MANEJO E MONITORAMENTO DE MOSCAS-DAS-FRUTAS. Adalton Raga & Miguel Francisco de Souza Filho

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANEJO E MONITORAMENTO DE MOSCAS-DAS-FRUTAS. Adalton Raga & Miguel Francisco de Souza Filho"

Transcrição

1 MANEJO E MONITORAMENTO DE MOSCAS-DAS-FRUTAS Adalton Raga & Miguel Francisco de Souza Filho Instituto Biológico, Centro Experimental Central do Instituto Biológico, CP 70, CEP , Campinas, SP, Brasil. ou Introdução A fruticultura brasileira atualmente é considerada uma das maiores do mundo, no que se refere à produção de frutas frescas e área cultivada, todavia, é muito reduzida a produção destinada para o mercado externo. O baixo nível tecnológico aplicado no cultivo das fruteiras, que se reflete na qualidade dos frutos produzidos, como exemplo os problemas fitossanitários (pragas, doenças e plantas daninhas), são fatores que contribuem para essa situação. O Estado de São Paulo apresenta uma fruticultura bastante diversificada, que tem crescido significativamente nos últimos 10 anos, abrangendo fruteiras de clima tropical, subtropical e temperadas, exploradas em função das condições edafoclimáticas e agronômicas disponíveis. As moscas-das-frutas (Diptera: Tephritidae) são as principais pragas da fruticultura mundial, considerando-se os danos diretos que causam e a capacidade de adaptação a outras regiões, quando introduzidas (praga quarentenária). No Brasil, as espécies de moscas-das-frutas de importância econômica englobam-se nos gêneros Anastrepha e Ceratitis. As diversas espécies de Anastrepha são nativas do continente americano, enquanto Ceratitis capitata (Wied.) conhecida como mosca-do-mediterrâneo é a única representante do gênero no país, sendo originária do continente africano. Em face da importância dessas pragas, é importante ressaltar que o fruticultor brasileiro gasta grandes quantidades de inseticidas para o controle de moscas-das-frutas, sem o conhecimento adequado das espécies infestantes, do seu grau de infestação, da distribuição espacial das plantas hospedeiras e do controle biológico natural. Principais espécies de moscas-das-frutas no Estado de São Paulo Em todo o território paulista ocorrem moscas-das-frutas, nas áreas rurais, urbanas e de preservação. As principais espécies que causam danos à fruticultura paulista são as seguintes, em ordem de importância: Anastrepha fraterculus (Wied.), C. capitata, Anastrepha obliqua (Macquart) e Anastrepha sororcula Zucchi. As culturas de caqui, maracujá-doce e nêspera, sofrem freqüentes ataques de moscas-das-frutas, que nessas culturas se constituem como pragas-chaves. Para essas frutíferas, as espécies de moscas associadas são: 43

2 Caqui Anastrepha fraterculus* e Ceratitis capitata* Maracujá-doce Anastrepha consobrina, Anastrepha pseudoparallela* e Ceratitis capitata Nêspera Anastrepha fraterculus*, Anastrepha obliqua e Ceratitis capitata* *Espécies de moscas-das-frutas mais importantes para as respectivas fruteiras. Ciclo Biológico O ciclo de vida das moscas-das-frutas ocorre em três ambientes conforme o esquema a seguir: Espécies de moscas-das-frutas Ciclo de vida em dias a 25 o C Ovo Larva Pupa Pré-oviposição Anastrepha fraterculus Ceratitis capitata O período de duração do ciclo de vida das moscas-das-frutas é dependente de vários fatores, principalmente da temperatura, da planta hospedeira e da própria espécie de mosca. Ceratitis capitata apresenta a duração do seu ciclo de ovo a adulto em torno de 18 a 30 dias no verão enquanto que A. fraterculus varia de 25 a 35 dias. Em épocas ou regiões de baixas temperaturas o ciclo é prolongado. Caracterização dos danos Os danos das moscas-das-frutas são causados diretamente nos frutos pela fêmea adulta (perfuração do fruto por ocasião da oviposição) e pelas larvas (consumo da polpa provocando um apodrecimento interno). Em caqui, 44

3 os danos iniciam-se com o aparecimento de pontos amolecidos na polpa no início de amadurecimento até generalizarem por todo o fruto que em seguida, apodrece e cai. No maracujá-doce o ataque pode ocorrer tanto em frutos verdes como maduros, causando murchamento e posterior queda dos mesmos. A nêspera, quando sofre alta infestação, apresenta diversas pontuações escuras na epiderme decorrentes da grande quantidade de puncturas das fêmeas e a polpa no decorrer do amadurecimento começa a escurecer. Plantas hospedeiras e sucessão hospedeira O conhecimento de plantas hospedeiras na região onde se pretende estabelecer um programa de controle de moscas-das-frutas é de primordial importância, uma vez que o ataque nas fruteiras comerciais ocorre pela migração das moscas para o pomar. O Estado de São Paulo apresenta um grande número de espécies vegetais hospedeiras de moscas-das-frutas (Quadro 1), com amadurecimento de frutos em diferentes estações do ano, proporcionando assim, o aumento da densidade populacional da praga e sua ampla distribuição por todo território. Essa seqüência de eventos caracteriza o fenômeno conhecido como sucessão hospedeira. Outro fator que também favorece o estabelecimento das moscas-das-frutas é a existência de diversos ciclos de frutificação de um mesmo hospedeiro ao longo do ano, a exemplo da goiaba, carambola, nêspera, citros e chapéude-sol (Tabela 1). Monitoramento O processo de avaliação do número de espécies de moscas-das-frutas e a sua distribuição em cada localidade produtora é chamado de monitoramento. Esse sistema pode enfocar a análise de ovos e larvas diretamente nos frutos ou indiretamente através do uso de armadilhas que capturam adultos. Os modelos de armadilhas (frascos) mais usados no Brasil são os seguintes: 1. MacPhail confeccionado em plástico ou vidro 2. Biológico - confeccionado em plástico ou vidro 3. Pet confeccionado a partir de recipientes de refrigerante de 2 L Tabela 1 - Ocorrência de mosca-das-frutas nas plantas hospedeiras mais comuns no Estado de São Paulo. Plantas hospedeiras Moscas-das-frutas Nome comum Nome científico Ceratitis Anastrepha Anastrepha Anastrepha capitata fraterculus obliqua pseudoparallela Anacardiaceae 1. Cajá-manga Spondias dulcis X X X - 2. Manga Mangijera indica X X X X 45

4 Tabela 1 - Continuação Plantas hospedeiras Moscas-das-frutas Nome comum Nome científico Ceratitis Anastrepha Anastrepha Anastrepha capitata fraterculus obliqua pseudoparallela 3. Siriguela Spondias purpurea X X X - Combretaceae 4. Chapéu.de- Terminalia catappa X X X - sol Ebenaceae 5. Caqui Diospyrus kaki X X - - Malpighiaceae 6. Acerola Malpighia glabra X X - - Myrtaceae 7. Araçá Psidium cattleyanum X X Goiaba Psidium guajava X X X - 9. Jabuticaba Myrciaria cauliflora X X Jambo Syzygium jambos X X X Pitanga Eugenia uniflora X X X Uvaia Eugenia pyriformis X X X - Oxalidaceae 13. Carambola Averrhoa carambola X X X - Passifloraceae 14. Maracujá- Passiflora alata X X X - doce Rosaceae 15. Nêspera Eriobotrya japonica X X X Pêra Pyrus communis X X Pêssego Prunus persica X X X - Rubiaceae 18. Café Coffea arabica X X - - Rutaceae 19. Laranja-doce Citrus sinensis X X Limão-cravo Citrus limonia X X Kunquat Fortunella sp. X X X Mexirica do Citrus deliciosa X Rio 23. Tangerina Citrus reticulata X X - - Cravo 24. Tangerina Citrus reticulata X X - - "Ponkan" 25. Tangor Citrus reticulata X X X - Murcott Citrus sinensis Sapotaceae 26. Abiu Pouteria caimito X X

