O Cooperante. Assembleias. Gerais. Aprovam novo Estatuto e Prestação de contas Pág. 5 e 6. Novidades na Comunicação. Artigo.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O Cooperante. Assembleias. Gerais. Aprovam novo Estatuto e Prestação de contas Pág. 5 e 6. Novidades na Comunicação. Artigo."

Transcrição

1 ANO V - Número 9 Maio/Junho de 2009 Assembleias DR/BSB COOMINAGRI Gerais Aprovam novo Estatuto e Prestação de contas Pág. 5 e 6 Novidades na Comunicação O novo formato dos informativos Pág. 3 Artigo Drª Luiza Alencar dá dicas para você manter-se em sintonia com a saúde e o bem estar Pág. 7 Parceria O Sicoob Executivo firma parceria com a seguradora Mapfre Pág. 8

2 Editorial Um novo ciclo no Sicoob Executivo No mês de março realizamos dois eventos marcantes e decisivos para o fortalecimento e desenvolvimento do Sicoob Executivo, a Assembléia Geral Extraordinária - AGE, que se estendeu por quatro dias (de 12 a 17 de março p.p) e a Assembléia Geral Ordinária AGO. Na AGE foi discutido o projeto do novo Estatuto Social. Projeto este, fruto de minucioso trabalho de uma Comissão de Cooperados, que receberam a importante tarefa de desenvolver uma nova Carta Magna para nossa instituição. A proposta da Comissão, após receber contribuições foi aprovada por unanimidade na Assembléia. Agora aguardamos a homologação pelo Banco Central do Brasil para iniciarmos um novo ciclo no Sicoob Executivo. (Veja os principais pontos da reforma nas páginas 4 e 5). No mesmo mês, nos dias 25 e 26, foi realizada a AGO, no qual, os cooperados tomaram conhecimento, em detalhes, dos resultados do ano fiscal encerrado em dezembro de Após avaliarem e discutirem o Relatório de Gestão decidiram pela sua aprovação. Vencida esta etapa de análises e deliberações, iniciamos a implementação de alguns projetos e ações programadas. Começamos com os veículos de comunicação. Como podem notar, esta edição do Cooperante Impresso está de cara nova. Traz nova identidade visual, uma logomarca própria e nova linha editorial. Eletrônico, que a partir deste mês passa a se chamar Cooperante On line, levará as últimas notícias da cooperativa, do cooperativismo, do mercado financeiro, do executivo federal e outras novidades. Ganhou, também, uma logomarca, novo formato, colunas e lay out. O nosso Site está com novo visual. Nele o cooperado tem uma gama de informações sobre o Sicoob Executivo e poderá interagir em tempo real com nossos empregados e dirigentes. Enfim, pretendemos com estas mudanças levar para todos os cooperados tudo que estamos realizando e promovendo, aproximando ainda mais a cooperativa do seu quadro social. Educação Financeira Mamães aprendem sobre Educação Financeira Para presentear as mamães o Diretor Presidente do Sicoob Executivo, Luiz Lesse, ministrou no dia 8 de maio uma palestra sobre Educação Financeira, no auditório do Ministério das Cidades. O evento contou com servidores e terceirizados do Órgão e ensinou como gastar dentro do orçamento, para que sobre dinheiro no final do mês e não sobre mês no final do salário. Ensinou também como se educar financeiramente e o significado de saber usar o dinheiro que sobra, pagando dívidas, investindo e formando um patrimônio. Para se criar e manter uma cooperativa participação é o maior desafio, pois é justamente com a finalidade de participar da riqueza e benefícios gerados pelo trabalho que as pessoas se unem nessa forma de sociedade. E meio, porque somente através da efetiva participação de todos os sócios se obterá o sucesso das metas sócio-econômicas do empreendimento. O envolvimento do associado deve ir além da utilização dos serviços oferecidos e de sua frequência em reuniões e assembléias. Os cooperados devem participar de encontros, seminários e outros eventos que permitam o melhor conhecimento da cooperativa. Deve buscar a continua capacitação para o trabalho, como também para assumir, em determinados períodos, a posição de dirigente ou membro das comissões. Através do contato pessoal e direto com outros associados, deve discutir sobre as atuais informações do movimento cooperativista e acompanhar a situação do mercado, da economia de sua região e do seu país. É importante ter esclarecimentos para votar com conhecimento de causa, bem como saber escolher os melhores caminhos e enxergar as melhores oportunidades. Educação Cooperativista conheça seus direitos e deveres Deveres Respeitar as decisões votadas nas assembléias gerais, que representam a vontade da maioria. Pagar o compromisso da cota de capital fixada para criar ou ingressar na cooperativa. Zelar pelo interesse comum e autonomia da sociedade. Colaborar no planejamento, funcionamento, avaliação e fiscalização das atividades. Debater idéias e decidir pelo voto os objetivos e metas de interesse. Denunciar, sempre, os procedimentos indevidos. Pagar sua parte, caso ocorram prejuízos financeiros. Estimular a integração da cooperativa com o movimento cooperativista. Buscar capacitação profissional para o desempenho de suas atividades. Direitos Frequentar as assembléias gerais, decidindo pelo voto os assuntos de interesse da sociedade. Votar e ser votado para cargos administrativos, fiscais ou outras funções. Participar das atividades econômicas, sociais e educativas. Ser consumidor e usuário dos serviços oferecidos pela cooperativa. Receber retorno proporcional das sobras de capital. Examinar os livros e documentos da empresa e solicitar esclarecimentos aos dirigentes, conselheiros e funcionários. Convocar assembléia extraordinária, caso se faça necessário, conforme estabelecido no estatuto. Obter, antes da realização da assembléia geral, balanços financeiros, demonstrativos e relatórios. Retirar seu capital ao sair da sociedade, de acordo com o estabelecido no estatuto. Acima estão alguns dos principais direitos e deveres do cooperado junto à cooperativa Texto com contribuições da Internet 2 No campo das operações de crédito, estamos disponibilizando novas linhas de crédito, destaque para o Crédito Rotativo. Trata-se de um limite de crédito préaprovado, que poderá ser utilizado todo ou parte, de forma rápida e desburocratizada. O cooperado poderá solicitar a liberação pela Internet, pela Central de Relacionamento ou pessoalmente. Buscamos também, nesses primeiros meses do ano, novos parceiros, visando proporcionar benefícios e agregar renda para os nossos cooperados. Uma dessas parceiras escreve um artigo nesta edição. (pagina 7). Na área de atendimento, concluímos a instalação do novo sistema de telefonia. O cooperado já conta com um novo serviço exclusivo de atendimento por telefone, de forma direcionada e rápida. E, muito em breve, todos os cooperados poderão realizar a maior parte de suas operações por telefone, com toda comodidade e segurança. Porém, considero como o grande avanço dos últimos anos, o projeto do novo Estatuto Social, aprovado de forma unânime, na última AGE. A nova Carta Magna do Sicoob Executivo está moderna e adequada às necessidades dos nossos cooperados e Servidores do Executivo Federal. Estas são algumas das ações que já iniciamos. Outras estão por vir, pois temos a consciência do quanto ainda tem para ser feito no sentido de fortalecer nossa cooperativa. Luiz Lesse Moura Santos Diretor Presidente EXPEDIENTE Departamento Editorial Assessor de Comunicação e Marketing Fábio Martins Dias / Relações Públicas Registro nº 875 CONRERP 6ª Região-DF Jornalista Responsável Mirza Braga (DRT - DF nº 7760) Projeto Gráfico/Direção de Arte Noventa Graus Impressão Gráfica São Judas (61) Tiragem exemplares Fotos: ACS/SICOOB EXECUTIVO Esplanada dos Ministérios Bloco D Anexo B Térreo Tel. (61) CEP Brasília-DF Informe Novidades na Comunicação Até o final do mês de junho estaremos concluindo o processo de reformulação nos principais veículos de comunicação do Sicoob Executivo. Os Informativos Impressos e Eletrônico a partir desta edição passam a veicular com novo formato, nova identidade visual, linha editorial e maior interatividade. Ganharam logomarcas próprias, novo layout e mais interatividade. O nosso Site também está todo novo. Confira a seguir as principais mudanças. COOPERANTE ELETRÔNICO: Criado para informar de forma rápida, concisa e direta as últimas informações do Sicoob Executivo, veicula semanalmente, através da Internet, notícias sobre a cooperativa, o cooperativismo, curiosidades e utilidades públicas. Passa a se chamar a partir de agora COOPERANTE ON LINE. Ganhou uma logomarca própria, uma padronização de cores e novos link s, que proporcionarão maior interatividade com o nosso site e de outras instituições. COOPERANTE IMPRESSO: Este veículo tem periodicidade bimensal. Está também de cara nova. Traz nova linha editorial, com novas colunas, artigos, entrevistas e prestação de serviços. Ganhou também, uma logomarca própria, onde se pretende dar uma nova identidade a este importante instrumento de difusão dos nossos produtos, serviços, cultura e conhecimento econômico, financeiro e cooperativo. SITE: Está totalmente reformulado, adequando-se assim, aos mais modernos padrões de websites. Tem como destaque a Área Restrita, onde o cooperado poderá realizar novas operações financeiras e bancárias em ambiente exclusivo, de forma segura. Conta ainda, com nova estrutura com informações detalhadas da cooperativa, sua governança corporativa, seus produtos, serviços e ações dos administradores. Nele o cooperado tem a sua disposição uma gama de informações sobre a cooperativa, o Sistema Sicoob, o cooperativo e o que de mais importante está acontecendo no meio financeiro. 3

