índice GERAL Capítulo IV A UNIFICAÇÃO PARCIAL DO DIREITO PRIVADO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "índice GERAL Capítulo IV A UNIFICAÇÃO PARCIAL DO DIREITO PRIVADO"

Transcrição

1 índice GERAL Capítulo I A UNIFICAÇÃO PARCIAL DO DIREITO PRIVADO I. A unificação na Itália: Cesare Vivante (1892) e sua retratação em ]919; a posição contrária de Alfredo Rocco; a malograda experiência com o Código Civil italiano de A unificação no Brasil: a crítica de Amoldo Wald; a oposição de Rubens Requião; as observações de Modesto Carvalhosa S Resumo Capítulo 11 A TEORIA DA EMPRESA I. O artesanato medieval como germe da empresa Os elementos da empresa segundo Alberto Asquini A importância da empresa na economia moderna Conceito econômico e conceito juiídico de empresa 17 Resumo 21 Capítulo 111 EMPRESA E ESTABELECIMENTO: DISTINÇÃO I. Conceito de estabelecimento 2S 2. Natureza jurídica do estabelecimento 27 Resumo 29 Capítulo IV ELEMENTOS COMPONENTES DO ESTABELECIMENTO 1. Bens corpóreos e incorpóreos.. 3 I IX

2 2. Propriedade industrial Invenção industrial Da proteção conferida pela patente Invenção do empregado Invenções de interesse da defesa nacional Modelo de utilidade Desenho industrial Marcas de indústria, comércio ou serviço Título do estabelecimento Ponto empresarial Estabelecimento principal, sucursal, filial e agência 45 Resumo 48 Capítulo V TRESPASSE (ALIENAÇÃO) DO ESTABELECIMENTO 1. Trespasse (alienação) Arrendamento Usufruto Responsabilidade do alienante e do adquirente por débitos gerais, tributários e trabalhistas. Sub-rogação nos contratos vinculados à atividade empresarial Concorrência desleal Resumo 59 Capítulo VI O EMPRESÁRIO 1. Conceito (registro) Capacidade para ser empresário Dos impedidos de exercer a atividade empresarial Resumo 67 x

3 Capítulo VII DA SOCIEDADE 1. Do contrato social (natureza contratual do ato constitutivo) Requisitos do contrato social Sociedades dependentes de autorização Sociedade nacional Sociedade estrangeira 72 Resumo 74 Capítulo VIII SOCIEDADE EMPRESÁRIA 1. Conceito: distinção entre sociedade empresária e sociedade simples Requisitos 80 Resumo 82 Capítulo IX SOCIEDADE SIMPLES I. Conceito Do contrato social Administração Delegação da administração a terceiros.. 9 J 5. Balanço anual Responsabilidade dos sócios (relação com terceiros) Penhora dos lucros líquidos e liquidação da quota pelo credor particular do sócio Dissolução da sociedade em relação a um dos sócios Falecimento do sócio ou divórcio Retirada do sócio Exclusão judicial do sócio Dissolução da sociedade Liquidação 100 Resumo 101 XI

4 Capítulo X SOCIEDADE NÃO PERSONIFICADA (SOCIEDADE EM COMUM) 1. Critérios de classificação Solidariedade entre os sócios 108 Resumo 109 Capítulo XI SOCIEDADE EM CONTA DE PARTICIPAÇÃO 1. Sociedade não personificada Forma de constituição Espécies de sócios - o sócio ostensivo e o sócio oculto ou participante O capital social Administração da sociedade A falência do sócio ostensivo 114 Resumo 114 Capítulo XII SOCIEDADE EM NOME COLETIVO I. Conceito J17 2. Características; responsabilidades Espécies de sócios Administração Nome empresarial Capital social Credor particular do sócio 120 Resumo 121 Capítulo XIII SOCIEDADE EM COMANDITA SIMPLES 1. Conceito J23 XII

5 2. Características; espécies de sócios: o sócio comanditado e o sócio comanditário - responsabilidades Administração Nome empresarial Dissolução 125 Resumo 126 Capítulo XIV SOCIEDADE LIMITADA 1. Conceito Natureza jurídica Espécies de sócios (responsabilidades) Capital social Quotas ordinárias e preferenciais Cessão de quotas (causa mortis e inter vivos) Condomínio de quotas Penhora de quotas Aumento ou redução do capital social Administração Nova nomenclatura Sócios administradores Administradores não sócios (delegação a terceiros) Uso de firma ou denominação Responsabilidades do administrador Deliberações dos sócios Quorum de deliberação Documento escrito Direito de voto Participação nos lucros e nas perdas (pró-labore) Exclusão extrajudicial do sócio Sócio remisso Aplicação subsidiária da Lei das Sociedades Anônimas Dissolução e liquidação da sociedade limitada Conselho Fiscal Resumo 170 XIII

6 Capítulo XV SOCIEDADE ANÔNIMA l. A sociedade anônima no Código Civil de A Lei n Características da sociedade anônima Sociedade empresária Sociedade eminentemente de capital Finalidade lucrativa Uso de denominação e objeto - nome empresarial Divisão do capital social em ações Espécies de sociedade anônima Direitos dos acionistas Acionista controlador Órgãos diretivos Transformação, incorporação, fusão e cisão da sociedade anônima 184 Resumo 185 Capítulo XVI SOCIEDADE EM COMANDITA POR AÇÕES I. Conceito J87 2. Características fundamentais e as disposições do Novo Código Civil Resumo 189 Capítulo XVII SOCIEDADE COOPERATIVA l. Conceito e natureza jurídica A Lei n e o Novo Código Civil Características da sociedade cooperativa Responsabilidade dos sócios. 196 Resumo 197 XIV

7 Capítulo XVIII SOCIEDADES COLIGADAS 1. Sociedades coligadas Sociedade controlada Sociedade filiada Sociedade de simples participação 204 Resumo 204 Capítulo XIX DA LIQUIDAÇÃO DA SOCIEDADE 1. Dissolução Liquidação Direito dos credores Partilha Resumo 210 Capítulo XX TRANSFORMAÇÃO, INCORPORAÇÃO, FUSÃO E CISÃO DAS SOCIEDADES 1. Transformação Conceito Requisitos Direitos de terceiros Incorporação Conceito Requisitos Direitos de terceiros Fusão Conceito Requisitos Direitos de terceiros Cisão 222 xv

8 4.1. Conceito Requisitos Direitos de terceiros 223 Resumo 225 Capítulo XXI NOME EMPRESARIAL 1. Nome empresarial Espécies de nome empresarial: firma; denominação O nome empresarial nas sociedades anônima e limitada Nome empresarial e título do estabelecimento Inalienabilidade do nome empresarial Proteção ao nome empresarial Resumo 236 Capítulo XXII DOS PREPOSTOS I. Conceito Espécies Deveres do preposto O gerente Poderes Responsabilidades Do contabilista 245 Resumo 246 Capítulo XXIII DA ESCRITURAÇÃO 1. Sistema de contabilidade Contabilidade e escrituração O empresário individual XVI

