PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 01/08/2005 A 07/08/2005

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 01/08/2005 A 07/08/2005"

Transcrição

1 PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 01/08/2005 A 07/08/2005 RELATÓRIO ONS - 3/247/05 EMITIDO EM: 12/08/2005

2 PROCESSO: Análise de Perturbações Resumo: Este relatório, elaborado com periodicidade semanal, tem por objetivo relacionar as principais perturbações verificadas no Sistema Interligado Brasileiro, apresentando um sumário daquelas com maior impacto, acompanhamento de providências tomadas e uma tabela geral informando: - Data e hora; - Empresas envolvidas; - Origem e causa; - Interrupção de carga e normalização; - Desempenho de ECE's; 2

3 SUMÁRIO DAS PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA ELÉTRICO BRASILEIRO NA SEMANA DE 18/07/2005 A 24/07/ PERTURBAÇÃO DO DIA 01/08/2005 ÀS 00H45MIN - EMPRESAS AFETADAS: ANDE E COPEL. Desligamento automático da Conversora de Acaray, devido a anormalidades nos serviços auxiliares da mesma, causando a interrupção de 45 MW no intercâmbio do Paraguai para o Brasil, através da interligação com a SE Foz do Iguaçu 138 kv. Às 01h42min a Conversora e o intercâmbio foram normalizados. 2- PERTURBAÇÕES DO DIA 01/08/2005 ÀS 01H37MIN E 01H49MIN - EMPRESA AFETADA: CHESF. A perturbação consistiu no desligamento automático da LT 500 kv Luiz Gonzaga - Olindina 05S4, pela atuação acidental da proteção de distância Alternada, fabricante GE, tipo MOD III, com atuação da lógica de teleproteção e envio e recepção de sinal de transferência de disparo em ambos os terminais. Às 01h47min foi normalizada a LT 500 kv Luiz Gonzaga - Olindina 05S4. Às 01h49min ocorreu novo desligamento automático da LT 500 kv Luiz Gonzaga - Olindina 05S4, pela atuação acidental da proteção de distância Alternada, novamente por atuação da lógica de teleproteção, com envio e recepção de sinal de transferência de disparo em ambos os terminais. Às 02h16min foi colocado o equipamento Carrier da teleproteção Alternada em teste em ambos os terminais da linha, retirando esta teleproteção de operação. Às 02h20min foi normalizada a LT 500 kv Luiz Gonzaga - Olindina 05S4. A CHESF está investigando a causa da atuação acidental da teleproteção Alternada da linha. 3

4 3- PERTURBAÇÃO DO DIA 01/08/2005 ÀS 03H13MIN. - EMPRESA AFETADA: COPEL. A perturbação consistiu no desligamento automático da LT 230 kv Chavantes - Figueira, por atuação das proteções Primárias de sobrecorrente direcionais residuais, através do esquema de teleproteção da linha, e também da proteção Secundária de sobrecorrente direcional instantânea no terminal da SE Figueira, devido a um curto-circuito monofásico, envolvendo a fase B e a terra, de causa indeterminada, eliminado em cerca de 81 ms. A função LDL, do RDP da SE Figueira, calculou o defeito a 81 km desta SE. Não houve rejeição de carga. Às 03h14min foi normalizada a LT 230 kv Chavantes - Figueira. 4- PERTURBAÇÃO DO DIA 02/08/2005 ÀS 19H42MIN - EMPRESA AFETADA: CEEE. Desligamento automático da LT 230 kv Camaquã - UTE Presidente Médici, devido a curto-circuito interno monofásico, de causa indeterminada, eliminado por atuação das proteções Primárias de sobrecorrente direcionais residuais de ambos os terminais, através do esquema de teleproteção da linha. A função LDL do RDP da SE Camaquã, calculou o defeito a 172 km deste terminal. Houve atuação do religamento automático com sucesso da linha. 5- PERTURBAÇÃO DO DIA 02/08/2005 ÀS 23H21MIN - EMPRESA AFETADA: CEEE. Desligamento automático da LT 230 kv Camaquã - UTE Presidente Médici devido a curto-circuito interno monofásico, de causa indeterminada, eliminado por atuação das proteções Primárias de sobrecorrente direcionais residuais de ambos os terminais, através do esquema de teleproteção da linha. A função LDL do RDP da SE Camaquã, calculou o defeito a 158 km deste terminal. 4

5 Houve atuação do religamento automático com sucesso da linha. 6- PERTURBAÇÃO DO DIA 03/08/2005 ÀS 03H56MIN. EMPRESAS AFETADAS: ELETRONORTE E FURNAS. A perturbação consistiu no desligamento automático da LI 230 kv Rio Verde - Rondonópolis C2, devido a um curto-circuito monofásico, envolvendo a fase Branca (fase B FURNAS e ELETRONORTE) e a terra, de causa indeterminada, corretamente eliminado em 140 ms (existe temporização intencional de 80 ms no terminal de Rio Verde), por atuação das proteções Primárias e Secundárias de distância para faltas a terra, em 1ª zona, em ambos os terminais. A falta foi localizada, com o auxílio de ferramentas computacionais de FURNAS, como tendo ocorrido a 8 % do comprimento total da linha, medidos a partir do terminal de Rio Verde. Não houve rejeição de cargas. Às 04h00min foi normalizada a LI 230 kv Rio Verde - Rondonópolis C2. 7- PERTURBAÇÃO DO DIA 03/08/2005 ÀS 21H12MIN. EMPRESA AFETADA: CELG. Desligamento automático dos transformadores 1 e 2, 230/69 kv, da SE Planalto, por atuação das proteções de sobrecorrente de neutro, devido a uma falha ocorrida no setor de 69 kv da SE, cujas causas estão sendo investigadas pela CELG. Houve interrupção de 22 MW de cargas. Às 21h15min foram normalizados os transformadores e as cargas. 5

6 8- PERTURBAÇÃO DO DIA 04/08/2005 ÀS 11H33MIN - EMPRESA AFETADA: ELETRONORTE. Desligamento automático da LT 500 kv Marabá Imperatriz C2, devido a ocorrência de uma falha interna, provocada por queimada, envolvendo a fase Azul e a terra (fase A ELETRONORTE), eliminada em 82 ms por atuação das proteções Principal e Alternada de distância para faltas a terra, em 2 as zonas, associadas às teleproteções, em ambos os terminais. A falha foi localizada a cerca de 8,4 km do terminal de Marabá. Simultaneamente ocorreu o desligamento automático da LT 500 kv Tucuruí Vila do Conde C1, no terminal de Vila do Conde, por atuação incorreta do esquema de teleproteção Principal, em virtude da não atuação da unidade de partida reversa da proteção Principal do terminal de Tucuruí, que permitiu a devolução do sinal de Eco para o terminal de Vila do Conde provocando a atuação da lógica de teleproteção neste terminal. A ELETRONORTE está investigando as causas desta atuação incorreta. Às 11h41min foi normalizada a LT 500 kv Tucuruí Vila do Conde C1. Às 11h42min foi normalizada a LT 500 kv Marabá Imperatriz C2. 9- PERTURBAÇÃO DO DIA 04/08/2005 ÀS 13H16MIN - EMPRESA AFETADA: ELETRONORTE. Desligamento automático da LT 500 kv Marabá Imperatriz C2, devido a ocorrência de uma falha interna, provocada por queimada, envolvendo a fase Azul e a terra (fase A ELETRONORTE), eliminada em 75 ms por atuação das proteções Principal e Alternada de distância para faltas a terra, em 2 as zonas, associadas às teleproteções, em ambos os terminais. A falha foi localizada a cerca de 8,4 km do terminal de Marabá. Simultaneamente ocorreu o desligamento automático da LT 500 kv Tucuruí Vila do Conde C1, no terminal de Vila do Conde, por atuação incorreta do esquema de teleproteção Principal, em virtude da não atuação da unidade de partida reversa da proteção Principal do terminal de Tucuruí, que permitiu a devolução do sinal de Eco para o terminal de Vila do Conde provocando a atuação da lógica de teleproteção neste terminal. 6

7 Após esta ocorrência a proteção Principal do terminal de Tucuruí foi bloqueada pela ELETRONORTE, que está investigando o motivo da não atuação da unidade de partida reversa nessa e na ocorrência das 11h33min. Às 13h21min foi normalizada a LT 500 kv Tucuruí Vila do Conde C1. Às 13h23min foi normalizada a LT 500 kv Marabá Imperatriz C PERTURBAÇÃO DO DIA 04/08/2005 ÀS 16H06MIN EMPRESA AFETADA: FURNAS. A perturbação consistiu no desligamento automático, na SE Vitória, do transformador T1- A, 345/13,8 kv, 60 MVA e do Compensador Síncrono 1 ligado em seu secundário, por atuação da proteção diferencial longa do transformador, devido a falha provocada pela explosão do pára-raios de 345 kv, fase Branca (fase B FURNAS), eliminada em 48 ms. Às 16h20min foi isolado o Transformador e normalizado o barramento em Anel de 345 kv da SE. O Transformador e o Compensador Síncrono foram normalizados no dia 05/08/2005 às 03h01min. 7

8 11- PERTURBAÇÃO DO DIA 05/08/2005 ÀS 05H42MIN EMPRESA AFETADA: CEEE. Desligamento automático da LT 230 kv UTE Camaquã - Presidente Médici, devido a curto-circuito interno monofásico, de causa indeterminada, eliminado por atuação das proteções Primárias de sobrecorrente direcionais residuais de ambos os terminais, através do esquema de teleproteção da linha. A função LDL do RDP da SE Camaquã calculou o defeito a 158 km deste terminal. Houve atuação do religamento automático com sucesso da linha. 12- PERTURBAÇÃO DO DIA 05/08/2005 ÀS 14H54MIN EMPRESAS AFETADAS: CEEE E AES SUL. Desligamento automático da LT 230 kv Charqueadas - UHE Itaúba devido a curtocircuito interno bifásico, envolvendo as fases A e B, de causa indeterminada, eliminado pela abertura dos respectivos disjuntores, em 43ms no terminal da UHE Itaúba e 86ms no terminal de Charqueadas, por atuação das proteções Primárias de distância para falhas entre fases, de ambos os terminais, através do esquema de teleproteção. A função LDL do RDP da SE Charqueadas, calculou o defeito a 167,12 km deste terminal. Houve interrupção de 90 MW de cargas da AES-SUL na SE Santa Cruz do Sul, ligada em derivação na linha, ocorrendo ainda o desligamento automático dos disjuntores do lado de 230 kv dos transformadores TRs 1 e 2, 230/69 kv, desta subestação, por atuação das respectivas proteções de subtensão. Às 14h55min a linha e as cargas interrompidas foram normalizadas. 13- PERTURBAÇÃO DO DIA 05/08/2005 ÀS 16H46MIN EMPRESAS AFETADAS: ELETROSUL E CAMMESA. Às 07h31mim foi desbloqueada a Conversora de Uruguaiana por solicitação da Compañia Administradora Del Mercado Mayorista Electrico Sociedad Anonima (CAMMESA), em 8

