Serão utilizadas as seguintes tecnologias para o desenvolvimento do projeto:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Serão utilizadas as seguintes tecnologias para o desenvolvimento do projeto:"

Transcrição

1 Prpsta Técnica 1. Objetiv O escritóri de advcacia Guvêa Vieira Advgads necessita refrmular e mdernizar sua presença na Internet, através da cnstruçã de um nv website, mais dinâmic e interativ, cntend infrmações institucinais sempre atualizadas, divulgand ntícias, events, artigs e demais publicações de interesse para s seus públics. O prjet que será desenvlvid para Guvêa Vieira Advgads, dravante denminad Cntratante, pela Add Technlgies, dravante denminada Cntratada, tem pr bjetiv a cnstruçã d nv website, utilizand sluçã CMS (Cntent Management System), a fim de permitir que a própria equipe interna da Cntratante pssa ter autnmia para gerenciar e atualizar s cnteúds d nv site. 2. Premissas A Cntratada estará respnsável pr: Dispnibilizar s recurss necessáris desde a iniciaçã até a cnclusã d prjet. Preparar ambiente de desenvlviment cm CMS (Cntent Management System). Desenvlver prjet de arquitetura de infrmações e design gráfic d site. Desenvlver as funcinalidades descritas n escp desta prpsta. Ministrar treinament sbre atualizaçã de cnteúds n CMS. Testar e dispnibilizar sistema em ambiente de hmlgaçã. Apiar a implantaçã d site em ambiente de prduçã. A Cntratante estará respnsável pr: Designar um representante autrizad a atuar cm canal de cmunicaçã, efetuar hmlgações e acmpanhar td prjet. Frnecer as infrmações necessárias a levantament e especificaçã funcinal e participar d detalhament das funcinalidades previstas. Frnecer s texts, traduções, ftgrafias e dcuments necessáris a prjet. Definir até 5 (cinc) pessas de sua equipe que participarã d treinament. Validar e frmalizar aceite ds prduts entregues em cada fase, de acrd cm as datas descriminadas n crngrama estabelecid n iníci d prjet, cm bjetiv de nã cmprmeter andament d trabalh; Prvidenciar a hspedagem d site em servidr Web dedicad, cmpatível cm a tecnlgia prpsta Tecnlgia Prpsta Serã utilizadas as seguintes tecnlgias para desenvlviment d prjet: DtNetNuke: ferramenta CMS em tecnlgia.net para gerenciament de cnteúd. HTML: linguagem de marcaçã utilizada para prduzir páginas na Web. MS SQL Server 2000 u 2005: para armazenament de dads. Rua Sã Jsé, 90 Grups 2002 e 2003 Centr Ri de Janeir/RJ Tel.: Pág. 6

2 Sbre DtNetNuke O DtNetNuke, u simplesmente DNN, é um framewrk para desenvlviment de sites, prtais e aplicações web, cm códig fnte abert, cuj prjet fi iniciad em Através de acess restrit pr lgin e senha, permite que administradres gerenciem e atualizem cnteúds, utilizand s própris prgramas de navegaçã (brwsers) na Web, dispensand qualquer utr sftware específic. Permite também definir perfis de usuáris e restringir u permitir acess às diferentes áreas d site u prtal, de acrd cm cada perfil. Dentre suas inúmeras características e recurss, destacams suas 10 principais características e diferenciais: 1. Versátil O DNN é ideal para criar e administrar aplicações web cm web sites cmerciais, intranets e extranets crprativas, prtais de publicaçã e aplicações feitas sb medida. 2. Fácil de Instalar O DNN pde ser instalad e cnfigurad para funcinar em minuts. 3. Fácil de Utilizar O DNN fi prjetad para permitir que qualquer pessa, cm puca u mesm nenhuma experiência em desenvlviment Web, pssa administrar e atualizar cnteúds. Para iss, utiliza interfaces amigáveis para gerenciament e ediçã, muit semelhantes a um editr de texts cmum. Desta frma, qualquer pessa cm alguma experiência cm Wrd, pr exempl, nã terá dificuldades para utilizar DNN. 4. Pders - O DNN pde suprtar múltipls prtais numa mesma hspedagem u nã, dividind pções administrativas entre nível de usuári hst e nível individual de administradr pr prtal. Permite ainda, a administraçã de sites e prtais respeitand as particularidades de cada um. 5. Suprtad e Dcumentad - DNN é suprtad pela equipe Add e pels desenvlvedres d Núcle de Desenvlviment DNN, além de cntar cm uma farta dcumentaçã e literatura dispníveis e uma gigantesca cmunidade internacinal, extremamente ativa e dedicada, frmada pr grups de usuáris, prtais, wikis e fóruns n-line, além de uma ampla rede de cmpanhias especializadas nesta tecnlgia. 6. Multi-idima DNN ferece suprte a diverss idimas, inclusive prtuguês d Brasil. 7. Códig Abert O DNN é distribuíd sb regime Open Surce, cm códig abert, permitind que desenvlvedres especializads mdifiquem a estrutura da aplicaçã para atender necessidades específicas de um prjet, ampliand assim sua flexibilidade e capacidade de integraçã cm utrs sistemas e sluções. 8. Flexível - DNN dá as arquitets de infrmaçã e webdesigners, ttal liberdade para criaçã d prjet, tant d pnt de vista da estrutura de wireframes cm d prjet gráfic, através de um sistema inteligente de cmbinações de skins (estils das páginas) e cntainers (bxes de cnteúds e funcinalidades). 9. Escalável e Extensível O DNN permite desenvlver desde sluções bem simples cm pequens sites e htsites até sistemas mais cmplexs cm suas próprias características internas. Permite também que s desenvlvedres e administradres trabalhem de frma eficaz cm add-ns e móduls custmizads. Desta frma, as pssibilidades de persnalizaçã e a funcinalidade d site sã virtualmente ilimitadas. 10. Padrões Web O DNN permite desenvlviment de sluções baseadas nas melhres práticas, padrões e recmendações d W3C (Wrld Wide Web Cnsrtium), garantind cnsistência, usabilidade e cmpatibilidade cm s principais prgramas de navegaçã em páginas Web (brwsers) em diferentes sistemas peracinais (Windws, Mac, Linux, etc.). Rua Sã Jsé, 90 Grups 2002 e 2003 Centr Ri de Janeir/RJ Tel.: Pág. 7

3 3. Escp 3.1. Arquitetura da Infrmaçã O nv site será desenvlvid em 4 (quatr) idimas: Prtuguês, Inglês, Espanhl e Francês. A arquitetura da infrmaçã cmpreende a rganizaçã estrutural e hierárquica das seções e páginas d site, cnfrme descrit abaix: VERSÃO EM PORTUGUÊS PÁGINA PRINCIPAL (Hme Page) ESCRITÓRIO Valres Históric Escritóris Alianças e Parcerias Relatóri de Atividades Respnsabilidade Scial Premiações ÁREAS DE ATUAÇÃO Cível Empresarial Fiscal Mei Ambiente Trabalhista e Previdenciári Cntencis de Massa EQUIPE Advgads! Perfil d Advgad SALA DE IMPRENSA* Ntícias Events Entrevistas Publicações Assessria de Imprensa Guvêa Vieira na Mídia BIBLIOTECA* Apresentaçã Artigs! Artig cmplet Newsletter FALE CONOSCO CARREIRAS Envie seu currícul MAPA DO SITE * As seções SALA DE IMPRENSA e BIBLIOTECA smente existirã na versã em Prtuguês. Rua Sã Jsé, 90 Grups 2002 e 2003 Centr Ri de Janeir/RJ Tel.: Pág. 8

