UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES PRÓ - REITORIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO DIRETORIA DE PROJETOS ESPECIAIS PROJETO A VEZ DO MESTRE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES PRÓ - REITORIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO DIRETORIA DE PROJETOS ESPECIAIS PROJETO A VEZ DO MESTRE"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES PRÓ - REITORIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO DIRETORIA DE PROJETOS ESPECIAIS PROJETO A VEZ DO MESTRE A PSICOMOTRICIDADE E A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR WILSON CARLOS DE MIRANDA TRINDADE ORIENTADOR PROF: ANTÔNIO NEY RIO DE JANEIRO MARÇO / 2003

2 UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES PRÓ - REITORIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO DIRETORIA DE PROJETOS ESPECIAIS PROJETO A VEZ DO MESTRE A Psicomotricidade e a importância do brincar Por: Wilson Carlos de Miranda Trindade Trabalho monográfico apresentado como requisito parcial para obtenção do Grau de Especialista em Educação Infantil e Especial RIO DE JANEIRO MARÇO/2003

3 AGRADECIMENTO Agradeço em primeiro lugar a Deus por estar sempre comigo nas horas que mais preciso, e neste trabalho mais uma vez ele esteve ao meu lado. Agradeço também a todos os meus professores que durante toda minha vida acadêmica, sempre tiveram bastante paciência comigo e puderam me proporcionar o melhor que eles poderiam oferecer. II

4 DEDICATÓRIA Dedico este trabalho a minha família que sempre buscou proporcionar para mim a melhor educação, e que mesmo com todas as dificuldades, puderam me dar todo suporte, depositando em mim toda confiança e apoio. III

5 RESUMO Visamos com este trabalho estabelecer as relações entre o brincar e a sua importância para a Psicomotricidade. Através de vários conceitos vamos obter o conhecimento a respeito do que nos diz a Psicomotricidade, a evolução histórica do seu estudo, seus principais objetivos, abordando todas as noções pertinentes ao estudo da Psicomotricidade. Com o nosso estudo iremos tratar de questões que dizem respeito a educação, reeducação e terapia Psicomotora, conceituando- as e aplicando-as onde se faz necessária. A abordagem principal do estudo da Psicomotricidade é o corpo, ou seja, o corpo vivido, o corpo em suas várias abordagens, explorando ao máximo o seu significado e a sua totalidade. Em nosso trabalho, abordaremos uma fase do desenvolvimento infantil que será de grande importância para o desenvolvimento e aplicação do nosso estudo, a primeira infância. É na primeira infância que ocorrem as aquisições e adaptações evolutivas necessárias, para que essa criança possa obter um pleno desenvolvimento, e conhecer as suas principais tarefas evolutivas. A partir daí, entraremos na importância do brincar para o desenvolvimento infantil. Como podemos através de técnicas específicas e abordagens Psicomotoras influenciar no desenvolvimento infantil, apresentando diferentes propostas de jogos e brincadeiras e sua real aplicabilidade em relação a cada faixa etária. IV

6 Com a aplicação dos diferentes tipos de jogos, estaremos distinguindoos de acordo com cada objetivo proposto, mostrando as suas principais características, a sua real aplicabilidade, mostrando as sua variações e os seus objetivos específicos. V

7 METODOLOGIA A metodologia utilizada, foi a de tentar esclarecer algumas dúvidas acerca de alguns conceitos pertinentes ao nosso estudo. A coleta de dados para o nosso trabalho, foi baseada principalmente através de pesquisas bibliográficas, utilizando bastante materiais impressos e de vários autores. Foram utilizadas também a vivência de situações apresentadas no cotidiano de trabalho. No que diz respeito a elaboração e a formatação, foram utilizadas as normas técnicas da ABNT, bem como o padrão exigido pela UCAM. VI

8 SUMÁRIO Introdução 8 Capitulo I- Psicomotricidade: Conceito 9 Capítulo II- Educação, reeducação e terapia Psicomotora 11 Capítulo III- O estudo da Psicomotricidade 14 Capítulo IV- A primeira infância 21 Capítulo V- A importância do brincar 24 Capítulos VI- Jogos e brincadeiras: Aplicações práticas 27 Capítulo VII- Conclusão 33 Referências bibliográficas 35 Anexos 36 VII

9 INTRODUÇÃO A partir das dificuldades de aprendizagem que algumas crianças apresentam no início da idade escolar, procuramos mostrar nesse trabalho a influência da prática Psicomotora no desenvolvimento infantil, bem como a importância da recreação e dos jogos infantis para o desenvolvimento Psicomotora dessas crianças. Ao abordarmos esse tema, procuramos estabelecer algumas considerações que dizem respeito ao estudo da Psicomotricidade. Esse estudo poderá ser bastante útil a todos aqueles que pretendem possuir alguma familiarização com os tópicos abordados em nosso estudo. O nosso estudo está voltado principalmente para aqueles que desejam trabalhar ou já trabalham na educação, podendo ser um grande instrumento em suas práticas pedagógicas. Com esse trabalho, queremos estabelecer padrões que possam auxiliar pais e profissionais que lidam com essa área, a ter um suporte para melhorar o rendimento dessas crianças assim como ajuda- los a superar as dificuldades dessas crianças. Abordaremos a Psicomotricidade, seus conceito, como onde aplica- la assim como também abordaremos a recreação e os jogos, como instrumento de utilização prático- objetiva. VIII

10 Capitulo I Psicomotricidade - Conceito A Psicomotricidade consiste na unidade dinâmica das atividades, dos gestos, e posturas, enquanto sistema expressivo, realizador representativo do ser em ação e da coexistência com outrem. ( CHAUZAD, 1976, pag: 8 ). A Psicomotricidade parte de uma experiência simples, de origem motora onde a criança recebe informações e as classifica como um conjunto de indicações recebidas em outras circunstâncias. Portanto, a Psicomotricidade quer destacar a relação existente entre a motricidade, a mente e a afetividade, facilitando a abordagem global da criança por meio de uma técnica que se dirige pelo exercício do corpo e do movimento, considerando o ser em sua totalidade Evolução da noção de Psicomotricidade: O estudo da Psicomotricidade é recente. No início do século passado, o assunto era abordado excepcionalmente. Em uma primeira fase, a pesquisa teórica fixou-se principalmente no desenvolvimento motor da criança. Logo após foi estudada a relação entre o atraso no desenvolvimento motor e o atraso intelectual da criança. Seguiram-se estudos sobre o desenvolvimento da habilidade manual e aptidões motoras em IX

11 10 função da faixa etária. Atualmente, sabemos que o estudo da Psicomotricidade ultrapassa os problemas motores, pesquisando também as dificuldades escolares da criança com inteligência normal. 1.2-Objetivo da Psicomotricidade: O objetivo da Psicomotricidade é desenvolver o aspecto comunicativo do corpo, o que equivale a dar ao indivíduo a possibilidade de dominar o seu corpo, de economizar sua energia, de pensar seus gestos afim de aumentar-lhes a eficácia e a estética de aperfeiçoar e completar seu equilíbrio. Em nosso estudo procuramos entender e explicar a importância da Psicomotricidade, sua aplicabilidade e como podemos fazer uso de todos os seus principais aspectos. 10

12 11 Capitulo II Educação, Reeducação e Terapia Psicomotora São técnicas que devem ser utilizadas dependendo dos objetivos que se quer alcançar. Cada técnica tem um objetivo específico, olhares, papeis e ações pertinentes a cada uma dessas áreas Educação Psicomotora: É uma ação educativa, partindo de um olhar de formação de base da criança, estando inserida em várias etapas do desenvolvimento escolar e préescolar. A sua ação é a educação pelo movimento, partindo do pré- suposto que a criança só aprende através de experiências já vivenciadas. Através do brincar, a criança entra em contato com o meio e com os outros, havendo assim uma troca que irá proporcionar uma série de experiências que serão muito úteis em seu desenvolvimento cognitivo, afetivo e psicomotora. A Educação Psicomotora abrange todas as aprendizagens da criancinha. ( LAPIERRE, 1979, pag: 21 ) 11

13 12 A educação psicomotora tem um papel formador, sendo um agente facilitador do desenvolvimento psicomotora através principalmente do movimento. A Educação Psicomotora é uma técnica que deve ser utilizada para que a criança adquira noções indispensáveis para o seu desenvolvimento Reeducação Psicomotora: A reeducação psicomotora pode ser considerada tanto uma ação educativa, quanto uma ação terapêutica. Essas ações partem de uma visão de observação dos sintomas apresentados pela criança. A sua ação deverá ser uma reeducação pelo corpo, mas não o corpo de uma forma total em que haja uma integração de todas as partes desse corpo e sim, uma reeducação do corpo fragmentado seguindo basicamente um modelo cartesiano, deixando de fazer uma observação holística do corpo como um todo, para somente se ater nas áreas que apresentarem alguma debilidade ou deficiência que deverá ser tratada. É através do treinamento e do condicionamento que essa reeducação psicomotora irá tentar restabelecer as funções dessas áreas debilitarias. Como já dissemos, essa reeducação psicomotora vai tentar ser um agente, com um papel que irá tentar reeducar as carências apresentadas por 12

