BREVE ANÁLISE DO TELETRABALHO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BREVE ANÁLISE DO TELETRABALHO"

Transcrição

1 1 BREVE ANÁLISE DO TELETRABALHO José Marcos Moreno Morelo Filho Acadêmico de Direito da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Estagiário da Equipe Trabalhista do Felsberg Advogados Associados RESUMO: O objetivo deste artigo é estudar o teletrabalho, analisando sua consequência em decorrência da lei /2011, traçando um panorama com a evolução do direito laboral. ABSTRACT: The goal of this paper is to study teleworking, analyzing its consequence as a result of the law /2011, drawing a panorama with developments in labor law. As mudanças ocorridas na sociedade, em virtude do notável avanço da ciência e tecnologia, constitui um desafio ao direito, principalmente se relacionado ao campo social do direito laboral, que se renova constantemente diante deste câmbio de perspectiva da sociedade pós-moderna. Desta forma, inicialmente se faz necessário definir e situar este home pósmoderno responsável por tantas mudanças e avanços no campo laboral. A pós-modernidade, pelo que explicita José Luis Sanfelice¹, está ligada ao surgimento de uma sociedade pós-industrial, na qual o conhecimento é a principal força econômica de produção. Ela é, portanto, um fenômeno, dentre outras coisas, que expressa uma cultura de globalização e de ideologia neoliberal. O modelo pós-moderno de produção e consumo gerou a sociedade de massa, na qual esta concentrado o próprio trabalhador, alienado não só em razão de fomentar o produto com a venda da energia de trabalho, como, ainda, por adquiri-lo com o plus da mais valia sem consciência de ser o autor da obra elaborada.² É a alienação da cadeia de trabalho, cujo empregado sequer tem noção, na escala industrial, do produtofim que advém de sua labuta. Em decorrência disso, temos a sociedade da informação, também ínsita da pós-modernidade. Sua principal característica é o fim da limitação geográfica, outrora

2 2 imposta pela distância, tempo ou volume para transmissão da informação. É a ausência de barreiras alcançada pela internet e mobilidade telefônica³. O homem pós-moderno está exatamente inter-relacionado neste contexto social e cultural, cuja principal característica é a globalização e avanços tecnológicos responsáveis pela criação e surgimento de diversos fenômenos do âmbito trabalhista, na qual está abarcado o teletrabalho. Em decorrência disso, surgem leis e entendimentos jurisprudenciais que regulam e normatizam essas mudanças. Neste diapasão, tem-se a lei n /2011, que alterou o artigo 6 da Consolidação das Leis do Trabalho, acrescentando o parágrafo único, reconhecendo o trabalho à distância. O teletrabalho é uma modalidade de trabalho à distância típica dos tempos pós-modernos. 4 Com rápido avanço da tecnologia, destarte anteriormente mencionado, o labor fora do estabelecimento do empregador, mantendo contato por meio de recursos eletrônicos, passou a ser constante. Para Amauri Mascaro Nascimento, o trabalho à distância, na seara do teletrabalho, é aquele que não é realizado no estabelecimento, mas fora dele, com a utilização de meios de comunicação que o avanço das técnicas modernas põe à disposição do processo produtivo. 5 Da mesma forma, pelo que se extrai do texto jurídico do professor Gustavo Gauthier, en la OIT, en uma de las primeras definiciones de teletrabajo, ya se ponía el acento en dos aspectos básicos del concepto distancia y tecnologia -, al describir el fenómeno como una forma de trabajo donde la prestación se localizaba em forma remota de las oficinas centrales, produciendo una separación entre el trabajador y el resto de los trabajadores de la empresa, mediante las nuevas tecnologias que facilitan la comunicación. 6 Nesta toada, cabe explorar as peculiaridades desta modalidade, e sua recepção no direito trabalhista pátrio. Ou seja, mesmo que o trabalho seja realizado preponderantemente fora do estabelecimento do empregador, como ocorre no teletrabalho, se presentes as exigências dos artigos 2 e 3 da CLT, que ditam os requisitos do vínculo laboral, tem-se a existência da relação de emprego 7.

3 3 Neste entendimento, havendo controle e direção quanto à maneira do referido labor, ainda que por meio de instrumentos eletrônicos e de telecomunicações, deve ser reconhecida a presença da subordinação jurídica, caracterizadora da vinculação laboral, que gera reflexos na doutrina e jurisprudência trabalhista. Nesta acepção, da análise de casos concretos, a jurisprudência de nossos tribunais tem equiparado o teletrabalhador à figura do trabalhador a domicílio, vejamos: AGRAVO DE INSTRUMENTO. RECURSO DE REVISTA. HOME OFFICE: ENQUADRAMENTO E EFEITOS JURÍDICOS. OUTROS TEMAS: SUBSTITUIÇÃO. ACÚMULO DE FUNÇÕES. HORAS EXTRAS. ADICIONAL NOTURNO. HORAS DE SOBREAVISO. FÉRIAS INTERROMPIDAS. DECISÃO DENEGATÓRIA. MANUTENÇÃO. O teletrabalho e o trabalho em domicílio (home office) tornaram-se frequentes nas últimas décadas em face da invenção, aperfeiçoamento e generalização de novos meios comunicacionais, ao lado do advento de novas fórmulas organizacionais e gerenciais de empresas e instituições. Isso não elimina, porém, necessariamente, a presença de subordinação na correspondente relação socioeconômica e jurídica entre o trabalhador e seu tomador de serviços, desde que ultrapassado o conceito tradicional desse elemento integrante da relação empregatícia em favor de sua dimensão objetiva ou, até mesmo, em favor do conceito de subordinação estrutural. Dentro deste novo, moderno e atualizado enfoque da subordinação, os trabalhadores em domicílio, mesmo enquadrando-se no parâmetro do home office, podem, sim, ser tidos como subordinados e, desse modo, efetivos empregados. Não obstante, não se pode negar que, de maneira geral, em princípio, tais trabalhadores enquadram-se no tipo jurídico excetivo do art. 62 da CLT, realizando o parâmetro das jornadas não controladas de que fala a ordem jurídica trabalhista (art. 62, I, CLT). Por outro lado, a possibilidade de indenização

