Palavras-chave: Matemática; Olimpíadas; PIBID. INTRODUÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Palavras-chave: Matemática; Olimpíadas; PIBID. INTRODUÇÃO"

Transcrição

1 OLIMPÍADAS DE MATEMÁTICA: AÇÕES ENTRE PIBID E EMEB JARDIM PARAÍSO Gessica Lisbôa 1 Michelly Trivilin de Morais 2 Rafael Camilo Custódio Arias 3 Roseli Adriana Blümke Feistel 4 1, 2, 3, 4 Universidade Federal de Mato Grosso/Sinop/MT 1, 2 Escola Municipal de Eucação Básica Jardim Paraíso/Sinop/MT 1, 2, 3 e 4 Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) O presente trabalho faz parte do Subprojeto Interdisciplinar em Ciências Naturais e Matemática do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID), em parceria com a Universidade Federal de Mato Grosso/Campus Universitário de Sinop/MT, que visa análise da participação de alunos em atividades matemáticas tendo como principal objetivo auxiliar os alunos classificados para as fases seguintes das Olimpíadas na qual a Escola Municipal de Educação Básica Jardim Paraíso (EMEB Jardim Paraíso) participa anualmente. Utilizando os resultados das avaliações da primeira fase da X Olimpíada de Matemática da UNEMAT/Campus de Sinop e 10ª OBMEP - Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas, foi realizada uma análise prévia das questões que apresentaram maior índice de erros e, com base nesses dados, será desenvolvido um trabalho de monitoria para melhoria do desempenho nas fases seguintes. Com a coleta de dados observamos que o índice de erros é decorrente da falta de compreensão, atenção e leitura das questões que envolvem principalmente os conteúdos de Geometria. A partir deste, realizaremos um trabalho de leitura e interpretação dos dados e, através dos projetos de monitoria e atividades direcionadas, daremos maior apoio aos educandos que possuem um maior grau de dificuldade nos conteúdos selecionados. Apesar deste trabalho ainda estar em fase de desenvolvimento, almejamos alcançar uma melhoria nos resultados e desempenho desses alunos tanto na realização das provas das Olimpíadas, quanto nas atividades curriculares realizadas dentro da instituição escolar e assim, refletir possíveis alterações necessárias no ensino de Matemática para os anos seguintes, com alunos do 5º ao 9º ano. Palavras-chave: Matemática; Olimpíadas; PIBID. INTRODUÇÃO O ensino dos conteúdos matemáticos vem sofrendo alterações nos últimos anos. De acordo com Pinheiro (2007), a maioria das pesquisas realizadas na área de Educação Matemática parte do princípio que esta disciplina pode dar sua contribuição à formação do cidadão ao desenvolver metodologias que enfatizem a construção de estratégias, a

2 2 comprovação de resultados, a criatividade e a autonomia individual adquirida na própria capacidade de enfrentar desafios. A pesquisa foi elaborada almejando um aprimoramento nos conteúdos matemáticos dos alunos da Escola Municipal de Educação Básica Jardim Paraíso (EMEB Jardim Paraíso), situada na cidade de Sinop/MT, classificados para as etapas posteriores à primeira fase da X Olimpíada de Matemática da Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) - Campus de Sinop e 10ª OBMEP (Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas). Além disso, proporcionar a convivência dos acadêmicos da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) - Campus Universitário de Sinop, participantes do Subprojeto Interdisciplinar em Ciências Naturais e Matemática do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID), no desenvolvimento de pequenos projetos de pesquisa e experiências práticas envolvendo alunos da EMEB Jardim Paraíso. A participação nas Olimpíadas de Matemática acima citadas consiste em uma competição através de resolução de problemas matemáticos, direcionada aos alunos do 5º ano ao 9º ano da EMEB Jardim Paraíso. Essas situações-problema exigem um raciocínio lógico dos alunos participantes, desta maneira torna-se necessário a mobilização de professores, monitores e alunos para um processo de ensinoaprendizagem mais significativo na disciplina de Matemática. A resolução de problemas requer o desenvolvimento de estratégias que, na maioria das vezes, se aplicam a inúmeras situações do cotidiano. Frente a isso, entendemos que é preciso formar cidadãos que saibam resolver de modo inteligente seus problemas independentemente da área em que atuam e para isso é necessário que a criança inicie a resolução de problemas interdisciplinares desde cedo. Uma alternativa para auxiliar nesse processo, é o incentivo da participação nas etapas das Olimpíadas não somente de alunos que se destacam na disciplina, mas também estimular os que apresentam um baixo desempenho a fim de desenvolver um espírito competitivo, bem como a criatividade na resolução de problemas de modo a evidenciar que a disciplina de Matemática não é uma Ciência pronta e acabada, mas uma construção contínua do conhecimento. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Pesquisadores atuais defendem que o indivíduo precisa se atualizar constantemente em relação às informações, às tecnologias e aos desafios cada vez

3 3 maiores e mais complexos que a sociedade moderna, de algum modo, tem apresentado e afetado o desenvolvimento cognitivo dos alunos. No âmbito dessas transformações, é imprescindível que se altere e se repense uma postura diferenciada com relação às práticas educativas em sala de aula, como a aula tradicional ou conteudista, de forma a discutir e buscar mudanças na maneira de trabalhar com a Olimpíada de Matemática. A formação continuada do professor, por sua vez, na perspectiva histórico-social toma como base a prática pedagógica e situa como finalidade dessa prática levar os alunos a dominarem os conhecimentos acumulados historicamente pela humanidade. Para conseguir que os alunos se apropriem do saber escolar de modo a se tornarem autônomos e críticos, o professor precisa estar ele próprio, apropriando-se desse saber e tornando-se cada vez mais autônomo e crítico (MAZZEU, 1998, p. 3). Os professores precisam ser mediadores do processo educativo e, acima de tudo, propiciar ao aluno o estímulo à curiosidade e à vontade de estudar e aprender a partir do que se busca ensinar e compreender melhor os conhecimentos adquiridos durante sua vida. É importante que os professores trabalhem com esta motivação, no sentido de preparar e tornar o aluno capaz de participar de uma Olimpíada de Matemática e de outros momentos importantes na vida escolar dos alunos. Outra questão relevante é a criatividade de ideias que os alunos possuem para desenvolver determinadas resoluções de atividades matemáticas e situações de raciocínio no cotidiano. A maioria deles já possui uma percepção de como chegar aos resultados, porém, alguns ainda apresentam dificuldades tornando necessário trabalhar a confiança para, então, alcançar o término da resolução do problema através da sua intuição, não confiando somente nos resultados apresentados pelo professor. O aluno não é apenas o indivíduo da aprendizagem, mas aquele que participa, colabora e contribui com seus colegas e professores, a partir de suas experiências, valores e conhecimentos. [...] O (...) pensamento da criança evolui em função do domínio dos meios sociais do pensamento, quer dizer, em função da linguagem (VYGOTSKY, 1993, p. 116). Esta é uma mediação entre o sujeito e o objeto do conhecimento [...] (FACCI, 2004, p. 68). A contribuição do professor no processo ensino-aprendizagem dos alunos é de suma importância uma vez que o professor é o mediador do saber, deixando de ser o dono do conhecimento e passando a aumentar a estratégia de soluções junto de seus alunos. No desenvolvimento de períodos críticos, com relação aos períodos estáveis, (...) passam ao primeiro plano os processos de extinção e

4 4 retirada, decomposição e desintegração de tudo que se havia formado na etapa anterior e caracterizava a criança de dita idade. A criança perde o que já tinha conseguido antes de adquirir algo novo (VYGOTSKY, 1996, p. 257). Ela perde os interesses que ultimamente ocupavam a maior parte de seu tempo [...] (FACCI, 2004, p. 74). A relação professor-aluno é essencial no desenvolvimento da aprendizagem. Quando o aluno compreende o assunto a ser resolvido, o professor sai da descrição de professor detentor do saber e passa a ser um parceiro na aprendizagem, fica mais compreensível e flui a troca de experiências entre ambos. Na visão de Vygotsky (1994), o desenvolvimento das funções cognitivas depende do meio externo, do meio social, sendo de fundamental importância para o ser humano por ser sua fonte de alimentação. Nesta perspectiva, a aprendizagem da criança é desenvolvida anterior à aprendizagem escolar, pois o encontro da criança com o mundo, desde seu nascimento, já implica em uma aprendizagem. Segundo Dante (2004) um dos objetivos do ensino da Matemática é fazer o aluno pensar produtivamente e, para isso, é preciso desfiá-lo, envolvê-lo e motivá-lo a se interessar pela resolução de situações-problema. Para resolver tais problemas é fundamental desenvolver no aluno a competência de criar um raciocínio lógico e fazer uso prático dos meios disponíveis para que ele possa apresentar recursos às questões que surgem no seu cotidiano. A Olimpíada de Matemática é um meio não só para a descoberta de talentos, mas também para divulgar a área do conhecimento matemático, em que as crianças desde cedo começam a se interessar, se organizar e participar de competições que estimulem um aprendizado menos burocrático, resolvendo problemas novos e desafiantes. Obtêm-se melhorias nos resultados de aprendizagem quando existe a conscientização nos alunos de que bons resultados são conseguidos com esforço e dedicação, bem como a valorização do pensamento criativo destes ajudando-os a fazer uso do mesmo em outras áreas do conhecimento, tornando assim, o ensino menos conteudista e bancário (FREIRE, 2005), onde se passa e se deposita uma quantidade enorme de conteúdo, sem se preocupar com o desenvolvimento intelectual, cultural e de raciocínio do aluno em sala ou fora dela.

