Cooperativismo - Forma ideal de organização

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cooperativismo - Forma ideal de organização"

Transcrição

1 Cooperativismo - Forma ideal de organização Cooperativismo é modelo socioeconômico capaz de unir desenvolvimento econômico e bem-estar social. Seus referenciais fundamentais são: participação democrática, solidariedade, independência e autonomia. É o sistema fundamentado na reunião de pessoas e não no capital. Visa as necessidades do grupo e não do lucro. Busca prosperidade conjunta e não individual. Estas diferenças fazem do cooperativismo a alternativa socioeconômica que leva ao sucesso com equilíbrio e justiça entre os participantes. Associado a valores universais, o cooperativismo se desenvolve independentemente de território, língua, credo ou nacionalidade.

2 Cooperativismo Eficiente Sistema de Controle Como toda forma organizada de gestão, uma cooperativa tem por trás uma estrutura sólida e bem dividida. Cada pessoa interessada em participar de um empreendimento como este deve conhecer as formas adequadas de funcionamento, as determinações legais e todas as características que garantam a condução de ações, da maneira mais harmoniosa possível.

3 Cooperativismo Eficiente Sistema de Controle ASSOCIADOS ASSOCIADOS ASSEMBLEIA GERAL CONSELHO FISCAL ESTATUTO SOCIAL CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO PRESTAÇÃO DE CONTAS $ CAPITAL SOCIAL ESTRUTURA DA COPERATIVA

4 Princípios que Orientam o Cooperativismo Adesão voluntária e livre As cooperativas são organizações abertas à participação de todos, independentemente do sexo, raça, classe social, opção política ou religiosa. Gestão democrática As cooperativas são organizações democráticas, controladas pelos seus membros, que participam ativamente na formulação das suas políticas e na tomada de decisões. Os homens e as mulheres, eleitos como representantes dos demais membros, são responsáveis perante estes. Nas cooperativas de primeiro grau os membros têm igual direito de voto (um membro, um voto); as cooperativas de grau superior são também organizadas de maneira democrática.

5 Princípios que Orientam o Cooperativismo Participação econômica dos membros Os membros contribuem equitativamente para o capital das suas cooperativas e controlam-no democraticamente. Parte desse capital é, normalmente, propriedade comum da cooperativa. Os membros recebem, habitualmente, se houver, uma remuneração limitada ao capital integralizado, como condição de sua adesão. Autonomia e Independência As cooperativas são organizações autônomas, de ajuda mútua, controladas pelos seus membros. Se firmarem acordos com outras organizações, incluindo instituições públicas, ou recorrerem a capital externo, devem fazê-lo em condições que assegurem o controle democrático pelos seus membros e mantenham a autonomia da cooperativa.

6 Princípios que Orientam o Cooperativismo Educação, Formação e Informação as cooperativas promovem a educação e a formação dos seus membros, dos representantes eleitos e dos trabalhadores, de forma que estes possam contribuir, eficazmente, para o desenvolvimento das suas cooperativas. Informam o público em geral, particularmente os jovens e os líderes de opinião, sobre a natureza e as vantagens da cooperação. Intercooperação Interesse pela Comunidade As cooperativas servem de forma mais eficaz aos seus membros e dão mais - força ao movimento cooperativo, trabalhando em conjunto, através das estruturas locais, regionais, nacionais e internacionais.. As cooperativas trabalham para o desenvolvimento sustentado das suas comunidades através de políticas aprovadas pelos membros..

7 Tudo o que uma instituição financeira tem e com a proximidade que uma cooperativa oferece. Esse é o Jeito Unicred de Ser!

8 Junte-se a nós Somos uma instituição financeira cooperativa, regulamentada e fiscalizada pelo Banco Central do Brasil, que tem como principal objetivo a saúde financeira e o bem-estar dos cooperados, com relacionamento próximo e assessoria adequada a cada perfil. Integrante do Sistema Unicred, a Unicred Central SP reúne, atualmente, 11 Cooperativas Singulares no Estado de São Paulo, com mais de 37 mil cooperados ativos, 65 pontos de atendimento e 500 colaboradores para atender e construir o melhor para você. E tudo isso com a força da marca Unicred, presente em topo o território nacional com cerca de 200 mil associados. Na Unicred, o cooperado tem à sua disposição equipes especializadas em consultoria financeira, prontas para identificar e propor alternativas para a gestão dos seus recursos, oferecendo produtos e serviços que realmente atendam às suas necessidades, nos diversos momentos da vida. Nossos gerentes são certificados pela ANBIMA e recebem treinamentos constantes, para poder levar a você as melhores orientações, com foco no consumo consciente e saúde financeira.

9 SISTEMA UNICRED

10 SISTEMA UNICRED SP O Sistema Unicred do Estado de São Paulo é composto por uma Central e 11 Cooperativas: Unicred Anhanguera Unicred Bandeirante Unicred Campinas Unicred Centro Paulista Unicred Guarulhos Unicred Mantiqueira Unicred Metropolitana Unicred Norte Paulista Unicred Rio Claro Unicred Sudeste Paulista Unicred Vale do Paraiba

11 Produtos de banco com benefícios de cooperativa

12 Círculo virtuoso de instituição financeira cooperativa

13

14 Diferenciais Que só os donos do negócio têm: Principais Benefícios Na Unicred você é o dono do negócio; A Unicred trabalha para incentivar o desenvolvimento dos seus cooperados, como donos do negócio e usuários dos produtos e serviços. Aqui, você tem participação nos resultados, por meio de retorno das sobras proporcionais às suas operações realizadas. Além disso, pode participar das assembleias, opinando e votando nas decisões. Ao final do exercício, o cooperado tem participação nas sobras; Quanto maior for a sua movimentação bancária, maior o resultado que você receberá; IOF Imposto sobre Operações Financeiras diário zero; Melhores taxas de juros nas linhas de crédito e investimentos; Atendimento personalizado; Consultoria financeira. Além disso, você pode participar das assembleias, opinando e votando nas decisões.