4 3.2. Cnteúds e Funcinalidades 3.1. PÁGINA PRINCIPAL (Hme Page) Esta será a página de abertura d site que receberá s visitantes e dará acess a tds s cnteúds interns e às versões d site ns 3 (três) utrs idimas. Deverá cnter: Lgmarca d escritóri. Menu de idimas. Ftgrafia, ilustraçã u animaçã de abertura. Menu de navegaçã para acess às áreas internas d site. Chamadas para cnteúds e nvidades em destaque cm ntícias, events, etc. Caixa de Busca para pesquisa pr palavra-chave n site. Cm resultad, a busca deverá retrnar apenas cnteúds n idima que usuári estiver utilizand. O administradr d site pderá definir a quantidade de caracteres n resultad e númer máxim de resultads pr página. A página de resultads deverá pssuir um camp para que usuári realize uma nva busca O ESCRITÓRIO Esta seçã cnterá diversas páginas cm cnteúd de text e imagens. Através das interfaces de ediçã d CMS, administradr d site pderá incluir, editar e atualizar s cnteúds das seguintes páginas: Valres, Históric, Escritóris, Alianças e Parcerias, Relatóri de Atividades, Respnsabilidade Scial e Premiações ÁREAS DE ATUAÇÃO Nesta seçã será exibid cnteúd textual cm infrmações sbre as áreas d direit em que escritóri atua. Através das interfaces de ediçã d CMS, administradr d site pderá incluir, editar e atualizar s cnteúds das seguintes páginas: Cível, Empresarial, Fiscal, Mei Ambiente, Trabalhista e Previdenciári e Cntencis de Massa. Em cada uma delas haverá ainda um link Advgads que exibirá uma lista, pr rdem alfabética, ds advgads que nela atuam. Cas haja artigs de uma determinada área de atuaçã, publicads n site, a respectiva página exibirá também um link Artigs que exibirá uma lista, pr rdem crnlógica de inserçã n site EQUIPE Esta seçã cntempla uma funcinalidade de pesquisa relacinada à equipe de advgads, que pderá ser realizada de 2 (duas) frmas: Pela inicial d Nme, apresentand cm resultad a listagem, em rdem alfabética, de tds s advgads crrespndentes à letra pesquisada. Através de um frmulári cm um camp text Nme para pesquisa pr qualquer parte d nme cmplet d advgad e filtrs que permitirã restringir a pesquisa pr Área de Atuaçã e Escritóri (Cidade), nã send necessariamente brigatória a utilizaçã ds 3 (três) camps para a realizaçã da pesquisa. Cm resultad, será exibida uma lista, em rdem alfabética, cm s nmes ds advgads encntrads. A clicar em um nme na lista, será exibida uma página cntend s dads de perfil d advgad e, cas haja, link para s artigs de sua autria, publicads n site SALA DE IMPRENSA Ntícias Apresentaçã de uma lista cntend as últimas ntícias, pr rdem decrescente da data de publicaçã n site. Os títuls das ntícias serã links que direcinaram usuári para uma página cntend a íntegra da ntícia, as funcinalidades Imprimir (versã printer friendly) e Rua Sã Jsé, 90 Grups 2002 e 2003 Centr Ri de Janeir/RJ Tel.: Pág. 9

5 Enviar (link da página pr ). A página de apresentaçã e de resultad das ntícias deverá ser apresentada na seguinte estrutura:! Data: exibirá a data de inserçã da ntícia n site.! Títul (link): títul da ntícia.! Resum: text cm uma breve descriçã da ntícia. Events Apresentaçã de uma lista cntend s últimas events, pr rdem decrescente da data de publicaçã n site.os títuls ds events serã links que direcinarã usuári para uma página cntend a descriçã cmpleta referente a event, apresentand as funcinalidades Imprimir (versã printer friendly) e Enviar (link da página pr ). Deverá ser apresentada cnfrme a seguinte estrutura:! Data: exibirá a data de inserçã d event n site.! Títul (link): títul d event.! Resum: text cm uma breve descriçã d cnteúd d event. Entrevistas Apresentaçã de uma lista cntend as últimas entrevistas, pr rdem decrescente da data de publicaçã n site. Os títuls das entrevistas serã links que direcinarã usuári para uma página cntend a íntegra da entrevista, apresentand as funcinalidades Imprimir (versã printer friendly) e Enviar (link da página pr ). Deverá ser apresentada cnfrme a seguinte estrutura:! Data: exibirá a data de inserçã da entrevista n site.! Títul (link): títul da entrevista.! Resum: text cm uma breve descriçã d cnteúd da entrevista. Publicações Apresentaçã de uma lista cntend as últimas publicações, pr rdem decrescente da data de publicaçã n site. O títul das publicações serã links que direcinaram usuári para uma página cntend a descriçã cmpleta referente a entrevista, apresentand as funcinalidades Imprimir (versã printer friendly) e Enviar (link da página pr ). Deverá ser apresentada cnfrme a seguinte estrutura:! Data: A data de inserçã da publicaçã n site.! Títul / Link: Títul da publicaçã.! Resum: text cm uma breve descriçã d cnteúd da publicaçã. Assessria de Imprensa Página cm text sbre a assessria de imprensa d escritóri e infrmações de cntat. Guvêa Vieira na Mídia Página de Clipping, cntend uma lista de links para dwnlad de matérias publicadas na mídia, em frmat PDF. A lista deverá estar rganizada de frma crnlógica cnfrme a data de inserçã n site. Deverá ser apresentada cnfrme a seguinte estrutura:! Data: data de inserçã da matéria n site.! Títul: títul da matéria.! Veícul: fnte nde a matéria fi publicada. BIBLIOTECA Apresentaçã Página cntend cnteúd textual e imagens, apresentand a bibliteca e destacand as publicações d escritóri. Rua Sã Jsé, 90 Grups 2002 e 2003 Centr Ri de Janeir/RJ Tel.: Pág. 10

