ESTADO DO PARANÁ TRANSPORTE INTERMUNICIPAL DE PASSAGEIROS MANUAL DO TRANSPORTADOR

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTADO DO PARANÁ TRANSPORTE INTERMUNICIPAL DE PASSAGEIROS MANUAL DO TRANSPORTADOR"

Transcrição

1 ESTADO DO PARANÁ TRANSPORTE INTERMUNICIPAL DE PASSAGEIROS MANUAL DO TRANSPORTADOR 2012

2 ÍNDICE 1. DEFINIÇÃO 2. QUEM PODE EXECUTAR O TRANSPORTE INTERMUNICIPAL COM FINS COMERCIAIS 2.1. QUE TIPO DE EMPRESA PODE SER REGISTRADA? 3. VEÍCULOS PERMITIDOS 3.1 COMO COMPROVAR PROPRIEDADE DO VEÍCULO 3.2. QUE VEÍCULO PODE SER REGISTRADO 3.3. O DER ACEITA CONTRATO DE COMODATO? 4. SEGURO DO VEÍCULO 4.1. RENOVAÇÃO DO SEGURO 4.2. DECLARAÇÃO DA SEGURADORA 5. EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS DE TRANSPORTE 5.1 PROTOCOLO VALE COMO AUTORIZAÇÃO? 5.2. POSSO TIRAR LFE ENQUANTO NÃO TENHO LFC? 5.3. LISTA DE PASSAGEIROS PODE SER MANUAL? 5.4. A LISTA DE PASSAGEIROS PODE SER ALTERADA? 5.5. O QUE FAZER QUANDO NÃO CONSIGO TIRAR LICENÇA PELA INTERNET 5.6. CORRO O RISCO DE SER AUTUADO MESMO COM O COMUNICADO? 5.7. VALIDADE DO COMUNICADO 5.8. CANCELAMENTO OU ALTERAÇÃO DE UMA LICENÇA VÁLIDA. 6. SERVIÇO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE 7. JUSTIFICATIVA PARA BOLETIM DE OCORRÊNCIA 7.1.O COMUNICADO SUBSTITUI A JUSTIFICATIVA OU VICE VERSA? 8. TRANSPORTE SEM FINS COMERCIAIS 8.1.COMO O TRANSPORTADOR REGISTRADO FAZ UMA VIAGEM GRATUITA? 8.2.COMO O TRANSPORTADOR REGISTRADO TRANSPORTA SUA FAMÍLIA GRATUITAMENTE? 8.3.COMO UMA PESSOA JURÍDICA TRANSPORTA SEUS PRÓPRIOS FUNCIONÁRIOS? 9. DOCUMENTOS DE PORTE OBRIGATÓRIO 9.1. APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS NO ATO DE FISCALIZAÇÃO 9.2. ORGANIZAÇÃO DOS DOCUMENTOS NA PASTA. 10. COMO TRANSPORTAR CRIANÇAS 10.1.USO DE CADEIRINHAS PARA CRIANÇAS 11. RETENÇÃO E APREENSÃO DE VEÍCULOS 11.1.QUANDO O VEÍCULO REGISTRADO PODERÁ SER RETIDO OU APREENDIDO PELA FISCALIZAÇÃO? QUEM É RESPONSÁVEL PELO TRANSLADO DOS PASSAGEIROS EM CASO DE APREENSÃO DE VEÍCULOS? COMO LIBERAR VEÍCULO RETIDO OU APREENDIDO PELA FISCALIZAÇÃO? 12. OBRIGAÇÕES DO TRANSPORTADOR APÓS O REGISTRO PAGAMENTO DA TAXA DO DECRETO N.º 819/ DOCUMENTOS A SEREM ENCAMINHADOS À CTRC 13. TELEFONES E S PARA CONTATO 2

3 1. DEFINIÇÃO Transporte Coletivo Rodoviário Intermunicipal de Passageiros é o transporte de pessoas, executado por via terrestre visando atender o deslocamento entre dois municípios de um mesmo Estado. 2. QUEM PODE EXECUTAR O TRANSPORTE INTERMUNICIPAL COM FINS COMERCIAIS Pessoas Jurídicas, empresas constituídas na Junta Comercial, devidamente registradas para este fim, com cadastro na Receita Federal e Receita Estadual e que comprove a propriedade de pelo menos um veículo. 2.1 QUE TIPO DE EMPRESA PODE SER REGISTRADA? Para registro no DER a pessoa jurídica deve fazer constar em seu CNPJ e no registro junto a Receita Estadual o código CNAC e ter em seu Contrato Social a descrição do Objeto relativo a este código, ou seja: transporte rodoviário coletivo de passageiros, sob o regime de fretamento, intermunicipal, interestadual e internacional. 3. VEÍCULO PERMITIDOS A execução do transporte rodoviário intermunicipal do Paraná, só é permitida com a utilização de veículo de transporte coletivo, ou seja, veículos com capacidade de mais de 10 lugares ou 08 passageiros (excluindo o motorista), cadastrados no DETRN como veículo de aluguel. 3.1.COMO COMPROVAR PROPRIEDADE DO VEÍCULO A comprovação de propriedade se dá pela apresentação do Certificado do DETRAN, onde o nome da pessoa jurídica e respectivo CNPJ, deverá constar no campo proprietário ou no campo observações, como Arrendatário (se for o caso) QUE VEÍCULO PODE SER REGISTRADO O Regulamento de Transporte não permite registro de veículos em nome de pessoa física, mesmo que seja esta a proprietária da pessoa jurídica que esta se registrando. 3.3.O DER ACEITA CONTRATO DE COMODATO? Não, o regulamento não permite o registro de veículo com contrato de Comodato, mesmo, entre um sócio e a empresa a ser registrada. 3

4 4. SEGURO PARA O VEÍCULO O seguro exigido pelo DER, para o exercício da atividade de transporte coletivo intermunicipal, é um seguro especial, que visa garantir exclusivamente os passageiros transportados, denominado Seguro de Responsabilidade Civil Obrigatório (RCO), e tem valor mínimo de cobertura determinado pelo DER de acordo com a capacidade do veículo. A apólice do Seguro deve estar no nome da empresa e identificar a placa do veículo segurado. Os valores atualizados na ocasião do primeiro registro ou da renovação da apólice podem ser consultados no site acessando Transporte Intermunicipal de Passageiros / Documentos e Formulários /item XIV RENOVAÇÃO DA APÓLICE DE SEGURO A empresa deve obrigatoriamente encaminhar à CTRC a apólice de seguro renovada e comprovante (s) de pagamento através do FAX (41) ou DECLARAÇÃO DA SEGURADORA Caso a apólice de seguro esteja em fase de emissão na data em que a empresa tenha que apresentá-la ao DER, será aceita uma declaração da seguradora contendo o tipo de seguro, importância segurada, validade e vigência do seguro e placa dos veículos segurados. Mediante esta declaração será considerado o seguro com 30 dias de vigência, devendo a empresa encaminhar a apólice à CTRC dentro deste prazo. 5. EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS DE TRANSPORTE O registro é a regularização principal da empresa, porém a transportadora não pode executar o transporte só com o registro, para cada tipo de serviço a ser executado a empresa deverá antes, providenciar a licença para a viagem, que podem ser: a) Se a empresa for contratada para transportar passageiros de forma contínua, tais como: estudantes e funcionários de empresas, deverá requisitar via Internet uma Licença de Fretamento Contínuo, através do site que terá vigência igual ao período do contrato, limitado a um ano; b) Se a empresa for contratada para fazer transporte Eventual, como por exemplo viagem de turismo, deverá emitir via internet uma Licença de Fretamento Eventual especifica para àquela viagem, através do site 5.1.PROTOCOLO VALE COMO AUTORIZAÇÃO? Não, o protocolo é um simples comprovante de ter requerido algo, só vale como autorização o documento gerado pelo pedido. 4

