Sistemas gestores de conteúdo e suas aplicações em museus e centros de ciência

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sistemas gestores de conteúdo e suas aplicações em museus e centros de ciência"

Transcrição

1 Sistemas gestores de conteúdo e suas aplicações em museus e centros de ciência Fabio Castro Gouveia Museu da Vida COC Fiocruz Brasil Introdução Podemos considerar que os Museus são tradicionalmente provedores de informação, sendo esta função efetuada através de seus acervos e coleções que são interpretados por curadores na busca de contextualizar objetos e melhor envolver e despertar o interesse de seus visitantes (Donovan, 1997). Desde os anos 90, museus e centros de ciência e tecnologia tem se voltado para divulgar informações através da Internet. Esta aproximação se iniciou pela criação de um sítio na rede, como marco de pioneirismo destas instituições, e chegou, nos últimos 5 anos, a popularização da produção de conteúdos para Internet. Dentre as ferramentas que permitiram esta popularização, os sistemas gestores de conteúdo (Content Management Systems CMS) foram os que abriram as portas da Internet para que os produtores de conteúdo agissem diretamente sem a dependência de técnicos para disponibilizar e atualizar seus sítios. O que antes dependia de um profissional de Informática, ou de um Web designer, hoje pode estar acessível a qualquer profissional interessado em colocar um documento na rede. Além disso, o custo de manter um sítio na Internet constantemente atualizado diminuiu, e o uso destas ferramentas passou a ser objeto de debate entre os museus com presença na rede (Honeysett, 2000). Bowen (2000), considera que o mais importante motivo para os museus terem um sítio na Internet é o de construir um conjunto de visitantes virtuais, sendo que este conjunto deve ser tratado com a mesma importância que um conjunto real de visitantes. Em janeiro de 2003, o Museu da Vida inaugurou dois sítios na Internet, e uma sala de informática (Sala de Comunicação do Parque da Ciência). O primeiro foi o novo sítio do Museu da Vida ( com conteúdos atualizados e nova estrutura. O segundo foi o sítio chamado Invivo ( uma mistura de revista eletrônica e Museu Virtual do Museu da Vida. A Sala de Comuni-

2 cação dispõe de computadores doados e de um sistema de hipertexto para consulta com conteúdos diversos sobre os temas Saúde, Ciência, Tecnologia, Historia, Vida e Comunicação. Os projetos da Sala de Comunicação e do sítio Invivo foram objeto de patrocínio da Unisys e da Prefeitura do Rio de Janeiro. Neste artigo, apresento as aplicações de um sistema gerenciador de conteúdo no âmbito da implementação destes dois sítios na Internet (Museu da Vida e Invivo) e da geração de um sistema de hipertexto aberto para a Sala de Comunicação do Parque da Ciência do Museu da Vida. Características Gerais do Sistema Para permitir uma melhor produção de conteúdos e atualização do novo sitio do Museu da Vida, além do desafio de produzir um sítio de Museu Virtual (Invivo), optamos pela utilização de um sistema gerenciador de conteúdo comercial brasileiro. Este gerenciador de conteúdo permitiu que o layout do sítio fosse estudado e desenvolvido independentemente da produção do conteúdo a ser apresentado, visto que este seria integrado posteriormente. Em um processo tradicional de desenvolvimento de um sítio, é necessário gerar manualmente cada página, e ter uma nomenclatura para que possam ser gerados os vínculos para futuras páginas. Já em um sistema gerenciador de conteúdo, os dados são inseridos em uma base de dados, e os vínculos são criados após a produção do conteúdo a ser vinculado. Os conteúdos inseridos na base de dados são apresentados como páginas da Internet, a partir da requisição das mesmas, sendo usado como layout o modelo ativado no sistema gerenciador de conteúdo. Isto permite a troca do layout, sem a necessidade de gerar novamente todas as páginas. Os modelos podem ser desenvolvidos a parte e testados sem que interfiram no funcionamento do sítio, e ativados diretamente quando aprovados. O sistema escolhido permite também que as novas páginas sejam submetidas a um processo de aprovação pela editoria central do sitio, bem como sejam transferidas de seção, agendadas para publicação e arquivadas automaticamente. O recurso de controle de fluxo de matérias funciona através de uma tela de área de trabalho dos editores de seção permitindo um controle das tarefas a serem efetuadas. Além disso, existe a possibilidade de indicar conteúdos que devam ser destacados, ordenados por prioridade, e existe o recurso de palavras-chave para definição de agrupamentos de conteúdos entre seções. Um sistema de busca é incorporado a ferramenta, permitindo que sejam encontrados os conteúdos ativos e os que foram deslocados para arquivo.

3 O conhecimento exigido para aquele que deseje inserir informações no sitio é o de um usuário padrão do windows que saiba usar um editor de texto. Para inserção de imagens, uma tag simplificada deve ser escrita no conteúdo do texto. De uma maneira geral o treinamento básico pode ser feito em 10 minutos, dependendo apenas do quão adaptado ao uso da Internet esta o usuário. No caso especifico da produção do sítio Invivo, alguns conteúdos com maior grau de interatividade foram disponibilizados fora do sistema gerenciador de conteúdo. As exposições virtuais sobre Dengue (uma versão adaptada de uma exposição real) e Célula (exposição somente produzida para o ambiente virtual) foram encaminhadas para produção em separado do sítio de Invivo, dando assim uma liberdade maior ao layout, e permitindo o desenvolvimento em paralelo com o sítio. Alguns recursos que a tecnologia de hipertexto oferece, como a possibilidade de múltiplos caminhos e formas de apresentação de um mesmo conteúdo, nem sempre são explorados no processo de produção de hipermídias. Para Levy (1996), um hipertexto se organiza em um modo fractal, ou seja, qualquer nó ou conexão, quando analisado, pode revelarse como sendo composto por toda uma rede e, assim por diante, indefinidamente. Um exemplo de aplicação especifica do sistema gerenciador de conteúdo escolhido, foi à produção de um hipertexto para o Parque da Ciência do Museu da Vida, no qual foram utilizadas licenças gratuitas do produto. Através da programação dos modelos de paginas, foi possível construir um hipertexto com infinitas subseções facilmente atualizável e gerenciável pelo usuário do sistema. Assim sendo, passamos a ter um hipertexto aberto, com apresentação de conteúdos que pode ser acrescida a cada momento. O potencial de criação de um sistema de infinitas conexões nos serve de estimulo para desenvolver ainda mais o produto. Divulgando conteúdos na Internet Uma das formas de avaliar o impacto da publicação de conteúdos na Internet é efetuar uma consulta simulada em um sítio de busca. Por outro lado, temos que atentar para a metodologia que os diversos sítios de busca utilizam para indexar os documentos encontrados. Podemos dividir estas metodologias de indexação em diretórios e motores de busca (Cendón, 2001). Os diretórios (ex: Yahoo são baseados na construção de uma base de dados contendo sítios avaliados por uma equipe. Uma determinada categoria será classificada de acordo com os critérios de avaliação do próprio diretório de busca. Assim sendo, a autoridade que classifica o sítio é a equipe produtora do diretório, nem sempre versada no assunto em pauta.

