3º CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL EDITAL DE LICITAÇÃO N.º 003/02-00 SEGMENTO SANTA CATARINA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "3º CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL EDITAL DE LICITAÇÃO N.º 003/02-00 SEGMENTO SANTA CATARINA"

Transcrição

1 MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES DIRETORIA DE PLANEJAMENTO E PESQUISA 3º CADERNO DE PERGUNTAS E S CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL EDITAL DE LICITAÇÃO N.º 003/02-00 SEGMENTO SANTA CATARINA 1) CONSULTA Montagem dos componentes do maciço - Consta na planilha a unidade em (m³), porém na EC-OC-04, folha 466, Vol. 1 - Tomo II, cita que este serviço será medido em (m²), e o volume armado será pago na terraplenagem. Como Proceder? Montagem dos componentes do maciço é em m². 2) CONSULTA B) Na planilha tem o item Soleira de arremate de topo de parâmetro em concreto simples (fkc 15 Mpa) inc. formas de madeira. Favor informar onde se encontra o projeto da soleira de topo. No Volume Tomo II - Desenhos OC-07 a OC-42 identifica a soleira de concreto simples. 3)CONSULTA C) Na seção tipo de terra armada de greide - folha DES-OS-07 - Volume Tomo II, apresenta uma soleira de fundação e guarda-roda no topo do muro, com detalhe de projeto. Estes elementos não constam na planilha. Informar se os elementos serão executados. Caso positivo como será pago? A soleira simples deverá ser incluída na composição da montagem dos componentes do maciço e o guarda rodas foi deslocado para a licitação de barreiras de segurança, que faz parte de lote específico. 4) CONSULTA Lote 30/SC - Na planilha de Quantidades - folha 47 - Volume 1.A, Projeto Ambiental, consta os seguintes itens: Módulos: PT ,0 un PT ,0 un PT ,0 un PT ,0 un

2 Favor esclarecer o que seriam estes itens. Poderão ser obtidos do Volume 3.D componente Ambiental do lote Projeto tipo 02 : Cabeceiras de Obras de Arte (pontes) - Projeto tipo 08 : Acessos - Projeto tipo 09 : Defesa Natural em Retas - Projeto tipo 12 : Mata Ciliar. 5) CONSULTA Lote 24 - No item 7.2 da Planilha Folha 306 Programa Ambiental de Paisagismo (EIA- RIMA), são apresentados diversos serviços Projeto tipo X, com a unidade conj. No volume 2.1 Tomo II Folha 184 Desenho PA-08, são apresentados os Projetos tipo X, com a quantidade de árvores a serem plantas. Entendemos que o serviço é somente o plantio de árvores conforme especificação EC-RA-01, e que a unidade conj se refere à quantidade total indicada. Nosso entendimento está correto? Caso negativo favor esclarecer. O serviço refere-se ao fornecimento e plantio de árvores e arbustos, segundo a forma constante do desenho Fl. PA-01 do Vol Tomo II e de acordo com as quantidades por conjuntos registradas nas planilhas Custos Unitários do Vol. 4. Os locais para implantação dos Projetos-Tipo estão discriminados no Vol. 3D Componente Ambiental, páginas 113 a 121. A unidade Conj. do quadro de quantidades, item 7.2 Programa Ambiental de Paisagismo ( EIA / RIMA ) do Vol. 1 compreende a totalidade dos serviços de cada Projeto-Tipo. 6) CONSULTA Informar onde se encontra o projeto do estacionamento específico para veículos com cargas perigosas item 7.3 da Planilha Folha 306 Os Estudos Ambientais desenvolvidos estabelecem as características técnicas para o estacionamento específico para veículos com cargas perigosas. As empresas licitantes deverão levar em conta em seus orçamentos os custos para a elaboração do projeto em questão, cujas características deverão atender ao prescrito na pág. 122 do Vol. 3D Componente Ambiental. 7) CONSULTA Folha 86 Código consta em duplicidade, como proceder? Folha 86 - há duplicidade, eliminar uma delas - ver planilha revisada disponibilizada com a 2ª ERRATA.

3 8) CONSULTA Folha 103 item Obras Complementares e Contenções no serviço Muros de terra armada. a) Muros de greide 0,00 e 6,00m m 2 não tem quantidade 6,01 e 9,00m m 2 não tem quantidade b) Muros de pé de talude 6,01 e 9,00m m 2 não tem quantidade Como proceder? Folha 103 (Interseção de Garopaba - desenho OC-07) - item: Muros em Terra Armada - a quantidade de 254,00 m 2, informada no item 2 para muro de pé de talude com altura entre 0,00 a 6,00 m corresponde, na verdade, ao item 1, no mesmo intervalo de altura, sendo portanto muro do tipo greide. O item 2 deverá ser eliminado - ver planilha revisada disponibilizada com a 2ª ERRATA. 9) CONSULTA Folha 121 item 3.2.5, obras complementares e contenções, no serviço Muros em terra armada. a) Muros de greide 0,00 e 6,00m m 2 não tem quantidade 6,01 e 9,00m m 2 não tem quantidade b) Muros de encontro 0,00 e 6,00m m 2 não tem quantidade 6,01 e 9,00m m 2 não tem quantidade Como proceder? Folha 121 (Interseção de Imbituba Norte - desenho OC-19) - item: Muros em Terra Armada - os itens 1 e 3 deverão ser eliminados, passando o item 2 para 1 - ver planilha revisada disponibilizada com a 2ª ERRATA. 10) CONSULTA Folha 138 item 3.3.5, obras complementares e contenções, no serviço Muros em terra armada. a) Muros de greide 0,00 e 6,00m m 2 não tem quantidade 6,01 e 9,00m m 2 não tem quantidade b) Muros de pé de talude 6,01 e 9,00m m 2 não tem quantidade c) Muros de encontro 0,00 e 6,00m m 2 não tem quantidade 6,01 e 9,00m m 2 não tem quantidade Como proceder? Folhas 138 e 139 (Interseção de Imbituba Sul - desenho OC-27) - item: Muros em Terra Armada - no item 1 para muro de greide com altura de 0,00 a 6,00 m tem quantidade, porém está errada. As quantidades foram trocadas com as informadas na Passagem Inferior Est (folhas 186 e 187). O item 3 deverá ser eliminado - ver planilhas revisadas disponibilizadas com a 2ª ERRATA.

4 11) CONSULTA Folha 150 item 4.1.1, obras comple mentares e contenções, no serviço Muros em terra armada. Muros de pé de talude 0,00 e 6,00m m 2 não tem quantidade 6,01 e 9,00m m 2 não tem quantidade Como proceder? Folha 150 (Passagem Inferior Est desenho OC-13) - item: Muros em Terra Armada - o item 2 deverá ser eliminado - ver planilha revisada disponibilizada com a 2ª ERRATA. 12) CONSULTA Folha 162 item 4.2.1, obras complementares e contenções, no serviço Muros em terra armada. a) Muros de pé de talude 6,01 e 9,00m m 2 não tem quantidade b) Muros de encontro 0,00 e 6,00m m 2 não tem quantidade 6,01 e 9,00m m 2 não tem quantidade Como proceder? Folha 162 (Passagem Inferior est desenho OC-16) - item: Muros em Terra Armada - os itens 2 e 3 deverão ser desconsiderados. A quantidade de 1.084,50 m2, informada no item 2 para muro de pé de talude com altura entre 0,00 a 6,00 está em duplicidade com a quantidade informada na PI-1649 (folha 174), devendo ser desconsiderada - ver planilha revisada disponibilizada com a 2ª ERRATA. 13) CONSULTA Folha 174 item 4.3.1, obras complementares e contenções, no serviço Muros em terra armada. a) Muros de greide 0,00 e 6,00m m 2 não tem quantidade 6,01 e 9,00m m 2 não tem quantidade b) Muros de pé de talude 6,01 e 9,00m m 2 não tem quantidade Como proceder? Folha 174 (Passagem Inferior Est desenho OC-22) - item: Muros em Terra Armada - o item 1 deverá ser eliminado. O item 2, muros com altura entre 6,01 e 9,00 m, deverá ser eliminado, passando para item 1 - ver planilha revisada disponibilizada com a 2ª ERRATA. Folha 186 e 187 (Passagem Inferior est desenho OC-31) - conforme dito anteriormente, as quantidades foram trocadas com as informadas na Interseção de Imbituba Sul (folhas 138 e 139) - ver planilhas revisadas disponibilizadas com a 2ª ERRATA. As quantidades informadas nas folhas referem-se apenas ao tipo de muro projetado. Os itens foram renumerados. Estes valores podem ser confirmados nos respectivos desenhos inseridos no Volume Projeto de Execução - Tomo II, acima mencionados. As planilhas corrigidas foram disponibilizadas junto com a 2ª ERRATA

5 14) CONSULTA Lote 35/SC - Favor confirmar a unidades dos códigos fornecimento, preparo e colocação de Aço CA-50 (OAE), Confecção e colocação de cabo 06 varas de 12,7 mm, Confecção e colocação de cabo 12 varas de 12,7 mm. A unidade correta dos serviços Fornec. preparo colocação Aço CA - 50 (OAE), confecção e colocação de cabo 06 varas de 12,7mm e Confecção e colocação de cabo 12 varas de 12,7mm é kg e deve ser corrigido onde, equivocadamente, foi grafado m². 15) CONSULTA Nos Serviços Preliminares para Iluminação, ponte sobre o rio esperança, Quadro de Quantidades, página 16, volume 2, constam 4 itens com quantidades, mas, sem discriminação dos itens e no Quadro de Quantidades do volume 1, página 45, não constam os mesmos itens. qual planilha deverá ser adotada? Se for a planilha 2, favor discriminar os itens. Os 4 itens sem discriminação que aparecem no volume 2 devem ser desconsiderados. Continuam valendo os 5 primeiros, iguais nos volumes 1 e 2. 16) CONSULTA Na ponte sobre o Rio Urussanga Reforço e Alargamento no item Sinalização de Obra, os serviços especificados no Quadro de Quantidades do volume 1, página 59, é diferente dos serviços especificados no Quadro de Quantidades do volume 2, página 30. Qual das planilhas deverá ser adotada? A planilha a ser considerada no item Sinalização de Obra do Reforço e Alargamento da Ponte sobre o Rio Urussanga é a do volume 2. os serviços de ESCORAMENTO INVERTIDO foram equivocadamente grafados neste item do volume 1. 17) CONSULTA Favor especificar a profundidade dos furos em concreto com diâmetro de 2,5 cm ( ), 4 cm ( ) e 8 cm ( ). : A profundidade dos furos em concreto com diâmetro 2,5cm ( ), 4,0cm ( e 8,0cm é igual a espessura das transvessinas, pois esses furos se destinam à passagem das cordoalhas.

