A ESCOLA CATÓLICA, UMA INSTITUIÇAO DE ENSINO COM MÍSTICA EVANGELIZADORA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A ESCOLA CATÓLICA, UMA INSTITUIÇAO DE ENSINO COM MÍSTICA EVANGELIZADORA"

Transcrição

1 A ESCOLA CATÓLICA, UMA INSTITUIÇAO DE ENSINO COM MÍSTICA EVANGELIZADORA

2 A escola católica será uma instituiçao com mística evangelizadora UMA ESCOLA A SERVIÇO DA PESSOA E ABERTA A TODOS UMA ESCOLA COM UM PROFUNDO COMPROMISO SOCIAL UMA ESCOLA DE HOJE ORIENTADA PARA O FUTURO

3 A escola católica só faz sentido se oferece uma educação atual de qualidade, manifesta claramente seu sentido eclesial e oferece os seus serviços no campo da educação e da cultura a fim de realizar a sua missão evangelizadora.

4 1. UMA ESCOLA A SERVIÇO DA PESSOA E ABERTA A TODOS Na escola católica, a ideia da educação integral origina-se de uma concepção da pessoa, da vida e do mundo coerente com a fé em Jesus Cristo, para que cada aluno se sinta objeto do amor de Deus através do amor que recebe dos outros.

5 1. UMA ESCOLA A SERVIÇO DA PESSOA E ABERTA A TODOS 1.1. Uma escola a serviço da pessoa A finalidade prioritária da escola é promover a educação integral de todos os seus alunos...

6 1. UMA ESCOLA A SERVIÇO DA PESSOA E ABERTA A TODOS 1.1. Uma escola a serviço da pessoa -reconhece e aceita a situação em que se encontra cada um dos jovens que são educados por ela; -orienta no exercício das diversas formas de inteligência, e particularmente a inteligência espiritual, que lhes permite ter aspirações profundas e íntimas, e anseia por uma visão da vida e da realidade que dá sentido à existência; -promove seu sentido de responsabilidade e os acompanha para que adotem uma atitude crítica e criativa perante a sociedade em que vivem;

7 1. UMA ESCOLA A SERVIÇO DA PESSOA E ABERTA A TODOS 1.1. Uma escola a serviço da pessoa -orienta no domínio do próprio corpo como meio de comunicação e instrumento privilegiado de experiências afetivas, e no conhecimento, no respeito e no uso da sua sexualidade; -Impulsiona a melhorar o seu ambiente social por meio de uma ação pessoal e solidária em face da construção de um mundo que irá fornecer a própria realização pessoal.

8 1. UMA ESCOLA A SERVIÇO DA PESSOA E ABERTA A TODOS 1.2. Uma escola atenta à diversidade A ajuda pessoal dos educadores a cada aluno, de acordo com as suas capacidades e sua dinâmica de crescimento e amadurecimento, é a condição básica de um serviço educativo de qualidade.

9 1. UMA ESCOLA A SERVIÇO DA PESSOA E ABERTA A TODOS 1.2. Uma escola atenta à diversidade -o trabalho da escola é planejado e realizado levando em conta as necessidades reais dos estudantes nas diversas fases do sistema educativo; -os funcionários da escola e os professores tenham adquirido a qualificação pedagógica adequada, adaptada à realidade sociocultural da própria comunidade educativa;

10 1. UMA ESCOLA A SERVIÇO DA PESSOA E ABERTA A TODOS 1.2. Uma escola atenta à diversidade -o projeto educativo e as programações didáticas incorporam os elementos necessários para alcançar o oportuno ensino intercultural; -o conjunto dos recursos humanos e materiais, bem como a relação aluno-professor, são adequados para atender à diversidade de situações dos alunos.

11 1. UMA ESCOLA A SERVIÇO DA PESSOA E ABERTA A TODOS 1.3. Uma escola inserida no ambiente sociocultural Para realizar uma ação educativa eficaz é necessária a inserção total da escola no próprio bairro, povo, região e país...

12 1. UMA ESCOLA A SERVIÇO DA PESSOA E ABERTA A TODOS 1.3. Uma escola inserida no ambiente sociocultural -abertura às atividades do povo e do bairro a que pertence para tornar-se um âmbito de relações e de intercâmbios e uma ferramenta eficaz de formação para jovens e adultos; -ajuda às famílias do seu ambiente social para dar sentido às suas inquietudes e encontra respostas para as suas preocupações e os seus problemas;

13 1. UMA ESCOLA A SERVIÇO DA PESSOA E ABERTA A TODOS 1.3. Uma escola inserida no ambiente sociocultural -favorece o conhecimento e o cultivo de costumes e tradições características da cultura própria da população que serve; -facilita às famílias imigrantes sua plena integração na comunidade que as acolhe, respeitando a sua cultura.

14 1. UMA ESCOLA A SERVIÇO DA PESSOA E ABERTA A TODOS 1.4. Uma escola aberta a todos...a escola é um ambiente que educa para a convivência social. Isto significa que todos devem se sentir acolhidos e valorizados, e com possibilidade de se desenvolver como pessoas, respeitando o modo de ser e de pensar dos outros

15 1. UMA ESCOLA A SERVIÇO DA PESSOA E ABERTA A TODOS 1.4. Uma escola aberta a todos -evita totalmente a execução de critérios seletivos na admissão de alunos por motivos sociais, crença religiosa, origem cultural ou capacidade para estudos; -faz todo o possível para acessar ao financiamento público em várias fases do sistema de ensino, a fim de garantir para todas as famílias as mesmas oportunidades para educar seus filhos; -favorece que todos os membros da comunidade educativa assumam o seu caráter próprio como escola católica e colaborem ativamente em fazer isso acontecer na ação educativa.

16 1. UMA ESCOLA A SERVIÇO DA PESSOA E ABERTA A TODOS 1.5. Uma escola complemento da família A constante evolução da sociedade, do ambiente familiar e da própria instituição de ensino, coloca novos desafios para a ação educativa que as famílias e a escola devem realizar em conjunto

17 1. UMA ESCOLA A SERVIÇO DA PESSOA E ABERTA A TODOS 1.5. Uma escola complemento da família -assumem uma atitude de abertura diante as necessidades educacionais dos filhos-alunos, tentando descobrir suas causas e buscar conjuntamente as respostas mais adequadas em cada momentos; -reconhecem efetivamente que a ação educativa é necessariamente uma ação compartilhada pela família e a escola, e que o diálogo e a cooperação mútua são indispensáveis; -planejam e organizem em conjunto, desde a escola, os serviços de informação e formação ao longo da vida, a fim de promover uma ação educativa coerente e satisfatória para todos.

18 2. UMA ESCOLA COM UM PROFUNDO COMPROMISO SOCIAL Na escola católica, cada aluno cresce e se desenvolve como um membro de uma comunidade em que as relações de fraternidade expressam que todos os membros são considerados filhos de Deus e chamados a acolher o Evangelho de Jesus como norma de vida.

19 2. UMA ESCOLA COM UM PROFUNDO COMPROMISO SOCIAL 2.1. Uma escola de cidadania A consciência de partilhar alguns valores e um destino comum com todos os homens e as mulheres da Terra é a base de qualquer projeto de construção da comunidade humana.

20 2. UMA ESCOLA COM UM PROFUNDO COMPROMISO SOCIAL 2.1. Uma escola de cidadania -ajudam os alunos e alunas a ter e expressar sua própria opinião sobre as coisas e os eventos. Isto envolve ouvir, aprender, informar-se, comparar, perguntar-se e, se for caso, expressar a própria opinião; -motiva aos alunos para o envolvimento e a participação ativa na vida social, a fim de assegurar que as intenções sejam transformadas em projetos operacionais e que os projetos operacionais se transformem em realidades vividas;

21 2. UMA ESCOLA COM UM PROFUNDO COMPROMISO SOCIAL 2.1. Uma escola de cidadania -valoriza pequenos gestos e atos aparentemente insignificantes de cada pessoa, e não duvidam da fecundidade do compromisso solidário, mesmo não tendo alto-falantes para divulgar a sua ação; -descobrem a importância da ação conjunta e do acordo entre pessoas e instituições, conscientes de que o trabalho em equipe aumenta a eficácia das ações individuais; -comprometem-se com a renovação das instituições e se esforçam para dar seiva e vida, começando com a própria escola.

