Dirceu Medeiros Direito do Trabalho

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Dirceu Medeiros Direito do Trabalho"

Transcrição

1 Dirceu Medeiros Direito do Trabalho Aulão EVP TRT-PE 6ª Região Assuntos em percentual de possibilidade Provas de Direito do Trabalho Princípios, Fontes e Generalidades do Direito do Trabalho 3,8% Proteção do Trabalhador Irredutibilidade Salarial Existe proteção dada a desequilibrar as partes numa relação de emprego. A proteção se aplica na esfera processual. Quais as dimensões da proteção? Quem ganha R$ 1.000,00 a 10 anos, não teve redução salarial. Relação de Trabalho e de Emprego 3,76% Quem é empregado Caracteres Autônomo, Avulso, Eventual Militar Aquele que trabalha com Continuidade, Pessoalidade, Subordinação é Empregado. Quais os caracteres da relação de emprego? Existe vínculo para o autônomo e para o Eventual. Avulso e empregado tem os mesmos direitos. 1

2 Remuneração e salário 5,88% Salário Ajudas e Diárias Natureza Salarial Remuneração Salário-Utilidade Salário e remuneração tem a mesma natureza jurídica. Quando devidamente comprovadas, as ajudas de custos ou diárias de viagens que ultrapassem 50% do valor do salário, não terão natureza salarial. A PLR tem natureza salaria em qualquer caso. Em carro entregue ao funcionário pelo trabalho realizado é salário. O salário utilidade pode ser pago até 70% do salário, devendo os demais 30% serem pagos em espécie. Adicionais 3% Periculosidade insalubridade Horas extras A periculosidade pode ser proporcional ao tempo de risco, a insalubridade não. Periculosidade e insalubridade devem ser pagas sobre o salário base, pela proibição de vinculação ao salário mínimo. Havendo as duas, deverá o empregador pagar a mais vantajosa para o empregado. (falso) Insalubridade pode ser modificada em acordo coletivo, já a periculosidade não. (falso) Insalubridade e periculosidade tem caráter indenizatório. (falso) Horas extras são remuneradas conforme o regimento interno da empresa, pelo mínimo de 50% de adicional. 2

3 Horas extras e horas suplementares foram revogadas pela constituição. Só existem as horas extraordinárias. Hora in itinere são horas extras prestadas no caminho de ida ou volta do trabalho. Horas extras integram a base de cálculo dos haveres trabalhistas. Contrato Individual de Trabalho: Generalidades 6,92% Celetista e Servidor Requisitos da relação Forma e requisitos Determinado Temporário Experiência Dos requisitos da relação de emprego, qual se relaciona com o empregador e não com a caracterização do empregado? O contrato de trabalho é prova inequívoca de relação de emprego. Todo contrato de emprego sempre será sem prazo, pelo princípio da continuidade da relação de emprego. O contrato de trabalho pode ser escrito ou verbal, porém, nenhuma outra forma é permitida em lei. A CLT é a prova inconteste da relação de emprego, quando assinada pelo empregador. Contrato temporário é aquele em que a empresa contrata o funcionário por tempo específico do contrato, pagando todos os seus direitos durante o período contratado. Empregado contratado direito pela administração, mesmo que por prazo, será empregado celetista, possuindo todos os direitos. A administração responde de forma subsidiária pela contratação irregular de terceirizados. O contrato de experiência de 50 dias pode ser sucedido por outro contrato de experiência de 50 dias, por se tratarem de contratos diversos. 3

4 Suspensão e Interrupção no contrato de trabalho 3,28% Aposentadoria Afastamento doença ou acidente Diferenças O pedido espontâneo de aposentadoria extingue a relação de emprego. A aposentadoria é causa de interrupção do contrato de trabalho. A aposentadoria por invalidez, pelo seu caráter precário, é causa de suspensão do contrato. O acidente de trabalho que ocorre no local de trabalho imediatamente interrompe o contrato de trabalho. O acidente de trabalho que ocorre no local de trabalho imediatamente gera, ao empregado, direito ao benefício de auxílio. Quando o afastamento for por acidente de trabalho ou doença laboral, por período em até 15 dias, o contrato estará interrompido. Quando da interrupção do contrato, o empregado deixa apenas de receber salário, passando a receber um benefício previdenciário. Porém, na suspensão, todas as obrigações do contrato estarão suspensas. Extinção do contrato de trabalho 4,92% OJ 247 do TST Verbas Quadro de direitos 477 da CLT Jornada de trabalho (160 questões) 6,4% Limites Regime parcial Intervalo de almoço redução 4

5 O intervalo para refeição pode ser reduzido, havendo as condições necessárias, em reunião com todos os empregados e com o aceite de sua maioria. O regime parcial configura forma de emprego em que não há exclusividade do empregado. Empregado que trabalhou sábado até 00 horas, poderá regressar na segunda a partir das 8 horas da manhã, sem haver horas extras laboradas. Férias 5,36% Tempo de férias Aquisição Concessão Época e data fatal Quadro de férias Pagamento e Abono Divisão do período de férias As férias individuais podem ser divididas em 2 períodos, apenas um deles podendo ser inferior a 10 dias quando o período de férias adquirido seja inferior a 24 dias. Não sendo conferido o período de férias até a véspera da Data Fatal, pode o empregado ingressar com pedido liminar para gozo imediato de férias. O abono de férias é verba indenizatória. O empregado só adquire direito de férias após 12 meses de trabalho. A concessão das férias fica à cargo do empregador, que irá dizer quando e em quantos períodos serão gozadas as férias. Estabilidade e Reintegração 3,96% Dirigente CIPA 165 da CLT / 339 do TST Gestante 5

6 A estabilidade do dirigente sindical começa desde o seu registro de candidatura, porém, está ressalvada pela comunicação desta ao empregador. Conselho fiscal também é cargo de direção, por tanto, também tem estabilidade. O Presidente da CIPA tem estabilidade e o vice, por ser indicado pelo empregador, não tem. A Gestante, desde saber de sua gravidez, está protegida. Não pode haver demissão a pedido de empregado estável, pela sua garantia ao emprego. O empregado garantido por estabilidade não pode renunciá-la. O que a estabilidade garante? 6

APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO REVISAÇO... 17 CAPÍTULO I INTRODUÇÃO AO DIREITO DO TRABALHO... 19 QUESTÕES...

APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO REVISAÇO... 17 CAPÍTULO I INTRODUÇÃO AO DIREITO DO TRABALHO... 19 QUESTÕES... Sumário 7 Sumário APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO REVISAÇO... 17 CAPÍTULO I INTRODUÇÃO AO DIREITO DO TRABALHO... 19 QUESTÕES... 19 1. Parte Histórica... 19 2. Interpretação e Integração... 29 3. Fontes... 36 4.

Leia mais

Súmario. Súmario 5 APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO REVISAÇO... 11 CAPÍTULO II SUJEITOS DA RELAÇÃO DE TRABALHO... 77 QUESTÕES... 77

Súmario. Súmario 5 APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO REVISAÇO... 11 CAPÍTULO II SUJEITOS DA RELAÇÃO DE TRABALHO... 77 QUESTÕES... 77 Súmario 5 Súmario APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO REVISAÇO... 11 APRESENTAÇÃO À 2ª EDIÇÃO... 13 CAPÍTULO I INTRODUÇÃO AO DIREITO DO TRABALHO... 15 QUESTÕES... 15 1. Parte histórica... 15 2. Interpretação e integração...

Leia mais

Introdução ao Direito do Trabalho. Capítulo 4. Princípios do Direito do Trabalho. Capítulo 2. Fontes do Direito do Trabalho

Introdução ao Direito do Trabalho. Capítulo 4. Princípios do Direito do Trabalho. Capítulo 2. Fontes do Direito do Trabalho Sumário Capítulo 1 Introdução ao Direito do Trabalho 1.1. Conceito e denominação 1.2. Característica 1.3. Divisão 1.4. Natureza 1.5. Autonomia 1.6. Evolução no Brasil Capítulo 2 Princípios do Direito do

Leia mais

Parte I - Direito do trabalho - parte geral, 1. 1 Evolução histórica, 3 1 Evolução mundial, 3 2 Evolução no Brasil, 4.

Parte I - Direito do trabalho - parte geral, 1. 1 Evolução histórica, 3 1 Evolução mundial, 3 2 Evolução no Brasil, 4. Parte I - Direito do trabalho - parte geral, 1 1 Evolução histórica, 3 1 Evolução mundial, 3 2 Evolução no Brasil, 4 2 Denominação, 6 3 Conceito e divisão da matéria, 8 4 Posição enciclopédica, 9 5 Fontes,

Leia mais

2.2 Natureza jurídica do contrato de trabalho 2.2.1 Teoria acontratualista 2.2.2 Teoria institucionalista 2.2.3 Teoria neocontratualista 2.

2.2 Natureza jurídica do contrato de trabalho 2.2.1 Teoria acontratualista 2.2.2 Teoria institucionalista 2.2.3 Teoria neocontratualista 2. Sumário 1. Direito individual do trabalho - introdução 1.1 Conceito e denominação do direito individual do trabalho 1.2 Divisão do direito do trabalho 1.3 Características 1.4 Natureza jurídica 1.5 Autonomia

Leia mais

NOME: MATRÍCULA: CURSO: SEMESTRE: UNIDADE: ENTREGA / / - PRAZO LIMITE AV1. 1ª ATIVIDADE:

NOME: MATRÍCULA: CURSO: SEMESTRE: UNIDADE: ENTREGA / / - PRAZO LIMITE AV1. 1ª ATIVIDADE: MATRÍCULA: CURSO: SEMESTRE: UNIDADE: ENTREGA / / - PRAZO LIMITE AV1. 1ª ATIVIDADE: Pesquisar um tema referente a matéria na biblioteca e redigir um artigo nos termos da ABNT. Obs.: tema livre; obrigatória

Leia mais

Sumário LISTA DE ABREVIATURAS... 17 CAPÍTULO 1 DIREITO INDIVIDUAL DO TRABALHO INTRODUÇÃO... 19

Sumário LISTA DE ABREVIATURAS... 17 CAPÍTULO 1 DIREITO INDIVIDUAL DO TRABALHO INTRODUÇÃO... 19 Sumário LISTA DE ABREVIATURAS... 17 CAPÍTULO 1 DIREITO INDIVIDUAL DO TRABALHO INTRODUÇÃO... 19 1.1 NATUREZA JURÍDICA DO DIREITO DO TRABALHO... 19 1.1.1 Teoria do Direito Público... 19 1.1.2 Teoria do Direito

Leia mais

TÓPICO (em ordem alfabética) PÁGINA Nº

TÓPICO (em ordem alfabética) PÁGINA Nº ÍNDICE DO MANUAL DE ROTINAS TRABALHISTAS TÓPICO (em ordem alfabética) PÁGINA Nº INTRODUÇÃO 6 SIGLAS UTILIZADAS 7 ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL E GERÊNCIA DE REC HUMANOS 8 ABANDONO DE EMPREGO 19 ACIDENTE NO

Leia mais

PARTE I ROTINAS TRABALHISTAS

PARTE I ROTINAS TRABALHISTAS PARTE I ROTINAS TRABALHISTAS Capítulo 1 Recrutamento... 3 1.1 Possíveis ocorrências de recrutamento... 4 1.1.1 Ampliação do quadro de pessoal... 4 1.1.2 Desligamento de empregado... 5 1.1.3 Promoção...

