- Situação atual dos sistemas separativos: perspetiva da entidade gestora em alta

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "- Situação atual dos sistemas separativos: perspetiva da entidade gestora em alta"

Transcrição

1 Organização: Núcleo Regional do Sul da APRH 2.º Bloco - Otimização e gestão eficiente de infraestruturas de saneamento básico em Portugal - Situação atual dos sistemas separativos: perspetiva da entidade gestora em alta João Silva Costa; Ângela Valadas; Daniela Guerreiro Slide 1 Auditório da Direção Regional de Agricultura e Pescas, Faro

2 Situação atual dos sistemas separativos: perspetiva da Entidade Gestora em Alta Tópicos da intervenção 1. O SPPIAA - Sistema Público de Parceria Integrado de Águas do Alentejo; 2. Os Sistemas de Saneamento de Aguas Residuais Urbanas na região, situação de partida; 3. A solução técnica adotada; 4. O modelo de operação dos sistemas. Slide 2 22 de outubro de

3 1 - O Sistema Público de Parceria Integrado de Águas do Alentejo (SPPIAA) : abrangência geográfica Em 13 de Agosto de 2009, foi celebrado um Contrato de Parceria Pública entre o Estado Português e os Municípios de: Alcácer do Sal Aljustrel Almodôvar, Alvito Arraiolos Barrancos Beja Castro Verde Cuba Ferreira do Alentejo Grândola Mértola Montemor-o-Novo Moura Odemira Ourique Santiago do Cacém Serpa Vendas Novas Viana do Alentejo Vidigueira Através deste contrato é constituído um sistema territorialmente integrado de águas Sistema de Parceria Pública Integrado de Águas do Alentejo (SPPIAAlentejo) que os Municípios delegam numa Entidade Gestora da Parceria (EGP), em regime de parceria pública-pública, a exploração e gestão dos serviços de águas associados. 21 municípios habitantes (residentes em 2011) km2 abrangidos (17,5% do território nacional) Em 25 de setembro de 2009 é assinado o Contrato de Gestão que atribui à Águas Públicas do Alentejo SA a Gestão do Sistema Slide 3 22 de outubro de

4 PARCEIROS 1 - O Sistema Público de Parceria Integrado de Águas do Alentejo Modelo de Gestão gestão delegada contrato de parceria pública SPIAAlentejo contrato de gestão ESTADO Delegam nestas entidades a prossecução dos objectivos da parceria AdP ÁGUAS DE PORTUGAL, SGPS, S.A. 21 MUNICÍPIOS integram contrato de cedências de infraestruturas e equipamentos AMGAP ASSOCIAÇÃO DE MUNICÍPIOS PARA A GESTÃO DA ÁGUA PÚBLICA DO ALENTEJO constituem COMISSÃO DA PARCERIA (CP) ENTIDADE GESTORA DA PARCERIA (EGP) Parceiros exercem poderes de fiscalização, direcção, autorização, aprovação e suspensão de actos através da CP Slide 4 22 de outubro de

5 1 - O Sistema Público de Parceria Integrado de Águas do Alentejo População abrangida pelo sistema em Alta - SAA hab. - População Residente (Censos 2011) hab. - População Potencialmente Servida SAA (Censos 2011 em aglomerados com mais de 100 hab. Residentes e sem Ferreira do Alentejo) Slide 5 22 de outubro de

6 1 - O Sistema Público de Parceria Integrado de Águas do Alentejo População abrangida pelo sistema em Alta - SAR hab. - População Residente (Censos 2011) hab. - População Potencialmente Servida SAR (Censos 2011 em aglomerados com mais de 300 hab. Residentes e sem Ferreira do Alentejo) Slide 6 22 de outubro de

7 1 - O Sistema Público de Parceria Integrado de Águas do Alentejo População abrangida, por município, pelo sistema em Alta SAA e SAR 40,000 População por Município 35,000 30,000 25, hab. Res hab, SAA hab. SAR 20,000 15,000 10,000 5,000 0 Residente Servida AA Servida AR Slide 7 Universidade de Aveiro 23 de outubro de

8 Situação atual dos sistemas separativos: perspetiva da Entidade Gestora em Alta Tópicos da intervenção 2 - Os Sistemas de Saneamento de Aguas Residuais Urbanas na região - situação de partida Slide 8 22 de outubro de

9 2 - Os Sistemas de Saneamento de Aguas Residuais Urbanas na região. - Situação de partida 124 infraestruturas, de tratamento Slide 9 22 de outubro de

10 2 - Os Sistemas de Saneamento de Aguas Residuais Urbanas na região. - Situação de partida ETAR por tipo de Tratamento 2% 15% 21% 26% 36% Biodiscos Lagunagem Lamas ativadas Leitos percoladores Fossas 124 infraestruturas, das quais 26 FS hab. residentes servidos 49% de cumprimento dos parâmetros de descarga População servida por tipo de tratamento 2% 3% 19% Biodiscos Lagunagem Lamas ativadas 50% Leitos percoladores 26% Fossas Slide de outubro de

11 Situação atual dos sistemas separativos: perspetiva da Entidade Gestora em Alta Tópicos da intervenção 3 - A solução técnica adotada Slide de outubro de

12 3 Os Sistemas de Saneamento de Aguas Residuais Urbanas na região. - A Solução Técnica Adotada 121 infraestruturas, das quais 20 FS Integrado A remodelar A construir ETAR (un) EE (un) Coletores (km) Slide de outubro de

13 3 Os Sistemas de Saneamento de Aguas Residuais Urbanas na região. - A Solução Técnica Adotada ETAR por tipo de Tratamento 0% 121 instalações, das quais 20 FS 8% 17% 44% 31% hab. Residentes servidos Biodiscos Lagunagem Lamas ativadas Leitos percoladores Fossas População Servida por tipo de Tratamento 8% 1% 66% 0% 25% Biodiscos Lagunagem Lamas ativadas Leitos percoladores Fossas Slide de outubro de

14 3 Os Sistemas de Saneamento de Aguas Residuais Urbanas. - A Solução Técnica Adotada - Plano de investimentos Investimento SAR Realizado/Previsto (milhares euros) 9,002 9,412 9,101 6,766 7,063 5,527 5,900 4,404 2,412 3, , Investimento total em empreitadas SAR- 64,6 M Já executados - 25,6 M Slide de outubro de

15 3 Os Sistemas de Saneamento de Aguas Residuais Urbanas. - A Solução Técnica Adotada - Resultados já obtidos Cumprimento de Norma de Descarga 80% 75% 70% 65% 60% 55% 50% 45% 40% 35% 30% AR15 49% 50% 64% 75% Indicador AR15 ERSAR Anos Em 2015 média janeiro a agosto Slide de outubro de

16 3 Os Sistemas de Saneamento de Aguas Residuais Urbanas. - A Solução Técnica Adotada - Resultados já obtidos ETAR Pop Alvalade Alvito ETARs em situação de contencioso, por incumprimento de Normas de Descarga Vila Nova de S. Bento Arraiolos Cuba Castro Verde Ano nº de ETAR Pop Almodôvar Vidigueira Alcácer do Sal Amareleja Melides Slide 16 Santiago do Cacém Serpa Aljustrel Montemor-o-Novo Grândola Moura Vendas Novas Viana do Alentejo Carvalhal Beja Vila Nova de Milfontes de outubro de