6 Artigs (lista) Apresentaçã de uma lista ds últims artigs, pr rdem decrescente da data de publicaçã n site. A página de exibiçã da lista deverá pssuir paginaçã e exibirá a seguinte estrutura:! Títul: link que direcina usuári para a exibiçã d artig na íntegra.! Autr(es): nme(s) d autr(es) d artig.! Frmulári: pesquisa pr nme(s) d(s) autr(es) cm filtrs que pde ser realizad pr um camp text referente a Nme, um select alimentad pr uma tabela referente à Área de atuaçã e um select alimentad pr uma tabela referente as Cidade de atuaçã na Guvêa Vieira Advgads. Nã send brigatóri preenchiment ds 3 camps para a realizaçã de uma busca.! Artig Cmplet Página cntend text d artig na íntegra e as funcinalidades Imprimir (versã printer friendly) e Enviar (link d artig pr ). Deverá seguir a seguinte estrutura:! Títul: títul d artig! Autr(es): nme(s) d autr(es) d artig.! Text: íntegra d artig.! Data: data de inserçã n site! Veícul: rigem da publicaçã, se huver. Newsletter Página cntend uma lista de links, pr rdem decrescente da data de inserçã n site, para dwnlad da Newsletter d escritóri em frmat PDF. Deverá cnter também um frmulári pel qual usuári pderá se cadastrar para receber a Newsletter pr . Fale Cnsc Esta página apresentará um frmulári para envi de dúvidas, reclamações e sugestões. Tds s dads inserids n frmulári serã enviads para um pré-cadastrad na área administrativa que centralizará s dads cletads. O frmulári a ser desenvlvid deverá pssuir s seguintes camps: Nme, , Assunt e Mensagem. Carreiras Página cm text sbre prtunidades para advgads e estagiáris, cntend um link Envie seu currícul que deverá direcinar usuári para um frmulári cujs dads preenchids serã enviads para uma cnta de d RH a ser definida. Mapa d Site Esta página deverá apresentar a arquitetura e rganizaçã hierárquica d site, representada pr links, direcinand usuári para as seções e páginas que cmpõem site Mudanças de Escp Tda slicitaçã de alteraçã de escp deverá ser feita frmalmente pr escrit através de e seu impact será avaliad e registrad, cnsiderand mtiv da mudança, impact n escp, esfrç já gast e nv esfrç demandad, priridades, praz e rçament. Cntratada e Cntratante deverã ficializar s prfissinais de cada empresa que pderã slicitar qualquer tip de alteraçã n escp previamente cntratad. Rua Sã Jsé, 90 Grups 2002 e 2003 Centr Ri de Janeir/RJ Tel.: Pág. 11

7 3.4. Fra de Escp Qualquer serviç nã especificad nesta prpsta. Mntagem de ambientes de teste nã prevists nesta prpsta. Custmizações nã definidas cm escp nesta prpsta. Operações assistidas após a cnclusã d prjet. Serviçs após a cnclusã d prjet, nã prevists ns terms de garantia. Cnteúds e funcinalidades nã previstas nesta prpsta. Prduçã, revisã u traduçã de texts para idimas estrangeirs. Integraçã cm sistemas u bases de dads fra d ambiente de desenvlviment. Serviçs de infra-estrutura de armazenagem, hspedagem, segurança e migraçã de dads, de respnsabilidade da Cntratante u de terceirs pr ela definids. Sluçã de prblemas de infra-estrutura encntrads após a cnclusã d prjet, tais cm: prblemas de rede, velcidade de tráfeg de dads, espaç em disc, ausência de backup e firewall u quaisquer utrs prblemas técnics nã suprtads nesta prpsta, que venham a gerar prblemas n sistema. 4. Etapas d Prjet Estã previstas as seguintes etapas de execuçã: Etapa 1 Iniciaçã e Planejament Levantament de requisits e elabraçã d crngrama. Criaçã ds layuts necessáris para aprvaçã d design d site. Etapa 2 Cnstruçã Preparaçã d ambiente de desenvlviment cm CMS. Cnstruçã das páginas e móduls de funcinalidades, cnfrme escp prpst. Etapa 3 Implantaçã Treinament para gerenciament de cnteúd n CMS. Inserçã de cnteúds (texts, imagens e dcuments). Etapa 4 - Transiçã Testes e hmlgaçã. Publicaçã em ambiente de prduçã. 5. Principais Riscs Risc de Escp: pssibilidade de surgirem itens n decrrer d prjet que nã estã cntemplads nesta prpsta. O dimensinament de temp e cust expst nesta prpsta está em cnfrmidade cm entendiment btid através d material enviad pela Cntratante. Cas crram mudanças de escp que cmprvadamente causem impact nas atividades inicialmente acrdadas, serã necessáris ajustes através de uma nva prpsiçã u aditiv cmplementar. Risc de Tecnlgia: indispnibilidade de ambiente adequad para hspedagem. Rua Sã Jsé, 90 Grups 2002 e 2003 Centr Ri de Janeir/RJ Tel.: Pág. 12

8 6. Recurss Utilizads Recurs Add Perfil Atribuições Gerente de Prjets Prfissinal especializad n cntrle d flux de desenvlviment de sistemas e crdenaçã de equipes de trabalh Aplicar s padrões metdlógics em tdas as fases e cntrlar a qualidade glbal d prjet Arquitet da Sistemas Prfissinal especializad em prjets de arquitetura de sftware e gerência de sistemas e bancs de dads Prjetar sluções de sistemas e aplicações adequadas as requisits definids n prjet Web Designer Prfissinal especializad n desenvlviment e cnsistência de interface para aplicações Web Elabrar estuds de layuts para interfaces Web e efetuar tratament e ediçã de imagens DBA Prfissinal especializad em arquitetura e gerência de sistemas de banc de dads Implementaçã e manutençã da estrutura de tabelas, clunas e tips de dads d RDBMS Desenvlvedr DNN Analista de Suprte Analista de Teste Prgramadr.Net, especializad n desenvlviment e custmizaçã de móduls e funcinalidades para CMS DtNetNuke Prfissinal especializad em instalaçã e manutençã de serviçs de infra-estrutura e cnectividade Prfissinal especializad n desenvlviment e aplicaçã de testes em sistemas Web Desenvlver aplicações e móduls de funcinalidade prevists n prjet e implantaçã n CMS Apiar ns serviçs de implantaçã e cnfiguraçã da sluçã Aplicar plan de cass de testes a fim de garantir a qualidade d prdut final desenvlvid 7. Hspedagem A Cntratante deverá dispnibilizar à Cntratada, equipament (hardware) dedicad, cmpatível à aplicaçã cm servidr de páginas e transações de Banc de Dads, de acrd cm as especificações recmendadas pela Cntratada. Tais equipaments deverã ser psts à dispsiçã da Cntratada, pré-cnfigurads cm sistema peracinal adequad (acrdad previamente entre as partes, de acrd cm a dispnibilidade e s requisits da aplicaçã a ser desenvlvida), dispnd de servidres cm acess remt habilitad e acess restrit as servidres de teste, necessáris à natureza da aplicaçã a ser desenvlvida, cujas especificações devem ser acrdadas entre as partes, e estand sistema ( hardware ) cnectad adequadamente a Internet tant física quant lgicamente. A manutençã, rtinas de backup e bm funcinament d equipament mencinad sã de inteira respnsabilidade da Cntratante. A Cntratada nã se respnsabiliza pela baixa perfrmance da aplicaçã mencinada cas equipament mencinad esteja send cmpartilhad cm utras aplicações u utilizad para tarefas utras que nã sejam a execuçã da aplicaçã frnecida pela Cntratada, u pela manutençã deficiente d mencinad equipament. Rua Sã Jsé, 90 Grups 2002 e 2003 Centr Ri de Janeir/RJ Tel.: Pág. 13