5 5.2.POSSO TIRAR LICENÇA EVENTUAL ENQUANTO NÃO CHEGA A DO CONTÍNUO? Sim, se tiver requerido a licença de fretamento continuo, poderá executar o serviço com Licença Eventual, até ser autorizada a licença de fretamento Contínuo A LISTA DE PASSAGEIROS PODE SER MANUAL? Não, a lista de passageiros deve ser efetuada no respectivo site para emissão de cada tipo de licença. 5.4.A LISTA DE PASSAGEIROS PODE SER ALTERADA? Para os serviços de fretamento contínuo, a alteração da lista é permitida desde que feita oficialmente mediante requerimento VIA Internet no site Enquanto a nova lista não é aprovada, o transportador deverá emitir e portar no veículo uma Licença de Fretamento Eventual. Para os serviços de Fretamento eventual, a alteração pode ser feita no próprio sistema até a hora de inicio da viagem, depois desta, somente poderão ser acrescidos os passageiros substitutos (até 30% ) na lista complementar, emitida pelo próprio sistema, não sendo permitido rasurar a lista original. Uma boa alternativa é emitir a licença com uma hora a mais do horário oficial do embarque, assim se houver troca de emergência, dará tempo de alterar e emitir a licença já com as trocas, antes de iniciar a viagem. 5.5.O QUE FAZER SE NÃO CONSEGUIR TIRAR LICENÇA PELA INTERNET? Emitir o Comunicado de licença de Fretamento Eventual Não Emitida (modelo disponível no site que deve ser previamente salvo em Word ou papel para uso emergencial), enviar o comunicado de impedimento ao DER por ou fax: (41) e levar uma cópia na viagem, junto com: nota fiscal, contrato e lista de passageiros. 5.6.CORRO RISCO DE SER AUTUADO MESMO COM COMUNICADO? Sim, no trecho o fiscal não tem como confirmar o motivo do impedimento, então emitirá o Boletim de Ocorrência, para verificação na sede, se o motivo do impedimento foi do DER (Ex.: queda de sistema), o BO poderá ser cancelado, porém se o motivo foi gerado pelo transportador (ex.: registro, seguro ou taxa da LFE vencido), o BO será transformado em Auto de Infração. 5.7.SE EU MANDAR O COMUNICADO DEPOIS DA VIAGEM OU DA EMISSÃO DO BOLETIM ESTE SERÁ VÁLIDO? 5

6 Todos os casos, da não emissão da LFE devem ser comunicados, então o comunicado sempre será válido, todavia, para o comunicado sirva como prova de cumprimento da norma e evite autuações, deve ser encaminhado antes da viagem. Caso a empresa apenas se justifique sem apresentar o comunicado, os dados do sistema ficarão desatualizados e terá problemas com taxas no final do mês. Caso a empresa apenas encaminhe o comunicado e não justifique o BO, o mesmo será transformado em Auto de Infração CANCELAMENTO OU ALTERAÇÃO DE UMA LICENÇA VÁLIDA No Fretamento Eventual Emitir o Comunicado de Cancelamento ou Alteração (modelo disponível no site que deve ser previamente salvo em Word ou papel para uso emergencial) e enviar ao DER por ou fax: (41) No Fretamento Contínuo a própria empresa cancela a licença e o único dado que pode ser alterado é a lista de passageiros através do site 6. SERVIÇO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE O DER dispõe de um serviço de atendimento ao cliente, para tirar dúvidas e registrar reclamações, tanto do passageiro como do transportador, através do telefone JUSTIFICATIVA PARA BOLETIM DE OCORRÊNCIA A empresa que receber um Boletim de Ocorrência de um agente de fiscalização do transporte coletivo do DER tem prazo de 3 dias a contar da data do BO para encaminhar através do uma justificativa para o fato que gerou o BO e que impeça que o mesmo seja transformado em auto de infração. 7.1.O COMUNICADO SUBSTITUI A JUSTIFICATIVA OU VICE VERSA? Não, o setor que controla emissão da LFE é diferente do setor que fiscaliza as viagens, então a empresa terá três dias úteis para se justificar do Boletim de Ocorrência, por independente do que, também deve mandar o comunicado, ao setor competente pelo 8.TRANSPORTE SEM FINS COMERCIAIS 8.1. COMO O TRANSPORTADOR REGISTRADO FAZ VIAGEM GRATUITA? 6

7 Conforme orientação da Receita estadual o transportador registrado pode doar seus serviços, porém não pode doar os tributos que estes serviços iriam gerar ao Estado, desta forma a orientação é que o transportador faça a viagem cortesia como se fosse comercial, emita nota fiscal, contrato, lista e LFE, podendo observar no contrato ser viagem cortesia, e emitir nota com desconto, assim não tem problemas nem com a fiscalização do DER nem da Receita Estadual. 8.2.COMO O TRANSPORTADOR REGISTRADO TRANSPORTA SUA FAMÍLIA GRATUITAMENTE? Se o proprietário estiver transportando seus familiares diretos não precisará emitir licença, basta portar a lista de passageiros constando nome completo, nº documento e grau de parentesco com o proprietário e a cópia do contrato social que prove ser este o proprietário. Esta exceção só será admitida para caso de familiares diretos e sendo estes a maioria no veículo, pois caso haja uma quantidade de passageiros sem grau de parentesco, exige-se a licença e demais documentos obrigatórios. 8.3.COMO UMA PESSOA JURÍDICA TRANSPORTA SEUS PRÓPRIOS FUNCIONÁRIOS GRATUITAMENTE O transporte gratuito de funcionários poderá ser feito sem prévio registro e licença específica nos seguintes casos: a) O veículo estiver no nome da pessoa jurídica empregadora dos funcionários transportados. O veículo não pode estar no nome de pessoa física, mesmo que seja sócio da empresa; b) O veículo for locado para transporte gratuito de funcionários, e estiver sendo conduzido por motorista da empregador contratante. 9. DOCUMENTOS DE PORTE OBRIGATÓRIO NA VIAGEM INTERMUNICIPAL Veículo: Certificado de Propriedade do veículo atualizado; Certificado de Registro do Veículo no DER, válido; Certificado de Inspeção válido (INMETRO); Apólice de Seguro Válida e se parcelado o ultimo comprovante de pagamento do seguro; Viagem: Licença específica Lista de Passageiros modelo padrão específico Nota Fiscal detalhando o serviço Contrato de Prestação do Serviço Motorista: Habilitação para transporte coletivo = D Carteira de curso de capacitação para transporte coletivo Carteira de saúde válida 7

8 OS DOCUMENTOS DEVEM ESTAR ORGANIZADOS NA PASTA PADRÃO ESTABELECIDA PELO DER. 9.1.APRESENTAÇÃO DOS DOCUMENTOS NO ATO DA FISCALIZAÇÃO Não cabe ao fiscal localizar os documentos no ato de fiscalização no interior do veículo, é obrigação do transportador manter todos os documentos de porte obrigatório organizados na pasta padrão do DER, que deverá estar em local de fácil acesso para entrega ao Agente Fiscal no momento da Fiscalização ORGANIZAÇÃO DOS DOCUMENTOS NA PASTA Os documentos de diversas linhas ou serviços podem ser guardados na mesma pasta do carro, desde que organizado por serviço e o motorista saiba informar ao Agente de Fiscalização qual serviço esta executando. 10. COMO TRANSPORTAR CRIANÇAS Primeiramente observar regras gerais para transporte de crianças e adolescentes, identificando casos que exigem prévia autorização dos pais ou juiz. As crianças de até cinco anos (quatro incompletos) podem ser transportadas no colo desde que: a) seja uma criança por colo pagante; b) o numero de crianças não ultrapasse 30% da capacidade do carro; c) constem da lista de passageiros, devidamente identificadas como colo O USO DE CADEIRINHAS É OBRIGATÓRIO PARA ÔNIBUS E MICROÔNIBUS (VANS)? Não, até que saia regulamentação específica, a Resolução do CONTRAN excluiu os veículos de transporte coletivo desta exigência, contudo orientamos que para maior segurança as mães com criança de colo devem sentar nos bancos de trás, e não devem passar o cinto de segurança pela criança (que pode ser esmagada com o peso do adulto), devendo o cinto ser colocado no adulto e este segurar a criança de forma adequada à sua maior segurança. 11. RETENÇÃO E APREENSÃO DE VEÍCULOS 11.1.QUANDO O VEÍCULO REGISTRADO PODERÁ SER RETIDO OU APREENDIDO PELA FISCALIZAÇÃO? Sempre que estiver com alguma irregularidade que comprometa a segurança da viagem, tais como: - Defeito ou falta de equipamentos obrigatórios (tacógrafo, extintores, limpadores de parabrisa, parabrisa trincado em local que comprometa a visibilidade; - Ausência da Apólice de Seguro válida ou do comprovante de pagamento quando este foi parcelado; 8

