Experiências Locais: Situação Atual e Futuro do ISP no Brasil

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Experiências Locais: Situação Atual e Futuro do ISP no Brasil"

Transcrição

1 Experiências Locais: Situação Atual e Futuro do ISP no Brasil Marcos Kisil 3 de abril de º Congresso GIFE de Investimento Social Privado 1

2 Contexto do Investimento Social na América Latina Ambiente Interno: Investimento Social Privado FORÇAS Maior consciência de investir no socio-ambiental Práticas documentadas e geração de conhecimento Redes de aprendizagem, conhecimento e vinculação (Todos pela Educação, RedAmérica etc.) Profissionalização do setor Amadurecimento dos doadores, especialmente empresas (por ex. seleção de projetos) Crescente reconhecimento da comunidade Crescimento de recursos econômicos para investimento socio-ambiental FRAQUEZAS Confusão de conceito e prática (sustentabilidade, responsabilidade social e investimento social corporativo) Predomínio de uma cultura assistencialista e não de investimento social Investimento prioritário em organizações tradicionais, já consagrados Dificuldade de lidar com as causas, e não apenas os efeitos Cultura de busca de proteger/valorizar imagem fecha oportunidades de parcerias e colaboração (especialmente para doadores empresariais) Fragilidade dos modelos de governança e financiamento das organizações doadoras Planejamento e Avaliação ficam em 2º plano Fonte: Fórum de Lideranças: O Futuro do Investimento Social na 2 América Latina, setembro 2007, IDIS- CAF

3 Contexto do Investimento Social na América Latina Ambiente Externo: Sociedade e Economia OPORTUNIDADE Globalização dos negócios Influência dos movimentos de Sustentabilidade e RSE Pesquisa e profissionalização Consciência da sociedade demandando resultados Coerção e pressão de stakeholders para realizar transações comerciais Valor agregado não tangível na imagem da empresa Uso de Marketing Relacionado a Causas Possibilidade de investimento em organizações inovadoras ISP como capital de risco Espaço para a organização do investimento social privado comunitário e familiar AMEAÇAS Administração pública com dificuldade de oferta de serviços em quantidade e qualidade. Sociedade ainda não demanda serviços públicos de qualidade (cidadania e direitos) Governo populista uso político de organizações da sociedade civil, perda de credibilidade do setor (CPI das ONGs) Confusão dos papéis entre empresas, sociedade civil e governo. Ausência de espaços de concertação eficientes Falta de cultura e conhecimento do ISP por doadores Debilidades no marco regulatório (inclusive no âmbito pessoal) Corrupção que se aproveita da pobreza. Desconfiança dos doadores Fonte: Fórum de Lideranças: O Futuro do Investimento Social na 3 América Latina, setembro 2007, IDIS- CAF

4 PESQUISA IDIS PERFIL DO INVESTIDOR SOCIAL LOCAL 4

5 Antecedentes Inspirado em um estudo sobre doações e voluntariado no Vale do Silício, EUA, o IDIS promoveu uma pesquisa em 4 cidades onde atua (Guarulhos, Limeira, Santa Bárbara D Oeste e São José dos Campos) Objetivo: Levantar o perfil sócio-econômico e os hábitos e atitudes da população, em relação a doações. Para este estudo, a IDIS contou com a orientação técnica da Enfoque Pesquisa de Marketing para Coleta e Análise dos Dados. 5

6 População Pesquisada e Amostra Residentes dos municípios de Guarulhos, Limeira, Santa Bárbara D Oeste e São José dos Campos Com idade acima de 18 anos Doadores ou não doadores Amostra 957 entrevistas Período de campo de 15 de agosto à 15 de setembro de 2007 Os dados foram ponderados pela população de cada município, por sexo e por idade de acordo com informações do Censo IBGE

7 Hábitos e Comportamento dos Doadores Proporção de Doadores 74% dos contatos praticam algum tipo de doação O valor médio anual de doações gerais é de R$ 388,00 As formas de doação são diversas (igrejas; entidades sociais, pessoas necessitadas;eventos e campanhas beneficentes) Na maioria das vezes o próprio município é o beneficiado O último valor doado vai de R$ 10 a R$50 na maioria dos casos. As doações mais freqüentes são feitas às Igrejas e Entidades sociais, que, conseqüentemente, têm o maior volume (em R$) de doação anual Os que prestam trabalho voluntário, geralmente, trabalham diretamente com as pessoas atendidas ou participam de eventos dedicam em média até 10hs do mês 7

8 Doações para as Entidades Sociais 1º contato com a Entidade Social: 41% por indicação de amigos/ parentes 36% por ações de telemarketing 74% dos doadores acompanham o destino dos recursos a maioria informada pela própria entidade Mas 24% ainda não se envolvem, doando sem acompanhar o destino da doação Atuação: assistência social Beneficiados: crianças e adolescentes Motivação: 57% mencionam de forma espontânea Fazer algo para melhorar as condições de vida das pessoas e ajudar o próximo Exercer a cidadania e motivação religiosa são outras duas fortes motivações 8

9 O perfil dos entrevistados DOADORES Sexo Feminino 56% Classe A/B 40% Grau de instrução Superior completo 20% Superior incompleto 39% Idade Tempo que reside na cidade 18 a 34 anos 44% Média 40 anos Mais de 10 anos 77% 9

10 ENTENDIMENTO DAS MOTIVAÇÕES E DAS CARACTERÍSTICAS DO INVESTIDOR SOCIAL 10

11 Os 3 Cs das Motivações para o DOADOR Convicção: decisão é baseada em valores humanos. Conveniência: é bom para sua presença na sociedade, para o negocio que dirigem, para o prestigio que adquirem. É uma decisão movida pelos resultados que espera conseguir para si. Coerção: pressão do contexto, de clientes, dos concorrentes, de empregados, da comunidade, de seus amigos. Necessita responder a uma força externa. 11

12 As Sete Faces da Filantropia (Prince and File) Devotos Comunitários Investidores Dinastias Socialites Retribuidores Altruistas 12

13 O Devoto: Fazer o Bem é a Vontade de Deus Eles são motivados a apoiar entidades por motivos religiosos. Eles acreditam que é a Vontade de Deus que eles ajudem ao próximo. Eles participam ativamente da paróquia local e canalizam suas doações a organizações religiosas. Predomina um modelo caritativo. 13

