Fórum Agenda Bahia 2014

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Fórum Agenda Bahia 2014"

Transcrição

1

2 Fórum Agenda Bahia 2014 Relação entre Plano Nacional e Planos Municipais de Saneamento Básico e as estratégias adotadas para celebração dos Contratos de Programa entre EMBASA e municípios Bartira Mônaco Rondon Superintendente de Assuntos Regulatórios PA 18/11/2014

3 1. Importância da Constituição Federal 1988 para o Saneamento Básico 2. Marco Legal do Planejamento na Área do Saneamento Básico 3. Plano Nacional de Saneamento Básico (PLANSAB) 4. Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB) 5. Embasa e as estratégias adotadas para celebração dos Contratos de Programa com os municípios 6. Conclusão SUMÁRIO

4 1. Importância da Constituição Federal 1988 para o Saneamento Básico

5 1. Importância da Constituição Federal 1988 para o Saneamento Básico Art. 21. Compete à União: IX - elaborar e executar planos nacionais e regionais de ordenação do território e de desenvolvimento econômico e social; XX instituir diretrizes para o desenvolvimento urbano, inclusive habitação, saneamento básico e transportes urbanos; Art. 30. Compete aos Municípios: I - legislar sobre assuntos de interesse local; V - organizar e prestar, diretamente ou sob regime de concessão ou permissão, os serviços públicos de interesse local, incluído o de transporte coletivo, que tem caráter essencial;

6 1. Importância da Constituição Federal 1988 para o Saneamento Básico Art º - Os Estados poderão, mediante lei complementar, instituir regiões metropolitanas, aglomerações urbanas e microrregiões, constituídas por agrupamentos de Municípios limítrofes, para integrar a organização, o planejamento e a execução de funções públicas de interesse comum. Art A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios disciplinarão por meio de lei os consórcios públicos e os convênios de cooperação entre os entes federados, autorizando a gestão associada de serviços públicos, bem como a transferência total ou parcial de encargos, serviços, pessoal e bens essenciais à continuidade dos serviços transferidos.

7 2. Marco Legal do Planejamento na Área do Saneamento Básico

8 2. Marco Legal do Planejamento na Área do Saneamento Básico Lei / Titulares e União Art. 9º O titular dos serviços formulará a respectiva política pública de saneamento básico, devendo, para tanto: I - elaborar os planos de saneamento básico, nos termos desta Lei; II - prestar diretamente ou autorizar a delegação dos serviços e definir o ente responsável pela sua regulação e fiscalização, bem como os procedimentos de sua atuação; Art. 52. A União elaborará, sob a coordenação do Ministério das Cidades: I - o Plano Nacional de Saneamento Básico (PNSB - PLANSAB);

9 2. Marco Legal do Planejamento na Área do Saneamento Básico Constituição do Estado da Bahia 1989 Art Fica criado o Conselho Estadual de Saneamento Básico, órgão deliberativo e tripartite, com representação do Poder Público, associações comunitárias e associações e entidades profissionais ligadas ao setor de saneamento básico, que, dentre outras competências estabelecidas em lei, deverá formular a política e o Plano Estadual de Saneamento Básico. Lei /2008 Política Estadual de Saneamento Básico Art O planejamento dos serviços públicos de saneamento básico no âmbito da Política Estadual de Saneamento Básico dar-se-á mediante: I - o Plano Estadual de Saneamento Básico previsto no art. 229 da Constituição do Estado da Bahia;

10 3. Plano Nacional de Saneamento Básico (PLANSAB)

11 3. PLANSAB: metas de AA e ES e indicadores - BR, NE e BA INDICADOR ANO BR NE BA A1. % de domicílios urbanos e rurais abastecidos por rede de distribuição e por poço ou nascente com canalização interna A2. % de domicílios urbanos abastecidos por rede de distribuição e por poço ou nascente com canalização interna E1. % de domicílios urbanos e rurais servidos por rede coletora ou fossa séptica para os excretas ou esgotos sanitários E2. % de domicílios urbanos servidos por rede coletora ou fossa séptica para os excretas ou esgotos sanitários ND ND ND ND ND ND ND ND Fonte: Plansab / Ministério das Cidades. OBS: dos 13 indicadores de AA e ES, apenas 3 atingirão meta de 100% para o Brasil em ND = Não Disponível

12 3. PLANSAB: programas e ações PROGRAMA CONCEPÇÃO PÚBLICO-ALVO AÇÕES Possíveis ações em: Programa 1: Saneamento básico integrado Investimento em ações estruturais abrangendo, preferencialmente, mais de um componente do saneamento básico Titulares ou prestadores dos serviços públicos de abastecimento de água e esgotamento sanitário Municípios e estados no caso de manejo de resíduos sólidos e de intervenções de drenagem urbana e manejo de águas pluviais Áreas metropolitanas; municípios de médio ou pequeno porte Favelas e ocupações espontâneas; áreas de risco e sujeitas a inundações; áreas indutoras do desenvolvimento turístico; bacias hidrográficas críticas Programa 2: Saneamento rural Atendimento da população rural, povos indígenas e comunidades tradicionais, no conjunto das necessidades dos componentes do saneamento básico, integrados com o Programa Territórios da Cidadania e com o Programa de Desenvolvimento Rural Sustentável, entre outros Administrações municipais Consórcios ou prestadores de serviços públicos Instâncias de gestão para o saneamento rural como cooperativas e associações comunitárias Possíveis ações para: População rural Povos indígenas Quilombolas Reservas extrativistas Programa 3: Saneamento estruturante Apoio à gestão dos serviços com vistas à sustentabilidade para o adequado atendimento populacional e com o olhar para o território municipal e para a integralidade das ações de saneamento básico Titulares, consórcios e outras modalidades de gestão Prestadores públicos Gestores Entidades de ensino e pesquisa Ações estruturantes de apoio à gestão Ações estruturantes de apoio à prestação de serviços Ações estruturantes de capacitação e assistência técnica Desenvolvimento científico e tecnológico

13 3. PLANSAB: investimentos necessários para universalizar os serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário no Brasil (em milhões de reais, base dezembro/2012) Fonte: Plansab / Ministério das Cidades.

14 3. PLANSAB: influência no planejamento dos Estados e Municípios Proposição de metas aderentes ao PLANSAB; Adequação ao marco legal para obtenção de recursos federais: plano, órgão regulador, contratos; Busca de recursos OGU, onerosos e próprios para implementação de medidas estruturantes e estruturais.

15 4. Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB)

16 4. Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB) Conteúdo mínimo do PMSB (Art. 19 da Lei /2007) Diagnóstico; Objetivos e metas; Programas, projetos e ações (incluindo ações emergenciais e contingenciais); Avaliação das ações programadas.

17 4. Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB) Elaboração e revisão do PMSB com participação e controle social (acesso a recursos federais após 31/12/2014 condicionados a instituição de órgão colegiado). Planejamento do titular para a universalização do acesso ao serviço público de AA e ES possibilita exigência de atendimento pelo prestador planos de investimentos do contrato de programa / concessão compatível com PMSB.