5 5 METODOLOGIA Anualmente, a EMEB Jardim Paraíso participa das edições da Olimpíada de Matemática da UNEMAT - Campus de Sinop e da OBMEP as quais utilizam o método em que envolve situações-problema. A X Olimpíada de Matemática da UNEMAT - Campus de Sinop é aplicada em quatro níveis de acordo com o nível de aprendizagem dos alunos e distribuída em três fases. Na primeira fase foram inscritos todos os alunos matriculados na unidade escolar e que frequentam os níveis de competição, os mesmos resolvem a avaliação através de 8 a 10 questões todas de múltipla escolha. Para a segunda fase são classificados até 30% dos alunos inscritos, em cada nível, existindo uma nota de corte de 4,0 pontos. Nesta fase os alunos classificados já resolvem questões objetivas e algumas descritivas. E, para a terceira fase, as avaliações são todas com questões descritivas. A 10ª OBMEP é aplicada em três níveis de acordo com o nível de aprendizagem dos alunos e distribuída em duas fases. Na primeira fase também foram inscritos todos os alunos matriculados na EMEB Jardim Paraíso que frequentam os níveis de competição, os mesmos resolvem a avaliação composta por 20 questões, todas objetivas. Para a segunda fase são classificados 5% dos alunos inscritos em cada nível, onde a avaliação já trabalha com questões descritivas. Levando em consideração que a escola atende somente o público do Ensino Fundamental, a mesma não participa dos últimos níveis de cada Olimpíada que corresponde ao Ensino Médio. Após a aplicação das provas realizou-se uma análise prévia das questões que apresentaram maior índice de erros e, com base nesses dados, está sendo desenvolvido um trabalho de monitoria para a melhoria do desempenho nas fases seguintes, através de um banco de questões montado com base nos resultados das dificuldades diagnosticadas na realização das primeiras fases. O projeto de monitoria foi pensado e articulado por professores da EMEB Jardim Paraíso em parceria com alunos de graduação da UFMT Campus de Sinop que fazem parte do PIBID e que estão desenvolvendo atividades na escola. RESULTADOS A participação dos alunos da EMEB Jardim Paraiso nas primeiras fases das Olimpíadas foi elevada, uma vez que o percentual de alunos inscritos comparado com o de participantes na X Olimpíada de Matemática da UNEMAT Campus de Sinop foi:

6 6 Nível I (5º ano) de 87,1%, Nível II (6º ano e 7º ano) de 89,6% e Nível III (8º ano e 9º ano) de 92,5%. Com relação ao número de alunos inscritos para o número de alunos participantes na 10ª OBMEP verificou-se uma elevada taxa de desistência, ou seja, no Nível I (6º ano e 7º ano) passou para 14,4% e Nível II (8º ano e 9º ano) para 13,3%. Já, para a segunda fase da X Olimpíada de Matemática da UNEMAT Campus de Sinop, dos 21 classificados no Nível I compareceram 16 alunos, o que representou 76,2%; no Nível II dos 28 classificados compareceram somente 19 alunos, representando 67,9% e no Nível III dos 32 classificados compareceram 16 alunos, representando 50% de participação. No que se refere aos dados da segunda fase da 10ª OBMEP, em ambos os níveis, classificou-se 7 alunos cada, sendo que no Nível I compareceu para realizar a prova 3 alunos e no Nível II compareceu 2 alunos, motivo pelo evento acontecer, conforme regulamento, no dia de sábado que não caracteriza como letivo no calendário escolar. Para a terceira fase da X Olimpíada de Matemática da UNEMAT Campus de Sinop houve a classificação somente de uma aluna representante do Nível III, que realizou sua avaliação e aguarda resultados finais do evento, assim como os 5 alunos participantes da segunda fase da 10ª OBMEP. Em relação ao aproveitamento das questões foi possível somente a observação dos dados com alunos de 6º ano ao 9º ano, levando em consideração que as avaliações do 5º ano houve a devolução das provas aos alunos antes do levantamento geral. Para a X Olimpíada de Matemática da UNEMAT Campus de Sinop houve a resolução de 10 questões, onde 2 alunos no Nível II zeraram a avaliação e 1 aluno gabaritou todas questões, porém, a média final ficou de 3,36 questões e, no Nível III, 1 aluno zerou a avaliação e 1 aluno acertou as 10 questões existentes, fechando uma média final de 4,40 questões. Nas avaliações da OBMEP o gabarito é composto de 20 questões, onde no Nível I a média final em acertos ficou em 3,85 questões e, para o Nível II, a média final fechou em 4,70 questões/acertos. O aproveitamento na avaliação da Olimpíada Brasileira de Matemática ainda é baixo chegando a um percentual de 23,5%. Com esses dados, buscamos realizar atividades, como questões desafiadoras e de interpretação que possam contribuir para a elevação deste índice. Tendo em vista os dados até, então, apresentados e as ações realizadas, observamos que alguns avanços já foram alcançados, por exemplo, com a coleta de dados percebemos que o índice de erros na Olimpíada de Matemática da UNEMAT -

7 7 Campus de Sinop bem como da OBMEP é decorrente da falta de compreensão, atenção e leitura das questões que envolvem principalmente os conteúdos de Geometria. A partir da leitura e interpretação dos dados coletados desenvolvemos o projeto de monitoria e de atividades direcionadas com o intuito de dar um maior apoio aos educandos que possuem dificuldades nos conteúdos selecionados. Houve uma discussão individual e coletiva com os alunos classificados a respeito dos pontos falhos e de que forma poderíamos melhorar o aproveitamento e rendimento nas próximas fases e anos posteriores. Em razão de um período superior a um mês de greve que a rede municipal passou, acabou-se perdendo alguns alunos classificados por mudança de unidade educativa e no retorno das atividades tivemos um período inferior a uma semana para a aplicação da monitoria para a segunda fase da X Olimpíada de Matemática da UNEMAT - Campus de Sinop, o que acabou prejudicando um pouco os resultados na Olimpíada. As aulas de monitoria para as edições das Olimpíadas de Matemática não substitui os trabalhos curriculares de sala de aula, ministrados pela professora, mas é uma ferramenta complementar na motivação e na atribuição de novos significados nos conteúdos abordados nas avaliações. Podemos ainda salientar que esse trabalho contribuirá na formação de novos talentos na área de Matemática, destacando aqueles alunos que apresentam bom desempenho, mas também estimulando os que possuem um baixo aproveitamento de conteúdos desenvolvendo um espírito competitivo e criativo na resolução de problemas. CONSIDERAÇÕES FINAIS O presente trabalho é um relato de experiência, vivenciado durante um período de seis meses por um grupo formado por uma professora da área de Matemática da EMEB Jardim Paraíso, monitores (alunos de graduação da UFMT Campus de Sinop que desenvolvem atividades do PIBID) e alunos da escola classificados para as etapas subsequentes às primeiras fases das Olimpíadas que a EMEB Jardim Paraíso participa anualmente. O objetivo principal foi incentivar os alunos pela continuidade dos estudos e a participar das edições da Olimpíada de Matemática da UNEMAT - Campus de Sinop, assim como da OBMEP, eventos esses que trabalham o conteúdo matemático abrangendo a sua diversidade por meio de avaliações diferenciadas e que buscam o desafio na resolução.

