esocial Sua Empresa Está Preparada? Sincotecpel- 08/04/2015

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "esocial Sua Empresa Está Preparada? Sincotecpel- 08/04/2015"

Transcrição

1 esocial Sua Empresa Está Preparada? Sincotecpel- 08/04/2015 Apresentação: César Thompsen Contador, Empresário Contábil, Diretor de Comunicação e Mídia do SINCOTECPEL, Orientador de Cursos de Educação Profissional do SENAC e do SINCOTECPEL, Membro da Comissão de Estudos de Organizações Contábeis do CRCRS.

2 Legislação Básica: DECRETO-LEI Nº 5.452, DE 1º DE MAIO DE 1943 CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS DO TRABALHO DECRETO Nº , DE 8 DE NOVEMBRO DE 1990 REGULAMENTO DO FUNDO DE GARANTIA DO TEMPO DE SERVIÇO (FGTS) LEI Nº DE 27 DE NOVEMBRO DE 1998 REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DECRETO Nº 3.048, DE 6 DE MAIO DE 1999 REGULAMENTO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL DECRETO Nº 6.022, DE 22 DE JANEIRO DE 2007 REGULAMENTA O SPED DECRETO Nº 8.373, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014 INTITUI O esocial RESOLUÇÃO DO COMITÊ GESTOR DO esocialnº 1/2015, DE 20 DE FEVEREIRO DE 2015 REGULAMENTA O esocial

3 COMITÊ DIRETIVO DO esocial O Comitê Diretivo do esocial é composto pelos Secretários-Executivos dos seguintes órgãos: Ministério da Fazenda; Ministério da Previdência Social; Ministério do Trabalho e Emprego; e Secretaria da Micro e Pequena Empresa da Presidência da República.

4 COMITÊ GESTOR DO esocial O Comitê Gestor do esocial é formado por representantes dos seguintes órgãos: Ministério do Trabalho e Emprego; Ministério da Previdência Social; Secretaria da Receita Federal do Brasil; Instituto Nacional do Seguro Social- INSS; e Conselho Curador do FGTS, representado pela Caixa Econômica Federal, na qualidade de agente operador do FGTS.

5 OBJETO DO esocial O esocial é o instrumento de unificação da prestação das informações referentes à escrituração das obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas e tem por finalidade padronizar sua transmissão, validação, armazenamento e distribuição, constituindo ambiente nacional composto por:

6 Escrituração digital, contendo informações fiscais, previdenciárias e trabalhistas; Aplicação para preenchimento, geração, transmissão, recepção, validação e distribuição da escrituração; e Repositório nacional, contendo o armazenamento da escrituração.

7 A prestação das informações ao esocial substituirá, na forma disciplinada pelos órgãos ou entidades partícipes, a obrigação de entrega das mesmas informações em outros formulários e declarações a que estão sujeitos:

8 O empregador, inclusive o doméstico, a empresa e os que forem a eles equiparados em lei; O segurado especial, inclusive em relação a trabalhadores que lhe prestem serviço; As pessoas jurídicas de direito público da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios; e As demais pessoas jurídicas e físicas que pagarem ou creditarem por si rendimentos sobre os quais tenha incidido retenção do Imposto sobre a Renda Retido na Fonte - IRRF, ainda que em um único mês do anocalendário.

9 O esocial estabelece a forma com que passam a ser prestadas as informações trabalhistas, previdenciárias, tributárias e fiscais relativas à contratação e utilização de mão de obra onerosa, com ou sem vínculo empregatício, e de produção rural.

10 SÃO OBJETIVOS DO esocial: Viabilizar a garantia de direitos previdenciários e trabalhistas aos trabalhadores; Simplificar o cumprimento de obrigações; e Aprimorar a qualidade de informações das relações de trabalho, previdenciárias e fiscais. O esocial substituirá o procedimento de envio das diversas declarações, formulários, termos e documentos relativos a relação de trabalho.

11 As informações referentes a períodos anteriores à implantação do esocial devem ser enviadas pelos sistemas utilizados à época. Os arquivos complementares anexos ao MOS - Manual de Orientações do esocial Versão 2.0 (MOS - vs 2.0), bem como o próprio manual, estão disponíveis no sítio

12 A substituição das informações que são prestadas aos órgãos integrantes do Comitê Gestor do esocial em outras declarações e formulários pelas informações do esocial, se dará com base na regulamentação de cada órgão, conforme competência legal para exigência dessas obrigações.

13 O prazo máximo para substituição das declarações e formulários que exigem as mesmas informações do esocial será definido em resolução do Comitê Diretivo do esocial. Cada órgão dará publicidade da substituição de suas obrigações por meio de ato normativo específico da autoridade competente, a ser expedido de acordo com a oportunidade e conveniência administrativa, respeitando o prazo definido pelo Comitê Diretivo.

14 As informações prestadas na forma estabelecida no MOS - vs 2.0 substituirão as informações constantes da Guia de Informações à Previdência e Recolhimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço GFIP, de acordo com a regulamentação específica da Secretaria da Receita Federal do Brasil e do Conselho Curador do FGTS, representado pela Caixa Econômica Federal na qualidade de agente operador do FGTS.

15 Os órgãos partícipes disciplinarão os procedimentos e os efeitos para que as informações prestadas no esocial componham a base de cálculo para a apuração dos débitos delas decorrentes e a base de dados para fins de cálculo e concessão de benefícios previdenciários e trabalhistas, em atos administrativos específicos das autoridades competentes.

16 AMBIENTES DO esocial Produção Ambiente destinado para processamento e apuração das informações do empregador que produz todos os efeitos jurídicos. Pré-produção - dados reais Ambiente de testes utilizando dados reais que serão validados, inclusive com os sistemas externos, sem efeitos jurídicos. Pré-produção - dados fictícios Ambiente de teste que não serão validados com os sistemas externos.

17 EVENTOS DO esocial As informações são prestadas ao esocial por meio dos seguintes grupos de eventos: Eventos Iniciais Eventos de Tabelas Eventos Não Periódicos Eventos Periódicos.

18 Cada evento possui um leiaute específico. Estes leiautespodemserencontradosnosanexosdomos-vs 2.0. Deve-se utilizar os leiautes vigentes à época da ocorrência dos eventos a serem enviados ao sistema esocial. Os leiautes fazem referências a regras de negócio. Estas podem ser encontradas no documento Tabela de Regras, disponibilizado no anexo do MOS - vs 2.0. Esta tabela apresenta as regras de preenchimento dos eventos devendo ser consultada quando da ocorrência de inconsistências ou rejeições no processamento de eventos pelo esocial.

19 EVENTOS INICIAIS É o primeiro grupo de eventos a ser transmitido ao Ambiente Nacional do esocial. São eventos que identificam o empregador/contribuinte, contendo dados básicos de sua classificação fiscal e de sua estrutura administrativa. Também pode ser incluído neste grupo o cadastramento inicial dos vínculos dos empregados ativos, mesmo que afastados, no momento da implantação do esocial. O cadastramento inicial dos vínculos somente deve ser enviado após o grupo de eventos de Tabelas.

20 EVENTOS DE TABELAS Estes eventos complementam os iniciais, são responsáveis por uma série de informações que validam os eventos não periódicos e periódicos, e buscam otimização na geração dos arquivos e no armazenamento das informações no Ambiente Nacional do esocial, por serem utilizadas em mais de um evento do sistema ou por se repetirem em diversas partes do leiaute.

21 EVENTOS INICIAIS E TABELAS DO EMPREGADOR Para envio dos Eventos Iniciais e Tabelas do Empregador deve-se observar o que segue:

22 As informações relativas à identificação do empregador, de seus estabelecimentos e obras de construção civil deverão ser enviadas previamente à transmissão de outras informações;

23 As informações relativas às tabelas do empregador, que representam um conjunto de regras específicas necessárias para validação dos eventos do esocial, como as rubricas da folha de pagamento, informações de processos administrativos e judiciais, lotações, relação de cargos, carreiras, patentes e funções, jornada de trabalho, horário contratual, ambientes de trabalho e outras necessárias para verificação da integridade dos eventos periódicos e não periódicos deverão ser enviadas previamente à transmissão de qualquer evento que requeira essas informações.

24 EVENTOS NÃO PERIÓDICOS São aqueles que não tem uma data pré-fixada para ocorrer, pois dependem de acontecimentos na relação entre a empresa e o trabalhador que influenciam no reconhecimento de direitos e no cumprimento de deveres trabalhistas, previdenciários e fiscais como, por exemplo, a admissão de um empregado, a alteração de salário, a exposição do trabalhador a agentes nocivos e o desligamento, dentre outros.

