TROCANDO IDEIAS SOBRE A OBRA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TROCANDO IDEIAS SOBRE A OBRA"

Transcrição

1

2 Ideias sobre a obra 2 TROCANDO IDEIAS SOBRE A OBRA (ALUNOS SENTADOS EM CÍRCULO) ABORDAGEM GERAL Cite outros títulos que o livro Memórias de um dicionário poderia ter. A turma vai eleger o mais interessante. Em que cenários se desenrola a história? Qual deles é o predominante? Se você escrevesse um livro sobre um dicionário, o que abordaria? Aproximadamente, em que intervalo de tempo a história se desenrola? Quem narra a história? Qual das alternativas define o narrador da obra? Narrador-personagem - Na primeira pessoa, relata os fatos de acordo com seu ponto de vista. Narrador-observador observador - Na terceira pessoa, não participa da ação e só narra os fatos, não mostrando o que os personagens pensam e sentem. Narrador-oniscente oniscente - Na terceira pessoa, não participa da ação, mas revela o que os personagens pensam e sentem. Como você classificaria a linguagem da obra: urbana ou regional? Que apelido foi dado ao personagem principal? Que outro apelido você daria a ele? Faça uma pergunta ao personagem principal. Um outro aluno responderá. Faça um elogio ao personagem principal. Agora faça uma crítica a ele. Um outro aluno defenderá o personagem. Você se acha parecido com algum dos personagens? Justifique. Em alguma situação da sua vida, você se sentiu como Big? Em grupo, escolha um personagem da história e faça sua descrição, acrescentando informações que não constam do livro. Em grupo, use a criatividade e inclua um novo personagem na obra, descrevendo sua personalidade e como atuará na história. Se você fosse participar de uma peça teatral com base na obra, que personagem você gostaria de interpretar? Por quê? Na sua opinião, qual é a parte mais interessante da história? E a menos interessante? E a mais engraçada? A mais emotiva? A mais triste? A mais surpreendente? Cite passagens onde se nota a presença de medo/decepção / preconceito / amizade / resignação/ euforia / ciúme / solidariedade / preconceito / tristeza / alegria / religiosidade. Tente lembrar algumas situações embaraçosas por que passou o dicionário. Você acha que alguma passagem da história está longe de acontecer na vida real? Explique. Cite uma frase ou parágrafo que chamou sua atenção durante a leitura. Justifique.

3 Guia de Atividades - Memórias de um dicionário Alguma passagem da obra lida fez você lembrar um fato da sua vida? Qual? Que mensagens você acha que o autor quis passar para os leitores? Na sua opinião, qual é a mais importante delas? Que perguntas você faria ao autor da obra? Que críticas você faria? Que modificações você proporia para uma nova edição da obra? Cite um aspecto positivo da obra. Cite um aspecto negativo. O que você sabe sobre o autor da obra? CAPÍTULO O1 Como a história se inicia? Como o dicionário se apresenta? Que outras características você acrescentaria ao dicionário? Onde se encontra o dicionário quando ele conta sua história? Por que Big espera que os livros de literatura não fiquem magoados com ele? Como ele vê a literatura? Como um livro se sente nas estantes de uma loja? Como você explicaria o que ele chama de momento da libertação? Na vida de uma adolescente, o que seria esse momento? Quem era considerado o pajé da tribo? Por quê? Que critério adotava o livro de psicologia para elogiar ou criticar uma pessoa que se aproximava da estante? Você acha que este critério tem fundamento? Justifique. Você tem algum critério parecido para julgar as pessoas que se aproximam? Naquele momento da compra, você imaginava que se tratava de um garoto de apenas cinco anos? Como você via o neto do velho Almeida? Como o dicionário reagiu quando soube a idade de Miguel? O que o livro de psicologia falou sobre isso? CAPÍTULO O2 Que ambiente o dicionário encontrou ao chegar à casa de Miguel? Como era o menino aos cinco anos? Como era o relacionamento de Miguel e o dicionário naquela época? Com tamanha indiferença do menino para com o dicionário, por que este não se desesperava? Como as outras pessoas da casa tratavam o dicionário? Que brinquedo recebia especial atenção de Miguel? E você? Existe ou existiu um brinquedo especial na sua vida? 3

4 Como Big se sentia em relação ao Spaceboy? Como você se sentiria se fosse Big? Use sua imaginação e crie um diálogo entre o dicionário e o boneco. Como era a tal ponte invisível que Big acreditava haver entre ele e Miguel? O que aconteceu de positivo quando a bola derrubou o dicionário da prateleira? Após o episódio da queda, Miguel e Big passaram a ser grandes companheiros? Como o dicionário reagiu? Como você teria reagido? Qual foi a primeira reação de Big diante do minidicionário? Um ser humano teria reagido da mesma forma? Como você teria reagido? Por que Big passou a ver o rival de forma diferente algum tempo depois? Como Big via o computador, de forma geral? E como ele via os jogos eletrônicos? Você acha que Big foi radical em relação aos jogos eletrônicos? Justifique. Com a ajuda de um colega, crie uma discussão entre Big e Miguel acerca dos jogos eletrônicos. Segundo Big, quais as duas etapas que marcaram a infância de Miguel? E você? Que etapas marcaram a sua infância? Como os pais de Miguel reagiram diante dos jogos eletrônicos? O que você teria feito no papel de responsável? O que Mônica fez para tentar motivar o irmão a se desligar um pouco daqueles jogos? Você acha que ela agiu de forma acertada? Você costuma passar tempo exagerado brincando no computador ou no videogame? O que pode fazer em relação a isso? Como organizar um horário para que os jogos e brincadeiras não atrapalhem os estudos? Que benefícios você acredita que trazem os jogos eletrônicos? E que prejuízos? Apesar de não mostrar até aquele momento nenhum interesse pela escrita, Big ainda acreditava que Miguel se tornaria um escritor? Na sua opinião, o que levava o dicionário a pensar assim? Por que Big disse que merecia um prêmio especial no futuro? CAPÍTULO O3 Que mudanças físicas Big percebeu em Miguel aos quatorze anos? Como o dicionário descreveu os livros didáticos? Você acha que seus livros didáticos poderiam ser mais divertidos? Justifique. Se você fosse um livro didático, qual seria? Justifique. Qual é a sua matéria preferida? Por quê? Como foi a discussão acerca da escolha do apelido para o dicionário?

5 Os divertidos livros didáticos também tinham momentos de lamentação e de preocupação com o futuro. Explique. Você costuma falar do futuro ou acha que não se deve conversar sobre este assunto? CAPÍTULO O4 No fim do Ensino Fundamental, que mudanças de comportamento se verificaram em Miguel? Como os livros didáticos descreveram Isabel? E como eles reagiram à chegada dessa nova personagem na vida de Miguel? Como Big se sentiu após a primeira consulta? Como foi a segunda mensagem de Miguel para sua musa? Que atitudes de Miguel davam a Big a certeza de que o garoto escrevia cada dia melhor? Você diria que esta foi a fase mais feliz de Big? Esclareça. Como a leitura ajudou Miguel? Que reflexões ele fez sobre o Destino e a saída dos livros didáticos? Como Big viu a mudança para Curitiba? Como Big se sentiu em ter ficado? CAPÍTULO O5 Como Big se sentia na prateleira à medida que o tempo passava? Que comparação Big fez com a amendoeira? Segundo ele, qual é a diferença entre o destino de seres humanos e livros? Você concorda? Quanto tempo realmente se passou até a volta de Miguel? Que novidades foram trazidas por Miguel e Mônica? Quando Miguel resolveu apanhar um objeto no quarto, como Big se sentiu? Como ele reagiu ao perceber que Miguel já o esquecera? Onde o dicionário acordou? Por que ele comparou o local ao Paraíso? Como ele se sente vivendo naquele lugar? Quem é Helena? Big diz que há muitos humanos que desperdiçam chances na vida. Você concorda? Dê exemplos. Como Big encara o passado e as lembranças de Miguel? Como foi o reencontro de Miguel com os velhos amigos didáticos? Quem é Tila? O que ela trouxe para a vida de Big? Na sua opinião, como Big viverá a questão do amor? Apresente uma continuação para a história.