14 Os Comunitários: Fazer o Bem Faz Sentido Eles doam porque faz sentido doar: ser solidário com os problemas da comunidade. Normalmente eles são donos de estabelecimentos comerciais locais e acreditam que fazer parte de conselhos e comitês de entidades locais pode ser bom para a comunidade e bom para os negócios (network desenvolvidos nestes círculos). Confundem sua ação de doador com a própria ação de participação na vida comunitária. Quase nenhuma estratégia especifica para doar. 14

15 O Retribuidor: Fazer o Bem Como Devolução Eles se sentem em primeiro lugar beneficiados de uma entidade ou organização, depois é que se consideram doadores. Eles já se beneficiaram pessoalmente de uma faculdade ou centro médico, e agora apóiam a mesma instituição em função de lealdade ou por uma sentimento de obrigação. 15

16 São herdeiros. A Dinastia: Fazer o Bem é Uma Tradição Familiar Sua motivação filantrópica se originou na sua criação a sua família sempre teve o investimento social como valor e eles acreditam que é esperado que eles continuem apoiando OSCs. A nova geração busca formas diferentes de investimento social daquelas que seus pais fizeram. 16

17 A Socialite: Fazer o Bem é Divertido Eles acham os eventos beneficentes uma maneira atraente de contribuir para um mundo melhor e ao mesmo tempo se divertir. Eles são membros dos círculos sociais exclusivos, e selecionam organizações dirigidas por parentes ou amigos para apoiar. Eles procuram oportunidades para criar eventos sociais, como colaborar em atividades de mobilização de recursos, e são menos interessados em participar do dia-a-dia das organizações. Eles tendem a apoiar as causas da educação e cultura, bem como organizações religiosas. 17

18 O Altruísta: Fazer o Bem Me Faz Sentir Bem O doador altruístico é aquele que doa em função da bondade e empatia por causas urgentes. De forma modesta, eles preferem ficar anônimos. Eles doam porque é um imperativo moral e os ajuda a crescer e/ou evoluir espiritualmente. Eles tomam decisões sem assessorias técnicas e tipicamente não têm interesse de participar de forma ativa nas OSCs que eles apóiam. Mais de qualquer outro grupo, Altruístas direcionam sua doações às causas sociais. 18

19 O Investidor: Fazer o Bem é Bom Negócio Eles são indivíduos de alto poder aquisitivo que doam com um olho na causa social e outro no impacto que podem causar. Querem inovar e transformar. Eles calibram suas doações em função do grau de participação que podem ter em inspirar, participar e monitorar o seu investimento. Tem preocupação com o planejamento estratégico, gestão, e avaliação de resultados e impactos. Busca o profissionalismo em suas ações. Busca parcerias. 19

Objetivos da Palestra:

Objetivos da Palestra: TerceiroSetor Caracterização e Desafios com Marcos Kisil Objetivos da Palestra: Conhecer o Terceiro Setor: origem, características e papel na sociedade Refletir sobre os desafios atuais do Terceiro Setor

Leia mais

CENÁRIO BRASILEIRO DO MARKETING RELACIONADO A CAUSAS Atitudes e comportamento das OSCs e Empresas

CENÁRIO BRASILEIRO DO MARKETING RELACIONADO A CAUSAS Atitudes e comportamento das OSCs e Empresas CENÁRIO BRASILEIRO DO MARKETING RELACIONADO A CAUSAS Atitudes e comportamento das OSCs e 3º Seminário de Marketing Relacionado a Causas 25 de outubro de 2007 1 Objetivos Estudar atitudes e comportamentos

Leia mais

FÓRUM EMPRESARIAL SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE CORPORATIVA: UM PASSO ADIANTE

FÓRUM EMPRESARIAL SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE CORPORATIVA: UM PASSO ADIANTE AMCE NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS www.amce.com.br PROJETOS ESPECIAIS FÓRUM EMPRESARIAL SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE CORPORATIVA: UM PASSO ADIANTE 10º EVENTO TEMA: Investimento Social Privado: é possível

Leia mais

II FÓRUM SESI DE RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL

II FÓRUM SESI DE RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL II FÓRUM SESI DE RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL Investimento Social Privado: oportunidades e riscos Rebecca Raposo Dezembro, 2006 Como chegamos até aqui? Principais mudanças Democratização e mudança

Leia mais

O Investimento Social no Brasil & Inglaterra

O Investimento Social no Brasil & Inglaterra O Investimento Social no Brasil & Inglaterra Márcia Woods IDIS Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social 1ª Conferência sobre Investimento Social Estrangeiro no Brasil 23 de novembro de 2009

Leia mais

WORLD GIVING INDEX 2015

WORLD GIVING INDEX 2015 WORLD GIVING INDEX 2015 QUEM SOMOS Fundado em 1999, organização pioneira no apoio técnico ao investidor social no Brasil e na América Latina, e tem como missão promover e estruturar o sistema de investimento

Leia mais

Voluntariado Empresarial e Desenvolvimento de Competências

Voluntariado Empresarial e Desenvolvimento de Competências Voluntariado Empresarial e Desenvolvimento de Competências Voluntariado Segundo o Conselho da Comunidade Solidária, Voluntário é o cidadão que, motivado pelos valores de participação e solidariedade, doa

Leia mais

O desenvolvimento do Terceiro Setor e a profissionalização

O desenvolvimento do Terceiro Setor e a profissionalização O desenvolvimento do Terceiro Setor e a profissionalização Cristiane dos Santos Schleiniger * Lise Mari Nitsche Ortiz * O Terceiro Setor é o setor da sociedade que emprega aproximadamente 1 milhão de pessoas.