9 11.2.QUEM É RESPONSÁVEL PELO TRANSLADO DOS PASSAGEIROS EM CASO DE APREENSÃO DO VEÍCULO PELA FISCALIZAÇÃO? Sempre o responsável pela continuidade da viagem será o transportador, que em caso de apreensão do veículo poderá chamar outra empresa registrada para fazer a viagem, porém se este socorro não for providenciado de imediato pelo transportador apreendido, o DER poderá chamar outra empresa registrada mais próxima, para conduzir os passageiros ao destino, ficando as custas por conta da empresa apreendida COMO LIBERAR VEÍCULO RETIDO OU APREENDIDO PELA FISCALIZAÇÃO? As retenções ocorrem quando a irregularidade é passível de correção no local, Ex.: extintor vencido pode ser comprado e substituído para continuidade da viagem e o veículo retido por falta de apólice pode ser liberado pela equipe que fez a retenção se a apólice válida for apresentada a esta no horário de seu turno de trabalho; As apreensões ocorrem quando não houve possibilidade de correção no ato do flagrante, neste caso, a liberação do veículo deverá ser feita formalmente mediante processo administrativo, podendo o requerimento e documentos obrigatórios serem enviados por A relação de documentos para liberação de veículo apreendido, deverá ser entregue ao transportador no ato da apreensão e em caso de extravio poderá ser obtida no site do der: em Transporte Intermunicipal/Documentos e formulários item 24. Liberação de veículo retido. 12. OBRIGAÇÕES DO TRANSPORTADOR APÓS O REGISTRO PAGAMENTO DA TAXA DO DECRETO N.º 819/1971 Mensalmente o transportador deve recolher a Taxa do Decreto n.º 819/1971 sobre todos os tipos de serviço de transporte coletivo rodoviário intermunicipal de passageiros com fins comerciais executados. Esta taxa corresponde a 2% sobre o valor do transporte e deve ser recolhida até o 20º dia do mês seguinte ao da execução dos serviços. A Guia de Recolhimento do IASP pode ser emitida no site DOCUMENTOS A SEREM ENCAMINHADOS À CTRC A empresa que executa serviços de fretamento, contínuo e eventual, deve encaminhar mensalmente à Coordenadoria de Transporte Comercial,até o vigésimo dia útil do mês subsequente ao da execução da viagem, os seguintes documentos: - Quadro Resumo Mensal, com a descrição de licenças executadas; - Cópia das Notas Fiscais de cada licença; 9

10 - Cópia dos contratos de prestação de serviço, somente para as licenças de fretamento eventual. Os documentos poderão ser encaminhados `a CTRC para o endereço Av. Iguaçu, 420 5º andar sala 5 Curitiba/PR CEP TELEFONES E S PARA CONTATO Setor Fone Registro e Vistorias Impedimento Licença Eventual, Alteração e Cancelamento Internet Justificativas BO Até 3 dias Defesas Ao Diretor de Operações Recursos Ao Diretor Geral Por escrito e protocolada em até 30 dias na notificação pelo correio Por escrito e protocolada em até 15 dias Reclamação e Denuncias Serviço de Atendimento ao Cliente Liberação Site Oficial DER Elaboração: DER/DOP/CTRC/Gerencia de Fiscalização do Transporte Intermunicipal de Passageiros. Atualizado em 20/09/

Autorização Especial de Trânsito AET

Autorização Especial de Trânsito AET Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte Urbano Autorização Especial de Trânsito AET Amparo legal: Lei Complementar Municipal nº 205/2009: que acrescenta, altera e regulamenta a Seção XI, do Capítulo

Leia mais

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA O REGISTRO NO FRETAMENTO RODOVIÁRIO INTERMUNICIPAL DE TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS (Decreto n.º 29.912, de 12/05/89, alterado pelos Decretos nº. 31.105, de 27/12/89 e

Leia mais

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA O REGISTRO NO FRETAMENTO RODOVIÁRIO INTERMUNICIPAL DE TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS (Decreto n.º 29.912, de 12/05/89, alterado pelos Decretos nº. 31.105, de 27/12/89 e

Leia mais

1.Todos os transportadores necessitarão realizar o seu recadastramento a partir de 28 de outubro de 2015?

1.Todos os transportadores necessitarão realizar o seu recadastramento a partir de 28 de outubro de 2015? Perguntas Frequentes Resolução 4.799/ 2015 1.Todos os transportadores necessitarão realizar o seu recadastramento a partir de 28 de outubro de 2015? Sim. Todos os transportadores rodoviários remunerados

Leia mais

Guia para contratação de Transporte Intermunicipal de Passageiros sob regime de FRETAMENTO

Guia para contratação de Transporte Intermunicipal de Passageiros sob regime de FRETAMENTO Guia para contratação de Transporte Intermunicipal de Passageiros sob regime de FRETAMENTO 100 95 75 25 5 0 Introdução A Artesp tem a finalidade de regulamentar e fiscalizar todas as modalidades de serviços

Leia mais

DECRETO N.º 42.868 DE 28 DE FEVEREIRO DE 2011*

DECRETO N.º 42.868 DE 28 DE FEVEREIRO DE 2011* DECRETO N.º 42.868 DE 28 DE FEVEREIRO DE 2011* (*publicado em 1 de março de 2011) ALTERA OS CAPÍTULOS XVI, XVII, XVIII E XIX DO REGULAMENTO DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO INTERMUNICIPAL DE PASSAGEIROS, APROVADO

Leia mais

I SERVIÇOS RELATIVOS A VEÍCULOS

I SERVIÇOS RELATIVOS A VEÍCULOS RELAÇÃO DE SERVIÇOS DISPONIBILIZADOS PELO DETRAN NO ESPAÇO DA CIDADANIA DE TERESINA I SERVIÇOS RELATIVOS A VEÍCULOS 1 VISTORIA 2. Certificado de Registro de Veículo - CRV e/ou Certificado de Registro de

Leia mais

Sobre o Cancelamento de Gravames. Cancelamento de Reserva de Gravames - DETRAN/SP

Sobre o Cancelamento de Gravames. Cancelamento de Reserva de Gravames - DETRAN/SP Sobre o Cancelamento de Gravames Cancelamento de Reserva de Gravames - DETRAN/SP Procedimentos para Solicitação do Desbloqueio de Cancelamento de Gravame De acordo com a portaria 2.762 de 28 de dezembro

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO DECRETA:

CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO DECRETA: PROJETO DE LEI Nº. 243/2015 Dispõe sobre regulamentação do atendimento ao serviço de Transporte Individual de Passageiros, Táxi, em casos de solicitação por aplicativo (APP) ou internet, no Município de

Leia mais

Resolução 3.658/11 (RNTRC) Capítulo 10. 2 - Solicitar o Certificado do RNTRC (CRNTRC) [...]

Resolução 3.658/11 (RNTRC) Capítulo 10. 2 - Solicitar o Certificado do RNTRC (CRNTRC) [...] Resolução 3.658/11 (RNTRC) Capítulo 10 2 - Solicitar o Certificado do RNTRC (CRNTRC) - Também será admitido o CRLV contendo o número do RNTRC ; (Art. 39 da Res. 3.056/09/ANTT, alterada pela 3.658/11) -

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA FORMALIZAR PROCESSOS

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA FORMALIZAR PROCESSOS DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA FORMALIZAR PROCESSOS 01) ALTERAÇÃO DE DADOS NO CADASTRO IMOBILIÁRIO FISCAL ; - Registro do imóvel (emissão com menos de 1 ano); - CPF e identidade do titular ou dos sócios

Leia mais

SISAUT/FC Sistema de Controle de Transporte Fretado Contínuo de Passageiros

SISAUT/FC Sistema de Controle de Transporte Fretado Contínuo de Passageiros SISAUT/FC Sistema de Controle de Transporte Fretado Contínuo de Passageiros O que é o SISAUT/FC? MANUAL DO USUÁRIO O SISAUT/FC é o sistema por meio do qual são feitos os requerimentos para as autorizações

Leia mais

Manual de procedimentos do Alvará de Licença e Funcionamento de Atividade

Manual de procedimentos do Alvará de Licença e Funcionamento de Atividade Manual de procedimentos do Alvará de Licença e Funcionamento de Atividade Prefeitura Municipal de São Leopoldo Secretaria Municipal da Fazenda Coordenadoria Tributária Divisão de Tributos Mobiliários Seção

Leia mais

Autorização para débitos de MULTAS, AUTUAÇÕES e IPVA.