14 13 esse indivíduo, através de técnicas específicas recomendadas para cada deficiência. 2.3-Terapia Psicomotora: É uma ação exclusivamente terapêutica, que deverá achar os sintomas responsáveis por essa deficiência e assim tentar encontrar soluções para tais problemas apresentados. A sua ação deverá ser um olhar que tentara revelar o distúrbio do movimento e com isso, procurar tratá- lo. Deverá fazer isso, através de uma interação entre o corpo (simbólico) e o sujeito (unidade). Essa portanto, deverá ser uma ação relacional, através do movimento livre e espontâneo. Esse movimento pode ser feito através de uma troca entre o outro e o meio, devendo assim haver uma relação entre o brincar, o lúdico com as pessoas inseridas nesse contexto. O papel terapêutico pressupõe a utilização do movimento como relação simbólica elaborando as expressões de tudo que aflige esse indivíduo procurando assim uma melhor maneira para que se atinjam os resultados dessa terapia 13

15 14 Capítulo III O estudo da Psicomotricidade Fazem parte do estudo da Psicomotricidade cinco tópicos bem distintos que serão abordados em nosso estudo. São eles: * Esquema corporal; * Lateralidade; * Estruturação espacial; * Estruturação temporal; * Discriminação visual e auiditiva; 3.1-Esquema corporal: 14

16 15 O esquema corporal é um elemento básico indispensável para a formação da personalidade da criança. ( WALLON, 1968, pag: 10 ). O esquema corporal, diz respeito a percepção global do corpo, de sua unidade, de sua posição no espaço. As primeiras relações espaciais, só deverão ser apresentadas após a criança ter assimilado os dados anteriores. O esquema corporal, corresponde a formação do eu, da personalidade da criança, isto é, é o desenvolvimento do esquema corporal, quando a criança toma conhecimento do seu corpo e das possibilidades de expressar- se por meio desse corpo. A criança deve ter o conhecimento do próprio corpo, ter a imagem de si mesmo. Esta área refere-se a percepção e ao controle do corpo. Os seus interesses devem estar voltados para o mundo exterior. Não que haja uma construção exclusiva do mundo externo, partindo de uma atividade de exploração do mundo externo para a formação de um mundo interno. O esquema corporal deve estar voltado para a exploração do corpo, ligada as experiências afetivo-emocionais, fazendo assim com que a criança tome consciência do próprio corpo, relacionando as partes entre si, das possibilidades de movimento, com referência aos dados do mundo exterior Imagem corporal: 15

17 16 É a percepção e o sentimento que o indivíduo tem do seu próprio corpo. Ela está intimamente ligada a aspectos relacionais e envolve experiências interiores, expectativas sociais e emoções. A imagem corporal, é tudo aquilo que foi vivido pela criança durante a sua vida. A descoberta da imagem corporal, é de grande importância para se trabalhar e desenvolver o seu esquema corporal Lateralidade: Corresponde a idéia que a criança tem de si mesma, e influencia na formação do seu esquema corporal, assim como a percepção da simetria do seu corpo. A lateralidade corresponde a dados neurológicos, mas também é influenciada por certos hábitos sociais. A lateralidade contribui para determinar a estruturação espacial, com a percepção do eixo do seu corpo. A criança percebe também seu meio ambiente em relação a esse eixo. Existe uma grande diferença entre lateralidade (dominância de um lado em relação ao outro) e conhecimento esquerda e direita (domínio dos termos esquerda e direita). O conhecimento esquerda e direita ocorre de uma noção de dominância lateral. Corresponde a generalização, da percepção do seu eixo corporal. 16

18 17 A lateralidade é de grande importância na evolução dessa criança, podendo ser: * Homogênea=> a criança pode ser destra ou canhota do olho, da mão e do pé. * Cruzada=> a criança pode ser destra do olho e da mão e canhota do pé ou vice-versa. * Ambidestra=> a criança apresenta o mesmo nível de destreza de ambos os lados Dominância lateral: Durante o crescimento, naturalmente se define uma dominância lateral na criança. Em uma criança cuja a lateralidade não esteja bem definida, poderá ocorrer problemas de ordem espacial, fazendo com que essa criança não consiga diferenciar o lado direito do esquerdo, apresentando também uma incapacidade de seguir a direção gráfica. Poderá apresentar também uma incapacidade de acompanhar e reconhecer a ordem de um quadro Estruturação espacial: É a orientação, a estruturação do mundo exterior referindo-se primeiro ao eu referencial, depois a objetos ou pessoas em posição estática ou em movimento. (LAPIERRE, 1979, pag: 13) 17

19 18 A estruturação espacial é a tomada de consciência de situação do seu próprio corpo em um meio ambiente, isto é o lugar da orientação que pode ter em relação as pessoas e as coisas. É uma tomada de consciência da situação das coisas entre si, podendo ser a possibilidade para um sujeito de se organizar perante o mundo que o cerca, organizando as coisas entre si, as colocando em um lugar onde possa movimentá-las. A estruturação espacial não nasce com indivíduo. Ela é uma elaboração e uma construção mental que se opera através de seus movimentos em relação aos objetos que estão em seu meio. Muitas dificuldades são decorrentes de um mau desenvolvimento da orientação espacial. Eis algumas: * Dificuldade de representar mentalmente diversas noções. * Crianças que não conseguiram estabelecer a dominância lateral e nem a assimilação de direita e esquerda, fazendo uma internalização do seu eixo corporal. * Crianças que ainda não desenvolveram a noção de esquema corporal, acarretando um prejuízo na função de interiorização. * Limitação do seu desenvolvimento mental e psicomotor. * Crianças que sofrem alguma limitação em suas experiências corporais e espaciais que não têm a oportunidade de manipulação dos objetos ao seu redor Estruturação temporal: 18

20 19 Estruturação temporal, é a capacidade que o ser humano tem de situarse em função : * Da sucessão dos acontecimentos: antes, durante, após; * Da duração dos intervalos: tempo, ritmo, cadência; - Noções de tempo: longo, curto (hora, minuto, etc...) - Noções de ritmo: regular, irregular (aceleração, freada, etc...) - Noções de cadência: rápida, lenta (corrida, andar, etc...) * Renovação cíclica dos períodos: dias, meses, estações; * Caráter irreversível do tempo: - Noção de envelhecimento: plantas, pessoas, animais, etc... Não podemos conceber a idéia de espaço, sem anteriormente abordarmos a noção de tempo. O espaço é um instante tomado sobre o curso do tempo, sendo o tempo o espaço em movimento. As noções de corpo, espaço e tempo têm que estar intimamente ligados se quisermos entender o movimento humano. Na existência de dois acontecimentos independentes entre si, eles estarão difíceis de rememorar, sendo uma das soluções conseguir um arranjo entre a ordem temporal desses acontecimentos e a casualidade anterior entre eles. 19

21 20 A constução temporal não é um conceito inato. Tem que ser construído e exige um esforço, um trabalho mental da criança que ela só conseguira realizar, quando tiver um desenvolvimento cognitivo bem avançado Discriminação visual e auditiva: A importância da discriminação visual e auditiva consiste na aquisição e compreensão de noções especiais para a aprendizagem da leitura e da escrita. A leitura de um texto exige uma sucessão de movimentos oculares coordenados, ritimados e orientados da esquerda para a direita. Possuir um aparelho visual e auditivo íntegro, é um impotante prérequisito para a aprendizagem da leitura e da escrita Discriminação visual: Consiste na capacidade de ver e diferenciar objetos que aparecem no seu campo visual, podendo classifica-los e atribuindo significado e precisão Discriminação auditiva: Significa a capacidade que a criança tem responder aos estímulos auditivos, sendo o resultado de uma integração das experiências com a organização neurológica. A discriminação auditiva está muito ligada à atividade motora, particularmente com a escrita, no que diz respeito a parte de ditado, que requer uma atenção muito grande para a captação de informações. Os nossos receptores auditivos têm que ser capazes de mandar os estímulos sonoros ao cérebro que irá processar, selecionar e armazenar as 20

22 21 informações na memória. Se estas informações forem distorcidas, o cérebro também processará informações distorcidas. 21

23 22 Capítulo IV A primeira infância A primeira infância é uma fase do processo evolutivo caracterizada por uma série de ajustamentos que o organismo deve fazer em função do meio. Desde que nasce, a criança está em contato com os adultos e esses irão mediar a relação dela com o mundo. ( MARANHÃO, 2001, pag: 30) O processo de adaptação do organismo não se limita à primeira infância, mas o que acontece ao indivíduo nessa fase de vida é de extrema importância para o seu desenvolvimento. Em nosso estudo, viemos estabelecer as relações existentes da primeira infância com à pratica Psicomotora Tarefas evolutivas da primeira infância: A primeira infância, é o período da vida humana que vai desde o nascimento do indivíduo até mais ou menos dois anos de sua existência pósnatal. A construção do eu corporal é condição para construção do eu psíquico, tarefa central do estado personalista. ( GALVÃO, 2001, pag: 51). Podem ser consideradas as principais tarefas da primeira infância as seguintes: 22