22 2. UMA ESCOLA COM UM PROFUNDO COMPROMISO SOCIAL 2.2. Uma escola que educa para a justiça A educação para a justiça é uma dimensão essencial da promoção integral da pessoa humana e uma expressão da opção de serviço à causa de Deus no mundo.

23 2. UMA ESCOLA COM UM PROFUNDO COMPROMISO SOCIAL 2.2. Uma escola que educa para a justiça -revela as injustiças existentes na nossa sociedade e ajuda a encontrar situações em que a dignidade humana não seja suficientemente reconhecida nem respeitada; -denuncia publicamente a violação dos direitos humanos e rejeita tudo aquilo que gera situações de exclusão social ou de marginalização social;

24 2. UMA ESCOLA COM UM PROFUNDO COMPROMISO SOCIAL 2.2. Uma escola que educa para a justiça -fomenta reflexão crítica sobre a realidade da injustiça existente na sociedade, para que os alunos não sejam manipulados nem se tornem cúmplices da injustiça com o silêncio ou sua indiferença; -supera barreiras sociais que dividem e separam aos grupos humanos, e abre-se para as diferentes realidades da própria comunidade educativa e do seu ambiente mais próximo;

25 2. UMA ESCOLA COM UM PROFUNDO COMPROMISO SOCIAL 2.2. Uma escola que educa para a justiça -obtém a integração normal e fácil de crianças, adolescentes e jovens com menos oportunidades, tanto econômicas como de origem social; -valoriza o trabalho dos alunos segundo suas capacidades e se esforça para alcançar uma política educacional que assegura os meios adequados para os alunos que precisam uma educação especial.

26 2. UMA ESCOLA COM UM PROFUNDO COMPROMISO SOCIAL 2.3. Uma escola que educa para a liberdade A libertação da pessoa é um dos objetivos essenciais da toda ação educativa. Portanto, cada escola deve ser educadora e testemunha de liberdade...

27 2. UMA ESCOLA COM UM PROFUNDO COMPROMISO SOCIAL 2.3. Uma escola que educa para a liberdade -Os professores se comportam como pessoas livres com convicções profundas, fazendo que sua maneira de viver e de agir seja um estímulo constante para os alunos; -a ação educativa permite aos alunos adquirir gradualmente um conceito claro e autêntico de liberdade e se acostumar com a tomada de decisões e ações por convicção próprias;

28 2. UMA ESCOLA COM UM PROFUNDO COMPROMISO SOCIAL 2.3. Uma escola que educa para a liberdade -a organização da escola incentiva os alunos a assumir a responsabilidade conforme níveis e idades, e, assim, preparar-se para a participação ativa na vida social, política e eclesial; -o desenvolvimento da criatividade é o resultado de uma ação educativa baseada na flexibilidade de proposta, de caminhos e de meios; -os meninos e as meninas vivem juntos e aprendem a conhecer-se, respeitar-se e complementar-se na vida adulta que os espera.

29 2. UMA ESCOLA COM UM PROFUNDO COMPROMISO SOCIAL 2.4. Uma escola solidária que promove a integração social será necessário criar um ambiente que favoreça a solidariedade e a integração social de grupos que têm tradições, costumes, línguas e atitudes diferentes.

30 2. UMA ESCOLA COM UM PROFUNDO COMPROMISO SOCIAL 2.4. Uma escola solidária que promove a integração social -ajuda aos meninos e às meninas a descobrir situações de ambientes onde se sintam chamados à solidariedade com os mais necessitados e desamparados; -valoriza e expressa a sua própria identidade cultural e, simultaneamente, dá a conhecer as diferentes culturas presentes na nossa sociedade, promovendo o respeito e a compreensão da diversidade; -favorece a valorização positiva do pluralismo cultural, reconhecendo que a aceitação passiva dos direitos de outros grupos culturais não o suficiente, é preciso a compreensão ativa e empática de suas culturas;

31 2. UMA ESCOLA COM UM PROFUNDO COMPROMISO SOCIAL 2.4. Uma escola solidária que promove a integração social -ajuda aos membros da própria comunidade educativa a participar ativamente em uma sociedade onde convivem as culturas, religiões, costumes e estilos de vida diferentes, todos interdependentes; -elabora propostas de educação intercultural para facilitar a valorização positiva da diversidade e estimula a adoção de atitudes e hábitos de comportamento solidário com pessoas de outras culturas.

32 2. UMA ESCOLA COM UM PROFUNDO COMPROMISO SOCIAL 2.5. Uma escola comunidade educativa As pessoas que colaboraram na tarefa educativa confiada à escola constituem a comunidade educativa, ou seja, formam um grupo que considera a escola como sua e se sente responsável dela.

33 2. UMA ESCOLA COM UM PROFUNDO COMPROMISO SOCIAL 2.5. Uma escola comunidade educativa -assumem os princípios básicos que são expressos no caráter próprio e no projeto educativo da escola, e que determinam o tipo de educação que oferece às famílias; -sentem-se responsáveis para atualizar constantemente tudo o que a escola é e o que ela significa no conjunto do sistema educativo, garantindo que tem os recursos que necessita em todos os momentos;

34 2. UMA ESCOLA COM UM PROFUNDO COMPROMISO SOCIAL 2.5. Uma escola comunidade educativa -se esforçam para criar entre eles uma rede de relações e um quadro de convivência que facilitam o compartilhamento e a contribuição de todo o que sabem e podem o serviço do projeto educativo do centro; -avançam juntos em um caminho de aprendizado e crescimento, reconhecendo que cada um possa aprender dos outros, e que todos podem dar e todos podem receber.

35 3. UMA ESCOLA DE HOJE ORIENTADA PARA O FUTURO Na escola católica, o trabalho educativo é concebido como uma ajuda para o aluno, protagonista da sua própria vida e responsável pela construção de um mundo melhor para todos, com a esperança de que um dia o Reino de Deus que é amor, vai chegar.

36 3. UMA ESCOLA DE HOJE ORIENTADA PARA O FUTURO 3.1. Uma escola sempre atual Na vida de uma pessoa e também de toda instituição social, cada período histórico tem exigências e necessidades específicas que precisam a adoção de atitudes e decisões adequadas

37 3. UMA ESCOLA DE HOJE ORIENTADA PARA O FUTURO 3.1. Uma escola sempre atual -todos os dias supera o riscos da inação, da inércia e da nostalgia de um tempo que já passou; -enfoca continuamente sua atenção sobre as necessidades e aspirações presentes em seu ambiente social, cultural e eclesial, e tenta descobrir as preocupações das pessoas que formam a própria comunidade educativa; -cada dia programa e coloca em prática a ação educativa com determinação para responder prontamente a estas necessidades e preocupações.

38 3. UMA ESCOLA DE HOJE ORIENTADA PARA O FUTURO 3.2. Uma escola que é vida e educa para a vida...a qualidade de uma escola é medida pelo grau em que o ensino ministrado se faz realidade na vida de seus alunos e, ao mesmo tempo, constitui uma boa preparação para sua vida futura.

39 3. UMA ESCOLA DE HOJE ORIENTADA PARA O FUTURO 3.2. Uma escola que é vida e educa para a vida -capacita aos meninos e às meninas a pensar por si mesmos e dá acesso aos conhecimentos que serão selecionados, interpretados e valorizados, para que eles e elas aprendam a aprender de forma independente, com autonomia, e ao longo da vida; -ajuda-os a desenvolver as competências para saber ser e saber estar, para que aprendam a afirmar sua própria identidade, possam conviver com os outros, e orientar suas decisões e comportamentos;

40 3. UMA ESCOLA DE HOJE ORIENTADA PARA O FUTURO 3.2. Uma escola que é vida e educa para a vida -integra à ação educativa os avanços da ciência e da tecnologia como recursos que facilitam o desenvolvimento pessoal, a comunicação interpessoal e a vida em sociedade; -promove a aceitação cordial da diversidade e da integração social de todas as pessoas, sem exclusão de qualquer tipo; -oferece às famílias e ao entorno tudo aquilo que justifica a sua ação educativa como um serviço eclesial.

