VIDA LONGA - Idosas conversam em Tóquio: com alto índice de desenvolvimento humano, o Japão têm a maior expectativa de vida, com 83,5 anos

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VIDA LONGA - Idosas conversam em Tóquio: com alto índice de desenvolvimento humano, o Japão têm a maior expectativa de vida, com 83,5 anos"

Transcrição

1 1 de 7 31/01/ :22 Aumentar a fonte Diminuir a fonte Demografia e IDH Márcia Nogueira Tonello VIDA LONGA - Idosas conversam em Tóquio: com alto índice de desenvolvimento humano, o Japão têm a maior expectativa de vida, com 83,5 anos Crédito: Itsuo Inouye/AP Você pode perguntar na sua família sobre as gerações anteriores: provavelmente, seus bisavós tinham vários irmãos, e muitos deles podem ter morrido antes de chegar à velhice. Hoje, a situação é outra menos filhos, vida mais longa, e isso são as chamadas mudanças demográficas. Atualmente, o número de idosos cresce rapidamente em todo o mundo, e de forma ainda mais acelerada nos países que ainda estão em desenvolvimento. O relatório Perspectivas Demográficas Mundiais Revisão 2012, publicado pela Organização das Nações Unidas (ONU), estima que a população mundial com mais de 60 anos, hoje de 841 milhões, que vive em sua maioria nos países desenvolvidos, será de 2 bilhões de pessoas em 2050, com quase 70% delas fora do mundo rico. Pessoas vivendo mais é uma boa notícia, mas traz aspectos inquietantes, pois países que estão longe de atender às necessidades básicas de crianças e jovens em poucas décadas terão de se preocupar com um enorme contingente de idosos.

2 2 de 7 31/01/ :22 A revisão feita pela ONU corrigiu basicamente os dados de redução da fertilidade nas regiões mais pobres, pois ela cai mais devagar do que se estimava. Pelos novos números, a população global, hoje de 7,2 bilhões pessoas, será de 9,6 bilhões em 2050 e, no final do século, de 10,9 bilhões, com 88% nos atuais países em desenvolvimento. Projeções demográficas são essenciais para que se elaborem políticas de longo prazo nas áreas de saúde, educação, trabalho e previdência. No centro da questão relativa à população idosa está uma preocupação vital para o desenvolvimento dos países: a redução da população em idade economicamente ativa, que sustenta na prática a economia dos países, fenômeno que irá atingir todo o planeta. Por que há mais idosos A porcentagem de idosos na população cresce porque o declínio da taxa de fertilidade (número médio de filhos que uma mulher tem ao longo da vida) convive com a elevação da longevidade. Assim, nascem menos crianças e vive-se mais tempo. Veja o caso do Brasil: antes da década de 1970, as mulheres tinham em média 6 filhos, e hoje esse número é inferior a 2 filhos, o que fica abaixo da taxa de reposição populacional (para manter estável a população). Naquela época, a expectativa de vida do brasileiro girava em torno de 57 anos, e, agora, chega em 73 anos. Assim, nas próximas décadas, haverá mais aposentados e menos jovens entrando no mercado de trabalho para girar a economia e sustentar a parcela da população que não trabalha. São vários os fatores que contribuem para a queda na taxa de fertilidade nas sociedades modernas: a disseminação de métodos contraceptivos, como a pílula anticoncepcional (desde a década de 1960); a presença crescente da mulher no mercado de trabalho, que a faz adiar a maternidade; a crescente urbanização, pois é mais difícil criar e sustentar um grande número de filhos na cidade; o aumento da escolarização, especialmente da mulher, o que amplia o controle sobre o próprio corpo; e o planejamento familiar, que engloba todos os pontos anteriores. Já o aumento da expectativa de vida é reflexo direto do acesso crescente da população a saneamento básico, serviços de saúde e avanços da medicina. Esses índices mostram um progresso na última década em todas as regiões do mundo, mas ainda se mantém uma forte desigualdade. Enquanto o Japão registra a maior expectativa de vida, com 83,5 anos, em Serra Leoa, país da África Subsaariana, ela não passa de 48,1 anos. A mesma disparidade ocorre com a taxa de fertilidade: a maior taxa pertence ao Níger, com 7 filhos por mulher em média, enquanto a menor é no território chinês de Hong Kong e na Bósnia-Herzegóvina (sudeste da Europa), que registram 1,1 filho por mulher. Os desafios do envelhecimento No governo das sociedades com grandes mudanças demográficas, um índice especialmente importante é a razão de dependência, relacionada à estrutura etária da população. O índice mostra a porcentagem de indivíduos considerados dependentes (crianças com idade inferior a 15 anos e idosos com idade superior a 64 anos) em

3 3 de 7 31/01/ :22 relação à parcela potencialmente produtiva, ou seja, ao total da população com idade entre os 15 e 64 anos. Quanto mais alta a razão de dependência, maior é o peso da parcela de crianças, jovens e idosos em relação à população economicamente ativa, que sustenta a produção econômica do país e produz a riqueza nacional. Uma razão de dependência de 50% significa que há 50 indivíduos dependentes para cada 100 potencialmente ativos. No Brasil, a razão de dependência teve uma redução gradativa durante as últimas décadas, passando de 85,5%, em 1950, a 48% em Isso aconteceu pois, até as décadas de 1970 e 1980, o país teve altas taxas de natalidade (havia um grande número de crianças e jovens em relação ao total, resultando em uma alta razão de dependência), mas os nascidos nesse período vieram engrossando a população ativa do país nas últimas décadas, enquanto caía o número de crianças. Essa dinâmica irá se inverter nas próximas décadas, quando se fizer sentir o impacto da redução drástica da taxa de natalidade, simultaneamente ao aumento da população idosa. De acordo com as projeções demográficas, na década de 2020 o Brasil terá a maior proporção de pessoas em idade ativa em relação à parcela considerada dependente, o que caracteriza o chamado bônus demográfico. A partir daí, a razão de dependência voltará a crescer gradativamente. Janela de oportunidade O processo por que passa o Brasil é global. O que muda é o estágio no qual se encontra cada nação. Na década de 1920, foi criado um modelo de transição demográfica. Ele mostra que o ritmo de crescimento e envelhecimento populacional está relacionado ao nível de desenvolvimento dos países, com reflexos diretos nas taxas de natalidade e mortalidade. O esquema original da transição demográfica obedece a quatro estágios, mas muitas nações já estariam hoje vivendo um quinto, que é a redução da população. O envelhecimento populacional e a redução da força de trabalho com consequente pressão sobre serviços de saúde e previdência são questões que já afligem países da Europa. Mas uma grande parte dos países em desenvolvimento ainda pode desfrutar do bônus demográfico, na medida em que ainda vê crescer a parcela de sua população integrante da força de trabalho. Abre-se para esses países a chamada janela de oportunidades. O termo janela é apropriado, pois, tal como se abriu, esse período se fechará quando a população idosa superar a de crianças e jovens. No Brasil, isso deve acontecer entre 2020 e Como se trata de políticas de longo prazo, é preciso que os países consigam investir maciçamente em educação e pesquisa, assim como na ampliação de perspectivas produtivas para jovens e idosos. A Coreia do Sul é um exemplo de como aproveitar as vantagens do bônus demográfico escolarizando em massa a população e desenvolvendo a economia e o padrão de vida da população. Por outro lado, nações pobres, com entraves estruturais, podem ter dificuldade em aproveitar o aumento da população em idade ativa. Assim, correm o risco de, no final, ficar só com as desvantagens de uma população envelhecida. O que mostra o IDH O aumento da expectativa de vida tem muito a ver com a melhoria das condições da sociedade, e os avanços na qualidade de vida nos diversos paí-ses são medidos pelo Índice de Desenvolvimento Humano cuja sigla é IDH, elaborado pelo Programa da Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Humano (Pnud). Seu relatório de 2013 sobre o IDH relativo a 2012 analisa o contexto global e foca sua atenção na evolução ocorrida nas duas últimas décadas nas nações do Hemisfério Sul os países em desenvolvimento (categoria genérica que inclui países que estão em desenvolvimento econômico e países pobres). A abordagem é otimista. Mostra que houve