25 PRAZO DE ENVIO Como regra geral, a definição dos prazos de envio dos eventos não periódicos respeita regras que asseguram os direitos dos trabalhadores, caso da admissão e do acidente de trabalho, ou possibilitam recolhimentos de encargos que tenham prazos diferenciados, caso do desligamento. Como estes fatos/eventos passam a ter prazo específico para sua transmissão ao esocial, vinculados a sua efetiva ocorrência, o MOS - vs 2.0 apresenta em cada descrição dos eventos não periódicos seu respectivo prazo de envio.

26 Os eventos não periódicos sem prazo diferenciado devem ser enviados, quando ocorrerem, antes dos eventos mensais da folha de pagamento, com o objetivo de se evitar inconsistências entre a folha de pagamento eoseventosdetabelaseosnãoperiódicos. O melhor momento para se transmitir os eventos não periódicos e os de tabela é imediatamente após a sua ocorrência. Este procedimento além de impedir possíveis inconsistências, evita tanto o represamento desnecessário de eventos a serem transmitidos quanto o congestionamento de redes pela transmissão de última hora.

27 REGISTRO DE EVENTOS TRABALHISTAS RET As informações dos eventos não periódicos alimentam a base de dados no Ambiente Nacional do esocial, denominada Registro de Eventos Trabalhistas RET. Todos os arquivos de eventos não periódicos, ao serem transmitidos ao esocial, são submetidos às regras de validação e somente são aceitos se estiverem consistentes com o RET.

28 Exemplo 1: o evento de desligamento de empregado somente é aceito se, para aquele empregado, tiver sido enviado anteriormente, o evento de admissão. Exemplo 2: um evento de reintegração somente é aceito se o empregado já estiver desligado. ORETtambém é utilizadopara validaçãoda folha de pagamento, composta pelos eventos de remuneração e pagamento dos trabalhadores, que fazem parte dos eventos periódicos.

29 Além dos empregados, outras categorias de trabalhadores também constituem objeto de informações que alimentarão o RET, são os Trabalhadores Sem Vínculo TSV, que incluem obrigatoriamente os trabalhadores avulsos, os dirigentes sindicais, os estagiários, e algumas categorias de contribuintes individuais, como diretores não empregados e cooperados. Porém todos os contribuintes individuais, mesmos os não abrangidos pelas atividades específicas obrigatórias supracitadas, podem ser incluídos como TSV, de forma opcional.

30 EVENTOS PERIÓDICOS São aqueles cuja ocorrência tem periodicidade previamente definida, compostos por informações de folha de pagamento, de apuração de outros fatos geradores de contribuições previdenciárias como, por exemplo, os incidentes sobre pagamentos efetuados às pessoas físicas quando da aquisição da sua produção rural, e do imposto sobre a renda retido na fonte sobre pagamentos a pessoa física, feito pelo contribuinte.

31 PRAZO DE ENVIO Os eventos periódicos devem ser transmitidos até o dia 07 do mês seguinte, antecipando-se o vencimento para o dia útil imediatamente anterior, em caso de não haver expediente bancário.

32 FOLHA DE PAGAMENTO Constitui obrigação da empresa preparar folha de pagamento da remuneração paga, devida ou creditada a todos os segurados a seu serviço, devendo manter, em cada estabelecimento, uma via da respectiva folha e recibos de pagamentos, conforme art. 225 do Decreto 3.048/1999, que trata do Regulamento da Previdência Social.

33 A folha de pagamento deve ser elaborada mensalmente, de forma coletiva por estabelecimento da empresa, por obra de construção civil e por tomador de serviços, com a correspondente totalização. A folha de pagamento deve ser informada em dois momentos:

34 a) as informações da folha de pagamento contendo as remunerações devidas aos empregados, trabalhadores avulsos e contribuintes individuais, bem como os correspondentes totais, base de cálculo e valores devidos de contribuições previdenciárias, contribuições sociais de que trata a Lei Complementar nº 110, de 2001, contribuições sindicais, FGTS e imposto sobre a renda devem ser enviadas até o dia 7 (sete) do mês subsequente ao que se refiram;

35 b) as informações da folha de pagamento contendo os pagamentos realizados a todos os trabalhadores, deduções e os valores devidos do imposto de renda retidonafontedevemsertransmitidasatéodia7(sete) do mês subsequente ao do pagamento;

36 RETIFICAÇÕES, ALTERAÇÕES E EXCLUSÕES O procedimento ALTERAÇÃO das informações transmitidas ao esocial ocorre somente nos eventos de Tabelas (S-1005 a S-1080) e no evento S Informações do Empregador/Contribuinte, atreladas à respectiva vigência ou período de validade. Também é prevista a alteração por meio de eventos não periódicos específicos. Todos os demais casos de alteração nas informações transmitidas serão tratados pelo esocial como procedimentos de RETIFICAÇÃO, ou mesmo de EXCLUSÃO.

37 IDENTIFICADORES EMPREGADOR/CONTRIBUINTE A partir da data de entrada em vigor do esocial os empregadores/contribuintes pessoa jurídica são identificados apenas pelo Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica CNPJ, e os empregadores/contribuintes pessoa física, apenas pelo Cadastro de Pessoas Físicas CPF. O identificador chave para as empresas em geral será o CNPJ-Raiz/Base de oito posições, exceto se natureza jurídica de administração pública federal, situação em que o campo deve ser preenchido com o CNPJ completo com 14 posições.

38 As pessoas físicas que utilizam a matrícula Cadastro Específico do INSS CEI passam a usar o Cadastro de Atividades Econômicas da Pessoa Física CAEPF, que se constitui em um número sequencial vinculado ao CPF. Neste caso, a pessoa física deve providenciar o registro no CAEPF, de acordo com normatização específica da RFB.

39 Para as obras de construção civil, que possuem responsáveis pessoas físicas ou jurídicas, a matrícula CEI passa a ser substituída pelo Cadastro Nacional de Obras CNO que, obrigatoriamente, é vinculado a um CNPJ ou aumcpf. As matrículas CEI existentes na data de implantação do CNO, relativas às obras de construção civil, passam a compor o cadastro inicial do CNO. Até a implantação do Cadastro Nacional de Obras, deverá ser usado o CEI da obra no lugar do CNO no esocial.

40 TRABALHADOR Os trabalhadores, por sua vez, têm como identificadores obrigatórios, o CPF e o NIS - Número de Identificação Social. ONISpodeseroNúmerodeInscriçãonaPrevidência Social - NIT, no Programa de Integração Social - PIS, no Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público-PASEP,ounoSistemaÚnicodeSaúde-SUS. O trio de informações CPF x NIS x Data de nascimento deve estar consistente no Cadastro Nacional de Informações Sociais CNIS, e será validado no ato da transmissão.

41 TRABALHADORES SEM VÍNCULO TSV Incluem obrigatoriamente os trabalhadores avulsos, os dirigentes sindicais, os estagiários, e algumas categorias de contribuintes individuais, como diretores não empregados e cooperados. Porém todos os contribuintes individuais, mesmos os não abrangidos pelas atividades específicas obrigatórias supracitadas, podem ser incluídos como TSV, de forma opcional.

42 ACESSO AO esocial TRANSMISSÃO VIA CERTIFICAÇÃO DIGITAL- ICP-BRASIL Os eventos que compõem o esocial, em regra geral, devem ser transmitidos mediante autenticação e assinatura digital utilizando-se certificado digital válido no âmbito da Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileiras(ICP-Brasil).

43 DISPENSADOS DO USO DA CERTIFICAÇÃO DIGITAL ICP-BRASIL Terão as rotinas de autenticação disciplinadas no Manual de Orientação do esocial, não se aplicando a obrigação do uso da certificação ICP-Brasil, o Micro Empreendedor Individual - MEI com empregado, o segurado especial e os obrigados relacionados a seguir que possuam até 7(sete) empregados:

44 a) Empregadores domésticos; b) Micro e pequenas empresas optantes pelo Simples Nacional; c) Contribuinte individual equiparado à empresa; e d) Pequeno produtor rural.

45 TRANSMISSÃO DOS EVENTOS POR PROCURADORES A transmissão e a assinatura digital dos eventos poderão ser feitas por procuradores com poderes outorgados de acordo com modelos adotados pelos órgãos e entidades integrantes do Comitê Gestor do esocial.