6 Utilizando o dicionário UTILIZANDO O DICIONÁRIO Um livro pesado, sem figuras, sem histórias, pode não ser muito atraente à primeira vista. Mas cabe a nós, educadores, mostrar como o dicionário pode ser útil, e até interessante no dia-a-dia. Pesquisa - História do dicionário. Quem são os principais dicionaristas da nossa língua? Como é feito um dicionário? Individual ou em grupo Alunos com um dicionário na mão. Faça perguntas: Identifique o autor (dicionarista/lexicógrafo), dados sobre ele, ano de publicação, nome da editora, etc. O que é um verbete? O que é a cabeça do verbete? (palavra principal, geralmente em negrito. É o elemento que identifica o verbete). O seu dicionário apresenta divisões silábicas? Transcrições fonéticas? Siglas de uso corrente da língua portuguesa? Estrangeirismos? Esclarecem a pronúncia de estrangeirismos? Para que servem as palavras grifadas no alto de cada página do dicionário? O que significam estas abreviaturas? Adj. / S. m. /S. f. /V./t.d./t.i./Gir./Pop. Criando palavras - Divididos em grupos, alunos inventarão dez palavras. Ex: tinaca. Depois, com a ajuda de um bom dicionário, verificarão se tais vocábulos existem na língua portuguesa. Certamente haverá surpresas. Elaborando frases - Sem ajuda do dicionário, cada grupo seleciona três palavras que considera difíceis. Os outros grupos terão que escrever uma frase com cada palavra. O grupo vencedor será aquele que elaborar o maior número de frases corretamente. O professor será o juiz e o dicionário será utilizado para dirimir dúvidas. Caso prefira, a mesma atividade pode ser feita utilizando-se o dicionário como fonte de pesquisa. Elaborando parágrafos - Primeiramente, peça que cada grupo retire do dicionário cinco palavras difíceis. Cumprida a tarefa, cada grupo escreverá um parágrafo com as cinco palavras. Será vencedor o grupo mais criativo. 6

7 Guia de Atividades - Memórias de um dicionário Sonoridade - Com ajuda do dicionário, cada grupo selecionará cinco palavras com sonoridade peculiar. Ex: chulear, chanfradura, ranúnculo. Peça que expliquem o significado de cada vocábulo. Qual é a palavra? - Cada grupo retira do dicionário uma definição de um vocábulo. Depois, fala para os outros grupos, que tentarão acertar a palavra. Gincana - Turma dividida em grupos. Cada grupo com um dicionário. Professor dá um tempo de 60 segundos para as seguintes tarefas: achar a maior palavra que comece com a letra B; achar uma palavra que tenha três letras P; achar uma palavra que tenha cinco letras A; achar a maior palavra com um ditongo nasal; achar o maior estrangeirismo; achar o substantivo com maior número de significados, etc. Rapidez - Professor cita uma palavra e será vencedor o grupo que achar um sinônimo mais rápido. O mesmo pode ser feito com antônimos. Título - Cada grupo escolherá um nome jovem e atraente para um dicionário. Slogan - Cada grupo escolherá um slogan com a palavra dicionário. Será vencedor o mais criativo. Ex: Dicionário, questão de cultura. Apelido - Na obra lida, o dicionário ganhou o apelido Big. Dê outras sugestões. A turma vai eleger o apelido mais criativo. Acróstico - Alunos escreverão frases iniciando com as letras da palavra dicionário. Poema - Alunos escreverão um poema em que a palavra dicionário apareça pelo menos uma vez. Música - A melhor paródia sobre o tema dicionário será a vencedora. Dicionário de informática - Cada grupo vai montar um minidicionário com linguagem do mundo da informática. As explicações devem ser elaboradas pelo próprio grupo. Dicionário de gíria - Alunos elaborarão uma lista de novas gírias ainda não incorporadas ao dicionário. Além disso, devem fornecer as explicações. 7

8 Uso racional do computador USO RACIONAL DO COMPUTADOR A presença do computador nos diversos setores da vida moderna já não necessita mais ser discutida. No entanto, quando temos crianças e adolescentes diante de um mundo de informações sem censura, é imprescindível que alguém as oriente e encaminhe nas suas descobertas. De acordo com a pedagoga Stella Piconez, os pais não devem proibir, e sim direcionar a escolha dos softwares e sites utilizados pelos filhos. Na nova sociedade virtual onde os valores tradicionais são questionados, é importante a presença dos pais e professores para discutir o que foi visto e ajudar a criança a tirar suas conclusões. DEBATE EM SALA DE AULA Quanto tempo você gasta jogando videogame ou na frente do computador? Já deixou de fazer deveres da escola por causa do computador? Você gosta de praticar atividades ao ar livre (fazer uma caminhada, passear num parque, brincar no play), ou troca tudo isso pelo computador? Essa atividade sedentária praticada em excesso pode acarretar efeitos prejudiciais para a saúde? Quais? Você observa sua postura diante do monitor? Você programa o tempo em que fica no computador? Você estabelece intervalos quando usa o computador? Qual é o mais importante para você: o computador ou a televisão? Justifique. Como você agiria se seu filho desejasse ficar o tempo todo no computador? Você gosta de bater papo pelo computador? Uma conversa pela internet pode ser mais interessante que um papo ao vivo? Com que tipo de pessoa você costuma bater papo no computador? Que cuidados você deve ter em relação a isso? Alguns educadores mostram-se preocupados com a codificação usada nas conversas on line: erros ortográficos, gramaticais, abreviaturas estranhas, etc. Como você vê essa questão? Essa linguagem própria atrapalha o desenvolvimento da escrita dos jovens? O que pode acontecer no futuro? E que conseqüências pode haver para o idioma? Em grupo, elabore um minidicionário com vocábulos utilizados nas conversas on line entre os jovens. Não se esqueça de apontar também a forma correta de cada palavra. Elabore um horário para o uso do computador, programando o tempo de estudos e outras atividades. Siga o horário com disciplina. Depois de uma semana, relate a experiência. 8