4 4 de 7 31/01/ :22 uma melhoria dos padrões de vida em grande parte deles, com uma queda acentuada na parcela de pessoas que vivem na pobreza esse índice mundial caiu de 43% em 1990 para 22% em O relatório ressalta os avanços de países emergentes, como China, Índia e Brasil, e estima que, em 2020, a produção econômica conjunta dos três países terá superado a produção agregada de Estados Unidos, Alemanha, Reino Unido, França, Itália e Canadá. Prevê também que a chamada ascensão do Sul se intensifique durante o século XXI, com reflexos na melhoria do desenvolvimento humano em termos globais. Além de países de grandes dimensões, como China, Brasil, Índia, Indonésia, África do Sul e Turquia, o relatório registra melhorias expressivas em economias menores, como Chile, Maurício, Bangladesh, Tunísia, Gana e Ruanda. Com relação à África Subsaariana, a região mais pobre do planeta, destaca-se o crescimento de 5% ao ano da renda per capita entre 2003 e 2008, mais do que o dobro da década de O impacto desse aumento, porém, ainda está longe de compensar a enorme desigualdade do padrão de vida global: a renda média per capita da África Subsaariana foi de dólares em 2012, valor que representa apenas 6% da renda média alcançada pelos países de IDH muito alto. As políticas sociais também receberam destaque no relatório, em especial os programas de transferência condicionada de rendimentos, pelo seu importante papel na redução da pobreza e da desigualdade nos últimos anos em diversas regiões do mundo. Foram citados, entre outros, o programa mexicano Oportunidades, o programa Chile Solidário e iniciativas da China e da Índia de apoio a populações carentes, para reduzir o impacto das flutuações da economia que se tornaram mais frequentes com a globalização, desde os anos O programa Bolsa Família, do Brasil, foi também incluído. Segundo o relatório, sua expansão, a partir de 2003, permitiu que, seis anos depois, mais de 97% da população visada fosse beneficiada, o que se traduziu numa queda substancial dos índices de pobreza e de pobreza extrema e numa redução da desigualdade. Contrastes globais O IDH é publicado anualmente desde 1990 pelo Pnud e visa a medir o bem-estar nos países, cidades, estados e regiões, traduzindo em números a qualidade de vida daquela população. O índice funciona como uma régua, em que o valor mínimo é zero e o máximo, 1. Sempre que possível, baseia-se em dados que possam ser comparados, originando os conhecidos rankings de qualidade de vida. A Noruega, país do norte da Europa, lidera o ranking de 2013, com o melhor IDH mundial (0,955), seguida pela Austrália (0,938). Na pior situação, encontram-se o Níger e a República Democrática do Congo, na África Subsaariana, ambos com 0,304. O relatório de 2013 pesquisou a situação em 187 nações. Sem dados suficientes, algumas ficaram de fora, como a Somália, nação desagregada no nordeste da África. Uma vez que o papel do ranking do IDH é justamente permitir comparações, ficam muito evidentes as enormes diferenças entre o mundo desenvolvido e os países pobres. Enquanto a média de anos de escolaridade nos Estados Unidos é de 13,3, em Moçambique, Burkina Faso ou Níger, ela mal passa de 1 ano. Em termos da renda média da população, a da Noruega é 152 vezes maior do que a da República Democrática do Congo (que vive graves conflitos internos há quase 20 anos) e cerca de 5 vezes maior do que a do Brasil. Essas diferenças explicam-se pelo desenvolvimento histórico e econômico dos países e dos continentes. A maioria das nações com IDH muito alto é da Europa e pertence à Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), grupo de 30 nações com expressivo desenvolvimento econômico e social, que também inclui

5 5 de 7 31/01/ :22 Estados Unidos, Canadá, Japão, Austrália e Nova Zelândia. São países que, em geral, oferecem serviços públicos de boa qualidade para a população, e nos quais os salários são elevados. Neles, a grande maioria dos jovens está na escola, a taxa de analfabetismo entre adultos é praticamente zero e a expectativa de vida é elevada. No grupo de países com baixo IDH, estão nações pobres da África e da Ásia, exploradas no passado pelo colonialismo, com independência relativamente recente, pouca ou nenhuma industrialização e pequeno desenvolvimento social. Ainda que tenham sido registrados avanços, os piores índices de desenvolvimento humano estão na África Subsaariana a parte do continente africano ao sul do Deserto do Saara, marcada pela pobreza, por guerras, secas, desertificação e grande incidência de doenças como aids e malária. No ranking do IDH, a faixa de IDH baixo reúne 46 nações, das quais 28 são da África Subsaariana. Enquanto o grupo dos países de IDH muito alto teve uma média de renda nacional bruta per capita de 33 mil dólares em 2012, nos países subsaarianos essa renda foi de dólares média que ainda ameniza a realidade: na República Democrática do Congo foi de apenas 319 dólares no ano. A miséria se reflete diretamente nas áreas de saúde e educação: a população desses países tem uma expectativa de vida de apenas 55 anos, taxas elevadas de mortalidade infantil, baixa escolarização e grande analfabetismo. Os dois últimos países da lista são a República Democrática do Congo, que enfrenta conflitos armados há quase 20 anos, o que destruiu parte considerável da infraestrutura do país, e o Níger, cujo território é castigado pela escassez de água e fica em boa parte localizado no Deserto do Saara. A situação brasileira O Brasil apresentou um ligeiro avanço no último relatório passando de 0,728, em 2011, para 0,730 em 2012 e se mantém na 85ª posição no ranking, junto com a Jamaica. Desde 2007, o país faz parte do grupo dos países com IDH alto, mas se encontra ainda muito distante dos países de IDH muito alto: para ascender a esse grupo teria que saltar 39 posições. Apesar de apresentar uma melhora contínua no IDH a cada ano passando de 0,590, em 1990, ao atual índice de 0,730, a posição do Brasil no ranking evidencia as fragilidades do país. Seu maior problema ainda é a educação, pois carrega uma herança histórica de falta de escolaridade da população mais pobre, que exige investimento maciço para ser enfrentada. Outro importante entrave para o desenvolvimento social no Brasil é a grande concentração de renda, uma das maiores do mundo. Segundo o Censo 2010, os 10% mais ricos entre os brasileiros detêm 44,5% da renda nacional, enquanto os 10% mais pobres ficam com só 1,1% do bolo. Assim, uma parcela importante da população tem grandes carências econômicas, trazendo como consequência pouco acesso à saúde e educação, vitais para um bom nível de vida. Como os indicadores que compõem o IDH são médias nacionais, o Pnud também passou a calcular, a partir de 2010, o IDH Ajustado à Desigualdade (IDHAD). Enquanto o IDH representaria o índice de desenvolvimento humano potencial, o IDHAD sinaliza o índice real, ao levar em conta a desigualdade nas três dimensões analisadas. Esse indicador derruba o IDH de quase todos os países, mas afeta mais diretamente os que têm maior desigualdade na distribuição de renda. Por esse indicador, o Brasil ficaria com a pontuação de 0,531 em 2012, o que acarreta uma queda de 27% em relação ao IDH. Como faltam dados em muitos países, não é possível extrair um ranking dessa medida, mas há comparações que mostram o impacto da desigualdade no desenvolvimento humano em nosso país. Como o IDH é calculado