9 função de desligamento manual em emergência da LT 132 kv Monte Caseros - Chajari no sistema Argentino. Às 16h42min foi normalizada a LT 132 kv Monte Caseros - Chajari, ainda com a Conversora operando no modo isolado, o que resultou na redução do intercâmbio através da mesma, de 30 MW para 5 MW, e seu bloqueio, às 16h46min, por atuação da sua proteção de sobretensão (tensão elevada no sistema de 132 kv do lado de 50 Hz). A ELETROSUL ainda está investigando as causas desta perturbação. 9

10 14- PERTURBAÇÃO DO DIA 05/08/2005 ÀS 18H17MIN EMPRESA AFETADA: TSN. Desligamento automático da LI 500 kv Serra da Mesa - Rio das Éguas 05L2, devido a ocorrência de uma falha interna no Reator da linha, 200 MVAr, fase B, do terminal de Rio das Éguas, eliminado num tempo total de cerca de 3,3 ciclos, pela atuação do relé de gás (Buchholz) 2º estágio fase "B" do referido Reator. Também atuaram as proteções Principal e Alternada de distância para falhas à terra, em primeira zona, e as proteções instantâneas de sobrecorrente direcionais residuais (67NI) no terminal de Rio das Éguas e as proteções de distância para falhas à terra em zonas de sobrealcance, através das lógicas de teleproteção, em ambos os terminais. A TSN esta investigando a causa para a falha interna na unidade da fase B do Reator de 500 kv - 05E1, com a possibilidade de estar associada à reação do cobre dos enrolamentos com o enxofre presente no óleo isolante utilizado. Em função do desligamento desta linha atuou o ECE 1 de desligamento de linhas no trecho Serra da Mesa/Sapeaçu para controle de sobretensões, desligando a LT 500 kv Rio das Éguas - Bom Jesus da Lapa II. Houve uma variação no Intercâmbio Norte/Nordeste de -330,0 MW para -565,0 MW. 15- PERTURBAÇÃO DO DIA 06/08/2005 ÀS 03H12MIN - EMPRESAS AFETADAS: TSN E CHESF. Desligamento automático da LT 500 kv Bom Jesus da Lapa II - Ibicoara 05L4, devido a ocorrência de uma falha interna no Reator da linha 05E1, 200 MVAr, fase C, no terminal de Ibicoara, eliminado num tempo total de cerca de 3,4 ciclos, pela atuação da válvula de alívio de pressão da fase C e pelas proteções Principal e Alternada de sobrecorrente direcionais residuais (67NI), através das lógicas de teleproteção, em ambos os terminais da linha. Em função do desligamento desta linha atuou o ECE 3 de desligamento de linhas no trecho Serra da Mesa/Sapeaçu para controle de sobretensões, desligando a LT 500 kv Ibicoara - Sapeaçu 05L3. 10

11 A TSN esta investigando a causa para a falha interna na unidade da fase C do Reator de 500 kv - 05E1, com a possibilidade de estar associada à reação do cobre dos enrolamentos com o enxofre presente no óleo isolante utilizado no Reator. Às 10h56min foi sincronizada a unidade 01G1 da UHE Itapebi para suporte de reativo. Às 11h16min foi energizada a LT 500 kv Ibicoara - Sapeaçu 05L3, pelo terminal de Sapeaçu. Às 11h22min foi energizada a LT 500 kv Bom Jesus da Lapa II - Ibicoara 05L4, pelo terminal de Ibicoara. Às 11h28min foi desligado o Compensador Síncrono 01K1 da SE Irecê. Às 11h28min foi desligado o Compensador Síncrono 01K1 da SE Bom Jesus da Lapa. Às 11H30min foi desenergizado o transformador 04T7, 230/13,8 kv, da SE Irecê. Às 11h31min foi desenergizado o transformador 04T6, 230/13,8 kv, da SE Bom Jesus da Lapa. Às 11h36min foi fechado o anel 230/500 kv Sobradinho/ Bom Jesus da Lapa/Bom Jesus da Lapa II/Sapeaçu, na SE Bom Jesus da Lapa II. Às 11h42min foi energizado o transformador 04T7 da SE Irecê. Às 11h46min foi sincronizado o Compensador Síncrono 01K1 da SE Irecê. O Compensador Síncrono 01K1 da SE Bom Jesus da Lapa e seu respectivo transformador 04T6 permaneceram desligados atendendo programação do Agente CHESF. 16- PERTURBAÇÃO DO DIA 07/08/2005 ÀS 13H55MIN - EMPRESAS AFETADAS: ELETRONORTE, CEMAR, ALUMAR E CVRD. A perturbação se iniciou com o desligamento da LT 230 kv Presidente Dutra - Peritoró devido a um curto-circuito envolvendo as fases Azul, Vermelha e a terra (fases A e C ELETRONORTE), provocado por uma queimada de grandes proporções localizada a 20 km de Presidente Dutra, em um trecho onde as LT s 500 kv Presidente Dutra - São Luis II C1 e C2 e a LT 230 kv Presidente Dutra Peritoró utilizam a mesma faixa de servidão. 11

12 Esse defeito foi corretamente eliminado em 55 milisegundos pela atuação das proteções de distância Principal e Alternada em primeiras zonas no terminal de Presidente Dutra e em segundas zonas, associadas aos esquemas de teleproteção, no terminal de Peritoró. Cerca de 200 milisegundos após o desligamento da LT 230 kv Presidente Dutra - Peritoró ocorreu o desligamento da LT 500 kv Presidente Dutra - São Luis II C2, devido a um curto-circuito envolvendo a fase Branca (fase B ELETRONORTE) e a terra, corretamente eliminado em 65 milisegundos pela atuação das proteções de distância Principal e Alternada em primeiras zonas no terminal de Presidente Dutra e em segundas zonas associadas aos esquemas de teleproteção no terminal de São Luis II. Cerca de 6 segundos após o desligamento da LT 500 kv Presidente Dutra - São Luis II C2 ocorreu o desligamento da LT 230 kv Miranda - Peritoró, devido a um curto-circuito envolvendo a fase Azul e a terra (fase A ELETRONORTE), de causa ignorada, eliminado em 66 milisegundos, pela atuação correta das proteções de distância Principal e Alternada para faltas a terra, em primeira zona, em ambos os terminais. Cerca de 9 segundos após o desligamento da LT 500 kv Presidente Dutra - São Luis II C2 ocorreu o desligamento da LT 500 kv Presidente Dutra - São Luis II C1 devido a um curto-circuito envolvendo a fase Vermelha e a terra (fase C ELETRONORTE), corretamente eliminado em 49 milisegundos pela atuação correta das proteções de distância Principal e Alternada em primeiras zonas no terminal de Presidente Dutra e em segundas zonas associadas aos esquemas de teleproteção no terminal de São Luis II. Houve variação de fluxos nas interligações regionais: FNE - de 950 MW para 1199 MW. FNS - de MW para -556 MW. Ocorreu o desligamento total das cargas da SE São Luis II, da ALUMAR, da SE Miranda, da CVRD e da distribuidora CEMAR, inclusive para a região Metropolitana de São Luís, totalizando aproximadamente 974 MW. Às 14h03min foi energizada a LT 500 kv Presidente Dutra - São Luís II C2 e as Barras 01 e 02 de 500 kv da SE São Luis II. Às 14h06min foram energizadas as duas LT's de 230 kv para a ALUMAR. Às 14h06min foram normalizadas as cargas da CVRD. Às 14h11min foi energizada a SE São Luis I e todas as cargas da região Metropolitana de São Luís. 12

13 Às 14h11min foi normalizada a LT 230 kv Miranda - Peritoró, restabelecendo as cargas da SE Miranda, via SE Teresina. Às 14h37min foi completada a tomada de cargas do consumidor ALUMAR. Às 14h28min foi normalizada a LT 500 kv Presidente Dutra - São Luís II, C1. Às 16h00min foi energizada a LT 230 kv Presidente Dutra - Peritoró em vazio, devido a problemas mecânicos no disjuntor nº 05 de 230 kv, saída para Peritoró, permanecendo nesta condição. Das 14h11min até às 16h36min as cargas das SE's Miranda, Peritoró, Coelho Neto e SCHINCARIOL ficaram alimentadas pela SE Teresina. Às 16h36min foi fechado o anel entre as SE's São Luis II e Miranda, através da LT 230 kv São Luís II Miranda. 13