9 Guia de Atividades - Memórias de um dicionário ESCOLA, REFLEXÃO E AÇÃO Sugestões de atividades: SOLIDARIED ARIEDADE ADE 1 Debate utilizando passagens do livro que abordam o tema solidariedade. O dicionário poderia ser considerado um ser solidário? Por quê? Você acha que falta solidariedade entre os humanos? Justifique e dê exemplos. Que soluções podem ser apontadas para amenizar o problema? 2 Pesquisa na Internet, livros, revistas, jornais, etc: Alunos vão eleger o texto mais interessante sobre o tema e promover um debate sobre ele. 3 Concurso da redação mais interessante. 4 Concurso da frase mais criativa sobre o tema. 5 Alunos criam uma receita citando os ingredientes e os procedimentos para se chegar ao bolo da solidariedade. 6 Elaboração de mensagens para serem afixadas na escola ou no condomínio onde mora, chamando a atenção para a importância da solidariedade. 7 Elaboração de folhetos de conscientização. 8 Elaboração de um documento solicitando às autoridades algumas providências visando a redução da violência. 9 Concurso do slogan mais criativo para uma campanha. 10 Concurso de acrósticos com a palavra solidariedade. 11 Concurso de poesias abordando o assunto. 12 Pesquisa e escolha da música (já gravada) que melhor aborda a solidariedade. 13 Festival de músicas inéditas, feitas pelos alunos. 14 Jornalzinho com reportagens abordando gestos solidários. 15 Telejornal enfatizando gestos solidários. 16 Peça teatral. 17 Julgamento - alunos criam uma situação que é levada a julgamento. Haverá o réu, o juiz, o advogado de defesa, o promotor. O júri pode ser composto pela maioria dos alunos, que vão decidir se o réu é culpado ou inocente. 18 Exposição / concurso de cartazes. 19 Exposição / concurso de desenhos feitos pelos próprios alunos. 20 Entrevistar pessoas (donas de casa, empregadas, adolescentes, crianças, etc) a fim de reunir sugestões para o aumento da solidariedade no mundo. 21 Entrevistar pessoas (donas de casa, empregadas, adolescentes, crianças, etc) a fim de reunir sugestões para o exercício da solidariedade em casa. 22 Concurso de fotos. 23 Trazer reportagens de jornal. 24 Guerreiros da solidariedade apresentar um trabalho mostrando diversas pessoas que, ao longo da história, foram exemplos solidários. do autor: 9

10

EXPLORANDO A OBRA (ALUNOS SENTADOS EM CÍRCULO)

EXPLORANDO A OBRA (ALUNOS SENTADOS EM CÍRCULO) Explorando a obra EXPLORANDO A OBRA (ALUNOS SENTADOS EM CÍRCULO) INTRODUÇÃO Antes da leitura Peça para que seus alunos observem a capa por alguns instantes e faça perguntas: Qual é o título desse livro?

Leia mais

Reunião com pais. Tema: Tarefa de casa. 1. Objetivos da reunião. 2. Desenvolvimento

Reunião com pais. Tema: Tarefa de casa. 1. Objetivos da reunião. 2. Desenvolvimento Reunião com pais Tema: Tarefa de casa 1. Objetivos da reunião 1.1. 1.2. 1.3. 1.4. Aprofundar reflexões sobre a função da tarefa de casa; Compartilhar facilidades e dificuldades encontradas na realização

Leia mais

AS QUESTÕES OBRIGATORIAMENTE DEVEM SER ENTREGUES EM UMA FOLHA À PARTE COM ESTA EM ANEXO. O PORCO-ESPINHO

AS QUESTÕES OBRIGATORIAMENTE DEVEM SER ENTREGUES EM UMA FOLHA À PARTE COM ESTA EM ANEXO. O PORCO-ESPINHO ENSINO FUNDAMENTAL Conteúdos do 6º Ano 3º/4º Bimestre 2014 Trabalho de Dependência Nome: N. o : Turma: Professor(a): Monique Data: / /2014 Unidade: Cascadura Mananciais Méier Taquara Redação Resultado

Leia mais

O que é esse produto? Qual é a marca do produto? Que quantidade de produto há na embalagem? Em que país foi feito o produto?

O que é esse produto? Qual é a marca do produto? Que quantidade de produto há na embalagem? Em que país foi feito o produto? RÓTULOS Rótulo é toda e qualquer informação referente a um produto que esteja transcrita em sua embalagem. O Rótulo acaba por ser uma forma de comunicação visual, podendo conter a marca do produto e informações

Leia mais

Siga as. Depois de refletir sobre o conflito surgido em. Cenatexto M Ó D U L O 17

Siga as. Depois de refletir sobre o conflito surgido em. Cenatexto M Ó D U L O 17 Siga as instruções A UU L AL A M Ó D U L O 17 Depois de refletir sobre o conflito surgido em razão do cumprimento estrito ao Manual de Instruções, o sr. Moacir decidiu apresentar suas conclusões à direção

Leia mais

Um na Estrada Caio Riter

Um na Estrada Caio Riter Um na Estrada Caio Riter PROJETO DE LEITURA 1 O autor Caio Riter nasceu em 24 de dezembro, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. É bacharel em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela Pontifícia

Leia mais

TROCANDO IDEIAS SOBRE A OBRA

TROCANDO IDEIAS SOBRE A OBRA Ideias sobre a obra TROCANDO IDEIAS SOBRE A OBRA (ALUNOS SENTADOS EM CÍRCULO) INTRODUÇÃO Qual é o nome do autor da obra? Quem é o ilustrador? Em que página há informações sobre o autor e o ilustrador?

Leia mais

Exercícios Complementares Língua Portuguesa Profª Ana Paula de Melo. Hora de brincar!

Exercícios Complementares Língua Portuguesa Profª Ana Paula de Melo. Hora de brincar! Exercícios Complementares Língua Portuguesa Profª Ana Paula de Melo Hora de brincar! Que tal dar um giro pela história e saber como eram as brincadeiras de antigamente? Brincar é muito bom. Concorda? Pois

Leia mais

JONAS RIBEIRO. ilustrações de Suppa

JONAS RIBEIRO. ilustrações de Suppa JONAS RIBEIRO ilustrações de Suppa Suplemento do professor Elaborado por Camila Tardelli da Silva Deu a louca no guarda-roupa Supl_prof_ Deu a louca no guarda roupa.indd 1 02/12/2015 12:19 Deu a louca

Leia mais

Criar perfil de personagens literários na rede

Criar perfil de personagens literários na rede Criar perfil de personagens literários na rede Que tal aliar as leituras literárias da turma ao uso das redes sociais digitais? A proposta desta atividade é que os alunos criem, em rede social, perfis

Leia mais

Como escrever um estudo de caso que é um estudo de caso? Um estudo so é um quebra-cabeça que tem de ser resolvido. A primeira coisa a

Como escrever um estudo de caso que é um estudo de caso? Um estudo so é um quebra-cabeça que tem de ser resolvido. A primeira coisa a Página 1 1 Como escrever um Estudo de Caso O que é um estudo de caso? Um estudo de caso é um quebra-cabeça que tem de ser resolvido. A primeira coisa a lembre-se de escrever um estudo de caso é que o caso

Leia mais

Ensino Fundamental I Regra de Jogo. Gêneros Textuais. Links para os conteúdos sugeridos neste plano estão disponíveis na aba Saiba Mais.

Ensino Fundamental I Regra de Jogo. Gêneros Textuais. Links para os conteúdos sugeridos neste plano estão disponíveis na aba Saiba Mais. Ensino Fundamental I Regra de Jogo. Gêneros Textuais. Competência(s) / Objetivo(s) de Aprendizagem: Reconhecer as características do gênero textual regra de jogo. Analisar e compreender um texto prescritivo..