Leia mais

Resultados da Pesquisa IDIS de Investimento Social na Comunidade 2004

Resultados da Pesquisa IDIS de Investimento Social na Comunidade 2004 Resultados da Pesquisa IDIS de Investimento Social na Comunidade 2004 Por Zilda Knoploch, presidente da Enfoque Pesquisa de Marketing Este material foi elaborado pela Enfoque Pesquisa de Marketing, empresa

Leia mais

Glossário do Investimento Social*

Glossário do Investimento Social* Glossário do Investimento Social* O IDIS Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social é uma organização da sociedade civil de interesse público, que tem como missão promover e estruturar o investimento

Leia mais

Carta de Projetos SÃO PAULO 2016

Carta de Projetos SÃO PAULO 2016 Carta de Projetos SÃO PAULO 2016 1. Parcerias Institucionais Se sua empresa acredita que pode ser agente ativa de uma transformação social, envolvendo moradores de comunidades precárias em todo o Brasil,

Leia mais

Identificação e Escolha do Investimento Social. Britcham Fernando Nogueira

Identificação e Escolha do Investimento Social. Britcham Fernando Nogueira Modalidades, Mecanismos, Identificação e Escolha do Investimento Social Britcham Fernando Nogueira NÃO É UMA QUESTÃO RECENTE Qualquer um pode dar seu dinheiro ou gastá-lo; mas fazê-lo à pessoa certa, na

Leia mais

Guia sobre Voluntariado Instituto Lina Galvani

Guia sobre Voluntariado Instituto Lina Galvani Guia sobre Voluntariado Instituto Lina Galvani Sumário Conceito de voluntário... 3 O que é e o que não é voluntariado... 3 Lei do voluntariado... 4 Voluntariado no Brasil... 4 Benefício do Voluntariado...

Leia mais

Investimento Social Privado: Instrumento de uma sociedade democrática e capitalista

Investimento Social Privado: Instrumento de uma sociedade democrática e capitalista Investimento Social Privado: Instrumento de uma sociedade democrática e capitalista Marcos Kisil PUC 5/11/2015 As parcerias entre Estado, Mercado e Sociedade Civil QUAL O PAPEL DO ESTADO? QUAL O PAPEL

Leia mais

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO EM GESTÃO DA RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL E DESENVOLVIMENTO PETROBRÁS UNIVERSIDADE COORPORATIVA OFICINA2

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO EM GESTÃO DA RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL E DESENVOLVIMENTO PETROBRÁS UNIVERSIDADE COORPORATIVA OFICINA2 PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO EM GESTÃO DA RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL E DESENVOLVIMENTO PETROBRÁS UNIVERSIDADE COORPORATIVA OFICINA2 ESTRATÉGIAS E INSTRUMENTOS DE RESPONSABILIDADE SOCIAL AMBIENTAL E

Leia mais

TÍTULO: PESQUISA APAE DE SANTA BÁRBARA D OESTE CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: COMUNICAÇÃO SOCIAL

TÍTULO: PESQUISA APAE DE SANTA BÁRBARA D OESTE CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: COMUNICAÇÃO SOCIAL TÍTULO: PESQUISA APAE DE SANTA BÁRBARA D OESTE CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: COMUNICAÇÃO SOCIAL INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA DE SANTA BÁRBARA AUTOR(ES): RODOLFO OSÓRIO

Leia mais

XXXII Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Farmacêutica

XXXII Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Farmacêutica XXXII Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Farmacêutica Mesa-Redonda: Responsabilidade Social Empresarial 23-24 de Novembro de 2006 Mário Páscoa (Wyeth/ Painel Febrafarma) E-mail: pascoam@hotmail.com

Leia mais

Trabalho voluntário: o cidadão em ações sociais

Trabalho voluntário: o cidadão em ações sociais Trabalho voluntário: o cidadão em ações sociais O trabalho voluntário vem assumindo um papel expressivo na sociedade. Adeptos da prática vêm de todas as classes sociais. Por Mayara Kelly Há seis anos,

Leia mais

Como estruturar um programa de investimento social familiar estratégico 1

Como estruturar um programa de investimento social familiar estratégico 1 Como estruturar um programa de investimento social familiar estratégico 1 O IDIS Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social é uma organização da sociedade civil de interesse público, que tem

Leia mais

INVESTIMENTO SOCIAL. Agosto de 2014

INVESTIMENTO SOCIAL. Agosto de 2014 INVESTIMENTO SOCIAL Agosto de 2014 INVESTIMENTO SOCIAL Nós promovemos o desenvolvimento sustentável de diversas maneiras Uma delas é por meio do Investimento Social INVESTIMENTO INVESTIENTO SOCIAL - Estratégia

Leia mais

Roteiro para orientar o investimento social privado na comunidade 1

Roteiro para orientar o investimento social privado na comunidade 1 Roteiro para orientar o investimento social privado na comunidade 1 O IDIS Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social é uma organização da sociedade civil de interesse público, que tem como

Leia mais

CENÁRIO BRASILEIRO DO MARKETING RELACIONADO A CAUSAS Atitudes e comportamento do consumidor

CENÁRIO BRASILEIRO DO MARKETING RELACIONADO A CAUSAS Atitudes e comportamento do consumidor CENÁRIO BRASILEIRO DO MARKETING RELACIONADO A CAUSAS Atitudes e comportamento do consumidor 2º Seminário Internacional de Marketing Relacionado a Causas 27 de setembro de 2005 1 O que pensa consumidor

Leia mais

EVENTOS 2009 ENCONTRO INTERNACIONAL SOBRE SUSTENTABILIDADE NA CONSTRUÇÃO. Ruth Goldberg. 04 de junho de 2009

EVENTOS 2009 ENCONTRO INTERNACIONAL SOBRE SUSTENTABILIDADE NA CONSTRUÇÃO. Ruth Goldberg. 04 de junho de 2009 Responsabilidade Social Empresarial em Empresas Construtoras case Even Ruth Goldberg 04 de junho de 2009 Alinhando conceitos: SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL E C O N Ô

Leia mais

- Terceiro Setor e Sociedade Civil Organizada -

- Terceiro Setor e Sociedade Civil Organizada - - Terceiro Setor e Sociedade Civil Organizada - 1 Terceiro Setor Denominação de um setor além governo e do privado/empresas. Define a atuação de organizações não estatais e sem fins lucrativos. Divisão

Leia mais

Palavras-chave Ação social, Comunicação, Investimento social privado, Responsabilidade Social

Palavras-chave Ação social, Comunicação, Investimento social privado, Responsabilidade Social Título Desafios na Comunicação da Ação Social Privada 1 Autores Prof. Dr. Paulo Nassar, professor da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo e presidente da ABERJE Associação Brasileira

Leia mais

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO Introdução Escopo A Carta de Bangkok identifica ações, compromissos e promessas necessários para abordar os determinantes da saúde em

