Centro de Ensino Superior do Amapá CEAP. Curso de Arquitetura e Urbanismo. Disciplina: Estudos Ambientais Prof. Msc. João Paulo Nardin Tavares

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Centro de Ensino Superior do Amapá CEAP. Curso de Arquitetura e Urbanismo. Disciplina: Estudos Ambientais Prof. Msc. João Paulo Nardin Tavares"

Transcrição

1 1 Centro de Ensino Superior do Amapá CEAP Curso de Arquitetura e Urbanismo Disciplina: Estudos Ambientais Prof. Msc. João Paulo Nardin Tavares Sexta-feira, 27 de fevereiro de As fortes chuvas da madrugada de ontem causaram grandes estragos, principalmente em áreas próximas de invasões. Foram mais de dez horas de chuvas sem intervalos. A água começou a cair na noite da última quarta-feira por volta das 21hs e foi parar na manhã de ontem. O trânsito em certos pontos ficou congestionado, policiais militares tiveram trabalho em organizar o grande fluxo de veículos. Para quem acordou cedo para trabalhar, se surpreenderam com as cenas da manhã. Ruas e avenidas alagadas, trânsito lento, lama e muitos transtornos. No bairro Jesus de Nazaré, os problemas se repetem a cada inverno. As vias ficam tomadas de água, acabam invadindo residências e destruindo vários pertences. Na Rua Odilardo Silva entre as avenidas General Osório e Mãe Luzia, a maioria das casas estavam inundadas. Alguns proprietários estavam ainda com seus pertences no pátio das residências, na tentativa de salvar de prejuízos maiores. "Todos os anos acontece à mesma coisa. Isso nos incomoda muito, é uma situação horrível e para piorar, ninguém vem aqui ver a situação das ruas, só realizam obras em época de campanha", esbravejou a moradora Ana Claúdia. Enchente: mais de duzentas pessoas estão desabrigadas em Macapá/AP (09/02/10) Com a alteração da maré do rio Amazonas e a consequente elevação de seu nível nos últimos dias, houve inundação no bairro de Aturiá, em Macapá (AP). O incidente destruiu casas e desalojou mais de duzentas pessoas, que atualmente estão abrigadas em escolas da região. As informações são do jornal Folha de Boa Vista. De acordo com o jornal, a Defesa Civil e o Poder Público têm oferecido alimentação e kits, que incluem colchões, lençóis e material de higiene, para os desabrigados. A iniciativa, no entanto, parece pouca diante do aumento constante de vítimas da

2 destruição na orla, que apresenta risco às famílias que ainda teimam em permanecer em locais considerados de alto risco. Com o início do ano letivo, as famílias que estão sendo abrigadas em escolas terão que ser realocadas. Estão sendo feitas solicitações às entidades assistenciais para que ajudem na arrecadação de donativos às famílias que não poderão retornar mais para as áreas atingidas. A Lua e o ciclo das marés A Lua, o único satélite natural da Terra, possui grande influência sobre as marés, além de ciclos biológicos de várias espécies e na iluminação noturna. Portanto, vamos conhecer um pouco mais sobre esse astro. 1. Os movimentos da Lua A Lua possui muitos movimentos, mas os principais são a rotação, a revolução e a translação. O Movimento de Translação da Lua é o que faz em torno do Sol acompanhando a Terra, sua duração é o de um ano, portanto 365 dias. Tal movimento é também denominado de "Revolução Lunar", os dois pontos máximos de aproximação e afastamento entre a Terra e a Lua recebem, respectivamente, os nomes de perigeu e apogeu. A Rotação da Lua é o movimento que ela faz em torno de seu próprio eixo, é realizado em igual intervalo de tempo, e por essa coincidência, a Lua tem sempre a mesma face voltada para a Terra. A Revolução é o movimento elíptico que a Lua executa ao redor da Terra. Esses dois últimos movimentos tem a mesma duração, pois são realizados, em tempos iguais, num período aproximado de 27 dias e 8 horas. Devido à igualdade nas durações desses dois movimentos é que a lua nos mostra sempre a mesma face. Como a órbita da Lua também é eliptica, a distância Lua- Terra varia ao longo do período da revolução. A distância média da Lua à Terra é de aproximadamente quilômetros. A figura 1 apresenta os movimentos da Lua. 2 Figura 1 Movimentos da Lua. 2. As fases lunares O aspecto da Lua se modifica diariamente. Mas isso se deve tão somente a posição relativa da Lua,Terra e Sol. A cada dia o Sol ilumina sob um ângulo diferente, à medida que ela se desloca em torno da Terra. Um ciclo completo leva 29 dias e meio e se chama mês lunar, lunação, revolução sinódica ou ainda período sinódico da Lua. Em casa dia da lunação, enxergamos a Lua um pouco diferente e assim podemos imaginar cerca de 30 diferentes fases da Lua - mas isso ainda não é o bastante.

3 3 Porém, na prática, geralmente apenas quatro fases lunares recebem denominações especiais: são as luas crescente, cheia, minguante e nova (Figura 2). Figura 2 Fases da Lua As fases Crescente, Cheia, Minguante e Nova não duram uma semana, como sugerem alguns calendários. Na verdade elas acontecem apenas num dia do mês e em instantes criticos que correspondem a situações geométricas muito bem definidas na posição relativa entre Sol, Terra e Lua. No caso dos ''quartos'' (crescente e minguante), um observador vê a metade do disco lunar iluminado. Ou, em outras palavras, a metade do hemisfério lunar voltado para a Terra - o que por sua vez corresponde a 1/4 da superfície lunar iluminada, daí o termo. Quando é Lua Cheia vemos o disco lunar 100% iluminado. Quando é Lua Nova não a vemos, pois não há luz solar refletida (0% de iluminação). Nos demais dias do mês a Lua não é cheia e nem nova. Ela pode estar crescendo ou minguando, mas enquanto não chegar o momento, ainda não será quarto-crescente nem quarto-minguante. Uma mesma fase lunar ocorre para o mundo todo, não importa a localização do observador. Porém, elas não são vistas da mesma forma. No hemisfério Norte o aspecto da Lua é invertido em relação ao visto por um observador no hemisfério Sul. Figura 3 Fases da Lua, de um mesmo ponto na Terra.