8 8 A participação dos monitores (alunos de graduação da UFMT Campus de Sinop) é de grande importância no avanço das aulas extra sala, pois os alunos da escola percebem o monitor não na figura de professor e sim como um facilitador nos estudos, isto porque, o monitor não avalia constantemente este aluno na sala de aula, o que não ocorre com o professor regente que acompanha os desempenhos favoráveis ou desfavoráveis nos estudos e precisa avaliá-lo. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DANTE, L. R. Matemática: contexto e aplicações. São Paulo: Ática, FACCI, M. G. D. A periodização do desenvolvimento psicológico individual na perspectiva de Leontief, Elkonin e Vygotsky. Caderno CEDES, v. 24, n. 62, p , FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 46. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, MAZZEU, F. J. C. Uma proposta metodológica para a formação continuada de professores na perspectiva histórico-social. Caderno CEDES, v. 19, n. 44, Disponível em: Acesso em: 17 out OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA DAS ESCOLAS PÚBLICAS (OBMEP). Disponível em: Acesso em: 18 ago OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA DAS ESCOLAS PÚBLICAS (OBMEP). Banco de questões. Disponível em: Acesso em: 18 ago PINHEIRO, N. A. M. Formar cidadãos crítico-reflexivos: a contribuição da matemática. Semina: Ciências Sociais e Humanas, v. 28, n. 1, p , Disponível em: Acesso em: 30 out UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO (UNEMAT). Disponível em: Acesso em: 17 set VYGOTSKY, L. S. Obras escogidas. v. 2. Madrid: Visor, Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, Obras escogidas. v. 4. Madrid: Visor, 1996.

OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA DAS ESCOLAS PÚBLICAS (OBMEP): EXPERIÊNCIAS VIVENCIADAS A PARTIR DO PIBID UEPB MONTEIRO

OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA DAS ESCOLAS PÚBLICAS (OBMEP): EXPERIÊNCIAS VIVENCIADAS A PARTIR DO PIBID UEPB MONTEIRO OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA DAS ESCOLAS PÚBLICAS (OBMEP): EXPERIÊNCIAS VIVENCIADAS A PARTIR DO PIBID UEPB MONTEIRO Cícero Félix da Silva; Izailma Nunes de Lima; Ricardo Bandeira de Souza; Manoela

Leia mais

OLIMPÍADAS DE CIÊNCIAS EXATAS: UMA EXPERIÊNCIA COM ALUNOS DO ENSINO PÚBLICO E PRIVADO

OLIMPÍADAS DE CIÊNCIAS EXATAS: UMA EXPERIÊNCIA COM ALUNOS DO ENSINO PÚBLICO E PRIVADO ISSN 2177-9139 OLIMPÍADAS DE CIÊNCIAS EXATAS: UMA EXPERIÊNCIA COM ALUNOS DO ENSINO PÚBLICO E PRIVADO André Martins Alvarenga - andrealvarenga@unipampa.edu.br Andressa Sanches Teixeira - andressaexatas2013@gmail.com

Leia mais

PIBID OPORTUNIDADE ÚNICA PARA A FORMAÇÃO DO FUTURO EDUCADOR: JOGOS EM SALA DE AULA

PIBID OPORTUNIDADE ÚNICA PARA A FORMAÇÃO DO FUTURO EDUCADOR: JOGOS EM SALA DE AULA PIBID OPORTUNIDADE ÚNICA PARA A FORMAÇÃO DO FUTURO EDUCADOR: JOGOS EM SALA DE AULA Cristine Coelho SUSSMAN cristinec.sussmann@globo.com Débora de Jesus Bezerra debora.bezerra@metodista.br Maria de Fátima

Leia mais

O USO DO TANGRAM COMO QUEBRA-CABEÇA PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA SOBRE MULTIPLICAÇÃO DE POLINÔMIOS

O USO DO TANGRAM COMO QUEBRA-CABEÇA PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA SOBRE MULTIPLICAÇÃO DE POLINÔMIOS ISSN 2177-9139 O USO DO TANGRAM COMO QUEBRA-CABEÇA PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA SOBRE MULTIPLICAÇÃO DE POLINÔMIOS Morgana Fernandes da Silva 1 morganaf60@gmail.com Faculdades Integradas de Taquara,

Leia mais

A EXPLORAÇÃO DE SITUAÇÕES -PROBLEMA NA INTRODUÇÃO DO ESTUDO DE FRAÇÕES. GT 01 - Educação Matemática nos Anos Iniciais e Ensino Fundamental

A EXPLORAÇÃO DE SITUAÇÕES -PROBLEMA NA INTRODUÇÃO DO ESTUDO DE FRAÇÕES. GT 01 - Educação Matemática nos Anos Iniciais e Ensino Fundamental A EXPLORAÇÃO DE SITUAÇÕES -PROBLEMA NA INTRODUÇÃO DO ESTUDO DE FRAÇÕES GT 01 - Educação Matemática nos Anos Iniciais e Ensino Fundamental Adriele Monteiro Ravalha, URI/Santiago-RS, adrieleravalha@yahoo.com.br

Leia mais

AS TICs NA FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DE EDUCADORES

AS TICs NA FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DE EDUCADORES AS TICs NA FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DE EDUCADORES Morilo Aquino Delevati 1 Vanessa Lopes da Silva 2 Leandro Marcon Frigo 3 Resumo: A elaboração de oficinas está incorporada à formação inicial e continuada

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PIBID NA FORMAÇÃO DE FUTUROS PROFESSORES Vitor José Petry Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS vitor.petry@uffs.edu.

A IMPORTÂNCIA DO PIBID NA FORMAÇÃO DE FUTUROS PROFESSORES Vitor José Petry Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS vitor.petry@uffs.edu. ISSN 2316-7785 A IMPORTÂNCIA DO PIBID NA FORMAÇÃO DE FUTUROS PROFESSORES Vitor José Petry Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS vitor.petry@uffs.edu.br Resumo O artigo é resultado da análise de

Leia mais

Título: Nomes dos Autor: e-mail: Orientador: Introdução: Objetivo: Metodologia:

Título: Nomes dos Autor: e-mail: Orientador: Introdução: Objetivo: Metodologia: Título: As Olimpíadas de Matemática como Estímulo no Ensino Aprendizagem nas Escolas Públicas Nomes dos Autor: Cléber Soares Viana. e-mail: csoaresviana@bol.com.br Orientador: Sebastião Martins Siqueira

Leia mais

OS JOGOS MATEMÁTICOS: UM RECURSO QUE FAVORECE NO PROCESSO DE ENSINO - APRENDIZAGEM.

OS JOGOS MATEMÁTICOS: UM RECURSO QUE FAVORECE NO PROCESSO DE ENSINO - APRENDIZAGEM. OS JOGOS MATEMÁTICOS: UM RECURSO QUE FAVORECE NO PROCESSO DE ENSINO - APRENDIZAGEM. UCHÔA, Yasmim Figueiredo Graduanda de Pedagogia/ UEPB. Bolsista PIBID CABRAL, Isabel Cristina Gomes de Morais Graduanda

Leia mais

DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO BÁSICA: UM DIAGNÓSTICO REALIZADO PELO PIBID

DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO BÁSICA: UM DIAGNÓSTICO REALIZADO PELO PIBID ISSN 2316-7785 DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO BÁSICA: UM DIAGNÓSTICO REALIZADO PELO PIBID Charles Peixoto Mafalda Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões charles1995peixoto@hotmail.com

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA E MODELAGEM MATEMÁTICA: MUDANÇAS NA PRÁTICA PEDAGÓGICA E NO DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL RESUMO

FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA E MODELAGEM MATEMÁTICA: MUDANÇAS NA PRÁTICA PEDAGÓGICA E NO DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL RESUMO FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA E MODELAGEM MATEMÁTICA: MUDANÇAS NA PRÁTICA PEDAGÓGICA E NO DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL Edvard Luiz da Silva Filho, edvardluiz@folha.com.br - FMU, Brasil. RESUMO

Leia mais

RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS X METODOLOGIA DE ENSINO: COMO TRABALHAR A MATEMÁTICA A PARTIR DA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS?

RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS X METODOLOGIA DE ENSINO: COMO TRABALHAR A MATEMÁTICA A PARTIR DA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS? RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS X METODOLOGIA DE ENSINO: COMO TRABALHAR A MATEMÁTICA A PARTIR DA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS? Angelita de Souza Leite Universidade do Estado da Bahia angel_lita_4@hotmail.com Maria Cristina

Leia mais

LEITURA E ESCRITA: O LÚDICO NO ESPAÇO ESCOLAR

LEITURA E ESCRITA: O LÚDICO NO ESPAÇO ESCOLAR LEITURA E ESCRITA: O LÚDICO NO ESPAÇO ESCOLAR Katia Maria de Oliveira CUSTODIO, Ketulem Cristina Vieira ARANTES, Ducéria TARTUCI, Maria Marta Lopes FLORES. Ângela Aparecida DIAS Departamento de Educação,UFG

Leia mais

A inserção de jogos e tecnologias no ensino da matemática

A inserção de jogos e tecnologias no ensino da matemática A inserção de jogos e tecnologias no ensino da matemática Michel da Silva Machado e-mail: michel_nick25@hotmail.com Isaque Rodrigues e-mail: isaque.max@hotmail.com Márcia Marinho do Nascimento Mello e-mail:

Leia mais

EXPERIÊNCIAS DE LEITURA, ESCRITA E MÚSICA

EXPERIÊNCIAS DE LEITURA, ESCRITA E MÚSICA EXPERIÊNCIAS DE LEITURA, ESCRITA E MÚSICA Aline Mendes da SILVA, Marcilene Cardoso da SILVA, Reila Terezinha da Silva LUZ, Dulcéria TARTUCI, Maria Marta Lopes FLORES, Departamento de Educação UFG - Campus

Leia mais

Jogos e Aprendizagem Matemática: A utilização de jogos com alunos do 6º ano do Ensino Fundamental

Jogos e Aprendizagem Matemática: A utilização de jogos com alunos do 6º ano do Ensino Fundamental Jogos e Aprendizagem Matemática: A utilização de jogos com alunos do 6º ano do Ensino Fundamental Camila Schimite Molero e-mail: ca_schi@hotmail.com Italo Gonçalves da Silva e-mail: igsilva423@gmail.com

Leia mais

O olhar do professor das séries iniciais sobre o trabalho com situações problemas em sala de aula

O olhar do professor das séries iniciais sobre o trabalho com situações problemas em sala de aula O olhar do professor das séries iniciais sobre o trabalho com situações problemas em sala de aula INTRODUÇÃO Josiane Faxina Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Câmpus Bauru e-mail: josi_unesp@hotmail.com

Leia mais

SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL.

SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL. SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL. TayaraCrystina P. Benigno, UERN; tayara_bbg@hotmail.com Emerson Carlos da Silva, UERN; emersoncarlos90@hotmail.com

Leia mais

A MATEMÁTICA FINANCEIRA COMO AUXÍLIO À REFLEXÃO SOBRE A COMPRA DE BENS DE CONSUMO

A MATEMÁTICA FINANCEIRA COMO AUXÍLIO À REFLEXÃO SOBRE A COMPRA DE BENS DE CONSUMO A MATEMÁTICA FINANCEIRA COMO AUXÍLIO À REFLEXÃO SOBRE A COMPRA DE BENS DE CONSUMO GT 02 Educação Matemática no Ensino Médio e Ensino Superior Janete Jacinta Carrer Soppelsa UCS - jsopelsa@gmail.com Raquel

Leia mais

VOLEIBOL E SUA IMPORTÂNCIA PEDAGÓGICA NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA

VOLEIBOL E SUA IMPORTÂNCIA PEDAGÓGICA NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA 486 VOLEIBOL E SUA IMPORTÂNCIA PEDAGÓGICA NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA * Camila Tworkowski ** Luciano Leal Loureiro RESUMO O presente artigo procura relatar através de uma revisão de literatura a importância

Leia mais

ENSINANDO A MATEMÁTICA FINANCEIRA UTILIZANDO A PLANILHA EXCEL COMO FERRAMENTA TECNOLÓGICA

ENSINANDO A MATEMÁTICA FINANCEIRA UTILIZANDO A PLANILHA EXCEL COMO FERRAMENTA TECNOLÓGICA ENSINANDO A MATEMÁTICA FINANCEIRA UTILIZANDO A PLANILHA EXCEL COMO FERRAMENTA TECNOLÓGICA Raimundo João dos Santos Júnior; Roseane Matias Lourenço; Amandda Mayara Araújo Farias; Onélia Araújo Franco Fragoso

Leia mais

JOGO DAS FICHAS COLORIDAS

JOGO DAS FICHAS COLORIDAS JOGO DAS FICHAS COLORIDAS Resumo Charlene Taís Theisen UNISINOS charlenettheisen@hotmail.com Janine Charlene Diogo UNISINOS janinediogo@hotmail.com Com a intenção de introduzir materiais diversos nas aulas

Leia mais

A MOTIVAÇÃO É A ESSÊNCIA PARA APRENDER MATEMÁTICA

A MOTIVAÇÃO É A ESSÊNCIA PARA APRENDER MATEMÁTICA A MOTIVAÇÃO É A ESSÊNCIA PARA APRENDER MATEMÁTICA Sandro Onofre Cavalcante sandro-professor@hotmal.com José Carlos Lourenço FIP Faculdade Integrada de Patos JCLS956@hotmail.com Adriano Alves da Silveira

Leia mais

O ENSINO-APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA ATRAVÉS DA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS

O ENSINO-APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA ATRAVÉS DA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS O ENSINO-APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA ATRAVÉS DA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS GT 01 Educação matemática nos Anos Iniciais e Ensino Fundamental Itajana Minuzzi URI/FW itajana@hotmail.com Mariza Camargo URI/FW mariza@fw.uri.br

Leia mais

O PIBID NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: CONTRIBUIÇOES E AÇÕES DO PIBID PARA FORMAÇÃO INICIAL DOS BOLSISTAS.

O PIBID NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: CONTRIBUIÇOES E AÇÕES DO PIBID PARA FORMAÇÃO INICIAL DOS BOLSISTAS. O PIBID NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: CONTRIBUIÇOES E AÇÕES DO PIBID PARA FORMAÇÃO INICIAL DOS BOLSISTAS. 1 Marcos Antonio de Sousa Rodrigues Bolsista/ PIBID/ UESPI 2 Sara Juliana Lima Ferreira Bolsista/

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS DISCIPLINAS DE MATEMÁTICA E FÍSICA NO ENEM: PERCEPÇÃO DOS ALUNOS DO CURSO PRÉ- UNIVERSITÁRIO DA UFPB LITORAL NORTE

A IMPORTÂNCIA DAS DISCIPLINAS DE MATEMÁTICA E FÍSICA NO ENEM: PERCEPÇÃO DOS ALUNOS DO CURSO PRÉ- UNIVERSITÁRIO DA UFPB LITORAL NORTE A IMPORTÂNCIA DAS DISCIPLINAS DE MATEMÁTICA E FÍSICA NO ENEM: PERCEPÇÃO DOS ALUNOS DO CURSO PRÉ- UNIVERSITÁRIO DA UFPB LITORAL NORTE ALMEIDA 1, Leonardo Rodrigues de SOUSA 2, Raniere Lima Menezes de PEREIRA

Leia mais

AS RELAÇÕES DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO

AS RELAÇÕES DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO AS RELAÇÕES DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E O TRABALHO DO TUTOR COMO MEDIADOR DO CONHECIMENTO SOEK, Ana Maria (asoek@bol.com.br) Universidade Federal do Paraná (UFPR) - Brasil HARACEMIV,

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM LOGO: APRENDIZAGEM DE PROGRAMAÇÃO E GEOMETRIA * 1. COSTA, Igor de Oliveira 1, TEIXEIRA JÚNIOR, Waine 2

FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM LOGO: APRENDIZAGEM DE PROGRAMAÇÃO E GEOMETRIA * 1. COSTA, Igor de Oliveira 1, TEIXEIRA JÚNIOR, Waine 2 FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM LOGO: APRENDIZAGEM DE PROGRAMAÇÃO E GEOMETRIA * 1 COSTA, Igor de Oliveira 1, TEIXEIRA JÚNIOR, Waine 2 Palavras-CHAVE: formação de professores, programação, Logo Introdução As

Leia mais

Índice. 1. Metodologia na Educação de Jovens e Adultos...3

Índice. 1. Metodologia na Educação de Jovens e Adultos...3 GRUPO 6.1 MÓDULO 4 Índice 1. Metodologia na Educação de Jovens e Adultos...3 1.1. Desenvolvimento e Aprendizagem de Jovens e Adultos... 4 1.1.1. Educar na Diversidade... 5 1.2. Os Efeitos da Escolarização/Alfabetização