Leia mais

EXAME DA OAB 2011.1 2ª FASE DIREITO DO TRABALHO REVISÃO DE TEMAS DE DIREITO DO TRABALHO E DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO

EXAME DA OAB 2011.1 2ª FASE DIREITO DO TRABALHO REVISÃO DE TEMAS DE DIREITO DO TRABALHO E DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO EXAME DA OAB 2011.1 2ª FASE DIREITO DO TRABALHO REVISÃO DE TEMAS DE DIREITO DO TRABALHO E DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO ATUALIZAÇÕES - NOVA SÚMULA 426 DO TST DEPÓSITO RECURSAL. UTILIZAÇÃO DA GUIA GFIP.

Leia mais

Atualizações Jurisprudenciais 2012 Professoras Ana Paula Alvares e Simone Belfort

Atualizações Jurisprudenciais 2012 Professoras Ana Paula Alvares e Simone Belfort Na 2ª Semana do TST realizada no início do mês de setembro de 2012, algumas súmulas e orientações jurisprudências sofreram alterações e cancelamentos. Abaixo as alterações separadas por assunto em direito

Leia mais

NORMA DE PROCEDIMENTOS. Férias

NORMA DE PROCEDIMENTOS. Férias pág.: 1/6 1 Objetivo Estabelecer critérios e procedimentos para programação, concessão e pagamento de férias aos empregados da COPASA MG. 2 Referências Para aplicação desta norma poderá ser necessário

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000954/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/06/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR029028/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.009096/2013-50 DATA DO

Leia mais

DIREITO DO TRABALHO Prof. Rodolpho Bacchi www.facebook.com/direitodotrabalhobatista www.rodolphobacchi.com.br

DIREITO DO TRABALHO Prof. Rodolpho Bacchi www.facebook.com/direitodotrabalhobatista www.rodolphobacchi.com.br DIREITO DO TRABALHO Prof. Rodolpho Bacchi www.facebook.com/direitodotrabalhobatista www.rodolphobacchi.com.br Interrupção e Suspensão do Contrato de Trabalho A interrupção e a suspensão do contrato de

Leia mais

X SUSPENSÃO CONTRATUAL E INTERRUPÇÃO DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

X SUSPENSÃO CONTRATUAL E INTERRUPÇÃO DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS X SUSPENSÃO CONTRATUAL E INTERRUPÇÃO DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS I. DIFERENÇA DOS INSTITUTOS II. HIPÓTESE A: COMO TEMPO EFETIVO III. HIPÓTESE B: COMO TEMPO EFETIVO E SALÁRIO IV. HIPÓTESE C: COMO PARALISAÇÃO

Leia mais

INQUÉRITO PARA APURAÇÃO DE FALTA GRAVE

INQUÉRITO PARA APURAÇÃO DE FALTA GRAVE ESTABILIDADE ESTABILIDADE DEFINITIVA X ESTABILIDADE PROVISÓRIA (GARANTIA DE EMPREGO) DIRIGENTE SINDICAL Art. 8, VIII CF + Art. 543, 3º CLT + Súmula 369 TST Tanto titulares como SUPLENTES (dirigentes sindicais)

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2004/2005 S A N T U R

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2004/2005 S A N T U R ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2004/2005 S A N T U R Termo de Acordo Coletivo de Trabalho, que entre si celebram o SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EMPRESAS DE ASSESSORAMENTO, PERÍCIA, PESQUISA E INFORMAÇÕES

Leia mais

EXMO. JUIZ DO TRABALHO DA VARA DO TRABALHO DE

EXMO. JUIZ DO TRABALHO DA VARA DO TRABALHO DE EXMO. JUIZ DO TRABALHO DA VARA DO TRABALHO DE José, nacionalidade, estado civil, profissão, RG, CPF, CTPS, PIS, residente e domiciliado na, vem, respeitosamente, perante V. Exa., por meio de seu advogado,

Leia mais

ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL. DEPARTAMENTO PESSOAL ONLINE www.departamentopessoalonline.com - 3 -

ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL. DEPARTAMENTO PESSOAL ONLINE www.departamentopessoalonline.com - 3 - ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL INTRODUÇÃO... 008 DISPOSIÇÕES GERAIS... 009 Conceito de empregador... 009 Conceito de empregado... 009 Direitos do empregado... 010 ASSÉDIO MORAL E SEXUAL NO TRABALHO...

Leia mais

Dispensa Sem Justa Causa. Dispensa com Justa Causa. (**) Culpa Recíproca ou Força Maior. Rescisão Indireta. Pedido de Demissão

Dispensa Sem Justa Causa. Dispensa com Justa Causa. (**) Culpa Recíproca ou Força Maior. Rescisão Indireta. Pedido de Demissão RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO VERBAS RESCISÓRIAS (Antes de qualquer procedimento rescisório, importante ler os cuidados especiais ao final Verbas adicionais) Dispensa Sem Justa Causa AvisoPrévio Dispensa

Leia mais

EMPREGADO DOMÉSTICO INOVAÇÕES LEGISLATIVAS DA LEI COMPLEMENTAR 150 CAPÍTULO I PRINCIPAIS EVOLUÇÕES LEGISLATIVAS A categoria dos empregados domésticos tem como principais regulamentações legislativas, por

Leia mais

DEPARTAMENTO PESSOAL

DEPARTAMENTO PESSOAL DEPARTAMENTO PESSOAL DÚVIDAS MAIS FREQUENTES 1 1. Documentos necessários para admissão Para o processo de admissão, o novo funcionário deverá apresentar a relação de documentos abaixo: *Carteira de Trabalho

Leia mais

CAPÍTULO 2 CONTRATO DE TRABALHO 23 I. Noções """"'''' 23 2. Classificaçãodos contratos de trabalho """""""""""""""'''''' 24

