CONSTRUINDO A BIBLIOTECA DIGITAL DA FGV: Estudo de caso

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONSTRUINDO A BIBLIOTECA DIGITAL DA FGV: Estudo de caso"

Transcrição

1 CONSTRUINDO A BIBLIOTECA DIGITAL DA FGV: Estudo de caso Márcia Nunes Bacha 1, Maria do Socorro G. de Almeida 2 1 Bibliotecária, Fundação Getulio Vargas, Rio de Janeiro, RJ 2 Bibliotecária, Fundação Getulio Vargas, Rio de Janeiro, RJ Resumo A Fundação Getulio Vargas implantou em 2009 a sua Biblioteca Digital, com o objetivo de preservar e promover a visibilidade nacional e internacional de sua produção científica. A Biblioteca digital, como resultado indireto do projeto da BD, necessitaria da reestruturação dos sites das bibliotecas da FGV (RJ, SP e DF) culminando na criação de um único sistema de bibliotecas. Esta integração operacional permitiria melhor coordenação dos trabalhos. Palavras-chave: Repositórios Digitais; Sistemas de Gestão de Conteúdo; DSpace; OJS; Preservação da informação digital Abstract: The Getulio Vargas Foundation in 2009 implemented its Digital Library with the aim to preserve and promote national and international visibility of their scientific production. The digital library, as an indirect result of the project database, require restructuring of the sites of the libraries of FGV (RJ, SP, and DF) culminating in the creation of a single library system. This operational integration allows better coordination of work. Keywords: Digital repositories; Content management systems; Dspace; OJS; Preservation of digital information 1

2 1 Introdução A evolução tecnológica tem alterado as metodologias e processos de trabalho das organizações, resultando na necessidade de identificar novas ferramentas de gestão e organização da informação. Com este propósito as organizações têm implementado ferramentas de gestão de conteúdos, que permitem gerir de forma eficaz e eficiente os processos e fluxos de trabalho da organização, resultando na melhoria da qualidade dos seus serviços e consequente satisfação dos seus clientes. A escolha de um sistema de gestão de conteúdos (Content Management Systems - CMS) para criação deste Sistema de Bibliotecas foi o primeiro passo para reunir não só os websites das bibliotecas mas, também dois outros sistemas que comporiam a Biblioteca Digital : o DSpace e o OJS. Drupal foi o CMS escolhido. A participação do Núcleo de Computação Escola de Pós-Graduação em Economia da FGV, foi fundamental no apoio para a realização do projeto nas etapas de seleção, testes e instalação dos sistemas acima descritos. O desenho e instalação do portal Sistemas de Bibliotecas FGV neste formato, possibilitou a divulgação de serviços prestados, as atividades desenvolvidas, a interação com nossos usuários, mas principalmente trouxe uma autonomia na gerência de todo portal. Após esta etapa viria um novo desafio, estimular a participação das unidades da FGV nesta gestão cooperativa de informação. 2 Referencial Teórico A explosão da informação resultou na criação de novas tecnologias de informação que permitem agilidade no processo de difundir o conhecimento. (SILVA, SÁ e FURTADO, 2004). A partir dessas tecnologias foi possível o uso de recursos eletrônicos, agilizando no processo de transferência da informação, aumentando os recursos de acesso e difusão do conhecimento, em particular no meio acadêmico. (SILVA, SÁ e FURTADO, 2004). Desse modo, as tecnologias possibilitam os recursos necessários para criação de um ambiente computadorizado, permitindo o armazenamento e a recuperação dos materiais bibliográficos, auxiliando na composição das bibliotecas digitais. (SAFFADY, 1995, p. 224 apud CUNHA, 1999) 2

3 A implementação dos processos digitais nos serviços das bibliotecas provoca alguns impactos, positivos e negativos, nas funções e nos serviços da mesma. Entende-se que não existe um método único a ser aplicado na criação de uma biblioteca digital, pois elas são criadas de acordo com influências culturais e situações econômico-sociais-financeiras. (CUNHA, 1999) O conceito de biblioteca digital vai além de uma coleção de objetos digitalizados, assistida por uma ferramenta de gestão (SAYÃO, 2009, p9), deve-se acrescentar a esta definição não somente preocupações técnicas mais um universo que inclua também missões sociais e culturais. A preservação dos objetos digitais e a intenção de torná-los cada vez mais acessados dando maior visibilidade aos autores e a instituição são hoje questões prioritárias. (AMBROSI, PEUGEOT e PIMENTA, 2005). Segundo Borgman: bibliotecas digitais são uma extensão, aperfeiçoamento e integração tanto dos sistemas de recuperação de informações quanto das múltiplas instituições que lidam com a informação, das quais a biblioteca é apenas uma. O âmbito das possibilidades das bibliotecas digitais inclui não só a recuperação, mas também a criação e uso da informação (p. 48). E uma biblioteca digital global seria um construto útil que abrange todas as bibliotecas digitais que estejam conectadas e sejam acessíveis por meio de uma infra-estrutura global de informação. Uma biblioteca digital global não seria uma entidade única, nem seria controlada por uma única organização, qualquer que fosse (p. 48, tradução nossa) A biblioteca digital é o mecanismo mais atual no meio dos profissionais de informação. As bibliotecas digitais estão revolucionando o modo como os estudantes, professores e pesquisadores em geral utilizam a informação (RICON, 1997). 3 Metodologia Dentre os principais trabalhos realizados, estão: a) Customização e atualização dos sistemas open-source escolhidos; b) Migração dos dados de documentos e coleções de documentos espalhados pelas unidades da FGV em diferentes formatos e bases de dados. Em alguns casos, os dados foram extraídos de documentos semi-estruturados, como páginas de portais. A migração foi acompanhada da revisão dos dados, verificações de consistências das informações e padronização de formatos. Destacamos a importância deste trabalho não apenas para o projeto, mas para a FGV; 3

4 c) Preparação dos sistemas para preservação do conteúdo e de links permanentes para acesso e referências aos itens arquivados. Estes recursos visam principalmente promover a divulgação da produção FGV. Padrões como DOI, PURL e Handle foram usados e estudados; d) Aprovação pela Gerência Jurídica FGV do Termo de Licenciamento para Arquivamento, Reprodução e Divulgação de Conteúdo na Biblioteca Digital FGV (autorização do autor para depósito e divulgação de documento digital); e) Divulgação do acervo através do: (1) cadastro da Biblioteca Digital da FGV na rede OAI como data provider e divulgação desta participação com a colocação da logomarca da iniciativa OAI nas páginas web do repositório digital da FGV. A rede OAI conecta repositórios digitais espalhados pelo mundo e mais de 30 provedores de serviço como indexadores de conteúdo e sites de busca; (2) cadastro no Google Scholar, ferramenta de busca especializada em publicações e textos científicos, para indexação. Outros cadastros sem erviços de busca estão sendo pesquisados; f) Designação da equipe técnica para manutenção do projeto; g) Estipulação de padrões para inserção dos documentos no sistema. Dublin Core X Marc 21. Elaboração de workflows para as coleções. 4 Biblioteca Digital Seguindo o conceito de CHOWDHURY, M. H. H. et al. (2011, tradução nossa), a Biblioteca Digital da FGV apresenta o conjunto de serviços criados para identificar, coletar, gerenciar, disseminar e preservar a sua produção científica criadas em formato digital pelos membros da instituição. A Biblioteca Digital está dividida em: Repositório Digital e Periódicos científicos (figura abaixo) 4