24 23 * aprender a andar => entre nove e quinze meses de idade, o ser humano se encontra maturacionalmente pronto para andar. Em geral, a aquisição dessa habilidade conta com a ajuda de outras pessoas e é de fundamental importância em todo o processo evolutivo do indivíduo. * aprender a tomar alimentos sólidos => o sistema digestivo da criança se torna gradualmente capaz de assimilar alimentos sólidos e ela vai deixando de usar o reflexo sugatório que desempenhou importante papel no seu desenvolvimento. * aprender a controlar o processo de eliminação dos produtos excretórios => essa tarefa tem aspectos biológicos, psicológico e culturais. Essa fase é a base do treinamento moral da criança, visto que é nessa fase que ela toma conhecimento do que é certo e errado * aprender a diferença básica entre os sexos => é nessa fase que a criança começa a tomar ciência da polaridade sexual do indivíduo, percebendo as diferenças anatômicas entre homem e mulher, tendo que se comportar de acordo com as expectativas relativas à sua anatomia. * formar conceitos ainda que elementares da realidade física e social => para a criança, o mundo externo não passa de enorme confusão para a criança. Porém, pouco a pouco as coisas ao seu redor vão tomando formas mais definidas e recebendo nomes apropriados sendo a partir desses conceitos que a vida mental da criança se desenvolver. 23

25 24 * alcançar certa estabilidade fisiológica => os mecanismos de homeostase que regulam o organismo adulto, não encontram-se em pleno funcionamento na primeira infância, sendo necessário que ela alcance certa estabilidade principalmente em relação ao alimento e ao sono. * aprender a relacionar- se emocionalmente => deve aprender a lidar com seus pais, irmãos e outras pessoas ao invés de limitar-se a si. * aprender a falar => a grande importância da linguagem articulada para desenvolver o ser humano, tornando-o parte do mundo em que vive, fazendo com que se relacione e se expresse. Com todas essas informações, podemos estabelecer parâmetros para uma boa prática psicomotora, atribuindo para cada situação uma metodologia de trabalho que possa englobar cada uma dessas tarefas, havendo assim uma especificidade do trabalho. 24

26 25 Capítulo V A Importância do brincar Analisar a importância do brincar, do brinquedo e do jogo nesse processo, nos auxilia a entender a importância do uso de tais recursos em nossas atividades pedagógicas do dia- a- dia. O brinquedo estimula a representação da realidade. Ao representa- la, ela estará vivendo alguma situação remota e irreal naquele momento. Através da brincadeira e dos jogos, a criança poderá tomar conhecimento do meio em que se encontra, podendo fazer assim uma analogia entre o brincar e o real. 5.1 A Psicomotricidade e a influência do brincar no desenvolvimento da criança: É através dos movimentos, como o exercícios e as brincadeiras que se apresenta a fundamental importância no desenvolvimento do físico, do intelecto 25

27 26 e do emocional da criança. A importância do movimento para a criança ajuda a explorar o mundo exterior através de experiências concretas, construindo assim uma base para o desenvolvimento intelectual. O esquema do desenvolvimento é comum a todas as crianças, mas ocorrem diferenças de caráter e possibilidades físicas que podem interferir nesse desenvolvimento. No brinquedo, a criança opera com um significado alienado em uma situação real Os jogos recreativos: As atividades recreativas têm a responsabilidade na formação e no desenvolvimento da responsabilidade humana, agindo eficientemente na vida cooperativa do grupo e ajudando a criar uma ordem social plena de vida. A alegria e a felicidade que derivam da recreação enriquecem a vida e são essenciais para harmonia social. Os jogos recreativos constituem uma atividadeprimária do ser humano. É principalmente a criança que se manifesta de maneira espontânea, aliviam a tensão interior e permitem a reeducação do comportamento, elevando o sentimento da auto-confiança e expansão do seu eu. O jogo é um meio da criança reconhecer a realidade que a cerca e da qual faz parte: brincar/jogando, ela manipula a realidade, explora, modifica, cria 26

28 27 e recria, interpreta e nesse processo desenvolve suas estruturas mentais, progride socialmente e realiza experiências do conteúdo emocional Atividades pedagógicas em face das atividades recreativas: Para que haja um real aproveitamento do exercício, é de extrema importância a atitude do professor em relação a isso é conveniente tecer algumas considerações: * não dar muitas instruções à criança. Lembrando- se que o excesso de informações e explicações podem limitar e direcionar a experiência pessoal da criança. * deixar a criança usar os seus próprios recursos, buscando soluções ao seu nível. O mais importante no brincar, é fazer com que através do lúdico, a criança possa ter artifícios necessários para poder desenvolver todas as suas potencialidades sem que se torne uma coisa chata e uma obrigação De que forma os jogos podem auxiliar no desenvolvimento psicomotor? Através de uma vivência prática de situações, observando as necessidades encontradas em cada indivíduo com a criação de um ambiente mais alegre e saudável, principalmente através do lúdico que é uma forma prazerosa de aprendizagem em que as pessoas podem tomar 27

29 27 conhecimento de suas potencialidades e desenvolver maneiras de captar os estímulos que lhes são apresentados. Capítulo VI Jogos e brincadeiras: aplicações práticas Neste capítulo, apresentaremos alguns exemplos de jogos que poderão ser de bastante utilidade para quem quer desenvolver uma prática psicomotora através do brincar. Dividiremos esses jogos em três tópicos principais em nosso estudo: jogos ativos, brinquedos cantados e jogos de adivinhação. 27

30 Jogos ativos: São jogos que necessitam de um espaço mais amplo e servem para promover um integração maior dos participantes. Necessitam de uma boa expressão corporal e geralmente são jogos que necessitam de cooperação e atenção. Podem ser utilizados também bolas e cordas para desenvolvimento desses jogos. Abaixo seguem alguns desses jogos baleias: Preparação: As crianças enfileiram- se atrás de uma linha de partida demarcada no chão. Do outro lado do campo, traça- se uma linha paralela de chegada. Desenvolvimento: Para iniciar o jogo, o professor põe- se a dizer uma série de palavras começando por ba, bananas, batatas, balas, etc. quando porém ele diz baleias, todos deverão correr para a linha de chegada. Variações: Pode- se variar o jogo apresentando palavras de sons diferentes. Objetivos: Atenção, percepção e discriminação auditiva, velocidade de reação, coordenação motora ampla Coelhinho na toca: Preparação: Forma- se um círculo e divide- se o grupo em trios. dois dão as mãos e o terceiro fica no meio, este deverá ser o Coelhinho. 28

31 29 Desenvolvimento: No centro do círculo, ficara uma criança que deverá ao sinal: Coelhinho na toca 1,2,3"! Tentar ocupar o lugar de um dos Coelhinho que estão em suas tocas e neste momento deverão trocar de toca. Objetivos: Desenvolver a coordenação motora ampla, atenção, percepção e discriminação auditiva, socialização, além de conhecimentos matemáticos Alerta cor: Preparação: Forma-se um círculo e é oferecida uma bola a um participante do grupo. Desenvolvimento: Os participantes do grupo deverão jogar a bola entre si, sem deixar que ela caia no chão. O participante que deixar a bola cair no chão devera pegar a bola dizer: alerta cor, os outros participantes deverão responder: que cor, neste exato momento quem está com a bola dirá uma cor e os outros participantes deverão tocar em algo com essa cor senão, o pegador (que está com a bola) poderá acertar a bola em quem não conseguiu tovar a cor a tempo e este estará eliminado. Objetivos: atenção, percepção, discriminação auditiva e visual, coordenação motora ampla jogos musicados: São os jogos que devem unir em uma mesma atividade, música, letra e movimentação. 29

32

33 30 Este trabalho favorece principalmente o esquema corporal, a localização das diferentes partes do corpo, a coordenação motora, além de ser uma forma bastante prazerosa de se trabalhar, principalmente com faixas etárias menores. São divididos em :brinquedos cantados, versinhos musicados e cantigas de roda Brinquedos cantados: Atividade: Cabeça, ombro, joelho e pé Desenvolvimento: Cabeça, ombro, joelho e pé, joelho e pé. Cabeça, ombro, joelho e pé, joelho e pé. Olhos, ouvidos, boca e nariz. Cabeça, ombro, joelho e pé. Objetivos: Através dessa canção, poderemos explorar as diferentes funções e partes do corpo e também os orgãos e sentidos Versinhos musicados: São variações dos brinquedos cantados. Além de favorecer a linguagem pois, poderemos explorar o som inicial até o som final igual. É muito importante que as atividades sejam exploradas de diversas formas, mas que não se deixe perder o sentido lúdico da atividade. Atividade: Palminhas 30

34 31 Desenvolvimento: Palminhas, palminhas, nós vamos bater. Depois as mãozinhas, pra trás esconder. Pra frente, pra trás, nós vamos bater. Depois as mãozinhas, pra trás esconder. Pra cima, pra baixo, nós vamos bater, depois as mãozinhas, pra trás esconder. Objetivos: Orientação espacial, esquema corporal, estruturação temporal, linguagem oral, coordenação motora Cantigas de roda: As cantigas de roda, levam as crianças a mexerem com o corpo e representarem as situações sugeridas pela letra das músicas. Atividade: Ciranda, cirandinha Desenvolvimento: Ciranda, cirandinha, 31