9 2. Livros obrigatórios e livros facultativos O sigilo dos livros empresariais Fiscalização tributária Valor probante dos livros 257 Resumo 258 Bibliografia XVII

Índice Sistemático. Capítulo Primeiro NOÇÕES GERAIS. I O Comércio e o Direito Regulador das Atividades Comerciais

Índice Sistemático. Capítulo Primeiro NOÇÕES GERAIS. I O Comércio e o Direito Regulador das Atividades Comerciais Índice Sistemático Capítulo Primeiro NOÇÕES GERAIS I O Comércio e o Direito Regulador das Atividades Comerciais 1. O Comércio como Atividade Empresarial 2. Desenvolvimento do Comércio e do Direito Regulador

Leia mais

STJ00097431 - V. 1 MARLON TOMAZETTE. cu SO DE DlREIT EMP S RIAL. Teoria. Societário. 6ª Edição. Volume 1

STJ00097431 - V. 1 MARLON TOMAZETTE. cu SO DE DlREIT EMP S RIAL. Teoria. Societário. 6ª Edição. Volume 1 MARLON TOMAZETTE cu SO DE DlREIT EMP S RIAL Teoria Societário 6ª Edição Volume 1 são PAULO EDITORA ATLAS S.A. - 2014 2007 by Editora Atlas SA 1.ed. 2008; 2. ed. 2009;3. ed. 2011; 4. ed. 2012; 5. ed. 2013;

Leia mais

STJ00070615. Sumário. Nota do autor, xix 1 HISTÓRICO, 1

STJ00070615. Sumário. Nota do autor, xix 1 HISTÓRICO, 1 STJ00070615 Sumário Nota do autor, xix 1 HISTÓRICO, 1 1 A invenção do comércio e do mercado, 1 2 Antigüidade, 5 3 Idade média e moderna, 17 4 Unificação do direito privado, 19 5 A valorização da empresa,

Leia mais

Nota do autor, xv. 6 Nome Empresarial, 48 6.1 Conceito e função do nome empresarial, 48 6.2 O nome do empresário individual, 49

Nota do autor, xv. 6 Nome Empresarial, 48 6.1 Conceito e função do nome empresarial, 48 6.2 O nome do empresário individual, 49 Nota do autor, xv Parte I - Teoria Geral da Empresa, 1 1 Introdução ao Direito de Empresa, 3 1.1 Considerações gerais, 3 1.2 Escorço histórico: do direito comercial ao direito de empresa, 4 1.3 Fontes

Leia mais

Conceito de Empresário

Conceito de Empresário Conceito de Empresário Requisitos (Art. 966,caput,CC): a) Profissionalismo; b) Atividade Econômica; c) Organização; d) Produção/Circulação de bens/serviços; Não Empresário Requisitos (Art. 966, único,

Leia mais

Prefeitura Municipal de Venda Nova do Imigrante

Prefeitura Municipal de Venda Nova do Imigrante INTRODUÇÃO II - DO OBJETO E DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS III - DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA IV - DAS CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO V - DO RECEBIMENTO DA DOCUMENTAÇÃO E DA PROPOST VI - ABERTURA DOS ENVELOPES VII - DA DOCUMENTAÇÃO

Leia mais

Nota do autor, xix. 5 Dissolução e liquidação, 77 1 Resolução da sociedade em relação a um sócio, 77

Nota do autor, xix. 5 Dissolução e liquidação, 77 1 Resolução da sociedade em relação a um sócio, 77 Nota do autor, xix 1 Empresa, 1 1 Empreender, 1 2 Noções históricas, 2 3 Teoria da empresa, 3 4 Registro, 8 4.1 Redesim, 10 4.2 Usos e práticas mercantis, 14 4.3 Empresário rural, 15 5 Firma individual,

Leia mais

Índice. Índice Sistemático 7 TRATADO DA UNIÃO EUROPEIA 15 TRATADO SOBRE O FUNCIONAMENTO DA UNIÃO EUROPEIA 43 TRATADO DE LISBOA 159

Índice. Índice Sistemático 7 TRATADO DA UNIÃO EUROPEIA 15 TRATADO SOBRE O FUNCIONAMENTO DA UNIÃO EUROPEIA 43 TRATADO DE LISBOA 159 5 Índice Índice Sistemático 7 TRATADO DA UNIÃO EUROPEIA 15 TRATADO SOBRE O FUNCIONAMENTO DA UNIÃO EUROPEIA 43 TRATADO DE LISBOA 159 S 163 ANEXO QUADROS DE CORRESPONDÊNCIA A QUE SE REFERE O ARTIGO 5.º DO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL JATAÍ PLANO DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL JATAÍ PLANO DE ENSINO PLANO DE ENSINO I. IDENTIFICAÇÃO Unidade Acadêmica: CAMPUS JATAÍ Curso: Direito Disciplina: Direito Empresarial I Carga horária semestral: 64 h Teórica Prática: 4 Semestre/ano: 1º semestre de 2015 Turma/turno:

Leia mais

Resumo. Para ser Comerciante (pessoa física) ou Sociedade Comercial (pessoa jurídica) era necessário ter:

Resumo. Para ser Comerciante (pessoa física) ou Sociedade Comercial (pessoa jurídica) era necessário ter: 1. Generalidades Resumo Antes do CC tínhamos o CCom de 1850 que era dividido em 3 partes: Parte Primeira: do Comércio em geral Parte Segunda: do Comércio Marítimo Parte Terceira: das Quebras (essa parte

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL CONTEMPORÂNEO

DIREITO EMPRESARIAL CONTEMPORÂNEO JEAN CARLOS FERNANDES Pós-doutor em Direito pela Universidade de Coimbra. Doutor em Direito Privado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Mestre em Direito Comercial pela Universidade

Leia mais

DANIEL MOREIRA DO PATROCÍNIO SOCIEDADE LIMITADA. Comentários. editora. Juarez de Oliveira

DANIEL MOREIRA DO PATROCÍNIO SOCIEDADE LIMITADA. Comentários. editora. Juarez de Oliveira DANIEL MOREIRA DO PATROCÍNIO SOCIEDADE LIMITADA Comentários 2008 editora Juarez de Oliveira II DANIEL MOREIRA DO PATROCÍNIO SOCIEDADE LIMITADA COMENTÁRIOS Daniel Moreira do Patrocínio 1ª edição, 2008 EDITORA

Leia mais

Capítulo III DIREITO DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL

Capítulo III DIREITO DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL Sumário Capítulo I EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO DIREITO COMERCIAL 1. Origens do direito comercial 2. Da definição do regime jurídico dos atos de comércio 2.1. Definição e descrição dos atos de comércio e sua

Leia mais

Prefácio... xxi Introdução... 1

Prefácio... xxi Introdução... 1 SUMÁRIO Prefácio... xxi Introdução... 1 CAPÍTULO I BREVE HISTÓRICO... 5 1. O comércio e o direito comercial... 5 2. A falência... 9 3. A evolução do direito falimentar... 11 4. O direito falimentar no