18 5. Embasa e as estratégias adotadas para celebração dos Contratos de Programa com os municípios

19 5. Embasa e as estratégias adotadas para celebração dos Contratos de Programa com os municípios Missão: garantir o acesso aos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário, em cooperação com os municípios, buscando a universalização de modo sustentável, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida e o desenvolvimento do Estado. Empresa de economia mista, pessoa jurídica de direito privado, tendo como acionista majoritário o Governo do Estado da Bahia. Prestador regionalizado de AA e ES: único prestador para vários municípios (contíguos ou não); compatibilidade no planejamento; uniformidade na regulação e fiscalização.

20 5. Embasa: área de atuação Empresa estadual de abastecimento de água e esgotamento sanitário, presente em 364 dos 417 municípios baianos. SERVIÇOS PÚBLICOS LOCALIDADES ATENDIDAS SISTEMAS OPERADOS Abastecimento de Água (AA) Esgotamento Sanitário (ES) Rural 933 Urbana 545 TOTAL Rural 7 Urbana 120 TOTAL

21 5. Embasa: Programa Água para Todos Objetivo Estratégico Proporcionar o atendimento ao direito humano fundamental de acesso à água, em qualidade e quantidade, prioritariamente para consumo humano, numa perspectiva de segurança alimentar e de melhoria da qualidade de vida em ambiente salubre no campo e nas cidades.

22 5. Embasa: Programa Água para Todos Investimentos Situação Ação Investimentos (R$) Recursos assegurados / aplicados Abastecimento de Água Esgotamento Sanitário Desenvolvimento Institucional Perspectivas de novos investimentos Total Abastecimento de Água Esgotamento Sanitário Desenvolvimento Institucional Total Total Geral >>>>>>>>>

23 5. Embasa: ações de enfrentamento aos efeitos da seca na Bahia 266 municípios em estado de emergência RECURSOS ENVOLVIDOS Embasa R$ 377 milhões Ministérios das Cidades, Integração e Funasa R$ 866 milhões Total R$ 1,243 bilhão

24 5. Embasa: quadro geral de investimentos em Salvador ( ) Natureza População atendida (hab.) Investimentos (R$) Financiados Embasa/GE Total Abastecimento de Água Esgotamento Sanitário Total Geral

25 5. Embasa São atendidas com abastecimento de água cerca de 3,59 milhões de residências, um crescimento de 40% no período de dez/2006 a set/2014.

26 5. Embasa: evolução das ligações de água no período Ligações de Água de 2007 à set/2014 O número de ligações de água evoluiu de para Mais de 929 mil novas ligações no período, um acréscimo de 40,34%. 55% dessas ligações foram executadas no semiárido. Na zona rural foram atendidas no período mais de pequenas localidades.

27 5. Embasa São atendidas com esgotamento sanitário 1,34 milhão de residências, um crescimento de 81% no período de dez/2006 a set/2014.

28 5. Embasa: evolução das ligações de esgoto no período de 2007 à set/2014 Ligações de Esgoto O número de ligações de esgoto evoluiu de para Mais de 479 mil novas ligações no período, um acréscimo de 96,9%. Estima-se que até dezembro/2014 esse percentual vai ultrapassar 100%. Ou seja: ao longo dos 43 anos de existência da Embasa, nos últimos 8 anos foram e/ou serão executadas mais ligações de esgoto do que todos os 35 anos anteriores.

29 5. Embasa: contratos novos Art. 11 (Lei11.445/2007) define condições de validade dos contratos: I - existência de plano de saneamento básico (condição para acessar recursos federais após 31/dez/2015); II - existência de estudo comprovando a viabilidade técnica e econômicofinanceira da prestação universal e integral dos serviços, nos termos do respectivo plano de saneamento básico; III - existência de normas de regulação que prevejam os meios para o cumprimento das diretrizes desta Lei, incluindo a designação da entidade de regulação e de fiscalização; IV - realização prévia de audiência e de consulta públicas sobre edital de licitação, no caso de concessão, e sobre a minuta do contrato.

30 5. Embasa: estratégia para contratualização Convênio de Cooperação Entre Entes Federados Plano Municipal de Saneamento Básico Contrato de Programa Plano Quadrienal de Metas e Investimentos (PQMI) Lei Disciplinadora Comissão de Acompanhamento Estudo de Viabilidade Econômico-Financeiro Comissão Especial

31 Convênio de Cooperação entre Entes Federados Estado Município Delegação da prestação/ regulação/ fiscalização dos serviços AA e ES Lei do PAC - Decreto /2007 (art 7A) Cumprimento de Cronograma: celebração de Contrato de Programa firmado até 31/Dez/2016 Intervenientes: Embasa e Agersa

32 5. Embasa: a gestão do saneamento básico na Região Metropolitana de Salvador Considerando que decisão do STF na ADI 1842-RJ impacta na RMS, foi criada Entidade Metropolitana da RMS (Lei Complementar nº 41/2014). Art. 2º 1º define que objetivo da Entidade é exercer as competências relativas à integração da organização, planejamento e execução de funções públicas de interesse comum aos Municípios da RMS. Art. 2º 2º explicita as funções públicas de interesse comum a serem exercidas: mobilidade urbana, transporte público, saneamento básico... Art. 8º estabelece as atribuições do Colegiado Metropolitano: I - instituir diretrizes sobre planejamento, organização e execução de funções públicas de interesse comum IV - aprovar Plano de Desenvolvimento Metropolitano, os planos setoriais metropolitanos e, quando couber, os planos locais (necessidade de elaborar plano metropolitano de saneamento básico).

33 . Embasa: responsabilidades dos entes envolvidos na gestão dos serviços de AA e ES Município: elaborar e revisar o PMSB; instituir controle social; estabelecer sistema de informação; acompanhar a execução do contrato com prestador. Estado: cooperar com municípios, apoiando o planejamento, ofertando meios técnicos e administrativos para a regulação, executando obras e ações (por meio da Embasa, CERB, CAR e outros órgãos). órgão regulador (Agersa): regular e fiscalizar os serviços; fiscalizar o contrato de programa; garantir cumprimento das condições e metas estabelecidas no PMSB; prestador de serviço (Embasa): fornecer informações para PMSB (elaboração e revisões); participar das Comissões para PMSB; prestar com qualidade o serviço delegado.

34 6. Conclusão

35 6. Conclusão Para a universalização do acesso aos serviços públicos de AA e ES previsto no planejamento do titulares, é necessário a instituição, por meio de Lei Complementar, de fundos de universalização do saneamento básico como instrumentos de cooperação entre a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios na promoção da melhoria das condições de saneamento básico.

36 Obrigada! Bartira Mônaco Rondon Superintendente de Assuntos Regulatórios PA e Gerente da Unidade de Planejamento e Gestão - PPG Contato:

As Leis /2007, /2005 e /2008 e a Universalização

As Leis /2007, /2005 e /2008 e a Universalização I Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental Mesa Redonda 1 Universalização do Saneamento e Sustentabilidade As Leis 11.445/2007, 11.107/2005 e 11.172/2008 e a Universalização 12 de julho de

Leia mais

twitter.com/funasa

twitter.com/funasa FUNDAÇÃO NACIONAL DE SÁUDE Fundação pública vinculada ao Ministério da Saúde Missão Institucional: Promover a saúde pública e a inclusão social por meio de ações de saneamento e saúde ambiental. Área de

Leia mais

Lei nº , de 5 de janeiro de 2007

Lei nº , de 5 de janeiro de 2007 Legislação relevante Lei nº 11.445, de 5 de janeiro de 2007 Estabelece as diretrizes nacionais para o saneamento básico e para a política federal de saneamento básico. Competência para prestação de serviços

Leia mais

SANEAMENTO BÁSICO - LEI /07 - ÁGUA

SANEAMENTO BÁSICO - LEI /07 - ÁGUA - LEI 11.445/07 - ÁGUA 1 ESGOTO LIXO 2 CHUVA Lei nº 11.445/07, de 5/1/07 Água potável Esgoto sanitário Tratamento do lixo Drenagem da chuva 3 Lei 8.080/90 (promoção, proteção e recuperação da saúde) Art.