5 BIBLIOTECA DIGITAL FGV Repositório Digital (DSpace) Periódicos Científicos (OJS) 07/03/2012 Figura 1 Estrura Biblioteca Digital Fonte: BACHA, Márcia Nunes. Biblioteca Digital FGV. Rio de Janeiro: FGV, p. O Repositório Digital está organizado em comunidades. Cada comunidade estrutura os seus conteúdos em uma ou várias coleções.todos os seus conteúdos estão disponíveis publicamente, proporcionando maior visibilidade e impacto dos trabalhos acadêmicos da instituição. Para disponibilizar sua produção científica no repositório institucional, os professores, pesquisadores e alunos da FGV devem assinar um termo de autorização. Com o mesmo objetivo, os Periódicos científicos agrupam os títulos de periódicos editados pela FGV. No momento, somente alguns periódicos correntes estão disponíveis on line. A partir de 2012, com a digitalização do acervo retrospectivo, teremos também os periódicos encerrados incluidos nesta plataforma. 5 Fluxo de trabalho Abaixo descrição do fluxo de trabalho. 5

6 5.1 No Repositório digital (DSpace) Abaixo uma visão geral do workflow adotado pela Biblioteca Digital. A submissão é feita pelos alunos no website da BD. Em linhas gerais cabe ao Sistema de Bibliotecas da FGV: a) gerir o repositório institucional da produção científica da FGV; b) registrar e arquivar as teses e as dissertações que tenham sido aprovadas associando-as ao respectivo texto integral; c) garantir a interoperabilidade com o Repositório da FGV assegurando a divulgação da produção intelectual; d) apoiar as secretarias da FGV para a disponibilização de dados no repositório institucional; e) promover ações de divulgação e formação para utilizadores e zelar pela qualidade dos metadados relativos às publicações. Fluxo de submissão Depósito Avaliação Pertinência (Secretaria ou Unidades) Avaliação Metadados (Biblioteca) internet 20/04/2012 Figura 2 Fluxo de Submissão Fonte: BACHA, Márcia Nunes. Biblioteca Digital FGV. Rio de Janeiro: FGV, p. 6

7 Hoje contamos com a equipe abaixo para manutenção do sistema: Equipe DSpace Biblbioteca RJ - Administração do sistema, - Suporte operacional - Treinamentos - Edição de metadados e aprovação dos itens (RJ) Biblioteca SP - Edição de metadados e aprovação dos itens (SP TIC Analista responsável pelo suporte técnico 20/04/2012 Figura 3 Equipe Biblioteca Digital Fonte: BACHA, Márcia Nunes. Biblioteca Digital FGV. Rio de Janeiro: FGV, p. Nas figuras a seguir estão a quantidade de documentos inseridos no sistema (Figura 4) e a estatística de acesso ao site, após a criação do Sistema de Bibliotecas (Figura 5). Figura 4 Estatísticas DSpace Fonte: Disponível em < Acesso em: 12 jan

8 . Figura 5 Estatísticas de acesso ao site Fonte: Google analystics. Disponível em: < > Acesso em: 12 jan Nos periódicos científicos (OJS) O gestor de periódicos científicos hoje hospeda 7 revistas da FGV. O sistema escolhido, o OJS, é usado por mais de 5000 periódicos no mundo. Trata-se de uma ferramenta para gestão e apoio nas atividades de um periódico científico como: submissão dos trabalhos, controle das avaliações, fluxo de editoração, publicação dos artigos, controle de assinaturas etc. A opção por um sistema abrangente que se consolidou como referência pela FGV permitirá o compartilhamento de boas práticas entre as unidades/publicações e redução nos custos operacionais (treinamentos, licenças etc). O sistema, além dos recursos para controle dos processos, monta um espaço web independente para cada revista, um website. A Equipe da biblioteca, como administradora do sistema, é responsável pela criação do website de nova revista e pelo treinamento para utilização do sistema. A partir deste momento, o editor da revista assume a administração da revista. 8

9 A proposta agora é reunir, não só alguns, mas todos os títulos de periódicos editados pela FGV, tanto os correntes como os encerrados que fazem parte da memória institucional. Para isto estamos digitalizando todo este acervo. 6 Cenário Atual Algumas iniciativas têm sido tomadas para melhoria do sistema e a disponibilidade de publicações científicas, tais como: a) criar um repositório para e-books; b) melhorar e inserir novas estratégias de busca (Ex: autor/orientador); c) desenvolver um novo site (mudança de layout); d) reunir todos os títulos de periódicos publicados pela FGV na Biblioteca Digital: RDA, RAE, RAP, Cadernos EBAPE, Revista OIT, etc.; e) digitalizar e inserir no sistema o acervo retrospectivo periódicos (Projeto aprovado pelo Comitê Investimentos); f) sensibilizar a comunidade interna quanto adesão ao sistema. 7 Conclusão O livre acesso traz benefícios à literatura científica e têm tido um crescente reconhecimento a nível internacional. O futuro será buscar mais inovações e tecnologias de livre acesso para os repositórios institucionais. O acesso livre promove a visibilidade, acessibilidade, principalmente nos países em desenvolvimento. Com isto, temos difundido os resultados da atividade científica de cada país, possibilitando o seu uso e subsequente impacto na comunidade científica internacional. Este processo permitiu um nova forma de atuar das Bibliotecas e dos profissionais da área de ciência da informação, a quem compete gerir o repositório institucional da produção científica. A Biblioteca Digital da FGV está disponibilizando online um rico material outrora restrito somente a pesquisadores de sua comunidade. A Fundação Getulio Vargas implantou a sua Biblioteca Digital com o objetivo de preservar e promover a visibilidade nacional e internacional de sua produção científica. O trabalho compreendeu: a) pesquisa, teste e escolha dos sistemas open-source que adotam padrões abertos para metadados e interoperabilidade entre repositórios; b) migração das coleções de documentos digitais espalhadas pelas diferentes unidades em diferentes sistemas de informação; 9

10 c) planejamento de ações para estimular a participação de todas as unidades da FGV, principalmente os responsáveis pelos programas de pósgraduação. O grande desafio do projeto foi, e ainda tem sido, estimular a participação de todas as unidades da FGV para o crescimento da Biblioteca Digital. Treinamentos para o uso dos sistemas, divulgação de resultados alcançados e esclarecimento sobre os benefícios do projeto são exemplos de ações que tem sido tomadas para engajarmos toda a FGV no projeto. A construção da Biblioteca Digital revolucionou a biblioteca num todo. Detectou-se, por exemplo, a necessidade de criar um portal mais dinâmico que hospedasse a biblioteca digital e todos os serviços da biblioteca e onde o bibliotecário pudesse atualizar os conteúdos e informações em tempo real, além de montar uma equipe apta a trabalhar com essas novas ferramentas. Atualmente a própria biblioteca gerencia e atualiza seu portal. Seguindo o conceito de DAVENPORT e PRUSAK (1988), onde o objetivo das ferramentas de gestão do conhecimento é modelar parte do conhecimento que existe na cabeças das pessoas e nos documentos corporativos, disponibilizando-o para toda organização, conseguimos inserir a biblioteca digital no contexto da biblioteca. 8 Referências AMBROSI, A.; PIMENTA, D.; PEUGEOT, V. Rumo às sociedades compartilhadas. In: (Coord.). Desafios das palavras: enfoques multiculturais sobre as sociedades da informação. Disponível em: Acesso em: 18 jun [Disponível através da Licença Creative Commons]. BORGMAN, C. L. From Gutenberg to the global information infrastructure: access to information in the networked world. Cambridge, Mass.: MIT Press, p. CHOWDHURY, M. H. H. et al. Building Institutional Repositories in Bangladesh Using Dspace: a new paradigm of Scholarly Communication. Disponível em: < >. Acesso em: 20 abr CUNHA, M. B. da. Desafios na construção de uma biblioteca digital. Ci. Inf., Brasília, v.28, n.3, p , dez ISSN DAVENPORT, T.; PRUSAK, L. Conhecimento Empresarial: como as organizações gerenciam seu capital intelectual. Rio de Janeiro: Campus,