17 3 O Estado atual do plano de investimentos. - Algumas obras já executadas Novas ETAR já construídas e a tratar os efluentes: Mértola Vila Nova de Milfontes Alcácer do Sal Castro Verde Almodôvar Aljustrel Ourique Vendas Novas Cercal Vidigueira/Vila de Frades (em fase de arranque) Alvalade (em fase de arranque) Slide de outubro de

18 3 O Estado atual do plano de investimentos. - Algumas obras já executadas ETAR de Mértola Slide de outubro de

19 3 O Estado atual do plano de investimentos. - Algumas obras já executadas ETAR de Vila Nova de Milfontes Slide de outubro de

20 3 O Estado atual do plano de investimentos. - Algumas obras já executadas ETAR de Castro Verde Slide de outubro de

21 3 O Estado atual do plano de investimentos. - Algumas obras já executadas ETAR de Vendas Novas Slide de outubro de

22 Situação atual dos sistemas separativos: perspetiva da Entidade Gestora em Alta Tópicos da intervenção 4 - O modelo de operação dos sistemas. Slide de outubro de

23 4 O modelo de operação dos sistemas - Estrutura organizativa Slide de outubro de

24 4 O modelo de operação dos sistemas Centro Operacional Noroeste: Alcácer do Sal, Arraiolos, Grândola, Montemor-o-Novo e Vendas Novas; Centro Operacional Este: Aljustrel, Alvito, Barrancos, Beja, Cuba, Mértola, Moura, Serpa, Viana do Alentejo e Vidigueira; Centro Operacional Sul: Almodôvar, Castro Verde, Santiago do Cacém, Odemira e Ourique; Slide de outubro de

25 4 O modelo de operação dos sistemas LOTE 1 Subsistemas do Centro Operacional Noroeste LOTE 2 Subsistemas do Centro Operacional Este LOTE 3 Subsistemas do Centro Operacional Sul Prestador de Serviços N.º de instalações N.º de colaboradores SISAQUA AGS SISAQUA Slide de outubro de

26 4 O modelo de operação dos sistemas Qualidade e Estado de Conservação das infraestruturas de SAR (coletores, ETARs, E.Elevatórias) recebidas das entidades em baixa Características das águas residuais afluentes às ETARs Influencia da precipitação nos caudais afluentes a cada estação de tratamento e como gerir essas situações extremas. Que caminho seguir. Slide de outubro de

27 SPPIAA - Sistema Público de Parceria Integrado de Águas do Alentejo Parceiros para a gestão dos Serviços de Águas João Silva Costa Ângela Valadas Daniela Guerreiro Obrigado pela vossa atenção 22 de outubro de Página 27

Como chega a água às nossas casas?

Como chega a água às nossas casas? AgdA Águas Públicas do Alentejo, S.A. Como chega a água às nossas casas? Água de Todos para Todos Quem é? Em 13 de Agosto de 2009, foi celebrado um Contrato de Parceria Pública entre o Estado Português

Leia mais

DO DIA DOIS DE JULHO DE DOIS MIL E NOVE.-------------------------------------------------

DO DIA DOIS DE JULHO DE DOIS MIL E NOVE.------------------------------------------------- REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SANTIAGO DO CACÉM DO DIA DOIS DE JULHO DE DOIS MIL E NOVE.------------------------------------------------- --------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

E D I T A L AMBIENTE, ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E URBANISMO PROCESSOS DE LICENCIAMENTO E REQUERIMENTOS. Processos de Licenciamento

E D I T A L AMBIENTE, ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E URBANISMO PROCESSOS DE LICENCIAMENTO E REQUERIMENTOS. Processos de Licenciamento E D I T A L HORTÊNSIA DOS ANJOS CHEGADO MENINO, Presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Novo, faz saber, através do presente Edital, que nos termos do nº. 1, do artº. 56º. da Lei nº. 75/2013, de 12

Leia mais

Reorganização Administrativa do Território das Freguesias - (RATF)

Reorganização Administrativa do Território das Freguesias - (RATF) Beja Aljustrel Aljustrel Agregação União das freguesias de Aljustrel e Rio de Moinhos Beja Aljustrel Ervidel Sem alteração Beja Aljustrel Messejana Sem alteração Beja Aljustrel Rio de Moinhos Agregação

Leia mais

Odemira, 24 de Setembro de 2009

Odemira, 24 de Setembro de 2009 Odemira, 24 de Setembro de 2009 O que é o FAME? O FAME é um instrumento financeiro, que consiste num fundo de apoio disponibilizado a empresários e empreendedores, com o objectivo de promover o investimento

Leia mais

Entidade Formadora Curso Tip./Nível Modalidade Cert. Prof. EB23 Dr. Manuel Brito Camacho - Aljustrel Práticas Técnicos- Comerciais Tipo 2 CEF Nível 2

Entidade Formadora Curso Tip./Nível Modalidade Cert. Prof. EB23 Dr. Manuel Brito Camacho - Aljustrel Práticas Técnicos- Comerciais Tipo 2 CEF Nível 2 EB23 Dr. Manuel Brito Camacho - Aljustrel Práticas Técnicos- Comerciais Tipo 2 CEF Nível 2 EB23 Dr. Manuel Brito Camacho - Aljustrel Electricidade de Instalações Tipo 2 CEF Nível 2 EB23 Dr. Manuel Brito

Leia mais

SINES, 12 de Março 2009

SINES, 12 de Março 2009 SINES, 12 de Março 2009 O que é o FAME? O FAME é um instrumento financeiro inovador, que consiste num fundo de apoio disponibilizado a empresários e empreendedores, com o objectivo de promover o investimento

Leia mais

DOS SISTEMAS MUNICIPAIS PARA A CRIAÇÃO DE UMA EMPRESA INTERMUNICIPAL DE ÁGUA E SANEAMENTO NA ILHA DE SANTIAGO

DOS SISTEMAS MUNICIPAIS PARA A CRIAÇÃO DE UMA EMPRESA INTERMUNICIPAL DE ÁGUA E SANEAMENTO NA ILHA DE SANTIAGO CÂMARA MUNICIPAL DA PRAIA DOS SISTEMAS MUNICIPAIS PARA A CRIAÇÃO DE UMA EMPRESA INTERMUNICIPAL DE ÁGUA E SANEAMENTO NA ILHA DE SANTIAGO - A reforma em curso e as necessidades em investimentos imediatos

Leia mais

AgdA Águas Públicas do Alentejo, S.A.

