Na fachada lateral esquerda destaca-se, entre os dois corpos adossados, um pórtico de três arquivoltas, precedido por um pequeno átrio.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Na fachada lateral esquerda destaca-se, entre os dois corpos adossados, um pórtico de três arquivoltas, precedido por um pequeno átrio."

Transcrição

1 Sé de Lisboa

2 A Catedral, Igreja Mãe da Diocese de Lisboa, está situada num dos primeiros núcleos de desenvolvimento urbano e constitui um dos mais importantes monumentos de arquitectura medieval do país. É dotada de um património cultural riquíssimo, fruto de uma história secular de raízes cristãs. A Sé foi mandada edificar por D. Afonso Henriques, logo após a tomada de Lisboa aos mouros em Em finais do século XII ou princípios do século XIII foi erguido o anexo da fachada norte o actual Camarim do Patriarca e, durante o reinado de D. Dinis ( ), as edificações góticas constituídas pelo claustro e a Capela de Bartolomeu Joanes. A campanha afonsina dos séculos XIV-XV - reinado de D. Afonso IV - introduziu importantes transformações estruturais, com a construção da nova cabeceira gótica: ampliação da capela-mor, onde serão colocados os túmulos régios de D. Afonso IV e de D. Beatriz, e edificação do deambulatório e capelas radiantes. Nos séculos XVII-XVIII foi construída a sacristia do lado sul, introduziram-se novos elementos decorativos em toda a igreja - talha, azulejo, embutidos em mármore -, foi acrescentado o andar sobre a sacristia o actual Tesouro e alargado o coro alto. O terramoto de 1755, e subsequente incêndio, provocou enormes estragos: queda da torre sineira sobre a cúpula do cruzeiro e de parte da torre sul; destruição da capela-mor - incluindo o célebre altar de São Vicente -, do revestimento em talha dos altares, em particular na ala sul do claustro, e de quase todas as imagens. Em 1769 inicia-se a reconstrução da torre sul e da fachada, e a remodelação da capela-mor, incluindo os dois órgãos e os novos túmulos reais. Na capela colateral sul foi colocado o altar de São Vicente. Nos finais do séc. XIX e primeira metade do séc. XX, tiveram lugar os restauros mais recentes, com a supressão de grande parte dos elementos decorativos introduzidos no período barroco, à excepção dos existentes na capela-mor, na capela do Santíssimo e no Baptistério. No interior do templo, dão-se alterações profundas, com a construção de novos pilares com colunas e capitéis adossados, bem como da abóbada sobre a nave central e a reconstrução do trifório. A Sé foi classificada como monumento nacional em 1907 e A fachada românica, virada a poente, tem no corpo central o pórtico e a rosácea de doze lóbulos, com a representação de Cristo e os Apóstolos. Acentuando o aspecto de fortaleza, as torres, actualmente sineiras, são da traça primitiva, tendo a do norte a pedra de armas de D. Jorge da Costa ( ), Arcebispo de Lisboa. O arco de entrada, com colunas simples, tem nas paredes laterais lápides relativas à conquista de Lisboa aos mouros e ao nascimento, nesta freguesia, do Padre António Vieira ( ). O pórtico, de quatro arquivoltas semicirculares com capitéis reentrantes e decoração vegetalista e figurativa, é da primitiva construção românica. Sobre a porta axial, tem uma legenda gravada em bronze: IN OMNEM TERRAM EXIVIT SONUS - o [seu] eco ressoou por toda a terra [Sl 19 (18), 5]. Na fachada lateral esquerda destaca-se, entre os dois corpos adossados, um pórtico de três arquivoltas, precedido por um pequeno átrio. O interior apresenta três naves de seis tramos, a central mais alta que as laterais, com pilares cruciformes, transepto saliente e cabeceira composta pela capela-mor e o deambulatório. Na parte superior das naves e do transepto, abre-se a colunata do trifório. A cobertura da nave central e do transepto é em abóbada, reconstruída no séc. XX; a das naves laterais é de aresta. No pavimento de pedra, destacam-se algumas lápides funerárias, entre as quais a de D. Rodrigo da Cunha, Arcebispo de Lisboa ( ), junto à porta lateral. À entrada, encontram-se duas grandes pinturas de Pedro Alexandrino, A Descida do Pentecostes e Cristo Salvador do Mundo. Do lado esquerdo, encontra-se o Baptistério, integrado na torre norte, de paredes revestidas a azulejo azul e branco do séc. XVIII, representando episódios da vida de Santo António de Lisboa ( ), atribuídos ao Mestre P.M.P.. Aqui se baptizou o grande santo. A Capela de São Bartolomeu (2) deve a invocação ao seu fundador, Bartolomeu Joanes, abastado mercador lisboeta a quem D. Dinis concedeu o espaço exterior à Sé para a sua implantação. Foi instituída a 24 de Novembro de Trata-se de uma capela gótica com acesso por portal ogival, cobertura de abóbadas artesoadas, janelões também ogivais, e uma rosácea representando Nossa Senhora rodeada dos Doze Apóstolos. Do lado direito, encontra-se o altar com três arcarias góticas. O retábulo, maneirista, da segunda metade do século XVI, apresenta no painel central o Martírio de São Bartolomeu; nos restantes, cenas da vida de Cristo e da Virgem: a Anunciação do Anjo e a Adoração dos Magos, à esquerda; o Nascimento em Belém e a Descida da Cruz à direita; e a Última Ceia. É atribuído por alguns autores a Cristóvão Figueiredo e Garcia Fernandes. O túmulo do fundador, do lado esquerdo, em pedra lioz, está decorado com as suas armas; a estátua jacente é uma obra notável de escultura funerária medieval. Uma lápide refere o regulamento primitivo da capela. Revestindo a parede, encontra-se um pano de armar do século XVII, na parede lateral, um díptico representando o Calvário e Lamentação, atribuído a Garcia Fernandes, um Oratório do século XVIII contendo várias peças de arte sacra.

3 I II III IV V VI CAPELA-MOR PRESÉPIO CLAUSTRO ala norte A GLORIFICAÇÃO DE SÃO VICENTE Capela de São Vicente CAPELA DE SANTA MARIA MAIOR Deambulatório CAMARIM DO PATRIARCA II III IV V I