6 18) CONSULTA Lote 24/SC - Sendo as indicações contidas no Volume 1.A, as que prevalecem sobre as indicações dos demais volumes dos projetos, alterando-as ou complementando-as é correto o entendimento que os quadros de quantidades apresentados nestes volumes substituem e anulam integralmente aqueles apresentados nos Volumes 1? Correto. 19) CONSULTA No Quadro de Quantidades constante do Volume 1.A do Lote 24/SC, o serviço de código DMT entre 400 e 600m do item Remoção de Solo Compressível, sub - item Escavação, carga, transporte de material de 1ª categoria, nas caixas de empréstimo, vem seqüencialmente repetido na linha inferior, inclusive com a mesma especificação e mesmo quantitativo, caracterizando uma duplicidade, é correto o entendimento que a proponente deverá ofertar os preços unitários paras os dois itens, considerando-os independentes e distintos? Em caso negativo, qual o procedimento a adotar? Deverá ser cotado somente um item com m³. 20) CONSULTA No Quadro de Quantidade constante do Volume 1.A do Lote 24/SC, os serviços referentes a Superestruturas das Passarelas a serem construídas, indicam em sua maioria a utilização de cabo de 12 varas de 12,7 mm, porém os serviços listados abaixo, diferem no diâmetro destas varas: Passarela EST INJEÇÃO DE CABO DE 12 VARAS DE 15,2 mm Passarela EST CONFECÇÃO E COLOCAÇÃO DE CABO 12 VARAS DE 17,2 mm INJEÇÃO DE CABO DE 12 VARAS DE 15,2 mm Passarela EST 1136 INJEÇÃO DE CABO DE 12 VARAS DE 15,2 mm Passarela EST INJEÇÃO DE CABO DE 12 VARAS DE 15,2 mm Passarela EST INJEÇÃO DE CABO DE 12 VARAS DE 15,2 mm Passarela EST 2188 INJEÇÃO DE CABO DE 12 VARAS DE 15,2 mm Passarela EST

7 INJEÇÃO DE CABO DE 12 VARAS DE 15,2 mm É correto o entendimento que a proponente deverá ofertar os preços unitários para estes serviços, considerando que os diâmetros são diferenciados dos outros serviços correlatos na execução das Superestruturas das Passarelas? Em caso negativo, qual o procedimento a adotar? Não, a protensão e a injeção deverão ser para cabos de 12 varas de 12,7mm. 21) CONSULTA Lote 27/SC - No Quadro de Quantidades constante do Volume 1.A do Lote 27/SC, os serviços abaixo listados, pertencentes ao item 4 - Obras de Arte Especiais, vêm seqüencialmente repetidos na linha inferior, inclusive com a mesma especificação e mesmo quantitativo, caracterizando uma duplicidade: a) CONC. ESTRUT. FCK =20 MPA-CONTR.RAZ. C/ ADITIVO (O.A.E); b) FORMA DE PLACA COMPENSADA RESINADA (O.A.E); c) CONFECÇÃO E COLOCAÇÃO DE CABO 12 VARAS DE 12,7 mm; d) PROTENSÃO E INJEÇÃO DE CABO 12 VARAS DE 12,7 mm. É correto o entendimento que a proponente deverá ofertar os preços unitários para os dois itens, considerando-os independentes e distintos? Em caso negativo, qual procedimento a adotar? A proponente deverá ofertar os preços unitários somente para um item, desconsiderando a repetição. 22) CONSULTA Lote 30/SC - No Quadro de Quantidades constante do Volume 1.A do Lote 30/SC, o serviço de código COMPACTAÇÃO DE ATERRO A 100 P/C PROCTOR NORMAL do item - Projeto de Terraplenagem, nas obras de Passagem inferior, dos Acessos a Vila Glorinha, Santa Rosa do Sul, Vila Bela Vista e Vila Conceição e também das interseções com a SC (A) e com a S/C 450 (B), vêm seqüencialmente repetido na linha inferior, caracterizando um duplicid ade apenas de discriminação do serviço. É correto o entendimento que a proponente deverá ofertar os preços unitários para os dois itens, considerando-os independentes e distintos? Em caso negativo, qual o procedimento a adotar? Deverá ser cotado preço para somente um item, pois esta caracteriza a duplicidade de serviço.

8 23) CONSULTA No Quadro de Quantidades constante do Volume 1.A do Lote 30/SC, no item - Terra Armada, o serviço de código FORNECIMENTO, PREPARO E COLOCAÇÃO NAS FORMAS DE AÇO CA-50, está expresso em m³ (metros cúbicos) e com quantidade de 344, é correto o e ntendimento que este serviço deve ter seu preço ofertado na quantidade de 344 m³ de Escamas de concreto fck = 21 Mpa, inclusive aço CA-50 até 50 Kg/m³? Em caso negativo, qual o procedimento a adotar? Sim está correto o entendimento. 24) CONSULTA 1. Lote 28/SC - Concorrência DNIT / DF CI 003/02, Lote 28/SC, Trecho: Divisa PR/SC Divisa SC / RS, Subtrecho: Tijucas / SC (Rio Inferninho) Divisa SC/RS (Rio Mampituba) Segmento: km a km O Quadro de Quantidades deste lote indica no item Obras-de-Arte Especiais as seguintes obras: 1a) Orçamento no 20 Passagem Inferior 6,50m x 4,50m (km 0+500) Comprimento: 31,20m; 1b) Intersecção no 1 (km a km / km a km ); 1c) Intersecção no 2 (km a km / km a km ); 1d) Intersecção no 3 (km a km / km a km ); 1e) Intersecção no 4 (km a / km a km ); 1f) Intersecção no 5 (km a km / km a km ) e Passarelas; Porém, O Volume 2.2 (Caderno do Projeto) deste lote indica as seguintes Obras-de-Arte Especiais: 1g) Viaduto (PSU) km = ; 1h) Viaduto (PSI) km = ; 1i) Viaduto (PSI) km = ; 1j) Viaduto (PSI) km = ; 1k) Viaduto (PSI) km = ; Observamos que os descritivos e as localizações identificadas no Quadro de Quantidades e os descritivos e as localizações do Volume 2.2 (caderno de Projetos) não são as mesmas. Entendermos que os projetos apresentados no volume 2.2 não se referem as obras de arte relacionadas nas planilhas, está correto nosso entendimento? Caso positivo, solicitamos que nos sejam fornecidos os projetos corretos, para que possamos executar esta proposta. Caso negativo favor estabelecer a relação entre os projetos e as planilhas.

9 As descrições e quantidades constantes no Quadro de Quantidades do Edital correspondem aos projetos de Obras de Arte Especiais apresentados no vol. 2.2 Projeto de Execução de OAE Lote 28. A diferença é unicamente que a indicação de localização do Quadro de Quantidades refere-se à interseção onde a obra está inserida, e a quilometragem do volume de projeto é a da obra propriamente dita. Para melhor compreensão, a seguir relacionamos a correspondência das localizações das obras do Quadro de Quantidades com as do Projeto de Execução (vol. 2.2): Quadro de Quantidades Vol. 2.2 Projeto de Execução OAE Orçamento n.º 20 Passagem Inferior 6,50m O projeto desta obra, realmente não constou X 4,50m (km 0+500) Comprimento: 31,20m do Volume 2.2, e está disponível na 16ª UNIT Interseção n.º 1 (km a km 4+500/km a km ) Interseção n.º 2 (km a km 5+867/km a km ) Interseção n.º 3 (km a km 9+317/km a km ) Interseção n.º 4 (km a km /km a km ) Interseção n.º 5 (km a km /km a km ) Viaduto (PSU) km = Viaduto (PSI) km = Viaduto (PSI) km = Viaduto (PSI) km = Viaduto (PSI) km = ) CONSULTA Lote 27/SC - Concorrência DNIT/DF - CI 003/02 lote 27/sc, (Trecho: Divisa PR/SC Divisa SC/RS, Subtrecho: Tijucas-Divisa SC/RS) segmento km 216,5+245,0. A planilha deste lote indica as iluminações das pontes: Item Iluminação da Ponte sobre o Rio Sangão un 1; Item Iluminação da Ponte sobre o Rio Urussanga un 1; Item Iluminação da Ponte sobre o Rio dos Porco s un 1; Porém, Os projetos não demonstram estas instalações, mas sim somente da interseções. Como devemos proceder para executarmos a nossa proposta, pois estes itens estão nas planilhas em un e são a somatória de diversos subitens, isto é, posteamento, cabeamento, etc, que serão quantificados através de projetos formando assim um preço unitário? Os projetos estão disponíveis na 16ª UNIT.

10 26) CONSULTA Lote 27/SC - Item obras de arte especiais há uma duplicidade de itens, inclusive códigos, descrição e quantidades, são eles: Página 7 da planilha Código Discriminação Concreto Estrut. FCK=20 MPA-COntr. Raz. C/ aditivo (OAE) m³ Concreto Estrut. FCK=20 MPA-COntr. Raz. C/ aditivo (OAE) m³ Forma de Placa Compensada Resinada (O.A.E) m Forma de Placa Compensada Resinada (O.A.E) m Página 8 da planilha Código Discriminação Confecção e colocação de cabo 12 varas de 12,7 mmm Kg Confecção e colocação de cabo 12 varas de 12,7 mmm Kg Protenção e injeção de cabo 12 varas de 12,7 mmm- um Protenção e injeção de cabo 12 varas de 12,7 mmm um Estamos entendendo que deverá haver uma alteração da planilha por parte do DNIT, eliminando os itens repetitivos. Favor confirmar se nosso entendimento está correto. Os itens estão realmente duplicados e as repetições devem ser eliminadas. Veja a mudança de unidade do código para m 2. 27) CONSULTA Lote 23 Nos itens de Estabilização de Talude não existe discriminação dos serviços de fornecimento e colocação de tela metálica e grampos de aço. Estamos entendendo que estes serviços devem ser incluídos no item concreto projetado espessura 8cm e 10cm. Solicitamos esclarecer se o entendimento está correto. O serviço de fornecimento e colocação de tela metálica só existe previsto no túnel. Quando realizado, será pago em separado, por item próprio, previsto e relacionado no Quadro de Quantidades. 28) CONSULTA Lote 23 A unidade do item Barreira de Siltagem para proteção ambiental na planilha consta m 2 e na EC-MA-01 diz que será paga por metro linear. Solicitamos esclarecer qual a unidade está correto.