AgdA Águas Públicas do Alentejo, S.A. Parceria Estado-Autarquias Locais Contrato de Parceria Pública AgdA Águas Públicas do Alentejo, S.A. Parceria Pública- Pública Beja, 26 de Abril de 2013 1 Parceria Estado-Autarquias Locais Contrato de

Leia mais

A experiência da gestão directa

A experiência da gestão directa Gestão da Água em meio urbano no quadro regional, caminho para o futuro? A experiência da gestão directa Modelos de Gestão atuais, as diferentes visões e os resultados atuais. Caracterização do Concelho

Leia mais

Pedro Sobral. Gestão de Resíduos de Construção e Demolição CCDR-Alentejo/CM Montemor-o-Novo 26 de Julho, Évora

Pedro Sobral. Gestão de Resíduos de Construção e Demolição CCDR-Alentejo/CM Montemor-o-Novo 26 de Julho, Évora Pedro Sobral Gestão de Resíduos de Construção e Demolição CCDR-Alentejo/CM Montemor-o-Novo 26 de Julho, Évora A RESIALENTEJO em númerosn Área territorial: 8 Municípios População abrangida: 101.658 hab

Leia mais

Evolução na qualidade das águas residuais tratadas na APA/ARH Centro. Daniela Oliveira Nuno Bravo. APA/ARH do Centro

Evolução na qualidade das águas residuais tratadas na APA/ARH Centro. Daniela Oliveira Nuno Bravo. APA/ARH do Centro Evolução na qualidade das águas residuais tratadas na APA/ARH Centro Daniela Oliveira Nuno Bravo APA/ARH do Centro 09-04-2014 Instrumentos legais O Plano Estratégico de Abastecimento de Água e Saneamento

Leia mais

Beja Camacho Escola Básica - Almodôvar dos 2.º e 3.º Ciclos com Ensino Secundário Dr. João Brito Concelho: Almodôvar Tel.: 286660120 EFA Escolar - B3

Beja Camacho Escola Básica - Almodôvar dos 2.º e 3.º Ciclos com Ensino Secundário Dr. João Brito Concelho: Almodôvar Tel.: 286660120 EFA Escolar - B3 Distrito Entidade ConcelhoEntidade Telefone Curso Beja Centro de Formação Profissional de Aljustrel Concelho: Aljustrel Tel.: 284602367 Acção Educativa Beja Centro de Formação Profissional de Aljustrel

Leia mais

TIC. Energias Renováveis

TIC. Energias Renováveis População e Território No contexto regional o Alentejo figura-se como um dos cinco grandes agregados territoriais, ocupando cerca de 34% do território nacional. A morfologia do terreno é composta por vastas

Leia mais

ADSE - Entidades Convencionadas

ADSE - Entidades Convencionadas ADSE - Entidades Convencionadas Cuidados Continuados Integrados Estomatologia (Actos) Fisioterapia Patologia Clínica Radiologia TAC Distrito: (44 entidades em 03 Novembro 2009) Documento disponível na

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO VALE GONÇALINHO CASTRO VERDE

CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO VALE GONÇALINHO CASTRO VERDE CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO VALE GONÇALINHO CASTRO VERDE Seminário Equipamentos de Educação Ambiental para a Sustentabilidade Cátia Marques & Rita Alcazar Lisboa, APA, 19 de Dezembro de 2011 Centro

Leia mais

Direcção da Organização Regional de Beja do PCP (eleita na 8ª Assembleia da Organização Regional de Beja)

Direcção da Organização Regional de Beja do PCP (eleita na 8ª Assembleia da Organização Regional de Beja) Direcção da Organização Regional de Beja do PCP (eleita na 8ª Assembleia da Organização Regional de Beja) Ana Caeiro 37 Anos Engenheira Agrícola Dirigente da Confederação Nacional da Agricultura (CNA)

Leia mais

ÁREA EDUCATIVA DO BAIXO ALENTEJO E ALENTEJO LITORAL

ÁREA EDUCATIVA DO BAIXO ALENTEJO E ALENTEJO LITORAL Aljustrel Ervidel Actividade física e saúde 10 17:00-19:30 2ª a Jungeiros Actividade física e saúde 10 18:00-20:30 2ª a Almodôvar Santa Clara Centro Paroquial Gomes Aires Centro Cultural Aldeia dos Fernandes

Leia mais

Regime Jurídico da Exploração de Estabelecimentos de Alojamento Local (RJAL) Évora, março 2016

Regime Jurídico da Exploração de Estabelecimentos de Alojamento Local (RJAL) Évora, março 2016 Regime Jurídico da Exploração de Estabelecimentos de Alojamento Local (RJAL) Évora, março 2016 Decreto-Lei n.º 128/2014, de 29 de agosto, alterado pelo Decreto-Lei n.º 63/2015, de 23 abril OBJETIVOS Alojamento

Leia mais

AEPSA. Reunião com. Sua Excelência a Ministra da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território

AEPSA. Reunião com. Sua Excelência a Ministra da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território AEPSA Reunião com Sua Excelência a Ministra da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território 11 de Julho de 2012 AGENDA 1. Apresentação da AEPSA a) A AEPSA em Portugal b) Estratégia da

Leia mais

O Concelho de Beja. Localização

O Concelho de Beja. Localização O Concelho de Beja Localização Beja, capital de distrito, situa-se na região do Baixo Alentejo, no coração da vasta planície alentejana. É sede de um dos maiores concelhos de Portugal, com cerca de 1150

Leia mais

MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO DA PESQUEIRA DO ANO 2009

MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO DA PESQUEIRA DO ANO 2009 PÁGINA : 1 1. FUNÇÕES GERAIS 200.000,00 200.000,00 200.000,00 1.1. 180.000,00 180.000,00 180.000,00 1.1.1. ADMINISTRAÇÃO GERAL 180.000,00 180.000,00 180.000,00 1.1.1. 01 2005 ADMINISTRAÇÃO GERAL 55.000,00

Leia mais

PLATAFORMA SUPRACONCELHIA DO BAIXO ALENTEJO

PLATAFORMA SUPRACONCELHIA DO BAIXO ALENTEJO PLATAFORMA SUPRACONCELHIA DO BAIXO ALENTEJO ACTA NÚMERO QUATRO Aos 20 dias do mês de Setembro de 2007, reuniu nas instalações cedidas pelo Instituto Português da Juventude Delegação de Beja, às 15 horas,

Leia mais

CAPÍTULO 7 EVOLUÇÃO DA ÁREA NA AUSÊNCIA DO PROJECTO

CAPÍTULO 7 EVOLUÇÃO DA ÁREA NA AUSÊNCIA DO PROJECTO CAPÍTULO 7 EVOLUÇÃO DA ÁREA NA AUSÊNCIA DO PROJECTO ÍNDICE DE TEXTO VII. EVOLUÇÃO DA ÁREA NA AUSÊNCIA DO PROJECTO...219 217 218 VII. EVOLUÇÃO DA ÁREA NA AUSÊNCIA DO PROJECTO O presente capítulo tem como

Leia mais

ALCOUTIM GIÕES MARTIM LONGO PEREIRO VAQUEIROS ALJUSTREL ALMODÔVAR ALTER DO CHÃO CHANCELARIA CUNHEIRA SEDA ALVITO

ALCOUTIM GIÕES MARTIM LONGO PEREIRO VAQUEIROS ALJUSTREL ALMODÔVAR ALTER DO CHÃO CHANCELARIA CUNHEIRA SEDA ALVITO AVISO / N.º 03 / Acção 2.3.3/ 2009 SUBACÇÃO 2.3.3.3 PROTECÇÃO CONTRA AGENTES BIÓTICOS NOCIVOS Freguesias consideradas áreas críticas pela AFN para a tipologia de investimento "Recuperação de montados de

Leia mais

Cargo / Área / Setor

Cargo / Área / Setor Alandroal Aljustrel Alter do Chão Alvito Barrancos Castro Verde Grândola Redondo Reguengos de Monsaraz Santiago do Cacém Alandroal Aljustrel Alter do Chão Alvito Barrancos Castro Verde Grândola Redondo