4 Já no caso dos motores de busca (Search Engines como por exemplo o Altavista a estrutura da base de dados do sítio é construída com informações fornecidas pelos metadados (textos ocultos contendo palavras chaves e descrições do conteúdo) existentes nas páginas encontradas. Estes metadados têm prioridade na definição da indexação dos conteúdos das páginas. Por causa disso, o sistema de motores de busca permite que a autoridade que define a relevância do sítio seja o produtor do conteúdo. O autor do conteúdo pode e deve definir as categorias e casos em que o sítio será encontrado e ser o responsável pela eficiência no processo de indexação do sítio. Bowen (1999) ressalta a importância, tanto para os diretórios quanto para as máquinas de busca, de se incluir metadados nas páginas desenvolvidas nos sítios, bem como o cadastramento nos sistemas mais conhecidos de diretórios e motores de busca. Apesar disso, diversos sítios de museus na Internet não incorporam estas informações, nem se cadastram nestes sistemas por ignorarem estes recursos e sua importância. Através da configuração dos modelos de pagina criados para os sítios desenvolvidos, podemos gerar páginas com conteúdos de metadados preenchidos. Isto significa que uma pagina ao ser chamada conterá além do texto completo solicitado, um resumo e titulo preenchido nos campos de metadados no inicio do documento. Isto garante que o conteúdo disponibilizado seja corretamente indexado pelos motores de busca da rede, representando um avanço no processo de disseminação da informação disponibilizada on-line. Conclusões Os museus e centros de ciências têm atuado na produção e disponibilização de seus conteúdos na Internet, sendo que diferentes enfoques têm sido dados na produção de seus sítios institucionais. Estas instituições têm se voltado, cada vez mais, para difusão de seus conteúdos pela rede através de folhetos digitais, divulgação de programação, jogos e experiências on-line, textos de divulgação científica, reflexões sobre a área de museus, atividades através da Internet, entre outros. De uma maneira geral os sítios têm resultado da vontade das equipes interessadas em disponibilizar conteúdos, ou de uma determinação administrativa de criação de uma presença na rede com informações básicas a respeito da instituição. Considerando esses aspectos, a possibilidade de dar independência àqueles que geram o conteúdo permite um processo mais transparente tecnologicamente e com a possibilidade de manutenção e atualização mais eficiente do sítio na Internet criado. A visibilidade deste sítio para o público virtual será também influenciada pela qualidade, fre-

5 qüência de atualização, e correta indexação das informações apresentadas. Neste sentido, uma ferramenta gerenciadora de conteúdo é um potencial facilitador neste processo. Durante o desenvolvimento de um hipertexto ou multimídia, a escolha da estrutura de navegação é um dos passos críticos para definição da abordagem de interatividade escolhida (Gouveia & Mano 1999). Deve-se desenhar cuidadosamente a estrutura para permitir uma navegação confortável ao visitante, estando claros os vínculos e caminhos oferecidos. Com o sistema de hipertexto aberto gerado para o Parque da Ciência, a estruturação da informação passa a ser maleável, permitindo uma adaptação conforme o conteúdo é agregado. A aplicação desta tecnologia tem o potencial de modificar a dinâmica de produção de conteúdos para Internet, bem como permitir uma nova abordagem na criação de hipertextos. Referências bibliográficas Bowen, J. (1999) Time for renovations: a survey of museum web sites in museums and the web 1999: Selected papers from an international conference, New Orleans, USA, March pg Eds: Bearman, D. & Trant, T., Archives & Museum Informatics, Pittsburgh, EUA Bowen, J. (2000) The virtual museum. Museum international, 205 v.51,n.1. UNESCO, Paris, França Cendón, B.V. (2001) Ferramentas de busca na Web. Ciência e informação, v. 30 n.1, p Donovan, K. (1997) The Best of Intentions: Public Access, the Web & the Evolution of Museum Automation. In: Museums and the Web USA. Internet (23/05/2000): Gouveia, F. C. & Mano, S. (1999) Estruturas de navegação em multimídia In: VI Reunião da RED-POP, Rio de Janeiro Honeysett, N. (2000) Content management for a content-rich website. In: Museums and The Web USA. Internet (01/02/2002): papers/honeysett/honeysett.html Levy, P. (1996) As tecnologias daiinteligência, Rio de Janeiro, Ed: 34. p. 26.

MOODLE NA PRÁTICA PEDAGÓGICA

MOODLE NA PRÁTICA PEDAGÓGICA Carmen Mathias Agosto - 2009 I. CADASTRO 1. Acessar o site de treinamento (teste): http://moodle_course.unifra.br/ 2. Faça o login, clicando em acesso no lado direito superior da tela: 3. Coloque seu nome

Leia mais

Metadados. 1. Introdução. 2. O que são Metadados? 3. O Valor dos Metadados

Metadados. 1. Introdução. 2. O que são Metadados? 3. O Valor dos Metadados 1. Introdução O governo é um dos maiores detentores de recursos da informação. Consequentemente, tem sido o responsável por assegurar que tais recursos estejam agregando valor para os cidadãos, as empresas,

Leia mais

CentralSul de Notícias: A Rotina Produtiva de uma Agência Experimental Online 1

CentralSul de Notícias: A Rotina Produtiva de uma Agência Experimental Online 1 CentralSul de Notícias: A Rotina Produtiva de uma Agência Experimental Online 1 COSTA 2 Daiane dos Santos; FONSECA 3 Aurea Evelise dos Santos; ZUCOLO 4 Rosana Cabral 1 Trabalho submetido ao SEPE 2011 Simpósio

Leia mais

Relatórios. Manual. Pergamum

Relatórios. Manual. Pergamum Relatórios Manual Pergamum Manual PER-MAN-005 Estatísticas Circulação de Materiais - Geral Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 1-4 1.1 PESQUISANDO ESTATÍSITICAS E RELATÓRIOS... 1-10 1.2 UTILIZANDO O MÓDULO RELATÓRIOS...

Leia mais

Abre-se, então, a tela Solicitação de Cadastro de Usuários. O Módulo Escola já aparece selecionado.