11 A unidade correta é metro linear, conforme previsto na especificação EC-MA ) CONSULTA Lote 27 Solicitamos a gentileza de fornecer as especificações técnicas do DNER-ES 340/97 Relativo a Sinalização de Obras Barreiras Classe I, II e III, mencionados na planilha do Quadro de Quantidades do Lote. A especificação solicitada DNER-ES-340/97, segue em anexo. 30) CONSULTA De acordo com o preconizado no item 15.3 dos referidos editais, solicito-lhe os seguintes esclarecimentos: Em alguns lotes da Licitação, consta na planilha a disciplina de Recuperação do Passivo Ambiental, entretanto, em outros lotes esta disciplina não existe. Entendemos que nos lotes onde não existia esta disciplina os serviços que se fizerem necessários para recuperação do passivo ambiental gerado, serão objeto de medição e pagamento utilizando-se os preços propostos e aplicáveis, neste caso, existentes nas disciplinas de Terraplenagem, OAC e Obras Complementares. Nosso entendimento é correto? Os lotes que não apresentaram o item Serviço de Recuperação do Passivo Ambiental tiveram esse serviço incorporado aos Programas: de Controle de Processos Erosivos, de Recuperação de Áreas Degradadas e de Melhoria de Travessias Urbanas. Essa situação abrange os passivos que, por sua natureza e/ou localização, têm seus respectivos tratamentos vinculados diretamente à execução das obras. 31) CONSULTA De acordo com o ANEXO VI COMPONENTE AMBIEN TAL em seu ITEM 1 APRESENTAÇÃO o.pba -Projeto Básico Ambiental de todos os lotes das concorrências nº 003/02-00 e 004/02-00, que deverá ser observado na elaboração das propostas comerciais e todos os lotes, está a disposição dos licitantes na Internet, em endereço não identificado.no entanto, navegando-se no site do DNIT, não foi possível encontrar-se tal documentação.em virtude das muitas atividades de devem estar sendo mencionadas nestes programas e cuja responsabilidade pela implementação está sendo atribuída às empreiteiras, solicitamos que tanto a documentação completa dos PAB s, quanto cópias das Licenças Provisória (LP) e de Instalação (LI) sejam disponibilizadas para licitantes. O PBA das Obras de Duplicação da BR-101, trecho Florianópolis/SC Osório/RS, está disponível nos seguintes sites : e Também poderão ser adquiridos em CD no DNIT. A proponente deverá considerar em sua proposta o item 3 Programas Ambientais e Participação das Empreiteiras, no Anexo IV Componente Ambiental.

12 No que refere aos Programas Básicos Ambientais (PBA) integrantes do Plano de Controle Ambiental das Obras (PCA), listados a seguir, as ações a serem desenvolvidas constam como soluções definidas no Projeto de Engenharia e, assim, serão executadas pelos construtoras das obras. Quanto ao Controle / Monitoramento das obras respectivas, apresentados nos Programas Ambientais, será efetivado pela fiscalização do DNIT com apoio de empresas de consultoria encarregadas da supervisão das obras e da supervisão / gerenciamento Ambiental: - Programa de Controle de Processos Erosivos; - Programa de Recuperação de Áreas Degradadas; - Programa de Paisagismo; - Programa de Recuperação de Passivos Ambientais; - Programa de Melhoria das Travessias Urbanas; - Programa de Redução do Desconforto e Acidentes na Fase de Obras; - Programa de Controle de Material Particulado, Gases e Ruídos; - Programa de Segurança e Saúde da Mão-de-Obra; - Programa de Proteção à Fauna e à Flora; - Programa de Transportes de Produtos Perigosos. Cabe salientar que o Programa de Proteção à Fauna e à Flora, o Programa de Transporte de Produtos Perigosos e o Programa de Segurança e Saúde da Mão-de-Obra contemplam também ações de responsabilidade do DNIT, mediante à contratação de outras empresas de consultoria, conforme discriminado a seguir: - Programa de Proteção à Fauna e à Flora Subprograma de Proteção à Fauna * Implantação de estruturas física de engenharia custos já previstos no Orçamento Geral das Obras * Monitoramento contratação pelo DNIT de empresa de consultoria * Educação da Mão-de-Obra Empresa de Supervisão e Gerenciamento Ambiental Subprograma de Proteção à Flora * Os custos com os serviços de supressão / remoção de vegetação, inclusive os casos de transplante de árvores nativas, bem como os custos de revegetação em áreas degradadas e passivos ambientais, estão previstos no Orçamento Geral das Obras. * A atividade de revegetação em APP será contratada pelo DNIT - Programa de Transporte de Produtos Perigosos * Caberá às Construtoras apenas a execução das obras físicas, cujos custos estão previstos no Orçamento Geral das Obras. As ações institucionais são de responsabilidade do DNIT - Programa de Segurança e Saúde da Mão-de-Obra * Caberá às Construtoras a implementação dos serviços de segurança e medicina do trabalho obrigatórios conforme legislação vigente e indicados neste Programa. Os subprogramas de Educação em Saúde, Identificação e Manejo de Ende mias e Monitoramento estão a cargo do DNIT. Na licença de Instalação emitida pelo IBAMA, as exigências que estão especificadas como de obrigação das Construtoras são:

13 Obtenção das Licenças Ambientais específicas, junto aos Núcleos de Licenciamento das Gerências Executivas do IBAMA no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, das áreas fonte de materiais de construção e de apoio às obras canteiros de obras, jazidas, pedreiras, usinas de asfalto / solo / concreto, caminhos de acessos e serviços, bota-foras, dentre outras, localizadas dentro e fora da faixa de domínio. Não utilização, nos processos de revegetação, as espécies de nome popular barba-debode (Aristida pallens) Elaboração de Programas de Destinação Final de Resíduos Sólidos e Industriais provenientes das atividades das obras Encaminhamento ao DNIT, para análise do IBAMA, anteriormente ao início das obras, o plano de execução das obras de cada lote de construção. Cada Programa Ambiental integrante do PBA apresenta um item de Orçamento e Fonte de Recursos. Destaca-se que a Proponente deverá considerar no seu BDI: os serviços de segurança e medicina do trabalho previstos no Programa de Segurança e Saúde da Mão-de- Obra; o treinamento de pessoal previsto no Programa de Redução do Desconforto e de Acidentes na Fase de Obras; e todo o Programa de Controle de Material Particulado, Gases e Ruídos. Os outros itens de serviços ambientais a cargo das Construtoras estão previstos no Orçamento Geral da Obra. 32) CONSULTA O anexo IV Disposições Complementares - item Pecos Globalizados para Terraplenagem define que para escavação, carga e transporte de material de 1ª e 2ª categorias, em todos os serviços bem como a remoção de argila mole,adotar-se-á preço único.bem como, para escavação, carga e transporte de 3ª categoria,adotar-se-á outro preço único.no entanto, alguns lotes apresentam diversos preços unitários para estes serviços em distâncias de transporte diferentes.solicitamos esclarecimento de como proceder. O DNIT irá disponibilizar, em breve, novas planilhas de quantidades de terraplenagem já globalizada, bem como, com as quantidades de materiais betuminosos e escavação, carga e transporte de argila mole, em separado. 33) CONSULTA Entendemos que os itens de sinalização Horizontal Definitiva, Sinalização Vertical Definitiva e Barreiras Rígidas, de todos os lotes, serão contratados por intermédio de outro Edital de Obras, por isso na Planilha de Preços Unitários não deverão ser apresentados nem os quantitativos e nem os preços unitários para estes itens.está correto nosso entendimento? Está correto o entendimento da empresa.entretanto, deve se observar, que nos volumes denominados de 1-A e 1.1-A, anexos, dos Volumes 1, não possuem os serviços de sinalização definitiva nem barreira rígida.

14 34) CONSULTA O quadro de quantidades do lote 27 SC apresenta quatro itens com descrição e quantitativos em duplicidade, sejam eles: Conc. Estrut. Fck=20MPa contr raz c/ aditivo (OAE) 581,00m³ Forma de Placa compensada Resinada (OAE) ,00m² Confec. e Coloc. De cabo 12 varas de 12,7 mm ,00Kg Proten. Inje DE Cabo de 12 varas de 12,7mm 1.992,99 Kg Como devemos proceder? Será estabelecido um procedimento geral para todos os licitantes, por intermédio de novas planilhas corrigidas que serão disponibilizadas, em breve. 35) CONSULTA Solicitamos disponibilizar os projetos de Iluminação das pontes do lote 27, para que possamos efetuar o orçamento deste serviço. Os projetos de iluminação estão disponibilizados na 16ª UNIT (Florianópolis). 36) CONSULTA Tendo em visa o exposto nos itens 11 e dos supra citados Editais, que fazem referência à participação de Empresas em Consórcio, entendemos que não existe qualquer restrição quanto a escolha da Empresa LIDER, dentre as participantes de um referido Consórcio. É correto nosso entendimento? Por se tratar de licitação na modalidade de Concorrência Internacional, o edital não prevê regras para o caso. Sendo assim, não há restrições quanto a escolha da empresa líder. 37) CONSULTA Lote 01/RS - Solicitamos especificação para execução do serviço de remoção de pedra tosca, subitem do item 2.2 Pavimentação das ruas laterais e ciclovias. A especificação DNER-ES-296/97 informada na planilha de Quantidades trata-se de demolição de dispositivos de concreto. A especificação DNER-ES-296/97, não se aplica ao serviço de Remoção de Pedra Tosca e deve ser substituída pela Especificação EC-P-06 Remoção de Pedra Tosca. 1) Objetivo: A presente especificação complementar se aplica ao serviço de remoção da camada do pavimento existente nas ruas laterais, constituído por pedra irregular assentada sobre camada de areia, aqui denominada de Pedra Tosca, carregamento, transporte e depósito destes materiais em local apropriado.

15 2) Equipamento: O equipamento a ser utilizado na execução deste serviço deverá ser: - Trator de esteira de média potência; - Pá carregadora; - Motoniveladora pesada; - Ferramentas manuais. A critério da fiscalização, poderão ser utilizados outros equipamentos julgados necessários. 3) Execução: A Remoção de Pedra Tosca será feita com utilização de motonizadora pesada e trator de esteiras de porte médio. 4) Medição: A Remoção de Pedra Tosca será medida em m 2, resultante do produto da largura pela extensão de remoção efetivamente executada, obtida por medição na obra. 38) CONSULTA Item Iluminação das Passarelas da Planilha de Quantidades. Todos os itens de serviços listados (págs. 304.a a 304.h do volume 1-A - Anexo ao volume 1) não apresentam as devidas unidades. Solicitamos efetuar as correções necessárias. Conforme as novas planilhas disponibilizadas junto com a 2ª Errata. 39) CONSULTA Solicitamos confirmar a especificação descrita nas Planilhas de Iluminação, para os itens de serviço cabo de alumínio nú, seção de 25mm², utilizados para sistema de aterramento. Constatamos que nos projetos de iluminação fornecidos indica-se o uso de cabo de cobre nú seção de 16mm². Adotar o especificado na planilha. 40) CONSULTA Solicitamos detalhamento de projeto e especificação técnica para execução do serviço estacionamento específico para veículos com cargas perigosas, constante do item programa de transportes de produtos perigosos recomendados pelo EIA/RIMA. Adquirir o Projeto Básico Ambiental na UGP/BID/DNIT.