11 PROCÓPIO, E. Construindo uma Biblioteca Digital. São Paulo: EI - Edições Inteligentes, Disponível em: <http://www.ebooksbrasil.org/adobeebook/bibliotecadigital.pdf> Acesso em: 20 jun SAYÃO, L. F.. Afinal, o que é biblioteca digital?. Rev. USP, São Paulo, n. 80, fev Disponível em: < Acesso em: 18 jun SILVA, N. C.; SÁ, N. O.; FURTADO, S. R. S. Bibliotecas digitais: do conceito às práticas. Disponível em: <http://www.miniweb.com.br/biblioteca/artigos/libdigi.unicamp.pdf> Acesso em: 20 jun

Biblioteca Digital do BNDES www.bndes.gov.br/bibliotecadigital

Biblioteca Digital do BNDES www.bndes.gov.br/bibliotecadigital Biblioteca Digital do BNDES www.bndes.gov.br/bibliotecadigital 24 de NOVEMBRO de 2014 AP/DEINCO/COPED Breve histórico Fev. 2010 início do projeto: seleção de software e digitalização de documentos; 2011

Leia mais

Biblioteca Digital da UNIVATES utilizando a ferramenta DSpace. Alexandre Stürmer Wolf, Ana Paula Lisboa Monteiro, Willian Valmorbida

Biblioteca Digital da UNIVATES utilizando a ferramenta DSpace. Alexandre Stürmer Wolf, Ana Paula Lisboa Monteiro, Willian Valmorbida Biblioteca Digital da UNIVATES utilizando a ferramenta DSpace Alexandre Stürmer Wolf, Ana Paula Lisboa Monteiro, Willian Valmorbida Roteiro Biblioteca Digital da UNIVATES Bibliotecas: Conceitos Metas da

Leia mais

Contexto Planejamento Estrutura Política de funcionamento

Contexto Planejamento Estrutura Política de funcionamento Contexto Planejamento Estrutura Política de funcionamento Promoção do acesso universal Informação atualizada Facilidade de pesquisa Compartilhamento de informação Facilidade de manutenção da informação

Leia mais

Mesa Redonda Novas agendas de atuação e os perfis profissionais em bibliotecas universitárias

Mesa Redonda Novas agendas de atuação e os perfis profissionais em bibliotecas universitárias Mesa Redonda Novas agendas de atuação e os perfis profissionais em bibliotecas universitárias Profa. Dra. Lillian Maria Araújo de Rezende Alvares Coordenadora-Geral de Pesquisa e Manutenção de Produtos

Leia mais

O USO DE INDICADORES DE PRODUÇÃO INTELECTUAL NO PROCESSO DE GESTÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

O USO DE INDICADORES DE PRODUÇÃO INTELECTUAL NO PROCESSO DE GESTÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL O USO DE INDICADORES DE PRODUÇÃO INTELECTUAL NO PROCESSO DE GESTÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Janise Silva Borges da Costa, Beatriz Helena de Souza Cestari, Carla Metzler

Leia mais

REPOSITÓRIO DIGITAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL. UFRGS Porto Alegre, RS Brasil 2009

REPOSITÓRIO DIGITAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL. UFRGS Porto Alegre, RS Brasil 2009 REPOSITÓRIO DIGITAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UFRGS Porto Alegre, RS Brasil 2009 LUME Repositório Digital da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Implementado em janeiro de 2008, a

Leia mais

2003 participação na Elpub (apresentação do MIT /motivação para o trabalho no Brasil); 2004 apresentação ao Reitor da UnB parceria CID (Profa.

2003 participação na Elpub (apresentação do MIT /motivação para o trabalho no Brasil); 2004 apresentação ao Reitor da UnB parceria CID (Profa. Repositório Institucional da Universidade de Brasília HISTÓRICO 2003 participação na Elpub (apresentação do MIT /motivação para o trabalho no Brasil); 2004 apresentação ao Reitor da UnB parceria CID (Profa.

Leia mais

PROJETO FEDERAÇÃO LUSÓFONA DE BIBLIOTECAS DIGITAIS EM CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO

PROJETO FEDERAÇÃO LUSÓFONA DE BIBLIOTECAS DIGITAIS EM CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO PROJETO FEDERAÇÃO LUSÓFONA DE BIBLIOTECAS DIGITAIS EM CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO Ferreira, S. M. S.P. 1 Universidade de São Paulo, Escola de Comunicações de Artes Weitzel, S. R. 2 Universidade Federal do

Leia mais

Publicação em contexto académico: OJS na prática

Publicação em contexto académico: OJS na prática Publicação em contexto académico: OJS na prática sumário 1. Publicações científicas em ambiente académico: um cenário pouco homogéneo 1.1 o papel das bibliotecas de ensino superior 2. OJS Open Journal

Leia mais

www.unioeste.br/portaldainformacao

www.unioeste.br/portaldainformacao PORTAL DA INFORMAÇÃO DA UNIOESTE Página de acesso livre ao conhecimento. www.unioeste.br/portaldainformacao PORTAL DA INFORMAÇÃO DA UNIOESTE A P R E S E N T A Ç Ã O O Portal da Informação da Unioeste é

Leia mais

BIBLIOTECAS DIGITAIS: CONCEITOS E PLANEJAMENTO. Liliana Giusti Serra

BIBLIOTECAS DIGITAIS: CONCEITOS E PLANEJAMENTO. Liliana Giusti Serra BIBLIOTECAS DIGITAIS: CONCEITOS E PLANEJAMENTO Liliana Giusti Serra INFORMAÇÃO - NOVA ECONOMIA Ciência da Informação Ciência da Computação CONTEÚDO Tecnologia de Rede BIBLIOTECAS DIGITAIS Interoperabilidade

Leia mais

REPOSITÓRIOS E VISIBILIDADE INSTITUCIONAL NO BRASIL. Caterina Groposo Pavão

REPOSITÓRIOS E VISIBILIDADE INSTITUCIONAL NO BRASIL. Caterina Groposo Pavão REPOSITÓRIOS E VISIBILIDADE INSTITUCIONAL NO BRASIL Caterina Groposo Pavão 17/10/2014 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO PRODUÇÃO INTELECTUAL DA UFRGS REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS: etapas para criação 2 LUME REPOSITÓRIO

Leia mais

BIBLIOTECA DIGITAL DA UFRGS: implementação e perspectivas

BIBLIOTECA DIGITAL DA UFRGS: implementação e perspectivas BIBLIOTECA DIGITAL DA UFRGS: implementação e perspectivas 2da. Jornada sobre la Biblioteca Digital Universitaria JBD2004 Buenos Aires, 17-18 de junio de 2004 BIBLIOTECA DIGITAL DA UFRGS: implementação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE SUPERINTENDÊNCIA DE DOCUMENTAÇÃO COORDENAÇÃO DE BIBLIOTECAS PLANO DE METAS 2013/2014

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE SUPERINTENDÊNCIA DE DOCUMENTAÇÃO COORDENAÇÃO DE BIBLIOTECAS PLANO DE METAS 2013/2014 UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE SUPERINTENDÊNCIA DE DOCUMENTAÇÃO COORDENAÇÃO DE BIBLIOTECAS PLANO DE METAS 2013/2014 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 META 1: MELHORIA DOS SERVIÇOS E PRODUTOS... 4 META 2 : EDUCAÇÃO