Leia mais

Como as empresas estão (ou não) comunicando a RSE

Como as empresas estão (ou não) comunicando a RSE Como as empresas estão (ou não) comunicando a RSE Uma rápida reflexão Ricardo Voltolini/Natal-Agosto07 Melhor começar pelos porquês Alguns porquês Por que as empresas estão comunicando a RSE Se estão comunicando

Leia mais

Pesquisa APAE de Santa Bárbara d Oeste 1

Pesquisa APAE de Santa Bárbara d Oeste 1 Pesquisa APAE de Santa Bárbara d Oeste 1 Caroline Matias VENTURA 2 Edinelson Cristiano PRAZER 3 Oziel CARVALHO 4 Pâmela FARIA 5 Raphael Laudissi PINHEIRO 6 Rodolfo MIRANDA 7 Paulo César D'ELBOUX 8 Vivian

Leia mais

Fundação Itaú Social. Por uma educação integral,

Fundação Itaú Social. Por uma educação integral, Fundação Itaú Social Por uma educação integral, integrada e integradora Visão Itaú Ser o banco líder em performance e perene reconhecidamente sólido e ético, destacando-se por equipes motivadas, comprometidas

Leia mais

DOAÇÃO DE SANGUE. Raquel Rocha Gomes

DOAÇÃO DE SANGUE. Raquel Rocha Gomes DOAÇÃO DE SANGUE Raquel Rocha Gomes O dia 25 de novembro é nacionalmente comemorado como o dia do doador de sangue. Aproveitando esse tema, a Futura realizou uma pesquisa com os moradores da Grande Vitória

Leia mais

Centro Comunitário Vila Gaúcha. Projeto Experimental II

Centro Comunitário Vila Gaúcha. Projeto Experimental II Centro Comunitário Vila Gaúcha Projeto Experimental II Apresentação da Empresa O Centro Comunitário Vila Gaúcha presta atendimento regular em Educação Infantil, Serviço de Apoio Sócio Educativo, Trabalho

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL. Roberta Dalvo

RESPONSABILIDADE SOCIAL. Roberta Dalvo RESPONSABILIDADE SOCIAL Roberta Dalvo Objetivo: Histórico e definições Panorama Social Oportunidades para as empresas (Vantagem Competitiva) Pesquisa realizada pelo Instituto Ethos/Valor Casos de sucesso

Leia mais

10/10/2013. Associação Nacional de Negócios Cooperativos

10/10/2013. Associação Nacional de Negócios Cooperativos Organização & agregação de agricultores 3. o Fórum Consultivo Organização Internacional do Café Belo Horizonte, Brasil 10 de setembro de 2013 Associação Nacional de Negócios Cooperativos CLUSA International

Leia mais

Solidariedade - É uma empatia fundamental com as causas das famílias mais excluídas, que nos move a # querer estar e trabalhar junto com elas.

Solidariedade - É uma empatia fundamental com as causas das famílias mais excluídas, que nos move a # querer estar e trabalhar junto com elas. BRIEF COMERCIAL 2015 QUEM SOMOS TETO é uma organização presente na América Latina e no Caribe, que busca superar a situação de pobreza em que vivem milhões de pessoas nos assentamentos precários, através

Leia mais

Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política

Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política No Brasil, há poucas experiências conhecidas de uso de ferramentas de monitoramento de mídias sociais em campanhas políticas. Uma delas

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Política de Sustentabilidade Sul Mineira 1 Índice Política de Sustentabilidade Unimed Sul Mineira Mas o que é Responsabilidade Social? Premissas Básicas Objetivos da Unimed Sul Mineira Para a Saúde Ambiental

Leia mais

Programas de. Andrea Goldschmidt andrea@apoenasustentavel.com.br

Programas de. Andrea Goldschmidt andrea@apoenasustentavel.com.br Programas de Voluntariado Empresarial Andrea Goldschmidt andrea@apoenasustentavel.com.br POSICIONAMENTO APOENA Visão Ser a mais completa empresa de consultoria em Gestão Sustentável do Brasil. Missão Disseminar,

Leia mais

GESTÃO DE PESSOAS E RESPONSABILIDADE SOCIAL: CRIANDO VALOR PARA. Profa. MARIA ELIZABETH PUPE JOHANN

GESTÃO DE PESSOAS E RESPONSABILIDADE SOCIAL: CRIANDO VALOR PARA. Profa. MARIA ELIZABETH PUPE JOHANN GESTÃO DE PESSOAS E RESPONSABILIDADE SOCIAL: CRIANDO VALOR PARA O NEGÓCIO Profa. MARIA ELIZABETH PUPE JOHANN Maio de 2007 LEMBRANDO ESTRATÉGIAS... APARENTE PARADOXO: POR QUE A RICA SOCIEDADE AMERICANA

Leia mais

Introdução: Código de Conduta Corporativa

Introdução: Código de Conduta Corporativa Transporte Excelsior Ltda Código de Conduta Corporativa Introdução: A Transporte Excelsior através desse Código Corporativo de Conduta busca alinhar e apoiar o cumprimento de nossa Missão, Visão e Valores,

Leia mais

Panorama da Avaliação. de Projetos Sociais de ONGs no Brasil

Panorama da Avaliação. de Projetos Sociais de ONGs no Brasil Panorama da Avaliação de Projetos Sociais de ONGs no Brasil Realização Parceria Iniciativa Este documento foi elaborado para as organizações que colaboraram com a pesquisa realizada pelo Instituto Fonte,

Leia mais

A1. Número da Entrevista: A2. Iniciais do Entrevistador: A3. Data: / /2007 A4. Nome da Entidade [POR EXTENSO E A SIGLA]:

A1. Número da Entrevista: A2. Iniciais do Entrevistador: A3. Data: / /2007 A4. Nome da Entidade [POR EXTENSO E A SIGLA]: CENTRO BRASILEIRO DE ANÁLISE E PLANEJAMENTO-CEBRAP A Reforma de Serviços Públicos: O Papel da Ação Coletiva e da Accountability Social (Delhi, Cidade de México e São Paulo) QUESTIONÁRIO PARA LIDERANÇAS