Abre-se, então, a tela Solicitação de Cadastro de Usuários. O Módulo Escola já aparece selecionado. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Básica Diretoria de Fortalecimento Institucionais e Gestão Educacional Plano de Desenvolvimento da Escola SIMEC Sistema Integrado de Planejamento Orçamento

Leia mais

Balanço Energético Nacional 2012. Manual do Sistema de Coleta de Dados para o BEN 2012

Balanço Energético Nacional 2012. Manual do Sistema de Coleta de Dados para o BEN 2012 Balanço Energético Nacional 2012 Manual do Sistema de Coleta de Dados para o BEN 2012 Fevereiro de 2012 Apresentação O Balanço Energético Nacional BEN é o documento tradicional do setor energético brasileiro,

Leia mais

Curso de Informática Básica

Curso de Informática Básica Curso de Informática Básica A Web Descomplique 1 Curso de Informática Básica Índice Introdução...3 Organizando os favoritos...3 Localizando Informações na página...5 Histórico de Navegação...7 Capturando

Leia mais

Curso Juventude Brasileira e Ensino Médio Inovador. Manual do ambiente Moodle

Curso Juventude Brasileira e Ensino Médio Inovador. Manual do ambiente Moodle Curso Juventude Brasileira e Ensino Médio Inovador Manual do ambiente Moodle CURSO DE INTRODUÇÃO AO MOODLE 1. Introdução Estamos começando nossa viagem e nossa primeira parada é na unidade denominada Curso

Leia mais

Pró-Reitoria de Administração - PRAd Assessoria de Informática - AI SISTEMA DE PUBLICAÇÃO DE LICITAÇÕES. Manual de Procedimentos

Pró-Reitoria de Administração - PRAd Assessoria de Informática - AI SISTEMA DE PUBLICAÇÃO DE LICITAÇÕES. Manual de Procedimentos Pró-Reitoria de Administração - PRAd Assessoria de Informática - AI SISTEMA DE PUBLICAÇÃO DE LICITAÇÕES Manual de Procedimentos 2004 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO...3 2. OBJETIVOS...3 3. ÂMBITO DE APLICAÇÃO...3

Leia mais

Manual do Aluno para o Curso do SEER à Distância

Manual do Aluno para o Curso do SEER à Distância Manual do Aluno para o Curso do SEER à Distância Elaborado por: Alexandre Faria de Oliveira Consultor TI / Monitor Colaborador: Dr.Miguel Ángel Márdero Arellano Coordenador SEER - IBICT Brasília, 2011

Leia mais

PROCESSO EDITORIAL SISTEMA ELETRÔNICO DE EDITORAÇÃO DE REVISTA (SEER)

PROCESSO EDITORIAL SISTEMA ELETRÔNICO DE EDITORAÇÃO DE REVISTA (SEER) SISTEMA ELETRÔNICO DE EDITORAÇÃO DE REVISTA (SEER) PROCESSO EDITORIAL Andréa Figueiredo Leão Grants Alexandre Pedro de Oliveira Tatyane Barbosa Philippi 2011 Andréa Figueiredo Leão Grants Alexandre Pedro

Leia mais

INSTITUTO PRESBITERIANO MACKENZIE COLÉGIO PRESBITERIANO MACKENZIE SP Informática Educacional

INSTITUTO PRESBITERIANO MACKENZIE COLÉGIO PRESBITERIANO MACKENZIE SP Informática Educacional História da Internet...3 O que é Internet?...3 Quem é o dono da Internet?...3 Como se conectar?...4 A estrutura dos endereços utilizados na Internet...4 SITES DE BUSCA...7 Sites de Busca...8 Pesquisa...8

Leia mais

Tutorial Moodle ESDM - professores

Tutorial Moodle ESDM - professores Primeira entrada: Tutorial Moodle ESDM - professores USUÁRIO - MODIFICAR PERFIL No primeiro login/entrada no MOODLE aparecerá a tela do PERFIL para que o usuário complete seus dados. EDITANDO O PERFIL

Leia mais

O Gerenciamento de Documentos Analógico/Digital

O Gerenciamento de Documentos Analógico/Digital Tipos de GED: Document imaging Document management Document Imaging / Document Management O Gerenciamento de Documentos Analógico/Digital Mundo analógico Criação Revisão Processamento Arquivo Mundo digital

Leia mais

Proposta Revista MARES DE MINAS

Proposta Revista MARES DE MINAS SATIS 2011 Proposta Revista MARES DE MINAS 21/03/2011 A SATIS Índice 1 A Satis 1 A Proposta 1 Serviços 2 Mapa do Site 2 SEO 3 Sistema de gerenciamento de conteudo 4 Cronograma e Prazos 5 Investimento 6

Leia mais

Prefeitura de Belo Horizonte. Sistema de Controle de Protocolo

Prefeitura de Belo Horizonte. Sistema de Controle de Protocolo Prefeitura de Belo Horizonte Sistema de Controle de Protocolo Relatório apresentado para concorrer ao 2º Prêmio Inovar BH conforme Edital SMARH nº 001/2014 Belo Horizonte Julho de 2014 Resumo Sendo grande

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL GESTÃO DE TEMPOS. CURSO: Curso Profissional de Secretariado 10º ano. DISCIPLINA: Tecnologias da Informação e Comunicação

PLANIFICAÇÃO ANUAL GESTÃO DE TEMPOS. CURSO: Curso Profissional de Secretariado 10º ano. DISCIPLINA: Tecnologias da Informação e Comunicação PLANIFICAÇÃO ANUAL CURSO: Curso Profissional de Secretariado 0º ano DISCIPLINA: Tecnologias da Informação e Comunicação ANO LETIVO: 205/206 GESTÃO DE TEMPOS º Período Apresentação Desenvolvimento Programático

Leia mais

Sistema de Gerenciamento de Projetos V 1.01 MANUAL DO COORDENADOR

Sistema de Gerenciamento de Projetos V 1.01 MANUAL DO COORDENADOR Roteiro para utilização do GEP Versão de referência: GEP V1.00 Índice analítico I Apresentação... 2 I.1 Controles básicos do sistema;... 2 I.2 Primeiro acesso... 2 I.3 Para trocar a senha:... 3 I.4 Áreas

Leia mais

Caro participante, seja bem-vindo!!!

Caro participante, seja bem-vindo!!! Caro participante, seja bem-vindo!!! Aqui você aprenderá: 1. Como navegar no seu Ambiente Virtual 2. Como utilizar o Fórum 3. Como utilizar o Memorial 1. NAVEGANDO NO AMBIENTE VIRTUAL (ACTOR) Esse tutorial

Leia mais

Proposta Concessionária Terra Nova Land Rover

Proposta Concessionária Terra Nova Land Rover SATIS 2011 Proposta Concessionária Terra Nova Land Rover 21/03/2011 A SATIS Índice 1 A Satis 1 A Proposta 1 Serviços 2 Mapa do Site 2 SEO 3 Sistema de gerenciamento de conteudo 4 Cronograma e Prazos 5

Leia mais

Softpress NFe E-mail. Guia do Usuário

Softpress NFe E-mail. Guia do Usuário Softpress NFe E-mail Guia do Usuário Conteúdo deste Guia 1. Introdução 2. Considerações Gerais 3. Instalação do NFe E-mail 4. Ativação do Produto 5. Página Inicial 6. Clientes 7. Localizar 8. Atendimento