16 41) CONSULTA Quais as Distâncias Médias de Transportes (DMT) a serem consideradas nos diversos itens da planilha os orçamentos dos lotes (exemplo o Lote 03, onde os volumes de diversas distâncias foram reagrupadas)? Para determinação das Distâncias Médias de Transporte (DMT) a serem consideradas nos serviços globalizados de terraplenagem, o proponente deverá levar em consideração as planilhas distribuídas com os projetos onde os serviços estão distribuídos por faixas. 42) CONSULTA O Item do anexo IV Disposições Complementares, do Edital, estabelece que serão adotados preços globalizados para a terraplanagem.a este respeito, indagamos: a) Como nos Quadros de Quantidades dos diferentes lotes não estão assim agrupados os serviços de terraplenagem, perguntamos se tal agrupamento deverá ser efetuado pelo licitante, naqueles lotes em que se faça necessário. b) Deverá ser incluída a remoção de argila mole como material de 1ª e 2ª categorias ou este serviço deverá ser apresentado em item a parte para possibilitar a medição em separado como menciona a alínea a, do item 1.1.5? c) Entendemos que o Quadro de Quantidades do lote 28/SC já encontra-se adequado às disposições do item 1.1.5, alínea a, inclusive constando em separado o serviço de escavação, carga e transporte de solos moles.solicitamos confirmar nosso entendimento ou esclarecer a respeito. O DNIT disponibilizou junto com a 2ª Errata novas planilhas com os quantitativos de terraplenagem globalizados.nestas novas planilhas, a escavação, carga e transporte de argila mole, não será globalizada. 43) CONSULTA Ainda sobre o d ispositivo editalício mencionado no item anterior e, - considerando que o item a estabelece que a Planilha de Preços Unitários deve obedecer integral e fielmente as descrições textuais, quantidades,...dos Quadros de Quantidades... ; -considerando que os Quadros de Quantidades não contemplam este agrupamento; - considerando que, se ficar como encargo dos licitantes os agrupamentos dos diferentes lotes, isso poderá vir dificultar a equalização das propostas, Sugerimos que tal agrupamento seja feito pelo DNIT e disponibilizado em tempo hábil na Internet, para os licitantes, como é praxe em outros editais deste órgão.

17 Conforme a resposta anterior para a pergunta Nº 1, as novas planilhas globalizadas foram disponibilizadas, atenderão o item dos editais 0003/02-00 e 0004/ ) CONSULTA No Quadro de Quantidades do lote 30/SC, nas Passagens Inferiores, estamos entendendo que o último item se refira a Compactação de aterros a 100 p/c Proctor Intermediário e não Proctor normal como constou.solicitamos confirmar. Confirmamos que o último item a considerar é: Compactação de Aterro a 100% do Proctor Intemediário e não Proctor normal como indicado às págs. 24, 25 e 26 do Volume 1.A - Anexo ao Relatório do Projeto. 45) CONSULTA No Quadro de Quantidades do lote 30/SC, consta naqueles serviços que utilizam materiais betuminosos, uma taxa de Bonificação de 35,8%. Perguntamos se tal taxa deve ser observada ou estará a critério de cada licitante. A tal taxa não deverá ser considerada e nem está a critério do licitante. O DNIT, por intermédio de novas planilhas de quantidades, disponibilizadas junto com a 2ª Errata, equacionará esta dúvida.veja o item do anexo IV, dos editais. 46) CONSULTA No projeto do lote 30/SC solicitamos o detalhamento dos módulos PT-02, 08, 09 e 12 referentes ao Projeto Ambiental do Quadro de Quantidade.Como devemos considerar para a orçamentação destes itens? Os Projetos do módulos PT-02, 08, 09 e 12 constam do Volume 3.D - Componente Ambiental do lote 30/SC, e poderão ser obtidos junto a DEP. Referem-se, respectivamente, a módulos para CABECEIRAS DE OBRAS DE ARTE - (PONTES); ACESSOS; DEFENSA NATURAL EM RETAS, e, MATA CILIAR. 47) CONSULTA Ainda referente ao lote 30/SC solicitamos o detalhamento das passarelas no tocante a cobertura e fechamento lateral, metálicas, bem como a indicação do item em que deverão ser incluídos estes valores. A cobertura está detalhada conforme consta dos cortes C-C efetuados nos projetos das várias passarelas, apresentados no Volume Projeto de Execução de OAE do lote 30/SC. O fechamento lateral das passarelas deverá atender à orientação do item Passarelas -, presente à fl. 17 do Volume 1.A - Anexo ao Relatório do Projeto. Os custos desses serviços deverão ser incluídos na composição do custo das passarelas.

18 48) CONSULTA No Quadro de Quantidade do lote 04/RS consta o item desapropriação.estamos entendendo que este item não deverá ser cotado, devendo ser desconsiderado.está correto o nosso entendimento? Este item não deverá ser cotado. 49) CONSULTA Qual deve ser a Relação de Equipe Técnica Mínima para o Lote 1.2/RS, pois não está constando no Projeto de Engenharia fornecido aos participantes da Licitação? Relação da Equipe Técnica Mínima; 1 Engenheiro Superintendente; 1 Engenheiro de Produção; 1 Engenheiro de Obras-de-Arte Especiais; 2 Encarregado de Pavimentação; 1 Encarregado de Usina; 1 Encarregado de Oficina; 2 Encarregado de Terraplenagem; 1 Encarregado de Obras-de-Arte Correntes; 1 Chefe de Laboratório de Solos; 1 Chefe de Laboratório de Concreto; 1 Chefe de Laboratório de Asfalto; 1 Topógrafo Chefe. Brasília, 24 de outubro de Econ. Cid Ney Santos Martins Chefe da Assessoria de Cadastro e Licitação

4º CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL EDITAL 003/2002-00

4º CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL EDITAL 003/2002-00 PERGUNTA Nº 01: 4º CADERNO DE PERGUNTAS E S CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL EDITAL 003/2002-00 Para efeito de medição e pagamento do concreto projetado na calota e paredes do Túnel, solicitamos esclarecer:

Leia mais

Duplicação BR-101 Sul - Santa Catarina

Duplicação BR-101 Sul - Santa Catarina DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES Duplicação BR-101 Sul - Santa Catarina (Palhoça Passo de Torres/Divisa SC-RS) Relatório de andamento de obras Junho 2013 Fase 1 Obras contratadas

Leia mais

ELABORAÇÃO DE PROJETO EXECUTIVO DE ENGENHARIA DE DUPLICAÇÃO, RESTAURAÇÃO E MELHORAMENTOS DA RODOVIA BR-381/MG

ELABORAÇÃO DE PROJETO EXECUTIVO DE ENGENHARIA DE DUPLICAÇÃO, RESTAURAÇÃO E MELHORAMENTOS DA RODOVIA BR-381/MG DNIT - SREMG João Monlevade - 28/06/2012 ELABORAÇÃO DE PROJETO EXECUTIVO DE ENGENHARIA DE DUPLICAÇÃO, RESTAURAÇÃO E MELHORAMENTOS DA RODOVIA BR-381/MG RODOVIA: BR-381MG TRECHO: DIVISA ES/MG - DIV. MG/SP

Leia mais

NORMA AMBIENTAL VALEC Nº 02 PLANTIOS PAISAGÍSTICOS

NORMA AMBIENTAL VALEC Nº 02 PLANTIOS PAISAGÍSTICOS VALEC NAVA - 02 1 de 12 NORMA AMBIENTAL VALEC Nº 02 PLANTIOS PAISAGÍSTICOS VALEC NAVA - 02 2 de 12 NORMA AMBIENTAL VALEC Nº 02 PLANTIOS PAISAGÍSTICOS SUMÁRIO 1. OBJETO... 2 2. CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE BOMBINHAS PROJETO PAVIMENTAÇÃO COM LAJOTAS SEXTAVADAS E DRENAGEM PLUVIAL RUA CANGERANA

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE BOMBINHAS PROJETO PAVIMENTAÇÃO COM LAJOTAS SEXTAVADAS E DRENAGEM PLUVIAL RUA CANGERANA - 1 - PROJETO PAVIMENTAÇÃO COM LAJOTAS SEXTAVADAS E DRENAGEM PLUVIAL RUA CANGERANA MUNICÍPIO DE BOMBINHAS - SC PROJETO: AMFRI Associação dos Municípios da Região da Foz do Rio Itajaí Carlos Alberto Bley

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL 2 Publicação IPR - 727/2006 Diretrizes Básicas

Leia mais

2º CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS EDITAL DE LICITAÇÃO Nº 004/02-00 CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL

2º CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS EDITAL DE LICITAÇÃO Nº 004/02-00 CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES DIRETORIA DE PLANEJAMENTO E PESQUISA 2º CADERNO DE PERGUNTAS E S EDITAL DE LICITAÇÃO Nº 004/02-00 CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL

Leia mais

DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS

DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS ES-T02 ATERROS COMPACTADOS 1 DOCUMENTO DE CIRCULAÇÃO EXTERNA Í N D I C E PÁG. 1. OBJETO E OBJETIVO... 3 2. DESCRIÇÃO... 3 3. MATERIAIS... 3 4. EQUIPAMENTO...4 5. FUNDAÇÕES

Leia mais

SESI PROJETO EXECUTIVO DE TERRAPLENAGEM PARA QUADRA POLIESPORTIVA DA UNIDADE SESI-SIMÕES FILHO/BA VOLUME ÚNICO RELATÓRIO DOS PROJETOS

SESI PROJETO EXECUTIVO DE TERRAPLENAGEM PARA QUADRA POLIESPORTIVA DA UNIDADE SESI-SIMÕES FILHO/BA VOLUME ÚNICO RELATÓRIO DOS PROJETOS SIMÕES FILHO BAHIA. PROJETO EXECUTIVO DE TERRAPLENAGEM PARA QUADRA POLIESPORTIVA DA UNIDADE SESI-SIMÕES FILHO/BA VOLUME ÚNICO RELATÓRIO DOS PROJETOS Salvador, Outubro/2010 SIMÕES FILHO BAHIA. A P R E S

Leia mais

TERRAPLENAGEM Conceitos Básicos de Terraplenagem Definição Operações básicas da terraplenagem: Classificação dos materiais:

TERRAPLENAGEM Conceitos Básicos de Terraplenagem Definição Operações básicas da terraplenagem: Classificação dos materiais: - Conceitos Básicos de Terraplenagem - Elaboração do Projeto de terraplenagem - Movimento de terra Cálculo de volumes, DMT e notas de serviço - Diagrama de Bruckner - Execução de terraplenagem- equipamentos

Leia mais

VALEC: Desenvolvimento Sustentável do Brasil 4º CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS CONCORRÊNCIA Nº 004/2010

VALEC: Desenvolvimento Sustentável do Brasil 4º CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS CONCORRÊNCIA Nº 004/2010 4º CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS CONCORRÊNCIA Nº 004/2010 01) Nas obras de arte especial (pontes e viadutos) as planilhas de serviços e quantidades não contemplam lançamentos de vigas. Em qual item

Leia mais

Autorização para ocupação transversal e/ou longitudinal da faixa de domínio por linhas físicas de transmissão e distribuição de energia.