Leia mais

PESQUISA ARQUITETURA INSTITUCIONAL DE APOIO ÀS ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL NO BRASIL

PESQUISA ARQUITETURA INSTITUCIONAL DE APOIO ÀS ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL NO BRASIL PESQUISA ARQUITETURA INSTITUCIONAL DE APOIO ÀS ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL NO BRASIL Relatório Final Eixo Investimento Social Privado Corporativo São Paulo, fevereiro de 2013 Créditos Realização: Articulação

Leia mais

Teresa Dias de Toledo Pitombo Disciplina: Marketing Estratégico de Varejo e Serviços Prof. Antonio Carlos Giuliani Setembro/2012

Teresa Dias de Toledo Pitombo Disciplina: Marketing Estratégico de Varejo e Serviços Prof. Antonio Carlos Giuliani Setembro/2012 Teresa Dias de Toledo Pitombo Disciplina: Marketing Estratégico de Varejo e Serviços Prof. Antonio Carlos Giuliani Setembro/2012 Quebra de Paradigmas Possibilidades Cenário Varejo e Sustentabilidade Exemplos

Leia mais

COMO ADQUIRIR UMA FRANQUIA

COMO ADQUIRIR UMA FRANQUIA COMO ADQUIRIR UMA FRANQUIA O que é Franquia? Objetivo Esclarecer dúvidas, opiniões e conceitos existentes no mercado sobre o sistema de franquias. Público-Alvo Pessoa física que deseja constituir um negócio

Leia mais

Politica Nacional de Enfrentamento à epidemia de HIV/AIDS no Brasil:

Politica Nacional de Enfrentamento à epidemia de HIV/AIDS no Brasil: FUNDO POSITHiVO Politica Nacional de Enfrentamento à epidemia de HIV/AIDS no Brasil: Resposta Brasileira à epidemia de AIDS: Conjunção de esforços- Resposta Governamental & Sociedade Brasileira. Êxito

Leia mais

Patrocínio Institucional Parceria Apoio

Patrocínio Institucional Parceria Apoio Patrocínio Institucional Parceria Apoio InfoReggae - Edição 81 O Ajuste Fiscal e as ONGs 08 de maio de 2015 O Grupo AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através da cultura

Leia mais

Programa Latino-americano de Advocacy em Saúde Liderança para Terceiro Setor

Programa Latino-americano de Advocacy em Saúde Liderança para Terceiro Setor Programa Latino-americano de Advocacy em Saúde Liderança para Terceiro Setor Setembro/2010 Uma organização vista em duas dimensões Vista em sua dimensão interna: Uma organização é um conjunto de pessoas

Leia mais

3. Um olhar interessante na reação de Pe. Pedro Rubens é que a experiência apresentada nos traz olhar que os problemas são encarados como desafios.

3. Um olhar interessante na reação de Pe. Pedro Rubens é que a experiência apresentada nos traz olhar que os problemas são encarados como desafios. SISTEMATIZAÇÃO NICARAGUA Aprendizagens com a experiência. 1. Se deve levar em conta os momentos históricos. O nascimento do colégio na Venezuela também passou por vários momentos. Este colégio, contudo,

Leia mais

Responsabilidade Social Corporativa

Responsabilidade Social Corporativa Responsabilidade Social Corporativa João Paulo Vergueiro jpverg@hotmail.com Stakeholders GOVERNOS ORGANISMOS INTERNACIONAIS FORNECEDORES CONCORRENTES INDÚSTRIA DA COMUNICAÇÃO ACIONISTAS PROPRIETÁRIOS EMPRESA

Leia mais

UIPES/ORLA Sub-Região Brasil

UIPES/ORLA Sub-Região Brasil 1 A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE NO MUNDO GLOBALIZADO 1 Introdução Área de atuação. A Carta de Bangkok (CB) identifica ações, compromissos e garantias requeridos para atingir os determinantes

Leia mais

Plano de Ação 2016 GRACE

Plano de Ação 2016 GRACE Plano de Ação 2016 GRACE Mensagem da Direção É tempo de preparar mais um ano de intensa atividade do GRACE, procurando consolidar o capital de experiência e partilha acumulado e alargar novas perspetivas

Leia mais

Experiência da Associação Ateliê de Ideias e do Banco Bem

Experiência da Associação Ateliê de Ideias e do Banco Bem Experiência da Associação Ateliê de Ideias e do Banco Bem São Benedito Bonfim Engenharia TERRITÓRIO DO BEM- 31 mil habitantes Jaburu Bairro da Penha Itararé Floresta Consolação 2003- enfrentamento da falta

Leia mais

Política do Programa de Voluntariado do Grupo Telefônica

Política do Programa de Voluntariado do Grupo Telefônica Política do Programa de Voluntariado do Grupo Telefônica INTRODUÇÃO O Grupo Telefônica, consciente de seu importante papel na construção de sociedades mais justas e igualitárias, possui um Programa de

Leia mais

Histórico Rede Evangélica Nacional de Ação Social (RENAS) agosto de 2010 no Recife Transformando a sociedade a partir da igreja local

Histórico Rede Evangélica Nacional de Ação Social (RENAS) agosto de 2010 no Recife Transformando a sociedade a partir da igreja local Histórico Esta campanha tem sua origem no contexto do V Encontro Nacional da Rede Evangélica Nacional de Ação Social (RENAS) em agosto de 2010 no Recife PE. Nessa ocasião, o enfoque do evento foi: Transformando

Leia mais

visitas às instituições sociais. Os colaboradores voluntários também foram consultados, por meio da aplicação de um questionário.

visitas às instituições sociais. Os colaboradores voluntários também foram consultados, por meio da aplicação de um questionário. 1. Apresentação O Voluntariado Empresarial é um dos canais de relacionamento de uma empresa com a comunidade que, por meio da atitude solidária e proativa de empresários e colaboradores, gera benefícios

Leia mais

Unidade III ESPECIALIZAÇÕES. Profa. Cláudia Palladino

Unidade III ESPECIALIZAÇÕES. Profa. Cláudia Palladino Unidade III ESPECIALIZAÇÕES DO MARKETING Profa. Cláudia Palladino Marketing social Atuação das empresas hoje e a Responsabilidade social: Obtenção de insumos e processamento de matéria prima de maneira

Leia mais

FÓRUM IRÁ DISCUTIR AS POSSIBILIDADES E OPORTUNIDADES DE UNIR O SOCIAL AO CENÁRIO DAS FINANÇAS E DOS NEGÓCIOS LUCRATIVOS

FÓRUM IRÁ DISCUTIR AS POSSIBILIDADES E OPORTUNIDADES DE UNIR O SOCIAL AO CENÁRIO DAS FINANÇAS E DOS NEGÓCIOS LUCRATIVOS FÓRUM IRÁ DISCUTIR AS POSSIBILIDADES E OPORTUNIDADES DE UNIR O SOCIAL AO CENÁRIO DAS FINANÇAS E DOS NEGÓCIOS LUCRATIVOS Coloque na agenda! O Fórum Brasileiro de Finanças Sociais e Negócios de Impacto será

Leia mais

NO BRASIL: Há 27 anos, 700 empresas, 2,3 milhões de alunos beneficiados, 2 mil escolas, mais de 85 mil voluntários.