9 Obs.: Para sites que se utilizam de sistemas de gestã de cnteúd (CMS), recmendams a cntrataçã de um serviç de hspedagem dedicada u semi-dedicada pr questões de desempenh e segurança. De utra frma, em um ambiente de hspedagem cmpartilhada, a Add Technlgies nã pde garantir desempenh d site, tend em vista a imprevisibilidade das cndições técnicas nesta sluçã. O CMS depende d ambiente Micrsft para seu funcinament. O.Net Framewrk deve ser instalad n Windws 2003 Server u superir. O prjet será fiel a cnteúd de escp aqui apresentad. O servidr deve ser exclusiv sem qualquer utr sistema instalad cncmitantemente. 8. Lcal e infra-estrutura Devid às características d prjet, as etapas de criaçã, desenvlviment e testes serã realizads nas dependências da Add Technlgies, em servidr de desenvlviment. A implantaçã d Sistema para a publicaçã, bem cm seus respectivs requisits de sistema se dará n servidr de hspedagem indicad pela Cntratante. 9. Duraçã Estimada d Prjet A duraçã estimada d prjet é de 60 (sessenta) dias. 10. Garantia ds prduts A Add Technlgies se cmprmete a dar suprte gratuit na manutençã crretiva ds errs que pr ventura crram ns prduts desenvlvids pela Add Technlgies, pr um praz de 30 (trinta) dias crrids, a cntar da data de entrega final d prjet. Rua Sã Jsé, 90 Grups 2002 e 2003 Centr Ri de Janeir/RJ Tel.: Pág. 14

^i * aesíqn e=> ~omunícc3ç:c30

^i * aesíqn e=> ~omunícc3ç:c30 ^i * aesíqn e=> ~munícc3ç:c30 CONTRATO DE LICENÇA DE USO DO SISTEMA - SUBMIT CMS Web Site da Prefeitura de Frei Martinh - Paraíba 1. IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTE Prefeitura Municipal de Frei Martinh

Leia mais

WEB MANAGER. Conhecendo o Web Manager!

WEB MANAGER. Conhecendo o Web Manager! WEB MANAGER Cnhecend Web Manager! O Web Manager é uma pdersa ferramenta para gestã de Sites, prtais, intranets, extranets e htsites. Cm ela é pssível gerenciar ttalmente seus ambientes web. Integrad ttalmente

Leia mais

Manual do Novo Pátio. Revenda. Versão 2.0

Manual do Novo Pátio. Revenda. Versão 2.0 Manual d Nv Páti Revenda Versã 2.0 1 Cnteúd INTRODUÇÃO... 3 1.LOGIN... 4 2.ANUNCIANTE... 4 2.1 Listar Usuáris... 4 2.2 Criar Usuári... 5 2.2.1 Permissões:... 6 3.SERVIÇOS... 7 3.1 Serviçs... 7 3.2 Feirã...

Leia mais

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde Anex V Sftware de Registr Eletrônic em Saúde Implantaçã em 2 (duas) Unidades de Saúde Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS DE IMPLANTAÇÃO... 3 4 INFRAESTRUTURA NAS UNIDADES DE SAÚDE -

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA REQUISITOS TECNICOS O Prgrama de Api as Actres Nã Estatais publica uma slicitaçã para prestaçã

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR 1. Históric da Jrnada AGIR Ns ambientes crprativs atuais, a adçã de um mdel de gestã integrada é uma decisã estratégica n api às tmadas

Leia mais

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30)

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30) UNIP Brasília - Crdenaçã CG/CW/GR/AD Senhres Aluns, Seguem infrmações imprtantes sbre PIM: 1. O QUE É? - Os PIM (Prjet Integrad Multidisciplinar) sã prjets brigatóris realizads els aluns ds curss de graduaçã

Leia mais

Projetos, Programas e Portfólios

Projetos, Programas e Portfólios Prjets, Prgramas e Prtfólis pr Juliana Klb em julianaklb.cm Prjet Segund PMBOK (2008): um prjet é um esfrç temprári empreendid para criar um nv prdut, serviç u resultad exclusiv. Esta definiçã, apesar

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO UC_REQ-MK_ACF-001 27/01/2015 00 1 / 12 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 2 Objetiv... 2 Públic Alv... 2 Escp... 2 Referências... 2 DESCRIÇÃO GERAL DO PRODUTO... 2 Características d Usuári... 2 Limites, Supsições e

Leia mais

3 Formulação da Metodologia 3.1. Considerações Iniciais

3 Formulação da Metodologia 3.1. Considerações Iniciais 53 3 Frmulaçã da Metdlgia 3.1. Cnsiderações Iniciais O presente capítul tem cm finalidade prpr e descrever um mdel de referencia para gerenciament de prjets de sftware que pssa ser mensurável e repetível,

Leia mais

PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO

PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO R.M. Infrmática Cmérci e Serviç Ltda CNPJ: 04.831.742/0001-10 Av. Rdrig Otávi, 1866, Módul 22 Distrit Industrial - Manaus - AM Tel./Fax (92) 3216-3884 http://www.amaznit.cm.br e-mail: amaznit@amaznit.cm.br

Leia mais

MASTERCOMP ESCOLA DE INFORMÁTICA

MASTERCOMP ESCOLA DE INFORMÁTICA www.mastercmp.net 1 www.mastercmp.net www.mastercmp.net INFORMAÇO ES ADICIONAIS DO CURSO DE PROMODEL E MS PROJECT Prgramaçã: Carga hrária: 32 Hras Lcal: Sã Sebastiã d Paraís MG Prgramas usads n curs: MS

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS. Uma visão geral Baseado nas diretrizes do PMI

GESTÃO DE PROJETOS. Uma visão geral Baseado nas diretrizes do PMI GESTÃO DE PROJETOS Uma visã geral Bead n diretrizes d PMI 1 Intrduçã Objetiv da Apresentaçã O bjetiv é frnecer uma visã geral ds prcesss de Gestã de Prjets aplicads à Gestã de Empreendiments. O que é Prjet?

Leia mais

MTUR Sistema FISCON. Manual do Usuário

MTUR Sistema FISCON. Manual do Usuário MTUR Sistema FISCON Manual d Usuári Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 3. ACESSAR O SISTEMA... 4 4. UTILIZANDO O SISTEMA... 5 4.1. CADASTRAR CONVENENTE... 5 4.2. INSERIR FOTOGRAFIAS/IMAGENS

Leia mais

MTur Sistema Artistas do Turismo. Manual do Usuário

MTur Sistema Artistas do Turismo. Manual do Usuário MTur Sistema Artistas d Turism Manual d Usuári Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 3. ACESSAR O SISTEMA... 4 4. UTILIZANDO O SISTEMA... 9 4.1. CADASTRAR REPRESENTANTE... 9 4.2. CADASTRAR

Leia mais

WEBSITE LOJAS JOMÓVEIS

WEBSITE LOJAS JOMÓVEIS WEBSITE LOJAS JOMÓVEIS Manual d Usuári Elabrad pela W3 Autmaçã e Sistemas Infrmaçã de Prpriedade d Grup Jmóveis Este dcument, cm tdas as infrmações nele cntidas, é cnfidencial e de prpriedade d Grup Jmóveis,

