Universidade do Vale do Paraíba - UNIVAP Faculdade de Educação e Artes FEA Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas. Janaína Varela Arruda

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Universidade do Vale do Paraíba - UNIVAP Faculdade de Educação e Artes FEA Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas. Janaína Varela Arruda"

Transcrição

1 Universidade do Vale do Paraíba - UNIVAP Faculdade de Educação e Artes FEA Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas Janaína Varela Arruda A UTILIZAÇÃO DO LÚDICO PARA O ENSINO DE BIOLOGIA: UMA ABORDAGEM DE VERTEBRADOS EM VIAS DE EXTINÇÃO São José dos Campos SP 2014

2 Universidade do Vale do Paraíba - UNIVAP Faculdade de Educação e Artes FEA Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas Janaína Varela Arruda A UTILIZAÇÃO DO LÚDICO PARA O ENSINO DE BIOLOGIA: UMA ABORDAGEM DE VERTEBRADOS EM VIAS DE EXTINÇÃO Relatório final apresentado como parte das exigências da disciplina Trabalho de Graduação à Banca Examinadora da Faculdade de Educação e Artes da Universidade do Vale do Paraíba. Orientador: Me. Eber Goulart Carvalho Co-orientadora: Me. Katia Batista Medeiros São José dos Campos 2014

3 Universidade do Vale do Paraíba - UNIVAP Faculdade de Educação e Artes FEA Curso de Ciências Biológicas Da Faculdade de Educação e Artes TRABALHO DE GRADUAÇÃO A UTILIZAÇÃO DO LÚDICO PARA O ENSINO DE BIOLOGIA: UMA ABORDAGEM DE VERTEBRADOS EM VIAS DE EXTINÇÃO Janaína Varela Arruda Orientador: Me. Eber Goulart de Oliveira Co-orientadora: Me. Kátia Batista Medeiros Banca Examinadora: Dr. Antonio Carlos Guimarães Prianti Junior Me. Renata Brañas Suman Nota do trabalho: ( ) São José dos Campos 2014

4 AGRADECIMENTOS Primeiramente agradeço a Deus, por me permitir lutar para conquistar meus sonhos. Agradeço também a todas as pessoas que, de alguma forma me ajudaram a prosseguir na minha caminhada até a graduação. À minha mãe, que já não está entre nós, que sempre se orgulhou por eu estar me graduando e foi quem sempre acreditou em mim e nunca me deixou desistir, à minha filha que me deu muita força para prosseguir, aos amigos que me incentivaram, aos professores que compartilharam seus conhecimentos e influenciaram de alguma forma nesta conquista, à Me. Profª Karla Lopes que iniciou o presente trabalho comigo e ao meu orientador Me. Eber Goulart e co-orientadora Me. Kátia Medeiros, por darem continuidade ao trabalho para que eu pudesse concluí-lo.

5 RESUMO O estudo da Biologia traz um aprendizado para a vida, e o objetivo é que o aluno possa ter um aprendizado significativo de modo que consiga fazer a interação entre a disciplina e seu cotidiano. O ensino da forma lúdica tem por objetivo gerar a interação, senso crítico, observação, atenção, socialização, entendimento e criatividade de maneira interessante e que desperte a curiosidade pelo aprendizado. Desta forma, o presente trabalho tem por objetivo a produção de material lúdico de ensino aprendizagem para alunos do Ensino Médio com abordagem zoológica, enfatizando animais em vias de extinção dos biomas Mata Atlântica e Cerrado. O material produzido foi uma base biomas, animais em vias de extinção para serem identificados e alocados na base, além das cartas com características dos animais e perguntas sobre eles. Para melhor entendimento foi produzido também um manual de utilização simples e prático. Com a conclusão da elaboração deste material foi possível concluir que a utilização do lúdico em aulas de Biologia podem ajudar muito para um aprendizado significativo e também para a socialização, interação, senso crítico e conscientização sobre a importância da preservação das espécies. PALAVRAS-CHAVE: MATERIAL DIDÁTICO, BIOLOGIA, PRESERVAÇÃO.

6 ABSTRACT The study of biology brings learning to life, and the goal is that the student can have a significant learning so that they can make interaction between discipline and their daily lives. The playful way of teaching aims to generate interaction, critical thinking, observation, attention, socialization, understanding and creativity and interesting way that arouses curiosity for learning. Thus, this work aims at the production of teaching materials playful learning for high school students with zoological approach, emphasizing animals endangered Atlantic Forest and the Cerrado biomes. The material produced was a base biomes, endangered animals to be identified and allocated on the basis of letters in addition to characteristics of the animals and questions about them. For better understanding has also produced a manual of simple and practical use. With the completion of the preparation of this material was concluded that the use of the ludic in biology classes can help a lot for meaningful learning and also for socialization, interaction, critical thinking and awareness about the importance of preserving the species. KEYWORDS : EDUCATIONAL MATERIAL, BIOLOGY, CONSERVATION.

7 LISTA DE FIGURAS 1- Vegetação da Mata Atlântica e sua distribuição geográfica Mapa do Brasil com destaque para a localização geográfica do cerrado Cerrado encontrado em São José dos Campos Área de fragmento de Cerrado na Zona Sul de São José dos Campos Mata Atlântica em São José dos Campos (UNIVAP) Fragmentos de Mata atlântica em SJC (UNIVAP) Cartões de identificação dos animais Pinos para serem alocados na base biomas Base de caixas tetra pak Base, contact e pó de serra colorido Serragem colorida Serragem aplicada na base Arame para base das árvores Arames modelados para árvores Arame recoberto com massa F Espuma triturada e tingida Árvores prontas Árvores sobre a base Base com vegetação (Cerrado) Base com vegetação (Mata Atlântica) Arara azul Mico-leão-dourado Lobo-Guará...24

8 24- Onça-Pintada Base com pinos aplicados (vista frontal) Base com pinos aplicados (vista superior) Manual de utilização do professor...24

9 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO ASPECTOS DIDÁTICOS DO ENSINO DE BIOLOGIA MATA ATLÂNTICA CERRADO A IMPORTÂNCIA DA PRESERVAÇÃO AMBIENTAL PARA AS ESPÉCIES OBJETIVO GERAL OBJETIVOS ESPECÍFICOS PÚBLICO ALVO MATERIAIS E MÉTODOS ESCOLHA DO BIOMA ESCOLHA DOS ANIMAIS ESCOLHA DO MATERIAL OBTENÇÃO DO MATERIAL AULA TEÓRICA Vertebrados: PROPOSTA DE AVALIAÇÃO RESULTADOS DISCUSSÃO CONCLUSÃO REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS APÊNDICES Manual do professor Artigo publicado no 18º Encontro de Iniciação Científica e Pós Graduação da UNIVAP

10 10 1. INTRODUÇÃO 1.1 ASPECTOS DIDÁTICOS DO ENSINO DE BIOLOGIA. O ensino de biologia tem se destacado devido a grande variedade de áreas de estudo no contexto atual, mas ainda temos dificuldade em despertar o interesse em alunos de ensino médio, principalmente em escolas públicas. Uma alternativa, para despertar a curiosidade e vontade de aprender mais, seria a utilização de experimentação como um recurso (ou ferramenta) para o desenvolvimento de aprendizagem significativa. Dessa forma, o professor pode apresentar o conteúdo de forma prática e interessante para os alunos. (BRASIL, 1999). Conforme BOCK et al (2009) no período de transição entre a infância e a adolescência ocorre a passagem do pensamento concreto para o pensamento formal e abstrato. Dessa forma é necessário estabelecer um vínculo entre o concreto e o abstrato. Além de ser uma fase de interiorização, onde o objetivo á a reflexão social, analisada como passível de reforma e transformação, compreendendo a importância existente em suas ações sobre o mundo real e as consequências que podem ocasionar seus atos, podendo propor soluções viáveis e adequadas suprir um padrão social que considere importante. O ambiente escolar não só educa e transmite instrução, mas também tem a função de civilizar o indivíduo para a sociedade. (WINNICOTT, 2001) OLIVEIRA, D.M; FULGENCIO, L.P (2010) observam o fato de que é importante a abertura das escolas para reflexões da teoria Winnicottiana para a ampliação do olhar dos alunos para a questão da sustentabilidade ambiental. Deve ainda saber amparar o adolescente, desenvolvendo técnicas para prender a atenção e trazer atividades que façam despertar o interesse e desenvolver ideias para serem aplicadas como apoio para sua formação. Segundo KISHIMOTO (1996), o professor deve avaliar as propostas pedagógicas utilizadas, adotando com mais ênfase aquelas que auxiliem a aprendizagem na sua prática, já que estas não podem ser ignoradas pois o objetivo principal é a apropriação de conhecimentos por parte do aluno. O jogo didático é diferenciado do material habitual, como livros, por apresentar o lúdico e proporcionar determinadas aprendizagens (CUNHA 1988), atingindo vários objetivos pedagógicos, sendo uma alternativa para se melhorar a

11 11 compreensão dos alunos em conteúdos simples ou complexos (GOMES et al., 2001). Dessa forma, o jogo torna-se o eixo que conduz a um conteúdo didático específico, resultando em uma ação interessante para a fixação de um conteúdo, tornando o conhecimento mais significativo (KISHIMOTO, 1996). Através do jogo didático, várias áreas da aprendizagem podem ser trabalhadas, dentre elas mencionam-se a cognição, que é fundamental para a construção do conhecimento pois desenvolve a inteligência e a personalidade; a socialização, onde pode-se simular a vida em grupo; a afeição, onde é desenvolvida a sensibilidade e estima através de afetividade e amizade; a motivação, estimulando a curiosidade e ação; e a criatividade. (MIRANDA, 2001). A formação de conceitos deve ser auxiliada pelo professor, de forma que o conhecimento prévio do aluno seja ativado com a introdução do assunto que esteja articulado a nova informação apresentada (POZO 1998), utilizando recursos didáticos para que o aluno tenha melhor compreensão do conteúdo. Segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Médio (PCNEM) (Brasil, 1999 p.20) o aluno do Ensino Médio deve ser apto: A analisar os fazeres humanos identificando aspectos éticos, morais, políticos e econômicos envolvidos na produção científica e tecnológica, bem como na sua utilização; o aluno se transporta de um cenário meramente científico para um contexto em que estão envolvidos vários aspectos da vida humana. Uma educação que formará indivíduos sensíveis e solidários, cidadãos conscientes dos processos e regularidades de mundo e da vida, capazes assim de realizar ações práticas, de fazer julgamentos e de tomar decisões. Segundo o PCNEM (BRASIL,1999), o ensino da Biologia deve abordar os temas atuais desenvolvidos pela pesquisa científica, para que as relações entre ciência, tecnologia e sociedade possam ser fortalecidas. A ciência deve ser democratizada, o conhecimento adquirido e saber produzido não podem ficar restrito à universidade ou laboratórios de pesquisa, devendo alcançar os professores e, por consequência seus alunos. A maior responsabilidade da condução dos processos de ensino aprendizagem em sala de aula vem dos professores (TEIXEIRA, 2001).