Leia mais

Os desafios para a implantação do Plano Nacional de Saneamento.

Os desafios para a implantação do Plano Nacional de Saneamento. POLITICA FEDERAL DE SANEAMENTO Os desafios para a implantação do Plano Nacional de Saneamento. Engº civil Gilson Queiroz Maio de 2014 Desafios e Cenários adversos 2 PERFIL DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS www.funasa.gov.br

Leia mais

CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO BÁSICO

CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO BÁSICO NOTA TÉCNICA Nº 001/2011 Brasília, 16 de março de 2011. ÁREA: Saneamento Área de Desenvolvimento Urbano TÍTULO: Contratação dos serviços de saneamento básico REFERÊNCIA(S): Lei nº 11.445/2010, Decreto

Leia mais

Contratos de Programa e a consolidação de uma relação Institucional. qualificada com os Municípios. Marco Referencial: Lei 11.

Contratos de Programa e a consolidação de uma relação Institucional. qualificada com os Municípios. Marco Referencial: Lei 11. Contratos de Programa e a consolidação de uma relação Institucional Contratos de qualificada com os Municípios Marco Referencial: Lei 11.445/2007 Apresentação: SUPRIN Maio de 2013 CENÁRIO DO SANEAMENTO

Leia mais

O Processo de Elaboração Participativa do Termo de Referência (TR) do Plano Estadual de Saneamento Básico (PESB/BA)

O Processo de Elaboração Participativa do Termo de Referência (TR) do Plano Estadual de Saneamento Básico (PESB/BA) Mesa Redonda: Planejamento na área de Saneamento Básico: Plansab, o Plano Estadual de Saneamento Básico e os desafios para a universalização. 14h00 às 16h00 O Processo de Elaboração Participativa do Termo

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES

MINISTÉRIO DAS CIDADES MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental 1º. Seminário FIESP de Saneamento Básico POLÍTICA NACIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO E O PLANSAB Leodegar Tiscoski Secretário Nacional de Saneamento

Leia mais

Relatório de Avaliação Anual Ano Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental

Relatório de Avaliação Anual Ano Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Relatório de Avaliação Anual Ano 2016 Introdução Plano Nacional de Saneamento Básico Plansab Instituído Aprovado Lei nº 11.445/2007 Lei de Diretrizes Nacionais do Saneamento Básico Decreto nº 8.141/2013

Leia mais

Regulação dos Serviços de Limpeza Urbana e de Manejo de Resíduos Sólidos

Regulação dos Serviços de Limpeza Urbana e de Manejo de Resíduos Sólidos ABES-MG Belo Horizonte Junho de 2013 Regulação dos Serviços de Limpeza Urbana e de Manejo de Resíduos Sólidos Eng. Marcos Helano Fernandes Montenegro Legislação relevante Lei nº 8.666, de de 21 de junho

Leia mais

O Plano Municipal de Saneamento, segundo a Lei /07. Bernardo Arantes do Nascimento Teixeira

O Plano Municipal de Saneamento, segundo a Lei /07. Bernardo Arantes do Nascimento Teixeira O Plano Municipal de Saneamento, segundo a Lei 11.445/07 Bernardo Arantes do Nascimento Teixeira Contexto - 1988 Constituição Federal: tendência à descentralização e ao fortalecimento municipal; Municípios

Leia mais

DIREITO AMBIENTAL. Proteção do meio ambiente em normas infraconstitucionais

DIREITO AMBIENTAL. Proteção do meio ambiente em normas infraconstitucionais DIREITO AMBIENTAL Proteção do meio ambiente em normas infraconstitucionais Diretrizes Nacionais de Saneamento Básico Lei nº 11.445/2007- Parte 3 Prof. Rodrigo Mesquita Art. 241. A União, os Estados, o

Leia mais

Fundação Nacional de Saúde Funasa Departamento de Engenharia de Saúde pública - Densp. 2º Congresso de Saneamento do Nordeste

Fundação Nacional de Saúde Funasa Departamento de Engenharia de Saúde pública - Densp. 2º Congresso de Saneamento do Nordeste Fundação Nacional de Saúde Funasa Departamento de Engenharia de Saúde pública - Densp 2º Congresso de Saneamento do Nordeste O protagonismo dos municípios na gestão do saneamento. Eng. Leonardo Rodrigues

Leia mais

2º CONGRESSO INTERNACIONAL: GESTÃO DA ÁGUA E MONITORAMENTO AMBIENTAL

2º CONGRESSO INTERNACIONAL: GESTÃO DA ÁGUA E MONITORAMENTO AMBIENTAL 2º CONGRESSO INTERNACIONAL: GESTÃO DA ÁGUA E MONITORAMENTO AMBIENTAL A Universalização do Saneamento Básico: Oportunidades e Desafios JOHNNY FERREIRA DOS SANTOS Diretor Aracaju - SE, 09 de Dezembro de

Leia mais

Estabelece orientações relativas à Política de Saneamento Básico e ao conteúdo mínimo dos Planos de Saneamento Básico.

Estabelece orientações relativas à Política de Saneamento Básico e ao conteúdo mínimo dos Planos de Saneamento Básico. RESOLUÇÃO RECOMENDADA ConCidades N o 75, DE 2 DE JULHO DE 2009 Estabelece orientações relativas à Política de Saneamento Básico e ao conteúdo mínimo dos Planos de Saneamento Básico. O Conselho das Cidades,

Leia mais

IV CONGRESSO MINEIRO DOS SERVIÇOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO

IV CONGRESSO MINEIRO DOS SERVIÇOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO IV CONGRESSO MINEIRO DOS SERVIÇOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO REGULAÇÃO NO SETOR DE SANEAMENTO: A BUSCA PELA EFICIÊNCIA E UNIVERSALIZAÇÃO Edilson Eduardo Werneck Machado Engenheiro Divisão de Engenharia

Leia mais

LINHAS DE FINANCIAMENTO E INCENTIVOS PARA IMPLANTAÇÃO DE PEQUENOS SISTEMAS DE SANEAMENTO

LINHAS DE FINANCIAMENTO E INCENTIVOS PARA IMPLANTAÇÃO DE PEQUENOS SISTEMAS DE SANEAMENTO LINHAS DE FINANCIAMENTO E INCENTIVOS PARA IMPLANTAÇÃO DE PEQUENOS SISTEMAS DE SANEAMENTO Juliana de Senzi Zancul 21 de Junho de 2013 População Rural Cerca de 30 milhões de pessoas residem em localidades

Leia mais

Seminário - Política e Planejamento do Saneamento Básico na Bahia: Desafios e Perspectivas de Implementação.