3 AGE Novo Estatuto Social Sicoob Executivo AGO A Assembléia Geral Extraordinária que promoveu uma ampla e profunda reforma no Estatuto Social da Cooperativa teve início no dia 12 de março deste, mas em função da importância da matéria se estendeu até 17 de março. Como a primeira cooperativa de crédito do Distrito Federal, o Sicoob Executivo tinha um estatuto que não estava mais atendendo as exigências dos seus cooperados, pois trazia conceitos inadequados para o momento que o cooperativismo de crédito brasileiro vive. Por estas razões e visando atender dispositivos legais e buscando adotar o modelo padrão de estatuto proposto pelo Sistema Sicoob (Sistema das Cooperativas de Crédito do Brasil) foi realizada uma ampla e profunda reforma estatutária. O Conselho de Administração, ainda em 2008, aprovou a constituição de uma Comissão Revisora do Estatuto, formada por cinco cooperados, que ficou responsável em analisar a atual versão, bem como pesquisar o que tem de melhor entre as cooperativas co-irmãs em termos de Estatuto Social. A proposta apresentada e aprovada pelo Conselho de Administração e Diretoria Executiva do Sicoob Executivo foi concebida tomando como referência o modelo de estatuto disponibilizado pelo Banco Central do Brasil Bacen, pelo Sicoob Central DF (Central das Cooperativas de Crédito do Distrito Federal) e pelo Sicoob Brasil (Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob). Mas foram pesquisados diversos estatutos sociais de cooperativas singulares, cuja performance nos últimos tempos é referência. Após pesquisa e análise do material, finalmente a Comissão construiu uma proposta, que teve como premissa básica atender as necessidades dos servidores do poder executivo federal e torna o Sicoob Executivo competitivo, eficiente e eficaz. Após aprovação da nova versão pelo Conselho de Administração, a proposta de estatuto foi colocada Assembléia Geral Extraordinária aprova ampla reforma estatutária, tornando o Estatuto Social da Cooperativa um dos mais modernos em audiência pública, assim como foi discutida com grupos de associados antes de ser submetida ao crivo da Assembléia Geral. No dia 12 de março foi instalada a Assembléia Geral Extraordinária, que discutiu artigo por artigo da proposta; ao final, diversas melhorias e aprimoramentos foram incorporados. Segundo o presidente do Sicoob Executivo, a cooperativa e seus associados ganharam com essa mudança, pois as propostas incorporadas ao novo estauto trazem condições para que o Sicoob Executivo melhore e desenvolva seus negócios. Essa mudança nasceu da necessidade de atualizar e modernizar o estatuto, uma vez que sua estrutura trata de E apesar das inúmeras reformas realizadas, que sempre se prenderam a pequenas mudanças, o conceito básico estava fundamentado nos preceitos das décadas de 80 e 90. Veja a seguir os principais pontos aprovados: Mudança no nome fantasia: A partir da homologação pelo Bacen o nome fantasia da cooperativa será SICOOB EXECUTIVO. Como é do conhecimento de todos, desde 1997 a cooperativa ampliou sua área de atuação, contemplando Servidores de outros ministérios. Isto ocorreu de forma gradativa. Primeiro foram os ministérios que faziam fronteira como o Ministério da Agricultura, e finalmente em 2003 estendeu-se para todos os órgãos do poder executivo federal. Naquela ocasião a cooperativas passou a se chamar Coominagri Servidores; mais tarde com a adesão ao Sistema Sicoob, nova mudança foi realizada, passando a se chamar Sicoob. Apesar da tradição, força e credibilidade do nome Coominagri, não podemos deixar de reconhecer que este nome faz referência direta ao Ministério da Agricultura, origem da nossa cooperativa. Como ampliamos para outros órgãos do Executivo Federal, estávamos enfrentando várias barreiras para atrair os colegas servidores dos outros órgãos. Ademais, do ponto de vista comercial, publicitário e marketing três nomes na denominação comercial de uma instituição não são muito apropriados, portanto, foi suprimido o Coominagri, passando a partir de agora a se chamar SICOOB EXECUTIVO, a verdadeira cooperativa dos servidores do poder executivo federal. Aumento de Capital Social mínimo da Cooperativa de R$ ,00 para R$ ,00. Isto traz mais segurança para a sociedade, preservando sua estrutura patrimonial. Tal mudança não irá afetar em nada a política de capitalização, muito menos será necessário aportes de capital, uma vez que o capital social da cooperativa é quase o dobro do novo valor. A forma de resgate do Capital Social foi flexibilizada. Esta nova versão prevê que o associado ainda na ativa, poderá sacar parte do capital e continuar como associado, mas com ressalvas para saque. Como óbito e doenças. Nunca é demais deixar claro que é o capital social de cada cooperado que permite que a cooperativa possa oferecer mais benefícios e serviços. Portanto, quanto mais capital mais forte seremos e mais benefícios poderemos proporcionar. Mudanças nas operações da cooperativa. Em 1991, em função da realidade da época, capital social quase zero, foi instituído na política de crédito a obrigatoriedade de lastro de capital para os valores contratados na forma de empréstimos, ou seja, o cooperado deveria ter no mínimo 20% de capital, do valor que pedisse emprestado. Com o novo estatuto isto deixa de existir. Essa iniciativa deixa a cooperativa mais competitiva em relação às outras instituições financeiras e facilita a vida dos cooperados na hora de contratar novos empréstimos. Criação de uma 3ª diretoria. Com as novas exigências legais e o aumento dos controles e negócios da cooperativa, a gestão da instituição estruturada em cima de duas diretorias compromete a sua performance e governança. Por isto, a Diretoria propôs e a Assembléia aprovou a Diretoria Operacional, que irá cuidar de todas as questões operacionais. Incorporação da ouvidoria no estatuto. O compromisso da Cooperativa com a ouvidoria foi uma exigência do Banco Central que pediu a incorporação dos critérios da cooperativa com a ouvidoria. Incorporação da solidariedade da cooperativa ao sistema Sicoob. A partir de agora o Sicoob Executivo se adequará ao sistema local e nacional, com mais responsabilidade, segurança e solidez. Além dessas mudanças, agora o estatuto conta com uma estrutura mais moderna, dividida em títulos, capítulos e seções. A nova estrutura é moderna e clara e já está em conformidade com a nova formatação ortográfica. O novo estatuto foi aprovado pela unanimidade dos presentes. A proposta foi encaminhada no dia 15 de abril ao Banco Central, que tem prazo de 60 dias para homologar, após a homologação as mudanças pararão a valer. AGE contou com participação expressiva dos cooperados do Sicoob Executivo Eleições para o Conselho Fiscal No dia 26 de abril, foi realizado o processo eleitoral para escolha dos membros do Conselho Fiscal. Os trabalhos foram conduzidos por uma Comissão Eleitoral, formada por cinco cooperados, tendo como presidente o cooperado Amauri Medeiros. O processo contou com o apoio do Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal TER/DF, que disponibilizou cinco urnas eletrônicas e ficou responsável pela segurança e apuração, proporcionando mais segurança, agilidade, tranquilidade e transparência. Mais uma vez o processo transcorreu de forma ordeira, graças à forma competente dos membros da Comissão. Concorreram 12 candidatos para as seis vagas (três titulares e três suplentes). Os eleitos foram: membros titulares, com 145 votos cada, Claudeci Barbosa e José Conceição Ferreira Sobrinho; com 135 votos, Hélio Nascimento Medeiros. Como suplentes, com 113 votos, Sheila Diana, com 93 votos, Maria dos Anjos, e com 72 votos, Carlos Leão. Compareceram às urnas 305 cooperados; número baixo na avaliação do Presidente da Comissão Eleitoral. A presença dos cooperados na minha avaliação foi muito baixa, menos de 12% do total do quadro social. Espero que os cooperados participem mais da vida da nossa instituição, pois este patrimônio é nosso. Não deixem de participar do dia-a-dia da empresa, pois uma instituição se faz com a participação de todos. Mais detalhes sobre as eleições e posse do novo Conselho Fiscal acesse o site: 4 5