41 3. UMA ESCOLA DE HOJE ORIENTADA PARA O FUTURO 3.3. Uma escola de formação continuada O processo educativo é contínuo e acompanha a pessoa ao longo da vida toda, de modo que a escola é um espaço privilegiado para a formação inicial e a formação que se prolongará, diversificará e expandirá continuamente.

42 3. UMA ESCOLA DE HOJE ORIENTADA PARA O FUTURO 3.3. Uma escola de formação continuada -reconhece e aceita a responsabilidade que lhe foi confiada na formação inicial dos alunos, assumindo que estabelece as bases para um processo de aprendizagem permanente; -participa ativamente no desenho e na realização de processos de formação para os membros da própria comunidade educativa, para que ela se torne gradualmente uma comunidade de aprendizagem: todos aprendem com o apoio e colaboração de todos;

43 3. UMA ESCOLA DE HOJE ORIENTADA PARA O FUTURO 3.3. Uma escola de formação continuada -colabora com outras instituições de ensino para se tornar um lugar de encontro, de reflexão e de formação ao serviço de todos aqueles que mostram o desejo de continuar a sua formação continuada; -considera prioritária a formação contínua dos membros da equipe de direção e do corpo docente, como pessoas, como cristãos e como profissionais da educação, dedicando os recursos necessários para que seja uma aprendizagem bem sucedida para todos.

44 3. UMA ESCOLA DE HOJE ORIENTADA PARA O FUTURO 3.4. Uma escola ousada, inovadora e criativa A contínua evolução da sociedade e do mundo do trabalho, os progressos da psicologia e da pedagogia, e os avanços da ciência e da tecnologia, impõem à escola o desafio da constante renovação de sua oferta educativa e dos recursos ao serviço desta oferta.

45 3. UMA ESCOLA DE HOJE ORIENTADA PARA O FUTURO 3.4. Uma escola ousada, inovadora e criativa -os órgãos de direção adotam uma atitude ousada, inovadora e criativa que impulsiona a atualização contínua de toda a escola e da ação educativa que realiza; -a equipe diretiva avalia continuamente a situação da própria comunidade educativa, as necessidades de formação dos seus membros e de seu ambiente social, e os resultados do trabalho realizado com os alunos e suas famílias;

46 3. UMA ESCOLA DE HOJE ORIENTADA PARA O FUTURO 3.4. Uma escola ousada, inovadora e criativa -a escola e as equipes de professores constituem um campo de reflexão sobre a tarefa que desempenha e, ao mesmo tempo, um âmbito de atualização permanente dos seus membros, tanto em sua dimensão profissional como na humana e cristã; -o projeto educativo é uma ferramenta para a melhoria contínua da educação oferecida pela escola e sua ação evangelizadora.

47 3. UMA ESCOLA DE HOJE ORIENTADA PARA O FUTURO 3.5. Uma escola com um claro sentido de Igreja...a escola católica oferece às famílias uma forma de educação inspirada por uma compreensão cristã da pessoa humana, da vida e do mundo. Os cristãos trairíamos a mensagem do Evangelho se renunciássemos à proclamação da fé em Jesus Cristo, fonte de inspiração no modo de conceber a pessoa humana e seu destino.

48 3. UMA ESCOLA DE HOJE ORIENTADA PARA O FUTURO 3.5. Uma escola com um claro sentido de Igreja -sentem a necessidade de assegurar que o pensamento cristão sobre a pessoa humana, a vida e o mundo tem um lugar dentro do pluralismo cultural que caracteriza a nossa sociedade; -oferecem às crianças, adolescentes e jovens uma formação integral que facilite a compreensão e eventual aceitação da mensagem do Evangelho; e àqueles que receberam o dom da fé em Jesus Cristo, ajuda-os a viver e celebrar a sua fé em comunidade;

49 3. UMA ESCOLA DE HOJE ORIENTADA PARA O FUTURO 3.5. Uma escola com um claro sentido de Igreja -inspiram seu trabalho nos princípios relativos ao ensino que proclama e defende a Igreja Católica sobre a situação de descristianização de nossa sociedade, numa atitude de profundo respeito pelas crenças e convicções de todos.

50 As escolas católicas podem e devem assegurar que o ensino O ministrado maior desafio seja da Igreja um meio Católica de no século XXI é a nova evangelização, nova evangelização, GRACIAS em que compromete todas as resposta instituições à diversidade da Igreja e todas de as pessoas situações OBRIGADO que em aceitaram que os o dom alunos da fé e em Jesus Cristo. as suas famílias estão, com o mais profundo respeito por suas crenças e convicções.

Educar hoje e amanhã uma paixão que se renova. Prof. Humberto S. Herrera Contreras

Educar hoje e amanhã uma paixão que se renova. Prof. Humberto S. Herrera Contreras Educar hoje e amanhã uma paixão que se renova Prof. Humberto S. Herrera Contreras O que este documento nos diz? Algumas percepções iniciais... - O título já é uma mensagem espiritual! tem movimento, aponta

Leia mais

DINÂMICA DE FUNCIONAMENTO: Horário matutino: de 5º ao 9 º ano do Ensino Fundamental.

DINÂMICA DE FUNCIONAMENTO: Horário matutino: de 5º ao 9 º ano do Ensino Fundamental. NÍVEIS E MODALIDADES DE ENSINO: EDUCAÇÃO INFANTIL: Maternal III: 3-4 anos 1º Período: 4-5 anos 2º Período: 5-6 anos ENSINO FUNDAMENTAL: Novatos: 1º ano matrícula com 6 anos completos (até 31 de março)

Leia mais

Plano de Formação da CVX-P

Plano de Formação da CVX-P da CVX-P Apresentado à VIII Assembleia Nacional CVX-P Fátima, Outubro 2004 Introdução... 2 Etapa 0: Acolhimento... 3 Etapa 1: Iniciação... 5 Etapa 2: Identificação... 6 Etapa 3: Missão... 7 1 Introdução

Leia mais

BIÊNIO 2012-2013. Tema Geral da Igreja Metodista "IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA. Tema para o Biênio

BIÊNIO 2012-2013. Tema Geral da Igreja Metodista IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA. Tema para o Biênio 1 IGREJA METODISTA PASTORAL IMED PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E PLANO DE AÇÃO BIÊNIO 2012-2013 Tema Geral da Igreja Metodista "IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA

Leia mais

MÍSTICA E CONSTRUÇÃO Por que pensar em Mística e Construção?

MÍSTICA E CONSTRUÇÃO Por que pensar em Mística e Construção? MÍSTICA E CONSTRUÇÃO Espiritualidade e profecia são duas palavras inseparáveis. Só os que se deixam possuir pelo espírito de Deus são capazes de plantar sementes do amanhã e renovar a face da terra. Todo

Leia mais

134 missionários e missionárias, segundo o carisma próprio de cada instituto religioso. 6.4.6 A Educação Católica

134 missionários e missionárias, segundo o carisma próprio de cada instituto religioso. 6.4.6 A Educação Católica 134 missionários e missionárias, segundo o carisma próprio de cada instituto religioso. 6.4.6 A Educação Católica 328. A América latina e o Caribe vivem uma particular e delicada emergência educativa.

Leia mais

CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS

CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS Infância/Adolescencia MISSÃO MISSÃO. Palavra muito usada entre nós É encargo, incumbência Missão é todo apostolado da Igreja. Tudo o que a Igreja faz e qualquer campo.

Leia mais

Proposta Pedagógica. Buscando atender às necessidades da comunidade local, o Colégio La Salle Brasília oferece educação infantil, fundamental e médio.