Seminário - Política e Planejamento do Saneamento Básico na Bahia: Desafios e Perspectivas de Implementação. Seminário - Política e Planejamento do Saneamento Básico na Bahia: Desafios e Perspectivas de Implementação. A POLÍTICA DE SANEAMENTO BÁSICO NO BRASIL E NA BAHIA (1988-2014) ESCOLA POLITÉCNICA DA UFBA,

Leia mais

Modernização do Marco Regulatório do Setor de Saneamento Básico Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos ABIMAQ/SP

Modernização do Marco Regulatório do Setor de Saneamento Básico Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos ABIMAQ/SP Modernização do Marco Regulatório do Setor de Saneamento Básico Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos ABIMAQ/SP Casa Civil da Presidência da República 21 de maio de 2018 Mais de

Leia mais

Oficina 2 Habitação Saneamento Defesa Civil

Oficina 2 Habitação Saneamento Defesa Civil Oficina 2 Habitação Saneamento Defesa Civil HABITAÇÃO contexto nacional A partir de 2003, implantação da Nova Política Nacional de Habitação Ampliação das fontes de recursos e subsídios para habitação

Leia mais

Proposta de Plano Nacional de Saneamento Básico PLANSAB

Proposta de Plano Nacional de Saneamento Básico PLANSAB 1º. Seminário Franco-Brasileiro Sobre Saúde Ambiental Água, Saúde e Desenvolvimento Proposta de Plano Nacional de Saneamento Básico PLANSAB Ernani Ciríaco de Miranda Gerente de Projetos Especialista em

Leia mais

A Lei /07 e O PAC Saneamento Marcha dos Prefeitos - Brasília / DF abril/08

A Lei /07 e O PAC Saneamento Marcha dos Prefeitos - Brasília / DF abril/08 A Lei 11.445/07 e O PAC Saneamento Marcha dos Prefeitos - Brasília / DF abril/08 O DARIN DAGES DDCOT LEI 11.445/07 Estabelece diretrizes nacionais para o saneamento básico e para a política federal de

Leia mais

Diretrizes para os Serviços Públicos de Saneamento Básico. Eng. Marcos Helano Montenegro

Diretrizes para os Serviços Públicos de Saneamento Básico. Eng. Marcos Helano Montenegro Diretrizes para os Serviços Públicos de Saneamento Básico Eng. Marcos Helano Montenegro O que é possível? O que é possível? Parar o tempo? O que é possível? A mulher pisar na Lua? O que é possível? Atravessar

Leia mais

Plano de Saneamento Básico

Plano de Saneamento Básico Plano de Saneamento Básico Marcelo de Paula Neves Lelis Novo Hamburgo (RS), 04/11/2011 Saneamento Básico A Lei 11.445/07, em seu Art. 3 º, define Saneamento Básico como sendo o conjunto de serviços, infra-estruturas

Leia mais

Departamento de Engenharia de Saúde Pública DENSP Coordenação Geral de Cooperação Técnica CGCOT

Departamento de Engenharia de Saúde Pública DENSP Coordenação Geral de Cooperação Técnica CGCOT Neilton Santos Nascimento Assistente de Administração Departamento de Engenharia de Saúde Pública DENSP Coordenação Geral de Cooperação Técnica CGCOT Natal/RN, 08 de dezembro de 2016 MINISTÉRIO DA SAÚDE

Leia mais

ASPECTOS LEGAIS DA POLÍTICA DE SANEAMENTO BÁSICO E DE RECURSOS HÍDRICOS

ASPECTOS LEGAIS DA POLÍTICA DE SANEAMENTO BÁSICO E DE RECURSOS HÍDRICOS AILTON FRANCISCO DA ROCHA Superintendente de Recursos Hídricos Secretaria de Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos de Sergipe 09 DE DEZEMBRO DE 2015 POLÍTICA NACIONAL DE RECURSOS HÍDRICOS (LEI Nº 9.433/1997):

Leia mais

PLANEJAMENTOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO: UMA METODOLOGIA DE APOIO À GESTÃO PÚBLICA LOCAL E UM ESTUDO DE CASO

PLANEJAMENTOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO: UMA METODOLOGIA DE APOIO À GESTÃO PÚBLICA LOCAL E UM ESTUDO DE CASO PLANEJAMENTOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO: UMA METODOLOGIA DE APOIO À GESTÃO PÚBLICA LOCAL E UM ESTUDO DE CASO Programa Desenvolvimento Econômico e Social Sustentável da Região Oeste do Paraná Prefeituras

Leia mais

CICLO DE DEBATES SOBRE REGULAÇÃO DO SANEAMENTO ARES PCJ

CICLO DE DEBATES SOBRE REGULAÇÃO DO SANEAMENTO ARES PCJ CICLO DE DEBATES SOBRE REGULAÇÃO DO SANEAMENTO ARES PCJ 2º EIXO TEMÁTICO: PLANOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO 24.07.2014 Plano de saneamento básico na Lei n. 11.445/2007 aspectos teóricos Prof. Dr.

Leia mais

Mesa Redonda 2: Planejamento na área de saneamento básico: o Plansab, o Plano Estadual de Saneamento Básico e os desafios para a universalização

Mesa Redonda 2: Planejamento na área de saneamento básico: o Plansab, o Plano Estadual de Saneamento Básico e os desafios para a universalização Mesa Redonda 2: Planejamento na área de saneamento básico: o Plansab, o Plano Estadual de Saneamento Básico e os desafios para a universalização Salvador/BA, 16 de Julho de 2015 Planos Municipais de Saneamento

Leia mais

Manejo de Águas Pluviais Urbanas em Porto Alegre - RS

Manejo de Águas Pluviais Urbanas em Porto Alegre - RS Seminário Meio Ambiente e Tecnologias Sustentáveis: Energias Renováveis, Saneamento e Mobilidade Urbana Porto Alegre, 03 de junho de 2016. Manejo de Águas Pluviais Urbanas em Porto Alegre - RS SANEAMENTO

Leia mais

Regulação de Serviços de Água e Esgotos. Marisa de Oliveira Guimarães ABES São Paulo

Regulação de Serviços de Água e Esgotos. Marisa de Oliveira Guimarães ABES São Paulo Regulação de Serviços de Água e Esgotos Marisa de Oliveira Guimarães ABES São Paulo Câmara Técnica de Recursos Hídricos ABES-SP Junho de 2016 A Evolução do marco legal no Brasil Planasa/71 Modelo tarifário

Leia mais

SÍNTESE DO DIAGNÓSTICO SETORIAL E PROPOSTA AÇÕES

SÍNTESE DO DIAGNÓSTICO SETORIAL E PROPOSTA AÇÕES SÍNTESE DO DIAGNÓSTICO SETORIAL E PROPOSTA AÇÕES Sumário Introdução Desafios Identificados Propostas de Ações Conclusão 2 Sumário Introdução Desafios Identificados Propostas de Ações Conclusão 3 Introdução

Leia mais

Workshop de Saneamento Básico - FIESP. Soluções para o Esgotamento Sanitário

Workshop de Saneamento Básico - FIESP. Soluções para o Esgotamento Sanitário Workshop de Saneamento Básico - FIESP Soluções para o Esgotamento Sanitário ABES - Missão e Visão MISSÃO Ser reconhecida, nacionalmente, como a principal entidade de referência, no setor de saneamento