4 In Omnem Terram Exivit Sonus A capela-mor, de estrutura afonsina, deve grande parte da sua forma actual às obras feitas no séc. XVIII. Destaca-se na parede frontal a Assunção da Virgem, emoldurada em mármore negro, cópia de José Inácio de Sampaio, e nas paredes laterais as tribunas e os túmulos régios de D. Afonso IV e D. Beatriz da autoria de Joaquim Machado de Castro ( ). Encontram-se também dois órgãos de tubos, o do lado esquerdo com coreto; do lado direito, um órgão holandês, instalado no séc. XX. No tecto, em estuque, estão as representações das três Pessoas da Santíssima Trindade e lunetas com símbolos marianos e cristológicos. Na capela de São Vicente (5), simétrica à do Santíssimo, destacam-se A Glorificação de São Vicente, de Pedro Alexandrino e A Libertação de Frei Sancho e Veneração de São Vicente, de Amaro do Vale ( ). O Camarim do Patriarca (3) foi reestruturado já no séc. XX com a instalação do retábulo de Santa Ana proveniente da capela da mesma invocação no deambulatório, de talha dourada e mármores embutidos, com uma imagem barroca do orago; nas ilhargas, duas telas representando Encontro de São Joaquim e Santa Ana na Porta Dourada e o Nascimento da Virgem de Fernão Gomes ( ); e várias alfaias litúrgicas expostas, nomeadamente um faldistório, uma magnífica capa de Asperges e as mitras dos Bispos das Dioceses sufragâneas. O transepto com vestígios da planta primitiva na entrada do deambulatório, tem rosáceas nos topos, reintegradas nos restauros do séc. XX. Tem do lado norte, junto à capela do Santíssimo, uma pintura, Jesus Cristo dando a Comunhão aos Discípulos, de José do Avelar Rebelo (século XVII); e do lado sul, vitrais representando Santo António e São Vicente; junto ao arco do cruzeiro, uma escultura de Nossa Senhora com o Menino, de Anjos Teixeira ( ). A torre octogonal tem florão central e cúpula de lanternim iluminando o altar-mor. Na sacristia (1) do século XVII, bem iluminada, encontram-se arcazes de jacarandá e pau-santo e, nas paredes, seis nichos com imagens de santos portugueses, além de quatro telas de Pedro Alexandrino, provenientes dos antigos altares colaterais do transepto. Destacam-se uma credência em mármore da Arrábida, ao centro, um altar de embutidos, e do lado oposto um lavabo, também de mármore. O tecto é em estuque com pinturas alusivas às virtudes teologais. As salas sobre a nave lateral sul e antiga Sala do Capítulo, ocupadas actualmente pelo Tesouro da Sé, são de concepção joanina. Aqui se expõem, de forma peculiar, peças de grande valor religioso e artístico, destacando-se a Custódia da Sé, notabilíssima peça de arte sacra, encomenda de D. João V, doada à Patriarcal de Lisboa por D. José I e lavrada por Joaquim Caetano de Carvalho. A Capela do Santíssimo Sacramento (4) ocupa o espaço da antiga capela gótica e de parte do deambulatório. O portal, maneirista, protegido por grades douradas, tem na parede superior A Eucaristia comentada pelos quatro Doutores da Igreja, de Pedro Alexandrino. O retábulo é em talha dourada e policroma, com pintura representando A Última Ceia, também de Pedro Alexandrino, e sacrário em forma de templete; nas mísulas laterais, imagens de São José com o Menino e de Nossa Senhora da Conceição.

5 O CLAUSTRO O claustro da Sé de Lisboa foi mandado erigir pelo Rei D. Dinis na campanha de construção do período gótico. De planta irregular, adaptada às condições do terreno, ocupa o espaço de uma cerca amuralhada primitiva e tem três alas: a ala norte, cujas capelas foram construídas no séc. XVII (daí serem designadas por capelas filipinas) e a ala leste, bem conservadas; e uma ala sul muito destruída. Poderá ter tido uma quarta ala, que encerraria a quadrícula do pátio interior. Profundamente afectado pelo terramoto de 1755, será reconstruído poucos anos depois; na primeira metade do séc. XX é alvo de sucessivos restauros, nomeadamente a recuperação das capelas da ala norte. Em 1991 tem início a intervenção arqueológica no pátio central, pondo a descoberto vestígios romanos e muçulmanos. Destaca-se o volume e a robustez dos arcos das abóbadas, que terminam em cruzarias de ogivas simples, com florões nos fechos, bem como os capitéis com decoração muito variada. O claustro possui um total de doze capelas independentes, algumas intercomunicantes. Na ala norte, protegidas por grades metálicas, estão a capela de São João Evangelista (14), e a de São Lourenço (15), fundada por Lourenço Anes e reedificada pela respectiva irmandade, conforme atesta a inscrição sobre o arco, onde se encontra a arca tumular do fundador. A capela de Nossa Senhora de Belém (16) tem cobertura em estuque decorativo e o retábulo em talha, executado por António de Castro; no tondo há uma pintura representando a Corte celestial. A capela de Santo António de Lisboa (18) é intercomunicante com a de Nossa Senhora da Tocha (19). Nesta última encontra-se a escultura de Nossa Senhora a Grande ou de Bettencourt. Na capela de Santo Aleixo (20), na ala leste, encontram-se quatro arcosólios, dois deles com estátua jacente, e vestígios de escudos na parede testeira. Segue-se a capela de São Miguel e Almas (21), com inscrição gótica na parede. A Capela de Nossa Senhora da Piedade ou da Terra Solta (22) foi fundada por Nuno Fernandes Cogominho, almirante-mor de D. Dinis e instituidor, em 1385, de uma irmandade da Misericórdia, que precedeu a Irmandade da Misericórdia de Lisboa, fundada em 1498 neste mesmo lugar por D. Leonor; ficou unida à capela seguinte aquando das obras efectuadas no tempo de D. Luís de Sousa, que as transformou num espaço único, a chamada Capela dos Arcebispos (23). Na primeira, com imagem de Nossa Senhora da Piedade, escultura de Teixeira Lopes ( ), encontra-se o túmulo de D. Soeiro Viegas e outro túmulo vazio, possivelmente de D. João Anes, primeiro arcebispo de Lisboa. A segunda, a maior de todas, ocupa a extensão de dois arcos e constituía o corpo da Capela dos Arcebispos. Muito destruída pelo terramoto, conserva o portal central, a abóbada artesoada, o altar-mor e dois arcosólios; aí se encontra o túmulo de D. Maria Albernaz, mulher de D. Nuno Cogominho. Segue-se a Capela de São Gervásio (24), onde são visíveis ainda os efeitos do incêndio que se seguiu ao terramoto, e a Capela de Santo Estêvão (?) (25), fundada em 1305 por Estevão Domingues e sua mulher Mor Martins (conforme atesta lápide na parede), com respectivas arcas tumulares. O pavimento desta capela teve revestimento cerâmico do século XVI, de que restam vestígios. Aí se encontra a escultura de Nossa Senhora da Assunção de Teixeira Lopes ( ). No lado sul do claustro, há um conjunto de arcosólios com túmulos; no lanço oriental, na parte exterior do deambulatório, notam-se vestígios de arcos quebrados e arranques de nervuras. A capela do Senhor Jesus da Boa Sentença (17) está protegida por grade côncava decorada com medalhões com os atributos da paixão de Cristo e friso com inscrição alusiva à irmandade. No tecto de caixotões, tem representadas cenas também da paixão de Cristo; e nas ilhargas, quatro telas de Marcos da Cruz (m. 1683) sobre a mesma temática. Silhares de azulejo policromado com representações do Véu de Verónica e símbolos da Paixão. O retábulo tem ao centro a imagem de Cristo crucificado, e na parte inferior o túmulo do Senhor Morto. VI

6 O DEAMBULATÓRIO O deambulatório da Sé de Lisboa constitui um dos mais belos conjuntos góticos de Portugal. Foi construído no século XIV com as chamadas capelas afonsinas erigidas no tempo de D. Afonso IV. Alto e amplo, bem iluminado, tem cobertura em abóbada de ogivas, com florões nos fechos. Este espaço alberga um núcleo de túmulos góticos do século XIV, de excelente qualidade, provavelmente provenientes da mesma oficina lisboeta. As nove capelas radiantes têm planta quadrangular e abside poligonal, capitéis com ornamentação vegetalista e figurativa, e abóbadas de nervuras. Na capela de São Sebastião (6), destaca-se a urna de D. João Anes, primeiro arcebispo de Lisboa (m. 1402), seguindo-se a de Nossa Senhora da Conceição (7). Na capela de São Cosme e São Damião (8), encontram-se os túmulos com figuras jacentes de Lopo Fernandes Pacheco, companheiro de armas de D. Afonso IV, e de sua mulher D. Maria Vila Lobos, dos mais belos da Sé e da tumularia portuguesa. Embutida na parede, há uma inscrição alusiva ao instituidor da capela. Segue-se a antiga capela de Santo Ildefonso, onde se encontra o Presépio da Sé (9), conjunto notável de arte barroca da autoria de Joaquim Machado de Castro; e duas pinturas representando a Apresentação de Jesus no Templo e a Adoração dos Reis Magos. Na capela de Santa Maria Maior (10), destaca-se a grade medieval de execução românica, possivelmente do séc. XIII, em ferro forjado com motivos zoomórficos e fitomórficos estilizados. Preside no altar a imagem de Santa Maria Maior do séc. XV. Na capela de Santa Ana (11), encontra-se um pequeno túmulo, com o brasão de Portugal e figura jacente de uma infanta da Casa Real, possivelmente D. Constança Manuel, e a imagem de Santa Ana e Nossa Senhora em madeira policromada. Seguem-se as capelas de Nossa Senhora da Penha de França (12) e da Santíssima Trindade (13). A última capela, anteriormente de Nossa Senhora da Luz, foi anexada à do Santíssimo no séc. XVIII; uma lápide na parede frontal atesta a sua fundação por D. Catarina da Cunha, com o respectivo brasão. PLANTA DA SÉ DE LISBOA 1 Sacristia 2 Capela de São Bartolomeu 3 Camarim do Patriarca 4 Capela do Santíssimo Sacramento 5 Capela de São Vicente 6 Capela de São Sebastião 7 Capela de Nossa Senhora da Conceição 8 Capela de São Cosme e São Damião 9 Presépio da Sé (antiga capela de Santo Ildefonso) 10 Capela de Santa Maria Maior (Antigo Cartório) 11 Capela de Santa Ana 12 Capela de Nossa Senhora da Penha de França 13 Capela da Santíssima Trindade 14 Capela de São João Evangelista 15 Capela de São Lourenço 16 Capela de Nossa Senhora de Belém 17 Capela do Senhor Jesus da Boa Sentença 18 Capela de Santo António 19 Capela de Nossa Senhora da Tocha 20 Capela de Santo Aleixo 21 Capela de S. Miguel e Almas Capela de Nossa Senhora da Piedade ou da Terra Solta Capela dos Arcebispos (Primitiva Irmandade da Misericórdia) 24 Capela de São Gervásio 25 Capela de Santo Estevão (?)