4 4 empresarial pelos gastos pessoais e residenciais efetivados pelo empregado no exercício de suas funções empregatícias no interior de seu home office supõe a precisa comprovação da existência de despesas adicionais realizadas em estrito benefício do cumprimento do contrato, não sendo bastante, em princípio, regra geral, a evidência de certa mistura, concorrência, concomitância e paralelismo entre atos, circunstâncias e despesas, uma vez que tais peculiaridades são inerentes e inevitáveis ao labor em domicílio e ao teletrabalho. Finalmente, havendo pagamento pelo empregador ao obreiro de valores realmente dirigidos a subsidiar despesas com telefonemas, gastos com informática e similares, no contexto efetivo do home office, não têm tais pagamentos natureza salarial, mas meramente instrumental e indenizatória. Na mesma linha, o fornecimento pelo empregador, plenamente ou de modo parcial, de equipamentos para a consecução do home office obreiro (telefones, microcomputadores e seus implementos, etc.) não caracteriza, regra geral, em princípio, salário in natura, em face de seus preponderantes objetivos e sentido instrumentais. Agravo de instrumento desprovido. (TST, 6ª T., AIRR Rel. Min. Maurício Godinho Delgado, Dj ). Não obstante, enquanto o trabalho em domicílio é mais constante em atividades manuais, o teletrabalho é normalmente realizado em atividades que exigem certo conhecimento especializado, como auditoria, gestão de recursos, tradução, jornalismo, digitação. 8 Assim, o artigo 83 da CLT, além de assegurar ao empregado em domicílio o salário-mínimo, define tal modalidade sendo aquela: executada na habitação do empregado ou em oficina de família, por conta de empregador que o remunere. No âmbito internacional, pelos termos do artigo 1 da Convenção 177 de 1996, da Organização Internacional do Trabalho, trabalho em domicílio significa o trabalho que uma pessoa, designada como trabalhador em domicílio, realiza: em seu

5 5 domicílio ou em outro local que escolher, mas distinto do local de trabalho do empregador; em troca de remuneração; com o fim de laborar um produto ou prestar um serviço, conforme especificações do empregador. Contudo, tal Convenção ainda não fora ratificada pelo Brasil. 9 Neste cenário, grandes discussões surgem acerca do controle de jornada deste trabalhador, principalmente, porque, pode implicar em pagamento de horas extraordinárias, pelo que assegura nossa Constituição Federal, em casos de extrapolação da oitava hora diária (ou distinta disso, caso disponha diversa, alguma Convenção Coletiva ou sentença normativa) inciso XVI do art. 7º da Constituição Federal. Nos casos de teletrabalho, a sujeição a uma jornada extraordinária tende a um regime de horas extraordinárias similar ao de um trabalhador interno; ou seja, o excesso de trabalho do teletrabalhador em domicílio deve ser considerado como horas extras nos acordos e convenções coletivas; excesso que será contestado através do programa de controle do tempo de trabalho, como também por meio do cartão exigido pelo ordenamento jurídico. 10 Do ponto de vista prático, como ocorre na configuração do trabalho a domicílio, também será difícil a constatação da jornada suplementar no teletrabalho. A dificuldade esta no fato do empregado não estar vinculado fisicamente ao empregador ou um preposto dele. O trabalho realizado pelo teletrabalhador é externo, logo, de acordo com o artigo 62, inciso I da CLT, não há que se falar em pagamento de horas extras, pela ausência do controle de jornada. Contudo, a apuração de existência ou não de horas suplementares, será constatada em função do caso concreto analisando-se a carga diária de trabalho e metas que deveriam ser cumpridas pelo obreiro. Somente em face das peculiaridades de cada situação é que se pode dizer se o teletrabalhador possui ou não controle indireto sobre sua prestação diária dos serviços, e jornada. 11 Para Gustavo Felipe Barbosa Garcia, o poder de controle do empregador, assim, pode ser exercido por meio de recursos de telefonia e da informática, em especial com a utilização da internet. Considerando a existência de maior flexibilização do horário

6 6 laborado, surgem dificuldades quanto á demonstração do direito á remuneração das horas-extras. 12 Não obstante, para Gauthier, el control del trabajo a distancia gracias al desarrollo de los programas informáticos, puede llegar a ser constante y minuncioso, incluso mucho más estrecho que el clássico control presencial de um superior. 13 Las possibilidades de control a distancia de la actividad del teletrabajador que ofrecen las nuevas tecnologias pueden llegar a ser ilimitadamente invasivas de las esferas más íntimas del trabajador y también de la vida de las personas quecom él conviven cuando el teletrabajo se presta em el domicilio. 14 Nesta esteira, corroborando com Javier Thibault Aranda no parágrafo anterior, os instrumentos tecnológicos cada vez mais possibilitam que o poder de direção seja exercido pelo empregador, ainda que a distância, devendo-se atentar para que não sejam feridos direitos fundamentais de personalidade e intimidade do empregado. Ivan da Costa Alemão, em sua obra sobre a Subordinação Simbólica, analisa este fato: no teletrabalho a privacidade do empregado é exposta mais profundamente. Se na empresa a privacidade do empregado pode ser atingida, por exemplo, num momento em que é revistado, no sistema do teletrabalho o empregador acaba por penetrar, de certa forma, na vida do empregado em sua própria casa. 15 Pelo breve exposto, significativo mencionar que apesar da mudança ao artigo 6 da Consolidação das Leis do trabalho, trazida pela Lei n de 15 de dezembro de 2011, que incluiu o teletrabalho, reconhecendo esta modalidade no direito pátrio, este não foi ainda devidamente regulamentado. Ao que parece os Tribunais admitem o teletrabalho como espécie de trabalho a distância, sendo aquele, contudo, um labor executado por recursos tecnológicos. De qualquer modo, não há, ainda, uma regulação legal quanto às peculiaridades do teletrabalho, devendo a priori ser aplicadas as normas e princípios gerais ao direito do trabalho, com a análise concreta para averiguação da extrapolação da jornada de trabalho, e pagamento ou não do adicional de horas extras.

7 7 Inclusive, quanto a este controle tecnológico da jornada, o respeito à privacidade do trabalhador deve ser observado para que não implique e reflita em outras questões na esfera laboral, como por exemplo a implicação de danos morais ao obreiro. NOTAS E REFERÊNCIAS: ¹ SANFELICE, José Luis Pós-Modernidade, Globalização e educação, capítulo um Conferência proferida no VII Congresso de Educação, promovido pela Universidade do Contestafo (UnC) SC, 18/10/2000. ² BAUDRILLARD, J.- A sociedade de Consumo. Rio de janeiro, Elfos Editora; Lisboa, Ed. 70. ³ FOUCAULT, Michel. História da loucura. 2. ed., São Paulo: Perspectiva, GARCIA, Gustavo Filipe Barbosa. Curso de Direito do Trabalho. 5 ed. Rio de Janeiro, Forense, NASCIMENTO, Amauri Mascaro. Curso de Direito do Trabalho. 24 ed. São Paulo, 2009, Saraiva. 6 GAUTHIER, Gustavo. Perspectiva Laboral del Teletrabajo. Artigo jurídico da Revista Magister de Direito do Trabalho, n 45, edição nov/dez de 2011, Coordenada pelo professor Nelson Mannrich. 7 CAVALCANTE, Jouberto de Quadros pessoa. O Fenômeno do Teletrabalho: uma abordagem jurídica trabalhista. Artigo jurídico da Revista Magister de Direito do Trabalho, n 46, edição jan/fev de 2012, Coordenada pelo professor Nelson Mannrich. 8 BARROS, Alice monteiro. Curso de Direito do Trabalho, 2 ed. São Paulo, Ltr, MARTINS, Sergio Pinto. Direito do Trabalho. 26 ed. São Paulo, Atlas, FILHO, Ives Gandra da Silva Martins. Manual Esquemático de Direito e Processo do Trabalho. 13ª ed. Editora Saraiva, São Paulo SP, vide referência n 7 12 vide referência n 4 13 vide referência n 6 14 THIBAULT ARANDA, Javier. El Teletrabajo en España. Ministério de Asuntos Sociales, ALEMÃO, Ivan da Costa; BARROSO, Marcia Regina C. A subordinação Simbólica: mecanismos de dominação no mundo do trabalho. Artigo da revista Decisório Trabalhista, fascículo 172, jun/2011.