Leia mais

POLÍTICA DE REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL

POLÍTICA DE REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL 1. PROPÓSITO A Fundação Bahiana para Desenvolvimento das Ciências (FBDC), mantenedora da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública (EBMSP), vem instituir a Política de Repositório Institucional - RI,

Leia mais

Acesso aberto e repositórios institucionais: repensando a comunicação e a gestão da informação científica

Acesso aberto e repositórios institucionais: repensando a comunicação e a gestão da informação científica Acesso aberto e repositórios institucionais: repensando a comunicação e a gestão da informação científica Fernando César Lima Leite fernandodfc@gmail.com 1. A comunicação científica e sua importância Qualquer

Leia mais

EDITORAÇÃO ELETRÔNICA DE PERIÓDICOS DA ÁREA DE BIBLIOTECONOMIA E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: A UTILIZAÇÃO DE SOFTWARE LIVRE

EDITORAÇÃO ELETRÔNICA DE PERIÓDICOS DA ÁREA DE BIBLIOTECONOMIA E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: A UTILIZAÇÃO DE SOFTWARE LIVRE EDITORAÇÃO ELETRÔNICA DE PERIÓDICOS DA ÁREA DE BIBLIOTECONOMIA E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: A UTILIZAÇÃO DE SOFTWARE LIVRE Eliane Apolinário Vieira Priscila Marylin de Almeida Arlete Inocencia Menezes Roni

Leia mais

GESTÃO DA INFORMAÇÃO DIGITAL NA BIBLIOTECA CENTRAL DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA: relato de experiência

GESTÃO DA INFORMAÇÃO DIGITAL NA BIBLIOTECA CENTRAL DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA: relato de experiência TRABALHO ORAL IMPACTO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NA GESTÃO DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA Dimensionamento dos impactos dos serviços digitais na Biblioteca GESTÃO DA INFORMAÇÃO DIGITAL NA BIBLIOTECA CENTRAL

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SISTEMA DE BIBLIOTECAS BIBLIOTECA DIGITAL DE PERIÓDICOS DA UFPR

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SISTEMA DE BIBLIOTECAS BIBLIOTECA DIGITAL DE PERIÓDICOS DA UFPR UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SISTEMA DE BIBLIOTECAS BIBLIOTECA DIGITAL DE PERIÓDICOS DA UFPR DIRETRIZES DA BIBLIOTECA DIGITAL DE PERIÓDICOS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ (UFPR) Curitiba 2013 Conselho

Leia mais

Repositórios Digitais Confiáveis

Repositórios Digitais Confiáveis Rápida introdução aos Repositórios Digitais Confiáveis Luis Fernando Sayão Comissão Nacional de Energia Nuclear Câmara Técnica de Documentos Eletrônicos CTDE/CONARQ lsayao@cnen.gov.br REPOSITÓRIOS DIGITAIS

Leia mais

MOTIVAÇÕES E DESAFIOS PARA A CRIAÇÃO DO REPOSITÓRIO RIO DIGITAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

MOTIVAÇÕES E DESAFIOS PARA A CRIAÇÃO DO REPOSITÓRIO RIO DIGITAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL MOTIVAÇÕES E DESAFIOS PARA A CRIAÇÃO DO REPOSITÓRIO RIO DIGITAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Caterina Groposo Pavão, Janise Silva Borges da Costa, Manuela Klanovicz Ferreira, Zaida Horowitz

Leia mais

As publicações da Confederação Nacional de Municípios CNM podem ser acessadas, na íntegra, na biblioteca online do Portal CNM: www.cnm.org.br.

As publicações da Confederação Nacional de Municípios CNM podem ser acessadas, na íntegra, na biblioteca online do Portal CNM: www.cnm.org.br. 2015 Confederação Nacional de Municípios CNM. Esta obra é disponibilizada nos termos da Licença Creative Commons: Atribuição Uso não comercial Compartilhamento pela mesma licença 4.0 Internacional. É permitida

Leia mais

Inovação no acervo e acesso de informações: o sistema de repositório institucional nos Tribunais de Contas do Brasil

Inovação no acervo e acesso de informações: o sistema de repositório institucional nos Tribunais de Contas do Brasil Powered by TCPDF (www.tcpdf.org) Inovação no acervo e acesso de informações: o sistema de repositório institucional nos Tribunais de Contas do Brasil Sílvia Maria Berté Volpato (TCE/SC) - silviaberte@hotmail.com

Leia mais

Critérios para certificação de Sites SciELO: critérios, política e procedimentos para a classificação e certificação dos sites da Rede SciELO

Critérios para certificação de Sites SciELO: critérios, política e procedimentos para a classificação e certificação dos sites da Rede SciELO Critérios para certificação de Sites SciELO: critérios, política e procedimentos para a classificação e certificação dos sites da Rede SciELO Versão Março 2008 1 Introdução Este documento tem por objetivo

Leia mais

Repositórios digitais da Embrapa: acesso livre a produção técnico-científica

Repositórios digitais da Embrapa: acesso livre a produção técnico-científica Powered by TCPDF (www.tcpdf.org) Repositórios digitais da Embrapa: acesso livre a produção técnico-científica Rosângela Lacerda de Castro (EMBRAPA) - rosangela.lacerda@embrapa.br Marilaine Schaun Pelufê

Leia mais

Weslley da Silva Fernandes Mathias

Weslley da Silva Fernandes Mathias Weslley da Silva Fernandes Mathias 1 Biblioteca digital é a biblioteca constituída por documentos primários, que são digitalizados sob a forma material (disquetes, CD-ROM, DVD), ou online através da internet,

Leia mais

10º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM. IMPLEMENTAÇÃO DE BANCO DE TRABALHOS CONCLUSÃO CURSO TCCs WEBSITE DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO UEM-DEP

10º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM. IMPLEMENTAÇÃO DE BANCO DE TRABALHOS CONCLUSÃO CURSO TCCs WEBSITE DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO UEM-DEP 10º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM IMPLEMENTAÇÃO DE BANCO DE TRABALHOS CONCLUSÃO CURSO TCCs WEBSITE DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO UEM-DEP Manoel Francisco Carreira 1 Gislaine Camila Lapasini Leal

Leia mais

Os sistemas de informação da Fundação para a Ciência e a Tecnologia: contributo para uma perspectiva integrada da gestão da informação

Os sistemas de informação da Fundação para a Ciência e a Tecnologia: contributo para uma perspectiva integrada da gestão da informação Os sistemas de informação da Fundação para a Ciência e a Tecnologia: contributo para uma perspectiva integrada da gestão da informação Encontro Internacional de Arquivos Universidade de Évora 3-4 de Outubro

Leia mais

Gestão da informação científica e repositórios institucionais de acesso aberto Fernando César Lima Leite fernandoc@unb.br

Gestão da informação científica e repositórios institucionais de acesso aberto Fernando César Lima Leite fernandoc@unb.br XVII Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias Gestão da informação científica e repositórios institucionais de acesso aberto Fernando César Lima Leite fernandoc@unb.br 1. A comunicação científica

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Organização: Evanildo Vieira dos Santos Bibliotecário CRB7-4861

MANUAL DO USUÁRIO. Organização: Evanildo Vieira dos Santos Bibliotecário CRB7-4861 MANUAL DO USUÁRIO Organização: Evanildo Vieira dos Santos Bibliotecário CRB7-4861 Rio de Janeiro INPI/CEDIN 2014 BIBLIOTECA DO INPI Vinculada ao Centro de Disseminação da Informação Tecnológica (CEDIN),

Leia mais

POLÍTICA DE EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DO ACERVO DA BIBLIOTECA DA FAIP

POLÍTICA DE EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DO ACERVO DA BIBLIOTECA DA FAIP POLÍTICA DE EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DO ACERVO DA BIBLIOTECA DA FAIP 1. POLÍTICA DE EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DO ACERVO DA BIBLIOTECA DA FAIP 1.1. Objetivos Nas últimas décadas as bibliotecas passaram por mudanças

Leia mais

Guia Básico de Utilização da Biblioteca Virtual da FAPESP. Thais Fernandes de Morais Fabiana Andrade Pereira

Guia Básico de Utilização da Biblioteca Virtual da FAPESP. Thais Fernandes de Morais Fabiana Andrade Pereira Guia Básico de Utilização da Biblioteca Virtual da FAPESP Thais Fernandes de Morais Fabiana Andrade Pereira Centro de Documentação e Informação da FAPESP São Paulo 2015 Sumário Introdução... 2 Objetivos...