5 Todos os modelos citados utilizam isca líquida como atraente alimentar, geralmente à base de melaço de cana-de-açúcar a 5-7% ou proteína hidrolisada de milho a 5%. No caso de maracujá, pode ser acrescido nos frascos o suco da fruta diluído a 10%. Deve-se evitar a adição de inseticida na calda colocada nas armadilhas. O alvo principal do monitoramento é capturar as fêmeas que, no período que antecede o início da oviposição, necessitam grandemente de substâncias protéicas e carboidratos, embora também machos sejam coletados nos frascos. A periodicidade de reabastecimento das armadilhas é de 7 a 10 dias, dependendo da época do ano. Os modelos mencionados capturam tanto C. capitata como as espécies de Anastrepha. O monitoramento deve dar condições de previsibilidade da infestação de moscas-das-frutas e por isso o armadilhamento é intensificado na periferia dos pomares, detectando populações invasoras. Os frascos são distribuídos a cada 50 m, contornando a área produtora e também no interior do pomar, presos em ramos firmes a 1,80 m de altura. A época de instalação das armadilhas para moscas-das-frutas varia de acordo com a fruteira. Nos casos de caqui, nêspera e maracujá doce o monitoramento deve ser implantado logo no início do desenvolvimento dos frutos. Controle O êxito no controle de moscas-das-frutas sempre se baseia na integração de vários métodos de controle, uma vez que essas espécies apresentam características que as distinguem como pragas-chaves, como a alta produção de ovos, alta viabilidade de ovos, alta capacidade de dispersão de adultos e de colonização sob diferentes condições ecológicas. Cultural Esse método quando empregado para moscas-das-frutas se baseia principalmente em 2 aspectos: Destruição de frutos hospedeiros - procedimento muito importante para a redução dos níveis das populações invasoras provenientes de hospedeiros naturais Ensacamento dos frutos - tem se constituído em tática eficiente para evitar a oviposição. Deve ser efetuado nos primeiros estágios de desenvolvimento dos frutos. Para isso os frutos devem estar livres da presença de cochonilhas. O tipo de saco utilizado para maracujá doce é o mesmo empregado para goiaba de mesa. Para nêspera, prepara-se o ensacamento com papel jornal com a extremidade posterior aberta. Controle biológico Dentre os predadores, patógenos e parasitóides que atuam no controle biológico, este último grupo se constitui no principal mecanismo de redução natural das populações de moscas-das-frutas, agindo nas fases larval e 47

6 pupal. Na Tabela 2 é apresentada a espécie de parasitóide e respectivos hóspedes/hospedeiros. Tabela 2 - Espécies de parasitóides relacionadas a algumas espécies de Anastrepha no Estado de São Paulo. Espécie de Parasitóide Hóspede Doryctobracon areolatus (Szépligeti) Doryctobracon brasiliensis (Szépligeti) Opius bellus Gahan Utetes anastrephae (Viereck) A. fraterculus, A. obliqua, A. pseudoparallela A. fraterculus A. fraterculus, A. obliqua A. fraterculus Controle químico Baseia-se no emprego de inseticidas em cobertura total ou na forma de iscas tóxicas. A forma de menor impacto desse método é o de iscas tóxicas, que são preparadas conforme a forma descrita anteriormente para isca utilizada em frascos. A isca tóxica geralmente é aplicada em ruas alternadas visando a folhagem e não o fruto, em apenas uma parte da copa das plantas, não superior a 1 m 2 e a intervalos de 7-10 dias. O tratamento deve ser implantado no início do desenvolvimento dos frutos. No Quadro 3 é apresentada uma lista de inseticidas com uso autorizado para 3 fruteiras no Estado de São Paulo. Quadro 3 - Produtos cadastrados para o controle de moscas-das-frutas no Estado de São Paulo. Cultura/ Produto Dose de produto Modo Carência ingrediente comercial comercial Caqui Fenthion Lebaycid 500 0,10% Cobertura 21 dias Parathion metílico Folidol 600 0,10% Cobertura 15 dias Folisuper 600BR 0,07-0,1% Cobertura 15 dias Mentox 600CE 0,1% Cobertura 15 dias Triclorfon Dipterex 500 0,3% ou Cobertura 7 dias 0,24% + 0,2% Proteína Iscas 0,24% + 10% Melaço Nêspera Fenthion Lebaycid 500 0,10% Cobertura 21 dias Maracujá Fenthion Lebaycid 500 0,10% Cobertura 21 dias Fonte: Coordenadoria de Defesa Agropecuária - Abril/2000 BIBLIOGRAFIA CONSULTADA MALAVASI, A. & ZUCCHI, R.A. Moscas-das-frutas de importância econômica no Brasil. Conhecimento básico e aplicado. Ribeirão Preto: Holos, p. 48

7 RAGA, A.; SOUZA FILHO, M.F.; ARTHUR, V.; MARTINS, A.L.M. Avaliação da infestação de moscas-das-frutas em variedades de café (Coffea spp.). Arquivos do Instituto Biológico, São Paulo, v.63, n. 2, p.59-63, RAGA, A.; SOUZA FILHO, M.F.; SATO. M.E.; CERÁVOLO, L.C. Dinâmica populacional de adultos de moscas-das-frutas (Diptera: Tephritidae) em pomar de citros de Presidente Prudente, SP. Arquivos do Instituto Biológico, São Paulo, v.63, n.2, p.23-28, RAGA, A.; SOUZA FILHO, M.F.; ARTHUR, V.; SATO, M.E.; MACHADO, L.A.; BATISTA FILHO, A. Observações sobre a incidência de moscas-das-frutas (Diptera, Tephritidae) em frutos de laranja (Citrus sinensis). Arquivos do Instituto Biológico, São Paulo, v.64, n.2, p , SOUZA F ILHO, M.F. Biodiversidade de moscas-das-frutas (Diptera: Tephritidae) e seus parasitóides (Hymenoptera) em plantas hospedeiras no Estado de São Paulo. Piracicaba: p. [Dissertação (Mestrado) Escola Supeior de Agricultura Luis de Queiroz, Univ. de São Paulo]. SOUZA F ILHO, M.F. & RAGA A. Moscas-das-frutas: mudanças nas condições climáticas favorecem o aumento desses insetos. Citricultura Atual, v.4, p.12, SOUZA FILHO, M.F.; RAGA A. & ZUCCHI, R.A. Moscas-das-frutas: a importância relativa das espécies em citros do Estado de São Paulo. Citricultura Atual, v.10, p.12, SOUZA FILHO, M.F.; RAGA A. & ZUCCHI, R.A. Moscas-das-frutas nos Estados brasileiros: São Paulo. In: MALAVASI, A. & ZUCCHI, R.A. (Eds.). Moscas-das-frutas de importância econômica no Brasil. Conhecimento básico e aplicado. Ribeirão Preto: Holos, p

INCIDÊNCIA, MONITORAMENTO E CONTROLE DE MOSCAS-DAS-FRUTAS NA CITRICULTURA PAULISTA

INCIDÊNCIA, MONITORAMENTO E CONTROLE DE MOSCAS-DAS-FRUTAS NA CITRICULTURA PAULISTA ENTOMOLOGIA INCIDÊNCIA, MONITORAMENTO E CONTROLE DE MOSCAS-DAS-FRUTAS NA CITRICULTURA PAULISTA ADALTON RAGA 1 RESUMO As moscas-das-frutas (Diptera: Tephritidae), insetos que afetam a produção de citros,

Leia mais

Ocorrência e hospedeiros de Ceratitis capitata na Amazônia brasileira

Ocorrência e hospedeiros de Ceratitis capitata na Amazônia brasileira Capítulo 12 Ocorrência e hospedeiros de Ceratitis capitata na Amazônia brasileira Ricardo Adaime da Silva Walkymário de Paulo Lemos Roberto Antonio Zucchi Introdução O gênero Ceratitis é composto por

Leia mais

MOSCAS-DAS-FRUTAS (DIPTERA: TEPHRITIDAE) E SEUS PARASITÓIDES EM PLANTAS HOSPEDEIRAS DE TRÊS MUNICÍPIOS DO NORTE DO ESTADO DE MINAS GERAIS

MOSCAS-DAS-FRUTAS (DIPTERA: TEPHRITIDAE) E SEUS PARASITÓIDES EM PLANTAS HOSPEDEIRAS DE TRÊS MUNICÍPIOS DO NORTE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Moscas-das frutas (Diptera: Tephritidae) e seus parasitóides em plantas hospedeiras de três municípios do norte do Estado de Minas Gerais. 195 MOSCAS-DAS-FRUTAS (DIPTERA: TEPHRITIDAE) E SEUS PARASITÓIDES

Leia mais

INFESTAÇÃO DE GOIABEIRAS POR ANASTREPHA FRATERCULUS (DIPTERA: TEPHRITIDAE), NOS TABULEIROS LITORÂNEOS DO PIAUÍ- DITALPI, PARNAÍBA, PIAUÍ.