6 6 de 7 31/01/ :22 O IDH do Brasil IDH A criação do IDH, em 1990, representou um avanço para avaliar o desenvolvimento dos países. Antes, a principal medida era a renda per capita, a divisão da renda nacional bruta (RNB) pela população do país. Esse cálculo simples ignora as desigualdades de renda: a economia pode ir bem, mas a maioria da população, ir mal. Por exemplo: em 2012 a renda per capita no Brasil foi de dólares, mas milhões de brasileiros receberam muito menos do que isso. Para medir o bem-estar, o IDH é um indicador mais abrangente, pois vê a qualidade de vida em termos de renda, acesso à saúde e à educação. Os três índices têm o mesmo peso para o indicador final. Cada parte é calculada numa escala de 0 a 1, e o resultado final é a média, após a soma e a divisão por três. Veja os detalhes do cálculo do IDH. Vida saudável (saúde) Leva em conta a expectativa (ou esperança) de vida da pessoa ao nascer, calculada por especialistas. Esse indicador é significativo, porque reflete se no país há um bom atendimento de saúde e boas condições sanitárias (quando o saneamento básico se amplia, cai a mortalidade infantil). Acesso ao conhecimento (educação) Considera dois índices. O primeiro é a média de anos de estudo das pessoas com 25 anos ou mais. O segundo é a previsão sobre a duração da vida escolar das pessoas desde o nascimento, segundo os dados atuais de cada país é a expectativa de anos de estudo ao nascer. Situação material (renda) Corresponde ao valor da renda nacional bruta do país (RNB) per capita (ou seja, dividida pelo número de habitantes). Os valores são calculados em dólar PPC (paridade do poder de compra), uma forma de comparar diferentes realidades, com base no poder de compra real do dinheiro. Saiu na imprensa MERCADOS, JUSTIÇA E LIBERDADE Para o Prêmio Nobel indiano Amartya Sen, 78 anos, um dos criadores do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), o avanço dos países não é mais medido apenas pelo crescimento da economia. Entrevista a Giuliano Guandalini. A última vez que o senhor esteve no Brasil foi há mais de dez anos. Qual a sua avaliação da evolução brasileira nesse período? A economia brasileira passa por um bom momento. Não falo apenas em termos de crescimento (...). O país tem distribuído os recursos gerados pelo aumento de sua riqueza. Houve uma melhora indiscutível nos indicadores sociais. Agora, para sustentar o crescimento e consolidar os avanços, será preciso aprimorar a educação e o sistema público de saúde. (...)

7 7 de 7 31/01/ :22 Mas o Brasil cresce em uma velocidade inferior à de outros países em desenvolvimento O Brasil realmente não vem crescendo tão rápido quanto a China ou mesmo a Índia, mas exibe muitas vantagens em relação àqueles países. A China enfrenta uma constante tensão política por não ser um país democrático. (...) A Índia, por sua vez, teve períodos de crescimento tépido, mesmo sendo uma democracia. (...) Mas a renda per capita indiana ainda é muito baixa e os indicadores sociais evoluem lentamente. Nesse aspecto, a evolução verificada na sociedade brasileira tem sido bem mais expressiva. (...) Resumo Demografia e IDH POPULAÇÃO MUNDIAL Segundo projeções da ONU, a população do planeta, hoje de 7,2 bilhões, terá 9,6 bilhões em 2050 e, no final do século XXI, 10,9 bilhões, sendo 88% dos habitantes nos países em desenvolvimento. Nessa data, estima-se em 3 bilhões o número de pessoas com mais de 60 anos. BÔNUS DEMOGRÁFICO Representa uma janela de oportunidade para o crescimento econômico proporcionado pelo aumento da porcentagem da população em idade ativa. O país pode colher os benefícios de uma maior capacidade produtiva associada a uma menor proporção de dependentes (crianças e idosos). RAZÃO DE DEPENDÊNCIA Mede a porcentagem das pessoas consideradas dependentes (crianças entre 0 e 14 anos e pessoas com mais de 64 anos) sobre a parcela potencialmente produtiva (população entre 15 e 64 anos). Quanto mais alta, maior é o peso do número de crianças, jovens e idosos em relação à população economicamente ativa. IDH Criado pela ONU, em 1990, o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) mede a qualidade de vida nos países com base em três dimensões: uma vida longa e saudável (expectativa de vida), o acesso ao conhecimento (média de anos de estudo da população adulta e média de anos de escolaridade esperados para uma criança ao ingressar na escola) e um padrão de vida digno (calculado pela renda nacional bruta per capita). ranking Cada país recebe uma pontua-ção do IDH, que varia entre 0 (o mais baixo) e 1 (o mais alto). Os países são ranqueados em quatro faixas de pontuação: de IDH muito alto (o melhor), alto, médio e baixo (o pior). Brasil O país registra uma boa evolução do IDH nos últimos 20 anos, passando de 0,590, em 1990, a 0,730, em Embora seu índice tenha tido um ligeiro aumento em 2011 o IDH foi 0,728, manteve a 85ª posição mundial.