Leia mais

1Ò&/(2'(('8&$d 2$',67Æ1&,$1($' PROCEDIMENTOS PARA DISCIPLINAS A DISTÂNCIA MANUAL DO ALUNO

1Ò&/(2'(('8&$d 2$',67Æ1&,$1($' PROCEDIMENTOS PARA DISCIPLINAS A DISTÂNCIA MANUAL DO ALUNO 1Ò&/(2'(('8&$d 2$',67Æ1&,$1($' PROCEDIMENTOS PARA DISCIPLINAS A DISTÂNCIA MANUAL DO ALUNO 2 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 03 2 PROCEDIMENTOS PARA MATRÍCULA...04 3. PARTICIPAÇÃO NAS DISCIPLINAS EAD...04 4 AVALIAÇÃO

Leia mais

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DA EDUCAÇÃO

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Profa. Dra. Valéria de Souza REFLEXÕES A PARTIR DA FORMAÇÃO CONTINUADA DE EDUCADORES DA REDE PÚBLICA ESTADUAL COM APOIO DAS TECNOLOGIAS DIGITAIS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA UTILIZAÇÃO DO SICC

PROCEDIMENTOS PARA UTILIZAÇÃO DO SICC PROCEDIMENTOS PARA UTILIZAÇÃO DO SICC Para ter acesso ao sistema, e realizar a abertura de chamados, o usuário deve efetuar o auto cadastramento, clicando no link Clique aqui! disponível na página inicial

Leia mais

Gerenciador de Multi-Projetos. Manual do Usuário. 2000 GMP Corporation

Gerenciador de Multi-Projetos. Manual do Usuário. 2000 GMP Corporation GMP Corporation Gerenciador de Multi-Projetos Manual do Usuário 2000 GMP Corporation Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 24/08/2004 1.0 Versão inicial do documento Bárbara Siqueira Equipe

Leia mais

Ajuda On-line - Sistema de Relacionamento com o Cliente. Versão 1.1

Ajuda On-line - Sistema de Relacionamento com o Cliente. Versão 1.1 Ajuda On-line - Sistema de Relacionamento com o Cliente Versão 1.1 Sumário Sistema de Relacionamento com Cliente 3 1 Introdução... ao Ambiente do Sistema 4 Acessando... o Sistema 4 Sobre a Tela... do Sistema

Leia mais

* Técnicas Avançadas. Desenvolvimento de SOFTWARES. Sistemas de Gerenciamento de Conteúdo com Joomla e Magento

* Técnicas Avançadas. Desenvolvimento de SOFTWARES. Sistemas de Gerenciamento de Conteúdo com Joomla e Magento * Técnicas Avançadas Desenvolvimento de SOFTWARES Sistemas de Gerenciamento de Conteúdo com Joomla e Magento * Tópicos Sistema de Gerenciamento de Conteúdo CMS. Fron-end Back-end Instalando Site e Lojas

Leia mais

Manual de procedimentos de abertura e acompanhamento de chamados no Sistema de Gestão de Demandas (SGD) - Manual da Orientação da Empresa

Manual de procedimentos de abertura e acompanhamento de chamados no Sistema de Gestão de Demandas (SGD) - Manual da Orientação da Empresa Manual de procedimentos de abertura e acompanhamento de chamados no Sistema de Gestão de Demandas (SGD) - Manual da Orientação da Empresa Manual de procedimentos de abertura e acompanhamento de chamadas

Leia mais

Manual de Rotinas para Usuários. Advogados da União. Procuradoria da União no Estado do Ceará PU/CE SAPIENS. Sistema da AGU de Inteligência Jurídica

Manual de Rotinas para Usuários. Advogados da União. Procuradoria da União no Estado do Ceará PU/CE SAPIENS. Sistema da AGU de Inteligência Jurídica Manual de Rotinas para Usuários Advogados da União Procuradoria da União no Estado do Ceará PU/CE SAPIENS Sistema da AGU de Inteligência Jurídica Versão 1.0 2015 1 INTRODUÇÃO 3 1.1 O QUE É O SAPIENS? 3

Leia mais

Biblioteca Virtual de Soluções Assistivas

Biblioteca Virtual de Soluções Assistivas 264 Biblioteca Virtual de Soluções Assistivas Maria Helena Franciscatto 1 Adriana Soares Pereira 1 Roberto Franciscatto 1 Liliana Maria Passerino 2 1 Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) Colégio

Leia mais

MANUAL DA SECRETARIA

MANUAL DA SECRETARIA MANUAL DA SECRETARIA Conteúdo Tela de acesso... 2 Liberação de acesso ao sistema... 3 Funcionários... 3 Secretaria... 5 Tutores... 7 Autores... 8 Configuração dos cursos da Instituição de Ensino... 9 Novo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS Pró-Reitoria de Extensão e Cultura Manual de Utilização das funções básicas do Módulo de Eventos do SIG-UFLA Usuário: Coordenador de Eventos Outubro / 2014 Sumário Introdução...

Leia mais

Ferramenta de Gestão de Web Site e Solution Backsite Modelo Bronze. Versão 1.0.0.2

Ferramenta de Gestão de Web Site e Solution Backsite Modelo Bronze. Versão 1.0.0.2 Manual de Instruções Ferramenta Loja Virtual Versão 1.0.0.2 1 Loja Virtual E solution (Plug in) O plug in Loja Virtual é uma ferramenta que dá aos visitantes a possibilidade de comprar produtos oferecidos

Leia mais

NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL PROFESSOR

NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL PROFESSOR NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL PROFESSOR 2014 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL

Leia mais

Manual de Construção de Vitrine Virtual

Manual de Construção de Vitrine Virtual Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio Exterior Departamento de Planejamento e Desenvolvimento do Comércio Exterior Manual de Construção de Vitrine Virtual

Leia mais

Este programa tem a finalidade de incluir campos novos que serão utilizados na Folha de Pagamento.

Este programa tem a finalidade de incluir campos novos que serão utilizados na Folha de Pagamento. Rio de Janeiro, 18 de Junho de 2013. 2ª Circular do Ano de 2013. Ref: - Criação de um Modelo adicional de Homologet (2) - Comunicado de Dispensa em Meio Magnético - Relação de Contribuição Sindical (PIS)

Leia mais

ABRIL/2004 UMA FERRAMENTA PARA AUXILIAR O PROFESSOR NO ENSINO À DISTÂNCIA

ABRIL/2004 UMA FERRAMENTA PARA AUXILIAR O PROFESSOR NO ENSINO À DISTÂNCIA 1 ABRIL/2004 UMA FERRAMENTA PARA AUXILIAR O PROFESSOR NO ENSINO À DISTÂNCIA Andréa Pereira de Castro Universidade de Cruz Alta UNICRUZ, Cruz Alta andreap@unicruz.edu.br Adriana Pereira Cocco Universidade

Leia mais

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços.

