA CONCEITO Solicitação escrita, com instruções detalhadas, sobre o medicamento a ser dado ao paciente: Quantidade

Leia mais

Governo do Município de Conselheiro Lafaiete Gabinete do Prefeito

Governo do Município de Conselheiro Lafaiete Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 246, DE 19 DE JANEIRO DE 2015. COMPLEMENTA OS ANEXOS DOS DECRETOS Nº 80 DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009, E Nº 86, DE 1º DE DEZEMBRO DE 2009, QUE ESPECIFICA AS ATRIBUIÇÕES DE S EFETIVOS DO QUADRO DE

Leia mais

Evolução do Protocolo Padrão de Profilaxia Antibiótica à Endocardite Bacteriana

Evolução do Protocolo Padrão de Profilaxia Antibiótica à Endocardite Bacteriana Evolução do Protocolo Padrão de Profilaxia Antibiótica à Endocardite Bacteriana Aline de Assis Costa Universidade Severino Sombra, Centro de Ciências da Saúde, Acadêmica do Curso de Odontologia da USS,

Leia mais

www.anvisa.gov.br INFORME TÉCNICO SOBRE A RDC Nº20/2011

www.anvisa.gov.br INFORME TÉCNICO SOBRE A RDC Nº20/2011 INFORME TÉCNICO SOBRE A RDC Nº20/2011 Orientações de procedimentos relativos ao controle de medicamentos à base de substâncias classificadas como antimicrobianos, de uso sob prescrição, isoladas ou em

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 885, DE 2015

PROJETO DE LEI N.º 885, DE 2015 COMISSÃO DE EDUCAÇÃO PROJETO DE LEI N.º 885, DE 2015 Dispõe sobre a obrigatoriedade da concessão de Kit básico de Higiene pessoal nas escolas públicas e dá outras. Autor: Deputado MÁRIO HERINGER Relator:

Leia mais

Sedação um coadjuvante importante na Odontologia moderna.

Sedação um coadjuvante importante na Odontologia moderna. Sedação um coadjuvante importante na Odontologia moderna. Sedação em Odontologia Várias técnicas de sedação moderada ou consciente estão presentes no sentido de proporcionar um conforto com diminuição

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA DE CAMPOS

FACULDADE DE MEDICINA DE CAMPOS F.B.P.N. FACULDADE DE MEDICINA DE CAMPOS Bases da Anatomia - Sustentação 005.006.001/16.508 C.A.P PLANO DE CURSO 1º período - 2014 I. IDENTIFICAÇÃO: FACULDADE DE MEDICINA DE CAMPOS DISCIPLINA: ANATOMIA

Leia mais

EDITAL nº 103/2009 - ANEXO I CONCURSO PÚBLICO PARA O MAGISTÉRIO SUPERIOR DA UEA. Escola Superior de Ciências da Saúde

EDITAL nº 103/2009 - ANEXO I CONCURSO PÚBLICO PARA O MAGISTÉRIO SUPERIOR DA UEA. Escola Superior de Ciências da Saúde EDITAL nº 103/2009 - ANEXO I CONCURSO PÚBLICO PARA O MAGISTÉRIO SUPERIOR DA UEA Escola Superior de Ciências da Saúde Período de Inscrição: 18 de janeiro de 2010 a 19 de fevereiro de 2010. Local de Inscrição:

Leia mais

Dia Data Hora Professor Sala Conteúdo Módulo 08:00 Tiago 104 D Principais neoplasias ginecológicas e lesões precursoras SEGUNDA 23/2/2015

Dia Data Hora Professor Sala Conteúdo Módulo 08:00 Tiago 104 D Principais neoplasias ginecológicas e lesões precursoras SEGUNDA 23/2/2015 PLANILHA GERAL - BASES BIOLÓGICAS DA PRÁTICA MÉDICA IV 1º 2015 Dia Data Hora Professor Sala Conteúdo Módulo 08:00 Tiago Principais neoplasias ginecológicas e lesões precursoras SEGUNDA 23/2/2015 08:55