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Intrduçã O presente Regulament cnstitui um dcument intern d curs de Ciências Cntábeis e tem pr bjetiv reger as atividades relativas a Estági de Iniciaçã

Leia mais

CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO

CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO Cnteúd prgramátic CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO Este é cnteúd prgramátic d curs preparatóri n nv prgrama CDO-0001 para a certificaçã CmpTIA CDIA+. CONCEITUAL ECM Apresentaçã ds cnceits envlvids

Leia mais

Plano de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa

Plano de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa Plan de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa Escla Clégi Eng Juarez Wanderley Prfessr Fernand Nishimura de Aragã Disciplina Infrmática Objetivs Cnstruçã de um website pessal para publicaçã de atividades

Leia mais

Principais Informações

Principais Informações Principais Infrmações Quem é Benefix Sistemas? Frmada pr ex-executivs e equipe de tecnlgia da Xerx d Brasil, que desenvlvem e suprtam sluções e estratégias invadras para setr públic, especializada dcuments

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Inserid

Leia mais

1 Criando uma conta no EndNote

1 Criando uma conta no EndNote O EndNte Basic (anterirmente cnhecid pr EndNte Web), é um sftware gerenciadr de referências desenvlvid pela Editra Thmsn Reuters. Permite rganizar referências bibligráficas para citaçã em artigs, mngrafias,

Leia mais

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil;

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil; TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE ANÁLISE DA REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVO PARA CÁLCULOS DO VALOR DO IMPAIRMENT E VIDA ÚTIL RESIDUAL, EM CONFORMIDADE COM O DISPOSTO

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação Os nvs uss da tecnlgia da infrmaçã nas empresas Sistemas de Infrmaçã Prf. Marcel da Silveira Siedler siedler@gmail.cm SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Planejament

Leia mais

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios.

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios. Prêmi Data Pint de Criatividade e Invaçã - 2011 N an em que cmpleta 15 ans de atuaçã n mercad de treinament em infrmática, a Data Pint ferece à cmunidade a prtunidade de participar d Prêmi Data Pint de

Leia mais

CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI

CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI 6.1 Requisits de Capacidade e Experiência d Prestadr A ANEEL deveria exigir um puc mais quant a estes requisits, de frma a garantir uma melhr qualificaçã da empresa a ser cntratada.

Leia mais

SDK (Software Development Kit) do Microsoft Kinect para Windows

SDK (Software Development Kit) do Microsoft Kinect para Windows SDK (Sftware Develpment Kit) d Micrsft Kinect para Windws Os presentes terms de licença cnstituem um acrd entre a Micrsft Crpratin (u, dependend d lcal n qual vcê esteja dmiciliad, uma de suas afiliadas)

Leia mais

Manual de Instalação e Configuração

Manual de Instalação e Configuração Manual de Instalaçã e Cnfiguraçã Prdut:n-ReleaserEmbedded fr Lexmark Versã 1.2.1 Versã d Dc.:1.0 Autr: Lucas Machad Santini Data: 14/04/2011 Dcument destinad a: Clientes e Revendas Alterad pr: Release

Leia mais

EIKON DOCUMENTS - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

EIKON DOCUMENTS - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA EIKON DOCUMENTS - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA VERSÃO Eikn Dcuments 2007 Service Pack 5 (2.9.5) Fevereir de 2010 DATA DE REFERÊNCIA DESCRIÇÃO Sftware para implantaçã de sistemas em GED / ECM (Gerenciament Eletrônic

Leia mais

INTRODUÇÃO A LOGICA DE PROGRAMAÇÃO

INTRODUÇÃO A LOGICA DE PROGRAMAÇÃO INTRODUÇÃO A LOGICA DE PROGRAMAÇÃO A Lógica de Prgramaçã é necessária à tdas as pessas que ingressam u pretendem ingressar na área de Tecnlgia da Infrmaçã, send cm prgramadr, analista de sistemas u suprte.

Leia mais

Proposta. Projeto: VENSSO. Data 25/05/2005. Andrade Lima Damires Fernandes Andrade Lima Damires Fernandes. Responsável. Autor (s)

Proposta. Projeto: VENSSO. Data 25/05/2005. Andrade Lima Damires Fernandes Andrade Lima Damires Fernandes. Responsável. Autor (s) Prpsta Prjet: Data 25/05/2005 Respnsável Autr (s) Dc ID Andrade Lima Damires Fernandes Andrade Lima Damires Fernandes Lcalizaçã Versã d Template

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO FINANCEIRO

MANUAL DO USUÁRIO FINANCEIRO SIGIO Sistema Integrad de Gestã de Imprensa Oficial MANUAL DO USUÁRIO FINANCEIRO S I G I O M A N U A L D O U S U Á R I O P á g i n a 2 Cnteúd 1 Intrduçã... 3 2 Acess restrit a sistema... 4 2.1 Tips de

Leia mais

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento Inscriçã d Candidat a Prcess de Credenciament O link de inscriçã permitirá que candidat registre suas infrmações para participar d Prcess de Credenciament, cnfrme Edital. Após tmar ciência de td cnteúd

Leia mais

ESCOPO DETALHADO - CO 137-012 - Modelos 3D e Vinhetas Animadas

ESCOPO DETALHADO - CO 137-012 - Modelos 3D e Vinhetas Animadas ESCOPO DETALHADO - CO 137-012 - Mdels 3D e Vinhetas Animadas Cntrataçã de prdutra para desenvlviment ds mdels 3D das marcas e das vinhetas de animaçã 3D O Cmitê Ri 2016 pretende cm este prcess seletiv

Leia mais

Novo Sistema Almoxarifado

Novo Sistema Almoxarifado Nv Sistema Almxarifad Instruções Iniciais 1. Ícnes padrões Existem ícnes espalhads pr td sistema, cada um ferece uma açã. Dentre eles sã dis s mais imprtantes: Realiza uma pesquisa para preencher s camps

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs)

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs) MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE Técnics de Instalaçã e Manutençã de Edifícis e Sistemas (TIMs) NO SISTEMA INFORMÁTICO DO SISTEMA NACIONAL DE CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA NOS EDIFÍCIOS (SCE) 17/07/2014

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUITE LIBREOFFICE: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TREINAMENTO

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUITE LIBREOFFICE: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TREINAMENTO Term de Referência Anex I - Especificaçã técnica Cntrataçã de Empresa para prestaçã de Serviçs de Treinament na suíte Libreffice TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUITE LIBREOFFICE: CONTRATAÇÃO

Leia mais

Versão 1.1.1.3. Descrição do produto, 2009. www.graycell.pt

Versão 1.1.1.3. Descrição do produto, 2009. www.graycell.pt Versã 1.1.1.3 Descriçã d prdut, 2009 www.graycell.pt 1 ENQUADRAMENTO A platafrma ask-it! é uma aplicaçã web-based que permite criar inquérits dinâmics e efectuar a sua dispnibilizaçã n-line. A facilidade

Leia mais

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL Objetivs: Gestã Empresarial Desenvlver cmpetências para atuar n gerenciament de prjets, prestand cnsultria