35 32 vamos todos cirandar! Vamos dar a meia volta, volta e meia vamos dar! O anel que tu me deste, era vidro e se quebrou. O amor que tu me tinhas, era pouco e se acabou. Por isso dona (seu) fulana (o)... Faz favor de entrar na roda, diga um verso bem bonito, diga adeus e vá embora. Nessa última estrofe a criança vai ao centro da roda, diz um verso e volta para o seu lugar. Objetivos: Desenvolvimento de áreas afetivas, social e cognitiva. Linguagem escrita, oral, aspectos gramaticais, etc Jogos de adivinhação: São jogos onde as crianças deverão através de uma prévia observação, poder dar continuidade a uma brincadeira, utilizando principalmente a memória. Atividade 1: Adivinhe quem ( ou o que) mudou de lugar? 32

36 33 Preparação: as crianças em círculos devem observar umas as outras, prestar atenção em alguns detalhes, onde sentadas, como estão vestidas, os acessórios que estão utilizando, etc... Desenvolvimento: Será escolhida uma criança para sair da sala, e enquanto ela está fora escolheremos alguém ou alguma coisa para ser modificado. Chamamos a criança de volta e ela deverá descobrir e indicar as mudanças. Objetivos: Esta atividade favorece a percepção visual, atenção, linguagem oral, memorização. Atividade 2: Quem é o mestre? Preparação: As crianças deverão estar dispostas sentadas em círculos. Desenvolvimento: Será escolhida uma criança que deverá ficar de olhos vendados. O professor deverá escolher um líder que começar a fazer um determinado movimento e todos os outros deverão acompanha- lo. Logo em seguida o aluno que estava vendado ficará sem a venda e observará todos os participantes para saber quem é o líder, que por sua vez deve variar os movimentos sem que seja percebido pela criança que estava de olhos vendados. Objetivos: percepção visual e auditiva, atenção, coordenação motora. 33

37 34 Capítulo VII Conclusão Até o presente momento de nosso estudo, podemos concluir que a Psicomotricidade é de grande importância para o desenvolvimento do processo de aprendizagem. Podemos destacar também, que a Psicomotricidade é uma área do conhecimento que engloba três áreas bem distintas: educação, reeducação e terapia psicomotora. Através do conhecimento dessas três áreas podemos estabelecer parâmetros para aplicarmos as diferentes metodologias de abordagens psicomotoras, de acordo com o objetivo apresentado por cada aluno, fazendo o encaminhamento necessário a cada área que melhor satisfaz as suas necessidades apresentadas. 34

38 34 Entramos nas diferentes áreas do estudo da Psicomotricidade, onde a criança poderá desenvolver melhor as suas carências e podemos conhecer um pouco melhor cada uma dessas áreas, as suas principais características. Tudo isso é levado ainda mais em conta quando abordamos uma fase primordial para o desenvolvimento dessas áreas psicomotoras, que é a fase da primeira infância. É na primeira infância que a criança toma conhecimento das mais diversas situações que dizem respeito as suas tarefas evolutivas. Oque isto significa? Significa que é na primeira infância que a criança entra em contato com as mais diversas experiências não só em seu mundo interior, mais principalmente com o mundo externo, com o outro. Nessa fase a criança deverá ter vários estímulos, pois é só através dos estímulos que a criança pode absorver melhor o contato com o meio e observar várias situações e sentimentos através da troca com outras pessoas no meio externo. O saber de um ser humano é construído através de trocas e essas experiências que farão a diferença na aquisição ou manutenção das sua atividades motoras. Traçamos um paralelo entre a importância do brincar e sua real necessidade para o pleno desenvolvimento das mais variadas atividades que englobam a Psicomotricidade no desenvolvimento da criança também o papel de destaque que têm os jogos recreativos nesse desenvolvimento. Destacamos também a inter- relação das atividades recreativas em função da prática pedagógica apresentada em cada situação destacada. Abordamos também o grande instrumento de auxílio que pode nos proporcionar os jogos recreativos. 34

39 35 Finalmente chegamos nas aplicações práticas dos diferentes tipos de jogos que avaliam através de todos os princípios da Psicomotricidade, a real necessidade, a preparação o desenvolvimento, os objetivos e as suas variações. Com todas essas informações podemos concluir que a prática de jogos é de grande importância para a Psicomotricidade. Devemos levar em conta a especificidade que pede cada caso e a sua real aplicação. Isso tudo servirá no auxilio dos profissionais das mais variadas áreas que trabalham com crianças, sendo um importante instrumento na lida com essas criança, tornando a sua prática pedagógica muito mais agradavel. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS CARNAVAL, P. E - Medidas e avaliação em ciências do esporte. Rio de Janeiro: Sprint, CHAUZAD, J - Introdução à psicomotricidade. São Paulo: Manole, GALVÃO, I - Henri Wallon: uma concepção dialética do desenvolvimento infantil. Petrópolis: Vozes,

40 36 LAPIERRE, A - Psicomotricidade: educação e reeducação. Paris: Manole, LAROSA, M. A e AYRES, F. A - Como produzir uma monografia. Rio de Janeiro: Wak, MARANHÃO, D - Ensinar brincando: a aprendizagem pode ser uma grande brincadeira. Rio de Janeiro: Wak, OLIVEIRA, G. C - Psicomotricidade Educação e reeducação num enfoque Psicopedagógico. Rio de Janeiro: Vozes, WALLON, H - Evolução psicológica da criança. Paris: Manole, ANEXOS 36

41 37 37

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO Marcelo Moura 1 Líbia Serpa Aquino 2 Este artigo tem por objetivo abordar a importância das atividades lúdicas como verdadeiras

Leia mais

A Importância da psicomotricidade no desenvolvimento infantil

A Importância da psicomotricidade no desenvolvimento infantil A Importância da psicomotricidade no desenvolvimento infantil Aline Daniela Gomes da Silva Vieira Discente de Psicologia Universidade Sagrado Coração Bauru-SP. e-mail: ninedvieira@hotmail.com Raquel Regina

Leia mais

Desenvolvimento motor do deficiente auditivo. A deficiência auditiva aparece, por vezes, associada a outras deficiências, como

Desenvolvimento motor do deficiente auditivo. A deficiência auditiva aparece, por vezes, associada a outras deficiências, como Texto de apoio ao Curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Desenvolvimento motor do deficiente auditivo A deficiência auditiva aparece, por vezes, associada

Leia mais

ÁREAS DE CONTEÚDO: O QUE SÃO? COMO SE DEFINEM?

ÁREAS DE CONTEÚDO: O QUE SÃO? COMO SE DEFINEM? ÁREAS DE CONTEÚDO: O QUE SÃO? COMO SE DEFINEM? As Áreas de Conteúdo são áreas em que se manifesta o desenvolvimento humano ao longo da vida e são comuns a todos os graus de ensino. Na educação pré-escolar

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR E A INTERVENÇÃO DA PSICOMOTRICIDADE NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM

EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR E A INTERVENÇÃO DA PSICOMOTRICIDADE NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR E A INTERVENÇÃO DA PSICOMOTRICIDADE NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM CAROLINE SILVA DE OLIVEIRA Discente do Curso de Licenciatura Plena do Curso de Educação Física das Faculdades Integradas

Leia mais

Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola

Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola Brincar é fonte de lazer, mas é, simultaneamente, fonte de conhecimento; é esta dupla natureza que nos leva a considerar o brincar

Leia mais

Apontamentos iniciais sobre os Tipos de Movimentos

Apontamentos iniciais sobre os Tipos de Movimentos Apontamentos iniciais sobre os Tipos de Movimentos RICARDO MARTINS PORTO LUSSAC ricardolussac@yahoo.com.br (Brasil) Mestrando do Programa de Mestrado em Ciência da Motricidade Humana - Universidade Castelo

Leia mais

Brincadeiras que ensinam. Jogos e brincadeiras como instrumentos lúdicos de aprendizagem

Brincadeiras que ensinam. Jogos e brincadeiras como instrumentos lúdicos de aprendizagem Brincadeiras que ensinam Jogos e brincadeiras como instrumentos lúdicos de aprendizagem Por que as crianças brincam? A atividade inerente à criança é o brincar. A criança brinca para atribuir significados

Leia mais

BRINCAR É UM DIREITO!!!! Juliana Moraes Almeida Terapeuta Ocupacional Especialista em Reabilitação neurológica

BRINCAR É UM DIREITO!!!! Juliana Moraes Almeida Terapeuta Ocupacional Especialista em Reabilitação neurológica BRINCAR É UM DIREITO!!!! Juliana Moraes Almeida Terapeuta Ocupacional Especialista em Reabilitação neurológica PORQUE AS CRIANÇAS ESTÃO PERDENDO TODOS OS REFERENCIAIS DE ANTIGAMENTE EM RELAÇÃO ÀS BRINCADEIRAS?