14 DATA E HORA 01/08/ H45MIN 01/08/ H37MIN 01H49MIN 01/08/ H13MIN ONS PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES NOS SISTEMAS INTERLIGADOS S/SE/CO E N/NE SÍNTESE GERENCIAL - SEMANA DE 01/08/2005 A 07/08/2005 COPEL ANDE EMPRESAS ENVOLVIDAS ORIGEM E CAUSA INTERRUPÇÃO DE CARGA E NORMALIZAÇÃO Desligamento automático da Conversora de Acaray, devido a anormalidades nos serviços auxiliares da mesma, causando a interrupção de 45 MW no intercâmbio do Paraguai para o Brasil, através da interligação com a SE Foz do Iguaçu. Às 01h42min a Conversora e o intercâmbio foram normalizados. DESEMPENHO DOS ECEs Não houve atuação. - OBSERVAÇÕES CHESF A perturbação consistiu no desligamento automático da LT 500 kv Luiz Gonzaga - Olindina 05S4, pela atuação acidental da proteção de distância Alternada, fabricante GE, tipo MOD III, com atuação da lógica de teleproteção e envio e recepção de sinal de transferência de disparo em ambos os terminais. Às 01h49min ocorreu novo desligamento automático da LT 500 kv Luiz Gonzaga - Olindina 05S4, pela atuação acidental da proteção de distância Alternada, novamente por atuação da lógica de teleproteção, com envio e recepção de sinal de transferência de disparo em ambos os terminais. Às 01h47min foi normalizada a LT 500 kv Luiz Gonzaga - Olindina 05S4, após o primeiro desligamento. Às 02h20min foi normalizada a LT 500 kv Luiz Gonzaga - Olindina 05S4. Não houve atuação. - COPEL A perturbação consistiu no desligamento automático da LT 230 kv Chavantes - Figueira, por atuação das proteções Primárias de sobrecorrente direcionais residuais, através do esquema de teleproteção da linha, e também da proteção Secundária de sobrecorrente direcional instantânea no terminal de Figueira, devido a um curto-circuito monofásico, envolvendo a fase B e a terra, de causa indeterminada, eliminado em cerca de 81 ms. Às 03h14min foi normalizada LT 230 kv Chavantes - Figueira. Não houve atuação. - 14

15 ONS PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES NOS SISTEMAS INTERLIGADOS S/SE/CO E N/NE SÍNTESE GERENCIAL - SEMANA DE 01/08/2005 A 07/08/2005 DATA E HORA 02/08/ H42MIN 02/08/ H31MIN 03/08/ H56MIN EMPRESAS ENVOLVIDAS CEEE CEEE FURNAS ELETRONORTE ORIGEM E CAUSA Desligamento automático da LT 230 kv UTE Presidente Médici Camaquã, devido a curto-circuito interno monofásico de causa indeterminada, eliminado por atuação das proteções Primárias de sobrecorrente direcionais residuais de ambos os terminais, através do esquema de teleproteção da linha. A função localização de faltas do RDP da SE Camaquã, calculou o defeito a 172 km deste terminal. INTERRUPÇÃO DE CARGA E NORMALIZAÇÃO Houve atuação do religamento automático com sucesso da linha. DESEMPENHO OBSERVAÇÕES DOS ECEs Não houve atuação. - Desligamento automático da LT 230 kv UTE Houve atuação do religamento automático Não houve atuação. - Presidente Médici - Camaquã devido a curto-circuito com sucesso da linha. interno monofásico, de causa indeterminada, eliminado por atuação das proteções Primárias de sobrecorrente direcionais residuais de ambos os terminais, através do esquema de teleproteção da linha. A função localização de faltas do RDP da SE Camaquã, calculou o defeito a 158 km deste terminal. A perturbação consistiu no desligamento automático da LI 230 kv Rio Verde - Rondonópolis C2, devido a um curto-circuito monofásico, envolvendo a fase Branca (fase B FURNAS e ELETRONORTE) e a terra, de causa indeterminada, corretamente eliminado em 140 ms (existe temporização intencional de 80 ms no terminal de Rio Verde), por atuação das proteções Primária e Secundária de distância para faltas a terra, em 1ª zona, em ambos os terminais. Às 04h00min foi normalizada a LI. Não houve atuação. - 15

16 DATA E HORA 04/08/ H33MIN 04/08/ H16MIN ONS PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES NOS SISTEMAS INTERLIGADOS S/SE/CO E N/NE SÍNTESE GERENCIAL - SEMANA DE 01/08/2005 A 07/08/2005 EMPRESAS ENVOLVIDAS ORIGEM E CAUSA INTERRUPÇÃO DE CARGA E NORMALIZAÇÃO ELETRONORTE Desligamento automático da LT 500 kv Marabá Imperatriz C2, devido a ocorrência de uma falha interna, provocada por queimada, envolvendo a fase Azul e a terra (fase A ELETRONORTE), eliminada em 82 ms por atuação das proteções Principal e Alternada de distância de distância para faltas a terra, em 2 as zonas, associadas às teleproteções, em ambos os terminais. A falha foi localizada a cerca de 8,4 km do terminal de Marabá. Simultaneamente ocorreu o desligamento automático da LT 500 kv Tucuruí Vila do Conde C1, no terminal de Vila do Conde, por atuação incorreta do esquema de teleproteção Principal, em virtude da não atuação da partida reversa da proteção Principal do terminal de Tucuruí, que permitiu a devolução do sinal de Eco para o terminal de Vila do Conde provocando a atuação da lógica de teleproteção neste terminal. A ELETRONORTE está investigando as causas desta atuação incorreta. Às 11h41min foi normalizada a LT 500 kv Tucuruí-Vila do Conde C1 Às 11h42min foi normalizada a LT 500 kv Marabá Imperatriz C2 DESEMPENHO DOS ECEs Não houve atuação. - OBSERVAÇÕES ELETRONORTE Desligamento automático da LT 500 kv Marabá Imperatriz C2, devido a ocorrência de uma falha interna, provocada por queimada, envolvendo a fase X e a terra, eliminada por atuação das proteções Principal e Alternada de distância e de sobrecorrente direcionais residuais, associadas às teleproteções, em ambos os terminais. A falha foi localizada a cerca de 8,4 km do terminal de Marabá. Simultaneamente ocorreu o desligamento automático do terminal de Vila do Conde da LT 500 kv Tucuruí- Vila do Conde C1. Normalização: 13h23min Não houve atuação. - 16

17 ONS PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES NOS SISTEMAS INTERLIGADOS S/SE/CO E N/NE SÍNTESE GERENCIAL - SEMANA DE 01/08/2005 A 07/08/2005 DATA E HORA 04/08/ H06MIN 05/08/ H42MIN 05/08/ H54MIN EMPRESAS ENVOLVIDAS FURNAS CEEE CEEE ORIGEM E CAUSA A perturbação consistiu no desligamento automático do transformador T1-A, 345/13,8 kv, 60 MVA e do Compensador Síncrono 1 ligado em seu secundário, por atuação da proteção diferencial do transformador, devido a falha provocada pela explosão do pára-raios de 345 kv, fase Branca (fase B FURNAS). INTERRUPÇÃO DE CARGA E NORMALIZAÇÃO Normalização: Às 16h20min foi isolado o transformador e normalizado o barramento em Anel de 345 kv da SE. O transformador e o Compensador Síncrono foram normalizados no dia 05/08 às 03h01min. DESEMPENHO DOS ECEs Não houve atuação. - OBSERVAÇÕES Desligamento automático da LT 230 kv UTE Houve atuação do religamento automático Não houve atuação. - Presidente Médici Camaquã, devido a curto-circuito com sucesso. interno monofásico, de causa indeterminada, eliminado por atuação das proteções Primárias de sobrecorrente direcionais residuais de ambos os terminais, através do esquema de teleproteção da linha. A função localização de faltas do RDP da SE Camaquã calculou o defeito a 158 km deste terminal. Desligamento automático da LT 230 kv Charqueadas Houve interrupção de 90 MW de cargas Não houve atuação. - - UHE Itaúba devido a curto-circuito interno bifásico, da AES-SUL na SE Santa Cruz do Sul, envolvendo as fases A e B, de causa indeterminada, ligada em derivação na linha, ocorrendo eliminado pela abertura dos respectivos disjuntores, ainda o desligamento automático dos em 43ms no terminal da UHE Itaúba e 86ms no disjuntores do lado de 230 kv dos terminal de Charqueadas, por atuação das proteções transformadores TRs 1 e 2, 230/69 kv, Primárias de distância para falhas entre fases, de desta subestação, por atuação das ambos os terminais, através do esquema de respectivas proteções de subtensão. teleproteção. Às 14h55min a linha e as cargas A função localização de faltas do RDP da SE interrompidas foram normalizadas. Charqueadas, calculou o defeito a 167,12 km deste terminal. 17

18 ONS PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES NOS SISTEMAS INTERLIGADOS S/SE/CO E N/NE SÍNTESE GERENCIAL - SEMANA DE 01/08/2005 A 07/08/2005 DATA E HORA 05/08/ H46MIN EMPRESAS ENVOLVIDAS ELETROSUL CAMMESA ORIGEM E CAUSA INTERRUPÇÃO DE CARGA DESEMPENHO OBSERVAÇÕES E NORMALIZAÇÃO DOS ECEs Às 07h31mim foi desbloqueada a Conversora de A Conversora permaneceu bloqueada Não houve atuação. - Uruguaiana por solicitação da Compañia Administradora Del Mercado Mayorista Electrico Sociedad Anonima (CAMMESA), em função de desligamento manual em emergência da LT 132 kv Monte Caseros - Chajari no sistema Argentino. Às 16h42min foi normalizada a LT 132 kv Monte Caseros - Chajari, ainda com a Conversora operando no modo isolado, o que resultou na redução do intercâmbio através da mesma, de 30 MW para 5 MW, e seu bloqueio, às 16h46min, por atuação da sua proteção de sobretensão (tensão elevada no sistema de 132 kv do lado de 50 Hz). 05/08/ H17MIN TSN Desligamento automático da LT 500 kv Serra da Mesa Rio das Éguas, devido a falha no Reator de linha, fase B, na SE Rio das Éguas, abrindo a Interligação SE/NE com um fluxo de 230 MW no sentido NE. Houve atuação da proteção diferencial, da válvula de segurança e do relé de gás do Reator e das proteções Principal e Alternada de distância e de sobrecorrente direcionais residuais, através das lógicas de teleproteção, em ambos os terminais. Atuação correta do ECE da Interligação SE/NE - 06/08/ H12MIN TSN CHESF Desarme da LT 500 kv 05L4 Bom Jesus da Lapa II - Normalização: 11h36min Não houve atuação. - Ibicoara, devido a operação da válvula de segurança do Reator 05E1 da SE Ibicoara, desenergizando a LT 500 kv 05L3 Ibicoara - Sapeaçu, através do ECE para desligamento de LT 500 kv no eixo Bom Jesus da Lapa/Sapeaçu. A causa foi a atuação da válvula de segurança, fase "C" do Reator 05E1 na SE Ibicoara, associado a LT 500 kv 05L4 Bom Jesus da Lapa ll Ibicoara. 18