Leia mais

Orientação ao(à) Cursista

Orientação ao(à) Cursista Prezados (as) Colegas, Com o objetivo de propiciar a todos(as) os participantes do Programa de Prevenção a Dependência Química, elaboramos um cuidado roteiro de estudos e orientações, incluindo questões

Leia mais

SOCIEDADE UNIVERSITÁRIA REDENTOR FACULDADE REDENTOR EDITAL PARA VAGAS DE MONITORIAS 2015-01

SOCIEDADE UNIVERSITÁRIA REDENTOR FACULDADE REDENTOR EDITAL PARA VAGAS DE MONITORIAS 2015-01 EDITAL PARA VAGAS DE MONITORIAS 2015-01 Pelo presente edital ficam estabelecidas as regras para as vaga de monitorias, disponíveis nas seguintes áreas para atuação na Faculdade Redentor: Remuneradas -

Leia mais

Rua Dr. Cesário Motta Jr., 61- CEP: 01221-020 - São Paulo - SP. Telefone: (55 11) 3367-7700 www.fcmscsp.edu.br

Rua Dr. Cesário Motta Jr., 61- CEP: 01221-020 - São Paulo - SP. Telefone: (55 11) 3367-7700 www.fcmscsp.edu.br Período: 06 de Fevereiro a 26 de Novembro DEPARTAMENTO DE PSIQUIATRIA E PSICOLOGIA DISCIPLINA PSICOLOGIA MÉDICA II 2º ANO 2012 Coordenador da Disciplina: Prof Dr Ricardo Uchida Co-Responsável: Dr. Isaac

Leia mais

Dexagil dexametasona + tiamina + piridoxina + cianocobalamina Sistema Músculo-esquelético

Dexagil dexametasona + tiamina + piridoxina + cianocobalamina Sistema Músculo-esquelético Dexagil dexametasona + tiamina + piridoxina + cianocobalamina Sistema Músculo-esquelético COMPRIMIDOS REVESTIDOS Forma farmacêutica e apresentação Comprimidos revestidos - caixa contendo 20 comprimidos.

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL JATAÍ PLANO DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL JATAÍ PLANO DE ENSINO Página 1 de 5 PLANO DE ENSINO I. IDENTIFICAÇÃO Unidade Acadêmica: Unidade Acadêmica de Letras, Ciências Humanas e Sociais Aplicada da Regional Jataí Curso: Direito Disciplina: Direito Civil VI Direito

Leia mais

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAL PARA FUNÇÕES PÚBLICAS NO ÂMBITO DA PREFEITURA DE CABECEIRA GRANDE-MG EDITAL 1/2016

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAL PARA FUNÇÕES PÚBLICAS NO ÂMBITO DA PREFEITURA DE CABECEIRA GRANDE-MG EDITAL 1/2016 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAL PARA FUNÇÕES PÚBLICAS NO ÂMBITO DA PREFEITURA DE CABECEIRA GRANDE-MG EDITAL 1/2016 ANEXO III DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO FUNÇÕES PÚBLICAS DE NÍVEL

Leia mais

CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 PLANO DE CURSO

CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 PLANO DE CURSO CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 Componente Curricular: Fisioterapia em Geriatria Código: Fisio 229 Pré-requisito: -------- Período Letivo:

Leia mais

Mostra de Iniciação Científica em Odontologia

Mostra de Iniciação Científica em Odontologia REVISTA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA EM ODONTOLOGIA Mostra de Iniciação Científica em Odontologia REGRAS E INSTRUÇÕES AOS AUTORES 1. Serão somente aceitos trabalhos que tenham sido desenvolvidos na área de

Leia mais

FARMÁCIA. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC

FARMÁCIA. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC FARMÁCIA Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: FARMÁCIA Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo Calvo Galindo Base legal da Mantenedora