Autorização para ocupação transversal e/ou longitudinal da faixa de domínio por linhas físicas de transmissão e distribuição de energia. fls. 1/11 ÓRGÃO: MANUAL: DIRETORIA DE ENGENHARIA ADMINISTRAÇÃO DA FAIXA DE DOMÍNIO Autorização para ocupação transversal e/ou longitudinal da faixa de domínio por linhas físicas de transmissão e distribuição

Leia mais

VALEC: Desenvolvimento Sustentável do Brasil 1º CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS CONCORRÊNCIA Nº 005/2010

VALEC: Desenvolvimento Sustentável do Brasil 1º CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS CONCORRÊNCIA Nº 005/2010 1º CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS CONCORRÊNCIA Nº 005/2010 1) Gentileza informar a exigência de garantia de proposta para os editais em referência. Caso afirmativo, gentileza informar os valores por

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ANEXO I REFERENTE AO EDITAL DE TOMADA DE PREÇOS Nº 004/2013 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Página 1 de 10 Serviços de Terraplanagem na Subestação de Interligação à Rede Básica Construção de novo Bay de Saída

Leia mais

ISF 211: PROJETO DE TERRAPLENAGEM

ISF 211: PROJETO DE TERRAPLENAGEM ISF 211: PROJETO DE TERRAPLENAGEM 1. OBJETIVO Definir e especificar os serviços constantes do Projeto de Terraplenagem nos Projetos de Engenharia Ferroviária, Projeto Básico e Projeto Executivo. 2. FASES

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL REI PREFEITURA DE CAMPUS - SETOR DE OBRAS COMPOSIÇÃO DO BDI PARA OBRA DE CONSTRUÇÃO DO PRÉDIO DO CAMAT - 1ª etapa

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL REI PREFEITURA DE CAMPUS - SETOR DE OBRAS COMPOSIÇÃO DO BDI PARA OBRA DE CONSTRUÇÃO DO PRÉDIO DO CAMAT - 1ª etapa UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL REI PREFEITURA DE CAMPUS - SETOR DE OBRAS COMPOSIÇÃO DO BDI PARA OBRA DE CONSTRUÇÃO DO PRÉDIO DO CAMAT - 1ª etapa (BÔNUS E DESPESAS INDIRETAS) Itens de valor percentual

Leia mais

Anexo - IV. Manual de Contratação de Serviços de Construção de Infra-estrutura de Redes de Fibras Ópticas

Anexo - IV. Manual de Contratação de Serviços de Construção de Infra-estrutura de Redes de Fibras Ópticas Anexo - IV Manual de Contratação de Serviços de Construção de Infra-estrutura de Redes de Fibras Ópticas Elaborado por: Data : 30/06/2005 Revisado por: Data: / / Fanton & Fanton Unidade Administrativa:

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA

MEMORIAL DESCRITIVO PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA MEMORIAL DESCRITIVO É OBRIGATÓRIO A EXECUÇÃO DOS ENSAIOS DE CONTROLE TECNOLÓGICO DAS OBRAS DE PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA, SENDO INDISPENSÁVEL À APRESENTAÇÃO DO LAUDO TÉCNICO DE CONTROLE TECNOLÓGICO E DOS RESULTADOS

Leia mais

ISF 219: PROJETO DE PASSARELA PARA PEDESTRES. O Projeto de passarela para pedestres será desenvolvido em duas fases:

ISF 219: PROJETO DE PASSARELA PARA PEDESTRES. O Projeto de passarela para pedestres será desenvolvido em duas fases: ISF 219: PROJETO DE PASSARELA PARA PEDESTRES 1. OBJETIVO Definir e especificar os serviços constantes do Projeto de Passarela para Pedestres em Projetos de Engenharia Ferroviária. 2. FASES DO PROJETO O

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA CÁLCULO DE HONORÁRIOS PROFISSIONAIS DE PROJETOS ESTRUTURAIS DE OBRAS DE ARTE EM CONCRETO ARMADO OU PROTENDIDO

INSTRUÇÕES PARA CÁLCULO DE HONORÁRIOS PROFISSIONAIS DE PROJETOS ESTRUTURAIS DE OBRAS DE ARTE EM CONCRETO ARMADO OU PROTENDIDO INSTRUÇÕES PARA CÁLCULO DE HONORÁRIOS PROFISSIONAIS DE PROJETOS ESTRUTURAIS DE OBRAS DE ARTE EM CONCRETO ARMADO OU PROTENDIDO Aprovada pelo Sr. Superintendente nos autos nº 97.024/DER/1962-5º Provº em

Leia mais

R E P Ú P L I C A F E D E R A T I V A D O B R A S I L M I N I S T É R I O D O S T R A N S P O R T E S

R E P Ú P L I C A F E D E R A T I V A D O B R A S I L M I N I S T É R I O D O S T R A N S P O R T E S R E P Ú P L I C A F E D E R A T I V A D O B R A S I L M I N I S T É R I O D O S T R A N S P O R T E S DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES DNIT SUPERINTENDENCIA REGIONAL NO ESTADO DE

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL AUDIÊNCIA PÚBLICA

SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL AUDIÊNCIA PÚBLICA SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL AUDIÊNCIA PÚBLICA Duplicação e reabilitação da pista existente, implantação de Ruas Laterais e Restauração/Construção de Obra-de-Arte Especiais

Leia mais

IS MA 19 PROCEDIMENTOS PARA LEVANTAMENTO DE PASSIVOS AMBIENTAIS. 1. Conceituação de passivo ambiental

IS MA 19 PROCEDIMENTOS PARA LEVANTAMENTO DE PASSIVOS AMBIENTAIS. 1. Conceituação de passivo ambiental SECRETARIA DE ESTADO DA INFRA-ESTRUTURA DEPARTAMENTO ESTADUAL DE INFRA-ESTRUTURA IS MA 19 PROCEDIMENTOS PARA LEVANTAMENTO DE PASSIVOS AMBIENTAIS 1. Conceituação de passivo ambiental Na conceituação ambiental

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO TERRAPLENAGEM REMOÇÃO DE CAMADA SUPERFICIAL (0,20 M)

MEMORIAL DESCRITIVO TERRAPLENAGEM REMOÇÃO DE CAMADA SUPERFICIAL (0,20 M) MEMORIAL DESCRITIVO É OBRIGATÓRIA A APRESENTAÇÃO DE LAUDO TÉCNICO DE CONTROLE TECNOLÓGICO E OS RESULTADOS DOS ENSAIOS REALIZADOS EM CADA ETAPA DOS SERVIÇOS, CONFORME EXIGÊNCIAS DO DNIT Departamento Nacional

Leia mais

PLANILHA DE ORÇAMENTO PARA OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA

PLANILHA DE ORÇAMENTO PARA OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA MUNICÍPIO: INDAIAL PLANILHA DE ORÇAMENTO PARA OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA PROJETO: PAVIMENTAÇÃO INTERTRAVADA COM BLOCO DE CONCRETO LOCALIZAÇÃO: TRECHO: RUA MINAS GERAIS (EST. 0+00 PP) AO PARQUE MUNICIPAL

Leia mais

VALEC: Desenvolvimento Sustentável do Brasil 5º CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS CONCORRÊNCIA Nº 004/2010

VALEC: Desenvolvimento Sustentável do Brasil 5º CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS CONCORRÊNCIA Nº 004/2010 5º CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS CONCORRÊNCIA Nº 004/2010 Ficam revogados os Cadernos de Perguntas e Respostas anteriores, não modificando nem alterando a formulação das propostas. 01) Para as Empresas

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARISECRETARIA DA INFRAESTRUTURA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARISECRETARIA DA INFRAESTRUTURA ITEM REFER. ESPECIFICAÇÕES UN QUANT P. UNIT. MELHORAMENTO, RECONSTRUÇÃO E REFORMA DO SISTEMA VIÁRIO NO DISTRITO DE ABRANTES. 1.0 SERVIÇOS PRELIMINARES 1.0.1 ORSE 0004 1.0.2 1.1.4.27 1.0.3 SINAPI 12488

Leia mais

DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTE DNIT SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO ESTADO DE MINAS GERAIS AUDIÊNCIA PÚBLICA

DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTE DNIT SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO ESTADO DE MINAS GERAIS AUDIÊNCIA PÚBLICA DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTE DNIT SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO ESTADO DE MINAS GERAIS AUDIÊNCIA PÚBLICA OBRAS DE DUPLICAÇÃO, RESTAURAÇÃO E MELHORAMENTOS NA RODOVIA BR-381/MG Trecho:

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO OBRA CALÇAMENTO - PAVIMENTAÇÃO COM PEDRAS IRREGULARES NO PERIMETRO URBANO DE SÃO JOSE DO INHACORA

MEMORIAL DESCRITIVO OBRA CALÇAMENTO - PAVIMENTAÇÃO COM PEDRAS IRREGULARES NO PERIMETRO URBANO DE SÃO JOSE DO INHACORA estado do rio grande do sul PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO INHACORÁ MEMORIAL DESCRITIVO OBRA CALÇAMENTO - PAVIMENTAÇÃO COM PEDRAS IRREGULARES NO PERIMETRO URBANO DE SÃO JOSE DO INHACORA COORDENADAS:

Leia mais

INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES

INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES AÇÕES EXECUTADAS A retomada dos investimentos em transporte determinou a implantação de programas governamentais que otimizassem o gasto público por meio

Leia mais

VALOR (R$) - c/ BDI 12.675.927,42 74,64% 15.818.304,02 74,67% 4.307.581,46 25,36% 5.366.018,71 25,33% 16.983.508,88 21.184.322,73

VALOR (R$) - c/ BDI 12.675.927,42 74,64% 15.818.304,02 74,67% 4.307.581,46 25,36% 5.366.018,71 25,33% 16.983.508,88 21.184.322,73 LOCAL OBRA : RIO VERDE : CANALIZAÇÃO E PISTAS MARGINAIS - CÓRREGO SAPO R E S U M O D O O R Ç A M E N T O SERVIÇO VALOR (R$) - s/ % VALOR (R$) - c/ % 1.0 - CANAL 1.1 - TERRAPLENAGEM... 5.269.441,44 31,03%

Leia mais

Departamento de Estradas e Rodagem de Minas Gerais

Departamento de Estradas e Rodagem de Minas Gerais Departamento de Estradas e Rodagem de Minas Gerais Diretoria de Infra-Estrutura Manual de Fiscalização de Obras e Vias Rurais Rodovia: Contrato: Lista de Verificação das Principais Atividades do Eng. Fiscal

Leia mais

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO OBJETIVO DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO Fornecer diretrizes para a elaboração e apresentação de orçamentos que compõem o Projeto Executivo. FINIÇÕES O orçamento executivo abrange a elaboração dos elementos

Leia mais

Faixa de Domínio Solicitação para adequação/regularização de acesso

Faixa de Domínio Solicitação para adequação/regularização de acesso Faixa de Domínio Solicitação para adequação/regularização de acesso Nos termos do Contrato de Concessão, bem como dos regulamentos administrativos impostos pelo Poder Concedente, compete à ECO101 Concessionária

Leia mais

ISF 209: PROJETO GEOMÉTRICO

ISF 209: PROJETO GEOMÉTRICO ISF 209: PROJETO GEOMÉTRICO 1. OBJETIVO Definir e especificar os serviços constantes do Projeto Geométrico dos Projetos de Engenharia Ferroviária, Projeto Básico e Projeto Executivo. 2. FASES DO PROJETO