Leia mais

THALES GUARACY. Liberdade para todos. Leitor iniciante. Leitor em processo. Leitor fluente ILUSTRAÇÕES: AVELINO GUEDES

THALES GUARACY. Liberdade para todos. Leitor iniciante. Leitor em processo. Leitor fluente ILUSTRAÇÕES: AVELINO GUEDES Leitor iniciante Leitor em processo Leitor fluente THALES GUARACY Liberdade para todos ILUSTRAÇÕES: AVELINO GUEDES PROJETO DE LEITURA Maria José Nóbrega Rosane Pamplona Liberdade para todos THALES GUARACY

Leia mais

Lição 2 Por que Necessitamos de Perdão? Lição 1 Nosso Pai é um Deus Perdoador. A Bênção pelo Perdão. A Bênção pelo Perdão

Lição 2 Por que Necessitamos de Perdão? Lição 1 Nosso Pai é um Deus Perdoador. A Bênção pelo Perdão. A Bênção pelo Perdão Lição 1 Nosso Pai é um Deus Perdoador 1. Você já fugiu de casa? Para onde foi? O que aconteceu? 2. Qual foi a maior festa que sua família já celebrou? Explique. 3. Você é do tipo mais caseiro, ou gosta

Leia mais

DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESCOLA DOMINICAL ESCOLA DOMINICAL FEITA PRA MIM E PRA VOCÊ

DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESCOLA DOMINICAL ESCOLA DOMINICAL FEITA PRA MIM E PRA VOCÊ GINCANA ESCOLA DOMINICAL Para comemorar o Dia da Escola Dominical, o Departamento Nacional de Escola Dominical, desenvolveu esta gincana para envolver toda a igreja local. Tema da Gincana: Escola Dominical

Leia mais

Como escrever para o seu. Site. e usar seu conhecimento como forma de conquistar e reter clientes. Blog do Advogado Moderno - PROMAD

Como escrever para o seu. Site. e usar seu conhecimento como forma de conquistar e reter clientes. Blog do Advogado Moderno - PROMAD o seu Site e usar seu conhecimento como forma de conquistar e reter clientes. Conteúdo Introdução Escrever bem é um misto entre arte e ciência Seus conhecimentos geram mais clientes Dicas práticas Faça

Leia mais

TROCANDO IDEIAS SOBRE A OBRA (ALUNOS SENTADOS EM CÍRCULO LIVRO ABERTO)

TROCANDO IDEIAS SOBRE A OBRA (ALUNOS SENTADOS EM CÍRCULO LIVRO ABERTO) Ideias sobre a obra TROCANDO IDEIAS SOBRE A OBRA (ALUNOS SENTADOS EM CÍRCULO LIVRO ABERTO) INTRODUÇÃO Qual é o nome do autor e do ilustrador da obra? Qual é o nome da editora? Em que estado do Brasil ela

Leia mais

Festas, compras, encontros e desencontros Leitura: atividades

Festas, compras, encontros e desencontros Leitura: atividades Festas, compras, encontros e desencontros Leitura: atividades 1. Escreva Certo (C) ou Errado (E) para as afirmações a seguir. A) Ela foi morar na casa do pai depois que ele faleceu. ( ) B) Ele gostava

Leia mais

Jogo ProvocAção. ProvocAção 5.-

Jogo ProvocAção. ProvocAção 5.- Jogo ProvocAção Aprender brincando! Este foi o objetivo do desenvolvimento desse jogo. É um importante instrumento de aprendizagem, possuiu múltiplos usos e garante muita diversão e conhecimento para crianças,

Leia mais

APRENDIZAGEM DA LINGUAGEM ORAL DA CRIANÇA COM SÍNDROME DE DOWN NA EDUCAÇÃO INFANTIL: CONCEPÇÕES DE PAIS E PROFESSORES

APRENDIZAGEM DA LINGUAGEM ORAL DA CRIANÇA COM SÍNDROME DE DOWN NA EDUCAÇÃO INFANTIL: CONCEPÇÕES DE PAIS E PROFESSORES APRENDIZAGEM DA LINGUAGEM ORAL DA CRIANÇA COM SÍNDROME DE DOWN NA EDUCAÇÃO INFANTIL: CONCEPÇÕES DE PAIS E PROFESSORES Resumo Gabriela Jeanine Fressato 1 - Universidade Positivo Mariana Gomes de Sá Amaral

Leia mais

http://ec/europa/eu/portugal/pdf/guia_di_pt.pdf Ano Europeu do Diálogo Intercultural

http://ec/europa/eu/portugal/pdf/guia_di_pt.pdf Ano Europeu do Diálogo Intercultural http://ec/europa/eu/portugal/pdf/guia_di_pt.pdf Ano Europeu do Diálogo Intercultural Porquê este guia prático? A diversidade cultural e linguística constitui um recurso pedagógico de que dispõem muitas

Leia mais

Atividade: Reflexão sobre Bullying e Uso consciente da internet

Atividade: Reflexão sobre Bullying e Uso consciente da internet Educação Infantil - Ensino Fundamental - Ensino Médio Atividade: Reflexão sobre Bullying e Uso consciente da internet Público: Sextos anos Data: 25/5/2012 Após a realização do Provão, nossos alunos do

Leia mais

6 Estimular a Criatividade

6 Estimular a Criatividade OZARFAXINARS N.2 DEZEMBRO 2005 121 6 Estimular a Criatividade Como aspecto menos valorizado pela Escola, a criatividade pode estimular novas formas de o jovem se relacionar com o mundo, desenvolvendo atitudes

Leia mais

TROCANDO IDEIAS SOBRE A OBRA

TROCANDO IDEIAS SOBRE A OBRA Ideias sobre a obra TROCANDO IDEIAS SOBRE A OBRA (ALUNOS SENTADOS EM CÍRCULO LIVRO ABERTO) INTRODUÇÃO Qual é o nome do autor da obra? (alunos procuram no livro) Será que foi o próprio autor que fez as

Leia mais

A criança, a escrita e a leitura: sugestões para a ação

A criança, a escrita e a leitura: sugestões para a ação A criança, a escrita e a leitura: sugestões para a ação Geraldina Porto Witter PUC-Campinas As sugestões aqui arroladas decorrem de pesquisas, as quais evidenciam a eficiência das mesmas. Elas servem a

Leia mais

Leya Leituras Projeto de Leitura

Leya Leituras Projeto de Leitura Leya Leituras Projeto de Leitura Nome do livro: JAPĨĨ E JAKÃMĨ Uma história de amizade Autor: Yaguarê Yamã Nacionalidade do autor: Brasileira Currículo do autor: Escritor, professor e artista plástico

Leia mais

No ano passado. lannoy Dorin SUPLEMENTO DO PROFESSOR. Elaborado por Fernanda Baruel

No ano passado. lannoy Dorin SUPLEMENTO DO PROFESSOR. Elaborado por Fernanda Baruel SUPLEMENTO DO PROFESSOR No ano passado lannoy Dorin Elaborado por Fernanda Baruel A adolescência é um período conturbado. Além das mudanças no corpo, muitos e novos são os sentimentos e as sensações. Por

Leia mais

20 perguntas para descobrir como APRENDER MELHOR

20 perguntas para descobrir como APRENDER MELHOR 20 perguntas para descobrir como APRENDER MELHOR Resultados Processo de aprendizagem SENTIDOS (principal) Gosto de informações que eu posso verificar. Não há nada melhor para mim do que aprender junto

Leia mais

Centro Educacional Souza Amorim Jardim Escola Gente Sabida Sistema de Ensino PH Vila da Penha. Ensino Fundamental

Centro Educacional Souza Amorim Jardim Escola Gente Sabida Sistema de Ensino PH Vila da Penha. Ensino Fundamental Centro Educacional Souza Amorim Jardim Escola Gente Sabida Sistema de Ensino PH Vila da Penha Ensino Fundamental Turma: PROJETO INTERPRETA AÇÂO (INTERPRETAÇÃO) Nome do (a) Aluno (a): Professor (a): DISCIPLINA:

Leia mais

Orientações para Professores. Prezado professor,

Orientações para Professores. Prezado professor, Orientações para Professores Prezado professor, No ano em que a Oficina do texto comemora 10 anos, todos os olhares se voltam para um país em especial: a África do Sul sede da Copa do Mundo de Futebol.