12 12 Não é uma novidade a importância da conscientização devido ao histórico da crise ambiental, onde a educação tem papel importante capaz de responder positivamente a esse problema, junto a outros meios: sociais, políticos, legais, científicos, éticos, econômicos e técnicos (LIMA, 2002). Por esse fato, é necessário que as universidades, em especial os cursos de licenciatura, revejam seus valores e reorientem as atividades acadêmicas e de pesquisa para que essas possam levar em conta a construção de uma educação ambiental significativa. (Guimarães, 2012) Odum (1988) esclarece que a Ecologia é um campo distinto da ciência. Desta forma a ecologia é entendida como o estudo de todos os organismos contidos no ambiente em que vivem e o modo como ocorre o funcionamento para que se torne habitável. O Ministério da Educação (MEC) publica o documento Ecologia uma proposta para o ensino de 1º e 2º graus (DIAS, 2004), como uma contribuição às questões sobre Educação Ambiental, e com isso houve confusão entre as áreas, e foi com isso que surgiu o interesse da formação de muitos profissionais. Para Dias (2004), proposta era um retrocesso. Servindo apenas para interesses internacionais e que não abordavam os aspectos sociais, culturais, econômicos, éticos e políticos da questão ambiental. 1.2 MATA ATLÂNTICA A Mata Atlântica é formada por um conjunto de florestas e ecossistemas associados como as restingas, campos de altitudes e manguezais, que originalmente abrangiam cerca de Km 2 em 17 estados do território brasileiro (Alagoas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Sergipe) (fig. 1). Os remanescentes de vegetação nativa atuais estão reduzidos a cerca de 22% da área original e podem ser encontrados em diferentes estágios de regeneração. Somente cerca de 7% dos fragmentos acima de 100 hectares estão bem preservados. Estima-se que na Mata Atlântica existam cerca de espécies vegetais (cerca de 35% das espécies existentes no Brasil), incluindo diversas espécies endêmicas e ameaçadas de extinção. E mesmo tão fragmentada é uma riqueza maior que a de alguns continentes ( espécies na América do Norte e na Europa) o que torna o bioma Mata Atlântica prioridade para a conservação da biodiversidade mundial.

13 13 Quanto à fauna, os estudos já realizados indicam que a Mata Atlântica abriga 849 espécies de aves, 370 espécies de anfíbios, 200 espécies de répteis, 270 de mamíferos e cerca de 350 espécies de peixes (BRASIL, 2013). Fig 1 Vegetação da Mata Atlântica e sua distribuição geográfica (Fonte: 1.3 CERRADO O Cerrado é o segundo maior bioma da América do Sul, e ocupa cerca de km2, em torno de 22% do território brasileiro. Os estados abrangentes são: Goiás, Tocantins, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Bahia, Maranhão, Piauí, Rondônia, Paraná, São Paulo e Distrito Federal, além dos encraves no Amapá, Roraima e Amazonas (fig. 2) (Ministério do Meio Ambiente, 2013). O cerrado possui uma elevada biodiversidade e por isso é considerado um hot spot mundial apresentando muitas espécies endêmicas e também sofre uma grande perda de habitat. Observando a diversidade biológica, o Cerrado brasileiro é reconhecido como a savana mais rica do mundo, abrigando espécies de plantas nativas já catalogadas. O cerrado é composto por uma fauna de mamíferos (199 espécies), aves (839 espécies), répteis (180 espécies), anfíbios (150 espécies) e peixes (1200 espécies). A diversidade da fauna é elevada cerca de espécies de animais no bioma, sendo apenas 0,6% formada por invertebrados. Entre esses, os insetos têm posição de destaque com cerca de espécies, representando 28% de toda a biota do Cerrado (AGUIAR et al. 2004). Contudo, inúmeras espécies de plantas e animais correm risco de extinção. Estima-se que 20% das espécies nativas e endêmicas não sejam encontradas nas

14 14 áreas protegidas e que pelo menos 137 espécies de animais que ocorrem no Cerrado estão ameaçadas de extinção (BRASIL, 2013). Fig 2 Mapa do Brasil com destaque para a localização geográfica do cerrado (em amarelo no mapa). (Fonte: 1.4 A IMPORTÂNCIA DA PRESERVAÇÃO AMBIENTAL PARA AS ESPÉCIES Uma variedade de espécies vegetais e animais já encontram-se extintas e muitas outras estão ameaçadas. Existem diversas causas que levam à extinção, como: Mudanças no ambiente, Alterações de temperatura, Escassez de alimentos, Dificuldades de reprodução Ação antrópica (principal causa). A maior destruição ocorre com: O desmatamento de florestas, Captura para venda de animais silvestres Caça ilegal. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE, 1997) publicou um livro intitulado Fauna ameaçada de extermínio, contendo um mapa do Brasil que

15 15 mostra, por regiões, as espécies animais ameaçadas de extinção, principalmente pela destruição do ambiente em que vivem. A explicação para o uso da expressão extermínio, e não extinção, se dá pelo biólogo Luiz Carlos Aveline que é um dos coordenadores do trabalho e tem o objetivo de mostrar que a culpa pelos animais estarem ameaçados é do homem. O ICMBIO (Instituto Chico Mendes de Biodiversidade) também trabalha com o levantamento e catalogação de espécies extintas e ameaçadas, e divulga esse trabalho em Livro Vermelho, que já conta com dois volumes. A preservação de animais em extinção é uma ideia cada vez mais difundida,, porém os exemplares estão cada vez mais reduzidos na natureza. Segundo o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama, 2003), no ultimo grande estudo a respeito, divulgado em 2003, 633 espécies estão ameaçadas de extinção no Brasil, sendo 395 animais terrestres e 238 aquáticos (MMA, Ministério do Meio Ambiente, 2013). O papel das florestas na conservação da natureza é muito importante pelo fato da influencia o clima, abrigo para a fauna, geração de recursos para o ser humano, entre outros. Dessa forma, tornando a temperatura mais amena por impedir a incidência direta de raios solares; aumentando a umidade e provocando maior quantidade de chuvas; auxiliando na renovação do ar atmosférico; reduzindo a erosão com a diminuição da velocidade dos ventos, incidência direta de chuva no solo e evitando a retirada dos nutrientes da terra (BRASIL, 2013). Com tudo isso as florestas garantem abrigo, moradia e alimentação para toda a fauna presente nela. A cadeia alimentar só consegue se manter com a preservação de todas ordens animais, para que desta forma, haja alimento para todos e possa garantir novas geração (BRASIL, 2013). Sabe-se que a degradação ambiental ainda é um grande problema a ser enfrentado. São muitos os projetos de desenvolvimento urbano e industrial, e com isso muitas florestas são desmatadas, há mudanças nos percursos de rios, poluição, animais desabrigados e sem habitat natural para reprodução. Isso é muito preocupante e triste, e deveria haver um trabalho de conscientização para que se valorizasse de forma efetiva a preservação do meio ambiente. É da natureza que tiramos nossos recursos e juízo de valor (BRASIL, 2013).

16 16 2. OBJETIVOS 2.1 OBJETIVO GERAL Elaborar e confeccionar material de ensino aprendizagem direcionado ao Ensino Médio, abordando a fauna em vias de extinção pertencente aos biomas brasileiros Cerrado e Mata Atlântica. 2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS Caracterizar os biomas Mata Atlântica e Cerrado, enfatizando as espécies em vias de extinção; Promover a interação dos alunos com o conteúdo abordado; Despertar o senso crítico para temas de preservação ambiental. 3. PÚBLICO ALVO Alunos do Ensino Médio, com idade entre 15 e 17 anos. 4. MATERIAIS E MÉTODOS A confecção do material didático é uma proposta para alunos do Ensino Médio contendo a elaboração de maquete (base biomas), cartões com descrições de vertebrados em vias de extinção e cartões com perguntas relacionadas ao assunto. 4.1 ESCOLHA DO BIOMA De acordo com biomas encontrados no cotidiano dos alunos da região sudeste, mais especificamente em São José dos Campos/SP e devido a grande biodiversidade de fauna em via de extinção. Fig 3 Cerrado encontrado em São José dos Campos Fig 4 Área de fragmento de cerrado na zona sul de SJC Fonte: Fonte: Fonte: Fonte:

17 17 Fig 5 Mata Atlântica em São José dos Campos (UNIVAP) Fig 6 Fragmentos de Mata atlântica em SJC (UNIVAP) 4.2 ESCOLHA DOS ANIMAIS Animais em via de extinção, que constam no Livro Vermelho ICMBIO e que são mais divulgados em mídia aberta. 4.3 ESCOLHA DO MATERIAL Utilização de material reutilizado como caixa de leite tetra pak, espuma de estofado, serragem, arame e outros, tornando assim prático, versátil e leve, para que o educador tenha facilidade na locomoção e manuseio do mesmo. Para viabilizar a elaboração e produção deste trabalho foi aplicado material reutilizado e de baixo custo. 4.4 OBTENÇÃO DO MATERIAL Material reutilizado de consumo usual de descarte e outros encontrados no comércio usual. 4.5 AULA TEÓRICA O professor deverá abordar de forma teórica e com auxílio de material didático os aspectos flora, fauna, clima e preservação dos biomas Mata Atlântica e Cerrado, além de alguns vertebrados em vias de extinção, podendo ser trabalhada a cadeia/teia alimentar. A abordagem também deverá abranger a questão da importância da preservação ambiental.

18 CARTÕES DE IDENTIFICAÇÃO Cada cartão contém uma breve descrição de um animai constante no material didático. A produção foi feita com caixa de leite tetra pak reutilizada e impressão em papel sulfite. Fig 7 Cartões de identificação dos animais 4.7 CARTÕES DE PERGUNTA Cada cartão contém uma pergunta relacionada a um vertebrado, onde o aluno deverá responder, além de animal abordado também a qual bioma ele pertence. A produção foi feita com caixa de leite tetra pak reciclada e impressão em papel sulfite. Algumas questões dos cartões A comunicação entre adultos é feita através de um silvo estridente. Ave já extinta. Cite um exemplo de cadeia alimentar com 3 animais em vias de extinção. É encontrado geralmente no Rio Grande do Sul. É o maior felino das Américas. É o maior primata das Américas. É uma ave solitária, mas se junta a outros bandos para caçar. Espécie que vive solitária. Fazem ninhos em lugares muito altos. Os machos tem coloração dos pelos diferente das fêmeas.