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 468/2015

PROJETO DE LEI Nº 468/2015 PROJETO DE LEI Nº 468/2015 Institui o Plano Municipal Integrado de Saneamento Básico e dá outras providências. Art. 1º Esta Lei institui o Plano Municipal Integrado de Saneamento Básico do Município de

Leia mais

Luciene Machado. Painel Financiamento: fontes e modalidades para suportar os investimentos

Luciene Machado. Painel Financiamento: fontes e modalidades para suportar os investimentos Seminário ABDIB- As Soluções para o Saneamento Básico e os Recursos Hídricos no Brasil Painel Financiamento: fontes e modalidades para suportar os investimentos SP, 16/03/2017 15 de dezembro de 2016 Luciene

Leia mais

CONSÓRCIOS PÚBLICOS, CONVÊNIOS DE COOPERAÇÃO E OUTROS CONVÊNIOS MARCOS AUGUSTO PEREZ DES0417

CONSÓRCIOS PÚBLICOS, CONVÊNIOS DE COOPERAÇÃO E OUTROS CONVÊNIOS MARCOS AUGUSTO PEREZ DES0417 CONSÓRCIOS PÚBLICOS, CONVÊNIOS DE COOPERAÇÃO E OUTROS CONVÊNIOS MARCOS AUGUSTO PEREZ DES0417 Interfederativas Parcerias públicopúblico Consórcios Convênios de cooperação Contrato de programa Regiões metropolitanas

Leia mais

Proprietário Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento da Região Sul de Mato Grosso do Sul Plano Municipal de Saneamento Básico

Proprietário Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento da Região Sul de Mato Grosso do Sul Plano Municipal de Saneamento Básico PMSB Plano Municipal de Saneamento Básico Naviraí /MS Versão 6 14/01/2016 Proprietário RAZÃO SOCIAL: ATIVIDADE: MUNICÍPIO: Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento da Região Sul de Mato Grosso do Sul

Leia mais

Sustentabilidade econômica da gestão dos Resíduos Sólidos. Carlos Roberto de Oliveira ARES-PCJ

Sustentabilidade econômica da gestão dos Resíduos Sólidos. Carlos Roberto de Oliveira ARES-PCJ Sustentabilidade econômica da gestão dos Resíduos Sólidos Carlos Roberto de Oliveira ARES-PCJ Lei 11.445/2007 DIRETRIZES NACIONAIS PARA O SANEAMENTO BÁSICO ESGOTAMENTO SANITÁRIO LIMPEZA URBANA E MANEJO

Leia mais

A efetividade do Controle social nas Políticas de Saneamento. Eliene Otaviano da Rocha

A efetividade do Controle social nas Políticas de Saneamento. Eliene Otaviano da Rocha A efetividade do Controle social nas Políticas de Saneamento Eliene Otaviano da Rocha Natal-RN 2016 FRENTE NACIONAL PELO SANEAMENTO AMBIENTAL - FNSA Quem somos? coletivo constituído desde 1997, congrega

Leia mais

G stã t o d e d Resíd í u d o u s S lild i o d s

G stã t o d e d Resíd í u d o u s S lild i o d s Gestão de Resíduos Sólidos Bertrand Sampaio de Alencar 27/12/2011 1 Normas e Legislação Específica de Resíduos Sólidos 1. PNRS 2. Lei de Consórcios Públicos 3. Lei Saneamento Básico 4. PERS-PE 5. Normas

Leia mais

REGULAÇÃO E PLANEJAMENTO

REGULAÇÃO E PLANEJAMENTO Encontro Técnico Nacional de Auditoria de Obras Públicas REGULAÇÃO E PLANEJAMENTO Alceu Galvão Engenheiro Civil Doutor em Saúde Pública Florianópolis 23 e 24 de maio de 2011 SUMÁRIO 1. Setor de Saneamento

Leia mais

SEMINÁRIO SANEAMENTO EM PAUTA CABO FRIO

SEMINÁRIO SANEAMENTO EM PAUTA CABO FRIO SEMINÁRIO SANEAMENTO EM PAUTA CABO FRIO 12.09.2016 RAUL TEIXEIRA: Procurador do Estado Procurador-Chefe da assessoria jurídica da Secretaria de Estado do Ambiente/RJ Professor do Programa de Aperfeiçoamento

Leia mais

SANEAMENTO NA ÁREA RURAL

SANEAMENTO NA ÁREA RURAL SANEAMENTO NA ÁREA RURAL Anelise Nardi Hüffner Engenheira Ambiental, MSc. em Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental Contextualização Área Urbana Área Rural Densidade demográfica, diferenciação e mudança

Leia mais

LEI Nº DE 01 DE DEZEMBRO DE

LEI Nº DE 01 DE DEZEMBRO DE LEI Nº 11.172 DE 01 DE DEZEMBRO DE 2008 Institui princípios e diretrizes da Política Estadual de Saneamento Básico, disciplina o convênio de cooperação entre entes federados para autorizar a gestão associada

Leia mais

Painel 1: Gestão Eficiente no Setor Saneamento

Painel 1: Gestão Eficiente no Setor Saneamento Painel 1: Gestão Eficiente no Setor Saneamento Alexandre Araujo Godeiro Carlos Coordenador Equipe Planos Especialista em Infraestrutura Sênior SNSA/DARIN Ministério das Cidades Sumário 1 Linha do tempo:

Leia mais

Aspectos Reg latórios do Saneamento Básicolttp://rotadosconcursos.com.br/questoes-de-concursos/legislacao

Aspectos Reg latórios do Saneamento Básicolttp://rotadosconcursos.com.br/questoes-de-concursos/legislacao Lista de Exercício 4 - Gabarito 1. Assinale a alternativa correta sobre o exercício da titularidade nos termos exatos da Lei Federal nº 11.445, de 5 de janeiro de 2007, que estabelece diretrizes nacionais

Leia mais

Desafios de Regulação do Setor de Saneamento ABES. Jerson Kelman 27 fevereiro 2018

Desafios de Regulação do Setor de Saneamento ABES. Jerson Kelman 27 fevereiro 2018 Desafios de Regulação do Setor de Saneamento ABES Jerson Kelman 27 fevereiro 2018 Planasa funcionou bem de 1972 a 1991 0,31% do PIB 1990 s: 0,16% do PIB PAC 0,21% do PIB Meta Plansab 0,4% a 1,0% PIB Crise

Leia mais

II Diálogos do Saneamento Associação Brasileira de Engenharia Sanitária ABES/RS Brasília, 29 de novembro de 2013

II Diálogos do Saneamento Associação Brasileira de Engenharia Sanitária ABES/RS Brasília, 29 de novembro de 2013 II Diálogos do Saneamento Associação Brasileira de Engenharia Sanitária ABES/RS Brasília, 29 de novembro de 2013 Processo Participativo Aprovação da Versão Consolidada pelo GTI PLANSAB 2012 2013 Aprovação

Leia mais

PAINEL VII Recursos Financeiros e Financiamento para Gestão dos RSU

PAINEL VII Recursos Financeiros e Financiamento para Gestão dos RSU PAINEL VII Recursos Financeiros e Financiamento para Gestão dos RSU Linha de Crédito para Financiamento de Saneamento e Destinação de Resíduos Sólidos CÁSSIO FELIPE BUENO Gerente de Projeto Departamento

Leia mais

Recursos Hídricos. A interação do saneamento com as bacias hidrográficas e os impactos nos rios urbanos