Estrutura Populacional e Indicadores socioeconômicos

Estrutura Populacional e Indicadores socioeconômicos POPULAÇÃO BRASILEIRA Estrutura Populacional e Indicadores socioeconômicos Desde a colonização do Brasil o povoamento se concentrou no litoral do país. No início do século XXI, a população brasileira ainda

Leia mais

Quase 10% dos brasileiros têm mais de 70 anos. Segundo o IBGE, em 40 anos o número de idosos deverá superar o de jovens

Quase 10% dos brasileiros têm mais de 70 anos. Segundo o IBGE, em 40 anos o número de idosos deverá superar o de jovens Um país de idosos Quase 10% dos brasileiros têm mais de 70 anos. Segundo o IBGE, em 40 anos o número de idosos deverá superar o de jovens A expectativa de vida do brasileiro aumentou mais de 20 anos em

Leia mais

Indicador ANEFAC dos países do G-20 Edição 2013. Por Roberto Vertamatti*

Indicador ANEFAC dos países do G-20 Edição 2013. Por Roberto Vertamatti* Indicador ANEFAC dos países do G-20 Edição 2013 Por Roberto Vertamatti* Brasil recua novamente para a 15ª posição por não melhorar índices de saúde, educação e renda e piorar em relação a pobreza e desigualdade

Leia mais

Expectativa de vida do brasileiro cresce mais de três anos na última década

Expectativa de vida do brasileiro cresce mais de três anos na última década 1 FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO PROFESSOR BAHIA TEXTO DE CULTURA GERAL FONTE: UOL COTIDIANO 24/09/2008 Expectativa de vida do brasileiro cresce mais de três anos na última década Fabiana Uchinaka Do UOL Notícias

Leia mais

Indicadores Anefac dos países do G-20

Indicadores Anefac dos países do G-20 Indicadores Anefac dos países do G-20 O Indicador Anefac dos países do G-20 é um conjunto de resultantes de indicadores da ONU publicados pelos países: África do Sul, Alemanha, Arábia Saudita, Argentina,

Leia mais

O Brasil e o IDH. No mês de setembro de 2005 o PNUD (Programa das Nações Unidas para o

O Brasil e o IDH. No mês de setembro de 2005 o PNUD (Programa das Nações Unidas para o O Brasil e o IDH No mês de setembro de 2005 o PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) divulgou o Relatório de Desenvolvimento Humano (RDH 2005), com a análise de 177 países. Com dados

Leia mais

José Eustáquio Diniz Alves 1

José Eustáquio Diniz Alves 1 China e Índia: população, economia e desenvolvimento humano José Eustáquio Diniz Alves 1 A Chína e a Índia são os dois países mais populosos do mundo e que também já foram, antes de 182, os dois países

Leia mais

IDH do Brasil melhora, mas país cai no ranking Mudança se deve a desempenho melhor de outro país

IDH do Brasil melhora, mas país cai no ranking Mudança se deve a desempenho melhor de outro país Material embargado até dia 9 de novembro, às 11h do Brasil IDH do Brasil melhora, mas país cai no ranking Mudança se deve a desempenho melhor de outro país O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Brasil

Leia mais

Oficina Índice de Desenvolvimento Humano IDH

Oficina Índice de Desenvolvimento Humano IDH Oficina Índice de Desenvolvimento Humano IDH Oficina CH/EM Caro Aluno, Esta oficina tem por objetivo analisar as principais características de um dos principais indicadores socioeconômicos utilizados na

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Porto Alegre do Norte, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 3994,51 km² IDHM 2010 0,673 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 10748 hab.

Leia mais

Analfabetismo no Brasil

Analfabetismo no Brasil Analfabetismo no Brasil Ricardo Paes de Barros (IPEA) Mirela de Carvalho (IETS) Samuel Franco (IETS) Parte 1: Magnitude e evolução do analfabetismo no Brasil Magnitude Segundo estimativas obtidas com base

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Peruíbe, SP 30/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 323,17 km² IDHM 2010 0,749 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 59773 hab. Densidade

Leia mais

Como está a situação da população mundial e que expectativa razoável podemos ter para o futuro?

Como está a situação da população mundial e que expectativa razoável podemos ter para o futuro? População mundial Leia as manchetes abaixo: População mundial superará 9,2 bilhões em 2050, estima ONU BBC Brasil Casais ricos burlam lei do filho único na China BBC Brasil A população mundial atingiu

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Novo Mundo, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 5826,18 km² IDHM 2010 0,674 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 7332 hab. Densidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Vera, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 2962,4 km² IDHM 2010 0,680 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 10235 hab. Densidade demográfica

Leia mais

A emergência de um novo mundo no século XXI?

A emergência de um novo mundo no século XXI? A emergência de um novo mundo no século XXI? José Eustáquio Diniz Alves 1 A economia mundial deve crescer cerca de 4 vezes nos próximos 40 anos. Isto quer dizer que o Produto Interno Bruto (PIB) terá o

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de São José do Rio Claro, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 5074,56 km² IDHM 2010 0,682 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 17124 hab.

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Cabo Verde, MG 29/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 368,15 km² IDHM 2010 0,674 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 13823 hab. Densidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Guaranésia, MG 29/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 294,28 km² IDHM 2010 0,701 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 18714 hab. Densidade

Leia mais

Entenda o que é IDH Secretaria de Saúde Pública do Pará

Entenda o que é IDH Secretaria de Saúde Pública do Pará Entenda o que é IDH Secretaria de Saúde Pública do Pará O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), divulgado pela ONU, parte do pressuposto de que para aferir o avanço de uma população não se deve considerar

Leia mais

Classificação dos Países

Classificação dos Países Indicadores Sociais: Os indicadores sociais são meios utilizados para designar os países como sendo: Ricos (desenvolvidos), Em Desenvolvimento (economia emergente) ou Pobres (subdesenvolvidos). Com isso,

Leia mais

Desenvolvimento e Subdesenvolvimento: O que é preciso saber para começar entender?