Proposta Pedagógica. Buscando atender às necessidades da comunidade local, o Colégio La Salle Brasília oferece educação infantil, fundamental e médio. Proposta Pedagógica Visão: Ser um centro de excelência em Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio que busca alcançar a utopia que tem de pessoa e sociedade, segundo os critérios do evangelho, vivenciando

Leia mais

OS DESAFIOS DACOMUNICAÇÃO

OS DESAFIOS DACOMUNICAÇÃO OS DESAFIOS DACOMUNICAÇÃO A contribuição das mídias. Como parte constitutiva da atual ambiência comunicacional, elas tornam-se recursos e ambientes para o crescimento pessoal e social. Constituem-se no

Leia mais

assim ela poderá estar a serviço de uma ação solidária e libertadora do povo latino-americano.

assim ela poderá estar a serviço de uma ação solidária e libertadora do povo latino-americano. Conclusão Geral Para que a Igreja possa cumprir sua missão solidária e libertadora na AL, terá que estar em contínuo processo de conversão e sintonizada com os sinais dos tempos. Somente assim poderá se

Leia mais

Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso. Conselho Mundial das Igrejas. Aliança Evangélica Mundial

Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso. Conselho Mundial das Igrejas. Aliança Evangélica Mundial Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso Conselho Mundial das Igrejas Aliança Evangélica Mundial A missão pertence à essência da igreja. Proclamar a palavra de Deus e testemunhá-la ao mundo é

Leia mais

ESCOLA DE PASTORAL CATEQUÉTICA ESPAC

ESCOLA DE PASTORAL CATEQUÉTICA ESPAC ESCOLA DE PASTORAL CATEQUÉTICA ESPAC 1. ESPAC O QUE É? A ESPAC é uma Instituição da Arquidiocese de Fortaleza, criada em 1970, que oferece uma formação sistemática aos Agentes de Pastoral Catequética e

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE EMRC 9.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE EMRC 9.º ANO DE EMRC 9.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO O aluno, no final do 9.º ano, deve atingir as metas abaixo indicadas, nos seguintes domínios: Religião e Experiência Religiosa Compreender o que são

Leia mais

PROJETO EDUCATIVO DO MOVIMENTO ESCOTEIRO

PROJETO EDUCATIVO DO MOVIMENTO ESCOTEIRO PROJETO EDUCATIVO DO MOVIMENTO ESCOTEIRO PROJETO EDUCATIVO DO MOVIMENTO ESCOTEIRO Escritório Nacional Rua Coronel Dulcídio, 2107 - Bairro Água Verde CEP 80250-100 - Curitiba - PR Tel: (41) 3353-4732 Fax:

Leia mais

Declaração de Princípios sobre a Tolerância * (**)

Declaração de Princípios sobre a Tolerância * (**) Declaração de Princípios sobre a Tolerância * (**) Os Estados Membros da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura reunidos em Paris em virtude da 28ª reunião da Conferência

Leia mais

CARTA DE PRINCÍPIOS, CRENÇAS E VALORES 1 ALIANÇA CRISTÃ EVANGÉLICA BRASILEIRA Aliança Evangélica. A unidade na fé a caminho da missão

CARTA DE PRINCÍPIOS, CRENÇAS E VALORES 1 ALIANÇA CRISTÃ EVANGÉLICA BRASILEIRA Aliança Evangélica. A unidade na fé a caminho da missão CARTA DE PRINCÍPIOS, CRENÇAS E VALORES 1 ALIANÇA CRISTÃ EVANGÉLICA BRASILEIRA Aliança Evangélica A unidade na fé a caminho da missão Nossa Visão Manifestar a unidade da igreja por meio do testemunho visível

Leia mais

O RITUAL DE INICIAÇÃO CRISTÃ DE ADULTOS: UM INSTRUMENTO PARA A TRANSMISSÃO DA FÉ

O RITUAL DE INICIAÇÃO CRISTÃ DE ADULTOS: UM INSTRUMENTO PARA A TRANSMISSÃO DA FÉ O RITUAL DE INICIAÇÃO CRISTÃ DE ADULTOS: UM INSTRUMENTO PARA A TRANSMISSÃO DA FÉ Pe. Thiago Henrique Monteiro Muito adultos convertem-se a Cristo e à Igreja Católica. Por exemplo, neste ano, nas dioceses

Leia mais

A Pedagogia de Deus. A Pedagogia de Deus

A Pedagogia de Deus. A Pedagogia de Deus A Pedagogia de Deus Esse livreto, o primeiro de uma série de três, foi escrito pelo Padre Eli Chavez, da nova Capelania da AIC Internacional, para nos guiar em nosso desenvolvimento espiritual, durante

Leia mais

3 Os Leigos Boa Nova são parte integrante da OMAS e, como tal, regem-se pelos estatutos daquela Obra Missionária e pelo presente regulamento.

3 Os Leigos Boa Nova são parte integrante da OMAS e, como tal, regem-se pelos estatutos daquela Obra Missionária e pelo presente regulamento. Regulamento interno Cap. 1 Natureza e Fins 1 Os Leigos Boa Nova são um departamento e um serviço da Obra Missionária de Acção Social (OMAS) para as suas acções de desenvolvimento no âmbito do seu papel

Leia mais

Projeto Pedagógico Institucional PPI FESPSP FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI

Projeto Pedagógico Institucional PPI FESPSP FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI Grupo Acadêmico Pedagógico - Agosto 2010 O Projeto Pedagógico Institucional (PPI) expressa os fundamentos filosóficos,

Leia mais

Comissão Episcopal Pastoral para o Serviço da Caridade da Justiça e da Paz

Comissão Episcopal Pastoral para o Serviço da Caridade da Justiça e da Paz Comissão Episcopal Pastoral para o Serviço da Caridade da Justiça e da Paz Cardeal Sebastião Leme Grito por justiça Dom Helder Câmara Não deixe morrer o profetismo Dom Luciano Mendes de Almeida Não esqueçam

Leia mais

PROJETO EDUCATIVO DO BRASIL MARISTA

PROJETO EDUCATIVO DO BRASIL MARISTA PROJETO EDUCATIVO DO BRASIL MARISTA Escola, espaço privilegiado para evangelização (São Marcelino Champagnat) Facilitadores: Edineide Liberato, Josenildo Costa, Telma Pereira e Rozana Cabral QUADRO SÍNTESE

Leia mais

A iniciação cristã como pedagogia de vida comunitária

A iniciação cristã como pedagogia de vida comunitária A iniciação cristã como pedagogia de vida comunitária A evangelização nos dá a alegria do encontro com a Boa Nova da Ressurreição de Cristo. A maioria das pessoas procura angustiada a razão de sua vida

Leia mais

PROPOSTA EDUCATIVA DEHONIANA

PROPOSTA EDUCATIVA DEHONIANA PROPOSTA EDUCATIVA DEHONIANA Introdução Os nossos colégios ou escolas são centros de ensino, cuja entidade titular é a Congregação dos Sacerdotes do Coração de Jesus (Dehonianos), a qual, como instituição

Leia mais

DIMENSÕES DA FORMAÇÃO INTEGRAL

DIMENSÕES DA FORMAÇÃO INTEGRAL INTRODUÇÃO DO CURSO DIMENSÕES DA FORMAÇÃO INTEGRAL (Doc. 85 CNBB nº 95-107) JORGE BORAN CSSP (Dr. em Liderança Comunitária Universidade de Fordhan EUA) Desde a década de 1980 vem nascendo a necessidade

Leia mais

REGULAMENTO DAS PASTORAIS ESCOLARES E UNIVERSITÁRIAS - ESTRUTURA, COMPETÊNCIA E FUNCIONAMENTO -

REGULAMENTO DAS PASTORAIS ESCOLARES E UNIVERSITÁRIAS - ESTRUTURA, COMPETÊNCIA E FUNCIONAMENTO - REGULAMENTO DAS PASTORAIS ESCOLARES E UNIVERSITÁRIAS - ESTRUTURA, COMPETÊNCIA E FUNCIONAMENTO - INTRODUÇÃO O Colégio Episcopal da Igreja Metodista, no uso de suas atribuições (Cânones, Art. 63, item XVII)

Leia mais

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DR. VIEIRA DE CARVALHO Planificação Educação Moral e Religiosa Católica. Ano Letivo 2015/2016 3º Ciclo 7º Ano

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DR. VIEIRA DE CARVALHO Planificação Educação Moral e Religiosa Católica. Ano Letivo 2015/2016 3º Ciclo 7º Ano Unidade Letiva: 1 - As Origens Período: 1º 1. Questionar a origem, o destino e o sentido do universo e do ser humano. As origens na perspetiva científica L. Estabelecer um diálogo entre a cultura e a fé.