7 SÉ DE LISBOA Largo da Sé HORÁRIOS Horário de abertura Igreja Todos os dias: 9h00 às19h00 Claustro Segunda-feira a Sábado: 10h00 às 18h00 Encerra Domingo, Feriados e Dias Santos Tesouro Segunda-feira a Sábado: 10h00 às 18h30 Encerra Domingo, Feriados e Dias Santos Horário de missas Terça-feira a Sábado: 18h30 Domingo e Dias Santos: 11h30 e 19h00 CONTACTOS Largo da Sé, Lisboa Tel.: PRODUÇÃO Projecto de Estudo e Divulgação do Património Av. Ventura Terra, nº 23, Lisboa TEL TLM APCD 2015

Locais a Visitar na Vila de Almodôvar

Locais a Visitar na Vila de Almodôvar Locais a Visitar na Vila de Almodôvar Igreja Matriz de Almodôvar A matriz é o monumento mais visitado do Concelho de Almodôvar e é dedicada a Santo Ildefonso, sendo que D. Dinis doou-a à Ordem de Santiago,

Leia mais

ÍNDICE P3 > MAPA P4 > IGREJA DE S. PEDRO P5 > IGREJA DE SÃO FRANCISCO P6 > IGREJA DE NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO E SANTOS PASSOS

ÍNDICE P3 > MAPA P4 > IGREJA DE S. PEDRO P5 > IGREJA DE SÃO FRANCISCO P6 > IGREJA DE NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO E SANTOS PASSOS ÍNDICE P3 > MAPA P4 > IGREJA DE S. PEDRO P5 > IGREJA DE SÃO FRANCISCO P6 > IGREJA DE NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO E SANTOS PASSOS P7 > IGREJA DE NOSSA SENHORA DA OLIVEIRA P8 > IGREJA DE NOSSA SENHORA DO

Leia mais

Casa do Mundo Rural de Prados

Casa do Mundo Rural de Prados Casa do Mundo Rural de Prados A Casa do Mundo Rural de Prados, pretende retratar uma época em que a agricultura, associada à pastorícia eram as principais actividades económicas da população, praticando

Leia mais

CONVENTO DE SANTA MARIA DE MOSTEIRÓ

CONVENTO DE SANTA MARIA DE MOSTEIRÓ CONVENTO DE SANTA MARIA DE MOSTEIRÓ Fig. 269 Localização e orientação do Convento de Santa Maria de Mosteiró. Fig. 270 - Planta do Convento de Santa Maria de Mosteiró, primeiro piso, 1980. IHRU: DGEMN/DREMN,

Leia mais

Convento de Nossa Senhora do Carmo. IPA Monumento Nº IPA PT010303490087. Designação Convento de Nossa Senhora do Carmo

Convento de Nossa Senhora do Carmo. IPA Monumento Nº IPA PT010303490087. Designação Convento de Nossa Senhora do Carmo Page 1 of 6 Convento de Nossa Senhora do Carmo IPA Monumento Nº IPA PT010303490087 Designação Convento de Nossa Senhora do Carmo Localização Braga, Braga, São Vicente Acesso R. do Carmo, Tv. do Carmo,

Leia mais

Vila Cova de Alva. São Pedro do Sul

Vila Cova de Alva. São Pedro do Sul Pinhel Vila Cova de Alva São Pedro do Sul Fig. 895 Tipologias das fachadas principais, com três variantes, duas com um eixo de vãos, uma rematando em empena e outra em frontão triangular, vazado por óculo,

Leia mais

Jesuítas : Arte e Ciência: o legado da Companhia de Jesus na América Latina

Jesuítas : Arte e Ciência: o legado da Companhia de Jesus na América Latina Jesuítas : Arte e Ciência: o legado da Companhia de Jesus na América Latina Simpósio Nacional : Bicentenário da Restauração da Companhia de Jesus (1814-2014) Parte II Prof. Dr. Percival Tirapeli Instituto

Leia mais

A AZULEJARIA BARROCA NOS CONVENTOS DA ORDEM DO CARMO E DA ORDEM DOS CARMELITAS DESCALÇOS EM PORTUGAL

A AZULEJARIA BARROCA NOS CONVENTOS DA ORDEM DO CARMO E DA ORDEM DOS CARMELITAS DESCALÇOS EM PORTUGAL A AZULEJARIA BARROCA NOS CONVENTOS DA ORDEM DO CARMO E DA ORDEM DOS CARMELITAS DESCALÇOS EM PORTUGAL Suzana Andreia do Carmo Carrusca Tese apresentada à Universidade de Évora para obtenção do Grau de Doutor

Leia mais

Barroco Mineiro. Prof. Percival Tirapeli, Instituto de Artes da UNESP

Barroco Mineiro. Prof. Percival Tirapeli, Instituto de Artes da UNESP Barroco Mineiro Prof. Percival Tirapeli, Instituto de Artes da UNESP Mapa da Estrada Real, por onde escoava o ouro encontrado pelos bandeirantes paulistas em 1692. O Caminho Velho iniciava NO Rio de Janeiro

Leia mais

Fig. 189 Sé de Elvas, fachada lateral poente em 1942, IHRU/DGEMN, Sistema de Informação, Fontes Documentais, Fotografias e Desenhos, Sé de Elvas/Igreja de Nossa Senhora da Assunção, FOTO.0178427, N.º IPA

Leia mais

Arquitectura românica francesa Conques Igreja de S te. Foy (séc. XI) Vista do exterior

Arquitectura românica francesa Conques Igreja de S te. Foy (séc. XI) Vista do exterior Arquitectura românica francesa Conques Igreja de S te. Foy (séc. XI) Vista do exterior Arquitectura românica francesa Conques Igreja de S te. Foy (séc. XI) Vista do exterior Arquitectura românica francesa

Leia mais

Índice. 1 O Nascimento do Porto...30

Índice. 1 O Nascimento do Porto...30 Índice Parte I O Porto da Penaventosa...15 1 Introdução...16 2 O Portuense...18 3 A Cidade e as suas Mensagens...22 4 As Armas da Cidade...23 5 O Solo e os Recursos Hídricos do Porto...24 Capítulo I Da

Leia mais

HISTÓRIA das ARTES VISUAIS

HISTÓRIA das ARTES VISUAIS A um 1º período, de reconstrução e reparação (com construções de pedra de pequenas dimensões ligadas por muita argamassa e cobertura em madeira e telha), surge um 2º período de Maturidade com novas propostas:

Leia mais

O Barroco no Brasil. Capitulo 11

O Barroco no Brasil. Capitulo 11 O Barroco no Brasil Capitulo 11 O Barroco no Brasil se desenvolveu do século XVIII ao início do século XIX, época em que na Europa esse estilo já havia sido abandonado. Um só Brasil, vários Barrocos O

Leia mais

CATEDRAL DE VISEU Abóbada dos nós.