CAPÍTULO 2 CONTRATO DE TRABALHO 23 I. Noções '''' 23 2. Classificaçãodos contratos de trabalho '''''' 24 CAPÍTULO 1 NOÇÕES DE DIREITO DO TRABALHO 1 I. Conceito................. I 2. Natureza e autonomia I Competência para legislar sobre Direito do Trabalho 2 Normas de Direito do Trabalho 3 1. Normas Trabalhistas

Leia mais

PLANO DE ENSINO EMENTA:... OBJETIVOS:... BIBLIOGRAFIA BÁSICA: -... BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: -... METODOLOGIA:

PLANO DE ENSINO EMENTA:... OBJETIVOS:... BIBLIOGRAFIA BÁSICA: -... BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: -... METODOLOGIA: CURSO: ADMINISTRAÇÃO PERÍODO: 4º SEMESTRE/ANO: 2º/2011 DISCIPLINA: LEGISLAÇÃO SOCIAL C/H: 36/ 2 h/s PROFESSOR RESPONSÁVEL: RAYMUNDO LÁZARO VELLANI JÚNIOR EMENTA:... OBJETIVOS:... BIBLIOGRAFIA BÁSICA: -...

Leia mais

CÁLCULOS TRABALHISTAS

CÁLCULOS TRABALHISTAS CÁLCULOS TRABALHISTAS Remuneração - Salário acrescido da média das variáveis (exemplo: comissões) dos últimos 12 meses. - Média: soma das 6 maiores parcelas variáveis mês a mês, divididas por 6, dentro

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO, que celebram de um lado, o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo SESCOOP NACIONAL - CNPJ N.º 03.087.543/0001-86,

Leia mais

. Conceito: sustação temporária dos efeitos do contrato de trabalho, unilateralmente (interrupção) ou bilateralmente (suspensão)

. Conceito: sustação temporária dos efeitos do contrato de trabalho, unilateralmente (interrupção) ou bilateralmente (suspensão) Material do Professor: Tema: Suspensão e Interrupção do contrato de trabalho (471 segs. CLT). Denominação: - suspensão X interrupção - suspensão total X suspensão parcial. Conceito: sustação temporária

Leia mais

Lição 11. Fundo de Garantia do Tempo de Serviço - FGTS

Lição 11. Fundo de Garantia do Tempo de Serviço - FGTS Lição 11. Fundo de Garantia do Tempo de Serviço - FGTS (Lei nº 8.036, de 11/5/90, e Decreto nº 99.684, de 8/11/90). 11.1. CONSIDERAÇÕES GERAIS O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) é uma conta

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PA000361/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 02/06/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR031936/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46222.003478/2015-72 DATA

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA Faculdade Anísio Teixeira de Feira de Santana Autorizada pela Portaria Ministerial nº 552 de 22 de março de 2001 e publicada no Diário Oficial da União de 26 de março de 2001. Endereço: Rua Juracy Magalhães,

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000955/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/06/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR028972/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.009094/2013-61 DATA DO

Leia mais

Pós-Graduação Direito e Processo do Trabalho Conteúdo Programático

Pós-Graduação Direito e Processo do Trabalho Conteúdo Programático MÓDULO I - Direito do Trabalho I - Evolução Histórica do Direito do Trabalho - Princípios Constitucionais e Infraconstitucionais do Direito Individual do Trabalho - Fontes e Hermenêutica do Direito do

Leia mais

Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Rede Pública Municipal de Belo Horizonte

Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Rede Pública Municipal de Belo Horizonte PAUTA DE REIVINDICAÇÕES PROPOSTA DE ACORDO COLETIVO DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO CONTRATADOS PELOS CAIXAS ESCOLARES 2014/2015 A presente Pauta de Reivindicações, elaborada pela categoria profissional

Leia mais

A A CIRCULAÇÃO D O CD OU E-MAIL. receber por e-mail. UTORAIS

A A CIRCULAÇÃO D O CD OU E-MAIL. receber por e-mail. UTORAIS ROTEIRO DO CURSO ROTINAS TRABALHISTAS A A CIRCULAÇÃO O Curso de Rotinas Trabalhistas é composto de 7 módulos que serão remetidos aos cursandos de 15 em 15 dias. AUTORA VERA HELENA PALMA Advogada trabalhista,

Leia mais

1º Rol de negociação 2013 a 2014

1º Rol de negociação 2013 a 2014 1º Rol de negociação 2013 a 2014 Celebram entre si o SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DE MATERIAIS PLÁSTICOS E SIMILARES DE CHAPECÓ E REGIÃO OESTE DE SANTA CATARINA com CNPJ Nº 80.623.929/0001-06,

Leia mais

13º SALARIO Posteriormente, a Constituição Federal de 1988, em seu art. 7º,

13º SALARIO Posteriormente, a Constituição Federal de 1988, em seu art. 7º, 13º SALARIO Trabalhadores beneficiados Farão jus ao recebimento do 13º salário os seguintes trabalhadores: a) empregado - a pessoa física que presta serviços de natureza urbana ou rural à empresa, em caráter

Leia mais

Tabela Prática de Verbas que compõem a Base de Cálculo para incidência de INSS, FGTS e IRRF

Tabela Prática de Verbas que compõem a Base de Cálculo para incidência de INSS, FGTS e IRRF Tabela Prática de Verbas que compõem a Base de Cálculo para incidência de INSS, FGTS e IRRF Discriminação INSS Fundamento legal FGTS Fundamento legal IRRF Fundamento legal Abono de férias - pecuniário

Leia mais

+ CONTEÚDO PROGRAMÁTICO E-LEAD+ 1

+ CONTEÚDO PROGRAMÁTICO E-LEAD+ 1 + CONTEÚDO PROGRAMÁTICO E-LEAD+ 1 2014/2015 A E-LEAD+ combinou Educação a Distância e trilhas de aprendizagem para apresentar a você um caminho alternativo de treinamento e capacitação de empregados. Através