Autorização para débitos de MULTAS, AUTUAÇÕES e IPVA. Autorização para débitos de MULTAS, AUTUAÇÕES e IPVA. Declaro para os devidos fins que autorizo à GENERALI DO BRASIL COMPANHIA DE SEGUROS a debitar de minha indenização, as MULTAS, AUTUAÇÕES e IPVA existentes

Leia mais

BRASIL FRET e 16º ENCONTRO DAS EMPRESAS DE FRETAMENTO E TURISMO. A nova regulamentação do fretamento interestadual

BRASIL FRET e 16º ENCONTRO DAS EMPRESAS DE FRETAMENTO E TURISMO. A nova regulamentação do fretamento interestadual BRASIL FRET e 16º ENCONTRO DAS EMPRESAS DE FRETAMENTO E TURISMO A nova regulamentação do fretamento interestadual 21 de outubro de 2015 Agência Nacional de Transportes Terrestres Áreas de Atuação: TRANSPORTE

Leia mais

Comunicado Diretoria de Habilitação nº 002, de 15 de janeiro de 2015

Comunicado Diretoria de Habilitação nº 002, de 15 de janeiro de 2015 Comunicado nº 002, de 15 de janeiro de 2015 Dispõe sobre a renovação do credenciamento de médicos e psicólogos, para o exercício de 2015. A Diretora de Habilitação do DETRAN-SP, Considerando o disposto

Leia mais

FUNDAÇÃO THEODOMIRO SANTIAGO TERMO DE REFERÊNCIA COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 201150062 TIPO: MENOR PREÇO

FUNDAÇÃO THEODOMIRO SANTIAGO TERMO DE REFERÊNCIA COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 201150062 TIPO: MENOR PREÇO TERMO DE REFERÊNCIA COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 201150062 TIPO: MENOR PREÇO A FUNDAÇÃO THEODOMIRO SANTIAGO, entidade privada sem fins lucrativos, inscrita no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica do Ministério

Leia mais

FUNDAÇÃO THEODOMIRO SANTIAGO TERMO DE REFERÊNCIA COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 201150067 TIPO: MENOR PREÇO

FUNDAÇÃO THEODOMIRO SANTIAGO TERMO DE REFERÊNCIA COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 201150067 TIPO: MENOR PREÇO TERMO DE REFERÊNCIA COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 201150067 TIPO: MENOR PREÇO A FUNDAÇÃO THEODOMIRO SANTIAGO, entidade privada sem fins lucrativos, inscrita no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica do Ministério

Leia mais

IT - 34 CREDENCIAMENTO DE EMPRESAS E RESPONSÁVEIS TÉCNICOS

IT - 34 CREDENCIAMENTO DE EMPRESAS E RESPONSÁVEIS TÉCNICOS IT - 34 CREDENCIAMENTO DE EMPRESAS E RESPONSÁVEIS TÉCNICOS SUMÁRIO APÊNDICES 1 - Objetivo A - Solicitação de Cadastro de Pessoa Jurídica 2 - Referências normativas B - Solicitação de Cadastro de Pessoa

Leia mais

1º O acesso ao Sistema deverá ser feito por meio de Senha Web ou certificado digital.

1º O acesso ao Sistema deverá ser feito por meio de Senha Web ou certificado digital. ÍNTEGRA DA INSTRUÇÃO NORMATIVA O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE FINANÇAS, no uso de suas atribuições legais, considerando o disposto nos artigos 113 e 114 do Decreto n 53.151, de 17 de maio de 2012, RESOLVE:

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA LEI Nº 506, DE 2 DE DEZEMBRO DE 1999. (D.O.E. 07.12.1999 - N... Ano...)

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA LEI Nº 506, DE 2 DE DEZEMBRO DE 1999. (D.O.E. 07.12.1999 - N... Ano...) LEI Nº 506, DE 2 DE DEZEMBRO DE 1999. (D.O.E. 07.12.1999 - N.... Ano...) DISPÕE SOBRE O TRANSPORTE INDIVIDUAL DE PASSAGEIROS ATRAVÉS DE TÁXI. O PREFEITO MUNICIPAL DE MANAUS no uso das atribuições que lhe

Leia mais

Sobre o Cancelamento de Gravames. Cancelamento de Reserva de Gravames - DETRAN/MG

Sobre o Cancelamento de Gravames. Cancelamento de Reserva de Gravames - DETRAN/MG Sobre o Cancelamento de Gravames Cancelamento de Reserva de Gravames - DETRAN/MG Procedimentos para Solicitação do Desbloqueio de Cancelamento de Gravame De acordo com a portaria 96.603 de 30 de agosto

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO MATEUS ESTADO DO ESPÍRITO SANTO GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO MATEUS ESTADO DO ESPÍRITO SANTO GABINETE DO PREFEITO 1 LEI Nº. 949/2010 INSTITUI A NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS E DISPÕE SOBRE A DECLARAÇÃO MENSAL DO IMPOSTO SOBRE A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE QUALQUER NATUREZA - ISSQN. O Prefeito Municipal de São Mateus,

Leia mais

RELAÇÃO DE SERVIÇOS DISPONIBILIZADOS PELA ELETROBRÁS NO ESPAÇO DA CIDADANIA DE TERESINA

RELAÇÃO DE SERVIÇOS DISPONIBILIZADOS PELA ELETROBRÁS NO ESPAÇO DA CIDADANIA DE TERESINA RELAÇÃO DE SERVIÇOS DISPONIBILIZADOS PELA ELETROBRÁS NO ESPAÇO DA CIDADANIA DE TERESINA 1 PARCELAMENTO DE DÉBITO 1.1 No caso de titular da conta 1. Original e cópia do RG ou da Carteira de Habilitação;

Leia mais

PORTARIA DETRO/PRES. Nº 1088 DE 17 DE SETEMBRO DE 2012.

PORTARIA DETRO/PRES. Nº 1088 DE 17 DE SETEMBRO DE 2012. PORTARIA DETRO/PRES. Nº 1088 DE 17 DE SETEMBRO DE 2012. Dispõe sobre os procedimentos a serem observados e aplicados no parcelamento/reparcelamento de débitos referente a multas e taxa de vistoria e fiscalização

Leia mais

Parecer Coletivo Município. Transporte de Pacientes e Passageiros. RECEFITUR. DAER. Lista Prévia. Exigência. Multas. Descabimento.

Parecer Coletivo Município. Transporte de Pacientes e Passageiros. RECEFITUR. DAER. Lista Prévia. Exigência. Multas. Descabimento. Parecer Coletivo Município. Transporte de Pacientes e Passageiros. RECEFITUR. DAER. Lista Prévia. Exigência. Multas. Descabimento. Decisão Judicial Trata o presente parecer acerca da imposição do DAER/RS

Leia mais

CONSIDERANDO o disposto no art. 14-A e no inciso IV do art. 26 da Lei nº 10.233, de 05 de junho de 2001;

CONSIDERANDO o disposto no art. 14-A e no inciso IV do art. 26 da Lei nº 10.233, de 05 de junho de 2001; RESOLUÇÃO ANTT Nº 1.737, de 21/11/2006 Estabelece procedimentos de registro e fiscalização, institui infrações e sanções referentes ao Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Carga - RNTRC,

Leia mais

PRÉ- REQUISITOS CADASTRO ELETRÔNICO

PRÉ- REQUISITOS CADASTRO ELETRÔNICO CADASTRO ELETRÔNICO Abaixo seguem as orientações sobre os serviços mais utilizados do Cadastro no efisco - ARE Virtual. OBS: Use sempre o navegador Internet Explorer para acessar o efisco - ARE Virtual

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO

CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO DESPACHO 2007 N O PROJETO DE LEI Nº 1310/2007 INSTITUI O SERVIÇO E COLETA DE PEQUENAS CARGAS, MEDIANTE UTILIZAÇÃO DE MOTOCICLETAS, NO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO, DENOMINADO MOTO-FRETE, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

REGULAMENTO ACE ASSISTÊNCIA 24 HORAS VANS, MOTOS, CARROS, CAMINHÕES LIGUE PARA: 0800-601-4055

REGULAMENTO ACE ASSISTÊNCIA 24 HORAS VANS, MOTOS, CARROS, CAMINHÕES LIGUE PARA: 0800-601-4055 REGULAMENTO ACE ASSISTÊNCIA 24 HORAS VANS, MOTOS, CARROS, CAMINHÕES LIGUE PARA: 0800-601-4055 Somente quando estiver com documento do veículo em mãos, para fornecer ao atendente a placa e o chassi do veículo.