CATEDRAL DE VISEU Abóbada dos nós. CATEDRAL DE VISEU A Sé Catedral de Viseu, domina de forma alternativa o Centro Histórico de Viseu. Nela estão quase dez séculos de história. A Catedral de Viseu é um ímpar mosaico de estilos arquitectónicos.

Leia mais

Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo

Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo Prefeitura do Município de São Paulo Secretaria Municipal de Cultura Departamento do Patrimônio Histórico Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São

Leia mais

Município de Albufeira

Município de Albufeira Património arquitetónico religioso Município de Albufeira Igreja Matriz de Santa Maria antiga Igreja Matriz de Albufeira Localização: Rua do Cemitério Velho, Albufeira Elementos arquitetónicos e painel

Leia mais

DIRECÇÃO-GERAL DOS EDIFÍCIOS E MONUMENTOS NACIONAIS

DIRECÇÃO-GERAL DOS EDIFÍCIOS E MONUMENTOS NACIONAIS DIRECÇÃO-GERAL DOS EDIFÍCIOS Página 1 de 7 Igreja e edifício da Misericórdia de Proença-a-Velha IPA Monumento Nº IPA PT020505110016 Designação Igreja e edifício da Misericórdia de Proença-a-Velha Localização

Leia mais

Fig. 3 Mapa do percurso para a Igreja de São Pedro (12)

Fig. 3 Mapa do percurso para a Igreja de São Pedro (12) Local nº: 12 Zona Histórica: Escadaria e Igreja de São Pedro Rua do Castelo Coordenadas GPS: 38º53 59.733 ; 9º2 19.614 38.899901, -9.038814 Fig. 1 Igreja de São Pedro Fig. 2 Quadro de azulejos da Igreja

Leia mais

A Vila. Na vila de Barrancos

A Vila. Na vila de Barrancos Locais a visitar A Vila Na vila de Barrancos podem ainda encontrar-se belos exemplares do típico casario alentejano, de arquitectura popular: casas caiadas de branco, de piso térreo, construídas em taipa,

Leia mais

Igrejas paulistas: barroco e rococó

Igrejas paulistas: barroco e rococó Igrejas paulistas: barroco e rococó Vanessa Proença Título da obra: Igrejas paulistas: barroco e rococó. Autor: Percival Tirapeli 1 Um grande catálogo: é essa a impressão que o livro nos passa. A proposta

Leia mais

de São V. 3 LUSÍ U NIVE Faculd Sociais a da Arte Lisboa 2011 Realizado por: ão do Júri: Constituiçã Presidente Orientador r e Vogal: Arguente e Vogal:

de São V. 3 LUSÍ U NIVE Faculd Sociais a da Arte Lisboa 2011 Realizado por: ão do Júri: Constituiçã Presidente Orientador r e Vogal: Arguente e Vogal: U NIVE RSID ADE LUSÍ ADA DE L ISBO A Faculd ade d e Ciências Humanas e Sociais Doutoo rame nto e m Hii stóri a Área Científica de História a da Arte As Ordens Terceiras de São Francisco na Zona da Mata:

Leia mais

Mosteiro dos Jerónimos

Mosteiro dos Jerónimos Mosteiro dos Jerónimos Guia de visita dos 6 aos 12 anos Serviço Educativo do Mosteiro dos Jerónimos/ Torre de Belém Bem-vindo ao Mosteiro dos Jerónimos A tua visita de estudo começa logo no Exterior do

Leia mais

PENSANDO JÁ O CENTRO HISTÓRICO? A INTERVENÇÃO DA DGEMN NA SÉ DO PORTO (1929-1982)

PENSANDO JÁ O CENTRO HISTÓRICO? A INTERVENÇÃO DA DGEMN NA SÉ DO PORTO (1929-1982) PENSANDO JÁ O CENTRO HISTÓRICO? A INTERVENÇÃO DA DGEMN NA SÉ DO PORTO (1929-1982) MARIA LEONOR BOTELHO DCTP-FLUP mlbotelho@letras.up.pt 5 Dez 2013 17º Aniversário da Classificação do Centro Histórico do

Leia mais

Convento do Pópulo. IPA Monumento Nº IPA PT010303410031. Designação Convento do Pópulo. Localização Braga, Braga, São João do Souto

Convento do Pópulo. IPA Monumento Nº IPA PT010303410031. Designação Convento do Pópulo. Localização Braga, Braga, São João do Souto Page 1 of 12 Convento do Pópulo IPA Monumento Nº IPA PT010303410031 Designação Convento do Pópulo Localização Braga, Braga, São João do Souto Acesso Pç. do Conde de Agrolongo ou Campo da Vinha; Pç. do

Leia mais

ARTE GÓTICA. História da Arte Profª Denise Dalle Vedove

ARTE GÓTICA. História da Arte Profª Denise Dalle Vedove ARTE GÓTICA História da Arte Profª Denise Dalle Vedove Introdução A Idade Média foi um dos períodos mais longos da história : durou cerca de dez séculos.iniciouse no ano 476, com a ocupação de Roma pelos

Leia mais

1 substituição do teto de madeira por abóbadas. 2 grande espessura das paredes,

1 substituição do teto de madeira por abóbadas. 2 grande espessura das paredes, Arte românica é o nome dado ao estilo artístico vigente na Europa entre os séculos XI e XIII. O estilo é visto principalmente nas igrejas católicas construídas após a expansão do cristianismo pela Europa

Leia mais

Outra designação: Santuário dos Remédios

Outra designação: Santuário dos Remédios Identificação do Monumento: Santuário da Nossa Senhora dos Remédios Outra designação: Santuário dos Remédios Localização: Santuário de Nossa Senhora dos Remédios 5100-025 Lamego, Lamego, Portugal Data:

Leia mais

Arte e Arquitetura Sacra

Arte e Arquitetura Sacra Arte e Arquitetura Sacra A história da Festa do Divino, considerada uma das festas de caráter popular mais antigas do Brasil, tem a sua origem nas festas religiosas da Europa, mais especificamente na tradição

Leia mais

CONVENTO DE SÃO BENTO DE ARCOS DE VALDEVEZ

CONVENTO DE SÃO BENTO DE ARCOS DE VALDEVEZ CONVENTO DE SÃO BENTO DE ARCOS DE VALDEVEZ Fig. 2 Localização e orientação da Igreja de São Bento de Arcos de Valdevez. 1 Conceição São Bento Porta para o claustro 1 Capela-mor Capelas colaterais 2 3 Grades

Leia mais

GUIÃO DE VISITA À DESCOBERTA DO MOSTEIRO ALCOBAÇA! Olá! Eu sou o monge António e vou acompanhar-te nesta visita ao Mosteiro!!! Introdução Histórica

GUIÃO DE VISITA À DESCOBERTA DO MOSTEIRO ALCOBAÇA! Olá! Eu sou o monge António e vou acompanhar-te nesta visita ao Mosteiro!!! Introdução Histórica GUIÃO DE VISITA Este roteiro pretende ser uma forma de interagir com as escolas, dando-lhes o apoio necessário para orientação dentro do monumento, quando não seja possível realizar visitas guiadas. À

Leia mais

Cabral Moncada Leilões. LEILÃO DE PINTURA, ANTIGUIDADES, OBRAS DE ARTE, PRATAS E JÓIAS LEILÃO 102 15, 16 e 17 de Dezembro de 2008