19 ONS PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES NOS SISTEMAS INTERLIGADOS S/SE/CO E N/NE SÍNTESE GERENCIAL - SEMANA DE 01/08/2005 A 07/08/2005 DATA E HORA 07/08/ H55MIN EMPRESAS ENVOLVIDAS ELETRONORTE ALUMAR CEMAR CVRD ORIGEM E CAUSA A perturbação se iniciou com o desligamento da LT 230 kv Presidente Dutra - Peritoró devido a um curto-circuito envolvendo as fases Azul, Vermelha e a terra (fases A e C ELETRONORTE), provocado por uma queimada de grandes proporções localizada a 20 km de Presidente Dutra, em um trecho onde as LT s 500 kv Presidente Dutra - São Luis II C1 e C2 e a LT 230 kv Presidente Dutra - Peritoró. Cerca de 200 milisegundos após o desligamento da LT 230 kv Presidente Dutra - Peritoró ocorreu o desligamento da LT 500 kv Presidente Dutra - São Luis II C2, devido a um curto-circuito envolvendo a fase Branca (fase B ELETRONORTE) e a terra. Cerca de 6 segundos após o desligamento da LT 500 kv Presidente Dutra - São Luis II C2 ocorreu o desligamento da LT 230 kv Miranda - Peritoró- Miranda, devido a um curto-circuito envolvendo a fase Azul e a terra (fase A ELETRONORTE), de causa ignorada, eliminado em 66 milisegundos, pela atuação correta das proteções de distância Principal e Alternada para faltas a terra, em primeira zona, em ambos os terminais. Cerca de 9 segundos após o desligamento da LT 500 kv Presidente Dutra - São Luis II C2 ocorreu o desligamento da LT 500 kv Presidente Dutra - São Luis II C1 devido a um curto-circuito envolvendo a fase Vermelha e a terra (fase C ELETRONORTE).. INTERRUPÇÃO DE CARGA E NORMALIZAÇÃO Houve interrupção de aproximadamente 974 MW. Às 14h03min foi energizada a LT 500 kv Presidente Dutra - São Luís II C2 e as Barras 01 e 02 de 500 kv da SE São Luis II. Às 14h06min foram energizadas as duas LT's de 230 kv para a ALUMAR. Às 14h06min foram normalizadas as cargas da CVRD. Às 14h11min foi energizada a SE São Luis I e todas as cargas da região Metropolitana de São Luís. Às 14h11min foi normalizada a LT 230 kv Miranda - Peritoró, restabelecendo as cargas da SE Miranda, via SE Teresina. Às 14h37min foi completada a tomada de cargas do consumidor ALUMAR. Às 14h28min foi normalizada a LT 500 kv Presidente Dutra - São Luís II, C1. Às 16h00min foi energizada a LT 230 kv Presidente Dutra - Peritoró em vazio, devido a problemas mecânicos no disjuntor nº 05 de 230 kv, saída para Peritoró, permanecendo nesta condição. Das 14h11min até às 16h36min as cargas das SE's Miranda, Peritoró, Coelho Neto e SCHINCARIOL ficaram alimentadas pela SE Teresina. Às 16h36min foi fechado o anel entre as SE's São Luis II e Miranda, através da LT 230 kv São Luís II Miranda. DESEMPENHO DOS ECEs Não houve atuação. - OBSERVAÇÕES 19

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 17/04/2006 A 23/04/2006

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 17/04/2006 A 23/04/2006 PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 17/04/2006 A 23/04/2006 RELATÓRIO ONS - 3/107/06 EMITIDO EM: 28/04/2006 PROCESSO: Análise de Perturbações

Leia mais

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 24/07/2006 A 30/07/2006

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 24/07/2006 A 30/07/2006 PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 24/07/2006 A 30/07/2006 RELATÓRIO ONS - 3/216/06 EMITIDO EM: 04/08/2006 PROCESSO: Análise de Perturbações

Leia mais

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 29/05/2006 A 04/06/2006

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 29/05/2006 A 04/06/2006 PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 29/05/2006 A 04/06/2006 RELATÓRIO ONS - 3/159/06 EMITIDO EM: 08/06/2006 PROCESSO: Análise de Perturbações

Leia mais

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 13/10/2008 A 19/10/2008

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 13/10/2008 A 19/10/2008 PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 13/10/2008 A 19/10/2008 RELATÓRIO ONS - 3/221/08 EMITIDO EM: 24/10/2008 1 PROCESSO: Análise de Perturbações

Leia mais

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 19/01/2009 A 25/01/2009

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 19/01/2009 A 25/01/2009 PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 19/01/2009 A 25/01/2009 RELATÓRIO ONS - 3/024/09 EMITIDO EM: 30/01/2009 1 PROCESSO: Anàlise de Perturbações

Leia mais

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 12/11/2007 A 18/11/2007

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 12/11/2007 A 18/11/2007 PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 12/11/2007 A 18/11/2007 RELATÓRIO ONS - 3/255/07 EMITIDO EM: 28/11/2007 1 PROCESSO: Análise de Perturbações

Leia mais

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 04/06/2007 A 10/06/2007

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 04/06/2007 A 10/06/2007 PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 04/06/2007 A 10/06/2007 RELATÓRIO ONS - 3/124/07 EMITIDO EM: 15/06/2007 1 PROCESSO: Análise de Perturbações

Leia mais

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 10/12/2007 A 16/12/2007

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 10/12/2007 A 16/12/2007 PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 10/12/2007 A 16/12/2007 RELATÓRIO ONS - 3/271/07 EMITIDO EM: 26/12/2007 1 PROCESSO: Análise de Perturbações

Leia mais

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 26/09/2005 A 02/10/2005

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 26/09/2005 A 02/10/2005 PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 26/09/2005 A 02/10/2005 RELATÓRIO ONS - 3/314/05 EMITIDO EM: 07/10/2005 PROCESSO: Análise de Perturbações

Leia mais

DPP/GPE -120 < IZPD C1+C2 < 1900 MW; 900 < IZPD + IZCO < 1900 MW; - Janela de tempo de observação de pré-falta =2,0 SEG.

DPP/GPE -120 < IZPD C1+C2 < 1900 MW; 900 < IZPD + IZCO < 1900 MW; - Janela de tempo de observação de pré-falta =2,0 SEG. 1. ECE 7.14.27 ESQUEMA DESABILITADO 2. ESQUEMA DE CONTROLE DE TENSÃO POR ABERTURA DA 3. EMPRESA RESPONSÁVEL: ELETRONORTE. 4. CATEGORIA DO ESQUEMA: Abertura de linhas de transmissão. 5. FINALIDA DE: Este

Leia mais

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 23/07/2007 A 29/07/2007

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 23/07/2007 A 29/07/2007 PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 23/07/2007 A 29/07/2007 RELATÓRIO ONS - 3/164/07 EMITIDO EM: 03/08/2007 1 PROCESSO: Análise de Perturbações

Leia mais

Tabela de Funções Ansi

Tabela de Funções Ansi Tabela de Funções Ansi A ANSI visando a padronização dos códigos das funções de proteções, criou uma tabela de códigos com das funções de proteção. Na verdade, esta tabela veio da ASA e posteriormente

Leia mais

Alívio de cargas. CENTRO-OESTE ELETRONORTE / CEMAT HABILITADO. Permanente Fixa Relés 01/10/1988 01/06/2000 ONS-DPP-XX/2000

Alívio de cargas. CENTRO-OESTE ELETRONORTE / CEMAT HABILITADO. Permanente Fixa Relés 01/10/1988 01/06/2000 ONS-DPP-XX/2000 Número do SEP Categoria do esquema Alívio de cargas. Empresa responsável Nome Emissão: 29/06/2000 6.14.16 Esquema de alívio de carga por subtensão na SE Várzea Grande ELETRONORTE / CEMAT Status HABILITADO

Leia mais

TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA

TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA TEMA DA AULA EQUIPAMENTOS ELÉTRICAS DE SUBESTAÇÕES PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA TRANSFORMADORES Um transformador (ou trafo) é um dispositivo destinado a transmitir energia elétrica ou potência

Leia mais

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 12/03/2007 A 18/03/2007

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 12/03/2007 A 18/03/2007 PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 12/03/2007 A 18/03/2007 RELATÓRIO ONS - 3/066/07 EMITIDO EM: 23/03/2007 1 PROCESSO: Análise de Perturbações

Leia mais

Submódulo 2.6. Requisitos mínimos para os sistemas de proteção e de telecomunicações

Submódulo 2.6. Requisitos mínimos para os sistemas de proteção e de telecomunicações Submódulo 2.6 Requisitos mínimos para os sistemas de proteção e de telecomunicações Rev. Nº. Motivo da revisão Data de aprovação pelo ONS Data e instrumento de aprovação pela ANEEL 0.0 Este documento foi

Leia mais

I - OBJETIVOS... 8 II - METODOLOGIA E ABRANGÊNCIA... 8 III - INFORMAÇÕES DA FISCALIZAÇÃO... 8

I - OBJETIVOS... 8 II - METODOLOGIA E ABRANGÊNCIA... 8 III - INFORMAÇÕES DA FISCALIZAÇÃO... 8 SUMÁRIO I - OBJETIVOS... 8 II - METODOLOGIA E ABRANGÊNCIA... 8 III - INFORMAÇÕES DA FISCALIZAÇÃO... 8 IV - INFORMAÇÕES DO AGENTE... 8 1. C.1 - ASPECTOS TÉCNICOS OPERACIONAIS... 9 1.1 BLECAUTE DO DIA 10

Leia mais

NT 6.005. Nota Técnica. Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia. Felisberto M. Takahashi Elio Vicentini. Preparado.

NT 6.005. Nota Técnica. Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia. Felisberto M. Takahashi Elio Vicentini. Preparado. NT.005 Requisitos Mínimos para Interligação de Gerador de Consumidor Primário com a Rede de Distribuição da Eletropaulo Metropolitana com Paralelismo Momentâneo Nota Técnica Diretoria de Planejamento e

Leia mais

NT 6.010. Nota Técnica. Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia. Elio Vicentini Ermínio Belvedere João Martins.