NO BRASIL: Há 27 anos, 700 empresas, 2,3 milhões de alunos beneficiados, 2 mil escolas, mais de 85 mil voluntários. 2011 NO MUNDO: Fundada em 1919 e atualmente em mais de 123 países. NO BRASIL: Há 27 anos, 700 empresas, 2,3 milhões de alunos beneficiados, 2 mil escolas, mais de 85 mil voluntários. NO ESPÍRITO SANTO:

Leia mais

I Simpósio COACHING - Arte e Ciência CRASP

I Simpósio COACHING - Arte e Ciência CRASP I Simpósio COACHING - Arte e Ciência CRASP COACHING EMPRESARIAL: A IMPORTÂNCIA DO COACHING COMO SUPORTE ÀS EMPRESAS ROSA R. KRAUSZ CONTRIBUIÇÃO DAS PMEs NO BRASIL (IBGE-2010) 20% do PIB brasileiro (R$

Leia mais

PROGRAMA DE ADOÇÃO DE PRINCÍPIOS SOCIOAMBIENTAIS

PROGRAMA DE ADOÇÃO DE PRINCÍPIOS SOCIOAMBIENTAIS A Copagaz A Copagaz, primeira empresa do Grupo Zahran, iniciou suas atividades em 1955 distribuindo uma tonelada de Gás Liquefeito de Petróleo - GLP por dia nos estados de São Paulo, Mato Grosso e Mato

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

POLíTICA DE PATROCíNIOS E DOAÇÕES VOLVO DO BRASIL

POLíTICA DE PATROCíNIOS E DOAÇÕES VOLVO DO BRASIL POLíTICA DE PATROCíNIOS E DOAÇÕES VOLVO DO BRASIL índice APRESENTAÇÃO...3 POLíTICA DE PATROCíNIOS DA VOLVO DO BRASIL...3 1. Objetivos dos Patrocínios...3 2. A Volvo como Patrocinadora...3 3. Foco de Atuação...4

Leia mais

Risco na medida certa

Risco na medida certa Risco na medida certa O mercado sinaliza a necessidade de estruturas mais robustas de gerenciamento dos fatores que André Coutinho, sócio da KPMG no Brasil na área de Risk & Compliance podem ameaçar a

Leia mais

Voluntariado Empresarial

Voluntariado Empresarial Voluntariado Empresarial Agenda 09:00-09:10 Abertura e Introdução ao tema Voluntariado Empresarial 09:10 09:30 Jogo de Palavras conceito trabalho em grupos 09:30 10:15 Apresentação dos grupos e síntese

Leia mais

Martina Rillo Otero A importância do processo de avaliação. Existem muitas definições para avaliação, não existe uma única.

Martina Rillo Otero A importância do processo de avaliação. Existem muitas definições para avaliação, não existe uma única. Grupo de Estudos de Voluntariado Empresarial Avaliação, Monitoramento e Impacto no Programa de Voluntariado Empresarial: Teoria e Prática 25/11/14 Martina Rillo Otero A importância do processo de avaliação

Leia mais

Previdência Privada no Mercado Brasileiro. Nobody s Unpredictable

Previdência Privada no Mercado Brasileiro. Nobody s Unpredictable Previdência Privada no Mercado Brasileiro Nobody s Unpredictable Objetivos e Características 2 Objetivos e metodologia Metodologia Quantitativa, por meio de pesquisa amostral com questionário estruturado

Leia mais

INSTITUTO LOJAS RENNER

INSTITUTO LOJAS RENNER 2011 RELATÓRIO DE ATIVIDADES INSTITUTO LOJAS RENNER Instituto Lojas Renner Inserção de mulheres no mercado de trabalho, formação de jovens e desenvolvimento da comunidade fazem parte da essência do Instituto.

Leia mais

Estratégia e inovação. Gestão de Risco. Meio Ambiente, saúde e segurança

Estratégia e inovação. Gestão de Risco. Meio Ambiente, saúde e segurança Favor indicar o departamento no qual opera: 16% 5% Relações externas, Comunicação N=19 79% Estratégia e inovação Gestão de Risco Outros Meio Ambiente, saúde e segurança Outros: Desenvolvimento Sustentável

Leia mais

O Papel da Mobilização Frente aos Novos Desafios FEMAMA. Junho 2012 Fortaleza CE

O Papel da Mobilização Frente aos Novos Desafios FEMAMA. Junho 2012 Fortaleza CE O Papel da Mobilização Frente aos Novos Desafios FEMAMA Dra. Maira Caleffi, Ph.D. Junho 2012 Fortaleza CE Presidente da FEMAMA Brasil Presidente do IMAMA Instituto da Mama do RS Coordenadora Núcleo Mama

Leia mais

PESQUISA ASSOCIATIVISMO E REPRESENTAÇÃO POPULAR:

PESQUISA ASSOCIATIVISMO E REPRESENTAÇÃO POPULAR: PESQUISA ASSOCIATIVISMO E REPRESENTAÇÃO POPULAR: Comparações entre a América Latina e a Índia Uma pesquisa internacional desenvolvido pelos institutos de pesquisa IDS CENTRO BRASILEIRO DE ANÁLISE E PLANEJAMENTO-CEBRAP

Leia mais

Mais do que reformar casas, juntos. construímos esperanças

Mais do que reformar casas, juntos. construímos esperanças Mais do que reformar casas, juntos construímos esperanças Ajudando Vamos fazer pessoas a viver melhor S a mudança junto à Habitat É incrível o que se consegue quando se somam vontades! eguindo nossa visão