4 4 3. A Lua e as marés Os movimentos periódicos de elevação e abaixamento da superfície dos oceanos, mares e lagos são provocados pela força gravitacional da Lua e do Sol sobre a Terra. As marés ocorrem a intervalos regulares de 12 horas e 12 minutos - a cada 24 horas e 50 minutos, o mar sobe e desce duas vezes constituindo o fluxo e refluxo das águas. À medida que terra gira, outras regiões passam a sofrer elevações, como se o nível da água se deslocasse seguindo a Lua. Durante a conjunção e a oposição da Lua, nas fases de Lua Nova e de, Lua Cheia a maré alta é muito alta e a maré baixa é muito baixa. As marés de Lua Nova, e de Lua Cheia são mais violentas e por essa razão são chamadas de marés de sizígia ou de águas-vivas; são as grandes marés. Durante as quadraturas da Lua, nas fases da Lua Crescente e de Lua Minguante, não ocorrem eclipses, a maré alta não é tão alta e a maré baixa também não é tão baixa. As marés de quadratura são bem moderadas e por essa razão são chamadas de marés de águas mortas ou pequenas marés. Figura 4 Movimentos da Lua e as marés Tábua de marés: https://www.mar.mil.br/dhn/chm/tabuas/index.htm 4. Eclipse lunar Um eclipse Lunar ocorre quando a Lua entra na sombra da Terra (Figura 4). Á distancia da Lua, 384 mil km, a sombra da terra, que se estende por 1,4 milhões de km, cobre aproximadamente 3 luas cheias. Em contraste com um eclipse do sol, que só é visivel em uma pequena região da Terra, um eclipse da Lua é visivel por todos que possam ver a Lua. Como um eclipse da Lua pode ser visto, se

5 5 o clima permitir, de toda parte noturna da terra, eclipses da lua são muito mais frequentes que eclipses do sol, de um dado local na Terra. A duração máxima de um eclipse lunar é 3,8 hs, e a duração da fase total é sempre menor que 1,7 hs. Figura 4 O eclipse da Lua acontece quando ela fica na área de sombra da Terra, chamada de Umbra. Um Eclipse total da lua acontece quando a lua fica inteiramente imersa na umbra da Terra, se somente parte dela passa pela Lumbra. Se a Lua passa somente na penumbra, o eclipse é penumbral. Um Eclipse Total é sempre acompanhado das fases penumbral e parcial. Um eclipse penumbral é difícil de ver diretamente com o olho, pois o brilho da Lua permanece quase o mesmo. Durante a fase total, a lua aparece com uma luminosidade tênue e avermelhada. Isso acontece porque parte da luz solar é refractada na atmosfera da Terra e atinge a Lua. Porém essa luz está quase totalmente desprovida dos raios azuis, que sofreram forte espalhamento e absorção na espessa camada atmosférica atravessada. Se somente parte da Lua passa pela umbra, e o resto dela pela penumbra, o eclipse é Parcial. Para saber mais https://www.mar.mil.br/dhn/chm/tabuas/ind ex.htm Figura 5 Diferentes tipos de eclipse da Lua. Artigo: Dinâmica das marés na Orla Estuarina de Macapá e percepções sobre aspectos de saneamento: do Jandiá ao Araxá Macapá-AP, de Alan Cavalcanti da Cunha e Jacqueline Cristine da Silva Ramos.

Introdução À Astronomia e Astrofísica 2010

Introdução À Astronomia e Astrofísica 2010 CAPÍTULO 5 LUA E SUAS FASES. ECLIPSES. Lua. Fases da Lua. Sombra de um Corpo Extenso. Linha dos Nodos. Eclipses do Sol. Eclipses da Lua. Temporada de Eclipses. Saros. Recapitulando a aula anterior: Capítulo

Leia mais

REPRESE TAÇÃO SIMPLIFICADA DAS FASES DA LUA

REPRESE TAÇÃO SIMPLIFICADA DAS FASES DA LUA FASES DA LUA O ASPECTO DA LUA SE MODIFICA DIARIAMENTE. Mas isso se deve tão somente a posição relativa da Lua, Terra e Sol. A cada dia o Sol ilumina a Lua sob um ângulo diferente, à medida que ela se desloca

Leia mais

Estações do Ano e Fases da Lua

Estações do Ano e Fases da Lua ESPECIALIZAÇAO EM CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO Estações do Ano e Fases da Lua Prof. Nelson Luiz Reyes Marques Movimentos da Terra Quais são os movimentos da Terra? 1. Rotação 2. Revolução 3. Precessão

Leia mais

ÓRBITA ILUMINADA HU F 152/ NT4091

ÓRBITA ILUMINADA HU F 152/ NT4091 ÓRBITA ILUMINADA HU F 152/ NT4091 INTRODUÇÃO Trata-se de um modelo científico de trabalho, representando o Sol, a Terra e a Lua, e mostrando como estes se relacionam entre si. Foi concebido para mostrar

Leia mais

Movimento Annual do Sol, Fases da Lua e Eclipses

Movimento Annual do Sol, Fases da Lua e Eclipses Movimento Annual do Sol, Fases da Lua e Eclipses FIS02010 Professora Ana Chies Santos IF/UFRGS https://anachiessantos.wordpress.com/ensino/fis02010/ Facebook #AstroUFRGS Relembrando... Sistemas de Coordenadas

Leia mais

Para explicar o equilíbrio existente nesse conjunto organizado de astros a Astrofísica propôs:

Para explicar o equilíbrio existente nesse conjunto organizado de astros a Astrofísica propôs: O SISTEMA SOLAR Para entendermos o mecanismo do "SISTEMA TERRA" temos que ter noções básicas de um contexto mais amplo: o espaço cósmico, onde se processam, entre outros milhares, o "SISTEMA SOLAR". UNIVERSO

Leia mais

Insígnia de Competência de Astrónomo Alguns apontamentos para Exploradores

Insígnia de Competência de Astrónomo Alguns apontamentos para Exploradores Insígnia de Competência de Astrónomo Alguns apontamentos para Exploradores 1 Conhecer a influência do sol, terra e lua nas estações do ano (exs: culturas, flores, frutos, árvores, entre outros) 2 Conhecer

Leia mais

Movimento Anual do Sol, Fases da Lua e Eclipses

Movimento Anual do Sol, Fases da Lua e Eclipses Elementos de Astronomia Movimento Anual do Sol, Fases da Lua e Eclipses Rogemar A. Riffel Sol, Terra e Lua Movimento Diurno do Sol Relembrando a aula passada De leste para oeste; O círculo diurno do Sol

Leia mais

Gabarito dos exercícios do livro Ciências cap. 5 e 6

Gabarito dos exercícios do livro Ciências cap. 5 e 6 COLÉGIO MARIA IMACULADA QI 05 ch. 72 LAGO SUL BRASÍLIA DF E-MAIL: cmidf@cmidf.com.br SITE: www.cmidf.com.br 6ºano 1º PERÍODO Gabarito dos exercícios do livro Ciências cap. 5 e 6 p. 74 Respostas: 1. Lua