15 Para Você Agendamento de pagamentos futuros Antecipação de produção Câmbio (papel moeda, cartão pré-pago) Cartão de crédito e débito Cheque administrativo Cheque Especial Cobrança Bancária Consignado Consórcio Conta Corrente (depósitos, saques, pagamentos, aplicações, cobrança, empréstimos e financiamentos) Crédito Pessoal Custódias de cheques Débito Automático Depósito Identificado Descontos (cheques, cobrança e recebíveis) Domicílio Bancário Financiamentos veículos, equipamentos e imóvel Investimentos Malotes Previdência Seguros: automóvel, patrimonial, prestamista, vida e Renda temporária (SERIT) Serviço de Courier Talão de Cheques

16 Para Sua Empresa Agendamento de pagamentos futuros Antecipação de produção Câmbio (papel moeda, cartão pré-pago) Capital de Giro Cartão de crédito e débito Cheque administrativo Cheque Especial PJ Cobrança Bancária Consórcio Conta Corrente (depósitos, saques, pagamentos, aplicações, cobrança, empréstimos e financiamentos) Conta Garantida Custódias de cheques Débito Automático Depósito Identificado Descontos (cheques, cobrança e recebíveis) Domicílio Bancário Financiamentos veículos, equipamentos e imóvel Investimentos Malotes Seguros: automóvel, patrimonial e vida Serviço de Courier Talão de cheques

17 Canais de Atendimento Internet Banking para consultas e operações Caixas eletrônicos - autoatendimento, Banco24Horas e Rede Cirrus (Internacional) Tele saldo Ouvidoria Para facilitar o seu dia a dia.

18 Participação No Sistema Unicred SP, somos mais de 43 mil ASSOCIADOS participando do Compromisso Cooperativista. 12% 6% 7% 15%

19 Solidez Com a participação de todos o ATIVO TOTAL ultrapassa mais de R$ 1,5 bilhão Em Milhões 19% 12% 21% 28%

20 Fomento Mais de R$ 849 milhões em OPERAÇÕES DE CRÉDITO, promovendo o desenvolvimento econômico do associado e da sociedade onde atua. Em Milhões 26% 8% 25% 20%

21 Profissionalismo na concessão do crédito As concessões de crédito são realizadas em conformidade com nossa Política de Crédito, garantindo níveis adequados de INADIMPLÊNCIA em relação ao Volume Emprestado.

22 Cooperação Integralização de CAPITAL de mais de R$ 201 milhões, em busca de um sonho comum. Em Milhões 13% 22% 17% 17%

23 Confiança Gestão de mais de R$ 1 bilhão de DEPÓSITOS TOTAIS Em Milhões 20% 29% 15% 18%

24 Representatividade Em 2013, o Sistema Unicred SP distribuiu mais de R$ 35 milhões em Sobras aos seus Associados, em jul/14 esta marca já atinge R$ 25 milhões sendo 72% do Ano Anterior. Em Milhões 46% -11% 5% 72% Atingido do Ano Anterior Queda do Spread das Operações do Mercado

25 Faça parte de uma instituição financeira cooperativa sólida, segura, de gestão participativa e transparente. Experimente um conceito inovador de sofisticação e personalização de serviços.

26 OBRIGADO!

ORIENTAÇÃO PARA CONSTITUIÇÃO DE COOPERATIVAS

ORIENTAÇÃO PARA CONSTITUIÇÃO DE COOPERATIVAS ORIENTAÇÃO PARA CONSTITUIÇÃO DE COOPERATIVAS 1. BREVE HISTÓRICO O cooperativismo objetiva difundir os ideais em que se baseia, para atingir o pleno desenvolvimento financeiro, econômico e social de todas

Leia mais

BEM-VINDO AO SICOOB. A maior instituição financeira cooperativa do país. www.sicoob.com.br

BEM-VINDO AO SICOOB. A maior instituição financeira cooperativa do país. www.sicoob.com.br BEM-VINDO AO SICOOB. A maior instituição financeira cooperativa do país. www.sicoob.com.br Parabéns! Agora você faz parte de uma cooperativa Sicoob e conta com todos os produtos e serviços de um banco,

Leia mais

Foto: istockphoto.com/propagcomunica. Aqui você é dono

Foto: istockphoto.com/propagcomunica. Aqui você é dono Foto: istockphoto.com/propagcomunica Aqui você é dono A UNICRED/ASACRED tem como seus pilares dois importantes institutos: o cooperativismo, que vem promover a gestão participativa, equitativa e igualitária,

Leia mais

Cooperativismo. Cooperativa de Crédito Mútuo dos Empregados da INFRAERO

Cooperativismo. Cooperativa de Crédito Mútuo dos Empregados da INFRAERO Cooperativismo Cooperativa de Crédito Mútuo dos Empregados da INFRAERO GESTÃO: Samuel José dos Santos Diretor Presidente Marco Antonio da C.Guimarães - Diretor Operacional João Gonçalves dos Santos Diretor

Leia mais

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEGMENTOS DE ASSOCIADOS

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEGMENTOS DE ASSOCIADOS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEGMENTOS DE ASSOCIADOS Joel Queiroz 1 COOPERATIVAS DE CRÉDITO INSTRUMENTO DE ORGANIZAÇÃO ECONÔMICA Associação voluntária de pessoas para satisfação de necessidades econômicas,

Leia mais

O cooperativismo de crédito e você

O cooperativismo de crédito e você O cooperativismo de crédito e você A Cooperativa de Crédito é uma instituição financeira sem fins lucrativos de propriedade dos associados, controlada de forma democrática por seus membros, e tem o propósito

Leia mais

Manual do Cooperado COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO DOS COLABORADORES DO GRUPO SAINT-GOBAIN A MELHOR SOLUÇÃO PARA OS SEUS PROBLEMAS

Manual do Cooperado COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO DOS COLABORADORES DO GRUPO SAINT-GOBAIN A MELHOR SOLUÇÃO PARA OS SEUS PROBLEMAS C re d i C o o p e r a t i v a de Ec o n om i a e C rédi t o Mút u o d o s C o l a b o r a d o re s d o G r u p o S a i n t- G o b a i n Ave n id a S a n t a M a r i n a, 443 Ág u a Br a n c a - São Pau

Leia mais

Soluções. para sua Empresa

Soluções. para sua Empresa Atendimento Outras Soluções Investimentos Soluções para Parceiros e Empregados Soluções para sua Empresa Linhas de Crédito Seguros e Cartões Soluções em Recebimentos Soluções em Pagamentos Soluções sob

Leia mais

Cooperativas de crédito Opções de associação para micro e pequenas empresas Vantagens e desvantagens com relação ao sistema bancário

Cooperativas de crédito Opções de associação para micro e pequenas empresas Vantagens e desvantagens com relação ao sistema bancário Cooperativas de crédito Opções de associação para micro e pequenas empresas Vantagens e desvantagens com relação ao sistema bancário 1- Opções de associação de empresas a cooperativas de crédito As pessoas