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DELIBERAÇÃO Nº 13/2013 Altera as ementas das disciplinas Estágio Supervisionado (QUI08-09530) e Projetos de Processos na Indústria Química I (QUI08-09545). O CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E ETENSÃO,

Leia mais

Matriz Curricular Atual

Matriz Curricular Atual Faculdades INTA Centro de Ciências da Saúde Curso de Nutrição Matriz Curricular Atual (Em vigor desde Janeiro de 2012) NIVELAMENTO Nº 0 Português Instrumental 45-45 03-1º SEMESTRE 1. Anatomia Humana I

Leia mais

Concentração no local do receptor

Concentração no local do receptor FARMACOCINÉTICA FARMACOCINÉTICA O que o organismo faz sobre a droga. FARMACODINÂMICA O que a droga faz no organismo. RELAÇÕES ENTRE FARMACOCINÉTICA E FARMACODINÂMICA DROGA ORGANISMO FARMACOCINÉTICA Vias

Leia mais

Módulo:Princípios de Farmacologia

Módulo:Princípios de Farmacologia Módulo:Princípios de Farmacologia Vias de Administração de Fármacos Prof. Dr. Ronaldo A. Ribeiro! "! # ",-( $% & ' ADMINIS TRAÇÃO COM ABSORÇÃO ABSORÇÃO ADMINIS TRAÇÃO SEM ABS ORÇÃO Memb rana Tecidos: gordura,

Leia mais

Ficha da Unidade Curricular (UC)

Ficha da Unidade Curricular (UC) Impressão em: 03-01-2013 17:12:46 Ficha da Unidade Curricular (UC) 1. Identificação Unidade Orgânica : Escola Superior de Tecnologia e Gestão Curso : [IS] Informática para a Saúde Tipo de Curso : UC/Módulo

Leia mais

Agenda de Investigação no âmbito do Plano Nacional de Saúde e Programas Nacionais de Saúde Prioritários

Agenda de Investigação no âmbito do Plano Nacional de Saúde e Programas Nacionais de Saúde Prioritários Agenda de Investigação no âmbito do Plano Nacional de Saúde e Programas Nacionais de Saúde Prioritários Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, IP Lisboa, 2013 Relator: Natércia Miranda ENQUADRAMENTO

Leia mais

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA EDITAL N.028/2014 O Município de Itabira, através da Secretaria Municipal de Saúde, torna público que estão abertas as inscrições para o Processo

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular CONTABILIDADE FINANCEIRA Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular CONTABILIDADE FINANCEIRA Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular CONTABILIDADE FINANCEIRA Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Economia 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

Componente Curricular: ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ODONTOLOGIA I PLANO DE CURSO

Componente Curricular: ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ODONTOLOGIA I PLANO DE CURSO CURSO DE ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 Componente Curricular: ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ODONTOLOGIA I Código: ODO-039 Pré-requisito:

Leia mais

ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NA ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS

ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NA ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO EQUIPE MULTIPROFISSIONAL DE TERAPIA NUTRICIONAL - EMTN ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NA ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS Enfª Danielli Soares Barbosa Membro do Grupo

Leia mais

EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA - Disciplina semestral 32 aulas previstas

EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA - Disciplina semestral 32 aulas previstas EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA 3ºCICLO DO ENSINO BÁSICO CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 7.ºANO EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA - Disciplina semestral 32 aulas previstas CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Os Conteúdos Programáticos estão enunciados

Leia mais

cloridrato de donepezila Comprimido revestido - 5 mg Comprimido revestido - 10 mg

cloridrato de donepezila Comprimido revestido - 5 mg Comprimido revestido - 10 mg cloridrato de donepezila Comprimido revestido - 5 mg Comprimido revestido - 10 mg BULA PARA PACIENTE Bula de acordo com a Resolução-RDC nº 47/2009 cloridrato de donepezila Medicamento genérico Lei nº 9.787,

Leia mais

CURSO DE ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.