Leia mais

Direito do Trabalho I

Direito do Trabalho I Direito do Trabalho I Princípio: continuidade do emprego Art.471 a 476 da CLT. Tanto na interrupção quanto na suspensão do contrato laboral há uma paralisação transitória da prestação de serviço e não

Leia mais

Plano de Ensino Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos

Plano de Ensino Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos Faculdade Curso Disciplina Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos DTLS - Direito do Trabalho e Legislação Social Período Letivo 2013 - Anual

Leia mais

CLÁUSULA TERCEIRA VALE TRANSPORTE

CLÁUSULA TERCEIRA VALE TRANSPORTE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2005/2006 PELO PRESENTE INSTRUMENTO DE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO DE UM LADO O SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EMPRESAS DE RÁDIODIFUSÃO DO ESTADO DO PARANÁ, A SEGUIR DENOMINADO

Leia mais

Parágrafo Único -- Não serão compensados os aumentos decorrentes de promoção, transferência, equiparação salarial e término de aprendizagem.

Parágrafo Único -- Não serão compensados os aumentos decorrentes de promoção, transferência, equiparação salarial e término de aprendizagem. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CELEBRADA ENTRE O SINDIMVET SINDICATO DOS MÉDICOS VETERINÁRIOS DO ESTADO DE SÃO PAULO e SINPAVET SINDICATO PATRONAL DOS MÉDICOS VETERINÁRIOS DO ESTADO DE SÀO PAULO PERÍODO

Leia mais

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES CAMPANHA SALARIAL 2015

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES CAMPANHA SALARIAL 2015 1 PAUTA DE REIVINDICAÇÕES CAMPANHA SALARIAL 2015 Proponente: SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ESTABELECIMENTOS PRIVADOS DE SAÚDE E EM EMPRESAS QUE PRESTAM SERVIÇOS DE SAÚDE E ATIVIDADES AFINS DO ABCDMRPRPG

Leia mais

CLÁUSULA 1 A. - ATUALIZAÇÃO SALARIAL CLÁUSULA 2 A. SALÁRIO NORMATIVO CLÁUSULA 3 A. - SALÁRIO ADMISSIONAL CLÁUSULA 5 A. - ADICIONAL DE INSALUBRIDADE

CLÁUSULA 1 A. - ATUALIZAÇÃO SALARIAL CLÁUSULA 2 A. SALÁRIO NORMATIVO CLÁUSULA 3 A. - SALÁRIO ADMISSIONAL CLÁUSULA 5 A. - ADICIONAL DE INSALUBRIDADE CONVENÇÃO COLETIVA COM VIGÊNCIA A PARTIR DE 01 DE ABRIL DE 2007 FEITA ENTRE O SINDICATO DOS EMPREGADOS EM INSTITUIÇOES BENEFICENTES, RELIGIOSAS E FILANTRÓPICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO E O SINDICATO

Leia mais

INTERVALOS PARA DESCANSO:

INTERVALOS PARA DESCANSO: DIREITO DO TRABALHO Prof. Marco Antonio Silva de Macedo Junior ROTEIRO DA 6ª AULA EXAME 158/SP XVIII EXAME UNIFICADO NOVEMBRO/2015 INTERVALOS PARA DESCANSO: INTERVALO PARA REFEIÇÃO E DESCANSO: artigo 71

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2012

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2012 FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2012 Disciplina: Direito do Trabalho I Departamento: Direito Social e Coletivo Docente Responsável: Anselmo Domingos da Paz Junior Carga Horária Anual: 100 h/a Tipo:

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: ES000638/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 23/12/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR079774/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46207.011382/2014 95 DATA

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2004/2005

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2004/2005 GOVERNO DO ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA AGRICULTURA E POLIÍTICA RURAL - DAR CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DO ESTADO DE SANTA CATARINA S.A - CEASA/SC ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2004/2005

Leia mais

ROTINAS TRABALHISTAS. MÓDULO 2 f Preencher ficha de salário-família Valor da Cota Início do Pagamento

ROTINAS TRABALHISTAS. MÓDULO 2 f Preencher ficha de salário-família Valor da Cota Início do Pagamento ROTINAS TRABALHISTAS MÓDULO 1 Conceitos Introdutórios Empregador Grupo de Empresas Empresas Terceirizadas Franquia Cooperativa de Trabalho Empregador Rural Documentação do Empregador Empregado Demais Trabalhadores

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO TRT 2ª REGIÃO 2008 ANALISTA JUDICIÁRIO ÁREA JUDICIÁRIA PARTE I

CONCURSO PÚBLICO TRT 2ª REGIÃO 2008 ANALISTA JUDICIÁRIO ÁREA JUDICIÁRIA PARTE I CONCURSO PÚBLICO TRT 2ª REGIÃO 2008 ANALISTA JUDICIÁRIO ÁREA JUDICIÁRIA PARTE I No dia 16 de novembro de 2008, 94.808 candidatos prestaram o concorrido concurso público para os cargos de analista judiciário

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS001069/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 07/07/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR034655/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.009004/2011-70 DATA DO

Leia mais

MANUAL DOS DIREITOS DOS COMERCIÁRIOS

MANUAL DOS DIREITOS DOS COMERCIÁRIOS 11. DIREITOS NA HORA DA DEMISSÃO É de fundamental importância saber quais os direitos dos trabalhadores na hora da rescisão do contrato de trabalho. Devese ter especial atenção no caso de demissões sem