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL SUSTENTABILIDADE E EFICIÊNCIA NO USO DE RECURSOS (PO SEUR) DOMÍNIO DE INTERVENÇÃO (022) TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS

PROGRAMA OPERACIONAL SUSTENTABILIDADE E EFICIÊNCIA NO USO DE RECURSOS (PO SEUR) DOMÍNIO DE INTERVENÇÃO (022) TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS PROGRAMA OPERACIONAL SUSTENTABILIDADE E EFICIÊNCIA NO USO DE RECURSOS (PO SEUR) DOMÍNIO DE INTERVENÇÃO (022) TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS TIPOLOGIA DE OPERAÇÕES PRIORIDADE 6II ; OBJETIVO ESPECÍFICO 2

Leia mais

Informação oficial EDITAL N.º 50/2014 EDITAL N.º 61/2014 Nuno José Gonçalves Mascarenhas, Presidente da Câmara Municipal de Sines, ao abrigo do n.º 1 do art.º 56.º da Lei 75/2013 de 12 de setembro, torna

Leia mais

O case study da aplicação da plataforma NAVIA no processo de fusão da Águas do Noroeste

O case study da aplicação da plataforma NAVIA no processo de fusão da Águas do Noroeste A IMPORTÂNCIA DE UMA PLATAFORMA AGREGADORA DE PROCESSOS NA GESTÃO OPERACIONAL DE UM SISTEMA MULTIMUNICIPAL O case study da aplicação da plataforma NAVIA no processo de fusão da Águas do Noroeste Liliana

Leia mais

PROJETO COLABORATIVO DE GESTÃO DE CAUDAIS INDEVIDOS NO GRUPO AQUAPOR LUSÁGUA

PROJETO COLABORATIVO DE GESTÃO DE CAUDAIS INDEVIDOS NO GRUPO AQUAPOR LUSÁGUA PROJETO COLABORATIVO DE GESTÃO DE CAUDAIS INDEVIDOS NO GRUPO AQUAPOR LUSÁGUA Sara CARRIÇO 1 ; Susana BARRETO 2 ; Filipe ALPUIM 3 ; Paulo OLIVEIRA 4 RESUMO A melhoria da eficiência dos sistemas de drenagem

Leia mais

A Reforma Institucional em curso do Sector da Água e do Saneamento em Cabo Verde

A Reforma Institucional em curso do Sector da Água e do Saneamento em Cabo Verde A Reforma Institucional em curso do Sector da Água e do Saneamento em Cabo Verde Por: António Pedro B. BORGES Coordenador da Comissão de Reforma do Sector da Água e Saneamento MAHOT - Praia, Cabo Verde

Leia mais

SISTEMAS AMBIENTAIS E DE PREVENÇÃO GESTÃO E MONITORIZAÇÃO DE RISCOS (FUNDO COESÃO)

SISTEMAS AMBIENTAIS E DE PREVENÇÃO GESTÃO E MONITORIZAÇÃO DE RISCOS (FUNDO COESÃO) AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS EIXO PRIORITÁRIO II SISTEMAS AMBIENTAIS E DE PREVENÇÃO GESTÃO E MONITORIZAÇÃO DE RISCOS (FUNDO COESÃO) DOMÍNIO DE INTERVENÇÃO CICLO URBANO DA ÁGUA REGULAMENTO ESPECÍFICO

Leia mais

Histórico de Formações Suporte Básico de Vida

Histórico de Formações Suporte Básico de Vida Histórico de Formações Suporte Básico de Vida 2000 Bombeiros de Cuba Cuba 11-03-2000 Colégio N. Sr. Graça Mil Fontes 05-04-2000 Colégio N. Sr. Graça Mil Fontes 05-05-2000 H. Conde Braciál S. do Cacém 12-05-2000

Leia mais

Sociedade de Desenvolvimento Turístico das Ilhas de Boa Vista e Maio, SA

Sociedade de Desenvolvimento Turístico das Ilhas de Boa Vista e Maio, SA Sociedade de Desenvolvimento Turístico das Ilhas de Boa Vista e Maio, SA MISSÃO E OBJECTIVOS Iª APOIBM, Ilha da Boa Vista, 15 de Outubro de 2009 NATUREZA SOCIETÁRIA E Sociedade CAPITAL SOCIAL anónima de

Leia mais

A changing reality: Religious and Cultural Tourism in the Alentejo

A changing reality: Religious and Cultural Tourism in the Alentejo A changing reality: Religious and Cultural Tourism in the Alentejo Prof. José António Falcão (Dept of Historical and Artistic Heritage, Diocese of Beja) Santiago combatendo os Mouros Mestre do Retábulo

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE ATIVIDADE 06/02/2012 a 15/11/2013

RELATÓRIO FINAL DE ATIVIDADE 06/02/2012 a 15/11/2013 Projeto SENSIBILIZAR PARA INTEGRAR CONCELHOS DO ALENTEJO RELATÓRIO FINAL DE ATIVIDADE 06/02/2012 a 15/11/2013 OBJETIVO, ÂMBITO E DIMENSÃO DA ATIVIDADE Durante o período de 06/02/2012 a 15/11/2013 estivemos

Leia mais

Eixo Temático ET-04-005 - Gestão Ambiental em Saneamento PROPOSTA DE SANEAMENTO BÁSICO NO MUNICÍPIO DE POMBAL-PB: EM BUSCA DE UMA SAÚDE EQUILIBRADA

Eixo Temático ET-04-005 - Gestão Ambiental em Saneamento PROPOSTA DE SANEAMENTO BÁSICO NO MUNICÍPIO DE POMBAL-PB: EM BUSCA DE UMA SAÚDE EQUILIBRADA 225 Eixo Temático ET-04-005 - Gestão Ambiental em Saneamento PROPOSTA DE SANEAMENTO BÁSICO NO MUNICÍPIO DE POMBAL-PB: EM BUSCA DE UMA SAÚDE EQUILIBRADA Marcos Antônio Lopes do Nascimento¹; Maria Verônica

Leia mais

Vistos Gold em Portugal Autorização de Residência para Investidores

Vistos Gold em Portugal Autorização de Residência para Investidores Vistos Gold em Portugal Autorização de Residência para Investidores O programa Vistos Gold, lançado pelas autoridades portuguesas, é um método rápido para investidores estrangeiros obterem uma licença

Leia mais

Lojas CTT com Espaços Cidadão. agosto 2015

Lojas CTT com Espaços Cidadão. agosto 2015 Lojas CTT com Espaços Cidadão agosto 2015 Lojas CTT com Espaços do Cidadão até final de agosto Distrito Concelho Freguesia- designação atual Loja Lisboa Lisboa Alvalade ALVALADE (LISBOA) Lisboa Amadora

Leia mais

DENOMINAÇÃO CONCELHO DISTRITO

DENOMINAÇÃO CONCELHO DISTRITO Casa do Povo de Amoreira da Gândara Anadia Aveiro 2004 Casa do Povo de Oliveirinha Aveiro Aveiro 2003 Casa do Povo de Vacariça Mealhada Aveiro 2003 Casa do Povo de Mamarrosa Oliveira do Bairro Aveiro 2004

Leia mais

PROCONVERGENCIA ORIENTAÇÃO N.º 1/2011 ORIENTAÇÃO DE GESTÃO PROGRAMA OPERACIONAL DOS AÇORES PARA A CONVERGÊNCIA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES

PROCONVERGENCIA ORIENTAÇÃO N.º 1/2011 ORIENTAÇÃO DE GESTÃO PROGRAMA OPERACIONAL DOS AÇORES PARA A CONVERGÊNCIA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES PROCONVERGENCIA PROGRAMA OPERACIONAL DOS AÇORES PARA A CONVERGÊNCIA ORIENTAÇÃO N.º 1/2011 ORIENTAÇÃO DE GESTÃO FEDER Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional Abril de 2011 PROCONVERGENCIA

Leia mais

ALOJAMENTOS OFICIAIS PARA ANIMAIS DE COMPANHIA - CENTROS DE RECOLHA OFICIAIS (CRO) AUTORIZADOS

ALOJAMENTOS OFICIAIS PARA ANIMAIS DE COMPANHIA - CENTROS DE RECOLHA OFICIAIS (CRO) AUTORIZADOS 1 ABRANTES LVT INTERMUNICIPAL S PT 05 002 CGM in situ 2 ÁGUEDA C MUNICIPAL PT 03 004 CGM 3 AGUIAR DA BEIRA C INTERMUNICIPAL PT 03 005 CGM SÁTÃO 4 ALCANENA LVT INTERMUNICIPAL PT 05 005 CGM TORRES NOVAS

Leia mais

21 de Outubro de

21 de Outubro de 21 de Outubro de 2008 1 Conceito e Finalidade Sistema de articulação de diferentes parceiros públicos e privados que tem por objectivos: Criar um ambiente institucional favorável à expansão de um voluntariado

Leia mais

Horticultura Ornamental em Portugal - Perspetiva atual e tendências futuras

Horticultura Ornamental em Portugal - Perspetiva atual e tendências futuras Horticultura Ornamental em Portugal - Perspetiva atual e tendências futuras Lusoflora, 27 de fevereiro de 2015 Bolsa Nacional de Terras Potenciar a utilização do território rural A nossa Visão Potenciar

Leia mais

2º ENCONTRO TÉCNICO PONTA DELGADA O TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS INDUSTRIAIS E A REUTILIZAÇÃO DO EFLUENTE FINAL. João de Quinhones Levy ( * )

2º ENCONTRO TÉCNICO PONTA DELGADA O TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS INDUSTRIAIS E A REUTILIZAÇÃO DO EFLUENTE FINAL. João de Quinhones Levy ( * ) 2º ENCONTRO TÉCNICO PONTA DELGADA 26 de Maio de 1999 O TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS INDUSTRIAIS E A REUTILIZAÇÃO DO EFLUENTE FINAL João de Quinhones Levy ( * ) 1 PROCESSOS DE TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS

Leia mais

Concelho de Beja, Cuba, Ferreira do Alentejo, Portel e Vidigueira. Região do Algarve. Nome do Canal Frequência [MHz] Canal

Concelho de Beja, Cuba, Ferreira do Alentejo, Portel e Vidigueira. Região do Algarve. Nome do Canal Frequência [MHz] Canal Concelho de Beja, Cuba, Ferreira do Alentejo, Portel e Vidigueira Região do Algarve TVI 203,25 CC9 RTP Informação 210,25 CC10 SIC Notícias 217,25 CC11 TVI 24 224,25 CC12 RTP Memória 231,25 S11 MGM Portugal

Leia mais

Boletim Trimestral de Concessões 1.º Trimestre de 2013. U T A P Unidade Técnica de Acompanhamento de Projetos

Boletim Trimestral de Concessões 1.º Trimestre de 2013. U T A P Unidade Técnica de Acompanhamento de Projetos Boletim Trimestral de Concessões 1.º Trimestre de 2013 U T A P Conteúdos 1. Introdução e enquadramento... 6 2. Factos relevantes... 7 2.1 Privatização da ANA Aeroportos de Portugal, S.A.... 7 2.2 Investimentos

Leia mais

2ª e 4ª feira 3ª e 5ª feira 2ª, 3ª e 4ª - feira 5ª - feira. Avis Benavila. Conservação e Restauro. Avis 10 18:00-20:00 15:00-16:00 15:00-17:00

2ª e 4ª feira 3ª e 5ª feira 2ª, 3ª e 4ª - feira 5ª - feira. Avis Benavila. Conservação e Restauro. Avis 10 18:00-20:00 15:00-16:00 15:00-17:00 Avis Avis Benavila Conservação e Restauro Campo Maior Campo Maior Reviver o Passado Elvas Elvas Desenho Artístico / Materiais e Novas Tendências Gavião Ferraria Tapeçaria de Arraiolos 10 Monforte Monforte

Leia mais

Hidráulica e Ambiente

Hidráulica e Ambiente Hidráulica e Ambiente Abastecimento de Água 1./ Obras da Rede de Distribuição de Lisboa Coordenação de Segurança, Saúde e Ambiente - 1996 - Cliente: EPAL, SA Ano: 2011 Valor: --- 2./ Estudo de actualização

Leia mais

Eng.º José Pinto Leite

Eng.º José Pinto Leite Dia 27 de Maio Investimento e sustentabilidade Eng.º José Pinto Leite Programa Polis Congresso LIDER A 09 Sustentabilidade e o POLIS José Manuel Pinto Leite IST 27/05/2009 1 Sustentabilidade e o POLIS

Leia mais

PARCEIROS E ACTIVIDADES DESENVOLVIDAS NA CELEBRAÇÃO DO DNPST 2011

PARCEIROS E ACTIVIDADES DESENVOLVIDAS NA CELEBRAÇÃO DO DNPST 2011 REGIÃO ALENTEJO PARCEIROS E ACTIVIDADES DESENVOLVIDAS NA CELEBRAÇÃO DO DNPST 2011 ALENTEJO CENTRAL ÉVORA REGIÃO ALENTEJO Évora PARCEIROS E ACTIVIDADES A DESENVOLVER NA CELEBRAÇÃO DO DNPST 2010 SERVIÇOS

Leia mais

Segurança e Desempenho dos Sistemas de Informação. Norberto Chinita norberto.chinita@ulsba.min-saude.pt

Segurança e Desempenho dos Sistemas de Informação. Norberto Chinita norberto.chinita@ulsba.min-saude.pt Segurança e Desempenho dos Sistemas de Informação Norberto Chinita norberto.chinita@ulsba.min-saude.pt Segurança e Desempenho dos Apresentação da ULSBA A Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo EPE foi

Leia mais

DESPACHO PC 9/2013 - MANDATO 2013/2017 SUBDELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS

DESPACHO PC 9/2013 - MANDATO 2013/2017 SUBDELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS DESPACHO PC 9/2013 - MANDATO 2013/2017 SUBDELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS Tendo a Câmara Municipal procedido, em 21 de outubro de 2013, à delegação de competências nos termos permitidos pela Lei n.º 75/2013,

Leia mais

CONTRIBUTO DA INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA NA GESTÃO OPERACIONAL DE ENTIDADES GESTORAS DE SERVIÇOS DE ÁGUAS

CONTRIBUTO DA INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA NA GESTÃO OPERACIONAL DE ENTIDADES GESTORAS DE SERVIÇOS DE ÁGUAS CONTRIBUTO DA INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA NA GESTÃO OPERACIONAL DE ENTIDADES GESTORAS DE SERVIÇOS DE ÁGUAS JOÃO COELHO RITA ALMEIDA ALICE GANHÃO ANA SANTOS JOÃO FELICIANO Conferência Nacional de Geodecisão Escola