1 Impactos das novas tecnologias no cotidiano e na saúde do servidor

1 Impactos das novas tecnologias no cotidiano e na saúde do servidor 1 Impactos das novas tecnologias no cotidiano e na saúde do servidor As mudanças, em especial as tecnológicas, têm sempre intenção de transformação da organização do trabalho, de avanço do modo de produção

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2012

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2012 FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2012 Disciplina: Direito do Trabalho I Departamento: Direito Social e Coletivo Docente Responsável: Anselmo Domingos da Paz Junior Carga Horária Anual: 100 h/a Tipo:

Leia mais

O home office, o teletrabalho e a lei nº 12.551 de 15.12.2011

O home office, o teletrabalho e a lei nº 12.551 de 15.12.2011 O home office, o teletrabalho e a lei nº 12.551 de 15.12.2011 O artigo 3o da CLT conceitua empregado como... toda pessoa física que prestar serviços de natureza não eventual a empregador, sob a dependência

Leia mais

Resumo Aula-tema 02: Fontes, princípios, renúncia e transação do Direito do Trabalho.

Resumo Aula-tema 02: Fontes, princípios, renúncia e transação do Direito do Trabalho. Resumo Aula-tema 02: Fontes, princípios, renúncia e transação do Direito do Trabalho. O propósito dessa aula é reconhecer quais os lugares de onde se originam os direitos trabalhistas, onde procurá-los

Leia mais

1.1. Intervalo intrajornada é o descanso concedido dentro da própria jornada de trabalho. (1)

1.1. Intervalo intrajornada é o descanso concedido dentro da própria jornada de trabalho. (1) MATERIAL DE APOIO - MONITORIA Índice 1.Artigos Correlatos 1.1. O intervalo intrajornada como hora extra 2.Simulados 1.ARTIGO CORRELATO Jouberto de Quadros Pessoa Cavalcante advogado, professor de Direito

Leia mais

As implicações do sistema denominado CLT flex

As implicações do sistema denominado CLT flex As implicações do sistema denominado CLT flex Tatiana Guimarães Ferraz Andrade 1 Renata de Souza Barroso 2 1) Do surgimento do sistema de cotas O sistema de cotas ou CLT flex surgiu após o insucesso das

Leia mais

RELAÇÕES DE TRABALHO LATO SENSU

RELAÇÕES DE TRABALHO LATO SENSU RELAÇÕES DE TRABALHO LATO SENSU O trabalhador temporário é pessoa física contratada por empresa de trabalho temporário, para prestar serviços pessoalmente e mediante salário e subordinação, a empresa tomadora

Leia mais

O CONTRATO DE APRENDIZAGEM E AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELA LEI 10.097/2000

O CONTRATO DE APRENDIZAGEM E AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELA LEI 10.097/2000 O CONTRATO DE APRENDIZAGEM E AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELA LEI 10.097/2000 Grasiele Augusta Ferreira Nascimento 1 Introdução Um dos temas mais debatidos em Direito do Trabalho refere-se à proteção ao

Leia mais

www.nucleomascaro.com.br

www.nucleomascaro.com.br SÃO PAULO Avenida São Luís, 50 Cj. 261 26º andar Centro São Paulo SP Cep 01046-000 Fone 55(11) 2175-9000 Fax 55(11) 3256-7401 RIO DE JANEIRO Av. Presidente Vargas, 633 Cj. 607 Centro Rio de Janeiro RJ

Leia mais

COMPENSAÇÃO DE JORNADA DE TRABALHO

COMPENSAÇÃO DE JORNADA DE TRABALHO COMPENSAÇÃO DE JORNADA DE TRABALHO Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil - São Paulo, Brasil - 31 de janeiro de 2013 CONCEITO A compensação da jornada de trabalho ocorre quando o empregado

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito PLANO DE ENSINO 1 IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA Curso 519 Direito Noturno Disciplina/Código

Leia mais

Cód. Disciplina Período Créditos Carga Horária D - 26 4º 04. Semanal Semestral 04 60 DIREITO DO TRABALHO I DIREITO

Cód. Disciplina Período Créditos Carga Horária D - 26 4º 04. Semanal Semestral 04 60 DIREITO DO TRABALHO I DIREITO e Cód. Disciplina Período Créditos Carga Horária D - 26 4º 04 Semanal Semestral 04 60 Curso DIREITO Disciplina DIREITO DO TRABALHO I D 07 HERMENÊUTICA JURÍDICA (MATRIZ 2008/01) Introdução ao Direito do

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Adicional de Periculosidade sobre horas extras e férias

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Adicional de Periculosidade sobre horas extras e férias Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Adicional de Periculosidade sobre horas extras e férias 21/02/2014 Título do documento Sumário 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DA DISCIPLINA: D - 19 PERÍODO: 5 CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO DO TRABALHO I NOME DO CURSO: DIREITO 2.

1. IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DA DISCIPLINA: D - 19 PERÍODO: 5 CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO DO TRABALHO I NOME DO CURSO: DIREITO 2. 1. IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DA DISCIPLINA: D - 19 PERÍODO: 5 CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO DO TRABALHO I NOME DO CURSO: DIREITO 2. EMENTA CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 Introdução

Leia mais

FONTES E PRINCÍPIOS DO DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO 1

FONTES E PRINCÍPIOS DO DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO 1 FONTES E PRINCÍPIOS DO DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO 1 1. Fontes do Direito Processual do Trabalho A abordagem relativa às fontes processuais trabalhistas é de extrema relevância para a compreensão das

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE FRANCA PLANO DE ENSINO. 5ª SÉRIE A e B: NOTURNO

FACULDADE DE DIREITO DE FRANCA PLANO DE ENSINO. 5ª SÉRIE A e B: NOTURNO FACULDADE DE DIREITO DE FRANCA PLANO DE ENSINO 5ª SÉRIE A e B: NOTURNO PROFESSORA: MARIA CLAUDIA SANTANA LIMA DE OLIVEIRA DISCIPLINA: DIREITO DO TRABALHO SÉRIE: 5 ANO A e B TURMAS: NOTURNO CARGA HORÁRIA

Leia mais

Ciclo de Palestras para Síndicos e Administradoras de Condomínios do Grande ABC.