Leia mais

PSICOMOTRICIDADE E SUA RELAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA E A EMOÇÃO. AGUIAR, Oscar Xavier de

PSICOMOTRICIDADE E SUA RELAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA E A EMOÇÃO. AGUIAR, Oscar Xavier de PSICOMOTRICIDADE E SUA RELAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA E A EMOÇÃO AGUIAR, Oscar Xavier de Docente do Curso de Psicologia da Faculdade de Ciências da Saúde FASU/ACEG GARÇA/SP BRASIL e-mail: oscarxa@bol.com.br

Leia mais

Desenvolvimento cognitivo e motor na infância: necessidades de jogos e brincadeiras

Desenvolvimento cognitivo e motor na infância: necessidades de jogos e brincadeiras Desenvolvimento cognitivo e motor na infância: necessidades de jogos e brincadeiras XVIII Semana de Estudos Pedagógicos, FAFICA Prof. Marcelo Velloso Heeren Catanduva, 2012 Sistema Nervoso Neurônio Neurônio

Leia mais

TEMA: O LÚDICO NA APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA

TEMA: O LÚDICO NA APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA TEMA: O LÚDICO NA APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA RESUMO Os educadores têm se utilizado de uma metodologia Linear, que traz uma característica conteudista; É possível notar que o Lúdico não se limita

Leia mais

Aprendizagem na Educação Musical

Aprendizagem na Educação Musical Aprendizagem na Educação Musical Flávia Rizzon Universidade Federal do Rio Grande do Sul Resumo: O presente texto refere-se à importância de reavaliar a didática na área da Educação Musical, relacionando-a

Leia mais

A importância e influências no desenvolvimento psicomotor em crianças iniciantes na prática do Futebol

A importância e influências no desenvolvimento psicomotor em crianças iniciantes na prática do Futebol A importância e influências no desenvolvimento psicomotor em crianças iniciantes na prática do Futebol Autor: Daniel Brugni Guimarães Orientador: Prof. Me. Fabio Aires da Cunha Ar Rass Saudi Arabia 2012

Leia mais

MATRÍCULA: 52862 DATA: 15/09/2013

MATRÍCULA: 52862 DATA: 15/09/2013 AV1 Estudo Dirigido da Disciplina CURSO: Administração Escolar DISCIPLINA: Educação Inclusiva ALUNO(A):Claudia Maria de Barros Fernandes Domingues MATRÍCULA: 52862 DATA: 15/09/2013 NÚCLEO REGIONAL: Rio

Leia mais

VISÃO: ser referência na comunidade na área de educação Infantil

VISÃO: ser referência na comunidade na área de educação Infantil VISÃO: ser referência na comunidade na área de educação Infantil NOSSA MISSÃO: Por meio da educação formar cidadãos felizes, independentes, éticos e solidários VALORES: Respeito, honestidade, boa moral

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FISICA NAS SÉRIES INICIAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA LEILA REGINA VALOIS MOREIRA

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FISICA NAS SÉRIES INICIAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA LEILA REGINA VALOIS MOREIRA 1 A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FISICA NAS SÉRIES INICIAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA LEILA REGINA VALOIS MOREIRA INTRODUÇÃO O tema a ser estudado tem como finalidade discutir a contribuição da Educação Física enquanto

Leia mais

Colégio La Salle São João. Professora Kelen Costa Educação Infantil. Educação Infantil- Brincar também é Educar

Colégio La Salle São João. Professora Kelen Costa Educação Infantil. Educação Infantil- Brincar também é Educar Colégio La Salle São João Professora Kelen Costa Educação Infantil Educação Infantil- Brincar também é Educar A importância do lúdico na formação docente e nas práticas de sala de aula. A educação lúdica

Leia mais

MATERNAL I OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL

MATERNAL I OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL MATERNAL I OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com a confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações;

Leia mais

Núcleo de Educação Infantil Solarium

Núcleo de Educação Infantil Solarium 0 APRESENTAÇÃO A escola Solarium propõe um projeto de Educação Infantil diferenciado que não abre mão do espaço livre para a brincadeira onde a criança pode ser criança, em ambiente saudável e afetivo

Leia mais

Jéssica Victória Viana Alves, Rospyerre Ailton Lima Oliveira, Berenilde Valéria de Oliveira Sousa, Maria de Fatima de Matos Maia

Jéssica Victória Viana Alves, Rospyerre Ailton Lima Oliveira, Berenilde Valéria de Oliveira Sousa, Maria de Fatima de Matos Maia PSICOMOTRICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL Jéssica Victória Viana Alves, Rospyerre Ailton Lima Oliveira, Berenilde Valéria de Oliveira Sousa, Maria de Fatima de Matos Maia INTRODUÇÃO A psicomotricidade está

Leia mais

MATEMATICANDO, BRINCANDO, APRENDENDO E PRODUZINDO ANA PAULA TOMAZ (Finan - G) DIVA TOGNON (Finan - G)

MATEMATICANDO, BRINCANDO, APRENDENDO E PRODUZINDO ANA PAULA TOMAZ (Finan - G) DIVA TOGNON (Finan - G) MATEMATICANDO, BRINCANDO, APRENDENDO E PRODUZINDO ANA PAULA TOMAZ (Finan - G) DIVA TOGNON (Finan - G) Resumo: Este artigo procurou abordar o ensino da matemática na Educação Infantil através de brincadeiras,

Leia mais

AS ATIVIDADES RÍTMICAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

AS ATIVIDADES RÍTMICAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL AS ATIVIDADES RÍTMICAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL Profª Doutora Daisy Barros Especialização em Ginástica Rítmica e Dança Ritmo é vida e está particularmente ligado à necessidade do mundo moderno. Cada indivíduo,

Leia mais

Duração: Aproximadamente um mês. O tempo é flexível diante do perfil de cada turma.

Duração: Aproximadamente um mês. O tempo é flexível diante do perfil de cada turma. Projeto Nome Próprio http://pixabay.com/pt/cubo-de-madeira-letras-abc-cubo-491720/ Público alvo: Educação Infantil 2 e 3 anos Disciplina: Linguagem oral e escrita Duração: Aproximadamente um mês. O tempo

Leia mais

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 34, Toledo PR Fone: 377-850 PLANEJAMENTO ANUAL MOVIMENTO SÉRIE: PRÉ I PROFESSOR: Carla Iappe

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA PSICOMOTRICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: PRÁTICAS DESENVOLVIDAS NO CENTRO EDUCACIONAL LUÍS DA CÂMARA CASCUDO EM MACAÍBA / RN

A IMPORTÂNCIA DA PSICOMOTRICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: PRÁTICAS DESENVOLVIDAS NO CENTRO EDUCACIONAL LUÍS DA CÂMARA CASCUDO EM MACAÍBA / RN A IMPORTÂNCIA DA PSICOMOTRICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: PRÁTICAS DESENVOLVIDAS NO CENTRO EDUCACIONAL LUÍS DA CÂMARA CASCUDO EM MACAÍBA / RN Autora: Eliza Christina Toscano de Mendonça 1 Co-autores: Luanda

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA PARA PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS (PNEE): construindo a autonomia na escola

EDUCAÇÃO FÍSICA PARA PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS (PNEE): construindo a autonomia na escola EDUCAÇÃO FÍSICA PARA PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS (PNEE): construindo a autonomia na escola Autora: CAMILA SOUZA VIEIRA Introdução A presente pesquisa tem como temática Educação física para Portadores

Leia mais

As diferentes linguagens da criança: o jogo simbólico

As diferentes linguagens da criança: o jogo simbólico As diferentes linguagens da criança: o jogo simbólico Mariana Antoniuk 1 Dêivid Marques 2 Maria Angela Barbato Carneiro ( orientação) 3 Abordando as diferentes linguagens da criança neste ano, dentro do

Leia mais

PROGRAMA ATIVIDADE MOTORA ADAPTADA

PROGRAMA ATIVIDADE MOTORA ADAPTADA PROGRAMA ATIVIDADE MOTORA ADAPTADA Angela T. Zuchetto Departamento de Educação Física, Centro de Desportos Universidade Federal de Santa Catarina Fone: 3318558 zuchetto@cds.ufsc.br Introdução O programa

Leia mais

13. A FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIAL, AS ÁREAS DE CONHECIMENTO E O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA ATÉ OS 6 ANOS

13. A FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIAL, AS ÁREAS DE CONHECIMENTO E O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA ATÉ OS 6 ANOS 13. A FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIAL, AS ÁREAS DE CONHECIMENTO E O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA ATÉ OS 6 ANOS A importância da formação pessoal e social da criança para o seu desenvolvimento integral e para a

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Habilitação: Regime: Duração: PEDAGOGIA LICENCIATURA FORMAÇÃO PARA O MAGISTÉRIO EM EDUCAÇÃO INFANTIL SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização:

Leia mais

Educação familiar e escolar para o terceiro milênio. nosso tema

Educação familiar e escolar para o terceiro milênio. nosso tema Prefácio As pessoas já têm mil noções feitas bem antigas! com relação à palavra educação. Os pais e a escola têm de ensinar para as crianças, em palavras e só com palavras, quase tudo sobre os conhecimentos