Desenvolvimento e Subdesenvolvimento: O que é preciso saber para começar entender? Desenvolvimento e Subdesenvolvimento: O que é preciso saber para começar entender? PIB - Produto Interno Bruto. Ele representa o montante de todas as riquezas do país, quanto maior o PIB, mais alto o nível

Leia mais

CORREÇÃO TAREFAS. Aulas 1 4 Pág. 24-31

CORREÇÃO TAREFAS. Aulas 1 4 Pág. 24-31 CORREÇÃO TAREFAS Aulas 1 4 Pág. 24-31 Paginas 24 e 25 1. a) População absoluta é a população total de um determinado local. b) População relativa é a densidade demográfica, ou seja, média de habitantes

Leia mais

Patrocínio Institucional Parceria Apoio

Patrocínio Institucional Parceria Apoio Patrocínio Institucional Parceria Apoio O Grupo AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através da cultura e da arte, desperta potencialidades artísticas que elevam a autoestima

Leia mais

Índice de Gini e IDH. Prof. Antonio Carlos Assumpção

Índice de Gini e IDH. Prof. Antonio Carlos Assumpção Índice de Gini e IDH Prof. Antonio Carlos Assumpção Redução da pobreza e Desigualdade de Renda Redução da pobreza e Desigualdade de Renda A partir da estabilização da economia, em 1994, houve no Brasil

Leia mais

Tema: Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) Professor: Jonathan Kreutzfeld

Tema: Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) Professor: Jonathan Kreutzfeld Tema: Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) Professor: Jonathan Kreutzfeld O que é IDH? O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é uma medida comparativa de renda, escolaridade e longevidade para os diversos

Leia mais

SITUAÇÃO DOS ODM NOS MUNICÍPIOS

SITUAÇÃO DOS ODM NOS MUNICÍPIOS SITUAÇÃO DOS ODM NOS MUNICÍPIOS O presente levantamento mostra a situação dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) nos municípios brasileiros. Para realizar a comparação de forma mais precisa,

Leia mais

Direitos Humanos II D I R E I T O S E C O N Ô M I C O S, S O C I A I S, C U L T U R A I S E A M B I E N T A I S. Escola de Governo 22/09/2015

Direitos Humanos II D I R E I T O S E C O N Ô M I C O S, S O C I A I S, C U L T U R A I S E A M B I E N T A I S. Escola de Governo 22/09/2015 Direitos Humanos II D I R E I T O S E C O N Ô M I C O S, S O C I A I S, C U L T U R A I S E A M B I E N T A I S Escola de Governo 22/09/2015 Gerações dos Direitos Humanos 1ª Dimensão Direitos Civis e Políticos

Leia mais

Educação é a chave para um desenvolvimento duradouro...

Educação é a chave para um desenvolvimento duradouro... Educação é a chave para um desenvolvimento duradouro...enquanto os líderes mundiais se preparam para um encontro em Nova York ainda este mês para discutir o progresso dos Objetivos de Desenvolvimento do

Leia mais

As tendências da população mundial: rumo ao crescimento zero

As tendências da população mundial: rumo ao crescimento zero As tendências da população mundial: rumo ao crescimento zero Fausto Brito José Alberto Magno de Carvalho Cássio Maldonato Turra Bernardo Lanza Queiroz Nas três primeiras décadas da segunda metade do século

Leia mais

Nome: n o : Geografia. Exercícios de recuperação

Nome: n o : Geografia. Exercícios de recuperação Nome: n o : Ensino: Fundamental Ano: 7 o Turma: Data: Professor(a): Maria Silvia Geografia Exercícios de recuperação 1) Para a geografia, qual é o conceito de região? 2) Entre os aspectos utilizados para

Leia mais

É o estudo do processo de produção, distribuição, circulação e consumo dos bens e serviços (riqueza).

É o estudo do processo de produção, distribuição, circulação e consumo dos bens e serviços (riqueza). GEOGRAFIA 7ª Série/Turma 75 Ensino Fundamental Prof. José Gusmão Nome: MATERIAL DE ESTUDOS PARA O EXAME FINAL A GEOGRAFIA DO MUNDO SUBDESENVOLVIDO A diferença entre os países que mais chama a atenção é

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Fundação Instituída nos termos da Lei nº 5.152, de 21/10/1966 São Luís - Maranhão.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Fundação Instituída nos termos da Lei nº 5.152, de 21/10/1966 São Luís - Maranhão. 1 de 5 A educação que movimenta o desenvolvimento Natalino Salgado Filho O ano de 2011 encerra com uma notícia que, aparentemente, parece muito alvissareira para o Brasil. O país ultrapassou a Grã Bretanha

Leia mais

7ºano 2º período vespertino 25 de abril de 2014

7ºano 2º período vespertino 25 de abril de 2014 GEOGRAFIA QUESTÃO 1 A Demografia é a ciência que estuda as características das populações humanas e exprime-se geralmente através de valores estatísticos. As características da população estudadas pela

Leia mais

TERESINA ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO

TERESINA ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO TERESINA ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO Teresina (PI), Setembro 2014 1 ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO (IDH-m) As informações deste estudo são extraídas do site do Programa das Nações Unidas - PNUD,

Leia mais

Perfil Municipal - Rio Bom (PR)

Perfil Municipal - Rio Bom (PR) Caracterização do Território Área: 177,4 km² u Densidade Demográfica: 20,0 hab/km² Altitude da Sede: 680 m Ano de Instalação: 1.964 Distância à Capital: 284,5 km Microrregião: Faxinal Mesorregião: Norte

Leia mais

ELABORAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS

ELABORAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS 1 ELABORAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS Ernesto Friedrich de Lima Amaral 28 de setembro de 2011 Universidade Federal de Minas Gerais Faculdade de Ciências Humanas e Filosofia Departamento de Sociologia e Antropologia

Leia mais

Aula5 POPULAÇÃO E DEMOGRAFIA NO BRASIL. Debora Barbosa da Silva

Aula5 POPULAÇÃO E DEMOGRAFIA NO BRASIL. Debora Barbosa da Silva Aula5 POPULAÇÃO E DEMOGRAFIA NO BRASIL META Refletir sobre as características da população brasileira como fundamento para a compreensão da organização do território e das políticas de planejamento e desenvolvimento

Leia mais

África. Palavras amáveis não custam nada e conseguem muito. Blaise Pascal 30. www1.folha.uol.com.br

África. Palavras amáveis não custam nada e conseguem muito. Blaise Pascal 30. www1.folha.uol.com.br África Acredita-se que a situação atual da África seja resultado da maneira em que foi colonizado pelos Europeus. Por meio de colônia de exploração de recursos mineiras, separação dos territórios tribais

Leia mais

A POSIÇÃO DO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS (SP) EM RELAÇÃO AO ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO (IDH) E AO ÍNDICE DE GINI

A POSIÇÃO DO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS (SP) EM RELAÇÃO AO ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO (IDH) E AO ÍNDICE DE GINI A POSIÇÃO DO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS (SP) EM RELAÇÃO AO ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO (IDH) E AO ÍNDICE DE GINI Roland Anton Zottele 1, Friedhilde M. K. Manulescu 2 1, 2 Faculdade de Ciências

Leia mais

mhtml:file://e:\economia\ibge Síntese de Indicadores Sociais 2010.mht

mhtml:file://e:\economia\ibge Síntese de Indicadores Sociais 2010.mht Page 1 of 7 Comunicação Social 17 de setembro de 2010 Síntese de Indicadores Sociais 2010 SIS 2010: Mulheres mais escolarizadas são mães mais tarde e têm menos filhos Embora abaixo do nível de reposição