Leia mais

Figura 1 - O movimento da Lua em torno da Terra e as diferentes fases da Lua

Figura 1 - O movimento da Lua em torno da Terra e as diferentes fases da Lua Estudo do Meio Físico e Natural I Movimentos reais e aparentes dos astros J. L. G. Sobrinho Centro de Ciências Exactas e da Engenharia Universidade da Madeira A Lua e a Terra A Lua está a sempre visível

Leia mais

SISTEMA SOLAR TERRA, SOL E LUA

SISTEMA SOLAR TERRA, SOL E LUA SISTEMA SOLAR TERRA, SOL E LUA Apresentado por Thays Barreto Março de 2014 TERRA TERRA Terceiro planeta do Sistema Solar, pela ordem de afastamento do Sol; Diâmetro equatorial: 12.756 Km; Diâmetro polar:

Leia mais

Aula 04 Medidas de tempo

Aula 04 Medidas de tempo Aula 04 Medidas de tempo O que é tempo? Os fenômenos astronômicos são periódicos e regulares: tornaram-se os primeiros relógios. E foram os relógios mais precisos até a construção dos relógios atômicos

Leia mais

PAUTA DO DIA. Acolhida Revisão Interatividades Intervalo Avaliação

PAUTA DO DIA. Acolhida Revisão Interatividades Intervalo Avaliação PAUTA DO DIA Acolhida Revisão Interatividades Intervalo Avaliação REVISÃO 1 Astronomia Ciência que estuda os astros e os fenômenos relacionados a eles. REVISÃO 1 Relaciona os fenômenos celestes aos fatos

Leia mais

(QRV3LFD]]LR NÃO HÁ PERMISSÃO DE USO PARCIAL OU TOTAL DESTE MATERIAL PARA OUTRAS FINALIDADES. NASA

(QRV3LFD]]LR NÃO HÁ PERMISSÃO DE USO PARCIAL OU TOTAL DESTE MATERIAL PARA OUTRAS FINALIDADES. NASA $6752120,$'26,67(0$62/$5$*$ 7(55$ H /8$ (QRV3LFD]]LR,$*863 NÃO HÁ PERMISSÃO DE USO PARCIAL OU TOTAL DESTE MATERIAL PARA OUTRAS FINALIDADES. NASA Parâmetros lunares mais relevantes Distância orbital média

Leia mais

1- Durante o dia conseguimos ver apenas o brilho do Sol e não conseguimos ver o brilho de outras estrelas. Explique por que isso acontece.

1- Durante o dia conseguimos ver apenas o brilho do Sol e não conseguimos ver o brilho de outras estrelas. Explique por que isso acontece. Atividade de Estudo - Ciências 5º ano Nome: 1- Durante o dia conseguimos ver apenas o brilho do Sol e não conseguimos ver o brilho de outras estrelas. Explique por que isso acontece. 2- Cite uma semelhança

Leia mais

Prof. Franco Augusto

Prof. Franco Augusto Prof. Franco Augusto Astros São corpos que giram no espaço, classificados de acordo com a luminosidade. Iluminados ou opacos não possuem luz própria, recebendo luz das estrelas. São os planetas, asteroides,

Leia mais

I Olimpíada Brasileira de Astronomia Brasil, 22 de agosto de 1998. Nível 1 GABARITO OFICIAL

I Olimpíada Brasileira de Astronomia Brasil, 22 de agosto de 1998. Nível 1 GABARITO OFICIAL I Olimpíada Brasileira de Astronomia Brasil, 22 de agosto de 1998. Nível 1 GABARITO OFICIAL Questão 1 a) (VALOR: 0,2 pts) Quais os planetas do Sistema Solar que têm sistema de anéis? R: Saturno, Júpiter,

Leia mais

Escola Estadual Jerônimo Gueiros Professor (a) Supervisor (a): Ary Pereira Bolsistas: Ana Moser e Débora Leyse

Escola Estadual Jerônimo Gueiros Professor (a) Supervisor (a): Ary Pereira Bolsistas: Ana Moser e Débora Leyse Universidade Federal do Rio Grande do Norte Centro de Ciências Humanas Letras e Artes Departamento de Geografia Programa Institucional de Iniciação à docência (PIBID) Escola Estadual Jerônimo Gueiros Professor

Leia mais

As Influências da Lua na Terra e o Fenômeno das Marés

As Influências da Lua na Terra e o Fenômeno das Marés UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA As Influências da Lua na Terra e o Fenômeno das Marés Autor: Paulo Meira Bonfim Mantellatto Orientador:

Leia mais

LUZ: se propaga por meio de ondas eletromagnéticas. É o agente físico responsável pela sensação visual.

LUZ: se propaga por meio de ondas eletromagnéticas. É o agente físico responsável pela sensação visual. LUZ: É uma forma de energia radiante, que se propaga por meio de ondas eletromagnéticas. É o agente físico responsável pela sensação visual. RAIO DE LUZ: É uma representação da propagação da Luz RAIO DE

Leia mais

Oficina de CNII/EF Material do Aluno. Tema: Sistema Solar. Prezado Aluno,

Oficina de CNII/EF Material do Aluno. Tema: Sistema Solar. Prezado Aluno, Tema: Sistema Solar Prezado Aluno, Nesta oficina, você desenvolverá atividades que abordam a constituição do Sistema Solar, os movimentos dos astros, os fenômenos celestes e sua relação com o planeta Terra.

Leia mais

Eclipse. (www.seara.ufc.br/astronomia/fenomenos/eclipses.htm. Acesso em: 03.10.2012.)

Eclipse. (www.seara.ufc.br/astronomia/fenomenos/eclipses.htm. Acesso em: 03.10.2012.) Eclipse 1. (G1 - ifsp 2013) Mecanismos do Eclipse A condição para que ocorra um Eclipse é que haja um alinhamento total ou parcial entre Sol, Terra e Lua. A inclinação da órbita da Lua com relação ao equador

Leia mais

Sistema Sol-Terra-Lua

Sistema Sol-Terra-Lua Sistema Sol-Terra-Lua Parte 1 As estações do ano Parte 2 As fases da Lua Parte 3 Eclipses Parte 4 - Marés 1 Parte 1 As estações do ano A latitudes medianas (como a nossa) há variações significativas de

Leia mais

Movimentos da Terra e suas consequências

Movimentos da Terra e suas consequências Movimentos da Terra e suas consequências Movimentos da Terra A Terra descreve, como todos os outros planetas principais do Sistema Solar: Movimento de rotação movimento em torno de si própria, em volta

Leia mais

GABARITO DA PROVA OLÍMPICA DO NÍVEL II DA II OBA

GABARITO DA PROVA OLÍMPICA DO NÍVEL II DA II OBA 1. A astronomia estuda tudo que está fora da Terra, como por exemplo, os planetas, as estrelas, os cometas, as galáxias, as constelações, os movimentos destes corpos, etc. Para observar estes corpos basta

Leia mais

As estações do ano acontecem por causa da inclinação do eixo da Terra em relação ao Sol. O movimento do nosso planeta em torno do Sol, dura um ano.