CURSO DE ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág. CURSO DE ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 Componente Curricular: CLÍNICA INTEGRADA II Código: ODO-031 Pré-requisito: Clínica

Leia mais

ODONTOLOGIA BIOSSEGURANÇA E ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL ODONTOLOGICA 3º Período / Carga Horária: 72 Horas

ODONTOLOGIA BIOSSEGURANÇA E ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL ODONTOLOGICA 3º Período / Carga Horária: 72 Horas ODONTOLOGIA BIOSSEGURANÇA E ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL ODONTOLOGICA 3º Período / Carga Horária: 72 Horas 1. PRÉ-REQUISITO: Não há pré-requisito 2. EMENTA: Estudar a definição, histórico, aplicações, simbologia

Leia mais

Prova para o Título de Especialista em Farmácia Hospitalar SBRAFH 2009

Prova para o Título de Especialista em Farmácia Hospitalar SBRAFH 2009 Prova para o Título de Especialista em Farmácia Hospitalar SBRAFH 2009 1. Para um paciente que apresenta alergia a penicilina cristalina, uma alternativa terapêutica seria: a) cefalotina b) amoxicilina

Leia mais

11º Simpósio Mineiro de Enfermagem e Farmácia em Oncologia Segurança na Terapia Intravenosa

11º Simpósio Mineiro de Enfermagem e Farmácia em Oncologia Segurança na Terapia Intravenosa 11º Simpósio Mineiro de Enfermagem e Farmácia em Oncologia Segurança na Terapia Intravenosa Bruno Viana de Andrade Enfermeiro do Serviço de Oncologia do Hospital Mater Dei Belo Horizonte MG 2014 História

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE ODONTOLOGIA. Reconhece a Acupuntura, a Homeopatia e a Odontologia do Esporte como especialidades odontológicas.

CONSELHO FEDERAL DE ODONTOLOGIA. Reconhece a Acupuntura, a Homeopatia e a Odontologia do Esporte como especialidades odontológicas. CONSELHO FEDERAL DE ODONTOLOGIA RESOLUÇÃO CFO-160, DE 2 DE OUTUBRO DE 2015 Reconhece a Acupuntura, a Homeopatia e a Odontologia do Esporte como especialidades odontológicas. O presidente do Conselho Federal

Leia mais

Plano de Ensino 1. IDENTIFICAÇÃO: UNIDADE DE CIRURGIA BUCO MAXILAR III

Plano de Ensino 1. IDENTIFICAÇÃO: UNIDADE DE CIRURGIA BUCO MAXILAR III MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO FACULDADE DE ODONTOLOGIA DEPARTAMENTO DE CIRURGIA, TRAUMATOLOGIA E PRÓTESE BUCO-MAXILO-FACIAIS Plano de Ensino 1. IDENTIFICAÇÃO:

Leia mais

Sinonímia Alterações Herdadas e Congênitas Defeitos de Desenvolvimento da Região Maxilofacial e Oral

Sinonímia Alterações Herdadas e Congênitas Defeitos de Desenvolvimento da Região Maxilofacial e Oral Sinonímia Alterações Herdadas e Congênitas Defeitos de Desenvolvimento da Região Maxilofacial e Oral Doença Hereditária: é um desvio da normalidade transmitidos por genes e que podem estar presentes ou

Leia mais

FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO - Processo Seletivo para Preceptoria dos Programas de Residência em Área Profissional da Saúde Seleção 2015/2

FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO - Processo Seletivo para Preceptoria dos Programas de Residência em Área Profissional da Saúde Seleção 2015/2 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO - Processo Seletivo para Preceptoria dos Programas de Residência em Área Profissional da Saúde Seleção 2015/2 Nº da Inscrição: Vaga a que concorre: Nº Preenchimento exclusivo da