Leia mais

Jornadas Técnicas de Água e Saneamento da África Sub-Saheliana Apresentação da Situação de Abastecimento de Água e Saneamento em Cabo Verde

Jornadas Técnicas de Água e Saneamento da África Sub-Saheliana Apresentação da Situação de Abastecimento de Água e Saneamento em Cabo Verde Jornadas Técnicas de Água e Saneamento da África Sub-Saheliana Apresentação da Situação de Abastecimento de Água e Saneamento em Cabo Verde ABRIL DE 2009 Índice Apresentação da ELECTRA, SA Papel da empresa

Leia mais

A Evolução dos Serviços de Água em Portugal

A Evolução dos Serviços de Água em Portugal A Evolução dos Serviços de Água em Portugal AcquaLifeExpo Lisboa, 22-25 de Março de 2012 Centro Empresarial Torres de Lisboa Rua Tomás da Fonseca, Torre G 8º 1600-209 LISBOA - PORTUGAL www.ersar.pt Tel.:

Leia mais

MUNICÍPIO DE VILA NOVA DE CERVEIRA. Ac. Câmara

MUNICÍPIO DE VILA NOVA DE CERVEIRA. Ac. Câmara (AO-01) ESCLARECIMENTOS PRESTADOS PELO PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL SOBRE O ENQUADRAMENTO DO ACORDO ENTRE MUNICIPIO DE VILA NOVA DE CERVEIRA E ÁGUAS DO NOROESTE, S.A. O Senhor Presidente da Câmara Municipal

Leia mais

EIXO 1 COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO

EIXO 1 COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO EIXO 1 COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO REGULAMENTO ESPECÍFICO: ENERGIA AVISO N.º 2/E/BA ABERTURA DE CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS EM CONTÍNUO COM EXTRACÇÕES TRIMESTRAIS Na sequência

Leia mais

Seminário AGRICULTURA FAMILIAR E SUSTENTABILIDADE DOS TERRITÓRIOS RURAIS. Isabel Rodrigo

Seminário AGRICULTURA FAMILIAR E SUSTENTABILIDADE DOS TERRITÓRIOS RURAIS. Isabel Rodrigo Seminário AGRICULTURA FAMILIAR E SUSTENTABILIDADE DOS TERRITÓRIOS RURAIS Agricultura Familiar no Rural Baixa Densidade Sul: uma síntese Isabel Rodrigo Instituto Superior de Agronomia (ISA/UL) Sociedade

Leia mais

AGENDA VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO

AGENDA VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO Novas Oportunidades para o Financiamento de Investimento Público e Empresarial no âmbito do QREN --- Sines 11 de Março de 2008 A Agenda Operacional para a Valorização do Território é uma estratégia de

Leia mais

Contratualização do Serviço de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário RMSP. Paulo Massato Yoshimoto - Diretor Metropolitano Sabesp

Contratualização do Serviço de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário RMSP. Paulo Massato Yoshimoto - Diretor Metropolitano Sabesp Contratualização do Serviço de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário RMSP Paulo Massato Yoshimoto - Diretor Metropolitano Sabesp Região Metropolitana de São Paulo São Paulo 39 municípios - 20,1

Leia mais

Lista de Escolas de Validação

Lista de Escolas de Validação Lista de Escolas de Validação Este documento contém: Escolas que têm capacidade de validar documentação e que são as escolas nas quais os candidatos têm de garantir a entrega da sua documentação de suporte

Leia mais

IV Seminário Plataformas Logísticas Ibéricas

IV Seminário Plataformas Logísticas Ibéricas IV Seminário Plataformas Logísticas Ibéricas Preparar a Retoma, Repensar a Logística 10 de Novembro NOVOHOTEL SETUBAL Comunicação: Factores de Atractividade da oferta logística do Alentejo Orador: Dr.

Leia mais

A IMIGRAÇÃO EM PORTUGAL E NO ALENTEJO. A SINGULARIDADE DO CONCELHO DE ODEMIRA.

A IMIGRAÇÃO EM PORTUGAL E NO ALENTEJO. A SINGULARIDADE DO CONCELHO DE ODEMIRA. A IMIGRAÇÃO EM PORTUGAL E NO ALENTEJO. A SINGULARIDADE DO CONCELHO DE ODEMIRA. - RESULTADOS PRELIMINARES - Alina Esteves Ana Estevens Jornadas de Reflexão 29 de Maio A Realidade da Imigração em Odemira

Leia mais

Associação para o Desenvolvimento do Baixo Guadiana

Associação para o Desenvolvimento do Baixo Guadiana Associação para o Desenvolvimento do Baixo Guadiana A Associação Odiana Esta Associação, sem fins lucrativos, fundada pelos municípios de Alcoutim, Castro Marim e Vila Real de Santo António em Dezembro

Leia mais

QZP-10 Z1 BRAGA (03) VIANA DO CASTELO (16) PORTO (13) TÂMEGA (22) Z2 DOURO SUL (20) VILA REAL (17) BRAGANÇA (04)

QZP-10 Z1 BRAGA (03) VIANA DO CASTELO (16) PORTO (13) TÂMEGA (22) Z2 DOURO SUL (20) VILA REAL (17) BRAGANÇA (04) QZP-10 Z1 BRAGA (03) VIANA DO CASTELO (16) PORTO (13) TÂMEGA (22) Z2 DOURO SUL (20) VILA REAL (17) BRAGANÇA (04) Z3 ENTRE DOURO E VOUGA (21) AVEIRO (01) VISEU (18) Z4 COIMBRA (06) LEIRIA (10) Z5 CASTELO

Leia mais

Principais Mercados: Turismo e Administração Local. Grande investimento em I&DT a partir de 2009

Principais Mercados: Turismo e Administração Local. Grande investimento em I&DT a partir de 2009 OMNIBEES PLATAFORMAS DIGITAIS AUTARQUIA 360 Isadora Justo Visualforma Marketing Manager FAST FACTS VISUALFORMA 20 anos no mercado Parcerias estratégicas com players TIC Principais Mercados: Turismo e Administração

Leia mais

Qgis na Gestão Patrimonial de Infraestruturas (GPI) Município do Sabugal. Telmo Salgado e Ana Carreira

Qgis na Gestão Patrimonial de Infraestruturas (GPI) Município do Sabugal. Telmo Salgado e Ana Carreira Qgis na Gestão Patrimonial de Infraestruturas (GPI) Município do Sabugal Telmo Salgado e Ana Carreira Introdução do Qgis no SIG da câmara municipal do sabugal Teve como motivação principal os custos elevados

Leia mais

ANEXO II. Página 1 ORDEM TIPO DE C. CLASSE CONCELHO TEM SISTEMA?