4 AGO Artigo Assembleia Geral aprova contas e elege novo Conselho Fiscal AS FANTÁSTICAS MUDANÇAS DA JORNADA CHAMADA GESTAÇÃO O Sicoob Executivo realizou na tarde do dia 25 de abril, a sua 26ª Assembleia Geral Ordinária. Dentre os assuntos abordados, foram apresentados e discutidos o Relatório de Gestão, contemplando a prestação de contas dos administradores no exercício de 2008, a destinação das sobras levantadas no exercício anterior; o plano de utilização do Fundo de Assistência Técnica e Educacional FATES, além de outros assuntos de interesse dos cooperados. Fez parte também da ordem do dia, a eleição para o Conselho Fiscal, realizada no dia seguinte (26), das 9 às 16h30. Os trabalhos foram conduzidos pelo Presidente do Sicoob Executivo, Luiz Lesse que, destacou na apresentação do Relatório de Gestão, as principais atividades e ações estratégicas econômicas e sociais desenvolvidas pela cooperativa durante o exercício de Frisou, também, o desempenho operacional, com destaque para o aumento das operações de crédito e das sobras que dobraram em relação a Além das principais ações e desempenho físico e financeiro, foram apresentadas as demonstrações contábeis, contemplando os Balanços Patrimoniais, as Demonstrações de Resultados e as Notas Explicativas. Enfim, foram apresentados de forma didática e transparente todos os números da cooperativa, permitindo a todos acompanhar e conhecer melhor a performance do Sicoob Executivo. Após a leitura pela presidente do Conselho Fiscal, Sra. Claudeci Barbosa da Silva, do parecer do Conselho e do parecer dos auditores independentes, que recomendaram a aprovação das contas, a Assembléia Geral aprovou por unanimidade as contas dos administradores do exercício de Vencida a prestação de contas a Assembléia aprovou o retorno do Luiz Lesse apresenta Relatório de Gestão Programa de Cestas Natalinas. Esta ação, interrompida no ano passado, consiste na distribuição, para todos os cooperados adimplentes, no final do ano, de uma cesta com produtos natalinos. Segundo o Presidente do Sicoob Executivo. A decisão da Assembléia em aprovar o retorno da Cesta Natalina, demonstra o interesse dos Cooperados pelos projetos sociais desenvolvidos pela Cooperativa. Nos dias de distribuição, a cooperativa vive momento de integração, solidariedade e cooperação. Fiquei muito feliz com a decisão. Afinal, esta iniciativa já faz parte da cultura do Sicoob Executivo. Diz Lesse. E em 2009 o retorno da Cesta vem com novidades. Neste ano o cooperado poderá escolher se deseja receber a Cesta Natalina ou incorporar ao seu capital social na cooperativa o valor em pecúnia correspondente. A decisão deverá ser comunicada para o Sicoob Executivo até o dia 30 de junho deste ano. Em breve estará disponibilizado no seu site e nas dependências da cooperativa (Sede e PAC s) o termo de opção. Outro ponto importante aprovado foi a Política de Capitalização Mensal. A partir deste ano, (abril) teremos uma única faixa de capitalização, ou seja, todos os cooperados irão capitalizar mensalmente apenas 1% da sua renda bruta. Esse valor vai direto para a Conta de Capital do Cooperado. Esta conta é individual aberta em nome do associado, na qual é depositada mensalmente uma pequena quantia de acordo com o que prevê o Estatuto Social. A soma de todas essas contas forma o patrimônio da cooperativa. Com esses recursos, a cooperativa pode oferecer produtos e serviços com os menores custos do mercado. Os recursos do FATES foram aprovados no mesmo molde dos anos anteriores. Parte irá para as ações e eventos sociais, culturais e esportivos e parte será destinada para o programa de capacitação continuada dos funcionários, diretores e associados. Estamos iniciando um mês muito especial, o mês das mães. E junto com ele nasce a parceria de duas entidades com um objetivo comum: a valorização e o bem estar de todos aqueles que lutam por uma vida mais próspera, equilibrada, tranquila e feliz. É neste espírito que a ArteCorpo Estética Médica e o SICOOB EXECUTIVO iniciam uma nova trajetória trazendo a você cooperado a oportunidade de manterse sempre bem, cada vez melhor, em sintonia com a saúde e o bem estar. A ArteCorpo é uma clínica com atendimento nas áreas de medicina estética, cirurgia plástica, cosmetologia, fisioterapia para gestantes, nutrologia. Nosso trabalho é atender quem procura algum aperfeiçoamento no rosto ou em alguma outra área do corpo, através de técnicas inovadoras e cientificamente comprovadas. Neste mês de maio nada mais oportuno que lembrarmos da mulher em sua gestação. São inúmeras as transformações que acontecem neste período. Da data da última menstruação até o parto são aproximadamente 40 semanas. Inúmeras alterações ocorrem nesta jornada chamada gestação No primeiro trimestre de gestação os sintomas que mais incomodam são as náuseas, os vômitos, a pirose (queimação), uma vontade constante de urinar, sono, cansaço fácil. Uma dica é comer em intervalos pequenos para evitar as náuseas e os vômitos. Tomar café da manhã, lanchar, almoçar, lanchar novamente, jantar e cear. É claro que não se pode comer muito, afinal, são nove meses de gestação e há um aumento natural de peso. Refeições leves e ponderadas são essenciais para que o este aumento não ultrapasse o esperado para toda a gravidez: 9 a 12 quilos. Inúmeras outras alterações ocorrem nesta jornada chamada gestação. O sistema imunológico da grávida está mais sensível. Por isso, manter uma alimentação saudável (avaliação nutrológica) durante todo este período é fundamental para evitar qualquer intercorrência. Dentre as alterações dermatológicas citamos três, as mais comuns. O aparecimento do melasma, aquelas manchas escuras no rosto, a acne, e as indesejadas estrias. O melasma na gravidez é chamado de cloasma gravídico e pode surgir quando da exposição solar. Neste caso, o uso dos protetores é fundamental. A proteção solar deve ser sempre com filtros adequados à sua pele e com o fator de proteção maior ou igual a 30. A acne pode ser controlada com produtos específicos. Há uma série de formulações inofensivas ao bebê que podem ser utilizadas pelas mamães. Já as estrias, hoje, podem ser evitadas através de tratamentos médicos adequados. A hidratação apropriada é fundamental, mas o tratamento médico é o único que assegura uma maior chance de não ficar com estas indesejadas marcas na pele. A partir do segundo trimestre o edema (inchaço) e as dores, especialmente as lombares incomodam muito. Podem ser aliviados através de técnicas fisioterápicas específicas para este período. Todas as gestantes cooperadas do SICOOB EXECUTIVO contarão com uma sessão gratuita de drenagem linfática com uma fisioterapeuta especializada em tratamentos para dor e edema durante a gestação. Dra. Luiza Assumpção Alencar CRM

5 Produtos e Serviços Nova parceria do Sicoob Executivo Visando atender melhor todos os nossos cooperados, a Cooperativa firmou uma parceria com a Mapfre Seguros, uma cooperativa de seguros com mais de 100 Sucursais, 19 Diretorias Territoriais e mais de 15 milhões de segurados. O Grupo MAPFRE já é o sexto maior grupo segurador do País nas áreas em que opera, 1º no ranking entre as seguradoras estrangeiras não vinculadas a bancos. Pensando nisso, o Sicoob Executivo capacitou sua equipe do atendimento e superintendência no dia 16 de maio, na sede da Mapfre. Com isso quem ganha é o associado, que poderá tirar suas dúvidas e verificar qual o melhor plano para seu perfil. Nossa equipe está apta para atender os associados e ver os melhores planos para cada um. Representada pelas empresas MAPFRE Vera Cruz Seguradora S.A, MAPFRE Vera Cruz Vida e Previdência S.A e MAPFRE Seguradora de Garantias e Crédito, a MAPFRE Seguros possui uma estrutura de negócios unificada. Dessa forma, a empresa consegue extrair o aproveitamento máximo de suas competências específicas, além de prover sinergia entre linhas de negócios e ser um provedor global de seguros. Tâmara Graciele, Consultora de Seguros A Consultora de Seguros, Tâmara Graciele, fala sobre a nova parceria que está cheia de diferenciais, o associado não só terá um atendimento personalizado e cordial como também benéficos extras para fidelizar o cliente e atende-lo nas demais áreas precisas. Todos nos temos a ganhar com essa parceria, a Mapfre por fincar seu lado cooperativista aqui no Sicoob Executivo; a Cooperativa, por buscar o melhor e o mais seguro negócio para seus cooperados e claro, por querer crescer nossa carteira de segurados, e o Associado, sem dúvida nenhuma, peça importante nessa transação, por usufruir e utilizar de um produto mais seguro. Um dos serviços oferecidos pela Mapfre será o seguro de automóveis Automais, e para o Sicoob Executivo, um carro não é apenas um meio de transporte. Afinal, é ele quem te leva para jantar fora, para passear no final de semana, para viajar com a família e com os amigos. Por isso, além de proteger você em qualquer eventualidade, a cooperativa ajuda a cuidar dele. Café com Cooperação SICOOB EXECUTIVO realiza CAFÉ COM COOPERAÇÃO Na manhã do dia 18 de maio, o Sicoob Executivo realizou o evento Café com Cooperação, para todos os servidores e prestadores de serviço do CGRH/SPOA/ SE do Ministério da Agricultura Pecuária a Abastecimento MAPA. O Objetivo desse encontro foi além de apresentar a Cooperativa aos servidores, consolidar o relacionamento com aqueles que já fazem parte da família Sicoob Executivo. 8 O evento começou com uma apresentação da cooperativa, feito pelo Diretor Presidente do Sicoob Executivo, Luiz Lesse, que explicou por meio de slides o que a cooperativa tem de melhor para oferecer e das inúmeras vantagens que os bancos convencionais não podem oferecer. Os juros são menores, os rendimentos são maiores, o atendimento é personalizado e toda a sobra obtida no ano é distribuída segundo a decisão da AGO. Em seguida a Diretora do CGRH/SPOA/SE/ MAPA, Walquiria Moraes tomou a palavra e agradeceu a presença de todos no evento, e aproveitou para falar da parceria com o Sicoob e dos benefícios que serão trazidos a partir dessa união. Já chegamos a procurar até outras instituições financeiras, mas o Sicoob Executivo superou todas as outras instituições, nós pensamos no futuro dos servidores do MAPA, para isso o Sicoob Executivo tem um papel fundamental.