Leia mais

Deficiência Intelectual Síndrome de Down. Serviço de Atendimento Pedagógico às Necessidades Educacionais Especiais SEME

Deficiência Intelectual Síndrome de Down. Serviço de Atendimento Pedagógico às Necessidades Educacionais Especiais SEME Deficiência Intelectual Síndrome de Down Serviço de Atendimento Pedagógico às Necessidades Educacionais Especiais SEME A Síndrome de Down é uma deficiência de origem genética, que ocorre quando crianças

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Lúcia Peranzoni 1 Fabiana Lacerda da Silva 2 Resumo: O presente trabalho foi desenvolvido na disciplina Estágio Básico II no segundo semestre de 2011, tendo

Leia mais

UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOMOTRICIDADE. Por: Perciliana de Moura Castro

UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOMOTRICIDADE. Por: Perciliana de Moura Castro UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOMOTRICIDADE A IMPORTÂNCIA DO TRABALHO PSICOMOTOR NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA INFANTIL Por: Perciliana de Moura Castro Trabalho monográfico apresentado

Leia mais

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PROJETO PSICOMOTRICIDADE Educar é Brincar SÉRIE: Contraturno

Leia mais

Projeto: Música na Escola. O amor é a melhor música na partitura da vida e sem ele, você é um eterno desafinado.

Projeto: Música na Escola. O amor é a melhor música na partitura da vida e sem ele, você é um eterno desafinado. Projeto: Música na Escola O amor é a melhor música na partitura da vida e sem ele, você é um eterno desafinado. Justificativa De acordo com as diretrizes curriculares, o som é a matériaprima da música;

Leia mais

Brincadeiras. Atividade 1

Brincadeiras. Atividade 1 Objetivos retomar as atividades motoras com características lúdicas; propiciar situações motoras lúdicas com diferentes possibilidades de inferências e de compreensão da cultura do jogo; propiciar situações

Leia mais

Principais discussões sobre o ensino-aprendizagem de matemática na educação infantil

Principais discussões sobre o ensino-aprendizagem de matemática na educação infantil 1 Introdução: A matemática é uma disciplina de fundamental importância na vida de todo mundo. Desde tempos antigos o ensino dessa matéria vem fazendo cada vez mais parte da vida dos seres humanos. Basta

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA

PLANEJAMENTO ANUAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA SÉRIE: 6º ANO PROFESSORA:

Leia mais

1 o Período Educação Infantil

1 o Período Educação Infantil 1 o Período Educação Infantil Eixo temático: O tema Imaginação visa a estimular as distintas áreas de desenvolvimento integral das crianças, bem como favorecer o crescimento de suas habilidades e competências.

Leia mais

Jardim Infantil Popular da Pontinha. Projeto Educativo Creche

Jardim Infantil Popular da Pontinha. Projeto Educativo Creche Jardim Infantil Popular da Pontinha Projeto Educativo Creche Crianças de 1 ano Educadora : Célia Ano Letivo:2013 /14 1 Introdução Um Projeto Educativo assume-se como um documento orientador que define

Leia mais

Expressão Musical II. Universidade De Trás-Os-Montes e Alto Douro Educação Básica 1ºano,2ºsemestre,2012/1013. Docente: António Neves

Expressão Musical II. Universidade De Trás-Os-Montes e Alto Douro Educação Básica 1ºano,2ºsemestre,2012/1013. Docente: António Neves Universidade De Trás-Os-Montes e Alto Douro Educação Básica 1ºano,2ºsemestre,2012/1013 Expressão Musical II Docente: António Neves Discente: Ana Matos nº 53184 A música e o som, enquanto energia, estimulam

Leia mais

Curso de Especialização em EDUCAÇÃO INFANTIL E PSICOMOTRICIDADE CLÍNICA

Curso de Especialização em EDUCAÇÃO INFANTIL E PSICOMOTRICIDADE CLÍNICA Curso de Especialização em EDUCAÇÃO INFANTIL E PSICOMOTRICIDADE CLÍNICA ÁREA DO CONHECIMENTO: Educação NOME DO CURSO: Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Educação Infantil e Psicomotrocidade

Leia mais

Apresentação do Professor. Ludicidade. Pedagogia. Ementa. Contextualização. Teleaula 1

Apresentação do Professor. Ludicidade. Pedagogia. Ementa. Contextualização. Teleaula 1 Ludicidade Teleaula 1 Prof. Me. Marcos Ruiz da Silva tutoriapedagogia@grupouninter.com.br Pedagogia Apresentação do Professor Marcos Ruiz da Silva Graduado em Educação Física UEL Especialista em Educação

Leia mais

O PROCESSO DE MUSICALIZAÇÃO NO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE

O PROCESSO DE MUSICALIZAÇÃO NO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE O PROCESSO DE MUSICALIZAÇÃO NO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE Romero Bomfim dos Santos 1 ; Elida Roberta Soares de Santana²; Bruno Fernandes

Leia mais

8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM

8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM CORRENTES DO PENSAMENTO DIDÁTICO 8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM Se você procurar no dicionário Aurélio, didática, encontrará o termo como feminino substantivado de didático.

Leia mais

tido, articula a Cartografia, entendida como linguagem, com outra linguagem, a literatura infantil, que, sem dúvida, auxiliará as crianças a lerem e

tido, articula a Cartografia, entendida como linguagem, com outra linguagem, a literatura infantil, que, sem dúvida, auxiliará as crianças a lerem e Apresentação Este livro tem o objetivo de oferecer aos leitores de diversas áreas do conhecimento escolar, principalmente aos professores de educação infantil, uma leitura que ajudará a compreender o papel

Leia mais

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades;

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades; INFANTIL I OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com a confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações:

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA. Sequência Didática II Brincadeira Amarelinha

RELATO DE EXPERIÊNCIA. Sequência Didática II Brincadeira Amarelinha ESCOLA MUNICIPAL JOSÉ EVARISTO COSTA RELATO DE EXPERIÊNCIA Sequência Didática II Brincadeira Amarelinha Professoras: Maria Cristina Santos de Campos. Silvana Bento de Melo Couto. Público Alvo: 3ª Fase

Leia mais

PROJETO MAGIA DAS HISTÓRIAS INFANTIS

PROJETO MAGIA DAS HISTÓRIAS INFANTIS COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PROJETO MAGIA DAS HISTÓRIAS INFANTIS SÉRIE: Berçário A Berçário

Leia mais

O jardim de infância. Informações destinadas aos pais. na região de língua alemã do cantão de Berna. Direcção da Instrução Pública do Cantão de Berna

O jardim de infância. Informações destinadas aos pais. na região de língua alemã do cantão de Berna. Direcção da Instrução Pública do Cantão de Berna O jardim de infância na região de língua alemã do cantão de Berna Informações destinadas aos pais Direcção da Instrução Pública do Cantão de Berna Ficha técnica: Edição e Copyright: Direcção da Instrução

Leia mais

METAS DE APRENDIZAGEM (3 anos)

METAS DE APRENDIZAGEM (3 anos) METAS DE APRENDIZAGEM (3 anos) 1. CONHECIMENTO DO MUNDO Revelar curiosidade e desejo de saber; Explorar situações de descoberta e exploração do mundo físico; Compreender mundo exterior mais próximo e do

Leia mais

PSICOMOTRICIDADE. Professora Tatiana Comiotto

PSICOMOTRICIDADE. Professora Tatiana Comiotto PSICOMOTRICIDADE Professora Tatiana Comiotto Significado PSICO: Intelectual, cognitivo emocional, afetivo, mental e neurológico. MOTRICIDADE: Movimento, ato, ação, gesto. PSICOMOTRICIDADE é a realização

Leia mais

GUIA PARA OS PAIS - EDUCAÇÃO INFANTIL

GUIA PARA OS PAIS - EDUCAÇÃO INFANTIL GUIA PARA OS PAIS - EDUCAÇÃO INFANTIL O QUE É? É um processo educativo que oscila entre a inserção e a autonomia. É uma etapa do sistema de educação que tem como objectivo proporcionar às crianças experiências

Leia mais

PLANEJAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA.

PLANEJAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA. PLANEJAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA. OLIVEIRA 1, Jordânia Amorim da Silva. SOUSA 2, Nádia Jane de. TARGINO 3, Fábio. RESUMO Este trabalho apresenta resultados parciais do projeto

Leia mais

INALDO MENDES DE MATTOS JUNIOR. MÚSICA NA CRECHE: Possibilidades de musicalização para bebês.

INALDO MENDES DE MATTOS JUNIOR. MÚSICA NA CRECHE: Possibilidades de musicalização para bebês. UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE MÚSICA LICENCIATURA MUSICALIZAÇÃO I JOAO FORTUNATO SOARES DE QUADROS JUNIOR INALDO MENDES DE MATTOS JUNIOR MÚSICA NA CRECHE São Luís

Leia mais

A Educação Psicomotora como instrumento no Processo de Aprendizagem

A Educação Psicomotora como instrumento no Processo de Aprendizagem A Educação Psicomotora como instrumento no Processo de Aprendizagem Maria Fernanda Borges 1 Juliana de Alcântara Silveira Rubio 2 Resumo Durante o processo de aprendizagem, os elementos básicos da psicomotricidade

Leia mais

Prof. Kildo Adevair dos Santos (Orientador), Prof.ª Rosângela Moura Cortez UNILAVRAS.