19 19 Parecido com o gato doméstico, mas com orelhas pontiagudas. Pequeno primata que costuma nascer entre setembro e março. Possui espinhos moles, parecidos com cerdas. Possui uma coleira de pelos no pescoço. Quais as características da Mata Atlântica? Quais as características do Cerrado? Quais as principais causas que levam à extinção? Cite 3 exemplos Qual animal é mais rápido que a onça em áreas de várzea? Se alimenta de formigas e cupins. Só desce das árvores para apanhar frutas caídas. Usa a carapaça como proteção. 4.8 PINOS - VERTEBRADOS Cada pino é referente a um vertebrado, que deverá ser alocado em seu devido bioma, após ser identificado através dos cartões. Os pinos foram confeccionados com impressão da imagem em papel sulfite e suporte isopor reutilizado. Fig 8 Pinos para serem alocados na base biomas Vertebrados: Figuras impressas de animais em vias e extinção: Arara Azul (Fig. 17), Mico-Leão-Dourado (Fig. 18), Lobo Guará (Fig. 19), Onça Pintada (Fig. 20) entre outros, colada em caixa tetra pak.

20 BASE BIOMAS O material utilizado para a produção dessa base foi pensado a partir da ideia de utilização de algo prático, versátil e leve, para que o educador tenha facilidade na locomoção, manuseio do mesmo. Para viabilizar a elaboração e produção deste material foi utilizado material reutilizável e material de baixo custo. A base é uma maquete dos biomas Mata Atlântica e Cerrado, integrada de vegetação, onde o aluno deve identificar e completar com os respectivos exemplares que constituem sua fauna. A confecção da base foi feita a partir de caixas de leite tetra pak reciclada (Fig. 6), furadas com furador de papel e unidas com fio de nylon, medindo 60cmx50cm, recobertas com serragem colorida (com pigmento para tingir tinta pva) colada papel contact, que foi fixado com fita dupla face (Fig. 6, 7 e 8). As árvores e arbustos foram confeccionados com arame recozido nº 18 e 20, cada árvore contém 16 pedaços de 17 cm em média, retorcidos com alicate (Fig. 9 e 10), recobertos por massa plástica imitando a madeira na cor mogno (Fig. 11). A folhagem foi feita com espuma doada e reciclada de estofados fora de uso, foi batida em liquidificados para ficar bem triturada, posteriormente tingida com tinta pva para artesanato (Fig. 12), caracterizando dessa forma a base biomas (Fig. 13 e 14). As árvores foram dispostas na base (Fig. 15 e 16) MANUAL DE INSTRUÇÕES O manual foi desenvolvido no programa Microsoft Word 2010, fonte Calibri, tamanho 9 na capa e títulos, tamanho 8 nos textos e tamanho 5 nas referências, contendo informações de como abordar o assunto, a ordem das propostas e efetiva utilização do material didático-pedagógico. Conta com uma explicação simples e objetiva para a montagem da base e organização das peças acessórias e a metodologia a ser seguida para a aplicação do material. Foi impresso em folha sulfite A4 para manuseio do professor. 5. PROPOSTA DE AVALIAÇÃO A avaliação deve ser feita na forma prática, através do jogo, promovendo a interação dos alunos, fazendo com que eles complementem seus conhecimentos uns com os outros. O professor irá atuar como um mediador fazendo intervenções

21 21 quando necessário. Estas intervenções poderão ocorrer em situações como: (a) divergências de informações; (b) informações errôneas e (c) ausência de informações sobre as interações que acontecem nos biomas entre outras. Despertando o interesse através das características apresentadas nas cartas para descobrir o papel ecológico de casa indivíduo apresentado. Após a aplicação do jogo é possível aplicar um questionário contendo perguntas sobre as principais formas de manter a harmonia ecológica e caracterizar os animais estudados. Através de uma redação com o tema animais em vias de extinção, como preservá-los podemos ter uma demonstração mais ampla sobre a visão que cada aluno tem sobre o tema abordado.. 6. RESULTADOS Com a utilização do material de ensino-aprendizagem produzido no presente projeto é esperado que o aluno tenha a facilidade de associar diferentes aspectos dos biomas cerrado e da mata atlântica. Como por exemplo: interações ecológicas, importância da preservação dos biomas e assim favorecendo a conservação das espécies. Fig 9 Base de caixas tetra pak Fig 10 Base, contact e pó de serra colorido Fig 11 Serragem colorida Fig 12 Serragem aplicada na base

22 22 Fig 13 Arame para base das árvores Fig 14 Arames modelados para árvores Fig Fig Arame Arame recoberto com com massa massa F12 F12 Fig 16 Espuma triturada e tingida

23 23 Fig 17 Árvores prontas Fig 18 Árvores sobre a base Fig 19 Base com vegetação (Cerrado) Fig 20 Base com vegetação (Mata Atlântica) Fig 21 Arara azul Fig 22 Mico leão dourado Fonte: brasiliano.wordpress.com/category/meio-ambiente Fonte: Fig 23 Lobo Guará Fig 24 Onça Pintada

24 24 Fonte: Fonte: Fig 25 Base com pinos aplicados (vista frontal) Fig 26 Base com pinos aplicados (vista superior) ) Fig 27 Manual de utilização do professor Manual de Utilização A UTILIZAÇÃO DO LÚDICO PARA O ENSINO DE BIOLOGIA: UMA ABORDAGEM DE VERTEBRADOS EM VIAS DE EXTINÇÃO Autora: Janaína Varela Arruda AO PROFESSOR Olá professor, este é um manual básico para executar o jogo proposto pelo autor no trabalho descrito: A utilização do lúdico para o ensino de Biologia: Uma abordagem em vertebrados em vias de extinção. Como é um material versátil, pode ser aplicado em diversos assuntos relacionados ao meio ambiente. A proposta é em sequência de uma aula teórica, a aplicação da maquete (base biomas) a ser montada de acordo com perguntas relacionadas a cartas de descrição sobre animais vertebrados em vias de extinção dos biomas Cerrado e Mata Atlântica. Base Biomas, pinos vertebrados e jogo concluído. 7. DISCUSSÃO Referências Bibliográficas AGUIAR, L. M. S.; MACHADO, R. B.; MARINHO FILHO, J. A diversidade biológica do Cerrado. In: Aguiar, L. M. S. & Camargo, A. J. A. InCerrado: ecologia e caracterização. Planaltina: Embrapa CPAC, ALMEIDA, Paulo Nunes de. Educação Lúdica: técnicas e jogos pedagógicos. 9ªedição. São Paulo: Loyola, 1998 BRASIL, Ministério da Educação e Cultura. Secretaria de Educação Média e Tecnológica, CUNHA, N. Brinquedo, desafio e descoberta. Rio de Janeiro: FAE DIAS, G. F. Educação ambiental: princípios e práticas. São Paulo: Gaia, Encontro Nacional de Ensino de Química (XIV ENEQ). UFPR,2008. GOMES, R. R.; FRIEDRICH, M. A Contribuição dos jogos didáticos na aprendizagem de conteúdos de Ciências e Biologia. EREBIO,1, Rio de Janeiro, 2001, Anais..., Rio de Janeiro, GUIMARÃES, S.S.M. A percepção do professor de Biologia e a sua formação: a Educação Ambiental em questão, Ciênc. educ. vol.18 no.3 Bauru, 2012 KISHIMOTO, T. M. Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. Cortez, São Paulo, Devido à forma usual de aulas tradicionais no ensino de biologia, viu-se a necessidade de inserir material lúdico para que o conhecimento possa ser apropriado de forma intrínseca, adaptado ao cotidiano do aluno, sendo possível melhor fixação de conteúdos, despertando o interesse sobre o assunto abordado. BRASIL (1999) defende alterações na metodologia do ensino com a proposta de aulas mais dinâmicas, valorizando a participação ativa dos alunos no processo de

25 25 aprendizagem, por meio de observações, levantamento de hipóteses e discussão acerca de temas do cotidiano. Com a abordagem de vertebrados em vias de extinção dos biomas Mata Atlântica e Cerrado; torna-se compreensível a importância da preservação das espécies e manutenção da biodiversidade suas interações ecológicas; também é possível a utilização do mesmo material para abordagem de outros temas relacionados. O uso de material lúdico é uma excelente oportunidade de colocar o aluno em contato com o objeto de estudo, podendo materializar seu conhecimento, podendo trazer para o seu cotidiano o conteúdo de estudo, dando-lhe a capacidade de agir de forma responsável e consciente no meio em que vive, também reconhecendo o método científico como parte necessária de seus conhecimentos (LUNETTA, 1991). O modelo didático é um método palpável que auxilia a desenvolver outras formas de ensinar, enfatizando que a sua construção é apenas uma das etapas para uma proposta mais ampla sobre o trabalho, para que este vise à elaboração de sequências didáticas complementares ao ensino (SILVA, 2009). Desta forma, o modelo concebe o professor como agente ativo no processo de construção de conhecimentos, e atribui ao aluno a responsabilidade de criar situações que estimulem e facilitem a sua aprendizagem (SOARES, 2010). Segundo (ORLANDO et al., 2009), os modelos didáticos tridimensionais são utilizadas como facilitadoras do aprendizado, complementando a teoria. O modelo didático é uma importante ferramenta que auxilia no vínculo entre teoria e prática (SANTOS et al. 2008). Dessa forma o presente trabalho apresenta elementos necessários para que o aluno possa obter um aprendizado de forma prática, significativa e prazerosa. O jogo didático não é o único material que auxilia o aprendizado, mas um meio que completa e soma todo o trabalho do professor, nunca o substituindo (Almeida, 1998).

26 26 8. CONCLUSÃO Foi elaborado e confeccionado material lúdico com abordagem da fauna em vias de extinção dos biomas Mata Atlântica e Cerrado. O material elaborado apresenta conteúdo prático a ser incluído de forma lúdica e dinâmica, promovendo a construção do conhecimento de forma interativa e interessante, despertando assim a vontade pela busca do conhecimento de forma prazerosa. O material didático proporciona ao professor auxílio para desenvolvimento de aulas com a proposta de interação dos alunos. Dessa forma pode ser realizado um trabalho diversificado, que gera conscientização por parte dos alunos na importância da preservação dos

27 27 animais e do meio em que vivem, trazendo para o estudo proximidade com o ambiente cotidiano. Através desse trabalho foi possível concluir que o material lúdico pode favorecer a aprendizagem, tornando o conteúdo mais interessante e o conhecimento significativo, fazendo conexão com o conteúdo programático e o cotidiano do aluno estimulando o senso crítico, entendendo as causas das ações antrópicas e conscientizando a importância da preservação.