Recursos Hídricos. A interação do saneamento com as bacias hidrográficas e os impactos nos rios urbanos 74 a Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia Recursos Hídricos A interação do saneamento com as bacias hidrográficas e os impactos nos rios urbanos SECRETARIA DE RECURSOS HÍDRICOS E QUALIDADE AMBIENTAL

Leia mais

Convênio de Cooperação Técnica BID/ABES. Divulgação do Curso de Capacitação em Regulação. São Paulo, 31 de Março de 2016

Convênio de Cooperação Técnica BID/ABES. Divulgação do Curso de Capacitação em Regulação. São Paulo, 31 de Março de 2016 Convênio de Cooperação Técnica BID/ABES Divulgação do Curso de Capacitação em Regulação São Paulo, 31 de Março de 2016 Agenda 1. Introdução: porque um curso sobre regulação de saneamento 2. Sobre a Cooperação

Leia mais

Controle Social no Plano Municipal de SaneamentoBásico

Controle Social no Plano Municipal de SaneamentoBásico Controle Social no Plano Municipal de SaneamentoBásico Seminário Política e Planejamento do Saneamento Básico na Bahia - 2015 Maria Consuelo Bomfim Brandão Funasa/Suest-BA Saneamento básico -controle social

Leia mais

COMO OS MUNICÍPIOS PODEM SE PLANEJAR PARA O PLANO NACIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO

COMO OS MUNICÍPIOS PODEM SE PLANEJAR PARA O PLANO NACIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO COMO OS MUNICÍPIOS PODEM SE PLANEJAR PARA O PLANO NACIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO DESAFIOS DE GESTÃO EM SERVIÇOS DE SANEAMENTO NAS CIDADES ENG.CIVIL ÁLVARO JOSÉ MENEZES DA COSTA VICE-PRESIDENTE DA ABES SALVADOR(BA)

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental

MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental 1o. SEMINÁRIO NACIONAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL A Lei 11.445/07 e suas implicações na gestão do Saneamento Básico do Brasil. Alexandre

Leia mais

AS POLÍTICAS E OS PLANOS NACIONAL, ESTADUAL E MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO: A REGULAÇÃO E FISCALIZAÇÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE SANEAMENTO BÁSICO

AS POLÍTICAS E OS PLANOS NACIONAL, ESTADUAL E MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO: A REGULAÇÃO E FISCALIZAÇÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE SANEAMENTO BÁSICO I Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental AS POLÍTICAS E OS PLANOS NACIONAL, ESTADUAL E MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO: A REGULAÇÃO E FISCALIZAÇÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE SANEAMENTO BÁSICO

Leia mais

Universalização do saneamento: assentamentos, comunidades rurais e quilombolas -a quem compete?

Universalização do saneamento: assentamentos, comunidades rurais e quilombolas -a quem compete? VI Encontro Estadual de Cooperação Técnica em Saneamento Ambiental Universalização do saneamento: assentamentos, comunidades rurais e quilombolas -a quem compete? Juliana Zancul COSAN/CGESA/DENSP/Funasa

Leia mais

SÍNTESE DO DIAGNÓSTICO SETORIAL E PROPOSTA DE AGENDA SETORIAL WORKSHOP II

SÍNTESE DO DIAGNÓSTICO SETORIAL E PROPOSTA DE AGENDA SETORIAL WORKSHOP II SÍNTESE DO DIAGNÓSTICO SETORIAL E PROPOSTA DE AGENDA SETORIAL WORKSHOP II São Paulo, 14 de Dezembro 2015 1 Sumário Objetivos Síntese do Workshop I: Principais Desafios do Setor Proposta Agenda Setorial

Leia mais

Regulação dos Serviços Públicos de Saneamento Básico

Regulação dos Serviços Públicos de Saneamento Básico Regulação dos Serviços Públicos de Saneamento Básico Aspectos Legais Conceitos e Instrumentos Destaques Constituição Federal de 1988 Art.23. Da competência comum, da União, Estados, DF e municípios. Art.30.

Leia mais

Secretaria de Habitação e Saneamento Departamento de Saneamento - DESAN

Secretaria de Habitação e Saneamento Departamento de Saneamento - DESAN II Diálogos do Saneamento "Plano Estadual de Saneamento como ferramenta de gestão, os desafios na sua implementação e sua contribuição para a universalização dos serviços." Pedro Dall Acqua Rafael Zaneti

Leia mais

PNRS A IMPORTÂNCIA DOS CONSÓRCIOS

PNRS A IMPORTÂNCIA DOS CONSÓRCIOS PNRS A IMPORTÂNCIA DOS CONSÓRCIOS CONSÓRCIOS PÚBLICOS CONSÓRCIOS PÚBLICOS Consórcio público é uma pessoa jurídica criada por lei com a finalidade de executar a gestão associada de serviços públicos, onde

Leia mais

Aparecido Hojaij Presidente Nacional da Assemae

Aparecido Hojaij Presidente Nacional da Assemae Aparecido Hojaij Presidente Nacional da Assemae Sobre a Assemae A Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento Assemae é uma organização não governamental criada em 1984, com o objetivo de

Leia mais

A Regulação do Saneamento no Brasil Avanços e Dificuldades

A Regulação do Saneamento no Brasil Avanços e Dificuldades 1º ENARMIS ENCONTRO NACIONAL DAS AGÊNCIAS REGULADORAS MUNICIPAIS E INTERMUNICIPAIS DE SANEAMENTO A Regulação do Saneamento no Brasil Avanços e Dificuldades Florianópolis-SC, 12 11 2015 APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

Leia mais

SANEAMENTO BÁSICO NA BAHIA: DESAFIOS DA POLÍTICA, PLANEJAMENTO E CONTROLE SOCIAL

SANEAMENTO BÁSICO NA BAHIA: DESAFIOS DA POLÍTICA, PLANEJAMENTO E CONTROLE SOCIAL SANEAMENTO BÁSICO NA BAHIA: DESAFIOS DA POLÍTICA, PLANEJAMENTO E CONTROLE SOCIAL Luiz Roberto Santos Moraes, PhD Professor Titular em Saneamento e Participante Especial da Universidade Federal da Bahia

Leia mais

SANEAMENTO BÁSICO. Marco Legal e Modelo Federativo de Regulação do Saneamento. UnB, 15 de agosto de RRe

SANEAMENTO BÁSICO. Marco Legal e Modelo Federativo de Regulação do Saneamento. UnB, 15 de agosto de RRe SANEAMENTO BÁSICO RRe Marco Legal e Modelo Federativo de Regulação do Saneamento UnB, 15 de agosto de 2014. O QUE É SANEAMENTO BÁSICO? RRe Desde os primórdios do século 20, o saneamento básico tem sido

Leia mais

DIREITO AMBIENTAL. Proteção do meio ambiente em normas infraconstitucionais. Diretrizes Nacionais de Saneamento Básico Lei n de 2007 Parte 2

DIREITO AMBIENTAL. Proteção do meio ambiente em normas infraconstitucionais. Diretrizes Nacionais de Saneamento Básico Lei n de 2007 Parte 2 DIREITO AMBIENTAL Proteção do meio ambiente em normas infraconstitucionais Diretrizes Nacionais de Saneamento Básico Lei n 11.445 de 2007 Parte 2 Prof. Rodrigo Mesquita II - gestão associada: associação