Leia mais

2 TEORIA GERAL DO DIREITO EMPRESARIAL 1 Base constitucional 2 Atuação econômica organizada 3 O direito de empresa 4 Coletividade de bens 5 Empresário

2 TEORIA GERAL DO DIREITO EMPRESARIAL 1 Base constitucional 2 Atuação econômica organizada 3 O direito de empresa 4 Coletividade de bens 5 Empresário 1 HISTÓRICO 1 A invenção do comércio e do mercado 2 Antiguidade 3 Idade média e moderna 3.1 Direito comercial no Brasil 4 Unificação do direito privado 5 A valorização da empresa 2 TEORIA GERAL DO DIREITO

Leia mais

Se gostar, deixe um comentário, marque os amigos, compartilhe! Sigam o nosso Periscope para aulas diárias: @gabrielrabelo87 RESUMO DIREITO SOCIETÁRIO

Se gostar, deixe um comentário, marque os amigos, compartilhe! Sigam o nosso Periscope para aulas diárias: @gabrielrabelo87 RESUMO DIREITO SOCIETÁRIO Olá, pessoal! Tudo bem? A seguir, um pequeno resumo da parte de direito societário! Servirá para aqueles que estão estudando para Exame da OAB, concurso da área jurídica, fiscal, policial, etc. Se gostar,

Leia mais

Código das Sociedades Comerciais

Código das Sociedades Comerciais Código das Sociedades Comerciais - 1 Código das Sociedades Comerciais Decreto-Lei n.º 262/86 de 2 de Setembro Actualizado de acordo com as alterações introduzidas pelos: Decreto-Lei n.º 184/87, de 21 de

Leia mais

PLANO DE ENSINO EMENTA Visão teórica, e tanto quanto possível prática, dos principais temas relacionados à introdução ao estudo do Direito Comercial.

PLANO DE ENSINO EMENTA Visão teórica, e tanto quanto possível prática, dos principais temas relacionados à introdução ao estudo do Direito Comercial. Faculdade de Direito Milton Campos Disciplina: Direito Empresarial I Curso: Direito Carga Horária: 64 Departamento: Direito Empresarial Área: Privado PLANO DE ENSINO EMENTA Visão teórica, e tanto quanto

Leia mais

Programa da disciplina de Direito Comercial I

Programa da disciplina de Direito Comercial I Universidade de Macau Faculdade de Direito Ano lectivo 2010/2011 Programa da disciplina de Direito Comercial I Regente: Mestre Augusto Teixeira Garcia Assistente: Mestre Miguel Quental Programa da disciplina

Leia mais

PLANO DE ENSINO EMENTA

PLANO DE ENSINO EMENTA Faculdade de Direito Milton Campos Disciplina: Direito Empresarial II Curso: Direito Carga Horária: 64 Departamento: Direito Privado Área: Direito Empresarial PLANO DE ENSINO EMENTA Estudo das sociedades

Leia mais

NÚCLEO AMIGOS DA TERRA / BRASIL ESTATUTO. Capítulo I. Da entidade e seus objetivos

NÚCLEO AMIGOS DA TERRA / BRASIL ESTATUTO. Capítulo I. Da entidade e seus objetivos Versão Final NÚCLEO AMIGOS DA TERRA / BRASIL ESTATUTO Capítulo I Da entidade e seus objetivos Art. 1º - O NÚCLEO AMIGOS DA TERRA / BRASIL, é uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos,

Leia mais

ESTATUTO!SOCIAL! ) TÍTULO)I) )DA)CONSTITUIÇÃO) CAPITULO)I) )DA)DENOMINAÇÃO,)SEDE,)NATUREZA)E)DURAÇÃO) ) ) )

ESTATUTO!SOCIAL! ) TÍTULO)I) )DA)CONSTITUIÇÃO) CAPITULO)I) )DA)DENOMINAÇÃO,)SEDE,)NATUREZA)E)DURAÇÃO) ) ) ) ESTATUTOSOCIAL TÍTULOI DACONSTITUIÇÃO CAPITULOI DADENOMINAÇÃO,SEDE,NATUREZAEDURAÇÃO Art. 1º Sob a denominação de ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE FAMÍLIAS HOMOAFETIVAS ABRAFH,comsedeàRuaBuenosAires,2 sala1702,centro

Leia mais

MANUAL DE PREENCHIMENTO DO TERMO DE EXCLUSÃO DO SIMPLES NACIONAL

MANUAL DE PREENCHIMENTO DO TERMO DE EXCLUSÃO DO SIMPLES NACIONAL MANUAL DE PREENCHIMENTO DO TERMO DE EXCLUSÃO DO SIMPLES NACIONAL A pessoa jurídica, optante pelo Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas e Empresas

Leia mais

TIPOS DE EMPRESAS. Se a opção for a de Empresário Individual, o patrimônio particular se confunde com o da empresa.

TIPOS DE EMPRESAS. Se a opção for a de Empresário Individual, o patrimônio particular se confunde com o da empresa. 1 TIPOS DE EMPRESAS A atividade econômica organizada produtiva pode ser exercida individualmente ou de forma coletiva, objetivando a partilha do resultado. Se a opção for a de Empresário Individual, o

Leia mais

CÓDIGO DO EVENTO CÓDIGO DO ATO. 1.1. Inscrição (registro inicial) 080 080 02 dias úteis R$99,00 R$10,00 1.2. Alteração (exceto para filiais)

CÓDIGO DO EVENTO CÓDIGO DO ATO. 1.1. Inscrição (registro inicial) 080 080 02 dias úteis R$99,00 R$10,00 1.2. Alteração (exceto para filiais) TABELA DE PREÇOS APROVADA PELA RESOLUÇÃO PLENÁRIA Nº 004/2015 SERVIÇOS PRESTADOS PELA JUNTA COMERCIAL 1. EMPRESÁRIO (213-5) DO DO 1.1. Inscrição (registro inicial) 080 080 02 dias úteis R$99,00 R$10,00

Leia mais

Sumário APRESENTAÇÃO... 15

Sumário APRESENTAÇÃO... 15 Sumário APRESENTAÇÃO... 15 Capítulo 1 DIREITO EMPRESARIAL... 17 1. Evolução histórica... 17 2. Evolução do Direito Comercial no Brasil... 18 3. Fontes... 21 4. Conceito e autonomia... 22 5. Questões...