Leia mais

A transmissão da fé na Família. Reunião de Pais. Família

A transmissão da fé na Família. Reunião de Pais. Família A transmissão da fé na Família Reunião de Pais Família Plano Pastoral Arquidiocesano Um triénio dedicado à Família Passar de uma pastoral sobre a Família para uma pastoral para a Família e com a Família

Leia mais

DIRECTÓRIO GERAL DA CATEQUESE - SDCIA/ISCRA -2 Oração inicial Cântico - O Espírito do Senhor está sobre mim; Ele me enviou para anunciar aos pobres o Evangelho do Reino! Textos - Mc.16,15; Mt.28,19-20;

Leia mais

Comissão Diocesana da Pastoral da Educação ***************************************************************************

Comissão Diocesana da Pastoral da Educação *************************************************************************** DIOCESE DE AMPARO - PASTORAL DA EDUCAÇÃO- MARÇO / 2015 Todo cristão batizado deve ser missionário Mostrai-me, ó Senhor, vossos caminhos e fazei-me conhecer a vossa estrada! Salmo 24 (25) Amados Educadores

Leia mais

sonhando nova escola nova sociedade com uma e uma Atividade de leitura de clássicos da literatura. Pai voluntário em sala de aula.

sonhando nova escola nova sociedade com uma e uma Atividade de leitura de clássicos da literatura. Pai voluntário em sala de aula. Atividade de leitura de clássicos da literatura. Pai voluntário em sala de aula. 01_IN_CA_FolderTecnico180x230_capa.indd 3 sonhando com uma nova escola e uma nova sociedade 7/24/13 2:16 PM comunidade de

Leia mais

Educação Moral e Religiosa Católica

Educação Moral e Religiosa Católica Agrupamento de Escolas de Mondim de Basto Ano letivo: 05/6 Educação Moral e Religiosa Católica Planos de Unidade do 9º ano de escolaridade Unidade letiva : A Dignidade da Vida Humana Metas: Q. Reconhecer,

Leia mais

Projeto Educativo 02 02-V R 01-P D O M

Projeto Educativo 02 02-V R 01-P D O M Projeto Educativo Colégio do Sagrado Coração de Maria - Lisboa Projeto Educativo V02 i ÍNDICE I. CARACTERIZAÇÃO FÍSICA...1 1. O meio envolvente...1 2. O Colégio...2 3. Organização Estrutural...2 3.1. Órgãos

Leia mais

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 1 a Edição Editora Sumário Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9 Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15 Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 Santos, Hugo Moreira, 1976-7 Motivos para fazer

Leia mais

IDEÁRIO DA INSTITUIÇÃO

IDEÁRIO DA INSTITUIÇÃO IDEÁRIO DA INSTITUIÇÃO I Princípios Básicos - Todos os homens, têm direito a uma educação adequada e à cultura, segundo a capacidade de cada um, em igualdade de oportunidades e em relação a todos os níveis

Leia mais

DESCRIÇÃO DOS CURSOS E ENCONTROS DA PJM

DESCRIÇÃO DOS CURSOS E ENCONTROS DA PJM DESCRIÇÃO DOS CURSOS E ENCONTROS DA PJM 1 Páscoa Jovem 1.1. Descrição A Páscoa Jovem é um encontro vivencial realizado para proporcionar uma experiência reflexiva e celebrativa da Paixão, Morte e Ressurreição

Leia mais

Estratégia UNESCO para a Educação 2014-2021

Estratégia UNESCO para a Educação 2014-2021 Estratégia UNESCO para a Educação 2014-2021 Maria Rebeca Otero Gomes Coordenadora do Setor de Educação da Unesco no Brasil Curitiba, 02 de outubro de 2015 Princípios orientadores (i) A educação é um direito

Leia mais

CLT.2002/WS/9 DECLARAÇÃO UNIVERSAL SOBRE A DIVERSIDADE CULTURAL

CLT.2002/WS/9 DECLARAÇÃO UNIVERSAL SOBRE A DIVERSIDADE CULTURAL CLT.2002/WS/9 DECLARAÇÃO UNIVERSAL SOBRE A DIVERSIDADE CULTURAL 2002 DECLARAÇÃO UNIVERSAL SOBRE A DIVERSIDADE CULTURAL A Conferência Geral, Reafirmando seu compromisso com a plena realização dos direitos

Leia mais

Caderno de Estudo: Avaliação 2013) Equipe Dinamizadora do 7º PPO Arquidiocese de Campinas - SP

Caderno de Estudo: Avaliação 2013) Equipe Dinamizadora do 7º PPO Arquidiocese de Campinas - SP Caderno de Estudo: Avaliação 7º Plano de Pastoral Orgânica (20102010-2013) 2013) Equipe Dinamizadora do 7º PPO Arquidiocese de Campinas - SP A p r e s e n t a ç ã o Eu vim, ó Deus, para fazer a Vossa

Leia mais

Plano Diocesano da Animação Bíblico-Catequética

Plano Diocesano da Animação Bíblico-Catequética Plano Diocesano da Animação Bíblico-Catequética 2 0 1 2-2 0 1 5 DIOCESE DE FREDERICO WESTPHALEN - RS Queridos irmãos e irmãs, Com imensa alegria, apresento-lhes o PLANO DIOCESANO DE ANIMAÇÃO BÍBLICO -

Leia mais

PARÓQUIA SÃO CRISTÓVÃO VALINHOS, SP 1966 2016 50 ANOS DE EVANGELIZAÇÃO Arquidiocese de Campinas

PARÓQUIA SÃO CRISTÓVÃO VALINHOS, SP 1966 2016 50 ANOS DE EVANGELIZAÇÃO Arquidiocese de Campinas PARÓQUIA SÃO CRISTÓVÃO VALINHOS, SP 1966 2016 50 ANOS DE EVANGELIZAÇÃO Arquidiocese de Campinas CONCURSO: LOGOMARCA COMEMORATIVO AOS 50 ANOS DE EVANGELIZAÇÃO DA PARÓQUIA SÃO CRISTÓVÃO VALINHOS, SP INTRODUÇÃO

Leia mais

1 - ATIVIDADES ESPORTIVAS E CULTURAIS Linhas de Ação:

1 - ATIVIDADES ESPORTIVAS E CULTURAIS Linhas de Ação: NÍVEL COMUNITÁRIO 1 - ATIVIDADES ESPORTIVAS E CULTURAIS A - que se promovam atividades esportivas e culturais, envolvendo pais, alunos, professores e demais membros da Comunidade para vivenciar valores,

Leia mais

CARTA AOS DIOCESANOS DE LISBOA,

CARTA AOS DIOCESANOS DE LISBOA, CARTA AOS DIOCESANOS DE LISBOA, NO INÍCIO DO NOVO ANO PASTORAL 2015-2016 1. Em caminho sinodal Chegados a setembro, retomamos o curso normal da nossa vida comunitária, no novo ano pastoral 2015-2016. Saúdo

Leia mais

Tema 3: Espiritualidade O Espírito faz bater nossos corações em uníssono

Tema 3: Espiritualidade O Espírito faz bater nossos corações em uníssono Tema 3: Espiritualidade O Espírito faz bater nossos corações em uníssono O ESPÍRITO FAZ BATER NOSSOS CORAÇÕES EM UNÍSSONO (Ir. Henri Vergès) Espiritualidade enraizada no Deus de Jesus, encarnada nas realidades

Leia mais

Espiritualidade do Câmbio Sistêmico ou Mudança de Estruturas

Espiritualidade do Câmbio Sistêmico ou Mudança de Estruturas Espiritualidade do Câmbio Sistêmico ou Mudança de Estruturas Uma breve meditação sobre Mudança de Estruturas O objetivo desta meditação é redescobrir a dimensão espiritual contida na metodologia de mudança