INFESTAÇÃO DE GOIABEIRAS POR ANASTREPHA FRATERCULUS (DIPTERA: TEPHRITIDAE), NOS TABULEIROS LITORÂNEOS DO PIAUÍ- DITALPI, PARNAÍBA, PIAUÍ. INFESTAÇÃO DE GOIABEIRAS POR ANASTREPHA FRATERCULUS (DIPTERA: TEPHRITIDAE), NOS TABULEIROS LITORÂNEOS DO PIAUÍ- DITALPI, PARNAÍBA, PIAUÍ. Francisco Gomes dos Santos Neto 1,2.3 Thiago Coelho Aragão 1 Ana

Leia mais

Manejo Integrado de Pragas

Manejo Integrado de Pragas Manejo Integrado de Pragas CATI / Campinas-SP 11/11/2011 Miguel Francisco de Souza Filho Pesquisador Científico Instituto Biológico - APTA Caixa Postal 70 CEP 13012-970 / Campinas - SP e-mail: miguelf@biologico.sp.gov.br

Leia mais

Chave de identificação de Braconidae (Alysiinae e Opiinae) parasitoides de larvas frugívoras na região Amazônica

Chave de identificação de Braconidae (Alysiinae e Opiinae) parasitoides de larvas frugívoras na região Amazônica Capítulo 5 Chave de identificação de Braconidae (Alysiinae e Opiinae) parasitoides de larvas frugívoras na região Amazônica Cláudia Fidelis Marinho Ricardo Adaime da Silva Roberto Antonio Zucchi Introdução

Leia mais

Copyright WISER. All Rights Reserved.

Copyright WISER. All Rights Reserved. Copyright WISER. All Rights Reserved. Marciano Marques Bittencourt Engenheiro Agrônomo 17 anos Atuação Fruticultura e Horticultura no SUL Sediado em São Joaquim - SC MOLECULAS DE ORIGEM NATURAL HIDRÓLISE

Leia mais

Levantamento de pragas na cultura da laranja do pomar do IFMG- campus Bambuí

Levantamento de pragas na cultura da laranja do pomar do IFMG- campus Bambuí Levantamento de pragas na cultura da laranja do pomar do IFMG- campus Bambuí Luan Cruvinel Miranda (1) ; Mateus Murilo Rosa (1) ; Ricardo Monteiro Corrêa (2) (1) Estudante de Agronomia. Instituto Federal

Leia mais

Fruit flies in a commercial mango orchard, in the coast of Rio Grande do Norte

Fruit flies in a commercial mango orchard, in the coast of Rio Grande do Norte V. 9, n. 1, p. 01-06, jan - mar, 2013. UFCG - Universidade Federal de Campina Grande. Centro de Saúde e Tecnologia Rural CSTR. Campus de Patos PB. www.cstr.ufcg.edu.br Revista ACSA: http://www.cstr.ufcg.edu.br/acsa/

Leia mais

INVESTIMENTO E RETORNO NA FRUTICULTURA. Prof. Dr. Ricardo Antonio Ayub 1 e Mariane Gioppo 2

INVESTIMENTO E RETORNO NA FRUTICULTURA. Prof. Dr. Ricardo Antonio Ayub 1 e Mariane Gioppo 2 INVESTIMENTO E RETORNO NA FRUTICULTURA Prof. Dr. Ricardo Antonio Ayub 1 e Mariane Gioppo 2 1 Universidade Estadual de Ponta Grossa - Professor Doutor Associado Departamento de Fitotecnia e Fitossanidade

Leia mais

Controle Biológico. Ivan Cruz, entomologista ivan.cruz@.embrapa.br. Postura no coleto. Posturas nas folhas

Controle Biológico. Ivan Cruz, entomologista ivan.cruz@.embrapa.br. Postura no coleto. Posturas nas folhas Controle Biológico Postura no coleto Ivan Cruz, entomologista ivan.cruz@.embrapa.br Posturas nas folhas Proteção Ambiental: Controle Biológico Agrotóxicos Produtividade x Saúde do Trabalhador Rural Fonte:

Leia mais

PRAGAS POLÍFAGAS GERAIS

PRAGAS POLÍFAGAS GERAIS PRAGAS DE FRUTÍFERAS PRAGAS POLÍFAGAS GERAIS 1 Pragas polífagas mosca-das-frutas DIPTERA, TEPHRITIDAE MOSCA-DAS-FRUTAS Anastrepha spp. Ceratitis capitata Bactrocera carambolae Rhagoletis sp. 2 CICLO DE

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL ADRIANO MURIELLE SANTOS DE MENEZES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL ADRIANO MURIELLE SANTOS DE MENEZES UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL ADRIANO MURIELLE SANTOS DE MENEZES ÍNDICES DE INFESTAÇÃO E AVALIAÇÃO DE PRODUTOS QUÍMICOS NO CONTROLE DE MOSCAS-DAS-FRUTAS

Leia mais

Controle Alternativo da Broca do Café

Controle Alternativo da Broca do Café Engº Agrº - Pablo Luis Sanchez Rodrigues Controle Alternativo da Broca do Café Trabalho realizado na região de Ivaiporã, na implantação de unidade experimental de observação que visa o monitoramento e

Leia mais

MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NA CULTURA DA MANGA

MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NA CULTURA DA MANGA Manejo Integrado de Pragas na Cultura da Manga MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NA CULTURA DA MANGA Miguel Francisco de Souza Filho 1 Valmir Antonio Costa 2 Wilson Carlos Pazini 3 1. INTRODUÇÃO A mangueira (Mangifera

Leia mais

Embrapa Mandioca e Fruticultura e a Cooperação Internacional. Tecnologia da Raiz ao Fruto

Embrapa Mandioca e Fruticultura e a Cooperação Internacional. Tecnologia da Raiz ao Fruto Embrapa Mandioca e Fruticultura e a Cooperação Internacional Tecnologia da Raiz ao Fruto Viabilizar soluções de pesquisa, desenvolvimento e inovação para a sustentabilidade da agricultura, com foco em

Leia mais

221 - PÊSSEGOS CV. GRANADA PRODUZIDOS SOB AMBIENTE PROTEGIDO EM SISTEMA DE CONVERSÃO DA PRODUÇÃO CONVENCIONAL PARA A ORGÂNICA

221 - PÊSSEGOS CV. GRANADA PRODUZIDOS SOB AMBIENTE PROTEGIDO EM SISTEMA DE CONVERSÃO DA PRODUÇÃO CONVENCIONAL PARA A ORGÂNICA Manejo de Agroecosistemas Sustentaveis Monferrer RESUMO 221 - PÊSSEGOS CV. GRANADA PRODUZIDOS SOB AMBIENTE PROTEGIDO EM SISTEMA DE CONVERSÃO DA PRODUÇÃO CONVENCIONAL PARA A ORGÂNICA Enilton Fick Coutinho

Leia mais

INCREMENTO DO CONTROLE BIOLÓGICO NATURAL DE MOSCAS DAS FRUTAS (DIPTERA: TEPHRITIDAE) EM POMAR DE GOIABA COM VALAS¹

INCREMENTO DO CONTROLE BIOLÓGICO NATURAL DE MOSCAS DAS FRUTAS (DIPTERA: TEPHRITIDAE) EM POMAR DE GOIABA COM VALAS¹ INCREMENTO DO CONTROLE BIOLÓGICO NATURAL DE MOSCAS DAS FRUTAS (DIPTERA: TEPHRITIDAE) EM POMAR DE GOIABA COM VALAS¹ Francisco Roberto de AZEVEDO 2,3, Cícero Antônio Mariano dos SANTOS 2 Daniel Rodrigues

Leia mais

Ensacamento de frutos: uma antiga prática ecológica para controle da mosca-das-frutas