Leia mais

SÚMULAS ORGANIZADAS POR ASSUNTO, ANOTADAS E COMENTADAS

SÚMULAS ORGANIZADAS POR ASSUNTO, ANOTADAS E COMENTADAS SÚMULAS DO ORGANIZADAS POR ASSUNTO, ANOTADAS E COMENTADAS Superior Tribunal de Justiça Direito Administrativo Direito Civil Direito Constitucional Direito de Trânsito Direito do Consumidor Direito do Trabalho

Leia mais

OAB 1ª FASE- EXTENSIVO VESPERTINO Disciplina: Direito Empresarial Prof. Elisabete Vido Data: 20.08.2009 Aula nº 01

OAB 1ª FASE- EXTENSIVO VESPERTINO Disciplina: Direito Empresarial Prof. Elisabete Vido Data: 20.08.2009 Aula nº 01 OAB 1ª FASE- EXTENSIVO VESPERTINO Disciplina: Direito Empresarial Prof. Elisabete Vido Data: 20.08.2009 Aula nº 01 TEMAS TRATADOS EM AULA 1. ATIVIDADE EMPRESARIAL X ATIVIDADE NÃO EMPRESARIAL O CC/02 adota

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO PARANÁ

TRIBUNAL DE CONTAS DO PARANÁ TRIBUNAL DE CONTAS DO PARANÁ DIRETORIA DE CONTAS MUNICIPAIS Prestação de Contas de Empresas Públicas e Sociedades de Economia Mista Municipais Prestação de Contas Anual Instrução Normativa n 22/2008 INSTRUÇÃO

Leia mais

ÍNDICE SISTEMÁTICO DO NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL

ÍNDICE SISTEMÁTICO DO NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL ÍNDICE SISTEMÁTICO DO NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL PARTE GERAL LIVRO I - DAS NORMAS PROCESSUAIS CIVIS TÍTULO ÚNICO - DAS NORMAS FUNDAMENTAIS E DA APLICAÇÃO DAS NORMAS PROCESSUAIS CAPÍTULO I - DAS NORMAS

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 425/2003 (Revogada pela Resolução nº 522/2007)

RESOLUÇÃO Nº 425/2003 (Revogada pela Resolução nº 522/2007) Publicação: 29/08/03 RESOLUÇÃO Nº 425/2003 (Revogada pela Resolução nº 522/2007) Cria a Superintendência da Gestão de Recursos Humanos, estabelece seu Regulamento e dá outras providências. A CORTE SUPERIOR

Leia mais

SUMÁRIO. I - Introdução ao Direito Processual do Trabalho, 1

SUMÁRIO. I - Introdução ao Direito Processual do Trabalho, 1 SUMÁRIO I - Introdução ao Direito Processual do Trabalho, 1 1 Fontes do direito processual do trabalho, 2 1.1 Fontes materiais, 2 1.2 Fontes formais, 3 1.2.1 Fontes formais diretas, 3 1.2.2 Fontes formais

Leia mais

DISSOLUÇÃO PARCIAL DA SOCIEDADE. Marcos Puglisi de Assumpção marcos@aesadv.com.br

DISSOLUÇÃO PARCIAL DA SOCIEDADE. Marcos Puglisi de Assumpção marcos@aesadv.com.br DISSOLUÇÃO PARCIAL DA SOCIEDADE SUMÁRIO Capítulo 01 SOCIEDADES - CONSIDERAÇÕES GERAIS Capítulo 02 DA DISSOLUÇÃO DAS SOCIEDADES 02.1 DAS CAUSAS DE DISSOLUÇÃO DAS SOCIEDADES 02.2 DA DISSOLUÇÃO PARCIAL DA

Leia mais

Sociedades. Feedback aula anterior: 26/10/2010

Sociedades. Feedback aula anterior: 26/10/2010 Prof. Thiago Gomes Sociedades Feedback aula anterior: Quais são os tipos societários que uma sociedade pode adotar? Adoção de tipo societário na sociedade simples/empresária Sociedade em nome coletivo

Leia mais

EDITAL Nº 16/2012 PROCESSO SELETIVO PARA PREENCHIMENTO DE VAGA DE PROFESSOR SUBSTITUTO POR PRAZO DETERMINADO

EDITAL Nº 16/2012 PROCESSO SELETIVO PARA PREENCHIMENTO DE VAGA DE PROFESSOR SUBSTITUTO POR PRAZO DETERMINADO Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha Campus Santo Augusto EDITAL Nº 16/2012 PROCESSO SELETIVO PARA PREENCHIMENTO

Leia mais

Conselhos de Esculápio... XXV. Abreviaturas... XXIX. 2. O surgimento da responsabilidade médica. Responsabilidade contratual e extracontratual...

Conselhos de Esculápio... XXV. Abreviaturas... XXIX. 2. O surgimento da responsabilidade médica. Responsabilidade contratual e extracontratual... SuMÁRIo Nota à 3 a edição... XIX Nota à 2 a edição... XXI Introdução à la edição... XXIII Conselhos de Esculápio... XXV breviaturas... XXIX Erro Médico e Suas Consequências Jurídicas 1. Erro médico...

Leia mais

DECRETO Nº 7.294, DE 6 DE SETEMBRO DE 2010 DOU 08.09.2010. Dispõe sobre a Política de Mobilização Nacional.

DECRETO Nº 7.294, DE 6 DE SETEMBRO DE 2010 DOU 08.09.2010. Dispõe sobre a Política de Mobilização Nacional. DECRETO Nº 7.294, DE 6 DE SETEMBRO DE 2010 DOU 08.09.2010 Dispõe sobre a Política de Mobilização Nacional. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso VI, alínea "a",

Leia mais

CURSO ONLINE - DIREITO COMERCIAL(EMPRESARIAL) AFRFB/AFT 2013 PROFESSORES LUCIANO OLIVEIRA E CADU CARRILHO AULA 07

CURSO ONLINE - DIREITO COMERCIAL(EMPRESARIAL) AFRFB/AFT 2013 PROFESSORES LUCIANO OLIVEIRA E CADU CARRILHO AULA 07 Olá, pessoal! Chegamos ao nosso derradeiro encontro! Esta é a Aula 07, a última do nosso curso de Direito Comercial para AFRFB e AFT 2012 (aleluia!...rs... Vocês vão sentir saudades!...rs). Hoje faremos

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR DIRETORIA COLEGIADA. RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN No- 389, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2015

AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR DIRETORIA COLEGIADA. RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN No- 389, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2015 AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR DIRETORIA COLEGIADA RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN No- 389, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2015 Dispõe sobre a transparência das informações no âmbito da saúde suplementar, estabelece

Leia mais

TABELA DE CONTRIBUIÇÃO DO SEGURADO EMPREGADO, DOMÉSTICO E AVULSO

TABELA DE CONTRIBUIÇÃO DO SEGURADO EMPREGADO, DOMÉSTICO E AVULSO TABELA DE CONTRIBUIÇÃO DO SEGURADO EMPREGADO, DOMÉSTICO E AVULSO A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2010 Salário-de-contribuição (R$) INSS até 1.040,22 8,00% de 1.040,23 até 1.733,70 9,00% de 1.733,71 até 3.467,40

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 013, DE 21 DE MAIO DE 2002.

LEI COMPLEMENTAR Nº 013, DE 21 DE MAIO DE 2002. LEI COMPLEMENTAR Nº 013, DE 21 DE MAIO DE 2002. DISPÕE SOBRE A SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA RELATICA AO ISSQN IMPOSTO SOBRE SERVIÇOS DE QUALQUER NATUREZA. A CAMARA MUNICIPAL DE ANAPOLIS aprovou e eu, PREFEITO

Leia mais

índice SISTEMÁTICO Apresentação...

índice SISTEMÁTICO Apresentação... índice SISTEMÁTICO Apresentação....................................... XI Capítulo I - Os Direitos Reais... I. Observações introdutórias: os direitos reais ou direito das coisas..... I 2. Âmbito......