Cabral Moncada Leilões. LEILÃO DE PINTURA, ANTIGUIDADES, OBRAS DE ARTE, PRATAS E JÓIAS LEILÃO 102 15, 16 e 17 de Dezembro de 2008 LEILÃO DE PINTURA, ANTIGUIDADES, OBRAS DE ARTE, PRATAS E JÓIAS LEILÃO 102 15, 16 e 17 de Dezembro de 2008 Pintura 452 "CENA DA PAIXÃO DE CRISTO", óleo sobre tela, moldura em madeira pintada de negro e

Leia mais

Museu Nacional de Soares dos Reis Porto

Museu Nacional de Soares dos Reis Porto Museu Nacional de Soares dos Reis Porto 4 Museu Nacional de Soares dos Reis APRESENTAÇÃO O Museu ocupa, desde 1940, o Palácio dos Carrancas, construído nos finais do séc. XVIII para habitação e fábrica

Leia mais

A Tradição Islâmica I Século XVI

A Tradição Islâmica I Século XVI A Tradição Islâmica I Século XVI As primeiras utilizações conhecidas do azulejo em Portugal, como revestimento monumental das paredes, foram realizadas com azulejos hispanomouriscos, importados de Sevilha

Leia mais

Cronologia do Mosteiro de S. Bento da Saúde

Cronologia do Mosteiro de S. Bento da Saúde Cronologia do Mosteiro de S. Bento da Saúde 1 1545 1563 Concílio de Trento. 2 1567 Fundação da Congregação de S. Bento no reino de Portugal. 3 1569 O Mosteiro beneditino de São Martinho de Tibães torna-se

Leia mais

Roteiros Turísticos. [arte colonial]

Roteiros Turísticos. [arte colonial] Roteiros Turísticos [arte colonial] Ouro Preto [Arte Colonial] A Praça Tiradentes é o ponto central da cidade, como se fosse um divisor. A partir dela, podem-se programar as visitas. Como Ouro Preto possui

Leia mais

Curso de Especialização: A Arquitectura Românica no Vale do Sousa e o seu valor no contexto patrimonial da região TRABALHO FINAL

Curso de Especialização: A Arquitectura Românica no Vale do Sousa e o seu valor no contexto patrimonial da região TRABALHO FINAL Curso de Especialização: A Arquitectura Românica no Vale do Sousa e o seu valor no contexto patrimonial da região TRABALHO FINAL Apresentado pela formanda Emília Madeira Janeiro de 2006 Um especial agradecimento

Leia mais

Paula Bessa Departamento de História, Instituto de Ciências Sociais, Universidade do Minho Investigadora do CITCEM PINTURA MURAL NA ROTA DO ROMÂNICO

Paula Bessa Departamento de História, Instituto de Ciências Sociais, Universidade do Minho Investigadora do CITCEM PINTURA MURAL NA ROTA DO ROMÂNICO Paula Bessa Departamento de História, Instituto de Ciências Sociais, Universidade do Minho Investigadora do CITCEM PINTURA MURAL NA ROTA DO ROMÂNICO 1º CONGRESSO INTERNACIONAL DA ROTA DO ROMÂNICO Setembro

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 244/IX ELEVAÇÃO DA POVOAÇÃO DE SÃO JOÃO DA TALHA À CATEGORIA DE VILA. 1 - Localização. 2 - Razões de ordem histórica

PROJECTO DE LEI N.º 244/IX ELEVAÇÃO DA POVOAÇÃO DE SÃO JOÃO DA TALHA À CATEGORIA DE VILA. 1 - Localização. 2 - Razões de ordem histórica PROJECTO DE LEI N.º 244/IX ELEVAÇÃO DA POVOAÇÃO DE SÃO JOÃO DA TALHA À CATEGORIA DE VILA 1 - Localização A povoação de São João da Talha localiza-se no concelho de Loures, na zona oriental do concelho

Leia mais

3.3 O Largo do Carmo e seu entorno

3.3 O Largo do Carmo e seu entorno 3.3 O Largo do Carmo e seu entorno O Largo do Carmo, como ainda é conhecido o espaço público na frente das igrejas da Ordem Primeira e Terceira do Carmo, e ao lado do Teatro Vasques. Seu entorno conserva

Leia mais

algarve guia do património cultural

algarve guia do património cultural algarve guia do património cultural agradecimentos A Região de Turismo do Algarve agradece a todas as entidades que colaboraram no levantamento fotográfico, proporcionando aos residentes e turistas o conhecimento

Leia mais

Aldeia de Açores. Os pontos de Interesse de Açores: Igreja Matriz Monumento de Nossa Senhora de Açor Pelourinho Largo Casas Brasonadas

Aldeia de Açores. Os pontos de Interesse de Açores: Igreja Matriz Monumento de Nossa Senhora de Açor Pelourinho Largo Casas Brasonadas Aldeia de Açores A aldeia dos açores fica a cerca de 10 km de Celorico da Beira. Em tempos foi sede de um Episcopado Visigótico, manteve outrora o estatuto de vila. Durante séculos tem sido local de peregrinação

Leia mais

CONJUNTOS RELIGIOSOS. referência cartográfica. Património Edificado CÂMARA MUNICIPAL DA MAIA

CONJUNTOS RELIGIOSOS. referência cartográfica. Património Edificado CÂMARA MUNICIPAL DA MAIA CONJUNTOS RELIGIOSOS CJR0 CÂMARA MUNICIPAL DA MAIA IGREJA DE BARCA E CAPELA DE N. SRa. DA STA CRUZ E CAPELAS DO CALVÁRIO CJR1 FOTO-REFERÊNCIA 143, 144 da Igreja, do Calvário, Avenida Sr. da Santa Cruz

Leia mais

FICHA DE INVENTÁRIO 2.CARACTERIZAÇÃO

FICHA DE INVENTÁRIO 2.CARACTERIZAÇÃO FICHA DE INVENTÁRIO 1.IDENTIFICAÇÃO Designação- Imóvel Local/Endereço- Largo da Sé velha, nº4 a 8 Freguesia- Sé Nova Concelho- Coimbra Distrito- Coimbra 2.CARACTERIZAÇÃO Função Origem Habitação. Função

Leia mais

Escola Secundária da Ramada

Escola Secundária da Ramada Escola Secundária da Ramada Nome: Margarida Isabel dos Santos Fonseca Turma: 11ºI Número: 7 Disciplina: História da Cultura e das Artes Professora: Maria do Céu Pascoal Data: 09 de Junho de 2006 1/11 Introdução

Leia mais

PROPOSTA DE RESTAURAÇÃO PARA A IGREJA DE SANTO ANTÔNIO EM BELÉM/PA. Aluna: Stephanie Mendes Orientadora: Profa. Dra. Thais Sanjad

PROPOSTA DE RESTAURAÇÃO PARA A IGREJA DE SANTO ANTÔNIO EM BELÉM/PA. Aluna: Stephanie Mendes Orientadora: Profa. Dra. Thais Sanjad PROPOSTA DE RESTAURAÇÃO PARA A IGREJA DE SANTO ANTÔNIO EM BELÉM/PA Aluna: Stephanie Mendes Orientadora: Profa. Dra. Thais Sanjad Século XVIII Brasil disseminação da a arquitetura Barroca Construções Religiosas

Leia mais

Ficha de Arte I Trimestre

Ficha de Arte I Trimestre ALUNO: Nº - ANO - TURMA - DATA \ \ 201 Profª Ana Lúcia Leal Ficha de Arte I Trimestre Arte Gótica ou Medieval Estilo artístico desenvolvido na Europa Ocidental, a arte gótica está diretamente ligada ao

Leia mais

Igreja!de! Nossa!Senhora!do!Carmo! Da!Antiga!Sé!