Leia mais

Suplemento do professor

Suplemento do professor Suplemento do professor Apresentação A coleção Convívio Social e Ética, destinada a alunos de 2 o a 5 o ano (1 a a 4 a séries) do Ensino Fundamental, trabalha valores, resgatando a ética e a moral na escola.

Leia mais

CIDADÃOS VIRTUAIS RESPONSÁVEIS

CIDADÃOS VIRTUAIS RESPONSÁVEIS Guia da LIÇÃO Idade recomendada: 11 CIDADÃOS VIRTUAIS RESPONSÁVEIS Objetivos de aprendizado Os alunos irão desenvolver uma compreensão abrangente do conceito de comunidade e sua aplicação na internet.

Leia mais

ACORDOS COMUNS ENTRE VOCÊ E SEU PARCEIRO DE TELETANDEM

ACORDOS COMUNS ENTRE VOCÊ E SEU PARCEIRO DE TELETANDEM DICAS E TRUQUES SOBRE AS SESSÕES DE TELETANDEM Introdução ACORDOS COMUNS ENTRE VOCÊ E SEU PARCEIRO DE TELETANDEM ÍNDICE A. ACORDOS PRELIMINARES B. EQUIPAMENTO C. DICAS PARA AS AULAS: conversação avaliação

Leia mais

O livro que falava com o vento e outros contos

O livro que falava com o vento e outros contos LER a partir dos 10 anos GUIA DE LEITURA MARIAALZIRACABRAL O livro que falava com o vento e outros contos JOSÉ JORGE LETRIA Ilustrações de Alain Corbel Apresentação da obra O Livro Que Falava com o Vento

Leia mais

Revista Amarelinha: Jornalismo segmentado para crianças de 9 a 12 anos¹. Marcela Lorenzoni². Camila Costa Toppel³. Camila Petry Feiler 4

Revista Amarelinha: Jornalismo segmentado para crianças de 9 a 12 anos¹. Marcela Lorenzoni². Camila Costa Toppel³. Camila Petry Feiler 4 Revista Amarelinha: Jornalismo segmentado para crianças de 9 a 12 anos¹ Marcela Lorenzoni² Camila Costa Toppel³ Camila Petry Feiler 4 Francielle Ferrari 5 Cícero Lira 6 Pontifícia Universidade Católica

Leia mais

Projeto Escola e família: construindo novos caminhos

Projeto Escola e família: construindo novos caminhos Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO Projeto Escola e família: construindo novos caminhos ELIZÂNGELA. S. VIEIRA COORDENADORA DE PROJETOS EDUCACIONAIS

Leia mais

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS!

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! 4 Introdução 5 Conheça seu público 5 Crie uma identidade para sua empresa 6 Construa um site responsivo 6 Seja direto, mas personalize o máximo possível

Leia mais

SOBRE A HISTÓRIA BOM TRABALHO PARA TODOS!

SOBRE A HISTÓRIA BOM TRABALHO PARA TODOS! As pistas e propostas de trabalho que se seguem são apenas isso mesmo: propostas e pistas, pontos de partida, sugestões, pontapés de saída... Não são lições nem fichas de trabalho, não procuram respostas

Leia mais

Índice. - Introdução... 3. - Economize em Gastos... 7 com Supérfluos. - Controle Seus Sentimentos... 11

Índice. - Introdução... 3. - Economize em Gastos... 7 com Supérfluos. - Controle Seus Sentimentos... 11 1 Índice - Introdução... 3 - Economize em Gastos... 7 com Supérfluos - Controle Seus Sentimentos... 11 - Quite suas Dívidas, mesmo... 14 que Seja Necessário Fazer um Empréstimo - Não Siga a Massa, Existem...

Leia mais

Mas, como utilizar essa ferramenta tão útil e que está à sua disposição?

Mas, como utilizar essa ferramenta tão útil e que está à sua disposição? Caríssimo aluno da Rede CEJA, Seja muito bem vindo à sua escola! Estamos muito felizes que você tenha optado por dar continuidade aos seus estudos conosco, confiando e acreditando em tudo o que poderemos

Leia mais

AULA DE PORTUGUÊS: CRIAÇÃO DE POEMAS

AULA DE PORTUGUÊS: CRIAÇÃO DE POEMAS AULA DE PORTUGUÊS: CRIAÇÃO DE POEMAS Até onde vai a força da Motivação? Glorinha Aguiar glorinhaaguiar@uol.com.br Uma proposta criativa motivadora na sala de aula pode deixar o professor bem impressionado

Leia mais

O que você faria... Liliana e Michele Iacoca

O que você faria... Liliana e Michele Iacoca Nome: Ensino: F undamental 4 o ano urma: Língua Por ortuguesa T ata: D 13/8/09 Você já pensou no significado da palavra conviver? Assim como cada pessoa tem suas características físicas, cada um tem também

Leia mais

A criança e as mídias

A criança e as mídias 34 A criança e as mídias - João, vá dormir, já está ficando tarde!!! - Pera aí, mãe, só mais um pouquinho! - Tá na hora de criança dormir! - Mas o desenho já tá acabando... só mais um pouquinho... - Tá

Leia mais

Como Passar em Química Geral*

Como Passar em Química Geral* 1 Como Passar em Química Geral* por Dra. Brenna E. Lorenz Division of Natural Sciences University of Guam * traduzido livremente por: Eder João Lenardão; acesse o original em : http://www.heptune.com/passchem.html

Leia mais

DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA

DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA OBJETIVOS: 1 ano Levar o estudante a realizar a escrita do próprio nome e outros nomes. Promover a escrita das letras do alfabeto. Utilizar a linguagem oral para conversar,

Leia mais

Explorando a obra EXPLORANDO A OBRA

Explorando a obra EXPLORANDO A OBRA Explorando a obra 2 EXPLORANDO A OBRA INTRODUÇÃO Antes da leitura Mostre a capa do livro aos alunos e pergunte o que eles imaginam da história. Quem será aquele menino? E quem será aquele senhor? O que

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO 1

PROJETO PEDAGÓGICO 1 PROJETO PEDAGÓGICO 1 Projeto Pedagógico Por Beatriz Tavares de Souza* Ideias e ações políticas? Mãos à obra! Você sabe precisar quando a infância termina para dar lugar à adolescência? Mudanças físicas

Leia mais

Projeto. Pedagógico QUEM MEXEU NA MINHA FLORESTA?

Projeto. Pedagógico QUEM MEXEU NA MINHA FLORESTA? Projeto Pedagógico QUEM MEXEU NA MINHA FLORESTA? 1 Projeto Pedagógico Por Beatriz Tavares de Souza* Apresentação O livro tem como tema o meio ambiente em que mostra o homem e a destruição da natureza,

Leia mais

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO APÊNDICES 182 APÊNDICE A UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS FACULDADE DE EDUCAÇÃO - FACED PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO PPGE MESTRADO EM EDUCAÇÃO TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO PESQUISA:

Leia mais

GINCANA MATEMÁTICA, UM JEITO NOVO DE APRENDER MATEMÁTICA!