Leia mais

1996 1997 1998 1999 2000 131,22 138,1 152,36 167,23 179,31

1996 1997 1998 1999 2000 131,22 138,1 152,36 167,23 179,31 GANHOS DA INDÚSTRIA E GASTOS DO GOVERNO: MEDIDAS PROMOVIDAS PELO GOVERNO DA ESPANHA COM OBJETIVO DE. - MEDICAMENTOS GENÉRICOS - PREÇOS DE REFERÊNCIA INTRODUÇÃO 1 Em nossa viagem à Espanha tivemos a oportunidade

Leia mais

RESIDÊNCIA MÉDICA EM NEFROLOGIA

RESIDÊNCIA MÉDICA EM NEFROLOGIA RESIDÊNCIA MÉDICA EM NEFROLOGIA 2010 2 DISCIPLINA DE NEFROLOGIA DEPARTAMENTO DE CLÍNICA MÉDICA FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU - UNESP 1. INTRODUÇÂO O Programa de Residência de Nefrologia da Disciplina

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ODONTOLOGIA Atividades Complementares Atividades extracurriculares desenvolvidades pelo aluno durante os 10 semestres do curso, nas áreas de ensino, pesquisa

Leia mais

MUNICIPIO DE RODEIO ESTADO DE SANTA CATARINA

MUNICIPIO DE RODEIO ESTADO DE SANTA CATARINA RETIFICAÇÃO Nº 01 AO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO Nº 01/2014 PAULO ROBERTO WEISS, PREFEITO MUNICIPAL, no uso de suas atribuições legais, nos termos do artigo 37 da Constituição Federal e Lei Orgânica Municipal,

Leia mais

UNIVERSIDADE IGUAÇU FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE FISIOTERAPIA. Estrutura curricular ou matriz curricular

UNIVERSIDADE IGUAÇU FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE FISIOTERAPIA. Estrutura curricular ou matriz curricular UNIVERSIDADE IGUAÇU FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE FISIOTERAPIA Estrutura curricular ou matriz curricular O curso foi estruturado com base nas Diretrizes Curriculares para Fisioterapia

Leia mais

MEDICAMENTOS CONTROLADOS INFORMAÇÕES PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE S ESAB SUS SUVISA

MEDICAMENTOS CONTROLADOS INFORMAÇÕES PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE S ESAB SUS SUVISA MEDICAMENTOS CONTROLADOS INFORMAÇÕES PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE S ESAB SUS SUVISA 2005 Secretaria da Saúde do Estado da Bahia, Superintendência de Vigilância e Proteção da Saúde, Diretoria de Vigilância

Leia mais

ENFERMAGEM HOSPITALAR Manual de Normas, Rotinas e Procedimentos Sumário ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE DE ENFERMAGEM

ENFERMAGEM HOSPITALAR Manual de Normas, Rotinas e Procedimentos Sumário ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM HOSPITALAR Sumário ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE DE ENFERMAGEM Chefia do Serviço de Enfermagem Supervisor de Enfermagem Enfermeiro Encarregado de Unidade/Setor Enfermeiros em Unidade de Terapia Intensiva

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO Biologia Geral, Citologia e Genética Estudo da célula, seus componentes e relação com as funções

Leia mais

PRÉ REQUISITOS* DA MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENFERMAGEM. 1º Semestre Pré requisito. Estar regularmente matriculado no curso de bacharelado em

PRÉ REQUISITOS* DA MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENFERMAGEM. 1º Semestre Pré requisito. Estar regularmente matriculado no curso de bacharelado em PRÉ REQUISITOS* DA MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENFERMAGEM 1º Semestre Pré requisito bacharelado em Metodologia da Pesquisa aplicada à Saúde Embriologia Humana Biologia Celular Psicologia Sociologia Produção