46 FALTA DE TRANSMISSÃO DAS INFORMAÇÕES Aquele que deixar de prestar as informações no prazo fixado ou que a apresentar com incorreções ou omissões ficará sujeito às penalidades previstas na legislação.

47 GUARDA DE DOCUMENTOS Embora previsto o repositório nacional, contendo o armazenamento da escrituração digital, o período de guarda de documentos continuará a mesma prevista na legislação atual.

48 FISCALIZAÇÃO E PENALIDADES FISCALIZAÇÃO Tendo em vista a não ocorrência de modificações nas legislações pertinentes ao processo fiscalizador, depreende-se, por conseguinte, que não haverá mudança no processo. Todavia, devemos ficar atentos às modificações legais que poderão ocorrer após a implantação. O que poderá ocorrer é que, como os órgãos fiscalizadores terão acesso a todas as informações via esocial, a ocorrência de fiscalizações físicas deverá diminuir.

49 PENALIDADES INFRAÇÃO VALOR EM REAIS MÍNIMO MÁXIMO FALTA DE ANOTAÇÃO DA CTPS R$ 402,53 R$ 402,53 FALTA DE REGISTRO DE EMPREGADO R$ 402,53 R$ 402,53 FÉRIAS R$ 170,26 R$ 170,26 DURAÇÃO E CONDIÇÕES ESPECIAIS DO TRABALHO R$ 40,25 R$ 4.025,33 NACIONALIZAÇÃO DO TRABALHO R$ 80,51 R$ 8.050,66 TRABALHO DA MULHER R$ 80,51 R$ 805,07 TRABALHO DO MENOR R$ 402,53 R$ 402,53 TRABALHO RURAL R$ 4,03 R$ 402,53 ANOTAÇÃO INDEVIDA NA CTPS R$ 402,53 R$ 402,53 CONTRATO INDIVIDUAL DE TRABALHO R$ 402,53 R$ 402,53 ATRASO PAGAMENTO DE SALÁRIO R$ 170,26 R$ 170,26 NÃO PAGAMENTO DE VERBAS RESCISÓRIAS NO PRAZO PREVISTO R$ 170,26 R$ 170,26 CONTRIBUIÇÃO SINDICAL R$ 8,05 R$ 8.050,66 FISCALIZAÇÃO R$ 201,27 R$ 2.012,66 13º SALÁRIO R$ 170,26 R$ 170,26 VALE-TRANSPORTE R$ 170,26 R$ 170,26 FGTS: FALTA DE DEPÓSITO R$ 10,64 R$ 106,41

50 MULTAS POR DESCUMPRIMENTO DE NORMAS DE MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO PROGRAMA PCMSO -PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL VALOR MÍNIMO VALOR MÁXIMO R$ 402,53 R$ 4.025,32 PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS R$ 670,88 R$ 6.708,87 LTCAT -LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO PCMAT -PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL PPP PERFIL PROFISSIOGRÁFICO PREVIDENCIÁRIO R$ ,14 R$ ,00 R$ 670,88 R$ 6.708,87 R$ 991,03 R$ ,12 POR EMPREGADO

51 esocial- Sua Empresa Está Preparada? Será que as Organizações Contábeis, que atendem a maioria dos pequenos negócios no Brasil, estão preparadas para vencer este desafio? Será que os empregadores estão se preparando para isso? Tempo há, porém algumas ações precisam ser iniciadas, para o êxito no atendimento da nova obrigação.

52 Uma pesquisa realizada pela Receita Federal do Brasil (RFB) mostrou que poucas empresas estão se adaptando ou destacando uma equipe especializada para atender o esocial.

53 O estudo da RFB apurou que 70% das empresas não tem projetos ou profissionais específicos para adaptar os processos internos necessários para atender o esocial. Além disso, ela mostra que 41% dos empregadores preveem dificuldades para lidar com o projeto e com as mudanças culturais nos processos realizados pela empresa, diminuindo o interesse nessa preparação.

54 Os números indicam o despreparo dos gestores que devem lidar com a nova metodologia para o envio das obrigações, dificultando o processo de adaptação. Os processos internos deverão ser redesenhados e reestruturados para atender o esocial, que não cria nenhuma legislação apenas digitaliza as informações que devem ser enviadas para as entidades participantes.

55 Algumas providências imediatas devem ser tomadas para que as Organizações Contábeis tenham êxito na implantação do esocial junto aos seus clientes. Os empregadores que não dispõem de uma Organização Contábil para lhe prestar suporte, certamente terão mais dificuldades na implantação do esocial.

56 COMUNICAR ÀS EMPRESAS: Os pequenos empregadores geralmente estão mais focados em seus negócios e não acompanham a legislação em detalhes. A Organização Contábil pode promover uma palestra ou visitar cada um dos clientes para informar sobre a chegada do esocial. Depois tal comunicação deverá ser formal por escrito, para definir prazos e regras para o cumprimento das novas obrigações. No portal do esocial há uma apresentaçãopadrão disponibilizada pelo Comitê Gestor que poderá ser utilizada.

57 MUDAR PARADIGMAS E PROCEDIMENTOS: Talvez a parte mais difícil. Deixe claro aos empregadores que a legislação trabalhista, fiscal e previdenciária deverá ser cumprida à risca. Haverá cruzamento de informações, as admissões deverão ser enviadas antes do início no trabalho, o pagamento das férias deve ser feito dois dias antes (já que será informado no esocial) e as Rescisões Contratuais serão informadas no mesmo prazo do pagamento. Crie uma lista com os prazos que os documentos precisam chegar na Organização Contábil para o cumprimento das obrigações.

58 ATUALIZAR EXAMES MÉDICOS E LAUDOS E PROGRAMAS DE MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO: Faça um levantamento das datas dos exames médicos periódicos e também levante as datas da atualização dos laudos e dos programas de medicina e segurança do trabalho em todas as empresas. Tais informações serão solicitadas no esocial e o PPP Perfil Profissiográfico Previdenciário passará a ser eletrônico com a entrada do esocial em vigor, o que exigirá que todas as atividades sejam descritas mesmo para as atividades não expostas a agentes nocivos.

59 REVER CONTRATOS DE ESTAGIÁRIOS: O cumprimento da Lei do Estagio Lei /08 será cobrado através do esocial. O exame médico é exigido pela legislação, bem como a designação de um supervisor com formação ou experiência profissional na área do estágio. Tal supervisor será identificado no esocialcomnome ecpf.casonãoatenda a legislação, o estágio poderá ser considerado como vínculo empregatício. Reveja os contratos de estágio nas empresas clientes e corrija o que não estiver de acordo com a lei /08

60 ANALISAR A TRIBUTAÇÃO: Todos os proventos e descontos serão informados no esocial, havendo o envio da Tabela de Rubricas já no Cadastro Inicial e uma cópia da folha de pagamento mensalmente, onde Governo e Trabalhadores terão acesso a todos os dados. A Tabela de rubricas informará aos entes participantes a tributação de todos os proventos. Reveja se as tributações dos proventos pagos pelas empresas estão de acordo com a legislação vigente.

61 FAZER A QUALIFICAÇÃO CADASTRAL: Será necessário fazer a Qualificação Cadastral de todos os trabalhadores, que é o batimento do Nome X Data de Nascimento X CPF X NIS (PIS/PASEP/NIT). Aguarde a divulgação do aplicativo e assim que estiver disponível, faça a qualificação dos trabalhadores, inclusive dos estagiários e empregados afastados. Posteriormente, sempre que houver uma admissão a qualificação deverá ser realizada antes do envio, para evitar bloqueios dos cadastros.

62 IDENTIFICAR AS ATIVIDADES DA EMPRESA: Reveja todas as atividades das empresas. Realmente o que consta nos Registros Empresariais são as atividades desenvolvidas pela empresa? Visite a empresa, telefone para o cliente, veja o que o Departamento Fiscal está identificando como operação da empresa. Tal procedimento é necessário para conferir os contratos sociais, alvarás e cadastro no CNPJ, além de informar corretamente a Classificação Tributária da empresa no esocial.

63 REVISAR OS PROCESSOS De que forma as informações geradas na empresa cliente chegam à sua Organização Contábil? Seus clientes devem ser orientados à redefinir processos internos de admissão, férias, rescisão, afastamento, etc., com o envolvimento de outras áreas como jurídico, SESMT, Fiscal, e líderes em geral.