Ensacamento de frutos: uma antiga prática ecológica para controle da mosca-das-frutas Ensacamento de frutos: uma antiga prática ecológica para controle da mosca-das-frutas João, Paulo Lipp * Secchi, Valdir Antônio ** 1 O problema Um dos problemas fitossanitários mais graves na fruticultura,

Leia mais

LAILSON DO NASCIMENTO LEMOS MOSCAS-DAS-FRUTAS (DIPTERA: TEPHRITIDAE E LONCHAEIDAE) EM SISTEMAS DE CULTIVO E ENTORNO NO ESTADO DO AMAPÁ,BRASIL

LAILSON DO NASCIMENTO LEMOS MOSCAS-DAS-FRUTAS (DIPTERA: TEPHRITIDAE E LONCHAEIDAE) EM SISTEMAS DE CULTIVO E ENTORNO NO ESTADO DO AMAPÁ,BRASIL UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIODIVERSIDADE TROPICAL UNIFAP / EMBRAPA-AP / IEPA / CI-BRASIL LAILSON DO NASCIMENTO LEMOS MOSCAS-DAS-FRUTAS

Leia mais

VI Semana de Ciência e Tecnologia IFMG- campus Bambuí VI Jornada Científica 21 a 26 de outubro

VI Semana de Ciência e Tecnologia IFMG- campus Bambuí VI Jornada Científica 21 a 26 de outubro Potencial da Doru luteipes (Scudder, 1876) (Dermaptera: Forficulidae) no controle da Spodoptera frugiperda (J. E. Smith, 1797) (Lepidoptera: Noctuidae). Willian Sabino RODRIGUES¹; Gabriel de Castro JACQUES²;

Leia mais

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015 CONTROLE BIOLÓGICO DE PRAGAS DA CANA- DE AÇÚCAR NA PRÁTICA Resumo Bruno Pereira Santos 1 ; Profa. Dra. Ana Maria Guidelli Thuler 2 1, 2 Universidade de Uberaba bruno pereira santos 1, bpereiira955@gmail.com

Leia mais

Biodiversidade de moscas-das-frutas do gênero Anastrepha (Diptera, Tephritidae) no campus da ESALQ-USP, Piracicaba, São Paulo

Biodiversidade de moscas-das-frutas do gênero Anastrepha (Diptera, Tephritidae) no campus da ESALQ-USP, Piracicaba, São Paulo Biodiversidade de moscasdasfrutas do gênero Anastrepha (Diptera, Tephritidae) no campus da ESALQUSP, Piracicaba, São Paulo Biodiversidade de moscasdasfrutas do gênero Anastrepha 409 Keiko Uramoto, Julio

Leia mais

COLEÇÕES DE FRUTEIRAS E EXPERIMENTOS INSTALADOS NO CAMPO EXPERIMENTAL DE SILVA JARDIM, DA PESAGRO-RIO

COLEÇÕES DE FRUTEIRAS E EXPERIMENTOS INSTALADOS NO CAMPO EXPERIMENTAL DE SILVA JARDIM, DA PESAGRO-RIO ISSN 1983-6015 PESAGRO-RIO - Nº 43 - março/2015 - Niterói - RJ COLEÇÕES DE FRUTEIRAS E EXPERIMENTOS INSTALADOS NO CAMPO EXPERIMENTAL DE SILVA JARDIM, DA PESAGRO-RIO 1 1 1 Alcílio Vieira ; Jerônimo Graça

Leia mais

MOSCAS-DAS-FRUTAS NO ESTADO DE SÃO PAULO: OCORRÊNCIA E DANOS

MOSCAS-DAS-FRUTAS NO ESTADO DE SÃO PAULO: OCORRÊNCIA E DANOS ENTOMOLOGIA MOSCAS-DAS-FRUTAS NO ESTADO DE SÃO PAULO: OCORRÊNCIA E DANOS MIGUEL FRANCISCO DE SOUZA FILHO 1, ADALTON RAGA 1 e ROBERTO ANTONIO ZUCCHI 2 RESUMO A fruticultura paulista tem crescido de forma

Leia mais

Métodos Legislativos. Métodos Mecânicos. Métodos Culturais

Métodos Legislativos. Métodos Mecânicos. Métodos Culturais MÉTODOS DE CONTROLE DE PRAGAS Métodos Legislativos Métodos Mecânicos Métodos Culturais Métodos Legislativos Leis e portarias federais ou estaduais Introdução de espécies exóticas que se tornam praga problema

Leia mais

Moscas-das-Frutas (Diptera: Tephritidae) no Semi-Árido do Rio Grande do Norte: Plantas Hospedeiras e Índices de Infestação

Moscas-das-Frutas (Diptera: Tephritidae) no Semi-Árido do Rio Grande do Norte: Plantas Hospedeiras e Índices de Infestação November - December 2005 889 ECOLOGY, BEHAVIOR AND BIONOMICS Moscas-das-Frutas (Diptera: Tephritidae) no Semi-Árido do Rio Grande do Norte: Plantas Hospedeiras e Índices de Infestação ELTON L. ARAUJO 1,

Leia mais

7. Manejo de pragas. compreende as principais causadoras de danos na citricultura do Rio Grande do Sul. Mosca-das-frutas sul-americana

7. Manejo de pragas. compreende as principais causadoras de danos na citricultura do Rio Grande do Sul. Mosca-das-frutas sul-americana Tecnologias para Produção de Citros na Propriedade de Base Familiar 63 7. Manejo de pragas Dori Edson Nava A cultura dos citros possui no Brasil mais de 50 espécies de artrópodes-praga, das quais pelo

Leia mais

MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS EM POVOAMENTOS FLORESTAIS

MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS EM POVOAMENTOS FLORESTAIS unesp MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS EM POVOAMENTOS FLORESTAIS Prof. Dr. Carlos F. Wilcken FCA/UNESP - Botucatu 1. INTRODUÇÃO As plantações florestais brasileiras ocupam área de 5,7 milhões de ha, representando

Leia mais

TÉCNICA DO INSETO ESTÉRIL E CONTROLE BIOLÓGICO: MÉTODOS AMBIENTALMENTE SEGUROS E EFICAZES NO COMBATE ÀS MOSCAS-DAS-FRUTAS

TÉCNICA DO INSETO ESTÉRIL E CONTROLE BIOLÓGICO: MÉTODOS AMBIENTALMENTE SEGUROS E EFICAZES NO COMBATE ÀS MOSCAS-DAS-FRUTAS TÉCNICA DO INSETO ESTÉRIL E CONTROLE BIOLÓGICO: MÉTODOS AMBIENTALMENTE SEGUROS E EFICAZES NO COMBATE ÀS MOSCAS-DAS-FRUTAS Beatriz Aguiar Jordão Paranhos Engº. Agrº, Drª., Pesquisadora, Embrapa Semi-Árido,

Leia mais

ESPÉCIES DE TRICOGRAMATÍDEOS EM POSTURAS DE Spodoptera frugiperda (LEP.: NOCTUIDAE) E FLUTUAÇÃO POPULACIONAL EM CULTIVO DE MILHO

ESPÉCIES DE TRICOGRAMATÍDEOS EM POSTURAS DE Spodoptera frugiperda (LEP.: NOCTUIDAE) E FLUTUAÇÃO POPULACIONAL EM CULTIVO DE MILHO ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 ESPÉCIES DE TRICOGRAMATÍDEOS EM POSTURAS DE Spodoptera frugiperda (LEP.: NOCTUIDAE) E FLUTUAÇÃO POPULACIONAL

Leia mais

Implantação de unidades de observação para avaliação técnica de culturas de clima temperado e tropical no estado do Ceará Resumo

Implantação de unidades de observação para avaliação técnica de culturas de clima temperado e tropical no estado do Ceará Resumo Implantação de unidades de observação para avaliação técnica de culturas de clima temperado e tropical no estado do Ceará Resumo Os polos irrigados do Estado do Ceará são seis, conforme relacionados: Baixo

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE AQUIDAUANA PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE AQUIDAUANA PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE AQUIDAUANA PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA MOSCAS-DAS-FRUTAS (DIPTERA: TEPHRITIDAE) E SEUS PARASITÓIDES EM HOSPEDEIROS CULTIVADOS E SILVESTRES