28 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS AGUIAR, L. M. S.; MACHADO, R. B.; MARINHO-FILHO, J. A diversidade biológica do Cerrado. In: Aguiar, L. M. S. & Camargo, A. J. A. In Cerrado: ecologia e caracterização. Planaltina: Embrapa-CPAC, ALMEIDA, Paulo Nunes de. Educação Lúdica: técnicas e jogos pedagógicos. 9ª edição. São Paulo: Loyola, 1998 BOCK, A. M. B et al. Psicologias: Uma introdução ao estudo de Psicologia. São Paulo. Saraiva, 2009 BRASIL, Ministério da Educação e Cultura. Secretaria de Educação Média e Tecnológica, CUNHA, N. Brinquedo, desafio e descoberta. Rio de Janeiro: FAE DIAS, G. F. Educação ambiental: princípios e práticas. São Paulo: Gaia, Encontro Nacional de Ensino de Química (XIV ENEQ). UFPR,2008. GOMES, R. R.; FRIEDRICH, M. A Contribuição dos jogos didáticos na aprendizagem de conteúdos de Ciências e Biologia. EREBIO,1, Rio de Janeiro, 2001, Anais..., Rio de Janeiro, GUIMARÃES, S.S.M. A percepção do professor de Biologia e a sua formação: a Educação Ambiental em questão, Ciênc. educ. vol.18 no.3 Bauru, 2012 KISHIMOTO, T. M. Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. Cortez, São Paulo, LIMA, G. F. da C. Crise ambiental, educação e cidadania: os desafios da sustentabilidade, 2002.

29 Livro vermelho da fauna brasileira ameaçada de extinção / editores Angelo Barbosa Monteiro Machado, Gláucia Moreira Drummond, Adriano Pereira Paglia. - 1.ed. - Brasília, DF : MMA; Belo Horizonte, MG : Fundação Biodiversitas, LUNETTA, V. N. Atividades práticas no ensino da Ciência. Revista Portuguesa de Educação, M.M.A,Ministério do Meio Ambiente, 2013 acessado em 31/10/2013 Ministério do Planejamento e Orçamento Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Rio de Janeiro, 1997 MIRANDA, S. No Fascínio do jogo, a alegria de aprender. In: Ciência Hoje, Modelos Didáticos Revelados no Discurso de Professores em Formação. XIV ODUM, E. P. Ecologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, OLIVEIRA, D. M; FULGENCIO, L. P. Contribuições para o estudo da adolescência sob a ótica de Winnicott para a Educação. Belo Horizonte, 2010 ORLANDO, T. C.; (et al). Planejamento, Montagem e Aplicação de Modelos Didáticos para Abordagem de Biologia Celular e Molecular no Ensino Médio por Graduandos de Ciências Biológicas. Revista Brasileira de Ensino de Bioquímica e Biologia Molecular. Universidade Federal de Alfenas (Unifal-MG), POZO, J. I. Teorias Cognitivas da Aprendizagem. 3. ed. Porto Alegre: Artes médicas, Radiofônico: Uma Necessária Etapa para a Intervenção Didática. Dissertação de Santa Maria, RS, SANTOS, V. P. A.; SILVA, K. S.; NOVAIS, R. M.; MARCONDES, M. E. R. SILVA, C. M. R. da. O Modelo Didático do Gênero Comentário Jornalístico

30 SOARES, M. C. Uma Proposta de Trabalho Interdisciplinar Empregando os Temas Geradores Alimentação e Obesidade. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Mestrado da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, TEIXEIRA, P.M.M. Reflexões sobre o Ensino de Biologia realizado em nossas escolas, WINNICOTT, D.W. A criança e seu mundo. Rio de Janeiro: Guanabara Koogans, acessado em 10/11/2014 acessado em 27/11/2014 acessado em 27/11/2014

31 Manual do professor APÊNDICES Manual de Utilização A UTILIZAÇÃO DO LÚDICO PARA O ENSINO DE BIOLOGIA: UMA ABORDAGEM DE VERTEBRADOS EM VIAS DE EXTINÇÃO Autora: Janaína Varela Arruda AO PROFESSOR Olá professor, este é um manual básico para executar o jogo proposto pelo autor no trabalho descrito: A utilização do lúdico para o ensino de Biologia: Uma abordagem em vertebrados em vias de extinção.

32 Como é um material versátil, pode ser aplicado em diversos assuntos relacionados ao meio ambiente. A proposta é em sequência de uma aula teórica, a aplicação da maquete (base biomas) a ser montada de acordo com perguntas relacionadas a cartas de descrição sobre animais vertebrados em vias de extinção dos biomas Cerrado e Mata Atlântica. Base Biomas, pinos vertebrados e jogo concluído. Instruções É necessária uma aula de introdução sobre os biomas Mata Atlântica e Cerrado, preservação ambiental e animais em vias de extinção.

33 Logo após aula teórica deverão ser apresentas os cartões de identificação, que contém informações sobre os animais. Com o conteúdo já apresentado o professor deverá fazer perguntas sobre os animais e seus respectivos biomas para que o aluno consiga acertar qual é o animal e seu bioma, devendo aloca-los na base biomas. O aluno (ou grupo) que tiver maior número de acertos ganha o jogo. Artigo publicado no 18º Encontro de Iniciação Científica e Pós Graduação da UNIVAP. Janaína Varela Arruda

34 Me. Eber Goulart Carvalho

CONCEPÇÕES SOBRE CERRADO 1 LEICHTWEIS, Kamila Souto 2 TIRADENTES, Cibele Pimenta 3 INTRODUÇÃO

CONCEPÇÕES SOBRE CERRADO 1 LEICHTWEIS, Kamila Souto 2 TIRADENTES, Cibele Pimenta 3 INTRODUÇÃO CONCEPÇÕES SOBRE CERRADO 1 LEICHTWEIS, Kamila Souto 2 TIRADENTES, Cibele Pimenta 3 INTRODUÇÃO A educação ambiental envolve atividades educativas que visam informar sobre o meio ambiente e suas relações.

Leia mais

RESERVA DA BIOSFERA DO CINTURÃO VERDE DA CIDADE DE SÃO PAULO

RESERVA DA BIOSFERA DO CINTURÃO VERDE DA CIDADE DE SÃO PAULO RESERVA DA BIOSFERA DO CINTURÃO VERDE DA CIDADE DE SÃO PAULO O QUE SÃO Reservas da Biosfera? - Reservas da Biosfera são áreas de ecossistemas terrestres ou aquáticos estabelecidas para promoverem soluções

Leia mais

Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Ciências

Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Ciências COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Ciências Nome: Ano: 5º Ano 1º Etapa 2014 Colégio Nossa Senhora da Piedade Área do Conhecimento: Ciências da Natureza Disciplina:

Leia mais

LUDICIDADE EM SALA DE AULA: O JOGO DA PIRÂMIDE ALIMENTAR COMO UMA PROPOSTA PARA O ESTUDO DOS ALIMENTOS E DA NUTRIÇÃO NO ENSINO MÉDIO

LUDICIDADE EM SALA DE AULA: O JOGO DA PIRÂMIDE ALIMENTAR COMO UMA PROPOSTA PARA O ESTUDO DOS ALIMENTOS E DA NUTRIÇÃO NO ENSINO MÉDIO LUDICIDADE EM SALA DE AULA: O JOGO DA PIRÂMIDE ALIMENTAR COMO UMA PROPOSTA PARA O ESTUDO DOS ALIMENTOS E DA NUTRIÇÃO NO ENSINO MÉDIO Luciana Araújo Montenegro (Universidade Federal do Rio Grande do Norte)

Leia mais

O PAPEL DAS FEIRAS DE CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO NÃO FORMAL

O PAPEL DAS FEIRAS DE CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO NÃO FORMAL ANAIS DA 67ª REUNIÃO ANUAL DA SBPC - SÃO CARLOS - SP - JULHO/2015 O PAPEL DAS FEIRAS DE CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO NÃO FORMAL Antes de entender qual a diferença entre educação formal e não formal é preciso entender

Leia mais

História e ensino da tabela periódica através de jogo educativo

História e ensino da tabela periódica através de jogo educativo História e ensino da tabela periódica através de jogo educativo Caroline Gomes Romano e-mail: carolgromano@hotmail.com Ana Letícia Carvalho e-mail: anale.carvalho03@gmail.com Isabella Domingues Mattano

Leia mais

Nosso Território: Ecossistemas

Nosso Território: Ecossistemas Nosso Território: Ecossistemas - O Brasil no Mundo - Divisão Territorial - Relevo e Clima - Fauna e Flora - Ecossistemas - Recursos Minerais Um ecossistema é um conjunto de regiões com características

Leia mais

METODOLOGIA ALTERNATIVA PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS

METODOLOGIA ALTERNATIVA PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS METODOLOGIA ALTERNATIVA PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS Jéssica de Castro Silva 1, Karla A. R. Lopes 2 1 UNIVAP/Faculdade de Educação e Artes, Rua Tertuliano Delfim Jr. 181, jessica.castro22@hotmail.coml Resumo-

Leia mais

USO DE ANIMAIS E PLANTAS COMO INSTRUMENTO DE TRABALHO EM SALA DE AULA

USO DE ANIMAIS E PLANTAS COMO INSTRUMENTO DE TRABALHO EM SALA DE AULA USO DE ANIMAIS E PLANTAS COMO INSTRUMENTO DE TRABALHO EM SALA DE AULA MORAIS, Luciane dos Santos Discente da Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva LAMARI, Luciano Brunelli Docente da Faculdade

Leia mais

Biomas Brasileiros. 1. Bioma Floresta Amazônica. 2. Bioma Caatinga. 3. Bioma Cerrado. 4. Bioma Mata Atlântica. 5. Bioma Pantanal Mato- Grossense

Biomas Brasileiros. 1. Bioma Floresta Amazônica. 2. Bioma Caatinga. 3. Bioma Cerrado. 4. Bioma Mata Atlântica. 5. Bioma Pantanal Mato- Grossense Biomas Brasileiros 1. Bioma Floresta Amazônica 2. Bioma Caatinga 3. Bioma Cerrado 4. Bioma Mata Atlântica 5. Bioma Pantanal Mato- Grossense 6. Bioma Pampas BIOMAS BRASILEIROS BIOMA FLORESTA AMAZÔNICA