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. 1 Sumário: Tópico: Página: 2 Apresentação: O Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços ou SIG-ISS é um sistema para gerenciamento

Leia mais

Introdução ao icare 2

Introdução ao icare 2 Introdução ao icare 2 (Instrumentação para a Coleta Assistida de Resíduos Recicláveis V.2) Arthur Elídio da Silva Lucas Zenaro José Tarcísio F. de Camargo Unipinhal (2015) SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 O

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA GLPI

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA GLPI MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA GLPI PERFIL TÉCNICO Versão 2.0 DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E TELECOMUNICAÇÕES PREFEITURA DE GUARULHOS SP 1 Objetivo: Esse manual tem como objetivo principal instruir os

Leia mais

Planificação de. Aplicações Informáticas B

Planificação de. Aplicações Informáticas B Escola básica e secundária de Velas Planificação de Aplicações Informáticas B Ano letivo 2011/2012 1- Introdução à Programação Planificação de Aplicações Informáticas B Unidade Sub-Unidades Objetivos Conteúdos

Leia mais

(MAPAS VIVOS DA UFCG) PPA-UFCG RELATÓRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA UFCG CICLO 2006-2008 ANEXO (PARTE 2) DIAGNÓSTICOS E RECOMENDAÇÕES

(MAPAS VIVOS DA UFCG) PPA-UFCG RELATÓRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA UFCG CICLO 2006-2008 ANEXO (PARTE 2) DIAGNÓSTICOS E RECOMENDAÇÕES 1 PPA-UFCG PROGRAMA PERMANENTE DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA UFCG CICLO 2006-2008 ANEXO (PARTE 2) DIAGNÓSTICOS E RECOMENDAÇÕES (MAPAS VIVOS DA UFCG) 2 DIMENSÃO MISSÃO E PDI MAPAS VIVOS DE

Leia mais

Conversão de bases de dados MicroISIS para Internet

Conversão de bases de dados MicroISIS para Internet RELATOS DE EXPERIÊNCIA Conversão de bases de dados MicroISIS para Internet Maria José Resmer Olga Maria Soares da Costa Resumo Apresenta o processo desenvolvido pela Companhia de Informática do Paraná

Leia mais

Autoria Multimídia: o uso de ferramentas multimídia no campo educacional

Autoria Multimídia: o uso de ferramentas multimídia no campo educacional Autoria Multimídia: o uso de ferramentas multimídia no campo educacional Douglas Vaz, Suelen Silva de Andrade Faculdade Cenecista de Osório (FACOS) Rua 24 de maio, 141 95520-000 Osório RS Brasil {doug.vaz,

Leia mais

TAW Tópicos de Ambiente Web

TAW Tópicos de Ambiente Web TAW Tópicos de Ambiente Web Teste rveras@unip.br Aula 11 Agenda Usabilidade Compatibilidade Validação Resolução de tela Velocidade de carregação Acessibilidade Testes Nesta etapa do projeto do web site

Leia mais

Conectar diferentes pesquisas na internet por um menu

Conectar diferentes pesquisas na internet por um menu Conectar diferentes pesquisas na internet por um menu Pré requisitos: Elaboração de questionário Formulário multimídia Publicação na internet Uso de senhas na Web Visualização condicionada ao perfil A

Leia mais

MANUAL DO ALUNO Ambiente Virtual de Aprendizagem MOODLE

MANUAL DO ALUNO Ambiente Virtual de Aprendizagem MOODLE MANUAL DO ALUNO Ambiente Virtual de Aprendizagem MOODLE Caro Aluno, Este Manual tem por finalidade orientá-lo na utilização do Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA). 1. O que é ambiente virtual de aprendizagem

Leia mais

O que aprendi sobre avaliação em cursos semipresenciais

O que aprendi sobre avaliação em cursos semipresenciais O que aprendi sobre avaliação em cursos semipresenciais José Moran Pesquisador, Professor, Conferencista e Orientador de projetos inovadores na educação. Publicado em: SILVA, Marco & SANTOS, Edméa (Orgs).

Leia mais

Manual do Moodle. Manual do Moodle para alunos. 29/Junho/2009. (Versão 1.0) Manual Moodle para alunos (Versão 1.0) 1

Manual do Moodle. Manual do Moodle para alunos. 29/Junho/2009. (Versão 1.0) Manual Moodle para alunos (Versão 1.0) 1 Manual do Moodle para alunos (Versão 1.0) 29/Junho/2009 Manual Moodle para alunos (Versão 1.0) 1 O que é?... 3 Acesso... 4 Atualizando suas informações... 4 Enviando Mensagens... 5 Acessando os seus cursos...

Leia mais

CADERNOS DE INFORMÁTICA Nº 1. Fundamentos de Informática I - Word 2010. Sumário

CADERNOS DE INFORMÁTICA Nº 1. Fundamentos de Informática I - Word 2010. Sumário CADERNO DE INFORMÁTICA FACITA Faculdade de Itápolis Aplicativos Editores de Texto WORD 2007/2010 Sumário Editor de texto... 3 Iniciando Microsoft Word... 4 Fichários:... 4 Atalhos... 5 Área de Trabalho:

Leia mais

Guia da Internet. Página 1

Guia da Internet. Página 1 Guia da Internet Utilização da Internet Introdução... 2 Alguns conceitos básicos... 2 Endereços (URL)... 2 Páginas Web... 3 Abrir o Internet Explorer... 3 O ecrã do Internet Explorer... 4 A Barra de Ferramentas

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Sistemas de Informação Prof. M.Sc. Diego Fernandes Emiliano Silva diego.femiliano@gmail.com Agenda Banco de dados Gerenciamento de banco de dados Sistemas de gerenciamento de banco de dados Como usar banco

Leia mais

Manual de procedimentos de abertura e acompanhamento de chamados no SGD

Manual de procedimentos de abertura e acompanhamento de chamados no SGD Manual de procedimentos de abertura e acompanhamento de chamados no Sistema de Gestão de Demandas (SGD) Manual da Gerência de Manutenção de Equipamentos Manual de procedimentos de abertura e acompanhamento

Leia mais

Computador na Escola Carmen Luiza Barzotto

Computador na Escola Carmen Luiza Barzotto Computador na Escola O computador na escola pode estar numa Sala conhecida como Laboratório de Informática ou Sala Informatizada onde os alunos, individualmente, em duplas ou pequenos grupos trabalham

Leia mais

Biblioteca Virtual: Atualidade e Perspectivas 1. Guilhermina de Melo Terra 2. Universidade Federal do Amazonas

Biblioteca Virtual: Atualidade e Perspectivas 1. Guilhermina de Melo Terra 2. Universidade Federal do Amazonas Biblioteca Virtual: Atualidade e Perspectivas 1 Guilhermina de Melo Terra 2 Universidade Federal do Amazonas Resumo Discute o processo de produção, armazenamento e disseminação da informação que se encontra

Leia mais

PROMOÇÃO SUSTENTÁVEL MATERIAIS VIRTUAIS E INSTRUÇÕES DE USO

PROMOÇÃO SUSTENTÁVEL MATERIAIS VIRTUAIS E INSTRUÇÕES DE USO PROMOÇÃO SUSTENTÁVEL MATERIAIS VIRTUAIS E INSTRUÇÕES DE USO MATERIAIS VIRTUAIS Olá! Você sabia que metade dos brasileiros acessa a internet? E que o fazem por microcomputadores, tablets e celulares? E

Leia mais

Portal Contador Parceiro

Portal Contador Parceiro Portal Contador Parceiro Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa 1. Portal Contador Parceiro... 03 2. Acesso ao Portal... 04 3. Profissionais...11 4. Restrito...16 4.1 Perfil... 18 4.2 Artigos...