Leia mais

Moscas das frutas: atualizações

Moscas das frutas: atualizações Moscas das frutas: atualizações Adalton Raga Pesquisador Científico VI Instituto Biológico Campinas, SP 38ª Semana da Citricultura Cordeirópolis, SP Importância das moscas-das-frutas Principal problema

Leia mais

Manejo Integrado de Plagas y Agroecología (Costa Rica) No. 69 p.45-49, 2003

Manejo Integrado de Plagas y Agroecología (Costa Rica) No. 69 p.45-49, 2003 Manejo Integrado de Plagas y Agroecología (Costa Rica) No. 69 p.45-49, 23 Flutuação populacional de Labidura sp. em Psidium guajava submetido a dois métodos de pulverização de fenthion Julio C. Galli Kenji

Leia mais

MOSCAS-DAS-FRUTAS (DIPTERA: TEPHRITIDAE) E SEUS PARASITÓIDES EM FRUTÍFERAS NATIVAS NO ESTADO DO PIAUÍ, BRASIL

MOSCAS-DAS-FRUTAS (DIPTERA: TEPHRITIDAE) E SEUS PARASITÓIDES EM FRUTÍFERAS NATIVAS NO ESTADO DO PIAUÍ, BRASIL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO COORDENADORIA GERAL DE PÓS-GRADUAÇÃO CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AGRÁRIAS

Leia mais

DERAL - Departamento de Economia Rural. Fruticultura - Análise da Conjuntura Agropecuária

DERAL - Departamento de Economia Rural. Fruticultura - Análise da Conjuntura Agropecuária Fruticultura - Análise da Conjuntura Agropecuária Dezembro de 2012 PANORAMA MUNDIAL A produção mundial de frutas se caracteriza pela grande diversidade de espécies cultivadas, e constituí-se em grande

Leia mais

08/04/2013 PRAGAS DO FEIJOEIRO. Broca do caule (Elasmopalpus legnosellus) Lagarta rosca (Agrotis ipsilon)

08/04/2013 PRAGAS DO FEIJOEIRO. Broca do caule (Elasmopalpus legnosellus) Lagarta rosca (Agrotis ipsilon) Pragas que atacam as plântulas PRAGAS DO FEIJOEIRO Pragas que atacam as folhas Lagarta enroladeira (Omiodes indicata) Pragas que atacam as vargens Lagarta elasmo (ataca também a soja, algodão, milho, arroz,

Leia mais

INCIDÊNCIA DE MOSCAS-DAS-FRUTAS EM CAFÉ E CITROS E TRATAMENTO QUARENTENARIO DE FRUTOS CÍTRICOS COM RADIAÇÃO GAMA ADALTON RAGA

INCIDÊNCIA DE MOSCAS-DAS-FRUTAS EM CAFÉ E CITROS E TRATAMENTO QUARENTENARIO DE FRUTOS CÍTRICOS COM RADIAÇÃO GAMA ADALTON RAGA CNENlSP BR99H0128 Instituto de Energética* Mucfearva AUTARQUIA ASSOCIADA À UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INCIDÊNCIA DE MOSCAS-DAS-FRUTAS EM CAFÉ E CITROS E TRATAMENTO QUARENTENARIO DE FRUTOS CÍTRICOS COM RADIAÇÃO

Leia mais

Epagri. Manejo de pragas da maçã: safra 2014. www.epagri.sc.gov.br

Epagri. Manejo de pragas da maçã: safra 2014. www.epagri.sc.gov.br Manejo de pragas da maçã: safra 2014 Epagri www.epagri.sc.gov.br Cristiano João Arioli Epagri Estação Experimental de São Joaquim cristianoarioli@epagri.sc.gov.br Manejo de pragas da maçã: safra 2014

Leia mais

GET 106 Controle Biológico de Pragas 2013-1. Diego Bastos Silva Luís C. Paterno Silveira

GET 106 Controle Biológico de Pragas 2013-1. Diego Bastos Silva Luís C. Paterno Silveira GET 106 Controle Biológico de Pragas 2013-1 Diego Bastos Silva Luís C. Paterno Silveira PREDADOR Conceito Vida livre durante todo o ciclo de vida Maior Indivíduo mata e consome um grande número de presas

Leia mais

A.P. de Moura 1 ; D.C.M. de Moura 2. Embrapa Hortaliças, CP 218, CEP 70359-970, Brasília, DF, Brasil. E-mail: apmoura@cnph.embrapa.

A.P. de Moura 1 ; D.C.M. de Moura 2. Embrapa Hortaliças, CP 218, CEP 70359-970, Brasília, DF, Brasil. E-mail: apmoura@cnph.embrapa. 225 LEVANTAMENTO E FLUTUAÇÃO POPULACIONAL DE PARASITOIDES DE MOSCAS- DAS-FRUTAS (DIPTERA: TEPHRITIDAE) DE OCORRÊNCIA EM GOIABEIRA (PSIDIUM GUAJAVA L.) EM FORTALEZA, CEARÁ A.P. de Moura 1 ; D.C.M. de Moura

Leia mais

http://www.infobibos.com/artigos/pragasmanga/pragas.htm

http://www.infobibos.com/artigos/pragasmanga/pragas.htm 1/6 Pragas da mangueira Formigas cortadeiras Atta spp, saúvas Acromyrmex spp, quemquéns por Carlos Jorge Rossetto As formigas cortadeiras são limitantes para formação do pomar de manga. Devem ser combatidas

Leia mais

Biodiversidade, Agrobiodiversidade e Agroecologia

Biodiversidade, Agrobiodiversidade e Agroecologia Biodiversidade, Agrobiodiversidade e Agroecologia Hoje, um grande desafio para a agropecuária, principalmente em relação à inovação tecnológica, é a harmonização do setor produtivo com os princípios da

Leia mais

Objetivos da poda PODA DE ÁRVORES FRUTÍFERAS. O que é poda? FERAS. O que podar? Conceito de Poda. Por que podar?

Objetivos da poda PODA DE ÁRVORES FRUTÍFERAS. O que é poda? FERAS. O que podar? Conceito de Poda. Por que podar? Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz ESALQ/USP PODA DE ÁRVORES FRUTÍFERAS FERAS O que é poda? Piracicaba - SP Agosto - 2011 Conceito de Poda O que podar? Ramos Poda

Leia mais

A CULTURA DA GOIABEIRA

A CULTURA DA GOIABEIRA Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz A CULTURA DA GOIABEIRA Prof. Angelo Pedro Jacomino Centro de Origem região tropical da América: sul do México até sul do Brasil

Leia mais

Carlos Massaru Watanabe/ Marcos Gennaro Engenheiros Agrônomos

Carlos Massaru Watanabe/ Marcos Gennaro Engenheiros Agrônomos DEDETIZAÇÃO Carlos Massaru Watanabe/ Marcos Gennaro Engenheiros Agrônomos TRATAMENTO DOMISSANITARIO: MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS Carlos Massaru Watanabe Engenheiro Agrônomo Pragas Interesse Agrícola Interesse

Leia mais

DIAGNOSE FOLIAR NAS CULTURAS DO CAJU E CAQUI. III Simpósio Brasileiro sobre Nutrição de Plantas Aplicada em Sistemas de Alta Produtividade

DIAGNOSE FOLIAR NAS CULTURAS DO CAJU E CAQUI. III Simpósio Brasileiro sobre Nutrição de Plantas Aplicada em Sistemas de Alta Produtividade DIAGNOSE FOLIAR NAS CULTURAS DO CAJU E CAQUI PROF. DR. MÁRCIO CLEBER DE MEDEIROS CORRÊA Departamento de Fitotecnia Centro de Ciências Agrárias Universidade Federal do Ceará Fortaleza - CE III Simpósio

Leia mais

Native Hosts and Parasitoids Associated with Anastrepha fractura and Other Anastrepha Species (Diptera: Tephritidae) in the Brazilian Amazon

Native Hosts and Parasitoids Associated with Anastrepha fractura and Other Anastrepha Species (Diptera: Tephritidae) in the Brazilian Amazon Native Hosts and s Associated with fractura and Other Species (Diptera: Tephritidae) in the Brazilian Amazon Author(s): Vivian Siqueira Dutra, Beatriz Ronchi-Teles, Marcos Vinicius Bastos Garcia, Ricardo