Leia mais

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 2ª PROVA PARCIAL DE PORTUGUÊS Aluno(a): Nº Ano: 7º Turma: Data: 28/05/2011 Nota: Professora: Paula Valor da Prova: 30 pontos Assinatura do responsável: Orientações

Leia mais

ESCOLA MUNICIPAL DE PERÍODO INTEGRAL IRMÃ MARIA TAMBOSI

ESCOLA MUNICIPAL DE PERÍODO INTEGRAL IRMÃ MARIA TAMBOSI PREFEITURA MUNICIPAL DE LONTRAS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, CULTURA E ESPORTE ESCOLA MUNICIPAL DE PERÍODO INTEGRAL IRMÃ MARIA TAMBOSI DESPERTANDO AÇÕES SUSTENTÁVEIS LONTRAS 2013 1.TEMA A preservação

Leia mais

SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL: SENSIBILIZANDO ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL

SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL: SENSIBILIZANDO ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL: SENSIBILIZANDO ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL Paloma Rodrigues Cunha¹, Larissa Costa Pereira¹, Luã Carvalho Resplandes², Renata Fonseca Bezerra³, Francisco Cleiton da Rocha 4

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DO BIOMA CAATINGA NA CONCEPÇÃO DE DISCENTES, DE UMA ESCOLA LOCALIZADA NO SEMIÁRIDO PARAIBANO.

CARACTERIZAÇÃO DO BIOMA CAATINGA NA CONCEPÇÃO DE DISCENTES, DE UMA ESCOLA LOCALIZADA NO SEMIÁRIDO PARAIBANO. CARACTERIZAÇÃO DO BIOMA CAATINGA NA CONCEPÇÃO DE DISCENTES, DE UMA ESCOLA LOCALIZADA NO SEMIÁRIDO PARAIBANO. OLIVEIRA, Mayara Cecile Nascimento¹-UEPB SILVA, Renata Lima Machado¹-UEPB CARLOS, Angélica Cardoso

Leia mais

Dimensão social. Educação

Dimensão social. Educação Dimensão social Educação 218 Indicadores de desenvolvimento sustentável - Brasil 2004 36 Taxa de escolarização Representa a proporção da população infanto-juvenil que freqüenta a escola. Descrição As variáveis

Leia mais

PROPOSTA DE JOGO DIDÁTICO: CAMINHOS DA ECOLOGIA. Lílian Rosalina Gomes (Universidade Federal do Piauí - UFPI)

PROPOSTA DE JOGO DIDÁTICO: CAMINHOS DA ECOLOGIA. Lílian Rosalina Gomes (Universidade Federal do Piauí - UFPI) PROPOSTA DE JOGO DIDÁTICO: CAMINHOS DA ECOLOGIA Lílian Rosalina Gomes (Universidade Federal do Piauí - UFPI) Diego Porto Rocha (Universidade Federal do Piauí - UFPI) Adelany Brena Cardoso de Oliveira (Universidade

Leia mais

A árvore das árvores

A árvore das árvores A árvore das árvores Resumo O documentário apresenta os múltiplos usos do carvalho para as sociedades, desde tempos remotos até os dias de hoje; além de retratar lendas e histórias sobre essas árvores

Leia mais

Bioma : CERRADO. Alessandro Mocelin Rodrigo Witaski Gabriel Kroeff Thiago Pereira

Bioma : CERRADO. Alessandro Mocelin Rodrigo Witaski Gabriel Kroeff Thiago Pereira Bioma : CERRADO Alessandro Mocelin Rodrigo Witaski Gabriel Kroeff Thiago Pereira Dados Geográficos - Segunda maior formação vegetal da América do Sul - Abrange os estados do Centro-Oeste(Goiás, Mato Grosso,

Leia mais

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE Sérgio Dal-Ri Moreira Pontifícia Universidade Católica do Paraná Palavras-chave: Educação Física, Educação, Escola,

Leia mais

Colégio São Paulo Geografia Prof. Eder Rubens - 2013

Colégio São Paulo Geografia Prof. Eder Rubens - 2013 Colégio São Paulo Geografia Prof. Eder Rubens - 2013 CAP. 02 O território brasileiro e suas regiões.( 7º ano) *Brasil é dividido em 26 estados e um Distrito Federal (DF), organizados em regiões. * As divisões

Leia mais

EXTENSÃO NA BUSCA PELO DESENVOLVIMENTO DA CONSCIÊNCIA AMBIENTAL

EXTENSÃO NA BUSCA PELO DESENVOLVIMENTO DA CONSCIÊNCIA AMBIENTAL EXTENSÃO NA BUSCA PELO DESENVOLVIMENTO DA CONSCIÊNCIA AMBIENTAL Antonio Carlos Ferrari Junior¹; Gabriela de Brito Silva¹; Rennan Garcia Leal da Costa¹; Sérgio Paulo Lima dos Santos¹; Rosilda Mara Mussury²;

Leia mais

Caatinga: exclusivamente brasileira

Caatinga: exclusivamente brasileira Caatinga: exclusivamente brasileira Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Biodiversidade e Florestas Departamento de Conservação da Biodiversidade Parque Nacional da Serra da Capivara - PI Caatinga:

Leia mais

ABORDAGENS MULTIDISCIPLINARES NAS TRILHAS INTERPRETATIVAS COM ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL II: VISITAS GUIADAS AO PARQUE NACIONAL DA TIJUCA

ABORDAGENS MULTIDISCIPLINARES NAS TRILHAS INTERPRETATIVAS COM ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL II: VISITAS GUIADAS AO PARQUE NACIONAL DA TIJUCA ABORDAGENS MULTIDISCIPLINARES NAS TRILHAS INTERPRETATIVAS COM ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL II: VISITAS GUIADAS AO PARQUE NACIONAL DA TIJUCA Andréa Espinola de Siqueira; Ana Clara Frey de S. Thiago; Ana

Leia mais

Organização da Aula. Política de Desenvolvimento Econômico. Aula 2. Contextualização

Organização da Aula. Política de Desenvolvimento Econômico. Aula 2. Contextualização Política de Desenvolvimento Econômico Aula 2 Prof. Nivaldo Vieira Lourenço Organização da Aula Aspectos conceituais do desenvolvimento regional Mudanças no conceito de região Regionalização brasileira

Leia mais

Cap. 26 De norte a sul, de leste a oeste: os biomas brasileiros. Sistema de Ensino CNEC Equipe de Biologia. Bioma

Cap. 26 De norte a sul, de leste a oeste: os biomas brasileiros. Sistema de Ensino CNEC Equipe de Biologia. Bioma Cap. 26 De norte a sul, de leste a oeste: os biomas brasileiros Sistema de Ensino CNEC Equipe de Biologia Bioma Conjunto de vida, vegetal e animal, constituído pelo agrupamento de tipos de vegetação, condições

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA REGIÃO DA ÁREA DE PROTEÇÃO DA BALEIA FRANCA (Eubalaena australis) VISANDO A PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE COMO UM TODO.

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA REGIÃO DA ÁREA DE PROTEÇÃO DA BALEIA FRANCA (Eubalaena australis) VISANDO A PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE COMO UM TODO. EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA REGIÃO DA ÁREA DE PROTEÇÃO DA BALEIA FRANCA (Eubalaena australis) VISANDO A PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE COMO UM TODO. Godinho, G.M.S.¹; Pontalti, M.¹ 1-Instituto Baleia Franca (IBF)

Leia mais

GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DO CURRICULO ANO 2 - APROFUNDAMENTO

GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DO CURRICULO ANO 2 - APROFUNDAMENTO ESTRUTURA GERAL DOS ROTEIROS DE ESTUDOS QUINZENAL Os roteiros de estudos, cujo foco está destacado nas palavras chaves, estão organizados em três momentos distintos: 1º MOMENTO - FUNDAMENTOS TEÓRICOS -

Leia mais

Educação infantil EdiçõEs sm Projeto Educativo sm Educativo Ensino Fundamental i 1º ao 5º ano vida es da América Eir Sabor ação é Eix

Educação infantil EdiçõEs sm Projeto Educativo sm Educativo Ensino Fundamental i 1º ao 5º ano vida es da América Eir Sabor ação é Eix PROjEtO Educativo sm A FunDAçãO SM e o Projeto Educativo sm ilustração do livro Sabores da América ArG MEx CoL dom Pri PEr CHL BrA EsP Países onde a Fundação sm e a sm atuam: Argentina, Brasil, Chile,

Leia mais

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL ALVES, Ana Paula PUCPR SAHEB, Daniele PUCPR Grupo de Trabalho - Didática: Teorias, Metodologias e Práticas Agência Financiadora: não contou com financiamento Resumo

Leia mais

Conheça também! As demais disciplinas desta coleção nas páginas 4, 8, 32, 36, 72 e 90.

Conheça também! As demais disciplinas desta coleção nas páginas 4, 8, 32, 36, 72 e 90. porta aberta Nova edição Geografia 2º ao 5º ano O estudo das categorias lugar, paisagem e espaço tem prioridade nesta obra. 25383COL05 Conheça também! As demais disciplinas desta coleção nas páginas 4,

Leia mais

Unidade Portugal. Nome: 3 o ano (2ª série) Manhã. AVALIAÇÃO DO GRUPO X 4 o BIMESTRE. Borboletas Urbanas

Unidade Portugal. Nome: 3 o ano (2ª série) Manhã. AVALIAÇÃO DO GRUPO X 4 o BIMESTRE. Borboletas Urbanas Unidade Portugal Ribeirão Preto, de de 2011. Nome: 3 o ano (2ª série) Manhã AVALIAÇÃO DO GRUPO X 4 o BIMESTRE Eixo temático - Natureza amiga Disciplina/Valor Português 3,0 Matemática 3,0 Hist/Geo 3,0 Ciências

Leia mais

Palavras-chaves: Jogos matemáticos; Ensino e aprendizagem.