Leia mais

Parcerias Público Privadas com a inclusão Socioprodutiva de catadores e a Função Fiscalizatória do Ministério Público

Parcerias Público Privadas com a inclusão Socioprodutiva de catadores e a Função Fiscalizatória do Ministério Público 3º Seminário de Gerenciamento de Resíduos Sólidos Instituto de Zootecnia - 24.08.2017 Parcerias Público Privadas com a inclusão Socioprodutiva de catadores e a Função Fiscalizatória do Ministério Público

Leia mais

DELIBERAÇÃO CBHSF Nº 71, de 28 de novembro de 2012

DELIBERAÇÃO CBHSF Nº 71, de 28 de novembro de 2012 DELIBERAÇÃO CBHSF Nº 71, de 28 de novembro de 2012 Aprova o Plano de Aplicação Plurianual - PAP dos recursos da cobrança pelo uso de recursos hídricos na bacia hidrográfica do rio São Francisco, referente

Leia mais

I Encontro Nacional da CNTU. 3º Encontro Regional. Goiânia, 23 set 2011

I Encontro Nacional da CNTU. 3º Encontro Regional. Goiânia, 23 set 2011 I Encontro Nacional da CNTU 3º Encontro Regional Goiânia, 23 set 2011 SANEAMENTO AMBIENTAL: Panorama Atual e Perspectivas 2 SANEAMENTO AMBIENTAL: Conjunto de ações destinadas a tornar e manter o ambiente

Leia mais

PLANO ESTADUAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS DO ESTADO DE SANTA CATARINA PERS-SC LEGISLAÇÃO RELATIVA A RESÍDUOS E SUAS IMPLICAÇÕES

PLANO ESTADUAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS DO ESTADO DE SANTA CATARINA PERS-SC LEGISLAÇÃO RELATIVA A RESÍDUOS E SUAS IMPLICAÇÕES PLANO ESTADUAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS DO ESTADO DE SANTA CATARINA PERS-SC LEGISLAÇÃO RELATIVA A RESÍDUOS E SUAS IMPLICAÇÕES PAUTA DA APRESENTAÇÃO INTRODUÇÃO AO TEMA PROBLEMÁTICA DA GESTÃO DOS RS LEGISLAÇÃO

Leia mais

26º Congresso Técnico. A Crise da Água e suas Consequências no Século XXI

26º Congresso Técnico. A Crise da Água e suas Consequências no Século XXI 26º Congresso Técnico A Crise da Água e suas Consequências no Século XXI Serviços Públicos de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário Saúde, Meio Ambiente, Educação, Indústria, Comércio, Serviços,

Leia mais

SÍNTESE DO DIAGNÓSTICO

SÍNTESE DO DIAGNÓSTICO DIAGNÓSTICO DA PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTOS DE PORTO SEGURO E RECOMENDAÇÕES PARA MELHORIA NA GESTÃO ECOBUSINESS NETWORK LTDA SÍNTESE DO DIAGNÓSTICO 16/04/2016 ESCOPO DOS SERVIÇOS

Leia mais

O SUS LEGAL A partir das leis que ainda não foram cumpridas e que determinam a estrutura e funcionamento do SUS: Propostas do ministério da saúde

O SUS LEGAL A partir das leis que ainda não foram cumpridas e que determinam a estrutura e funcionamento do SUS: Propostas do ministério da saúde O SUS LEGAL A partir das leis que ainda não foram cumpridas e que determinam a estrutura e funcionamento do SUS: Propostas do ministério da saúde Brasília, 25/01/2017 Lei 141 Art. 30. Os planos plurianuais,

Leia mais

SEMINÁRIO POLíTICAE PLANEJAMENTO DO SANEAMENTO BÁSICO NA BAHIA DESAFIOS E PERSPECTIVAS DA IMPLEMENTAÇÃO

SEMINÁRIO POLíTICAE PLANEJAMENTO DO SANEAMENTO BÁSICO NA BAHIA DESAFIOS E PERSPECTIVAS DA IMPLEMENTAÇÃO MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA ESTADUAL DA BAHIA SEMINÁRIO POLíTICAE PLANEJAMENTO DO SANEAMENTO BÁSICO NA BAHIA DESAFIOS E PERSPECTIVAS DA IMPLEMENTAÇÃO EXPERIÊNCIAS DE

Leia mais

Workshop sobre Eleições Municipais: Propostas para o Saneamento. Aparecido Hojaij Presidente Nacional da Assemae

Workshop sobre Eleições Municipais: Propostas para o Saneamento. Aparecido Hojaij Presidente Nacional da Assemae Workshop sobre Eleições Municipais: Propostas para o Saneamento Aparecido Hojaij Presidente Nacional da Assemae Quem Somos A Assemae Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento - Assemae

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 11. Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua

POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 11. Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 11 Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua A LEI ORGÂNICA DA SAÚDE (LEI 8080/1990) o SUS é constituído pelo conjunto de ações e serviços de saúde, prestados por órgãos e instituições

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES

MINISTÉRIO DAS CIDADES MINISTÉRIO DAS CIDADES Ampliação dos serviços de saneamento a partir dos investimentos do PAC Saneamento Yuri Rafael Della Giustina Chefe de Gabinete / Especialista Sênior em Infraestrutura Brasília, 30

Leia mais

Câmara dos Deputados Comissão de Desenvolvimento Urbano

Câmara dos Deputados Comissão de Desenvolvimento Urbano REQUERIMENTO N O., DE 2015 (Dos Srs. João Paulo Papa e Julio Lopes) Requer o envio de Indicação ao Ministério da Saúde sugerindo que seja dada prioridade ao Programa Nacional de Saneamento Rural, da Fundação

Leia mais

ESTADO DO PARÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE PIÇARRA

ESTADO DO PARÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE PIÇARRA LEI MUNICIPAL N.183/2013. Institui o Plano Manicipal de Saneamento Básico do Município de Piçarra, instrumento da Política Municipal de Saneamento Básico e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

Lei 8.080/90 Lei Orgânica da Saúde

Lei 8.080/90 Lei Orgânica da Saúde Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. CONCEITO AMPLIADO DE SAÚDE 1 CONCEITO

Leia mais

Campinas, 10 de dezembro de twitter.com/funasa

Campinas, 10 de dezembro de twitter.com/funasa Campinas, 10 de dezembro de 2015 FUNASA Missão Institucional Missão Promover a saúde pública e a inclusão social por meio de ações de saneamento e saúde ambiental. Visão de Futuro Até 2030, a Funasa, integrante

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS, LEGISLAÇÃO, PLANSAB, REGULAÇÃO: a visão das agências

POLÍTICAS PÚBLICAS, LEGISLAÇÃO, PLANSAB, REGULAÇÃO: a visão das agências POLÍTICAS PÚBLICAS, LEGISLAÇÃO, PLANSAB, REGULAÇÃO: a visão das agências Eng. Vinícius Fuzeira de Sá e Benevides Presidente da ABAR. Presidente da ADASA-DF. FGV/IBRE 29/05/2014 Estrutura da abordagem 1.