Foto: istockphoto.com/propagcomunica. Aqui você é dono

Foto: istockphoto.com/propagcomunica. Aqui você é dono Foto: istockphoto.com/propagcomunica Aqui você é dono A UNICRED/ASACRED tem como seus pilares dois importantes institutos: o cooperativismo, que vem promover a gestão participativa, equitativa e igualitária,

Leia mais

SICOOB NORTE. Resultados

SICOOB NORTE. Resultados SICOOB NORTE Resultados 2014 MENSAGEM DA DIRETORIA O Sicoob Norte conseguiu ótimos resultados, numa clara demonstração da força do trabalho cooperativo, na busca por maior participação no mercado financeiro

Leia mais

POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA

POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA 1 1. APRESENTAÇÃO Esta política estabelece os princípios e práticas de Governança Cooperativa adotadas pelas cooperativas do Sistema Cecred, abordando os aspectos de

Leia mais

SICOOB CREDIROCHAS. Resultados

SICOOB CREDIROCHAS. Resultados SICOOB CREDIROCHAS Resultados 2014 MENSAGEM DA DIRETORIA O Sicoob Credirochas conseguiu ótimos resultados numa clara demonstração da força do trabalho cooperativo, na busca por maior participação no mercado

Leia mais

Cooperativismo > História História do Cooperativismo

Cooperativismo > História História do Cooperativismo Cooperativismo > História História do Cooperativismo A origem do que hoje chamamos cooperativa tem data marcada: 21 de dezembro de 1844. Nesse dia, 27 tecelões e uma tecelã do bairro de Rochdale, em Manchester,

Leia mais

Política de. [ comunicação] Forluz

Política de. [ comunicação] Forluz Política de [ comunicação] Forluz Índice Apresentação...4 Missão da Forluz...5 Condições para aplicação deste documento...6 Objetivos da Política de Comunicação...7 Diretrizes da Política de Comunicação...8

Leia mais

REGIMENTO INTERNO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE MANUTENÇÃO

REGIMENTO INTERNO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE MANUTENÇÃO REGIMENTO INTERNO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE MANUTENÇÃO Capítulo I da Finalidade Art. 1o. - Este Regimento Interno complementa e disciplina disposições do Estatuto da Associação Brasileira de Manutenção

Leia mais

BEM-VINDO AO SICOOB. A maior instituição financeira cooperativa do país. www.sicoob.com.br

BEM-VINDO AO SICOOB. A maior instituição financeira cooperativa do país. www.sicoob.com.br BEM-VINDO AO SICOOB. A maior instituição financeira cooperativa do país. www.sicoob.com.br Parabéns! Agora você faz parte de uma cooperativa Sicoob e conta com todos os produtos e serviços de um banco,

Leia mais

Manual de Conduta Escritórios Brasília

Manual de Conduta Escritórios Brasília Manual de Conduta Escritórios Brasília 1 Prezado parceiro, você acaba de ingressar em um novo modelo de gestão de negócios. Seja bem-vindo. 2 Com o único objetivo de aprimorar o seu negócio vamos apresentar

Leia mais

Manual da Assembleia Geral Ordinária 25 de março de 2014 às 10h30 Tívoli São Paulo - Mofarrej

Manual da Assembleia Geral Ordinária 25 de março de 2014 às 10h30 Tívoli São Paulo - Mofarrej Manual da Assembleia Geral Ordinária 25 de março de 2014 às 10h30 Tívoli São Paulo - Mofarrej CNPJ: 01.082.331/0001-80 Atualizado em 25.02.2014 Legenda da Barra Inferior Voltar ao Slide Inicial Voltar

Leia mais

ASSOCIATIVISMO. Fonte: Educação Sebrae

ASSOCIATIVISMO. Fonte: Educação Sebrae ASSOCIATIVISMO Fonte: Educação Sebrae O IMPORTANTE É COOPERAR A cooperação entre as pessoas pode gerar trabalho, dinheiro e desenvolvimento para toda uma comunidade COOPERAR OU COMPETIR? Cooperar e competir

Leia mais

ROSANA DALLA COSTA FÉLIX MEDIA TRAINING DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL - TREINAMENTO PARA GESTORES RELATÓRIO TÉCNICO

ROSANA DALLA COSTA FÉLIX MEDIA TRAINING DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL - TREINAMENTO PARA GESTORES RELATÓRIO TÉCNICO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PLANEJAMENTO E GOVERNANÇA PÚBLICA ROSANA DALLA COSTA FÉLIX MEDIA TRAINING DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL - TREINAMENTO PARA GESTORES

Leia mais

ESTATUTO MODELO DE ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO - OSCI P. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS

ESTATUTO MODELO DE ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO - OSCI P. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS ESTATUTO MODELO DE ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO - OSCI P Legenda: Texto em negrito: cláusulas que devem necessariamente constar do estatuto, por força da Lei nº 9.790/99 Texto em

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO HOSPITAL SANTA HELENA

REGIMENTO INTERNO DO HOSPITAL SANTA HELENA 20//2013 1 REGIMENTO INTERNO DO HOSPITAL SANTA HELENA CAPÍTULO I Princípios e Objetivos ARTIGO 1 O regimento interno do corpo clínico visa disciplinar a constituição, ações, relações, avaliações e direção

Leia mais

III - Dos princípios gerais da gestão e ferramentas de gestão interna

III - Dos princípios gerais da gestão e ferramentas de gestão interna CAPITULO I - DOS PRINCÍPIOS GERAIS I Apresentação Ainda que não precisem gerar lucro, as organizações do terceiro setor demandam, cada vez mais, uma gestão profissionalizada, que lhes permita avaliar adequadamente

Leia mais

O cooperativismo de crédito e você

O cooperativismo de crédito e você O cooperativismo de crédito e você A Cooperativa de Crédito é uma instituição financeira sem fins lucrativos de propriedade dos associados, controlada de forma democrática por seus membros, e tem o propósito

Leia mais

Cooperativismo - Forma ideal de organização

Cooperativismo - Forma ideal de organização Cooperativismo - Forma ideal de organização Cooperativismo é modelo socioeconômico capaz de unir desenvolvimento econômico e bem-estar social. Seus referenciais fundamentais são: participação democrática,

Leia mais

em números Relatório de Prestação de Contas Sicoob Sul

em números Relatório de Prestação de Contas Sicoob Sul em números Relatório de Prestação de Contas Sicoob Sul O desempenho e os resultados alcançados pelo Sicoob Sul em comprovam as vantagens do trabalho coletivo em cooperativa. Mesmo num ano de muitas incertezas

Leia mais

Cooperativismo. Cooperativa de Crédito. Apoio

Cooperativismo. Cooperativa de Crédito. Apoio Cooperativismo Cooperativa de Crédito Apoio O que é uma cooperativa. É uma sociedade de pessoas com forma e natureza jurídica própria, de natureza civil, sem fins lucrativos, não sujeita à falência, constituída

Leia mais

CÁRITAS ARQUIDIOCESANA DE BRASÍLIA REGIMENTO DO FUNDO ROTATIVO SOLIDÁRIO DA REDE DE EMPREENDIMENTOS SOLIDÁRIOS DO DISTRITO FEDERAL E ENTORNO