Palavras-chaves: Jogos matemáticos; Ensino e aprendizagem. Emanuella Filgueira Pereira Universidade Federal do Recôncavo da Bahia O JOGO NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA Resumo O presente artigo apresenta resultados parciais de uma pesquisa mais ampla que

Leia mais

Sobre o Movimento é uma ação de responsabilidade social digital pais (família), filhos (jovem de 6 a 24 anos), escolas (professores e diretores)

Sobre o Movimento é uma ação de responsabilidade social digital pais (família), filhos (jovem de 6 a 24 anos), escolas (professores e diretores) 1 Sobre o Movimento O Movimento é uma ação de responsabilidade social digital; Visa a formação de usuários digitalmente corretos Cidadania Digital, através de uma campanha de conscientização direcionada

Leia mais

Devastação e perigo nos ecossistemas terrestres

Devastação e perigo nos ecossistemas terrestres COLÉGIO NOSSA SENHORA DE SION Lições de Língua Portuguesa, História e 4º A Troca do Livro 4º Vivência Religiosa - 4º ano quarta-feira segunda 4º B 4º C feira segunda-feira quinta-feira Leia o texto abaixo

Leia mais

PRESERVAÇÃO AMBIENTAL: EDUCANDO E APRENDENDO COM A NATUREZA

PRESERVAÇÃO AMBIENTAL: EDUCANDO E APRENDENDO COM A NATUREZA PRESERVAÇÃO AMBIENTAL: EDUCANDO E APRENDENDO COM A NATUREZA Soraya Carvalho Pereira Rocha (Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal/Universidade Aberta do Brasil Universidade de Brasília) Kátia

Leia mais

O MATOPIBA e o desenvolvimento "destrutivista" do Cerrado

O MATOPIBA e o desenvolvimento destrutivista do Cerrado O MATOPIBA e o desenvolvimento "destrutivista" do Cerrado Paulo Rogerio Gonçalves* No dia seis de maio de 2015 o decreto n. 8447 cria o Plano de Desenvolvimento Agropecuário do Matopiba e seu comitê gestor.

Leia mais

PEDAGOGIA EM AÇÃO: O USO DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS COMO ELEMENTO INDISPENSÁVEL PARA A TRANSFORMAÇÃO DA CONSCIÊNCIA AMBIENTAL

PEDAGOGIA EM AÇÃO: O USO DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS COMO ELEMENTO INDISPENSÁVEL PARA A TRANSFORMAÇÃO DA CONSCIÊNCIA AMBIENTAL PEDAGOGIA EM AÇÃO: O USO DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS COMO ELEMENTO INDISPENSÁVEL PARA A TRANSFORMAÇÃO DA CONSCIÊNCIA AMBIENTAL Kelly Cristina Costa de Lima, UEPA Aline Marques Sousa, UEPA Cassia Regina Rosa

Leia mais

MULTIMÍDIAS PARA O ENSINO DE GEOGRAFIA 1. Resumo

MULTIMÍDIAS PARA O ENSINO DE GEOGRAFIA 1. Resumo MULTIMÍDIAS PARA O ENSINO DE GEOGRAFIA 1 VIERO, Lia Margot Dornelles 2 1 Trabalho de Pesquisa _UNIFRA 2 Curso de Geografia do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA), Santa Maria, RS, Brasil E-mail:

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: Educando gerações para repensar, reduzir, reaproveitar e reciclar EDSON MANOEL DA SILVA

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: Educando gerações para repensar, reduzir, reaproveitar e reciclar EDSON MANOEL DA SILVA 1 EDUCAÇÃO AMBIENTAL: Educando gerações para repensar, reduzir, reaproveitar e reciclar Introdução EDSON MANOEL DA SILVA O projeto de Educação Ambiental realizado na Escola Antônio Firmino, rede municipal

Leia mais

O USO DE PROJETOS PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS

O USO DE PROJETOS PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS O USO DE PROJETOS PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS Andreza Olivieri Lopes Carmignolli1 UNESP Eva Poliana Carlindo2 UNESP Grupo de Trabalho Didática: Teorias, Metodologias e Práticas Agência Financiadora: não

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO Marcelo Moura 1 Líbia Serpa Aquino 2 Este artigo tem por objetivo abordar a importância das atividades lúdicas como verdadeiras

Leia mais

Filme: Bichos Urbanos

Filme: Bichos Urbanos Filme: Bichos Urbanos Gênero: Experimental Diretor: João Mors, Karen Barros Elenco: José Marinho Ano 2002 Duração: 20 min Cor: Colorido Bitola: 16mm País: Brasil Disponível no Porta Curtas: www.portacurtas.com.br/curtanaescola/filme.asp?cod=1495

Leia mais

LUDICIDADE E EDUCAÇÃO: O ENCANTAMENTO DE APRENDER BRINCANDO

LUDICIDADE E EDUCAÇÃO: O ENCANTAMENTO DE APRENDER BRINCANDO LUDICIDADE E EDUCAÇÃO: O ENCANTAMENTO DE APRENDER BRINCANDO Tatiane Testa Ferrari e-mail: tatitferrari@ig.com.br Ticiane Testa Ferrari e-mail: ticiferrari@ig.com.br Araceli Simão Gimenes Russo e-mail:

Leia mais

natural das crianças para esses seres que fazem tão bem às nossas vidas.

natural das crianças para esses seres que fazem tão bem às nossas vidas. Justificativa do Projeto Os animais têm forte presença no dia a dia das crianças, seja de forma física ou através de músicas, desenhos animados, jogos, historias e brinquedos. Além disso, possuem um importante

Leia mais

Serviço Nacional de Aprendizagem Rural PROJETO FIP-ABC. Produção sustentável em áreas já convertidas para o uso agropecuário (com base no Plano ABC)

Serviço Nacional de Aprendizagem Rural PROJETO FIP-ABC. Produção sustentável em áreas já convertidas para o uso agropecuário (com base no Plano ABC) Serviço Nacional de Aprendizagem Rural Serviço Nacional de Aprendizagem Rural PROJETO FIP-ABC Produção sustentável em áreas já convertidas para o uso agropecuário (com base no Plano ABC) Descrição do contexto

Leia mais

GRUPO VIII 3 o BIMESTRE PROVA A

GRUPO VIII 3 o BIMESTRE PROVA A A GERAÇÃO DO CONHECIMENTO Transformando conhecimentos em valores www.geracaococ.com.br Unidade Portugal Série: 6 o ano (5 a série) Período: MANHÃ Data: 15/9/2010 PROVA GRUPO GRUPO VIII 3 o BIMESTRE PROVA

Leia mais

Desafios e oportunidades associadas ao Cadastro Ambiental Rural (CAR) 7ª CONSEGURO setembro 2015

Desafios e oportunidades associadas ao Cadastro Ambiental Rural (CAR) 7ª CONSEGURO setembro 2015 Desafios e oportunidades associadas ao Cadastro Ambiental Rural (CAR) 7ª CONSEGURO setembro 2015 Meta brasileira de redução das emissões até 2020 36,1% a 38,9% das 3.236 MM de tonco2eq de emissões projetadas

Leia mais

Tabela 1 - Conta de produção por operações e saldos, segundo as Grandes Regiões e as Unidades da Federação - 2004-2008

Tabela 1 - Conta de produção por operações e saldos, segundo as Grandes Regiões e as Unidades da Federação - 2004-2008 (continua) Produção 5 308 622 4 624 012 4 122 416 3 786 683 3 432 735 1 766 477 1 944 430 2 087 995 2 336 154 2 728 512 Consumo intermediário produtos 451 754 373 487 335 063 304 986 275 240 1 941 498

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA CLAINES KREMER GENISELE OLIVEIRA EDUCAÇÃO AMBIENTAL: POR UMA PERSPECTIVA DE RELAÇÕES ENTRE

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES DOS SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES DOS SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES DOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

Leia mais

Aula 14 Distribuição dos Ecossistemas Brasileiros Floresta Amazônica Mais exuberante região Norte e parte do Centro Oeste; Solo pobre em nutrientes; Cobertura densa ameniza o impacto da água da chuva;

Leia mais

Estudos da Natureza na Educação Infantil

Estudos da Natureza na Educação Infantil Estudos da Natureza na Educação Infantil Referenciais Curriculares Nacionais da Educação Infantil (RCNEI) parte 3 Prof. Walteno Martins Parreira Jr www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.com 2015

Leia mais

Eixo Temático: Processos de Ensino-Aprendizagem

Eixo Temático: Processos de Ensino-Aprendizagem 91 Eixo Temático: Processos de Ensino-Aprendizagem ET-06-015 INFLUÊNCIA DA MONTAGEM DE UM JOGO DIDÁTICO DO SISTEMA DIGESTÓRIO PARA A MELHORIA NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM Jéssica Maria Bernardo da Silva,

Leia mais

DOMÍNIO DOS MARES DE MORROS

DOMÍNIO DOS MARES DE MORROS DOMÍNIO DOS MARES DE MORROS Situação Geográfica Este domínio estende-se se do sul do Brasil até o Estado da Paraíba (no nordeste), obtendo uma área total de aproximadamente 1.000.000 km².. Situado mais

Leia mais

O Estado da Biodiversidade Brasileira: Genes, Espécies e Biomas

O Estado da Biodiversidade Brasileira: Genes, Espécies e Biomas O Estado da Biodiversidade Brasileira: Genes, Espécies e Biomas Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada IPEA Diretoria de Estudos e Políticas Regionais, Urbanas e Ambientais DIRUR Eixo Temático: Sustentabilidade

Leia mais

Colégio La Salle São João. Professora Kelen Costa Educação Infantil. Educação Infantil- Brincar também é Educar

Colégio La Salle São João. Professora Kelen Costa Educação Infantil. Educação Infantil- Brincar também é Educar Colégio La Salle São João Professora Kelen Costa Educação Infantil Educação Infantil- Brincar também é Educar A importância do lúdico na formação docente e nas práticas de sala de aula. A educação lúdica

Leia mais

JOGO DIDÁTICO COMO INSTRUMENTO FACILITADOR NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DA TABELA PERIÓDICA

JOGO DIDÁTICO COMO INSTRUMENTO FACILITADOR NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DA TABELA PERIÓDICA JOGO DIDÁTICO COMO INSTRUMENTO FACILITADOR NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DA TABELA PERIÓDICA Vera Lucia Rocha da Silva (Universidade Federal do Piauí - UFPI/ CMRV) Email: veraelimaocommel@hotmail.com

Leia mais

Saberes e Práticas Docentes na Formação de Professores PROF.DR. FERNANDO RIBEIRO JUNHO/2012

Saberes e Práticas Docentes na Formação de Professores PROF.DR. FERNANDO RIBEIRO JUNHO/2012 A IMPORTÂNCIA DA PESQUISA PARA AS LICENCIATURAS NA AMAZÔNIA: NÃO HÁ ENSINO SEM PESQUISA E PESQUISA SEM ENSINO Saberes e Práticas Docentes na Formação de Professores PROF.DR. FERNANDO RIBEIRO JUNHO/2012

Leia mais

Sensibilização Ambiental a partir do Plantio de Mudas Nativas, no Município de Guaçuí, Espírito Santo. M. V. Costa Filho 1* &. A.