Leia mais

PRAGAS FLORESTAIS. Gorgulho-do-eucalipto. Formação. 18 de junho e 11 dezembro. Dina Ribeiro. http://www.forestry.gov.uk/forestry/ INFD-672LGH

PRAGAS FLORESTAIS. Gorgulho-do-eucalipto. Formação. 18 de junho e 11 dezembro. Dina Ribeiro. http://www.forestry.gov.uk/forestry/ INFD-672LGH PRAGAS FLORESTAIS Gorgulho-do-eucalipto http://www.forestry.gov.uk/forestry/ INFD-672LGH http://en.wikipedia.org/wiki/fusarium_circinatum Dina Ribeiro Formação 18 de junho e 11 dezembro 2014 1 O Inseto

Leia mais

MIGDOLUS EM CANA DE AÇÚCAR

MIGDOLUS EM CANA DE AÇÚCAR MIGDOLUS EM CANA DE AÇÚCAR 1. INTRODUÇÃO O migdolus é um besouro da família Cerambycidae cuja fase larval causa danos ao sistema radicular da cana-de-açúcar, passando a exibir sintomas de seca em toda

Leia mais

Fonte: Rondônia Rural Disponível em: Rondônia Rural.com

Fonte: Rondônia Rural Disponível em: Rondônia Rural.com I. INTRODUÇÃO O estado de Rondônia está localizado na região Norte do Brasil, a região Norte é a maior das cinco regiões do Brasil definidas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

Leia mais

CONTROLE BIOLÓGICO NA TEORIA E NA PRÁTICA: A REALIDADE DOS PEQUENOS AGRICULTORES DA REGIÃO DE CASCAVEL-PR

CONTROLE BIOLÓGICO NA TEORIA E NA PRÁTICA: A REALIDADE DOS PEQUENOS AGRICULTORES DA REGIÃO DE CASCAVEL-PR CONTROLE BIOLÓGICO NA TEORIA E NA PRÁTICA: A REALIDADE DOS PEQUENOS AGRICULTORES DA REGIÃO DE CASCAVEL-PR 1 DELAI, Lucas da Silva; 1 ALVES Victor Michelon; 1 GREJIANIN, Gustavo; 1 PIRANHA, Michelle Marques

Leia mais

Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18

Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18 Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18 Características Agropecuárias A sociedade brasileira viveu no século XX uma transformação socioeconômica e cultural passando de uma sociedade agrária para uma sociedade

Leia mais

INCIDÊNCIA E FLUTUAÇÃO POPULACIONAL DE ANASTREPHA FRATERCULUS (DIPTERA: TEPHRITIDAE) EM DIFERENTES FRUTÍFERAS NATIVAS NO MUNICÍPIO DE VACARIA / RS

INCIDÊNCIA E FLUTUAÇÃO POPULACIONAL DE ANASTREPHA FRATERCULUS (DIPTERA: TEPHRITIDAE) EM DIFERENTES FRUTÍFERAS NATIVAS NO MUNICÍPIO DE VACARIA / RS INCIDÊNCIA E FLUTUAÇÃO POPULACIONAL DE ANASTREPHA FRATERCULUS (DIPTERA: TEPHRITIDAE) EM DIFERENTES FRUTÍFERAS NATIVAS NO MUNICÍPIO DE VACARIA / RS RICARDO BOLDO DE SOUZA 1 ; ADALÉCIO KOVALESKI 2 INTRODUÇÃO

Leia mais

9.5 PRINCIPAIS PRAGAS E DOENÇAS DO FEIJOEIRO

9.5 PRINCIPAIS PRAGAS E DOENÇAS DO FEIJOEIRO 9.5 PRINCIPAIS PRAGAS E DOENÇAS DO FEIJOEIRO 9.5.1 Controle de Pragas PRINCIPAIS PRAGAS -Lagarta elasmo -Vaquinhas - Mosca branca -Ácaro branco -Carunchos LAGARTA ELASMO Feijão da seca aumento da população

Leia mais

1º PRÊMIO DE EXTENSÃO RURAL GRUPO NOVA CITRUS

1º PRÊMIO DE EXTENSÃO RURAL GRUPO NOVA CITRUS 1º PRÊMIO DE EXTENSÃO RURAL GRUPO NOVA CITRUS Organização de Produtores para produção e comercialização de laranjas in natura. MAURÍLIO SOARES GOMES - Engenheiro Agrônomo JOSÉ ROBERTO GOLFETE - Técnico

Leia mais

ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL ANÁLISE DA CONJUNTURA AGROPECUÁRIA SAFRA 2011/12

ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL ANÁLISE DA CONJUNTURA AGROPECUÁRIA SAFRA 2011/12 ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL ANÁLISE DA CONJUNTURA AGROPECUÁRIA SAFRA 2011/12 FRUTICULTURA Elaboração: Eng. Agr. Paulo Fernando de Souza

Leia mais

Pesquisa da EPAMIG garante produção de azeitonas

Pesquisa da EPAMIG garante produção de azeitonas Pesquisa da EPAMIG garante produção de azeitonas De origem européia, a oliveira foi trazida ao Brasil por imigrantes há quase dois séculos, mas somente na década de 50 foi introduzida no Sul de Minas Gerais.

Leia mais

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 24 A 31 DE MARÇO DE 2014

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 24 A 31 DE MARÇO DE 2014 ANO III / Nº 80 PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 24 A 31 DE MARÇO DE 2014 ALERTA PARA O CONTROLE DO BICUDO DO ALGODOEIRO A presença do bicudo foi relatada e identificada

Leia mais

Drosophila suzukii (Matsumura)

Drosophila suzukii (Matsumura) Drosophila suzukii (Matsumura) na Região Centro Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Centro DSDARL/DAAP Vanda Batista Organização Europeia de Proteção de Plantas (OEPP) A praga tem um alto potencial

Leia mais

Levantamento Florístico De Um Quintal Florestal No Norte De Minas

Levantamento Florístico De Um Quintal Florestal No Norte De Minas Levantamento Florístico De Um Quintal Florestal No Norte De Minas Alisson Farley Soares Durães (1) ;Jaciara Dias Macedo (2) ;Kelly Marianne Guimarães Pereira (3) ; Leticia Renata de Carvalho (4) (1) Estudante;

Leia mais

BICUDO DA CANA (SPHENOPHORUS LEVIS)

BICUDO DA CANA (SPHENOPHORUS LEVIS) BICUDO DA CANA (SPHENOPHORUS LEVIS) 1. INTRODUÇÃO Uma outra praga que vem assumindo um certo grau de importância é conhecida como o bicudo da cana-de-açúcar de ocorrência restrita no Estado de São Paulo,

Leia mais

Helicoverpa armigera. Ivan Cruz, entomologista ivan.cruz@embrapa.br

Helicoverpa armigera. Ivan Cruz, entomologista ivan.cruz@embrapa.br Helicoverpa armigera Ivan Cruz, entomologista ivan.cruz@embrapa.br Controle Biológico com ênfase a Trichogramma Postura no coleto Posturas nas folhas Trichogramma Manejo Integrado de Pragas com ênfase

Leia mais

Situação atual: normatização internacional. Utilização do produto. Sistemas de transporte AGRONEGÓCIO RASTREABILIDADE CONSUMIDORES QUALIDADE

Situação atual: normatização internacional. Utilização do produto. Sistemas de transporte AGRONEGÓCIO RASTREABILIDADE CONSUMIDORES QUALIDADE Situação atual: normatização internacional AGRONEGÓCIO CONSUMIDORES QUALIDADE RASTREABILIDADE Origem Origem do do material material propagação propagação vegetativa: vegetativa: aplis aplis -Lista -Lista

Leia mais

BIODIVERSIDADE DE MOSCAS-DAS-FRUTAS NO CÂMPUS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE, RIO DO SUL, SANTA CATARINA

BIODIVERSIDADE DE MOSCAS-DAS-FRUTAS NO CÂMPUS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE, RIO DO SUL, SANTA CATARINA BIODIVERSIDADE DE MOSCAS-DAS-FRUTAS NO CÂMPUS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE, RIO DO SUL, SANTA CATARINA Dalprá, Leandro 1 ; Campos, Fernando Joly 2 Instituto Federal Catarinense, Rio do Sul/SC INTRODUÇÃO