Leia mais

CANAL DE ENTREGA SIGLA DO EXTRATO VALOR. Isento Cartão de Débito 2.1.1 Fornecimento de

CANAL DE ENTREGA SIGLA DO EXTRATO VALOR. Isento Cartão de Débito 2.1.1 Fornecimento de RESOLUÇÃO SICOOB CGCRED 039 Institui as taxas e tarifas praticadas para os produtos e serviços. O Conselho de Administração da Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Empresários de Campina Grande

Leia mais

Cooperativismo. Cooperativa de Crédito. Apoio

Cooperativismo. Cooperativa de Crédito. Apoio Cooperativismo Cooperativa de Crédito Apoio O que é uma cooperativa. É uma sociedade de pessoas com forma e natureza jurídica própria, de natureza civil, sem fins lucrativos, não sujeita à falência, constituída

Leia mais

Seja sócio dessa ideia. Filiada a

Seja sócio dessa ideia. Filiada a Seja sócio dessa ideia. Filiada a COMPARE... E VEJA A DIFERENÇA BANCO Você é um Cliente Precisa de resultado Os lucros vão para o banqueiro ou acionistas Antes do ajudar, vem a questão do retorno Taxas

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Política de Sustentabilidade Sul Mineira 1 Índice Política de Sustentabilidade Unimed Sul Mineira Mas o que é Responsabilidade Social? Premissas Básicas Objetivos da Unimed Sul Mineira Para a Saúde Ambiental

Leia mais

O QUE SÃO COOPERATIVAS DE CRÉDITO PERFIL INSTITUCIONAL DESEMPENHO ECONÔMICO SOLUÇÕES FINANCEIRAS SUSTENTABILIDADE

O QUE SÃO COOPERATIVAS DE CRÉDITO PERFIL INSTITUCIONAL DESEMPENHO ECONÔMICO SOLUÇÕES FINANCEIRAS SUSTENTABILIDADE O QUE SÃO COOPERATIVAS DE CRÉDITO PERFIL INSTITUCIONAL DESEMPENHO ECONÔMICO SOLUÇÕES FINANCEIRAS SUSTENTABILIDADE AGENTES DA PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL DAS COMUNIDADES ONDE ATUAM Principais

Leia mais

Sistema Simulador de Negócios Unicred Central SC

Sistema Simulador de Negócios Unicred Central SC Sistema Simulador de Negócios Unicred Central SC Obtenha mais resultado de sua carteira! 1. Introdução Caros gerentes de agência, consultores e assistentes de negócios do Sistema Unicred de SC, vocês estão

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 002/2015

RESOLUÇÃO N. 002/2015 RESOLUÇÃO N. 002/2015 Atualiza a Resolução 005/2014 em seu artigo 3º (Taxa de juros do Consignado Estadual e renovação garantias I e II) de acordo com as condições e garantias oferecidas pelo sócio, inalteradas

Leia mais

Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 VOCÊ SABE COMO FUNCIONA UMA COOPERATIVA DE CRÉDITO?... 3 3 COOPERATIVISMO... 3 4 COOPERATIVA DE CRÉDITO...

Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 VOCÊ SABE COMO FUNCIONA UMA COOPERATIVA DE CRÉDITO?... 3 3 COOPERATIVISMO... 3 4 COOPERATIVA DE CRÉDITO... Manual do Cooperado Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 VOCÊ SABE COMO FUNCIONA UMA COOPERATIVA DE CRÉDITO?... 3 3 COOPERATIVISMO... 3 4 COOPERATIVA DE CRÉDITO... 3 5 COOPERHIDRO... 3 6 RECONHECIMENTO PARA FUNCIONAMENTO...

Leia mais

Empréstimo. Pagamento em até 30 meses; Sem taxa de abertura de crédito; Parcelas debitadas em conta; Limites analisados pela renda.

Empréstimo. Pagamento em até 30 meses; Sem taxa de abertura de crédito; Parcelas debitadas em conta; Limites analisados pela renda. Produtos Conta Corrente Com isenção de tarifas de manutenção, dez folhas cheques, quatro extratos mensais, emissão de extratos on-line, tarifas reduzidas, só na Credlíder. Conta Poupança A Poupança Credlider

Leia mais

ASSOCIATIVISMO. Fonte: Educação Sebrae

ASSOCIATIVISMO. Fonte: Educação Sebrae ASSOCIATIVISMO Fonte: Educação Sebrae O IMPORTANTE É COOPERAR A cooperação entre as pessoas pode gerar trabalho, dinheiro e desenvolvimento para toda uma comunidade COOPERAR OU COMPETIR? Cooperar e competir

Leia mais

Sicoob Credicampo. Benefícios para sua empresa, desen

Sicoob Credicampo. Benefícios para sua empresa, desen Sicoob Credicampo. Benefícios para sua empresa, desen desenvolvimento reg para nossa região. Credicampo Credicampo o Sicoob Credicampo é comprometido com o desenvolvimento dos seus associados. O Sicoob

Leia mais

O COOPERATIVISMO E O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

O COOPERATIVISMO E O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO O COOPERATIVISMO E O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO BRASIL Grandeza 5ª Maior População do planeta Maior reserva de água doce do mundo 7ª Economia do mundo Maior área agricultável do planeta Fonte: Banco mundial

Leia mais

Produtos e Serviços para Associados. Pessoas Jurídicas

Produtos e Serviços para Associados. Pessoas Jurídicas Produtos e Serviços para Associados Pessoas Jurídicas O Sicoob Divicred entende o que seu associado precisa. Por isso, oferece soluções ágeis e modernas para otimizar suas operações bancárias e proteger

Leia mais

Apresentação Bradesco

Apresentação Bradesco Apresentação Bradesco 1 Perspectivas Econômicas 2013 Bradesco 2014 * Consenso do Mercado ** 2015 * 2014 2015 PIB 2,50% 0,50% 1,50% 0,29% 1,01% Juros(SelicFinal) 10,00% 11,00% 11,00% 11,00% 11,38% Inflação(IPCA)

Leia mais

Cliente Nossa Caixa, o Banco do Brasil tem orgulho de receber você e sua empresa.