Leia mais

Instituto Mundo Melhor 2013. A Educação para a Paz como caminho da infância

Instituto Mundo Melhor 2013. A Educação para a Paz como caminho da infância Instituto Mundo Melhor 2013 por um MUNDO MELHOR A Educação para a Paz como caminho da infância PROJETO O PROGRAMA INFÂNCIA MUNDO MELHOR O Projeto Infância Mundo Melhor investe na capacitação e na formação

Leia mais

CAMPANHA PARA A EVANGELIZAÇÃO - 2014

CAMPANHA PARA A EVANGELIZAÇÃO - 2014 CAMPANHA PARA A EVANGELIZAÇÃO - 2014 Texto referencial INTRODUÇÃO 1 A Igreja no Brasil realiza a Campanha para a Evangelização deste ano de 2014 com o lema Cristo é nossa paz (cf. Ef 2,14). O tempo do

Leia mais

CATEQUESE COMO INICIAÇÃO À EUCARISTIA

CATEQUESE COMO INICIAÇÃO À EUCARISTIA CATEQUESE COMO INICIAÇÃO À EUCARISTIA PE. GREGÓRIO LUTZ Certamente o título deste artigo não causa estranheza à grande maioria dos leitores da Revista de Liturgia. Mas mesmo assim me parece conveniente

Leia mais

NOSSO CURRÍCULO A EDUCAÇÃO QUE PRATICAMOS ÁREA DAS CIÊNCIAS HUMANAS. Adotamos uma pedagogia:

NOSSO CURRÍCULO A EDUCAÇÃO QUE PRATICAMOS ÁREA DAS CIÊNCIAS HUMANAS. Adotamos uma pedagogia: A EDUCAÇÃO QUE PRATICAMOS NOSSO CURRÍCULO Adotamos uma pedagogia: - que faz da escola uma instância efetiva de assimilação crítica, sistemática e integradora do saber e da cultura geral; - que trata os

Leia mais

A distinção de Ensino Religioso e Catequese Lurdes Fátima Polidoro Robson Stigar

A distinção de Ensino Religioso e Catequese Lurdes Fátima Polidoro Robson Stigar A distinção de Ensino Religioso e Catequese Lurdes Fátima Polidoro Robson Stigar Introdução Pretendemos apresentar neste artigo algumas ideias sobre a diferença da disciplina Ensino Religioso (ER) da tradicional

Leia mais

Vozes do fogo Mensagem da II Assembleia Internacional da Missão Marista Nairóbi, 16-27 de setembro de 2014

Vozes do fogo Mensagem da II Assembleia Internacional da Missão Marista Nairóbi, 16-27 de setembro de 2014 Vozes do fogo Mensagem da II Assembleia Internacional da Missão Marista Nairóbi, 16-27 de setembro de 2014 Preambulo Há cerca de 150.000 anos, por obra de Deus Pai, surgiu nesta terra africana o primeiro

Leia mais

O ENCONTRO DE CATEQUESE E SUA DINÂMICA

O ENCONTRO DE CATEQUESE E SUA DINÂMICA O ENCONTRO DE CATEQUESE E SUA DINÂMICA Nestes últimos anos tem-se falado em Catequese Renovada e muitos pontos positivos contribuíram para que ela assim fosse chamada. Percebemos que algumas propostas

Leia mais

Diocese de Amparo - SP

Diocese de Amparo - SP Formação sobre o documento da V Conferência do Episcopado da América Latina e do Caribe Diocese de Amparo - SP INTRODUÇÃO De 13 a 31 de maio de 2007, celebrou-se em Aparecida, Brasil, a V Conferência Geral

Leia mais

O que é Catequese? Paróquia Santo Cristo dos Milagres Fonseca Niterói RJ Pastoral da Comunicação

O que é Catequese? Paróquia Santo Cristo dos Milagres Fonseca Niterói RJ Pastoral da Comunicação Paróquia Santo Cristo dos Milagres Fonseca Niterói RJ Pastoral da Comunicação contato@paroquiasantocristodosmilagres.org O que é Catequese? Segundo a exortação apostólica Catechesi Tradendae do Papa João

Leia mais

RIIAL. Rede Informática da Igreja na América Latina Santiago do Chile Abril 2013

RIIAL. Rede Informática da Igreja na América Latina Santiago do Chile Abril 2013 RIIAL Rede Informática da Igreja na América Latina Santiago do Chile Abril 2013 Organismos Promotores: Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais Conselho Episcopal Latinoamericano Introdução Capítulo

Leia mais

Repasse da 76a. Assembléia da CNBB Sul I Aparecida de 10 a 12/06/2013

Repasse da 76a. Assembléia da CNBB Sul I Aparecida de 10 a 12/06/2013 Repasse da 76a. Assembléia da CNBB Sul I Aparecida de 10 a 12/06/2013 1. Finalidade do Ano da Fé; 2. O que é a Fé; 3. A transmissão da Fé enquanto professada, celebrada, vivida e rezada; 4. O conteúdo

Leia mais

Catecumenato Uma Experiência de Fé

Catecumenato Uma Experiência de Fé Catecumenato Uma Experiência de Fé APRESENTAÇÃO PARA A 45ª ASSEMBLÉIA DA CNBB (Regional Nordeste 2) www.catecumenato.com O que é Catecumenato? Catecumenato foi um método catequético da igreja dos primeiros

Leia mais

NÍVEL COMUNITÁRIO 1 - ATIVIDADES ESPORTIVAS E CULTURAIS Linhas de Ação:

NÍVEL COMUNITÁRIO 1 - ATIVIDADES ESPORTIVAS E CULTURAIS Linhas de Ação: NÍVEL COMUNITÁRIO 1 - ATIVIDADES ESPORTIVAS E CULTURAIS Linhas de Ação: A- que se promovam atividades esportivas e culturais, envolvendo pais, alunos, professores e demais membros da Comunidade para vivenciar

Leia mais

Igreja Amiga da criança. Para pastores

Igreja Amiga da criança. Para pastores Igreja Amiga da criança Para pastores Teste "Igreja Amiga da Criança" O povo também estava trazendo criancinhas para que Jesus tocasse nelas. Ao verem isso, os discípulos repreendiam aqueles que as tinham

Leia mais

VISITA PASTORAL NA ARQUIDIOCESE DE MARIANA

VISITA PASTORAL NA ARQUIDIOCESE DE MARIANA VISITA PASTORAL NA ARQUIDIOCESE DE MARIANA A Vista Pastoral constitui-se em momento privilegiado de contato do Arcebispo com o povo santo de Deus, confiado aos seus cuidados de pastor, com a preciosa colaboração

Leia mais

José Eduardo Borges de Pinho. Ecumenismo: Situação e perspectivas

José Eduardo Borges de Pinho. Ecumenismo: Situação e perspectivas José Eduardo Borges de Pinho Ecumenismo: Situação e perspectivas U n i v e r s i d a d e C a t ó l i c a E d i t o r a L I S B O A 2 0 1 1 Índice Introdução 11 Capítulo Um O que é o ecumenismo? 15 Sentido

Leia mais

Plano de Estudo da disciplina de EMRC, 3º ciclo. (Decreto-Lei nº 139/2012 de 5 de julho) 2014-2015

Plano de Estudo da disciplina de EMRC, 3º ciclo. (Decreto-Lei nº 139/2012 de 5 de julho) 2014-2015 Plano de Estudo da disciplina de EMRC, 3º ciclo (Decreto-Lei nº 139/2012 de 5 de julho) Organização e gestão do currículo Avaliação dos conhecimentos a adquirir e das capacidades a desenvolver pelos alunos

Leia mais

MENSAGEM DO SANTO PADRE FRANCISCO PARA O DIA MUNDIAL DO MIGRANTE E DO REFUGIADO (2014)

MENSAGEM DO SANTO PADRE FRANCISCO PARA O DIA MUNDIAL DO MIGRANTE E DO REFUGIADO (2014) MENSAGEM DO SANTO PADRE FRANCISCO PARA O DIA MUNDIAL DO MIGRANTE E DO REFUGIADO (2014) Migrantes e refugiados: rumo a um mundo melhor Queridos irmãos e irmãs! As nossas sociedades estão enfrentando, como

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO PARA A CÁRITAS EM PORTUGAL 2013-2015

PLANO ESTRATÉGICO PARA A CÁRITAS EM PORTUGAL 2013-2015 Proposta: PLANO ESTRATÉGICO PARA A CÁRITAS EM PORTUGAL 2013-2015 INTRODUÇÃO O amor ao próximo, radicado no amor de Deus, é um dever, antes de mais, para cada um dos fiéis, mas é-o também para a comunidade

Leia mais

Fundamentação e Contextualização do Programa de Voluntariado

Fundamentação e Contextualização do Programa de Voluntariado Fundamentação e Contextualização do Programa de Voluntariado O Programa de Voluntariado do Centro Solidariedade e Cultura de Peniche pretende ir ao encontro do ideário desta instituição, numa linha da

Leia mais

A grande refeição é aquela que fazemos em torno da Mesa da Eucaristia.