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Aprvad: Data: 11/09/2008 Data: 10/10/2008 Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Antecedentes_Criminais.dc

Leia mais

Integração com coletores de ponto, catracas, dispositivos de abertura de portas, fechaduras eletromagnéticas,

Integração com coletores de ponto, catracas, dispositivos de abertura de portas, fechaduras eletromagnéticas, Vsft ids Acess Web Cntrle de acess e pnt A Vsft desenvlveu uma sluçã baseada em sftware e hardware para cntrle de acess e u pnt que pde ser utilizada pr empresas de qualquer prte. Cm us da tecnlgia bimétrica

Leia mais

Cursos Profissionais de Nível Secundário (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março)

Cursos Profissionais de Nível Secundário (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março) REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Curss Prfissinais de Nível Secundári (Decret-Lei n.º 74/2004, de 26 de Març) Família Prfissinal: 07 - Infrmática 1. QUALIFICAÇÕES / SAÍDAS PROFISSIONAIS As qualificações de nível

Leia mais

Legenda da Mensagem de Resposta à Verificação de Elegibilidade (respostaelegibilidade)

Legenda da Mensagem de Resposta à Verificação de Elegibilidade (respostaelegibilidade) Legenda da Mensagem de Respsta à Verificaçã de Elegibilidade (respstaelegibilidade) Mensagem : Respta à verificaçã de elegibilidade (respstaelegibilidade) - Flux : Operadra para Prestadr Códig da mensagem

Leia mais

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01.

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01. Agenda Intrduçã Diariamente cada um ds trabalhadres de uma empresa executam diversas atividades, muitas vezes estas atividades tem praz para serem executadas e devem ser planejadas juntamente cm utras

Leia mais

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas Guia d Prcess de Sftware d MAPA Metdlgia de Desenvlviment de Sistemas Versã 1.0 Dcument cnfidencial e prprietári Versã d mdel: 1.1 Históric das Revisões Data Versã Descriçã Autr 24/03/2008 1.0 Iníci da

Leia mais

Integração com coletores de ponto, catracas, dispositivos de abertura de portas, fechaduras eletromagnéticas,

Integração com coletores de ponto, catracas, dispositivos de abertura de portas, fechaduras eletromagnéticas, Vsft ids Pnt Web Cntrle de acess e pnt A Vsft desenvlveu uma sluçã baseada em sftware e hardware para cntrle de acess e u pnt que pde ser utilizada pr empresas de qualquer prte. Cm us da tecnlgia bimétrica

Leia mais

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO 1 de 7 1. OBJETIVO Este prcediment estabelece prcess para cncessã, manutençã, exclusã e extensã da certificaçã de sistema de segurança cnfrme ABNT NBR 15540. 2. DOCUMENTOS COMPLEMENTARES - ABNT NBR 15540:2013:

Leia mais

ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS CONTEMPLADOS NO

ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS CONTEMPLADOS NO ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS CONTEMPLADOS NO Prezad(a) Alun(a) A mbilidade acadêmica internacinal é uma prtunidade valisa para seu cresciment individual, acadêmic e prfissinal. Nã permita que a falta de

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Análise e Desenvlviment de Sistemas 3ª série Fundaments de Sistemas Operacinais A atividade prática supervisinada (ATPS) é um métd de ensinaprendizagem desenvlvid

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA 1. Intrduçã e Objetivs a) O Cncurs de Ideias OESTECIM a minha empresa pretende ptenciar apareciment de prjets invadres na regiã d Oeste sempre numa perspetiva de desenvlviment ecnómic e scial. b) O Cncurs

Leia mais

GUIA RÁPIDO DE CONFIGURAÇÃO PARA WINDOWS

GUIA RÁPIDO DE CONFIGURAÇÃO PARA WINDOWS GUIA RÁPIDO DE CONFIGURAÇÃO PARA WINDOWS CONTEÚDO 1. Intrduçã... 3 2. Requisits de Sftware e Hardware:... 3 3. Usuári e Grups:... 3 3.1. Cnfigurand cm Micrsft AD:... 3 3.2. Cnfigurand s Grups e Usuáris:...

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira DIRETRIZES PARA ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DOS CURSOS DE GESTÃO 1 Sumári I. O Estági em Gestã...3 II. O Estági curricular...4 III. Acmpanhament e avaliaçã...5 IV. Mdels de Plan de Atividades e de Relatóri...5

Leia mais

Workflow. José Palazzo Moreira de Oliveira. Mirella Moura Moro

Workflow. José Palazzo Moreira de Oliveira. Mirella Moura Moro Pdems definir Wrkflw cm: Wrkflw Jsé Palazz Mreira de Oliveira Mirella Mura Mr "Qualquer tarefa executada em série u em paralel pr dis u mais membrs de um grup de trabalh (wrkgrup) visand um bjetiv cmum".

Leia mais

Gestão do Escopo 1. Planejamento da Gestão do Escopo: 2. Definição do Escopo: 3. Elaboração da EDT(EAP): 4. Verificação do Escopo:

Gestão do Escopo 1. Planejamento da Gestão do Escopo: 2. Definição do Escopo: 3. Elaboração da EDT(EAP): 4. Verificação do Escopo: Gestã d Escp 1. Planejament da Gestã d Escp: i. Autrizaçã d prjet ii. Definiçã d escp (preliminar) iii. Ativs em cnheciments rganizacinais iv. Fatres ambientais e rganizacinais v. Plan d prjet i. Plan

Leia mais

Proposta. Treinamento Lean Thinking Mentalidade Enxuta. Apresentação Executiva

Proposta. Treinamento Lean Thinking Mentalidade Enxuta. Apresentação Executiva Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta www.masterhuse.cm.br Prpsta Cm Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta Apresentaçã Executiva Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta Cpyright 2011-2012

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Faculdade de Tecnlgia SENAI Flrianóplis e Faculdade de Tecnlgia SENAI Jaraguá d Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduaçã Lat Sensu em Gestã da Segurança da Infrmaçã em Redes de Cmputadres A Faculdade

Leia mais

Segue abaixo projeto para desenvolvimento de novo website para loja Virtual

Segue abaixo projeto para desenvolvimento de novo website para loja Virtual Lja Virtual Desenvlviment FrmigaNegócis Orçament: /2012 Cliente: Respnsável: Prjet: Lja virtual Telefne: Frmiga (MG), de de 2012 Intrduçã Segue abaix prjet para desenvlviment de nv website para lja Virtual

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalaçã Prdut: n-hst Versã d prdut: 4.1 Autr: Aline Della Justina Versã d dcument: 1 Versã d template: Data: 30/07/01 Dcument destinad a: Parceirs NDDigital, técnics de suprte, analistas de

Leia mais

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000 GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisã: 000 A Mercur S.A., empresa estabelecida desde 1924, se precupa em cnduzir as suas relações de acrd cm padrões étics e cmerciais, através d cumpriment da legislaçã

Leia mais

MTUR Sistema FISCON. Manual do Usuário

MTUR Sistema FISCON. Manual do Usuário MTUR Sistema FISCON Manual d Usuári Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 3. ACESSAR O SISTEMA... 4 4. UTILIZANDO O SISTEMA... 5 4.1. CADASTRAR CONVENENTE... 5 4.2. INSERIR FOTOS DOS CONVÊNIOS...