64 ANALISAR O LEIAUTE DO esocial VERSÃO 2.0 O Leiaute do esocial é extenso e cada informação será validada quando de sua transmissão. Analise e cruze as informações do leiaute do esocial, com o leiaute de sua folha de pagamentos. Veja se os eventosdesuafolhanãoconflitamcomosdoesocial. Arquivo não validado não será transmitido ou recepcionado pelo esocial.

65 CONFERIR AS INFORMAÇÕES QUE CONSTAM DOS ARQUIVOS NO SEU SISTEMA DE FOLHA Agora que você já analisou o leiaute do esocial e de sua folha de pagamento, fez a qualificação cadastral, analisou a tributação de cada verba constante de sua folha é chegada a hora de conferir se as informações arquivadas estão corretas e são confiáveis.

66 PROMOVER TREINAMENTO E CAPACITAÇÃO: Capacite os empregados do Setor de Pessoal. Se na empresa cliente houver algum colaborador que possa fazer o contato com a Organização Contábil, recomendamos também a capacitação do colaborador. No portal do esocial há um arquivo de Perguntas Frequentes com várias perguntas respondidas pelo Comitê Gestor do esocial e recomendo o download. Mas não é só para conhecer o esocial. A capacitação contínua nas áreas trabalhista e previdenciária serão necessárias, já que o esocial abrangerá todas as informações de tais áreas.

67 INTEGRAÇÃO ENTRE OS DEPARTAMENTOS DA EMPRESA. Faça um planejamento estratégico para vincular os profissionais e departamentos da empresa à geração das informações do esocial

68 CRIAR EQUIPE esocial E PLANO DE AÇÃO: Designe um líder do esocial e uma equipe multidisciplinar para estudar a implantação do esocial. O líder deve ter um conhecimento aprofundado sobre a legislação trabalhista, previdenciária e sobre o esocial. O plano de ação pode ser o conhecido como 5W2H, gerando um documento para cada um dos arquivos/eventos do esocial.

69 5W2H Oque(What)deveserfeito? Por que(why) deve ser implementado? Quem(Who)éoresponsávelpelaação? Onde(Where) deve ser executado? Quando(When) deve ser implementado? Como(How) deve ser conduzido? Quanto(How much) vai custar a implementação?

70 COMUNICAR SOBRE MULTAS E PENALIDADES: Envie uma lista das penalidades já existentes na legislação trabalhista e previdenciária em caso de descumprimento das obrigações por parte do empregador. Lembre também que segundo o Regulamento do FGTS (Decreto /90), o empregador que deixar de pagar o FGTS não poderá pagar pró-labore e em caso de mora de mais de três meses também poderá perder os incentivos fiscais, como a continuação na tributação do Simples Nacional.

71 Osprazosdeentregadoseventoseocronogramada obrigatoriedade serão objetos de Resolução do Comitê Diretivo a ser publicada brevemente no Diário Oficial da União. A previsão, baseada em anúncios anteriores é que apenas seis meses após a divulgação do manual, acontecerá a liberação do ambiente de testes. Após mais seis meses de testes, entrará em vigor a obrigatoriedade para o primeiro grupo de empregadores: grandes e médias empresas (com faturamento anual superior à R$ 3,6milhõesnoanode2014).

72 Todos os sistemas que gerarem dados para o esocial precisam ser adaptados, porém as dicas expostas não necessitam de novos programas e tão somente de ação imediata da Organização Contábil e dos empregadores. Há bastante trabalho a fazer enquanto não chega a obrigação final. E aí, vai ficar esperando? Mãos à obra!

73 Muito Obrigado!

Dra. Valéria de Souza Telles. esocial - Dra. Valéria de Souza Telles 1

Dra. Valéria de Souza Telles. esocial - Dra. Valéria de Souza Telles 1 Dra. Valéria de Souza Telles esocial - Dra. Valéria de Souza Telles 1 Manual de Orientação do e - Social Versão 1.0 (Ato Declaratório Executivo SUFIS nº 5/13 DOU de 18/07/2013) Manual de Orientação do

Leia mais

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL COMITÊ GESTOR DO ESOCIAL RESOLUÇÃO Nº 4, DE 20 DE AGOSTO DE 2015

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL COMITÊ GESTOR DO ESOCIAL RESOLUÇÃO Nº 4, DE 20 DE AGOSTO DE 2015 SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL COMITÊ GESTOR DO ESOCIAL RESOLUÇÃO Nº 4, DE 20 DE AGOSTO DE 2015 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Decreto nº 8.373, de 11 de dezembro de 2014; Resolução n 2, de 3 de julho de

Leia mais

Cenário Atual. Os empregadores devem preencher inúmeras declarações e documentos que possuem as mesmas informações.

Cenário Atual. Os empregadores devem preencher inúmeras declarações e documentos que possuem as mesmas informações. índice O que é o esocial?...03 Cenário Atual...04 Cenário Ideal...05 Abrangência...06 Identificadores das Empresas...07 Identificadores...08 Módulo Consulta Cadastral...09 Órgãos envolvidos no Projeto...11

Leia mais

SPED Folha de Pagamento

SPED Folha de Pagamento SPED Folha de Pagamento Ricardo Nogueira www.ocftreinamento.com.br Cenário atual Os empregadores são obrigados a preencher diversas declarações e documentos que possuem, em muitos casos, as mesmas informações...

Leia mais

e-social Alexandre Corrêa

e-social Alexandre Corrêa e-social Alexandre Corrêa e-social O e-social consiste na escrituração digital da folha de pagamento e das obrigações trabalhistas, previdenciárias e fiscais. Permitirá uma fiscalização muito mais eficaz,

Leia mais

NONO NONONO NO NONO NONO NONONO NONO CIESP Centro das Indústrias do Estado de São Paulo DR de Sorocaba

NONO NONONO NO NONO NONO NONONO NONO CIESP Centro das Indústrias do Estado de São Paulo DR de Sorocaba SPED Sistema Público de Escrituração Digital esocial NONO NONONO NO NONO NONO NONONO NONO CIESP Centro das Indústrias do Estado de São Paulo DR de Sorocaba 7 de outubro de 2014 O SPED Sistema Público de

Leia mais

Uma nova era nas relações entre Empregados, Empregadores e Governo

Uma nova era nas relações entre Empregados, Empregadores e Governo Uma nova era nas relações entre Empregados, Empregadores e Governo CONSTRUÇÃO CONJUNTA Receita Federal do Brasil; Caixa; Instituto Nacional do Seguro Social INSS; Ministério da Previdência Social MPS;

Leia mais

Não muda legislação, muda procedimentos.

Não muda legislação, muda procedimentos. Versão 1.1 esocial Não muda legislação, muda procedimentos. esocial = Transparência Fiscal Circular n. 642, de 06/01/2014 Aprova e divulga o leiaute do Sistema de Escrituração Fiscal Digital das obrigações

Leia mais

Palestrantes: Reginaldo da Silva dos Santos, André Bocchi e. Luis Antônio dos Santos

Palestrantes: Reginaldo da Silva dos Santos, André Bocchi e. Luis Antônio dos Santos esocial SEMINÁRIO Uma realidade RETENÇÕES a ser DE enfrentada IMPOSTOS pelos E CONTRIBUIÇÕES profissionais de RH, Contabilidade e de Gestão Administrativa Palestrantes: André Bocchi da Silva Reginaldo

Leia mais

esocial Informações e Orientações Atualizadas

esocial Informações e Orientações Atualizadas esocial Informações e Orientações Atualizadas Conceito e Objetivos do esocial O esocial é uma ação conjunta destes órgãos e entidades do governo federal: Caixa Econômica Federal Instituto Nacional do Seguro

Leia mais

esocial 2.0: Nova realidade para Escritórios Contábeis e seus Clientes Cátia Maria Soares Medeiros 19/05/2015 Vitória - ES

esocial 2.0: Nova realidade para Escritórios Contábeis e seus Clientes Cátia Maria Soares Medeiros 19/05/2015 Vitória - ES esocial 2.0: Nova realidade para Escritórios Contábeis e seus Clientes Cátia Maria Soares Medeiros 19/05/2015 Vitória - ES Regulamentação O que existia: Ato Declaratório SUFIS 05/2013 de 17 de julho de

Leia mais

esocial esocial Diminuir o custo de produção, o controle e disponibilização das informações trabalhistas, previdenciárias e fiscais;

esocial esocial Diminuir o custo de produção, o controle e disponibilização das informações trabalhistas, previdenciárias e fiscais; Ref.: nº 26/2015 esocial 1. Conceito O esocial é um projeto do Governo Federal que vai coletar as informações descritas em seu objeto, armazenando-as em Ambiente Nacional, possibilitando aos órgãos participantes,

Leia mais

esocial Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais, Copyright 2013 1

esocial Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais, Copyright 2013 1 esocial Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais, Copyright 2013 1 O que é esocial? É o projeto de escrituração digital da folha de pagamento e das obrigações trabalhistas, previdenciárias

Leia mais

O que é? Pra que serve? Quem promove? Como vai funcionar? O dia a dia? Quando começa? Agenda. E agora, o que tenho que fazer????