A grande refeição é aquela que fazemos em torno da Mesa da Eucaristia. EUCARISTIA GESTO DO AMOR DE DEUS Fazer memória é recordar fatos passados que animam o tempo presente em rumo a um futuro melhor. O povo de Deus sempre procurou recordar os grandes fatos do passado para

Leia mais

DISCÍPULOS E SERVIDORES DA PALAVRA DE DEUS NA MISSÃO DA IGREJA

DISCÍPULOS E SERVIDORES DA PALAVRA DE DEUS NA MISSÃO DA IGREJA DISCÍPULOS E SERVIDORES DA PALAVRA DE DEUS NA MISSÃO DA IGREJA DEUS SE REVELA Revelação é o diálogo entre Deus e seus filhos, cuja iniciativa vem de Deus (8). A Palavra de Deus não se revela somente para

Leia mais

PLANO DE PASTORAL UNIVERSITÁRIA

PLANO DE PASTORAL UNIVERSITÁRIA PLANO DE PASTORAL UNIVERSITÁRIA 2015 1. APRESENTAÇÃO O Pl de Pastoral Universitária tem por finalidade promover, articular e coordenar ações que desenvolvam processos de tomada de consciência e decisões

Leia mais

Concepção e Fundamentos Gilberto Antonio da Silva

Concepção e Fundamentos Gilberto Antonio da Silva Pastoral Juvenil Salesiana Concepção e Fundamentos Gilberto Antonio da Silva Fundamentos Dom Bosco Madre Mazzarello Movidos pelo ES tiveram clara consciência de ser chamados por Deus a uma missão singular

Leia mais

O TESTEMUNHO CRISTÃO EM UM MUNDO MULTI-RELIGIOSO

O TESTEMUNHO CRISTÃO EM UM MUNDO MULTI-RELIGIOSO Introdução C. Rosalee Velloso Ewell, Ph.D. Diretora Executiva da Comissão Teológica da Aliança Evangélica Mundial O documento O Testemunho Cristão em um Mundo Multi Religioso: Recomendações para a Conduta,

Leia mais

Como utilizar este caderno

Como utilizar este caderno INTRODUÇÃO O objetivo deste livreto é de ajudar os grupos da Pastoral de Jovens do Meio Popular da cidade e do campo a definir a sua identidade. A consciência de classe, ou seja, a consciência de "quem

Leia mais

Educação para a Cidadania linhas orientadoras

Educação para a Cidadania linhas orientadoras Educação para a Cidadania linhas orientadoras A prática da cidadania constitui um processo participado, individual e coletivo, que apela à reflexão e à ação sobre os problemas sentidos por cada um e pela

Leia mais

REUNIÃO DE LIDERANÇAS

REUNIÃO DE LIDERANÇAS REUNIÃO DE LIDERANÇAS 08/02/2015 PAUTA: 1) Oração Inicial 2) Abertura 3) Apresentação de 03 dimensões de Ação Pastoral para o ano de 2015 4) Plenária / Definições 5) Oração Final 6) Retirada de Materiais

Leia mais

6.6. MISSÕES POPULARES

6.6. MISSÕES POPULARES 6.6. MISSÕES POPULARES Luis Mosconi Firmino Spiegel 1. RESUMO E OBJETIVO Resumo No Brasil há várias experiências de Missões Populares. Essa aula conta uma delas e, ao mesmo tempo, é um guia que conduz

Leia mais

Tema 5: Vocação - um novo relacionamento Você também é Marista?

Tema 5: Vocação - um novo relacionamento Você também é Marista? Tema 5: Vocação - um novo relacionamento Você também é Marista? VOCÊ TAMBÉM É MARISTA? Um novo jeito de ser Marista: Na emergência de um novo tempo para o carisma Marista INTRODUÇÃO O relacionamento entre

Leia mais

TRADIÇÃO. Patriarcado de Lisboa JUAN AMBROSIO / PAULO PAIVA 2º SEMESTRE ANO LETIVO 2013 2014 1. TRADIÇÃO E TRADIÇÕES 2.

TRADIÇÃO. Patriarcado de Lisboa JUAN AMBROSIO / PAULO PAIVA 2º SEMESTRE ANO LETIVO 2013 2014 1. TRADIÇÃO E TRADIÇÕES 2. TRADIÇÃO JUAN AMBROSIO / PAULO PAIVA 2º SEMESTRE ANO LETIVO 2013 2014 1. TRADIÇÃO E TRADIÇÕES 2. A TRANSMISSÃO DO TESTEMUNHO APOSTÓLICO 3. TRADIÇÃO, A ESCRITURA NA IGREJA Revelação TRADIÇÃO Fé Teologia

Leia mais

1. IGREJA DE COMUNIDADES ECLESIAIS DE BASE CEBs

1. IGREJA DE COMUNIDADES ECLESIAIS DE BASE CEBs 1. IGREJA DE COMUNIDADES ECLESIAIS DE BASE CEBs A Diocese de Ruy Barbosa é uma Igreja de CEBs com pastorais e movimentos, que soma forças para realizar o Objetivo Geral da CNBB e assume, como Igreja particular,

Leia mais

Capitulo 3 ESPIRITUALIDADE DA RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA

Capitulo 3 ESPIRITUALIDADE DA RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA Capitulo 3 ESPIRITUALIDADE DA RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA Deus nos alerta pela profecia de Oséias de que o Povo dele se perde por falta de conhecimento. Cf. Os 4,6 1ª Tm 4,14 Porque meu povo se perde

Leia mais

Crescimento orgânico: A Importância do Cristão Contagiante

Crescimento orgânico: A Importância do Cristão Contagiante Pr. Rodrigo Leitão Crescimento orgânico: A Importância do Cristão Contagiante 2 Coríntios 5.18-20 Tudo isso provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo e nos deu o ministério da

Leia mais

A AÇÃO EDUCATIVA NA ÓTICA DAS SETE LEIS DO APRENDIZADO RESUMO

A AÇÃO EDUCATIVA NA ÓTICA DAS SETE LEIS DO APRENDIZADO RESUMO 1 A AÇÃO EDUCATIVA NA ÓTICA DAS SETE LEIS DO APRENDIZADO Julimar Fernandes da Silva 1. RESUMO A Educação nos dias atuais é um desafio constante, tanto para a sociedade como para Igreja cristã. Nesse sentido,

Leia mais

OBLATOS ORIONITAS. linhas de vida espiritual e apostólica

OBLATOS ORIONITAS. linhas de vida espiritual e apostólica OBLATOS ORIONITAS linhas de vida espiritual e apostólica Motivos inspiradores da oblação orionita laical O "carisma" que o Senhor concede a um fundador, é um dom para o bem de toda a Igreja. O carisma

Leia mais

PROJETO EDUCATIVO PASTORAL ESCOLA SALESIANA EM PASTORAL

PROJETO EDUCATIVO PASTORAL ESCOLA SALESIANA EM PASTORAL PROJETO EDUCATIVO PASTORAL ESCOLA SALESIANA EM PASTORAL Brasília, 15/05/2014 Situando a RSE... Cristã Católica Identidade Carisma Dom Bosco Madre Mazzarello FMA - SDB Missão Identidade + Carisma = Função