Leia mais

DOCUMENTO DE APOIO. www.diadorim.ibict.br. Brasília 2012 1. Financiadora:

DOCUMENTO DE APOIO. www.diadorim.ibict.br. Brasília 2012 1. Financiadora: www.diadorim.ibict.br DOCUMENTO DE APOIO Brasília 2012 1 Financiadora: 1 Esta é a segunda versão do Documento de Apoio ao diretório Diadorim, publicado em 2011. SUMÁRIO Introdução... 1 Contatos... 3 Acesso

Leia mais

BIBLIOTECA DIGITAL DE TESES E DISSERTAÇÕES E OS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO: UMA INTERAÇÃO NECESSÁRIA

BIBLIOTECA DIGITAL DE TESES E DISSERTAÇÕES E OS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO: UMA INTERAÇÃO NECESSÁRIA BIBLIOTECA DIGITAL DE TESES E DISSERTAÇÕES E OS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO: UMA INTERAÇÃO NECESSÁRIA Cláudia Oliveira de Moura Bueno 1, Odete Jacomini da Silva 1 Liliane Juvência Azevedo Ferreira 1 Bibliotecárias,

Leia mais

Relato da Iniciativa

Relato da Iniciativa 1 Relato da Iniciativa 5.1 Nome da iniciativa ou projeto Novo portal institucional da Prefeitura de Vitória (www.vitoria.es.gov.br) 5.2 Caracterização da situação anterior A Prefeitura de Vitória está

Leia mais

Como agilizar a produção científica com pesquisas bem sucedidas nas melhores fontes on-line

Como agilizar a produção científica com pesquisas bem sucedidas nas melhores fontes on-line Mini-curso 2 Como agilizar a produção científica com pesquisas bem sucedidas nas melhores fontes on-line 8/11/11-08h30 às 12h30 http://www.abecbrasil.org.br DAMIANO, L. C. C., nov/2011 Apresentação licenciada

Leia mais

Extensão do Sistema de Metadados para Recursos Naturais

Extensão do Sistema de Metadados para Recursos Naturais Extensão do Sistema de Metadados para Recursos Naturais Andreia Fernandes da Silva (IBGE/DI/COBAD) Celso José Monteiro Filho (IBGE/DGC/CREN) Hesley da Silva Py (IBGE/DI/COBAD) Resumo Tendo em vista a grande

Leia mais

A experiência da USP e o repositório do CRUESP

A experiência da USP e o repositório do CRUESP A experiência da USP e o repositório do CRUESP Profa. Dra. Sueli Mara S. P. Ferreira Seminário VIABILIZANDO O ACESSO ABERTO AO CONHECIMENTO NA FIOCRUZ Rio de Janeiro - 30 de maio de 2014 Estrutura - Composição

Leia mais

A PÁGINA DISCIPLINAR DE MATEMÁTICA DO PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO

A PÁGINA DISCIPLINAR DE MATEMÁTICA DO PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO A PÁGINA DISCIPLINAR DE MATEMÁTICA DO PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO Resumo: Dolores Follador Secretaria de Estado da Educação do Paraná e Faculdades Integradas do Brasil - Unibrasil doloresfollador@gmail.com

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO ÁREA DE DOCUMENTAÇÃO E DIVULGAÇÃO SETOR DE PROCESSAMENTO TÉCNICO DA BIBLIOTECA CÉSAR SALGADO PROJETO

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO ÁREA DE DOCUMENTAÇÃO E DIVULGAÇÃO SETOR DE PROCESSAMENTO TÉCNICO DA BIBLIOTECA CÉSAR SALGADO PROJETO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO ÁREA DE DOCUMENTAÇÃO E DIVULGAÇÃO SETOR DE PROCESSAMENTO TÉCNICO DA BIBLIOTECA CÉSAR SALGADO PROJETO CRIAÇÃO DO SETOR DE PROCESSAMENTO TÉCNICO DA BIBLIOTECA CÉSAR

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO ÀS PUBLICAÇÕES CIENTÍFICAS PERIÓDICAS DA USP

PROGRAMA DE APOIO ÀS PUBLICAÇÕES CIENTÍFICAS PERIÓDICAS DA USP PROGRAMA DE APOIO ÀS PUBLICAÇÕES CIENTÍFICAS PERIÓDICAS DA USP III ENAB Encontro Nacional de Bibliotecários ABEC Associação Brasileira de Editores Científicos Florianópolis, 11 a 14 novembro de 2012 Profa.

Leia mais

Preservação de periódicos eletrônicos no Brasil: primeiros passos

Preservação de periódicos eletrônicos no Brasil: primeiros passos Congresso Humanidades Digitais em Portugal: construir pontes e quebrar barreiras na era digital FCSH (UNL) - Lisboa - 8 e 9 out 2015 Preservação de periódicos eletrônicos no Brasil: Dr. Miguel Angel Arellano/Dra.

Leia mais

CMI Centro de Memória e Informação CMI. Dados do Projeto e do(a) Coordenador do Projeto

CMI Centro de Memória e Informação CMI. Dados do Projeto e do(a) Coordenador do Projeto CMI Centro de Memória e Informação CMI Dados do Projeto e do(a) Coordenador do Projeto Título do Projeto Biblioteca Digital da Fundação Casa de Rui Barbosa Coordenador do Projeto: Ana Lígia Silva Medeiros

Leia mais

PORTARIA Nº 412, DE 5 DE SETEMBRO DE 2012

PORTARIA Nº 412, DE 5 DE SETEMBRO DE 2012 PORTARIA Nº 412, DE 5 DE SETEMBRO DE 2012 Estabelece diretrizes para a implementação da política de Gestão da Informação Corporativa no âmbito do Ministério da Previdência Social e de suas entidades vinculadas

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO AMBIENTE COLABORATIVO TIDIA-AE PELO GRUPO DE GERENCIAMENTO DO VOCABULÁRIO CONTROLADO DO SIBiUSP - BIÊNIO 2011-2013

UTILIZAÇÃO DO AMBIENTE COLABORATIVO TIDIA-AE PELO GRUPO DE GERENCIAMENTO DO VOCABULÁRIO CONTROLADO DO SIBiUSP - BIÊNIO 2011-2013 UTILIZAÇÃO DO AMBIENTE COLABORATIVO TIDIA-AE PELO GRUPO DE GERENCIAMENTO DO VOCABULÁRIO CONTROLADO DO SIBiUSP - BIÊNIO 2011-2013 Adriana Nascimento Flamino 1, Juliana de Souza Moraes 2 1 Mestre em Ciência