ANEXO II. Página 1 ORDEM TIPO DE C. CLASSE CONCELHO TEM SISTEMA? ORDEM TIPO DE C. CLASSE CONCELHO TEM SISTEMA? 2 C. Predial 1 VISEU NÃO 0 C. Predial/Comercial 1 BRAGANÇA NÃO 0 C. Civil/Predial/Comercial 2 VILA NOVA DE CERVEIRA NÃO 0 C. Predial/Comercial 1 VIANA DO CASTELO

Leia mais

Atribuições e competências dos vários níveis de administração pública Competências e financiamento das Autarquias locais

Atribuições e competências dos vários níveis de administração pública Competências e financiamento das Autarquias locais Sumário Atribuições e competências dos vários níveis de Competências e financiamento das Autarquias locais Níveis de administração Administração Central/Nível Nacional Administração Local/Nível Municipal

Leia mais

Postos de Informação Turística do Alentejo

Postos de Informação Turística do Alentejo Postos de Informação Turística do Alentejo Posto de Turismo de Alandroal 7250-116 ALANDROAL www.cm-alandroal.pt pturismo.adl.dsscd@cm-alandroal.pt Tel.+351 268 440 045 Fax. +351 268 440 042 Posto de Turismo

Leia mais

Distrito de Beja - 2012/2013

Distrito de Beja - 2012/2013 Direcção Regional de Educação do Ditrito de Beja - 2012/2013 Enino Pré-Ecolar 1º Ciclo 2º Ciclo 3º Ciclo PIEF PCA CEF Secundário CH Secundário CT Profiionai Sala Aluno Turma Aluno Turma Aluno Turma Aluno

Leia mais

PROGRAMA DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA

PROGRAMA DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA USP de Concelho A. Identificação da Zona Balnear Zona Balnear Identificada: Zona Balnear (cod.) (designação) Bandeira Azul Praia Acessível (ano de atribuição) (ano de atribuição) Identificação do local

Leia mais

Listagem de delegações da IGAC por ordem alfabética

Listagem de delegações da IGAC por ordem alfabética ÁGUEDA AGUIAR DA BEIRA ALBERGARIA-A-VELHA ALBUFEIRA ALCÁCER DO SAL ALCANENA ALCOBAÇA ALCOCHETE ALCOUTIM ALENQUER ALFÂNDEGA DA FÉ ALJEZUR ALJUSTREL ALMADA ALMEIDA ALMEIRIM ALMODÔVAR ALTER DO CHÃO AMADORA

Leia mais

A Calvão C Montes Rita Ortigão C Marques

A Calvão C Montes Rita Ortigão C Marques O CANTO DO CANTE GRUPOS CORAIS ALENTEJANOS In www.joraga.net/gruposcorais O CANTO DO CANTE e-mail: joraga@netcabo.pt A Calvão C Montes Rita Ortigão C Marques GRUPOS CORAIS ALENTEJANOS Organização por:

Leia mais

14638 Diário da República, 2.ª série N.º 107 4 de junho de 2014

14638 Diário da República, 2.ª série N.º 107 4 de junho de 2014 14638 Diário da República, 2.ª série N.º 107 4 de junho de 2014 MUNICÍPIO DE ALMADA Aviso (extrato) n.º 6778/2014 Nos termos do Estatuto do Pessoal Dirigente, torna -se público que o presidente desta Câmara

Leia mais

Decisão de Não Oposição da Autoridade da Concorrência

Decisão de Não Oposição da Autoridade da Concorrência Ccent. 45/2012 Auto-Sueco / Grupo Master Test Decisão de Não Oposição da Autoridade da Concorrência [alínea b) do n.º 1 do artigo 50.º da Lei n.º 19/2012, de 8 de maio] 9/11/2012 DECISÃO DE NÃO OPOSIÇÃO

Leia mais

Decreto Presidencial n.º 152/11, de 13 de Junho

Decreto Presidencial n.º 152/11, de 13 de Junho Decreto Presidencial n.º 152/11, de 13 de Junho Página 1 de 16 Considerando a importância histórica, paisagística, turística e a localização privilegiada do perímetro demarcado do Futungo de Belas, o Conselho

Leia mais

Denominação Social Sogei Engenharia e Construção, SA Sede: Av. Cidade de Lisboa Edifício Águia R/C Chã de Areia Praia Santiago CP 426/A Natureza

Denominação Social Sogei Engenharia e Construção, SA Sede: Av. Cidade de Lisboa Edifício Águia R/C Chã de Areia Praia Santiago CP 426/A Natureza Denominação Social Sogei Engenharia e Construção, SA Sede: Av. Cidade de Lisboa Edifício Águia R/C Chã de Areia Praia Santiago CP 426/A Natureza Jurídica S.A. Sociedade Anónima Telefone: (+238 2602200)

Leia mais

EMPREENDER NA ESCOLA

EMPREENDER NA ESCOLA PROGRAMA para o "Tudo parece impossível até que seja feito. Nelson Mandela APRESENTAÇÃO O programa Empreender na Escola Metodologia Programa Didático - Manuais Implementação do projeto Cronograma de atividades

Leia mais

Jornadas de Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Algarve- Gestão das Águas

Jornadas de Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Algarve- Gestão das Águas Enquadramento Página 2 Breve perspetiva da evolução do setor Enquadramento O país beneficiou de um conjunto avultado de investimentos em infraestruturas que permitiram alterar de forma significativa o

Leia mais

TABELA DE PREÇOS 2014

TABELA DE PREÇOS 2014 TABELA DE PREÇOS 2014 ECODEPUR - Tecnologias de Protecção Ambiental, Lda Urbanização da Chã Av. 21 de Junho, n.º 103 Apartado 8 2435-087 Caxarias PORTUGAL T. +351 249 571 500 F. +351 249 571 501 geral@ecodepur.pt

Leia mais

Caracterização do Sector Português da Água

Caracterização do Sector Português da Água Caracterização do Sector Português da Água ÁGUAGLOBAL A Internacionalização do Sector Português da Água AEP - Edifício de Serviços 19 de Abril de 2012 Centro Empresarial Torres de Lisboa Rua Tomás da Fonseca,

Leia mais

COOLIMPA MODELO DE GESTÃO CONJUNTA DE RESÍDUOS SÓLIDOS NOS MUNICÍPIOS DA FAIXA DE FRONTEIRA PONTA PORA(BR)

COOLIMPA MODELO DE GESTÃO CONJUNTA DE RESÍDUOS SÓLIDOS NOS MUNICÍPIOS DA FAIXA DE FRONTEIRA PONTA PORA(BR) COOLIMPA MODELO DE GESTÃO CONJUNTA DE RESÍDUOS SÓLIDOS NOS MUNICÍPIOS DA FAIXA DE FRONTEIRA PONTA PORA(BR) e PEDRO JUAN CABALLERO(PY) Rio de Janeiro, 19 de maio de 2015 FAIXA DE FRONTEIRA BRASILEIRA (15.719km)

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DE PSA NOVAS ABORDAGENS À IMPLEMENTAÇÃO

IMPLEMENTAÇÃO DE PSA NOVAS ABORDAGENS À IMPLEMENTAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO DE PSA NOVAS ABORDAGENS À IMPLEMENTAÇÃO Cláudia GUERREIRO 1 ; Hélio PEREIRA 2 RESUMO O enquadramento legal imposto pelo Decreto-Lei n.º 194/2009 e a vontade da Aquapor em elevar o padrão

Leia mais

RELATÓRIO DO ESTADO DO AMBIENTE 2008 INDICADORES

RELATÓRIO DO ESTADO DO AMBIENTE 2008 INDICADORES RELATÓRIO DO ESTADO DO AMBIENTE 28 1 INDICADORES ÁGUA 8 Evolução do número de análises em cumprimento do valor paramétrico 1, Análises (n.º) 7 6 5 4 3 2 1 591 65 64 278 97,48% 97,53% Fonte: ERSAR, 29 623