Cliente Nossa Caixa, o Banco do Brasil tem orgulho de receber você e sua empresa. Cliente Nossa Caixa, o Banco do Brasil tem orgulho de receber você e sua empresa. Conheça os benefícios do novo banco da sua empresa. Banco do Brasil. É de São Paulo. É do Brasil. É Todo Seu. Índice 2

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Banco Cooperativo Sicredi S.A. Versão: Julho/2015 Página 1 de 1 1 INTRODUÇÃO O Sicredi é um sistema de crédito cooperativo que valoriza a

Leia mais

Produtos e Serviços para Associados. Pessoas Físicas

Produtos e Serviços para Associados. Pessoas Físicas Produtos e Serviços para Associados Pessoas Físicas O Sicoob Divicred entende o que seu associado precisa. Por isso, oferece soluções ágeis e modernas para otimizar suas operações bancárias e proteger

Leia mais

Cliente Nossa Caixa, o Banco do Brasil tem orgulho de receber você.

Cliente Nossa Caixa, o Banco do Brasil tem orgulho de receber você. Cliente Nossa Caixa, o Banco do Brasil tem orgulho de receber você. Conheça os benefícios e novidades do seu novo banco. Banco do Brasil. É de São Paulo. É do Brasil. É Todo Seu. Índice Introdução...3

Leia mais

TARIFAS BANCÁRIAS VOCÊ VALORIZA CADA CENTAVO DO SEU DINHEIRO. E A CAIXA TAMBÉM.

TARIFAS BANCÁRIAS VOCÊ VALORIZA CADA CENTAVO DO SEU DINHEIRO. E A CAIXA TAMBÉM. TARIFAS BANCÁRIAS VOCÊ VALORIZA CADA CENTAVO DO SEU DINHEIRO. E A CAIXA TAMBÉM. Por norma do Conselho Monetário Nacional (CMN), foram padronizados os Serviços Prioritários e os serviços isentos para Pessoa

Leia mais

Guia Prático para você. O Besc é Banco do Brasil. Veja a diferença que isso faz no seu dia-a-dia.

Guia Prático para você. O Besc é Banco do Brasil. Veja a diferença que isso faz no seu dia-a-dia. Guia Prático para você. O Besc é Banco do Brasil. Veja a diferença que isso faz no seu dia-a-dia. guia_pf.indd 1 3/24/09 10:53:08 AM Índice Introdução...02 Relacionamento com o Banco do Brasil...03 Conta

Leia mais

Com mais de 140 anos de tradição é uma das maiores organizações de serviços bancários e financeiros do mundo.

Com mais de 140 anos de tradição é uma das maiores organizações de serviços bancários e financeiros do mundo. Com mais de 140 anos de tradição é uma das maiores organizações de serviços bancários e financeiros do mundo. Com uma ampla gama de negócios na; Europa, Ásia-Pacífico, Américas, Oriente Médio e África.

Leia mais

OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO BRASIL 30 de julho de 2015

OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO BRASIL 30 de julho de 2015 OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO BRASIL 30 de julho de 2015 (dados junho de 2015) A SPE não é a fonte primária das informações disponibilizadas nesta apresentação. A SPE apenas consolida e organiza as informações

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO E DURAÇÃO

ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO E DURAÇÃO ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO E DURAÇÃO DOC IV Art. 1º: SOCIALCRED S/A SOCIEDADE DE CRÉDITO AO MICROEMPREENDEDOR E À EMPRESA DE PEQUENO PORTE rege-se pelo presente estatuto social

Leia mais

PRODUTOS E SERVIÇOS CARTÕES BRADESCO

PRODUTOS E SERVIÇOS CARTÕES BRADESCO L2 6 PRODUTOS E SERVIÇOS CARTÕES BRADESCO Em março, o Bradesco firmou parceria com a American Express Company, pela qual assumiu suas operações de cartões de crédito e atividades correlatas no Brasil,

Leia mais

e renda Superintendência Nacional Estratégia Competitividade das MPE Associação e a cooperação Micro e Pequeno Empreendedorismo

e renda Superintendência Nacional Estratégia Competitividade das MPE Associação e a cooperação Micro e Pequeno Empreendedorismo e renda Superintendência Nacional Estratégia Competitividade das MPE Micro e Pequeno Empreendedorismo e renda Superintendência Nacional Estratégia Competitividade das MPE Micro e Pequeno Empreendedorismo

Leia mais

Guia de facilidades Bradesco Prime

Guia de facilidades Bradesco Prime Este material foi impresso em papel certificado FSC. Marketing 7778 out/14 Guia de facilidades Bradesco Prime No Bradesco Prime, você é prioridade sempre. Contar com a presença do Bradesco Prime em 100%

Leia mais

1.6.5 Extrato Movimento (E) 1,00. Não disponível Conforme Tabela Bancoob Conforme Tabela Bancoob Conforme Tabela Bancoob Conforme Tabela Bancoob

1.6.5 Extrato Movimento (E) 1,00. Não disponível Conforme Tabela Bancoob Conforme Tabela Bancoob Conforme Tabela Bancoob Conforme Tabela Bancoob Página 2 de 11 RDE nº2013/005 SERVIÇOS PRESTADOS E TARIFAS - Pessoa Física Vigente a partir de 01/11/2013 Item Modalidade/Nomenclatura Fato Gerador R$ 1 CONTA DE DEPÓSITOS 1.1 Cadastro 1.1.1 Cadastro 1.1.2

Leia mais

Sicredi União PR e ACEJ: Uma parceria que coopera com o seu crescimento.

Sicredi União PR e ACEJ: Uma parceria que coopera com o seu crescimento. Sicredi União PR e ACEJ: Uma parceria que coopera com o seu crescimento. Parceria Sicredi e ACEJ O objetivo desta parceria é proporcionar redução de custo financeiro para os empresários de Jaguapitã através

Leia mais

Desejamos uma boa leitura!

Desejamos uma boa leitura! A Cartilha do Programa CAIXA APL tem como objetivo principal dar informações básicas sobre Educação Financeira para que você, empresário, possa compreender melhor alguns conceitos que facilitam o seu dia

Leia mais

Painel IV: Panorama do Crédito no Banco do Brasil. Ary Joel de Abreu Lanzarin Diretor de Micro e Pequenas Empresas

Painel IV: Panorama do Crédito no Banco do Brasil. Ary Joel de Abreu Lanzarin Diretor de Micro e Pequenas Empresas Painel IV: Panorama do Crédito no Banco do Brasil Ary Joel de Abreu Lanzarin Diretor de Micro e Pequenas Empresas As diretrizes estratégicas dão foco ao negócio Perspectivas Simplificar e agilizar a utilização

Leia mais

Linha de Crédito PME Crescimento 2015 - Respostas a questões das Instituições de Crédito - Versão v.1

Linha de Crédito PME Crescimento 2015 - Respostas a questões das Instituições de Crédito - Versão v.1 1. Condições a Observar pelas Empresas Beneficiárias Condições genéricas: 1.1. Localização (sede social) em território nacional; inclui Regiões Autónomas da Madeira e Açores, bem como Portugal Continental.