Leia mais

CLÁUSULA 3ª AUXÍLIO-ALIMENTAÇÃO

CLÁUSULA 3ª AUXÍLIO-ALIMENTAÇÃO ACORDO COLETIVO DE TRABALHO que entre si firmam, de um lado, a DME DISTRIBUIÇÃO S/A - DMED, sediada à Rua Pernambuco, 265, centro, Poços de Caldas MG, CNPJ nº 23.664.303.0001/04, doravante denominada apenas

Leia mais

RECENTES DÚVIDAS DO REGIME PRÓPRIO FORMULADAS PELOS SERVIDORES DE AMERICANA - PROFESSORES

RECENTES DÚVIDAS DO REGIME PRÓPRIO FORMULADAS PELOS SERVIDORES DE AMERICANA - PROFESSORES RECENTES DÚVIDAS DO REGIME PRÓPRIO FORMULADAS PELOS SERVIDORES DE AMERICANA - PROFESSORES 1) Já completei 25 anos como professora em sala de aula, tenho hoje 45 anos de idade, com esta idade vou aposentar

Leia mais

Módulo Recursos Humanos

Módulo Recursos Humanos Módulo Recursos Humanos Folha de Pagamento Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Recursos Humanos Folha de Pagamento. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2013

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2013 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000748/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 22/05/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR023675/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.006375/2012-81 DATA DO

Leia mais

DIREITO DO TRABALHO II SUSPENSÃO E INTERRUPÇÃO DO CONTRATO

DIREITO DO TRABALHO II SUSPENSÃO E INTERRUPÇÃO DO CONTRATO DIREITO DO TRABALHO II SUSPENSÃO E INTERRUPÇÃO DO CONTRATO REVISÃO (OAB/FGV 2010.3) Relativamente à alteração do contrato de trabalho, é correto afirmar que (A) o empregador pode, sem a anuência do empregado

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: ES000055/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 14/02/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR007034/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46207.001196/2014-48 DATA

Leia mais

GRATIFICAÇÕES, ADICIONAIS, AUXÍLIOS E OUTROS

GRATIFICAÇÕES, ADICIONAIS, AUXÍLIOS E OUTROS ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG001902/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 03/05/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR019390/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46236.000751/2012-13 DATA DO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL 1 de 7 20/3/2014 10:43 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: GO000166/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 18/03/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR001874/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46208.003144/2014-04

Leia mais

INSS/FGTS/IRRF - TABELA DE INCIDÊNCIAS Tabela de incidências

INSS/FGTS/IRRF - TABELA DE INCIDÊNCIAS Tabela de incidências INSS/FGTS/IRRF - TABELA DE INCIDÊNCIAS Tabela de incidências Evento Descrição INSS FGTS IRRF Abonos de qualquer natureza Acidente de Trabalho - Típico - Trajeto - Doença Laboral Acidente de Trabalho -

Leia mais

TIRE SUAS DÚVIDAS SOBRE A SEGUNDA PARCELA DO 13º. 13º Salário - Gratificação Natalina. Adiantamento do 13º Salário nas férias

TIRE SUAS DÚVIDAS SOBRE A SEGUNDA PARCELA DO 13º. 13º Salário - Gratificação Natalina. Adiantamento do 13º Salário nas férias 1 TIRE SUAS DÚVIDAS SOBRE A SEGUNDA PARCELA DO 13º - Gratificação Natalina A Gratificação de Natal, popularmente conhecida como, foi instituída pela Lei 4.090, de 13/07/1962, regulamentada pelo Decreto

Leia mais

PONTO 1: Suspensão do Contrato de Trabalho PONTO 2: Interrupção do Contrato de Trabalho SUSPENSÃO E INTERRUPÇÃO DO CONTRATO DE TRABALHO

PONTO 1: Suspensão do Contrato de Trabalho PONTO 2: Interrupção do Contrato de Trabalho SUSPENSÃO E INTERRUPÇÃO DO CONTRATO DE TRABALHO 1 DIREITO DO TRABALHO PONTO 1: Suspensão do Contrato de Trabalho PONTO 2: Interrupção do Contrato de Trabalho SUSPENSÃO E INTERRUPÇÃO DO CONTRATO DE TRABALHO Exceção ao princípio da continuidade, ao trato

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/1996 SENAC SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SINDAF/DF

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/1996 SENAC SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/1996 SENAC SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO QUE entre si fazem o SESC SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO, Administração Regional do Distrito

Leia mais

Tabela de Incidência INSS/FGTS/IRRF INSS FGTS IR

Tabela de Incidência INSS/FGTS/IRRF INSS FGTS IR Tabela de Incidência INSS/FGTS/IRRF INCIDÊNCIAS RUBRICAS INSS FGTS IR de qualquer natureza, salvo o de férias Sim. Art. 28, I, Lei nº e 1º, art. 457 da CLT Abono pecuniário de férias Arts. 28, 9º, e, 6

Leia mais

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES PERÍODO 1º/05/2015 A 30/04/2016

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES PERÍODO 1º/05/2015 A 30/04/2016 PAUTA DE REIVINDICAÇÕES PERÍODO 1º/05/2015 A 30/04/2016 CLÁUSULA 1ª - REAJUSTE SALARIAL Fica estabelecido o reajuste dos salários dos empregados pertencentes à categoria profissional representada pelo

Leia mais

Desde 2013, nove direitos já estavam valendo, como hora extra e jornada de trabalho de 8 horas diárias (veja mais detalhes abaixo).