CÁRITAS ARQUIDIOCESANA DE BRASÍLIA REGIMENTO DO FUNDO ROTATIVO SOLIDÁRIO DA REDE DE EMPREENDIMENTOS SOLIDÁRIOS DO DISTRITO FEDERAL E ENTORNO CÁRITAS ARQUIDIOCESANA DE BRASÍLIA REGIMENTO DO FUNDO ROTATIVO SOLIDÁRIO DA REDE DE EMPREENDIMENTOS SOLIDÁRIOS DO DISTRITO FEDERAL E ENTORNO REGIMENTO INTERNO Brasília, 4 de junho de 2011 REGIMENTO INTERNO

Leia mais

em números Relatório de Prestação de Contas Sicoob Norte

em números Relatório de Prestação de Contas Sicoob Norte em números Relatório de Prestação de Contas Sicoob Norte O desempenho e os resultados alcançados pelo Sicoob Norte em comprovam as vantagens do trabalho coletivo em cooperativa. Mesmo num ano de muitas

Leia mais

ESTATUTO ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO (ANPARQ)

ESTATUTO ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO (ANPARQ) ESTATUTO ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO (ANPARQ) CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, REGIME JURÍDICO, DURAÇÃO, SEDE E FORO Art. 1 - A Associação Nacional de Pesquisa

Leia mais

PRIMEIRA ALTERAÇÃO DO ESTATUTO DA UNIÃO GARCENSE DE AEROMODELISMO

PRIMEIRA ALTERAÇÃO DO ESTATUTO DA UNIÃO GARCENSE DE AEROMODELISMO PRIMEIRA ALTERAÇÃO DO ESTATUTO DA UNIÃO GARCENSE DE AEROMODELISMO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, DA SEDE E FINS Art. 1 A União Garcense de Aeromodelismo (UGA) é uma pessoa jurídica de direito privado, entidade

Leia mais

Código: ESGE Revisão: 03 Páginas: 08 ESTATUTO SOCIAL GRÊMIO ESTUDANTIL

Código: ESGE Revisão: 03 Páginas: 08 ESTATUTO SOCIAL GRÊMIO ESTUDANTIL GRÊMIO ESTUDANTIL Paulo Medeiros Prudêncio Júnior 0 CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, DURAÇÃO, OBJETIVOS Art. 1º - O Grêmio Estudantil Paulo Medeiros Prudêncio Júnior, fundado no ano de 1997, com sede no

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CAPITULO I

REGIMENTO INTERNO CAPITULO I 1 Conselho Municipal do Idoso de São Caetano do Sul Lei n 4.179 de 23/10/2003. R. Heloísa Pamplona, 304 B. Fundação CEP 09520-310 São Caetano do Sul/SP. cmi@saocaetanodosul.sp.gov.br REGIMENTO INTERNO

Leia mais

MODELO DE ESTATUTO DA SOCIEDADE DE AMIGOS DA BIBLIOTECA PÚBLICA (Este modelo deverá ser adaptado às situações locais)

MODELO DE ESTATUTO DA SOCIEDADE DE AMIGOS DA BIBLIOTECA PÚBLICA (Este modelo deverá ser adaptado às situações locais) MODELO DE ESTATUTO DA SOCIEDADE DE AMIGOS DA BIBLIOTECA PÚBLICA (Este modelo deverá ser adaptado às situações locais) CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE, DURAÇÃO Art. 1.º A SOCIEDADE DE AMIGOS DA

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DA MARINA PORTO BÚZIOS - "AMMAR" CAPÍTULO II

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DA MARINA PORTO BÚZIOS - AMMAR CAPÍTULO II ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DA MARINA PORTO BÚZIOS - "AMMAR" CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃQ, SEDE, OBJETIVOS E DURAÇÃO Art.1 - Sob a denominação de AMMAR - Associação dos Moradores da Marina Porto

Leia mais

RELATÓRIO DA GESTÃO 2014

RELATÓRIO DA GESTÃO 2014 RELATÓRIO DA GESTÃO 2014 1. MENSAGEM DA PRESIDÊNCIA: Hoje estamos prestando contas de nossos trabalhos frente à Creditran durante o ano de 2014. Com a entrega final do empreendimento iniciado em 2009,

Leia mais

Seminário "Governança Corporativa: Experiências em Empresas Estatais"

Seminário Governança Corporativa: Experiências em Empresas Estatais Seminário "Governança Corporativa: Experiências em Empresas Estatais" Marco Geovanne Tobias da Silva 17 de maio de 2005 O que é Governança Corporativa? Conjunto de normas de conduta a serem adotadas por

Leia mais

Manual da Assembleia Geral Ordinária. Hotel Hilton São Paulo Morumbi

Manual da Assembleia Geral Ordinária. Hotel Hilton São Paulo Morumbi Manual da Assembleia Geral Ordinária 26 de março de 2015 às 10h00 Hotel Hilton São Paulo Morumbi Atualizado em 24.02.2015 CNPJ: 01.082.331/0001-80 Legenda da Barra Inferior Voltar ao Slide Inicial Voltar

Leia mais

EMPRESA DE SERVIÇOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA S.A.

EMPRESA DE SERVIÇOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA S.A. EMPRESA DE SERVIÇOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA S.A. O presente Estatuto é uma consolidação do aprovado pela Escritura Pública de Constituição, em 25-07-2002 - arquivada na JUCEMG em 01-08-2002,

Leia mais

CEMIG TRADING S.A. ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Duração

CEMIG TRADING S.A. ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Duração CEMIG TRADING S.A. O presente Estatuto é uma consolidação do aprovado pela Escritura Pública de Constituição, em 29-07-2002 - arquivada na JUCEMG em 12-08-2002, sob o nº 3130001701-0, e pelas Assembléias

Leia mais

Manual de Diretrizes e Práticas

Manual de Diretrizes e Práticas Governança Corporativa Manual de Diretrizes e Práticas Fundação Índice Nossa Missão...03 Nossas Diretrizes...04 Nossa Gestão...06 Nossos Procedimentos...12 Nossa Comunicação...16 Nossos Controles...20

Leia mais

SÉRIE IPO s: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE ABERTURA DE CAPITAL. Parte 4: Como tornar sua Empresa uma Companhia de Capital Aberto

SÉRIE IPO s: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE ABERTURA DE CAPITAL. Parte 4: Como tornar sua Empresa uma Companhia de Capital Aberto SÉRIE IPO s: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE ABERTURA DE CAPITAL Parte 4: Como tornar sua Empresa uma Companhia de Capital Aberto o O que é Abertura de Capital o Vantagens da abertura o Pré-requisitos

Leia mais

informe COOPERATIVA ODONTOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE Abril 2012 www.uniodontorn.com.br (84) 4009-4664 Rua Açu, 665 - Tirol Natal/RN - CEP 59020-110

informe COOPERATIVA ODONTOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE Abril 2012 www.uniodontorn.com.br (84) 4009-4664 Rua Açu, 665 - Tirol Natal/RN - CEP 59020-110 Abril 2012 NATAL www.unirn.com.br COOPERATIVA LÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE DESTAQUES DESTA EDIÇÃO: Convenção da Uniodonto Nordeste... pág. 03 Assembleia dos cooperados reelege a atual Diretoria... pág.

Leia mais

Soluções em Software para Medicina Diagnóstica. www.digitalmed.com.br

Soluções em Software para Medicina Diagnóstica. www.digitalmed.com.br Soluções em Software para Medicina Diagnóstica www.digitalmed.com.br NOTA DE AGRADECIMENTO Primeiramente, agradecemos pela sua receptividade em conhecer as nossas soluções, afinal, é sempre uma imensa

Leia mais

Educação Financeira e Previdenciária Case - Fundação CEEE. Magdarlise Dal Fiume Germany Gerente Relações Institucionais

Educação Financeira e Previdenciária Case - Fundação CEEE. Magdarlise Dal Fiume Germany Gerente Relações Institucionais Educação Financeira e Previdenciária Case - Fundação CEEE Magdarlise Dal Fiume Germany Gerente Relações Institucionais Programa de Educação Financeira e Previdenciária - Criação Aprovado pela PREVIC em

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO Art. 1º O CENTRO BRASILEIRO DE PESQUISA EM AVALIAÇÃO E SELEÇÃO

Leia mais

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários ESTATUTO DA LIGA ACADÊMICA DE ESPORTES E SAÚDE - LIES Capítulo I - Da Natureza e Finalidade ART. 1º - A Liga Acadêmica de Esportes e Saúde é uma entidade sem fins lucrativos, com duração ilimitada, sob

Leia mais

Regulamento para utilização do FATES

Regulamento para utilização do FATES Regulamento para utilização do FATES 1 / 6 Sumário 1. OBJETIVO... 3 2. FINALIDADE... 3 3. DA FORMAÇÃO... 3 4. DA ALOCAÇÃO E APLICAÇÃO DE RECURSOS... 3 4.1- DA ASSISTÊNCIA TÉCNICA... 3 4.2- DA ASSISTÊNCIA

Leia mais

Número de. Empregados. Pessoa Física Nenhum R$ 50,00 R$ 600,00. Microempresa Até 5 R$ 70,00 R$ 840,00. Acima de 5 R$ 400,00 R$ 4800,00

Número de. Empregados. Pessoa Física Nenhum R$ 50,00 R$ 600,00. Microempresa Até 5 R$ 70,00 R$ 840,00. Acima de 5 R$ 400,00 R$ 4800,00 FICHA DE ADESÃO Por esta Ficha de adesão, solicito meu ingresso como associado da ABRIMPE ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE INCENTIVO E MELHORIA EM PROJETOS EMPRESARIAIS, EMPREENDEDORISMO E EDUCACIONAL, comprometendo-me

Leia mais

Parcialmente nublado para operações de crédito em outras instituições financeiras alta taxa de juros.