Leia mais

TREINAMENTO PARA A 1ª FASE DA PROVA DA OBMEP: A E.B.M. PROFESSORA CLOTILDE RAMOS CHAVES

TREINAMENTO PARA A 1ª FASE DA PROVA DA OBMEP: A E.B.M. PROFESSORA CLOTILDE RAMOS CHAVES ISSN 2316-7785 TREINAMENTO PARA A 1ª FASE DA PROVA DA OBMEP: A E.B.M. PROFESSORA CLOTILDE RAMOS CHAVES Aline Sant Anna 1 licaolive@hotmail.com Filomena Teruko Tamashiro Arakaki 1 filoteko@hotmail.com Grasiella

Leia mais

MATERIAL CONCRETO NAS AULAS DO PIBID NO COLÉGIO ESTADUAL ARNALDO BUSATO - EFMNP

MATERIAL CONCRETO NAS AULAS DO PIBID NO COLÉGIO ESTADUAL ARNALDO BUSATO - EFMNP MATERIAL CONCRETO NAS AULAS DO PIBID NO COLÉGIO ESTADUAL ARNALDO BUSATO - EFMNP Deidson Vitório Kurpel 1 Jessica Bóschi 2 Santos Richard Wieller Sanguino Bejarano 3 Resumo Este artigo tem por finalidade

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS NO ENSINO DE MATEMÁTICA NAS SÉRIES INICIAIS

A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS NO ENSINO DE MATEMÁTICA NAS SÉRIES INICIAIS A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS NO ENSINO DE MATEMÁTICA NAS SÉRIES INICIAIS SILVA, Bárbara Tavares da 1 ARAÚJO, Junivan Gomes de 2 ALVES, Suênha Patrícia 3 ARAÚJO, Francinário Oliveira de 4 RESUMO Sabemos que

Leia mais

PIBID INVESTINDO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA. GT 01 Educação Matemática no Ensino Fundamental: Anos Iniciais e Anos Finais

PIBID INVESTINDO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA. GT 01 Educação Matemática no Ensino Fundamental: Anos Iniciais e Anos Finais PIBID INVESTINDO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA GT 01 Educação Matemática no Ensino Fundamental: Anos Iniciais e Anos Finais Felipe Hepp; URI-FW; felipehepp@hotmail.com Rosane Fontana Garlet;

Leia mais

PSICOPEDAGOGIA. DISCIPLINA: Desenvolvimento Cognitivo, Afetivo e Motor: Abordagens Sócio Interacionistas

PSICOPEDAGOGIA. DISCIPLINA: Desenvolvimento Cognitivo, Afetivo e Motor: Abordagens Sócio Interacionistas PSICOPEDAGOGIA DISCIPLINA: Fundamentos da Psicopedagogia EMENTA: Introdução e fundamentos da Psicopedagogia. O objeto de estudo. Visão histórica e atual. Concepções que sustentam a Psicopedagogia. O papel

Leia mais

Um Retrato do Uso dos Jogos no Ensino de Matemática no 6º Ano do Ensino Fundamental: um estudo de caso.

Um Retrato do Uso dos Jogos no Ensino de Matemática no 6º Ano do Ensino Fundamental: um estudo de caso. Um Retrato do Uso dos Jogos no Ensino de Matemática no 6º Ano do Ensino Fundamental: um estudo de caso. Francisco Ricardo Nogueira de Vasconcelos 1 Ivoneide Pinheiro de Lima 2 RESUMO A aplicação adequada

Leia mais

VENCENDO DESAFIOS NA ESCOLA BÁSICA... O PROJETO DE OFICINAS DE MATEMATICA

VENCENDO DESAFIOS NA ESCOLA BÁSICA... O PROJETO DE OFICINAS DE MATEMATICA VENCENDO DESAFIOS NA ESCOLA BÁSICA... O PROJETO DE OFICINAS DE MATEMATICA Thayza Ferreira Cabral MATOS; Elinéia Pereira VAILANT; Carla Michelle de Lima SOUZA; Weslley de Castro ALVES; Adriana Aparecida

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES LÚDICAS NO PPROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

A IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES LÚDICAS NO PPROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL A IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES LÚDICAS NO PPROCESSO DE Resumo ALFABETIZAÇÃO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL NICOLITTO, Mayara Cristina UEPG maycris_nic@hotmail.com CAMPOS, Graziela Vaneza de UEPG

Leia mais

GEOMETRIA PLANA E NÃO PLANA: UMA PRÁTICA DOCENTE COM O AUXÍLIO DA GEOMETRIA NO FUTEBOL

GEOMETRIA PLANA E NÃO PLANA: UMA PRÁTICA DOCENTE COM O AUXÍLIO DA GEOMETRIA NO FUTEBOL ISSN 2316-7785 GEOMETRIA PLANA E NÃO PLANA: UMA PRÁTICA DOCENTE COM O AUXÍLIO DA GEOMETRIA NO FUTEBOL Pedro Augusto Mazini dos Santos Bolsista PIBID ¹ - UTFPR - Câmpus Cornélio Procópio pedro.mbmazini@gmail.com

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PROJETO PIBID MATEMÁTICA NO COLÉGIO ESTADUAL CARLOS GOMES

RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PROJETO PIBID MATEMÁTICA NO COLÉGIO ESTADUAL CARLOS GOMES RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PROJETO PIBID MATEMÁTICA NO COLÉGIO ESTADUAL CARLOS GOMES Evandro Riva 1 Rafaela Pereira 2 Santos Richard Wieller Sanguino Bejarano 3 RESUMO: O presente artigo relata as experiências

Leia mais

ASSESSORIA PEDAGÓGICA PORTFÓLIO DE PALESTRAS E OFICINAS

ASSESSORIA PEDAGÓGICA PORTFÓLIO DE PALESTRAS E OFICINAS Dificuldades de Palestra EF e EM Todas Conscientizar sobre as dificuldades de aprendizagem aprendizagem que podem ser manifestadas pelos alunos numa sala de aula e sugerir ações de encaminhamento, conforme

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB ANEXO II EDITAL Nº 001/2011/CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO

Leia mais

LEITURA E ESCRITA: ALIMENTAÇÃO E PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE

LEITURA E ESCRITA: ALIMENTAÇÃO E PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE LEITURA E ESCRITA: ALIMENTAÇÃO E PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE Renata Angélica dos SANTOS, Cristiana Alves da SILVA, Maria Marta L. FLORES, Dulcéria TARTUCI, Ângela Aparecida DIAS, Departamento de Educação,

Leia mais

RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE OUTUBRO DE 2012 EREM - LICEU DE ARTES E OFÍCIOS

RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE OUTUBRO DE 2012 EREM - LICEU DE ARTES E OFÍCIOS UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO PIBID PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA CINTHIA ELIZABETH VIEGAS GALVÃO JOSIELMA CAVALCANTI VANESSA IZABELA DA SILVA RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE

Leia mais

TEATRO INFANTIL: UMA POSSIBILIDADE METODOLÓGICA NA BUSCA DA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA 1

TEATRO INFANTIL: UMA POSSIBILIDADE METODOLÓGICA NA BUSCA DA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA 1 TEATRO INFANTIL: UMA POSSIBILIDADE METODOLÓGICA NA BUSCA DA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA 1 CHIAPINOTO, Andréia Moro²; GUNSCH, Fernanda Beatriz Strickler²; KASTEN, Jocelaine²; PASETTO, Luciane Zamberlan²;

Leia mais

PROJETO DE XADREZ NO CAC/UFG

PROJETO DE XADREZ NO CAC/UFG PROJETO DE XADREZ NO CAC/UFG ALCÂNTARA, Franciele Brandão Ferreira 1 OLIVEIRA, Leandro Damas de 2 SANTOS JÚNIOR, Porfírio Azevedo dos 3 SILVA, André Carlos 4 SILVA, Elenice Maria Schons 5 SILVA, Élida

Leia mais

INCLUSÃO SOCIAL ATRAVÉS DAS OLIMPIADAS BRASILEIRAS DE MATEMÁTICA DAS ESCOLAS PÚBLICAS EM PATO BRANCO E MARIÓPOLIS. Introdução

INCLUSÃO SOCIAL ATRAVÉS DAS OLIMPIADAS BRASILEIRAS DE MATEMÁTICA DAS ESCOLAS PÚBLICAS EM PATO BRANCO E MARIÓPOLIS. Introdução INCLUSÃO SOCIAL ATRAVÉS DAS OLIMPIADAS BRASILEIRAS DE MATEMÁTICA DAS ESCOLAS PÚBLICAS EM PATO BRANCO E MARIÓPOLIS C. A. F. Bortoli*, S. R.W. Sanguino B.** e J. Luchesi* *COMAT/UTFPR, Pato Branco, Brasil