As estações do ano acontecem por causa da inclinação do eixo da Terra em relação ao Sol. O movimento do nosso planeta em torno do Sol, dura um ano. PROFESSORA NAIANE As estações do ano acontecem por causa da inclinação do eixo da Terra em relação ao Sol. O movimento do nosso planeta em torno do Sol, dura um ano. A este movimento dá-se o nome de movimento

Leia mais

As Fases da Lua iluminado pela luz do Sol A fase da lua representa o quanto dessa face iluminada pelo Sol está voltada também para a Terra

As Fases da Lua iluminado pela luz do Sol A fase da lua representa o quanto dessa face iluminada pelo Sol está voltada também para a Terra As Fases da Lua À medida que a Lua viaja ao redor da Terra ao longo do mês, ela passa por um ciclo de fases, durante o qual sua forma parece variar gradualmente. O ciclo completo dura aproximadamente 29,5

Leia mais

UNIDADE 2: ASTRONOMIA

UNIDADE 2: ASTRONOMIA UNIDADE 2: ASTRONOMIA ARISTÓTELES (384-322 a.c.) Afirmou que a Terra era redonda devido à sombra esférica deixada por ela durante o eclipse lunar. ERATÓSTENES (273-194 a.c.) Mediu a circunferência da Terra

Leia mais

Movimentos da Terra. 4) Número de aulas: São seis etapas que serão divididas em aulas a critério do professor.

Movimentos da Terra. 4) Número de aulas: São seis etapas que serão divididas em aulas a critério do professor. Movimentos da Terra 1) Objetivo Geral Aplicar os conhecimentos sobre os movimentos da Terra e da Lua para o cotidiano, e mais especificamente, para a economia de energia elétrica como o horário de verão

Leia mais

As fases da Lua. Depois do Sol, o astro que sempre despertou. Desenhe as fases da Lua que você conhece.

As fases da Lua. Depois do Sol, o astro que sempre despertou. Desenhe as fases da Lua que você conhece. A U A UL LA Acesse: http://fuvestibular.com.br/ As fases da Lua Atenção Depois do Sol, o astro que sempre despertou mais o interesse das pessoas foi a Lua. Percorrendo a escuridão celeste, a Lua vem iluminando

Leia mais

15 O sistema solar e seus planetas

15 O sistema solar e seus planetas A U A UL LA Atenção O sistema solar e seus planetas Leia com atenção as notícias abaixo, que apareceram em jornais de diferentes épocas. ANO DE 1781 CIENTISTAS DESCOBREM NOVO PLANETA De há quase 2.000

Leia mais

www.educandusweb.com.br

www.educandusweb.com.br Sistema Terra-Lua-Sol Índice 1. Introdução... 3 2. Simulador... 3 2.1 Painel Principal... 3 O que ocorreu com dimensões e distâncias dos corpos estudados?... 5 2.2 Visualização - Wireframe/Texturizada...

Leia mais

AUTORES: NANCY MARTINS DE SÁ STOIANOV

AUTORES: NANCY MARTINS DE SÁ STOIANOV Ciências AUTORES: NANCY MARTINS DE SÁ STOIANOV Graduada em História e Pedagogia, Doutora em Filosofia e Metodologia de Ensino, Autora da Metodologia ACRESCER. REGINALDO STOIANOV Licenciatura Plena em Biologia,

Leia mais

ENSINO MÉDIO 01 - PLANETA TERRA FORMA E MOVIMENTO

ENSINO MÉDIO 01 - PLANETA TERRA FORMA E MOVIMENTO ENSINO MÉDIO 01 - PLANETA TERRA FORMA E MOVIMENTO QUESTÃO 01 - Sobre as características gerais dos movimentos terrestres, julgue os itens: a) É incorreto dizer que o Sol nasce a leste e se põe a oeste,

Leia mais

Insígnia de Competência de Astrónomo Alguns apontamentos para Exploradores

Insígnia de Competência de Astrónomo Alguns apontamentos para Exploradores Insígnia de Competência de Astrónomo Alguns apontamentos para Exploradores 1 Conhecer a influência do sol, terra e lua nas estações do ano (exs: culturas, flores, frutos, árvores, entre outros) 2 Conhecer

Leia mais

OS VENTOS, AS ONDAS E AS MARÉS COMO AGENTES GEOLÓGICOS DE SUPERFÍCIE MODELADORES DAS FAIXAS LITORÂNEAS ARTIGO 9. Pelo Geólogo Josué Barroso

OS VENTOS, AS ONDAS E AS MARÉS COMO AGENTES GEOLÓGICOS DE SUPERFÍCIE MODELADORES DAS FAIXAS LITORÂNEAS ARTIGO 9. Pelo Geólogo Josué Barroso OS VENTOS, AS ONDAS E AS MARÉS COMO AGENTES GEOLÓGICOS DE SUPERFÍCIE MODELADORES DAS FAIXAS LITORÂNEAS 1 Origens dos Agentes Geológicos ARTIGO 9 Pelo Geólogo Josué Barroso Inicialmente, como base para

Leia mais

Extensivo noite - Aulas 01 e 02

Extensivo noite - Aulas 01 e 02 1. (Unesp 2011) A figura 1 mostra um quadro de Georges Seurat, grande expressão do pontilhismo. De forma grosseira podemos dizer que a pintura consiste de uma enorme quantidade de pontos de cores puras,

Leia mais

XI OLIMPÍADA REGIONAL DE CIÊNCIAS-2009 O Sistema Solar

XI OLIMPÍADA REGIONAL DE CIÊNCIAS-2009 O Sistema Solar XI OLIMPÍADA REGIONAL DE CIÊNCIAS-2009 O Sistema Solar Gabarito Primeira Fase Cruzadinha 3 6 1 V Ê N U S E 2 L U A 8 1 S N M 3 E S P E C T R O S C O P I A Q 2 R R U T E 4 É I 4 E C L Í P T I C A 7 N R

Leia mais

Eclipse e outros fenômenos

Eclipse e outros fenômenos Eclipse e outros fenômenos Oficina de CNII/EF Presencial e EAD Todos os dias vários fenômenos ocorrem ao nosso redor, muito próximo de nós. Alguns são tão corriqueiros que nem percebemos sua ocorrência.