Desde 2013, nove direitos já estavam valendo, como hora extra e jornada de trabalho de 8 horas diárias (veja mais detalhes abaixo). 02/06/2015 07h40 - Atualizado em 02/06/2015 13h01 Regulamentação dos direitos das domésticas é publicada Trabalhadoras terão adicional noturno, seguro-desemprego e mais 5 direitos. Emenda constitucional

Leia mais

INSS/FGTS/IRRF TABELA DE INCIDÊNCIAS

INSS/FGTS/IRRF TABELA DE INCIDÊNCIAS INSS/FGTS/IRRF TABELA DE INCIDÊNCIAS Abonos de qualquer natureza Evento Descrição INSS FGTS IRRF Acidente de Trabalho - Típico - Trajeto - Doença Laboral Acidente de Trabalho - Típico - Trajeto - Doença

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000953/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/06/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR029282/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.009097/2013-02 DATA DO

Leia mais

CAMPANHA SALARIAL 2015-2016 PAUTA UNIFICADA DA CATEGORIA REPRESENTADA PELO SINDIPA EMPRESAS COM DATA BASE EM 01/11/2015 E 01/01/2016

CAMPANHA SALARIAL 2015-2016 PAUTA UNIFICADA DA CATEGORIA REPRESENTADA PELO SINDIPA EMPRESAS COM DATA BASE EM 01/11/2015 E 01/01/2016 CAMPANHA SALARIAL 2015-2016 PAUTA UNIFICADA DA CATEGORIA REPRESENTADA PELO SINDIPA EMPRESAS COM DATA BASE EM 01/11/2015 E 01/01/2016 1. REAJUSTE SALARIAL: O salário base nominal dos empregados da categoria

Leia mais

2.5.5 Contrato por prazo indeterminado 2.5.6 Contrato por prazo determinado 2.6 Contrato por prazo determinado da CLT 2.7 Terceirização 2.

2.5.5 Contrato por prazo indeterminado 2.5.6 Contrato por prazo determinado 2.6 Contrato por prazo determinado da CLT 2.7 Terceirização 2. SUMÁRIO 1. DIREITO INDIVIDUAL DO TRABALHO INTRODUÇÃO 1.1 Fontes do Direito do Trabalho 1.1.1 Classificação 1.1.2 Hierarquia entre as fontes justrabalhistas 1.2 Princípios do direito do trabalho 1.2.1 Princípio

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2008/2009

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2008/2009 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2008/2009 Data-base - Maio/2008 BR 101 Km 205 Barreiros São José SC 1 Pelo presente instrumento, de um lado a Centrais de Abastecimento do Estado de Santa Catarina S.A - CEASA/SC,

Leia mais

ATUALIZAÇÃ ÇÃO TRABALHISTA. Alexandre Corrêa

ATUALIZAÇÃ ÇÃO TRABALHISTA. Alexandre Corrêa ATUALIZAÇÃ ÇÃO TRABALHISTA Alexandre Corrêa ATUALIZAÇÃ ÇÃO O TRABALHISTA PROGRAMA EMPREGADO DOMÉSTICO (Aspectos Legais) EMPREGADO DOMÉSTICO A Lei 5859/72 regulamentada pelo Decreto 71885/73 tornou reconhecida

Leia mais

REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE VALINHOS CARTILHA DE PERGUNTAS E RESPOSTAS

REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE VALINHOS CARTILHA DE PERGUNTAS E RESPOSTAS O Executivo municipal sentindo a necessidade de adotar o Regime Próprio de Previdência Social para os servidores públicos titulares de cargos de provimento efetivo da Prefeitura, do DAEV e da Câmara, e

Leia mais

DURAÇÃO DO TRABALHO Prof. Maria Cláudia Felten E-mail: maria.claudia.felten@terra.com.br JORNADA DE TRABALHO - Jornada de trabalho. - Benefícios da jornada de trabalho. - Diferença entre jornada de trabalho

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2013

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2013 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG001633/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 30/04/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR017942/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.001682/2013-16 DATA DO

Leia mais

Contratos de trabalho por tempo determinado, previstos na CLT

Contratos de trabalho por tempo determinado, previstos na CLT Contratos de trabalho por tempo determinado, previstos na CLT O contrato de trabalho por prazo determinado é aquele cuja duração dependa de termo prefixado ou da execução de serviços específicos ou ainda

Leia mais

Mudança de Regime Agosto /2013

Mudança de Regime Agosto /2013 Mudança de Regime Agosto /2013 Deliberação CONSU A-11/2013 CONSELHO UNIVERSITÁRIO Deliberação CONSU-A-11, de 6-8-2013 Introduz artigo às Disposições Transitórias do Estatuto dos Servidores da UNICAMP ESUNICAMP

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PAGAMENTO DE SALÁRIO FORMAS E PRAZOS

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PAGAMENTO DE SALÁRIO FORMAS E PRAZOS Page 1 of 8 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS001953/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 16/09/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR076046/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.010123/2013-37

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 10 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS001127/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 01/07/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR029189/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.009709/2013-59

Leia mais

Tolerância: art. 58, 1º da CLT.

Tolerância: art. 58, 1º da CLT. AULA 11: Tolerância: art. 58, 1º da CLT. Art. 58 da CLT 1º - Não serão descontadas nem computadas como jornada extraordinária as variações de horário no registro de ponto não excedentes de cinco minutos,

Leia mais

SUMÁRIO. Parte 1 AUDIÊNCIA TRABALHISTA

SUMÁRIO. Parte 1 AUDIÊNCIA TRABALHISTA SUMÁRIO Parte 1 AUDIÊNCIA TRABALHISTA Capítulo 1 Procedimentos (Ritos) Ordinário, Sumaríssimo e Sumário 1.1. Rito Ordinário 1.2. Rito Sumaríssimo 1.3. Rito Sumário (ou Rito de Alçada) Capítulo 2 Ajuizamento

Leia mais

Petições Trabalhistas 3.0

Petições Trabalhistas 3.0 Contestações 1. Contestação - ação de cobrança de contribuição sindical 2. Contestação - ação rescisória trabalhista 3. Contestação - adicional de insalubridade - limpeza de banheiro - empresa 4. Contestação