Leia mais

Valor Inovação Gestão de Negócios

Valor Inovação Gestão de Negócios Valor Inovação Gestão de Negócios Valor Inovação Definição de Negócios Assessorar o empresariado brasileiro para o desenvolvimento dos setores comercial, industrial e de serviços. Ser um agente eficiente

Leia mais

Tabela de Tarifas e Comissões Bancárias

Tabela de Tarifas e Comissões Bancárias SAC Credicana: (18) 3321-1700 Ouvidoria Credicana: 0800 940 9360 Banco Central: 0800 979 2345 Estes telefones destinam-se ao atendimento de denúncias ou reclamações Valores vigentes a partir de 02/01/2014.

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO SUBSECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO SUBSECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL INFORMAÇÕES ÚTEIS SOBRE CONSIGNADO EMPRÉSTIMO, CARTÃO DE CRÉDITO E/OU SERVIÇOS CONTRATADOS - ANO 2015. 1) O que é Margem Consignável? Resposta: É o dado que indica os limites estabelecidos por lei específica

Leia mais

ANOREG/BR ASSOCIAÇÃO DOS NOTÁRIOS E REGISTRADORES DO BRASIL

ANOREG/BR ASSOCIAÇÃO DOS NOTÁRIOS E REGISTRADORES DO BRASIL ANOREG/BR ASSOCIAÇÃO DOS NOTÁRIOS E REGISTRADORES DO BRASIL São Paulo, 16 de dezembro de 2010. A Associação dos Notários e Registradores do Brasil ANOREG BR At.: Sr. Rogério Portugal Bacellar Prezado Senhor,

Leia mais

SICOOB NORTE. Resultados

SICOOB NORTE. Resultados SICOOB NORTE Resultados 2014 MENSAGEM DA DIRETORIA O Sicoob Norte conseguiu ótimos resultados, numa clara demonstração da força do trabalho cooperativo, na busca por maior participação no mercado financeiro

Leia mais

COOPERATIVISMO SISTEMA UNICRED N/NE UNICRED JOÃO PESSOA

COOPERATIVISMO SISTEMA UNICRED N/NE UNICRED JOÃO PESSOA PRODUTOS E SERVIÇOS COOPERATIVISMO SISTEMA UNICRED N/NE UNICRED JOÃO PESSOA COO PERA TIVIS MO Origem Princípios Representatividade ORIGEM Cooperativas de Crédito no Mundo Países com Cooperativas de Crédito

Leia mais

COOPERATIVA DE CRÉDITO

COOPERATIVA DE CRÉDITO COOPERATIVISMO Baseia-se na união de pessoas onde cada membro deve contribuir com uma parcela ou quota parte, colaborando para a melhoria das condições econômicas e sociais de todos que fazem parte dessa

Leia mais

Painel II: Marco regulatório para inclusão financeira Mesa 3: Adequação de serviços financeiros e dos canais de acesso às necessidades da população

Painel II: Marco regulatório para inclusão financeira Mesa 3: Adequação de serviços financeiros e dos canais de acesso às necessidades da população Painel II: Marco regulatório para inclusão financeira Mesa 3: Adequação de serviços financeiros e dos canais de acesso às necessidades da população Agenda Missão do Banco Central do Brasil Inclusão Financeira

Leia mais

Considerando a necessidade de atender a Resolução 3.518 de 06 de dezembro de 2007 e a 3.919 de 25 de novembro de 2010.

Considerando a necessidade de atender a Resolução 3.518 de 06 de dezembro de 2007 e a 3.919 de 25 de novembro de 2010. Circular da Sicoob Autocred nº. 006 Regula as Taxas e Tarifas praticadas com os associados Considerando a necessidade de atender a Resolução 3.518 de 06 de dezembro de 2007 e a 3.919 de 25 de novembro

Leia mais

COOPERATIVA DE CRÉDITO

COOPERATIVA DE CRÉDITO 3 COOPERATIVISMO Baseia-se na união de pessoas onde cada membro deve contribuir com uma parcela ou quota parte, colaborando para a melhoria das condições econômicas e sociais de todos que fazem parte dessa

Leia mais

Linha de Crédito PME Crescimento 2015 - Respostas a questões das Instituições de Crédito - Versão v.1

Linha de Crédito PME Crescimento 2015 - Respostas a questões das Instituições de Crédito - Versão v.1 1. Condições a Observar pelas Empresas Beneficiárias Condições genéricas: 1.1. Localização (sede social) em território nacional; inclui Regiões Autónomas da Madeira e Açores, bem como Portugal Continental.

Leia mais

Conheça a Greencred. 10 anos de sucesso

Conheça a Greencred. 10 anos de sucesso Conheça a Greencred Conheça a Greencred A Greencred é uma Cooperativa de crédito que oferece serviços, produtos e facilidades para profissionais da área da saúde. As melhores opções para seus investimentos

Leia mais

Pacote de Serviços - Universitários

Pacote de Serviços - Universitários Pacote de Serviços - Universitários Confira abaixo a composição do Pacote de Serviços Universitários: Pacotes de Serviços 1, 2 e 3 Saques 4 10 12,60 Fornecimento de Folhas de 10 1,50-2 11,40 22,80 ou pessoal,

Leia mais

A Baixa Renda & O Crédito. (Oportunidades & Riscos)

A Baixa Renda & O Crédito. (Oportunidades & Riscos) A Baixa Renda & O Crédito (Oportunidades & Riscos) Mar / 2006 Histórico A TNS Interscience desenvolve regularmente Estudos Institucionais cujo objetivo é o de identificar tendências que estimulem o pensamento

Leia mais

Banco do Brasil - Cartilha de CDB CDB

Banco do Brasil - Cartilha de CDB CDB CDB O que é?... 2 Pré ou pós-fixado... 2 CDI... 3 Indicação... 3 Taxa de administração... 3 Segurança... 3 Modalidades de CDB... 4 Valor mínimo... 5 Rentabilidade... 4 Prazos... 5 Vencimento... 6 Final