Leia mais

EFEMÉRIDES DO MÊS DE AGOSTO DE 2014

EFEMÉRIDES DO MÊS DE AGOSTO DE 2014 EFEMÉRIDES DO MÊS DE AGOSTO DE 2014 POSIÇÃO GEOGRÁFICA: LATITUDE: -8.1º LONGITUDE: -34.9º LATITUDE: 8º 0 48.1 Sul LONGITUDE: 34º 51 3.4 Oeste CALENDÁRIO DO CÉU COM OS HORÁRIOS DE VISIBILIDADE DOS OBJETOS

Leia mais

18 a OBA GABARITO DA PROVA DO NÍVEL 3-2015 -

18 a OBA GABARITO DA PROVA DO NÍVEL 3-2015 - 18 a OBA GABARITO DA PROVA DO NÍVEL 3-2015 - Veja o gabarito em nossa home page www.oba.org.br Nota de Astronomia: Nota de Astronáutica: Nota Final: Observação: A Nota Final é a soma das notas de Astronomia

Leia mais

Terra: um planeta no Universo. O Universo não foi feito à medida do ser humano, mas tampouco lhe é adverso, é-lhe indiferente.

Terra: um planeta no Universo. O Universo não foi feito à medida do ser humano, mas tampouco lhe é adverso, é-lhe indiferente. Terra: um planeta no Universo. O Universo não foi feito à medida do ser humano, mas tampouco lhe é adverso, é-lhe indiferente. [Carl Sagan] A Terra é um palco muito pequeno numa imensa arena cósmica.

Leia mais

A Geometria e as distâncias astronômicas na Grécia Antiga

A Geometria e as distâncias astronômicas na Grécia Antiga A Geometria e as distâncias astronômicas na Grécia Antiga Geraldo Ávila Qual é o mais distante: o Sol ou a Lua? Quais os tamanhos da Terra, Sol e Lua? A busca das respostas à essas perguntas intrigantes

Leia mais

Leis de Newton e Forças Gravitacionais

Leis de Newton e Forças Gravitacionais Introdução à Astronomia Leis de Newton e Forças Gravitacionais Rogério Riffel Leis de Newton http://www.astro.ufrgs.br/bib/newton.htm Newton era adepto das ideias de Galileo. Galileo: Um corpo que se move,

Leia mais

Geografia Fascículo 12 Fernanda Zuquim Guilherme De Benedictis

Geografia Fascículo 12 Fernanda Zuquim Guilherme De Benedictis Geografia Fascículo 12 Fernanda Zuquim Guilherme De Benedictis Índice Noções de Cartografia e Astronomia Resumo Teórico...1 Exercícios...6 Gabarito...9 Noções de Cartografia e Astronomia Resumo Teórico

Leia mais

EFEMÉRIDES DO MÊS DE OUTUBRO DE 2014

EFEMÉRIDES DO MÊS DE OUTUBRO DE 2014 EFEMÉRIDES DO MÊS DE OUTUBRO DE 2014 POSIÇÃO GEOGRÁFICA: LATITUDE: -8.1º LONGITUDE: -34.9º LATITUDE: 8º 0 48.1 Sul LONGITUDE: 34º 51 3.4 Oeste CALENDÁRIO DO CÉU COM OS HORÁRIOS DE VISIBILIDADE DOS OBJETOS

Leia mais

As variações dos intervalos de tempo entre as fases principais da Lua

As variações dos intervalos de tempo entre as fases principais da Lua As variações dos intervalos de tempo entre as fases principais da Lua REVISTA BRASILEIRA DE ENSINO DE FÍSICA, SÃO PAULO, 23 (3): 300 307, SETEMBRO, 2001 Fernando Lang da Silveira Universidade Federal do

Leia mais

Movimento real e aparente das estrelas e dos planetas

Movimento real e aparente das estrelas e dos planetas José Laurindo Sobrinho Grupo de Astronomia da Universidade da Madeira Fevereiro 2014 Movimento real e aparente das estrelas e dos planetas 1 O Movimento da Lua A Lua apresenta sempre a mesma face virada

Leia mais

ÓPTICA. Conceito. Divisões da Óptica. Óptica Física: estuda os fenômenos ópticos que exigem uma teoria sobre a natureza das ondas eletromagnéticas.

ÓPTICA. Conceito. Divisões da Óptica. Óptica Física: estuda os fenômenos ópticos que exigem uma teoria sobre a natureza das ondas eletromagnéticas. ÓPTICA Conceito A óptica é um ramo da Física que estuda os fenomenos relacionados a luz ou, mais amplamente, a radiação eletromagnética, visível ou não. A óptica explica os fenômenos de reflexão, refração

Leia mais

Mariângela de Oliveira-Abans. MCT/Laboratório Nacional de Astrofísica

Mariângela de Oliveira-Abans. MCT/Laboratório Nacional de Astrofísica Mariângela de Oliveira-Abans MCT/Laboratório Nacional de Astrofísica J unho 2003 Árvores Que Estiveram Lá 31/01/1971: a nave Apollo 14 partiu em direção à Lua Os astronautas Shepard e Mitchell desceram

Leia mais

Os s Ecl c i l p i s p e s s 08 R. R B o B c o z c ko k 01 03 IAG A -US U P S

Os s Ecl c i l p i s p e s s 08 R. R B o B c o z c ko k 01 03 IAG A -US U P S Os Eclipses 08 01 03 R. Boczko IAG-USP Seqüência de um Eclipse Solar Sol visto no céu 00:00 Início do Eclipse Solar Parcial 00:10 Eclipse Solar Parcial 00:20 Eclipse Solar Parcial 00:30 Eclipse Solar Parcial

Leia mais

EXPLICANDO ASTRONOMIA BÁSICA COM UMA BOLA DE ISOPOR1

EXPLICANDO ASTRONOMIA BÁSICA COM UMA BOLA DE ISOPOR1 EXPLICANDO ASTRONOMIA BÁSICA COM UMA BOLA DE ISOPOR1 João Batista Garcia Canalle Instituto de Física-UERJ Rio de Janeiro - RJ Resumo Neste trabalho mostramos como usar uma bola de isopor para explicar

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS 1ª SÉRIE

LISTA DE EXERCÍCIOS 1ª SÉRIE 1. (Uemg 2014) Em uma aula sobre Gravitação, o professor de Física resolveu escrever um poema e mostrá-lo a seus alunos: O Sol e a Lua num balé em torno da Terra. Ora a Lua está entre o Sol e a Terra.