Leia mais

Taxa de analfabetismo

Taxa de analfabetismo B Taxa de analfabetismo B.1................................ 92 Níveis de escolaridade B.2................................ 94 Produto Interno Bruto (PIB) per capita B.3....................... 96 Razão de

Leia mais

9. o ANO FUNDAMENTAL PROF. ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE

9. o ANO FUNDAMENTAL PROF. ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE 9. o ANO FUNDAMENTAL PROF. ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE Unidade III Cidadania e movimento. 2 Aula 14.2 Conteúdos Outros elementos medidos pelo IDH. Comentários sobre o IDH de 2011. 3 Habilidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Santos, SP 30/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 281,35 km² IDHM 2010 0,840 Faixa do IDHM Muito Alto (IDHM entre 0,8 e 1) (Censo 2010) 419400 hab. Densidade

Leia mais

Relatório Estadual de Acompanhamento - 2008. Relatório Estadual de Acompanhamento 2008 Objetivos de Desenvolvimento do Milênio

Relatório Estadual de Acompanhamento - 2008. Relatório Estadual de Acompanhamento 2008 Objetivos de Desenvolvimento do Milênio Relatório Estadual de Acompanhamento 2008 Objetivos de Desenvolvimento do Milênio 1- Erradicar a extrema pobreza e a fome Meta 1: Reduzir pela metade, entre 1990 e 2015, a proporção da população com renda

Leia mais

Retrato de Portugal alguns indicadores

Retrato de Portugal alguns indicadores Retrato de Portugal alguns indicadores Apresentação de Joel Felizes Resumo O Índice de Desenvolvimento Humano e o PIB A posição de Portugal vista em diversas dimensões Comparação a nível mundial e da UE

Leia mais

ACESSO EDUCAÇÃO PRÉ-VESTIBULAR AULA 01 DEMOGRAFIA BRASILEIRA

ACESSO EDUCAÇÃO PRÉ-VESTIBULAR AULA 01 DEMOGRAFIA BRASILEIRA ACESSO EDUCAÇÃO PRÉ-VESTIBULAR AULA 01 DEMOGRAFIA BRASILEIRA ACESSO EDUCAÇÃO PRÉ-VESTIBULAR AULA 02 DEMOGRAFIA MUNDIAL (MACK) O Brasil em 2020 Será, é claro, um Brasil

Leia mais

Novo Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil

Novo Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil Entenda o cálculo do IDH Municipal (IDH-M) e saiba quais os indicadores usados O Índice de Desenvolvimento Humano foi criado originalmente para medir o nível de desenvolvimento humano dos países a partir

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Alto Boa Vista, MT 01/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 2248,35 km² IDHM 2010 0,651 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 5247 hab. Densidade

Leia mais

CRESCIMENTO POPULACIONAL. Estágio-Docência: Camila Macêdo Medeiros

CRESCIMENTO POPULACIONAL. Estágio-Docência: Camila Macêdo Medeiros CRESCIMENTO POPULACIONAL Estágio-Docência: Camila Macêdo Medeiros O que é Crescimento Populacional? O crescimento populacional é a mudança positiva do número de indivíduos de uma população dividida por

Leia mais

Baixo investimento público contribui para desigualdade no acesso e queda em indicadores de qualidade

Baixo investimento público contribui para desigualdade no acesso e queda em indicadores de qualidade Baixo investimento público contribui para desigualdade no acesso e queda em indicadores de qualidade CFM analisa relatórios internacionais e mostra preocupação com subfinanciamento da saúde, que tem afetado

Leia mais

Brasil é 2º em ranking de redução de mortalidade infantil 3

Brasil é 2º em ranking de redução de mortalidade infantil 3 Publicação Científica do Curso de Bacharelado em Enfermagem do CEUT. Ano 2011(3). Edição 38 Aline da Silva Oliveira 1 Cristiana Maria de Sousa Macedo 1 Mércia da Silva Sousa 1 Márcia Andrea Lial Sertão

Leia mais

Mudanças demográficas e saúde no Brasil Dados disponíveis em 2008

Mudanças demográficas e saúde no Brasil Dados disponíveis em 2008 Mudanças demográficas e saúde no Brasil Dados disponíveis em 2008 José Cechin Superintendente Executivo Carina Martins Francine Leite Nos últimos meses, vários relatórios publicados por diferentes instituições

Leia mais

Envelhecimento da população residente em Portugal e na União Europeia

Envelhecimento da população residente em Portugal e na União Europeia Dia Mundial da População 11 julho de 15 1 de julho de 15 Envelhecimento da população residente em e na União Europeia Para assinalar o Dia Mundial da População (11 de julho), o Instituto Nacional de Estatística

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Areado, MG 29/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 282,6 km² IDHM 2010 0,727 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 13731 hab. Densidade demográfica

Leia mais

A ONU ESTIMA QUE, ATÉ 2050, DOIS TERÇOS DA POPULAÇÃO MUNDIAL ESTARÃO MORANDO EM ÁREAS URBANAS.

A ONU ESTIMA QUE, ATÉ 2050, DOIS TERÇOS DA POPULAÇÃO MUNDIAL ESTARÃO MORANDO EM ÁREAS URBANAS. A ONU ESTIMA QUE, ATÉ 2050, DOIS TERÇOS DA POPULAÇÃO MUNDIAL ESTARÃO MORANDO EM ÁREAS URBANAS. EM 1950, O NÚMERO CORRESPONDIA A APENAS UM TERÇO DA POPULAÇÃO TOTAL. CERCA DE 90% DO AVANÇO DA POPULAÇÃO URBANA

Leia mais

Pisa 2012: O que os dados dizem sobre o Brasil

Pisa 2012: O que os dados dizem sobre o Brasil Pisa 2012: O que os dados dizem sobre o Brasil A OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico) divulgou nesta terça-feira os resultados do Programa Internacional de Avaliação de Alunos,

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Botelhos, MG 29/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 335,24 km² IDHM 2010 0,702 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 14920 hab. Densidade

Leia mais

Brasil avança, mas é quarto país mais desigual da América Latina, diz ONU

Brasil avança, mas é quarto país mais desigual da América Latina, diz ONU Brasil avança, mas é quarto país mais desigual da América Latina, diz ONU Estudo faz balanço de serviços urbanos básicos, como a gestão dos resíduos sólidos. (Foto: Reprodução) Apesar do crescimento econômico,

Leia mais

Brasil. Valores de IDH e mudanças de classificação no Relatório de Desenvolvimento Humano 2011

Brasil. Valores de IDH e mudanças de classificação no Relatório de Desenvolvimento Humano 2011 Relatório de Desenvolvimento Humano 2011 Sustentabilidade e igualdade: Um futuro melhor para todos Nota explicativa sobre os índices compostos do IDH 2011 Brasil Valores de IDH e mudanças de classificação