Leia mais

JOGOS NO ENSINO DA MATEMÁTICA: UMA EXPERIÊNCIA NO PIBID/CAPES/IFCE, CAMPUS DE FORTALEZA

JOGOS NO ENSINO DA MATEMÁTICA: UMA EXPERIÊNCIA NO PIBID/CAPES/IFCE, CAMPUS DE FORTALEZA JOGOS NO ENSINO DA MATEMÁTICA: UMA EXPERIÊNCIA NO PIBID/CAPES/, CAMPUS DE FORTALEZA Resumo Maria Cristina do Nascimento Braga kcrisnb@hotmail.com Luiza Santos Pontello lpontello@yahoo.com.br Francisco

Leia mais

PESQUISA AÇÃO: ACOMPANHANDO OS IMPACTOS DO PIBID NA FORMAÇÃO DOCENTE

PESQUISA AÇÃO: ACOMPANHANDO OS IMPACTOS DO PIBID NA FORMAÇÃO DOCENTE PESQUISA AÇÃO: ACOMPANHANDO OS IMPACTOS DO PIBID NA FORMAÇÃO DOCENTE Rafaela Souza SANTOS, Valquiria Rodrigues do NASCIMENTO, Dayane Graciele dos SANTOS, Tamíris Divina Clemente URATA, Simara Maria Tavares

Leia mais

Uma Perspectiva Sócio-Histórica do Processo de Alfabetização com Conscientização do Contexto Sociocultural

Uma Perspectiva Sócio-Histórica do Processo de Alfabetização com Conscientização do Contexto Sociocultural Uma Perspectiva Sócio-Histórica do Processo de Alfabetização com Conscientização do Contexto Sociocultural Camila Turati Pessoa (Universidade Federal de Uberlândia) camilatpessoa@gmail.com Ruben de Oliveira

Leia mais

TCC2036. fevereiro de 2006. Pricila Kohls dos Santos. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul PUCRS. pricilas.ead@pucrs.

TCC2036. fevereiro de 2006. Pricila Kohls dos Santos. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul PUCRS. pricilas.ead@pucrs. 1 O PEDAGOGO EM MULTIMEIOS E INFORMÁTICA EDUCATIVA E SUA CONTRIBUIÇÃO PARA A EFICÁCIA DA UTILIZAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA EDUCAÇÃO TCC2036 fevereiro de 2006 Pricila Kohls dos Santos

Leia mais

A CONTRIBUIÇÃO DO PROJETO MEIO AMBIENTE: CONSCIENTIZAR PARA PRESERVAR NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM NA ESCOLA EEEF ANTENOR NAVARRO

A CONTRIBUIÇÃO DO PROJETO MEIO AMBIENTE: CONSCIENTIZAR PARA PRESERVAR NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM NA ESCOLA EEEF ANTENOR NAVARRO A CONTRIBUIÇÃO DO PROJETO MEIO AMBIENTE: CONSCIENTIZAR PARA PRESERVAR NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM NA ESCOLA EEEF ANTENOR NAVARRO Natália Oliveira de Lima; Adjeane Farias da Silva; Thainá Marques

Leia mais

O BRINCAR, A BRINCADEIRA, O JOGO, A ATIVIDADE LÚDICA E A PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL

O BRINCAR, A BRINCADEIRA, O JOGO, A ATIVIDADE LÚDICA E A PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL O BRINCAR, A BRINCADEIRA, O JOGO, A ATIVIDADE LÚDICA E A PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL Josiane Lima Zanata (Seduc) josianezanata@hotmail.com Ivani Souza Mello (UFMT) ivanimello1@hotmail.com

Leia mais

CONSTRUINDO TRIÂNGULOS: UMA ABORDAGEM ENFATIZANDO A CONDIÇÃO DE EXISTÊNCIA E CLASSIFICAÇÕES

CONSTRUINDO TRIÂNGULOS: UMA ABORDAGEM ENFATIZANDO A CONDIÇÃO DE EXISTÊNCIA E CLASSIFICAÇÕES CONSTRUINDO TRIÂNGULOS: UMA ABORDAGEM ENFATIZANDO A CONDIÇÃO DE EXISTÊNCIA E CLASSIFICAÇÕES Poliana de Brito Morais ¹ Francisco de Assis Lucena² Resumo: O presente trabalho visa relatar as experiências

Leia mais

ENSINO DE ÁREA E PERÍMETRO DE FIGURAS PLANAS COM O AUXÍLIO DO GEOPLANO

ENSINO DE ÁREA E PERÍMETRO DE FIGURAS PLANAS COM O AUXÍLIO DO GEOPLANO ENSINO DE ÁREA E PERÍMETRO DE FIGURAS PLANAS COM O AUXÍLIO DO GEOPLANO Lindomar Reco¹; Rodrigo Macedo da Silva²; UFGD/FACET- C. Postal 364, 79.804-970 Dourados-MS, E-mail: recocpo@hotmail.com/ macedo_rdo@hotmail.com.¹acadêmico

Leia mais

EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e Negócios CURSO/MODALIDADE: Curso Técnico em Vendas Integrado PROEJA Turma 1 DISCIPLINA: Educação Física

EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e Negócios CURSO/MODALIDADE: Curso Técnico em Vendas Integrado PROEJA Turma 1 DISCIPLINA: Educação Física MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA CAMPUS SANTA ROSA Rua Uruguai, 1675Bairro Central CEP: 98900.000

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM HISTÓRIA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM HISTÓRIA Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás Departamento de Áreas Acadêmicas I Coordenação de Ciências Humanas

Leia mais

2.5 AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

2.5 AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL 2.5 AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Para que a Educação Infantil no município de Piraquara cumpra as orientações desta Proposta Curricular a avaliação do aprendizado e do desenvolvimento da criança, como

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS CAICÓ

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS CAICÓ INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS CAICÓ CLUBE DE FÍSICA, MINI ESPAÇO CIÊNCIA E FEIRA DE CIÊNCIA: PROPOSTAS DO PIBID IFRN CAMPUS CAICÓ PARTICIPANTES: ERIJACKSON

Leia mais

A MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL (2ª EDIÇÃO) Tatiana Comiotto Menestrina 1 (Coordenadora da Ação de Extensão)

A MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL (2ª EDIÇÃO) Tatiana Comiotto Menestrina 1 (Coordenadora da Ação de Extensão) A MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL (2ª EDIÇÃO) Área Temática: Educação Tatiana Comiotto Menestrina 1 (Coordenadora da Ação de Extensão) Pamela Paola Leonardo 2 Marnei Luis Mandler 3 Palavras-chave: Matemática,

Leia mais

FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE DOCENTES NO ENSINO SUPERIOR

FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE DOCENTES NO ENSINO SUPERIOR FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE DOCENTES NO ENSINO SUPERIOR As transformações sociais no final do século passado e início desse século, ocorridas de forma vertiginosa no que diz respeito aos avanços tecnológicos

Leia mais

VAI E VEM DAS EQUAÇÕES: UMA EXPERIÊNCIA NO ENSINO FUNDAMENTAL

VAI E VEM DAS EQUAÇÕES: UMA EXPERIÊNCIA NO ENSINO FUNDAMENTAL VAI E VEM DAS EQUAÇÕES: UMA EXPERIÊNCIA NO ENSINO FUNDAMENTAL Tanise Coppetti Universidade Federal de Santa Maria tani_coppetti@hotmail.com Resumo: Este trabalho apresenta uma atividade a respeito de equações

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE NIVELAMENTO. Curso: Bacharelado em Administração de Empresas

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE NIVELAMENTO. Curso: Bacharelado em Administração de Empresas PROGRAMA INSTITUCIONAL DE NIVELAMENTO Curso: Bacharelado em Administração de Empresas São Paulo 2014 Conteúdo 1. Introdução... 3 2. Objetivos... 3 3. Política de Nivelamento... 3 4. Diretrizes do Nivelamento...

Leia mais

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções)

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) 13. CONEX Pôster Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE FORMAÇÃO DOCENTE GERÊNCIA DE INICIAÇÃO À DOCENCIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE FORMAÇÃO DOCENTE GERÊNCIA DE INICIAÇÃO À DOCENCIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE FORMAÇÃO DOCENTE GERÊNCIA DE INICIAÇÃO À DOCENCIA I FÓRUM DE AVALIAÇÃO DOS CURSOS DO COMITE GESTOR INSTITUCIONAL DE

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA RELAÇÃO DE RESUMOS DE MONOGRAFIAS E ARTIGOS DE PÓS- GRADUAÇÃO Lato sensu Curso: Língua Inglesa/2005 Nome Aluno(a) Título Monografia/Artigo Orientador/Banca Annelise Lima

Leia mais

Jardim Helena São Miguel Paulista PROJETO DE REGÊNCIA EM TURMAS DO ENSINO MÉDIO RECUPERAÇÃO PARALELA.