O que é? Pra que serve? Quem promove? Como vai funcionar? O dia a dia? Quando começa? Agenda. E agora, o que tenho que fazer???? Fevereiro de 2014 O que é? Pra que serve? Quem promove? Como vai funcionar? O dia a dia? Quando começa? Agenda E agora, o que tenho que fazer???? O QUE É AFINAL? Componente do SPED (Sistema Público de

Leia mais

Adequação ao esocial Como se preparar?

Adequação ao esocial Como se preparar? www.pwc.com.br/esocial Adequação ao esocial Como se preparar? Agenda 1 2 3 4 5 Introdução O que é o esocial? Pesquisa Como as empresas estão se preparando? Impactos Mudanças no manual e seus impactos Discussão

Leia mais

e-social Divisão Trabalhista e Previdenciária Agosto de 2013

e-social Divisão Trabalhista e Previdenciária Agosto de 2013 Divisão Trabalhista e Previdenciária Agosto de 2013 Conceito de EFD-Social O (EFD-Social) é um projeto do governo federal que visa a unificação das obrigações trabalhistas, previdenciárias e tributárias

Leia mais

VISÃO GERAL DO E-SOCIAL

VISÃO GERAL DO E-SOCIAL VISÃO GERAL DO E-SOCIAL 1 VISÃO GERAL DO E-SOCIAL SUMÁRIO 1.0 Introdução......03 2.0 Considerações Iniciais......03 2.1 Objeto do esocial......03 2.2 Conceito do esocial......03 2.3 Objetivos do projeto......03

Leia mais

03/05/2015. Entendendo o esocial

03/05/2015. Entendendo o esocial Entendendo o esocial 1 O que é o esocial O esocialé o instrumento de unificação da prestação das informações referentes à escrituração das obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas e tem por finalidade

Leia mais

e-social - (ex-efd Social)

e-social - (ex-efd Social) Relações do Trabalho, Folha de Pagamento e Obrigações á partir de JANEIRO-2014! O QUE VAI MUDAR? NOVO MODELO OPERACIONAL? POR ONDE COMEÇAR? E - SOCIAL e-social - (ex-efd Social) Projeto e-social Com a

Leia mais

II Seminário esocial Uma nova era nas relações entre empregadores, empregados e governo

II Seminário esocial Uma nova era nas relações entre empregadores, empregados e governo II Seminário esocial Uma nova era nas relações entre empregadores, empregados e governo Câmara Americana de Comércio São Paulo / SP 02/10/2015 Paulo Roberto Magarotto Auditor-Fiscal da Receita Federal

Leia mais

uma nova era nas relações entre Empregadores, Empregados e Governo. esocial - FECON 19/02/2014

uma nova era nas relações entre Empregadores, Empregados e Governo. esocial - FECON 19/02/2014 esocial - FECON 19/02/2014 Contextualização - Objetivo do Projeto OBJETIVOS - O que é o esocial Conceitos básicos - Qualificação cadastral - Povoamento da base - Eventos Não periódicos - Eventos periódicos

Leia mais

esocial A TRANSFORMAÇÃO DA RELAÇÃO DE TRABALHO E DE ARRECAÇÃO SOBRE A FOLHA DE PAGAMENTO

esocial A TRANSFORMAÇÃO DA RELAÇÃO DE TRABALHO E DE ARRECAÇÃO SOBRE A FOLHA DE PAGAMENTO esocial A TRANSFORMAÇÃO DA RELAÇÃO DE TRABALHO E DE ARRECAÇÃO SOBRE A FOLHA DE PAGAMENTO CENÁRIO ATUAL EMARANHADO DE NORMAS E LEIS INÚMERAS OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS INFORMAÇÕES NÃO CONSOLIDADAS E DE MÁ QUALIDADE

Leia mais

FOLHA DE PAGAMENTO E SUAS RETENÇÕES Carlos Alencar OUTUBRO/2013

FOLHA DE PAGAMENTO E SUAS RETENÇÕES Carlos Alencar OUTUBRO/2013 FOLHA DE PAGAMENTO E SUAS RETENÇÕES Carlos Alencar OUTUBRO/2013 OBRIGATORIEDADE A empresa é obrigada a elaborar mensalmente a folha de pagamento da remuneração paga devida ou creditada a todos os segurados

Leia mais

Saiba tudo sobre o esocial

Saiba tudo sobre o esocial Saiba tudo sobre o esocial Introdução Com a criação do Sistema Público de Escrituração Digital (Sped), o Governo propiciou maior controle e agilidade na fiscalização das informações contábeis e fiscais

Leia mais

Andrezza Célia Moreira

Andrezza Célia Moreira Andrezza Célia Moreira Contadora e Perita Sócia da JANIR MOREIRA & CONTADORES ASSOCIADOS Conselheira do Conselho Regional de Contabilidade de Minas Gerais CRC-MG O esocial é um projeto do governo federal

Leia mais

CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES MENSAIS

CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES MENSAIS Data Vencimento 07 Obrigação Salário Mensal Fato Gerador e Fundamento Legal Pagamento mensal da remuneração. (ver nota 1) Salário-Mínimo Valor atual de R$ 788,00 - Decreto nº 8.381/14. Pró-labore Código

Leia mais

E-SOCIAL. Comunicamos que entrará em vigor, a partir de Abril de 2014, o novo projeto do governo, denominado E-Social.

E-SOCIAL. Comunicamos que entrará em vigor, a partir de Abril de 2014, o novo projeto do governo, denominado E-Social. E-SOCIAL Comunicamos que entrará em vigor, a partir de Abril de 2014, o novo projeto do governo, denominado E-Social. O E-Social é um projeto do governo federal que vai unificar o envio de informações

Leia mais

O que é o esocial? esocial subprojeto do SPED

O que é o esocial? esocial subprojeto do SPED O que é o esocial? esocial subprojeto do SPED Transmissão única Informações de folha de pagamento e de outras obrigações trabalhistas, previdenciárias e tributárias pelo empregador em relação aos seus

Leia mais

esocial: Integração no Ambiente Sped SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL

esocial: Integração no Ambiente Sped SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL esocial: Integração no Ambiente Sped SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL NF-e Abrangência ECD esocial EFD EFD - IRPJ CT-e NFS-e E-Lalur FCont O esocial é um projeto do governo federal que vai unificar

Leia mais

Andrezza Célia Moreira

Andrezza Célia Moreira Andrezza Célia Moreira Contadora e Perita Sócia da JANIR MOREIRA & CONTADORES ASSOCIADOS Conselheira do Conselho Regional de Contabilidade de Minas Gerais CRC-MG O esocial é um projeto do governo federal

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL PALESTRA

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL PALESTRA CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL MINÁRIO DE ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO DE ASSUNTOÁBEIS DE PORTO ALEERIO PALESTRA e-social

Leia mais

O que é o esocial? esocial subprojeto do SPED. MTE, CAIXA, RFB, Previdência, outros

O que é o esocial? esocial subprojeto do SPED. MTE, CAIXA, RFB, Previdência, outros O que é o esocial? esocial subprojeto do SPED Transmissão única Informações de folha de pagamento e de outras obrigações trabalhistas, previdenciárias e tributárias pelo empregador em relação aos seus

Leia mais

esocial Como iniciar a implantação Parceria Fenabrave-SC Anelore B Tolardo

esocial Como iniciar a implantação Parceria Fenabrave-SC Anelore B Tolardo esocial Como iniciar a implantação Parceria Fenabrave-SC Anelore B Tolardo O que é o esocial Nova forma de enviar as informações dos trabalhadores para o governo. SPED Sistema Público de Escrituração Digital

Leia mais

Agora começa a ser implementado o esocial, que constituirá a maior e mais complexa parte do Sped.