GINCANA MATEMÁTICA, UM JEITO NOVO DE APRENDER MATEMÁTICA! ISSN 2177-9139 GINCANA MATEMÁTICA, UM JEITO NOVO DE APRENDER MATEMÁTICA! Thaís Eduarda Ávila da Silveira thaisuab3@gmail.com Universidade Federal de Pelotas, Pólo Sapucaia do Sul, 92990-000 Sapucaia do

Leia mais

Obedecer é sempre certo

Obedecer é sempre certo Obedecer é sempre certo Obedecer. Palavra fácil de entender, mas muitas vezes difícil de colocar em prática. Principalmente quando não entendemos ou concordamos com a orientação dada. Crianças recebem

Leia mais

TIPOS DE RELACIONAMENTOS

TIPOS DE RELACIONAMENTOS 68 Décima-Segunda Lição CONSTRUINDO RELACIONAMENTOS DE QUALIDADE Quando falamos de relacionamentos, certamente estamos falando da inter-relação de duas ou mais pessoas. Há muitas possibilidades de relacionamentos,

Leia mais

NAP NÚCLEO DE APOIO PEDAGÓGICO I

NAP NÚCLEO DE APOIO PEDAGÓGICO I NAP NÚCLEO DE APOIO PEDAGÓGICO I EDUCADORA: SILVANA CAMURÇA DISCIPLINA: PORTUGUÊS EDUCANDO: Nº. ANO TURMA: DATA: / / TRIMESTRE: II REVISÃO GERAL PARA A PARCIAL SOM DO /S/ - FAMÍLIA DE PALAVRAS DERIVADAS

Leia mais

PROJETO SOCIAL CITY PETRÓPOLIS: NOVOS HORIZONTES NA APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA

PROJETO SOCIAL CITY PETRÓPOLIS: NOVOS HORIZONTES NA APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA 369 PROJETO SOCIAL CITY PETRÓPOLIS: NOVOS HORIZONTES NA APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA Jorge Leonardo Garcia (Uni-FACEF) Sílvia Regina Viel Rodrigues (Uni-FACEF) O Ensino da Matemática Hoje As aulas típicas

Leia mais

Tema 2: Mercado. Assunto 2: Conhecendo o mercado consumidor. Unidade 1: Muito prazer, cliente

Tema 2: Mercado. Assunto 2: Conhecendo o mercado consumidor. Unidade 1: Muito prazer, cliente Tema 2: Mercado Assunto 2: Conhecendo o mercado consumidor Unidade 1: Muito prazer, cliente Olá, caro(a) aluno(a). Este material destina-se ao seu uso como aluno(a) inscrito(a) no Curso Aprender a Empreender

Leia mais

SENTIR 3. TEMPO 15-20 minutos TIPO DE TEMPO contínuo

SENTIR 3. TEMPO 15-20 minutos TIPO DE TEMPO contínuo COMO USAR O MATERIAL NAS PÁGINAS A SEGUIR, VOCÊ ENCONTRA UM PASSO A PASSO DE CADA ETAPA DO DESIGN FOR CHANGE, PARA FACILITAR SEU TRABALHO COM AS CRIANÇAS. VOCÊ VERÁ QUE OS 4 VERBOS (SENTIR, IMAGINAR, FAZER

Leia mais

LAB. 2 Segurança. 3 Mensagem. 3 Fórum. 4 Chat. 5 2- Alterar perfil. 6 3- Alterar senha. 11 4- Conhecendo seu curso. 12 5- Recuperar Senha

LAB. 2 Segurança. 3 Mensagem. 3 Fórum. 4 Chat. 5 2- Alterar perfil. 6 3- Alterar senha. 11 4- Conhecendo seu curso. 12 5- Recuperar Senha Índice Guia de boas práticas 2 Netqueta 2 Segurança 3 Mensagem 3 Fórum 4 Chat 4 5 1- Primeiro acesso 5 2- Alterar perfil 6 3- Alterar senha 11 4- Conhecendo seu curso 12 5- Recuperar Senha 14 6- Mensagem

Leia mais

Coleção: Encantando a Gramática. Autora: Pâmela Pschichholz* palavras que existem no mundo. Lá, várias famílias vivem felizes.

Coleção: Encantando a Gramática. Autora: Pâmela Pschichholz* palavras que existem no mundo. Lá, várias famílias vivem felizes. Coleção: Encantando a Gramática Autora: Pâmela Pschichholz* Um lugar diferente Em um vilarejo chamado classes Gramaticais moram todas as palavras que existem no mundo. Lá, várias famílias vivem felizes.

Leia mais

Guia para líderes em educação

Guia para líderes em educação Guia para líderes em educação Índice O que é o Duolingo?...3 Como funciona o Duolingo?...4 Mantendo a motivação dos alunos...5 Aprender e ensinar...6 Ideias fáceis para a sala de aula...7 Aproveitando

Leia mais

IFA MIRIM PROJETO: LEIA PARA MIM!

IFA MIRIM PROJETO: LEIA PARA MIM! IFA MIRIM PROJETO: LEIA PARA MIM! Meus filhos terão computadores, sim, mas antes terão livros. Sem livros, sem leitura, os nossos filhos serão incapazes de escrever - inclusive a sua própria história.

Leia mais

ESTUDO DE CASO PSICOPEDAGÓGICO

ESTUDO DE CASO PSICOPEDAGÓGICO ESTUDO DE CASO PSICOPEDAGÓGICO Autora: Suellen Viviane Lemos Fernandes Co-autora: Maria Irene Miranda Bernardes Universidade Federal de Uberlândia suellenped65@hotmail.com Introdução O presente trabalho

Leia mais

Para alcançar o Sucesso é preciso que você tenha a plena convicção de que nossos produtos e nossa Oportunidade podem realmente transformar a vida das

Para alcançar o Sucesso é preciso que você tenha a plena convicção de que nossos produtos e nossa Oportunidade podem realmente transformar a vida das Querida Estrela do Bem, Aqui estão alguns Passos para aplicarmos no dia a dia São passos diários para o sucesso do seu negócio MK. Faça o Plano das 100 CARITAS em 4 semanas com todas as Consultoras de

Leia mais

CONHECENDO A PSICOTERAPIA

CONHECENDO A PSICOTERAPIA CONHECENDO A PSICOTERAPIA Psicólogo Emilson Lúcio da Silva CRP 12/11028 2015 INTRODUÇÃO Em algum momento da vida você já se sentiu incapaz de lidar com seus problemas? Se a resposta é sim, então você não

Leia mais

Interdisciplinar o design

Interdisciplinar o design Instalação sobre Jazz. Com o Presidente da República quando foi proclamado uma das Personalidades do Ano 2009/2010. Foto: site Presidência da República Lançamento da World Urban Campaign, no Rio de Janeiro.