Leia mais

Biblioteca digital: novo paradigma da informação

Biblioteca digital: novo paradigma da informação Biblioteca digital: novo paradigma da informação Murilo Bastos da Cunha Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Brasília, DF E-mail: murilobc@unb.br Introdução A Internet está revolucionando

Leia mais

SciELO Livros. O que é e como participar

SciELO Livros. O que é e como participar SciELO - Scientific Electronic Library On-line FAPESP - CNPq - BIREME - FapUnifesp Rua Machado Bittencourt, 430 - Vila Clementino CEP 04044-001 - São Paulo - SP - Brasil - Tel.: 55-11-5083-3639 http://www.scielo.org

Leia mais

Repositórios no contexto da EaD: O Banco Internacional de Objetos Educacionais

Repositórios no contexto da EaD: O Banco Internacional de Objetos Educacionais Repositórios no contexto da EaD: O Banco Internacional de Objetos Educacionais Seminário Repositórios Institucionais e de Objetos Virtuais de Aprendizagem Florianópolis, Novembro - 2009 Anna Christina

Leia mais

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF)

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) Maio de 2007 Maria Rachel Barbosa Fundação Trompovsky (Apoio ao NEAD CENTRAN) rachel@centran.eb.br Vanessa Maria

Leia mais

Os Investigadores da Universidade de Coimbra e as plataformas

Os Investigadores da Universidade de Coimbra e as plataformas Os Investigadores da Universidade de Coimbra e as plataformas & 1 Índice 2 Introdução...3 3 A Plataforma de Curricula DeGóis...3 3.1 É utilizada porque...3 3.2 Com a utilização do DeGóis ganho...4 3.1

Leia mais

Palavras-chave: Repositório de dados; Softwares Livres; Bibliotecas digitais; Documentos eletrônicos; Universidades; Produção acadêmica.

Palavras-chave: Repositório de dados; Softwares Livres; Bibliotecas digitais; Documentos eletrônicos; Universidades; Produção acadêmica. Bibliotecas digitais: possibilidades da utilização de Softwares livres para disponibilização de trabalhos acadêmicos. Cristina Maria de Queiroz Valeria Ferreira de Jesus Lauriano Resumo Com a evolução

Leia mais

A AUTENTICIDADE NA PRESERVAÇÃO DA INFORMAÇÃO DIGITAL

A AUTENTICIDADE NA PRESERVAÇÃO DA INFORMAÇÃO DIGITAL 552 A AUTENTICIDADE NA PRESERVAÇÃO DA INFORMAÇÃO DIGITAL José Carlos Abbud Grácio (UNESP Marília) Bárbara Fadel (UNESP Marília / Uni-FACEF Franca) 1. Introdução O papel surgiu como um dos principais suportes

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Art. 1º - A Diretoria de Tecnologia de Informação e Comunicação DTIC da Universidade FEDERAL DO ESTADO DO RIO

Leia mais

DSpace como repositório eletrônico de monografias da Universidade Estadual da Paraíba

DSpace como repositório eletrônico de monografias da Universidade Estadual da Paraíba de Andrade, Camille; Santos da Silva Medeiros, Irenilda DSpace como repositório eletrônico de monografias da Universidade Estadual da Paraíba III Jornadas de Intercambio y Reflexión acerca de la Investigación

Leia mais

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Nome e titulação do Coordenador: Coordenador: Prof. Wender A. Silva - Mestrado em Engenharia Elétrica (Ênfase em Processamento da Informação). Universidade

Leia mais

DIREITOS AUTORAIS / COPYRIGHTS

DIREITOS AUTORAIS / COPYRIGHTS DIREITOS AUTORAIS / COPYRIGHTS PLÁGIO Ipea Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Política de Acesso Aberto e de Direitos Autorais do Repositório do Conhecimento do Ipea (RCIpea): Visão Geral

Leia mais

Gestão de Acervos Municipais: Físico, Digitalizado e Memória

Gestão de Acervos Municipais: Físico, Digitalizado e Memória Gestão de Acervos Municipais: Físico, Digitalizado e Memória Erenilda Custódio dos Santos Amaral Salvador Objetivo; Motivação; Proposta; AGENDA O que se entende nesta proposta como Política de Gestão Documental;

Leia mais

DSPACE GESTÃO DE. Características e requisitos técnicos REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS WHITE PAPER SERIES

DSPACE GESTÃO DE. Características e requisitos técnicos REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS WHITE PAPER SERIES DSPACE GESTÃO DE REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS Características e requisitos técnicos WHITE PAPER SERIES Sobre o documento Identificador WP11173 Autor Miguel Ferreira Contribuição Luís Miguel Ferros Distribuição

Leia mais

1988 - Sistema de Automação do NDC (SAND): Controle da Terminologia de Indexação e Sistema de Informações Legislativas

1988 - Sistema de Automação do NDC (SAND): Controle da Terminologia de Indexação e Sistema de Informações Legislativas A Coordenação de Bibliotecas e a informatização do sistema: onde estamos e o que queremos 1988 - Sistema de Automação do NDC (SAND): Controle da Terminologia de Indexação e Sistema de Informações Legislativas

Leia mais

Localizador de Informação em Saúde - LIS

Localizador de Informação em Saúde - LIS Localizador de Informação em Saúde - LIS Fontes de Informação Referenciais - FIR/PFI BIREME/OPAS/OMS Catálogo de fontes de informação disponíveis na Internet na área da saúde. Definição Descreve o conteúdo

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DA BIBLIOTECA VIRTUAL DO INSTITUTO CEPA: RELATO DA EXPERIÊNCIA 1. Ilmar Borchardt Amélia Silva de Oliveira Danilo Pereira Édina Nami Regis

IMPLANTAÇÃO DA BIBLIOTECA VIRTUAL DO INSTITUTO CEPA: RELATO DA EXPERIÊNCIA 1. Ilmar Borchardt Amélia Silva de Oliveira Danilo Pereira Édina Nami Regis IMPLANTAÇÃO DA BIBLIOTECA VIRTUAL DO INSTITUTO CEPA: RELATO DA EXPERIÊNCIA 1 Ilmar Borchardt Amélia Silva de Oliveira Danilo Pereira Édina Nami Regis Resumo Descreve a implantação da Biblioteca Virtual

Leia mais

PROJETO BIBLIOTECA VIRTUAL-DIGITAL

PROJETO BIBLIOTECA VIRTUAL-DIGITAL GOVERNO DO ESTADO DO EspíRITO SANTO SECRETARIA DE ESTADO DE ECONOMIA E PLANEJAMENTO - SEP INSTITUTO JONES DOS SANTOS NEVES PROJETO BIBLIOTECA VIRTUAL-DIGITAL Vitória, 2011 GOVERNO DO ESTADO DO EspíRITO

Leia mais

Repositórios de dados espaciais para suporte À modelagem matemática da dengue

Repositórios de dados espaciais para suporte À modelagem matemática da dengue Repositórios de dados espaciais para suporte À modelagem matemática da dengue Prof. Dr. Anselmo C. Paiva Prof.Dr. Aristófanes C. Silva Núcleo de Computação Aplicada NCA UFMA Contexto Projeto: Desenvolvimento

Leia mais

O Bibliotecário como gestor de Projetos em TIC. Rodrigo Moreira Garcia garcia.rodrigo@usp.br

O Bibliotecário como gestor de Projetos em TIC. Rodrigo Moreira Garcia garcia.rodrigo@usp.br Mesa: O papel das Tic s para a Democratização da Informação Publica O Bibliotecário como gestor de Projetos em TIC Rodrigo Moreira Garcia garcia.rodrigo@usp.br Bibliotecário da Escola de Comunicações e

Leia mais

COORDENAÇÃO-GERAL DE PESQUISA E MANUTENÇÃO DE PRODUTOS CONSOLIDADOS LILLIAN ALVARES

COORDENAÇÃO-GERAL DE PESQUISA E MANUTENÇÃO DE PRODUTOS CONSOLIDADOS LILLIAN ALVARES COORDENAÇÃO-GERAL DE PESQUISA E MANUTENÇÃO DE PRODUTOS CONSOLIDADOS LILLIAN ALVARES Coordenação do Laboratório de Metodologias de Tratamento e Disseminação da Informação Bianca Amaro Coordenação de Atendimento

Leia mais

Institui, no âmbito do Programa de Pesquisa em Biodiversidade - PPBio, a Política de Dados.