NT 6.010. Nota Técnica. Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia. Elio Vicentini Ermínio Belvedere João Martins. NT 6.010 Requisitos Mínimos Para Interligação de Gerador de Consumidor Secundário com a Rede de Distribuição da Eletropaulo Metropolitana com Paralelismo Momentâneo Nota Técnica Diretoria de Planejamento

Leia mais

Proteção contra motorização e correntes desbalanceadas, falha de disjuntor e energização inadvertida Por Geraldo Rocha e Paulo Lima*

Proteção contra motorização e correntes desbalanceadas, falha de disjuntor e energização inadvertida Por Geraldo Rocha e Paulo Lima* 30 Capítulo VI Proteção contra motorização e correntes desbalanceadas, falha de disjuntor e energização inadvertida Por Geraldo Rocha e Paulo Lima* Proteção contra motorização e correntes desbalanceadas

Leia mais

SCHWEITZER ENGINEERING LABORATORIES, COMERCIAL LTDA.

SCHWEITZER ENGINEERING LABORATORIES, COMERCIAL LTDA. Nr Denominação 1 Elemento Principal 2 Relé de partida ou fechamento temporizado 3 Relé de verificação ou interbloqueio 4 Contator principal 5 Dispositivo de interrupção 6 Disjuntor de partida 7 Relé de

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU - 020

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU - 020 NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU - 020 EXIGÊNCIAS MÍNIMAS PARA INTERLIGAÇÃO DE GERADOR DE CONSUMIDOR PRIMÁRIO COM A REDE DE DISTRIBUIÇÃO DA ENERGISA COM PARALELISMO MOMENTÂNEO SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO...

Leia mais

UERJ / MARTE ENGENHARIA LTDA. Av. Rio Branco, 251 14º Andar, CEP 20.040-009 Rio de Janeiro RJ Tel./Fax.: (021) 524-3401, e-mail : dproj@marteng.com.

UERJ / MARTE ENGENHARIA LTDA. Av. Rio Branco, 251 14º Andar, CEP 20.040-009 Rio de Janeiro RJ Tel./Fax.: (021) 524-3401, e-mail : dproj@marteng.com. GPC / 21 17 a 22 de Outubro de 1999 Foz do Iguaçu Paraná - Brasil GRUPO V PROTEÇÃO, MEDIÇÃO E CONTROLE DE SISTEMAS DE POTÊNCIA - (GPC) PROTEÇÃO E CONTROLE DIGITAIS DA SUBESTAÇÃO DE 230 KV DA USINA TERMELÉTRICA

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA TEMA DA AULA EQUIPAMENTOS DA SE PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA COMPONENTES SUBESTAÇÕES OBJETIVOS Apresentar os principais equipamentos

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU 019

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU 019 NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU 019 EXIGÊNCIAS MÍNIMAS PARA INTERLIGAÇÃO DE GERADOR DE CONSUMIDOR PRIMÁRIO COM A REDE DE DISTRIBUIÇÃO DA ENERGISA COM PARALELISMO PERMANENTE SUMÁRIO 1.INTRODUÇÃO...

Leia mais

Proteção de Subestações de Distribuição Filosofia e Critérios

Proteção de Subestações de Distribuição Filosofia e Critérios Proteção de Subestações de Distribuição Filosofia e Critérios Revisão 03 12/2014 NORMA ND.62 ELEKTRO Eletricidade e Serviços S.A. Diretoria de Operações Gerência Executiva de Engenharia, Planejamento e

Leia mais

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 26/05/2008 A 01/06/2008

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 26/05/2008 A 01/06/2008 PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 26/05/2008 A 01/06/2008 RELATÓRIO ONS - 3/112/08 EMITIDO EM: 06/06/2008 1 PROCESSO: Análise de Perturbações

Leia mais

Controle e Corte Emergencial de Cargas com Recomposição Automática Através do Sistema SCADA BRASIL

Controle e Corte Emergencial de Cargas com Recomposição Automática Através do Sistema SCADA BRASIL Controle e Corte Emergencial de Cargas com Recomposição Automática Através do Sistema SCADA MONTENEGRO, J. C. F. S. (José Carlos de França e Silva Montenegro) BANDEIRANTE BRASIL MARQUES, R. (Rogério Marques)

Leia mais

REQUISITOS DE COMISSIONAMENTO. O Programa de Atuações deverá conter no mínimo as seguintes verificações, onde aplicável:

REQUISITOS DE COMISSIONAMENTO. O Programa de Atuações deverá conter no mínimo as seguintes verificações, onde aplicável: REQUISITOS DE COMISSIONAMENTO Deverá ser elaborado um Programa de Atuações para o comissionamento das subestações que será aprovado pela Cemig. O Programa de Atuações deverá conter no mínimo as seguintes

Leia mais

RESTRIÇÕES AOS INTERCÂMBIOS ENTRE OS SUBMERCADOS

RESTRIÇÕES AOS INTERCÂMBIOS ENTRE OS SUBMERCADOS RESTRIÇÕES AOS INTERCÂMBIOS ENTRE OS SUBMERCADOS (Revisão 1) Operador Nacional do Sistema Elétrico Rua da Quitanda, 196 - Centro 20091-005 Rio de Janeiro RJ Tel (+21) 2203-9400 Fax (+21) 2203-9444 2012/ONS

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO Título PARALELISMO MOMENTÂNEO DE GERADOR COM O SISTEMA PRIMÁRIO DE DISTRIBUIÇÃO ATÉ 25 kv, COM OPERAÇÃO EM RAMPA

PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO Título PARALELISMO MOMENTÂNEO DE GERADOR COM O SISTEMA PRIMÁRIO DE DISTRIBUIÇÃO ATÉ 25 kv, COM OPERAÇÃO EM RAMPA PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO Título PARALELISMO MOMENTÂNEO DE GERADOR COM O SISTEMA PRIMÁRIO DE DISTRIBUIÇÃO ATÉ 25 kv, COM OPERAÇÃO EM RAMPA Código NTD-00.024 Data da emissão 05.11.2009 Data da última

Leia mais

REQUISITOS MÍNIMOS PARA INSTALAÇÃO DE GERADOR POR PARTICULARES

REQUISITOS MÍNIMOS PARA INSTALAÇÃO DE GERADOR POR PARTICULARES REQUISITOS MÍNIMOS PARA INSTALAÇÃO DE GERADOR POR PARTICULARES NTD-22 CONTROLE DE VERSÕES NTD 22- REQUISITOS MÍNIMOS PARA INSTALAÇÃO DE GERADOR POR PARTICULARES Nº.: DATA VERSÃO 01 04/2010 Original INDICE

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA PROTEÇÃO DE SISTEMA AÉREO DE DISTRIBUIÇÃO 2B CONSIDERAÇÕES GERAIS SOBRE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO

DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA PROTEÇÃO DE SISTEMA AÉREO DE DISTRIBUIÇÃO 2B CONSIDERAÇÕES GERAIS SOBRE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO 1 DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA PROTEÇÃO DE SISTEMA AÉREO DE DISTRIBUIÇÃO 2B CONSIDERAÇÕES GERAIS SOBRE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO Durante um curto-circuito, surge uma corrente de elevada intensidade

Leia mais

SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SIN NO DIA 10/11/2009 ÀS 22h13min

SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SIN NO DIA 10/11/2009 ÀS 22h13min PERTURBAÇÃO NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SIN NO DIA 10/11/2009 ÀS 22h13min Audiência Pública Brasília, 16 de dezembro de 2009 Sumário Condições Operativas no Instante da Perturbação Descrição da Perturbação

Leia mais

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO DE ESTUDO DE PROTEÇÃO, MEDIÇÃO E CONTROLE EM SISTEMAS DE POTÊNCIA GPC

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO DE ESTUDO DE PROTEÇÃO, MEDIÇÃO E CONTROLE EM SISTEMAS DE POTÊNCIA GPC SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GPC 01 14 a 17 Outubro de 2007 Rio de Janeiro - RJ GRUPO V GRUPO DE ESTUDO DE PROTEÇÃO, MEDIÇÃO E CONTROLE EM SISTEMAS DE POTÊNCIA

Leia mais

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 26/01/2009 A 01/02/2009

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 26/01/2009 A 01/02/2009 PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 26/01/2009 A 01/02/2009 RELATÓRIO ONS - 3/031/09 EMITIDO EM: 06/02/2009 1 PROCESSO: Análise de Perturbações

Leia mais

* R. Real Grandeza, 281 Rio de Janeiro RJ CEP: 22283-900 Fone: (21) 5282188 / fax: (21) 5285576 / e-mail: alfarias@furnas.com.br

* R. Real Grandeza, 281 Rio de Janeiro RJ CEP: 22283-900 Fone: (21) 5282188 / fax: (21) 5285576 / e-mail: alfarias@furnas.com.br GAT/029 21 a 26 de Outubro de 2001 Campinas - São Paulo - Brasil GRUPO IV GRUPO DE ESTUDO DE ANÁLISE E TÉCNICAS DE SISTEMAS DE POTÊNCIA (GAT) ESQUEMA DE CONTROLE DE EMERGÊNCIAS NA CONFIGURAÇÃO FINAL DO

Leia mais

ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 002/2011

ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 002/2011 ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 002/2011 NOME DA INSTITUIÇÃO: ABRATE Associação Brasileira das Grandes Empresas de Transmissão de Energia Elétrica AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA

Leia mais

PRIMERAS JORNADAS REGIONALES DE CALIDAD DE ENERGÍA 2006 8 y 9 de Setiembre de 2006 - Uruguai

PRIMERAS JORNADAS REGIONALES DE CALIDAD DE ENERGÍA 2006 8 y 9 de Setiembre de 2006 - Uruguai PRIMERAS JORNADAS REGIONALES DE CALIDAD DE ENERGÍA 2006 8 y 9 de Setiembre de 2006 - Uruguai CONEXÃO DE GERADORES COM O SISTEMA ELÉTRICO DE DISTRIBUIÇÃO Senne, E. F.; CPFL Energia; flausino@cpfl.com.br;

Leia mais

Finalidade Evitar a operação das proteções de sobretensão, quando da rejeição da linha sobre o terminal de Campos Novos.