Sensibilização Ambiental a partir do Plantio de Mudas Nativas, no Município de Guaçuí, Espírito Santo. M. V. Costa Filho 1* &. A. III SIMPÓSIO SOBRE A BIODIVERSIDADE DA MATA ATLÂNTICA. 2014 465 Sensibilização Ambiental a partir do Plantio de Mudas Nativas, no Município de Guaçuí, Espírito Santo. M. V. Costa Filho 1* &. A. Amaral

Leia mais

EXTINÇÃO DA FAUNA BRASILEIRA. Djenicer Alves Guilherme 1, Douglas Luiz 2

EXTINÇÃO DA FAUNA BRASILEIRA. Djenicer Alves Guilherme 1, Douglas Luiz 2 37 EXTINÇÃO DA FAUNA BRASILEIRA Djenicer Alves Guilherme 1, Douglas Luiz 2 Resumo: Com a urbanização, o tráfico nacional e internacional de espécies e exploração dos recursos naturais de maneira mal planejada

Leia mais

INTERAÇÃO UNIVERSIDADE ESCOLA NA EDUCAÇÃO AMBIENTAL 1

INTERAÇÃO UNIVERSIDADE ESCOLA NA EDUCAÇÃO AMBIENTAL 1 INTERAÇÃO UNIVERSIDADE ESCOLA NA EDUCAÇÃO AMBIENTAL 1 REMPEL, Claudete 2 ; HERDINA, Renata 3 ; SALVINI, Juciano 3 ; GUERIZZOLI, Marta Maggi 2, BOHRER, Temis Regina Jacques 2 1 Projeto de Pesquisa Avaliação

Leia mais

AULAS INTERATIVAS: COMO UMA CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTO EM SALA DE AULA

AULAS INTERATIVAS: COMO UMA CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTO EM SALA DE AULA AULAS INTERATIVAS: COMO UMA CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTO EM SALA DE AULA Katia Barros de Sousa Graduanda do curso de Licenciatura Plena em Geografia da Universidade Estadual da Paraíba katiabarros-geo@hotmail.com

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL TARTARUGAS MARINHAS VIVENDO LIVRE NO MAR

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL TARTARUGAS MARINHAS VIVENDO LIVRE NO MAR PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL TARTARUGAS MARINHAS VIVENDO LIVRE NO MAR RESUMO O Programa de Educação Ambiental Tartarugas Vivendo Livres no Mar foi criado pelo Projeto Tamar/ICMBio Regional São Paulo

Leia mais

Relacionando os conceitos: Genética da Conservação*

Relacionando os conceitos: Genética da Conservação* MATERIAIS DIDÁTICOS Relacionando os conceitos: Genética da Conservação* Mauricio Papa Arruda Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Instituto de Biologia, Departamento de Biologia Estrutural e Funcional.

Leia mais

Reutilização de materiais na construção de recursos didáticos de zoologia

Reutilização de materiais na construção de recursos didáticos de zoologia Reutilização de materiais na construção de recursos didáticos de zoologia Patrícia Mariana Vasco de Góz, Ábina Profiro de Oliveira, Rafael Ferreira da Silva, Maria Aparecida Oliveira de Melo, Jonathan

Leia mais

ANÁLISE DA DEGRADAÇÃO DO BIOMA CAATINGA NAS IMEDIAÇÕES DA CIDADE DE SANTA CECÍLIA PB

ANÁLISE DA DEGRADAÇÃO DO BIOMA CAATINGA NAS IMEDIAÇÕES DA CIDADE DE SANTA CECÍLIA PB ANÁLISE DA DEGRADAÇÃO DO BIOMA CAATINGA NAS IMEDIAÇÕES DA CIDADE DE SANTA CECÍLIA PB Roseana Barbosa da Silva Graduada em Geografia, Universidade Estadual do Vale do Acaraú UVA/UNAVIDA E-mail: roseanabsilva@gmail.com.br

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL LÚDICO-EXPOSITIVA PARA CRIANÇAS DO ENSINO FUNDAMENTAL. Josiane Teresinha Cardoso 1 (Coordenador da Ação de Extensão)

EDUCAÇÃO AMBIENTAL LÚDICO-EXPOSITIVA PARA CRIANÇAS DO ENSINO FUNDAMENTAL. Josiane Teresinha Cardoso 1 (Coordenador da Ação de Extensão) EDUCAÇÃO AMBIENTAL LÚDICO-EXPOSITIVA PARA CRIANÇAS DO ENSINO FUNDAMENTAL Área Temática: Meio Ambiente Josiane Teresinha Cardoso 1 (Coordenador da Ação de Extensão) Moira Ramos Rabeschini 2 Helen Hayra

Leia mais

SUSTENTABILIDADE NO COTIDIANO ESCOLAR: Desafios da construção de uma proposta interdisciplinar

SUSTENTABILIDADE NO COTIDIANO ESCOLAR: Desafios da construção de uma proposta interdisciplinar SUSTENTABILIDADE NO COTIDIANO ESCOLAR: Desafios da construção de uma proposta interdisciplinar Mariely Rodrigues Anger 1 Ana Carla Ferreira Nicola Gomes 2 Jussara Aparecida da Fonseca 3 Resumo: Apresentam-se

Leia mais

Ao considerar e ao explicitar a representação feita, nota-se sua lógica e o que levou o aluno a tal escolha. A partir dela, o professor pode chegar a

Ao considerar e ao explicitar a representação feita, nota-se sua lógica e o que levou o aluno a tal escolha. A partir dela, o professor pode chegar a 37 Ao trabalhar questões socioambientais e o conceito de natureza, podemos estar investigando a noção de natureza que os alunos constroem ou construíram em suas experiências e vivências. Alguns alunos

Leia mais

A EXTENSÃO EM MATEMÁTICA: UMA PRÁTICA DESENVOLVIDA NA COMUNIDADE ESCOLAR. GT 05 Educação Matemática: tecnologias informáticas e educação à distância

A EXTENSÃO EM MATEMÁTICA: UMA PRÁTICA DESENVOLVIDA NA COMUNIDADE ESCOLAR. GT 05 Educação Matemática: tecnologias informáticas e educação à distância A EXTENSÃO EM MATEMÁTICA: UMA PRÁTICA DESENVOLVIDA NA COMUNIDADE ESCOLAR GT 05 Educação Matemática: tecnologias informáticas e educação à distância Nilce Fátima Scheffer - URI-Campus de Erechim/RS - snilce@uri.com.br

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA. INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA

ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA. INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA IVINHEMA MS MAIO DE 2010 ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR

Leia mais

CONFECÇÃO DE MODELOS BIOLÓGICOS PARA ALUNOS CEGOS NO SEGUNDO SEGMENTO

CONFECÇÃO DE MODELOS BIOLÓGICOS PARA ALUNOS CEGOS NO SEGUNDO SEGMENTO CONFECÇÃO DE MODELOS BIOLÓGICOS PARA ALUNOS CEGOS NO SEGUNDO SEGMENTO BÁRBARA BALZANA MENDES PIRES barbarabalzana@gmail.com INSTITUTO DE APLICAÇÃO FERNANDO RODRIGUES DA SILVEIRA (CAP-UERJ) VIVIANE LOUREIRO

Leia mais

MARCIA CONCEIÇÃO DE SOUZA SILVA

MARCIA CONCEIÇÃO DE SOUZA SILVA MARCIA CONCEIÇÃO DE SOUZA SILVA Ivinhema MS 2011 MARCIA CONCEIÇÃO DE SOUZA SILVA Projeto apresentado no Programa Nacional de Formação Continuada em Tecnologia Educacional PROINFO INTEGRADO III: Elaboração

Leia mais

TEMA: O LÚDICO NA APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA

TEMA: O LÚDICO NA APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA TEMA: O LÚDICO NA APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA RESUMO Os educadores têm se utilizado de uma metodologia Linear, que traz uma característica conteudista; É possível notar que o Lúdico não se limita

Leia mais

E C O L O G I A. Incluindo todos os organismos e todos os processos funcionais que a tornam habitável

E C O L O G I A. Incluindo todos os organismos e todos os processos funcionais que a tornam habitável E C O L O G I A Deriva do grego oikos, com sentido de casa e logos com sentido de estudo Portanto, trata-se do estudo do ambiente da casa Incluindo todos os organismos e todos os processos funcionais que

Leia mais

BARALHO DOS ANIMAIS INVERTEBRADOS : APRENDENDO DE FORMA DINÂMICA.

BARALHO DOS ANIMAIS INVERTEBRADOS : APRENDENDO DE FORMA DINÂMICA. BARALHO DOS ANIMAIS INVERTEBRADOS : APRENDENDO DE FORMA DINÂMICA. Junielson Soares da Silva (Graduação UFPI) Fabrício Soares de Sousa (Graduação UFPI I) Franquilane Coelho dos Santos (Graduação UFPI) Sandra

Leia mais

LIVRO POP-UP NO ENSINO DE CIÊNCIAS: UMA OFICINA COM PROFESSORES DO ENSINO BÁSICO

LIVRO POP-UP NO ENSINO DE CIÊNCIAS: UMA OFICINA COM PROFESSORES DO ENSINO BÁSICO LIVRO POP-UP NO ENSINO DE CIÊNCIAS: UMA OFICINA COM PROFESSORES DO ENSINO BÁSICO Kaline Soares de Oliveira (Mestranda do Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências Naturais e Matemática UFRN) Maria

Leia mais

ENSINO DE CIÊNCIAS POR MEIO DE ATIVIDADES LÚDICAS NO 2 ANO DO ENSINO MÉDIO DA ESCOLA INÁCIO PASSARINHO CAXIAS MARANHÃO

ENSINO DE CIÊNCIAS POR MEIO DE ATIVIDADES LÚDICAS NO 2 ANO DO ENSINO MÉDIO DA ESCOLA INÁCIO PASSARINHO CAXIAS MARANHÃO 1 ENSINO DE CIÊNCIAS POR MEIO DE ATIVIDADES LÚDICAS NO 2 ANO DO ENSINO MÉDIO DA ESCOLA INÁCIO PASSARINHO CAXIAS MARANHÃO Tauanny Maria Almeida Lima, Marilene Rodrigues Silva, Joselice da Silva Pereira

Leia mais

Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI. Coordenação Prof. Dr. Marcos T. Masetto

Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI. Coordenação Prof. Dr. Marcos T. Masetto Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI Coordenação Prof. Dr. Marcos T. Masetto 1 Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI Professor Doutor Marcos T. Masetto Objetivos Desenvolver competências

Leia mais

OS CONHECIMENTOS DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA IMPLICAÇÃO PARA A PRÁTICA DOCENTE

OS CONHECIMENTOS DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA IMPLICAÇÃO PARA A PRÁTICA DOCENTE OS CONHECIMENTOS DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA IMPLICAÇÃO PARA A PRÁTICA DOCENTE Maria Cristina Kogut - PUCPR RESUMO Há uma preocupação por parte da sociedade com a atuação da escola e do professor,

Leia mais

O ENSINO DA GEOGRAFIA NA INTERFACE DA PEDAGOGIA DE PROJETOS SOCIOAMBIENTAIS E DO MACROCAMPO INTEGRAÇÃO CURRICULAR.