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL

RESPONSABILIDADE SOCIAL RESPONSABILIDADE SOCIAL Instituto Português de Corporate Governance Auditório Victoria 27 de novembro 2013 Ana de Sá Leal economista Abordagem 1. Responsabilidade Social 2. Dimensão 3. Criar Valor 4. Outro

Leia mais

Educação para a Sustentabilidade Projeto ESPM Social São Paulo

Educação para a Sustentabilidade Projeto ESPM Social São Paulo Educação para a Sustentabilidade Projeto ESPM Social São Paulo (Escola Superior de Propaganda e Marketing) Apresentação: Prof. Ismael Rocha Prof. Carlos Frederico Lucio São Paulo, julho de 2011 Indicadores

Leia mais

A Academia está alinhada também aos Princípios para Sustentabilidade em Seguros UNPSI, coordenados pelo UNEP/FI órgão da ONU dedicado às questões da

A Academia está alinhada também aos Princípios para Sustentabilidade em Seguros UNPSI, coordenados pelo UNEP/FI órgão da ONU dedicado às questões da - 1 - Prêmio CNSeg 2012 Empresa: Grupo Segurador BBMAPFRE Case: Academia de Sustentabilidade BBMAPFRE Introdução A Academia de Sustentabilidade BBMAPFRE foi concebida em 2009 para disseminar o conceito

Leia mais

IMPOSTO DE RENDA SOLIDÁRIO

IMPOSTO DE RENDA SOLIDÁRIO IMPOSTO DE RENDA SOLIDÁRIO FOCO DE ATUAÇÃO DA RMS PÚBLICO PRIORITÁRIO CONTEXTO Incentivos Fiscais FIA: Fomentar a participação da sociedade visando fortalecer os fundos das infâncias e adolescências. Pessoa

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Projeto de Implantação e Implementação da Responsabilidade Socioambiental na Indústria

Mostra de Projetos 2011. Projeto de Implantação e Implementação da Responsabilidade Socioambiental na Indústria Mostra de Projetos 2011 Projeto de Implantação e Implementação da Responsabilidade Socioambiental na Indústria Mostra Local de: Umuarama Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Inverno Solidário Cocamar

Mostra de Projetos 2011. Inverno Solidário Cocamar Mostra de Projetos 2011 Inverno Solidário Cocamar Mostra Local de: Maringá Categoria do projeto: Projetos em implantação, com resultados parciais. Cocamar Inverno Solidário Cidade: Maringá Contato: thainara.melo@cocamar.br

Leia mais

Nossos Valores Quem Somos? Nossa Missão Nossa Visão Nossa Atuação Nossos Resultados Modelos de Ecovilas e Projetos Sustentáveis.

Nossos Valores Quem Somos? Nossa Missão Nossa Visão Nossa Atuação Nossos Resultados Modelos de Ecovilas e Projetos Sustentáveis. Nossos Valores Quem Somos? Nossa Missão Nossa Visão Nossa Atuação Nossos Resultados Modelos de Ecovilas e Projetos Sustentáveis Localização Missão, Valores e Visão Os 5 Pilares Objetivos e estratégias

Leia mais

Programa Voluntários Bradesco

Programa Voluntários Bradesco 18ª Audiência de Sustentabilidade Programa Voluntários Bradesco Agosto / 2009 Banco Bradesco Um dos maiores Bancos Privados da América Latina 22 Maior Banco no Mundo (Forbes Global 2000) Maior Seguradora

Leia mais

POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE

POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE Av. Barbacena, 472 8º andar Barro Preto CEP: 30190-130 Belo Horizonte/MG Tel.: 3253.4917 E-mail: renata.gontijo@cemigsaude.org.br Portal Corporativo: www.cemigsaude.org.br

Leia mais

O RH dos sonhos dos CEOs

O RH dos sonhos dos CEOs O RH dos sonhos dos CEOs Expectativas e estratégias da liderança para os Recursos Humanos Presidentes de empresas de todos os portes falaram sobre a importância dos Recursos Humanos para as suas empresas

Leia mais

O QUE É O PROJETO? Ponto de encontro entre quem tem alguma coisa para DAR... ... e quem precisa de RECEBER. 20-06-2014

O QUE É O PROJETO? Ponto de encontro entre quem tem alguma coisa para DAR... ... e quem precisa de RECEBER. 20-06-2014 0-06-04 O QUE É O PROJETO? Ponto de encontro entre quem tem alguma coisa para DAR...... e quem precisa de RECEBER. Plataforma online - www.darereceber.pt - para encaminhar situações de necessidade. 0-06-04

Leia mais

GESTÃ T O O E P RÁ R TI T C I AS DE R E R CUR U S R OS

GESTÃ T O O E P RÁ R TI T C I AS DE R E R CUR U S R OS Ensinar para administrar. Administrar para ensinar. E crescermos juntos! www.chiavenato.com GESTÃO E PRÁTICAS DE RECURSOS HUMANOS Para Onde Estamos Indo? Idalberto Chiavenato Algumas empresas são movidas

Leia mais

PESQUISA SOBRE VOLUNTARIADO NO BRASIL

PESQUISA SOBRE VOLUNTARIADO NO BRASIL PESQUISA SOBRE VOLUNTARIADO NO BRASIL Voluntário é o cidadão que, motivado pelos valores de participação e solidariedade, doa seu tempo, trabalho e talento, de maneira espontânea e não remunerada, para

Leia mais

1. APRESENTAÇÃO 2. OBJETIVO E FOCO TEMÁTICO INSCRIÇÕES 14º DIA DO VOLUNTARIADO 2015.

1. APRESENTAÇÃO 2. OBJETIVO E FOCO TEMÁTICO INSCRIÇÕES 14º DIA DO VOLUNTARIADO 2015. REV.: 03 Pág.: 1 de 6 A Manaus Ambiental torna público que estão abertas as inscrições para a seleção de Instituições e Projetos Sociais para o 14º Dia do Voluntariado. A empresa realizará o processo de

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 Instituto Lojas Renner Instituto Lojas Renner Promover a inserção de mulheres no mercado de trabalho por meio de projetos de geração de renda é o objetivo do Instituto Lojas

Leia mais

Universidade Livre para a Eficiência Humana. Desenvolver e valorizar o ser humano nas empresas e sociedade

Universidade Livre para a Eficiência Humana. Desenvolver e valorizar o ser humano nas empresas e sociedade Universidade Livre para a Eficiência Humana Desenvolver e valorizar o ser humano nas empresas e sociedade MISSÃO Realizar ações inovadoras de inclusão social no mundo do trabalho, por meio do desenvolvimento

Leia mais

Faturamento da Indústria R$ 832 milhões. Faturamento Rede R$ 2,4 bilhões. 70 lojas e 1000 pontos de venda espalhados por 20 países.