Leia mais

1. Completa os espaços em branco de forma a obter afirmações verdadeiras.

1. Completa os espaços em branco de forma a obter afirmações verdadeiras. Agrupamento de Escolas Anselmo de Andrade Teste de Ciências Físico - Químicas 7.º Ano Ano Lectivo 08/09 Duração do Teste: 70 minutos Data: 05 / 01 / 09 Prof. Dulce Godinho Nome N.º Turma Prof. Classificação

Leia mais

Introdução À Astronomia e Astrofísica 2010

Introdução À Astronomia e Astrofísica 2010 CAPÍTULO 3 ESTAÇÕES DO ANO E INSOLAÇÃO SOLAR. Movimento Anual do Sol e as Estações do Ano. Estação em diferentes latitudes. Insolação Solar. Recapitulando a aula anterior: Capítulo 2 Trigonometria Esférica

Leia mais

A HORA PELO MUNDO. Inicial

A HORA PELO MUNDO. Inicial Inicial Até o final do século XIX, cada cidade utilizava um sistema de horas exclusivo, baseado no momento em que o Sol atingia o ponto mais alto no céu. Nesse instante, era meio-dia na cidade. A marcação

Leia mais

Sistema Terra-Lua-Sol: Fases e eclipses

Sistema Terra-Lua-Sol: Fases e eclipses : Fases e eclipses Rosa M. Ros International Astronomical Union, Universidad Politécnica de Cataluña (Barcelona, España) Resumo São apresentados alguns modelos sobre as fases da Lua e os eclipses do Sol

Leia mais

Podemos considerar a elipse como uma circunferência achatada. Para indicar o maior ou menor achatamento, definimos a excentricidade:

Podemos considerar a elipse como uma circunferência achatada. Para indicar o maior ou menor achatamento, definimos a excentricidade: Leis de Kepler Considerando um referencial fixo no Sol, por efeito da lei da gravitação universal, o movimento dos planetas ao redor do Sol acontece segundo as três leis de Kepler. Na verdade, as leis

Leia mais

As divisões da óptica

As divisões da óptica ÓPTICA As divisões da óptica Óptica física : Estuda a natureza da luz. Óptica fisiológica: Estuda os mecanismos responsáveis pela visão. Óptica geométrica: Estuda os fenômenos relacionados à trajetória

Leia mais

Física. Resolução das atividades complementares. F7 Introdução à Óptica geométrica

Física. Resolução das atividades complementares. F7 Introdução à Óptica geométrica Resolução das atividades complementares 3 Física F7 Introdução à Óptica geométrica p. 10 1 (FMTM-MG) O princípio da reversibilidade da luz fica bem exemplificado quando: a) holofotes iluminam os atores

Leia mais

COMPANHEIRO DE TODOS OS DIAS

COMPANHEIRO DE TODOS OS DIAS Instituto de Educação infantil e juvenil Verão, 2012. Londrina, de. Nome: Ano: TEMPO Início: Término: Total: Edição I MMXII fase 3 Grupo B COMPANHEIRO DE TODOS OS DIAS Questão 1 O calendário que segue

Leia mais

Movimento Anual do Sol, Fases da Lua e Eclipses

Movimento Anual do Sol, Fases da Lua e Eclipses Hipertexto: http://www.astro.if.ufrgs.br Fundamentos de Astronomia e Astrofísica Movimento Anual do Sol, Fases da Lua e Eclipses Rogemar A. Riffel e-mail: rogemar@ufrgs.br http://www.if.ufrgs.br/~rogemar

Leia mais

CALENDÁRIO DO CÉU PARA O MÊS DE JUNHO DE 2014

CALENDÁRIO DO CÉU PARA O MÊS DE JUNHO DE 2014 CALENDÁRIO DO CÉU PARA O MÊS DE JUNHO DE 2014 POSIÇÃO GEOGRÁFICA: LATITUDE: -8.1º LONGITUDE: -34.9º LATITUDE: 8º 0 48.1 Sul LONGITUDE: 34º 51 3.4 Oeste CALENDÁRIO DO CÉU COM OS HORÁRIOS DE VISIBILIDADE

Leia mais

CÉU DE SETEMBRO. Mapa das regiões do céu. (constelações) visto de. Olinda, em 15 de. setembro de 2015, às. 19:00 horas.

CÉU DE SETEMBRO. Mapa das regiões do céu. (constelações) visto de. Olinda, em 15 de. setembro de 2015, às. 19:00 horas. CÉU DE SETEMBRO Mapa das regiões do céu (constelações) visto de Olinda, em 15 de setembro de 2015, às 19:00 horas. EVENTO DO ANO ECLIPSE TOTAL DA LUA (27/09 DOMINGO) A sombra da Terra cobrirá o lado visível

Leia mais

Introdução À Astronomia e Astrofísica 2010

Introdução À Astronomia e Astrofísica 2010 CAPÍTULO 7 ÓRBITA DOS PLANETAS. LEIS DE KEPLER E DE NEWTON. Movimento dos Planetas. O Modelo Geocêntrico. O Modelo Heliocêntrico. Leis de Kepler. Isaac Newton e Suas Leis. Recapitulando as aulas anteriores:

Leia mais

GUIA DO PROFESSOR 1. Introdução

GUIA DO PROFESSOR 1. Introdução GUIA DO PROFESSOR Título: As crônicas de Kepléria O apogeu Categoria: Física Subcategoria: Eclipses e Fases da Lua Efeito da força de atração gravitacional no Sistema Terra - Lua - Sol 1. Introdução Segundo

Leia mais

Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica Comitê Científico e Didático. Processo de Seleção para Olimpíadas Internacionais de 2011

Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica Comitê Científico e Didático. Processo de Seleção para Olimpíadas Internacionais de 2011 Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica Comitê Científico e Didático Processo de Seleção para Olimpíadas Internacionais de 2011 Prova Final RECOMENDAÇÕES GERAIS Respire fundo. Pense. Explique

Leia mais

ÓPTICA GEOMÉTRICA PREGOLINI

ÓPTICA GEOMÉTRICA PREGOLINI ÓPTICA GEOMÉTRICA PREGOLINI ÓPTICA GEOMÉTRICA É a parte da Física que estuda os fenômenos relacionados com a luz e sua interação com meios materiais quando as dimensões destes meios é muito maior que o

Leia mais

www.google.com.br/search?q=gabarito

www.google.com.br/search?q=gabarito COLEGIO MÓDULO ALUNO (A) série 6 ano PROFESSOR GABARITO DA REVISÃO DE GEOGRAFIA www.google.com.br/search?q=gabarito QUESTÃO 01. a) Espaço Geográfico RESPOSTA: representa aquele espaço construído ou produzido

Leia mais

Astor João Schönell Júnior

Astor João Schönell Júnior Astor João Schönell Júnior As galáxias são classificadas morfologicamente (Hubble Sequence): -Espirais -Elípticas -Irregulares - Galáxias SO As galáxias espirais consistem em um disco com braços espirais