Leia mais

ENTRAVES AO INVESTIMENTO EM SANEAMENTO SUMÁRIO EXECUTIVO

ENTRAVES AO INVESTIMENTO EM SANEAMENTO SUMÁRIO EXECUTIVO ENTRAVES AO INVESTIMENTO EM SANEAMENTO SUMÁRIO EXECUTIVO ABES Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental Setembro de 2013 2 Introdução: A situação do saneamento básico no Brasil A situação

Leia mais

SANEAMENTO. O Desafio dos Nossos Tempos

SANEAMENTO. O Desafio dos Nossos Tempos SANEAMENTO O Desafio dos Nossos Tempos Política Estadual de Saneamento Básico PESB ABES A Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental, é uma organização não governamental de caráter nacional,

Leia mais

7º FORUM DE SANEAMENTO E MEIO AMBIENTE Penápolis olhando para o futuro. Penápolis - março de 2006

7º FORUM DE SANEAMENTO E MEIO AMBIENTE Penápolis olhando para o futuro. Penápolis - março de 2006 7º FORUM DE SANEAMENTO E MEIO AMBIENTE Penápolis olhando para o futuro Penápolis - março de 2006 DIREITO À CIDADE A cidade é o cenário para o pleno exercício da cidadania: A urbanização como conquista

Leia mais

FIESP Workshop de Saneamento Básico Melhoria da Qualidade e Sustentabilidade dos Projetos. Leonardo Moreira C. de Souza

FIESP Workshop de Saneamento Básico Melhoria da Qualidade e Sustentabilidade dos Projetos. Leonardo Moreira C. de Souza FIESP Workshop de Saneamento Básico Melhoria da Qualidade e Sustentabilidade dos Projetos Leonardo Moreira C. de Souza Universalização ao Acesso? PREMISSAS 17% Aproximadamente 17% da população brasileira

Leia mais

DELIBERAÇÃO CBHSF Nº 88, de 10 de dezembro de 2015

DELIBERAÇÃO CBHSF Nº 88, de 10 de dezembro de 2015 DELIBERAÇÃO CBHSF Nº 88, de 10 de dezembro de 2015 Aprova o Plano de Aplicação Plurianual - PAP dos recursos da cobrança pelo uso de recursos hídricos na bacia hidrográfica do rio São Francisco, referente

Leia mais

Presencial. Praça Sebastião Alves Santana, 57, Urandi-BA, Centro - Urandi - Bahia

Presencial. Praça Sebastião Alves Santana, 57, Urandi-BA, Centro - Urandi - Bahia PODER EXECUTIVO BAHIA Presencial Telefone Horário Praça Sebastião Alves Santana, 57, Urandi-BA, Centro - Urandi - Bahia (77) 3456-2471 Segunda a sexta-feira, das 08:00 às 13:00 horas. 2 LEIS RESUMO LEI

Leia mais

PANORAMA BAIANO DAS ENTIDADES ATUANTES NO ABASTECIMENTO DE ÁGUA NO MEIO RURAL

PANORAMA BAIANO DAS ENTIDADES ATUANTES NO ABASTECIMENTO DE ÁGUA NO MEIO RURAL PANORAMA BAIANO DAS ENTIDADES ATUANTES NO ABASTECIMENTO DE ÁGUA NO MEIO RURAL Maria Valéria G. de Q. Ferreira Renavan Andrade Sobrinho Anésio Miranda Fernandes Neli Bonfim Cerqueira Jefferson Cerqueira

Leia mais

Painel: O Saneamento que Queremos

Painel: O Saneamento que Queremos Painel: O Saneamento que Queremos 7 o Encontro Nacional Das Águas Casa Civil da Presidência da República 07 de agosto de 2018 SANEAMENTO BÁSICO NO BRASIL - DIAGNÓSTICO Mais de 35 milhões de pessoas ainda

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE BACABEIRA-MA - Plano de Trabalho - PLANO DE TRABALHO. Bacabeira-MA

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE BACABEIRA-MA - Plano de Trabalho - PLANO DE TRABALHO. Bacabeira-MA PLANO DE TRABALHO Bacabeira-MA 2015 1. INTRODUÇÃO O presente Plano de Trabalho refere-se ao contrato firmado entre a Prefeitura Municipal de Bacabeira e a empresa de consultoria especializada de razão

Leia mais

A PNSB e o Saneamento Rural

A PNSB e o Saneamento Rural A PNSB e o Saneamento Rural Antônio Tadeu Ribeiro de Oliveira Gerente de Estudos e Pesquisas Sociais VI Seminário Nacional de Saneamento Rural João Pessoa, 07.11.2012 A PNSB Pesquisa Nacional de Saneamento

Leia mais

1ª Conferência Pública

1ª Conferência Pública REVISÃO DO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE MIRACATU / SP 1ª Conferência Pública 09/03/2016 14h00 Câmara Municipal de Vereadores Política Nacional de Saneamento Básico Lei nº 11.445 /2007 ÁGUA ESGOTO

Leia mais

LEI nº 587 de 30 de julho de 2018

LEI nº 587 de 30 de julho de 2018 LEI nº 587 de 30 de julho de 2018 Institui o Plano Municipal de Saneamento Básico no Município de Uruçuca e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE URUÇUCA, ESTADO DA BAHIA, faço saber que a Câmara

Leia mais

Diretoria Executiva de Saneamento e Infraestrutura

Diretoria Executiva de Saneamento e Infraestrutura Diretoria Executiva de Saneamento e Infraestrutura 1 Visão Geral do Setor Visão Geral Setor Saneamento Grandes Números Brasil Abastecimento de Água Representação espacial do índice médio de atendimento

Leia mais

2a. Conferência Latinoamericana de Saneamento Latinosan Painel 4: Gestão Integrada de Águas Urbanas

2a. Conferência Latinoamericana de Saneamento Latinosan Painel 4: Gestão Integrada de Águas Urbanas Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano 2a. Conferência Latinoamericana de Saneamento Latinosan 2010 Painel 4: Gestão Integrada de Águas Urbanas 16/março/2010 Foz

Leia mais

Lei n , de 12 de janeiro de 2015.

Lei n , de 12 de janeiro de 2015. Lei n 13.089, de 12 de janeiro de 2015. Institui o Estatuto da Metrópole, altera a Lei no 10.257, de 10 de julho de 2001, e dá outras providências. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL: ATUAÇÃO DA FUNASA E PERSPECTIVAS

PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL: ATUAÇÃO DA FUNASA E PERSPECTIVAS PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL: ATUAÇÃO DA FUNASA E PERSPECTIVAS Juliana Zancul e Dayany Salati Departamento de Engenharia de Saúde Pública (DENSP) 11 de Novembro de 2014 Política Federal de Saneamento

Leia mais

MINUTA DE PROJETO DE LEI/DECRETO

MINUTA DE PROJETO DE LEI/DECRETO MUNICÍPIO DE GRAVATAL ESTADO DE SANTA CATARINA PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO MINUTA DE PROJETO DE LEI/DECRETO 1 MUNICÍPIO DE GRAVATAL ESTADO DE SANTA CATARINA MENSAGEM Nº XX/2014 de Gravatal. Ilustríssimo

Leia mais

Gerência de Executiva de Governo de Porto Alegre GIGOV/PO

Gerência de Executiva de Governo de Porto Alegre GIGOV/PO Gerência de Executiva de Governo de Porto Alegre GIGOV/PO Investimentos em Saneamento: cenário econômico-político atual DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA Carta consulta Quadro de Composição de Investimento (QCI) Justificativa

Leia mais