Leia mais

Um introdução. Guia do Workshop INSPIRAÇÃO IDEAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO. O Processo de Design. O Curso para o Design Centrado no Ser Humano

Um introdução. Guia do Workshop INSPIRAÇÃO IDEAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO. O Processo de Design. O Curso para o Design Centrado no Ser Humano Guia do Workshop INSPIRAÇÃO IDEAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO O Processo de Design Vamos começar! Nós sabemos por experiência que o único jeito de aprender o design centrado no ser humano é aplicando-o. Por isso,

Leia mais

Leitura e Mediação Pedagógica

Leitura e Mediação Pedagógica Protocolo Colaborador: 12 Leitura e Mediação Pedagógica G. Pesquisador: Rosineide Magalhães de Sousa Corinthians(2) x Palestra(1)#Rosineide\cor_pal.jpg.jpg# Transcrição 80) P: Então Gabriel... eu vou pedir

Leia mais

Identificação do projeto

Identificação do projeto Seção 1 Identificação do projeto ESTUDO BÍBLICO Respondendo a uma necessidade Leia Neemias 1 Neemias era um judeu exilado em uma terra alheia. Alguns dos judeus haviam regressado para Judá depois que os

Leia mais

PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO. Fome e Sede

PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO. Fome e Sede PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO HISTÓRIA BÍBLICA: Mateus 18:23-34 Nesta lição, as crianças vão ouvir a Parábola do Servo Que Não Perdoou. Certo rei reuniu todas as pessoas que lhe deviam dinheiro.

Leia mais

Porquê ler ao meu bebé? Projecto O meu brinquedo é um livro

Porquê ler ao meu bebé? Projecto O meu brinquedo é um livro Porquê ler ao meu bebé? Projecto O meu brinquedo é um livro Porquê ler ao meu bebé? Projecto O meu brinquedo é um livro O meu brinquedo é um livro é um projecto de promoção da leitura proposto pela Associação

Leia mais

Orientações para Mostra Científica IV MOSTRA CIENTÍFICA 2014 COLÉGIO JOÃO PAULO I

Orientações para Mostra Científica IV MOSTRA CIENTÍFICA 2014 COLÉGIO JOÃO PAULO I Orientações para Mostra Científica IV MOSTRA CIENTÍFICA 2014 COLÉGIO JOÃO PAULO I Tema VIDA EFICIENTE: A CIÊNCIA E A TECNOLOGIA A SERVIÇO DO PLANETA Cronograma Orientações Pré-projeto Metodologia Relatório

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Por que foca?

APRESENTAÇÃO. Por que foca? APRESENTAÇÃO Por que foca? O foca, jornalista iniciante, tem grande dificuldade de encontrar um guia entre os textos técnicos publicados no Brasil. Com a pauta lhe queimando as mãos, ele se inquieta: por

Leia mais

Dia da família na escola. 13 de março de 2010

Dia da família na escola. 13 de março de 2010 1 Dia da família na escola 13 de março de 2010 Sugestões de atividades Desde 2009, o Amigos da Escola tem incentivado às escolas participantes do projeto a tornar os dias temáticos em dias da família e

Leia mais

Colégio Nomelini Ensino Fundamental II LISTA Nº 04 9º ANO

Colégio Nomelini Ensino Fundamental II LISTA Nº 04 9º ANO Trazer a tarefa resolvida no dia: 22/03/2013 (Sexta-feira) Prof. Vanessa Matos Interpretação de textos LISTA Nº 04 9º ANO DESCRIÇÃO: A seleção de atividades é para a leitura e interpretação. Responda os

Leia mais

http://educarparacrescer.abril.com.br/comportamento/sites-educativos-504552.shtml

http://educarparacrescer.abril.com.br/comportamento/sites-educativos-504552.shtml Sites educativos - Educar para Crescer http://educarparacrescer.abril.com.br/comportamento/sites-educativos-504552.shtml Page 1 of 3 25/10/2011 TECNOLOGIA 52 sites que divertem e ensinam Pedimos a 7 educadores

Leia mais

José Aerton Rodrigues da Silva

José Aerton Rodrigues da Silva José Aerton Rodrigues da Silva Redação fácil para o Enem concursos públicos civis e militares Nilópolis RJ 2014 Edição do autor p. 1 Revisão: José Aerton Capa: Roberta Dias Aerton, José, Redação fácil

Leia mais

5 Passos para vender mais com o Instagram

5 Passos para vender mais com o Instagram 5 Passos para vender mais com o Instagram Guia para iniciantes melhorarem suas estratégias ÍNDICE 1. Introdução 2. O Comportamento das pessoas na internet 3. Passo 1: Tenha um objetivo 4. Passo 2: Defina

Leia mais

Introdução à Arte da Ciência da Computação

Introdução à Arte da Ciência da Computação 1 NOME DA AULA Introdução à Arte da Ciência da Computação Tempo de aula: 45 60 minutos Tempo de preparação: 15 minutos Principal objetivo: deixar claro para os alunos o que é a ciência da computação e

Leia mais

MÉTODO DE APROVAÇÃO 2.0

MÉTODO DE APROVAÇÃO 2.0 MÉTODO DE APROVAÇÃO 2.0 Os 3 Passos Estratégicos para ser Aprovado em Concursos Priorizando os temas do Edital Gerson Aragão Ex-Defensor Público VERSÃO 2.1 Atualizado 12.11.2015 Índice Apresentação.. 03

Leia mais

A comunicação efetiva - Etiqueta em rede

A comunicação efetiva - Etiqueta em rede A comunicação efetiva - Etiqueta em rede Liane Tarouco Os evidentes benefícios proporcionados pelas redes de computadores podem acarretar problemas de igual monta, quando mal utilizadas. Em função disso,

Leia mais

Livro de Nuno Afonso CENTRO CULTURAL MESTRE JOSÉ RODRIGUES. 8 de Agosto 15.00 horas 1 / 8

Livro de Nuno Afonso CENTRO CULTURAL MESTRE JOSÉ RODRIGUES. 8 de Agosto 15.00 horas 1 / 8 CENTRO CULTURAL MESTRE JOSÉ RODRIGUES 8 de Agosto 15.00 horas 1 / 8 Apresentação do livro de Nuno Baptista-Afonso Nuno Baptista-Afonso nasceu em Mirandela, em 1979, mas é um Alfandeguense, pois aqui foi

Leia mais

"Palavra poética tem de chegar ao grau de brinquedo para ser séria."

Palavra poética tem de chegar ao grau de brinquedo para ser séria. "Palavra poética tem de chegar ao grau de brinquedo para ser séria." Manoel de Barros Cara Professora, Caro Professor, Primeiramente, queremos dar-lhe nossos parabéns por você ter sugerido ou estar pensando

Leia mais

Bibioteca??? Uma biblioteca pode fazer milagres! Tradução: José Feres Sabino. Projeto: leitura e produção de texto. Indicação: Fundamental 1

Bibioteca??? Uma biblioteca pode fazer milagres! Tradução: José Feres Sabino. Projeto: leitura e produção de texto. Indicação: Fundamental 1 Bibioteca??? Uma biblioteca pode fazer milagres! Texto de Lorenz Pauli e ilustrações de Kathrin Schärer Tradução: José Feres Sabino Projeto: leitura e produção de texto Indicação: Fundamental 1 Elaborado

Leia mais

Indice. Bullying O acaso... 11

Indice. Bullying O acaso... 11 Indice Bullying O acaso... 11 Brincadeira de mau gosto. Chega! A história... 21 O dia seguinte... 47 A paixão... 53 O reencontro... 61 O bullying... 69 9 Agosto/2010 O acaso Terça-feira. O sol fazia um

Leia mais

Projeto da Disciplina Parte1: Estudo de Viabilidade. Um Estudo de Viabilidade

Projeto da Disciplina Parte1: Estudo de Viabilidade. Um Estudo de Viabilidade Projeto da Disciplina Parte1: Estudo de Viabilidade ENTREGA: 09/04/09 Professor: Carlos José Maria Olguin Um Estudo de Viabilidade Você deve fazer um estudo de viabilidade para um projeto de sistema de

Leia mais

20 perguntas para descobrir como APRENDER MELHOR

20 perguntas para descobrir como APRENDER MELHOR 20 perguntas para descobrir como APRENDER MELHOR Resultados Processo de aprendizagem EXPLORAÇÃO Busco entender como as coisas funcionam e descobrir as relações entre as mesmas. Essa busca por conexões

Leia mais

Tomada de decisão. O que é necessário para ser bom? Algumas dicas práticas: Por que ser bom? Como tomamos boas decisões?