Leia mais

SECRETARIA ADMINISTRATIVA DO MERCOSUL RESOLUÇÃO GMC Nº 26/01 - ARTIGO 10 ERRATA ORIGINAL

SECRETARIA ADMINISTRATIVA DO MERCOSUL RESOLUÇÃO GMC Nº 26/01 - ARTIGO 10 ERRATA ORIGINAL MERCOSUL/GMC/RES. N 35/02 NORMAS PARA A CIRCULAÇÃO DE VEÍCULOS DE TURISTAS PARTICULARES E DE ALUGUEL NOS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL ( Substitui as Res. GMC N os 76/93 e 131/94) TENDO EM VISTA: O Tratado

Leia mais

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 03/2014

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 03/2014 EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 03/2014 O Município de Vale do Sol, RS, através do Prefeito Municipal. Sr. Clécio Halmenschlager, comunica aos interessados que está procedendo ao CREDENCIAMENTO de pessoas

Leia mais

FUNDO DE APOIO A CULTURA DA SOJA MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS 2009

FUNDO DE APOIO A CULTURA DA SOJA MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS 2009 INTRODUÇÃO FUNDO DE APOIO A CULTURA DA SOJA 1.1 - Recomenda-se a leitura deste manual antes de utilizar os recursos concedidos pelo FACS. O manual está disponível no site http://www.facsmt.com.br. 1.2

Leia mais

Art. 3º A diária será devida pela metade nos seguintes casos:

Art. 3º A diária será devida pela metade nos seguintes casos: Orientações para Solicitação e Prestação de Contas de Diárias de acordo com o Decreto nº 3328-R, de 17 de junho de 2013. DIÁRIAS Diárias são indenizações pagas antecipadamente para cobrir despesas com

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Retenção de Tributos por Entidades Públicas Federais na Intermediação de Viagens

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Retenção de Tributos por Entidades Públicas Federais na Intermediação de Viagens Retenção de Tributos por Entidades Públicas Federais na Intermediação de 17/06/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ENTIDADES CONVENIADAS

ORIENTAÇÕES PARA ENTIDADES CONVENIADAS ORIENTAÇÕES PARA ENTIDADES CONVENIADAS CADASTRAMENTO E RECADASTRAMENTO DO RNTRC Resolução ANTT nº 4.799/2015 VERSÃO 1.4 25 DE NOVEMBRO DE 2015 GERENCIA DE REGISTRO E ACOMPANHAMENTO DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO

Leia mais

INSTRUÇÕES BÁSICAS PARA PAGAMENTO DE HONORÁRIOS PROFISSIONAIS DE ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA ADVOGADOS E PERITOS PESSOA FÍSICA JURISDIÇÃO DELEGADA

INSTRUÇÕES BÁSICAS PARA PAGAMENTO DE HONORÁRIOS PROFISSIONAIS DE ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA ADVOGADOS E PERITOS PESSOA FÍSICA JURISDIÇÃO DELEGADA 0 HONORÁRIOS PROFISSIONAIS DE ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA ADVOGADOS E PERITOS PESSOA FÍSICA JURISDIÇÃO DELEGADA RESOLUÇÃO 541/2007 - CJF JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU SÃO PAULO NÚCLEO FINANCEIRO SEÇÃO DE

Leia mais

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES. PORTARIA N.º 261, DE 3 DE DEZEMBRO DE 2012 (DOU de 04/12/2012 Seção I Pág. 79)

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES. PORTARIA N.º 261, DE 3 DE DEZEMBRO DE 2012 (DOU de 04/12/2012 Seção I Pág. 79) MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES PORTARIA N.º 261, DE 3 DE DEZEMBRO DE 2012 (DOU de 04/12/2012 Seção I Pág. 79) Disciplina a concessão e a administração do benefício de passe livre à pessoa com deficiência,

Leia mais

1.1. Consulta à lista de mercadorias sujeitas à vigilância sanitária. 1.2.3. Como saber o código de assunto. 1.2.4. Como saber a lista de documentos

1.1. Consulta à lista de mercadorias sujeitas à vigilância sanitária. 1.2.3. Como saber o código de assunto. 1.2.4. Como saber a lista de documentos Atualizado: 15 / 0 7 / 2013 FAQ AI 1. Importação informações Gerais 1.1. Consulta à lista de mercadorias sujeitas à vigilância sanitária 1.2. AFE para prestação de serviço em PAF 1.2.1. Quem precisa 1.2.2.

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 333 DISPOSIÇÕES GERAIS

LEI COMPLEMENTAR Nº 333 DISPOSIÇÕES GERAIS DISPÕE SOBRE A INSTALAÇÃO, CONSERVAÇÃO E FUNCIONAMENTO DE ELEVADORES E APARELHOS DE TRANSPORTE AFINS, REGULAMENTA A HABITAÇÃO DAS EMPRESAS PRESTADORAS DESSES SERVIÇOS E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEI COMPLEMENTAR

Leia mais

Secretaria Municipal da Fazenda Serviço de Cadastro Mobiliário. 1. Documentação necessária para Inscrição e Alteração

Secretaria Municipal da Fazenda Serviço de Cadastro Mobiliário. 1. Documentação necessária para Inscrição e Alteração Cartilha Micro Empreendedor Individual (MEI) Alvará de Licença para Localização e Funcionamento Micro empreendedor Individual (MEI) é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno

Leia mais

Procedimento Operacional N⁰ do procedimento: PO 20

Procedimento Operacional N⁰ do procedimento: PO 20 1/ 8 Nº revisão Descrição da Revisão 00 Elaboração inicial do documento 01 Revisão e Adequação integral do PO 02 Adequação dos Registros e Padrões Demais envolvidos na análise e aprovação Área / Processo

Leia mais

Serviços Relacionados à Pessoa Jurídica

Serviços Relacionados à Pessoa Jurídica Serviços Relacionados à Pessoa Jurídica Atenção: Documentos apresentados em fotocópia devem ser autenticados em Cartório ou acompanhados dos originais para receberem autenticação do CREA. Documentos obrigatórios

Leia mais

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NFS-e. Prefeitura Municipal de Tupãssi

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NFS-e. Prefeitura Municipal de Tupãssi NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NFS-e Prefeitura Municipal de Tupãssi PERGUNTAS E RESPOSTAS O QUE É A NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NFS-e? R NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA (NFS-e) é um documento

Leia mais

Secretaria Municipal da Fazenda Serviço de Cadastro Mobiliário. 1. Documentação necessária para inscrição

Secretaria Municipal da Fazenda Serviço de Cadastro Mobiliário. 1. Documentação necessária para inscrição Cartilha de Atendimento ao Autônomo Alvará de Licença para Localização e Permanência. Fornecer alvará de licença para localização e permanência para os trabalhadores autônomos que exercem atividade sem

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS:

PERGUNTAS E RESPOSTAS: PERGUNTAS E RESPOSTAS: 1. Na falta de algum documento por ocasião do Registro Acadêmico perderei minha vaga? R.: Sim, porém, excepcionalmente, mediante justificativa fundamentada e comprovada (Boletim