Leia mais

Processo n 50611.000502/2009-67 ANEXO II TERMOS DE REFÊRENCIA

Processo n 50611.000502/2009-67 ANEXO II TERMOS DE REFÊRENCIA ANEXO II TERMOS DE REFÊRENCIA SERVIÇOS DE GESTÃO AMBIENTAL TERMO DE REFERÊNCIA Processo n 50611.000502/2009-67 1. INTRODUÇÃO Este Termo de Referência define o escopo dos serviços a serem executados para

Leia mais

Estado de Mato Grosso PREFEITURA MUNICIPAL DE PRIMAVERA DO LESTE Secretaria Municipal de Infraestrutura Departamento de Engenharia

Estado de Mato Grosso PREFEITURA MUNICIPAL DE PRIMAVERA DO LESTE Secretaria Municipal de Infraestrutura Departamento de Engenharia MEMORIAL DESCRITIVO CONSTRUÇÃO DE ROTATÓRIAS, CANTEIROS E FAIXAS ELEVADAS EM DIVERSAS VIAS PÚBLICAS DO MUNICÍPIO Local 1: BORGUETTI; Local 2: Local 3: - RUA DO COMÉRCIO, ENTRE AV. INÁCIO CASTELLI E RUA

Leia mais

"VALEC: Desenvolvimento sustentável para o Brasil" SUPERINTENDÊNCIA DE CONSTRUÇÃO

VALEC: Desenvolvimento sustentável para o Brasil SUPERINTENDÊNCIA DE CONSTRUÇÃO VALEC "VALEC: Desenvolvimento sustentável para o Brasil" SUPERINTENDÊNCIA DE CONSTRUÇÃO QUADRO DE SERVIÇOS A PREÇOS UNITÁRIOS SUCON Anexo: Nº VALEC FL : REV: 0 DATA : Mar/2010 TO DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS:

Leia mais

0 JAN/2013 - - - - 3 - O PONTO CHAVE INDICA A AMARRAÇÃO AOS DETALHES APRESENTADOS PARA " DESCIDAS D AGUA". 1 - DIMENSÕES EM cm.d

0 JAN/2013 - - - - 3 - O PONTO CHAVE INDICA A AMARRAÇÃO AOS DETALHES APRESENTADOS PARA  DESCIDAS D AGUA. 1 - DIMENSÕES EM cm.d 1 - DIMENSÕES EM cm.d 2 - AJUSTAR NA OBRA A ZONA DE CONTATO DA ENTRADA COM A DESCIDA D ÁGUA TIPO RÁPIDO EM MEIO - CANA DE CONCRETO OU CALHA METÁLICA 3 - O PONTO CHAVE INDICA A AMARRAÇÃO AOS DETALHES APRESENTADOS

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE OSÓRIO SECRETARIA DE OBRAS SANEAMENTO E TRÂNSITO MEMORIAL DESCRITIVO

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE OSÓRIO SECRETARIA DE OBRAS SANEAMENTO E TRÂNSITO MEMORIAL DESCRITIVO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE OSÓRIO SECRETARIA DE OBRAS SANEAMENTO E TRÂNSITO MEMORIAL DESCRITIVO OBJETO: Fechamento de quadra esportiva da Escola Municipal de Ensino Fundamental

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. 2.1.1 - LEVANTAMENTO TOPOGRÁFICO Os níveis marcados na Planta de Implantação deverão ser rigorosamente obedecidos.

MEMORIAL DESCRITIVO. 2.1.1 - LEVANTAMENTO TOPOGRÁFICO Os níveis marcados na Planta de Implantação deverão ser rigorosamente obedecidos. MEMORIAL DESCRITIVO PROPRIETÁRIO : Prefeitura Municipal de Irai OBRA : Construção de ponte em concreto armado de 4,50m de largura x 25,00m de vão total e 5,33m de altura total. LOCAL : Linha Corticeira

Leia mais

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO N 15, DE 20 DE DEZEMBRO DE 20 06.

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO N 15, DE 20 DE DEZEMBRO DE 20 06. DNIT MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTÜRA DE TRANSPORTES Setor de Autarquias Norte - Quadra 03 - Lote A - 4 andar BRASÍLIA-DF - BRASIL - CEP 70040-902 INSTRUÇÃO DE SERVIÇO

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA C.B.U.Q.

MEMORIAL DESCRITIVO DE PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA C.B.U.Q. MEMORIAL DESCRITIVO DE PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA C.B.U.Q. Inter.: PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE CATANDUVA. 1. PESQUISA: Os logradouros contemplados com a pavimentação asfáltica deverão ser objeto de análise

Leia mais

Instituto Brasileiro de Auditoria de Obras Públicas www.ibraop.com.br

Instituto Brasileiro de Auditoria de Obras Públicas www.ibraop.com.br Instituto Brasileiro de Auditoria de Obras Públicas www.ibraop.com.br ORIENTAÇÃO TÉCNICA OT - IBR 001/2006 PROJETO BÁSICO Primeira edição: válida a partir de 07/11/2006 Palavras Chave: Projeto Básico,

Leia mais

Informador das construções

Informador das construções 02 01 TERRAPLENAGEM Informador das Contruções 02 01 01 DESMATAMENTO, DESTOC. E LIMP DE ÁRVORES, ARB. E VEGET. RASTEIRA (Execução na espessura de até 30 cm, incluindo remanejamento de material p/ fora da

Leia mais

OBRA DE ENGENHARIA RODOVIÁRIA RESTAURAÇÃO E MELHORIAS OPERACIONAIS DA RODOVIA BR-381/MG Norte Lote 7

OBRA DE ENGENHARIA RODOVIÁRIA RESTAURAÇÃO E MELHORIAS OPERACIONAIS DA RODOVIA BR-381/MG Norte Lote 7 OBRA DE ENGENHARIA RODOVIÁRIA RESTAURAÇÃO E MELHORIAS OPERACIONAIS DA RODOVIA BR-381/MG Norte Lote 7 Trecho: Divisa ES/MG - Divisa MG/SP Subtrecho: Rio Una - Entroncamento MG-435 (Caeté) Segmento Atual:

Leia mais

Painel de Referência no TCU Acórdão 56/2013 Processo: TC-017.206/2012-4 - CGU - BRASÍLIA-DF AGOSTO/2013

Painel de Referência no TCU Acórdão 56/2013 Processo: TC-017.206/2012-4 - CGU - BRASÍLIA-DF AGOSTO/2013 Painel de Referência no TCU Acórdão 56/2013 Processo: TC-017.206/2012-4 - CGU - BRASÍLIA-DF AGOSTO/2013 I. A importância de um Sistema de Referência II. Das limitações do Sistema de Referência SINAPI III.

Leia mais

DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS PARA

DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS PARA DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS PARA ES-C01 ESTRUTURAS DE ARRIMO 1 DOCUMENTO DE CIRCULAÇÃO EXTERNA ÍNDICE PÁG. 1. OBJETO E OBJETIVO...3 2. S...3 3. CONSIDERAÇÕES INICIAIS...3 4. MUROS DE CONCRETO ARMADO...4

Leia mais

UNIVERSIDADE MUNICIPAL DE SÃO CAETANO DO SUL PARECER DE GEOTECNIA

UNIVERSIDADE MUNICIPAL DE SÃO CAETANO DO SUL PARECER DE GEOTECNIA UNIVERSIDADE MUNICIPAL DE SÃO CAETANO DO SUL PARECER DE GEOTECNIA Rua Macéio, s/n Bairro Barcelona São Caetano do Sul /SP PAR 15026 Março/2015 Revisão 0 CPOI Engenharia e Projetos Ltda Índice 1. INTRODUÇÃO...3

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE SERVIÇO

ESPECIFICAÇÃO DE SERVIÇO ESPECIFICAÇÃO DE SERVIÇO BUEIROS CAPEADOS Grupo de Serviço DRENAGEM Código DERBA-ES-D-11/01 1. OBJETIVO Esta especificação de serviço tem por objetivo definir e orientar a execução de bueiros capeados,

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO RELATIVO AOS SERVIÇOS DE RECUPERAÇÃO E AMPLIAÇÃO DA PONTE SOBRE O RIO PULADOR

MEMORIAL DESCRITIVO RELATIVO AOS SERVIÇOS DE RECUPERAÇÃO E AMPLIAÇÃO DA PONTE SOBRE O RIO PULADOR MEMORIAL DESCRITIVO RELATIVO AOS SERVIÇOS DE RECUPERAÇÃO E AMPLIAÇÃO DA PONTE SOBRE O RIO PULADOR O presente memorial destina-se a descrever os serviços e materiais a serem utilizados na recuperação da

Leia mais

COMPONENTE AMBIENTAL EM PROJETOS RODOVIÁRIOS. - Conceitos Básicos de Gestão Ambiental

COMPONENTE AMBIENTAL EM PROJETOS RODOVIÁRIOS. - Conceitos Básicos de Gestão Ambiental - Conceitos Básicos de Gestão Ambiental - Empreendimentos Rodoviários - Impacto Ambiental - Legislação vigente - Licenciamento Ambiental - Estudos e Relatórios Ambientais - Componente Ambiental DNIT Conceitos

Leia mais

SECRETARIA ESPECIAL DE PORTOS COMPANHIA DAS DOCAS DO ESTADO DA BAHIA

SECRETARIA ESPECIAL DE PORTOS COMPANHIA DAS DOCAS DO ESTADO DA BAHIA CADERNO DE ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS REFERENTE À CONSTRUÇÃO DE MURO NA ÁREA DE LIMITE DA TAM - TERMI- NAL DE ÁGUA DE MENINOS E ANTIGA CONTE- NOR NO PORTO ORGANIZADO DE SALVADOR- BA. COORDENAÇÃO

Leia mais

ANEXO XIII - PROJETO BÁSICO

ANEXO XIII - PROJETO BÁSICO Contratação de Serviços de Engenharia para Instalação de Novos Pontos de IP e Complementação da Eficientização do Sistema de Iluminação Pública de Porto Alegre ANEXO XIII - PROJETO BÁSICO 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCINAS PARA PAVIMENTAÇÃO EM PARALELEPÍPEDO

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCINAS PARA PAVIMENTAÇÃO EM PARALELEPÍPEDO MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCINAS PARA PAVIMENTAÇÃO EM PARALELEPÍPEDO PROPRIETÁRIO: Prefeitura Municipal de Araripina PE OBRA: Construção de Pavimentação em Araripina LOTE III LOCAL: Rua Trav.