Institui, no âmbito do Programa de Pesquisa em Biodiversidade - PPBio, a Política de Dados. PORTARIA Nº 693, DE 20 DE AGOSTO DE 2009 Institui, no âmbito do Programa de Pesquisa em Biodiversidade - PPBio, a Política de Dados. O MINISTRO DE ESTADO DA CIÊNCIA E TENOLOGIA, no uso de suas atribuições

Leia mais

VIII Oficinas de Formação A Escola na Sociedade da Informação e do Conhecimento praticar ao sábado. E-repositórios. 26 de Maio de 2007

VIII Oficinas de Formação A Escola na Sociedade da Informação e do Conhecimento praticar ao sábado. E-repositórios. 26 de Maio de 2007 VIII Oficinas de Formação A Escola na Sociedade da Informação e do Conhecimento praticar ao sábado E-repositórios 26 de Maio de 2007 Intervenção de Maria João Gomes da Universidade do Minho Repositórios

Leia mais

Ações de gestão da informação de C&T em andamento. Brasília,10 de dezembro de 2013

Ações de gestão da informação de C&T em andamento. Brasília,10 de dezembro de 2013 Ações de gestão da informação de C&T em andamento Brasília,10 de dezembro de 2013 Embrapa Informação Tecnológica Gestão da informação : Aplicação de metodologias adequadas aos processos de identificação,

Leia mais

Biblioteca Digital da Unicamp

Biblioteca Digital da Unicamp Biblioteca Digital da Unicamp Luiz Atilio Vicentini vicentin@unicamp.br Florianópolis, novembro 2009. 2004 3.932 Teses = 627 mil visitas 370 mil downloads Formulário previa que as teses poderiam não ser

Leia mais

Customização do DSpace para Sincronizar com Diferentes Fontes de Dados e Padrões de Atualização: o Caso do Repositório Digital da UFRGS

Customização do DSpace para Sincronizar com Diferentes Fontes de Dados e Padrões de Atualização: o Caso do Repositório Digital da UFRGS Customização do DSpace para Sincronizar com Diferentes Fontes de Dados e Padrões de Atualização: o Caso do Repositório Digital da UFRGS Janise Silva Borges da Costa,Manuela Klanovicz Ferreira, Afonso Comba

Leia mais

Open Archives e Open Access

Open Archives e Open Access Mesa redonda: Tecnologias de Informação Open Archives e Open Access Sumário Cenário Mundial da Comunicação Científica O modelo Open Archives O movimento do acesso livre Ações do Ibict em direção ao acesso

Leia mais

UNESCO Brasilia Office Representação da UNESCO no Brasil Entrevista: Portal Domínio Público

UNESCO Brasilia Office Representação da UNESCO no Brasil Entrevista: Portal Domínio Público UNESCO Brasilia Office Representação da UNESCO no Brasil Entrevista: Portal Domínio Público UNESCO Ministério da Educação Brasília 2006 Artigo publicado, em 06 de dezembro de 2006, no Observatório da Sociedade

Leia mais

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ BIREME - OPAS - OMS CENTRO DE INFORMAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA CICT PROJETO BVS DOENÇAS INFECCIOSAS E PARASITÁRIAS BRASIL

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ BIREME - OPAS - OMS CENTRO DE INFORMAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA CICT PROJETO BVS DOENÇAS INFECCIOSAS E PARASITÁRIAS BRASIL FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ - OPAS - OMS CENTRO DE INFORMAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA CICT PROJETO BVS DOENÇAS INFECCIOSAS E PARASITÁRIAS BRASIL Rio de Janeiro 2002 Doenças Infecciosas e Parasitárias na BVS

Leia mais

POLÍTICA DE ACESSO A DADOS E INFORMAÇÕES

POLÍTICA DE ACESSO A DADOS E INFORMAÇÕES INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS DA AMAZÔNIA PROGRAMA DE COLEÇÕES E ACERVOS CIENTÍFICOS POLÍTICA DE ACESSO A DADOS E INFORMAÇÕES Esta política trata do acesso aos dados, metadados e informações das coleções

Leia mais

Laboratório de Políticas Públicas Participativas Acervos digitais. Reunião MinC 20/03/2015

Laboratório de Políticas Públicas Participativas Acervos digitais. Reunião MinC 20/03/2015 Laboratório de Políticas Públicas Participativas Acervos digitais Reunião MinC 20/03/2015 Reunião MinC Proposta de Pauta Apresentação equipe: Leo, Murilo, Dalton, Marcel, Marco e Eduardo; Situação geral

Leia mais

SciELO Brasil e o processo de avaliação da área de odontologia

SciELO Brasil e o processo de avaliação da área de odontologia SciELO Brasil e o processo de avaliação da área de odontologia Fabiana Montanari Lapido Projeto SciELO FAPESP, CNPq, BIREME, FapUNIFESP 27ª Reunião Anual da SBPqO Águas de Lindóia, 9 setembro 2010 Apresentação

Leia mais

PROGRAMA DE PUBLICAÇÃO DE TESES PROQUEST. Andréa Gonçalves Training & Consulting Partner

PROGRAMA DE PUBLICAÇÃO DE TESES PROQUEST. Andréa Gonçalves Training & Consulting Partner PROGRAMA DE PUBLICAÇÃO DE TESES PROQUEST Andréa Gonçalves Training & Consulting Partner Agenda ProQuest Dissertations and Theses Histórico da UMI e PQDT Como e por que usar a PQDT? Processo de publicação

Leia mais

EXPERIÊNCIA DE USO DE ARQUITETURA CORPORATIVA NO PROJETO DE RES

EXPERIÊNCIA DE USO DE ARQUITETURA CORPORATIVA NO PROJETO DE RES EXPERIÊNCIA DE USO DE ARQUITETURA CORPORATIVA NO PROJETO DE RES Rigoleta Dutra Mediano Dias 1, Lívia Aparecida de Oliveira Souza 2 1, 2 CASNAV, MARINHA DO BRASIL, MINISTÉRIO DA DEFESA, BRASIL Resumo: Este

Leia mais

SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 003/2014 PROGRAMA IPEA PESQUISA SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL

SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 003/2014 PROGRAMA IPEA PESQUISA SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 003/2014 PROGRAMA IPEA PESQUISA SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL Contrato de Empréstimo de Cooperação Técnica nº 1841/OC-BR Projeto: Aperfeiçoamento

Leia mais

Criação e desenvolvimento do Repositório Institucional da Universidade do Minho

Criação e desenvolvimento do Repositório Institucional da Universidade do Minho Estoril, 13 de Maio de 2004 Criação e desenvolvimento do Repositório Institucional da Universidade do Minho Eloy Rodrigues, Matilde Almeida, Ângelo Miranda, Augusta Guimarães, Daniela Castro E-mail: {eloy,