Leia mais

Profa Dra. Fernanda Basso Eng. Agr. Msc. Bruno Lodo

Profa Dra. Fernanda Basso Eng. Agr. Msc. Bruno Lodo UNIPAC Curso de Agronomia Manejo Fitossanitário na Cana-de-açúcar Insetos-Pragas GRANDES CULTURAS I - Cultura da Cana-de-açúcar Profa Dra. Fernanda Basso Eng. Agr. Msc. Bruno Lodo Introdução Os danos causados

Leia mais

Principais Insetos-praga e Inimigos Naturais no Sistema de Produção Orgânica de Maçãs

Principais Insetos-praga e Inimigos Naturais no Sistema de Produção Orgânica de Maçãs Principais Insetos-praga e Inimigos Naturais no Sistema de Produção Orgânica de Maçãs Principal Insect-pest and Natural Enemies in the Organic Apples Production SANTOS, Janaína Pereira dos. Epagri- Estação

Leia mais

José Roberto Postali Parra Depto. Entomologia e Acarologia USP/Esalq

José Roberto Postali Parra Depto. Entomologia e Acarologia USP/Esalq José Roberto Postali Parra Depto. Entomologia e Acarologia USP/Esalq O Brasil é líder na Agricultura Tropical, com uma tecnologia própria Área (ha) 450.000 400.000 350.000 300.000 Área usada Área agricultável

Leia mais

XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA CONTROLE DE CUPINS EM POSTES DE MADEIRA MÉTODO BIORRACIONAL

XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA CONTROLE DE CUPINS EM POSTES DE MADEIRA MÉTODO BIORRACIONAL XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA CONTROLE DE CUPINS EM POSTES DE MADEIRA MÉTODO BIORRACIONAL AUTORES : CLÁUDIO ANTÔNIO SODÁRIO ALEX SILVEIRA JOSE FRANCISCO RESENDE DA SILVA JURACY

Leia mais

Presença indesejável no Brasil

Presença indesejável no Brasil Presença indesejável no Brasil Lucas Tadeu Ferreira e Maria Fernanda Diniz Avidos mosca-branca (Bemisia argentifolii) é uma velha conhecida da comunidade científica. Os problemas que causa à agricultura

Leia mais

Ações de manejo da. Helicoverpa armigera. Realização:

Ações de manejo da. Helicoverpa armigera. Realização: Ações de manejo da Helicoverpa armigera Realização: Quem é a praga? A Helicoverpa armigera é uma praga exótica, polífaga, que se alimenta de várias culturas agrícolas e plantas daninhas. Na fase de larva

Leia mais

MONITORAMENTO DE PRAGAS NA CULTURA DA UVA

MONITORAMENTO DE PRAGAS NA CULTURA DA UVA Semi-Árido Meio Ambiente CNPq Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico Documentos da Embrapa Semi-Árido ISSN 1516-1633 Nº 162 MONITORAMENTO DE PRAGAS NA CULTURA DA UVA Copyright Ó

Leia mais

PÓL Ó O L O DE E UVA V DE E ME M S E A E E VI V N I HO NO O ES E T S A T DO DO ES E P S ÍR Í IT I O O SAN A TO T

PÓL Ó O L O DE E UVA V DE E ME M S E A E E VI V N I HO NO O ES E T S A T DO DO ES E P S ÍR Í IT I O O SAN A TO T PÓLO DE UVA DE MESA E VINHO NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Pólo de Uva de Mesa e Vinho no Estado do Espírito Santo IMPORTÂNCIA ECONÔMICA E SOCIAL IMPORTÂNCIA ECONÔMICA SOCIAL Transformar o Estado do Espírito

Leia mais

CONTEXTO. mundial de celulose branqueada de eucalipto

CONTEXTO. mundial de celulose branqueada de eucalipto MONITORAMENTO E CONTROLE DE ESPÉCIES EXÓTICAS INVASORAS NA ARACRUZ CELULOSE S.A. Ana Paula C. do Carmo (Aracruz( Celulose S.A.) Silvia R. Ziller (Instituto Hórus) CONTEXTO Maior produtora Unidade Barra

Leia mais

Manejo de pragas. Engª. Agrª. MSc. Caroline Pinheiro Reyes

Manejo de pragas. Engª. Agrª. MSc. Caroline Pinheiro Reyes Manejo de pragas Engª. Agrª. MSc. Caroline Pinheiro Reyes O que é uma praga? *Inseto que cause danos diretos (ex. lagarta que se alimente das folhas de couve) O que é uma praga? * Inseto que cause danos

Leia mais

INTRODUÇÃO. Márcio Adonis Miranda Rocha 1, David dos Santos Martins 1, Rita de Cássia Antunes Lima 2

INTRODUÇÃO. Márcio Adonis Miranda Rocha 1, David dos Santos Martins 1, Rita de Cássia Antunes Lima 2 LEVANTAMENTO FITOSSOCIOLÓGICO DAS PLANTAS DANINHAS, NA CULTURA DO MAMÃO, SOB DIFERENTES SISTEMAS DE IRRIGAÇÃO, NOS MUNICÍPIOS DE LINHARES E SOORETAMA - ES Márcio Adonis Miranda Rocha 1, David dos Santos

Leia mais

Pesquisa, Consultoria e Treinamento Agrícola Ltda. Soluções para Manejo de Pragas, Plantas Daninhas, Biotecnologia Aplicada e Monitoramento Ambiental

Pesquisa, Consultoria e Treinamento Agrícola Ltda. Soluções para Manejo de Pragas, Plantas Daninhas, Biotecnologia Aplicada e Monitoramento Ambiental Pesquisa, Consultoria e Treinamento Agrícola Ltda. Soluções para Manejo de Pragas, Plantas Daninhas, Biotecnologia Aplicada e Monitoramento Ambiental Estações Experimentais de Pesquisa EEGJaboticabal EEGUberlândia

Leia mais

ManeJo de Insetos na soja Intacta RR2 PRo SEMEANDO O FUTURO

ManeJo de Insetos na soja Intacta RR2 PRo SEMEANDO O FUTURO ManeJo de Insetos na soja Intacta RR2 PRo A cultura da soja está exposta, durante gemmatalis (lagarta todo o seu ciclo, ao ataque de diferentes Pseudoplusia includens espécies de insetos. Esses insetos

Leia mais

Ações para o monitoramento e controle de Thaumastocoris peregrinus no Brasil

Ações para o monitoramento e controle de Thaumastocoris peregrinus no Brasil Ações para o monitoramento e controle de Thaumastocoris peregrinus no Brasil Leonardo R. Barbosa Laboratório de Entomologia Florestal Embrapa Florestas SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE PRAGAS QUERENTERNARIAS

Leia mais

Informações tecnológicas, manejo adotado pelos produtores e sugestões de medidas para o controle das pragas da goiabeira 2013(E)

Informações tecnológicas, manejo adotado pelos produtores e sugestões de medidas para o controle das pragas da goiabeira 2013(E) 63 INFORMAÇÕES TECNOLÓGICAS, MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS ADOTADO PELOS PRODUTORES E SUGESTÕES DE MEDIDAS PARA O CONTROLE DE PRAGAS DA GOIABEIRA (Psidium guajava) MAURICIO DOMINGUEZ NASSER 1 FLÁVIA APARECIDA

Leia mais

Experiencia de AD no combate a mosca de Fruta

Experiencia de AD no combate a mosca de Fruta AD ACÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO Experiencia de AD no combate a mosca de Fruta Iemberem, Novembro de 2009 Eugenio Mango Director do PAN/AD CONTEXTO NACIONAL DE COMBATE A MOSCA DA FRUTA Até este momento

Leia mais

Controle Microbiano de Fernanda Goes Mendes Marina Chamon Abreu Seminário de Microbiologia do Solo 2014/1 O controle de na agricultura é um fator limitante e resulta no aumento do custo de produção; O

Leia mais

Parasitóides (Braconidae) associados à Anastrepha (Tephritidae) em frutos hospedeiros do Litoral Sul da Bahia 1

Parasitóides (Braconidae) associados à Anastrepha (Tephritidae) em frutos hospedeiros do Litoral Sul da Bahia 1 Revista Ciência Agronômica, v. 43, n. 4, p. 811-815, out-dez, 2012 Centro de Ciências Agrárias - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, CE Artigo Técnico www.ccarevista.ufc.br ISSN 1806-6690 Parasitóides