Jardim Helena São Miguel Paulista PROJETO DE REGÊNCIA EM TURMAS DO ENSINO MÉDIO RECUPERAÇÃO PARALELA. De acordo com às determinações constantes do Plano de Estágio Supervisionado, submeto à apreciação de V.Sª o plano de aula que foram desenvolvidas no Estágio de Licenciatura em Matemática no período de

Leia mais

JOGO DIDÁTICO COMO INSTRUMENTO FACILITADOR NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DA TABELA PERIÓDICA

JOGO DIDÁTICO COMO INSTRUMENTO FACILITADOR NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DA TABELA PERIÓDICA JOGO DIDÁTICO COMO INSTRUMENTO FACILITADOR NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DA TABELA PERIÓDICA Vera Lucia Rocha da Silva (Universidade Federal do Piauí - UFPI/ CMRV) Email: veraelimaocommel@hotmail.com

Leia mais

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área;

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n. 66/ 2012 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Computação, Licenciatura

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS EXCURSÕES COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA UMA EXPERIÊNCIA EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL

A IMPORTÂNCIA DAS EXCURSÕES COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA UMA EXPERIÊNCIA EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL A IMPORTÂNCIA DAS EXCURSÕES COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA UMA EXPERIÊNCIA EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL Fábio Martinho da Silva (1); Maria Janoelma França Gomes (2); Nahum Isaque dos S. Cavalcante (3); Rafael Trindade

Leia mais

Palavras Chaves: Monitorias; Jogos; Resolução de Problemas.

Palavras Chaves: Monitorias; Jogos; Resolução de Problemas. 1 Resumo Este trabalho se refere a um projeto do Programa de Iniciação à Docência (PIBID) que é realizado com alunos das séries finais do Ensino Fundamental em uma escola municipal da cidade de Jataí-GO.

Leia mais

Palavras-chave: Ensino; Matemática; Extensão; Aprendizagem lúdica

Palavras-chave: Ensino; Matemática; Extensão; Aprendizagem lúdica BRINCANDO DE MATEMÁTICO Autor: Érika Sathie Takatsuki Instituição: UFPR Email: erikatakatsuki@hotmail.com Autor: Larissa Kovalski Instituição: UFPR Email: larissa.kovalski@yahoo.com.br Autor: Jânio de

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O APERFEIÇOAMENTO DA PRÁTICA DOCENTE: INOVAÇÕES NO AMBIENTE ESCOLAR

CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O APERFEIÇOAMENTO DA PRÁTICA DOCENTE: INOVAÇÕES NO AMBIENTE ESCOLAR ISSN 2316-7785 CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O APERFEIÇOAMENTO DA PRÁTICA DOCENTE: INOVAÇÕES NO AMBIENTE ESCOLAR Gabriela Dutra Rodrigues Conrado Universidade Federal do Pampa - UNIPAMPA gabrielapof@hotmail.com

Leia mais

XIII ENCONTRO ANUAL DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO NO BRASIL TEMA: INOVAÇÕES E INVESTIMENTOS NO ENSINO DE ADMINISTRAÇÃO NO BRASIL

XIII ENCONTRO ANUAL DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO NO BRASIL TEMA: INOVAÇÕES E INVESTIMENTOS NO ENSINO DE ADMINISTRAÇÃO NO BRASIL XIII ENCONTRO ANUAL DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO NO BRASIL TEMA: INOVAÇÕES E INVESTIMENTOS NO ENSINO DE ADMINISTRAÇÃO NO BRASIL COMUNICAÇÃO SUBTEMA: QUESTÕES DIDÁTICO-PEDAGÓGICAS A MATEMÁTICA

Leia mais

NORMAS DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA

NORMAS DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA 2015 SUMÁRIO 1 - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 3 2 - OBJETIVO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO... 3 3 - ACOMPANHAMENTO E ORGANIZAÇÃO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO... 4 4 - EXEMPLO DE ÁREAS PARA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO...

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA: O USO DE JOGOS NO ENSINO DE MATEMÁTICA¹. EIXO TEMÁTICO: Ensino, aprendizagem, pesquisa e avaliação na educação Básica.

RELATO DE EXPERIÊNCIA: O USO DE JOGOS NO ENSINO DE MATEMÁTICA¹. EIXO TEMÁTICO: Ensino, aprendizagem, pesquisa e avaliação na educação Básica. RELATO DE EXPERIÊNCIA: O USO DE JOGOS NO ENSINO DE MATEMÁTICA¹ Ana Caroline Lazaro Stoppa² Elizia Araujo Vieira³ RESUMO: O presente trabalho tem por objetivo salientar as contribuições do PIBID na formação

Leia mais

Palavras-chaves: Jogos matemáticos; Ensino e aprendizagem.

Palavras-chaves: Jogos matemáticos; Ensino e aprendizagem. Emanuella Filgueira Pereira Universidade Federal do Recôncavo da Bahia O JOGO NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA Resumo O presente artigo apresenta resultados parciais de uma pesquisa mais ampla que

Leia mais

Articulando saberes e transformando a prática

Articulando saberes e transformando a prática Articulando saberes e transformando a prática Maria Elisabette Brisola Brito Prado Na sociedade do conhecimento e da tecnologia torna-se necessário repensar o papel da escola, mais especificamente as questões

Leia mais

Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico

Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico O Coordenador Pedagógico é o profissional que, na Escola, possui o importante papel de desenvolver e articular ações pedagógicas que viabilizem

Leia mais

Palavras-chave: Formação continuada de professores, cinema, extensão universitária.

Palavras-chave: Formação continuada de professores, cinema, extensão universitária. CINEMA UNIVERSITÁRIO: A EXTENSÃO COMO ESPAÇO PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES NA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO (UNEMAT) André Luiz Borges Milhomem (UNEMAT) Egeslaine de Nez (UNEMAT) Maria

Leia mais

UM PROJETO BASEADO NO USO DE TECNOLOGIAS CONTEMPLANDO AS ÁREAS DA ESCRITA, LEITURA E RACIOCÍNIO LÓGICO-MATEMÁTICO

UM PROJETO BASEADO NO USO DE TECNOLOGIAS CONTEMPLANDO AS ÁREAS DA ESCRITA, LEITURA E RACIOCÍNIO LÓGICO-MATEMÁTICO UM PROJETO BASEADO NO USO DE TECNOLOGIAS CONTEMPLANDO AS ÁREAS DA ESCRITA, LEITURA E RACIOCÍNIO LÓGICO-MATEMÁTICO Naiara Sousa Vilela Geovana Ferreira Melo Marly Nunes de Castro Kato Marlei José de Souza

Leia mais

PROJETO TREZE HORAS: Uma Proposta Para o Ensino Médio Integrado ao Ensino Técnico

PROJETO TREZE HORAS: Uma Proposta Para o Ensino Médio Integrado ao Ensino Técnico PROJETO TREZE HORAS: Uma Proposta Para o Ensino Médio Integrado ao Ensino Técnico Vanessa Lopes da Silva 1 Leandro Marcon Frigo 2 Resumo A partir do problema dicotômico vivenciado pelo Ensino Técnico Integrado,

Leia mais

A PERSPECTIVA FREIREANA NA ARTICULAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS SINOP

A PERSPECTIVA FREIREANA NA ARTICULAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS SINOP A PERSPECTIVA FREIREANA NA ARTICULAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS SINOP José Luiz Müller 1 RESUMO Marion Machado Cunha 2 Exte texto tem como objetivo central

Leia mais

REGULAMENTO DA ORIENTAÇÃO ACADÊMICA DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

REGULAMENTO DA ORIENTAÇÃO ACADÊMICA DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS AVANÇADO EM JANDAIA DO SUL COLEGIADO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO REGULAMENTO DA ORIENTAÇÃO ACADÊMICA DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO JANDAIA

Leia mais

MATEMATICANDO, BRINCANDO, APRENDENDO E PRODUZINDO ANA PAULA TOMAZ (Finan - G) DIVA TOGNON (Finan - G)

MATEMATICANDO, BRINCANDO, APRENDENDO E PRODUZINDO ANA PAULA TOMAZ (Finan - G) DIVA TOGNON (Finan - G) MATEMATICANDO, BRINCANDO, APRENDENDO E PRODUZINDO ANA PAULA TOMAZ (Finan - G) DIVA TOGNON (Finan - G) Resumo: Este artigo procurou abordar o ensino da matemática na Educação Infantil através de brincadeiras,

Leia mais

OS RECURSOS TECNOLÓGICOS APLICADOS AO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA NO ENSINO FUNDAMENTAL

OS RECURSOS TECNOLÓGICOS APLICADOS AO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA NO ENSINO FUNDAMENTAL OS RECURSOS TECNOLÓGICOS APLICADOS AO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA NO ENSINO FUNDAMENTAL Emanoel Lopes Ferreira Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES emanoel_l@yahoo.com.br.