O ENSINO DA GEOGRAFIA NA INTERFACE DA PEDAGOGIA DE PROJETOS SOCIOAMBIENTAIS E DO MACROCAMPO INTEGRAÇÃO CURRICULAR. O ENSINO DA GEOGRAFIA NA INTERFACE DA PEDAGOGIA DE PROJETOS SOCIOAMBIENTAIS E DO MACROCAMPO INTEGRAÇÃO CURRICULAR. Wedell Jackson de Caldas Monteiro E.E.M.I. Auzanir Lacerda wedellprofessor@gmail.com Nadia

Leia mais

O mundo perdido, de Arthur Conan Doyle Companhia Editora Nacional

O mundo perdido, de Arthur Conan Doyle Companhia Editora Nacional Sugestão de plano de aula Disciplina: História O mundo perdido, de Arthur Conan Doyle Companhia Editora Nacional Plano de aula: Riqueza da Vegetação Brasileira Objetivos Reconhecer os principais tipos

Leia mais

JOGOS DIDÁTICOS PARA O ENSINO DE MICOLOGIA NAS ESCOLAS

JOGOS DIDÁTICOS PARA O ENSINO DE MICOLOGIA NAS ESCOLAS JOGOS DIDÁTICOS PARA O ENSINO DE MICOLOGIA NAS ESCOLAS Sousa, N. D. C. (1) ; Macêdo, M. A. M. (1) ; Santos, K. N. C. (1) ; Oliveira, A. M. (1) ; Teixeira, R. C. S. (1) ; Rocha, J. R. S. (1) nayaradannielle@gmail.com

Leia mais

FIC SEM LIXO - Projeto de Educação Ambiental desenvolvido na Escola Estadual Professor Francisco Ivo Cavalcanti em Natal/RN

FIC SEM LIXO - Projeto de Educação Ambiental desenvolvido na Escola Estadual Professor Francisco Ivo Cavalcanti em Natal/RN FIC SEM LIXO - Projeto de Educação Ambiental desenvolvido na Escola Estadual Professor Francisco Ivo Cavalcanti em Natal/RN Brenda Luíza Patriota Lima e Silva¹ André Elias Nóbrega² João Batista dos Santos³

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DO CAPITAL SOCIAL NO BRASIL: UMA ANÁLISE DOS PADRÕES RECENTES

DISTRIBUIÇÃO DO CAPITAL SOCIAL NO BRASIL: UMA ANÁLISE DOS PADRÕES RECENTES DISTRIBUIÇÃO DO CAPITAL SOCIAL NO BRASIL: UMA ANÁLISE DOS PADRÕES RECENTES Barbara Christine Nentwig Silva Professora do Programa de Pós Graduação em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Social /

Leia mais

USANDO A REDE SOCIAL (FACEBOOK) COMO FERRAMENTA DE APRENDIZAGEM

USANDO A REDE SOCIAL (FACEBOOK) COMO FERRAMENTA DE APRENDIZAGEM Introdução USANDO A REDE SOCIAL (FACEBOOK) COMO FERRAMENTA DE APRENDIZAGEM Paula Priscila Gomes do Nascimento Pina EEEFM José Soares de Carvalho EEEFM Agenor Clemente dos Santos paulapgnascimento@yahoo.com.br

Leia mais

FLUXO TRANSPORTE AQUAVIÁRIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO TRANSPORTE AQUAVIÁRIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Estados Norte 0 0,00 0 0 0 0,00 Rondônia

Leia mais

ARTIGO EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RECICLAGEM DO LIXO

ARTIGO EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RECICLAGEM DO LIXO ARTIGO EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RECICLAGEM DO LIXO EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RECICLAGEM DO LIXO Resumo: O presente artigo pretende refletir sobre os problemas ambientais em nossa sociedade, em especial, sobre o

Leia mais

A importância do Cerrado

A importância do Cerrado A importância do Cerrado Quem vive no Cerrado mora em uma das regiões mais ricas em espécies de plantas e animais do mundo, muitas delas ainda desconhecidas pela ciência e que só existem ali. É ainda nas

Leia mais

Cerrado em foco. Ecossistema. Pequi

Cerrado em foco. Ecossistema. Pequi Cerrado em foco Ecossistema Pequi O Ecossistema é o conjunto formado por dois grandes grupos, os seres que tem vida e os que não tem. Tudo o que tem vida, é chamado de ser biótico. São as plantas, os animais,

Leia mais

A exuberante e pouco conhecida fauna brasileira

A exuberante e pouco conhecida fauna brasileira BIP A exuberante e pouco conhecida fauna brasileira maio/2007 O Brasil é o país de maior biodiversidade do planeta. A fauna brasileira é imensamente rica, porém muitas espécies não são ainda conhecidas.

Leia mais

MEU MUNDO INTEGRADO: ELABORAÇÃO DE VÍDEO EDUCATIVO SOBRE O PERCURSO DO LÁPIS

MEU MUNDO INTEGRADO: ELABORAÇÃO DE VÍDEO EDUCATIVO SOBRE O PERCURSO DO LÁPIS MEU MUNDO INTEGRADO: ELABORAÇÃO DE VÍDEO EDUCATIVO SOBRE O PERCURSO DO LÁPIS Orlando José PINTO NETO; Rosana Alves Ribas MORAGAS e-mail: orlando_neto_1@hotmail.com; rosanarmoragas@yahoo.com.br Universidade

Leia mais

Educação Ambiental: um exercício. Cidadania

Educação Ambiental: um exercício. Cidadania Educação Ambiental: um exercício de Cidadania II CARACTERIZAÇÃO Empresa: Coteminas Macaíba Segmento: Ensino Médio Equipe de elaboração: Aldécia Cortez Pereira Pinto Coordenadora pedagógica Rosa de Medeiros

Leia mais

Os Recursos Hídricos e a Biodiversidade do Brasil

Os Recursos Hídricos e a Biodiversidade do Brasil Os Recursos Hídricos e a Biodiversidade do Brasil Comunidade dos países de Língua portuguesa (CPLP) A CPLP foi criada em17 de Julho de 1996 por Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal

Leia mais

Pedagogia. Objetivos deste tema. 3 Sub-temas compõem a aula. Tecnologias da informação e mídias digitais na educação. Prof. Marcos Munhoz da Costa

Pedagogia. Objetivos deste tema. 3 Sub-temas compõem a aula. Tecnologias da informação e mídias digitais na educação. Prof. Marcos Munhoz da Costa Pedagogia Prof. Marcos Munhoz da Costa Tecnologias da informação e mídias digitais na educação Objetivos deste tema Refletir sobre as mudanças de experiências do corpo com o advento das novas tecnologias;

Leia mais

RANKING NACIONAL DO TRABALHO INFANTIL (5 a 17 ANOS) QUADRO COMPARATIVO DOS DADOS DA PNAD (2008 e 2009)

RANKING NACIONAL DO TRABALHO INFANTIL (5 a 17 ANOS) QUADRO COMPARATIVO DOS DADOS DA PNAD (2008 e 2009) NACIONAL DO TRABALHO INFANTIL (5 a 17 ANOS) QUADRO COMPARATIVO DOS DADOS DA PNAD (2008 e 2009) População Ocupada 5 a 17 anos 2008 Taxa de Ocupação 2008 Posição no Ranking 2008 População Ocupada 5 a 17

Leia mais

TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRNTE 8 A - aula 25. Profº André Tomasini

TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRNTE 8 A - aula 25. Profº André Tomasini TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRNTE 8 A - aula 25 Profº André Tomasini Localizado na Região Centro-Oeste. Campos inundados na estação das chuvas (verão) áreas de florestas equatorial e tropical. Nas áreas mais

Leia mais

A PERCEPÇÃO DE GRADUANDOS EM PEDAGOGIA SOBRE A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA FORMAÇÃO DO EDUCADOR EM UMA FACULDADE EM MONTE ALEGRE DO PIAUÍ - PI

A PERCEPÇÃO DE GRADUANDOS EM PEDAGOGIA SOBRE A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA FORMAÇÃO DO EDUCADOR EM UMA FACULDADE EM MONTE ALEGRE DO PIAUÍ - PI A PERCEPÇÃO DE GRADUANDOS EM PEDAGOGIA SOBRE A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA FORMAÇÃO DO EDUCADOR EM UMA FACULDADE EM MONTE ALEGRE DO PIAUÍ - PI Kássia Hellem Tavares da Silva (*), Lorrane de Castro Miranda, Israel

Leia mais

Informação sob embargo até dia 30/11 às 9hs... Cana-de-açúcar avança em áreas prioritárias. para a conservação e uso sustentável do Cerrado

Informação sob embargo até dia 30/11 às 9hs... Cana-de-açúcar avança em áreas prioritárias. para a conservação e uso sustentável do Cerrado Informação sob embargo até dia 30/11 às 9hs Instituto Sociedade, População e Natureza... Cana-de-açúcar avança em áreas prioritárias para a conservação e uso sustentável do Cerrado (Mapas elaborados pelo

Leia mais

LUDICIDADE E ENSINO: UMA PARCERIA QUE CONTRIBUI COM A EDUCAÇÃO

LUDICIDADE E ENSINO: UMA PARCERIA QUE CONTRIBUI COM A EDUCAÇÃO LUDICIDADE E ENSINO: UMA PARCERIA QUE CONTRIBUI COM A EDUCAÇÃO INTRODUÇÃO Ana Lucia da Silva 1 Franchys Marizethe Nascimento Santana Ferreira 2 O presente projeto justifica-se pela necessidade verificada,

Leia mais