Leia mais

Alternativas da legislação trabalhista para o enfrentamento da crise

Alternativas da legislação trabalhista para o enfrentamento da crise Alternativas da legislação trabalhista para o enfrentamento da crise Maria Lúcia L Menezes Gadotti Telefone : (11) 3093-6600 e-mail: marialucia.gadotti@stussinevessp.com.br Constituição Federal CLT e outras

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR003231/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 31/07/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR046809/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.009204/2014-25 DATA DO

Leia mais

PROPOSTA DE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 / 2016. São fixados os seguintes salários para admissão a partir de 1º de maio de 2014:

PROPOSTA DE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 / 2016. São fixados os seguintes salários para admissão a partir de 1º de maio de 2014: PROPOSTA DE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 / 2016 CLÁUSULA 1ª - DO PISO SALARIAL São fixados os seguintes salários para admissão a partir de 1º de maio de 2014: a) Fica afixado o piso salarial da

Leia mais

Petições Trabalhistas 3.0

Petições Trabalhistas 3.0 Petições iniciais 1. Reclamação-trabalhista-relação-de-emprego-representação-comercialcomissão-pedido-pelo-espólio-inicial 2. Declaratória - incidental - data da admissão 3. Declaratória - incidental trabalhista

Leia mais

SINDMINÉRIOS SANTOS. Sindicato dos Trabalhadores no Comércio de Minérios, Derivados de Petróleo e Combustíveis de Santos e Região.

SINDMINÉRIOS SANTOS. Sindicato dos Trabalhadores no Comércio de Minérios, Derivados de Petróleo e Combustíveis de Santos e Região. FEDERAÇÃO DOS TRABALHADORES NO COMÉRCIO DE MINÉRIOS E DERIVADOS DE PETRÓLEO NO ESTADO DE SÃO PAULO 01 - REAJUSTE SALARIAL PAUTA DE REIVINDICAÇÕES SIREGÁS 2012/2013 As Empresas concederão, a todos os empregados

Leia mais

CARTILHA: DIREITOS E VANTAGENS DOS SERVIDORES PÚBLICOS UNIDADE ADMINISTRATIVO FINANCEIRA - UNAFIN

CARTILHA: DIREITOS E VANTAGENS DOS SERVIDORES PÚBLICOS UNIDADE ADMINISTRATIVO FINANCEIRA - UNAFIN CARTILHA: DIREITOS E VANTAGENS DOS SERVIDORES PÚBLICOS UNIDADE ADMINISTRATIVO FINANCEIRA - UNAFIN 1. Que vantagens além do vencimento podem ser pagas ao servidor? a) indenizações, que não se incorporam

Leia mais

SINDICATO DOS TRABALHADORES NO SERVIÇO PÚBLICO MUNICIPAL DE ITU FILIADO A FESSPMESP

SINDICATO DOS TRABALHADORES NO SERVIÇO PÚBLICO MUNICIPAL DE ITU FILIADO A FESSPMESP 1 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 - ESTATUTÁRIO Pelo presente instrumento particular de Acordo Coletivo de Trabalho de um lado o Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Itu, entidade

Leia mais

Conteúdo: Suspensão e Interrupção do Contrato de Trabalho. Jornada de Trabalho: Compensação de Jornada; Banco de Horas.

Conteúdo: Suspensão e Interrupção do Contrato de Trabalho. Jornada de Trabalho: Compensação de Jornada; Banco de Horas. Turma e Ano: Flex A (2014) Matéria / Aula: Direito do Trabalho / Aula 05 Professor: Leandro Antunes Conteúdo: Suspensão e Interrupção do Contrato de Trabalho. Jornada de Trabalho: Compensação de Jornada;

Leia mais

CAMPANHA SALARIAL 2013 PAUTA DE

CAMPANHA SALARIAL 2013 PAUTA DE CAMPANHA SALARIAL 2013 PAUTA DE REIVINDICAÇÕES ruas. Este tem sido um ano de intensas lutas, seja nas fábricas, seja nas São muitas as greves e mobilizações por melhores condições de trabalho, plano de

Leia mais

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES Campanha Salarial - 2014/2015

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES Campanha Salarial - 2014/2015 PAUTA DE REIVINDICAÇÕES Campanha Salarial - 2014/2015 CLÁUSULA - VIGÊNCIA E DATA-BASE As partes fixam a vigência da presente Convenção Coletiva de Trabalho no período de 1º de maio de 2014 a 30 de abril

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: CE001531/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 27/10/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR061722/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46205.018555/2014-16 DATA DO

Leia mais

Legislação na Gestão de RH - Direito do trabalhador. Profª. Mônica de Caldas Rosa dos Anjos

Legislação na Gestão de RH - Direito do trabalhador. Profª. Mônica de Caldas Rosa dos Anjos Legislação na Gestão de RH - Direito do trabalhador Profª. Mônica de Caldas Rosa dos Anjos Contrato individual de emprego É a convenção pela qual um ou vários empregados, mediante certa remuneração e em

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR034439/2012 SINDICATO DOS FARMACEUTICOS DO ESTADO DE M GROSSO DO SU, CNPJ n. 15.939.572/0001-08, neste ato representado(a) por seu Presidente,

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 Que fazem na forma abaixo, de um lado, o SINDICATO DAS SANTAS CASAS E ENTIDADES FILANTRÓPICAS DO ESTADO DA BAHIA - SINDIFIBA, CNPJ n 96.777.958/0001-62 sito à Rua

Leia mais

NÚCLEO PREPARATÓRIO DE EXAME DE ORDEM

NÚCLEO PREPARATÓRIO DE EXAME DE ORDEM ENDEREÇAMENTO E QUALIFICAÇÃO EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DA... VARA DO TRABALHO DE... A, estado civil..., profissão..., portador do RG nº..., inscrito no CPF nº..., portador da CTPS..., série...,

Leia mais