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES PROJETO ARQUITETÔNICO ADEQUAÇÕES NA USINA DE TRIAGEM DE LIXO LINHA ESTRELA MEMORIAL DESCRITIVO 1 MEMORIAL DESCRITIVO 1. OBJETIVO: USINA DE TRIAGEM DE LIXO A presente especificação tem por objetivo estabelecer

Leia mais

ANEXO I ORÇ AMENTO B ÁSI CO

ANEXO I ORÇ AMENTO B ÁSI CO ANEXO I ORÇ AMENTO B ÁSI CO MÓDULO SERVIÇOS CONTRATANTE I II III PLANILHA RESUMO DE INVESTIMENTOS ANUAIS Sistema de Coleta e Transporte de Resíduos Sólidos Urbanos Sistema de Serviços Complementares de

Leia mais

ILUSTRÍSSIMO SENHOR SUPERINTENDENTE DE INFRAESTRUTURA E SERVIÇOS DE TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS

ILUSTRÍSSIMO SENHOR SUPERINTENDENTE DE INFRAESTRUTURA E SERVIÇOS DE TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS ILUSTRÍSSIMO SENHOR SUPERINTENDENTE DE INFRAESTRUTURA E SERVIÇOS DE TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS AUDIÊNCIA PÚBLICA N.º 140/2013 CONSTRUTORA ANDRADE GUTIERREZ S.A., pessoa jurídica de direito privado,

Leia mais

NORMA GERAL AMBIENTAL. Título: PROCEDIMENTOS E ROTINAS DE ACOMPANHAMENTO DE COMPROMISSOS AMBIENTAIS Identificador: NGL-5.03.01-16.

NORMA GERAL AMBIENTAL. Título: PROCEDIMENTOS E ROTINAS DE ACOMPANHAMENTO DE COMPROMISSOS AMBIENTAIS Identificador: NGL-5.03.01-16. NGL-5.3.1-16.13 1 / 21 Sumário 1. MOTIVAÇÃO... 2 2. OBJETO... 2 3. ASPECTOS LEGAIS... 2 4. MÉTODOS E RECURSOS... 9 4.1. Registros de Acompanhamento... 9 4.2. Relatórios de Andamento... 11 4.3. Recursos...

Leia mais

ANEXO XII Memorial Descritivo

ANEXO XII Memorial Descritivo ANEXO XII Memorial Descritivo Para execução das obras, deverão ser observadas as Especificações Técnicas do Caderno de Encargos da PMPA. Foram elaboradas Especificações Técnicas Complementares, bem como

Leia mais

1º CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS EDITAL Nº 004/2002-00 CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL

1º CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS EDITAL Nº 004/2002-00 CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL 1º CADERNO DE PERGUNTAS E S EDITAL Nº 004/2002-00 CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL 1. CONSULTA Ao adquirimos o documento Relatório do Projeto e Documentos para a Concorrência do lote 2.2/RS Obras de Arte Especiais,

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Faixa de Domínio, linhas físicas de telecomunicações, cabos metálicos e fibras ópticas.

PALAVRAS-CHAVE: Faixa de Domínio, linhas físicas de telecomunicações, cabos metálicos e fibras ópticas. fls. 1/6 ÓRGÃO: MANUAL: DIRETORIA DE ENGENHARIA ADMINISTRAÇÃO DA FAIXA DE DOMÍNIO Autorização para implantação de Linhas Físicas de Telecomunicações, com Cabos Metálicos e com Fibras Ópticas. PALAVRAS-CHAVE:

Leia mais

1ª ERRATA. Regime Diferenciado de Contratações Públicas RDC Presencial nº 0377/2013-09

1ª ERRATA. Regime Diferenciado de Contratações Públicas RDC Presencial nº 0377/2013-09 Processo nº. 50609.000592/201311 1ª ERRATA Regime Diferenciado de Contratações Públicas RDC Presencial nº 0377/201309 O Departamento Nacional de Infraestrutura DNIT, autarquia Federal vinculada ao Ministério

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. * escavação dos materiais constituintes do terreno natural até o greide de terraplenagem indicado no projeto;

MEMORIAL DESCRITIVO. * escavação dos materiais constituintes do terreno natural até o greide de terraplenagem indicado no projeto; MEMORIAL DESCRITIVO Município: Piratini/RS Local da obra: Rua 24 de Maio, Rua Princesa Isabel e Rua Rui Ramos. Área total: 12.057,36 m² 1) Introdução: O presente Memorial Descritivo tem por finalidade

Leia mais

DER/PR ES-OC 13/05 OBRAS COMPLEMENTARES: MEIOS-FIOS

DER/PR ES-OC 13/05 OBRAS COMPLEMENTARES: MEIOS-FIOS OBRAS COMPLEMENTARES: MEIOS-FIOS Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Paraná - DER/PR Avenida Iguaçu 420 CEP 80230 902 Curitiba Paraná Fone (41) 3304 8000 Fax (41) 3304 8130 www.pr.gov.br/transportes

Leia mais

DNIT. Obras complementares Segurança no tráfego rodoviário - Projeto de barreiras de concreto Procedimento /2009 NORMA DNIT - PRO

DNIT. Obras complementares Segurança no tráfego rodoviário - Projeto de barreiras de concreto Procedimento /2009 NORMA DNIT - PRO DNIT /2009 NORMA DNIT - PRO Obras complementares Segurança no tráfego rodoviário - Projeto de barreiras de concreto Procedimento MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES

Leia mais

Gestão da Construção. Especificações, medições e regras de medição. Gestão da Construção

Gestão da Construção. Especificações, medições e regras de medição. Gestão da Construção Especificações, medições e regras de medição 2006/2007 PEÇAS DE PROJECTO PEÇAS ESCRITAS Na prática corrente, os elementos de um projecto classificam-se da seguinte forma: Peças escritas; Peças desenhadas.

Leia mais

DIRETORIA DE ENGENHARIA. ADMINISTRAÇÃO DA FAIXA DE DOMÍNIO Autorização para implantação de oleodutos.

DIRETORIA DE ENGENHARIA. ADMINISTRAÇÃO DA FAIXA DE DOMÍNIO Autorização para implantação de oleodutos. fls. 1/5 ÓRGÃO: DIRETORIA DE ENGENHARIA MANUAL: ADMINISTRAÇÃO DA FAIXA DE DOMÍNIO Autorização para implantação de oleodutos. PALAVRAS-CHAVE: Faixa de Domínio, oleodutos. APROVAÇÃO EM: Portaria SUP/DER-

Leia mais

Objeto: Serviço de reforma e ampliação da SE Araranguá

Objeto: Serviço de reforma e ampliação da SE Araranguá Aditamento nº 05 Tomada de Preços nº 00861/2006 Objeto: Serviço de reforma e ampliação da SE Araranguá Data: 28/11/2006. Através deste aditamento, informamos que: a) Estamos substituindo a planilha de

Leia mais

E S T A D O D O M A T O G R O S S O. Prefeitura Municipal de Jaciara

E S T A D O D O M A T O G R O S S O. Prefeitura Municipal de Jaciara MEMORIAL DESCRITIVO REDE CEGONHA - HOSPITAL MUNICIPAL JACIARA/MT O presente memorial descritivo define diretrizes referentes à reforma do espaço destinado a Programa REDE CEGONHA no Hospital Municipal

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE SERVIÇO

ESPECIFICAÇÃO DE SERVIÇO ESPECIFICAÇÃO DE SERVIÇO ESTACAS METÁLICAS Grupo de Serviço OBRAS D ARTE ESPECIAIS Código DERBA-ES-OAE-08/01 1. OBJETIVO Esta especificação de serviço define os critérios que orientam a utilização de estacas

Leia mais

OBJETO: MELHORIAS NOS FILTROS E DECANTADORES NA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DA ETA-I TAXA DE BDI: SERVIÇOS = 27,22% MATERIAIS = 15,00% EQUIPAMENTOS = 15,00%

OBJETO: MELHORIAS NOS FILTROS E DECANTADORES NA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DA ETA-I TAXA DE BDI: SERVIÇOS = 27,22% MATERIAIS = 15,00% EQUIPAMENTOS = 15,00% COMPOSIÇÃO DE CUSTO MÉDICO H.H Total Obra 1.057,48 Funcionários por Obra 7 6,01 Funcionários por Mês 3 2,33 Tempo de Obra(mês) 3,00 NE= Nº de Exames Necessários obra: N= Números de dias trabalhados mês

Leia mais

Cent rais Elétricas de R ondônia S /A Cons t rução da S ubes tação de Alto P araís o PROJETO BÁSICO 001/2005

Cent rais Elétricas de R ondônia S /A Cons t rução da S ubes tação de Alto P araís o PROJETO BÁSICO 001/2005 PROJETO BÁSICO 001/2005 CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA CONSTRUÇÃO DA SUBESTAÇÃO DE ALTO PARAÍSO 34,5/13.8 kv 10/12,5MVA 1- OBJETIVO Este projeto tem por finalidade especificar os serviços para CONTRATAÇÃO

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS REFE- RENTES A SERVIÇOS DE SUBSTITUIÇÃO DE TRILHOS NO CAMI- NHO DE ROLAMENTO E DO CARRINHO PRINCIPAL DO

CADERNO DE ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS REFE- RENTES A SERVIÇOS DE SUBSTITUIÇÃO DE TRILHOS NO CAMI- NHO DE ROLAMENTO E DO CARRINHO PRINCIPAL DO CADERNO DE ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS REFE- RENTES A SERVIÇOS DE SUBSTITUIÇÃO DE TRILHOS NO CAMI- NHO DE ROLAMENTO E DO CARRINHO PRINCIPAL DO DESCARRE- GADOR DE NAVIOS DO TGS I NO PORTO ORGANIZADO

Leia mais

1 0 Caderno de Perguntas e Respostas EditalOOI3/2012-23

1 0 Caderno de Perguntas e Respostas EditalOOI3/2012-23 Processo n", 50623.000369/2011-24 : MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES ~t..mas'-

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VERA CRUZ - RS

PREFEITURA MUNICIPAL DE VERA CRUZ - RS PREFEITURA MUNICIPAL DE VERA CRUZ - RS Vera Cruz,RS, 04 de Junho de 2014 ORÇAMENTO PARA PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA LOCAL: CIPRIANO - VERA CRUZ - RS ÁREA TOTAL: 4.320,00 m² TABELA SINAPI- DATA BASE - MAR/2014-24,06%

Leia mais

DER/PR ES-OC 17/05 OBRAS COMPLEMENTARES: ABRIGOS PARA PARADAS DE ÔNIBUS

DER/PR ES-OC 17/05 OBRAS COMPLEMENTARES: ABRIGOS PARA PARADAS DE ÔNIBUS OBRAS COMPLEMENTARES: ABRIGOS PARA PARADAS DE ÔNIBUS Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Paraná - DER/PR Avenida Iguaçu 420 CEP 80230 902 Curitiba Paraná Fone (41) 3304 8000 Fax (41) 3304

Leia mais

ANEXO I - MEMORIAL DESCRITIVO

ANEXO I - MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I - MEMORIAL DESCRITIVO RAMPA NAÚTICA DE ARAGARÇAS-GO O presente memorial descritivo tem por objetivo fixar normas específicas para CONSTRUÇÃO DE UMA RAMPA NAÚTICA - RIO ARAGUAIA, em área de 3.851,89

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA. FICHA DE INSCRIÇÃO PARA QUESTIONAMENTOS (preencha de forma clara, legível e objetiva os campos abaixo)

AUDIÊNCIA PÚBLICA. FICHA DE INSCRIÇÃO PARA QUESTIONAMENTOS (preencha de forma clara, legível e objetiva os campos abaixo) NOME: RENATO SILVA JUNIOR ÓRGÃO/ENTIDADE/EMPRESA: PREFEITURA SANTA LUZIA DO ITANHY Como no trecho do Rio Piaui que liga a zona urbana a zona rural do Município de Estância, logo há um grande fluxo de veiculo

Leia mais

Autorização para implantação de Adutora de Água, de Emissário de Esgoto e Rede de Vinhaça.