Faturamento da Indústria R$ 832 milhões. Faturamento Rede R$ 2,4 bilhões. 70 lojas e 1000 pontos de venda espalhados por 20 países. Faturamento da Indústria R$ 832 milhões. Faturamento Rede R$ 2,4 bilhões. 70 lojas e 1000 pontos de venda espalhados por 20 países. 2500 lojas no Brasil, em 1400 cidades. Mix de 600 produtos. 1200 Colaboradores.

Leia mais

Santander InveStImento SocIal PrIvado dashboard 2014

Santander InveStImento SocIal PrIvado dashboard 2014 Investimento Social Privado DASHBOARD 2014 nossa causa Inclusão Social e Econômica da população brasileira. diretrizes Fortalecer políticas públicas e não se perder em ações isoladas. Dialogar e fazer

Leia mais

Gênero e Políticas Sociais: o programa Mulheres da Paz

Gênero e Políticas Sociais: o programa Mulheres da Paz Gênero e Políticas Sociais: o programa Mulheres da Paz Ana Carolina Santos Maia anacarolinamaia@ufrj.br Instituto de Filosofia e Ciências Sociais/ 6 período Brena O Dwyer Spina da Rosa Machado brenaspina@globo.com

Leia mais

Doações por Terceiros - Pessoa Física e Pessoa Jurídica João Paulo Vergueiro presidente@captacao.org

Doações por Terceiros - Pessoa Física e Pessoa Jurídica João Paulo Vergueiro presidente@captacao.org Doações por Terceiros - Pessoa Física e Pessoa Jurídica João Paulo Vergueiro presidente@captacao.org Objetivo Doações por terceiros (pessoa física e pessoa jurídica): Desafios e possibilidades de uma organização

Leia mais

Metodologia AMOSTRA ABRANGÊNCIA PERÍODO MARGEM DE ERRO. A margem de erro máxima para o total da amostra é 2,0 pontos percentuais.

Metodologia AMOSTRA ABRANGÊNCIA PERÍODO MARGEM DE ERRO. A margem de erro máxima para o total da amostra é 2,0 pontos percentuais. Junho / 2014 Metodologia Metodologia AMOSTRA ABRANGÊNCIA PERÍODO MARGEM DE ERRO 2.126 pessoas foram entrevistadas, a partir de 16 anos, de todos os níveis econômicos em todas as regiões do país. As entrevistas

Leia mais

Indicadores de Rendimento do Voluntariado Corporativo

Indicadores de Rendimento do Voluntariado Corporativo Indicadores de Rendimento do Voluntariado Corporativo Avaliação desenvolvida por Mónica Galiano e Kenn Allen, publicado originalmente no livro The Big Tent: Corporate Volunteering in the Global Age. Texto

Leia mais

1. HISTÓRICO, FORMA E ÁREA DA EMPRESA QUE O CONDUZ 2. OBJETIVOS YÁZIGI INTERNEXUS

1. HISTÓRICO, FORMA E ÁREA DA EMPRESA QUE O CONDUZ 2. OBJETIVOS YÁZIGI INTERNEXUS YÁZIGI INTERNEXUS 1. HISTÓRICO, FORMA E ÁREA DA EMPRESA QUE O CONDUZ Com o desenvolvimento do Projeto Cidadãos do Mundo- Inglês para a Comunidade, o Yázigi Internexus entende que a aprendizagem de um novo

Leia mais

O termo negócio social foi cunhado inicialmente por Muhammad Yunus, indiano, doutor em Economia, professor e laureado com o Prêmio Nobel da Paz em

O termo negócio social foi cunhado inicialmente por Muhammad Yunus, indiano, doutor em Economia, professor e laureado com o Prêmio Nobel da Paz em Negócio Social O termo negócio social foi cunhado inicialmente por Muhammad Yunus, indiano, doutor em Economia, professor e laureado com o Prêmio Nobel da Paz em 2006 Classifica um determinado empreendimento

Leia mais

Relatório Anual. CADI Centro de Assistência e Desenvolvimento Integral de SC

Relatório Anual. CADI Centro de Assistência e Desenvolvimento Integral de SC Resumo da ONG O CADI Palhoça é uma instituição não governamental cujo objetivo é executar, articular e fomentar ações e projetos que facilitem o desenvolvimento de comunidades. Desenvolve projetos em 6

Leia mais

Responsabilidade social de empresas no Brasil: um panorama dos investimentos sociais de empresas na comunidade *

Responsabilidade social de empresas no Brasil: um panorama dos investimentos sociais de empresas na comunidade * BNDES Setorial 31, p. 411-448 Responsabilidade social de empresas no Brasil: um panorama dos investimentos sociais de empresas na comunidade * Rodrigo Mendes Leal Roberto Oliveira das Neves ** Resumo Este

Leia mais

EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO

EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO Odilio Sepulcri odilio@emater.pr.gov.br www.odiliosepulcri.com.br www.emater.pr.gov.br Telefone: (41) 3250-2252 ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO 1. Perfil para empreender

Leia mais

Percepção de Portugal no mundo

Percepção de Portugal no mundo Percepção de Portugal no mundo Na sequência da questão levantada pelo Senhor Dr. Francisco Mantero na reunião do Grupo de Trabalho na Aicep, no passado dia 25 de Agosto, sobre a percepção da imagem de

Leia mais

arlete.moraes@grupomarista.org.br Assessoria de Relações Institucionais 041-9685-2725

arlete.moraes@grupomarista.org.br Assessoria de Relações Institucionais 041-9685-2725 arlete.moraes@grupomarista.org.br Assessoria de Relações Institucionais 041-9685-2725 Sumário 1 Quantas e Quem são as entidades sem fins econômicos? 2 As doações internacionais; 3 Cenário sobre doações

Leia mais