Ciclo de Palestras para Síndicos e Administradoras de Condomínios do Grande ABC. Ciclo de Palestras para Síndicos e Administradoras de Condomínios do Grande ABC. QUESTÕES TRABALHISTAS EM CONDOMÍNIOS Palestrante: Carlos Alexandre Cabral 2/30 1 -ESCALA 6 POR 1 Antonio (auxiliar ou servente)

Leia mais

JORNADA DE TRABALHO DO ADVOGADO EMPREGADO: ANALISTA TÉCNICO, QUE DESENVOLVE ATIVIDADES DE ADVOGADO NO SEBRAE/MA.

JORNADA DE TRABALHO DO ADVOGADO EMPREGADO: ANALISTA TÉCNICO, QUE DESENVOLVE ATIVIDADES DE ADVOGADO NO SEBRAE/MA. JORNADA DE TRABALHO DO ADVOGADO EMPREGADO: ANALISTA TÉCNICO, QUE DESENVOLVE ATIVIDADES DE ADVOGADO NO SEBRAE/MA. MARISE GONÇALVES ABDALLA 1 RESUMO O presente artigo visa tratar as questões que envolvem

Leia mais

Normatização, regulação e legislação para o Teletrabalho

Normatização, regulação e legislação para o Teletrabalho ARTIGO Normatização, regulação e legislação para o Teletrabalho AUTOR Álvaro Augusto Araújo Mello Administrador de empresas. Mestre pela EAESP-FGV e Doutor pela FEA/USP. Professor na BSP Business School

Leia mais

AS MUDANÇAS NO ESTATUTO JURÍDICO DOS DOMÉSTICOS EC 72/13 Gáudio R. de Paula e José Gervásio Meireles

AS MUDANÇAS NO ESTATUTO JURÍDICO DOS DOMÉSTICOS EC 72/13 Gáudio R. de Paula e José Gervásio Meireles AS MUDANÇAS NO ESTATUTO JURÍDICO DOS DOMÉSTICOS EC 72/13 Gáudio R. de Paula e José Gervásio Meireles A aprovação do projeto de Emenda Constitucional 66/2012, e a subsequente edição da EC 72/13, relativo

Leia mais

Tutela do Trabalho dos Bancários

Tutela do Trabalho dos Bancários Tutela do Trabalho dos Bancários Éder Crestanello de Oliveira 1 Maria Bernadete Miranda 2 Resumo As relações de trabalho surgiu e ganhou projeções por volta da I Guerra Mundial na Alemanha nazista, através

Leia mais

Seguro Desemprego : art. 7º, II da CRFB

Seguro Desemprego : art. 7º, II da CRFB AULA 10: Seguro Desemprego : art. 7º, II da CRFB Amparo legal: art. 7º, II da CRFB. * urbanos e rurais: Lei nº 7.998/90, Lei nº 8.900/94 e Resolução do CODEFAT 467/05. * domésticos: artigo 6º-A da Lei

Leia mais

http://www.lgncontabil.com.br/

http://www.lgncontabil.com.br/ ADICIONAL NOTURNO - PROCEDIMENTOS 1. INTRODUÇÃO O adicional noturno é devido ao empregado que trabalha a noite no período biológico em que a pessoa deve dormir. É no período noturno que o organismo humano

Leia mais

JORNADA DE TRABALHO 1 LIMITE DE DURAÇÃO E ANOTAÇÃO DA JORNADA PACTUADA

JORNADA DE TRABALHO 1 LIMITE DE DURAÇÃO E ANOTAÇÃO DA JORNADA PACTUADA 1 / 5 JORNADA DE TRABALHO 1 LIMITE DE DURAÇÃO E ANOTAÇÃO DA JORNADA PACTUADA A jornada máxima de trabalho, fixada pela Constituição Federal de 1988 e confirmada pelo art. 58 do Estatuto Laboral, é de 8

Leia mais

- Abordagem de casos concretos, de modo a se contextualizar a disciplina.

- Abordagem de casos concretos, de modo a se contextualizar a disciplina. Detalhes da Disciplina Código JUR3231 Nome da Disciplina DIREITO DO TRABALHO I Carga Horária 60 Créditos 4 Direito do Trabalho: histórico, evolução, teoria e princípios. Relação de Ementa Emprego: sujeitos

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA Faculdade Anísio Teixeira de Feira de Santana Autorizada pela Portaria Ministerial nº 552 de 22 de março de 2001 e publicada no Diário Oficial da União de 26 de março de 2001. Endereço: Rua Juracy Magalhães,

Leia mais

TRABALHADOR HORISTA. Dr. Leslie Magro

TRABALHADOR HORISTA. Dr. Leslie Magro TRABALHADOR HORISTA Dr. Leslie Magro 1. DEFINIÇÃO O trabalhador horista é aquele que recebe o salário mensalmente, porém determinado pelo valor-hora. O trabalhador horista tem todos os direitos e obrigações

Leia mais

EMENTA / PROGRAMA DE DISCIPLINA. ANO / SEMESTRE LETIVO Administração 2015.2. Legislação Social e Direito do Trabalho ADM 066.

EMENTA / PROGRAMA DE DISCIPLINA. ANO / SEMESTRE LETIVO Administração 2015.2. Legislação Social e Direito do Trabalho ADM 066. Faculdade Anísio Teixeira de Feira de Santana Autorizada pela Portaria Ministerial nº 552 de 22 de março de 2001 e publicada no Diário Oficial da União de 26 de março de 2001. Endereço: Rua Juracy Magalhães,

Leia mais

Prof. Ms. Jouberto de Quadros Pessoa Cavalcante

Prof. Ms. Jouberto de Quadros Pessoa Cavalcante Tema: Relações Trilaterais. Trabalho temporário. privada. Cooperativas de trabalho. Terceirização na iniciativa Prof. Ms. Jouberto de Quadros Pessoa Cavalcante Advogado. Professor da Faculdade de Direito

Leia mais

PARECER Nº 01/2012 RELATÓRIO

PARECER Nº 01/2012 RELATÓRIO PARECER Nº 01/2012 CONSULENTE: Secullum Software Ltda EPP ASSUNTO: Interpretação do art. 58, 1º, CLT RELATÓRIO Trata-se de consulta sobre tolerâncias no registro de ponto variações não excedentes à cinco

Leia mais

DURAÇÃO DO TRABALHO Prof. Maria Cláudia Felten E-mail: maria.claudia.felten@terra.com.br JORNADA DE TRABALHO - Jornada de trabalho. - Benefícios da jornada de trabalho. - Diferença entre jornada de trabalho

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA Faculdade Anísio Teixeira de Feira de Santana Autorizada pela Portaria Ministerial nº 552 de 22 de março de 2001 e publicada no Diário Oficial da União de 26 de março de 2001. Endereço: Rua Juracy Magalhães,