Agora começa a ser implementado o esocial, que constituirá a maior e mais complexa parte do Sped. Introdução O que é esocial? Com a criação do Sistema Público de Escrituração Digital (Sped), o Governo propiciou maior controle e agilidade na fiscalização das informações contábeis e fiscais das empresas

Leia mais

esocial EFD FOLHA DE PAGAMENTO

esocial EFD FOLHA DE PAGAMENTO Le f is c L e g i s l a c a o F i s c a l CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL MINÁRIO DE ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO DE

Leia mais

Legislação. Lei Complementar n 150/2015. Art. 7, parágrafo único, da Constituição Federal

Legislação. Lei Complementar n 150/2015. Art. 7, parágrafo único, da Constituição Federal Simples Doméstico Legislação Lei Complementar n 150/2015 Art. 7, parágrafo único, da Constituição Federal Quem é empregado doméstico? Art. 1 o da LC n 150/2015 Ao empregado doméstico, assim considerado

Leia mais

Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico

Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico Versão 1.0 29/09/2015 Alterações em relação à versão anterior Não se aplica Simples Doméstico esocial 1. O que é o SIMPLES Doméstico? Vivemos um momento

Leia mais

Curso esocial voltado à Administração Pública - Uma Relação Transparente com o Fisco.

Curso esocial voltado à Administração Pública - Uma Relação Transparente com o Fisco. Mostrar Todos Curso esocial voltado à Administração Pública - Uma Relação Transparente com o Fisco. Aspectos Tributários e Trabalhistas, no SPED, através da prática aplicada. Agora é Oficial! Instituído

Leia mais

esocial Sistema de Escrituração das Obrigações Fiscais, Previdênciárias e Trabalhistas

esocial Sistema de Escrituração das Obrigações Fiscais, Previdênciárias e Trabalhistas esocial Sistema de Escrituração das Obrigações Fiscais, Previdênciárias e Trabalhistas O que é o esocial? O Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (esocial)

Leia mais

Uma nova era nas relações entre Empregados, Empregadores e Governo

Uma nova era nas relações entre Empregados, Empregadores e Governo Uma nova era nas relações entre Empregados, Empregadores e Governo JOSE DE SOUZA MARQUES Contador e Advogado, pós graduado em Controladoria e Auditoria e em Direito Processual Tributário. Obrigações atuais

Leia mais

Fazendo referência à Circular da Caixa Econômica Federal nº 642, de 06.01.2014, publicada no DOU 1 de 07.01.2014, informamos:

Fazendo referência à Circular da Caixa Econômica Federal nº 642, de 06.01.2014, publicada no DOU 1 de 07.01.2014, informamos: Rio de Janeiro, 07 de janeiro de 2014 Of. Circ. Nº 012/13 Referência: Circular CEF nº 642/14 - Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas - esocial - Leiaute FGTS

Leia mais

Projeto esocial Aspectos Legais

Projeto esocial Aspectos Legais Projeto esocial Aspectos Legais ÍNDICE O que é o esocial Cenários e Leiaute Cronograma do Governo Fiscalização e Penalidades ÍNDICE O que é o esocial? O esocial é um projeto do Governo Federal, com implantação

Leia mais

TAX. esocial 2014. PAINEL FIEAM, CIEAM e CAMARA- NIPO BRASILEIRA. Abril de 2014 Tax

TAX. esocial 2014. PAINEL FIEAM, CIEAM e CAMARA- NIPO BRASILEIRA. Abril de 2014 Tax TAX esocial 2014 PAINEL FIEAM, CIEAM e CAMARA- NIPO BRASILEIRA Abril de 2014 Tax kpmg 1 Histórico T-Rex e Harpia A partir de 2006 a Receita Federal do Brasil colocou em operação um equipamento capaz de

Leia mais

As novas obrigações trabalhistas e previdenciárias

As novas obrigações trabalhistas e previdenciárias As novas obrigações trabalhistas e previdenciárias JOHNATAN ABREU Janeiro de 2014 O que é o esocial? De acordo com o art. 2º da minuta da Portaria interministerial que regulamenta a ferramenta, é um instrumento

Leia mais

Como o esocial muda o dia a dia da sua empresa?

Como o esocial muda o dia a dia da sua empresa? Como o esocial muda o dia a dia da sua empresa? SISTEMA HUMANUS DE GESTÃO DE RH O QUE É O ESOCIAL? O esocial é um projeto do governo federal que vai unificar o envio de informações pelo empregador em relação

Leia mais

DEPARTAMENTO JURÍDICO TRABALHISTA BOLETIM 091/2015

DEPARTAMENTO JURÍDICO TRABALHISTA BOLETIM 091/2015 DEPARTAMENTO JURÍDICO TRABALHISTA ADM 223/2015-29/09/2015 BOLETIM 091/2015 Fixados os critérios sobre o recolhimento obrigatório do FGTS pelo empregador doméstico e divulgada a versão 2 do manual de recolhimento

Leia mais

Agenda: ü Conceito do e- Social; ü Saúde e Segurança do Trabalho SSO- EHS; ü e- Social e a Saúde e Segurança do Trabalho;

Agenda: ü Conceito do e- Social; ü Saúde e Segurança do Trabalho SSO- EHS; ü e- Social e a Saúde e Segurança do Trabalho; Agenda: ü Conceito do e- Social; ü Saúde e Segurança do Trabalho SSO- EHS; ü e- Social e a Saúde e Segurança do Trabalho; 1. O que é o esocial? Um Sistema de Escrituração Fiscal Digital das obrigações

Leia mais

Formulários Eletrônicos e Processos para o esocial

Formulários Eletrônicos e Processos para o esocial Formulários Eletrônicos e Processos para o esocial 1. Objetivos 2. Definições dos Formulários Eletrônicos 3. Validações Automáticas de Dados 4. Relatórios de Inconsistências 5. Definição e Regras Gerais

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO esocial

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO esocial MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO esocial Versão 2.0 Fevereiro de 2015 2 / 105 SUMÁRIO CAPÍTULO I INFORMAÇÕES GERAIS...5 1. Introdução...5 1.1 Forma de substituição das informações do esocial pelas mesmas informações

Leia mais

Navegação em Nuvem. Abrangência Atual

Navegação em Nuvem. Abrangência Atual SPED Apresentação Instituído pelo Decreto nº 6.022, de 22 de janeiro de 2007, o Sistema Público de Escrituração Digital (Sped) faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento do Governo Federal (PAC

Leia mais

e-social - VERSÃO 2.1

e-social - VERSÃO 2.1 Recursos Humanos OBRIGAÇÕES TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA NA FOLHA DE PAGAMENTO Março de 2016 - Brasília Realização Workshop OBRIGAÇÕES TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA NA FOLHA DE PAGAMENTO Apresentação Com

Leia mais

SPED: instituído pelo Decreto 6.022/2007

SPED: instituído pelo Decreto 6.022/2007 e Social e-social E-Social SPED: instituído pelo Decreto 6.022/2007 Art. 2º - O SPED é instrumento que unifica as atividades de recepção, validação, armazenamento e autenticação de livros e documentos

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO esocial

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO esocial MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO esocial Versão 2.1 Junho de 2015 SUMÁRIO CAPÍTULO I INFORMAÇÕES GERAIS... 4 1. Introdução... 4 1.1 Forma de substituição das informações da GFIP, outras declarações e formulários,

Leia mais

O esocial e os desafios junto à fiscalização previdenciária, trabalhista e tributária. Necessidade de organização e consequências previsíveis.

O esocial e os desafios junto à fiscalização previdenciária, trabalhista e tributária. Necessidade de organização e consequências previsíveis. O esocial e os desafios junto à fiscalização previdenciária, trabalhista e tributária. Necessidade de organização e consequências previsíveis. Renan Cesco de Campos VIII Fórum de Relações Trabalhistas

Leia mais

O esocial e os desafios trabalhistas. A mudança na rotina de pessoal.