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Sorriso, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 9382,37 km² IDHM 2010 0,744 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 66521 hab. Densidade

Leia mais

A dinâmica econômica e demográfica dos BRICs

A dinâmica econômica e demográfica dos BRICs A dinâmica econômica e demográfica dos BRICs José Eustáquio Diniz Alves 1 O acrônimo BRIC (tijolo em inglês), formado pelas letras iniciais dos nomes de quatro países de dimensões continentais Brasil,

Leia mais

BRASIL EXCLUDENTE E CONCENTRADOR. Colégio Anglo de Sete Lagoas Prof.: Ronaldo Tel.: (31) 2106 1750

BRASIL EXCLUDENTE E CONCENTRADOR. Colégio Anglo de Sete Lagoas Prof.: Ronaldo Tel.: (31) 2106 1750 BRASIL EXCLUDENTE E CONCENTRADOR As crises econômicas que se sucederam no Brasil interromperam a política desenvolvimentista. Ocorre que o modelo de desenvolvimento aqui implantado (modernização conservadora

Leia mais

RESULTADOS DO ÍNDICE DE VULNERABILIDADE SOCIAL DO PARANÁ - 2010 *

RESULTADOS DO ÍNDICE DE VULNERABILIDADE SOCIAL DO PARANÁ - 2010 * RESULTADOS DO ÍNDICE DE VULNERABILIDADE SOCIAL DO PARANÁ - 2010 * Os resultados aqui apresentados foram extraídos do Atlas da Vulnerabilidade Social nos Municípios Brasileiros, elaborado pelo Instituto

Leia mais

Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social CDES. A Consolidação das Políticas Sociais na Estratégia de Desenvolvimento Brasileiro

Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social CDES. A Consolidação das Políticas Sociais na Estratégia de Desenvolvimento Brasileiro Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social CDES A Consolidação das Políticas Sociais na Estratégia de Desenvolvimento Brasileiro A CONTRIBUIÇÃO DO CDES PARA O DEBATE DA CONSOLIDAÇÃO DAS POLÍTICAS SOCIAIS

Leia mais

A agenda demográfica e de políticas públicas do Estado de São Paulo

A agenda demográfica e de políticas públicas do Estado de São Paulo A agenda demográfica e de políticas públicas do Estado de São Paulo Projeções da Fundação Seade para a trajetória até 2050 indicam que o grupo populacional com mais de 60 anos será triplicado e o com mais

Leia mais

UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ POLÍTICA E SOCIEDADE NO BRASIL CONTEMPORÂNEO A DINAMICA POPULACIONAL A PARTIR DA DECADA DE 1960 NO BRASIL

UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ POLÍTICA E SOCIEDADE NO BRASIL CONTEMPORÂNEO A DINAMICA POPULACIONAL A PARTIR DA DECADA DE 1960 NO BRASIL UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ POLÍTICA E SOCIEDADE NO BRASIL CONTEMPORÂNEO A DINAMICA POPULACIONAL A PARTIR DA DECADA DE 1960 NO BRASIL Thaís Schmidt Salgado Vaz de Castro thaissalgado@hotmail.com; Felipe José

Leia mais

Aspectos Demográficos: Conceitos Fundamentais

Aspectos Demográficos: Conceitos Fundamentais Aspectos Demográficos: Conceitos Fundamentais Diversos fatores impedem ou favorecem que pessoas se fixem em um lugar: Fatores Naturais. Fatores Econômicos. Fatores Históricos. Clima, topografia, solo entre

Leia mais

* (Resumo executivo do relatório Where does it hurts? Elaborado pela ActionAid sobre o impacto da crise financeira sobre os países em

* (Resumo executivo do relatório Where does it hurts? Elaborado pela ActionAid sobre o impacto da crise financeira sobre os países em * (Resumo executivo do relatório Where does it hurts? Elaborado pela ActionAid sobre o impacto da crise financeira sobre os países em desenvolvimento) A atual crise financeira é constantemente descrita

Leia mais

População é o conjunto de habitantes de um determinado lugar em um determinado tempo;

População é o conjunto de habitantes de um determinado lugar em um determinado tempo; INTRODUÇÃO À GEOGRAFIA DA POPULAÇÃO 1 Aspectos teóricos e metodológicos da geografia da população População é o conjunto de habitantes de um determinado lugar em um determinado tempo; A importância de

Leia mais

Sobre a queda recente na desigualdade de renda no Brasil

Sobre a queda recente na desigualdade de renda no Brasil Sobre a queda recente na desigualdade de renda no Brasil Ricardo Paes de Barros (IPEA) Mirela de Carvalho (IPEA) Samuel Franco (IPEA) Rosane Mendonça (UFF) Brasília, agosto de 2006 Entre 2001 e 2004 a

Leia mais

Boletim Econômico. Federação Nacional dos Portuários. Sumário

Boletim Econômico. Federação Nacional dos Portuários. Sumário Boletim Econômico Federação Nacional dos Portuários Agosto de 2014 Sumário Indicadores de desenvolvimento brasileiro... 2 Emprego... 2 Reajuste dos salários e do salário mínimo... 3 Desigualdade Social

Leia mais

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 COMUNICADO No: 58 Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 10 de dezembro de 2015 (Genebra) - A International Air Transport Association (IATA) anunciou

Leia mais

Simon Schwartzman. A evolução da educação superior no Brasil diferenças de nível, gênero e idade.

Simon Schwartzman. A evolução da educação superior no Brasil diferenças de nível, gênero e idade. A educação de nível superior superior no Censo de 2010 Simon Schwartzman (julho de 2012) A evolução da educação superior no Brasil diferenças de nível, gênero e idade. Segundo os dados mais recentes, o

Leia mais

Pnad: Um em cada cinco brasileiros é analfabeto funcional

Pnad: Um em cada cinco brasileiros é analfabeto funcional 08/09/2010-10h00 Pesquisa visitou mais de 150 mil domicílios em 2009 Do UOL Notícias A edição 2009 da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia

Leia mais

A Contribuição da Educação para o Desenvolvimento Social

A Contribuição da Educação para o Desenvolvimento Social A Contribuição da Educação para o Desenvolvimento Social Setembro 2010 Wanda Engel Superintendente Executiva Desenvolvimento Humano Sujeito Sujeito Objeto Desenvolvimento Social Desenvolvimento Econômico

Leia mais

X Encontro Nacional de Economia da Saúde: Panorama Econômico e Saúde no Brasil. Porto Alegre, 27 de outubro de 2011.