Leia mais

Open Archives. um marco na história das Bibliotecas Digitais

Open Archives. um marco na história das Bibliotecas Digitais Open Archives um marco na história das Bibliotecas Digitais Motivação Pontiac G6 Preço igual (EUA) USD $17,000 Motivação Dificuldades encontradas pelos pesquisadores no ciclo da comunicação científica

Leia mais

Portal de Periódicos da CAPES: evolução do acesso pela UEPG 2005 a 2013 : experiência da capacitação de usuários com cursos de extensão

Portal de Periódicos da CAPES: evolução do acesso pela UEPG 2005 a 2013 : experiência da capacitação de usuários com cursos de extensão 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( x ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE

Leia mais

ACESSO AO PORTAL DE PERIÓDICOS DA CAPES APRESENTAÇÃO

ACESSO AO PORTAL DE PERIÓDICOS DA CAPES APRESENTAÇÃO Tutorial de Pesquisa do Portal de Periódicos da CAPES Manaus 2014 ACESSO AO PORTAL DE PERIÓDICOS DA CAPES APRESENTAÇÃO A Biblioteca Aderson Dutra da Universidade Nilton Lins disponibiliza um moderno conjunto

Leia mais

DOI: Claudiane Weber

DOI: Claudiane Weber clauweber@gmail.com DOI: sistema de identificação numérico para conteúdo digital Claudiane Weber Bibliotecária UDESSM CRB 14/1272 DOI conceito O que é o DOI? 3 "Digital Object Identifier", significando

Leia mais

A Biblioteca Digital do Senado Federal. DSpace

A Biblioteca Digital do Senado Federal. DSpace A Biblioteca Digital do Senado Federal eo DSpace André Luiz Lopes de Alcântara Chefe do Serviço de Biblioteca Digital Simone Bastos Vieira Diretora da Biblioteca do Senado Federal BIBLIOTECA DO SENADO

Leia mais

EDITAL Nº 02/2012 PROPP/UEMS/MCT/FINEP/CT- INFRA PROINFRA 01/2011

EDITAL Nº 02/2012 PROPP/UEMS/MCT/FINEP/CT- INFRA PROINFRA 01/2011 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DIVISÃO DE PESQUISA EDITAL Nº 02/2012 PROPP/UEMS/MCT/FINEP/CT- INFRA PROINFRA 01/2011 SELEÇÃO DE PROPOSTAS PARA APOIO

Leia mais

A. Critérios para Avaliação e Aprovação de Cursos Novos de História

A. Critérios para Avaliação e Aprovação de Cursos Novos de História A. Critérios para Avaliação e Aprovação de Cursos Novos de História 1. Apoio institucional. Clara manifestação de apoio por parte da IES proponente, expressa tanto no provimento da infraestrutura necessária,

Leia mais

Atividades do Ibict que utilizam tecnologias IBM

Atividades do Ibict que utilizam tecnologias IBM Atividades do Ibict que utilizam tecnologias IBM 1.Atividades do Ibict que utilizam a tecnologia IBM Connections 2. Atividades do Ibict que utilizam a tecnologia IBM OmniFind 1.1 BDTD - Biblioteca Digital

Leia mais

O QUE É O SITE MUNÍCIPIOS?

O QUE É O SITE MUNÍCIPIOS? O QUE É O SITE MUNÍCIPIOS? Apresentação Histórico Estratégia de comunicação e políticas para promoção do municipalismo forte e atuante A atuação da Confederação Nacional de Municípios na comunicação pública

Leia mais

SISTEMA ELETRÔNICO DE EDITORAÇÃO DE REVISTAS: SEER

SISTEMA ELETRÔNICO DE EDITORAÇÃO DE REVISTAS: SEER SISTEMA ELETRÔNICO DE EDITORAÇÃO DE REVISTAS: SEER O Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER/OJS) foi customizado pelo IBICT, e o objetivo principal do projeto foi organizar a informação científica

Leia mais

ANEXO 11. - Conteúdos em formato de texto puro e listas; - Conteúdos em formato de texto puro e conteúdo categorizado;

ANEXO 11. - Conteúdos em formato de texto puro e listas; - Conteúdos em formato de texto puro e conteúdo categorizado; ANEXO 11 O CMS PROCERGS Para o desenvolvimento de sites, objeto deste edital, a empresa contratada obrigatoriamente utilizará uma ferramenta CMS (Content Management Systems ou Sistema de Gestão de Conteúdo)

Leia mais

BIBLIOTECA 1.1 INFORMAÇÕES GERAIS

BIBLIOTECA 1.1 INFORMAÇÕES GERAIS BIBLIOTECA 1.1 INFORMAÇÕES GERAIS A Biblioteca possui atenção especial dos dirigentes da UCSal, por constituirse em um instrumento de apoio valioso aos programas de ensino, pesquisa e extensão. O foco

Leia mais

DOI - Digital Object Identifier

DOI - Digital Object Identifier DOI - Digital Object Identifier conceito, requisitos e responsabilidades dos editores Claudiane Weber Bibliotecária BU/UFSC DOI conceito WEBER, Claudiane (2012) O que é o DOI? 3 "Digital Object Identifier",

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO NA UFG

IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO NA UFG IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO NA UFG Rosângela da Silva Nunes 1 Centros de Recursos Computacionais - CERCOMP Universidade Federal de Goiás UFG Campus II, UFG, 74000-000, Goiânia

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIBLIOTECONOMIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIBLIOTECONOMIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIBLIOTECONOMIA ALINE CRISTINA DE FREITAS ANA CLÁUDIA ZANDAVALLE CAMILA RIBEIRO VALERIM FERNANDO DA COSTA PEREIRA

Leia mais

PROPOSTA PARA CONSTRUÇÃO DE UMA BIBLIOTECA DIGITAL COMO FERRAMENTA DE AUXÍLIO NO ENSINO À DISTÂNCIA

PROPOSTA PARA CONSTRUÇÃO DE UMA BIBLIOTECA DIGITAL COMO FERRAMENTA DE AUXÍLIO NO ENSINO À DISTÂNCIA PROPOSTA PARA CONSTRUÇÃO DE UMA BIBLIOTECA DIGITAL COMO FERRAMENTA DE AUXÍLIO NO ENSINO À DISTÂNCIA Daniel Gonzaga dos Santos 1 Faculdade Cidade de João Pinheiro Resumo: Este artigo aborda as etapas para

Leia mais

Carta para a Preservação do Patrimônio Arquivístico Digital Preservar para garantir o acesso

Carta para a Preservação do Patrimônio Arquivístico Digital Preservar para garantir o acesso Carta para a Preservação do Patrimônio Arquivístico Digital Preservar para garantir o acesso Considerando que a informação arquivística, produzida, recebida, utilizada e conservada em sistemas informatizados,

Leia mais

DEPOIMENTO. Centros de Memória Institucionais: métodos, procedimentos, ferramentas e tecnologia

DEPOIMENTO. Centros de Memória Institucionais: métodos, procedimentos, ferramentas e tecnologia DEPOIMENTO Centros de Memória Institucionais: métodos, procedimentos, ferramentas e tecnologia Maria Cristina Santos Borrego * Simone Modenesi ** Resumo Este depoimento trata da apresentação de questões

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA SERVIÇO DE PERIÓDICOS DIRETRIZES DO PORTAL DE PERIÓDICOS DA UFSC

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA SERVIÇO DE PERIÓDICOS DIRETRIZES DO PORTAL DE PERIÓDICOS DA UFSC UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA SERVIÇO DE PERIÓDICOS DIRETRIZES DO PORTAL DE PERIÓDICOS DA UFSC Florianópolis, Março, 2012 Revisado em julho, 2012 2 1 INTRODUÇÃO O Portal

Leia mais