Parcialmente nublado para operações de crédito em outras instituições financeiras alta taxa de juros. ANO V - Número 10 Julho/Agosto de 2009 No Sicoob Executivo a economia é certa Sua cooperativa de crédito tem as menores taxas e tarifas do mercado Pág. 5 e 6 991209821- DR/BSB SICOOB EXECUTIVO Artigo Vera

Leia mais

ESTATUTO CAPÍTULO I. DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE e DURAÇÃO CAPÍTULO II DAS FINANÇAS

ESTATUTO CAPÍTULO I. DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE e DURAÇÃO CAPÍTULO II DAS FINANÇAS ESTATUTO CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE e DURAÇÃO Art. 1 o. Sob a denominação APA de Jaboticabal - Associação Protetora dos Animais de Jaboticabal - fica fundada nesta cidade, onde terá sua sede,

Leia mais

ESTATUTO Comissão de Formatura Formandos em Engenharia Ambiental 2013/2 FAESA ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL DE VITÓRIA. Capítulo I Da Denominação e da Sede

ESTATUTO Comissão de Formatura Formandos em Engenharia Ambiental 2013/2 FAESA ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL DE VITÓRIA. Capítulo I Da Denominação e da Sede ESTATUTO Comissão de Formatura Formandos em Engenharia Ambiental 2013/2 FAESA ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL DE VITÓRIA Capítulo I Da Denominação e da Sede Art. 1º - Sob a denominação Formandos em Engenharia Ambiental

Leia mais

Tecnoseg. Projetos PROGRAMA. Saúde Ocupacional. Gestão de HSE. Auditorias. Consultoria. Laudos. Segurança Veicular. Consultoria. Treinamentos.

Tecnoseg. Projetos PROGRAMA. Saúde Ocupacional. Gestão de HSE. Auditorias. Consultoria. Laudos. Segurança Veicular. Consultoria. Treinamentos. Behavior Based Safety Auditorias Tecnoseg PROGRAMA Tecnoseg Gestão de HSE Projetos Auditorias SOCIABILIDADE Projetos TECNOSEG Gestão de HSE Consultoria Consultoria Gestão de HSE Gestão de HSE Segurança

Leia mais

Como funcionam os fundos de investimentos

Como funcionam os fundos de investimentos Como funcionam os fundos de investimentos Fundos de Investimentos: são como condomínios, que reúnem recursos financeiros de um grupo de investidores, chamados de cotistas, e realizam operações no mercado

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS

RELATÓRIO DE GESTÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS SICOOB JURISCRED - COOPERATIVA DE CRÉDITO DOS MAGISTRADOS E SERVIDORES DA JUSTIÇA DO ESTADO DE GOIÁS LTDA. RELATÓRIO DE GESTÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS [29] [RUA 72, ESQUINA BR-153, Nº234, JARDIM GOIÁS, GOIÂNIA-

Leia mais

Um ano de excelentes resultados

Um ano de excelentes resultados Um ano de excelentes resultados Mais uma vez, o Sicoob Engecred tem excelentes resultados para os seus cooperados. Em 2012 a Cooperativa superou todas as expectativas e confirmou a sua trajetória de sucesso.

Leia mais

1. COMISSÃO EXECUTIVA DE RECURSOS HUMANOS

1. COMISSÃO EXECUTIVA DE RECURSOS HUMANOS Governança Corporativa se faz com Estruturas O Itaú se orgulha de ser um banco essencialmente colegiado. A Diretoria atua de forma integrada e as decisões são tomadas em conjunto, buscando sempre o consenso

Leia mais

ESTATUTO DO GRÊMIO DA ESCOLA NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS

ESTATUTO DO GRÊMIO DA ESCOLA NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS CAPÍTULO I Da Denominação, Sede, Fins e Duração Artigo 1 O Grêmio Estudantil é o Grêmio geral da Escola Nossa Senhora das Graças, fundado no dia 07 de abril de 1992, com sede no estabelecimento e de duração

Leia mais

ALTERAÇÃO DO ESTATUTO SOCIAL DA UNIÃO MUNICIPAL DAS ASSOCIAÇÕES DE MORADORES DE CONCÓRDIA UMAMC. CAPITULO I Da Denominação, Sede, Duração e Objetivos.

ALTERAÇÃO DO ESTATUTO SOCIAL DA UNIÃO MUNICIPAL DAS ASSOCIAÇÕES DE MORADORES DE CONCÓRDIA UMAMC. CAPITULO I Da Denominação, Sede, Duração e Objetivos. ALTERAÇÃO DO ESTATUTO SOCIAL DA UNIÃO MUNICIPAL DAS ASSOCIAÇÕES DE MORADORES DE CONCÓRDIA UMAMC CAPITULO I Da Denominação, Sede, Duração e Objetivos. Art. 1º Sob a denominação de União Municipal das Associações

Leia mais

Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 VOCÊ SABE COMO FUNCIONA UMA COOPERATIVA DE CRÉDITO?... 3 3 COOPERATIVISMO... 3 4 COOPERATIVA DE CRÉDITO...

Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 VOCÊ SABE COMO FUNCIONA UMA COOPERATIVA DE CRÉDITO?... 3 3 COOPERATIVISMO... 3 4 COOPERATIVA DE CRÉDITO... Manual do Cooperado Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 VOCÊ SABE COMO FUNCIONA UMA COOPERATIVA DE CRÉDITO?... 3 3 COOPERATIVISMO... 3 4 COOPERATIVA DE CRÉDITO... 3 5 COOPERHIDRO... 3 6 RECONHECIMENTO PARA FUNCIONAMENTO...

Leia mais

Relatório de Atividades 2014. Comissão de Ética

Relatório de Atividades 2014. Comissão de Ética Comissão de Ética Introdução As ações desenvolvidas pela Comissão de Ética em 2014 foram pautadas nos parâmetros do Questionário de Avaliação da Ética elaborado pela Comissão de Ética Pública (CEP) que

Leia mais

SUGESTÃO DE ROTEIRO PARA A REALIZAÇÃO DE ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA EM COOPERATIVAS

SUGESTÃO DE ROTEIRO PARA A REALIZAÇÃO DE ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA EM COOPERATIVAS SUGESTÃO DE ROTEIRO PARA A REALIZAÇÃO DE ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA EM COOPERATIVAS ABERTURA Pessoa da cooperativa que não fará parte da mesa verifica o número de associados presentes certificando o quorum

Leia mais

ESTATUTO DO GRÊMIO ESTUDANTIL

ESTATUTO DO GRÊMIO ESTUDANTIL ESTATUTO DO GRÊMIO ESTUDANTIL CAPÍTULO I Do Nome, Sede, Fins e Duração. Art. 1º - O Grêmio Estudantil Bom Conselho abreviadamente, Grêmio, é uma instituição sem fins lucrativos constituída pelos alunos

Leia mais

PONTÍFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CURSO DE DIREITO

PONTÍFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CURSO DE DIREITO PONTÍFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CURSO DE DIREITO Disciplina: Direito Empresarial II JUR 1022 Turma: C02 Prof.: Luiz Fernando Capítulo VI SOCIEDADES ANÔNIMAS 1. Evolução Legal: a) Decreto n. 575/49;

Leia mais

Empresas no Desenvolvimento do Mercado Nacional PROF. LÍVIO GIOSA

Empresas no Desenvolvimento do Mercado Nacional PROF. LÍVIO GIOSA O papel das Micro e Pequenas Empresas no Desenvolvimento do Mercado Nacional PROF. LÍVIO GIOSA PROF. LÍVIO GIOSA Especialista em modelos de Gestão Empresarial Presidente do CENAM: Centro Nacional de Modernização

Leia mais

A CVM disponibilizou ao público novo Edital de Audiência Pública para alteração da Instrução CVM nº 472/2001.