Leia mais

Panorama do Mercado de Crédito

Panorama do Mercado de Crédito Panorama do Mercado de Crédito FEBRABAN Dezembro de 2011 Rubens Sardenberg Economista-chefe ÍNDICE I. Evolução do Crédito II. Pessoa Física III. Pessoa Jurídica IV. Inadimplência V. Spread VI. Projeções

Leia mais

A FORMALIZAÇÃO COMO TENDÊNCIA

A FORMALIZAÇÃO COMO TENDÊNCIA EVOLUÇÃO DO SEGMENTO DE PROMOÇÃO DE CRÉDITO: A FORMALIZAÇÃO COMO TENDÊNCIA Desenvolvendo Pessoas e Fortalecendo o Sistema Renato Martins Oliva Agenda O que é ABBC Missão e valores Bancos de pequena e média

Leia mais

SICOOB CREDIROCHAS. Resultados

SICOOB CREDIROCHAS. Resultados SICOOB CREDIROCHAS Resultados 2014 MENSAGEM DA DIRETORIA O Sicoob Credirochas conseguiu ótimos resultados numa clara demonstração da força do trabalho cooperativo, na busca por maior participação no mercado

Leia mais

Produtos e Serviços Revendedores e Transportadores LIQUIGÁS. Convênio. Banco do Brasil e Liquigás

Produtos e Serviços Revendedores e Transportadores LIQUIGÁS. Convênio. Banco do Brasil e Liquigás Produtos e Serviços Revendedores e Transportadores LIQUIGÁS Convênio Banco do Brasil e Liquigás 2 Senhores Revendedores e Transportadores, O convênio firmado com o Banco do Brasil propiciar aos Revendedores

Leia mais

2 Código de Ética e Conduta

2 Código de Ética e Conduta 2 Código de Ética e Conduta Apresentação O Código de Ética e Conduta Capal estabelece os valores, princípios e as diretrizes que orientam as decisões e o comportamento dos envolvidos com a Cooperativa,

Leia mais

FINANÇAS A B C D A R$ 24.000,00. B R$ 12.000,00. C R$ 2.000,00. D R$ 0,00.

FINANÇAS A B C D A R$ 24.000,00. B R$ 12.000,00. C R$ 2.000,00. D R$ 0,00. ESPE/Un SERE 2013 Nas questões a seguir, marque, para cada uma, a única opção correta, de acordo com o respectivo comando. Para as devidas marcações, use a Folha de Respostas, único documento válido para

Leia mais

Projeto: O Crédito & o Endividamento do Consumidor de Baixa Renda. (Oportunidades & Riscos)

Projeto: O Crédito & o Endividamento do Consumidor de Baixa Renda. (Oportunidades & Riscos) Projeto: O Crédito & o Endividamento do Consumidor de Baixa Renda (Oportunidades & Riscos) 1 Histórico A TNS Interscience desenvolve regularmente Estudos Institucionais cujo objetivo é o de identificar

Leia mais

Contas a Pagar e Contas a receber

Contas a Pagar e Contas a receber Treinamento Financeiro Contas a Pagar e Contas a receber Jéssica Rodrigues Pedro Amauri 1 Duplicatas O que são duplicatas? A duplicata mercantil ou simplesmente duplicata é uma espécie de título de crédito

Leia mais

Sistema Simulador de Negócios

Sistema Simulador de Negócios Sistema Simulador de Negócios Manual do Usuário Versão 1.4.1 INFORMAÇÕES Setor: Tipo de Documento: CTT Centro de Treinamento Tecnocred Manual de Sistema Última Revisão: 21/09/2012 Versão do Template: 1.0

Leia mais

Arranjos de Pagamento SEMARC 2014. Brasília, 4 de agosto de 2014

Arranjos de Pagamento SEMARC 2014. Brasília, 4 de agosto de 2014 Arranjos de Pagamento SEMARC 2014 Brasília, 4 de agosto de 2014 Sistema de Pagamentos de Varejo Linha do Tempo Projeto institucional de modernização de pagamentos de varejo Publicação do Diagnóstico do

Leia mais

PROGRAMA CAIXA APL. SERGIO NETTO AMANDIO GERENCIA NACIONAL DE APLICAÇÃO MPE Out/2009

PROGRAMA CAIXA APL. SERGIO NETTO AMANDIO GERENCIA NACIONAL DE APLICAÇÃO MPE Out/2009 PROGRAMA CAIXA APL SERGIO NETTO AMANDIO GERENCIA NACIONAL DE APLICAÇÃO MPE Out/2009 ATENDIMENTOS 436 milhões em Agências 921 milhões em terminais de Auto-Atendimento QUANTIDADE DE CLIENTES - EM MILHÕES

Leia mais

SICOOB - Contabilidade. Período: 01/08/2013 a 31/08/2013. Conta Cod. Red. Descrição da Conta Saldo Anterior Débitos Créditos Saldo Atual

SICOOB - Contabilidade. Período: 01/08/2013 a 31/08/2013. Conta Cod. Red. Descrição da Conta Saldo Anterior Débitos Créditos Saldo Atual 1.0.0.00.00-7 CIRCULANTE E REALIZÁVEL A LONGO PRAZO 58.764.189,56 169.901.510,67 169.746.419,72 58.919.280,51 1.1.0.00.00-6 DISPONIBILIDADES 469.845,67 62.841.447,38 62.796.662,79 514.630,26 1.1.1.00.00-9

Leia mais

Cooperativismo > História História do Cooperativismo

Cooperativismo > História História do Cooperativismo Cooperativismo > História História do Cooperativismo A origem do que hoje chamamos cooperativa tem data marcada: 21 de dezembro de 1844. Nesse dia, 27 tecelões e uma tecelã do bairro de Rochdale, em Manchester,

Leia mais

Encontro de Bancos Centrais de países de língua portuguesa

Encontro de Bancos Centrais de países de língua portuguesa Encontro de Bancos Centrais de países de língua portuguesa Antônio Gustavo Matos do Vale Diretor de Liquidações e Desestatização 4 de outubro de 2010 1 Evolução recente da economia brasileira O momento

Leia mais

MANUAL DO ASSOCIADO. Desde 1974 estimulando a poupança e ajudando a realizar sonhos!