O esocial e os desafios trabalhistas. A mudança na rotina de pessoal. O esocial e os desafios trabalhistas. A mudança na rotina de pessoal. esocial -É o Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhista (esocial); -Trata-se de um projeto

Leia mais

Entendendo o esocial

Entendendo o esocial Entendendo o esocial O que éo esocial O esocial éo instrumento de unificação da prestação das informações referentes àescrituração das obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas e tem por finalidade

Leia mais

esocial Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas

esocial Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas esocial Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas SPED DECRETO 6.022/07 O QUE É? Art. 2º O esocial é o instrumento de unificação da prestação das informações

Leia mais

Principais Aspectos do Sistema Público de Escrituração Digital SPED

Principais Aspectos do Sistema Público de Escrituração Digital SPED Principais Aspectos do Sistema Público de Escrituração Digital SPED Como trabalhamos? no passado a pouco tempo Daqui para frente ECD Escrituração Contábil Digital IN RFB 787/07 O que é? : É a substituição

Leia mais

ANO XXII - 2011-4ª SEMANA DE ABRIL DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 17/2011 PIS/PASEP/COFINS IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA

ANO XXII - 2011-4ª SEMANA DE ABRIL DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 17/2011 PIS/PASEP/COFINS IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA ANO XXII - 2011-4ª SEMANA DE ABRIL DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 17/2011 PIS/PASEP/COFINS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL DO PIS/PASEP E DA COFINS - EFD-PIS/COFINS - NORMAS GERAIS Introdução - Pessoas Jurídicas

Leia mais

esocial 2.0: Nova realidade para Escritórios Contábeis e seus Clientes

esocial 2.0: Nova realidade para Escritórios Contábeis e seus Clientes esocial 2.0: Nova realidade para Escritórios Contábeis e seus Clientes Cátia Maria Soares Medeiros Palestras ministradas em 08, 11, e 15/06/2015 Colatina, Linhares e Cachoeiro de Itapemirim - ES FOCO DESTE

Leia mais

APRENDA AS MUDANÇAS DE FORMA FÁCIL

APRENDA AS MUDANÇAS DE FORMA FÁCIL 2014 APRENDA AS MUDANÇAS DE FORMA FÁCIL I S O esocial está causando arrepios, mas pouca gente já sabe exatamente o que é. Em poucas palavras, o esocial é um programa do governo federal que tenta consolidar

Leia mais

esocial O que muda na sua empresa? TAX

esocial O que muda na sua empresa? TAX TAX esocial O que muda na sua empresa? 20XX KPMG, uma [estrutura legal] brasileira e firma-membro da rede KPMG de firmasmembro independentes e afiliadas à KPMG International Cooperative ( KPMG International

Leia mais

Regramentos Funcionalidades

Regramentos Funcionalidades Regramentos e Funcionalidades 1 O que é o esocial? O esocial é um projeto do Governo Federal que vai coletar as informações trabalhistas, previdenciárias, tributarias, fiscais e do FGTS, relativas à contratação

Leia mais

uma nova era nas relações entre Empregadores, Empregados e Governo. CISPED, 21/11/2013

uma nova era nas relações entre Empregadores, Empregados e Governo. CISPED, 21/11/2013 CISPED, 21/11/2013 Aspectos Técnicos Utilização do CPF como chave do trabalhador associado ao PIS/NIT; Validação na base do CNIS CPF/PIS/Data de nascimento; Cadastramento inicial apenas dos vínculos ativos;

Leia mais

CONFERÊNCIA esocial. São Paulo 03/03/2015. Paulo Roberto Magarotto Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil

CONFERÊNCIA esocial. São Paulo 03/03/2015. Paulo Roberto Magarotto Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil CONFERÊNCIA esocial São Paulo 03/03/2015 Paulo Roberto Magarotto Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil e-social Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas.

Leia mais

OBRIGAÇÕES FISCAIS SOCIAIS DA APM

OBRIGAÇÕES FISCAIS SOCIAIS DA APM COMUNICADO FDE / DRA Nº 001/2015 OBRIGAÇÕES FISCAIS E SOCIAIS DA APM 2 0 1 5 Página 1 de 9 O objetivo deste texto é informar aos dirigentes das Associações de Pais e Mestres APMs de Escolas Estaduais conveniadas

Leia mais

1) O que é o esocial?

1) O que é o esocial? 1) O que é o esocial? O Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (esocial) é um projeto do governo federal que vai unificar o envio de informações pelo empregador

Leia mais

ÍNDICE. Com a criação do Sistema Público de INTRODUÇÃO. Introdução. Legislação. Empresas. Obrigações Abrangidas. Identificadores

ÍNDICE. Com a criação do Sistema Público de INTRODUÇÃO. Introdução. Legislação. Empresas. Obrigações Abrangidas. Identificadores 1 ÍNDICE 2 3 8 13 13 14 19 19 22 23 Introdução Legislação Empresas Obrigações Abrangidas Identificadores Envio, Prazo, Transmissão e Retificação Fiscalização e Autuação Carga Inicial Segurados Sistema

Leia mais

Sistema Público de Escrituração Digital SPED

Sistema Público de Escrituração Digital SPED Sistema Público de Escrituração Digital SPED NF-e NFS-e ECD Contábil F-cont EFD - Folha EFD ICMS CT-e e-lalur EFD PIS/Cofins Contribuições Contribuinte RFB SEFAZ Leiaute Banco de Dados Procuração Eletrônica

Leia mais

Luiz Oscar Dornelles Schneider Especialista em Medicina do Trabalho AMB / ANAMT

Luiz Oscar Dornelles Schneider Especialista em Medicina do Trabalho AMB / ANAMT FUNDAMENTAÇÃO LEGAL DA EXIGIBILIDADE DO LTCAT LAUDO TÉCNICO DE CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO Seguem-se abaixo os trechos dos documentos legais que versam sobre a matéria, de acordo com sua ordem hierárquica

Leia mais

Assunto. esocial. Diminuir o custo de produção, o controle e disponibilização das informações trabalhistas, previdenciárias e fiscais;

Assunto. esocial. Diminuir o custo de produção, o controle e disponibilização das informações trabalhistas, previdenciárias e fiscais; Ref.: nº 34/2013 esocial 1. Conceito O esocial é um projeto do Governo Federal que vai coletar as informações descritas em seu objeto, armazenando-as em Ambiente Nacional, possibilitando aos órgãos participantes,

Leia mais

Breve contextualização

Breve contextualização Breve contextualização O esocial é o instrumento de unificação da prestação das informações referentes à escrituração das obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas e tem por finalidade padronizar

Leia mais

14/11/2013. Centralização do FGTS. Surgimento do REMAG. Surgimento da GFIP. Surgimento do SPED. Histórico das Obrigações JOHNATAN ABREU

14/11/2013. Centralização do FGTS. Surgimento do REMAG. Surgimento da GFIP. Surgimento do SPED. Histórico das Obrigações JOHNATAN ABREU JOHNATAN ABREU Histórico das Obrigações Centralização do FGTS Surgimento do REMAG Surgimento da GFIP Surgimento do SPED 1 Objetivos do Projeto OBJETIVO: O esocial tem por objeto, informações trabalhistas,

Leia mais

Potenciais riscos do esocial Como previnir? 2015 Grant Thornton International Ltd. All rights reserved.

Potenciais riscos do esocial Como previnir? 2015 Grant Thornton International Ltd. All rights reserved. Potenciais riscos do esocial Como previnir? Agenda 1 2 Contexto Introdutório Definição, Objetivos, Operacionalização, Comprovante/recibo de entrega; Sequência lógica de transmissão; Recolhimento de encargos

Leia mais

Decreto 6.022 de 22/01/2007 Procedimentos para Janeiro de 2014

Decreto 6.022 de 22/01/2007 Procedimentos para Janeiro de 2014 Decreto 6.022 de 22/01/2007 Procedimentos para Janeiro de 2014 ...Art. 2º O Sped (Sistema Público de Escrituração Digital) é instrumento que unifica as atividades de recepção, validação, armazenamento

Leia mais

Mauro Chagas Contador CRC/MT 7322/O-9 65 3549.3441 / 9995-8505

Mauro Chagas Contador CRC/MT 7322/O-9 65 3549.3441 / 9995-8505 OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS Sumário 1. Introdução 2. Obrigações Mensais 2.1 - Salários 2.2 - CAGED 2.3 - INSS 2.4 - PIS - Cadastramento 2.5 - FGTS 2.6 - CIPA 2.7 - Exame Médico 2.8 - Acidente

Leia mais

São Paulo, 14/11/2014 Samuel Kruger Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil

São Paulo, 14/11/2014 Samuel Kruger Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil São Paulo, 14/11/2014 Samuel Kruger Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil Cenário atual Termo de Rescisão Empresa Único Cana l Ambiente Nacional Direitos Gar antidos Proces sos Simplificados Informações