X Encontro Nacional de Economia da Saúde: Panorama Econômico e Saúde no Brasil. Porto Alegre, 27 de outubro de 2011. X Encontro Nacional de Economia da Saúde: Panorama Econômico e Saúde no Brasil Porto Alegre, 27 de outubro de 2011. Brasil esteve entre os países que mais avançaram na crise Variação do PIB, em % média

Leia mais

População Mundial. Prof. R O C H A

População Mundial. Prof. R O C H A População Mundial Prof. R O C H A Crescimento da População Conceitos Demográficos População absoluta Número total de habitantes Densidade demográfica ou população relativa número de habitantes por Km²,

Leia mais

Sobre a Evolução Recente da Pobreza e da Desigualdade

Sobre a Evolução Recente da Pobreza e da Desigualdade Sobre a Evolução Recente da Pobreza e da Desigualdade Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada BRASIL Ricardo Paes de Barros Brasília, setembro de 2009 Taxa anual de crescimento da renda domiciliar

Leia mais

TEMA: CONTRASTES DE DESENVOLVIMENTO. 1ª parte -Países desenvolvidos vs Países em desenvolvimento

TEMA: CONTRASTES DE DESENVOLVIMENTO. 1ª parte -Países desenvolvidos vs Países em desenvolvimento TEMA: CONTRASTES DE DESENVOLVIMENTO 1ª parte -Países desenvolvidos vs Países em desenvolvimento Questões de partida 1. Podemos medir os níveis de Desenvolvimento? Como? 2. Como se distribuem os valores

Leia mais

Receita do Network PwC cresce 6% e atinge US$ 34 bilhões no ano fiscal encerrado em junho

Receita do Network PwC cresce 6% e atinge US$ 34 bilhões no ano fiscal encerrado em junho Press release Data Contato EMBARGO 00h01min (horário Brasília) Terça-feira, 7 de outubro de 2014 Márcia Avruch Tel: +55 11 3674 3760 Email: marcia.avruch@br.pwc.com Pages 4 Receita do Network PwC cresce

Leia mais

Rio Grande do Sul: modificações na sua estrutura etária *

Rio Grande do Sul: modificações na sua estrutura etária * Rio Grande do Sul: modificações na sua estrutura etária * Olga Collinet Heredia UNISINOS Palavras chaves: estrutura etária, população ativa, envelhecimento. INTRODUÇÃO Modificações na dinâmica demográfica

Leia mais

Fórum de Diálogo IBAS

Fórum de Diálogo IBAS Fórum de Diálogo IBAS, e do Sul Integração SUL-SUL Fórum de Mulheres FÓRUM De DIÁLOGO IBAS, e do Sul O Fórum IBAS é uma iniciativa trilateral entre, e do Sul, desenvolvida para promover a cooperação Sul-

Leia mais

Amazônia Legal e infância

Amazônia Legal e infância Amazônia Legal e infância Área de Abrangência 750 Municípios distribuídos em 09 Unidades Federativas: Amazonas (62), Amapá (16), Acre (22), Roraima (15), Rondônia (52), Pará (143), Tocantins (139), Maranhão

Leia mais

INDICADORES DEMOGRÁFICOS E NORDESTE

INDICADORES DEMOGRÁFICOS E NORDESTE INDICADORES DEMOGRÁFICOS E SOCIAIS E ECONÔMICOS DO NORDESTE Verônica Maria Miranda Brasileiro Consultora Legislativa da Área XI Meio Ambiente e Direito Ambiental, Organização Territorial, Desenvolvimento

Leia mais

A caminho da igualdade

A caminho da igualdade A caminho da igualdade Estudo mostra que a educação é determinante para reduzir as desigualdades de gênero, em todas as fases de vida das mulheres 50 KPMG Business Magazine Como defender a empresa Os Jogos

Leia mais

Bônus demográfico, crescimento econômico e redução da pobreza no Brasil

Bônus demográfico, crescimento econômico e redução da pobreza no Brasil Bônus demográfico, crescimento econômico e redução da pobreza no Brasil José Eustáquio Diniz Alves i As eleições de 2 nem começaram de fato, mas já existe uma grande quantidade de textos circulando na

Leia mais

TEXTO 1 1. CONJUNTURA BRASILEIRA. 1.1. As Transformações Recentes

TEXTO 1 1. CONJUNTURA BRASILEIRA. 1.1. As Transformações Recentes TEXTO 1 1. CONJUNTURA BRASILEIRA 1.1. As Transformações Recentes O Brasil, do ponto de vista econômico e social, vem sofrendo uma constante mutação em seus principais indicadores básicos como: população;

Leia mais

A pergunta de um trilhão de dólares: Quem detém a dívida pública dos mercados emergentes

A pergunta de um trilhão de dólares: Quem detém a dívida pública dos mercados emergentes A pergunta de um trilhão de dólares: Quem detém a dívida pública dos mercados emergentes Serkan Arslanalp e Takahiro Tsuda 5 de março de 2014 Há um trilhão de razões para se interessar em saber quem detém

Leia mais

Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires

Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires Professor: Josiane Vill Disciplina: Geografia Série: 3ª Ano Tema da aula: Crescimento populacional: tendências e dilemas Objetivo da aula: contextualizar

Leia mais

GEOGRAFIA DA POPULAÇÃO

GEOGRAFIA DA POPULAÇÃO GEOGRAFIA DA POPULAÇÃO O que é População? População é um conjunto de pessoas que ocupam um determinado espaço em um período de tempo específico. Ela pode ser classificada segundo vários aspectos, como:

Leia mais

de monitoramento das 5 Metas do Todos Pela Educação

de monitoramento das 5 Metas do Todos Pela Educação De Olho nas Metas 2011Quarto relatório de monitoramento das 5 Metas do Todos Pela Educação Investimentos em Educação: comparação internacional Brasil investiu US$ 2.416 por aluno/ ano em 2008. Média dos

Leia mais

é de queda do juro real. Paulatinamente, vamos passar a algo parecido com o que outros países gastam.

é de queda do juro real. Paulatinamente, vamos passar a algo parecido com o que outros países gastam. Conjuntura Econômica Brasileira Palestrante: José Márcio Camargo Professor e Doutor em Economia Presidente de Mesa: José Antonio Teixeira presidente da FENEP Tentarei dividir minha palestra em duas partes:

Leia mais

Um país menos desigual: pobreza extrema cai a 2,8% da população Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) foram divulgados pelo IBGE

Um país menos desigual: pobreza extrema cai a 2,8% da população Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) foram divulgados pelo IBGE Um país menos desigual: pobreza extrema cai a 2,8% da população Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) foram divulgados pelo IBGE Brasília, 7 A pobreza extrema no país caiu a 2,8%

Leia mais

Ambiente e. Sustentabilidade. Carlos Machado de Freitas

Ambiente e. Sustentabilidade. Carlos Machado de Freitas Saúde, Ambiente e Sustentabilidade ORIGEM DA VIDA NO PLANETA (4,5 bilhões a 600 milhões de anos atrás) DOS HOMINÍDEOS AOS HUMANOS (4,4 milhões à 100 mil anos atrás) FIM DA ERA GLACIAL E DOMESTICAÇÃO DA

Leia mais