MANUAL DO ASSOCIADO. Desde 1974 estimulando a poupança e ajudando a realizar sonhos! MANUAL DO ASSOCIADO Desde 1974 estimulando a poupança e ajudando a realizar sonhos! 2 Expediente COGEM - Cooperativa de Crédito Mútuo dos Empregados de Empresas Metalúrgicas do Estado de São Paulo Av.

Leia mais

SERVIÇOS DISPONÍVEIS NO BANRISUL OFFICE BANKING EXTRATOS

SERVIÇOS DISPONÍVEIS NO BANRISUL OFFICE BANKING EXTRATOS SERVIÇOS DISPONÍVEIS NO BANRISUL OFFICE BANKING EXTRATOS Através do serviço de extratos do Banrisul Office Banking, o correntista pode consultar e imprimir os movimentos em suas contas (correntes ou poupança),

Leia mais

Bancarização no Brasil

Bancarização no Brasil Bancarização no Brasil 18 de setembro de 2009 1 Bancarização Mensagem inicial O índice de bancarização no Brasil ainda é muito baixo, com grande potencial a ser explorado Felaban (Federação Latino-Americana

Leia mais

O que é o Mercado de Capitais. A importância do Mercado de Capitais para a Economia. A Estrutura do Mercado de Capitais Brasileiro

O que é o Mercado de Capitais. A importância do Mercado de Capitais para a Economia. A Estrutura do Mercado de Capitais Brasileiro 1 2 O que é o Mercado de Capitais A importância do Mercado de Capitais para a Economia A Estrutura do Mercado de Capitais Brasileiro O que é Conselho Monetário Nacional (CNM) O que é Banco Central (BC)

Leia mais

Tarifas Bancárias. Política de cobrança de tarifa praticada pelo BNY Mellon Banco S.A.

Tarifas Bancárias. Política de cobrança de tarifa praticada pelo BNY Mellon Banco S.A. Tarifas Bancárias O Conselho Monetário Nacional e o Banco Central do Brasil, através da Resolução 3.919 de 25/11/10, consolid as normas para cobrança de tarifas pela prestação de serviços por parte das

Leia mais

Santander Totta. Santander Totta. Especializado no Negócio de PME

Santander Totta. Santander Totta. Especializado no Negócio de PME Santander Totta Santander Totta Especializado no Negócio de PME O Banco Santander Totta está integrado num dos maiores Grupos Financeiros a nível Mundial. Distingue-se pela sua capacidade de oferecer as

Leia mais

Você tem várias razões para ser cooperado!

Você tem várias razões para ser cooperado! MANUAL DO COOPERADO Você tem várias razões para ser cooperado! Crédito Produtos e Serviços Aplicações Saúde Lazer Educação Assistências COOPMIL Crédito, investimentos, saúde, lazer, educação, assistências,

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO E DURAÇÃO

ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO E DURAÇÃO ESTATUTO SOCIAL DOC I CAPÍTULO I - DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO E DURAÇÃO Art. 1º: SOCIALCRED S/A SOCIEDADE DE CRÉDITO AO MICROEMPREENDEDOR E À EMPRESA DE PEQUENO PORTE rege-se pelo presente estatuto social

Leia mais

Entenda o Novo Sistema de Pagamentos Brasileiro O Novo SPB O que muda com o novo SPB Saiba o que não muda com o novo SPB Saiba mais

Entenda o Novo Sistema de Pagamentos Brasileiro O Novo SPB O que muda com o novo SPB Saiba o que não muda com o novo SPB Saiba mais * Informações de janeiro/2002 * Sumário Entenda o Novo Sistema de Pagamentos Brasileiro O Novo SPB Benefícios do Novo SPB O que é Porque mudar O que muda O que muda com o novo SPB Transferências só com

Leia mais

Plano de Vantagens Itaú Uniclass

Plano de Vantagens Itaú Uniclass Plano de Vantagens Itaú Uniclass Conheça o Plano de Vantagens Itaú Uniclass para correntistas. O Plano de Vantagens Itaú Uniclass oferece benefícios de acordo com o seu relacionamento com o banco e conforme

Leia mais

OS LUCROS E PREJUÍZOS NAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS INSERIDAS NO SISTEMA COOPERATIVISTA

OS LUCROS E PREJUÍZOS NAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS INSERIDAS NO SISTEMA COOPERATIVISTA OS LUCROS E PREJUÍZOS NAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS INSERIDAS NO SISTEMA COOPERATIVISTA Por: Vera Cristiane Costa Prezoto Introdução Diante do atual cenário de competitividade, as organizações buscam instrumentos

Leia mais

Padrão de Gestão e Transparência do Terceiro Setor

Padrão de Gestão e Transparência do Terceiro Setor O que é o Padrão de Gestão e Transparência O Padrão de Gestão e Transparência (PGT) é um conjunto de práticas e ações recomendadas para as organizações sem fins lucrativos brasileiras organizadas na forma

Leia mais

CONHEÇA NOSSA ESTRUTURA

CONHEÇA NOSSA ESTRUTURA CONHEÇA NOSSA ESTRUTURA COOPERSERV A nossa cooperativa A COOPERSERV é a cooperativa dos Funcionários Públicos Municipais. Um dos objetivos da instituição é despertar no associado o hábito de poupar. Ela

Leia mais

1.8. Cartões emitidos para pagamento de benefícios ou repasse de programas sociais devem ser considerados?

1.8. Cartões emitidos para pagamento de benefícios ou repasse de programas sociais devem ser considerados? PAGAMENTOS DE VAREJO E CANAIS DE ATENDIMENTO Perguntas freqüentes 1. Arquivo ESTATCRT.TXT Informações relativas aos cartões com função saque e e-money 1.1. Devo informar os saques efetuados sobre linhas

Leia mais

COOPERATIVISMO SISTEMA UNICRED CENTRAL N/NE UNICRED JOÃO PESSOA

COOPERATIVISMO SISTEMA UNICRED CENTRAL N/NE UNICRED JOÃO PESSOA produtos E serviços COOPERATIVISMO SISTEMA UNICRED CENTRAL N/NE UNICRED JOÃO PESSOA Coo pera tivis mo Origem Princípios Representatividade Origem Cooperativas de Crédito no Mundo Países com Cooperativas

Leia mais

Carta Internacional da Educação Física e do Esporte da UNESCO

Carta Internacional da Educação Física e do Esporte da UNESCO Carta Internacional da Educação Física e do Esporte da UNESCO 21 de novembro de 1978 SHS/2012/PI/H/1 Preâmbulo A Conferência Geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura,