Leia mais

ANO XXII - 2011-3ª SEMANA DE ABRIL DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 16/2011 TRIBUTOS FEDERAIS SIMPLES NACIONAL

ANO XXII - 2011-3ª SEMANA DE ABRIL DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 16/2011 TRIBUTOS FEDERAIS SIMPLES NACIONAL ANO XXII - 2011-3ª SEMANA DE ABRIL DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 16/2011 TRIBUTOS FEDERAIS REGIME DE TRIBUTAÇÃO UNIFICADA (RTU) - HABILITAÇÃO E CREDENCIAMENTO DE INTERVENIENTES - NORMAS GERAIS Introdução

Leia mais

I - Apresentar Carteira Nacional de Habilitação, categoria A, em validade, expedida há pelo menos dois anos;

I - Apresentar Carteira Nacional de Habilitação, categoria A, em validade, expedida há pelo menos dois anos; CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 10 - O presente regulamento dispõe sobre o serviço de transporte de carga, na modalidade denominada motoentrega, consiste no serviço de entrega e coleta de

Leia mais

Prefeitura Municipal de Belém Secretaria Municipal de Finanças

Prefeitura Municipal de Belém Secretaria Municipal de Finanças INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 004/2009 GABS/SEFIN Disciplina a emissão de Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS-e) e dá outras providências. O Secretário de Finanças do Município de Belém, no uso das atribuições

Leia mais

GUIA DO RNTRC PARA OS TRANSPORTADORES

GUIA DO RNTRC PARA OS TRANSPORTADORES GUIA DO RNTRC PARA OS TRANSPORTADORES Resolução ANTT nº 4.799/2015 1 VERSÃO 1 - OUTUBRO/2015 Em 28 de outubro de 2015 entrou em vigor a Resolução ANTT nº 4.799/2015 de 27 de julho de 2015, que traz algumas

Leia mais

CADASTRO DE FORNECEDORES (MATERIAL/SERVIÇOS)

CADASTRO DE FORNECEDORES (MATERIAL/SERVIÇOS) CADASTRO DE FORNECEDORES (MATERIAL/SERVIÇOS) ÍNDICE RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA CADASTRO DE FORNECEDORES DE MATERIAL/SERVIÇOS PÁGINA 2 FICHA DE INFORMAÇÕES PARA CADASTRO DE FORNECEDORES PÁGINA 4 DECLARAÇÃO

Leia mais

MA-GCF-002 Versão: 01 Vigência: 2013 Página: 1 / 14

MA-GCF-002 Versão: 01 Vigência: 2013 Página: 1 / 14 MA-GCF-002 Versão: 01 Vigência: 2013 Página: 1 / 14 MA-GCF-002 Versão: 01 Vigência: 2013 Página: 2 / 14 ÍNDICE 1. Objetivo... 3 2. Direito de obtenção e utilização... 4 3. Sem direito ao benefício do passe

Leia mais

NORMAS PARA SOLICITAÇÃO, AUTORIZAÇÃO, CONCESSÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE TRANSPORTE, PASSAGENS, HOSPEDAGEM E ADIANTAMENTO AOS CONSELHEIROS DE SAÚDE

NORMAS PARA SOLICITAÇÃO, AUTORIZAÇÃO, CONCESSÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE TRANSPORTE, PASSAGENS, HOSPEDAGEM E ADIANTAMENTO AOS CONSELHEIROS DE SAÚDE RESOLUÇÃO Nº 058/2012 NORMAS PARA SOLICITAÇÃO, AUTORIZAÇÃO, CONCESSÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE TRANSPORTE, PASSAGENS, HOSPEDAGEM E ADIANTAMENTO AOS CONSELHEIROS DE SAÚDE O Conselho Municipal de Saúde,

Leia mais

INFORMAÇÕES AOS FORNECEDORES SEJA NOSSO FORNECEDOR REGULAMENTO PARA EMISSÃO DO CRC COCEL (parte integrante do site www.cocel.com.

INFORMAÇÕES AOS FORNECEDORES SEJA NOSSO FORNECEDOR REGULAMENTO PARA EMISSÃO DO CRC COCEL (parte integrante do site www.cocel.com. 1/7 INFORMAÇÕES AOS FORNECEDORES SEJA NOSSO FORNECEDOR REGULAMENTO PARA EMISSÃO DO CRC COCEL (parte integrante do site www.cocel.com.br) INFORMAÇÕES I. O interessado na inscrição no Cadastro de Fornecedores

Leia mais

PLANO DE BENEFÍCIOS CARRO RESERVA 1.0 DO OBJETIVO DO PLANO:

PLANO DE BENEFÍCIOS CARRO RESERVA 1.0 DO OBJETIVO DO PLANO: PLANO DE BENEFÍCIOS CARRO RESERVA 1.0 DO OBJETIVO DO PLANO: 1.1 A destinação deste plano de benefício é disponibilizar, ora contratado, diárias de veículo econômico com ar para as pessoas físicas ou jurídicas

Leia mais

PORTARIA Nº 979/2009. RESOLVE editar a seguinte Portaria:

PORTARIA Nº 979/2009. RESOLVE editar a seguinte Portaria: MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL Gabinete da Procuradora Chefe PORTARIA Nº 979/2009 Disciplina, no âmbito da PR/SP, o procedimento de encaminhamento das solicitações de diárias. A PROCURADORA CHEFE DA PROCURADORIA

Leia mais

RIO GRANDE DO SUL CONTROLE INTERNO

RIO GRANDE DO SUL CONTROLE INTERNO 1/17 1 - DOS OBJETIVOS a) Regulamentar procedimentos de controle da frota de veículos leves e pesados da Prefeitura, visando otimizar o uso dos mesmos e reduzir custos de manutenção. 2- DOS ASPECTOS CONCEITUAIS

Leia mais

Procedimentos de Troca e Devolução

Procedimentos de Troca e Devolução Procedimentos de Troca e Devolução A Casa Modelo garante a troca e devolução dos produtos em um prazo de reclamação de 7 (sete) dias úteis, a partir do recebimento. Para facilitar este processo, alguns

Leia mais

DECRETO Nº 057, de16 denovembro de 2011.

DECRETO Nº 057, de16 denovembro de 2011. DECRETO Nº 057, de16 denovembro de 2011. Regulamenta a Lei Municipal nº 1.874, de 11 de novembro de 2011, que instituiu a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS-e) O Prefeito do Município de Campina Verde,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 21, DE 28 DE MAIO DE 2002(*)

RESOLUÇÃO Nº 21, DE 28 DE MAIO DE 2002(*) Republicação Ministério dos Transportes Agência Nacional de Transportes Terrestres Diretoria-Geral RESOLUÇÃO Nº 21, DE 28 DE MAIO DE 2002(*) A Diretoria da Agência Nacional de Transportes Terrestres -ANTT,

Leia mais

TERMO DE CONVOCAÇÃO Nº. 001/15 MODALIDADE: CONVITE

TERMO DE CONVOCAÇÃO Nº. 001/15 MODALIDADE: CONVITE TERMO DE CONVOCAÇÃO Nº. 001/15 DATA DE ABERTURA: 22/01/2015 10H (HORÁRIO DE BRASÍLIA) SEDE DA CBVD: RUA AFONSO CELSO, 1221 CJ 36 VL. MARIANA CEP: 041.19-061 - SÃO PAULO/SP - BRASIL A CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA

Leia mais

Norma para pagamento de diária a serviço e solicitação de passagem aérea

Norma para pagamento de diária a serviço e solicitação de passagem aérea Norma para pagamento de diária a serviço e solicitação de passagem aérea Objetivo: A presente norma tem por objetivo formalizar e agilizar os pedidos de diária e passagem a serviço da entidade bem como

Leia mais

NORMA DE PRÉ-QUALIFICAÇÃO PARA OPERADOR PORTUÁRIO NOS PORTOS DE SALVADOR E ARATU

NORMA DE PRÉ-QUALIFICAÇÃO PARA OPERADOR PORTUÁRIO NOS PORTOS DE SALVADOR E ARATU NORMA DE PRÉ-QUALIFICAÇÃO PARA OPERADOR PORTUÁRIO NOS PORTOS DE SALVADOR E ARATU SALVADOR BA APROVADA NA REUNIÃO DE 16/02/2006 S U M Á R I O 1 - Objetivo 2 - Âmbito de aplicação 3 - Competências 4 - Definições

Leia mais

Passo a passo Aditamento a contrato de financiamento/empréstimo pessoal cessão de direitos e obrigações.