Igreja!de! Nossa!Senhora!do!Carmo! Da!Antiga!Sé! AtransferênciadaCorteeainstalaçãodaFamíliaRealno Rio de Janeiro, em 1808, marcam uma nova etapa na história do País. A capital do ViceMReino passa a ser a sededogovernoedaadministraçãodoimpériolusoe experimentará

Leia mais

A partir da década de 70 do século XVII e durante quase cinquenta anos, importaram-se dos Países Baixos conjuntos monumentais de azulejos.

A partir da década de 70 do século XVII e durante quase cinquenta anos, importaram-se dos Países Baixos conjuntos monumentais de azulejos. As importações da Holanda I O Azul e Branco A partir da década de 70 do século XVII e durante quase cinquenta anos, importaram-se dos Países Baixos conjuntos monumentais de azulejos. Concebidos por pintores

Leia mais

Peças sacras centenárias são corroídas pelo tempo e atacadas por insetos em Minas

Peças sacras centenárias são corroídas pelo tempo e atacadas por insetos em Minas Peças sacras centenárias são corroídas pelo tempo e atacadas por insetos em Minas Especialista sugere medidas seguras para proteção de acervo corroído pelo tempo. O que os olhos não veem, o patrimônio

Leia mais

Programa de Incentivo em Lisboa Top Vip

Programa de Incentivo em Lisboa Top Vip Programa de Incentivo em Lisboa Top Vip Dia 1 Chegada dos participantes. Transfere para Belém em autocarro com acompanhamento de guia. Em Belém, área dedicada ao período das Descobertas, iremos encontrar

Leia mais

Antropocentrismo (do grego anthropos, "humano"; e kentron, "centro") é uma concepção que considera que a humanidade deve permanecer no centro do

Antropocentrismo (do grego anthropos, humano; e kentron, centro) é uma concepção que considera que a humanidade deve permanecer no centro do ARTE GÓTICA A Arte Gótica se desenvolveu na Europa entre os séculos XII e XV e foi uma das mais importantes da Idade Média, junto com a Arte Românica. Ela teve grande influencia do forte Teocentrismo (O

Leia mais

JOSÉ DA CONCEIÇÃO E SILVA

JOSÉ DA CONCEIÇÃO E SILVA ENTALHADORES E SANTEIROS ENTALHADORES E SANTEIROS DO BARROCO 1 A. FASE FREI DOMINGOS DA CONCEIÇÃO Escultor, entalhador e santeiro, nasceu em Matosinhos, Portugal, em c. 1643. Aprendeu o ofício de escultor

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 524/VIII ELEVAÇÃO DA POVOAÇÃO DE ANCEDE, NO CONCELHO DE BAIÃO, À CATEGORIA DE VILA. I Contributo histórico

PROJECTO DE LEI N.º 524/VIII ELEVAÇÃO DA POVOAÇÃO DE ANCEDE, NO CONCELHO DE BAIÃO, À CATEGORIA DE VILA. I Contributo histórico PROJECTO DE LEI N.º 524/VIII ELEVAÇÃO DA POVOAÇÃO DE ANCEDE, NO CONCELHO DE BAIÃO, À CATEGORIA DE VILA I Contributo histórico Ancede, população que sé estende ao longo do rio Douro, tem raízes históricas

Leia mais

FICHA DE INVENTÁRIO 2.CARACTERIZAÇÃO

FICHA DE INVENTÁRIO 2.CARACTERIZAÇÃO FICHA DE INVENTÁRIO 1.IDENTIFICAÇÃO Designação- Imóvel Local/Endereço- Rua dos Coutinhos, Nº2 a 6 Freguesia- Sé Nova Concelho- Distrito- 2.CARACTERIZAÇÃO Função Origem Habitação Função Actual Habitação

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 307/VIII DEFINE E REGULA AS HONRAS DO PANTEÃO NACIONAL

PROJECTO DE LEI N.º 307/VIII DEFINE E REGULA AS HONRAS DO PANTEÃO NACIONAL PROJECTO DE LEI N.º 307/VIII DEFINE E REGULA AS HONRAS DO PANTEÃO NACIONAL As «Honras do Pantheon», tributárias da Revolução Francesa, tiveram entre nós consagração legislativa em Decreto Régio de 25 de

Leia mais

Guião de visita ao Mosteiro dos Jerónimos

Guião de visita ao Mosteiro dos Jerónimos Guião de visita ao Mosteiro dos Jerónimos Bem vindo ao Mosteiro dos Jerónimos! A tua visita de estudo deverá começar no exterior do monumento. Antigamente, entre a cidade de Lisboa e a entrada do Tejo,

Leia mais

Nossa Senhora do Carmo da Antiga Sé

Nossa Senhora do Carmo da Antiga Sé c a p a Nossa Senhora do Carmo da Antiga Sé Arquitetura histórica é ressaltada pela luz Por Claudia Sá Fotos: Andrés Otero EM COMEMORAÇÃO AOS 200 ANOS DA CHEGADA DA FAMÍLIA real portuguesa ao Brasil, um

Leia mais

Apartamento Janelas Verdes 74

Apartamento Janelas Verdes 74 JANELAS VERDES 74 Apartamento Janelas Verdes 74 Maio 2015 localização área bruta tipologia Rua das Janelas Verdes, 74-1ºD - Lisboa Portugal 38.70567,-9.16014 150 m 2 + 20 m 2 [pátio + varandas] T3 Bairro

Leia mais

Outra designação: Basílica da Estrela. Data: Encomendado por: Rainha D. Maria I.

Outra designação: Basílica da Estrela. Data: Encomendado por: Rainha D. Maria I. Identificação do Monumento: Basílica do Sagrado Coração de Jesus Outra designação: Basílica da Estrela Localização: Largo da Estrela, 1200-667 Lisboa, Lisboa, Portugal Data: 1779 1790 Photograph: Artistas:

Leia mais

Arte Românica em Portugal Aspectos gerais.

Arte Românica em Portugal Aspectos gerais. Arte Românica em Portugal Aspectos gerais. a) Caracterização artística. 1. Principais características da arquitectura românica portuguesa: materiais, planimetrias, alçados, volumetrias, coberturas, escala.

Leia mais

Igreja Matriz de Meinedo / Igreja de Santa Maria / Igreja de Nossa Senhora das Neves. IPA Monumento Nº IPA PT

Igreja Matriz de Meinedo / Igreja de Santa Maria / Igreja de Nossa Senhora das Neves. IPA Monumento Nº IPA PT Page 1 of 5 Igreja Matriz de Meinedo / Igreja de Santa Maria / Igreja de Nossa Senhora das Neves IPA Monumento Nº IPA PT011305130002 Designação Igreja Matriz de Meinedo / Igreja de Santa Maria / Igreja

Leia mais

2 - Plano Aproximado do Tronco (que passa a Plano de Conjunto)

2 - Plano Aproximado do Tronco (que passa a Plano de Conjunto) EXTERIOR ZONA DA SÉ - DIA (à tarde) 1 - Plano Geral Vista de Cima O plano começa com um Fade-In de preto para o branco das nuvens, cujos contornos são progressivamente alterados, à medida que a câmara

Leia mais

Rota dos 3 Castelos. 2.ºAbrantes. 3.º Belver. 1.ºAlmourol. Monte da Várzea Almourol. 38 km. Almourol Abrantes. 20 Km. Abrantes Belver.