Leia mais

TÓPICOS ABORDADOS. Departamento Jurídico

TÓPICOS ABORDADOS. Departamento Jurídico TÓPICOS ABORDADOS 1) JORNADA DE TRABALHO 2) HORAS NOTURNAS E ADICIONAL 3) TREINAMENTO PARA USO DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS 4) CARTÃO DE PONTO 5) REFEIÇÃO 1. JORNADA DE TRABALHO A) LIMITE DIÁRIO E SEMANAL

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO ARTIGOS OS LIMITES DA JORNADA DE TRABALHO

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO ARTIGOS OS LIMITES DA JORNADA DE TRABALHO VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO ARTIGOS Orientador Empresarial OS LIMITES DA JORNADA DE TRABALHO Por Sofia Kaczurowski* O Artigo 7º da Constituição Federal, no seu Inciso

Leia mais

RELAÇÃO DE EMPREGO RELAÇÃO JURIDICA

RELAÇÃO DE EMPREGO RELAÇÃO JURIDICA RELAÇÃO DE EMPREGO A partir do momento em que o trabalho começou a existir, surgiram também as relações de emprego. Sob o ponto de vista do direito, a relação de emprego é um regramento jurídico que envolve

Leia mais

Tolerância: art. 58, 1º da CLT.

Tolerância: art. 58, 1º da CLT. AULA 11: Tolerância: art. 58, 1º da CLT. Art. 58 da CLT 1º - Não serão descontadas nem computadas como jornada extraordinária as variações de horário no registro de ponto não excedentes de cinco minutos,

Leia mais

O PRINCÍPIO DA IRRENUNCIABILIDADE DOS DIREITOS TRABALHISTAS

O PRINCÍPIO DA IRRENUNCIABILIDADE DOS DIREITOS TRABALHISTAS O PRINCÍPIO DA IRRENUNCIABILIDADE DOS DIREITOS TRABALHISTAS SAMIRA MARQUES HENRIQUES 1 RESUMO: O presente trabalho tem a pretensão de contribuir para a discussão a cerca do Princípio específico do Direito

Leia mais

FLEXIBILIZAÇÕES TRABALHISTAS EM TEMPOS DE CRISES EMPRESARIAIS: A MEDIDA PROVISÓRIA Nº 680, DE 06 DE JULHO DE 2015 (PROGRAMA DE PROTEÇÃO AO EMPREGO)

FLEXIBILIZAÇÕES TRABALHISTAS EM TEMPOS DE CRISES EMPRESARIAIS: A MEDIDA PROVISÓRIA Nº 680, DE 06 DE JULHO DE 2015 (PROGRAMA DE PROTEÇÃO AO EMPREGO) FLEXIBILIZAÇÕES TRABALHISTAS EM TEMPOS DE CRISES EMPRESARIAIS: A MEDIDA PROVISÓRIA Nº 680, DE 06 DE JULHO DE 2015 (PROGRAMA DE PROTEÇÃO AO EMPREGO) Roberto Carneiro Filho 1 As relações de trabalho no Brasil,

Leia mais

À Associação dos Médicos Residentes do Rio Grande do Sul - AMERERS

À Associação dos Médicos Residentes do Rio Grande do Sul - AMERERS Porto Alegre, 10 de novembro de 2014. À Associação dos Médicos Residentes do Rio Grande do Sul - AMERERS Objeto: Parecer sobre o desvirtuamento das atividades dos médicos residentes e a formação de vínculo

Leia mais

Plano de Ensino Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos

Plano de Ensino Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos Faculdade Curso Disciplina Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos DTLS - Direito do Trabalho e Legislação Social Período Letivo 2013 - Anual

Leia mais

A TERCEIRIZAÇÃO E SEUS EFEITOS NA RELAÇÃO TRABALHISTA

A TERCEIRIZAÇÃO E SEUS EFEITOS NA RELAÇÃO TRABALHISTA A TERCEIRIZAÇÃO E SEUS EFEITOS NA RELAÇÃO TRABALHISTA Luciano Rocha Mariano 1 Limita-se o presente tema acerca da terceirização perante o Direito do Trabalho, focado no âmbito empresarial privado. De plano,

Leia mais

RECURSOS HUMANOS MÓDULO PRÁTICA TRABALHISTA I

RECURSOS HUMANOS MÓDULO PRÁTICA TRABALHISTA I MÓDULO I ÍNDICE OBJETIVO METODOLOGIA BIBLIOGRAFIA RECOMENDADA CURRICULUM RESUNIDO DO PROFESSOR CAPÍTULO 1 DIREITO DO TRABALHO Conceitos, Fontes e Convenções...4 Jornada de Trabalho...8 CAPÍTULO 2 REMUNERAÇÃO

Leia mais

Gabriel de Araujo Sandri OAB/SC 30.717

Gabriel de Araujo Sandri OAB/SC 30.717 Base de Cálculo do Adicional de Insalubridade: Uma análise da compatibilidade do entendimento jurisprudencial adotado pela Corte Máxima Trabalhista frente à proibição estampada na Súmula Vinculante nº.

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA/DO CAMPO DE CONHECIMENTO

PROGRAMA DA DISCIPLINA/DO CAMPO DE CONHECIMENTO PROGRAMA DA DISCIPLINA/DO CAMPO DE CONHECIMENTO CÓDIGO DISCIPLINA NATUREZA ANO Legislação Trabalhista e Previdenciária Ob. 2014.2 CARGA HORÁRIA PRÉ-REQUISITO 72 horas ----------------------- PROFESSOR

Leia mais

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação.

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação. Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação. DISCIPLINA: I PROFESSOR: FRANCISCA JEANE PEREIRA DA SILVA MARTINS TURMAS: 7º AM / BM PLANO DE CURSO 2013/01 UNIDADE

Leia mais

O USO DE E-MAIL NO AMBIENTE DO TRABALHO

O USO DE E-MAIL NO AMBIENTE DO TRABALHO O USO DE E-MAIL NO AMBIENTE DO TRABALHO *Narciso Figueirôa Júnior O uso indiscriminado de correios eletrônicos por empregados, durante a jornada normal de trabalho e utilizando computador da empresa, têm

Leia mais

Ainda a mesma legislação prevê no artigo 34, as atribuições dos Conselhos Regionais de Engenharia, entre outras:

Ainda a mesma legislação prevê no artigo 34, as atribuições dos Conselhos Regionais de Engenharia, entre outras: A LEI 4950A NA ESFERA DOS CREAs I) Da fiscalização A Lei nº 5.194 de 24 de dezembro de 1966 que regula o exercício da profissão de engenheiro, prevê que a fiscalização do exercício e atividades das profissões

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Salário e Remuneração Uma Abordagem Ipso Jure Douglas Fronza* SUMÁRIO: 1. CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES; 2. IMPORTÂNCIA DA DIFERENCIAÇÃO SALÁRIO-REMUNERAÇÃO; 3. SALÁRIO E REMUNERAÇÃO:

Leia mais

HORAS EXTRAS E SEUS REFLEXOS TRABALHISTAS

HORAS EXTRAS E SEUS REFLEXOS TRABALHISTAS CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL MINÁRIO DE ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO DE ASSUNTOÁBEIS DE PORTO ALEERIO PALESTRA HORAS

Leia mais

Capacitar o aluno para que possa compreender a importância do Direito do Trabalho no plano histórico, social, político e econômico.