Autorização para implantação de Adutora de Água, de Emissário de Esgoto e Rede de Vinhaça. fls. 1/5 ÓRGÃO: MANUAL: DIRETORIA DE ENGENHARIA ADMINISTRAÇÃO DA FAIXA DE DOMÍNIO Autorização para implantação de Adutora de Água, de Emissário de Esgoto e Rede de Vinhaça. PALAVRAS-CHAVE: Faixa de Domínio,

Leia mais

w w w. v e r e d a e n g e n h a r i a. c o m

w w w. v e r e d a e n g e n h a r i a. c o m w w w. v e r e d a e n g e n h a r i a. c o m Belo Horizonte - MG Sobre a Vereda Engenharia A Vereda Engenharia Ltda. atua na indústria da construção civil, desde 1986, na construção e comercialização

Leia mais

Relatório Comparativo do Contratado x Executado

Relatório Comparativo do Contratado x Executado Obra : 01 - Contratação de pessoa jurídica para execução das obras civis Dimensão : 0,000 UN Bem Público: : ARENA DA AMAZÔNIA Município : Manaus - 100,00% Grupo de Serviço : 200 - SERVIÇOS INICIAIS BÁSICOS

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO RIO GRANDE DO SUL SEA - PR/RS CONCORRÊNCIA 01/2009

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO RIO GRANDE DO SUL SEA - PR/RS CONCORRÊNCIA 01/2009 ANEXO I-D ORÇAMENTO ESTIMATIVO ANALÍTICO PROCURADORIA DA REPÚBLICA EM PELOTAS/RS ORÇAMENTO - PLANILHA ANALÍTICA BDI = 19,57% e LS = 176,82% DATA: JULHO/2009 CÓDIGO DESCRIÇÃO UNIDADE COEF. PREÇO(R$) TOTAL

Leia mais

1.3 FORNECIMENTO E INSTALAÇÃO DE PLACA DE IDENTIFICAÇÃO DA OBRA (3,0 x 1,5 m) 74209/001 M² 4,50 232,82 291,03 1.309,64 2 PAVIMENTAÇÃO 952.

1.3 FORNECIMENTO E INSTALAÇÃO DE PLACA DE IDENTIFICAÇÃO DA OBRA (3,0 x 1,5 m) 74209/001 M² 4,50 232,82 291,03 1.309,64 2 PAVIMENTAÇÃO 952. PLANILHA DE CUSTO - PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA OBRA: PAVIMENTAÇÃO DE VIAS URBANAS abr/14 LOCAL: DIVERSAS VIAS DO MUNICIPIO DE VAZEA DA PALMA - MG DATA BASE SINAPI: MARÇO/2014 BDI: PRAZO DE EXECUÇÃO: 180 dias

Leia mais

DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS

DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS ES-P02 PREPARO DO SUBLEITO DO PAVIMENTO DOCUMENTO DE CIRCULAÇÃO EXTERNA 1 ÍNDICE PÁG. 1. OBJETO E OBJETIVO... 3 2. DESCRIÇÃO... 3 3. TERRAPLENAGEM... 3 4. COMPACTAÇÃO

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vera Cruz MEMORIAL DESCRITIVO

Prefeitura Municipal de Vera Cruz MEMORIAL DESCRITIVO Prefeitura Municipal de Vera Cruz MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Infra-estrutura urbana Pavimentação Asfáltica, Micro-drenagem, e Rede água potável. Município: Vera Cruz/RS Local da obra: Rua Cipriano O presente

Leia mais

Capítulo 6 ELEMENTOS GEOMÉTRICOS DAS ESTRADAS DE RODAGEM

Capítulo 6 ELEMENTOS GEOMÉTRICOS DAS ESTRADAS DE RODAGEM Capítulo 6 ELEMENTOS GEOMÉTRICOS DAS ESTRADAS DE RODAGEM 6.1. INTRODUÇÃO A geometria de uma estrada é definida pelo traçado do seu eixo em planta e pelos perfis longitudinal e transversal. A Fig. 6.1 apresentada

Leia mais

TERRAPLENAGEM. Caracterização do Serviço de Terraplenagem

TERRAPLENAGEM. Caracterização do Serviço de Terraplenagem TERRAPLENAGEM Caracterização do Serviço de Terraplenagem O serviço de terraplenagem tem como objetivo a conformação do relevo terrestre para implantação de obras de engenharia, tais como açudes, canais

Leia mais

3ª ETAPA DE CONCESSÕES RODOVIÁRIAS - FASE 1

3ª ETAPA DE CONCESSÕES RODOVIÁRIAS - FASE 1 BNDES 3ª ETAPA DE CONCESSÕES RODOVIÁRIAS - FASE 1 Sistema Rodoviário Federal - Minas Gerais GO BA DISTRITO FEDERAL MINAS GERAIS GOIÁS BR 116 BR 040 BR 381 ES PROJETO TRECHO NORTE BR-381 SP RJ Produto 3B

Leia mais

REV. MODIFICAÇÃO DATA PROJETISTA DESENHISTA APROVO SÍTIO ÁREA DO SÍTIO FISCAIS DO CONTRATO CREA - UF TIPO DE OBRA CLASSE DE PROJETO

REV. MODIFICAÇÃO DATA PROJETISTA DESENHISTA APROVO SÍTIO ÁREA DO SÍTIO FISCAIS DO CONTRATO CREA - UF TIPO DE OBRA CLASSE DE PROJETO REV. MODIFICAÇÃO DATA PROJETISTA DESENHISTA APROVO SÍTIO AEROPORTO INTERNACIONAL DE BRASÍLIA JUSCELINO KUBITSCHEK ÁREA DO SÍTIO ESCALA DATA DESENHISTA ESPECIALIDADE / SUBESPECIALIDADE N/A julho /2008 Empresa

Leia mais

3º CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS PREGÃO ELETRÔNICO Nº 10/2014

3º CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS PREGÃO ELETRÔNICO Nº 10/2014 3º CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS PREGÃO ELETRÔNICO Nº 10/2014 PERGUNTA 01: O ANEXO D.9 Saúde e Segurança (pag. 99) do ANEXO D SERVIÇOS RELATIVOS AO ATENDIMENTO AMBENTAL do ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

Leia mais

ANÁLISE EXPEDITA da Situação Física das Obras na Rodovia BR-470/SC. (Duplicação e CREMA- 2ª Etapa)

ANÁLISE EXPEDITA da Situação Física das Obras na Rodovia BR-470/SC. (Duplicação e CREMA- 2ª Etapa) ANÁLISE EXPEDITA da Situação Física das Obras na Rodovia BR-470/SC (Duplicação e CREMA- 2ª Etapa) Setembro de 2015 Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina - FIESC Glauco José Côrte Presidente

Leia mais

PASSAGEM SUPERIOR E INFERIOR Revisão 26/06/12

PASSAGEM SUPERIOR E INFERIOR Revisão 26/06/12 Em atenção à solicitação de autorização para construção de Passagem Superior e Inferior, informamos que para abertura do processo e análise do pedido, serão necessários os documentos abaixo para cada Passagem.

Leia mais

Memo N.º /2007 Fortaleza, 28 de setembro de 2007. ASSUNTO: Licitação de Obras de Construção Aeroporto de Tauá-Ce.

Memo N.º /2007 Fortaleza, 28 de setembro de 2007. ASSUNTO: Licitação de Obras de Construção Aeroporto de Tauá-Ce. GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA INFRA- ESTRUTURA DEPARTAMENTO DE EDIFICAÇÕES, RODOVIAS E TRANSPORTES Memo N.º /2007 Fortaleza, 28 de setembro de 2007 Do: CEGOR A: Coordenador de Engenharia ASSUNTO:

Leia mais

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO - SINTÉTICO

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO - SINTÉTICO 1 RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO - SINTÉTICO TC 011.651/2012-1 Fiscalização 456/2012 DA FISCALIZAÇÃO Modalidade: conformidade Ato originário: Acórdão 367/2012 - Plenário Objeto da fiscalização: Adequação de

Leia mais

PAVIMENTAÇÃO DE RODOVIA DUPLICAÇÃO 1.0 SERVIÇOS PRELIMINARES

PAVIMENTAÇÃO DE RODOVIA DUPLICAÇÃO 1.0 SERVIÇOS PRELIMINARES I PAVIMENTAÇÃO DE RODOVIA DUPLICAÇÃO 1.0 SERVIÇOS PRELIMINARES 1.1 INSTALAÇÃO DE CANTEIRO E ACOMPANHAMENTO VB 1,000 cento e vinte e seis mil, quatrocentos e noventa e sete 126.497,18 reais e dezoito 126.497,18

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA MEDIÇÃO DE SERVIÇOS RODOVIÁRIOS DA AGETOP

PROCEDIMENTOS PARA MEDIÇÃO DE SERVIÇOS RODOVIÁRIOS DA AGETOP PROCEDIMENTOS PARA MEDIÇÃO DE SERVIÇOS RODOVIÁRIOS DA AGETOP GRUPO DE SERVIÇO 1 TERRAPLENAGEM GRUPO DE SERVIÇO: 1 - TERRAPLENAGEM 40005 - DESMATAMENTO, DESTOCAMENTO E LIMPEZA (ÁRVORE D

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA A EXECUÇÃO DE UM MURO EM CONCRETO ARMADO, NO CANTEIRO CENTRAL DA RUA ÁLVARO ALVIN.

TERMO DE REFERÊNCIA PARA A EXECUÇÃO DE UM MURO EM CONCRETO ARMADO, NO CANTEIRO CENTRAL DA RUA ÁLVARO ALVIN. TERMO DE REFERÊNCIA PARA A EXECUÇÃO DE UM MURO EM CONCRETO ARMADO, NO CANTEIRO CENTRAL DA RUA ÁLVARO ALVIN. ANEXO XII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 1- GENERALIDADES 1.1- Trata a presente Licitação na execução

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. 2. SERVIÇOS PRELIMINARES Limpeza, Barracão de Obra e Placa de Obra 2.1. LIMPEZA DA ÁREA DE INTERVENÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO. 2. SERVIÇOS PRELIMINARES Limpeza, Barracão de Obra e Placa de Obra 2.1. LIMPEZA DA ÁREA DE INTERVENÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO 1. INFORMAÇÕES GERAIS Obra: Intervenção nos Canteiros Centrais da Avenida Santa Luzia Segunda Etapa. Endereço: Avenida Santa Luzia Área de Intervenção: 4758,52 m² 2. SERVIÇOS PRELIMINARES

Leia mais