Leia mais

AVISO LEGAL. Copyright 2016 Luis Passos http://luispassos.com.br. http://luispassos.com.br

AVISO LEGAL. Copyright 2016 Luis Passos http://luispassos.com.br. http://luispassos.com.br AVISO LEGAL Todo esforço foi feito para que este e-book fosse disponibilizado da forma mais correta, inteligível, clara e didática possível, no entanto, apesar de todo empenho nesse sentido, ainda podem

Leia mais

MUSEU DA COMPUTAÇÃO DA UEPG: O QUE É O MUSEU VIRTUAL

MUSEU DA COMPUTAÇÃO DA UEPG: O QUE É O MUSEU VIRTUAL 9. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

Logo do Alto Tietê, subcomitê e do 5 Elementos. Título do projeto em outra capa

Logo do Alto Tietê, subcomitê e do 5 Elementos. Título do projeto em outra capa Logo do Alto Tietê, subcomitê e do 5 Elementos Título do projeto em outra capa Bacia Hidrográfica do Alto Tietê com destaque para a Sub-bacia Pinheiros-Pirapora Fortalecimento do Subcomitê Pinheiros-Pirapora

Leia mais

APRESENTAÇÃO. questões que constantemente chegam ao Suporte de Informática do Órgão Central.

APRESENTAÇÃO. questões que constantemente chegam ao Suporte de Informática do Órgão Central. APRESENTAÇÃO O presente documento Aplicativos de E-mail / Webmail Nível Básico Perguntas e Respostas tem como principal objetivo disponibilizar aos servidores das Escolas Estaduais do Estado de Minas Gerais

Leia mais

Índice. Índice... 1. Apresentando o Nextsite... 3. Recursos... 4. Recursos Opcionais... 6. Componentes externos... 7. Gerenciando sua conta...

Índice. Índice... 1. Apresentando o Nextsite... 3. Recursos... 4. Recursos Opcionais... 6. Componentes externos... 7. Gerenciando sua conta... Índice Índice... 1 Apresentando o Nextsite... 3 Recursos... 4 Recursos Opcionais... 6 Componentes externos... 7 Gerenciando sua conta... 8 Visualização Geral... 9 Central de mensagens... 12 Minha conta...

Leia mais

Manual do Usuário Publicador

Manual do Usuário Publicador Manual do Usuário Publicador Portal STN SERPRO Superintendência de Desenvolvimento SUPDE Setor de Desenvolvimento de Sítios e Portais DEDS2 Versão 1.1 Fevereiro 2014 Sumário Sobre o Manual... 3 Objetivo...

Leia mais

O ENSINO DO PRINCÍPIO DE BERNOULLI ATRAVÉS DA WEB: UM ESTUDO DE CASO

O ENSINO DO PRINCÍPIO DE BERNOULLI ATRAVÉS DA WEB: UM ESTUDO DE CASO O ENSINO DO PRINCÍPIO DE BERNOULLI ATRAVÉS DA WEB: UM ESTUDO DE CASO Rivanildo Ferreira de MOURA 1, Marcos Antônio BARROS 2 1 Aluno de Graduação em Licenciatura em Física, Universidade Estadual da Paraíba-UEPB,

Leia mais

Backsite Serviços On-line

Backsite Serviços On-line Apresentação Quem Somos O Backsite Com mais de 15 anos de mercado, o Backsite Serviços On-line vem desenvolvendo soluções inteligentes que acompanham o avanço das tecnologias e do mundo. Com o passar do

Leia mais

Portal do Projeto Tempo de Ser

Portal do Projeto Tempo de Ser Sumário Portal do Projeto Tempo de Ser O que é um Wiki?...2 Documentos...2 Localizando documentos...3 Links...3 Criando um Documento...4 Criando um link...4 Editando um Documento...5 Sintaxe Básica...5

Leia mais

USO DA INTERNET E PARTICIPAÇÃO CIDADÃ NA GESTÃO LOCAL: ORÇAMENTO PARTICIPATIVO INTERATIVO DE IPATINGA

USO DA INTERNET E PARTICIPAÇÃO CIDADÃ NA GESTÃO LOCAL: ORÇAMENTO PARTICIPATIVO INTERATIVO DE IPATINGA USO DA INTERNET E PARTICIPAÇÃO CIDADÃ NA GESTÃO LOCAL: ORÇAMENTO PARTICIPATIVO INTERATIVO DE IPATINGA An Innovations in Technology and Governance Case Study Desde o final dos anos 1980, diversos governos

Leia mais

ÍNDICE ANALÍTICO: 1.0. CADASTRO DE CONTABILISTAS... 4 1.1. Primeiro Acesso... 4 1.2. Visão Geral... 11

ÍNDICE ANALÍTICO: 1.0. CADASTRO DE CONTABILISTAS... 4 1.1. Primeiro Acesso... 4 1.2. Visão Geral... 11 MANUAL DE USO DO SISTEMA GOVERNO DIGITAL ÍNDICE ANALÍTICO: 1.0. CADASTRO DE CONTABILISTAS... 4 1.1. Primeiro Acesso... 4 1.2. Visão Geral... 11 2.0. SOLICITAÇÕES DE AIDF E AUTORIZAÇÃO DE EMISSÃO DE NOTA

Leia mais

2015 GVDASA Sistemas Suprimentos 1

2015 GVDASA Sistemas Suprimentos 1 2015 GVDASA Sistemas Suprimentos 1 2015 GVDASA Sistemas Suprimentos 2 AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio.