Leia mais

HEMODIÁLISE: técnica x legislação

HEMODIÁLISE: técnica x legislação SOBEN Associação Brasileira de Enfermagem em Nefrologia HEMODIÁLISE: técnica x legislação VALQUIRIA GRECO ARENAS Mestre em Ciências USP/SP Especialista em Nefrologia Innovare Assessoria e Consultoria Ltda

Leia mais

14 DE JUNHO DE 2009 ESPIRITUALIDADE, FÉ E PRECE COMO RECURSOS TERAPÊUTICOS DOS HOSPITAIS MODERNOS

14 DE JUNHO DE 2009 ESPIRITUALIDADE, FÉ E PRECE COMO RECURSOS TERAPÊUTICOS DOS HOSPITAIS MODERNOS 14 DE JUNHO DE 2009 ESPIRITUALIDADE, FÉ E PRECE COMO RECURSOS TERAPÊUTICOS DOS HOSPITAIS MODERNOS As implicações da espiritualidade na saúde vêm sendo, cientificamente, avaliadas e documentadas em centenas

Leia mais

TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia

TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia Disciplina A Disciplina B Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Currículo 64823 MICROBIOLOGIA GERAL 17/34 ODONTOLOGIA MICROBIOLOGIA

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico Etec PROF. MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Eixo Tecnológico: AMBIENTE E SAÚDE Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de TÉCNICO EM FARMÁCIA

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 PLANO DE CURSO

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 PLANO DE CURSO CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: BIOSSEGURANÇA Código: ENF- 307 Pré-requisito: Nenhum Período Letivo: 2013.1

Leia mais

Sistemas de Apoio à Decisão

Sistemas de Apoio à Decisão Sistemas de Apoio à Decisão Processo de tomada de decisões baseia-se em informação toma em consideração objectivos toma em consideração conhecimento sobre o domínio. Modelar o processo de tomada de decisões

Leia mais

Estrutura Curricular do Curso de Medicina Habilitação: Bacharel em Medicina Carga Horária: 8220 horas Regime: Semestral Turno de Aplicação: Integral

Estrutura Curricular do Curso de Medicina Habilitação: Bacharel em Medicina Carga Horária: 8220 horas Regime: Semestral Turno de Aplicação: Integral FAHESA - Faculdade de Ciências Humanas, Econômicas e da Saúde de Araguaína. ITPAC - INSTITUTO TOCANTINENSE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS LTDA. Av. Filadélfia, 568 Setor Oeste Araguaína TO CEP 77.816-540 Fone:

Leia mais

BULA DE NALDECON DIA Comprimidos

BULA DE NALDECON DIA Comprimidos BULA DE NALDECON DIA Comprimidos NALDECON DIA paracetamol 800mg cloridrato de fenilefrina 20mg Sem anti-histamínico Não causa sonolência COMBATE OS SINTOMAS DA GRIPE Dores em geral Febre Congestão nasal

Leia mais

Infecção do trato urinário Resumo de diretriz NHG M05 (terceira revisão, junho 2013)

Infecção do trato urinário Resumo de diretriz NHG M05 (terceira revisão, junho 2013) Infecção do trato urinário Resumo de diretriz NHG M05 (terceira revisão, junho 2013) Van Pinxteren B, Knottnerus BJ, Geerlings SE, Visser HS, Klinkhamer S, Van der Weele GM, Verduijn MM, Opstelten W, Burgers

Leia mais

HABILITAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO DE TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO

HABILITAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO DE TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO ETEC TAKASHI MORITA HABILITAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO DE TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO PLANO TRABALHO DOCENTE 2º SEMESTRE 2013 ETEC TAKACHI MORITA 1 INDICE 1º MÓDULO pagina Fundamentos

Leia mais

SELEÇÃO INTERNA DE PROFESSORES. Curso de Medicina EDITAL DE SELEÇÃO

SELEÇÃO INTERNA DE PROFESSORES. Curso de Medicina EDITAL DE SELEÇÃO SELEÇÃO INTERNA DE PROFESSORES Curso de Medicina EDITAL DE SELEÇÃO A coordenadora do curso de Medicina, Profa. Alessandra Duarte Clarizia, nos termos das regras fixadas pela Pró-Reitoria de Graduação do