Rota dos 3 Castelos. 2.ºAbrantes. 3.º Belver. 1.ºAlmourol. Monte da Várzea Almourol. 38 km. Almourol Abrantes. 20 Km. Abrantes Belver. 2.ºAbrantes 1.ºAlmourol 3.º Belver Monte da Várzea Almourol 38 km Rota dos 3 Castelos Almourol Abrantes 20 Km Abrantes Belver 30 Km Belver Monte da Várzea 11 Km Partida: Casa Branca, Monte da Várzea 2

Leia mais

Museu Nacional da Arte Antiga

Museu Nacional da Arte Antiga Museu Nacional da Arte Antiga Índice 1. Horários e localização: 2. Ingresso 3. História do museu 4. Informações acerca do museu 5. As 10 obras de referência do MNAA 6. Coleções 1 - Horário e Localização

Leia mais

Itinerário IV Lisboa Barroca e Pombalina

Itinerário IV Lisboa Barroca e Pombalina LISBOA E VALE DO TEJO Itinerário IV Lisboa Barroca e Pombalina O percurso inicia-se no Terreiro do Paço, junto à estátua de D. José, obra-prima do estilo pombalino, em direcção ao Rossio, passando por

Leia mais

Programa de acompanhantes

Programa de acompanhantes Quinta-feira, 20 de Setembro de 2012 9:30 Saída em autocarro do Hotel Axis 10:00 Chegada a Barcelos Visita ao centro Histórico de Barcelos Programa de acompanhantes O concelho de Barcelos é um exemplo

Leia mais

Património e Turismo

Património e Turismo Património e Turismo Locais Visitáveis: - Cidade de Moura - CASTELO DE MOURA O castelo de Moura encontra-se implantado na zona mais alta da Cidade, em posição inter-fluvial. Edificado sobre um grande povoado

Leia mais

PRIMEIRO ANO DE TRABALHOS DE CONSERVAÇÃO E RESTAURO DOS ACERVOS DOS NÚCLEOS MUSEOLÓGICOS DO MUNICÍPIO DE ABRANTES

PRIMEIRO ANO DE TRABALHOS DE CONSERVAÇÃO E RESTAURO DOS ACERVOS DOS NÚCLEOS MUSEOLÓGICOS DO MUNICÍPIO DE ABRANTES PRIMEIRO ANO DE TRABALHOS DE CONSERVAÇÃO E RESTAURO DOS ACERVOS DOS NÚCLEOS MUSEOLÓGICOS DO MUNICÍPIO DE ABRANTES Técnicos Superiores de Conservação e Restauro: Isabel dos Santos Filipe Pereira (2013/2014)

Leia mais

A Iconografia e o Culto dos Santos Peregrinos e Guerreiros no Alentejo Meridional

A Iconografia e o Culto dos Santos Peregrinos e Guerreiros no Alentejo Meridional A Iconografia e o Culto dos Santos Peregrinos e Guerreiros no Alentejo Meridional JoséAntónio Falcão (Departamento do Património Histórico e Artístico da Diocese de Beja) Santiago combatendo os Mouros

Leia mais

Antiguidade século IV. Arte Bizantina

Antiguidade século IV. Arte Bizantina Antiguidade século IV Arte Bizantina Na Antiguidade, além da arte Egípcia e Grega, também encontram-se a Romana, Paleocristã e Bizantina... Enquanto os romanos desenvolviam uma arte colossal e espalhavam

Leia mais

Da Existência, ou Não, de Pintura Mural a Fresco de Expressão Românica em Portugal

Da Existência, ou Não, de Pintura Mural a Fresco de Expressão Românica em Portugal PAINEL V Artes do Românico II Da Existência, ou Não, de Pintura Mural a Fresco de Expressão Românica em Portugal JOAQUIM INÁCIO CAETANO Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa 85 Introdução Desde

Leia mais

David Emanuel Vieira Aguiar

David Emanuel Vieira Aguiar Universidade do Minho Instituto de Ciências Sociais David Emanuel Vieira Aguiar D. Diogo de Sousa e as ofertas de bens móveis à Sé de Braga Dissertação de Mestrado Mestrado em Património e Turismo Cultural

Leia mais

A Pintura Mural na Rota do Românico

A Pintura Mural na Rota do Românico PAINEL V Artes do Românico II A Pintura Mural na Rota do Românico PAULA BESSA Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho Na Rota do Românico encontramos um notável património de pintura mural

Leia mais

Ficha de Caraterização dos Troços Concelhios do Caminho Português Interior de Santiago

Ficha de Caraterização dos Troços Concelhios do Caminho Português Interior de Santiago Ficha de Caraterização dos Troços Concelhios do Caminho Português Interior de Santiago 1. CARATERIZAÇÃO GERAL Município Freguesias atravessadas do troço concelhio (paisagens atravessadas, enquadramento

Leia mais

Data: Tipologia do monumento: Arquitectura religiosa

Data: Tipologia do monumento: Arquitectura religiosa Identificação do Monumento: Igreja e Convento da Madre de Deus Localização: Igreja da Madre de Deus Rua da Madre de Deus, 4 1900-312 Lisboa, Lisboa, Portugal Data: 1509 1589 Photograph: Artistas: Arquitecto:

Leia mais

ROTEIRO MEDIEVAL DE SÃO PEDRO DE PENAFERRIM SINTRA 12 DE ABRIL DE 2014 SÁBADO 15 HORAS ITINERÁRIO

ROTEIRO MEDIEVAL DE SÃO PEDRO DE PENAFERRIM SINTRA 12 DE ABRIL DE 2014 SÁBADO 15 HORAS ITINERÁRIO ROTEIRO MEDIEVAL DE SÃO PEDRO DE PENAFERRIM SINTRA 12 DE ABRIL DE 2014 SÁBADO 15 HORAS ITINERÁRIO - TÚMULO DOS DOIS IRMÃOS - IGREJA DE SÃO PEDRO DE PENAFERRIM - CAPELA DE SÃO LÁZARO - FONTE DE SÃO PEDRO

Leia mais

Um Passeio pela Cidade

Um Passeio pela Cidade Um Passeio pela Cidade Possuidora de um rico património histórico, Beja convida todos os que a visitam a calcorrear calmamente as suas ruas. Não hesite em aceitar este convite e descubra tudo o que esta

Leia mais

DAS ARTES. 1º semestre / 2012 Aula 5 26/03/2012. Prof. a M. a Marcela Provinciatto Siscão. masiscao@hotmail.com

DAS ARTES. 1º semestre / 2012 Aula 5 26/03/2012. Prof. a M. a Marcela Provinciatto Siscão. masiscao@hotmail.com ESTÉTICA TICA E HISTÓRIA DAS S 1º semestre / 2012 Aula 5 26/03/2012 Prof. a M. a Marcela Provinciatto Siscão masiscao@hotmail.com IDADE MÉDIA Idade Antiga (Antiguidade) Idade Média (Era Medieval) c ESCRITA

Leia mais

Solenidade de Nossa Senhora Auxiliadora

Solenidade de Nossa Senhora Auxiliadora BELO HORIZONTE, 21 DE MAIO DE 2010 Nº 002 Prezados Salesianos, demais grupos da Família Salesiana e Leigos, No dia 24 de maio, celebramos a Solenidade de Nossa Senhora Auxiliadora, padroeira de toda a

Leia mais

REABILITAÇÃO DA ABÓBADA DA CAPELA-MOR DA IGREJA DE N.ª S.ª DA GRAÇA

REABILITAÇÃO DA ABÓBADA DA CAPELA-MOR DA IGREJA DE N.ª S.ª DA GRAÇA REABILITAÇÃO DA ABÓBADA DA CAPELA-MOR DA IGREJA DE N.ª S.ª DA GRAÇA J. MASCARENHAS L. BELGAS F.G. BRANCO Prof. Eng.ª Civil Prof. Eng.ª Civil Prof. Eng.ª Civil IPT IPT Univ. Lúrio Tomar; Portugal Tomar;

Leia mais

Forte de S. Francisco Xavier Castelo do Queijo

Forte de S. Francisco Xavier Castelo do Queijo Forte de S. Francisco Xavier Castelo do Queijo Porto Praça Gonçalves Zarco 4100-274 Porto Tel: 22 618 10 67 3ª a Domingo : 13.00 às 18.00 Encerra: 2ª Fª Escolas, reformados e deficientes: gratuito. Restante