A CVM disponibilizou ao público novo Edital de Audiência Pública para alteração da Instrução CVM nº 472/2001. Fundos Imobiliários A CVM disponibilizou ao público novo Edital de Audiência Pública para alteração da Instrução CVM nº 472/2001. Luciana Simões Rebello Horta AAA/SP - lsimoes@albino.com.br A CVM disponibilizou

Leia mais

Auditoria Externa nas cooperativas: atuação de entidade exclusiva

Auditoria Externa nas cooperativas: atuação de entidade exclusiva Auditoria Externa nas cooperativas: atuação de entidade exclusiva Seminário Banco Central do Brasil sobre Governança Cooperativa - Norte Belém, 18 de maio de 2009 Risco da Informação Conflitos de Interesse

Leia mais

Estatuto da Associação de Pais e Professores do

Estatuto da Associação de Pais e Professores do CNPJ: 82.898.404/0001-09 Estatuto da Associação de Pais e Professores do CENTRO EDUCACIONAL MENINO JESUS Fundada em 1973, Florianópolis/SC C A P Í T U L O I Da Associação e seus fins Art. 1º. - A Associação

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DA UNIÃO NACIONAL DAS COOPERATIVAS DA AGRICULTURA FAMILIAR E ECONOMIA SOLIDÁRIA - UNICAFES

ESTATUTO SOCIAL DA UNIÃO NACIONAL DAS COOPERATIVAS DA AGRICULTURA FAMILIAR E ECONOMIA SOLIDÁRIA - UNICAFES ESTATUTO SOCIAL DA UNIÃO NACIONAL DAS COOPERATIVAS DA AGRICULTURA FAMILIAR E ECONOMIA SOLIDÁRIA - UNICAFES CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, FINALIDADE, SEDE, FORO E DURAÇÃO. Art. 1º - A União Nacional das Cooperativas

Leia mais

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários ESTATUTO DA LIGA GERIATRIA E GERONTOLOGIA - LIG Capítulo I - Da Natureza e Finalidade ART. 1º - A LIGA DE GERIATRIA E GERONTOLOGIA é uma entidade sem fins lucrativos, com duração ilimitada, sob a supervisão

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DE CORRÊA RIBEIRO S/A COMÉRCIO E INDÚSTRIA CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO SOCIAL E PRAZO DE DURAÇÃO:

ESTATUTO SOCIAL DE CORRÊA RIBEIRO S/A COMÉRCIO E INDÚSTRIA CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO SOCIAL E PRAZO DE DURAÇÃO: ESTATUTO SOCIAL DE CORRÊA RIBEIRO S/A COMÉRCIO E INDÚSTRIA CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO SOCIAL E PRAZO DE DURAÇÃO: Denominação Artigo 1º - Corrêa Ribeiro S/A Comércio e Indústria é uma sociedade

Leia mais

Manual do Cooperado COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO DOS COLABORADORES DO GRUPO SAINT-GOBAIN A MELHOR SOLUÇÃO PARA OS SEUS PROBLEMAS

Manual do Cooperado COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO DOS COLABORADORES DO GRUPO SAINT-GOBAIN A MELHOR SOLUÇÃO PARA OS SEUS PROBLEMAS C re d i C o o p e r a t i v a de Ec o n om i a e C rédi t o Mút u o d o s C o l a b o r a d o re s d o G r u p o S a i n t- G o b a i n Ave n id a S a n t a M a r i n a, 443 Ág u a Br a n c a - São Pau

Leia mais

DELIBERAÇÃO PLENÁRIA N 20, DE 26 DE MAIO DE 2015.

DELIBERAÇÃO PLENÁRIA N 20, DE 26 DE MAIO DE 2015. DELIBERAÇÃO PLENÁRIA N 20, DE 26 DE MAIO DE 2015. Regulamenta a concessão de apoio institucional pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Goiás (CAU/GO), caracteriza as suas modalidades e dá outras

Leia mais

Exercício 2011. Relatório de prestação de contas

Exercício 2011. Relatório de prestação de contas Exercício Relatório de prestação de contas MENSAGEM DA DIRETORIA A Assembléia Geral da ONU declarou 2012 como o Ano Internacional das Cooperativas, destacando a contribuição das cooperativas para o desenvolvimento

Leia mais

VENHA CONHECER NOSSA NOVA UNIDADE DE ATENDIMENTO, NO SETOR BANCÁRIO NORTE

VENHA CONHECER NOSSA NOVA UNIDADE DE ATENDIMENTO, NO SETOR BANCÁRIO NORTE A B R I L / M A I O D E 2 0 1 0 A N O V - N ú m e r o 1 3 VENHA CONHECER NOSSA NOVA UNIDADE DE ATENDIMENTO, NO SETOR BANCÁRIO NORTE Leia Também: Nova unidade, no Setor Bancário Norte, é mais um passo na

Leia mais

O PAPEL DO CONTROLE EXTERNO

O PAPEL DO CONTROLE EXTERNO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE GESTÃO FINANCEIRA I CICLO DE APERFEIÇOAMENTO EM GESTÃO FINANCEIRA O PAPEL DO CONTROLE EXTERNO Prof. Ariel Lopes Torres E-mail: ariel@unemat.br CÁCERES

Leia mais

Educação Financeira. Crédito Consignado. Módulo 5: Serviços Bancários

Educação Financeira. Crédito Consignado. Módulo 5: Serviços Bancários Educação Financeira Crédito Consignado Módulo 5: Serviços Bancários Objetivo Conscientizar nossos clientes sobre os serviços bancários e as funções de cada funcionário O conteúdo deste material é baseado

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS EX-ALUNOS DA ESCOLA DE ENGENHARIA DE LORENA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO AEXAL-EEL/USP

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS EX-ALUNOS DA ESCOLA DE ENGENHARIA DE LORENA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO AEXAL-EEL/USP ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS EX-ALUNOS DA ESCOLA DE ENGENHARIA DE LORENA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO AEXAL-EEL/USP CAPÍTULO I Da Denominação, Sede e Finalidades Artigo 1º - A Associação dos Ex-Alunos da

Leia mais

Meu interesse está no futuro, pois é lá que vou passar o resto de minha vida C K

Meu interesse está no futuro, pois é lá que vou passar o resto de minha vida C K Meu interesse está no futuro, pois é lá que vou passar o resto de minha vida C K A principal função do OABPrev-SC é auxiliar o advogado a criar uma poupança previdenciária para dar suporte aos riscos

Leia mais

Estatuto da Empresa Júnior do Centro Universitário Salesiano de São Paulo, Campus São José

Estatuto da Empresa Júnior do Centro Universitário Salesiano de São Paulo, Campus São José Estatuto da Empresa Júnior do Centro Universitário Salesiano de São Paulo, Campus São José Capítulo 1. Denominação, Sede, Finalidade e Duração Artigo 1º A Empresa Júnior do Centro Universitário Salesiano

Leia mais

SINDICATO DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE PARANATINGA SISEMP SISEMP

SINDICATO DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE PARANATINGA SISEMP SISEMP SISEMP ESTATUTO ESTATUTO CAPÍTULO I Da denominação, constituição, sede e foro, natureza, jurisdição, duração e fins. Art. 1º - O Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Paranatinga MT - SISEMP,

Leia mais

Regime Interno da Diretoria da BM&FBOVESPA

Regime Interno da Diretoria da BM&FBOVESPA Regime Interno da Diretoria da BM&FBOVESPA REGIMENTO INTERNO DA DIRETORIA DA BM&FBOVESPA 1. Objeto O presente Regimento Interno ( Regimento ) tem o escopo de disciplinar o funcionamento do Diretoria da

Leia mais

Transparência SECRETARIA GERAL (SEGER)

Transparência SECRETARIA GERAL (SEGER) Transparência Indicadores utilizados pela entidade para monitorar e avaliar a gestão, acompanhar o alcance das metas, identificar os avanços prestados e as melhorias na quantidade dos serviços prestados,

Leia mais

ESTATUTO DA EMPRESA FAI JÚNIOR

ESTATUTO DA EMPRESA FAI JÚNIOR ESTATUTO DA EMPRESA FAI JÚNIOR Capitulo I - Denominação, Sede, Finalidade e Duração Artigo 1 - A associação civil tem com a denominação social: FAI JÚNIOR, e como o titulo do estabelecimento a expressão

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Prezado Cooperado, Em 2012 a economia brasileira apresentou forte desaceleração, tendo uma das mais baixas taxas de crescimento da América Latina, inferior até as pessimistas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 21/2007

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 21/2007 RESOLUÇÃO Nº 21/2007 O DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, CONSIDERANDO o que consta do Processo nº 25.154/2007-18 CENTRO DE EDUCAÇÃO (CE); CONSIDERANDO