Leia mais

DICAS QUERO UM BICHO PESSOAS FÍSICAS

DICAS QUERO UM BICHO PESSOAS FÍSICAS DICAS QUERO UM BICHO PESSOAS FÍSICAS 2007 1 MISSÃO A missão do Quero Um Bicho é a preservação da vida e dos direitos básicos de subsistência, independentemente da espécie. Cabe aos mais afortunados, atuar

Leia mais

Implantação do Sistema de Controle de Tempos Nas Agências de Atendimento - TMA

Implantação do Sistema de Controle de Tempos Nas Agências de Atendimento - TMA Implantação do Sistema de Controle de Tempos Nas Agências de Atendimento - TMA Projeto Nº 318 Tema: Atendimento a Clientes José César do Nascimento CELPE Sistema de Controle do Tempo Médio de Atendimento

Leia mais

Manual do Operacional do Sistema Calendário da Gestão Municipal. 1ª Versão

Manual do Operacional do Sistema Calendário da Gestão Municipal. 1ª Versão Manual do Operacional do Sistema Calendário da Gestão Municipal 1ª Versão 23/01/2009 Federação Catarinense de Municípios - FECAM Apresentação O Calendário da Gestão Municipal é um sistema desenvolvido

Leia mais

MANUAL PARA USO DO SISTEMA

MANUAL PARA USO DO SISTEMA Clínicas Odontológicas MANUAL PARA USO DO SISTEMA (GCO) GERENCIADOR CLÍNICO ODONTOLÓGICO SmilePrev Versão 1.0 SmilePrev Clínicas Odontológicas www.smilepev.com 2008 REQUISITOS BÁSICOS DO SISTEMA HARDWARE

Leia mais

PROPOSTA DE REFORMULAÇÃO DO PORTAL RECYT

PROPOSTA DE REFORMULAÇÃO DO PORTAL RECYT ANEXO 3 - Proposta de reformulação do Portal para apresentação na reunião PROPOSTA DE REFORMULAÇÃO DO PORTAL RECYT 1. Antecedentes e justificativa Antes de ser implantado, o Portal RECyT passou por um

Leia mais

Guia de Acesso ao AVA. Ms. Eng. Claudio Ferreira de Carvalho

Guia de Acesso ao AVA. Ms. Eng. Claudio Ferreira de Carvalho Guia de Acesso ao AVA Ms. Eng. Claudio Ferreira de Carvalho Introdução Este guia apresenta os procedimentos iniciais para acessar o AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem), que será utilizado para as disciplinas

Leia mais

MANUAL PARA UTILIZAÇÃO DO MOODLE FACULDADE INTERAÇÃO AMERICANA VIRTUAL - Versão: Aluno

MANUAL PARA UTILIZAÇÃO DO MOODLE FACULDADE INTERAÇÃO AMERICANA VIRTUAL - Versão: Aluno 1 MANUAL PARA UTILIZAÇÃO DO MOODLE FACULDADE INTERAÇÃO AMERICANA VIRTUAL - Versão: Aluno Acessando o sistema 1- Para acessar a Faculdade Interação Americana Virtual digite o seguinte endereço: http://ead.fia.edu.br/

Leia mais

Política de Privacidade A Dellínea Preza pela sua segurança

Política de Privacidade A Dellínea Preza pela sua segurança Política de Privacidade A Dellínea Preza pela sua segurança Por favor, leia com atenção a política de privacidade para conhecer os termos e condições em que suas informações pessoais serão armazenadas,

Leia mais

Passo a Passo do Cadastro Funcionários no SIGLA Digital

Passo a Passo do Cadastro Funcionários no SIGLA Digital Passo a Passo do Cadastro Funcionários no SIGLA Digital Funcionários Página 1 de 12 O cadastro de funcionários permite cadastrar o usuário que vai utilizar o SIGLA Digital e também seus dados pessoais.

Leia mais

SOBRE O LIVRO... XVII. 1. Introdução à Gestão de Projetos... 1. 1.1 Definição de projeto... 1. 1.2 Ciclo de vida do projeto... 3

SOBRE O LIVRO... XVII. 1. Introdução à Gestão de Projetos... 1. 1.1 Definição de projeto... 1. 1.2 Ciclo de vida do projeto... 3 Índice SOBRE O LIVRO... XVII 1. Introdução à Gestão de Projetos... 1 1.1 Definição de projeto... 1 1.2 Ciclo de vida do projeto... 3 1.3 Gestão de projetos... 3 1.4 Ciclo de vida da gestão de projetos...

Leia mais

Papyrus: Sistema de compras de livros, uma proposta do Instituto Federal do Paraná - Campus Curitiba

Papyrus: Sistema de compras de livros, uma proposta do Instituto Federal do Paraná - Campus Curitiba Powered by TCPDF (www.tcpdf.org) Papyrus: Sistema de compras de livros, uma proposta do Instituto Federal do Paraná - Campus Curitiba Eutália Cristina do Nascimento Moreto (IFPR) - cristina.moreto@ifpr.edu.br

Leia mais

Guia do Usuário ProAnalir 2012. Introdução... 2. Acessando a Central OnLine pelo site do ProAnalir... 3

Guia do Usuário ProAnalir 2012. Introdução... 2. Acessando a Central OnLine pelo site do ProAnalir... 3 Área Universidade Prosoft Autor Valquíria Coelho Criação 15/02/2011 Publicação Distribuição Franqueadora, Franquias e Clientes. Guia do Usuário ProAnalir 2012 Conteúdo: Introdução... 2 Acessando a Central

Leia mais

SUGESTÃO DE PLANO DE APRENDIZAGEM. Curso de Formação Inicial e Continuada. EXCEL 2010 Avançado SAC 9411362-0

SUGESTÃO DE PLANO DE APRENDIZAGEM. Curso de Formação Inicial e Continuada. EXCEL 2010 Avançado SAC 9411362-0 SUGESTÃO DE PLANO DE APRENDIZAGEM Curso de Formação Inicial e Continuada EXCEL 2010 Avançado SAC 9411362-0 Área: Tecnologia da Informação Subárea: Aplicativos Duração: 39 horas Gerência de Desenvolvimento

Leia mais

Diretrizes de Qualidade de Projetos

Diretrizes de Qualidade de Projetos Diretrizes de Qualidade de Projetos Versão 1.5 MAPA/SE/SPOA/CGTI, 2012 Página 1 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 15/01/2012 1.0 Criação do Artefato Pérsio Mairon 10/03/2012 1.1 Inclusão

Leia mais

Prêmio Mario Covas 2007 Roteiro de Apresentação do Trabalho

Prêmio Mario Covas 2007 Roteiro de Apresentação do Trabalho Prêmio Mario Covas 2007 Roteiro de Apresentação do Trabalho Identificação Título: Sistema de Gerenciamento do Colegiado da Congregação da FMRP e disponibilização dos documentos via Web. Nome da instituição

Leia mais

CALEDÁRIO ESCOLAR. Página 1 de 24

CALEDÁRIO ESCOLAR. Página 1 de 24 Página 1 de 24 SISTEMA DE CALENDÁRIO ESCOLAR O Sistema de Calendário Escolar é a primeira etapa de uma grande evolução que ocorrerá nos sistemas de informatização da Secretaria de Estado da Educação. As

Leia mais

Núcleo de Relacionamento com o Cliente. de Relacionamento com o Cliente GUIA PRÁTICO DE USO. Produtos

Núcleo de Relacionamento com o Cliente. de Relacionamento com o Cliente GUIA PRÁTICO DE USO. Produtos GUIA PRÁTICO DE USO Núcleo de Relacionamento com o Cliente de Relacionamento com o Cliente Núcleo Seja bem vindo ao nosso novo canal de relacionamento! Neste Guia Prático de Uso você conhecerá como funciona