Leia mais

LEI Nº 3434, DE 21 DE JULHO DE 1998.

LEI Nº 3434, DE 21 DE JULHO DE 1998. LEI Nº 3434, DE 21 DE JULHO DE 1998. Concede Benefício Fiscal às Micro Empresas e dá outras providências. A Câmara Municipal de Itabira, por seus Vereadores aprovou, e eu, Prefeito Municipal, sanciono

Leia mais

Estabelecimento Empresarial

Estabelecimento Empresarial Estabelecimento Empresarial É a base física da empresa, que consagra um conjunto de bens corpóreos e incorpóreos, constituindo uma universalidade que pode ser objeto de negócios jurídicos. É todo o complexo

Leia mais

3 Micro e pequenos empresários, 167

3 Micro e pequenos empresários, 167 Nota do autor, xix 1 HISTÓRICO, 1 1 A invenção do comércio e do mercado, 1 2 Antiguidade, 5 3 Idade média e moderna, 16 3.1 Direito comercial no Brasil, 19 4 Unificação do direito privado, 20 5 A valorização

Leia mais

PROJETO DE LEI MUNICIPAL Nº. xxx, DE xx DE xx DE xxxx INSTITUI O CONSELHO MUNICIPAL DE CULTURA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

PROJETO DE LEI MUNICIPAL Nº. xxx, DE xx DE xx DE xxxx INSTITUI O CONSELHO MUNICIPAL DE CULTURA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. PROJETO DE LEI MUNICIPAL Nº. xxx, DE xx DE xx DE xxxx INSTITUI O CONSELHO MUNICIPAL DE CULTURA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL, Faço saber que a Câmara Municipal decreta e eu sanciono a

Leia mais

Universidade Estadual de Ponta Grossa Pró-Reitoria de Recursos Humanos Diretoria de Provimento, Capacitação e Qualidade de Vida no Trabalho

Universidade Estadual de Ponta Grossa Pró-Reitoria de Recursos Humanos Diretoria de Provimento, Capacitação e Qualidade de Vida no Trabalho DEPARTAMENTO DE DIREITO DO ESTADO DIREITO INTERNACIONAL 1- Tratado Internacional 2- Mercosul 3- União Europeia 4- Estados como sujeitos do Direito Internacional 5- Órgãos das Relações entre os Estados

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL MANUAL TEÓRICO E PRÁTICO

DIREITO EMPRESARIAL MANUAL TEÓRICO E PRÁTICO SUHEL SARHAN JÚNIOR DIREITO EMPRESARIAL MANUAL TEÓRICO E PRÁTICO Obra para alunos da graduação, profissionais do Direito, Exame da OAB/FGV (1 9 e 2 9 fase) e Concursos Públicos. SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 1-1.,\-

Leia mais

ÍNDICE ALFABÉTICO REMISSIVO

ÍNDICE ALFABÉTICO REMISSIVO ÍNDICE ALFABÉTICO REMISSIVO A acionista controlador 151 ALIENAÇÃO ANTECIPADA de bens - de guarda dispendiosa 51 - semoventes 50 - sujeitos à depreciação econômica 49 ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA penhorabilidade

Leia mais

1. TEORIA GERAL DO DIREITO SOCIETÁRIO - HISTÓRICO. 2. TEORIA GERAL DO DIREITO SOCIETÁRIO SOCIEDADES EMPRESÁRIAS.

1. TEORIA GERAL DO DIREITO SOCIETÁRIO - HISTÓRICO. 2. TEORIA GERAL DO DIREITO SOCIETÁRIO SOCIEDADES EMPRESÁRIAS. 1. TEORIA GERAL DO DIREITO SOCIETÁRIO - HISTÓRICO. As sociedades acompanham a civilização desde o seu primórdio, ainda que não da maneira que conhecemos hoje. As sociedades tiveram o seu gênese no agrupamento

Leia mais

Sumário. Proposta da Coleção Leis Especiais para Concursos Apresentação Introdução Aplicabilidade... 21

Sumário. Proposta da Coleção Leis Especiais para Concursos Apresentação Introdução Aplicabilidade... 21 Sumário Proposta da Coleção Leis Especiais para Concursos... 15 Apresentação... 17 Introdução... 19 Aplicabilidade... 21 CAPÍTULO I Características e Natureza da Companhia ou Sociedade Anônima Características...

Leia mais

Tomo I OFÍCIOS DE JUSTIÇA... 13 Tomo II CARTÓRIOS EXTRAJUDICIAIS... 165 Normas do Pessoal dos Serviços Extrajudiciais... 282

Tomo I OFÍCIOS DE JUSTIÇA... 13 Tomo II CARTÓRIOS EXTRAJUDICIAIS... 165 Normas do Pessoal dos Serviços Extrajudiciais... 282 SUMÁRIO NORMAS DE SERVIÇO Tomo I OFÍCIOS DE JUSTIÇA................................................. 13 Tomo II CARTÓRIOS EXTRAJUDICIAIS.......................................... 165 Normas do Pessoal

Leia mais

FUNDAÇÃO DE APOIO À PESQUISA FUNAPE

FUNDAÇÃO DE APOIO À PESQUISA FUNAPE FUNDAÇÃO DE APOIO À PESQUISA FUNAPE ESTATUTO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA, SEDE, FORO E DURAÇÃO Art. 1º A Fundação de Apoio à Pesquisa - FUNAPE, constituída nos termos da escritura pública de dois

Leia mais

DECRETO Nº 61.867, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1967.

DECRETO Nº 61.867, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1967. DECRETO Nº 61.867, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1967. Regulamenta os seguros obrigatórios previstos no artigo 20 do Decreto-lei nº 73, de 21 de novembro de 1966, e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA,

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR N.º 139, DE 2015 (Do Sr. Altineu Côrtes)

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR N.º 139, DE 2015 (Do Sr. Altineu Côrtes) *C0055177A* C0055177A CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR N.º 139, DE 2015 (Do Sr. Altineu Côrtes) Altera a Lei Complementar nº 116, de 31 de julho de 2003, para modificar a competência para

Leia mais

Estatuto do Instituto de Estudos em Computação e Informação Quânticas

Estatuto do Instituto de Estudos em Computação e Informação Quânticas Estatuto do Instituto de Estudos em Computação e Informação Quânticas (IQUANTA) Capítulo I - DA DENOMINAÇÃO, DURAÇÃO, SEDE E FINALIDADES Art. 1º - O Instituto de Estudos em Computação e Informação Quânticas,

Leia mais

2ª feira 02/Dez/2013 - Edição nº 9097. de Umuarama.

2ª feira 02/Dez/2013 - Edição nº 9097. de Umuarama. 24 2ª feira 02/Dez/2013 - Edição nº 9097 de Umuarama. 2ª feira 02/Dez/2013 - Edição nº 9097 25 ANEXO I DO REGULAMENTO A QUE SE REFERE O DECRETO Nº 9510/2013 26 2ª feira 02/Dez/2013 - Edição nº 9097 ANEXO

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DE PERNAMBUCO

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DE PERNAMBUCO CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DE PERNAMBUCO Resolução nº 004, de 25 de março de 2015 Estabelece requisitos a serem observados para obtenção de apoio financeiro ou institucional junto ao CRMV-PE.