Leia mais

1 - Estrutura do Sistema Financeiro Nacional: 2 - Sistema de Seguros Privados e Previdência Complementar:

1 - Estrutura do Sistema Financeiro Nacional: 2 - Sistema de Seguros Privados e Previdência Complementar: EDITAL 2012 1 - Estrutura do Sistema Financeiro Nacional: Conselho Monetário Nacional; Banco Central do Brasil; Comissão de Valores Mobiliários; Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional; bancos

Leia mais

Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro

Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro (com base na Nota do Banco Central do Brasil de 22-10-08) Edição de 27 de Outubro de 08 Crise não teve impacto significativo nas operações

Leia mais

Audiência Pública sobre Cartões de Pagamento. Câmara dos Deputados 08 de outubro de 2009

Audiência Pública sobre Cartões de Pagamento. Câmara dos Deputados 08 de outubro de 2009 Audiência Pública sobre Cartões de Pagamento Câmara dos Deputados 08 de outubro de 2009 Agenda Estrutura do Mercado de Cartões Principais Números da Indústria de Cartões no Brasil Situação Atual da Indústria

Leia mais

Cooperativas de crédito e seus impactos sociais

Cooperativas de crédito e seus impactos sociais Cooperativas de crédito e seus impactos sociais A estrutura do cooperativismo de crédito brasileiro Inseridas no meio econômico financeiro do país desde 1902, as cooperativas de crédito se apresentam com

Leia mais

UNIMED VALE DO SÃO FRANCISCO COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO LTDA Rua do Coliseu nº 123 Centro Petrolina-PE CEP 56.

UNIMED VALE DO SÃO FRANCISCO COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO LTDA Rua do Coliseu nº 123 Centro Petrolina-PE CEP 56. UNIMED VALE DO SÃO FRANCISCO COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO LTDA Rua do Coliseu nº 123 Centro Petrolina-PE CEP 56.302-390 CNPJ (MF) 40.853.020/0001-20 BALANÇO PATRIMONIAL EM 31.12.2007 Mutações Capital

Leia mais

Luiz Carlos Angelotti. Diretor Executivo Gerente e Diretor de Relações com Investidores

Luiz Carlos Angelotti. Diretor Executivo Gerente e Diretor de Relações com Investidores 59 Luiz Carlos Angelotti Diretor Executivo Gerente e Diretor de Relações com Investidores Estratégia de Atuação 60 60 Balanço Patrimonial Tecnologia vs Eficiência operacional Basileia Desempenho Financeiro

Leia mais

Art. 2º. Esta resolução entrará em vigor na data da sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Art. 2º. Esta resolução entrará em vigor na data da sua publicação, revogadas as disposições em contrário. RESOLUÇÃO SMF N.º 3 DE 19 DE AGOSTO DE 2004 Complementa normas de escrituração fiscal do ISQN para contribuintes que exerçam atividades bancárias e financeiras e dá outras providências. O SECRETÁRIO DE

Leia mais

PLANO FÁCIL. Valor da Mensalidade (R$) 22,20 24,00

PLANO FÁCIL. Valor da Mensalidade (R$) 22,20 24,00 (1) PLANO FÁCIL Serviços Quantidade Mensal de Transações Fácil 1 Fácil 2 (2) (3) (4) Cheques Cópia de Imagem 5 5 Cheque Depositado 300 300 Cheque Emitido (exceto Transferência Bancária TB/TBG) Disponível

Leia mais

BRB ANUNCIA RESULTADOS DO 2T15

BRB ANUNCIA RESULTADOS DO 2T15 BRB ANUNCIA RESULTADOS DO 2T15 Brasília, 26 de agosto de 2015 O BRB - Banco de Brasília S.A., sociedade de economia mista, cujo acionista majoritário é o Governo de Brasília, anuncia seus resultados do

Leia mais

Cooperativismo É a união de pessoas voltadas para um objetivo comum, sem fins lucrativos, por meio da cooperação e da ajuda mútua entre associados.

Cooperativismo É a união de pessoas voltadas para um objetivo comum, sem fins lucrativos, por meio da cooperação e da ajuda mútua entre associados. COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO DOS FUNCIONÁRIOS DAS EMPRESAS DE CERÂMICA CoopASPACER Cooperativismo É a união de pessoas voltadas para um objetivo comum, sem fins lucrativos, por meio da cooperação

Leia mais

Banco Santander (Brasil) S.A.

Banco Santander (Brasil) S.A. Banco Santander (Brasil) S.A. Resultados em BR GAAP 4T14 3 de Fevereiro de 2015 INFORMAÇÃO 2 Esta apresentação pode conter certas declarações prospectivas e informações relativas ao Banco Santander (Brasil)

Leia mais

Planejamento Financeiro

Planejamento Financeiro Planejamento Financeiro Geralmente quando um consultor é chamado a socorrer uma empresa, ele encontra, dentre outros, problemas estruturais, organizacionais, de recursos humanos. O problema mais comum

Leia mais

Educação Financeira e Consumo Consciente do Crédito. Leonel Andrade, Presidente Credicard Outubro de 2010

Educação Financeira e Consumo Consciente do Crédito. Leonel Andrade, Presidente Credicard Outubro de 2010 Educação Financeira e Consumo Consciente do Crédito Leonel Andrade, Presidente Credicard Outubro de 2010 Cenário Macro-Econômico 13,0 13,1 % DESEMPREGO 1.456 RENDA 10,9 11,2 10,8 10,7 10,1 8,7 9,0 7,5

Leia mais

Guia do uso consciente do crédito. Dicas e informações para você usar o crédito sem perder o sono.

Guia do uso consciente do crédito. Dicas e informações para você usar o crédito sem perder o sono. Guia do uso consciente do crédito Dicas e informações para você usar o crédito sem perder o sono. Afinal, o que é crédito? O crédito é o meio que permite a compra de mercadorias, serviços ou obtenção e

Leia mais

COOPERATIVA-ESCOLA DOS ALUNOS DA Etec ORLANDO QUAGLIATO

COOPERATIVA-ESCOLA DOS ALUNOS DA Etec ORLANDO QUAGLIATO COOPERATIVA-ESCOLA DOS ALUNOS DA Etec ORLANDO QUAGLIATO APRESENTAÇÃO A Cooperativa-escola dos alunos nasceu de projeto institucional, regido pela Deliberação CEETEPS Nº 17 de 14 de setembro de 1994, do

Leia mais