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM COMO ELEMENTO DE SEPARAÇÃO E REFORÇO EM MURO DE GABIÃO NA OBRA LINHA VERMELHA FASE I SÃO CRISTOVÃO ILHA DO GOVERNADOR

UTILIZAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM COMO ELEMENTO DE SEPARAÇÃO E REFORÇO EM MURO DE GABIÃO NA OBRA LINHA VERMELHA FASE I SÃO CRISTOVÃO ILHA DO GOVERNADOR UTILIZAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM COMO ELEMENTO DE SEPARAÇÃO E REFORÇO EM MURO DE GABIÃO NA OBRA LINHA VERMELHA FASE I SÃO CRISTOVÃO ILHA DO GOVERNADOR Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Colaboração:

Leia mais

JUSTIÇA FEDERAL DO RIO. Fluxus - Controle de Documentos e Processos Administrativos, Físicos e Virtuais

JUSTIÇA FEDERAL DO RIO. Fluxus - Controle de Documentos e Processos Administrativos, Físicos e Virtuais JUSTIÇA FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE Fluxus - Controle de Documentos e Processos Administrativos, Físicos e Virtuais Existe duas possibilidades de cadastramento de um documento virtual: A partir de um

Leia mais

AUTOR: Jansen Ramos Campos SESI/DR/PB

AUTOR: Jansen Ramos Campos SESI/DR/PB PROGRAMA DE INCENTIVO AO ESTILO DE VIDA ATIVO E SAUDÁVEL PARA COLABORADORES DA EMPRESA ALPARGATAS, ATRAVÉS DA PRÁTICA DA CAMINHADA E DA CORRIDA SUPERVISIONADA AUTOR: Jansen Ramos Campos SESI/DR/PB Campina

Leia mais

Normas para concessão de auxílio a discentes do Programa com recursos do Programa de Excelência PROEX.

Normas para concessão de auxílio a discentes do Programa com recursos do Programa de Excelência PROEX. Normas para concessão de auxílio a discentes do Programa com recursos do Programa de Excelência PROEX. 1 Finalidade: Apoiar a participação de discentes do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química

Leia mais

Odontologia em Pacientes Portadores de Dispositivos Cardíacos Eletrônicos Implantáveis (DCEI)

Odontologia em Pacientes Portadores de Dispositivos Cardíacos Eletrônicos Implantáveis (DCEI) Relampa 2009 22(3):125-129. Artigo de Revisão Odontologia em Pacientes Portadores de Dispositivos Cardíacos Eletrônicos Implantáveis (DCEI) Marcelo MARRA 1 Otaviano SILVA JÚNIOR 1 Vanessa Caldeira PEREIRA

Leia mais

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO DE PROVAS E TÍTULOS PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE PROFESSOR DA EDUCAÇÃO SUPERIOR EDITAL N 104/2015 UNEMAT

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO DE PROVAS E TÍTULOS PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE PROFESSOR DA EDUCAÇÃO SUPERIOR EDITAL N 104/2015 UNEMAT PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO DE PROVAS E TÍTULOS PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE PROFESSOR DA EDUCAÇÃO SUPERIOR EDITAL N 104/2015 UNEMAT A, no uso de suas atribuições legais e em cumprimento das normas

Leia mais

Conceituar Direito em seus aspectos ideológico e científico à luz das doutrinas sobre o assunto;

Conceituar Direito em seus aspectos ideológico e científico à luz das doutrinas sobre o assunto; 1. IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DA DISCIPLINA: D-01 PERÍODO: 1 o. CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO NOME DO CURSO: DIREITO 2.

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: AMBIENTE E SAÚDE Habilitação Profissional: TÉCNICO EM ENFERMAGEM Qualificação:

Leia mais