Leia mais

Mensagem da Diretoria

Mensagem da Diretoria Sicoob Sul-Serrano Mensagem da Diretoria Mais uma vez, a força do trabalho cooperativo foi comprovada através do desempenho e resultados alcançados pelo Sicoob em 2013. Enquanto a economia brasileira se

Leia mais

PLANO SUPLEMENTAR. Material Explicativo Plano Suplementar 1

PLANO SUPLEMENTAR. Material Explicativo Plano Suplementar 1 PLANO SUPLEMENTAR Material Explicativo 1 Introdução A CitiPrevi oferece planos para o seu futuro! Recursos da Patrocinadora Plano Principal Benefício Definido Renda Vitalícia Programa Previdenciário CitiPrevi

Leia mais

Doar Faz Bem. Capa. Ações que reverberam. Manual de Doações. nazareuniluz.org.br. Nazaré Uniluz

Doar Faz Bem. Capa. Ações que reverberam. Manual de Doações. nazareuniluz.org.br. Nazaré Uniluz Capa Doar Faz Bem Ações que reverberam Manual de Doações www. - (11) 4597-7109 / 4597-7103 / 96473-2851 www. - (11) 4597-7109 / 4597-7103 / 96473-2851 Este Manual foi criado com o intuito de inspirar,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO. - Associação Brasileira de Energia Nuclear - (Aben)

REGIMENTO INTERNO. - Associação Brasileira de Energia Nuclear - (Aben) REGIMENTO INTERNO - Associação Brasileira de Energia Nuclear - (Aben) Este Regimento Interno, aprovado na Assembléia Geral Ordinária da Associação Brasileira de Energia Nuclear (ABEN), realizada em 29

Leia mais

Sistema Simulador de Negócios Unicred Central SC

Sistema Simulador de Negócios Unicred Central SC Sistema Simulador de Negócios Unicred Central SC Obtenha mais resultado de sua carteira! 1. Introdução Caros gerentes de agência, consultores e assistentes de negócios do Sistema Unicred de SC, vocês estão

Leia mais

Acordo de Acionistas. Corporativa da CPFL Energia S.A. Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A.

Acordo de Acionistas. Corporativa da CPFL Energia S.A. Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A. Acordo de Acionistas Diretrizes da CPFL de Energia Governança S.A. Corporativa da CPFL Energia S.A. Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A. 1 Sumário I Introdução 3 II Estrutura Corporativa

Leia mais

DIRETÓRIO ACADÊMICO FUNDAÇÃO EDUCACIONAL ALÉM PARAÍBA Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais Alves Fortes ESTATUTO

DIRETÓRIO ACADÊMICO FUNDAÇÃO EDUCACIONAL ALÉM PARAÍBA Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais Alves Fortes ESTATUTO ESTATUTO Capítulo I: Da Denominação Artigo 1º - O Diretório Acadêmico da, FACE ALFOR, é entidade máxima de representação dos estudantes dos cursos de Direito, Administração de Empresas e Engenharia Civil

Leia mais

CAPÍTULO I Das Organizações Sociais

CAPÍTULO I Das Organizações Sociais Dispõe sobre a qualificação de entidades como organizações sociais e dá outras providências O GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu promulgo a seguinte

Leia mais

O CORSAP - Consórcio Público de Manejo de Resíduos Sólidos e de Águas Pluviais

O CORSAP - Consórcio Público de Manejo de Resíduos Sólidos e de Águas Pluviais O CORSAP - Consórcio Público de Manejo de Resíduos Sólidos e de Águas Pluviais Eng. Marcos Montenegro Presidente da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental Seção DF CLÁUSULA 7ª. (Dos

Leia mais

Regimento Interno do Corpo Clínico do Hospital São Mateus.

Regimento Interno do Corpo Clínico do Hospital São Mateus. São Mateus. REGIMENTO INTERNO DO CORPO CLÍNICO HOSPITAL SÃO MATEUS LTDA [Digite EMISSÃO texto] Nº: 01 REVISÃO Nº: 02 DATA: 10/08/1998 DATA: 28/04/2011 Sumário Capitulo I : Das Definições e Objetivos do

Leia mais

ETEC Prof. Horácio Augusto da ESTATUTO DO GRÊMIO ESTUDANTIL DA ETEC HORÁCIO

ETEC Prof. Horácio Augusto da ESTATUTO DO GRÊMIO ESTUDANTIL DA ETEC HORÁCIO Page 1 of 10 ETEC Prof. Horácio Augusto da Silveira ESTATUTO DO GRÊMIO ESTUDANTIL DA ETEC HORÁCIO CÁPITULO I Da Denominação, Sede, Fins e Duração Art. 1º - O Grêmio Estudantil da Escola Técnica Estadual

Leia mais

AULA 10 Sociedade Anônima:

AULA 10 Sociedade Anônima: AULA 10 Sociedade Anônima: Conceito; características; nome empresarial; constituição; capital social; classificação. Capital aberto e capital fechado. Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e Bolsa de Valores.

Leia mais

Um software de gestão é realmente capaz de atender as necessidades de cada profissional? Saiba mais e usufrua de benefícios que tornarão sua empresa

Um software de gestão é realmente capaz de atender as necessidades de cada profissional? Saiba mais e usufrua de benefícios que tornarão sua empresa Um software de gestão é realmente capaz de atender as necessidades de cada profissional? Saiba mais e usufrua de benefícios que tornarão sua empresa mais ágil, com menos papel e mais resultados. 2 ÍNDICE

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembléias

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembléias Política de Exercício de Direito de Voto em Assembléias Julho/2010 ÍNDICE 1. OBJETIVO...3 2. ABRANGÊNCIA...3 3. PRINCÍPIOS GERAIS...3 4. MATÉRIAS RELEVANTES OBRIGATÓRIAS...3 5. DOS CASOS FACULTATIVOS...4

Leia mais

PROJETO TEMÁTICO Campanha de divulgação Do Programa de Responsabilidade Socioambiental do TJDFT VIVER DIREITO

PROJETO TEMÁTICO Campanha de divulgação Do Programa de Responsabilidade Socioambiental do TJDFT VIVER DIREITO PROJETO TEMÁTICO Campanha de divulgação Do Programa de Responsabilidade Socioambiental do TJDFT VIVER DIREITO OBJETIVO A campanha teve por objetivo implantar na Instituição a cultura da responsabilidade

Leia mais

ESTATUTO DA EMPRESA JÚNIOR DA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE PRAIA GRANDE

ESTATUTO DA EMPRESA JÚNIOR DA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE PRAIA GRANDE ESTATUTO DA EMPRESA JÚNIOR DA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE PRAIA GRANDE FATEC JÚNIOR PRAIA GRANDE CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE E DURAÇÃO. Artigo 1º - A Empresa Júnior dos alunos da Faculdade

Leia mais

CÁRITAS BRASILEIRA SECRETARIADO NACIONAL

CÁRITAS BRASILEIRA SECRETARIADO NACIONAL COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇOS N.º 007/2013 CONVÊNIO CÁRITAS BRASILEIRA E MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO E SECRETARIA NACIONAL DE ECONOMIA SOLIDARIA MTE/SENAES CONVÊNIO N.º 793007/2013 A Cáritas Brasileira

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS CAPÍTULO II DA FINALIDADE, VINCULAÇÃO E SEDE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS CAPÍTULO II DA FINALIDADE, VINCULAÇÃO E SEDE LEI N. 2.031, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2008 Institui o Serviço Social de Saúde do Acre, paraestatal de direito privado, na forma que especifica. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE seguinte Lei: FAÇO SABER que

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO E DURAÇÃO

ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO E DURAÇÃO ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO E DURAÇÃO DOC IV Art. 1º: SOCIALCRED S/A SOCIEDADE DE CRÉDITO AO MICROEMPREENDEDOR E À EMPRESA DE PEQUENO PORTE rege-se pelo presente estatuto social

Leia mais

Cooperativas de crédito Opções de associação para micro e pequenas empresas Vantagens e desvantagens com relação ao sistema bancário

Cooperativas de crédito Opções de associação para micro e pequenas empresas Vantagens e desvantagens com relação ao sistema bancário Cooperativas de crédito Opções de associação para micro e pequenas empresas Vantagens e desvantagens com relação ao sistema bancário 1- Opções de associação de empresas a cooperativas de crédito As pessoas

Leia mais

ENTENDENDO O PATRIMÔNIO LÍQUIDO

ENTENDENDO O PATRIMÔNIO LÍQUIDO ENTENDENDO O PATRIMÔNIO LÍQUIDO A interpretação introdutória ao estudo da riqueza patrimonial Anderson Souza 1 Na última quarta-feira (dia 14/03/2013), ao ministrar o conteúdo programático relativo ao

Leia mais

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana Gerência de Comunicação GCO tem por finalidade planejar, organizar, coordenar e controlar as atividades de comunicação e editoriais do Confea. Competências da GCO 1. Organizar e executar projetos editoriais:

Leia mais