Prof. Kildo Adevair dos Santos (Orientador), Prof.ª Rosângela Moura Cortez UNILAVRAS. BARBOSA, S. L; BOTELHO, H. S. Jogos e brincadeiras na educação infantil. 2008. 34 f. Monografia (Graduação em Normal Superior)* - Centro Universitário de Lavras, Lavras, 2008. RESUMO Este artigo apresenta

Leia mais

Estimulação precoce e a Terapia Ocupacional, uma união que promove o desenvolvimento psicomotor de crianças com Síndrome de Down.

Estimulação precoce e a Terapia Ocupacional, uma união que promove o desenvolvimento psicomotor de crianças com Síndrome de Down. Estimulação precoce e a Terapia Ocupacional, uma união que promove o desenvolvimento psicomotor de crianças com Síndrome de Down. Conceituando a Síndrome de Down (SD) Pedromônico; Perissinoto; Ramalho

Leia mais

Lev Semenovich Vygotsky, nasce em 17 de novembro de 1896, na cidade de Orsha, em Bielarus. Morre em 11 de junho de 1934.

Lev Semenovich Vygotsky, nasce em 17 de novembro de 1896, na cidade de Orsha, em Bielarus. Morre em 11 de junho de 1934. Lev Semenovich Vygotsky, nasce em 17 de novembro de 1896, na cidade de Orsha, em Bielarus. Morre em 11 de junho de 1934. Lev Vygotsky, viveu na mesma época que Piaget (ambos nasceram em 1896 entanto Vygotsky

Leia mais

REVISTA CIENTÍFICA ELETÔNICA DE PEDAGOGIA ISSN: 1678-300X. Ano VII Número 13 Janeiro de 2009 Periódicos Semestral

REVISTA CIENTÍFICA ELETÔNICA DE PEDAGOGIA ISSN: 1678-300X. Ano VII Número 13 Janeiro de 2009 Periódicos Semestral PSICOMOTRICIDADE E DESENVOLVIMENTO MOTOR NA PRÉ-ESCOLA OLIVEIRA, Linda Marques de 1 BAGAGI, Priscilla dos Santos 2 RESUMO Esse artigo vem esclarecer através da bibliografia o surgimento da Psicomotricidade

Leia mais

LUDICIDADE E EDUCAÇÃO: O ENCANTAMENTO DE APRENDER BRINCANDO

LUDICIDADE E EDUCAÇÃO: O ENCANTAMENTO DE APRENDER BRINCANDO LUDICIDADE E EDUCAÇÃO: O ENCANTAMENTO DE APRENDER BRINCANDO Tatiane Testa Ferrari e-mail: tatitferrari@ig.com.br Ticiane Testa Ferrari e-mail: ticiferrari@ig.com.br Araceli Simão Gimenes Russo e-mail:

Leia mais

PROJETO ONG PEDRA BRUTA Lapidando talentos: A sexualidade e a integração do grupo para adolescentes.

PROJETO ONG PEDRA BRUTA Lapidando talentos: A sexualidade e a integração do grupo para adolescentes. MARCELA GARCIA MANOCHIO PROJETO ONG PEDRA BRUTA Lapidando talentos: A sexualidade e a integração do grupo para adolescentes. Projeto de Estágio extracurricular em Processos Educativos, desenvolvido para

Leia mais

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades;

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades; INFANTIL II OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com a confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações:

Leia mais

Atividades Pedagógicas. Abril2014

Atividades Pedagógicas. Abril2014 Atividades Pedagógicas Abril2014 I A ADAPTAÇÃO Estamos chegando ao final do período de adaptação do grupo IA e a cada dia conhecemos mais sobre cada bebê. Começamos a perceber o temperamento, as particularidades

Leia mais

Proposta de inserção da Cronobiologia na educação infantil

Proposta de inserção da Cronobiologia na educação infantil Proposta de inserção da Cronobiologia na educação infantil 1. Apresentação 2.Inserção da Cronobiologia na pré-escola 3.Inserção da Cronobiologia no fundamental ciclo I 4.Referências. 1. Apresentação Este

Leia mais

Quatro coordenadas para o andamento da educação musical

Quatro coordenadas para o andamento da educação musical Quatro coordenadas para o andamento da educação musical Léa Pintor Martins de Arruda Maria Angela de Souza Lima Rizzi O trabalho realizado com os educadores, pela equipe da Associação Arte Despertar no

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES Disciplina: Linguagem. Períodos: Infantil 4 1º, 2º, 3º. Conteúdo

DIRETRIZES CURRICULARES Disciplina: Linguagem. Períodos: Infantil 4 1º, 2º, 3º. Conteúdo Linguagem Letras do alfabeto Nome próprio, nome da escola, histórias Nome das profissões, histórias, músicas Histórias, nome das plantas Histórias em quadrinho, brincadeiras, nome dos brinquedos Nome dos

Leia mais

OS CONHECIMENTOS DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA IMPLICAÇÃO PARA A PRÁTICA DOCENTE

OS CONHECIMENTOS DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA IMPLICAÇÃO PARA A PRÁTICA DOCENTE OS CONHECIMENTOS DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA IMPLICAÇÃO PARA A PRÁTICA DOCENTE Maria Cristina Kogut - PUCPR RESUMO Há uma preocupação por parte da sociedade com a atuação da escola e do professor,

Leia mais

PLANO DE TRABALHO IDOSO

PLANO DE TRABALHO IDOSO PLANO DE TRABALHO IDOSO Telefone: (44) 3220-5750 E-mail: centrosesportivos@maringa.pr.gov.br EQUIPE ORGANIZADORA SECRETARIO MUNICIPAL DE ESPORTES E LAZER Francisco Favoto DIRETOR DE ESPORTES E LAZER Afonso

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA CLAINES KREMER GENISELE OLIVEIRA EDUCAÇÃO AMBIENTAL: POR UMA PERSPECTIVA DE RELAÇÕES ENTRE

Leia mais

Maternal 3 anos Educação Infantil

Maternal 3 anos Educação Infantil Maternal 3 anos Educação Infantil Eixo temático: Tema: Joca e suas aventuras As crianças, nesta fase, caracterizam-se pelo movimento e pela ação. Agem ativamente em seu entorno, acompanhando seus movimentos

Leia mais

PROGRAMA ESCOLA DA INTELIGÊNCIA - Grupo III ao 5º Ano

PROGRAMA ESCOLA DA INTELIGÊNCIA - Grupo III ao 5º Ano ... CEFF - CENTRO EDUCACIONAL FAZENDINHA FELIZ Rua Professor Jones, 1513 - Centro - Linhares / ES - CEP. 29.900-131 - Telefone: (27) 3371-2265 www.escolafazendinhafeliz.com.br... Ao colocar seu filho na

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL III E IV EDUCAÇÃO FÍSICA

DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL III E IV EDUCAÇÃO FÍSICA CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN ENSINO INFANTIL 2013 DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL III E IV EDUCAÇÃO FÍSICA OBJETIVOS GERAIS Favorecer o desenvolvimento corporal e mental harmônicos, a melhoria da

Leia mais

Tais mudanças podem ser biológicas, psicológicas e até social, todas inerentes a nossa condição humana.

Tais mudanças podem ser biológicas, psicológicas e até social, todas inerentes a nossa condição humana. I - A PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO 1.1. Caracterização O desenvolvimento humano (DH) enquanto área de estudo, preocupa-se em investigar e interpretar todos os processos de mudanças pelos quais o ser humano

Leia mais

Conceitos de Identidade Relação "eu" e "outro" Para Vygotsky

Conceitos de Identidade Relação eu e outro Para Vygotsky FAMOSP - FACULDADE MOZARTEUM DE SÃO PAULO PEDAGOGIA - 1 o SEMESTRE PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO Conceitos de Identidade Relação "eu" e "outro" Para Vygotsky Deyse Maria Souza Almeida Eliete Pereira Nunes

Leia mais

A Arte e as Crianças

A Arte e as Crianças A Arte e as Crianças A criança pequena consegue exteriorizar espontaneamente a sua personalidade e as suas experiências inter-individuais, graças aos diversos meios de expressão que estão à sua disposição.

Leia mais

A METODOLOGIA DE.ENSINO-APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA ATRAVÉS DA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS: INTERDISCIPLINARIDADE E O USO DA MATEMÁTICA FUNCIONAL.