Passo a passo Aditamento a contrato de financiamento/empréstimo pessoal cessão de direitos e obrigações. Passo a passo Aditamento a contrato de financiamento/empréstimo pessoal cessão de direitos e obrigações. Para dar início ao processo de transferência do contrato primeiramente é necessário preencher a

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO - N.º 19651/2012

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO - N.º 19651/2012 SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO - N.º 19651/2012 Prezados Senhores, Brasília, 28 de novembro de 2012. O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD, no âmbito do Projeto BRA/04/044 - Implementação de

Leia mais

Passos e Orientações para solicitação de credenciamento como emissor de NF-e. Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo

Passos e Orientações para solicitação de credenciamento como emissor de NF-e. Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo Passos e Orientações para solicitação de credenciamento como emissor de NF-e Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo Versão: 24/05/2010 Passos e Orientações para solicitação de credenciamento como

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Prefeitura Municipal de Boa Vista do Buricá SECRETARIA MUNICIPAL DE AGRICULTURA EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 001/2014

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Prefeitura Municipal de Boa Vista do Buricá SECRETARIA MUNICIPAL DE AGRICULTURA EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 001/2014 ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Prefeitura Municipal de Boa Vista do Buricá SECRETARIA MUNICIPAL DE AGRICULTURA EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 001/2014 O Município de Boa Vista do Buricá, comunica aos interessados

Leia mais

SEÇÃO VII PRODUTOS VEGETAIS, SEUS SUBPRODUTOS E RESÍDUOS DE VALOR ECONÔMICO, PADRONIZADOS PELO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO

SEÇÃO VII PRODUTOS VEGETAIS, SEUS SUBPRODUTOS E RESÍDUOS DE VALOR ECONÔMICO, PADRONIZADOS PELO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEÇÃO VII PRODUTOS VEGETAIS, SEUS SUBPRODUTOS E RESÍDUOS DE VALOR ECONÔMICO, PADRONIZADOS PELO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS Os produtos vegetais, seus subprodutos

Leia mais

TABELA IV DEPARTAMENTO DE TRÂNSITO DO ESTADO DO PARÁ

TABELA IV DEPARTAMENTO DE TRÂNSITO DO ESTADO DO PARÁ Lei nº 5.055/82 Revogada a Tabela IV pela Lei 6.430/01, efeitos a partir de 28.12.01. Vide a Lei 6.279/99, que institui a Taxa de Segurança de órgãos do Sistema de Segurança Pública. Redação dada a Tabela

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA OBTENÇÃO DE PASSAPORTE. Siga os seguintes passos para retirar seu Passaporte

PROCEDIMENTO PARA OBTENÇÃO DE PASSAPORTE. Siga os seguintes passos para retirar seu Passaporte PROCEDIMENTO PARA OBTENÇÃO DE PASSAPORTE Siga os seguintes passos para retirar seu Passaporte Verifique a documentação necessária. Atenção: Não há renovação nem prorrogação de passaporte, se o seu está

Leia mais

RESPOSTAS A PERGUNTAS MAIS FREQUENTES DA SOCIEDADE (inciso VI do art. 8º da Lei nº 12.527/2011) SUMÁRIO. 1. Registro Profissional...

RESPOSTAS A PERGUNTAS MAIS FREQUENTES DA SOCIEDADE (inciso VI do art. 8º da Lei nº 12.527/2011) SUMÁRIO. 1. Registro Profissional... SUMÁRIO 1. Registro Profissional... 2 2. Isenção de Anuidade... 3 3. Transferência de Regional... 4 4. Cancelamento de Registro (Pessoa Física)... 5 5. Reativação de Registro Profissional... 6 6. Parcelamento

Leia mais

1. INSTALAÇÃO DO SISTEMA. 3 2. PRIMEIRO LOGIN. 8 3. ATUALIZAÇÃO DO SISTEMA. 12 4. DESINSTALAÇÃO DO SISTEMA. 14 5. EXCLUIR DADOS. 15 6.

1. INSTALAÇÃO DO SISTEMA. 3 2. PRIMEIRO LOGIN. 8 3. ATUALIZAÇÃO DO SISTEMA. 12 4. DESINSTALAÇÃO DO SISTEMA. 14 5. EXCLUIR DADOS. 15 6. Índice 1. INSTALAÇÃO DO SISTEMA...3 2. PRIMEIRO LOGIN...8 3. ATUALIZAÇÃO DO SISTEMA...12 4. DESINSTALAÇÃO DO SISTEMA...14 5. EXCLUIR DADOS...15 6. APRESENTAÇÃO DO EXTRANET...17 6.1 Sistema DESCONECTADO...18

Leia mais

Lei n. 12.101/2009 Decreto n. 7.237/2010

Lei n. 12.101/2009 Decreto n. 7.237/2010 Lei n. 12.101/2009 Decreto n. 7.237/2010 LEI N. 12.101/2009 DECRETO N. 7237/2010 O principal objetivo da presente Lei é dispor sobre a certificação das entidades beneficentes de assistência social. Tem

Leia mais

MANUAL DE ANOTAÇÃO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA - ART (SP/MT/MS)

MANUAL DE ANOTAÇÃO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA - ART (SP/MT/MS) MANUAL DE ANOTAÇÃO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA - ART (SP/MT/MS) Sumário 1 - Procedimentos para obter 1ª ART Eletrônica... 2 2 Como obter o Termo de Responsabilidade Técnica... 3 3 - Encaminhar documentos

Leia mais

Cartilha. Ourocap Fiador

Cartilha. Ourocap Fiador Faz diferença ter Ourocap Fiador na hora de alugar um imóvel. Cartilha Ourocap Fiador O Ourocap Fiador* é o título de capitalização que funciona como uma garantia de aluguel, facilitando sua vida na hora

Leia mais

NFS-e. Nota Legal Porto Alegre

NFS-e. Nota Legal Porto Alegre NFS-e Nota Legal Porto Alegre APRESENTAÇÃO DA NFS-e A Nota Fiscal de Serviços Eletrônica é um documento digital, gerado e armazenado eletronicamente pela prefeitura e que substitui as tradicionais notas

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS PROCESSO Nº 1544/04 - PROJETO DE LEI Nº 187 INTERESSADO: Vereador Edson Antonio Fermiano ASSUNTO: Dispõe sobre os serviços de transporte coletivo escolar e dá outras providências. -0- Senhor Presidente

Leia mais

CADASTRAMENTO DE EMPRESAS PERGUNTAS FREQUENTES

CADASTRAMENTO DE EMPRESAS PERGUNTAS FREQUENTES CADASTRAMENTO DE EMPRESAS PERGUNTAS FREQUENTES 1 Quais são os sujeitos que devem ser cadastrados e o que cada um representa no cadastro da empresa?...2 2 Como fazer para cadastrar uma empresa?...3 3 Cliquei

Leia mais

Passos e Orientações para solicitação de credenciamento como emissor de NF-e. Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo

Passos e Orientações para solicitação de credenciamento como emissor de NF-e. Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo Passos e Orientações para solicitação de credenciamento como emissor de NF-e Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo Versão 1.0 23/07/2009 Passos e Orientações para solicitação de credenciamento como

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA COTAÇÃO PRÉVIA Nº 10/2014, REFERENTE AO CONVÊNIO SICONV Nº 794450/2013

TERMO DE REFERÊNCIA COTAÇÃO PRÉVIA Nº 10/2014, REFERENTE AO CONVÊNIO SICONV Nº 794450/2013 TERMO DE REFERÊNCIA COTAÇÃO PRÉVIA Nº 10/2014, REFERENTE AO CONVÊNIO SICONV Nº 794450/2013 O Instituto Tribos Jovens, associação civil sem fins lucrativos, com sede em Porto Seguro/BA, na Rua Saldanha

Leia mais

REGULAMENTO. Presenteador: É a pessoa física ou jurídica que adquire o VALE-VIAGEM CVC, mediante a compra direta de cargas de valores.