Leia mais

Mosteiro de São Bento da Vitória Dossier de Apresentação

Mosteiro de São Bento da Vitória Dossier de Apresentação Mosteiro de São Bento da Vitória Dossier de Apresentação Índice I II III Nota histórica Informação sobre o espaço Descrição Planta Capacidade Equipamento disponível Outras informações úteis Localização

Leia mais

CURRICULUM VITAE REFERÊNCIAS CONSERVAÇÃO E RESTAURO DE AZULEJOS

CURRICULUM VITAE REFERÊNCIAS CONSERVAÇÃO E RESTAURO DE AZULEJOS CURRICULUM VITAE REFERÊNCIAS CONSERVAÇÃO E RESTAURO DE AZULEJOS 2012 Diagnóstico, coordenação e execução da intervenção de inventariação e conservação e restauro do conjunto azulejar pombalino existente

Leia mais

Situação existente CÂMARA MUNICIPAL DA RIBEIRA GRANDE CASA - MUSEU DA FREIRA DO ARCANO PROJECTO DE EXECUÇÃO MEMÓRIA DESCRITIVA

Situação existente CÂMARA MUNICIPAL DA RIBEIRA GRANDE CASA - MUSEU DA FREIRA DO ARCANO PROJECTO DE EXECUÇÃO MEMÓRIA DESCRITIVA Situação existente A cidade da Ribeira Grande, cabeça de um concelho que este ano celebra o meiomilénio de existência, é das mais notáveis construções urbanas açóricas, e constitui uma das mais originais

Leia mais

PORTEFÓLIO. » eventos. Museu de Lamego Largo de Camões 5100-147 Lamego

PORTEFÓLIO. » eventos. Museu de Lamego Largo de Camões 5100-147 Lamego Museu de Lamego Largo de Camões 5100-147 Lamego (+351) 254 600 230 mlamego@culturanorte.pt www.museudelamego.pt www.facebook.com/museu.de.lamego PORTEFÓLIO O Museu de Lamego...... está instalado no antigo

Leia mais

guia do património cultural

guia do património cultural guia do património cultural prefácio A cultura é um elemento essencial para a afirmação do Algarve no país e é por ela que editamos este guia. Escorados na história da região, onde se cruzaram povos e

Leia mais

Colégio Pedro II Departamento de Desenho e Artes Visuais

Colégio Pedro II Departamento de Desenho e Artes Visuais Colégio Pedro II Departamento de Desenho e Campus São Cristóvão II Coordenador pedagógico de Disciplina: Shannon Botelho 7º ano. TURMA: NOME: nº ARTE PÁLEO-CRISTÃ OU DAS CATACUMBAS Surgiu com os primeiros

Leia mais

MUSEU DO AZULEJO APRESENTAÇÃO

MUSEU DO AZULEJO APRESENTAÇÃO MUSEU DO AZULEJO APRESENTAÇÃO O Museu Nacional do Azulejo tem por missão recolher, conservar, estudar e divulgar exemplares representativos da evolução da Cerâmica e do Azulejo em Portugal, promovendo

Leia mais

Arquitetura Colonial

Arquitetura Colonial Arquitetura Colonial Introdução l Arquitetura colonial corresponde ao período de 1500 até 1822 l os colonizadores adaptaram as correntes estilísticas da Europa ao Brasil: l condições materiais e sócio-econômicas

Leia mais

Iflfl flfl 5 95 12 39

Iflfl flfl 5 95 12 39 Ano Escolar 0 1 PORTUGAL 0 Ano de Escolaridade Turma D Estabelecimento de Ensino 0 Escola Básica de Vale de Milhaços 05 0 0 1 1 5 110 0 pg irncpp 51 105 0 1 01 001 0 1 01 05 001 11 1 055 ALINE VALENCE

Leia mais

Percurso Pedestre Centro Interpretativo das Linhas de Torres (Sobral de Monte Agraço) Quinta dos Freixos (Pêro Negro)

Percurso Pedestre Centro Interpretativo das Linhas de Torres (Sobral de Monte Agraço) Quinta dos Freixos (Pêro Negro) Percurso Pedestre Centro Interpretativo das Linhas de Torres (Sobral de Monte Agraço) Quinta dos Freixos (Pêro Negro) Descrição: Este trilho linear tem início na vila de Sobral de Monte Agraço, no Centro

Leia mais

Circuito Pedonal e Cultural da freguesia de Romãs

Circuito Pedonal e Cultural da freguesia de Romãs Romãs A atual freguesia de Romãs, data do século XVI, em resultado do desmembramento, da grande Paróquia de Santa Maria de Gulfar que formou ainda Decermilo, Vila Longa, Silvã de Baixo e Silva de Cima,

Leia mais

AQUEDUTOS DE PORTUGAL ÁGUA E PATRIMÓNIO Évora 2011/2012 CONVENTO DOS REMÉDIOS - Ciclo de conferências no Convento sobre o tema Água e Património

AQUEDUTOS DE PORTUGAL ÁGUA E PATRIMÓNIO Évora 2011/2012 CONVENTO DOS REMÉDIOS - Ciclo de conferências no Convento sobre o tema Água e Património AQUEDUTOS DE PORTUGAL ÁGUA E PATRIMÓNIO Évora 2011/2012 CONVENTO DOS REMÉDIOS - Ciclo de conferências no Convento sobre o tema Água e Património Arquitecta: Professora Doutora Maria do Céu Simões Tereno

Leia mais

I CONGRESSO INTERNACIONAL DA ROTA DO ROMÂNICO

I CONGRESSO INTERNACIONAL DA ROTA DO ROMÂNICO I CONGRESSO INTERNACIONAL DA ROTA DO ROMÂNICO 28 29 30 SETEMBRO 2011 COMUNICAÇÕES I CONGRESSO INTERNACIONAL DA ROTA DO ROMÂNICO 28 29 30 SETEMBRO 2011 COMUNICAÇÕES Ficha Técnica PROPRIEDADE Rota do Românico

Leia mais

O Mosteiro dos Jerónimos situa-se em Belém, Lisboa, à entrada do Rio Tejo e a separá-los está o Jardim da Praça do Império. Com uma fachada superior

O Mosteiro dos Jerónimos situa-se em Belém, Lisboa, à entrada do Rio Tejo e a separá-los está o Jardim da Praça do Império. Com uma fachada superior O Mosteiro dos Jerónimos situa-se em Belém, Lisboa, à entrada do Rio Tejo e a separá-los está o Jardim da Praça do Império. Com uma fachada superior a 300 metros e estilo manuelino, o mosteiro é um testemunho

Leia mais

Uma curiosidade das construções ogivais, ou seja, góticas é que quase não se conhece quem foram os arquitetos. Da natureza os maçons tiraram idéias

Uma curiosidade das construções ogivais, ou seja, góticas é que quase não se conhece quem foram os arquitetos. Da natureza os maçons tiraram idéias 1 86 Arte gótica Todos estamos cansados de ouvir falar das igrejas góticas existentes na Europa. Quem não as viu provavelmente teve conhecimentos delas através de filmes na televisão ou fotos em jornais.

Leia mais

O COLÉGIO DE S. LOURENÇO DA COMPANHIA DE JESUS NO PORTO: 1560-1774

O COLÉGIO DE S. LOURENÇO DA COMPANHIA DE JESUS NO PORTO: 1560-1774 SUMÁRIO i O COLÉGIO DE S. LOURENÇO DA COMPANHIA DE JESUS NO PORTO: 1560-1774 1. Implantação da Companhia de Jesus no Porto 23 2. Primeiro domicílio dos Jesuítas no Porto 24 3. Fundação do Colégio de S.

Leia mais

Peregrinação ao Santuário de Fátima

Peregrinação ao Santuário de Fátima Peregrinação ao Santuário de Fátima O Santuário Situado na Cova da Iria, é composto por: Recinto de Oração Capelinha das Aparições Basílica Colunata Igreja da Santíssima Trindade Recinto de Oração Embora

Leia mais