Capacitar o aluno para que possa compreender a importância do Direito do Trabalho no plano histórico, social, político e econômico. PROGRAMA DE DISCIPLINA I. Curso: DIREITO II. Disciplina: DIREITO DO TRABALHO I (D-36) Área: Ciências Sociais Período: Sétimo Turno: Matutino/Noturno Ano: 2013.1 Carga Horária: 72 H; Créd.: 04 III. Pré-Requisito:

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS Disciplina: Direito do Trabalho I Professora: Cláudia Glênia JUR: 3231 MATERIAL APENAS PARA ROTEIRO DISCIPLINAR, NÃO DEVE SER

Leia mais

VERITAE SEMINÁRIO ESPECIAL O REGIME DE TRABALHO OFF SHORE NAS ATIVIDADES PETROLÍFERAS EM PLATAFORMAS MARÍTIMAS NO BRASIL

VERITAE SEMINÁRIO ESPECIAL O REGIME DE TRABALHO OFF SHORE NAS ATIVIDADES PETROLÍFERAS EM PLATAFORMAS MARÍTIMAS NO BRASIL VERITAE Divulgação Cursos/Junho/2011/RJ SEMINÁRIO ESPECIAL O REGIME DE TRABALHO OFF SHORE NAS ATIVIDADES PETROLÍFERAS EM PLATAFORMAS MARÍTIMAS NO BRASIL Rio de Janeiro, dias 09 e 10 de junho de 2011(Novas

Leia mais

Plano de Ensino de Disciplina

Plano de Ensino de Disciplina Plano de Ensino de Disciplina VERSÃO CURRICULAR: 2008/1 DISCIPLINA: DIREITO DO TRABALHO II CÓDIGO: DIT 106 PRÉ-REQUISITO:DIT 105 DEPARTAMENTO:DIT C.H.TOTAL:60 H/AULA CRÉDITOS:04 PERÍODO: 8º EMENTA O poder

Leia mais

VI Exame OAB 2ª FASE Padrão de correção Direito do Trabalho

VI Exame OAB 2ª FASE Padrão de correção Direito do Trabalho VI Exame OAB 2ª FASE Padrão de correção Direito do Trabalho Peça 1) Estrutura inicial O examinando deve elaborar uma contestação, indicando o fundamento legal (artigo 847 da CLT ou artigo 300 do CPC),

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVII EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVII EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Você foi procurado pelo Banco Dinheiro Bom S/A, em razão de ação trabalhista nº XX, distribuída para a 99ª VT de Belém/PA, ajuizada pela ex-funcionária Paula, que

Leia mais

NÚCLEO PREPARATÓRIO DE EXAME DE ORDEM

NÚCLEO PREPARATÓRIO DE EXAME DE ORDEM ENDEREÇAMENTO E QUALIFICAÇÃO EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DA... VARA DO TRABALHO DE... A, estado civil..., profissão..., portador do RG nº..., inscrito no CPF nº..., portador da CTPS..., série...,

Leia mais

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Sindical A INCORPORAÇÃO DA GRATIFICAÇÃO E A JURISPRUDÊNCIA DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO (TST)

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Sindical A INCORPORAÇÃO DA GRATIFICAÇÃO E A JURISPRUDÊNCIA DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO (TST) TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Sindical A INCORPORAÇÃO DA GRATIFICAÇÃO E A JURISPRUDÊNCIA DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO (TST) Alain Alpin MacGregor Advogado Em nosso ordenamento positivo, não existe lei

Leia mais

Call Centers Virtuais: Visão Jurídica. Palestrante. Dr. Wolnei Tadeu Ferreira 26 SETEMBRO 2013

Call Centers Virtuais: Visão Jurídica. Palestrante. Dr. Wolnei Tadeu Ferreira 26 SETEMBRO 2013 Call Centers Virtuais: Visão Jurídica Palestrante Dr. Wolnei Tadeu Ferreira 26 SETEMBRO 2013 TÓPICOS Conceitos gerais, análise da legislação trabalhista, possível regulamentação e jurisprudência. Caracterização

Leia mais

CARTILHA DO AVISO PRÉVIO PROPORCIONAL AO TEMPO DE SERVIÇO

CARTILHA DO AVISO PRÉVIO PROPORCIONAL AO TEMPO DE SERVIÇO CARTILHA DO AVISO PRÉVIO PROPORCIONAL AO TEMPO DE SERVIÇO A Constituição Federal assegura aos trabalhadores aviso prévio proporcional ao tempo de serviço de no mínimo trinta dias nos termos da lei. Passados

Leia mais

Análise histórica: Era medieval: 18 horas diárias. Países Europeus por volta 1800:12 a 16 horas diárias. Estados Unidos e Inglaterra:1847: 10

Análise histórica: Era medieval: 18 horas diárias. Países Europeus por volta 1800:12 a 16 horas diárias. Estados Unidos e Inglaterra:1847: 10 Duração do Trabalho Análise histórica: Era medieval: 18 horas diárias. Países Europeus por volta 1800:12 a 16 horas diárias. Estados Unidos e Inglaterra:1847: 10 horas diárias. Acordo OIT-Organização Internacional

Leia mais

Desregulamentação laboral: menos regulamentação e mais regulação

Desregulamentação laboral: menos regulamentação e mais regulação Desregulamentação laboral: menos regulamentação e mais regulação Euclides Di Dário (*) RESUMO O objetivo deste texto é apresentar resumidamente a idéia da desregulamentação do direito do trabalho. Pesquisamos

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS Disciplina: Direito do Trabalho II Professora: Cláudia Glênia JUR: MATERIAL APENAS PARA ROTEIRO DISCIPLINAR, NÃO DEVE SER USADO

Leia mais

A questão trabalhista na Educação a Distância

A questão trabalhista na Educação a Distância dinâmica do meio educacional A questão trabalhista na Educação a Distância 1 :: luciane l. webber toss doutoranda em direito público O Direito do Trabalho é um dos ramos do Direito que tem estreitas relações

Leia mais

R 9ª AULA = EMPREGADO

R 9ª AULA = EMPREGADO R 9ª AULA = EMPREGADO (1) CONCEITOS: (a) Empregado é a pessoa física que com ânimo de emprego trabalha subordinadamente e de modo não-eventual para outrem, de quem recebe salário in Amauri Mascaro do Nascimento;

Leia mais

O fracionamento do intervalo intrajornada dos vigilantes e porteiros no regime de revezamento de 12x36 horas

O fracionamento do intervalo intrajornada dos vigilantes e porteiros no regime de revezamento de 12x36 horas 1 O fracionamento do intervalo intrajornada dos vigilantes e porteiros no regime de revezamento de 12x36 horas Raphael Pereira Teixeira da Silva 1 RESUMO Este artigo tem como objetivo discutir a possibilidade,

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Docente 2015 Ensino Técnico ETEC Paulino Botelho Extensão EE Arlindo Bitencourt Código: 091.02 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Habilitação Profissional

Leia mais

2.2 Natureza jurídica do contrato de trabalho 2.2.1 Teoria acontratualista 2.2.2 Teoria institucionalista 2.2.3 Teoria neocontratualista 2.