Finalidade Evitar a operação das proteções de sobretensão, quando da rejeição da linha sobre o terminal de Campos Novos. Número do SEP 2.15.01 Categoria do esquema Nome Abertura automática de linha de transmissão. Empresa responsável ELETROSUL Status Habilitado Emissão: 30/07/2000 Esquema de Transferência de Disparo da LT

Leia mais

DIRETORIA TÉCNICA PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT DECISÃO TÉCNICA DT-104/2010 R-03

DIRETORIA TÉCNICA PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT DECISÃO TÉCNICA DT-104/2010 R-03 DIRETORIA TÉCNICA PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT DECISÃO TÉCNICA /2010 R- FOLHA DE CONTROLE I APRESENTAÇÃO A presente Decisão Técnica R substitui a R02 e visa estabelecer instruções técnicas para

Leia mais

Introdução: O que é uma Subestação? Definição NBR 5460 / 1992

Introdução: O que é uma Subestação? Definição NBR 5460 / 1992 Subestações Introdução: O que é uma Subestação? Definição NBR 5460 / 1992 Parte de um sistema de potência, concentrada em um dado local, compreendendo primordialmente as extremidades de linhas de transmissão

Leia mais

1. ECE 2.46.01 ( Esquema desabilitado ) 2. Esquema de corte de geração da UHE Itá. 3. Empresa responsável: TRACTEBEL

1. ECE 2.46.01 ( Esquema desabilitado ) 2. Esquema de corte de geração da UHE Itá. 3. Empresa responsável: TRACTEBEL 1. ECE 2.46.01 ( Esquema desabilitado ) 2. Esquema de corte de geração da UHE Itá 3. Empresa responsável: 4. Categoria do esquema: Corte de geração 5. Finalidade: A finalidade deste esquema é evitar que

Leia mais

Sistema de Proteção Elétrica em Subestações com Alta e Média Tensão Parte I

Sistema de Proteção Elétrica em Subestações com Alta e Média Tensão Parte I Sistema de Proteção Elétrica em Subestações com Alta e Média Tensão Parte I Prof. Eng. José Ferreira Neto ALLPAI Engenharia Out/14 Parte 1 -Conceitos O Sistema Elétrico e as Subestações Efeitos Elétricos

Leia mais

Área de Distribuição e Comercialização Identificação do Trabalho: BR-53 São Paulo, Brasil, Setembro de 2002

Área de Distribuição e Comercialização Identificação do Trabalho: BR-53 São Paulo, Brasil, Setembro de 2002 COMISSÃO DE INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA REGIONAL IV CIERTEC SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE AUTOMAÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA E CENTROS DE CONTROLE Área de Distribuição e Comercialização Identificação

Leia mais

ANEXO 6F LOTE F LINHA DE TRANSMISSÃO 230 KV BARRA GRANDE LAGES RIO DO SUL CARACTERÍSTICAS E REQUISITOS TÉCNICOS BÁSICOS DAS INSTALAÇÕES DE TRANSMISSÃO

ANEXO 6F LOTE F LINHA DE TRANSMISSÃO 230 KV BARRA GRANDE LAGES RIO DO SUL CARACTERÍSTICAS E REQUISITOS TÉCNICOS BÁSICOS DAS INSTALAÇÕES DE TRANSMISSÃO ANEXO 6F LOTE F LINHA DE TRANSMISSÃO 230 KV BARRA GRANDE LAGES RIO DO SUL CARACTERÍSTICAS E REQUISITOS TÉCNICOS BÁSICOS DAS INSTALAÇÕES DE TRANSMISSÃO VOL. IV - Fl. 395 de 533 ÍNDICE 1 REQUISITOS BÁSICOS

Leia mais

INTERLIGAÇÃO DAS BARRAS DE GARABI 1 E GARABI 2, TESTES REAIS E CONSEQUÊNCIAS PARA OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DO SISTEMA

INTERLIGAÇÃO DAS BARRAS DE GARABI 1 E GARABI 2, TESTES REAIS E CONSEQUÊNCIAS PARA OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DO SISTEMA INTERLIGAÇÃO DAS BARRAS DE GARABI 1 E GARABI 2, TESTES REAIS E CONSEQUÊNCIAS PARA OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DO SISTEMA Equipe de Proteção e Controle - Garabi DIEGO ROBERTO MORAIS, DR. ENG. CONHECENDO O GRUPO

Leia mais

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO RF-ETIM-01/2010-SFE

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO RF-ETIM-01/2010-SFE RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO RF-ETIM-01/2010-SFE I OBJETIVOS Verificar o desempenho da concessionária Expansion Transmissão Itumbiara Marimbondo S/A ETIM em face do blecaute do dia 10 de novembro de 2009,

Leia mais

COELCE DECISÃO TÉCNICA CRITÉRIO PARA INSTALAÇÃO DT - 106 RELIGADOR AUTOMÁTICO TRIFÁSICO DE 15 KV USO EM POSTE

COELCE DECISÃO TÉCNICA CRITÉRIO PARA INSTALAÇÃO DT - 106 RELIGADOR AUTOMÁTICO TRIFÁSICO DE 15 KV USO EM POSTE DECISÃO TÉCNICA CRITÉRIO PARA INSTALAÇÃO DT - 16 RELIGADOR AUTOMÁTICO TRIFÁSICO DE 15 KV USO EM POSTE DOCUMENTO NORMATIVO DA TRANSMISSÃO DESIM -896-1 I JUN/1 Í N D I C E 1 OBJETIVO...1 2 NORMAS E TRABALHOS...1

Leia mais

3.3 Operação em Rampa Transferência de carga de modo gradativo entre a Distribuidora e um gerador de consumidor ou vice-versa.

3.3 Operação em Rampa Transferência de carga de modo gradativo entre a Distribuidora e um gerador de consumidor ou vice-versa. O SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO, COM OPERAÇÃO Processo: PROJETO E CONSTRUÇÃO Subprocesso: INSTALAÇÃO ELÉTRICA DE CONSUMIDOR PCI.00.05 1/9 Primeira 1. OBJETIVO Estabelecer os critérios e requisitos necessários

Leia mais

Melhoria na confiabilidade da aplicação dos reles digitais através do monitor MDP

Melhoria na confiabilidade da aplicação dos reles digitais através do monitor MDP Melhoria na confiabilidade da aplicação dos reles digitais através do monitor MDP Eng. Fernando Azevedo COPEL Distribuição Eng. Henrique Florido Filho - Pextron 1 A Copel Companhia Paranaense de Energia,

Leia mais

PAPER. Plano de instalação de religadores AES Sul

PAPER. Plano de instalação de religadores AES Sul PAPER 1/5 Título Plano de instalação de religadores AES Sul Registro Nº: (Resumo) SJBV7283 Autores do paper Nome País e-mail Angelica Silva AES Sul Brasil angelica.silva@aes.com Flavio Silva AES Sul Brasil

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 60

COMUNICADO TÉCNICO Nº 60 Página 1 de 15 COMUNICADO TÉCNICO Nº 60 ALTERAÇÃO DE TENSÃO SECUNDÁRIA DE NOVOS EMPREENDIMENTOS NO SISTEMA RETICULADO SUBTERRÂNEO (NETWORK) Diretoria de Engenharia e Serviços Gerência de Engenharia da

Leia mais

2. Esquema de Transferência de Disparo da LT AREIA CAMPOS NOVOS 525 kv. 4. Categoria do esquema: Abertura automática de linha de transmissão.

2. Esquema de Transferência de Disparo da LT AREIA CAMPOS NOVOS 525 kv. 4. Categoria do esquema: Abertura automática de linha de transmissão. 1. ECE n : 2.15.01 2. Esquema de Transferência de Disparo da LT AREIA CAMPOS NOVOS 525 kv. 3. Empresa responsável: 4. Categoria do esquema: Abertura automática de linha de transmissão. 5. Finalidade: Evitar

Leia mais

DPP/GPE. Janela : 51-52 Hz - Corta a segunda máquina

DPP/GPE. Janela : 51-52 Hz - Corta a segunda máquina DPP/GP BANCO D DADOS D SISTMAS SPCIAIS D PROTÇÃO Relatório ONS R 3/04/004 SISTMA ITAIPÚ - C n o : 3.47.0 - squema de corte de geração em Itaipu 50Hz, quando de bloqueio de 4 ou mais conversores do lo CC,

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO BAY MÓVEL SEM INTERRUPÇÃO DA SUBESTAÇÃO DE MOCÓCA

UTILIZAÇÃO DO BAY MÓVEL SEM INTERRUPÇÃO DA SUBESTAÇÃO DE MOCÓCA UTILIZAÇÃO DO BAY MÓVEL SEM INTERRUPÇÃO DA SUBESTAÇÃO DE MOCÓCA Carlos Francisco dos Santos e Souza Coordenador csouza@cteep.com.br Edson Luiz Giuntini Técnico Sênior de Subestações egiuntini@cteep.com.br

Leia mais

PROTEÇÃO CONTRA SOBRE CORRENTES

PROTEÇÃO CONTRA SOBRE CORRENTES 9 PROTEÇÃO CONTRA SOBRE CORRENTES 9.1 INTRODUÇÃO O aumento da temperatura nos condutores de uma instalação elétrica, devido a circulação de corrente (efeito Joule), projetada para o funcionamento normal,

Leia mais

Manual Técnico. Transformadores de potência. Revisão 5 ÍNDICE

Manual Técnico. Transformadores de potência. Revisão 5 ÍNDICE Página 1 de 10 Manual Técnico Transformadores de potência Revisão 5 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO...2 2 RECEBIMENTO...2 3 INSTALAÇÃO...3 3.1 Local de instalação...3 3.2 Ligações...3 3.3 Proteções...7 4 MANUTENÇÃO...9

Leia mais

AULA 02 REVISÃO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS TRANSFORMADORES DE MEDIDAS DISJUNTORES DE POTÊNCIA

AULA 02 REVISÃO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS TRANSFORMADORES DE MEDIDAS DISJUNTORES DE POTÊNCIA AULA 02 REVISÃO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS TRANSFORMADORES DE MEDIDAS DISJUNTORES DE POTÊNCIA ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 1 TRANSFORMADORES DE MEDIDAS

Leia mais

APROVEITAMENT O (SIM, NÃO, PARCIAL) Id INSTITUIÇÃO ITEM TEXTO (ANEEL) TEXTO (INSTITUIÇÃO) JUSTIFICATIVA (INSTITUIÇÃO) JUSTIFICATIVA DA ANEEL

APROVEITAMENT O (SIM, NÃO, PARCIAL) Id INSTITUIÇÃO ITEM TEXTO (ANEEL) TEXTO (INSTITUIÇÃO) JUSTIFICATIVA (INSTITUIÇÃO) JUSTIFICATIVA DA ANEEL Id INSTITUIÇÃO ITEM TEXTO (ANEEL) TEXTO (INSTITUIÇÃO) JUSTIFICATIVA (INSTITUIÇÃO) APROVEITAMENT O (SIM, NÃO, PARCIAL) JUSTIFICATIVA DA ANEEL 1 Transirapé I.13 Prazo para implantação após publicação Res.