Leia mais

Áreas de influência de centros urbanos: Modelos de equilíbrio do sistema urbano

Áreas de influência de centros urbanos: Modelos de equilíbrio do sistema urbano Áreas de influência de centros urbanos: Conceito Métodos de determinação Hierarquia urbana Modelos de equilíbrio do sistema urbano Instituto Superior Técnico/Departamento de Engenharia Civil e Arquitectura

Leia mais

Cidade de São Paulo. 3ª CLÍNICA INTEGRADA ENTRE USO DO SOLO E TRANSPORTES Rio, out/2011

Cidade de São Paulo. 3ª CLÍNICA INTEGRADA ENTRE USO DO SOLO E TRANSPORTES Rio, out/2011 Cidade de São Paulo 3ª CLÍNICA INTEGRADA ENTRE USO DO SOLO E TRANSPORTES Rio, out/2011 LOCALIZAÇÃO POPULAÇÃO (Censo 2010) RMSP...19.683.975 habitantes Município de São Paulo...11.253.563 habitantes Estatuto

Leia mais

Especialmente criado para: Soluções criativas para empresas vencedoras

Especialmente criado para: Soluções criativas para empresas vencedoras Especialmente criado para: Soluções criativas para empresas vencedoras Alentejo 08 a 10 de Abril 2016 Itinerário 1º Dia 08 de Abril (Sex.) LISBOA / TRÓIA / CASTRO VERDE Em hora e local a combinar, partida

Leia mais

Bolsa Nacional de Terras. A Cultura do Medronheiro

Bolsa Nacional de Terras. A Cultura do Medronheiro Bolsa Nacional de Terras A Cultura do Medronheiro Sardoal, 19 novembro 2015 A nossa Visão Potenciar o máximo aproveitamento e utilização do território rural português O desafio inicial da Bolsa de Terras

Leia mais

ANEXO A. Carta Educativa do Concelho de Mafra Anexo A, Pág. 305

ANEXO A. Carta Educativa do Concelho de Mafra Anexo A, Pág. 305 ANEXO A Anexo A, Pág. 305 Jardim de Infância (JI) Faixa Etária: 3 aos 5 anos Observações Percursos escola-habitação A pé - preferencial até 15 minutos; Em transporte público - máx. aceitável 20 minutos.

Leia mais

Entidades Intermunicipais. Entidade Intermunicipal Designação Munícipios População. Comunidade Intermunicipal do Alto Minho

Entidades Intermunicipais. Entidade Intermunicipal Designação Munícipios População. Comunidade Intermunicipal do Alto Minho Intermunicipal Intermunicipal Intermunicipal Área Metropolitana Intermunicipal Intermunicipal do Alto Minho Intermunicipal do Cávado Área Metropolitana do Porto Intermunicipal do Ave Intermunicipal do

Leia mais

Região Alentejo RESULTADOS PRELIMINARES. Evolução da População Residente. Variação da População Residente por NUTS III,

Região Alentejo RESULTADOS PRELIMINARES. Evolução da População Residente. Variação da População Residente por NUTS III, Região Alentejo A região do Alentejo com 758 739 pessoas recenseadas pelos Censos 2011, tem vindo a perder progressivamente população ao longo das últimas décadas. Nos últimos dez anos a redução foi de

Leia mais

PLATAFORMA SUPRACONCELHIA DO BAIXO ALENTEJO

PLATAFORMA SUPRACONCELHIA DO BAIXO ALENTEJO PLATAFORMA SUPRACONCELHIA DO BAIXO ALENTEJO ACTA NÚMERO UM Aos 15 dias do mês de Dezembro de 2006, reuniu nas instalações cedidas pelo Instituto Português da Juventude Delegação de Beja, às 15 horas, depois

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Decreto-Lei n.º 99/2001 de 28 Março

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Decreto-Lei n.º 99/2001 de 28 Março MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Decreto-Lei n.º 99/2001 de 28 Março As escolas superiores de enfermagem e de tecnologia da saúde são estabelecimentos de ensino politécnico dotados de personalidade jurídica e de

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE ALJUSTREL - ATA N.º 10/2013 -

CÂMARA MUNICIPAL DE ALJUSTREL - ATA N.º 10/2013 - - ATA N.º 10/2013 - ---------- Aos quinze dias do mês de Maio do ano de dois mil e treze, na Sala de Sessões do Edifício dos Paços do Concelho, reuniu ordinariamente a Câmara Municipal de Aljustrel, tendo

Leia mais

CENTRAL SOLAR FOTOVOLTAICA DE AMARELEJA REFERÊNCIA MUNDIAL NO DESENVOLVIMENTO DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS

CENTRAL SOLAR FOTOVOLTAICA DE AMARELEJA REFERÊNCIA MUNDIAL NO DESENVOLVIMENTO DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS CENTRAL SOLAR FOTOVOLTAICA DE AMARELEJA REFERÊNCIA MUNDIAL NO DESENVOLVIMENTO DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS A MAIOR CENTRAL FOTOVOLTAICA DO MUNDO COM SEGUIDORES SOLARES AMARELEJA ENTRADA PRINCIPAL A central

Leia mais

INTRODUÇÃO 4 ENQUADRAMENTO DA REDE SOCIAL 6 POBREZA E EXCLUSÃO SOCIAL - CONCEITOS E REALIDADES 10

INTRODUÇÃO 4 ENQUADRAMENTO DA REDE SOCIAL 6 POBREZA E EXCLUSÃO SOCIAL - CONCEITOS E REALIDADES 10 ACTUALIZAÇÃO DO DIAGNÓSTICO SOCIAL RELATÓRIO 2011 CCLLAASSSSCC CCoonnsseel llhhoo LLooccaal ll ddee AAccççããoo SSoocci iiaal ll ddee SSaannt ti iiaaggoo ddoo CCaaccéémm 1 INNDDI I IICCEE GEERRAALL INTRODUÇÃO

Leia mais

A NOVA LEGISLAÇÃO PARA RESÍDUOS RESULTANTES DA ACTIVIDADE EXTRACTIVA

A NOVA LEGISLAÇÃO PARA RESÍDUOS RESULTANTES DA ACTIVIDADE EXTRACTIVA A NOVA LEGISLAÇÃO PARA RESÍDUOS RESULTANTES DA ACTIVIDADE EXTRACTIVA João M. L. Meira Geólogo Mário J. N. Bastos Engenheiro de Minas INTRODUÇÃO A exploração de minas e pedreiras, bem como a actividade

Leia mais

1º - PONTO CRIAÇÃO DE EMPRESA INTERMUNICIPAL DE CAPITAIS PÚBLICOS PARA O ABASTECIMENTO DE ÁGUA E SANEAMENTO

1º - PONTO CRIAÇÃO DE EMPRESA INTERMUNICIPAL DE CAPITAIS PÚBLICOS PARA O ABASTECIMENTO DE ÁGUA E SANEAMENTO 13ª - 19/06/2006 ACTA DA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE MONTEMOR-O-NOVO REALIZA- DA NO DIA DEZANOVE E DOIS DE JUNHO DE DOIS MIL E SEIS Aos dezanove dias do mês de Junho do ano dois mil e

Leia mais