Tomada de decisão. O que é necessário para ser bom? Algumas dicas práticas: Por que ser bom? Como tomamos boas decisões? Exercitando o Caráter 4 a 6 anos Tomada de decisão O que é necessário para ser bom? Ser uma pessoa correta é mais do que somente fazer o que deve ser feito. É realmente escolher fazer o que deve ser feito.

Leia mais

Tutorial 7 Fóruns no Moodle

Tutorial 7 Fóruns no Moodle Tutorial 7 Fóruns no Moodle O Fórum é uma atividade do Moodle que permite uma comunicação assíncrona entre os participantes de uma comunidade virtual. A comunicação assíncrona estabelecida em fóruns acontece

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO 2012/2013 PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA (Prova 3) 6º Ano / Ensino Fundamental

CONCURSO DE ADMISSÃO 2012/2013 PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA (Prova 3) 6º Ano / Ensino Fundamental Leia atentamente todas as questões e assinale a única alternativa correta. Texto 1 A menina que desenhava 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35

Leia mais

Sumário. Introdução - O novo hábito... 1. Capítulo 1 - Pra que serve tudo isso?... 3. Sobre o vocabulário... 4. Benefícios... 7

Sumário. Introdução - O novo hábito... 1. Capítulo 1 - Pra que serve tudo isso?... 3. Sobre o vocabulário... 4. Benefícios... 7 Sumário Introdução - O novo hábito... 1 Capítulo 1 - Pra que serve tudo isso?... 3 Sobre o vocabulário... 4 Benefícios... 7 Perguntas Frequentes sobre o Orçamento Doméstico... 10 Capítulo 2 - Partindo

Leia mais

ROTEIRO DIÁRIO (Plano de Aula)

ROTEIRO DIÁRIO (Plano de Aula) ROTEIRO DIÁRIO (Plano de Aula) Componente Curricular: Ensino Religioso / 7º ano Ano Letivo: 2014 Professor Ministrante: Lúcia Clemeci Carga Horária: 5 horas/ aula Data: 02/ 07/2014 Aula: 03 Título: Crescimento

Leia mais

Mostra Cultural 2015

Mostra Cultural 2015 Mostra Cultural 2015 Colégio Marista João Paulo II Eu e as redes sociais #embuscadealgumascurtidas Uma reflexão sobre a legitimação do eu através das redes sociais. Iago Faria e Julio César V. Autores:

Leia mais

Universidade Federal da Grande Dourados COIN Coordenadoria de Informática DSI - Divisão de Sistemas da Informação. Manual de atendimento ao usuário

Universidade Federal da Grande Dourados COIN Coordenadoria de Informática DSI - Divisão de Sistemas da Informação. Manual de atendimento ao usuário Universidade Federal da Grande Dourados COIN Coordenadoria de Informática DSI - Divisão de Sistemas da Informação Manual de atendimento ao usuário 1. Introdução e objetivos Este documento em forma de manual

Leia mais

PIBID UFPR EDUCAÇÃO FÍSICA GÊNERO E SEXUALIDADE MATERIAL DIDÁTICO DE APOIO VAMOS FALAR SOBRE... PRECONCEITO DE GÊNERO!

PIBID UFPR EDUCAÇÃO FÍSICA GÊNERO E SEXUALIDADE MATERIAL DIDÁTICO DE APOIO VAMOS FALAR SOBRE... PRECONCEITO DE GÊNERO! PIBID UFPR EDUCAÇÃO FÍSICA GÊNERO E SEXUALIDADE MATERIAL DIDÁTICO DE APOIO VAMOS FALAR SOBRE... PRECONCEITO DE GÊNERO! FERNANDA ZARA NICOLAS MOREIRA ?? VOCÊ SABIA?? Que existe um preconceito em relação

Leia mais

Documento que fornece uma visão ampla e geral do candidato como indivíduo;

Documento que fornece uma visão ampla e geral do candidato como indivíduo; O currículo é o cartão de visitas. Nele, o empregador vai descobrir quem você é, o que sabe, o que pode fazer e o que ele pode esperar de você. Por isso, é fundamental que seja elaborado de maneira clara,

Leia mais

REDE PRÓ-MENINO. ECTI - Escola no Combate ao Trabalho Infantil ATIVIDADE MÓDULO 2 (COLAGEM) EM INTEGRAÇÃO COM O MÓDULO 1- B (ENTREVISTA)

REDE PRÓ-MENINO. ECTI - Escola no Combate ao Trabalho Infantil ATIVIDADE MÓDULO 2 (COLAGEM) EM INTEGRAÇÃO COM O MÓDULO 1- B (ENTREVISTA) REDE PRÓ-MENINO ECTI - Escola no Combate ao Trabalho Infantil CURSISTA: JACKELYNE RIBEIRO CINTRA MORAIS CPF: 014275241-06 ATIVIDADE MÓDULO 2 (COLAGEM) EM INTEGRAÇÃO COM O MÓDULO 1- B (ENTREVISTA) Características

Leia mais

Cópia autorizada. II

Cópia autorizada. II II Sugestões de avaliação Português Compreensão de texto 3 o ano Unidade 1 5 Unidade 1 Compreensã de texto Nome: Data: A carta é uma forma de comunicação escrita que pode ser endereçada a uma ou a várias

Leia mais

LIVRO DO PROFESSOR LIBRAS 1 O ANO 35. Espaços da escola. Encaminhamento

LIVRO DO PROFESSOR LIBRAS 1 O ANO 35. Espaços da escola. Encaminhamento Atividade 9 Espaços da escola Encaminhamento Leve os alunos para conhecer os espaços da escola: sala de leitura, informática, refeitório, quadra de futebol, parque, etc. Peça para os alunos registrarem

Leia mais

O Livro de informática do Menino Maluquinho

O Livro de informática do Menino Maluquinho Coleção ABCD - Lição 1 Lição 1 O Livro de informática do Menino Maluquinho 1 2 3 4 5 6 7 8 Algumas dicas para escrever e-mails: 1. Aprender português. Não adianta fi car orgulhoso por mandar um e-mail

Leia mais

Juniores aluno 7. Querido aluno,

Juniores aluno 7. Querido aluno, Querido aluno, Por acaso você já se perguntou algumas destas questões: Por que lemos a Bíblia? Suas histórias são mesmo verdadeiras? Quem criou o mundo? E o homem? Quem é o Espírito Santo? Por que precisamos

Leia mais

Gêneros discursivos no ciclo da alfabetização 1º ao 3º ano do ensino fundamental

Gêneros discursivos no ciclo da alfabetização 1º ao 3º ano do ensino fundamental Gêneros discursivos no ciclo da alfabetização 1º ao 3º ano do ensino fundamental Não se aprende por exercícios, mas por práticas significativas. Essa afirmação fica quase óbvia se pensarmos em como uma

Leia mais