Leia mais

REDE DE OPERAÇÃO DO ONS DEMAIS INSTALAÇÕES DA TRANSMISSÃO - DIT CTEEP

REDE DE OPERAÇÃO DO ONS DEMAIS INSTALAÇÕES DA TRANSMISSÃO - DIT CTEEP BANCO DE DADOS DOS SISTEMAS ESPECIAIS DE PROTEÇÃO - SEP REDE DE OPERAÇÃO DO ONS DEMAIS INSTALAÇÕES DA TRANSMISSÃO - DIT CTEEP Revisão: 20 Vigência: 25/01/2011 DIVISÃO DE ANÁLISE DA OPERAÇÃO ESTUDOS DE

Leia mais

Realizar Novas Ligações. Executar Ligação AT. HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior

Realizar Novas Ligações. Executar Ligação AT. HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior Paralelismo Momentâneo de Gerador com o Sistema de Distribuição com Processo Atividade Realizar Novas Ligações Executar Ligação AT Código Edição Data SM04.08-00.005 2ª Folha 1 DE 10 11/11/2010 HISTÓRICO

Leia mais

O papel da Itaipu no Sistema Elétrico Brasileiro

O papel da Itaipu no Sistema Elétrico Brasileiro O papel da Itaipu no Sistema Elétrico Brasileiro Audiência Pública: Crise no Setor Energético COMISSÃO DE SERVIÇOS DE INFRAESTRUTURA S E N A D O F E D E R A L Brasília - DF 1 de dezembro de 29 Jorge Miguel

Leia mais

Comissionamento de Equipamentos na Rede de Distribuição Subterrânea

Comissionamento de Equipamentos na Rede de Distribuição Subterrânea Comissionamento de Equipamentos na Rede de Distribuição Subterrânea Gerência de Redes Subterrâneas Diretoria Regional II Ricardo de Oliveira Brandão Engenheiro Eletricista Campo ricardo.brandao@aes.com

Leia mais

Reduzindo os Religamentos Automáticos em Redes de Distribuição. Eng. Elves Fernandes da Silva

Reduzindo os Religamentos Automáticos em Redes de Distribuição. Eng. Elves Fernandes da Silva 21 a 25 de Agosto de 2006 Belo Horizonte - MG Reduzindo os Religamentos Automáticos em Redes de Distribuição Eng. Dilson Andrade de Sousa Eng. Elves Fernandes da Silva Eng. Ricardo Cordeiro de Oliveira

Leia mais

ANTEPROJETO DA SE-UFRJ 138 13,8 kv. Haroldo Ennes dos Santos Junior

ANTEPROJETO DA SE-UFRJ 138 13,8 kv. Haroldo Ennes dos Santos Junior ANTEPROJETO DA SE-UFRJ 138 13,8 kv Haroldo Ennes dos Santos Junior PROJETO SUBMETIDO AO CORPO DOCENTE DO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DA ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO

Leia mais

5- Finalidade: Corte automático de carga por subfreqüência para equilibrar carga e geração diante de contingências no sistema interligado.

5- Finalidade: Corte automático de carga por subfreqüência para equilibrar carga e geração diante de contingências no sistema interligado. 1- ECE nº: 2.04.01 2- Esquema regional de alívio de carga - ERAC 3- Empresa responsável:. 4- Categoria do esquema: Corte de carga. 5- Finalidade: Corte automático de carga por subfreqüência para equilibrar

Leia mais

ISEL. Subestação de Alto Mira. Relatório de Visita de Estudo. 27 Maio 2005. Secção de Sistemas de Energia

ISEL. Subestação de Alto Mira. Relatório de Visita de Estudo. 27 Maio 2005. Secção de Sistemas de Energia ISEL INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA E AUTOMAÇÃO Relatório de Visita de Estudo 27 Maio 2005 Secção de Sistemas de Energia Junho 2005 Índice 1. Enquadramento

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO Título PARALELISMO MOMENTÂNEO DE GERADOR COM O SISTEMA PRIMÁRIO DE DISTRIBUIÇÃO ATÉ 69 kv, COM OPERAÇÃO EM RAMPA

PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO Título PARALELISMO MOMENTÂNEO DE GERADOR COM O SISTEMA PRIMÁRIO DE DISTRIBUIÇÃO ATÉ 69 kv, COM OPERAÇÃO EM RAMPA PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO Título PARALELISMO MOMENTÂNEO DE GERADOR COM O SISTEMA PRIMÁRIO DE DISTRIBUIÇÃO ATÉ 69 kv, COM OPERAÇÃO EM RAMPA Código NTD-00.024 Data da emissão 05.11.2009 Data da última

Leia mais

GRUPO V GRUPO DE ESTUDO DE PROTEÇÃO, MEDIÇÃO E CONTROLE EM SISTEMAS DE POTÊNCIA - GPC

GRUPO V GRUPO DE ESTUDO DE PROTEÇÃO, MEDIÇÃO E CONTROLE EM SISTEMAS DE POTÊNCIA - GPC SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GPC - 26 16 a 21 Outubro de 2005 Curitiba - Paraná GRUPO V GRUPO DE ESTUDO DE PROTEÇÃO, MEDIÇÃO E CONTROLE EM SISTEMAS DE POTÊNCIA

Leia mais

SUBESTAÇÃO TIPOS DE SUBESTAÇÕES

SUBESTAÇÃO TIPOS DE SUBESTAÇÕES SUBESTAÇÃO Uma subestação elétrica é um grupamento de equipamentos elétricos com a finalidade de dirigir o fluxo de energia elétrica num sistema de potência e de possibilitar a operação segura do sistema,

Leia mais

Análise de Atuações de Proteção Diferencial em Geradores Síncronos. Santos-SP, 2 de Outubro de 2014 Engº Alan de Sousa e Silva

Análise de Atuações de Proteção Diferencial em Geradores Síncronos. Santos-SP, 2 de Outubro de 2014 Engº Alan de Sousa e Silva Análise de Atuações de Proteção Diferencial em Geradores Síncronos Santos-SP, 2 de Outubro de 2014 Engº RESUMO Abordagem de conceitos teóricos e básicos em relação à proteção diferencial e suas aplicações

Leia mais

Numeraēćo e funēões dos dispositivos IEEE

Numeraēćo e funēões dos dispositivos IEEE Numeraēćo e funēões dos dispositivos IEEE FOLHETO Cód. cat. 1500 Descrição Os dispositivos em equipamentos de comutação são referidos por números, com sufixos de letras adequados quando necessário, de

Leia mais

AUTORIZAÇÕES DE INSTALAÇÕES NAS DEMAIS INSTALAÇÕES DE TRANSMISSÃO - DIT

AUTORIZAÇÕES DE INSTALAÇÕES NAS DEMAIS INSTALAÇÕES DE TRANSMISSÃO - DIT AUTORIZAÇÕES DE INSTALAÇÕES NAS DEMAIS INSTALAÇÕES DE TRANSMISSÃO - DIT Revisão de 14/12/2015 - Rev.96 Operador Nacional do Sistema Elétrico Diretoria de Administração dos Serv da Transmissão Rua da Quitanda

Leia mais

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO DE ESTUDO DE SUBESTAÇÕES E EQUIPAMENTOS DE ALTA TENSÃO - GSE

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO DE ESTUDO DE SUBESTAÇÕES E EQUIPAMENTOS DE ALTA TENSÃO - GSE XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Versão 1.0 GSE.YY 22 a 25 Novembro de 2009 Recife - PE GRUPO - VIII GRUPO DE ESTUDO DE SUBESTAÇÕES E EQUIPAMENTOS DE ALTA TENSÃO

Leia mais

ANEXO 7J LOTE J LINHAS DE TRANSMISSÃO 230 KV PORTO PRIMAVERA DOURADOS E PORTO PRIMAVERA IMBIRUSSU

ANEXO 7J LOTE J LINHAS DE TRANSMISSÃO 230 KV PORTO PRIMAVERA DOURADOS E PORTO PRIMAVERA IMBIRUSSU ANEXO 7J LOTE J LINHAS DE TRANSMISSÃO 230 KV PORTO PRIMAVERA DOURADOS E PORTO PRIMAVERA IMBIRUSSU CARACTERÍSTICAS E REQUISITOS TÉCNICOS BÁSICOS DAS INSTALAÇÕES DE TRANSMISSÃO VISTO Fl. 637 de 781 ÍNDICE

Leia mais

ESTUDO DE PROTEÇÃO METODOLOGIA DE CÁLCULO. SUBESTAÇÕES DE 15kV

ESTUDO DE PROTEÇÃO METODOLOGIA DE CÁLCULO. SUBESTAÇÕES DE 15kV ESTUDO DE PROTEÇÃO METODOLOGA DE CÁLCULO SUBESTAÇÕES DE 5kV Elaborado por Carlos Alberto Oliveira Júnior Maio 26 ÍNDCE. Obtenção dos dados...2.. Documentos necessários...2.2. Dados necessários...2 2. Cálculo

Leia mais

Ampliação de uma subestação de 500 kv associada à expansão do sistema elétrico

Ampliação de uma subestação de 500 kv associada à expansão do sistema elétrico Universidade Federal do Rio de Janeiro Ampliação de uma subestação de 500 kv associada à expansão do sistema elétrico Bruno Calzavara Xavier PROJETO SUBMETIDO AO CORPO DOCENTE DO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA

Leia mais

Capítulo III. Faltas à terra no rotor e proteções de retaguarda. Proteção de geradores. Faltas à terra no rotor. Tipos de sistemas de excitação