Leia mais

Fornecer ao estudante uma visão global do processo de execução, no Brasil, especialmente da execução para a cobrança de crédito.

Fornecer ao estudante uma visão global do processo de execução, no Brasil, especialmente da execução para a cobrança de crédito. 1 de 7 06/02/2015 15:58 Detalhes da Disciplina Código JUR3313 Nome da Disciplina DIREITO PROCESSUAL CIVIL III Carga Horária 60 Créditos 4 Ementa Objetivos Gerais Teoria Geral da Execução. Execução de Títulos

Leia mais

Portaria n.º 361/87 de 30 de Abril

Portaria n.º 361/87 de 30 de Abril Portaria n.º 361/87 de 30 de Abril O Decreto-Lei n.º 165/85, de 16 de Maio, instituiu o novo regime de formação profissional em cooperação entre o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) e

Leia mais

RESOLUÇÃO N 3. 347. Art. 2º (Revogado) (Revogado pela Resolução nº 3.706, de 27/3/2009.)

RESOLUÇÃO N 3. 347. Art. 2º (Revogado) (Revogado pela Resolução nº 3.706, de 27/3/2009.) RESOLUÇÃO N 3. 347 Dispõe sobre o direcionamento dos recursos captados em depósitos de poupança pelas entidades integrantes do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE). O BANCO CENTRAL DO BRASIL,

Leia mais

OI S.A. CNPJ/MF Nº 76.535.764/0001-43 NIRE 33.3.0029520-8 Companhia Aberta. Estatuto Social CAPÍTULO I REGIME JURÍDICO

OI S.A. CNPJ/MF Nº 76.535.764/0001-43 NIRE 33.3.0029520-8 Companhia Aberta. Estatuto Social CAPÍTULO I REGIME JURÍDICO OI S.A. CNPJ/MF Nº 76.535.764/0001-43 NIRE 33.3.0029520-8 Companhia Aberta Estatuto Social CAPÍTULO I REGIME JURÍDICO Art. 1º - A Oi S.A. é uma sociedade por ações, de capital aberto, que se rege pelo

Leia mais

e) assinatura do depositante; f) data da abertura da conta e respectivo número; g) despacho do administrador que autorize a abertura da conta

e) assinatura do depositante; f) data da abertura da conta e respectivo número; g) despacho do administrador que autorize a abertura da conta 1 CIRCULAR Nº 162 Aos Estabelecimentos Bancários, Caixas Econômicas e Cooperativas de Crédito Comunicamos-lhes que a Diretoria deste Banco Central, em sessão desta data, resolveu baixar as seguintes normas,

Leia mais

ESTATUTO DO SERVIÇO SOCIAL AUTÔNOMO AGÊNCIA BRASILEIRA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL - ABDI

ESTATUTO DO SERVIÇO SOCIAL AUTÔNOMO AGÊNCIA BRASILEIRA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL - ABDI ESTATUTO DO SERVIÇO SOCIAL AUTÔNOMO AGÊNCIA BRASILEIRA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL - ABDI ESTATUTO DO SERVIÇO SOCIAL AUTÔNOMO AGÊNCIA BRASILEIRA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL - ABDI I - DA DENOMINAÇÃO,

Leia mais

MARISOL S.A. CNPJ Nº 84.429.752/0001-62 EMPRESA DE CAPITAL ABERTO ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO, PRAZO DE DURAÇÃO

MARISOL S.A. CNPJ Nº 84.429.752/0001-62 EMPRESA DE CAPITAL ABERTO ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO, PRAZO DE DURAÇÃO MARISOL S.A. CNPJ Nº 84.429.752/0001-62 EMPRESA DE CAPITAL ABERTO ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO, PRAZO DE DURAÇÃO Artigo 1º: A MARISOL S.A. é uma Sociedade Anônima de capital aberto,

Leia mais

Sumário. 00_abertura_Direito das Sucessoes_Dimas.pmd11

Sumário. 00_abertura_Direito das Sucessoes_Dimas.pmd11 Sumário Apresentação... 17 Prefácio... 21 1- INTRODUÇÃO... 25 1.1- Histórico... 25 1.2- Acepção jurídica de sucessão... 26 2- TRANSMISSÃO DA HERANÇA/VOCAÇÃO HEREDITÁRIA... 31 3- HERANÇA JACENTE... 35 4-

Leia mais

Visão Jurídica do Planejamento Societário, Sucessório e Tributário. Fabio Pereira da Silva fabio@weigandesilva.com.br

Visão Jurídica do Planejamento Societário, Sucessório e Tributário. Fabio Pereira da Silva fabio@weigandesilva.com.br Visão Jurídica do Planejamento Societário, Sucessório e Tributário Fabio Pereira da Silva fabio@weigandesilva.com.br CONTEXTUALIZAÇÃO Riscos da atividade empresarial: Legislação Trabalhista e Passivo Laboral

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL. Falência e Recuperação de Empresas

DIREITO EMPRESARIAL. Falência e Recuperação de Empresas Falência e Recuperação de Empresas 1. Considere as afirmativas a respeito das manifestações processuais nos processos de falência e de recuperação judicial de empresas, nos termos da Lei 11.101/05: I.

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 492. O GOVERNADOR DO ESPÍRITO SANTO Faço saber que a Assembléia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte

LEI COMPLEMENTAR Nº 492. O GOVERNADOR DO ESPÍRITO SANTO Faço saber que a Assembléia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte LEI COMPLEMENTAR Nº 492 Institui o Programa de Parcerias Público- Privadas do Estado do Espírito Santo e dá outras providências. Lei: O GOVERNADOR DO ESPÍRITO SANTO Faço saber que a Assembléia Legislativa

Leia mais

MANUAL DO EMPRESÁRIO

MANUAL DO EMPRESÁRIO MANUAL DO EMPRESÁRIO ÍNDICE GERAL Pagina CAPITULO I VOCÊ, COMO EMPRESÁRIO E SUA EMPRESA 012 PARTE I TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER 012 ITEM I O QUE VOCÊ DEVE SER E TER 012 PARTE II O PLANEJAMENTO DA SUA

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA PROGRAMA DA DISCIPLINA CÓDIGO DISCIPLINA NATUREZA ANO CON 019 Direito Comercial e Societário 2014.2 CARGA HORÁRIA PRÉ-REQUISITO 72 h Introdução ao Direito Público e Privado PROFESSOR RESPONSÁVEL Joelson

Leia mais

TAL & TAL CONSULTORES LTDA CNPJ/MF nº 00.000.000./0001-00 PRIMEIRA ALTERAÇÃO CONTRATUAL

TAL & TAL CONSULTORES LTDA CNPJ/MF nº 00.000.000./0001-00 PRIMEIRA ALTERAÇÃO CONTRATUAL TAL & TAL CONSULTORES LTDA CNPJ/MF nº 00.000.000./0001-00 PRIMEIRA ALTERAÇÃO CONTRATUAL Fulano de Tal, brasileiro, casado, advogado, inscrito na OAB/PR sob o nº 00.000, residente e domiciliado na Av....