Leia mais

REGULAMENTO OPERACIONAL DA CENTRAL DE REGULAÇÃO CENTRAL DE CONSULTAS E EXAMES ESPECIALIZADOS

REGULAMENTO OPERACIONAL DA CENTRAL DE REGULAÇÃO CENTRAL DE CONSULTAS E EXAMES ESPECIALIZADOS REGULAMENTO OPERACIONAL DA CENTRAL DE REGULAÇÃO CENTRAL DE CONSULTAS E EXAMES ESPECIALIZADOS Aprovado através da Resolução nº 06/CMS/2010, de 09 de março de 2010, Ananindeua PA Capítulo I DO CADASTRAMENTO

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SGP-501-R00 MAPEAMENTO DE PROCESSOS DA SGP

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SGP-501-R00 MAPEAMENTO DE PROCESSOS DA SGP MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SGP-501-R00 MAPEAMENTO DE PROCESSOS DA SGP 01/2016 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO 2 07 de janeiro de 2016. Aprovado, Antonia Valeria Martins Maciel 3 PÁGINA INTENCIONALMENTE

Leia mais

Diagrama lógico da rede da empresa Fácil Credito

Diagrama lógico da rede da empresa Fácil Credito Diagrama lógico da rede da empresa Fácil Credito Tabela de endereçamento da rede IP da rede: Mascara Broadcast 192.168.1.0 255.255.255.192 192.168.1.63 Distribuição de IP S na rede Hosts IP Configuração

Leia mais

Arquitetura dos Sistemas Operacionais

Arquitetura dos Sistemas Operacionais Arquitetura dos Sistemas Operacionais Arquitetura de um Sistema Operacional Basicamente dividido em shell é a interface entre o usuário e o sistema operacional é um interpretador de comandos possui embutido

Leia mais

WWW.OUTSIDE.COM.BR Outside On-Line LTDA Telefone: +55 (19) 3869-1484 (19) 9 9441-3292 (claro) Email: carlos@outside.com.br

WWW.OUTSIDE.COM.BR Outside On-Line LTDA Telefone: +55 (19) 3869-1484 (19) 9 9441-3292 (claro) Email: carlos@outside.com.br MARKETING DIGITAL Ações de comunicação que as empresas podem se utilizar por meio da Internet e da telefonia celular e outros meios digitais para divulgar e comercializar seus produtos, conquistar novos

Leia mais

WebQualis 3.0 MANUAL CAPES/MEC. Diretoria de Avaliação - DAV

WebQualis 3.0 MANUAL CAPES/MEC. Diretoria de Avaliação - DAV CAPES/MEC Diretoria de Avaliação - DAV WebQualis 3.0 Aplicativo para a classificação dos veículos de divulgação da produção científica da Pós-Graduação Brasileira MANUAL 2008 2 Fundação CAPES Presidente

Leia mais

Manual do SISC Sistema de Informações do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Perfil Gestor Estadual Abril/2014 Versão 1.

Manual do SISC Sistema de Informações do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Perfil Gestor Estadual Abril/2014 Versão 1. Manual do SISC Sistema de Informações do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Perfil Gestor Estadual Abril/2014 Versão 1.0 SUMÁRIO Manual do SISC... 3 1. Finalidade do SISC... 3 2. Requisitos

Leia mais

MANUAIS DE PROCEDIMENTOS WAE

MANUAIS DE PROCEDIMENTOS WAE MANUAIS DE PROCEDIMENTOS WAE UTILIZAÇÃO DO PROFESSOR@NET CENTRAL DE OPERAÇÕES Março / 2009 Atualizado por: Cristiane Em: 19/05/2011 INDÍCE UTILIZAÇÃO DO PROFESSOR@NET... 1 MANUAL DE PROCEDIMENTOS... 1

Leia mais

Manual. O líder global na abordagem do plágio e no fornecimento de comentários enriquecedores.

Manual. O líder global na abordagem do plágio e no fornecimento de comentários enriquecedores. Manual O líder global na abordagem do plágio e no fornecimento de comentários enriquecedores. 1 SUMÁRIO 1. CADASTRO DE NOVO USUÁRIO... 2 2. INCLUSÃO DE AULA E TRABALHO... 2 3. ENVIO DE DOCUMENTOS (TRABALHOS)...

Leia mais

TESTE DE USABILIDADE DO SITE DE UMA LOJA DE DEPARTAMENTOS VOLTADA PARA O VAREJO DE MODA

TESTE DE USABILIDADE DO SITE DE UMA LOJA DE DEPARTAMENTOS VOLTADA PARA O VAREJO DE MODA TESTE DE USABILIDADE DO SITE DE UMA LOJA DE DEPARTAMENTOS VOLTADA PARA O VAREJO DE MODA Thaissa SCHNEIDER 1, Monique VANDRESEN 1, Flávio dos SANTOS 1 1 Universidade do Estado de Santa Catarina. SUMÁRIO

Leia mais

CURSO: Orientações. MÓDULOS: Orientações/Calendário/Links. Curso 3/3 2009. Contato com o suporte: Nome.: Empresa.: Data.: / / E-mail.

CURSO: Orientações. MÓDULOS: Orientações/Calendário/Links. Curso 3/3 2009. Contato com o suporte: Nome.: Empresa.: Data.: / / E-mail. CURSO: Orientações MÓDULOS: Orientações/Calendário/Links Curso 3/3 2009 Contato com o suporte: Tel.:11-3857-9007 ramal 4 Fax.: 11-3857-9007 ramal 211 Cellular: 11-9333-21 E-mail.: suporte@webcontabil.com.br

Leia mais

COMPETÊNCIAS BÁSICAS EM TIC NAS EB1. Oficina da Internet

COMPETÊNCIAS BÁSICAS EM TIC NAS EB1. Oficina da Internet COMPETÊNCIAS BÁSICAS EM TIC NAS EB1 Oficina da Internet Utilização Educativa da Internet Guião de iniciação à consulta e pesquisa de informação na Web Índice Introdução... 2 Alguns conceitos básicos...2

Leia mais

Portal de Aprendizado Tutorial do Aluno

Portal de Aprendizado Tutorial do Aluno Portal de Aprendizado Tutorial do Aluno Índice 1 Acessando o Portal... 2 1.1 Verificação do Browser... 2 1.2 Entre em contato... 3 1.3 Portal Autenticado... 5 2 Meus Cursos... 6 2.1 Matriculando-se em

Leia mais

TUTORIAL DO PORTAL EDUCACIONAL

TUTORIAL DO PORTAL EDUCACIONAL TUTORIAL DO PORTAL EDUCACIONAL O Portal Educaional Faculdade Fátima é uma ferramenta para uso do aluno. Atualizar dados de cadastro, realizar matrículas online, obter informações sobre a vida acadêmica,

Leia mais