Leia mais

Plano Estratégico da União Portuguesa dos Adventistas do Sétimo Dia para o Quinquénio 2013-2017

Plano Estratégico da União Portuguesa dos Adventistas do Sétimo Dia para o Quinquénio 2013-2017 Plano Estratégico da União Portuguesa dos Adventistas do Sétimo Dia para o Quinquénio 2013-2017 O presente documento tem como objetivo apresentar, os valores, as linhas orientadoras, a estratégia e o plano

Leia mais

Capelania Hospitalar / Pastoral da Saúde

Capelania Hospitalar / Pastoral da Saúde CEPMTA / ISCAL Londrina 06/11/2012 Capelania Hospitalar / Pastoral da Saúde Assessor: Pe. Audinei Carreira da Silva PERFIL DO AGENTE DE PASTORAL DA SAÚDE Antes de tudo deve ser uma pessoa de profunda experiência

Leia mais

O PROJETO DE VIDA: ESCOLAS DO PROGRAMA ENSINO INTEGRAL

O PROJETO DE VIDA: ESCOLAS DO PROGRAMA ENSINO INTEGRAL O PROJETO DE VIDA: ESCOLAS DO PROGRAMA ENSINO INTEGRAL Sandra Maria Fodra Secretaria Estadual de Educação de São Paulo / Pontifícia Universidade Católica Resumo: Este artigo apresenta o desenvolvimento

Leia mais

N.º de aulas (tempos letivos) 12 10 10. Apresentação/Avaliação diagnóstica 1 - - Instrumentos de avaliação 1 1 1. - A Liberdade

N.º de aulas (tempos letivos) 12 10 10. Apresentação/Avaliação diagnóstica 1 - - Instrumentos de avaliação 1 1 1. - A Liberdade Escola Secundária com 3.º CEB Poeta Al Berto Código 03192 7520-902 - Sines Ano letivo: 201/2015 Departamento: Ciências Humanas e Sociais Grupo disciplinar: 290 Disciplina: Educação Moral Religiosa Católica

Leia mais

N.º de aulas (tempos letivos) 13 10 9. Apresentação/Avaliação diagnóstica 1 - - Instrumentos de avaliação 1 1 1. Desenvolvimento Programático

N.º de aulas (tempos letivos) 13 10 9. Apresentação/Avaliação diagnóstica 1 - - Instrumentos de avaliação 1 1 1. Desenvolvimento Programático Escola Secundária com 3.º CEB Poeta Al Berto Código 403192 720-902 - Sines Ano letivo: 2014/201 Departamento: Ciências Humanas e Sociais Grupo disciplinar: 290 Disciplina: Educação Moral Religiosa Católica

Leia mais

IGREJA METODISTA DE VILA ISABEL

IGREJA METODISTA DE VILA ISABEL 1 IGREJA METODISTA DE VILA ISABEL Discípulos e Discípulas no Caminho da Missão PLANO MISSIONÁRIO 2012-2016 1 APRESENTAÇÃO: A Igreja local, pelos nossos documentos, é vista e entendida como a agência básica

Leia mais

«Felizes os que acreditam sem terem visto sem terem visto»

«Felizes os que acreditam sem terem visto sem terem visto» «Felizes os que acreditam sem terem visto sem terem visto» Ambiente: Continuamos na segunda parte do Quarto Evangelho, onde nos é apresentada a comunidade da Nova Aliança. A indicação de que estamos no

Leia mais

OLHAR INTERDISCIPLINAR: PRINCÍPIOS DE EDUCAÇÃO INTEGRAL NA FORMAÇÃO CIDADÃ

OLHAR INTERDISCIPLINAR: PRINCÍPIOS DE EDUCAÇÃO INTEGRAL NA FORMAÇÃO CIDADÃ OLHAR INTERDISCIPLINAR: PRINCÍPIOS DE EDUCAÇÃO INTEGRAL NA FORMAÇÃO CIDADÃ Rosangela Almeida Valerio Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Brasil Resumo: Este artigo visa tecer considerações de

Leia mais

MISSÃO NA CIDADE UM NOVO OLHAR. Introdução

MISSÃO NA CIDADE UM NOVO OLHAR. Introdução 23 4 MISSÃO NA CIDADE UM NOVO OLHAR Introdução Chegamos ao último encontro de nossa série de 11 anos. Ao longo dessas semanas, conversamos, sob a luz do texto de Mateus 28.19-20a, a respeito dos olhares

Leia mais

PARÓQUIA NOSSA SENHORA DE NAZARÉ. PROJETO: ALBERGUE DONA MARIA PIEDADE.

PARÓQUIA NOSSA SENHORA DE NAZARÉ. PROJETO: ALBERGUE DONA MARIA PIEDADE. PARÓQUIA NOSSA SENHORA DE NAZARÉ. PROJETO: ALBERGUE DONA MARIA PIEDADE. Manacapuru/Am. Jan/2008. PARÓQUIA NOSSA SENHORA DE NAZARÉ. PROJETO: ALBERGUE DONA MARIA PIEDADE. Projeto Social: ALBERGUE DONA MARIA

Leia mais

Ambiência escolar Marista: desafios da educação popular na evangelização

Ambiência escolar Marista: desafios da educação popular na evangelização Ambiência escolar Marista: desafios da educação popular na evangelização Adriano de Souza Viana 1 A práxis pastoral no ambiente educativo é sempre desafiante. Melhor dizendo, toda ação educativa é sempre

Leia mais

BASES DA CONVERSÃO CRISTÃ E DO DISCIPULADO

BASES DA CONVERSÃO CRISTÃ E DO DISCIPULADO BASES DA CONVERSÃO CRISTÃ E DO DISCIPULADO O que é uma pessoa cristã? É a pessoa que acredita que o Deus vivo é revelado em e por meio de Jesus Cristo, que aceita Jesus Cristo como Senhor e Salvador, que

Leia mais

PROGRAMA 02 TEXTO BASE DA CF 2015 (VER)

PROGRAMA 02 TEXTO BASE DA CF 2015 (VER) Viva a Palavra PROGRAMA 02 TEXTO BASE DA CF 2015 (VER) PROGRAMA 02 TEXTO BASE DA CF 2015 (VER) 1º Bloco Em nosso Programa, vamos conversar sobre o manual da Campanha da Fraternidade 2015. A Igreja no Brasil

Leia mais

NOVENA DOS PAIS QUE ORAM PELOS FILHOS

NOVENA DOS PAIS QUE ORAM PELOS FILHOS Pe. Nilton César Boni, cmf NOVENA DOS PAIS QUE ORAM PELOS FILHOS EDITORA AVE-MARIA Apresentação Aos membros da família cristã podem aplicar-se de modo particular as palavras com que Cristo promete a sua

Leia mais

PEC Projeto Educativo Comum da Companhia de Jesus na América Latina INDICE

PEC Projeto Educativo Comum da Companhia de Jesus na América Latina INDICE 1 PEC Projeto Educativo Comum da Companhia de Jesus na América Latina INDICE Apresentação... Introdução... I. Visão partilhada... II. Missão... III. Contexto... IV. Que fazer perante esse contexto?...

Leia mais

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental, Médio e Pré-vestibular. Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE CIÊNCIAS 6ª ANOS C e D

Leia mais

Eleições 2006 CIDADÃO AGORA É A NOSSA VEZ!

Eleições 2006 CIDADÃO AGORA É A NOSSA VEZ! Eleições 2006 CIDADÃO AGORA É A NOSSA VEZ! A Igreja e as eleições O presente texto tem como objetivo animar e orientar os membros das nossas comunidades, e a população em geral, a respeito da participação

Leia mais

Plano estratégico da ADRA Portugal. Siglas 2. Identidade 3 Visão 3 Missão 3. Princípios e Valores 4

Plano estratégico da ADRA Portugal. Siglas 2. Identidade 3 Visão 3 Missão 3. Princípios e Valores 4 Conteúdos: Siglas 2 Identidade 3 Visão 3 Missão 3 Princípios e Valores 4 Objetivos Gerais Meta 1: Responsabilidade Social e Ação Social 6 Meta 2: Cooperação e Ação Humanitária 7 Meta 3: Educação para o

Leia mais