Leia mais

O MUNDO QUE VIVEMOS CAPITULO 1 DO VIANELLO E ALVES METEOROLOGIA BÁSICA E APLICAÇÕES

O MUNDO QUE VIVEMOS CAPITULO 1 DO VIANELLO E ALVES METEOROLOGIA BÁSICA E APLICAÇÕES O MUNDO QUE VIVEMOS CAPITULO 1 DO VIANELLO E ALVES METEOROLOGIA BÁSICA E APLICAÇÕES O SOL E O SISTEMA SOLAR SE ENCONTRA NA VIA-LÁCTEA SIMPLES GRAUM DE AREIA ENTRE AS INCONTAVEIS GALÁXIAS DO UNIVERSO VISÍVEL

Leia mais

DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA MARINHA BACHARELADO EM BIOLOGIA MARINHA ONDAS MARINHAS ABILIO SOARES GOMES

DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA MARINHA BACHARELADO EM BIOLOGIA MARINHA ONDAS MARINHAS ABILIO SOARES GOMES DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA MARINHA BACHARELADO EM BIOLOGIA MARINHA ONDAS MARINHAS ABILIO SOARES GOMES 2003 1 ONDAS Fenômeno de propagação de energia de um ponto a outro, sem que ocorra transporte de matéria.

Leia mais

A Terra gira... Nesta aula vamos aprender um pouco mais. sobre o movimento que a Terra realiza em torno do seu eixo: o movimento de

A Terra gira... Nesta aula vamos aprender um pouco mais. sobre o movimento que a Terra realiza em torno do seu eixo: o movimento de A U A U L L A A Terra gira... Nesta aula vamos aprender um pouco mais sobre o movimento que a Terra realiza em torno do seu eixo: o movimento de rotação. É esse movimento que dá origem à sucessão dos dias

Leia mais

Movimento dos Planetas

Movimento dos Planetas Introdução à Astronomia Movimento dos Planetas eclips e.txt Rogério Riffel e-mail: riffel@ufrgs.br http://www.if.ufrgs.br/~riffel Sala: N106 Livro texto: Astronomia e Astrofísica Kepler de Souza Oliveira

Leia mais

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 1ª PROVA PARCIAL DE GEOGRAFIA Aluno(a): Nº Ano: 6º Turma: Data: 26/03/2011 Nota: Professora: Élida Valor da Prova: 50 pontos Assinatura do responsável: Orientações

Leia mais

Física 3 Professor: Rodolfo DATA: / /

Física 3 Professor: Rodolfo DATA: / / Física 3 Professor: Rodolfo DATA: / / 1. A condição para que ocorra um Eclipse é que haja um alinhamento total ou parcial entre Sol, Terra e Lua. A inclinação da órbita da Lua com relação ao equador da

Leia mais

Movimentos e fases da Lua

Movimentos e fases da Lua Movimentos e fases da Fases da Nova Quarto Crescente Cheia Quarto Minguante Nova Nova Crescente Cheia Minguante Crescente Minguante Lunação ou Mês Sinódico 29,530589 dias ~ 29 d 12 h 44 m 03 s O período

Leia mais

Introdução À Astronomia e Astrofísica 2010

Introdução À Astronomia e Astrofísica 2010 CAPÍTULO 6 CÁLCULO DAS SOMBRAS E SIMULAÇÕES. Cálculo do comprimento das Sombras. Cálculo do raio da sombra da Terra à Distância da Lua. Exemplos de Cálculos de Eclipses. Simulações dos Satélites GPS e

Leia mais

Movimentos da Terra e da Lua Medidas de Tempo

Movimentos da Terra e da Lua Medidas de Tempo Movimentos da Terra e da Lua Medidas de Tempo Fases da Lua Eclipses do Sol e da Lua Tempo Solar e Sideral Analema Tempo Atômico Tempo Civil Calendários: egípcio, romano, juliano, gregoriano Ano Bissexto

Leia mais

Mecânica do Sistema Solar

Mecânica do Sistema Solar Mecânica do Sistema Solar IFSP Vicente Barros Mais informações em Click to edit Masterhttp://astro.if.ufrgs.br/index.htm subtitle style Curiosidades - Posição da ISS http://spotthestation.nasa.gov/ Nosso

Leia mais

METEOROLOGIA. Disciplina: Ciências Série: 5ª - 4º BIMESTRE Professor: Ivone Fonseca Assunto: Meteorologia e Astronomia

METEOROLOGIA. Disciplina: Ciências Série: 5ª - 4º BIMESTRE Professor: Ivone Fonseca Assunto: Meteorologia e Astronomia METEOROLOGIA Disciplina: Ciências Série: 5ª - 4º BIMESTRE Professor: Ivone Fonseca Assunto: Meteorologia e Astronomia A meteorologia (do grego meteoros, que significa elevado no ar, e logos, que significa

Leia mais

Astronomia à luz do dia

Astronomia à luz do dia Astronomia à luz do dia (Expresso: 16-05-1998) O Sol revela-nos as suas manchas e a Lua mostra-nos as suas crateras. Vénus e Júpiter estão ao nosso alcance. QUEM nunca observou o Sol através de um telescópio

Leia mais

Docente: Prof. Doutor Ricardo Cunha Teixeira Discentes: Carlos Silva Sara Teixeira Vera Pimentel

Docente: Prof. Doutor Ricardo Cunha Teixeira Discentes: Carlos Silva Sara Teixeira Vera Pimentel Docente: Prof. Doutor Ricardo Cunha Teixeira Discentes: Carlos Silva Sara Teixeira Vera Pimentel Sem a Matemática, não poderia haver Astronomia; sem os recursos maravilhosos da Astronomia, seria completamente

Leia mais

Autor: (C) Ángel Franco García. Ptolomeu e Copérnico. Os planetas do Sistema Solar. Os satélites. Atividades

Autor: (C) Ángel Franco García. Ptolomeu e Copérnico. Os planetas do Sistema Solar. Os satélites. Atividades Nesta página eu apenas traduzi podendo ter introduzido, retirado ou não alguns tópicos, inclusive nas simulações. A página original, que considero muito boa é: Autor: (C) Ángel Franco García O Sistema

Leia mais

EFEMÉRIDES DO MÊS DE ABRIL DE 2014

EFEMÉRIDES DO MÊS DE ABRIL DE 2014 EFEMÉRIDES DO MÊS DE ABRIL DE 2014 POSIÇÃO GEOGRÁFICA: LATITUDE: -8.1º LONGITUDE: -34.9º LATITUDE: 8º 0 48.1 Sul LONGITUDE: 34º 51 3.4 Oeste CALENDÁRIO DO CÉU COM OS HORÁRIOS DE VISIBILIDADE DOS OBJETOS