Leia mais

CURSO LEGISLAÇÃO TRABALHISTA, PREVIDENCIÁRIA e NR S DO TRABALHO com IMPACTOS, RISCOS e IMPLEMENTAÇÃO DO esocial

CURSO LEGISLAÇÃO TRABALHISTA, PREVIDENCIÁRIA e NR S DO TRABALHO com IMPACTOS, RISCOS e IMPLEMENTAÇÃO DO esocial CURSO LEGISLAÇÃO TRABALHISTA, PREVIDENCIÁRIA e NR S DO TRABALHO com IMPACTOS, RISCOS e IMPLEMENTAÇÃO DO esocial LEGISLAÇÃO TRABALHISTA, PREVIDENCIÁRIA e NR S DO TRABALHO com IMPACTOS, RISCOS e IMPLEMENTAÇÃO

Leia mais

ELABORAÇÃO DE GFIP OBRA DE CONSTRUÇÃO CIVIL PESSOA JURÍDICA

ELABORAÇÃO DE GFIP OBRA DE CONSTRUÇÃO CIVIL PESSOA JURÍDICA ELABORAÇÃO DE GFIP OBRA DE CONSTRUÇÃO CIVIL PESSOA JURÍDICA LEGISLAÇÃO Lei 8.212 de 24/07/91, com alterações estabelecidas pelas Leis 9.528/97 e 11.941/2009 Dispõe sobre a exigência de entrega de GFIP

Leia mais

Estado de Goiás Prefeitura Municipal de Niquelândia

Estado de Goiás Prefeitura Municipal de Niquelândia PROCEDIMENTOS E ROTINAS AO DARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS Título: Instrução Normativa nº. 001/2012. Ementa: Recomenda procedimentos para o Departamento de Recursos Humanos dos Órgãos da Administração Direta

Leia mais

01. esocial confirma fiscalização trabalhista total em 2016

01. esocial confirma fiscalização trabalhista total em 2016 BOLETIM INFORMATIVO Nº 28/2015 ANO XII (13 de agosto de 2015) 01. esocial confirma fiscalização trabalhista total em 2016 Embora o esocial passe efetivamente a ser obrigatório a partir de setembro de 2016,

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL Le f is c L e g i s l a c a o F i s c a l CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL MINÁRIO DE ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEPMINÁRIO ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO DE

Leia mais

esocial PROJETO, IMPLANTAÇÃO E PRINCIPAIS IMPACTOS JUNTO A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

esocial PROJETO, IMPLANTAÇÃO E PRINCIPAIS IMPACTOS JUNTO A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA esocial PROJETO, IMPLANTAÇÃO E PRINCIPAIS IMPACTOS JUNTO A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PÚBLICO-ALVO Servidores de órgãos públicos federais, estaduais ou municipais e sociedades de economia mista, empresas privadas

Leia mais

esocial Uma nova forma de registro dos eventos trabalhistas

esocial Uma nova forma de registro dos eventos trabalhistas esocial Uma nova forma de registro dos eventos trabalhistas José Maia Ministério do Trabalho e Previdência Social Eduardo Tanaka Receita Federal Apresentação: - Visão geral do projeto - Aspectos conceituais

Leia mais

EFD PIS COFINS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL

EFD PIS COFINS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL EFD PIS COFINS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL 1. INTRODUÇÃO Este artigo tem por objetivo trazer considerações relevantes quanto a dados inerentes à Escrituração Fiscal Digital da Contribuição para o PIS/Pasep

Leia mais

Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico

Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico Versão 2.0 21/10/2015 Alterações em relação à versão anterior Alterado: itens 11, 13, 22, 29, 30, 33, 34, 40, 45, 47 e 50 Incluído: itens 12, 14, 15,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 87, DE 27 DE MARÇO DE 2003

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 87, DE 27 DE MARÇO DE 2003 Ministério da Previdência Social Instituto Nacional do Seguro Social Diretoria Colegiada INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 87, DE 27 DE MARÇO DE 2003 Dispõe sobre a contribuição para o financiamento da aposentadoria

Leia mais

VARGAS CONTABILIDADE atendimento@vargascontabilidaders.com.br ORIENTAÇÃO

VARGAS CONTABILIDADE atendimento@vargascontabilidaders.com.br ORIENTAÇÃO VARGAS CONTABILIDADE atendimento@vargascontabilidaders.com.br ORIENTAÇÃO PREVIDÊNCIA SOCIAL Décimo Terceiro Salário Nesta orientação, vamos apresentar como deve ser preenchida a declaração do SEFIP Sistema

Leia mais

Finalidade. Entes envolvidos. Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas

Finalidade. Entes envolvidos. Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas ariane@ensicon.com.br Finalidade A Escrituração Fiscal Digital Social tem por finalidade: a) Prestar informações

Leia mais

A preparação das empresas para o esocial

A preparação das empresas para o esocial www.pwc.com.br A preparação das empresas para o esocial Fevereiro de 2014 (DC2) Uso Restrito na PwC - Confidencial Agenda O esocial e seus impactos Sobre a pesquisa Principais conclusões Governança do

Leia mais

Evento esocial. Prof. Edison Garcia Junior

Evento esocial. Prof. Edison Garcia Junior Evento esocial Prof. Edison Garcia Junior INTRODUÇÃO PROJETO SPED (esocial 2009): AD EXECUTIVO SUFIS Nº 05, DE 17/07/2013 INTRODUÇÃO esocial: Preparado para ter uma DR com seus terceiros?? INTRODUÇÃO esocial:

Leia mais

2.5. Qual foi a legislação que trouxe as disposições sobre o leiaute do esocial?... 3

2.5. Qual foi a legislação que trouxe as disposições sobre o leiaute do esocial?... 3 Cartilha esocial Índice 1. INTRODUÇÃO... 1 2. LEGISLAÇÃO... 2 2.1. O que é o esocial?... 2 2.2. Antes da adoção da nomenclatura do esocial, quais foram os principais nomes cogitados para o Sistema de Informações

Leia mais

CNS - Confederação Nacional de Serviços. Principais Reflexos no FGTS

CNS - Confederação Nacional de Serviços. Principais Reflexos no FGTS CNS - Confederação Nacional de Serviços Principais Reflexos no FGTS Números Grandes R$ 410,6 bilhões Total Ativo R$ 311,6 bilhões 70 Milhões de clientes Saldo Contas Vinculadas R$ 77,8 bilhões Patrimônio

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011 CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011 Orientações Básicas INFORMAÇÕES GERAIS PESSOA JURÍDICA 1) DCTF : (Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais) ATENÇÃO! Apresentação MENSAL obrigatória pelas Pessoas

Leia mais

EFD-Social. Rio de Janeiro, 23 de Janeiro de 2013

EFD-Social. Rio de Janeiro, 23 de Janeiro de 2013 EFD-Social Arquitetura Rio de Janeiro, 23 de Janeiro de 2013 Simplificação das Obrigações Tributárias Prestação de Serviço ao Contribuinte-Cidadão x Modelo Tributário Complexo Pacto Federativo Combate

Leia mais

CALENDÁRIO DAS OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS e PREVIDENCIÁRIAS OUTUBRO/2010

CALENDÁRIO DAS OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS e PREVIDENCIÁRIAS OUTUBRO/2010 1 CALENDÁRIO DAS OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS e PREVIDENCIÁRIAS OUTUBRO/2010 Dia 06-10-2010 (Quarta-feira): SALÁRIOS Todos os empregadores, assim definidos pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). Fato

Leia mais

ANEXO I CHECKLIST PARA O INÍCIO DA PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS. ITEM VERIFICADO SIM NÃO Anotações em Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS)

ANEXO I CHECKLIST PARA O INÍCIO DA PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS. ITEM VERIFICADO SIM NÃO Anotações em Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) 1689/2015 - Sexta-feira, 20 de Março de 2015 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 1 ANEXO I CHECKLIST PARA O INÍCIO DA PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS ITEM VERIFICADO SIM NÃO Anotações em Carteira de Trabalho

Leia mais

Café da Manhã ANEFAC Os desafios da folha de pagamento eletrônica esocial Palestra + Discussão = Informação

Café da Manhã ANEFAC Os desafios da folha de pagamento eletrônica esocial Palestra + Discussão = Informação Café da Manhã ANEFAC Os desafios da folha de pagamento eletrônica esocial Palestra + Discussão = Informação Agenda Simpósio Serão 3 palestras seguidas, de 15 minutos cada, os temas e tópicos serão os seguintes:

Leia mais