Capítulo III. Faltas à terra no rotor e proteções de retaguarda. Proteção de geradores. Faltas à terra no rotor. Tipos de sistemas de excitação 24 Capítulo III Faltas à terra no rotor e proteções de retaguarda Por Geraldo Rocha e Paulo Lima* Faltas à terra no rotor A função primária do sistema de excitação de um gerador síncrono é regular a tensão

Leia mais

CHAVES DE TRANSFERÊNCIA AUTOMÁTICA. Sistemas de Baixa Tensão

CHAVES DE TRANSFERÊNCIA AUTOMÁTICA. Sistemas de Baixa Tensão CHAVES DE TRANSFERÊNCIA AUTOMÁTICA Sistemas de Baixa Tensão Toda instalação onde se utiliza o grupo gerador como fonte alternativa de energia necessita, obrigatoriamente, de uma chave reversora ou comutadora

Leia mais

Operador Nacional do Sistema Elétrico Diretoria de Planejamento Programação da Operação Rua da Quitanda 196/23º andar, Centro 20091-005 Rio de

Operador Nacional do Sistema Elétrico Diretoria de Planejamento Programação da Operação Rua da Quitanda 196/23º andar, Centro 20091-005 Rio de Operador Nacional do Sistema Elétrico Diretoria de Planejamento Programação da Operação Rua da Quitanda 196/23º andar, Centro 20091-005 Rio de Janeiro RJ tel (+21) 2203-9899 fax (+21) 2203-9423 2005/ONS

Leia mais

VIII CIERTEC. Fortaleza - Brasil Agosto de 2013

VIII CIERTEC. Fortaleza - Brasil Agosto de 2013 ILHAMENTO VOLUNTÁRIO DE PCH PARA MELHORAR OS INDICADORES DE QUALIDADE DEC E FEC DO SISTEMA ELÉTRICO DE SUA REGIÃO DE INFLUÊNCIA Tema: Geração Distribuída Autores: PRISCILA MARIA BARRA FERREIRA CARLOS EDUARDO

Leia mais

Em 2013 completamos 25 anos de atividade empresarial, período no qual participamos da implantação de importantes projetos na área de energia elétrica

Em 2013 completamos 25 anos de atividade empresarial, período no qual participamos da implantação de importantes projetos na área de energia elétrica BEM-VINDOS A ELTMAN é uma empresa de engenharia atuando nas áreas de estudos elétricos, projetos básicos e executivos e serviços de campo, nos segmentos de energia elétrica e transporte. Nosso foco principal

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 48

COMUNICADO TÉCNICO Nº 48 Página 1 de 19 COMUNICADO TÉCNICO Nº 48 ATENDIMENTO DE NOVOS CONSUMIDORES LOCALIZADOS EM ÁREAS DE SISTEMAS SUBTERRÂNEOS DE DISTRIBUIÇÃO Diretoria de Engenharia e Serviços Gerência de Engenharia da Distribuição

Leia mais

COTAÇÃO ELETRÔNICA: 79/2014 COMPRASNET

COTAÇÃO ELETRÔNICA: 79/2014 COMPRASNET COTAÇÃO ELETRÔNICA: 79/2014 COMPRASNET Especificação Técnica 1. Objeto Aquisição de 1 (um) NOBREAK DE POTÊNCIA 5 kva Obs.: Os atributos técnicos abaixo relacionados são de atendimento obrigatório. A nomenclatura

Leia mais

ESCLARECIMENTO Nº 03

ESCLARECIMENTO Nº 03 PE.GCM.A.00130.2013 1/30 ESCLARECIMENTO Nº 03 FURNAS Centrais Elétricas S.A. comunica resposta ao pedido de esclarecimento sobre o Edital, efetuado por empresa interessada: 1. GERAL Entendemos que os Relés

Leia mais

DESAFIOS DA EXPANSÃO DA TRANSMISSÃO DO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL COM O AUMENTO DAS FONTES RENOVÁVEIS INTERMITENTES. Abril/2014

DESAFIOS DA EXPANSÃO DA TRANSMISSÃO DO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL COM O AUMENTO DAS FONTES RENOVÁVEIS INTERMITENTES. Abril/2014 DESAFIOS DA EXPANSÃO DA TRANSMISSÃO DO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL COM O AUMENTO DAS FONTES RENOVÁVEIS INTERMITENTES Abril/2014 Dificuldades no Processo de Implantação dos Empreendimentos de Transmissão

Leia mais

Plano de Ampliações e Reforços na Rede Básica. Período 2003 a 2005 VOLUME II

Plano de Ampliações e Reforços na Rede Básica. Período 2003 a 2005 VOLUME II Plano de Ampliações e Reforços na Rede Básica Período 2003 a 2005 VOLUME II Operador Nacional do Sistema Elétrico Presidência Rua da Quitanda 196/24º andar, Centro 20091-005 Rio de Janeiro RJ tel (+21)

Leia mais

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 01/10/2007 A 07/10/2007

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 01/10/2007 A 07/10/2007 PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 01/10/2007 A 07/10/2007 RELATÓRIO ONS - 3/227/07 EMITIDO EM: 17/10/2007 1 PROCESSO: Análise de Perturbações

Leia mais

SOFTWARE ELIPSE E3 AUTOMATIZA AS USINAS TERMELÉTRICAS TERMOMANAUS E PAU FERRO I

SOFTWARE ELIPSE E3 AUTOMATIZA AS USINAS TERMELÉTRICAS TERMOMANAUS E PAU FERRO I SOFTWARE ELIPSE E3 AUTOMATIZA AS USINAS TERMELÉTRICAS TERMOMANAUS E PAU FERRO I Este case apresenta a aplicação da solução Elipse E3 para automatizar os equipamentos e processos envolvidos na geração de

Leia mais

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Workshop Etapa BRASÍLIA CEB CEB 01 UPS 150 kva IGBT/IGBT BASEADO NAS INFORMAÇÕES DO DIAGRAMA UNIFILAR APRESENTADO, DEFINIR: 1 - Corrente nominal

Leia mais

REQUISITOS TÉCNICOS PARA CONEXÃO DE MICRO E MINIGERAÇÃO AO SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO

REQUISITOS TÉCNICOS PARA CONEXÃO DE MICRO E MINIGERAÇÃO AO SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO REQUISITOS TÉCNICOS PARA CONEXÃO DE MICRO AO SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO EMISSÃO: 10/04/2013 REVISÃO: --/--/---- PÁG. 1/42 Sumário 1. Objetivo... 3 2. Aplicação... 3 3. Documentos de Referência... 3 4. Definições...

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. 4ª 13/08/2007 Inclusão dos itens 4.9, 4.10 e substituição do ANEXO III e IV.

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. 4ª 13/08/2007 Inclusão dos itens 4.9, 4.10 e substituição do ANEXO III e IV. Paralelismo Momentâneo de Gerador com o Sistema de Distribuição, com Processo Atendimento aos Clientes Atividade Código Edição Data SM01.00-00.007 7ª Folha 1 DE 15 21/07/2010 HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES

Leia mais

O que é uma Sobreintensidade?

O que é uma Sobreintensidade? O que é uma Sobreintensidade? Uma sobreintesidade é uma corrente de intensidade superior à nominal. Para este efeito, a intensidade de corrente máxima admissível num condutor é considerada como a sua intensidade

Leia mais

NOTA TÉCNICA 6.005. Página 1 de 20. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Planejamento do Sistema. Gerência da Distribuição

NOTA TÉCNICA 6.005. Página 1 de 20. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Planejamento do Sistema. Gerência da Distribuição Página 1 de 0 NOTA TÉCNICA 6.005 REQUISITOS MÍNIMOS PARA INTERLIGAÇÃO DE GERADOR PARTICULAR DE CONSUMIDOR PRIMÁRIO COM A REDE DE DISTRIBUIÇÃO DA AES ELETROPAULO UTILIZANDO SISTEMA DE TRANSFERÊNCIA AUTOMÁTICA

Leia mais

REDUÇÃO DO TEMPO DE ELIMINAÇÃO DE FALTAS EM BARRAMENTOS INTERCONECTADOS EM ANÉIS MÚLTIPLOS

REDUÇÃO DO TEMPO DE ELIMINAÇÃO DE FALTAS EM BARRAMENTOS INTERCONECTADOS EM ANÉIS MÚLTIPLOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS- UFMG ESCOLA DE ENGENHARIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA-PPGEE REDUÇÃO DO TEMPO DE ELIMINAÇÃO DE FALTAS EM BARRAMENTOS INTERCONECTADOS EM ANÉIS MÚLTIPLOS

Leia mais

Controle e Estabilidade de Sistemas Elétricos de Potência. Antonio J.A. Simões Costa e Aguinaldo S. e Silva

Controle e Estabilidade de Sistemas Elétricos de Potência. Antonio J.A. Simões Costa e Aguinaldo S. e Silva Controle e Estabilidade de Sistemas Elétricos de Potência Antonio J.A. Simões Costa e Aguinaldo S. e Silva Florianópolis, agosto de 2000 Capítulo 1 Introdução 1.1 Controle de Freqüência e Tensão na Operação

Leia mais

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Conceitos modernos de especificação e uso de Subestações e Painéis de média tensão Eng. Nunziante Graziano, M. Sc. AGENDA - NORMAS DE REFERÊNCIA

Leia mais

ELIPSE POWER AUTOMATIZA A SUBESTAÇÃO CRUZ ALTA DA CPFL, UTILIZANDO OS PROTOCOLOS IEC 61850 E DNP3

ELIPSE POWER AUTOMATIZA A SUBESTAÇÃO CRUZ ALTA DA CPFL, UTILIZANDO OS PROTOCOLOS IEC 61850 E DNP3 ELIPSE POWER AUTOMATIZA A SUBESTAÇÃO CRUZ ALTA DA CPFL, UTILIZANDO OS PROTOCOLOS IEC 61850 E DNP3 Solução da Elipse Software apresenta rápida integração com os equipamentos da subestação localizada em

Leia mais

Dispositivos De Proteção Residual

Dispositivos De Proteção Residual Dispositivos De Proteção Residual Normas Técnicas A proteção diferencial residual deve ser instalada como: Proteção Geral; Proteção por Circuito; Nos circuitos em que o dispositivo de proteção esteja instalado,sempre

Leia mais