Leia mais

Oespetáculo da lua cheia nascendo,

Oespetáculo da lua cheia nascendo, Fernando Lang da Silveira Departamento de Física, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil E-mail: lang@if.ufrgs.br Maria de Fátima Oliveira Saraiva Departamento de Astronomia,

Leia mais

Elementos de Astronomia

Elementos de Astronomia Elementos de Astronomia Astronomia Antiga, Esfera Celeste, Coordenadas e Movimento Diurno dos Astros Rogemar A. Riffel Sala 1316 e-mail: rogemar@ufsm.br http://www.ufsm.br/rogemar/ensino.html Por que estudar

Leia mais

01) INTRODUÇÃO À ÓPTICA GEOMÉTRICA: Para efeitos didáticos, podemos dividir o estudo da óptica em duas outras

01) INTRODUÇÃO À ÓPTICA GEOMÉTRICA: Para efeitos didáticos, podemos dividir o estudo da óptica em duas outras LISTA DE TEORIA 01 Goiânia, 03 de Fevereiro de 2015 Série: 3º ano e Curso Turma: Aluno(a): Disciplina: Física Professor: Caçu e-mail: manoel.fisica@gmail.com 01) INTRODUÇÃO À ÓPTICA GEOMÉTRICA: Para efeitos

Leia mais

MÓDULO DE FÍSICA OLIMPÍADA Professor: Daniel Paixão. Movimentos de Rotação, Translação e Estações do ano. AULAS 1 e 2. Fases da Lua. Eclipses.

MÓDULO DE FÍSICA OLIMPÍADA Professor: Daniel Paixão. Movimentos de Rotação, Translação e Estações do ano. AULAS 1 e 2. Fases da Lua. Eclipses. Professor: Daniel Paixão LUNO(): Nº TURM: TURNO: DT: / / COLÉGIO: Movimentos de Rotação, Translação e Estações do ano Terra executa um movimento de revolução ao redor do Sol numa órbita elíptica (excentricidade

Leia mais

TÍTULO: Plano de Aula OS DIAS, AS NOITES E AS ESTAÇÕES DO ANO. Ensino Fundamental/Anos Iniciais. 2º Ano. Ciências. Vida e meio ambiente

TÍTULO: Plano de Aula OS DIAS, AS NOITES E AS ESTAÇÕES DO ANO. Ensino Fundamental/Anos Iniciais. 2º Ano. Ciências. Vida e meio ambiente Org.: Claudio André - 1 Autora: Maria Silva TÍTULO: OS DIAS, AS NOITES E AS ESTAÇÕES DO ANO Nível de Ensino: Ano/Semestre de Estudo Ensino Fundamental/Anos Iniciais 2º Ano Componente Curricular: Ciências

Leia mais

Rotação. Movimentos da Terra. Translação. Estações do Ano. Movimento aparente do Sol. Trópicos: limites da trajetória do Sol

Rotação. Movimentos da Terra. Translação. Estações do Ano. Movimento aparente do Sol. Trópicos: limites da trajetória do Sol Movimentos da Terra Rotação 14 movimentos; Rotação; Translação. Sucessão de dias e noites; Desvio das correntes marítimas; Atração gravitacional; Necessidade de fusos horários. Translação Estações do Ano

Leia mais

CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 6º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ

CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 6º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 6º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ Prova elaborada

Leia mais

DEFINIÇÃO MAIS SIMPLES

DEFINIÇÃO MAIS SIMPLES DINÂMICA COSTEIRA DEFINIÇÃO MAIS SIMPLES A costa é onde a terra, a água e o ar se encontram. As águas desta junção tríplice podem ser doces o salgadas. A costa é melhor observada como zona de mistura ou

Leia mais

Exercícios de Física Gravitação Universal

Exercícios de Física Gravitação Universal Exercícios de Física Gravitação Universal 1-A lei da gravitação universal de Newton diz que: a) os corpos se atraem na razão inversa de suas massas e na razão direta do quadrado de suas distâncias. b)

Leia mais

Estrutura da Terra Contributos para o seu conhecimento

Estrutura da Terra Contributos para o seu conhecimento Estrutura da Terra Contributos para o seu conhecimento O Sistema Terra Lua e o passado da Terra O Sistema Terra Lua A conquista da Lua pelo Homem (em 21 de Julho de 1969), tornou possível conhecer com

Leia mais

A Terra em Realidade Aumentada

A Terra em Realidade Aumentada A Terra em Realidade Aumentada www.constellatius.com Edmilson Souza Barreto Simone de Oliveira Tenório A Terra em Realidade Aumentada Edmilson Souza Barreto Simone de Oliveira Tenório Livro com aplicação

Leia mais

Boa tarde a todos!! Sejam bem vindos a aula de Física!! Professor Luiz Fernando

Boa tarde a todos!! Sejam bem vindos a aula de Física!! Professor Luiz Fernando Boa tarde a todos!! Sejam bem vindos a aula de Física!! Professor Luiz Fernando Minha História Nome: Luiz Fernando Casado 24 anos Naturalidade: São José dos Campos Professor de Física e Matemática Formação:

Leia mais

Grupo de trabalho: OBJECTIVOS. Realizar actividades em parceria com outras escolas.

Grupo de trabalho: OBJECTIVOS. Realizar actividades em parceria com outras escolas. FAZER HISTÓRIA: descobrir o valor do raio da Terra e estimar a distância à Lua Data: / / Grupo de trabalho: OBJECTIVOS Relacionar a sombra projectada pelo Sol em lugares com diferentes latitudes, para

Leia mais

06-01-2012. Sumário. O Sistema Solar. Principais características dos planetas do Sistema Solar 05/01/2012. 23 e 24

06-01-2012. Sumário. O Sistema Solar. Principais características dos planetas do Sistema Solar 05/01/2012. 23 e 24 Sumário Os planetas do Sistema Solar e as suas principais características. (BI dos Planetas do Sistema Solar). Atividade Prática de Sala de Aula Características dos planetas. Preenchimento de tabelas,

Leia mais

OLIMPÍADAS NACIONAIS DE FÍSICA 2011. Problema 1

OLIMPÍADAS NACIONAIS DE FÍSICA 2011. Problema 1 OLIMPÍADAS NACIONAIS DE FÍSICA 2011 4 DE JUNHO DE 2011 DURAÇÃO DA PROVA: 1 h 15 min PROVA TEÓRICA ESCALÃO A Problema 1 Os planetas: grãozinhos areia num Universo a perr vista! A Luana adora olhar o céu

Leia mais