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL Alterado em Assembléia Geral em 09 de dezembro de 2010 CAPÍTULO I DAS CARACTERÍSTICAS E COMPOSIÇÃO DA ENTIDADE

ESTATUTO SOCIAL Alterado em Assembléia Geral em 09 de dezembro de 2010 CAPÍTULO I DAS CARACTERÍSTICAS E COMPOSIÇÃO DA ENTIDADE ESTATUTO SOCIAL Alterado em Assembléia Geral em 09 de dezembro de 2010 CAPÍTULO I DAS CARACTERÍSTICAS E COMPOSIÇÃO DA ENTIDADE ARTIGO 1 º - A Associação dos Municípios dos Campos Gerais, é órgão de representação

Leia mais

A RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA NA PRÁTICA

A RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA NA PRÁTICA A RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA NA PRÁTICA CONSIDERAÇÕES INICIAIS A RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA É UMA DAS MODALIDADES DE SUJEIÇÃO PASSIVA TRIBUTÁRIA; ANÁLISE DAS HIPÓTESES DE RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA

Leia mais

E S T A T U T O D O C L U B E D E R E G A T A S B R A S I L

E S T A T U T O D O C L U B E D E R E G A T A S B R A S I L E S T A T U T O D O C L U B E D E R E G A T A S B R A S I L H I N O O F I C I A L J a y m e d e A l t a v i l a I A o r e m o! Po i s n o s s o n o r t e D e g l ó r i a s t r a ç a d o e s t á. F a ç

Leia mais

XXX CURSO DE TREINAMENTO PROFISSIONAL EM PROPRIEDADE INDUSTRIAL

XXX CURSO DE TREINAMENTO PROFISSIONAL EM PROPRIEDADE INDUSTRIAL XXX CURSO DE TREINAMENTO PROFISSIONAL EM PROPRIEDADE INDUSTRIAL NÍVEL BÁSICO - 1º SEMESTRE DE 2015 RIO DE JANEIRO Objetivo Apresentar conceitos e o procedimento administrativo inerente à Propriedade Industrial.

Leia mais

Estado da Paraíba Prefeitura Municipal de Santa Cecília Gabinete do Prefeito

Estado da Paraíba Prefeitura Municipal de Santa Cecília Gabinete do Prefeito Lei nº176/2014 Dispõe sobre o Conselho e Fundo Municipal de Políticas sobre Drogas do Município de Santa Cecília e dá outras providências. A Câmara Municipal de Santa Cecília, estado da Paraíba, aprovou

Leia mais

Atribuições do órgão conforme a Lei nº 3.063, de 29 de maio de 2013: TÍTULO II DAS COMPETÊNCIAS DOS ÓRGÃOS DA ADMINISTRAÇÃO DIRETA

Atribuições do órgão conforme a Lei nº 3.063, de 29 de maio de 2013: TÍTULO II DAS COMPETÊNCIAS DOS ÓRGÃOS DA ADMINISTRAÇÃO DIRETA SECRETARIA MUNICIPAL DE COMPRAS E LICITAÇÕES End: Rua Siqueira Campos, S-64 Centro Fone: (14) 3283-9570 ramal 9576 Email: compras@pederneiras.sp.gov.br Responsável: Dr. Luis Carlos Rinaldi Atribuições

Leia mais

I. Amostra Grátis... 17. I.1 Isenção do IPI...17. I.2 Isenção do ICMS...18. I.3 Valor da operação...19. I.4 Exemplo...19. II. Armazém Geral...

I. Amostra Grátis... 17. I.1 Isenção do IPI...17. I.2 Isenção do ICMS...18. I.3 Valor da operação...19. I.4 Exemplo...19. II. Armazém Geral... S U M Á R I O A I. Amostra Grátis... 17 I.1 Isenção do IPI......17 I.2 Isenção do ICMS.........18 I.3 Valor da operação.........19 I.4 Exemplo.........19 II. Armazém Geral...... 23 II.1 Suspensão do IPI......23

Leia mais

MINUTA DE RESOLUÇÃO. Capítulo I DO OBJETO

MINUTA DE RESOLUÇÃO. Capítulo I DO OBJETO MINUTA DE RESOLUÇÃO Dispõe sobre a atividade de corretagem de resseguros, e dá outras providências. A SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS - SUSEP, no uso da atribuição que lhe confere o art. 34, inciso

Leia mais

CRÉDITO: 03 CARGA HORÁRIA SEMANAL: 03 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 45 PERÍODO: 7º NOME DA DISCIPLINA: DIREITO EMPRESARIAL II NOME DO CURSO: DIREITO

CRÉDITO: 03 CARGA HORÁRIA SEMANAL: 03 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 45 PERÍODO: 7º NOME DA DISCIPLINA: DIREITO EMPRESARIAL II NOME DO CURSO: DIREITO 1. IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DA DISCIPLINA: D. 40 CRÉDITO: 03 CARGA HORÁRIA SEMANAL: 03 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 45 PERÍODO: 7º NOME DA DISCIPLINA: DIREITO EMPRESARIAL II NOME DO CURSO: DIREITO 2. EMENTA Sociedades

Leia mais

Área Falência e Recuperação Judicial/Extrajudicial

Área Falência e Recuperação Judicial/Extrajudicial Área Falência e Recuperação Judicial/Extrajudicial ÁREA FALÊNCIA E RECUPERAÇÃO JUDICIAL/EXTRAJUDICIAL Descrição da Descrição (apenas Ação Civil Pública 65 e Alienação Judicial de Bens 52 Alienação Judicial

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX PREVIDÊNCIA SOCIAL

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX PREVIDÊNCIA SOCIAL VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX PREVIDÊNCIA SOCIAL Orientador Empresarial Arrecadação Previdenciária Normas Gerais - Revogação da Instrução Normativa SRP n 03/2005

Leia mais

Plano de Manutenção Predial Preventiva

Plano de Manutenção Predial Preventiva SUMAN Subsecretaria de Manutenções SEAP Secretaria de Adminitração Predial SEG Secretaria-Geral TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO DISTRITO FEDERAL E DOS TERRITÓRIOS Plano de Manutenção Predial Preventiva Brasília,

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DA MULTIPLUS S.A. CAPÍTULO I - DENOMINAÇÃO, SEDE, FORO, OBJETO E PRAZO

ESTATUTO SOCIAL DA MULTIPLUS S.A. CAPÍTULO I - DENOMINAÇÃO, SEDE, FORO, OBJETO E PRAZO ESTATUTO SOCIAL DA MULTIPLUS S.A. CAPÍTULO I - DENOMINAÇÃO, SEDE, FORO, OBJETO E PRAZO Artigo 1º - MULTIPLUS S.A. ("Companhia") é uma sociedade anônima regida por este Estatuto Social e pelas disposições

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO PIRANGUÇUENSE DE ARTESANATO

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO PIRANGUÇUENSE DE ARTESANATO ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO PIRANGUÇUENSE DE ARTESANATO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º A Associação Piranguçuense de Artesanato, doravante denominada APA, fundada em 04 de outubro de 2008, é

Leia mais

DECRETO Nº 3.102 - R, DE 30 de AGOSTO DE 2012

DECRETO Nº 3.102 - R, DE 30 de AGOSTO DE 2012 DECRETO Nº 3.102 - R, DE 30 de AGOSTO DE 2012 Altera o Art. 19 do Regulamento do Sistema de Transporte Coletivo Rodoviário Intermunicipal de Passageiros do Serviço de Fretamento e/ou Turismo, aprovado

Leia mais

Publicado no DOM em 15 jul 2015. Aprova o Regimento Interno do Fórum Permanente de Desenvolvimento Econômico e Turismo, na forma que especifica.