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA Manual de Us (Para Detentres de Bens) Infrmações adicinais n Prtal da Crdenaçã de Patrimôni: www.cpa.unir.br 2013 Cnteúd O que papel Detentr de Bem pde fazer?... 2 Objetiv...

Leia mais

Academia FI Finanças

Academia FI Finanças Academia FI Finanças A Academia é melhr caminh para especializaçã dentr de um tema n ERP da SAP. Para quem busca uma frmaçã cm certificaçã em finanças, mais indicad é participar da próxima Academia de

Leia mais

REGULAMENTO 1- OBJETIVO

REGULAMENTO 1- OBJETIVO REGULAMENTO 1- OBJETIVO O Prgrama Nv Temp é um iniciativa da Cargill Agricla SA, que visa ferecer as seus funcináris e das empresas patrcinadras ds plans de previdência sb a gestã da CargillPrev Sciedade

Leia mais

Roteiro de Implantação Estoque

Roteiro de Implantação Estoque Rteir de Implantaçã Estque Revisã: 23/07/2004 Abrangência Versã 7.10 Cadastrs Básics Dicas: Explique a necessidade d preenchiment ds brigatóris (camps na cr azul). Verifique se cliente necessita que mais

Leia mais

CRC-MG Central de Registro Civil de Minas Gerais Certidão Online - Serventia. Manual do usuário

CRC-MG Central de Registro Civil de Minas Gerais Certidão Online - Serventia. Manual do usuário CRC-MG Central de Registr Civil de Minas Gerais Certidã Online - Serventia Manual d usuári Prefáci Data: 30/01/2015 Versã dcument: 1.0 1. COMO ACESSAR O MÓDULO DA CERTIDÃO ONLINE... 04 2. OPÇÕES DE PEDIDOS

Leia mais

A atuação do Síndico Profissional é a busca do pleno funcionamento do condomínio. Manuel Pereira

A atuação do Síndico Profissional é a busca do pleno funcionamento do condomínio. Manuel Pereira A atuaçã d Síndic Prfissinal é a busca d plen funcinament d cndmíni Manuel Pereira Missã e Atividades Habilidade - Cnhecems prfundamente a rtina ds cndmínis e seus prblemas administrativs. A atuaçã é feita

Leia mais

Channel. Colaboradores. Tutorial. Atualizado com a versão 3.9

Channel. Colaboradores. Tutorial. Atualizado com a versão 3.9 Channel Clabradres Tutrial Atualizad cm a versã 3.9 Cpyright 2009 pr JExperts Tecnlgia Ltda. tds direits reservads. É pribida a reprduçã deste manual sem autrizaçã prévia e pr escrit da JExperts Tecnlgia

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUÍ. PROJETO OTIMIZAR Plano do Programa

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUÍ. PROJETO OTIMIZAR Plano do Programa 1. Escp u finalidade d prjet PROJETO OTIMIZAR Plan d Prgrama O Prjet Otimizar visa aprimrar ações implantadas que têm pr bjetiv a reduçã de cnsum de materiais e criar mecanisms de avaliaçã que pssam medir

Leia mais

Guia Sphinx: Instalação, Reposição e Renovação

Guia Sphinx: Instalação, Reposição e Renovação Guia Sphinx: Instalaçã, Repsiçã e Renvaçã V 5.1.0.8 Instalaçã Antes de instalar Sphinx Se vcê pssuir uma versã anterir d Sphinx (versões 1.x, 2.x, 3.x, 4.x, 5.0, 5.1.0.X) u entã a versã de Demnstraçã d

Leia mais

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas Perguntas frequentes sbre Prgrama Banda Larga nas Esclas 1. Qual bjetiv d Prgrama Banda Larga nas Esclas? O Prgrama Banda Larga nas Esclas tem cm bjetiv cnectar tdas as esclas públicas à internet, rede

Leia mais

5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO:

5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO: 5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO: 5.1 INTRODUÇÃO A rganizaçã da manutençã era cnceituada, até há puc temp, cm planejament e administraçã ds recurss para a adequaçã à carga de trabalh esperada.

Leia mais

3. TIPOS DE MANUTENÇÃO:

3. TIPOS DE MANUTENÇÃO: 3. TIPOS DE MANUTENÇÃO: 3.1 MANUTENÇÃO CORRETIVA A manutençã crretiva é a frma mais óbvia e mais primária de manutençã; pde sintetizar-se pel cicl "quebra-repara", u seja, repar ds equipaments após a avaria.

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Faculdade de Tecnlgia SENAI Flrianóplis e Faculdade de Tecnlgia SENAI Jaraguá d Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduaçã Lat Sensu MBA em Gestã de Prjets A Faculdade de Tecnlgia SENAI/SC em Flrianóplis

Leia mais

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE REDES E CRONOGRAMAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE REDES E CRONOGRAMAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2 1 / 5 SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2 2.1.1 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DO CRONOGRAMA DE BARRAS TIPO GANTT:...2 2.1.2 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO

Leia mais

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis PCP Vensis PCP O PCP é módul de planejament e cntrle de prduçã da Vensis. Utilizad n segment industrial, módul PCP funcina de frma ttalmente integrada a Vensis ERP e permite às indústrias elabrar

Leia mais

Manual de Operação WEB SisAmil - Gestão

Manual de Operação WEB SisAmil - Gestão Manual de Operaçã WEB SisAmil - Gestã Credenciads Médics 1 Índice 1. Acess Gestã SisAmil...01 2. Autrizaçã a. Inclusã de Pedid...01 b. Alteraçã de Pedid...10 c. Cancelament de Pedid...11 d. Anexs d Pedid...12

Leia mais

Anexo I - PROJETO BÁSICO: ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO

Anexo I - PROJETO BÁSICO: ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO Anex I - PROJETO BÁSICO: ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO 1. OBJETO Aquisiçã e implantaçã de SISTEMA DE RISCO, destinad a gerenciament de riscs de crédit e a prestaçã de serviçs técnics especializads para planejament,

Leia mais

Apresentação do Curso

Apresentação do Curso At endi m ent acl i ent e Apr es ent aç ãdc ur s Apresentaçã d Curs O curs Atendiment a Cliente fi elabrad cm bjetiv de criar cndições para que vcê desenvlva cmpetências para: Identificar s aspects que

Leia mais

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social;

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social; Mdel de Cmunicaçã Certificads de Incapacidade Temprária Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes n âmbit ds CIT Certificads de Incapacidade Temprária.

Leia mais

CLIENTE: CYRELA COMMERCIAL PROPERTIES

CLIENTE: CYRELA COMMERCIAL PROPERTIES Autmaçã Predial e Segurança Patrimnial - Cndições para Frneciment OBRA: CLIENTE: CYRELA COMMERCIAL PROPERTIES Pasta: cyrella_metrplitan-pr-cf-1-0-2012.dc DATA: 14/05/2012 0 Emissã de Cndições para Frneciment

Leia mais

Documentação de Versão Projeto Saúde e Segurança do Trabalho

Documentação de Versão Projeto Saúde e Segurança do Trabalho Prjet Saúde e Segurança d Trabalh DATA: tt/3/yy Pág 1 de 8 ÍNDICE ALTERAÇÕES IMPLEMENTADAS NA VERSÃO 2.2 DO SST... 2 ITENS DE MENU CRIADOS PARA A VERSÃO 2.2... 2 SEGURANÇA... 2 SAÚDE... 2 SAÚDE/AUDIOMETRIA...