2.2 Natureza jurídica do contrato de trabalho 2.2.1 Teoria acontratualista 2.2.2 Teoria institucionalista 2.2.3 Teoria neocontratualista 2. Sumário 1. Direito individual do trabalho - introdução 1.1 Conceito e denominação do direito individual do trabalho 1.2 Divisão do direito do trabalho 1.3 Características 1.4 Natureza jurídica 1.5 Autonomia

Leia mais

A TERCEIRIZAÇÃO ILÍCITA NO AMBIENTE BANCÁRIO

A TERCEIRIZAÇÃO ILÍCITA NO AMBIENTE BANCÁRIO A TERCEIRIZAÇÃO ILÍCITA NO AMBIENTE BANCÁRIO Veruska Rodrigues CARDOSO 1 RESUMO: O presente artigo trata da terceirização ilícita no ambiente bancário que ocorre desvirtuando tal pratica, bem como, das

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora à vencer as barreiras internacionais.

Leia mais

TRT/SP: prova de Direito do Trabalho comentada

TRT/SP: prova de Direito do Trabalho comentada Olá pessoal! Na aula de hoje comentarei a prova de Direito do Trabalho para o cargo de Técnico Judiciário do TRT/SP e na próxima aula comentarei a prova de Processo do Trabalho, ambas elaboradas pela Fundação

Leia mais

Aula 01. 1 Princípios 1.1 Conceito. 1.2 Funções. 1.3 Princípios em espécie 1.3.1 Princípio da proteção. 1.3.1.1 Princípio do in dubio pro operarium

Aula 01. 1 Princípios 1.1 Conceito. 1.2 Funções. 1.3 Princípios em espécie 1.3.1 Princípio da proteção. 1.3.1.1 Princípio do in dubio pro operarium 1 Aula 01 1 Princípios 1.1 Conceito Segundo palavras de Maurício Godinho Delgado os princípios correspondem à noção de proposições ideais, fundamentais, construídas a partir de uma certa realidade e que

Leia mais

EMPREGADO DOMÉSTICO Taciana Gimenes NOGUEIRA 1 Fabiana Souza PINHEIRO 2

EMPREGADO DOMÉSTICO Taciana Gimenes NOGUEIRA 1 Fabiana Souza PINHEIRO 2 EMPREGADO DOMÉSTICO Taciana Gimenes NOGUEIRA 1 Fabiana Souza PINHEIRO 2 RESUMO: O presente estudo vem a demonstrar a evolução do trabalhador doméstico no tempo e espaço, desde o inicio de seu reconhecimento

Leia mais

OAB/SP 136.º EXAME DE ORDEM/2008 PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL. Direito do Trabalho PEÇA PROFISSIONAL PONTO 1

OAB/SP 136.º EXAME DE ORDEM/2008 PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL. Direito do Trabalho PEÇA PROFISSIONAL PONTO 1 OAB/SP 136.º EXAME DE ORDEM/2008 PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL Direito do Trabalho PEÇA PROFISSIONAL PONTO 1 O secretário de relações do trabalho do Ministério do Trabalho e Emprego, com atuação em Brasília

Leia mais

COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria nº 378 de 27/05/15-DOU de 28/05/15 Componente Curricular: Direito do Trabalho I PLANO DE CURSO

COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria nº 378 de 27/05/15-DOU de 28/05/15 Componente Curricular: Direito do Trabalho I PLANO DE CURSO COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria nº 378 de 27/05/15-DOU de 28/05/15 Componente Curricular: Direito do Trabalho I Código: DIR-365 Pré-requisito:----------- Período Letivo: 2015.2 Professor:

Leia mais

Tributação nos Planos de Participação nos Lucros e Resultados, Stock Options, Hiring e Retainer Fee. Elidie Palma Bifano

Tributação nos Planos de Participação nos Lucros e Resultados, Stock Options, Hiring e Retainer Fee. Elidie Palma Bifano Tributação nos Planos de Participação nos Lucros e Resultados, Stock Options, Hiring e Retainer Fee Elidie Palma Bifano Conceitos necessários Contrapartida ao trabalho ou esforço humano: salário, objeto

Leia mais

JUIZ DO TRABALHO TRT DA 8ª REGIÃO

JUIZ DO TRABALHO TRT DA 8ª REGIÃO DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO I. Direito Processual do Trabalho... II. Organização da Justiça do Trabalho e o Ministério Público do Trabalho... III. Competência da Justiça do Trabalho... IV. Partes e

Leia mais

CONTRATO DE OBRA CERTA

CONTRATO DE OBRA CERTA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Curso de Ciências Contábeis com Ênfase em Controladoria Marina Quintino Vital de Souza CONTRATO DE OBRA CERTA Belo Horizonte 2012 Marina Quintino Vital

Leia mais

Resumo Aula-tema 03: Relações de Trabalho: empregado x empregador. Terceirização.

Resumo Aula-tema 03: Relações de Trabalho: empregado x empregador. Terceirização. Resumo Aula-tema 03: Relações de Trabalho: empregado x empregador. Terceirização. O Direito do Trabalho não se preocupa apenas e tão somente com as relações entre empregado e empregador. Sua abrangência

Leia mais

Contrarrazões da primeira ré às fls.455/465, do reclamante às fls. 466/468, e da segunda ré às fls.469/471.

Contrarrazões da primeira ré às fls.455/465, do reclamante às fls. 466/468, e da segunda ré às fls.469/471. Acórdão 10a Turma INDENIZAÇÃO POR DANO MORAL- DEFERIMENTO - O dano moral configura-se por um sofrimento decorrente de lesão de direitos não-patrimoniais caracterizado por excesso, abuso, tratamento humilhante

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR. a.1) normal: 06 horas por dia e 30 horas por semana 224, caput e 226 CLT

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR. a.1) normal: 06 horas por dia e 30 horas por semana 224, caput e 226 CLT TURMA EXTENSIVA SEMANAL Prof. Otavio Calvet Data: 09.11.2009 Aula nº 31 MATERIAL DE APOIO PROFESSOR Contratos de Trabalho Especiais: I. Bancário a) Duração do trabalho - art. 224 CLT a.1) normal: 06 horas

Leia mais

BREVES CONSIDERAÇÕES A RESPEITO DAS REPERCUSSÕES DECORRENTES DO USO DE TELEFONE CELULAR POR EMPREGADO

BREVES CONSIDERAÇÕES A RESPEITO DAS REPERCUSSÕES DECORRENTES DO USO DE TELEFONE CELULAR POR EMPREGADO SOARES, Flaviana Rampazzo. Breves considerações a respeito das repercussões decorrentes do uso de telefone celular por empregado. Jus Navigandi, Teresina, ano 14, n. 2337, 24 nov. 2009. Disponível em:

Leia mais

Tatiana Guimarães Ferraz Andrade 1

Tatiana Guimarães Ferraz Andrade 1 Principais Mudanças no regime de trabalho determinadas pela Lei 13.103/15 e seus impactos no dia-a-dia das transportadoras e dos motoristas de veículos de cargas e de passageiros Tatiana Guimarães Ferraz

Leia mais

1. Em relação ao trabalho da mulher, assinale a alternativa correta:

1. Em relação ao trabalho da mulher, assinale a alternativa correta: P á g i n a 1 PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO DO TRABALHO 1. Em relação ao trabalho da mulher, assinale a alternativa correta: a) A licença maternidade da empregada contratada por uma empresa

Leia mais

Breves aspectos da SCP e o grupo econômico para fins trabalhistas

Breves aspectos da SCP e o grupo econômico para fins trabalhistas Breves aspectos da SCP e o grupo econômico para fins trabalhistas Carlota Bertoli Nascimento 1 Resumo: O Novo Código Civil passou a prever de forma mais clara a Sociedade em Conta de Participação Essa

Leia mais

Faculdade de Direito Milton Campos Disciplina: DIREITO DO TRABALHO I Curso: Direito Carga Horária: 64

Faculdade de Direito Milton Campos Disciplina: DIREITO DO TRABALHO I Curso: Direito Carga Horária: 64 Faculdade de Direito Milton Campos Disciplina: DIREITO DO TRABALHO I Curso: Direito Carga Horária: 64 Departamento: Direito Privado Área: Direito do Trabalho e Processo do Trabalho PLANO DE ENSINO EMENTA:

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora à vencer as barreiras internacionais.

Leia mais

EXMO. JUIZ DO TRABALHO DA VARA DO TRABALHO DE

EXMO. JUIZ DO TRABALHO DA VARA DO TRABALHO DE EXMO. JUIZ DO TRABALHO DA VARA DO TRABALHO DE José, nacionalidade, estado civil, profissão, RG, CPF, CTPS, PIS, residente e domiciliado na, vem, respeitosamente, perante V. Exa., por meio de seu advogado,

Leia mais

Responsabilidades do Empregador

Responsabilidades do Empregador Responsabilidades do Empregador RESPONSABILIDADE SOLIDÁRIA trabalhador poderá exigir que a obrigação seja satisfeita integralmente por um dos coobrigados (p.ex.: grupo de empresas, empreiteiros) RESPONSABILIDADE

Leia mais

OAB 1ª FASE- EXTENSIVO VESPERTINO Disciplina: Direito do Trabalho Prof. Leone Pereira Data: 08.09.2009 Aula nº 02

OAB 1ª FASE- EXTENSIVO VESPERTINO Disciplina: Direito do Trabalho Prof. Leone Pereira Data: 08.09.2009 Aula nº 02 OAB 1ª FASE- EXTENSIVO VESPERTINO Disciplina: Direito do Trabalho Prof. Leone Pereira Data: 08.09.2009 Aula nº 02 TEMAS TRATADOS EM AULA 1. JORNADA DE TRABALHO (art. 4º, CLT) O instituto tem origem na

Leia mais

FAPAN FACULDADE DE AGRONEGÓCIO DE PARAÍSO DO NORTE Disciplina: Gestão de Pessoas II Profª: Marcia Cristina Rafael da Silva

FAPAN FACULDADE DE AGRONEGÓCIO DE PARAÍSO DO NORTE Disciplina: Gestão de Pessoas II Profª: Marcia Cristina Rafael da Silva DURAÇÃO DO TRABALHO 1. Considerações preliminares Jornada inspira-se no italiano giorno, que se traduz por dia. Logo, jornada de trabalho é a quantidade de labor diário do empregado. Há, contudo, quem

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE JORNADA DE TRABALHO

ACORDO COLETIVO DE JORNADA DE TRABALHO ACORDO COLETIVO DE JORNADA DE TRABALHO (2010/2012) QUE ENTRE SI FAZEM, DE UM LADO AS EMPRESAS Telemar Norte Leste S/A - Filial AM, TNL PCS S/A - Filial AM e Brasil Telecom S/A - Filial AM E, DO OUTRO LADO

Leia mais

ASPECTOS LEGAIS DO TELETRABALHO

ASPECTOS LEGAIS DO TELETRABALHO O TELETRABALHO: NOVAS PERSPECTIVAS PARA A GESTÃO DO TRABALHO E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A MOBILIDADE URBANO-CORPORATIVA ASPECTOS LEGAIS DO TELETRABALHO Câmara Britânica de São Paulo - Britcham Dr. Wolnei

Leia mais

ESTABILIDADE PROVISÓRIA DA GESTANTE

ESTABILIDADE PROVISÓRIA DA GESTANTE ESTABILIDADE PROVISÓRIA DA GESTANTE Weliton José da Silva Balduino 1 Rafaella Gil Almeida 2 INTRODUÇÃO Historicamente, a mulher sempre desempenhou atividades, seja, no lar, nas atividades agrícolas familiares

Leia mais

Alternativas da legislação trabalhista para o enfrentamento da crise

Alternativas da legislação trabalhista para o enfrentamento da crise Alternativas da legislação trabalhista para o enfrentamento da crise Maria Lúcia L Menezes Gadotti Telefone : (11) 3093-6600 e-mail: marialucia.gadotti@stussinevessp.com.br Constituição Federal CLT e outras

Leia mais

Lei 12 619 Regulamentação Profissão Motorista

Lei 12 619 Regulamentação Profissão Motorista Lei 12 619 Regulamentação Profissão Motorista 1. Introdução Este documento tem por objetivo apresentar a solução de software e serviço que atenderá a Lei nº 12.619 de 30 de abril de 2012,publicada no Diário

Leia mais

OAB EXAME IX 2012.3 FEVEREIRO/2013 2.ª ETAPA COMENTÁRIOS

OAB EXAME IX 2012.3 FEVEREIRO/2013 2.ª ETAPA COMENTÁRIOS PEÇA PROCESSUAL: OAB EXAME IX 2012.3 FEVEREIRO/2013 2.ª ETAPA COMENTÁRIOS OAB 2ª ETAPA PRÁTICA TRABALHISTA Caros amigos e alunos do Pro Labore, Primeiramente, gostaria de externar a minha satisfação quanto

Leia mais

A PI JOR. PJ - como forma de precarização do contrato de trabalho

A PI JOR. PJ - como forma de precarização do contrato de trabalho PJ - como forma de precarização do contrato de trabalho Sílvia Neli* Uma das formas de precarização do contrato individual do trabalho é a utilização ilícita da figura da pessoa jurídica para formalizar

Leia mais