Leia mais

JOGO DIDÁTICO COMO AUXILIAR PARA O APRENDIZADO EM QUÍMICA

JOGO DIDÁTICO COMO AUXILIAR PARA O APRENDIZADO EM QUÍMICA JOGO DIDÁTICO COMO AUXILIAR PARA O APRENDIZADO EM QUÍMICA SAIDELLES, Ana Paula Fleig¹*; CRUZ, Litiele Cezar da²; KIRCHNER, Rosane Maria³; PIVOTTO, Otávio Lavarda²; SANTOS, Douglas Silva dos²; SANTOS, Nara

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FISICA NAS SÉRIES INICIAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA LEILA REGINA VALOIS MOREIRA

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FISICA NAS SÉRIES INICIAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA LEILA REGINA VALOIS MOREIRA 1 A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FISICA NAS SÉRIES INICIAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA LEILA REGINA VALOIS MOREIRA INTRODUÇÃO O tema a ser estudado tem como finalidade discutir a contribuição da Educação Física enquanto

Leia mais

O DESENVOLVIMENTO DOS SABERES EXPERIENCIAIS ACERCA DAS EMOÇÕES NAS PRÁTICAS DOS BOLSISTAS DE INICIAÇÃO A DOCÊNCIA

O DESENVOLVIMENTO DOS SABERES EXPERIENCIAIS ACERCA DAS EMOÇÕES NAS PRÁTICAS DOS BOLSISTAS DE INICIAÇÃO A DOCÊNCIA O DESENVOLVIMENTO DOS SABERES EXPERIENCIAIS ACERCA DAS EMOÇÕES NAS PRÁTICAS DOS BOLSISTAS DE INICIAÇÃO A DOCÊNCIA Luciana da Silva Catardo Acadêmica do curso de Ciências Biológicas/Licenciatura na Universidade

Leia mais

APLICAÇÃO DE BINGO DE EXPRESSÕES PARA INCENTIVO DO APRENDIZADO DA MATEMÁTICA

APLICAÇÃO DE BINGO DE EXPRESSÕES PARA INCENTIVO DO APRENDIZADO DA MATEMÁTICA APLICAÇÃO DE BINGO DE EXPRESSÕES PARA INCENTIVO DO APRENDIZADO DA MATEMÁTICA Arine de Paiva Gonçalves 1 Cássio Costa Rodrigues 2, Liliane Martinez Antonow 3 1 If Sudeste MG Câmpus Rio Pomba/ DEMAF, arine.paiva@hotmail.com

Leia mais

ATIVIDADES EXPERIMENTAIS PARA O ESTUDO DA ASTRONOMIA: CONSTRUINDO O SISTEMA SOLAR REDUZIDO

ATIVIDADES EXPERIMENTAIS PARA O ESTUDO DA ASTRONOMIA: CONSTRUINDO O SISTEMA SOLAR REDUZIDO ATIVIDADES EXPERIMENTAIS PARA O ESTUDO DA ASTRONOMIA: CONSTRUINDO O SISTEMA SOLAR REDUZIDO José da Silva de Lima¹; José Rodolfo Neves da Silva²; Renally Gonçalves da Silva³; Alessandro Frederico da Silveira

Leia mais

JOGOS NO ENSINO DE MATEMÁTICA QUAIS AS POSSÍVEIS CONTRIBUIÇÕES DO USO DE JOGOS NO PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA?

JOGOS NO ENSINO DE MATEMÁTICA QUAIS AS POSSÍVEIS CONTRIBUIÇÕES DO USO DE JOGOS NO PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA? JOGOS NO ENSINO DE MATEMÁTICA QUAIS AS POSSÍVEIS CONTRIBUIÇÕES DO USO DE JOGOS NO PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA? Gisele Bianchini 1, Tatiane Gerhardt 2 e Maria Madalena Dullius 3 RESUMO:

Leia mais

O ENSINO DAS FUNÇÕES ATRAVÉS DO JOGO BINGO DE FUNÇÕES

O ENSINO DAS FUNÇÕES ATRAVÉS DO JOGO BINGO DE FUNÇÕES O ENSINO DAS FUNÇÕES ATRAVÉS DO JOGO BINGO DE FUNÇÕES Marcos Aurélio Alves e Silva- UFPE/CAA Alcicleide Ramos da Silva- UFPE/CAA Jucélia Silva Santana- UFPE/CAA Edelweis José Tavares Barbosa- UFPE/CAA

Leia mais

TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO: UMA INVESTIGAÇÃO COM LICENCIANDOS E PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA A PARTIR DO PIBID

TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO: UMA INVESTIGAÇÃO COM LICENCIANDOS E PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA A PARTIR DO PIBID TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO: UMA INVESTIGAÇÃO COM LICENCIANDOS E PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA A PARTIR DO PIBID Nataélia Alves da Silva (1) * ; Creuza Souza Silva (1); Lecy das Neves Gonzaga (1); Michelle

Leia mais

RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012/01

RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012/01 COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO Curso de Bacharelado em Odontologia RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012/01 CATEGORIAS & DIMENSÕES AVALIADAS: Discentes: Desempenho Docente e Projeto Pedagógico

Leia mais

SUPERANDO DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA MATEMÁTICA: UM PROJETO DE CONSTRUÇÃO ATIVA DE CONCEITOS

SUPERANDO DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA MATEMÁTICA: UM PROJETO DE CONSTRUÇÃO ATIVA DE CONCEITOS SUPERANDO DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA MATEMÁTICA: UM PROJETO DE CONSTRUÇÃO ATIVA DE CONCEITOS Carolina Fuso Mendes¹; Márcia Lopes Francisco Mantovani²; Sandra Albano da Silva³ UEMS - 79750-000 Nova

Leia mais

O LUDICO NA MATEMÁTICA: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA

O LUDICO NA MATEMÁTICA: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA O LUDICO NA MATEMÁTICA: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA Thaís Koseki Salgueiro 1 ; Ms. Ozilia Geraldini Burgo 2 RESUMO: Este projeto tem como objetivo apresentar o trabalho de campo desenvolvido

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA INICIAÇÃO CIENTÍFICA PARA OS ALUNOS DE GRADUAÇÃO EM BIOMEDICINA

A IMPORTÂNCIA DA INICIAÇÃO CIENTÍFICA PARA OS ALUNOS DE GRADUAÇÃO EM BIOMEDICINA Revista Eletrônica Novo Enfoque, ano 2010, v. 11, n. 11, p. 61 66 A IMPORTÂNCIA DA INICIAÇÃO CIENTÍFICA PARA OS ALUNOS DE GRADUAÇÃO EM BIOMEDICINA Flávia Bastos 1, Fernanda Martins 1, Mara Alves 1, Mauro

Leia mais

CURSO: Matemática. Missão

CURSO: Matemática. Missão CURSO: Matemática Missão O Curso de Licenciatura em Matemática tem por missão a formação de docentes com um novo perfil fundamentado na conexão de dois eixos, pedagógico e matemático, permeado pelos recursos

Leia mais

Elaboração de Projetos

Elaboração de Projetos Elaboração de Projetos 2 1. ProjetoS Projeto: uma nova cultura de aprendizagem ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini de. Projeto: uma nova cultura de aprendizagem. [S.l.: s.n.], jul. 1999. A prática pedagógica

Leia mais

A AVALIAÇÃO EM CONTEXTO DIFERENCIADO PARA EDUCAÇÃO INFANTIL

A AVALIAÇÃO EM CONTEXTO DIFERENCIADO PARA EDUCAÇÃO INFANTIL A AVALIAÇÃO EM CONTEXTO DIFERENCIADO PARA EDUCAÇÃO INFANTIL JOSÉ MATEUS DO NASCIMENTO zenmateus@gmail.com POLIANI SANTOS DA SILVA poliany_mme@hotmail.com MARIA AUXILIADORA DOS SANTOS MARINHO Campus IV(CCAE)

Leia mais