Publicado no DOM em 15 jul 2015. Aprova o Regimento Interno do Fórum Permanente de Desenvolvimento Econômico e Turismo, na forma que especifica. Decreto Nº 15203 DE 01/07/2015 Publicado no DOM em 15 jul 2015 Aprova o Regimento Interno do Fórum Permanente de Desenvolvimento Econômico e Turismo, na forma que especifica. O Prefeito Municipal de Teresina,

Leia mais

Índice de Minutas. Contratos em Especial Minutas de Contratos Actualizado

Índice de Minutas. Contratos em Especial Minutas de Contratos Actualizado Índice de Minutas Contratos em Especial Actualizado Contrato de Compra e Venda de Prédio Urbano Contrato de Compra e Venda de Fracção Autónoma Exemplo 1 Contrato de Compra e Venda de Fracção Autónoma Exemplo

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA RESOLUÇÃO Nº 1.868, DE 31 DE MARÇO DE 2012. Define as bases referenciais para valoração dos honorários por serviços prestados por economistas profissionais e por empresas prestadoras

Leia mais

SOCIEDADE BATISTA DE BENEFICÊNCIA TABEA

SOCIEDADE BATISTA DE BENEFICÊNCIA TABEA ALTERAÇÃO ESTATUTÁRIA Conforme Assembléia Geral Extraordinária realizada em vinte e três de julho de dois mil e dez (23.07.2010), devidamente convocada na forma prevista pelo estatuto, para o fim específico

Leia mais

PLANO DE ENSINO - 2º SEMESTRE/2013. Curso DIREITO

PLANO DE ENSINO - 2º SEMESTRE/2013. Curso DIREITO Disciplina DIREITO EMPRESARIAL I Professor(a) Curso DIREITO Turno/Horário NOTURNO 5ª 20h55-22h35 6ª 19h00-20h40 Turma: GILBERTO KENJI FUTADA Carga Horária Semanal 04h Carga Horária Semestral 72h Teórica

Leia mais

MODELO DE MINUTA CONTRATO SOCIAL DE SOCIEDADE DE ADVOGADOS (RAZÃO SOCIAL ADOTADA)

MODELO DE MINUTA CONTRATO SOCIAL DE SOCIEDADE DE ADVOGADOS (RAZÃO SOCIAL ADOTADA) MODELO DE MINUTA CONTRATO SOCIAL DE SOCIEDADE DE ADVOGADOS (RAZÃO SOCIAL ADOTADA) Pelo presente instrumento particular de constituição de sociedade de advogados comparecem as partes a seguir denominadas:

Leia mais

Instrução Normativa DNRC nº 114, de 30 de setembro de 2011 - DOU 03.10.2011

Instrução Normativa DNRC nº 114, de 30 de setembro de 2011 - DOU 03.10.2011 Instrução Normativa DNRC nº 114, de 30 de setembro de 2011 - DOU 03.10.2011 Aprova o quadro enumerativo dos atos empresariais sujeitos à aprovação prévia de órgãos e entidades governamentais para registro

Leia mais

Prefeitura Municipal de Venda Nova do Imigrante

Prefeitura Municipal de Venda Nova do Imigrante I - INTRODUÇÃO II - OBJETO III - DOS ÓRGÃOS E UNIDADES INTEGRANTES DO REGISTRO IV - CONDIÇÕES GERAIS PARA PARTICIPAÇÃO V - DO RECEBIMENTO DA DOCUMENTAÇÃO E DA PROPOST VI - ABERTURA DOS ENVELOPES VII -

Leia mais

Art. 1º. Aprovar as alterações do Estatuto da Universidade Federal de Juiz de Fora, com sede na cidade de Juiz de Fora, Estado de Minas Gerais.

Art. 1º. Aprovar as alterações do Estatuto da Universidade Federal de Juiz de Fora, com sede na cidade de Juiz de Fora, Estado de Minas Gerais. Portaria 1.105, de 28 de setembro de 1998 O Ministro de Estado da Educação e do Desporto, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto 1.845, de 28 de março de 1996, e tendo em vista o Parecer

Leia mais

10 ANOS DA LEI DE RECUPERAÇÃO E FALÊNCIA

10 ANOS DA LEI DE RECUPERAÇÃO E FALÊNCIA 10 ANOS DA LEI DE RECUPERAÇÃO E FALÊNCIA LEI 11.101/2005 FALÊNCIA António Manuel França Aires Agosto 2015 FALÊNCIA -RECORTE Convolação da Recuperação em Falência Venda de ativos Extensão dos efeitos a

Leia mais

CENTRO DE EXCELÊNCIA EM TECNOLOGIA DE SOFTWARE DO RECIFE SOFTEXRECIFE

CENTRO DE EXCELÊNCIA EM TECNOLOGIA DE SOFTWARE DO RECIFE SOFTEXRECIFE CENTRO DE EXCELÊNCIA EM TECNOLOGIA DE SOFTWARE DO RECIFE RELATÓRIO SOBRE O EXAME DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO SOCIAL FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2007 CENTRO DE EXCELÊNCIA EM TECNOLOGIA DE SOFTWARE

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL. FUNDO DE PENSÃO MULTINSTITUÍDO DA ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE CIRURGIÕES DENTISTAS - APCDPrev

ESTATUTO SOCIAL. FUNDO DE PENSÃO MULTINSTITUÍDO DA ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE CIRURGIÕES DENTISTAS - APCDPrev ESTATUTO SOCIAL FUNDO DE PENSÃO MULTINSTITUÍDO DA ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE CIRURGIÕES DENTISTAS - APCDPrev Setembro/2015 ÍNDICE CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA, INSTITUIDORA, SEDE, FORO, OBJETIVO E

Leia mais

Vice-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Cultura Gerência de Pós-Graduação. EDITAL 064/ Vice-Reitoria de Pós-Graduação / 2016

Vice-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Cultura Gerência de Pós-Graduação. EDITAL 064/ Vice-Reitoria de Pós-Graduação / 2016 Vice-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Cultura Gerência de Pós-Graduação EDITAL 064/ Vice-Reitoria de Pós-Graduação / 2016 Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas - DOUTORADO

Leia mais