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL EDITAL CANDIDATURA AOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS (CTeSP) 2015 CONDIÇÕES DE ACESSO 1. Pdem candidatar-se a acess de um Curs Técnic Superir Prfissinal (CTeSP) da ESTGL tds s que estiverem

Leia mais

HARDWARE e SOFTWARE. O Computador é composto por duas partes: uma parte física (hardware) e outra parte lógica (software).

HARDWARE e SOFTWARE. O Computador é composto por duas partes: uma parte física (hardware) e outra parte lógica (software). HARDWARE e SOFTWARE O Cmputadr é cmpst pr duas partes: uma parte física (hardware) e utra parte lógica (sftware). Vcê sabe qual é a diferença entre "Hardware" e "Sftware"? Hardware: é nme dad a cnjunt

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO ÍNDICE QUE VALORES [MASTERSAF DFE] TRAZEM PARA VOCÊ? 1. VISÃO GERAL E REQUISITOS PARA INSTALAÇÃO... 2 1.1. AMBIENTE... 2 1.2. BANCO DE DADOS... 4 2. BAIXANDO OS INSTALADORES DO DFE MASTERSAF... 5 3. INICIANDO

Leia mais

Vensis Manutenção. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis Manutenção. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis Manutençã Vensis Manutençã É módul que permite gerenciament da manutençã de máquinas e equipaments. Prgramaçã de manutenções preventivas u registr de manutenções crretivas pdem ser feits de frma

Leia mais

ANEXO TÉCNICO DE SERVIÇOS BEMATECH CLOUD GEMCO ANYWHERE

ANEXO TÉCNICO DE SERVIÇOS BEMATECH CLOUD GEMCO ANYWHERE 1. Definições ANEXO TÉCNICO DE SERVIÇOS BEMATECH CLOUD GEMCO ANYWHERE Este dcument cntém as especificações técnicas e requisits ds serviçs de Clud Cmputing da Bematech para Sistema Gemc Anywhere. Estes

Leia mais

ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11

ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11 ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11 OBJETIVO Infraestrutura e tecnlgia d Prtheus sã a base de uma sluçã de gestã empresarial rbusta, que atende a tdas as necessidades de desenvlviment, persnalizaçã, parametrizaçã

Leia mais

Gerenciamento do Escopo

Gerenciamento do Escopo Pós-graduaçã Gestã Empresarial Módul GPE Gestã de Prjets Empresariais Prf. MSc Jsé Alexandre Mren prf.mren@ul.cm.br agst_setembr/2009 1 Gerenciament d Escp 3 Declaraçã d escp Estrutura Analítica d Prjet

Leia mais

Processos de Apoio do Grupo Consultivo 5.5 Suporte Informático Direito de Acesso à Rede

Processos de Apoio do Grupo Consultivo 5.5 Suporte Informático Direito de Acesso à Rede Prcesss de Api d Grup Cnsultiv 5.5 Suprte Infrmátic Direit de Acess à Rede Suprte Infrmátic - Dcuments 5.5 Âmbit e Objectiv Frmuláris aplicáveis Obrigatóris Obrigatóris, se aplicável Frmulári de Mapa de

Leia mais

TESTE DE SOFTWARE (Versão 2.0)

TESTE DE SOFTWARE (Versão 2.0) Universidade Luterana d Brasil Faculdade de Infrmática Disciplina de Engenharia de Sftware Prfessr Luís Fernand Garcia www.garcia.pr.br TESTE DE SOFTWARE (Versã 2.0) 9 Teste de Sftware Imprtância Dependência

Leia mais

Por favor, considere a proteção ao meio ambiente antes de imprimir esse documento

Por favor, considere a proteção ao meio ambiente antes de imprimir esse documento Interbrs Tecnlgia e Sluções de Internet Ltda. Rua Dr. Guilherme Bannitz, 126 2º andar Cnj. 21 /179 Itaim Bibi - Sã Paul- SP - 04532-060 Fne: 55 11 9209-3717 / 55 11 8162-0161 Pr favr, cnsidere a prteçã

Leia mais

PROJETO SOA-SAÚDE ANEXO I ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO

PROJETO SOA-SAÚDE ANEXO I ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO PROJETO SOA-SAÚDE ANEXO I ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO ÍNDICE 1 Intrduçã...4 2 Fundamentaçã...4 3 Objet...6 4 Detalhament d Objet...6 4.1 Sluçã a ser Implantada...6 4.1.1 Arquitetura Técnica da Sluçã...7 4.1.2

Leia mais

RELATOR: Senador EUNÍCIO OLIVEIRA

RELATOR: Senador EUNÍCIO OLIVEIRA De Plenári, err1 substituiçã à COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sbre Prjet de Lei da Câmara 209, de 2015, de autria d Deputad Aeltn Freitas, que altera a Lei n 8.906, de 4 de julh de 1994

Leia mais

Modelo de Negócios. TRABALHO REALIZADO POR: Antonio Gome- 2007009 // Jorge Teixeira - 2008463

Modelo de Negócios. TRABALHO REALIZADO POR: Antonio Gome- 2007009 // Jorge Teixeira - 2008463 Mdel de Negócis Trabalh n âmbit da disciplina de Mdelaçã de dads. Criaçã de uma platafrma utilizand as tecnlgias SQL PHP e Javascript.. TRABALHO REALIZADO POR: Antni Gme- 2007009 // Jrge Teixeira - 2008463

Leia mais

Versões Todos os módulos devem ser atualizados para as versões a partir de 03 de outubro de 2013.

Versões Todos os módulos devem ser atualizados para as versões a partir de 03 de outubro de 2013. Serviç de Acess as Móduls d Sistema HK (SAR e SCF) Desenvlvems uma nva ferramenta cm bjetiv de direcinar acess ds usuáris apenas as Móduls que devem ser de direit, levand em cnsideraçã departament de cada

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM SIMULAÇÃO PARA O MUNDO REAL DA SAÚDE

CAPACITAÇÃO EM SIMULAÇÃO PARA O MUNDO REAL DA SAÚDE CAPACITAÇÃO EM SIMULAÇÃO PARA O MUNDO REAL DA SAÚDE Institut Instituiçã fcada na geraçã de sluções para a implementaçã e gestã pedagógica de Núcles de Treinament e Capacitaçã de prfissinais e acadêmics

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO PORTO

FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO PORTO FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO PORTO C e n t r d e I n f r m á t i c a NORMAS DE UTILIZAÇÃO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA A FMUP dispõe de salas e labratóris de infrmática gerids pel Centr

Leia mais

Administração de Redes Servidores de Aplicação

Administração de Redes Servidores de Aplicação 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS SÃO JOSÉ SANTA CATARINA Administraçã de Redes Servidres de Aplicaçã

Leia mais