A METODOLOGIA DE.ENSINO-APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA ATRAVÉS DA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS: INTERDISCIPLINARIDADE E O USO DA MATEMÁTICA FUNCIONAL. A METODOLOGIA DE.ENSINO-APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA ATRAVÉS DA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS: INTERDISCIPLINARIDADE E O USO DA MATEMÁTICA FUNCIONAL. Wagner José Bolzan 1. Resumo Em minha dissertação de mestrado

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL DE MATERNAL I

PLANEJAMENTO ANUAL DE MATERNAL I COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE MATERNAL I SÉRIE: EDUCAÇÃO INFANTIL MATERNAL

Leia mais

TRANSTORNO DE PROCESSAMENTO AUDITIVO E SUAS CONSEQUENCIAS NA APREDIZAGEM. ANGELA MARIA DE ALMEIDA PEREIRA

TRANSTORNO DE PROCESSAMENTO AUDITIVO E SUAS CONSEQUENCIAS NA APREDIZAGEM. ANGELA MARIA DE ALMEIDA PEREIRA 1 TRANSTORNO DE PROCESSAMENTO AUDITIVO E SUAS CONSEQUENCIAS NA APREDIZAGEM. ANGELA MARIA DE ALMEIDA PEREIRA Introdução Quando nos deparamos com um aluno que apresenta dificuldade de aprendizagem, as perguntas

Leia mais

Ler em família: viagens partilhadas (com a escola?)

Ler em família: viagens partilhadas (com a escola?) Ler em família: viagens partilhadas (com a escola?) Ação nº41/2012 Formadora: Madalena Moniz Faria Lobo San-Bento Formanda: Rosemary Amaral Cabral de Frias Introdução Para se contar histórias a crianças,

Leia mais

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 324, Toledo PR Fone: 3277-850 PLANEJAMENTO ANUAL NATUREZA E SOCIEDADE SÉRIE: PRÉ I PROFESSOR:

Leia mais

Atividades Pedagógicas. Abril2014

Atividades Pedagógicas. Abril2014 Atividades Pedagógicas Abril2014 III A JOGOS DIVERTIDOS Fizemos dois campeonatos com a Turma da Fazenda, o primeiro com o seguinte trajeto: as crianças precisavam pegar água em um ponto e levar até o outro,

Leia mais

LUDICIDADE E ENSINO: UMA PARCERIA QUE CONTRIBUI COM A EDUCAÇÃO

LUDICIDADE E ENSINO: UMA PARCERIA QUE CONTRIBUI COM A EDUCAÇÃO LUDICIDADE E ENSINO: UMA PARCERIA QUE CONTRIBUI COM A EDUCAÇÃO INTRODUÇÃO Ana Lucia da Silva 1 Franchys Marizethe Nascimento Santana Ferreira 2 O presente projeto justifica-se pela necessidade verificada,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS BRINCADEIRAS NO ENSINO DA MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A IMPORTÂNCIA DAS BRINCADEIRAS NO ENSINO DA MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL A IMPORTÂNCIA DAS BRINCADEIRAS NO ENSINO DA MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL Maria Mara Teixeira Esteves* mara.esteves@hotmail.com RESUMO O presente trabalho tem como objetivo principal identificar a compreensão

Leia mais

INTRODUÇÃO ÍNDICE OBJECTIVOS DA EDUCAÇÂO PRÈ-ESCOLAR

INTRODUÇÃO ÍNDICE OBJECTIVOS DA EDUCAÇÂO PRÈ-ESCOLAR INTRODUÇÃO ÍNDICE - Objectivos de Educação Pré-Escolar - Orientações Curriculares - Áreas de Conteúdo/Competências - Procedimentos de Avaliação - Direitos e Deveres dos Encarregados de Educação - Calendário

Leia mais

MADRINA-Desenvolvimento Infantil e Parental 1

MADRINA-Desenvolvimento Infantil e Parental 1 MADRINA-Desenvolvimento Infantil e Parental 1 PROJETO MEU TEMPO DE CRIANÇA Missão Visão Valores Colaborar com a importante tarefa de educar as crianças, nesse momento único de suas jovens vidas, onde os

Leia mais

Brincadeira é Jogo Sério. Resumo. Flávia Moretto de Oliveira 1 Luciane Canto Vargas 2

Brincadeira é Jogo Sério. Resumo. Flávia Moretto de Oliveira 1 Luciane Canto Vargas 2 Brincadeira é Jogo Sério Flávia Moretto de Oliveira 1 Luciane Canto Vargas 2 Resumo A infância é fascinante, durante a vida é neste período que exteriorizamos nossos sentimentos, nossas experiências e

Leia mais

BRINCAR E APRENDER: A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL

BRINCAR E APRENDER: A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL BRINCAR E APRENDER: A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL GEANE SANTANA ROCHA QUIXABEIRA CMEI Criança Feliz geanezinha@gmail.com ANADIR FERREIRA DA SILVA Secretaria Municipal de Educação laurapso@hotmail.co.uk

Leia mais

Apresentação do Professor. Educação Infantil: Procedimentos. Teleaula 1. Ementa. Organização da Disciplina. Contextualização.

Apresentação do Professor. Educação Infantil: Procedimentos. Teleaula 1. Ementa. Organização da Disciplina. Contextualização. Educação Infantil: Procedimentos Teleaula 1 Prof. Me. Mônica Caetano da Silva tutoriapedagogia@grupouninter.com.br Pedagogia Apresentação do Professor Pedagogia (PUCPr) Especialização em Psicopedagogia

Leia mais

11. Com base na Teoria Piagetiana, relacione os conceitos da primeira coluna de acordo com as definições apresentadas na segunda coluna:

11. Com base na Teoria Piagetiana, relacione os conceitos da primeira coluna de acordo com as definições apresentadas na segunda coluna: TÉCNICO EM ASSUNTOS EDUCACIONAIS 4 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS QUESTÕES DE 11 A 25 11. Com base na Teoria Piagetiana, relacione os conceitos da primeira coluna de acordo com as definições apresentadas na

Leia mais

O JOGO EDUCATIVO NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Valéria Cristina Giacometti 1, Rosiclaire Barcelos 1, Carmen Lúcia Dias 2

O JOGO EDUCATIVO NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Valéria Cristina Giacometti 1, Rosiclaire Barcelos 1, Carmen Lúcia Dias 2 1099 O JOGO EDUCATIVO NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Valéria Cristina Giacometti 1, Rosiclaire Barcelos 1, Carmen Lúcia Dias 2 1 Discente do Mestrado em Educação da Universidade do Oeste Paulista UNOESTE. 2 Docente

Leia mais

A Criança e a Música

A Criança e a Música António José Monteiro da Costa A Criança e a Música Mestrado em Ensino de Educação Musical no Ensino Básico Pedagogia e Didáctica da Expressão Corporal e Artística Vila Nova de Gaia, Junho de 2011 Ano

Leia mais

Curso de Especialização Educação Infantil 2ª Edição EMENTA DAS DISCIPLINAS

Curso de Especialização Educação Infantil 2ª Edição EMENTA DAS DISCIPLINAS Curso de Especialização Educação Infantil 2ª Edição EMENTA DAS DISCIPLINAS Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem da Criança de 0 a 5 anos Docente do Curso Gilza Maria Zauhy Garms Total da Carga

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANTÓNIO FEIJÓ

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANTÓNIO FEIJÓ FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIAL 1 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANTÓNIO FEIJÓ EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR REGISTO DE OBSERVAÇÃO / AVALIAÇÃO Nome Data de Nascimento / / Jardim de Infância de Educadora de Infância AVALIAÇÃO

Leia mais

O PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM ATRAVÉS DOS JOGOS EDUCATIVOS NO ENSINO FUNDAMENTAL

O PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM ATRAVÉS DOS JOGOS EDUCATIVOS NO ENSINO FUNDAMENTAL Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 975 O PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM ATRAVÉS DOS JOGOS EDUCATIVOS NO ENSINO FUNDAMENTAL Drielly Adrean Batista

Leia mais

Transcrição de Entrevista n º 22

Transcrição de Entrevista n º 22 Transcrição de Entrevista n º 22 E Entrevistador E22 Entrevistado 22 Sexo Masculino Idade 50 anos Área de Formação Engenharia Electrotécnica E - Acredita que a educação de uma criança é diferente perante

Leia mais

IV EDIPE Encontro Estadual de Didática e Prática de Ensino 2011 A IMPORTÂNCIA DAS ARTES NA FORMAÇÃO DAS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL

IV EDIPE Encontro Estadual de Didática e Prática de Ensino 2011 A IMPORTÂNCIA DAS ARTES NA FORMAÇÃO DAS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL A IMPORTÂNCIA DAS ARTES NA FORMAÇÃO DAS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Marília Darc Cardoso Cabral e Silva 1 Tatiane Pereira da Silva 2 RESUMO Sendo a arte uma forma do ser humano expressar seus sentimentos,

Leia mais

Colégio Cor Jesu Brasília DF. Plano de Curso 2011. Educação Infantil III

Colégio Cor Jesu Brasília DF. Plano de Curso 2011. Educação Infantil III Colégio Cor Jesu Brasília DF Plano de Curso 2011 Educação Infantil III Área de conhecimento: Linguagem Série: Infantil III Educação Infantil Competências Habilidades a serem desenvolvidas Eixo/Conteúdos

Leia mais