REGULAMENTO. Presenteador: É a pessoa física ou jurídica que adquire o VALE-VIAGEM CVC, mediante a compra direta de cargas de valores. REGULAMENTO A CVC BRASIL OPERADORA E AGÊNCIA DE VIAGENS S.A., o Presenteador e o Presenteado do VALE-VIAGEM CVC, a primeira, na qualidade de prestadora de serviços de turismo, e o segundo, aderindo às

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 0020, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2005

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 0020, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2005 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 0020, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2005 Publicada no DOE(Pa) de 29.11.05. Alterada pela IN 05/13. Dispõe sobre a apresentação da Declaração de Informações Econômico-Fiscais - DIEF relativa

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE DIÁRIAS, FORMAS DE DESLOCAMENTO E PRESTAÇÃO DE CONTAS

ORIENTAÇÕES SOBRE DIÁRIAS, FORMAS DE DESLOCAMENTO E PRESTAÇÃO DE CONTAS ORIENTAÇÕES SOBRE DIÁRIAS, FORMAS DE DESLOCAMENTO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DIÁRIAS De acordo com a Resolução n. 31/2009-GP, que dispõe sobre a concessão e o valor das diárias a magistrados e servidores. Art.

Leia mais

Região Metropolitana de Campinas

Região Metropolitana de Campinas MA-GRC-001 Versão: 01 Vigência: 2015 Página: 1 / 11 Região Metropolitana de Campinas 1 MA-GRC-001 Versão: 01 Vigência: 2015 Página: 2 / 11 ÍNDICE 1. Objetivo... 3 2. Direito de obtenção e utilização...

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ MANUAL DO USUÁRIO ACESSO AO SISTEMA

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ MANUAL DO USUÁRIO ACESSO AO SISTEMA O ISS-e é um sistema completo de gestão do ISS do Município de Maringá, composto pelos módulos de: - NFS-e (Nota Fiscal de Serviços Eletrônica) - DMS-e (Declaração Mensal de Serviços Eletrônica) - AIDF-e

Leia mais

SERVICE LEVEL AGREEMENT

SERVICE LEVEL AGREEMENT SERVICE LEVEL AGREEMENT SERVIÇOS PRESTADOS CERTIDÃO NEGATIVA ESTADUAL/ MUNICIPAL/ FEDERAL Este serviço consiste em fornecer a Certidão Negativa de Débitos Estadual/Municipal aos clientes e Assessorias

Leia mais

INFORMAÇÕES IMPORTANTES SOBRE O SEGURO DESEMPREGO

INFORMAÇÕES IMPORTANTES SOBRE O SEGURO DESEMPREGO INFORMAÇÕES IMPORTANTES SOBRE O SEGURO DESEMPREGO Benefício temporário concedido ao trabalhador desempregado dispensado sem justa causa é composto por 3 a 5 parcelas mensais, pagas em dinheiro, de valores

Leia mais

RESOLUÇÃO - RDC nº 6, de 2 de janeiro de 2001(*).

RESOLUÇÃO - RDC nº 6, de 2 de janeiro de 2001(*). RESOLUÇÃO - RDC nº 6, de 2 de janeiro de 2001(*). Dispõe sobre o sistema de Recolhimento da Arrecadação de Taxas de Fiscalização de Vigilância Sanitária e dá outras providências. A Diretoria Colegiada

Leia mais

INFORMATIVO CONTÁBIL/FISCAL OCB/ES Nº 01/2014

INFORMATIVO CONTÁBIL/FISCAL OCB/ES Nº 01/2014 INFORMATIVO CONTÁBIL/FISCAL OCB/ES Nº 01/2014 (07 de Janeiro de 2014) 01. DECRETO Nº 3477-R, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2013. Órgão: Secretaria da Fazendo do Espírito Santo (SEFAZ) Ementa: Despensa a exigência

Leia mais

SUBCONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE TRANSPORTE

SUBCONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE TRANSPORTE 1. OBJETIVO Estabelecer procedimento padrão para subcontratar serviços de transporte de cargas, sem exclusividade, subordinação e dependência, com a finalidade da realização da prestação de serviços de

Leia mais

Carta de Serviços aos Cidadãos

Carta de Serviços aos Cidadãos Carta de Serviços aos Cidadãos Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul: a cada dia mais próximo da comunidade www.tre-jus.br O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul é um órgão do Poder

Leia mais

Compra e recebimento de Crédito de ICMS para pagamento de conta de Energia Elétrica

Compra e recebimento de Crédito de ICMS para pagamento de conta de Energia Elétrica Compra e recebimento de Crédito de ICMS para pagamento de conta de Energia Elétrica Engº Francisco Antônio Ramos de Oliveira Gerente de Negócios faro@cpfl.com.br 14 9148 5978 São Paulo, 16 de junho de

Leia mais

MANUAL DO SERVIÇO PARA ASSISTÊNCIA AUTOMÓVEL SERVCAR

MANUAL DO SERVIÇO PARA ASSISTÊNCIA AUTOMÓVEL SERVCAR MANUAL DO SERVIÇO PARA ASSISTÊNCIA AUTOMÓVEL SERVCAR 1. OBJETIVO Este manual contém informações acerca dos procedimentos que deverão ser tomados na ocorrência de qualquer fato que acarrete na utilização

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP:

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP: PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP: A oportunidade de se tornar um facilitador de aprendizagem e/ou consultor para o sucesso das micro e pequenas empresas APRESENTAÇÃO Esta cartilha

Leia mais

1. OBJETIVO Prestar atendimento ao cidadão de maneira rápida, eficiente e eficaz, de acordo com os requisitos especificados pelo cliente.

1. OBJETIVO Prestar atendimento ao cidadão de maneira rápida, eficiente e eficaz, de acordo com os requisitos especificados pelo cliente. Sistema de Gestão do Programa Vapt Vupt SUPERINTENDÊNCIA DE VAPT VUPT E ATENDIMENTO AO PÚBLICO INSTRUÇÃO DE TRABALHO VAPT VUPT EMPRESARIAL PREFEITURA DE GOIANIA Responsável: Rosana Mérola Martins Cópia

Leia mais

DECRETO N.º 3.952, DE 02 DE OUTUBRO DE 2013.

DECRETO N.º 3.952, DE 02 DE OUTUBRO DE 2013. DECRETO N.º 3.952, DE 02 DE OUTUBRO DE 2013. Disciplina a liberação, o cancelamento e a baixa de Alvará de Localização e Funcionamento no município de Erechim. O Prefeito Municipal de Erechim, Estado do

Leia mais

Manual de Reembolso. Para ter acesso a este benefício, fique atento às dicas a seguir. 2ª edição

Manual de Reembolso. Para ter acesso a este benefício, fique atento às dicas a seguir. 2ª edição Manual de Reembolso 2ª edição Você sabia que quando não utiliza os serviços da rede credenciada do Agros, seja por estar fora da área de cobertura do plano de saúde ou por opção, pode solicitar o reembolso

Leia mais

Manual de Solicitação da Autorização de Importação Específica

Manual de Solicitação da Autorização de Importação Específica 2014 Manual de Solicitação da Autorização de Importação Específica Autorização de Importação Específica destinada a órgãos de repressão a entorpecentes, entidades importadoras de controle de dopagem, laboratórios

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº, DE DE DE 2014

RESOLUÇÃO Nº, DE DE DE 2014 Dispõe sobre a regulamentação da prestação do serviço de transporte rodoviário coletivo interestadual ou internacional de passageiros, em regime de fretamento. A Diretoria da Agência Nacional de Transportes

Leia mais

O que é o Cadastro Unificado de Fornecedores do Estado - CADFOR? Como posso emitir meu Certificado de Registro Cadastral CRC homologado?

O que é o Cadastro Unificado de Fornecedores do Estado - CADFOR? Como posso emitir meu Certificado de Registro Cadastral CRC homologado? O que é o Cadastro Unificado de Fornecedores do Estado - CADFOR? O Cadastro Unificado de Fornecedores do Estado CADFOR é o registro cadastral de interessados em fornecer produtos, serviço e/ou obras para

Leia mais