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS DA AMAZÔNIA - INPA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENTOMOLOGIA

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS DA AMAZÔNIA - INPA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENTOMOLOGIA INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS DA AMAZÔNIA - INPA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENTOMOLOGIA CARACTERIZAÇÃO DE OVOS E LARVAS DE ESPÉCIES DE ANASTREPHA (DIPTERA: TEPHRITIDAE) UTILIZANDO ANÁLISES MORFOLÓGICAS

Leia mais

MONITORAMENTO DE MOSCAS-DAS-FRUTAS (DIPTERA, TEPHRITIDAE) EM CINCO MUNICÍPIOS DO ESTADO DE GOIÁS

MONITORAMENTO DE MOSCAS-DAS-FRUTAS (DIPTERA, TEPHRITIDAE) EM CINCO MUNICÍPIOS DO ESTADO DE GOIÁS 1 LILIAN ROSANA SILVA RABELO MONITORAMENTO DE MOSCAS-DAS-FRUTAS (DIPTERA, TEPHRITIDAE) EM CINCO MUNICÍPIOS DO ESTADO DE GOIÁS Dissertação apresentada ao Programa de Pós- Graduação em Agronomia, da Universidade

Leia mais

Manejo Integrado de Pragas de Grandes Culturas

Manejo Integrado de Pragas de Grandes Culturas Manejo Integrado de Pragas de Grandes Culturas Marcelo C. Picanço Prof. de Entomologia Universidade Federal de Viçosa Telefone: (31)38994009 E-mail: picanco@ufv.br Situação do Controle de Pragas de Grandes

Leia mais

Processo para solicitação de registro de nova cultivar no Brasil

Processo para solicitação de registro de nova cultivar no Brasil Processo para solicitação de registro de nova cultivar no Brasil Chrystiano Pinto de RESESNDE 1 ; Marco Antônio Pereira LOPES 2 ; Everton Geraldo de MORAIS 3 ; Luciano Donizete GONÇALVES 4 1 Aluno do curso

Leia mais

MANEJO DE INSETOS E ÁCAROS NAS CULTURAS DA SOJA E DO MILHO. MAURO BRAGA Pesquisador

MANEJO DE INSETOS E ÁCAROS NAS CULTURAS DA SOJA E DO MILHO. MAURO BRAGA Pesquisador MANEJO DE INSETOS E ÁCAROS NAS CULTURAS DA SOJA E DO MILHO MAURO BRAGA Pesquisador Sistemas agrícolas Insetos e ácaros na soja Insetos no milho Inseticidas: manejo melhor Sistemas agrícolas Sistemas agrícolas

Leia mais

Certificação da Produção de Orgânicos. Seminário Agrotóxicos: Perigo à mesa Rastreabilidade dos alimentos no RS

Certificação da Produção de Orgânicos. Seminário Agrotóxicos: Perigo à mesa Rastreabilidade dos alimentos no RS Certificação da Produção de Orgânicos Seminário Agrotóxicos: Perigo à mesa Rastreabilidade dos alimentos no RS Mas afinal, o que são produtos orgânicos? São aqueles produzidos de forma orgânica ou extrativista

Leia mais

ESTRATÉGIAS E MANEJO ALTERNATIVO DE CONTROLE DE PRAGAS APLICADOS A AGRICULTURA FAMILIAR

ESTRATÉGIAS E MANEJO ALTERNATIVO DE CONTROLE DE PRAGAS APLICADOS A AGRICULTURA FAMILIAR INSTITUTO CAPIXABA DE PESQUISA, ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL CENTRO REGIONAL DE DESENVOLVIMENTO RURAL CENTRO SERRANO ESTRATÉGIAS E MANEJO ALTERNATIVO DE CONTROLE DE PRAGAS APLICADOS A AGRICULTURA

Leia mais

Culturas. A Cultura do Milho. Nome A Cultura do Milho Produto Informação Tecnológica Data Outubro de 2000 Preço - Linha Culturas Resenha

Culturas. A Cultura do Milho. Nome A Cultura do Milho Produto Informação Tecnológica Data Outubro de 2000 Preço - Linha Culturas Resenha 1 de 5 10/16/aaaa 11:24 Culturas A Cultura do Milho Nome A Cultura do Milho Produto Informação Tecnológica Data Outubro de 2000 Preço - Linha Culturas Resenha Informações resumidas sobre a cultura do milho

Leia mais

Porto Alegre, 19 de agosto de 2015

Porto Alegre, 19 de agosto de 2015 Biologia e ecologia do mosquito vetor da dengue Porto Alegre, 19 de agosto de 2015 Biologia do vetor Aedes aegypti macho Aedes aegypti Aedes albopictus Mosquitos do gênero Aedes. Característica Aedes aegypti

Leia mais

EXERCÍCIOS DE CIÊNCIAS (6 ANO)

EXERCÍCIOS DE CIÊNCIAS (6 ANO) 1- Leia o texto a seguir e responda: EXERCÍCIOS DE CIÊNCIAS (6 ANO) Além de diminuir a poluição ambiental, o tratamento do lixo pode ter retorno econômico e social. a) Cite duas formas de se obterem produtos

Leia mais

EFEITOS DO USO DO SOLO NAS PROPRIEDADES QUÍMICAS DE UM LATOSSOLO AMARELO MUITO ARGILOSO DE PARAGOMINAS (PA) ARTIGO DE REVISÃO

EFEITOS DO USO DO SOLO NAS PROPRIEDADES QUÍMICAS DE UM LATOSSOLO AMARELO MUITO ARGILOSO DE PARAGOMINAS (PA) ARTIGO DE REVISÃO EFEITOS DO USO DO SOLO NAS PROPRIEDADES QUÍMICAS DE UM LATOSSOLO AMARELO MUITO ARGILOSO DE PARAGOMINAS (PA) ARTIGO DE REVISÃO ESTRATÉGIAS DE CONTROLE DA MOSCA-DA-CARAMBOLA Bactrocera carambolae DREW &

Leia mais

O papel do citricultor no combate ao Greening. Cícero Augusto Massari

O papel do citricultor no combate ao Greening. Cícero Augusto Massari O papel do citricultor no combate ao Greening Cícero Augusto Massari Os envolvidos Inseto vetor Greening bactéria hospedeiro Infecção e evolução dos sintomas Doença de evolução rápida em plantas jovens

Leia mais

OCORRÊNCIA DA MOSCA-DA-CARAMBOLA NO ESTADO DO AMAPÁ

OCORRÊNCIA DA MOSCA-DA-CARAMBOLA NO ESTADO DO AMAPÁ REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE AGRONOMIA - ISSN 1677-0293 P UBLICAÇÃO C IENTÍFICA DA F ACULDADE DE A GRONOMIA E E NGENHARIA F LORESTAL DE G ARÇA/FAEF A NO IV, NÚMERO, 07, JUNHO DE 2005. PERIODICIDADE:

Leia mais

BIODIVERSIDADE E MANEJO SUSTENTÁVEL DA FLORESTA TROPICAL 1 BIODIVERSIDADE

BIODIVERSIDADE E MANEJO SUSTENTÁVEL DA FLORESTA TROPICAL 1 BIODIVERSIDADE BIODIVERSIDADE E MANEJO SUSTENTÁVEL DA FLORESTA TROPICAL 1 João Artur Silva 2 Márcio Ribeiro² Wilson Junior Weschenfelder² BIODIVERSIDADE Modelos de Diversidade A diversidade biológica varia fortemente

Leia mais

CADERNO DE CAMPO. Produção Integrada de Mamão PI-Mamão. Nº de Registro do Produtor/Empresa no CNPE: Nome do Produtor/Empresa: Município: Estado: CEP:

CADERNO DE CAMPO. Produção Integrada de Mamão PI-Mamão. Nº de Registro do Produtor/Empresa no CNPE: Nome do Produtor/Empresa: Município: Estado: CEP: Produção Integrada de Mamão PI-Mamão CADERNO DE CAMPO Nº de Registro do Produtor/Empresa no CNPE: Nome do Produtor/Empresa: Endereço: Município: Estado: CEP: Telefone: Fax: E-mail: Home-Page: CP: Responsável

Leia mais